O que é arte? - Richard John

Сomentários

Transcrição

O que é arte? - Richard John
O que é arte?
Páginas e mais páginas já foram escritas, em revistas, jornais ou livros, para tentar esclarecer a
complexidade desta curta questão. Tornou-se então até costumeiro para universitários e
intelectuais participar dos freqüentes cursos e conferências proferidos em auditórios de Museus e
Faculdades, ou dos debates Informais travados em mesas de bar. Entre as inúmeras garrafas de
água mineral ou de cerveja consumidas no trato do problema, o assunto sempre pareceu não ter
fim nem conclusão, quando muito, surgiram, mais algumas dezenas de definições passíveis de
revisão.
Não pretendemos (para a decepção de muitos) dar uma resposta — única e definitiva — para a
pergunta, mas apresentar, sem confrontos ou discussões, dentre um sem-número de conceitos
colhidos de obras biográficas e tratados de estética, aqueles ditos ou escritos por renomados
artistas e teóricos de épocas diversas, numa busca entusiasmada pelo exercício da reflexão que
poderá suscitar, em conjunto, o seu registro.
Contendo, por vezes, o sabor da irreverência, e, por outras, a lógica e a serenidade, conservam
resíduos do momento histórico vivido, do movimento artístico no qual atuou ou acompanhou etc.,
conseqüência de meditações, polêmicas, críticas, intuições que, por fim, permitiram exprimir as
afirmações ou idéias que passamos a ler.
“A arte é um fruto que cresce no homem, como o fruto da planta ou a criança no ventre da mãe.
Mas enquanto o fruto da planta, o fruto dos animais, o fruto da mãe tomam formas naturais, utiliza
a Arte, o fruto espiritual do Homem, em geral formas tais, que se parecem de maneira visível com
outras coisas… Amo a natureza, mas não seu substituto. Arte naturalista e ilusionista é um
substituto para a natureza.”
HANS ARP
“Arte=Homem.”
JOSEPH BEUYS
“As artes são uma faculdade do homem um poder e uma criação. A imaginação, seu impulso vital,
central, foi em todas as épocas considerada como divina.”
JAKOB BURKHARDT
“A arte é uma das condições para a realização do homem por si mesmo.”
CHRISTOPHER CAUDWELL
“A arte não é uma especialidade corporativa: é uma maneira de proceder bem em todas as ações e
produções duma sociedade.”
LE CORBUSIER
“A arte, como a magia, é uma metafísica prática.”
GABRIEL D'ANNUNZIO
“A arte é o falso.''
EDGAR DEGAS
“A arte é uma grande consoladora e aplacadora, ela representa a condensação mais preciosa das
insuficiências da existência.”
SIGMUND FREUD
“A arte sempre estará viva, enquanto expressão indispensável da experiência humana, enquanto
importante meio de comunicação.”
ANTON PEVSNER/NAUM GABO
“A arte é uma abstração. Tire-a da natureza e sonhe diante dela.”
PAUL GAUGUIN
“A arte é homem somado à natureza.”
VICENT VAN GOGH
“Se alguém chama isso de arte, então isso é arte.”
DONALD JUDD
“A arte não reproduz o visível, mas torna visível.”
PAUL KLEE
“Arte é um estilo de viver, por assim dizer.”
WILLEM DE KOONING
“A arte é a definição da arte.”
JOSEPH KOSUTH
“A arte é, e sempre foi, provocação. A função da parte em relação à sociedade resulta clara:
expressar a qualquer preço o que se esconde atrás do muro. O artista é o que arranca o véu, toda
arte é violação, é uma regressão ilegal em relação à maturidade da sociedade industrial e superrepressiva.”
JEAN-JACQUES LEBEL
“A arte consiste sempre em reter o significativo e o essencial e em eliminar o acessório e o
inessencial.”
GEORG LUKÁS
“Arte é uma maneira de adaptação ao meio ambiente.”
HERBERT MARSHALL MCLUHAN
“A arte foi sempre e é, na sua pura essência, a separação mais audaciosa da natureza e da
`naturalidade'. É a ponte para o mundo do espírito.”
FRANZ MARC
“A arte consiste em ir ao extremo. Se a gente começa com tambores tem de acabar com TNT.”
HENRY MILLER
“A arte é a introdução no nosso ambiente de formas que antes não existiam”.
