uma passagem pelas Honduras

Сomentários

Transcrição

uma passagem pelas Honduras
Á Descoberta
Destinos internacionais
Uma passagem
pelas Honduras
Um pouco por todo o Mundo, multiplicam-se
os destinos turísticos que sugerem adicionar a
exploração das suas belezas submersas aos encantos
paisagísticos, históricos e culturais – as Honduras
são um desses destinos.
Texto: Fernando Borges e Miguel Helfrich / Fotos: Miguel Helfrich
Conteúdos fornecidos por:
O Peixe Voador
Viagens de Mergulho
www.opeixevoador.pt
>A simpatia dum golfinho
C
omeçando a visita
pela vertente histórica
e cultural, partimos
para o extremo oeste do território.
Mesmo encostado à fronteira com
a Guatemala, fica o complexo
de ruínas de Copán, o maior
aglomerado arqueológico do
período clássico da civilização
>Almoço!
Maia, e património mundial da
UNESCO.
As espectaculares estelas, a
acrópole e o campo de jogos
são alguns dos elementos que
atravessaram os tempos para trazer
até aos dias de hoje a imagem da
prosperidade do povo que durante
séculos desenvolveu e habitou
aquela cidade-estado. Uma visita
imperdível, abrilhantada pela
pequena mas cosmopolita vila
contemporânea contígua às ruínas,
com as suas ruelas empedradas e
pitorescos restaurantes, onde não
falta um acolhedor hotel.
O apelo da Natureza e da aventura
encontra resposta no Parque
Natural de Pico Bonito, perto da
extensa costa norte, virada para o
Mar das Caraíbas. Um pequeno e
América Central para a prática da
modalidade), passando por simples
caminhadas num dos muitos trilhos
existentes.
A descida para a cidade costeira
de La Ceiba faz-se por estradas
regionais ladeadas de plantações de
banana a perder de vista, salpicando
de amarelo o cenário duma das
maiores fontes de rendimento das
Honduras. No caminho, é boa ideia
refrescar a viagem com um passeio
de kayak por entre os mangais do
Parque de Cuero y Salado.
Recorrendo a um dos pequenos
aviões que diariamente partem
de La Ceiba alcança-se facilmente
qualquer das três Ilhas da Baía:
Utila, Roatán e Guanaja. Todas elas
proporcionam óptimos e calmos
mergulhos nas águas cálidas das
A vida passa tranquilamente
no AKR, com o tempo dividido
entre mergulhos, refeições e
puro ócio
afamado hotel de charme com o
mesmo nome do parque serve de
base a um conjunto de actividades
para os gostos mais variados, desde
passeios com um biólogo local
para observar as muitas espécies
de pássaros, borboletas, tapires,
veados e macacos, a rafting
carregado de adrenalina no Rio
Cangrejal (um dos mais famosos da
Caraíbas, mas só em Roatán existe
o Anthony’s Key Resort.
O AKR é a antítese dos típicos
grandes resorts das Caraíbas. Os
seus 56 bungalows dividem-se
pela colina e por um dos ilhéus
adjacentes; o outro serve de
lar às famílias de golfinhos que
partilham o espaço com os turistas
mergulhadores.
))
>Um sol na noite
Como e quando ir?
O Peixe Voador personaliza a organização de viagens às Honduras com qualquer
duração e distribuição de tempo de acordo com os principais interesses
individuais. Há algumas possibilidades de ligações aéreas via América
Central ou Estados Unidos, mas uma passagem por Miami pode trazer algo
mais à viagem do que uma simples paragem a meio do trajecto. O primeiro
semestre do ano é a altura ideal para visitar as Honduras, evitando a época
dos tradicionais furacões das Caraíbas e as precipitações mais intensas,
próprias dos destinos tropicais. O calor e humidade são omnipresentes, e a
temperatura da água do mar raramente baixa dos 27º.
A prática do mergulho é possível em qualquer época do ano, desde que não
se apanhe uma das desagradáveis tempestades tropicais – esse é o grande
risco que corre quem escolhe visitar a região das Caraíbas em pleno Verão.
Dependendo da extensão e complexidade do programa, os preços podem
variar entre os 2 000 € e os 3 000 € por pessoa, sendo este o caso duma
viagem com duração de 12 dias, pernoita num dos vários design-hotels de
Miami, visita às ruínas de Copán, passagem pelo Pico Bonito e estadia de
uma semana no Anthony’s Key Resort.
Para planear a sua viagem às Honduras contacte:
o peixe voador® - especialistas em viagens de mergulho
Praceta das torres do restelo, lote 1515 - loja 5
1400-195 Lisboa – Portugal
Tel: +351 21 300 70 10 / fax: +351 21 300 70 19
e-mail: [email protected]
Pode também acompanhar o nosso dia-a-dia em:
http://twitter.com/opeixevoador
>A praia
>Jardim de coral
>Estrela-da-praia
>Esponja
>Um olhar bizarro
>Frente a frente
Os golfinhos são uma das imagens
de marca do AKR; outra é a
segurança, levada ao extremo de
haver uma câmara hiperbárica,
com médicos de plantão 24 horas/
dia, dentro do resort. Há muitos
anos que a família proprietária
do empreendimento pugna pela
preservação ambiental e defesa
dos golfinhos, tendo por isso
conquistado o respeito e admiração
da população local. O Resort
alberga o Instituto das Ciências
Marítimas de Roatán, que promove
o estudo e ensino da vida desses
encantadores mamíferos.
Há exibições acrobáticas regulares
para visitantes externos (a que os
