Divisão iNTERAMERiCANA - Igreja Adventista do Sétimo Dia

Сomentários

Transcrição

Divisão iNTERAMERiCANA - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Boletim
Missionário
Divisão INTERAMERICANA
4º Trimestre de 2014
ESTIMADO LÍDER DA ESCOLA SABATINA,
Este trimestre vamos concentrar a nossa atenção na Divisão Interamericana (IAD), a qual se encontra
bastante ativa e em rápido crescimento (IAD). Esta divisão da Igreja mundial é composta pelos países
da América Central, os quatro países mais setentrionais da América do Sul e pelas Ilhas das Caraíbas.
Existem quase 12 000 igrejas Adventistas do Sétimo Dia na IAD, com 3 714 790 membros. Com uma
população de 284 351 000 habitantes, a proporção é de um Adventista para cada 76 habitantes.
Este trimestre temos histórias maravilhosas da linda região do Belize, situado no Litoral Nordeste
e da bela Ilha da Jamaica. No Belize, onde mais de 70% dos membros da Igreja são jovens, o
evangelismo lidera a lista das prioridades. Todavia, existem poucos auditórios de grande dimensão
neste pequeno país. Um dos projetos da Oferta do Décimo Terceiro Sábado será a construção de um
auditório num terreno localizado em Belmopan, a cidade capital. O outro projeto a desenvolver no
Belize está relacionado com um acampamento de jovens muito necessário, o qual poderá ser utilizado
pelos jovens para atividades de recreação e para formação evangelística.
Na Jamaica, os membros têm ministrado e restaurado a dignidade de algumas das pessoas mais
carentes de Kingston, através da Estalagem Bom Samaritano. Não vai querer perder as histórias do
fim do trimestre que descrevem o que acontece na Estalagem. O projeto da Oferta do Décimo Terceiro
Sábado visa a ampliação da Estalagem para instalação de uma clínica de saúde/bem-estar materno e
uma clínica dentária.
Que o Senhor possa abençoar e inspirar cada um ao partilhar-se estas histórias e ao convidarem-se
as pessoas a darem liberalmente para apoiarem os nossos irmãos e irmãs na sua missão de alcançarem
almas na Divisão Interamericana.
Desejo-vos as mais ricas bênçãos de Deus!
Gina Wahlen
Editora de Mission
Os Projetos
Este trimestre a Oferta do Décimo Terceiro Sábado irá ajudar:
ü Construção de um centro evangelístico em Belmopan, no Belize.
ü Construção de um campo para jovens no Norte do Belize.
ü Construção de quatro Centros de Saúde Comunitários, no Belize.
ü Construção de uma Clínica Médica/Dentária, em Kingston, na Jamaica.
ü Projeto das Crianças: Aquisição de uma cadeira própria para crianças para a nova Clínica Dentária
na Jamaica.
1º Sábado, 4 de outubro
Igreja ou Futebol?
Este trimestre, ouviremos histórias de habitantes do Belize e da Jamaica, dois países que fazem parte
da Divisão Interamericana da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Esta região tem 3 714 790 membros
batizados. Há ali mais presença Adventista do que em qualquer outra Divisão da Igreja mundial!
O Belize é um país pequeno que ocupa a região norte do México e o Sudoeste da Guatemala. A este
encontra-se o Mar das Caraíbas. A população do Belize é de 334 mil pessoas. Aproximadamente 40 mil
são Adventistas do Sétimo Dia.
A maioria dos Adventistas no Belize é jovem. Por exemplo, se separarmos um grupo de dez irmãos,
sete serão jovens!
Tyson e Alexandro
A história de hoje é sobre dois irmãos, o Tyson e o Alexandro, que moram no Belize. Eles gostam
muito da escola, porém, gostam muito mais de jogar futebol, às terças-feiras, depois das aulas.
Certo dia, enquanto iam para casa, passaram por uma igreja Adventista. As portas da igreja estavam
abertas e eles puderam ouvir vozes de jovens a cantar e a conversar.
Na semana seguinte, o Tyson e o Alexandro repetiram o mesmo trajeto para casa e, novamente,
ouviram os jovens. Dessa vez, o Tyson ficou curioso e disse ao irmão: “Vamos até lá!”
O Alexandro não tinha bem a certeza de que aquela fosse uma boa ideia, mas acompanhou o irmão.
Quando chegaram, os dois rapazes ficaram a um canto, a olhar, na expectativa de que ninguém se
apercebesse da sua presença.
Mas o líder do grupo viu-os e convidou-os: “Por favor, entrem!” Timidamente, os garotos entraram e
sentaram-se. Em pouco tempo, sentiram-se como se estivessem em casa e passaram bons momentos ali.
O Tyson e o Alexandro foram convidados a voltar na semana seguinte.
Os rapazes correram para casa e contaram à mãe o que tinha acontecido. “Foi muito interessante!”,
disseram. “Cantámos, jogámos e lemos a Bíblia. Havia outros jovens e fomos convidados a voltar!
Podemos voltar na próxima semana?”
Preferimos a Igreja
A mãe do Tyson e do Alexandro conhecia a Igreja Adventista. Ela tinha feito parte desta Igreja em
criança. Mas, na juventude, apaixonou-se por um homem que não amava Jesus e deixou de frequentar a
Igreja. É claro que ela não se importava de que os filhos fossem às reuniões. “Não se esqueçam de que
têm treino de futebol às terças-feiras depois das aulas”, ela lembrou.
Os dois irmãos entreolharam-se. “Sim, o jogo de futebol!”, disseram num suspiro. O que fariam?
Depois de pensarem no assunto, o Tyson e o Alexandro preferiram ir às reuniões na igreja. “Os jovens
são muito amáveis e as atividades bastante interessantes”, explicaram à mãe.
Na terça-feira seguinte, os garotos foram à igreja em vez de irem ao jogo de futebol. Enquanto lá
estavam, outro rapaz convidou-os para que participassem da Escola Sabatina, e eles aceitaram. O Tyson
e o Alexandro começaram a frequentar a Escola Sabatina todas as semanas e, não demorou muito, a mãe
uniu-se a eles. Depois de algum tempo, os meninos receberam estudos bíblicos e foram batizados. A mãe
voltou a frequentar a Igreja e é um membro ativo. O pai também a frequenta regularmente.
Os jovens do Belize são muito dedicados em falar às pessoas sobre Jesus e gostam muito de se reunir
para cantar, estudar a Bíblia e aprender muitas coisas úteis. Porém, eles enfrentam o desafio de não ter
um local onde possam reunir-se para se divertir, aprender mais sobre Jesus e conduzir outros a Ele. Tu
podes ajudá-los a ter esse local, contribuindo com a oferta do Décimo Terceiro Sábado. Obrigado por
ajudares os nossos irmãos e irmãs do Belize!
Resumo Missionário
• O idioma oficial do Belize é o Inglês, mas falam-se ali outras línguas, incluindo uma mistura do Inglês
com o Crioulo, conhecido como Kriol, ou “Criolo Belizeano”, e espanhol.
