O profissional enfermeiro e a Internet: domínio e perfil

Сomentários

Transcrição

O profissional enfermeiro e a Internet: domínio e perfil
O profissional enfermeiro e a Internet: domínio e perfil
Fonseca, Valéria da S.1, Barbosa, Sayonara de Fátima Faria2
1
Instituto Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ),
Faculdade de Enfermagem, Universidade Severino Sombra, Brasil
2
Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, Brasil
Resumo – Este estudo foi iniciado com base na necessidade de identificar a utilização que o enfermeiro
brasileiro faz dos recursos disponíveis pela Internet, em aspectos tais como domínio e conhecimento de suas
ferramentas principais, aplicabilidade pessoal ou profissional agregados a construção de perfil que o identifique
enquanto usuário da Web. O acesso e domínio das tecnologias de comunicação se traduzem na atualidade
pela necessidade de incorporação ao cotidiano, como uma transformação obrigatória, de costumes e valores da
sociedade moderna. Ao se conhecer o perfil da comunidade de enfermagem que utiliza a Internet, podem ser
gerados trabalhos para contemplar as necessidades específicas deste grupo, fortalecendo a profissão para a
sociedade do futuro e disseminando o seu conhecimento.
Palavras –chave: Enfermagem, Internet, Saúde.
Abstract: This study has begun with the main goal to identify the utilization that the brazilian nurse do with the
resources available in the Internet, in aspects such domain and knowledge of their main tools, personal or
professional applicability joined with the construction of profile that identify this group while a web user. The
access and domain of the communications technology are expressed by the needs of incorporation at the
quotidian, as a obligatory transformation, of customs and values of the modern society. By knowing the profile of
the nursing community that uses the Internet, future works may be generated, to contemplate the specific needs
of this group, strengthening the profession to the society of the future and sharing their knowledge
Key-words: Nursing, Informatics, Health
Introdução
As novas possibilidades proporcionadas pelo
desenvolvimento da Internet e sua assimilação em
vários setores da sociedade são responsáveis por
uma profunda transformação no setor saúde, que
vão desde a pesquisa, o ensino até a qualidade da
assistência hoje prestada pelas instituições e pelos
profissionais.
Embora
o
setor
educação
tradicionalmente apresente uma certa letargia e
dificuldade de assimilar as novidades na mesma
velocidade que outras áreas, na atualidade nacional
algumas iniciativas, já vem se firmando.
A necessidade de reorientação da prática
docente e assistencial de acordo com esta nova
lógica é um desafio de vulto, especialmente no
Brasil, dadas as várias realidades que compõe o
cenário nacional, demandando por sua vez
estratégias diferenciadas que busquem trabalhar
efetivamente a exclusão digital.
Com o crescente uso da Internet, a
importância de incorporar esta tecnologia na
enfermagem aumenta. Embora a adoção desta
tecnologia ainda possa ser lenta por alguns
profissionais, o uso da Internet pela enfermagem
não tem sido discutido no Brasil. O número de
enfermeiros e alunos de graduação de enfermagem
no Brasil que usam a Internet tem aumentado nos
últimos anos, embora ainda seja difícil obter dados
sobre exatamente quantos estão conectados ou
como utilizam a Internet.
A utilização da tecnologia advinda do uso de
computadores e mais ultimamente, das redes de
comunicação mediadas pela Internet tem crescido
bastante no sistema de provimento de saúde1 e
tem fortalecido a capacidade de comunicação em
rede dos profissionais de saúde. Por meio das
comunicações mediadas por computador, muitas
enfermeiras descobriram um método de trocar
informação e discutir questões relacionadas com a
enfermagem com outras profissionais em todo o
mundo2.
Entre os estudantes, a comunicação por
computadores em rede promove experiências de
aprendizagem
colaborativa
entre
estes
e
3
professores , e gera oportunidades educacionais,
por meio de relacionamentos colaborativos entre
outros profissionais de saúde, eliminando os limites
geográficos. Outra vantagem da utilização da
Internet é a facilidade na obtenção de dados e
informação4.