ABRAHAM MOLES
“A arte é um jogo e os jogos têm as suas regras”.
PIET MONDRIAN
“A arte é um vínculo direto do homem com seus semelhantes”.
MOHOLY-NAGY
“A arte não é a ação da natureza, mas do espírito. Isto significa que a arte pode ter o maior interesse
apenas do ponto de vista da inteligência. Ela exige como qualquer outro objeto do mundo e da
consciência, uma certa parte de teoria”.
GEORG NEES
“A arte é a demonstração de que o ordinário é extraordinário”.
AMADEO OZENFAN
“A arte é um produto farmacêutico para imbecis. A arte é uma escroqueria”.
FRANCIS PICABIA
“A arte é uma mentira que nos ensina a compreender a verdade, pelo menos aquela verdade que
somos capazes de compreender como homens”.
PABLO PICASSO
“A única coisa a dizer a respeito de arte é que ela é uma coisa. Arte é arte-como-arte e tudo o mais é
tudo mais. Arte como arte não é nada mais que arte. Arte não é o que não é arte”.
AD REINHARD
“A arte é a maneira de o homem dar expressão ao seu prazer no trabalho”.
JOHN RUSKIN
“A arte é uma função espiritual do homem que tem por objetivo libertá-lo do caos da vida”.
KURT SCHWITTERS
“A Arte é harmonia”.
GEORGES SEURAT
“A arte não é uma coisa séria”.
ARDENGO SOFFIC
''Arte é o conhecimento sensível do imaterial”.
JESUS RAFAEL SOTO
“A arte não é um gozo, um prazer, um divertimento: a arte é uma grande coisa. É um dos órgãos
vitais da humanidade”.
LEON TOLSTOI
“A arte diz o indizível; exprime o inexprimível; traduz o intraduzível”.
LEONARDO DA VINCI
“Devo confessar preliminarmente, que eu não sei o que é belo e nem sei o que é arte”.
MÁRIO DE ANDRADE, 1938
“Isto é arte? Arte é isto”.
WALTÉRCIO CALDAS JR., 1982
“Se alguém chama isto arte, então é arte”.
DONALD JUDD
“A arte é um conceito estatístico. Se há gente suficiente que decide que uma coisa é arte, então é
arte”.
PIOTR KOWALSKI, 1977
“A arte é a arte”.
JAN DIBBETS, 1972
“Arte em arte é arte
O fim da arte é arte como arte
O fim da arte não é o fim”.
AD REINHARDT, 1965
“A única coisa a dizer a propósito da arte é que ela é única.
A arte é arte enquanto arte e outra coisa é outra coisa.
A arte enquanto arte não é outra coisa senão arte. A arte não é o que não é arte”.
AD REINHARDT, 1957
“Ser um artista hoje significa se interrogar sobre a entidade arte. Se interrogamos a entidade
pintura, não podemos interrogar a fortiori a entidade arte. Se um artista aceita a pintura (ou a
escultura), aceita a tradição que a acompanha. Isto porque arte é um termo geral e pintura um
termo específico”.
JOSEPH KOSUTH, 1969
“O objeto da arte é a própria continuidade da arte enquanto produção de significados. É claro que
a arte se enriquece de tudo, mas o que mais enriquece a arte é a própria arte, é a possibilidade que
ela dá a você de continuar a fazê-la”.
WALTÉRCIO CALDAS JR., 1992
“Ora, nenhuma obra de arte pode existir a não ser como produto de si mesma e jamais como
substituição”.
MARIO PEDROSA, 1967
“A arte pode ser ruim, boa ou indiferente, mas qualquer que seja o adjetivo empregado, temos que
chamá-la arte. A arte ruim é arte, do mesmo modo como uma emoção ruim é uma emoção”.
MARCEL DUCHAMP, 1957
“Pouca coisa fora da arte é moral, a vida sem indústria é culpa e a indústria sem arte é brutalidade”.
JOHN RUSKIN, 1849
“Todo objeto de arte é um lugar de convergência onde encontramos o testemunho de um número
mais ou menos grande, mas que pode ser considerável, de pontos de vista sobre o homem e o
mundo”.
PIERRE FRANCASTEL
“A arte é necessária para que o homem se tome capaz de conhecer e mudar o mundo. Mas a arte
também é necessária em virtude da magia que lhe é inerente”.
