Diamantes são raros. Um símbolo de amor eterno, uma tradição

Сomentários

Transcrição

Diamantes são raros. Um símbolo de amor eterno, uma tradição
 Diamantes são raros. Um símbolo de amor eterno, uma tradição romântica passada de geração em geração através dos séculos. Certo? Errado. Tudo isso é uma mentira, uma fabricação criada cuidadosamente por um cartel, e uma excelente campanha de marketing. Poeira Cósmica apresenta O grande golpe dos diamantes Diamantes são muito menos raros do que pensamos. Até o fim do século XIX eles só eram encontrados em rios na Índia e no Brasil, e era muito difícil conseguir mais do que pequenas pedras. Mas em 1870 enormes minas foram encontradas na África do Sul e de repente o mercado foi inundado com muitos, muitos diamantes. Se diamantes fossem utilizados industrialmente, seu valor máximo de compra hoje seria entre 2 e 30 dólares porque o único valor do diamante é sua raridade, e por isso os investidores tiveram que pensar rapidamente em alternativas para resolver o problema.1 A solução encontrada foi diabolicamente genial e em 1888 nasceu a DeBeers, uma empresa nascida da fusão de outras empresas que controlavam a mineração e venda de quase todo o mercado mundial de diamantes. Com o controle tanto da oferta quanto da procura, a empresa artificialmente reestabeleceu diamantes como pedras raras. Em 1902 a DeBeers já controlava 90% do mercado de diamantes, e o valor das pedras continuou a subir por décadas mesmo através da grande depressão que se iniciou em 1929. E com o valor do diamante sob total controle, o próximo passo da DeBeers foi igualmente genial. Em 1938 a campanha "um diamante é para sempre" foi lançada com a missão de transformar um item de luxo em necessidade. E ao mostrar a pedra como a representação física do amor ​
http://are.berkeley.edu/~sberto/DeBeersDiamondIndustry https://www.youtube.com/watch?v=Ob6aN4uYKTw 1
de um casal, fez com que o valor de revenda caísse drasticamente. Ninguém quer um diamante usado porque ele representa um amor fracassado. A campanha também explorou eficientemente a insegurança de um homem apaixonado e estabeleceu o diamante como a única forma legítima de demonstrar amor e compromisso. Se seu amor é realmente sério e você está pronto para assumir um compromisso eterno então você precisa comprar um diamante. E é bom ele ser dos grandes. A campanha até determinou critérios precisos para calcular o valor do seu compromisso: um mês de salário na Inglaterra, dois meses nos Estados Unidos, e três meses no Japão. A campanha não era nada sutil, a mensagem para os futuros noivos era bem clara: " 2 meses de salário mostrou para a futura Senhora Smith como será o futuro. Você não pode olhar para Jane e me dizer que ela não é digna de 2 meses de salário. Apenas olhe para ela. Então eu quis comprá­la um anel de diamantes que diga exatamente isso. Veja, eu descobri que uma boa regra de custo hoje em dia é 2 meses de salário. Isso me deu o maior e melhor diamante que eu poderia comprar, sem arruinar meu orçamento. Agora a única pergunta que homens fazem para ela é: 'quando é o casamento?' Um diamante é para sempre. De Beers. " A campanha trabalhou com estúdios e celebridades e cravou na cultura a ideia do anel de noivado. Até Picasso e Salvador Dalí foram comissionados para pintar anúncios. E funcionou tão bem que até 1939 apenas 10% dos anéis de noivado eram de diamantes, mas em 1980 esse número chegou a 90%. Mas dos anos 80 pra cá a situação mudou. No fim do século XX a atenção da ONU voltou­se para os chamados ​
diamantes de sangue,​
que são pedras extraídas em zonas de conflito na África cujo dinheiro é usado para financiar guerras em países como Angola, Costa do Marfim e Serra Leoa. E com a descoberta de gigantescas novas minas no Canadá fora do controle do cartel e a popularização de diamantes sintéticos, o market share da empresa caiu para 45%. 2 Com isso a empresa partiu para novas estratégias de marketing, mirando mulheres solteiras e bem­sucedidas, e trabalhando para desassociar sua imagem dos diamantes de sangue, mas mesmo assim em 2014 seu market share já tinha caído para 34%. Em um mercado que vende 20 bilhões de dólares anualmente, isso significa que a DeBeers vendeu 6.8 bilhões de dólares em diamantes nesse ano.3 ​
https://en.wikipedia.org/wiki/Blood_diamond https://www.debeersgroup.com/content/dam/de­beers/corporate/images/insight­report/pdf/DeBeers_Insight_
Report_2015.pdf 2
3
Mas mesmo sabendo disso tudo, agora é tarde demais. O conceito do diamante como única forma aceitável de se pedir alguém em casamento está completamente inserido na cultura e todos os dias casais apaixonados gastam seu suado dinheiro sem saber que estão cumprindo a missão estabelecida muitas décadas atrás por uma agência de propaganda, contratada por um cartel.