Lugares e dicas para curtir o frio em nosso país tropical

Сomentários

Transcrição

Lugares e dicas para curtir o frio em nosso país tropical
Ano 11 • Nº 50 • Jul e Ago/2014
Neve no
Brasil
Lugares e dicas para curtir o
frio em nosso país tropical
Boa vizinhança
harmonia ao seu redor
Inverno
lareiras para aquecer a sua casa
Criança e internet
que cuidados devemos ter
DAS MONTANHAS
DE MINAS NASCERAM
GRANDES HISTÓRIAS.
E UMA DELAS ESTÁ
COMEÇANDO AGORA.
Nova fábrica da Biomm.
A Biomm está começando a construir,
em Nova Lima, uma das mais
modernas plantas biofarmacêuticas
do mundo. Com a nova fábrica, o
Brasil volta a ser uma das poucas
nações que dominam todo o ciclo de
produção de insulina, medicamento
vital para o tratamento da diabetes.
A fábrica, que já obteve a licença de
instalação, está sendo construída em
total conformidade com as normas
ambientais, respeitando o ecossistema
e a comunidade vizinha.
Av. Regent, 705 – em frente ao Alphaville.
• Tecnologia totalmente desenvolvida no Brasil. • 300 empregos diretos.
• Sem emissão de poluentes atmosféricos, moderno sistema de tratamento
de efluentes líquidos e eficiente gestão dos resíduos sólidos.
Mais informações: (031) 3299 1000
QUEM SE
DEDICA
CRECI PJ3352 Fotos: Guilherme Horta
Fotos: Guilherme Horta
FAZ MELHOR
A Cândido de Sá Imóveis é a única
imobiliária que trabalha exclusivamente
com Alphaville Lagoa dos Ingleses.
Por isso, temos a maior rede de
clientes cadastrados e a maior carteira
de imóveis para oferecer.
Fale com nossos consultores antes de
fazer qualquer negócio. Avaliamos o
seu imóvel para venda e garantimos
o melhor investimento na compra.
Avenida Picadilly, 100 - Loja 118 - Center IV
Alphaville Lagoa dos Ingleses - Nova Lima/MG
(31) 3547-3266
PALAVRA DO PRESIDENTE
Ações em
andamento
rizado, o que conduz ao saudável. A
propósito, estamos contratando projetos de paisagismo, previstos no Orçamento, para o chamado “Lake Front
Park” e também para as rotatórias e
outras áreas do Empreendimento. E
também outro para tornar diferenciada a entrada 2 do Alphaville.
Estão tendo sequencia as diversas ações
planejadas para tornar o Alphaville cada
vez mais bonito, limpo, tranquilo, arborizado, saudável, civilizado, culto, seguro e
com ótimos serviços. Aliás, alguns já me
indagaram se não existem redundâncias nesse alinhamento de objetivos.
Respondo: existem sim e de propósito.
É para dar mais ênfase.
Assim para ser bonito, tem que ser
também, por exemplo, limpo e arbo-
A partir de tais projetos, vamos viabilizar
recursos financeiros e parcerias para sua
execução a partir de 2015. Para a entrada 2 haverá, ainda, a necessidade de entendimentos com o DNIT.
Para se alcançar os objetivos acima, precisamos aprimorar a governança da AG
e modernizar sua gestão. Nestes dois
aspectos, seguem os trabalhos para a
reforma do Estatuto e começa a ser colocada em prática a cooperação com a
Fundação Dom Cabral.
Já nos serviços, cuida-se agora de introduzir melhorias no transporte executivo, com o aplicativo para permitir
ao usuário o mapeamento da localização das vans e, em breve, a introdução, nos veículos, de dispositivos para
impedir o acesso de pessoas não credenciadas. Lembrando que nossa população estará passando rapidamente
de 2.500 para 5.000 habitantes, com
todas as consequências e demandas
daí advindas, o que impõe, cada vez
mais, que a AG deva se encaminhar,
aceleradamente, para a maior eficiência e eficácia de sua atuação.
Para tanto, a participação e cooperação
de todos é essencial.
Com meus cumprimentos,
Engº Abílio dos Santos
Diretor Presidente
EXPEDIENTE
A AlphaVida é uma publicação editada pela Associação Geral
Alphaville Lagoa dos Ingleses, direcionada aos moradores, proprietários, empreendedores, associados, lojistas e parceiros.
Associação Geral Alphaville
Lagoa dos Ingleses
Av. Picadilly, 55 - A | Lagoa dos Ingleses
BR 356, Km 29 | Nova Lima/MG
CEP: 34.000-000
Tel.: (31) 3547-3020 / Fax: (31) 3547-007
www.alphavillemg.com.br
Diretoria Executiva AG
Abílio dos Santos – Diretor Presidente
Roberto Ricardo Amado – Diretor Administrativo
Bernardo Ávila de Oliveira – Diretor Técnico
Bernardo da Cunha Pereira – Diretor de Relações Institucionais
Comunicação:
Ricardo Gioia
Tel.: (31) 3547-3020
Comentários ou sugestões
de matérias:
[email protected]
4 • AlphaVida
Projeto e Organização
Editora Identidade
Direção Geral
Nicolas Lovisolo
Edição e Direção de Jornalismo
Isabella Líbero
Colaborador
Ramon Cotta
Fotografia
Glenio Campregher
Banco de Imagens da Alphavida
Shutterstock
Projeto Gráfico
Marcela Alvarenga | Identidade
Designer
Marcela Alvarenga
Revisão
Milena Gallerani Souza
Jornalista Responsável
Isabella Líbero
Contato Revista
Editora Identidade
(31) 2555-2004
ÍNDICE
06
12
06
CAPA
Neve no Brasil?