ERNST FISCHER, 1959
“A tensão e a contradição dialética são inerentes à arte; a arte não só precisa derivar de uma intensa
experiência da realidade, como precisa ser construída, precisa tomar forma através da
objetividade”.
ERNST FISCHER, 1959
“É belo como o encontro de uma máquina de costura e um guarda-chuva numa mesa de dissecar
cadáveres”.
CONDE DE LAUTREAMONT, 1869
“A invenção de grossas mentiras e a descoberta de belas inverdades formam propriamente o
objetivo da arte”.
FEDERICO ZUCCARI, 1607
“Todos sabemos que arte não é verdade. A arte é uma mentira que nos faz compreender a verdade,
pelo menos a verdade que podemos compreender”.
PABLO PICASSO, 1923
“O artista é um mentiroso profissional”.
OSCAR WILDE
“Nada é o que parece ser. Tudo é algo distinto e ademais algo distinto do que pretende ser.
Vivemos num mundo de ocultamentos e mascaramentos. A arte mascara e oculta”.
MONTAIGNE, 1580
“Quanto mais ilusão causar uma obra de arte, tanto mais perfeita ela será”.
FEDERICO ZUCCARI, 1607
“A ilusão constitui um importante princípio em matéria de arte, na verdade, é um princípio cardial.
Nas artes, a ilusão não é pretexto ou engano, nem melhoramento do natural ou evasão da
realidade. A ilusão é a “substância” da arte, a “substância” com que se faz a forma expressiva, semiabstrata mas ao mesmo tempo incomparável e amiúde sensível. Dizer que a imagem artística é
ilusória equivale, simplesmente, dizer que não é material, que não é tela, mas espaço organizado
mediante formas equilibradas, com relações dinâmicas, tensões e resoluções entre elas”.
SUSANNE LANGER, 1966
“Tudo é arte.
Nada é arte”.
BEN VAUTIER, 1973
“A arte é tudo. Tudo o que fazemos ou mesmo imaginamos é arte”.
NAUM GABO, 1962
“A arte não pode nada, não deseja nada, não diz nada”.
GRUPO BMPT, 1967
“Tudo o que fazemos é música. (…) Há teatro todo o tempo, onde estejamos. E a arte não faz senão
ajudar a nos persuadir de que tal é o caso”.
JOHN CAGE
“O que faço é música”.
HÉLIO OITICICA, 1979
“Os índios são obras de arte. Os crocodilos são obras de arte. A selva é obra de arte. Os cupins são
obras de arte. Os direitos do homem são obras de arte”.
WOLF VOSTELL, 1992
“A arte, como formulação visual da vida, abraça todas as suas facetas. Ela integra todos os campos
do aprendizado, disciplina o olho e a mão, além do espírito. A arte é necessária em toda a parte, na
vida pública como na privada, do lar ao escritório público, da religião aos negócios”.
JOSEPH ALBERS,1964
“Meu sonho é uma arte cheia de equilíbrio, de pureza, de repouso, sem temas inquietantes e que
reclamem a atenção. Uma arte que traga alívio ao trabalhador intelectual, tanto quanto ao artista,
que seja para ele um calmante espiritual, que acaricie suavemente sua alma e a tranqüilize depois
das fadigas do dia e das inquietações de seu trabalho”.
PIERRE MATISSE, 1908
“Hoje a arte é ainda da mais alta importância, porque é por ela que as leis de equilíbrio podem ser
demonstradas de uma maneira direta, independente de toda concepção individual”.
PIET MONDRIAN, 1925
“O equilíbrio não é mais o objetivo. As balanças devem ser destruídas. A arte consiste em ir ao
extremo. Se a gente começa com tambores tem de acabar com dinamite ou TNT”.
HENRY MILLER, 1963
“A função da arte não é a de passar por portas abertas, mas a de abrir portas fechadas”.
ERNST FISCHER, 1959
“As obras de arte não são mais que janelas abertas sobre um outro mundo… ”
V. CHKLOVSKI, 1923
“A arte não reproduz o invisível, toma visível”.
PAUL KLEE, 1925
“O indizível — é aí que começa a arte”.
JEAN-LOUIS FERRIER, 1969
“A arte não é uma profissão, é uma iniciação nos mistérios da vida (de nossa própria vida)”.
ROBERTO E. MATTA, 1975
“A arte é o desejo do que não existe e ao mesmo tempo a ferramenta para realizar este desejo”.
