Família - Igreja Edificando

Сomentários

Transcrição

Família - Igreja Edificando
ESTUDO DE CÉLULA 2
FAMÍLIA
NOSSO BEM MAIOR
“Em ti serão benditas todas as familias da terra”
Gênesis 12:3 ARA
INTRODUÇÃO: Nesta nova série de estudos de célula: “ FAQ – DÚVIDAS FREQUENTES2012” , estamos refletindo
em alguns temas de nosso cotidiano sob uma perspectiva bíblica. Afinal o que é certo e não na conduta de um
cristão? Neste segundo estudo da série, estaremos refletindo sobre a importância da família.
QUEBRA GELO: Se você fosse definir algo que marca a sua família , como você definiria?
1. Evidente que temos que cuidar de nossos filhos no mundo corrompido em que vivemos. Porém, como manter o
ponto de equilíbrio entre o cuidar bem, sem nos tornar super-protetores, dominadores e opressivos?
Cuidar bem de nossos filhos e instrui-los na Palavra de Deus, é gerar em seus corações temor e amor pelas coisas de
Deus, é não permitir que sejam contaminados pelos valores deste mundo.
Porem ha um momento onde precisamos deixa-los crescer, precisamos crer que Deus esta no controle.. é a hora de
colocar em pratica os valores que você semeou no coração deles.
Há pais que tratam seus filhos como eternas crianças e não permitem a eles cresçam, lembre-se antes de serem nossos,
eles eram de Deus. Mesmo sendo nossos, eles ainda são deles. “Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que Ele
dá.” Sl 127:3. Muitas vezes nos esquecemos desse fato, considerando nossos filhos como exclusivamente nossos e como
se tivéssemos a última palavra em se tratando de sua educação, saúde e bem estar. O Salmo 127:1-2 deixa claro que; “Se
não for o Senhor o construtor da casa, será inútil trabalhar na construção. Se não é o Senhor que vigia a cidade, será inútil
a sentinela montar guarda.” Somente poderemos cuidar de nossos filhos de forma adequada se constantemente
estivermos buscando a vontade de Deus para eles, não a nossa.
Por outro lado, Deus escolheu você para cuidar de seu filho, as crianças não nascem para os pais de modo aleatório. Deus
cuida para que os filhos certos nasçam para os pais certos, seja este nascimento natural ou de coração (adoção). Você é o
pai ou a mãe certa para o seu filho (a) e quem Deus escolhe ele capacita. Ele também prometeu que estaria contigo, não
se preocupe, pois a parte mais difícil e as impossíveis aos homens, Ele sempre faz. Mantenha-se dependente Dele.
2. Um componente importante na formação e educação de filhos é a disciplina. Muitas pessoas cresceram num lar sem
disciplina, outros tiveram pais severos demais, qual será o ponto de equilíbrio na disciplina de um filho?
Os extremos são perigosos. Tanto um pai que espanca seu filho, como um pai omisso que deixa seus filhos fazerem o
que quiser, sem limite, sem disciplina. Em ambos os casos vai gerar grandes deformações na vida de uma pessoa.
Quem ama educa, disciplina, corrige. Leia Pv. 22:15 e 13:24. Somos como árvores e o melhor tempo de corrigir o
crescimento de uma árvore é o do início de sua existência. O jardineiro sabe endireitar uma árvore. Algumas mudas são
fortes e saudáveis, mas crescem na direção errada. Elas sofrem uma inclinação. Para corrigir sua trajetória e direcionar seu
crescimento, ele amarra uma corda e a prende no chão ou talas. Ele impõe limites para que ela cresça na direção certa.
As crianças também precisam do mesmo esforço na correção. A Bíblia chama isto de disciplina. Porém, a Bíblia nunca
endossa a violência ou o castigo irresponsável. Assim, tenha cuidado, seja rápido para interromper o mau
comportamento, mas cauteloso para discipliná-lo da forma mais adequada (O curso educando filhos á maneira de Deus
ensina várias formas de disciplina – alguém na célula que fez pode citar algumas? - Quem não fez deve fazer). Seja
coerente e justo, a punição deve condizer com o ato. Ex. O descuido é uma má atitude, a Rebelião é um pecado grave.
Seja claro, explique qual foi o erro e qual é o castigo. Seja compassivo pois o amor não guarda rancor cf. 1 Cor 13:5.
3. Se eu ensinei a Bíblia para o meu filho, será que isso me garante que ele nunca se desviará?
Não. Ha pais que acham que por levarem seus filhos a igreja ( onde aprendem a palavra) é segurança que seus filhos não
se desviarão.
Precisamos estar sempre atentos, precisamos ver a companhia de nossos filhos. Precisamos ver do que eles estão se
alimentando ( tv, internet/computador, etc). Precisamos caminhar com ele sempre.
“Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, (ou no caminho em que deve andar – ARA) e mesmo com o
passar dos anos não se desviará deles.” (Pv. 22:6 - NVI). Cuidado com a interpretação deste versículo. Um provérbio trata
de uma grande probabilidade baseada na experiência do Sábio Mestre Salomão que escreve inspirado por Deus. O que o
texto diz é que a semente plantada não volta vazia e é grande a possibilidade de que quem recebe a instrução permaneça
ou se sair, volte aos caminhos do Senhor.
