núcleodamatériaJaneiro/ Fevereiro de 2012

Сomentários

Transcrição

núcleodamatériaJaneiro/ Fevereiro de 2012
núcleodamatéria
Janeiro/ Fevereiro de 2012
Núcleo da Matéria - Número 41, Ano VII - Janeiro/ Fevereiro de 2012. Publicação Bimensal
Editorial
culo de Blindagem (Radioterapia), Contro-
(norma que participei das discussões de
esse
le de Qualidade de Gamacamaras, Controle
revisão, e tenho certeza que, com sua apro-
biênio está na ampliação da parceria entre
de Qualidade de Sistemas PET e Controle
vação, o papel do físico-médico nos servi-
a ABFM e a Sociedade Brasileira de Física
de Qualidade em Radiodiagnóstico. Por
ços de medicina nuclear será ainda mais
(SBF), a Sociedade Brasileira de Radiotera-
fim, traçaremos um programa de marke-
consistente). Na radioterapia, os investi-
pia (SBRT), a Sociedade Brasileira de Me-
ting para levar à sociedade mais informa-
mentos garantirão a instalação de 20 no-
dicina Nuclear (SBBMN) e o Colégio Brasi-
ções sobre a especialidade e encomendare-
vos aceleradores ainda esse ano, e existe
leiro de Radiologia e Diagnóstico por Ima-
mos uma pesquisa de mercado que aponte
um plano do Governo Federal para o fun-
gem (CBR). A inclusão dos Cursos de Apri-
os valores ideais a serem cobrados
cionamento de mais 80 equipamentos até
moramento em Física Médica no rol das
pelos prestadores de serviços.
2015. Com abertura para o setor privado
residências multidisciplinares instituídas
Sobre o crescimento da profissão no País,
atuar na produção de radioisótopos de
pelo Ministério da Saúde e a participação
acredito que estamos num bom momento,
meia vida curta (FDG-F18) abriu-se outro
incisiva na formação dos profissionais a-
pois a política de saúde está melhorando.
ramo de atividade junto aos cíclotrons e os
través de palestras, encontros, jornadas e
Tanto o setor privado quanto o setor
PET/CTs. Ainda nessa disciplina, com a
cursos itinerantes, abrangendo todas as
público estão apostando em saúde, princi-
melhor qualificação dos físicos-médicos e
regiões do País, também vão merecer a
palmente nas áreas relacionadas ao trata-
as aquisições em tecnologia, estamos con-
nossa atenção.
mento e diagnóstico do câncer, que são os
solidando o uso das técnicas 3D em todo o
No planejamento feito para essa gestão,
principais setores onde o físico-médico
território nacional, além do crescente uso
buscaremos atender outras demandas, ca-
trabalha.
do IMRT, da radioterapia esterotáxica e da
so do restabelecimento do acordo com a
No
Comissão Nacional de Energia Nuclear
imagem está sendo feita uma revisão da
A necessidade pela qualidade de imagens,
(CNEN), para que o físico-médico receba o
norma 453, da ANVISA, que deve ficar
desempenho dos aparelhos e estruturas
Título de Supervisor de Radioproteção, no
mais exigente do ponto de vista de contro-
dos
setor em questão, por meio do Título de
le de qualidade e de dosimetria, que são
ionizantes, bem como a evolução dos
Especialista; da modernização do estatuto
expertises exatamente do profissional aqui
sistemas híbridos e de tratamento, e as
e da instituição de um grupo de trabalho
mencionado. No campo da medicina nucle-
exigências
responsável pela elaboração de guias e
ar está acontecendo o mesmo. A CNEN
tornaram a presença do físico-médico
protocolos nacionais nas três áreas de atu-
procura atualizar as suas normas, e assim
indispensável em um serviço que busca a
ação – radioterapia, medicina nuclear e
que for possível, colocará a 3.05, Requisi-
excelência e a segurança.
radiologia diagnóstica –, em consonância
tos de Radioproteção e Segurança em Me-
Gostaria também de frisar o discurso
com as organizações afins. Serão eles: Cál-
dicina
sobre a regulamentação do físico. Embora
Por Edmario Antonio Guimarães Costa
ABFM 2012-2013
Uma
de
nossas
metas
para
segmento
Nuclear,
de
em
diagnóstico
consulta
por
pública
radioterapia guiada por imagem (IGRT).
serviços
das
que
utilizam
agências
radiações
regulatórias,
Presidente: Edmario Antonio Guimarães Costa [email protected]; Vice-Presidente: Ilo de Souza Baptista [email protected]; Secretário Geral: Luiz
Flávio Kalil Telles [email protected]; Tesouraria: Josemilson de Menezes Bispo [email protected]; Diretoria de Radioterapia: Aluisio José