Pela necessidade de atualização freqüente,
os profissionais de Enfermagem precisam utilizar
fontes de referência bibliográfica. Entretanto, os
estudo por meio de envio de email pessoal. A
identificação dos mesmos ao responder ao
formulário foi opcional.
O instrumento para a coleta dos dados foi
composto de uma página web, que continha um
formulário constituído por informações relacionadas
a características demográficas da população a ser
estudada e outras, como recursos mais utilizados,
finalidades de uso, frequência de uso e tempo de
duração de uso da internet, que serão analisadas
em trabalho posterior. Este formulário foi
disponibilizado em um servidor gratuito em
http://www.geocities.com/enfbr2001. Os
dados
gerados pelo formulário eram processados por
script CGI de um servidor também gratuito
(http://www.bravenet.com) que por sua vez remetia
os dados para o email das pesquisadoras.
Os dados foram analisados à luz da
estatística descritiva (freqüência absoluta e
relativa), com a utilização do software SPSS ® para
a condução do tratamento estatístico.
métodos “tradicionais” de disseminação do
conhecimento, que inclui publicações, revistas,
livros, tornam-se desatualizados rapidamente. Os
recursos online disponíveis na Internet, por sua vez,
podem ser disseminados quase instantaneamente
por todo o mundo. Assim, muitos recursos
específicos para a enfermagem e a saúde como um
todo estão disponíveis para os que tem acesso por
computador5.
Na área da pesquisa, uma facilidade que
pode ser disponibilizada pela Internet é a realização
de pesquisa on-line, que indica uma ferramenta
muito importante para a pesquisa em Enfermagem
pela sua capacidade de abrangência, além da
praticidade que pode proporcionar6,7.
Apesar das inúmeras possibilidades que os
recursos disponíveis pela Internet podem oferecer
para os profissionais de Enfermagem, não há
estimativa no Brasil de quem são os usuários de
Internet desta categoria profissional, nem como
utilizam seus recursos.
Assim, este estudo apresenta uma análise
preliminar do uso da Internet por alunos de
graduação de enfermagem e enfermeiros, de modo
a conhecer o perfil dos usuários e usar os dados do
estudo para guiar a criação de recursos que
contemplem as necessidades da enfermagem
brasileira.
Resultados e discussão
Foram recebidos 130 formulários, cujos
dados analisados não levaram em consideração
outras variáveis, como local de localização do
usuário (capital ou interior), sexo, dentre outras que
fizeram parte do formulário que foi disponibilizado.
A
análise
preliminar
dos
dados
demográficos mostra uma maior incidência de
idade (20,8%) de 36 a 40 anos entre os
participantes, embora a sua estratificação evidencie
em sua maioria estudantes jovens (13,8% com
idade entre 21 a 25 anos nesta categoria) e uma
proporção de 20,8% de estudantes, 23,1% de
enfermeiros assistenciais e 56,2% de enfermeiros
docentes.
Metodologia
A população do estudo foi composta por
enfermeiros de instituições de ensino e de saúde, e
por estudantes de graduação em Enfermagem. A
amostra foi composta por 30 enfermeiros
assistenciais, 73 enfermeiros docentes e 27 alunos
de graduação, que foram localizados a partir de
listas de discussão e informações disponibilizadas
em sites institucionais, e convidados a participar do
Tabela 1 - Dados demográficos de estudantes, enfermeiros assistenciais e docentes
Categoria
Variáveis
Idade
< de 21 anos
de 21 a 25 anos
de 26 a 30 anos
de 31 a 35 anos
de 36 a 40 anos
de 41 a 45 anos
de 46 a 50 anos
de 51 a 55 anos
> de 55 anos
Total
Estudante
f
7
18
%
5,4%
13,8%
1
0,8%
1
0,8%
27
20,8%
Enfermeiro
Assistencial
f
%
6
9
4
4
3
1
3
4,6%
6,9%
3,1%
3,1%
2,3 %
0,8 %
2,3%
30
23,1%
Enfermeiro
Docente
f
%
Total
1
8
23
17
19
3
2
0,8%
6,2%
17,7%
13,1%
14,6 %
2,3%
1,5%
f
7
24
10
13
27
21
20
6
2
73
56,2%
130
%
5,4%
18,5%
7,7%
10%
20,8%
16,2%
15,4%
4,6%
1,5%
100%
Na análise da finalidade principal de utilização da
Internet de acordo com as categorias estudante,
enfermeiro assistencial e docente, verificamos que
a maioria dos usuários utiliza a Internet
preferencialmente para pesquisa (53,8%), sendo
esta finalidade prioritária em cada um dos grupos
avaliados isoladamente.
