Projeto usa poesia e ajuda crianças com

Сomentários

Transcrição

Projeto usa poesia e ajuda crianças com
C6 oMatoEstado
Grosso do Sul
Campo Grande - MS | Segunda-feira, 30 de junho de 2014
Evento
Fotos: Agência Navepress
Cururueiros, ao som da viola de cocho, acompanham dança do siriri na Festa de São Pedro na Cidade Branca
Pescador Paulo da Conceição reza a São Pedro para impedir a moratória de pesca hasteando bandeira do santo
‘Um viva para São Pedro!’
Cururueiros de Mato Grosso se integram à Festa de São Pedro realizada este fim de semana em Corumbá
Nelson Urt
Corumbá
G
rupos folclóricos de
viola de cocho, cururu
e siriri de Cuiabá, Poconé, Cáceres, Nova Mutum e
Livramento, cidades de Mato
Grosso, deram um toque especial à Festa de São Pedro,
neste domingo, na Igreja de
São Pedro, na comunidade
do bairro Cervejaria, a duas
quadras do Porto Geral, em
Corumbá.
A tradicional festa do apóstolo de Jesus Cristo, padroeiro
dos pescadores, soma mais de
50 anos na comunidade, por
onde passaram mais de seis
mil pessoas entre sábado e
domingo. A igreja fica no final
da ladeira Brandão Júnior, nas
proximidades do rio Paraguai.
O evento começou sábado e
se estendeu durante todo o domingo, com procissão, missa,
apresentação da dança do siriri ao som da viola de cocho
e bailão com grupos regionais
e quermesse até o anoitecer.
Kelly de Souza, 32 anos,
do Grupo Folclórico Raízes
Cuiabanas, dançou pela primeira vez em Corumbá. “Fui
escolhida durante uma seleção
e quero voltar sempre, é uma
festa maravilhosa”, afirmou.
Cuiabanos trouxeram uma
imagem de São Benedito, que
é o santo de devoção dos violeiros e cururueiros de Mato
Grosso. Antes de cada apresentação, um deles carrega
a imagem e a apresenta ao
público, seguido de aplausos.
Violeiros seguem tradições no
aprendizado da viola de cocho
Manoel Lima, 73 anos, tocador de viola de cocho desde
os 12, segue o aprendizado do
pai, mestre em confeccionar o
instrumento com troncos de
sarã ou ximbuva. “Depois de
mais de 60 anos, toco qualquer
música na viola, até o Hino Nacional se me pedirem”, orgulha-se Manoel, que também se
apresentou pela primeira vez
em Corumbá.
“É uma cidade muito linda,
que valoriza a cultura, e a
gente se sente importante toda
vez que é lembrada a viola de
cocho, instrumento típico de
Mato Grosso e Mato Grosso do
Sul”, acrescentou.
Eles participaram da se-
gunda edição do Festival de
Viola de Cocho, promovido pela
Fundação de Cultura, que se
desenrolou durante dois dias
no Sesc Corumbá, com sede no
Centro de Convenções.
A viola de cocho atravessa
gerações e seu modo de fazer
foi reconhecido como patrimônio imaterial brasileiro.
Não apenas o caráter festivo
está ligado ao instrumento, mas
também à crença em santos
católicos nas fitas coloridas
amarradas no braço da viola.
A segunda edição do Festival da Viola de Cocho discutiu
todos os assuntos relacionados
à salvaguarda, ao patrimônio
imaterial cultural e à educação
patrimonial com referência
ao instrumento artesanal de
origem pantaneira.
Pescadores oram a santo para
que pesca não seja proibida
Devotos da Colônia de Pescadores de Corumbá
carregaram o andor de São Pedro durante o trajeto
entre a igreja até o Porto Geral, neste domingo, um
ritual que se repete há mais de 50 anos, antes da
Procissão Fluvial pelo rio Paraguai. Entre os fiéis estava
o pescador Paulo da Conceição, de 54 anos.
“São Pedro há de nos ajudar, porque se formos
depender dos políticos, que querem votar a moratória
da pesca no Pantanal, estamos perdidos”, ressaltou. A
proposta de moratória proibiria a pesca durante cinco
anos como forma de aumentar o estoque pesqueiro.
Outros pescadores corumbaenses lançaram durante
a procissão pedidos de melhores dias para a pesca.
Reflexo da crise é que os 400 quilos de pacu servidos
a R$ 10 o prato, com arroz, mandioca e vinagrete,
durante a Festa de São Pedro, foram comprados de um
fornecedor de Campo Grande. (NU)
Música
Espaço
Morre aos 70 o cantor
de soul Bobby Womack
Projeto usa poesia e ajuda crianças
com dificuldades de aprendizado
Folhapress
O cantor americano de
soul Bobby Womack morreu