de Castro Neto [email protected]; Diretoria de Medicina Nuclear: Daniel Coiro da Silva [email protected]; Diretoria de Radiodiagnóstico: Renato Dimenstein [email protected]; Secretário regional norte-nordeste: Francisco Luciano Viana [email protected]; Secretário regional
centro-sudeste: Roberto Salomon de Souza [email protected]; Secretário regional sul: Marcus Vinicius Bortolloto [email protected] SEDE ABFM.
Rua Brigadeiro Galvão, 262, Barra Funda, São Paulo, SP. CEP: 01151-000.
2
Foto Divulgação
tenhamos conquistado algumas vitórias,
na nuclear e radiodiagnóstico, ofere- autossustentáveis e impacta no emi-
ainda existem obstáculos pelo caminho. O
cidos em todas as regiões brasileiras, nente sucateamento dos aparelhos.
projeto foi aprovado no dia 30 de novembro de 2011, pela Comissão de Trabalho e
Serviço Público, da Câmara dos Deputados.
é fundamental citar as parcerias Outro fator é a qualidade dos recurfirmadas com o Estado. Por conta sos humanos. Partimos da baixa
O parecer foi apresentado pelo Deputado
das dimensões continentais do Bra- remuneração, o que não estimula o
Mauro Nazif (PSB-RO) e foi confirmado
sil e pelas diversidades econômicas e fluxo de profissionais mais prepara-
por unanimidade pelos membros presen-
sociais de cada município, sem a re- dos para ocuparem as vagas das
tes. Ainda assim, é preciso que ele passe
gulamentação das normas – que aju- regiões carentes, no contrafluxo,
por votação em plenário e seja sancionado
pela Presidente da República.
Para
nós,
a
decisão
é
ainda
mais
dam a diminuir as diferenças –, o a- quem está nos locais afastados não
poio de programas federais se torna consegue se manter atualizado.
considerável porque atuamos diretamente
indispensável, caso do Expande, que Precisamos melhorar esse panora-
no mercado e numa área multidisciplinar e
prevê ampliar a assistência oncológi- ma. E como meta da nossa gestão,
sofremos interferência de diversas outras
ca e levar tecnologia aos lugares iremos ao encontro desses profissio-
profissões que já estão regularizadas.
mais remotos do mapa nacional.
nais para executar um programa
Já sobre a delicada questão que re- Precisamos apagar a velha política itinerante de atualização e reciclamete à padronização da qualidade do assistencialismo por si só, que gem, visando melhorar a qualidade
de serviços de radioterapia, medicinão projeta perspectivas de serviços do serviço prestado.
3
Núcleo da Matéria - Número 41, Ano VII - Janeiro/ Fevereiro de 2012. Publicação Bimensal
Troco do bem
Participe!
[email protected]
Da Redação
parcerias do Instituto Nacional de Câncer
os outros profissionais são treinados para
No final de 2011, a Associação Capixaba
José de Alencar Gomes Silva, do INCa e da
que possam suspeitar e encaminhar a hos-
Contra o Câncer Infantil (Acacci) lançou a
Sociedade Brasileira de Oncologia Pediá-
pitais de referência possíveis casos de cân-
etapa regional do Programa Precoce do
trica (Sobope), é contribuir para a diminui-
cer infanto-juvenil.
Instituto Ronald McDonald, batizada com o
ção do tempo entre o aparecimento de si-
nome de “Projeto Bem Querer – Diagnósti-
nais do tumor e o diagnóstico feito num
co precoce e cuidados adequados à criança
serviço especializado – aumentando, as-
e ao adolescente com câncer”.
sim, a expectativa de cura.
Cerca de 370 cidadãos dos municípios de
Instituído em 2005, o projeto viabiliza
Santa Tereza, Santa Maria de Jetibá e Santa
também a capacitação de profissionais vin-
Leopoldina receberam treinamento para
culados ao Saúde da Família – movimento
diagnosticar sinais e sintomas da doença
de reorientação da Atenção Básica direcio-
nos seus estágios iniciais.
nada a todo território nacional pelo Minis-
O objetivo da iniciativa, que conta com as
tério da Saúde. Tanto os médicos quanto
4
Histórico
A fase piloto do programa foi realizada em
2008.
O
capital
investido
foi
de
R$ 416.837,00, totalmente arrecadado através da Campanha dos Cofrinhos – recipiente para doação de troco presentes em
todos os caixas dos restaurantes da franquia. O ano de 2009, a ação levantou
R$ 979.948,33, contemplando 13 projetos
de 10 diferentes estados brasileiros.