09
ACONTECE NA AG
10
VIZINHOS
Vizinhança nota 10
12
TENDÊNCIA
Geração conectada
CENTRO DE COMPRAS 16
GIRO PELOS ASSOCIADOS 18
LAREIRA 20
O aconchego das lareiras
EVENTO 23
JURÍDICO 24
MEIO AMBIENTE 26
Não abandone os animais
20
AlphaVida • 5
EXPEDIENTE
COPA
?
l
i
s
a
r
B
o
n
e
Nev
E
ngana-se quem pensa que o frio
é sinônimo apenas de ficar debaixo do cobertor dentro de casa.
Pegar a estrada e conhecer lugares especialmente preparados para o inverno é uma excelente opção para deixar
essa época do ano mais prazerosa. A
neve, apesar de ser um fenômeno não
tão presente em países tropicais, ocorre em raras oportunidades no Brasil e
acaba se tornando uma das maiores
atrações turísticas nesta estação fria.
No Brasil, esse fenômeno meteorológico normalmente sucede nos meses
de junho, julho e agosto, mas há registros de nevadas precoces nos meses
de abril, e também nevadas tardias.
Em São Francisco de Paula, Rio Grande do Sul, por exemplo, houve neve,
em outubro de 1999 e 2006. A mais
forte neve já vista em terras brasileiras
ocorreu na cidade gaúcha de Vacaria,
em agosto de 1879, quando a neve
acumulou cerca de dois metros.
A ocorrência da neve normalmente
6 • AlphaVida
se dá nos estados do Rio Grande do
Sul, Paraná e Santa Catarina, regiões
das mais frias do país. No ano passado, mais de 87 cidades brasileiras
registraram nevadas. Para nevar é imprescindível que a temperatura esteja
próxima de zero graus, com muita
umidade e pouco vento. Edson Suarez Furst, empresário e dono da Isotur
viagens e turismo, conta que a principal atração turística da cidade de São
Joaquim, em Santa Catarina, é esse
fenômeno da natureza. ‘‘Esse município é considerado a cidade mais fria
do Brasil e mais visitada da Serra Catarinense. Em Gramado, no Rio Grande do Sul, as temperaturas chegam
abaixo de zero graus, podendo ocasionar neve também’’, avisa.
Até o estado de Minas Gerais possui fortes geadas nas regiões central,
oeste e sul. Os casos mineiros são no
Pico da Bandeira, em julho de 1911 e
2012, e também nas cidades de Pedralva, Monte Verde e Itajubá, onde
já foram observados flocos de neve.
Mas Santa Catarina lidera e é o estado
brasileiro onde o fenômeno acontece
com mais frequência por causa do seu
planalto sul. As paisagens com névoa,
neve e geada são marcas atrativas do
início do inverno na região Sul.
A ALPHAVIDA separou as cidades brasileiras onde a ocorrência de neve é
mais comum e acabaram se tornando
centros turísticos nesta estação fria.
Serra Gaúcha
Bom Jesus
Cambará do Sul
Canela
Gramado
São Francisco de Paula
São José dos Ausentes
Serra Catarinense
São Joaquim
Urubici
Urupema
Bom Jardim da Serra
Alagados
Lages
Viajar no frio é uma
boa dica
A previsão é que o inverno brasileiro
não seja tão rigoroso quanto em 2013,
mas isso não diminui o encanto dos
municípios, que atraem turistas nos dias
gelados. O Brasil não se destaca apenas
pelas lindas praias e clima tropical, suas
regiões serranas têm recebido ada vez
mais visitantes. ‘‘As mais procuradas cidades brasileiras de inverno oferecem a
combinação do frio, bons vinhos, fondue, pousadas estilosas, restaurantes renomados, chocolates artesanais e uma
bela paisagem cercada de montanhas e
neblina. E assim, fazem com que cada
vez mais, não só os casais apaixonados,
mas muitas famílias e turma de amigos
procurem estes destinos para aproveitarem o friozinho do meio do ano’’, diz
Marina Wanner, do Grupo Artha.
Segundo Marina, algumas sugestões
de viagem são Bento Gonçalves (RS),
Teresópolis (RJ), Urubici (SC), Gonçalves
(MG), Cunha (SP), dentre outros. ‘‘O importante é sabermos aproveitar o nosso inverno, que também oferece, nos
quatro cantos do país, todo charme e
conforto, nos proporcionando a mesma
elegância e prazeres das famosas cidades européias e andinas’’, enfatiza.
Felipe Dias, gerente de planejamento de
viagens e produtos da Master Turismo,
realça que Campos de Jordão é o des-
Gramado Master Pal
ace
tino mais cobiçado pelos brasileiros na
época do inverno porque é charmoso e
com farta opção gastronômica. ‘‘Nesse
período a cidade fica muito cheia e agitada por causa do badalado festiva, que
traz músicos internacionais e nacionais
de muito bom gosto. Normalmente é
procurado por grupos de amigos que
querem se divertir, já que o local reúne
o melhor jet set do Brasil’’, recomenda.
Gramado, nas Serras Gaúchas, é uma
outra cidade também demandadas
no inverno por famílias e que a Master Turismo oferece um pacote especial, de acordo com Felipe. O gerente
da empresa conta que de junho até
agosto, Gramado tem desfiles com
bonecos gigantes e atrações intitula-
das ‘Serenatas de Inverno’ e ‘Esquinas
Culturais’, com apresentação de artistas locais, além de possuir diversas
atividades de entretenimento para
família, museus, parques ecológicos
lindíssimos e muita atividade animada.
‘‘O destino também é romântico para
casais curtirem o frio, aconchego e prazeres. Podem começar o dia com um
café colonial, uma infinidade de bolos,
pães caseiros, geléias, queijos, frios,
tortas doces entre outras guloseimas.