• Por mais de cem anos, o Belize foi conhecido como “Honduras Britânicas”.
• O Belize é o país inventor das pastilhas elásticas.
2º Sábado, 11 de outubro
A Lição de Um Acidente
O Jerome nasceu vinte minutos depois do seu irmão gémeo. Eles cresceram no Belize, num pequeno
vilarejo chamado Burrell Boom.
O seu avô era pastor e, apesar de ter crescido num lar Adventista, o pai do Jerome abandonou a Igreja.
Mas a mãe criou os filhos na fé Adventista, e, aos 13 anos, o Jerome foi batizado. Para ir à igreja todas
as semanas, eles viajavam 12 quilómetros. Pode-se dizer que a distância não é muito grande, mas, no
Belize, viajar nem sempre é fácil. Eles ficaram muito felizes quando o pai construiu uma casa mais perto
da igreja.
O pai tem uma empresa de eletricidade. Ele é responsável por instalar os postes elétricos na berma
das estradas. Para fazer esse trabalho difícil e perigoso, é necessário cavar um buraco de 1,8 metros e,
em seguida, usar uma grande máquina para levantar o poste. E essa era uma tarefa para os empregados
do pai.
A Queda
Quando cresceram, o Jerome e o irmão começaram a ajudar o pai, no trabalho de colocar postes. Certo
dia, enquanto subia pelo poste, o cinto de segurança começou a magoar a perna do Jerome. Ele colocou
todo o peso sobre o cinto, esperando não se magoar mais, mas o cinto rompeu-se, e ele caiu de uma
altura de doze metros, em cima de uma pedra, ficando inconsciente. Quando acordou, tentou mexer-se, mas não conseguiu. Após uma longa viagem, finalmente chegaram ao hospital. Com uma agulha,
o médico deu uma leve picada no pé do Jerome, mas ele nada sentiu. Então, os médicos informaram o
Jerome de que não voltaria a andar.
Mas a fé na qual ele foi educado trouxe-lhe esperança. O Jerome permaneceu calmo e tranquilo.
Enquanto a mãe chorava ao lado da cama, ele disse: “Não te preocupes, mamã. Vou ficar bem. Lembrar-me-ei sempre deste momento.” A educação que recebera dos pais foi muito importante. Deus permitiu-lhe lidar com esta crise e passar por ela, não para engrandecimento próprio, mas para aprender a crer
que algo bom poderia ser tirado daquela experiência.
Construindo uma Bicicleta
Certo dia, enquanto navegava na internet, o Jerome viu a fotografia de uma bicicleta que é pedalada
com as mãos. Fez o download da imagem, poupou dinheiro para comprar os materiais e construiu a
sua bicicleta. Quando ficou pronta, para sua surpresa, a bicicleta funcionou perfeitamente. Ninguém
conhecia aquele tipo de bicicleta e, enquanto ele pedalava pelas redondezas, todos lhe acenavam, o que
o fazia sentir-se feliz.
O Jerome conheceu alguns ciclistas americanos que estavam de visita ao Belize. Eles estavam a viajar
e hospedaram-se num lugar próximo da sua casa. Certo dia, os ciclistas viram aquela bicicleta amarela
brilhante e começaram a tirar fotografias. Depois enviaram as fotografias por e-mail para outras pessoas.
Pouco tempo depois, uma das estações de TV no Belize telefonou ao Jerome, convidando-o para uma
entrevista. Eles deram-lhe a oportunidade de partilhar a sua história, assim como a sua fé, com todo o
país.
Consciencialização
O Jerome queria consciencializar as pessoas a respeito dos deficientes, em parceria com a Care
Belize, uma organização que trabalha com deficientes físicos e suas famílias. Ele planeou uma viagem
de 144,8km de bicicleta. Uma empresa alemã soube dos seus planos e patrocinou a fabricação de uma
nova bicicleta, pois a dele era muito pesada. Ele treinou na nova bicicleta, e, em seguida, viajou com a
mais leve. O Jerome fez o trajeto em apenas três dias!
Desde então, ele fez várias viagens de bicicleta nas principais estradas do Belize. “A minha mensagem
é: não olhes para alguém com deficiência física como se essa pessoa fosse incapaz de fazer algo. Com
Deus, e com muito empenho, podemos fazer tudo o que Ele deseja que façamos!”, afirma o Jerome.
Resumo Missionário
• O Belize tem um território de 22 966km² e 516km de zona costeira.
• O país encontra-se dividido em seis distritos: Belize, Cayo, Corozal, Orange Walk, Stann Creek e
Toledo.
• O turismo é o principal gerador de recursos no Belize, embora o país exporte alguns produtos como
banana, cacau, frutas cítricas, açúcar, peixe e madeira.
3º Sábado, 18 de outubro
Jeremy, Um Milagre de Deus
O Jeremy é um milagre. Ele nasceu no sétimo mês de gestação e era tão pequeno que o médico achava
que ele não sobreviveria. Mas a mãe acreditava que ele era um presente de Deus. Se o Senhor quisesse,
o bebé sobreviveria e Deus ajudá-lo-ia a viver.
Então, ela pegou numa toalha, embrulhou cuidadosamente o seu bebé e colocou-o na bolsa. Ao chegar
a casa, os outros filhos perguntaram: “Onde está o bebé?” Eles ficaram surpreedidos quando a mãe tirou
o embrulho da bolsa e, cuidadosamente, desembrulhou o bebé.
Crescendo Com Saúde
Diariamente, a mãe e os irmãos oraram, pedindo a Deus que lhes mostrasse como manter o bebé vivo.
A boquinha era tão pequena que ele não conseguia mamar. A mãe teve de usar uma biberão de bonecas
para alimentá-lo. Como não havia incubadora em casa, a mãe levava o filho para um ambiente seguro,
onde o seu corpinho pudesse absorver o calor do Sol.
Dia-a-dia, o bebé crescia e se fortalecia cada vez mais. Assim foi ao longo de vários meses. Um dia,
porém, ele ficou muito doente. A mãe levou-o ao hospital, e o médico e os enfermeiros ficaram muito
espantados ao vê-lo ainda vivo. Como se encontrava muito doente, o bebé precisou de uma transfusão
de sangue, mas, mesmo assim, o médico tinha a certeza de que o bebé morreria naquela noite. Contudo,
a mãe continuou a orar e a pedir a Deus que o curasse. No dia seguinte, o bebé permanecia vivo! A mãe
levou-o para casa, onde foi recebido com muita alegria pelos outros irmãozinhos.
Orações Respondidas
O bebé foi crescendo e chegou o dia do primeiro aniversário. Só que o Jeremy ficou doente de novo
e foi necessário levá-lo ao hospital. Desta vez, o médico informou a mãe: “O seu filho tem uma doença
muito grave. Ele não conseguirá andar e, aos dois anos, ficará cego. Ele não sobreviverá após completar
os cinco anos.”