ROBERTO E. MATTA, 1969
“Toda arte é reminiscência da noite e das origens ancestrais, das quais alguns fragmentos vivem
ainda no artista”.
PAUL KLEE
“A arte demonstra que o ordinário é extraordinário”.
AMÊDÉE OZENFANT, 1918
“Arte é apalpar a divindade”.
ROBERTO MAGALHÃES, 1970
“Se a arte não tem função espiritual, ela não é nada”.
MATHIAS GOERITZ, 1969
“O objetivo da vida são as criaturas vivas. O objetivo da arte são as criações vivas”.
JOSEPH ALBERS,1964
“Assim como a natureza é um contraponto à poluição e ao progresso industrial, um universo
diferenciado contra a padronização da informática, a arte é uma espécie de reserva mítica e
utópica, uma reserva para a subjetividade, um caminho para a interiorização do homem ou, ao
contrário, um caminho para o reencontro do homem com o social”.
FREDERICO MORAIS, 1994
“As obras de arte são projeções da “vida sentida” em estruturas espaciais, temporais e poéticas”.
HENRY JAMES
“A arte precisa ter uma espécie de toque humano e insinuar-se na memória. Deve inspirar a uma
pessoa algo que a comova — uma recordação, o reconhecimento de sua solidão ou tragédia ou o
que quer que esteja na base de suas recordações”.
ISAMU NOGUCHI, 1962
“A origem da arte: a diferença entre a realidade física e o efeito psíquico. O conteúdo da arte: a
formulação visual de nossa reação à vida. A medida da arte: a relação entre esforço e efeito. A
finalidade da arte: a revelação e a evocação de uma visão interior”.
JOSEPH ALBERS,1964
“A obra de arte está dentro e fora de nós, ela é nosso dentro ali fora. É isto que faz dela um objeto
especial - um ser novo que o homem acrescenta ao mundo material, para torná-lo mais humano. A
arte não seria uma tentativa de explicação do mundo, mas de assimilação de seu enigma. Se a
ciência e a filosofia pretendem explicação do mundo, esse não é o propósito da música, da poesia
ou da pintura. A arte, abrindo mão das explicações, nos induz ao convívio com o mundo
inexplicado, transformando sua estranheza em fascínio”.
FERREIRA GULLAR, 1993
“Acho que uma das preocupações essenciais da arte corresponde à sina do garimpeiro, que se
autodefine como alguém que vive de procurar o que não perdeu”.
CILDO MEIRELES, 1977
“A verdadeira arte está sempre ali onde não a esperamos. Ali, onde ninguém pensa nela nem
pronuncia seu nome. A arte detesta ser reconhecida e saudada por seu nome”.
JEAN DUBUFFET, 1949
“(…) arte é expressão — nada mais e nada menos”.
HERBERT READ, 1951
“O essencial de uma obra consiste precisamente naquilo que não se expressou”.
STÊPHANE MALLARMÉ
“A arte é individual como criação e plural como significado”.
FREDERICO MORAIS, 1994
“A arte não é uma crise de nervos”.
CONSTANTIN BRANCUSI
“A arte é um anti-destino”.
ANDRÉ MALRAUX
“A arte é o lugar da liberdade perfeita”.
ANDRÉ SUARÈS
“A arte é um exercício experimental de liberdade”.
MARIO PEDROSA
“A arte é um exercício de liberdade ou ela é inútil”.
DANIEL ABADIE, 1973
“A arte é uma forma de crescimento para a liberdade, um caminho de vida”.
FAYGA OSTROWER, 1985
“Quando gravo, estou fazendo alguma coisa que todos deveriam fazer, ou deveriam poder fazer.
Porque a arte é um pedaço de liberdade, uma forma de enriquecimento das pessoas. Na verdade,
ninguém pode prescindir da arte. Ela é um momento em que nos ligamos com tudo. Com a arte,
estabelecemos uma ligação universal com o ritmo geral das coisas”.
ARTHUR LUIZ PIZA, 1981
“A arte tanto pode morrer de um excesso de rigor quanto de uma extrema liberdade”.