Confira os principais fatores de risco do câncer de mama*:
√
Ser mulher;
√
Predisposição genética;
√
Primeira menstruação com menos de 12 anos;
√
Mulheres sem história de gravidez ou com primeira gravidez após os 30 anos;
√
Obesidade;
√
Tabagismo;
√
Consumo de álcool (mais de duas doses diárias);
√
Idade avançada;
√
Menopausa tardia (mais de 55 anos);
√
Mamas densas;
√
Sedentarismo;
√
Terapia de reposição hormonal combinada (por mais de
10 anos)
*Fonte Instituto Oncoguia
Imagem carioca. Rio Imagem é o nome escolhi-
Acreditação
Idealizada pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), através de seu programa
de Pós-Graduação, a revista on-line Acreditaç@o (www.cbacred.org.br/ojs) foi ao
ar recentemente (e com grande sucesso). O acesso à publicação voltada especificamente aos profissionais da área de saúde e aos gestores de empresas e órgãos públicos, é inteiramente gratuito. A iniciativa busca difundir a metodologia de acreditação da Joint Commission International (representada no Brasil pelo CBA). O número de estreia traz nove artigos científicos, além de duas colunas reservadas a assuntos especiais. A primeira delas foi preenchida pelo artigo do superintendente do
Hospital Israelita Albert Einstein, Miguel Cendoroglo Neto, que tratou dos temas
qualidade, segurança e custos clínicos, também abordados na entrevista do médico
Mark Chassin, presidente da The Joint Commission e da Joint Commission Center
for Transforming Healthcare. Nessa reportagem, por exemplo, a procura constante
das metas internacionais por tais demandas é reforçada. Já a coluna No Mundo da
Acreditaç@o agrega resumos de teses e monografias. A resenha Repensando a Saúde, de Heleno Costa Junior, coordenador de educação e diretor institucional do CBA,
também é uma das atrações do exemplar. Os interessados em publicar textos devem se cadastrar no site da publicação, seguir as informações direcionadas aos autores e submeter os trabalhos à avaliação do Conselho Editorial Científico da organização. Para mais informações, visite: www.cbacred.org.br/ojs.
5
do pelo Governo fluminense para batizar o primeiro Centro de Diagnóstico por Imagem do
Estado, localizado nas proximidades da Central
do Brasil. Inaugurado em dezembro do ano passado, o lugar reúne equipamentos de última
geração para atender aos usuários do Sistema
Único de Saúde (SUS). O Rio projeto oferece exames gratuitos de ressonância magnética, mamografia, tomografia computadorizada, Doppler
vascular, ultrassonografia, ecocardiografia e
radiografia. A marcação dos exames é feita
exclusivamente pelas secretarias municipais de
Saúde de cada cidade, de forma on-line e gratuita, para evitar filas e assegurar a eficiência de
cada um dos equipamentos do espaço. O resultado do teste pode ser retirado pessoalmente
em até cinco dias úteis. Em caso de dúvida,
acesse o site: www.saude.rj.gov.br ou ligue para
(21) 2212 7400.
Núcleo da Matéria - Número 41, Ano VII - Janeiro/ Fevereiro de 2012. Publicação Bimensal
Telerradiologia
as vantagens e as
No Brasil, a telerradiologia vem sendo uti-
desvantagens dessa
lizada desde a década 90. Tratas-se de uma
forma de enxergar a
especialidade da telemedicina, que utiliza
radiologia. A conclu-
tecnologias da informação e os mais mo-
são, até agora, é que
dernos meios de comunicação para reali-
os prós são maiores
zar diagnósticos digitais, com a vantagem
do que os contras.
de ser executada a quilômetros de distân-
De acordo com as
cia do paciente.
pesquisas, a telerra-
Não é preciso fazer muito esforço para
diologia possui óti-
imaginar os benefícios agregados por essa
mo custo-benefício,
nova técnica. O principal deles já foi falado
além de excelente
acima, que é reduzir a distância geográfica
efetividade
entre médico e paciente. Num país com
Vantagens que, cada vez mais, tem contri-
dimensões continentais, a metodologia
buído pra sua aceitabilidade nos centros
pode solucionar alguns dos problemas dos
de saúde brasileiros.
municípios afastados dos grandes centros
Dados recentes atestam que as instituições
urbanos, e que, por isso mesmo, sofrem
médicas que usam a telerradiologia tive-
com a falta de clínicas e hospitais bem