Os casais também não devem perder a
oportunidade de desfrutarem os chocolates caseiros, fondues e massas italianas. Podem curtir a viagem fazendo
passeios a pé, apreciando a arquitetura
da cidade. Outro programa imperdível
é visitar algumas vinícolas, conhecendo
o processo de fabricação e degustando bons vinhos’’, alerta Felipe.
Segundo Edson Suarez Furst, dono da
Isotur, para quem deseja curtir o inverno entre amigos o destino indicado é
Curitiba. ’’É um dos destinos culturais
brasileiros mais procurados para quem
busca lazer e entretenimento. Conta
com diversas atrações turísticas, além
de parques, bosques e praças’’, comenta. Edson também enfatiza a cidade de
Canela, pelas belas paisagens e por fazer parte do Circuito Turístico da Serra
Gaúcha é o segundo destino mais procurado pelos turistas no inverno.
COPA
A pedido da AlphaVida, Marina Wanner, consultora de Intercambio e Turismo do Grupo Artha, sugeriu as
cidades brasileiras que mais investem neste tipo de turismo sazonal e que cada vez mais atrai visitantes.
Gramado (Rio Grande do Sul):
Localizada na Serra Gaucha, na região das Hortênsias, essa cidade
é famosa por atingir temperaturas abaixo de 0º C e pela conservação da cidade, impecavelmente limpa e florida durante todo ano.
Além disso, Gramado é sede do Festival de Cinema no mês de
Agosto, que atrai turistas do Brasil inteiro interessados em conhecer essa charmosa cidade de colonização italiana e alemã. Gramado é um ótimo destino para viajar em família, pois oferece várias
opções de passeios externos e diversão para crianças e jovens.
Guaramiranga (Ceará):
É a menor e mais aconchegante cidade do estado do Ceará. Com
menos de 5 mil habitantes e localizada a quase 900 metros de altitude, Guaramiranga, consegue trazer para o coração do Nordeste
um clima frio e acolhedor, que no inverno se torna bastante atrativo para os turistas dessa região do país. A paisagem proporciona
um clima úmido e vegetação típica de mata atlântica intensificada
pelas cores das flores nativas da região, que surpreende seus visitantes com uma visão diferente do Ceará. A cidade vem cada
vez mais fomentando o turismo através de festivais de música e
gastronomia e diversos eventos de cunho cultural. Com parques e
cachoeiras, Guaramiranga, pode ser aproveitada por famílias que
apreciam convívio mais próximo à natureza.
Petrópolis (Rio de Janeiro):
A cidade escolhida por Don Pedro II para seus retiros de verão,
hoje é um famoso destino de inverno não só para os cariocas,
mas para todos que se encantam com o clima imperial e com
o visual inesquecível da Serra dos Órgãos. A elegante Petrópolis,
considerada a cidade mais segura do estado do Rio de Janeiro e
a sexta cidade mais segura do Brasil, conserva o seu carácter histórico de grande relevância na evolução do nosso país e incentiva
as movimentações de arte, cultura e lazer para atrair cada vez os
olhares dos turistas de todas as idades que se interessam pelo frio
e charme dessa região serrana envolvida pela Mata Atlântica.
8 • AlphaVida
Monte Verde (Minas Gerais):
A linda e romântica cidade convida os apaixonados a passarem pelo menos um final de semana na encantadora Monte
Verde. A quase 500 km de distância de Belo Horizonte e a 200
km de São Paulo, é possível garantir que vale a pena pegar a
estrada para conhecer um dos pontos mais altos da Serra da
Mantiqueira. O clima frio, que chega atingir temperaturas baixíssimas contempla a cidade nas manhãs de inverno com o sol
que costuma se levantar em meio a uma paisagem totalmente
recoberta de gelo, produzindo um visual fantástico! A arquitetura reproduz as cidades coloniais europeias, o que levou os
turistas a apelidarem Monte Verde de “Suíça Mineira”. O turismo ecológico e gastronomia se destacam como as principais
atrações da cidade, além de pousadas muito charmosas, que
muitas vezes oferecem lareiras e hidromassagem dentro dos
quartos, para garantirem conforto e privacidade aos hóspedes.
Domingos Martins (Espirito Santo):
A 42km de Vitória, esconde-se essa romântica e bucólica cidade capixaba. Localizada na base da lindíssima Pedra Azul,
formação rochosa de 1.822 m com coloração azulada que
varia ao longo do dia de acordo com a incidência da luz solar.
Cercada por belezas naturais, Domingos Martins, preserva a
cultura europeia advinda da colonização italo-alemã, através
das construções típicas, da gastronomia, das festas folclóricas
e do friozinho serrando que agregado ao charme das pousadas e as belas paisagens faz dessa região uma das preferidas
dos casais em busca de um clima de lua de mel.
Campos do Jordão (São Paulo):
A menos de 3h da capital paulista, na Serra da Mantiqueira, essa
cidade revolucionou turismo sazonal brasileiro com o maior Festival de Inverno da América Latina. Romântica e ao mesmo tempo
cosmopolita, Campos do Jordão além das lareiras e fondues para
os apaixonados é também famosa pelas baladas e pelo clima de
paquera que toma conta dos bares abertos da cidade. Todo requinte e glamour do centro urbano mais alto do Brasil podem ser
contemplados também nas lojas de grife e filiais de restaurantes
estrelados que ficam espalhados pelas ruas e shoppings da cidade.
ACONTECE NA AG
Poda de
Árvores
O
s grandes benefícios da
arborização, como diminuição da poluição sonora, sombreamento, ambientação
à permanência dos pássaros, absorção de poeiras e sólidos em
suspensão, entre outros, fazem a
Associação Geral levar o assunto
a sério. E, por isso, realizamos no
mês de junho a poda e limpeza das
árvores em todo o Complexo.