nesta sexta (27), aos 70 anos,
nos EUA. Um representante
de sua gravadora, XL Recordings, confirmou a morte à
revista americana “Rolling
Stone”, mas disse que as
causas ainda são desconhecidas.
Womack tocou guitarra
em gravações de Elvis
Presley, Aretha Franklin,
Marvin Gaye, Jimi Hendrix
e Janis Joplin e foi o autor
do primeiro hit dos Rolling
Stones, um cover de “It’s All
Over Now”.
Em 2010, o cantor participou do projeto Gorillaz,
de Damon Albarn, vocalista
do Blur, que coproduziu seu
último disco “The Bravest
Man in the Universe”.
O músico esteve pela primeira vez no Brasil no ano
passado para participar do
festival Back2Black. Neste
ano, tocou no festival de jazz
de Nova Orleans, nos EUA.
Intercâmbio
Cultura americana é
tema de evento no Sesc
Maitê Campos
Hoje às 14 horas, o Sesc
faz o lançamento oficial do
projeto “Esquina Americana” (American Corner),
que busca integrar a cultura
americana com a brasileira
e também auxiliar estudantes que querem fazer
intercâmbio para os EUA.
A programação contará
com a cerimônia oficial de
inauguração, abertura da
exposição Herança Compartilhada, oficina e show com a
banda Della Mae e também
a oficina “Fotografia e Percepção” com o curador da
exposição João Kulcsár.
A banda Della Mae
nasceu em Boston no ano
de 2009 e este ano foi indicada ao Grammy e em 2012
foi escolhidas pelo Departamento de Estado como
“embaixadoras da música
americana”, o que fez que
a banda fizesse uma série
de shows e workshops em
países como Cazaquistão e
Paquistão.
SERVIÇO - O Sesc Horto está
localizado na rua Anhanduí, 200.
O evento é aberto ao público.
Informações pelo telefone: 33571200.
Leonardo de França
Ana Karolyna Resquim
A pedagoga Patrícia Arruda,
com o intuito de minimizar as
dificuldades de aprendizado
de crianças e jovens, desenvolve no Núcleo Idéia Viva um
espaço para o desenvolvimento
da criatividade. “Percebi que é
grande a demanda de crianças
com dificuldade no aprendizado e resolvi abrir este espaço para elas”, diz.
A pedagoga explica que seu
método educacional é baseado
na “antroposofia”, que é uma
“ciência espiritual”, criada
por Rudolf Steiner, que desenvolveu o método pedagógico
Waldorf. “Vamos usar a poesia,
os contos, a arte e os ritmos
do corpo para ensinar todo
o conteúdo do MEC”, afirma
Patrícia.
Ela conta que pretende
atender alunos da educação
infantil ao ensino fundamental
e que a pedagogia Waldorf
tem como base a ideia de que
cada ser humano é diferente e,
sendo assim, cada um aprende
e compreende as coisas de
forma diferente.
Ideia auxilia no desenvolvimento
'físico e espiritual' das crianças
Esse método de aprendizagem auxilia no desenvolvimento físico e espiritual do
aluno e para alcançar esse
objetivo, segundo Patrícia, é
Uma das oficinas realizadas por projeto é o ensino da fabricação de mandalas de lã por artista parceira da iniciativa
importante trabalhar também
a parte nutricional. “Trabalhamos com uma alimentação
vegana”, diz.
A professora de culinária
e cozinheira Lucka Pimenta é
quem deve trabalhar a parte
nutricional. “Nós ensinamos a
criança desde pequenininha a
comer bem. A se alimentar de
coisas saudáveis e naturais e
trabalhamos também com a
família, para que aprendam
sobre os alimentos”, diz.
Patrícia ressalta que o di-
ferencial de seu método de
aprendizagem é a participação
da família, e no mesmo espaço,
ela também trabalha um grupo
de estudos chamado “Acolhe”
que é aberto à comunidade. O
grupo discute o tema do “ser no
universo” e formas de terapia
que vão desde a artes corporais
até artes artesanais, como a
marcenaria e a cerâmica.
O espaço recebeu no fim
de semana a artista Kátia
Erbiste, que trouxe uma oficina de mandalas. Kátia,
que atendeu um grupo de 12
alunos, ensinou a técnica da
produção de uma mandala de
50 cm e diz ter ficado muito
satisfeita com a oficina. “É
sempre uma alegria porque
as pessoas se encontram com
a arte e é uma descoberta
que abre para muitas outras
possibilidades”, declara Kátia.
SERVIÇO - O Núcleo Idéia Viva fica
na rua Rodolfo José Pinho, 1.334.
Informações pelo telefone (67)
9280-6930.