ram aumento de 30% no número de
equipados, de bom atendimento e profis-
exames quando comparados aos serviços
sionais capacitados. Isso sem mencionar a
que não utilizam a especialidade. Não à
redução do custo com transporte.
toa, 55% das clínicas e hospitais norte-
Vários estudos tem sido feitos para avaliar
americanos já adotaram o mecanismo
Foto Banco de Imagem
Por Daniel Froes
clínica.
hi-tech em suas rotinas.
O Conselho Federal de Medicina normatizou a aplicação da técnica no País desde o
dia 9 de janeiro de 2009, através da Resolução CFM nº 1.890. Entretanto, ainda não
existe uma regulamentação mais apurada
a respeito da segurança da transmissão de
dados e das imagens confidenciais. São
detalhes que tendem a ser melhorados
com o passar dos anos.
Em dezembro do ano passado, a Prefeitura do Município de Rio Claro, interior paulista, reuniu uma equipe de 70 profissionais, entre
técnicos de enfermagem e agentes comunitários, para realizar o exame preventivo do câncer do colo do útero em mais de 80 mulheres, moradoras das áreas rurais da cidade. Batizada de Útero é Vida, a mobilização ocorreu graças a uma parceria firmada entre a
Fundação de Saúde de Rio Claro (Fusarc), o Sindicato Rural e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RJ). O estímulo para
incentivar essas mulheres a fazerem o exame serve de exemplo: quem compareceu ao Centro de Ensino São José, local dos exames,
saiu de lá com novo corte de cabelo, penteado, make-up e as unhas dos pés e das mãos impecáveis, além de levar um kit de beleza para
casa. Foi a primeira vez que o programa Útero é Vida aconteceu por aquelas bandas, pensado exclusivamente no bem-estar das mulheres com idade sexual ativa, segundo Stella Machado, presidente da Fusarc. “Atingimos o objetivo de conscientizá-las sobre a importância do exame, ensinando que é necessário fazer uma higienização diariamente”, completa. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCa), pra cada 100 mil mulheres no Brasil, 19 correm o risco de desenvolver esse tipo de câncer. Daí a importância delas fazerem
o exame preventivo anualmente.
6
7
Núcleo da Matéria - Número 41, Ano VII - Janeiro/ Fevereiro de 2012. Publicação Bimensal
Parceiros engajados
por avaliar a utilização segura e
De carona no lema “Juntos É Possível”, a
eficaz da radiação para o trata-
Agência Internacional de Energia Atômica
mento de neoplasias, o chamado
(AIEA) sente-se preparada para enfrentar
Controle de Qualidade em Onco-
o novo desafio com certa bagagem. Seu
logia (QUATRO); ao passo que a
histórico e leque de ações falam por si. Só
Agência responde pelo Centro de
nos últimos anos a AIEA forneceu princi-
Radioterapia (DIRAC) e o Banco
palmente aos países em desenvolvimento
de Dados em Medicina Nuclear
mais de 250 milhões de dólares relaciona-
(NUMDAB) – incumbido de ali-
dos à prestação de serviços, equipamentos
nhar informações globais sobre
e treinamento de pessoal em favor do
médicos atuantes e especialistas
combate a uma das doenças que mais ma-
ainda em formação.
tam em todo planeta.
Um dos programas da AIEA pensado espe-
ensino
A AIEA é perita em realizar parcerias de
cificamente para os países com renda bai-
e-learning.
sucesso, mas uma, em especial, merece
xa é o Programa de Ações Para o Trata-
Contudo demoraremos um pouco para
destaque pelo seu tempo de vida. Há 40
mento do Câncer (PACT), lançado em
colher os frutos desse conhecimento, na
anos em operação, a Auditoria AIEA/OMS,
2004, cuja proposta é deter o número de
verdade, apenas quando a tecnologia lo-
projeto realizado com apoio da Organiza-
casos através de políticas preventivas, da
cal para o diagnóstico, tratamento e cui-
ção Mundial da Saúde, tem como meta au-
criação de projetos sustentáveis, da avalia-
dados paliativos for atualizada. No mo-
xiliar os Estados-Membros no aprimora-
ção de necessidades mais urgentes e do
mento, a radioterapia é a única opção
mento das práticas de dosimetria em ra-
levantamento de recursos. O PACT fun-
disponível, cara, ela ainda está fora do
dioterapia. A parceria também coopera
damenta suas atividades na experiência
alcance dos países em desenvolvimento.
com o programa de Controle do Câncer,