A poda de árvores tem como principal objetivo dar equilíbrio à copa
e adequá-la ao espaço disponível,
permitindo um crescimento adequado da espécie. Além disso, a
protege ao retirar galhos danificados ou com o ataque de erva de
passarinho.
Nova
F
Identidade
Visual
oi iniciado no fim de abril o processo de
troca da identidade visual do Alphaville
Lagoa dos Ingleses. Nosso condomínio
voltou a fazer parte da rede Alphaville Urbanismo S/A, junto com empreendimentos espalhados por 21 estados brasileiros. São mais de
40 anos de história com projetos que reúnem
infraestrutura e urbanismo de qualidade superior e consciência ambiental.
O retorno a esse grupo tão seleto é uma marca importante para o nosso condomínio, que
ganha maior visibilidade e valorização. A nova
identidade visual é mais bonita e moderna, seguindo as principais tendências do mercado.
A troca da marca será realizada aos poucos e
poderá ser vista pelo complexo já nos próximos meses.
AlphaVida • 9
VIZINHOS
EXPEDIENTE
nota10
Vizinhança
H
á quem diga que um bom vizinho é tão importante como
gente da família. Quem nunca precisou da ajuda de quem mora
ao lado para pedir aquela olhadinha básica na casa enquanto viaja,
para alimentar os animais ou para
emprestar um ingrediente que acabou na hora de preparar a refeição?
Necessidades como essas acontecem com frequência e mostram a
importância de cultivar uma relação
harmoniosa com as pessoas que
moram ao nosso redor.
A advogada Sílvia Judice realça que,
quando se vive em um condomínio
fechado, é muito admirável ter um
10 • AlphaVida
bom relacionamento com os vizinhos.
‘‘As habitações no Alphaville não têm
muros, e você está em contato com
a vizinhança sempre que sai de casa,
vai aos aniversários, festas, reuniões
ou até mesmo quando vai molhar
o jardim. As crianças também são
muito próximas, a maioria estuda na
mesma escola e estão sempre umas
na casa das outras. Toda essa proximidade requer uma boa convivência,
para que se mantenha um ambiente
agradável e de paz’’, destaca.
Silvia mora no Alphaville há cinco
anos e conta que, em função de o
condomínio ser afastado da cidade,
é comum haver situações em que
um precisa do apoio do outro, seja
para socorrer alguém de sua família quando não estiver em casa ou
revezar para levar as crianças aos
lugares. Para ela, que tem pais idosos morando perto, filho pequeno e
cachorros, é importante ter vizinhos
com os quais possa contar quando
não estiver presente.
A advogada cita um exemplo de boa
vizinhança que ocorreu quando a mãe
dela se acidentou na rua e precisou
ser levada ao hospital. ’’Minha mãe
tem 75 anos, mora no mesmo condomínio que eu e, um dia, ao voltar do
Mall para casa a pé, se desequilibrou
e caiu, fraturando o pulso. Ela estava
sozinha, mas, na mesma hora, uma
vizinha que estava passando de carro
a reconheceu e parou para socorrê-la.
Essa vizinha foi fundamental para um
socorro rápido, levando minha mãe
imediatamente para o pronto atendimento’’, descreve.
Ao mudar para uma nova casa, nunca se sabe quem iremos encontrar,
a única certeza é que teremos vizinhos. Por isso, o engenheiro Marcus
Emrich, morador do Alphaville há
quatro anos, enfatiza que, dependendo da forma de olhar, vizinhos
podem ser amigos ou inimigos em
potencial. ’’É claro que podemos
tentar ignorá-los, mas isso seria
uma triste perda de oportunidade. A
proximidade física entre pessoas dá
oportunidade a conflitos e também
a bons momentos sempre agradáveis para quem souber vivê-los. Há
gente de todo tipo, com os mais diversos interesses e manter um bom
relacionamento com eles permite,
no mínimo, a criação do clima que
nos ajuda a acertar nossos conflitos
e aproveitar a riqueza da convivência
entre pessoas diferentes’’, narra.
De acordo com o engenheiro, os benefícios de ter uma agradável relação com a vizinhança podem vir, por
exemplo, como a ajuda com obras,
através de empréstimo de materiais
e indicação de profissionais, o apoio
mútuo em situações de risco de saúde e segurança, o compartilhamento
da produção de hortas caseiras e as
caminhadas em grupos.
Para o analista de sistemas Fernando Fatureto, morador do Alphaville,
as casas convidam a uma boa convivência entre vizinhos. ’’Morando
em apartamentos por anos você não
passa de um “bom dia” no elevador.
Em um condomínio de casas o relacionamento é mais natural, simplesmente acontece e isso é fantástico.
Ter uma boa relação com seu vizinho
é uma grande chance de ganhar um
amigo, seja para praticar um esporte, bater um papo enquanto os ani-
mais de estimação passeiam ou tomar uma cerveja’’, comenta.
O representante Comercial, José
Carlos Bonfatti Cardoso, reafirma
que somente coisas positivas podem
acontecer quando se relaciona bem
com seus vizinhos. ‘‘Mudei para o
Alphaville ano passado, e é impressionante como neste curto espaço
de tempo formamos um grupo de
pessoas tão presentes no nosso dia
a dia, que mais parece um reencontro de velhos e queridos amigos. E
o mais importante é que deste bom
relacionamento, surgiu a turma de
caminhada das mulheres e os passeios com os respectivos cachorros
de estimação’’, cita.
O bom relacionamento social promove o crescimento do indivíduo e
do grupo através da troca de experiências, da criação de oportunidades, da redução do sofrimento e da
multiplicação das alegrias, segundo o
economista Roberto Ricardo Amado,
morador do Alphaville há 10 meses.