Mas a mãe fiel não desistiu. Ela levou o seu precioso filhinho para casa e continuou a orar por ele
todos os dias. O pequeno Jeremy crescia e ficava cada dia mais forte. Aos dois anos, o Jeremy via
perfeitamente e gostava de correr com os seus irmãos e as suas irmãs. Completou os três anos, depois
os quatro e, finalmente, os cinco anos! Aos seis anos, o Jeremy era um menino grande, forte e saudável,
pronto para ir para a escola. Ele juntou-se aos seus irmãos e às suas irmãs na Escola Adventista no
Belize. Depois, foi para o Colégio e para a Faculdade Adventista.
Futuro Pastor
O Jeremy gosta de contar às pessoas como Deus salvou a sua vida tantas vezes: “Deus realizou muitos
milagres na minha vida e ainda continua a realizar”, ele diz. “O meu sonho é ver milhões de pessoas
salvas no Reino de Deus. Pela Sua graça, dirigi muitas reuniões evangelísticas e tive a alegria de ver
centenas de pessoas serem batizadas através do evangelismo. Acredito que, se nos mantivermos unidos,
tanto jovens como pessoas mais experientes, poderemos apressar a vinda de Jesus. A minha mãe, que
amo tanto, lembra-me constantemente: ‘Nunca te esqueças de que pertences a Deus. Ele preservou a tua
vida e merece que O glorifiques’.” O Jeremy quer terminar os seus estudos e tornar-se pastor.
4º Sábado, 25 de outubro
“Só Um Dia”?
A Olga faz parte de uma família muito grande. Ela é a mais nova dos treze irmãos! Desde criança, os
seus pais ensinaram-lhe acerca de Jesus e da Sua Palavra, a Bíblia. Uma das coisas que a Olga aprendeu
foi sobre o Sábado. Ela aprendeu que Deus abençoou e santificou o Sábado e que este é um dia especial,
não só para estarmos com Ele, mas também para descansarmos e nos reunirmos para O adorar.
Quando a Olga atingiu a idade de ir para a escola, quis frequentar a escola Adventista, mas não
havia nenhuma perto de sua casa. Por isso, os seus pais matricularam-na numa escola cristã. Entretanto,
durante o último ano escolar, a escola começou a ter aulas aos Sábados. A Olga começou a enfrentar
problemas.
“Deves Vir aos Sábados!”
“Se não frequentares as aulas aos Sábados, não transitarás de ano e nem poderás concluir os estudos”,
alertou a professora.
“A sério?”, questionou a Olga. Então, ela foi para casa e pediu orientação ao pai sobre o assunto.
“Não!”, disse ele. “Tu não és obrigada a ir à escola ao Sábado. Deus ajudar-te-á com as matérias.” A
Olga ficou feliz em ir à igreja com a família, mas voltar à escola na segunda foi difícil.
“Porque não vieste à escola no Sábado? Perdeste muitos assuntos importantes e não vais conseguir
terminar o ano letivo”, disseram a professora e os seus colegas de turma.
“Não”, respondeu a Olga calmamente. “Isso não é verdade. Deus vai ajudar-me.”
Durante o ano letivo, a Olga nunca foi às aulas aos Sábados. No fim do ano, estava preparada uma
grande surpresa para os colegas e para a professora.
A Grande Surpresa
Todos os alunos precisavam de fazer um exame, mostrando o que tinham aprendido, antes de transitarem
de ano. A Olga fez o exame e, quando saiu o resultado, ela obteve uma das melhores notas da turma.
“Uau!”, exclamaram os colegas e a professora. “Como aconteceu isto? Mesmo não frequentando as
aulas ao Sábado, tiveste uma das melhores notas!”
“Acredito que, se honramos Deus e guardamos o seu santo dia, Ele ajuda-nos”, disse a Olga.
Atualmente, a Olga estuda na Universidade do Belize. Mas, às vezes, por causa do Sábado, ela ainda
enfrenta problemas.
Mais problemas
Quando a Olga iniciou os estudos universitários, ela estava a estudar para se licenciar em Gestão em
Recursos Naturais – um curso onde os alunos aprendem a cuidar da terra, da água, do ar, dos minerais,
das florestas, das plantas selvagens, das flores, enfim, da Natureza em geral.
Ela gostou muito das aulas, mas um dos professores agendou várias visitas ao campo para um
dia de Sábado. Ela tentou explicar que o Sábado é o dia santo do Senhor, mas o professor não quis
compreender.
“Porque não podes vir?”, insistiu ele. “É apenas um dia! Deus não te castigará só por não guardares
um dia!”
“Mas Deus disse que devemos guardar o Seu santo Sábado e devemos obedecer-Lhe”, argumentou a
Olga corajosamente.
Testemunho na Universidade
A Olga decidiu mudar para um curso em que não precisasse de ir às aulas nem de participar em
viagens ao Sábado. Atualmente, ela estuda Administração e sente-se feliz, pois sabe que Deus cuidará
sempre dela. Também gosta de participar nos cultos de adoração levados a cabo por vários alunos
universitários Adventistas que frequentam a mesma Universidade. Esses cultos não são exclusivos para
jovens Adventistas e a Olga gosta de convidar os seus amigos.
“Quando a minha amiga e eu fazemos os nossos trabalhos escolares em conjunto, terminamos sempre
a falar acerca de Deus. Certo dia, ela disse-me que desejava aprender mais, então convidei-a para
participar nos nossos cultos. Ela veio e gostou bastante. É muito bom participar. A melhor parte é quando
quem nos visita é abençoado e partilha aquilo que ouviu!”
A Olga deseja ser missionária a tempo inteiro. Mas enquanto esse dia não chega, ela estuda a Bíblia
com os amigos. Quando conversam sobre o Sábado, a Olga conta sempre como Deus a ajudou a passar
no exame do Ensino Primário, mesmo quando todos achavam que ela não iria conseguir, pelo facto de
não ter frequentado a escola aos Sábados.
Resumo Missionário
• O Belize e a Jamaica fazem parte da Divisão Interamericana, composta por 42 países e mais de 3,7
milhões de membros. São números que ultrapassam os de qualquer outra Divisão da Igreja Adventista
mundial.
• Na Jamaica, um em cada nove habitantes é Adventista. No Belize, a proporção é de um Adventista
para cada oito habitantes.
• Os Adventistas da Divisão Interamericana são muito ativos. Cada membro ajuda a testemunhar o amor
de Deus junto dos seus amigos e conhecidos.
5º Sábado, 1 de novembro
“A Minha Vida Mudou!”
O Deryn não gostava de ir à escola. Todos os dias ele discutia com alguém. Aliás, isso era comum
naquela escola, e alguns alunos envolviam-se em conflitos até com os professores. Às vezes, alguns alunos
levavam rum para a escola para beber às escondidas. Quando o Deryn não se encontrava envolvido num
conflito, dormia durante as aulas, pois permanecia acordado até bastante tarde a ver televisão. “Quando
um aluno não consegue aprender, a raiva cresce no coração”, diz o Deryn. “Por isso é que os alunos
andam sempre a discutir uns com os outros e com os professores!”