que a entidade acumula no uso da radia-
fomentando esforços na área de saúde pú-
Pensando nisso, o Grupo Consultivo se
ção na medicina.
blica para levar soluções integradas a co-
estruturou para possibilitar aos países
Já que uma das preocupações da AIEA é
em desenvolvimento o acesso à radiote-
manter o controle do número de casos
rapia. Também conhecido como AGaRT,
de câncer do mundo, a entidade resolveu
o grupo faz o papel de mediador entre
criar uma universidade para apoiar os
pacientes e fornecedores de suprimentos
profissionais envolvidos diretamente com
e de equipamentos para estimular a
o tratamento oncológico. A preços reduzi-
abertura de serviços de radioterapia
dos, as aulas da Universidade Virtual para
baratos e mais próximos à realidade
o Controle do Câncer (VUCCnet) aliam o
desses lugares.
munidades carentes.
Por meio de seu Programa de Cooperação
Técnica, a AIEA também capacita profissionais para potencializar o combate ao câncer a pedido de representantes dos Estados-Membros. A organização também conta com um quadro de agentes responsáveis
Foto Elza Fiúza/ Agência Brasil
Por Sergio Martins
tradicional
às
novidades
do
O Jornal Núcleo da Matéria é uma publicação da Associação Brasileira de Física Médica [ABFM], distribuída gratuitamente entre profissionais e empresas do setor, com
periodicidade bimensal, em formato digital. Site: www.abfm.org.br. Caixa Postal: 72.002. CEP: 05508-970, São Paulo, SP. Expediente - Supervisão: Edmario Costa;
Jornalistas Responsáveis: Adriana Sanches, MTB: 34.872 e Patrícia Favalle, MTB: 33.548. Reportagens: Ariana Brink, Daniel Froes, Helen Pessoa, Sandi Dias, Fran de
Oliveira e Sérgio Martins. Estagiária: Luciana Jorge. Fotos: Divulgação. Projeto gráfico: 7ervas. ** Grupo Em Pauta Assessoria de Comunicação Ltda. Te l./
Fax: (11) 3031-6033. Fale conosco: [email protected]
8
9
Núcleo da Matéria - Número 41, Ano VII - Janeiro/ Fevereiro de 2012. Publicação Bimensal
Foto Divulgação
Verba na base
Por Daniel Froes
talações e mais R$ 300 mil destinados à
agregará ao sistema 24 horas de acolhi-
R$ 2,3 milhões - esse é recurso que o Hos-
estruturação da equipe. O HBDF integra a
mento e classificação de risco da unidade.
pital de Base do Distrito Federal (HBDF)
rede nacional de atenção às urgências do
“O novo método permitirá que encaminhe-
receberá do Governo, através do SOS
SUS (Sistema Único de Saúde) desde no-
mos as pessoas para o espaço adequado,
Emergências, para a capacitação de mão
vembro do ano passado.
dando as melhores condições de atendi-
de obra e aquisição de equipamentos.
O ministro informou durante o encontro a
mento à população.”
O plano foi anunciado em reunião realiza-
criação de 80 novos leitos: “Com eles, va-
A expectativa é que o projeto alcance os 40
da entre o governador Agnelo Queiroz, o
mos reduzir o número de pacientes que
maiores prontos-socorros brasileiros até
ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o
ficam nos corredores da emergência à es-
2014. Qualificação de agentes, ampliação
secretário de Saúde do DF, Rafael Barbosa,
pera de um lugar definitivo”. Paralelamen-
do acesso aos usuários em situações de
no dia 3 de fevereiro de 2012, na própria
te, serão implantados mais 30 leitos na
alarme, melhor atendimento e soluções
unidade hospitalar.
UTI a partir de março.
para as principais necessidades desses
Pelo programa, o local receberá R$ 3,6 mi-
O diretor-geral do Hospital de Base, Julival
centros de tratamento são os objetivos tra-
lhões anuais para manutenção de suas ins-
Ribeiro, ressaltou as melhorias que o SOS
çados pela ideia.
10
O que é Notícia
Superaquisição. Uma das empresas líderes no setor de prestação de
serviço de diagnóstico por imagem no
País, a Alliar, encomendou ao Setor de
Healthcare da Siemens 60 equipamentos de diagnósticos por imagens e
software – o maior já registrado na
América Latina. O pacote faz parte dos
planos da corporação em criar novos
mercados voltados às cidades do interior do Brasil com grande potencial econômico, e que carecem de serviços de
alta qualidade a preços acessíveis.
“Escolhemos a Siemens porque ela se
Foto Divulgação
destacou ao oferecer a melhor combinação entre qualidade de produto e