’’Abordando o tema sob o aspecto
teórico podemos alegar que, assim
como a maioria dos animais são gregários e procuram no bando o estabelecimento de uma associação benéfica e protetora, o homem é um ser
social por excelência e que procura
e obtém no relacionamento com os
seus semelhantes o bem estar sob os
mais diversos matizes’’, explica.
Para Roberto a convivência não é simples, e sim, um desafio constante e
metódico de procurar a todo o instante a harmonia através do respeito às diferenças existentes em cada
indivíduo. ’’Cada ser humano é um
universo de diferenças porém, para
se viver bem, necessita do contato e
da vivência com os outros. Conviver
é um aprendizado constante onde os
momentos de júbilo se alternam com
discussões que muitas vezes contribuem para a quebra da harmonia,
mas a ciência do bom relacionamento está ancorada na tolerância e na
capacidade de perdoar’’, aconselha.
Encontros
Colocar a conversar em dia, saborear boa comida e bebida e promover
a união dos vizinhos são algumas
das propostas da Confraria “Sem
Frescura”, que ocorre no condomínio Alphaville. Tudo começou durante a caminhada dos residentes
Marcus Emrich e Fernando Fatureto com seus respectivos cachorros.
‘‘A ideia era reunir os vizinhos para
tomar algumas cervejas, comer alguns tira-gostos e jogar conversa
fora. Nós certamente incluímos
as esposas nesses encontros e, na
época, decidimos que cada um de
nós ficaria responsável pela primeira escolha dos vizinhos que iriam
participar. Como eu e ele somos de
diferentes gerações, o grupo formado refletiu isto, e é composto por
jovens e “velhos”, o que sempre é
legal’’, descreve Marcus.
Fernando teve a ideia da confraria
através de uma experiência similar
de um amigo da sua cidade natal,
Foz do Iguaçu. “Quando me contaram sobre a confraria gastronômica que faziam no condomínio logo
pensei em criar uma dessas. Alguns
anos depois, recém havia mudado
para o Alphaville e comentei com
o vizinho de iniciarmos a Confraria
Sem Frescura, que surgiu pela minha paixão por cerveja e a grande
vontade de conhecer quem morava ao lado”, explica Fernando, que
também avisa que agora em julho,
possivelmente, os encontros serão
focados em vinhos, para aproveitar
essa temporada do inverno.
Atualmente, a confraria conta com
dez casais e as reuniões, que eram de
15 em 15 dias, agora ocorrem uma
vez por mês. A regra é de revezamento, cada encontro na casa de um,
sendo que o dono da residência fica
responsável pelo “comes” e os convidados pelos “bebes”. ’’A ideia foi um
sucesso, pois tenho a certeza de que,
hoje, todos nós somos mais do que
vizinhos’’, encerra Marcus.
AlphaVida • 11
TENDÊNCIA
Geração
conectada
12 • AlphaVida
F
acebook, Twitter, Instagram,
Snapchat e jogos: esses são alguns exemplos online que faz a
criançada cada dia mais ficar conectada. A tecnologia está tão presente na
vida infantil, que os nascidos depois
de 2010 são chamados de geração
Alpha, por interagir com a tecnologia
desde o nascimento. Segundo uma
pesquisa da AVG Technologies, 57%
das crianças de até cinco anos sabem
usar aplicativos em smartphones,
mas somente 14% sabem amarrar os
sapatos. O estudo também apontou
que 58% das crianças sabem brincar
com um jogo de computador, enquanto 43% conseguem andar de
bicicleta e apenas 20% sabem nadar.
A psicóloga Bruna Valdez Bizzotto enfatiza que é importante ter em mente, que a tecnologia, antes de tudo, é
uma ferramenta. O seu uso pode ser
tanto benéfico quanto prejudicial, a
depender do tipo de relação que estabelecemos com ela. ‘‘Quando falamos
sobre os riscos pertinentes ao uso que
as crianças fazem da internet e de outros recursos informáticos, devemos
nos remeter ao tipo de educação que
podemos dar a essa criançada, que já
nasce imersa em um mundo virtualmente conectado. Não podemos esperar que a criança identifique por conta
própria se o tempo que ela passa online
ou brincando no tablet é excessivo, por
exemplo, ou se o tipo de conteúdo que
ela acessa é apropriado ou não’’, fala.
É essencial que os pais orientem seus
filhos sobre a utilização adequada da
tecnologia, atentando para o comportamento da criança em relação
aos dispositivos virtuais e estipulando
limites. A internet, por proporcionar
acesso a todo tipo de informação e
recursos, pode ter ferramentas benéficas para o desenvolvimento cognitivo da criança de acordo com Bruna.
Mas ao mesmo tempo, justamente
pelos mesmos motivos, ela viabiliza
o acesso a conteúdo inapropriado e,
portanto, deve ser monitorado.
‘‘Monitorar as atividades virtuais da
criança não significa acessar seu histórico de navegação, significa demonstrar interesse por aquilo que ela faz e
até mesmo, compartilhar de seus passatempos. A tecnologia pode ser usada como mais um canal de comunicação entre pais e filhos, mais um hobby
a ser discutido ou um jogo virtual a ser
disputado em família. A proximidade
dos pais aos filhos é o elemento chave para que a criança seja educada de
forma a fazer um uso positivo dos dispositivos digitais’’, destaca Bruna.