A mãe do Deryn não sabia mais o que fazer com ele e com as suas irmãs mais novas, que também
tinham o mesmo problema que o Deryn. Certo dia, ela ouviu falar sobre a Escola Adventista de Ensino
Primário que existia ali na cidade e foi verificar se os filhos poderiam estudar lá. Ela ficou muito feliz
quando descobriu que isso era possível!
Escola Diferente
Imediatamente, o Deryn percebeu que a nova escola era diferente. “Aqui as pessoas não se envolvem
em conflitos”, afirma. “Nunca consegui aprender as matérias na escola antiga, por isso, quando mudei
para a escola Adventista precisei de repetir o ano. Mas depois comecei a aprender e passei de ano. Os
professores são amáveis para com os alunos. As minhas irmãs também se sentem muito felizes. Elas
estão bem e não discutem com os colegas de turma. Tivemos na escola um evento maravilhoso, a
Semana de Oração. Nessa semana aprendemos a ser gratos a Deus. Todos os dias cantávamos, ouvíamos
apresentações especiais e orávamos. No fim da Semana de Oração, fomos convidados a entregar a vida
a Deus e eu aceitei o convite. Depois que entreguei a minha vida a Deus, comecei a mudar e não causei
mais problemas às pessoas. Comecei a obedecer aos professores e a comportar-me adequadamente.
Tudo começou a correr bem e a minha vida mudou realmente. A minha professora favorita é a Sra.
Kitsall. Ela foi uma das pessoas que me conduziu a Deus. Descobri que uma escola cristã nos dá outra
solução para os problemas: podemos levá-los a Deus por meio da oração.”
Disciplina Preferida
O Deryn também gosta de cantar e de aprender as histórias bíblicas, especialmente as de David e
Golias. “Gosto quando juntamos a Bíblia com a matemática”, ele diz. “Por exemplo, quando Jesus
curou os dez leprosos, somente um voltou. Quantos por cento voltaram? Mas a minha disciplina favorita
é Ciências. Estamos a aprender sobre as partes do corpo: coração, pulmões, sistema nervoso e cérebro.
Aprendi que preciso de dormir mais do que fazia antes. Então, agora vou para a cama mais cedo em vez
de ficar a ver televisão.”
Quando crescer, o Deryn quer ser chef. Mesmo agora, ele gosta de preparar o pequeno-almoço para a
sua família. O Deryn tem quatro irmãs e dois irmãos.
O Deryn e as suas duas irmãs mais novas são gratos por estudarem na escola Adventista de Belmopan
e vão lembrar-se para sempre das lições que aprenderam. Como influência da escola, o Deryn e a sua
família frequentam a igreja Adventista, ao lado da escola.
Podemos ajudar o Deryn, a sua família e outras pessoas a conhecerem Deus, entregando uma oferta
especial no Décimo Terceiro Sábado deste trimestre. Um dos projetos contempla a construção de um
acampamento para as crianças e os jovens do Belize. Outro é a construção de um centro evangelístico ao
lado da escola e da igreja que o Deryn e a sua família frequentam. Agradecemos por te lembrares destes
projetos e pelas tuas ofertas.
Resumo Missionário
• A diretora da escola Adventista de Belmopan, a Sra. Kitsall, considera a escola um verdadeiro campo
missionário. “Temos uma aluna que bateu na professora na sua antiga escola. Mas mudou-se para a nossa
escola e participou na classe bíblica. Um ano depois, foi batizada. O seu caráter mudou completamente.
Os pais veem a transformação dos filhos e isso abre o caminho para o evangelismo. Os pais vêm aos
cultos porque percebem as mudanças nos filhos.”
• A escola Adventista de Belmopan permite que as crianças ali estudem desde o primeiro até ao nono
anos. Tem 105 alunos e muitos são membros da comunidade.
6º Sábado, 8 de novembro
A Cura do Adriel
O Adriel, de nove anos, e a sua irmã gémea fazem parte de uma grande família. Eles têm mais duas
irmãs e dois irmãos que também são gémeos. A família é bastante dedicada à música. O pai e alguns
filhos tocam na orquestra de sopro da igreja. O Adriel gosta muito de tocar clarinete. Ele também gosta
de contar às pessoas sobre Jesus e como Ele salvou a sua vida.
Certo dia, quando o Adriel se encontrava em casa, não se sentiu bem e queixou-se à mãe que estava
com uma forte dor de cabeça. Ela levou-o ao médico, que o examinou e lhe aplicou uma injeção. Porém,
o Adriel não melhorou. Pouco tempo depois, os seus pés começaram a doer e, em seguida, as mãos
também. Ele foi levado de volta ao hospital e os médicos disseram que ele tinha uma doença chamada
“artrite reumatoide juvenil”, que causava muita dor.
Mais Problemas, Mais Orações
Depois de duas semanas internado no hospital, finalmente o Adriel recebeu alta e regressou a casa.
Dois dias depois, ele estava muito feliz a tocar clarinete na banda da igreja. Porém, ao acordar no Sábado,
a dor tinha voltado ainda mais forte. A mãe levou-o rapidamente ao hospital. Enquanto esperavam para
ver o médico, o garoto teve uma convulsão e entrou em coma.
A mãe telefonou para alguns irmãos da igreja e eles começaram a orar em favor do Adriel. Depois,
ela também entrou em contacto com alguns amigos de outra igreja Adventista, onde estava a realizar-se um congresso e onde se encontravam reunidas muitas pessoas. Segundo a Sra. Baptist, a mãe do
Adriel: “Estas pessoas simplesmente interromperam a programação e oraram em favor do meu filho.
Logo depois, os pastores foram ao hospital e oraram. Enquanto oravam e o ungiam, o Adriel teve outra
convulsão. Os médicos não sabiam mais o que fazer por ele.”
Todos continuaram a orar pelo menino. Naquela noite, o Adriel saiu do coma. Todos ficaram muito
felizes! Mas os médicos continuaram preocupados, porque pensavam que o cérebro do Adriel tivesse
sido danificado pelas convulsões sofridas.
Orações Respondidas
Foi necessário fazer um exame especial, chamado ressonância magnética, para ver se o cérebro do
Adriel sofrera algum dano. É um exame muito caro, porém os membros das igrejas Adventistas da
cidade arrecadaram a quantia necessária, e continuaram a interceder junto de Deus por ele.
No momento do exame, os médicos colocaram o Adriel cuidadosamente numa pequena cama que, ao
ser apertado um botão, se moveu para dentro de um aparelho de ressonância magnética. O exame não
doeu, e o Adriel permaneceu quieto, enquanto a máquina tirava fotografias que mostravam como estava
o cérebro dele.
Terminado o exame, os médicos olharam para as imagens do cérebro e viram que não havia nenhum
dano. Todos ficaram felizes ao ouvir esta notícia maravilhosa! Eles oraram novamente, mas, desta vez,
agradecendo a Jesus pela cura do Adriel.
Desde então, o Adriel não teve mais dores nem convulsões. Ele sente-se feliz por poder ir à igreja e
participar na orquestra. “Digo às pessoas que Jesus as ama e quero dizer a Jesus que O amo também!”,
afirma o Adriel.