longo pontão, de um lado chei
o de barcos atracados, do outro
lado com todas as infra-estruturas
necessárias ao mergulho, tais
como cacifos, duches, tanques
de lavagem, oficina, estação de
enchimentos, casa de banho, e
por aí fora. Imagine agora que
cada barco leva sempre o mesmo
grupo de pessoas, para que cada
mergulhador visite os melhores
spots de mergulho, mas sem
grandes aglomerados debaixo
de água. Imagine também que
ao lado da recepção do Centro
de Mergulho está um quadro
com todos os spots de mergulho
e que para cada dia você apenas
tem que identificar o seu barco
e dizer que vai mergulhar no
dia seguinte. Imagine! Heim!?
Que tal?
Mergulhar em Roatán com o AKR
é mesmo assim; um delicioso e
tranquilo balanceio entre os três
mergulhos diários e outras tantas
actividades que poderá fazer ao
longo da sua estadia. Uma das
mais-valias do AKR é ter um
recife em excelente estado de
conservação a escassos metros
Para quem faz fotografia
subaquática, é sempre uma
excelente oportunidade
para fotografar os
peixes no seu estado
completamente letárgico
hóspedes também podem assistir)
e programas ‘seja tratador de
golfinhos por um dia’. Mas o maior
sucesso é o programa especialmente
concebido para crianças até
aos 14 anos, com uma semana
inteira de convívio, interacção
e aprendizagem da vida dos
golfinhos, tudo supervisionado por
staff devidamente qualificado.
A vida passa tranquilamente no
AKR, com o tempo dividido entre
mergulhos, refeições e puro ócio.
Que mais pode o comum mortal
pedir?
Mas vamos ao que mais interessa,
vamos aos mergulhos!
Comecemos pelo Centro de
Mergulho, soberbamente posicionado em frente ao mar. Imagine um
de distância. Partindo do Resort,
os spots multiplicam-se tanto para
Este como para Oeste. Em frente a
‘West End’ fica um dos melhores
spots de mergulho, o ‘Divemaster’s
Choice’, onde as gorgónias exibem
um estado imaculado. Se o mar
assim o permitir, poderá fazer uma
incursão pela costa Sul da ilha e
mergulhar no spot ‘Mary’s Place’.
Um labirinto de canais, com as
paredes repletas de coral fazem
deste spot um dos mais famosos de
Roatán. Outro spot a não perder é
o ‘Spooky’ um conjunto de canais
e grutas onde a água salgada se
mistura com água doce.
Duas vezes por semana, poderá
fazer uma imersão nocturna, onde
garantidamente terá encontros
>Espirógrafos
>Naufrágio
com as por vezes estranhas
criaturas noctívagas. Para quem
faz fotografia subaquática, é sempre
uma excelente oportunidade para
fotografar os peixes no seu estado
completamente letárgico. É assim
que se conseguem aquelas fabulosas
macros dos olhos! Dois naufrágios
quebram a rotina dos mergulhos
em recife – como se alguma vez
fosse rotina! Estão na quota dos
trinta e poucos metros, pelo que
fica aqui a sugestão; faça estes dois
mergulhos com nitrox.
Existe também a possibilidade de
mergulhar com tubarões. É uma
operação independente do AKR,
se bem que o pessoal do Resort
organizará tudo para si. É uma
actividade um pouco dispendiosa
– 100USD por cabeça – mas
que fará com que o seu nível de
adrenalina tenha um pico. Portanto,
vá mergulhar com os tubarões!
Em alternativa e com o mesmo
custo, o mergulho com os golfinhos
é também uma experiência para
recordar para o resto dos nossos
dias. Em ambos os casos, leve a sua
câmara fotográfica porque tratamse de dois espectáculos dignos de
registo. De um lado a elegância das
máquinas perfeitas, do outro lado
a aparente simpatia dos animais
mais queridos dos oceanos.
Ao final da tarde ainda dá tempo
para apanhar o barco-táxi e ir
fazer uma visita aos golfinhos,
que vão adorar brincar consigo.
Agarre num molho de limos, atire-os para a água e verá o que
acontece; os golfinhos vão buscálos e devolvem-lhos com uma
delicadeza impressionante. Tal
e qual.
Seria de todo injusto se não
fizéssemos uma menção honrosa
ao ‘chef’ do restaurante do AKR.
Tanto as entradas como os pratos
principais – poderá sempre optar
entre dois – são invulgarmente
bons, se pensarmos que estamos
em plenas Caraíbas e a mergulhar
num Resort maioritariamente
frequentado por americanos.
Seja uma ou duas semanas de
estadia, o AKR tem aquele delicioso
defeito de que tanto gostamos;
os dias passam demasiado
depressa para que sintamos
que gozámos em pleno tanta
coisa boa. Nunca será demais, e
regressamos a casa cheios de vontade de lá voltar.
Guia do viajante
•L
ocalização: América Central, a sudeste do México. Faz fronteira com a
Guatemala, São Salvador e Nicarágua
•Língua oficial: Espanhol. O Inglês e um crioulo local são também falados
por grande parte da população
• Moeda: Lempira, cujo valor unitário é de aproximadamente 4 cêntimos
• Electricidade: 110 volts, com tomadas tipo americano
• Entrada e saída do país: os portadores de passaporte electrónico ou de
leitura óptica não necessitam de visto de entrada nas Honduras. A saída
obriga ao pagamento duma taxa de $35,00 USD
• Saúde: é recomendável a consulta dum especialista de medicina do viajante, principalmente para quem visita o interior do país.
PUB
PORTUGAL DIVE
21

Documentos relacionados