Cláudia Quadros, professora universitária e mãe do garoto Iago de 11 anos
de idade, conta que o filho pertence à
geração que nasceu com computador
conectado. ‘‘Desde os 2 anos de idade
ele acessa jogos educativos on-line. No
início, eu mesma colocava nos sites que
oferecem estes jogos. Navegava com
ele, sempre falando dos problemas que
poderia encontrar na internet. A partir
do momento que já tinha autonomia
para navegar sozinho, ele já estava preparado. Hoje algumas escolas também
ajudam nesta orientação’’, elucida. Segundo a professora a navegação do
filho se limita aos jogos online e pesquisas escolares. Ela diz que Iago tem
até um perfil no Facebook, mas não faz
muito uso dele. “Já expliquei sobre todos os problemas que poderia encontrar nas redes sociais digitais. Sempre
digo que ele deve responder apenas as
pessoas que conhece. O seu círculo de
amizade virtual é limitado, formado por
amigos e parentes que também sigo’’,
observa. Cláudia também impõe limite
de horas, para que ele possa estudar e
brincar com outras atividades.
A Internet é um local onde as crianças
se deparam com uma imensa oportunidade educacional, entram em contato
com as diversidades do mundo, aprendam ou simplesmente se divertem. Os
pais precisam ficar atento, pois a vida
virtual é igual ao mundo real, e é possível encontrar alguns perigos.
Cláudia acredita que talvez tenha que
se preocupar mais quando Iago chegar na adolescência, pois seus interesses serão outros, no entanto, acha
que o diálogo sempre é a melhor solução para orientar o filho sobre os
problemas que ele pode encontrar na
internet ou na esquina de casa.
A professora explica que não utiliza
nenhum mecanismo para impedir a
navegação do filho a determinados
sites na internet, já que uma rápida
pesquisa no histórico do navegador é
possível afirmar o que ele realmente
acessa. ‘‘Tenho também senhas de e-mail, Facebook e outros portais de
jogos on-line dele. Não leio seus e-mails, mas o meu filho relata as informações estranhas que chegam em
sua caixa de entrada. Normalmente,
são spams’’, comenta.
De acordo com a mãe de Iago, o uso
da internet pelas crianças possui lados positivos e negativos. Os positivos seriam que o uso da tecnologia
desenvolve o raciocínio, criatividade,
capacidade de comunicação escrita
e falada, além de promover acesso
a culturas e conteúdos variados. ‘‘Se
antes para fazer um trabalho escolar
era necessário ficar limitado a informação trazida na enciclopédia que a
família tinha em casa ou visitar uma
biblioteca mais próxima, hoje a criança tem muito mais conteúdo sobre o
tema pesquisando na internet. Na escola e em casa, procuramos mostrar
que nem todas as fontes podem ser
consideradas’’, lembra.
Já os pontos negativos para a Cláudia
seria o excesso de navegação e acesso a conteúdos duvidosos. ‘‘Acredito
que os benefícios são maiores. Sempre que surge um meio de comunicação há muita discussão sobre a sua
influencia na educação das crianças.
Foi assim com a televisão e tem sido
assim com a internet. Devemos alertar sobre os problemas, mostrando
exemplos’’, adverte.
AlphaVida • 13
TENDÊNCIA
Vida virtual na sociedade real
A psicóloga Luciana Mendonça, é mãe
de um menino de 6 anos de idade e
conta que o filho utiliza a internet apenas para baixar jogos, mas ela precisa
autorizar antes. “Nunca baixo jogos
que não são livres, mesmo que ele insista com “meu coleguinha da escola
tem”. Ainda quanto ao uso, procuro
que ele tenha rotina normal e incluo
outras brincadeiras mais tradicionais.
Deixo sempre ao alcance lápis, papel,
bonecos, carrinhos e livrinhos para incentivar outras atividades’’, diz.
A psicóloga recomenda aos pais buscarem a respeitar a classificação indicativa
dos filmes online e jogos. “A criança ainda está em formação de seu caráter, de
seus conceitos e crenças. E é brincando
ou jogando que ela vai treinando estes
valores. Deixar a criança livremente na
internet, geralmente em games, é deixar que as industrias eduquem os seus
filhos. Então, de repente, ele aprende
que é melhor quem bate mais, quem
explode mais, quem consegue se dar
bem independente dos meios’’, alerta.
Luciana realça que a internet dá um
conhecimento rápido às crianças
e não se pode ignorar o fato que o
mundo hoje já é totalmente digital.
“A gente precisa desta tecnologia
cada vez mais. Mas o acesso livre para
crianças acho contra indicado, obviamente pelos conteúdos inapropriados
que estão disponíveis’’, opina.
Segundo Luciana é importante deixar
os filhos aprenderam a usar a tecnologia, porém reforça a relevância de viver em um mundo real, com gente de
verdade. “Observo que a família atualmente sai e as vezes
os filhos estão na
mesa cada um no
seu celular. Acon-
selharia que preservassem estes momentos em família pelo menos. Force
a interação’’, recomenda.
Ela cita ainda um exemplo positivo
que a internet e os aplicativos podem
oferecer. “Esta semana meu filho descobriu um aplicativo que ensina a tocar instrumentos musicais e ele adorou. Acabou que me pediu para fazer
aula de piano. Eu não teria tempo de
mostrar estes instrumentos para ele,
mas a internet me fez isso’’, explica.
Educação offline
Educar sem o uso da tecnologia em
pleno século XXI não é uma utopia, e
sim, uma realidade em muitas escolas.
Através da pedagogia Waldorf, essas
instituições de ensino preservam boa
parte do tempo e do espaço para as
crianças explorarem livremente atividades lúdicas e investem nas brincadeiras. O ato de brincar ajuda o desenvolvimento integral dos alunos,
para que trabalhem não apenas o lado
intelectual, mas também o emocional
e o social. Tudo isso com um detalhe:
sem qualquer tipo de aparato tecnológico e com muita música, pintura,
literatura e artesanato, por exemplo.
os impulsos do mundo contemporâneo onde a velocidade da informação
oferecida é muito rápida e o excesso da relação do ser humano com o
mundo virtual é demasiado.