Como na parábola do pródigo, o filho que é filho volta. Nenhum filho abandona Deus. O filho pode até dar as costas para
Deus ou tentar se esconder dos olhos Dele. Mas sair do campo de visão e do amor de Deus é impossível. O Espírito Santo
seguirá seu filho por toda estrada secundária, todo beco escuro, toda rua sem saída, e sempre irá fazê-lo se lembrar do
fundamento da fé que recebeu e do caminho de volta para casa.
4. Como você aconselharia um pai cujo filho esteve nos caminhos do Senhor e hoje está desviado?
Busque a chave a do coração do seu filho em oração; Procure se aproximar dele; Converse, busque reconhecer as suas
falhas e pedir perdão
Nenhum filho de Deus está tão longe de casa ao ponto de que o Pai não possa vê-lo e trazê-lo de volta. O filho pródigo
supôs que estivesse (Lucas 15:13) e agiu de forma absolutamente dissoluta, curtindo a vida adoidado... Sem se dar conta
que a festa acaba...
Um dia, a festa acabou, o dinheiro acabou, os “amigos” se foram, as portas se fecharam, a carência material e a miséria da
alma chegam, o coração se aperta e o vazio existencial cresce. Neste ponto, surge a lembrança dos bons tempos na casa
do Pai e ele retorna, ensaiando no caminho um discurso de arrependimento a cada passo.
“Estando ele ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para o seu filho, e o abraçou e beijou” (Lc 15:20). O
Pai estava aguardando o retorno e guardou um lugar para o seu filho. Filhos são sempre convidados a voltar para o lugar
de honra. É preciso apenas tempo e oração para que eles se lembrem do que viveram e aprenderam e ponham a cabeça e
o coração no lugar.
5. O que você aconselharia a uma pessoa solteira que estivesse pensando em ceder ao pecado de entregar-se a alguém
com medo de ficar só?
É natural que todos desejem encontrar sua “cara metade”. Deus usou parte de um homem para fazer uma mulher. Um
casal se encaixa naturalmente como um quebra-cabeça humano, com pontos fortes preenchendo pontos fracos, paixões
unindo corações tendo o amor por sua essência.
O amor verdadeiro respeita os limites, tempos e modos por Deus estabelecido, respeita ao próximo e lança fora todo o
medo. Alterar o andamento das coisas e antecipar uma intimidade que está reservada ao casamento, certamente vai
trazer consequências prejudiciais ao plano original e irá comprometer a plenitude do que Deus nos reserva.
Temos que confiar que Deus tem o melhor para nós e também considerar a possibilidade de que o melhor para nós pode
até mesmo ser ou permanecer solteiro. Muitos solteiros pensam que o casamento torna a vida perfeita... Pergunte isto a
uma pessoa casada (Em lua de mel não vale...). O Casamento completa e complica muitas coisas, ser solteiro tem suas
vantagens e o Apóstolo Paulo sabia disto e gostava de permanecer sozinho para melhor servir ao Senhor (1 Cor. 7:32-35).
Porém, Paulo ainda diz; “Mas se não conseguem se controlar, casem-se” (1 Cor. 7:9). De qualquer forma, não perca o
ponto central do ensinamento; Os solteiros podem não ter um cônjuge, mas tem um noivo. Os solteiros podem ser uma
parte vital da noiva de Cristo, a igreja, uma vez que ela se prepara para aquele grande dia final, o dia do casamento.
6. Hospitalidade é algo que alegra o coração de Deus. O que você acha que impede as pessoas de serem hospitaleiras?
Como você aconselharia uma pessoa com esse problema?
Leia 1 Pedro 4:9 - Hb 13:2 - rm 12:3
Deus quer que sejamos hospitaleiros. Recebamos em nossa casa pessoas, pois sempre que fazemos isso somos
abençoados.
Nos dias de hoje as pessoas são individualistas, não querem receber pessoas porque sua casa não é a melhor, porque seu
sofá esta velho. Isso não é importante, o valor principal e abrir nossos corações , nossas casas e compartilhar nossas vidas
uns com os outros.
Temos uma tendência incrível em dificultar as coisas. Para exercermos a hospitalidade, não é necessário que as condições
sejam absolutamente ideais. Não ouça a voz da “Neura” que diz que tudo tem que estar perfeito. Se esperarmos tudo
estar perfeito nunca faremos um convite. Não é por acaso que hospitalidade e hospital vêm da mesma palavra no latim,
pois ambas levam ao esmo resultado: A Cura. Ao abrir a porta para alguém, você está enviando uma mensagem: Você é
importante para mim e para Deus.
Especialmente em cidades grandes como a nossa, muitas pessoas vivem ou se sentem solitárias, passam o dia todo sem
qualquer contato significativo com alguém e estão ansiosas por receber um convite seu. Porém, algumas práticas básicas
são necessárias; 1. Faça um convite verdadeiro. Faça com que seus convidados saibam que você quer que eles venham à
sua casa. 2. Faça festa quando elas chegarem, vá ao seu encontro na recepção, saguão ou porta, monte uma comitiva de
boas vindas... 3 Esteja atento e procure atender as necessidades de seus convidados, tem que dar atenção, ouvir e falar,
partir o pão. 4. Finalize e se despeça com uma bênção, uma oração, uma palavra de encorajamento. Este tempo pode
marcar positivamente e alterar a história de uma vida.