A mãe do Ariel refere que, por causa da experiência do filho, descobriu o poder da oração intercessória.
“Creio que esse é o motivo pelo qual ele está aqui!”
Perguntas para Discussão
1. Quando estiveste doente, alguém orou em teu favor? Como te sentiste?
2. Porque é bom orar?
3. Quando oramos por alguém e essa pessoa não melhora, acham que Deus ainda a ama? [Esta é uma
boa oportunidade de comentar porque acontecem coisas más aos filhos de Deus e como, um dia, Ele irá
curá-los eternamente.]
7º Sábado, 15 de novembro
Encontro Marcado por Deus
O Beyckel ficou dececionado quando a sua igreja, numa região da República Dominicana, cancelou
a excursão ao rio. Por isso, o seu pai sugeriu que fossem na mesma. Foram à casa de um amigo e
convidaram-no para ir também, mas ele não podia. No entanto, o amigo do pai sugeriu que ele convidasse
um outro amigo. “O seu nome é José e está a passar por um momento muito difícil.”
O pai do Beyckel falou com o José, cujo rosto brilhou de alegria. O pai chamou o Beyckel e disse que
iriam até ao rio no camião do José. Embora o Beyckel quisesse passar algum tempo sozinho com o pai,
aceitou ir ao rio com ele e com o José.
Quando chegaram, divertiram-se a brincar à apanhada na água. Então, o pai do Beyckel viu o José
sair da água e sentar-se à beira do rio. Aproveitou e acenou para o filho, dizendo que ia conversar com o
José. “Mantém-te perto da margem”, alertou o pai. O Beyckel observou o pai a sentar-se junto do José e
começarem a conversar. Parecia ser um assunto muito sério. Ele não conseguia divertir-se sozinho, por
isso saiu da água e juntou-se ao pai e ao José.
História Inesperada
“Quando a minha mulher me abandonou”, indicou o José, “simplesmente desisti de tudo. Estava a
começar a despedir-me dos meus amigos quando vocês chegaram. Ia tirar a minha vida”. As palavras do
José surpreenderam-no. “Não imaginava que ele estivesse tão triste”, pensou o Beyckel.
“Não sei porque estou a contar isto”, disse o José. “Mas existe algo de diferente em si. Sei que é uma
pessoa cristã, por isso posso partilhar estas coisas consigo.”
O pai concordou. O Beyckel sabia que ele estava a orar enquanto ouvia o relato do José e também
decidiu orar pelo novo amigo. Então, o pai disse: “José, creio que o nosso encontro não foi por acaso.
Deus impressionou-me a visitar o meu amigo porque Ele sabia que você estaria lá.” O José concordou e
refletiu durante alguns momentos.
Plano de Deus
O pai do Beyckel incentivou o José a não ceder à sugestão do inimigo. “Não é plano de Deus que você
morra”, acrescentou. “Deus deseja que você Lhe entregue a sua vida.”
O José disse que daria uma oportunidade para Deus fazer parte da sua vida. De seguida, o pai do
Beyckel chamou-o para que orassem juntos. Após aquela oração, o semblante do José mudou. O seu
rosto mostrava paz e esperança.
Enquanto voltavam para a casa do amigo, o Beyckel lembrou-se de que não queria incluir outra
pessoa no seu passeio. Mas agora sabia que o encontro com o José tinha sido um plano de Deus, um
encontro divino; foi assim que o pai chamou a este passeio. O Beyckel pediu a Deus que lhe mostrasse
outras pessoas por quem pudesse interceder conforme acontecera com o pai e o José e para que não
tivesse medo de falar de Jesus a essas pessoas.
Meninos e meninas, nem sempre sabemos quando alguém está a viver um momento difícil. Mas Deus
sabe e, algumas vezes, Ele pede que falemos do Seu amor com essa pessoa. Por isso, ouçamos a voz de
Deus e estejamos cientes de que isso pode ser uma indicação divina.
Resumo Missionário
• O Basebol é o desporto nacional da República Dominicana. Muitos jovens sonham em se tornar
estrelas do Basebol e em jogar numa equipa da primeira liga dos Estados Unidos.
• As praias de areias brancas têm atraído milhares de turistas todos os anos, ajudando a economia da
região a crescer.
8º Sábado, 22 de novembro
Amigos Para Jesus
A Milenny vive em Santo Domingo, a capital da República Dominicana.
Para a Milenny, partilhar o amor de Deus é algo natural. A sua mãe produz um programa para crianças
na rádio Adventista da cidade e a Milenny ajuda-a.
“Às vezes conto uma história, faço uma pequena meditação ou falo sobre algum tema bíblico”, diz a
Milenny. “É uma forma divertida de falar às crianças sobre Deus.” Ela também convida os seus amigos
para ouvirem o programa da rádio.
Outra atividade de que a Milenny gosta é ajudar a mãe a apresentar os programas para as crianças nas
igrejas da cidade. Ela faz parte do grupo de teatro que encena histórias bíblicas. A Milenny tem maneiras
especiais de convidar os amigos para aprenderem sobre Jesus.
Novos Amigos
Certo dia, a Milenny convidou a Nicole, uma menina que se mudara para o seu bairro, para ser sua
amiga. Em pouco tempo, a Milenny percebeu que a família da Nicole não frequentava regularmente
a igreja. Então, a Milenny convidou-a, assim como ao seu irmão, o José, para que visitassem a igreja.
As crianças aceitaram o convite e gostaram muito da programação. A mãe da Milenny visitou a mãe da
Nicole e convidou os filhos para fazerem parte do Clube da Bíblia para crianças que iria começar em sua
casa. “Vamos cantar, aprender histórias bíblicas e orar”, ela disse. A mãe da Nicole gostou da ideia, e, na
terça-feira seguinte, o José e a Nicole foram à casa da Milenny para participar na primeira reunião.
Outras crianças também apareceram. Elas conversaram durante alguns minutos sobre coisas do dia-a-dia, depois estudaram uma história bíblica, cantaram e oraram. A Milenny ficou contente porque os seus
amigos participaram no Clube da Bíblia. Ela esforçou-se bastante para que os seus amigos gostassem
das atividades e desejassem frequentar as reuniões todas as semanas.
Transmitindo o Amor de Deus
A Nicole e o José continuam a frequentar o Clube da Bíblia e a Escola Sabatina. Eles gostam de contar aos
pais o que aprendem. Por isso, a mãe da Milenny convidou os pais da Nicole para estudarem a Bíblia e eles
aceitaram. Eles querem aprender mais acerca de Deus e sobre o que os seus filhos aprendem na igreja.
“Estou muito feliz porque os meus pais me ensinaram a partilhar o amor de Deus com os meus
amigos”, refere a Milenny. “A Nicole e o José aceitaram o meu convite para ir à igreja e ao Clube da
Bíblia. Agora, mais duas pessoas fazem parte da família de Deus. Espero que, em breve, os seus pais
conheçam Jesus e também se unam à Igreja Adventista.”