fornecimento de excelentes resultados
aliados ao pós-venda. É uma verdadeira mescla de sistemas acessíveis com
resultados consistentes”, justifica o vice-presidente da Alliar, Dr. Francisco
Minha garganta arranha!
Maciel Junior. A empreitada da compa-
Nem toda lesão na tireoide pode ser considerada maligna. Essa é a conclusão do médico
nhia segue o fluxo de crescimento do
radiologista Osmar Saito, do Centro de Diagnósticos Brasil (CDB), com sede na capital pau-
mercado de bem-estar brasileiro. Atu-
lista. “É importante aprofundar o assunto e deixar claro para a população o que é alarman-
almente, mais de 40 milhões de pesso-
te num nódulo tireoidiano. Em primeiro lugar, observamos sua natureza. Se ele for sólido,
as contam com seguros privados de
aumenta a sua celularidade – que se refere à quantidade e à qualidade das células presen-
saúde, por isso, a competitividade no
tes na medula óssea. Mas uma só característica é insuficiente para predizer o risco de ma-
setor de Healthcare cresceu vertigino-
lignidade. Então, levamos em consideração a ecogenicidade, capacidade do tecido ou ór-
samente. Só em 2010, foram registradas mais de 30 negociações e grandes
fusões no setor.
gão em deixar passar as ondas do ultrassom. Os nódulos hipoecogênicos têm maior celularidade. Ou seja, quanto mais hipoecogênico for, maior será o risco de ser maligno”, afirma.
Além disso, contornos com projeções radiais ou irregulares podem dificultar a presciência
do nódulo. Segundo o especialista, “Apesar de existirem opiniões divergentes em relação
ao tamanho, o consenso é que tumores maiores do que um centímetro precisam ser investigados. Em geral, os menores dificilmente são malignos. Mas, como para toda regra há exceção, se os pequenos forem sólidos, hipoecogênicos e apresentarem contornos irregulares, deverão ser submetidos a uma punção aspirativa por agulha fina (PAAF)”. É importante, também, que as clínicas contem com profissionais capacitados para interpretar adequadamente as imagens geradas pelo ultrassom com doppler da tireoide – e no Brasil, elas
ainda são raras.
11
Núcleo da Matéria - Número 41, Ano VII - Janeiro/ Fevereiro de 2012. Publicação Bimensal
Foto Banco de Imagem
O fim é um recomeço
Da Redação
todo o mundo, segundo a OMS. Só no Esta-
5 de fevereiro, quando se celebra o Dia Na-
O dia 4 de fevereiro é bastante emblemáti-
do de São Paulo, o ICESP soma 14 mil no-
cional da Mamografia. A data foi estabele-
co para os profissionais que lutam diaria-
vos registros da doença a cada ano.
cida em 2009, por meio de um Projeto de
mente contra o câncer. Nele se comemora
O tabagismo, a má alimentação, o sedenta-
Lei da atual ministra da Secretaria dos Di-
o Dia Mundial Do Câncer – uma iniciativa
rismo, o consumo alcoólico e a obesidade
reitos Humanos, Maria do Rosário (PT-RS).
da União Internacional para o Controle do
despontam como os principais vetores pa-
O intuito é alertar as mulheres sobre a im-
Câncer (UICC).
ra o surgimento dos tumores. Pelo
portância de realizar o exame preventivo
Na verdade, a data funciona apenas como
menos 22% das mortes são provocadas
de mama.
ponto de partida para uma campanha que
pelo consumo do cigarro, que também é
De acordo com a presidente e psico-
acontece durante os meses seguintes de
responsável por 71% dos óbitos provoca-
oncologista do Instituto Oncoguia, Luciana
cada ano. Nesse ano, a UICC tem como
dos pelo câncer de pulmão. “É preciso
Holtz, “A mamografia é a única técnica
meta conscientizar a população mundial a
conscientizar a população mais jovem
capaz de detectar o câncer de mama em
assumir o seu papel na redução dos casos
para que ela assuma hábitos saudáveis,
estadiamento inicial. No Brasil, são mais
da doença. Por isso, o tema da vez celebra
reduzindo o risco da moléstia na vida
de 30 mulheres recebendo o diagnóstico
a frase: “Juntos É Possível”.
adulta”, diz a coordenadora de oncologia
de câncer de mama diariamente, e grande
Apesar do conhecimento sobre o câncer, o
clínica do ICESP, Dra. Pilar Estevez.
parte já se encontra muito avançado, o que
número de casos continua crescendo em
No calendário, a vigília se estende até o dia
é preocupante”.
12
13