‘‘Na pedagogia Waldorf, os primeiros
sete anos o foco é no brincar e na imitação. Então a professora é um modelo a ser imitado, como os pais também. Assim professora cuida daquela
sala como se fosse uma casa, preparando um lanche comum para todos
os alunos, cuida do jardim, produz algum brinquedo, mas tudo com material mais natural possível’’, explica.
Margrethe Skou Larsen, que já trabalhou em escolas e jardins Waldorf na
Alemanha e no Brasil e dar diversas
palestras sobre o tema, destaca que a
essência desse segmento de pedagogia é a sua orientação pela observação
da criança. Com base na Ciência Espiritual Antroposófica, os praticantes da
Walford acreditam que a criança, principalmente nos sete primeiros anos de
vida, precisa da presença de adultos
que possam servir como exemplos.
Clarissa Haddad, psicóloga que trabalha com aconselhamento de pais
de crianças de zero a sete anos, optou para o filho de seis anos de idade
a Waldorf, pois enxerga neste tipo de
educação uma possibilidade de frear
A psicóloga realça que essas atividades,
como a criança subir numa árvore ou
escutar um conto de fada, resgatam
o que é correspondente da infância e
não entra nessa sociedade descomedida que vivemos. ‘‘A meu ver é o natural
‘‘É claro que em relação a isto não
há diferença entre professores e pais.
Todos os adultos que convivem com
a criança são os seus educadores no
sentido de exercer, querendo ou não,
um impacto formador sobre ela. O
das crianças brincarem, experimentarem
e conhecerem a autonomia do próprio
corpo através do próprio tempo’’, diz.
quanto mais jovem a criança, mais forte este impacto’’, enfatiza Margrethe.
Clarissa também reforça que os pais
querem exigir das crianças, mas não
são modelos coerentes. ’’Os responsáveis têm que assumir os exemplos. Na
hora da refeição não usar telefone, nem
computador e televisão ligados. Incenti-
var a relação cara a cara’’, sugere.
De acordo com ela, além de investir
na instrução dentro de casa, os pais
devem observar as outras influências
externas e é imprescindível investigar
como as escolas estão aplicando as
tecnologias. ’’A criança é muito aberta
nos primeiros anos de vida e filtra tudo
Consequencias da tecnologia
Margrethe alerta que as novidades tecnológicas aparecem no mercado em
velocidade cada vez mais acelerada e
estão sendo, normalmente, oferecidas
para as crianças sem investigação prévia. A profissional compara esta relação
atual com a tecnologia com o uso cigarro nos meados do século passado.
A dica principal da Margrethe para os
pais é ir atrás da informação e buscar
entender os aparatos tecnológicos antes de oferecê-las para os filhos. ’’Oferecer vivências reais para as crianças,
na natureza e dentro de casa, esta é a
chave para um desenvolvimento saudável para as crianças’’, destaca.
’’É só assistir um filme dos anos 50.
Como o pessoal fumava. Hoje, graças
ao despertar da humanidade, isto não
é mais possível. Tenho a impressão que
algo parecido vai acontecer em relação
ao computador, tablete, smartphone
Agora esta tecnologia está sendo usada sem discernimento. Os efeitos colaterais vão aparecer aos poucos e aí vai
haver uma conscientização na base da
dor e com isto, provavelmente, uma
mudança de conduta’’, opina.
Para finalizar, Margrethe confia que
ainda o mundo ainda não se tornou
totalmente digital e conectado. ’’Espero que o bom senso entre em ação
para que isto não aconteça. Pois afinal, a tecnologia veio para servir ao ser
humano e não o ser humano à tecnologia. Na medida em que oferecem
oportunidades para as crianças onde
elas podem viver a vida real em cheio,
todos os danos que a tecnologia pode
causar serão amenizados’’, encerra.
o que ocorre ao redor dela. E os pais
são os responsáveis para cuidar desse
ambiente. Nos dois primeiros anos o
mínimo de tecnologia é o ideal, pois
isso tem impacto no sistema neurológico das crianças, que pode gerar depois um déficit de atenção. A televisão
é um estimulo visual e auditivo alto
para o cérebro infantil’’, realça.
Compartilhe as dicas
1. Acompanhe as amizades de
seus filhos.
2. Estimule seu filho a navegar em
sites seguros e divertidos para a
sua idade.
3. Antes que a criança entre no
mundo digital, converse com ela
sobre os perigos, ensina sobre o
que é seguro e o que não se pode
compartilhar.
4. Defina quanto tempo e em
qual momento do dia é ideal para
seu filho ficar conectado.
5. Bloqueie conteúdos impróprios
relacionados a sexo, drogas, entre
outros. Muitos programas possuem ferramentas para isso, por
exemplo, o SafeSearch, do Google.
6. Oriente seu filho a não fornecer
para estranhos informações pessoais, como endereço, telefone,
nome da escola em que estuda,
nome dos pais e a placa do carro
da família, por exemplo.
7. Ensine seus filhos a desconfiar
de links, que podem conter vírus.
8. Preste atenção na indicação de
idade apropriada para cada jogo.
9. Alerte seu filho que não se deve
combinar encontros com alguém
que se conheceu através da internet.
10. Desperte outras atividades
independentes dos amparados
tecnológicos.
CENTRO DE COMPRAS
Alphaville Mall
Informe-se sobre as novidades do mais charmoso centro de compras da
região e aproveite para conhecer o Mall!
Sahtten
Inaugurado em maio, o restaurante Sahtten oferece a seus clientes o
melhor da culinária árabe: quibes, esfihas, kafta, tabule e demais iguarias.
Durante a semana, o Sahtten oferece
almoço com comida mineira. A partir
de Agosto, o restaurante funcionará
também às sextas e sábados à noite.