Quando Jesus faz parte da nossa vida, é fácil partilhar o Seu amor. Como podes partilhar o amor de
Deus com alguém durante esta semana? Talvez não tenhas um programa de rádio na tua cidade, mas
podes organizar um Clube da Bíblia e convidar os teus amigos. Outra oportunidade de mostrar o amor
de Deus é convidar os amigos para virem à Escola Sabatina.
Resumo Missionário
• Cristóvão Colombo desembarcou onde é atualmente a República Dominicana. Ele reivindicou a ilha
para a Espanha e, até hoje, o idioma oficial do país é o Espanhol.
• O povo dominicano é descendente de Espanhóis e Africanos, como resultado da vinda dos escravos
que trabalhavam nas grandes plantações.
• A maioria da população é Católica. Entre o pequeno número de protestantes, a Igreja Adventista tem
mais de 200 mil membros.
9º Sábado, 29 de novembro
Uma Luz Que Se Espalha
Na semana passada, ouvimos a história de uma menina chamada Milenny. Ela fez amizade com a
Nicole e o José, seus vizinhos, e falava com eles sobre Deus. Certo dia, a Milenny convidou a Nicole e
o José para irem à Escola Sabatina e eles aceitaram.
A Nicole diz gostar muito da igreja, “especialmente das histórias bíblicas e das histórias missionárias
de lugares distantes”. Também gosta de cantar. Algumas vezes, a Milenny e a Nicole cantam na igreja.
“Conto sempre aos meus pais sobre o que aprendo na Escola Sabatina. Convido-os a eles e aos meus
dois outros irmãos para irem à igreja connosco”, indica a Nicole. “Algumas vezes eles aceitam o convite,
especialmente quando eu canto.”
Quando a Milenny foi batizada, o José e a Nicole disseram aos pais que também desejavam ser
batizados. Com a permissão deles, o batismo teve lugar. Hoje, a Nicole testemunha: “Sou muito feliz,
pois Jesus convida meninos e meninas para que sejam Seus amigos!”
Por Toda a Vizinhança
“Há pouco tempo, mudámo-nos para outro bairro bem distante de onde mora a Milenny. Por isso, não
nos encontramos muito. Mas agora tenho todas as crianças do bairro, com as quais devo falar de Deus.
Sempre que há oportunidade, digo-lhes que Jesus as ama e que, em breve, Ele virá. Convido-as para
ouvirem o programa infantil na rádio Adventista todas as tardes. Algumas tornaram-se ouvintes assíduas
do programa e gostam muito. Este é um modo muito bom de ensiná-las a respeito de Deus.
“Assim como a Milenny convidou o meu irmão e a mim, também convido os meus amigos para
conhecerem a igreja. Até agora, ninguém aceitou o convite, mas tenho a certeza de que, um dia, eles
virão.”
A igreja que o José e a Nicole frequentam é pequena e não tem Clube de Desbravadores nem de
Companheiros. Mas há um Clube da Bíblia. Eles costumam fazer encenações de histórias bíblicas
para as crianças do bairro. É uma forma divertida de falar acerca de Deus e as crianças gostam muito.
Aproximadamente 25 crianças assistem às reuniões.
Até Jesus Voltar
Além das encenações, a Nicole convida os seus amigos do bairro para assistirem ao programa do
Clube da Bíblia na igreja. Diz ela: “Fico feliz que os adultos da igreja nos ajudem a preparar o programa
e, assim, podemos partilhar o amor de Deus com outras crianças.”
Feliz, hoje ela agradece a Deus porque a amiga Milenny lhe falou sobre o amor de Deus e porque a
sua mãe a convidou, assim como ao seu irmão, para que fossem à igreja e frequentassem o Clube da
Bíblia. A Nicole reconhece que, agora, é a sua vez de dizer às crianças e aos adultos que Jesus os ama e
vai voltar para nos levar para o Céu. “Quero que todos estejam preparados quando Jesus vier. Oremos
para que todos nós estejamos prontos quando Jesus regressar para nos vir buscar!”
10º Sábado, 6 de dezembro
Um Aluno Diferente
Era o primeiro dia de aulas, e a sala da professora Gonzalez estava lotada com 30 crianças do Jardim
de Infância, todas ansiosas e a conversar ao mesmo tempo. A Sra. Gonzalez suspirou. As férias de verão
pareceram tão curtas! Ela pegou na lista dos alunos e fez a chamada. Quando terminou, a porta da sala
abriu-se e a diretora da escola entrou.
“Bom dia, Sra. Gonzalez!”, cumprimentou-a a diretora. “Preciso de falar consigo.” A professora foi
até à porta e ouviu o que a diretora queria dizer.
“Tenho um novo aluno para si, um menino de Havana. Sei que a sua turma está lotada, mas eu gostaria
de colocá-lo aqui.”
“Por favor”, suplicou a Sra. Gonzalez, “já tenho 30 alunos”! Porém, mudou de ideias e disse: “Bem,
traga-o. Se ele se portar bem, poderá ficar aqui.” A diretora sorriu e fechou a porta. Em poucos minutos,
voltou com um menino. Ao ser apresentado à professora, o Rolandito sorriu.
Todas as manhãs ele a cumprimentava com um sorriso. Ao observá-lo, a Sra. Gonzalez percebeu que
ele era diferente das outras crianças. Era bondoso, obediente e gentil.
Problema no Parque
Certo dia, dois meninos discutiram no parque. Antes que a professora chegasse e os separasse, um dos
meninos começou a chorar. O Rolandito viu o menino a chorar, entregou-lhe um lenço e disse: “Sinto
muito por estares triste.”
Às vezes, a sala de aula, por estar cheia, torna-se barulhenta ou uma criança desrespeita a professora.
Mas o Rolandito não se envolve na confusão. Pelo contrário, ele incentiva os colegas a obedecerem à
professora. Um dia, quando algumas crianças irritaram a professora, ele sussurrou ao seu ouvido: “Ore
para que eles fiquem bonzinhos!”
Surpreendida, a Sra. Gonzalez sorriu e perguntou. “Frequentas alguma igreja, Rolandito?”
“Sim, Sra. Professora”, foi a resposta. “Sou Adventista do Sétimo Dia.”
Dias depois, terminadas as aulas, ele perguntou à Sra. Gonzalez: “A senhora acredita em Deus?”, ao
que ela respondeu: “Sim, Rolandito!”
“Então, quando irá visitar a minha igreja?”, perguntou.
A Sra. Gonzalez pensou um pouco e respondeu: “Talvez um dia.” Ela não estava interessada e não
queria prometer nada.
Durante uma das aulas, a Sra. Gonzalez perguntou às crianças o que elas queriam ser quando
crescessem. Quando chegou a vez do Rolandito, ele respondeu: “Quero ser pastor!”
Um Presente Especial
Após mais um dia de aulas, o Rolandito e a Sra. Gonzalez ficaram a conversar. “A senhora já leu a
Bíblia?”, questionou o menino.
“Não tenho Bíblia”, foi a resposta.
Então, o Rolandito ofereceu-se para lhe oferecer um exemplar. Ele manteve a promessa e pediu à mãe
uma Bíblia para dar à professora. Alguns dias depois, ele ofereceu uma Bíblia à Sra. Gonzalez.