Documentos relacionados

Julho/ Agosto de 2011

Julho/ Agosto de 2011 Atendimento ampliado. Há pouco mais de um mês, durante a abertura do Congresso Mundial de Patologia Cervical e Colposcopia, que aconteceu no Rio de Janeiro, representantes do INCa (Instituto Nacion...

Leia mais

núcleodamatéria

núcleodamatéria Assembléia Legislativa de São Paulo, será realizado Sessão Solene em homenagem ao Cinqüentenário do IPEN. A iniciativa é do deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP).

Leia mais

abfm 31

abfm 31 Silva, despertou a atenção da comunidade científica por conta de seus resultados positivos, dos quais, a eficiência do procedimento e a redução dos casos de impotência que atingem 80% dos pacientes...

Leia mais

núcleodamatéria Setembro/ Outubro 2012

núcleodamatéria Setembro/ Outubro 2012 das por Franco Bui, da Università di Padova, as aulas incluirão matérias como PETMetodologia, Biologia Molecular em Nefro-Urologia, Radioproteção, Cardiologia Pediátrica, Terapia Radiometabólica, E...

Leia mais

Ilustração do núcleo do átomo de urânio utilizado para

Ilustração do núcleo do átomo de urânio utilizado para O Jornal Núcleo da Matéria é uma publicação da Associação Brasileira de Física Médica [ABFM], distribuída gratuitamente entre profissionais e empresas do setor, com periodicidade bimensal, em forma...

Leia mais

núcleodamatéria

núcleodamatéria número? As edições seguintes serão dedicadas à publicação do que foi apresentado no XIV CBFM, selecionado pelo Conselho Editorial. Pretendemos manter a tradição de lançar pelo menos um número da Re...

Leia mais