Tabela 2 - Finalidade da utilização da Internet
Categoria
Variáveis
Finalidade
Estudante
Enfermeiro
Assistencial
Enfermeiro
Docente
Total
f
%
f
%
f
%
f
%
Pesquisa
Informação
Lazer
Outros
13
10
4
10%
7,7%
3,1%
13
11
5
1
10%
8,5%
3,8%
0,8%
44
25
1
3
33,8%
19,2%
0,8%
2,3%
70
46
10
4
53,8%
35,4%
7,7%
3,1%
Total
27
20,8%
30
23,1%
73
56,2%
130
100%
Ao verificarmos a freqüência de uso da Internet de
acordo com o tempo de graduação, verificamos que
39% dos usuários utiliza a Internet mais de uma vez
por dia. A categorização conforme a freqüência
apresentou-se em 10,8% nos usuários com tempo
de formação de 11 a 15 anos em mais de uma vez
por dia. Os usuários com 16-20 anos de formado foi
a maior categoria dos usuários que utilizam uma
vez por dia (8,5%) e idêntico percentual foi
observado entre os estudantes, que utilizam várias
vezes por semana. Nesta amostra também é
possível verificar que 21,5% dos participantes
possui entre 16 e 20 anos de formado.
Tabela 3 - Tempo de Formado e Freqüência de uso
Uso de Internet
Estudante
1 a 5 anos
6 a 10 anos
11 - 15 anos
16 - 20 anos
21 - 25 anos
> 25 anos
Total
mais de uma
vez por dia
f
%
8
6,2%
6
4,6%%
2
1,5%
14
10,8%
7
5,4%
8
6,2%
6
4,6%
51
39,2%
uma vez ao dia
f
5
6
%
3,8%
4,6%
2
11
6
4
34
1,5%
8,5%
4,6%
3,1%
26,2%
Em relação ao local de acesso para a Internet,
58,5% dos usuários utilizam o acesso doméstico,
que apresentou a maior incidência em todas as
varias vezes
por semana
f
%
11
8,5%
2
1,5%
2
1,5%
6
4,6%
6
4,6%
4
3,1%
1
0,8%
32
24,6%
apenas no fim
de semana
f
%
3
2,3%
3
2,3%
1
0,8%
2
1,5%
4
3,1%
13
10%
Total
f
27
17
5
24
28
18
11
130
%
20,8%
13,1%
3,8%
18,5%
21,5%
13,8%
8,5%
100%
categorias profissionais analisadas isoladamente,
seguido do acesso tanto em casa quanto no
trabalho (18,5%) e da universidade (16,9%).