Em casa, o Rolandito falava sempre a respeito da professora, até que a mãe foi à escola para a
conhecer pessoalmente. Quando a Sra. Gonzalez agradeceu a Bíblia, ela ofereceu-se para ir até sua casa
e, juntas, estudarem a Bíblia. A professora ficou muito feliz porque alguém a ajudaria a entender melhor
a Bíblia.
Muitas vezes, o Rolandito conversava com a professora acerca da Bíblia, do Céu e dos Dez Mandamentos.
Quando ele convidou a professora para assistir ao programa especial de Natal, ela aceitou. O Rolandito
ficou muito feliz ao ver a professora com o filho na igreja.
A mãe do Rolandito continuou a estudar a Bíblia com a Sra. Gonzalez e, passados alguns meses,
ela decidiu tornar-se cristã. O Rolandito mal pôde conter a emoção, quando soube que a professora
seria batizada. O seu rosto iluminou-se com um largo sorriso, enquanto via o seu pai batizar a sua
professora.
11º Sábado, 13 de dezembro
Uma Escola Segura
A Kenisha tem seis anos e não sabe o que é viver sem medo. Até onde consegue lembrar-se, as pessoas
costumavam envolver-se em discussões, no meio de tiroteios, nas ruas da cidade de Trench Town onde
ela vivia. Noite após noite, ela encolhia-se na esteira, tapando os ouvidos, tentando abafar o barulho
dos tiros. Mas não funcionava. Finalmente, quando conseguia adormecer, continuava a presenciar as
guerrilhas locais nos seus sonhos.
Durante o dia, não era muito diferente. Ela acordava com fome e, na maioria das vezes, não havia o
que comer. De vez em quando, a mãe dava-lhe uma banana ou um pouco de arroz, mas, na maior parte
do tempo, ela sentia fome.
Boas-Novas
Trench Town é uma cidade muito perigosa. Mas, certo dia, a Kenisha e a mãe ouviram boas notícias:
A igreja Adventista do Sétimo Dia, localizada na esquina, abriria uma nova escola para as crianças da
cidade. Elas nunca tinham visitado uma igreja Adventista, mas quiseram saber mais a respeito da escola.
Por isso, foram visitar a diretora, a Sra. Lurline James.
“A nossa escola recebe crianças dos dois aos seis anos”, informou a Sra. James à mãe da Kenisha.
“Ficaremos muito felizes em ter a sua filha na nossa escola.” A Kenisha e a mãe ficaram felizes quando
souberam que a igreja Adventista lhe daria uma bolsa de estudos. A Kenisha também iria almoçar todos
os dias na escola gratuitamente e a sua mãe poderia participar regularmente no pequeno-almoço e na
meditação diária, com os professores e outros pais.
A Kenisha estava muito feliz na nova escola! Sentia-se segura, fez várias amizades, gostava da
professora, aprendeu a ler e escrever e, o mais importante, aprendeu que Jesus era seu amigo.
“Não Tenhas Medo!”
Certo dia, porém, quando a Kenisha chegou à escola, a Sra. James percebeu que havia algo de errado.
A Kenisha parecia muito triste e assustada.
“Há alguma coisa errada?”, a Sra. James perguntou gentilmente.
“Sim”, respondeu a Kenisha, e começou a chorar. “A minha avó morreu ontem. Tenho medo de que o
seu espírito volte esta noite para nos assombrar!”
“Não tenhas medo”, confortou-a a Sra. James. “Sinto muito pela tua perda, mas não precisas de ter
medo. ” A Sra. James entendia o problema, pois muitas crianças em Trench Town acreditam que, quando
uma pessoa morre, o espírito volta para assombrar os que ficaram.
“Olha”, continuou a Sra. James, “quando alguém morre, essa pessoa realmente morre. É como se
estivesse a dormir e só acordará quando Jesus voltar”.
“Isso é mesmo verdade?”, perguntou a Kenisha. “Então, não preciso de ter medo! A minha avó está
apenas a dormir!” A Sra. James assegurou-lhe que falava a verdade e convidou a Kenisha para que fosse,
com a mãe, visitar a igreja Adventista, no Sábado, pela manhã.
Muitas Bênçãos
Há muitos meninos e meninas em Trench Town que estão a aprender coisas importantes da Bíblia na
escola Adventista. A maioria vive abaixo da linha da pobreza e não consegue desfrutar de três refeições
diárias. Por isso, eles ficam ansiosos pelo almoço que recebem na escola.
Aos domingos, alguns alunos e suas famílias vão à “Casa Bom Samaritano”, que fica perto de Trench
Town, onde recebem outra refeição gratuita. Parte da oferta do Décimo Terceiro Sábado deste trimestre
ajudará as pessoas da “Casa Bom Samaritano” a receberem cuidados médicos e odontológicos, incluindo
uma cadeira odontológica para crianças!
Que, neste trimestre, sejamos generosos nas nossas ofertas, para ajudarmos as crianças da Jamaica e
do Belize. Agradecemos a tua colaboração!
Resumo Missionário
• A Jamaica é um país localizado numa ilha no Mar das Caraíbas. Tem 234km de comprimento e 80km
de largura no seu ponto mais largo.
• A população é de 2,8 milhões de pessoas, e o país recebe muitos turistas que desejam conhecer esta
bela ilha.
• Ao longo da sua História, a Jamaica é conhecida pela produção de açúcar.
12º Sábado, 20 de dezembro
Alimento aos Famintos
Já sentiste fome? Já passaste um dia inteiro sem comer? Dois dias? Três dias? Se isso realmente
acontecesse, o que farias?
Na pequena ilha da Jamaica, no Mar das Caraíbas, existem muitas pessoas que passam fome – meninos
e meninas, mães e pais, avós e avôs. Diariamente, eles acordam e não sabem se, nem quando, conseguirão
algo para comer.
Porém, certo dia, um pequeno grupo de Adventistas do Sétimo Dia decidiu ajudar as pessoas que
passam fome. Eles começaram por distribuir, uma vez por semana, algumas marmitas na hora do almoço,
em Kingston, a capital da Jamaica. Mais e mais pessoas começaram a aparecer e, em pouco tempo,
estavam a distribuir centenas de refeições. Eles compraram um prédio antigo próximo ao Círculo de
Heróis da Igreja Adventista do Sétimo Dia em Kingston. De seguida, reformaram o prédio e deram-lhe
o nome de “Casa Bom Samaritano”.
Deus abençoou grandemente a “Casa Bom Samaritano”. Atualmente, eles servem o almoço três vezes
por semana, a mais de 900 pessoas. Isso significa 48 mil almoços gratuitos por ano!
As pessoas sentem-se mais felizes, porque sabem que podem desfrutar de uma boa refeição quentinha.
Ali, também podem tomar banho, cortar o cabelo e lavar as suas roupas. Quando as mães e as crianças
passam por momentos difíceis, sabem que há camas disponíveis onde passar a noite.