HENRI LEFEBVRE, 1953
“A obra de arte é, em certa medida, uma libertação da personalidade. Normalmente os nossos
sentimentos estão sujeitos a toda espécie de inibições e repressões. Contemplamos uma obra de
arte e dá-se imediatamente uma libertação e não só libertação — a simpatia também é uma
liberdade de sentimentos — mas também uma intensificação, uma sublimação. Esta é a diferença
essencial entre arte e sentimentalismo: o sentimentalismo é uma libertação, um afrouxamento, um
descontrair de emoções. Arte é libertação, mas ao mesmo tempo uma estimulação das emoções.
Arte é economia de emoções, é emoção que cultiva boa forma”.
HERBERT READ, 1951
“A arte aparece na sociedade com a função de poupança. Uma das características da obra de arte é
rechaçar a destruição, o consumo imediato. Poupar não é enterrar, é orientar racionalmente o uso,
é utilizar com inteiro conhecimento, o momento mais favorável. A vasilha boa é tirada do armário
nos dias de festas”.
ÉTIENNE SOURIAU, 1929
“Fazer arte é formular as percepções que o artista tem. Ele percebe e tem de encontrar um suporte
para estas percepções. Eu percebo aquilo que eu mostro e mostro aquilo que percebo”.
SÉRGIO CAMARGO, 1975
“Obra de arte: resultado da objetivação de uma verdade subjetiva”.
SÉRGIO CAMARGO, 1966
“A obra de arte é uma mensagem fundamentalmente ambígua, uma pluralidade de significados
que coexistem num único significante. (…) Esta ambigüidade torna-se hoje um fim explícito da
obra, um valor a realizar de preferência a qualquer outro…”
UMBERTO ECO, 1962
“(…) toda obra de arte, mesmo enquanto forma acabada e “fechada”, em sua perfeição de
organismo exatamente calibrado, é “aberta”, pode ser interpretada de diferentes maneiras sem
que sua irredutível singularidade seja alterada”.
UMBERTO ECO, 1962
“Nossa arte é baseada na reciprocidade. Não aspira à perfeição. Não é definitiva. Não pretendemos
fazer quadros para a eternidade dos museus”.
KARL GERSTNER, 1964
“Quero uma arte político-erótica-mística, que faça algo mais que sentar a bunda num museu.
Quero uma arte que cresça sem saber se é arte mesmo, uma arte que tenha a oportunidade de
partir do zero. Quero uma arte que se misture com a merda cotidiana e que saia, apesar disso, na
primeira linha. Quero uma arte que imite o humano, que seja cômica, se necessário, ou violenta, ou
o que seja necessário. Quero uma arte que copie suas formas das linhas da própria vida, que torça,
estenda, acumule, cuspa e jorre, e que seja pesada e vulgar, doce e estúpida como a própria vida”.
CLAES OLDEMBURG, 1961
“Não existe arte a favor. O artista é sempre contra”.
AMILCAR DE CASTRO, 1983
“A arte, em sua fantasia, deve sua existência ao ceticismo total”.
HUGO BALL, 1916
“A arte é um absurdo. É uma escroqueria”.
MARCEL DUCHAMP, 1915
“Basta de mistificações. A arte atual é um formidável bluff. O divórcio entre a criação artística e o
grande público é uma realidade evidente”.
GRAV, 1961
“Eu creio que a arte é irresponsável. No fundo a arte é reacionária — quase criminosa em um certo
sentido.
Mas enquanto eu não estou lesando ninguém, eu não vejo por que justificar minhas ações diante
dos outros”.
CHRISTO JAVACHEFF, 1972
“A arte não é tão bonita e tão fina como parece depois de pronta, exposta nos museus. É muito
bandida, às vezes pior do que a gente. É traidora, sacaneia. Nossa relação é por vezes algo muito
violento. Trocamos tapas e carinhos”.
IWALD GRANATO, 1983
“A arte é uma situação, não é uma coisa. E esta situação quando se dá é tão intensa quanto frágil e
instável. Para fazer uma comparação é como a felicidade. O grande erro dos infelizes é achar que a
felicidade é coisa permanente. É um estado, uma situação que se manifesta em determinados
momentos, mas quando ocorre, é tal a sua intensidade, que pode modificar inteiramente sua vida.
Arte é isso”.
JORGE ROMERO BREST, 1978
“A intuição é uma mediação na ciência como na matemática. Na arte, porém, é uma essência, uma
objetivação em si mesma, uma entidade para si. A arte é pois esse modo de conhecimento
fundado numa seqüência de intuições independentes, cristalizadas em forma”.
MARIO PEDROSA, 1960

Documentos relacionados