Tabela 4 – Local de acesso por categoria
Categoria
Variáveis
Finalidade
Casa
Trabalho
Universidade
Casa e trabalho
Total
Estudante
f
17
%
13,1%
10
7,7%
27
20,8%
Enfermeiro
Assistencial
f
%
18
13,8%
5
3,8%
4
3,1%
3
2,3%
30
23,1%
Enfermeiro
Docente
f
%
41
31,5%
3
2,3%
8
6,2%
21
16,2%
f
76
8
22
24
%
58,5%
6,2%
16,9%
18,5%
73
130
100%
56,2%
Total
Discussão e Conclusões
As pesquisas relacionadas ao uso da
Internet pelos profissionais de saúde ainda estão
em sua fase inicial. Ao compararmos os dados
obtidos neste estudo com os dados obtidos por
pesquisa desenvolvida pela Health on the Net
Foundation (HON)8 com a finalidade de verificar a
experiência dos enfermeiros com a Internet,
observamos dados similares em relação à
predominância da faixa etária dos usuários, que no
estudo supra-citado está concentrada na faixa de
40 a 49 anos (41,25%) assim como a soma das
duas categorizações categorizadas (31,6%). Se
comparada a freqüência de acesso, esta apresentase equiparada, já que enquanto foi verificado um
resultado de 26,2% de acesso diário, o estudo da
HON aponta 29,34%. Vale ressaltar a grande
freqüência de uso da Internet mais de uma vez por
dia observado no Brasil (39,2%). Em relação ao
local de acesso também foi observado que em
ambos os estudos a maioria dos acessos ocorrem a
partir das residências dos usuários.
Os dados preliminares obtidos neste estudo
nos indicam que a comunidade de Enfermagem
utiliza a Internet com muita freqüência, com a
maioria dos usuários possuindo acesso doméstico,
além de apresentar-se como uma consumidora
importante de dados para pesquisa e informação.
Ou seja, não se pode ignorar a quantidade
e o perfil dos profissionais de Enfermagem que
estão utilizando a Internet. Para tanto, justifica-se a
necessidade de realização de pesquisas de âmbito
nacional de modo a mensurar estes parâmetros, de
modo a incentivar o desenvolvimento de conteúdo
que atenda às necessidades deste grupo. Outro
ponto importante é o da necessidade de reflexão,
pois além de sermos usuários da Internet trazemos
conosco a necessidade de crítica em relação ao
conteúdo em saúde disponível virtualmente, o que
já tem acontecido em outros países. Para tanto, é
necessária
capacitação
na
utilização
das
tecnologias de Informação para que o acesso às
informações ocorra de modo eficiente e crítico.
Referências
1. Rambo A. (1994). Computer technology: Implications for nurse educators. Nursing Forum. v. 29, n. 4, p.3036.
2. Murray P.J. (1996). Nurses computer-mediated communications on NURSENET: A case study. Comp Nurs.
v. 14, p. 227-234.
3. Halstead J, Hayes R, Reising D, Billings D. (1995). Nursing student information network: Fostering collegial
communications using a computer conference. Comp Nurs. v. 13, p.55-59.
4. Lyness A, Raimond J. (1992). Electronic communication to promote consensus building skills: An innovative
teaching strategy. J Nurs Educ. v. 31, p. 331-334.
5. Wink D. (1995). An introduction to nursing on the internet: Part one. Nurse Educ. v. 20, n. 6, p.9-13.
6. Fawcett J, Buhle EL. (1995). Using the internet for data collection: An electronic strategy. Comp Nurs ., v.13,
n.6, p. 273-9.
7. Lakeman R. (1997). Using the internet for data collection in nursing research. Comp Nurs , v. 15, p.269-75.
1. 8Health on the net foundation. Healthcare professionals' experience of the medical Net
Disponível em: http://www.hon.ch/Survey/ResPoll/HP_Nurs.html. Acessado em 13/06/2002
Contato
Profª Ms. Enfª Valéria da Silva Fonseca
Rua José Vicente, nº 88 apto 403 – Grajaú – Rio de Janeiro – RJ - Cep:20540-330
Tel.: 0xx21-91248649 - E-mail: [email protected]
Profª Ms. Enfª Sayonara de Fátima Faria Barbosa
Rod. Admar Gonzaga nº 841, bl. B apto 326 – Itacorubi – Florianópolis – SC - Cep: 88034-000
E-mail: [email protected]