Teto e Comida
A Janiel, de 12 anos, está muito feliz pela existência da “Casa Bom Samaritano”. “Eles ajudam-me em
muitas coisas”, diz. “Tenho seis irmãs e dois irmãos. Começámos a vir aqui quando não tínhamos um
teto para nos abrigar. Eles deram-nos comida e roupa. Também nos deram uniformes escolares e uma
mochila com materiais e livros!”
Quando não está na escola, a Janiel gosta de ajudar a servir o almoço às pessoas. Ela fala sobre o que
mais aprecia na “Casa”: “Ali, as pessoas tornam-nos amáveis. Quando pregam e falam sobre Deus é
muito interessante. E, algumas vezes, fazem-nos sorrir! E a comida é muito boa também.”
A Olívia tem onze anos e, há sete, frequenta a “Casa Bom Samaritano” com a sua mãe e as suas irmãs.
Ela gosta muito das programações de Natal e de aprender sobre Deus. Recentemente, foi batizada na
Igreja Adventista do Sétimo Dia Círculo de Heróis. “Se não fosse Deus”, ela diz, “não estaria na escola,
não teria acordado esta manhã nem teria um teto para me abrigar”.
Quando a Nema e a sua mãe foram à “Casa Bom Samaritano” pela primeira vez, ela era uma adolescente.
Hoje, testemunha: “Ao atravessar o portão, deixamos os nossos problemas para trás, porque aqui é um
novo começo! É um lugar de adoração, de paz e de encontrar ajuda. Este lugar tornou-se num lar, numa
família, num refúgio! Eu era muito tímida, mas aqui fui incentivada a sair da concha. Conversamos com
pessoas desconhecidas, com Deus, e aprendemos o que Ele pode fazer por nós.”
Do Dever Para a Felicidade
A primeira visita da Shade à “Casa Bom Samaritano” aconteceu porque ela precisava de cumprir uma
tarefa do Clube de Desbravadores. Essa tarefa envolvia assistência a pessoas necessitadas. Ela gostou
tanto que continuou a ajudar. “Sinto-me ótima!”, afirma. “Gosto mesmo muito de ajudar as crianças e os
adultos. Ajudo a servir a refeição, brinco com eles e, algumas vezes, lavo os seus cabelos.”
A Shade também dirige um círculo de oração para crianças da sua idade e relata-nos uma experiência:
“Uma menina contou-me alguns dos problemas que enfrentava, os quais eram parecidos com os meus.
No círculo de oração, orámos em favor dela e chorei com ela. Senti uma grande empatia e fiquei feliz
por fazer parte deste projeto.”
Tu também podes ajudar as crianças da “Casa Bom Samaritano”. Temos planos para abrir uma clínica
odontológica e a oferta deste Décimo Terceiro Sábado ajudará a comprar uma cadeira odontológica
que será usada somente pelas crianças. Podes ajudar, trazendo uma oferta especial no próximo Sábado.
Muito obrigado!
Resumo Missionário
• Em 2014, a população da Jamaica é de 2,8 milhões de pessoas.
• Todos os anos, mais de um milhão de turistas visita o país.
• A Jamaica tem oito espécies de cobras nativas, mas nenhuma é venenosa. Também é conhecida pelos
atletas famosos como Usain Bolt, Johan Blake e Shelly-Ann Fraser-Pryce.
• Na Jamaica, uma em cada nove pessoas é Adventista do Sétimo Dia. No Belize há um Adventista em
cada oito pessoas.
• Os membros das igrejas locais são muito ativos no evangelismo.
13º Sábado, 27 de dezembro
Teste Missionário
Narrador: Este trimestre, aprendemos muitas coisas sobre o povo da Divisão Interamericana. Hoje,
gostaríamos de fazer um teste com todas as pessoas da Igreja para descobrir se aprenderam tanto quanto
as crianças. As crianças farão as perguntas. Quem souber a resposta, levante a mão.
1: A Divisão Interamericana é composta por quantos países? (a) 12; (b) 31; (c) 42. [(c).]
2: A Divisão Interamericana tem mais de ______ milhões de membros. De todas as Divisões da Igreja
mundial, esta é a Divisão com a maior proporção de membros em relação à população. (a) 3.7; (b) 4; (c)
4.2; (d) 5.1. [(a).]
3: Na sua maioria, os países da Divisão Interamericana são banhados pelas águas do: (a) Oceano
Pacífico; (b) Mar das Caraíbas; (c) Golfo do México; (d) Golfo do México e Mar das Caraíbas. [(d).]
4: Que países receberão parte da oferta do Décimo Terceiro Sábado? [Belize e Jamaica.]
5: A pastilha elástica é originária de que país Interamericano? [Belize.]
6: Quais são os três principais idiomas falados na Divisão Interamericana? [Inglês, Espanhol e
Francês.]
7: Qual é o idioma oficial do Belize e da Jamaica? [Inglês.]
8: No Belize, qual é a percentagem de jovens na igreja? (a) 90%; (b) 70%; (c) 50%; (d) 40%. [(b).]
9: Qual o país mencionado ao longo deste trimestre que tem a percentagem de um Adventista para cada
grupo de nove habitantes? Qual o país que apresenta um Adventista para cada grupo de oito habitantes?
[Jamaica, 1 em 9; Belize, 1 em 8.]
10: Em que instituição da Jamaica será construída uma maternidade e uma clínica odontológica com
a ajuda da oferta do Décimo Terceiro Sábado? [“Casa Bom Samaritano”.]
11: Que país da Divisão Interamericana é conhecido por ter os atletas mais velozes do mundo?
[Jamaica.]
12: Esta é a bandeira de que país da Divisão Interamericana? [Jamaica.]
13: Que país da Divisão Interamericana tem oito espécies de cobras, mas nenhuma é venenosa?
[Jamaica.]
14: Esta é a bandeira de que país da Divisão Interamericana? [Belize.]
15: Em que país será construído um acampamento e um centro evangelístico com a ajuda da oferta de
hoje? [Belize.]
Narrador: Tradicionalmente, o Décimo Terceiro Sábado tem sido um momento especial. É nesse dia
que os Adventistas trazem uma oferta generosa para ajudar os campos mencionados durante o trimestre
a partilhar o Evangelho de Jesus. Um quarto da oferta de hoje, em todas as igrejas do mundo, será
destinado diretamente para apoiar os projetos no Belize e na Jamaica. Muito obrigado por apoiar os
projetos missionários!
[Ofertas.]

Documentos relacionados

Divisão Interamericana

Divisão Interamericana outras línguas também são faladas ali, incluindo uma mistura do inglês e crioulo, conhecido como Kriol, ou “Criolo Belizeano”, e espanhol. • Por mais de cem anos, Belize foi conhecida como “Hondura...

Leia mais

Boletim - Igreja Adventista do Sétimo Dia

Boletim - Igreja Adventista do Sétimo Dia 176 milhões de pessoas vivem nesta Divisão, dos quais mais de 3 milhões são Adventistas do Sétimo Dia. Aproximadamente uma pessoa em cada 58 é Adventista do Sétimo Dia. Este trimestre, destacamos h...

Leia mais