Funcionamento: Terça a Sexta, das
12h às 15h (comida mineira). Fins
de semana das 10h às 16h.
Center III – Loja 123
Tel.: 31 3372-7633
16 • AlphaVida
Heildelberg
O melhor da culinária alemã e internacional chegou ao Alphavile no começo de junho. O Restaurante Heildelberg oferece Buffet Self-service
no almoço durante a semana até às
14h30 e permanece aberto, com serviço a La carte, de quarta a sábado
até a meia-noite. No domingo, o funcionamento é até às 18h.
Av. Picadilly, 150 - Center VI – Lojas 107 a 110
Tel.: 31 3547-3630
Site: restauranteheildelberg.com.br
040
Na 040 Decorações e Projetos é possível encontrar uma grande variedade
de peças de decoração em mármore,
granito, nanoglass e silestone. Além
disso, a 040 executa projetos arquitetônicos com agilidade e qualidade.
Show Room
Center III – Loja 115
Tel.: 31 7816-1139
GIRO PELOS ASSOCIADOS
Residencial Inconfidentes
Novos jardins
A administração do Residencial Inconfidentes caprichou nos últimos
meses e deixou a portaria do residencial ainda mais bonita e florida, para receber muito bem todos
os moradores, visitantes e prestadores de serviços.
Residencial das Árvores
Ações por todo o residencial
Das ações aprovadas em Assembleia, algumas já foram concluídas
a exemplo do conserto da cerca
e assoalho da casa de boneca do
parquinho do peixe, instalação de
novos quadros de irrigação para o
Parquinho do Peixe e Pista de Bike.
Um engenheiro foi contratado
para fazer inspeção e diagnóstico
no muro em torno de todo o residencial assim como parte elétrica,
hidráulica, pavimentação e rede
pluvial; este diagnóstico nos dará
base para fazermos a manutenção preventiva e evitarmos transtornos futuros. Foram instalados
03 quebra-molas na Rua dos Jatobás e, ainda visando à redução
de velocidade, serão instalados
tachões em pontos estratégicos
em todo o residencial.
18 • AlphaVida
Residencial Real
Reforma do parquinho
A reforma do parquinho, iniciada em
março, foi concluída. Agora, os moradores do residencial contam com
mais essa opção de lazer, com brinquedos novos e mais modernos.
Residencial
Pássaros
Península
dos
Foram adquiridos pelo residencial
óculos de visão noturna. Os óculos
“conseguem enxergar” uma distancia de até 80 metros. Além das rondas internas com motos e carros e as
externas com cães, serão executadas
rondas externas com moto junto à
cerca perimetral utilizando a trilha
recém-reformada com pessoal disponibilizado pela Associação Geral.
Além disso, foram realizadas ações essenciais no residencial, como a retificação do trecho próximo ao desabamento e roçada e lotes vagos e remoção
de cupins e demais pragas. A administração do residencial está também
em negociações com a empresa NET,
visando disponibilizar seus serviços aos
moradores. Outra novidade é a responsabilidade pela manutenção dos
jardins externos à portaria, que passa
a ser da excelente equipe de jardinagem da Associação Geral.
AlphaVida • 19
LAREIRA
EXPEDIENTE
O aconchego das lareiras
A
cender a lareira na companhia
da família, dos amigos ou de
um bom filme é um momento de relaxamento e prazer. As lareiras
também atribuem charme e deixam
os ambientes mais aconchegantes no
inverno, porém, é preciso ficar atento
para impedir deslizes e arrependimentos na hora de inseri-las em seu lar.
A psicóloga Giovanna Rodrigues conta
que na construção da sua casa o responsável pela obra não calculou bem
20 • AlphaVida
o furo da laje para ter a saída do ar, e
isso impossibilitou o uso da lareira. ’’É
necessário muita atenção na hora da
montagem, principalmente da tradicional, que funciona com lenha. Esse tipo
necessita de ter uma chaminé para sair
todo vapor que é produzido’’, alerta.
De acordo com Luiz Augusto Chocair,
gerente comercial da LCZ Lareiras,
hoje, todo o tipo de casa e ambiente
pode ter lareira, inclusive apartamentos, ambientes externos, como jardim,
piscinas, área de lazer, e ambientes
comerciais e pequenos. ’’De um modo
geral, não existe uma lareira para cada
tipo de casa, e sim, como a casa e, sobretudo, o perfil dos consumidores se
adequam às opções de lareiras do mercado. Para optar em que tipo, primeiro
o consumidor tem que entender qual
a lareira que deseja possuir e conhecer
as vantagens e desvantagens de cada
uma’’, destaca Luiz.
A arquiteta Estela Netto recomenda
às pessoas terem diversos tipos de
cuidados na hora da compra. Entre
eles, identificar a lareira que melhor
se harmoniza com o projeto e o que
pode se fazer do ponto de vista da
infraestrutura e da manutenção. ’’A
lareira tradicional, por exemplo, é linda, produz um cheirinho delicioso de
lenha, que nos faz remeter a gostosas lembranças afetivas, mas também
produz muita sujeira e, assim, precisa
de grande manutenção. Sendo assim,
é importante analisar a manutenção,
infraestrutura e a conexão que essa
lareira vai provocar’’, avisa.
O jornalista Arthur Rosa tem em sua
em casa uma lareira a pellet, que é
uma das mais modernas e a chama é
produzida com a queima de pequenas
porções de madeira prensada. De acordo com ele, sua família optou por este
modelo em função da praticidade, já
que não precisa de chaminé e pelo design de alto padrão combinando com o
projeto arquitetônico da casa.
’’Durante o inverno, e nos dias mais
frio durante o ano, nós utilizamos
muito. Como a lareira permite que o
proprietário controle a temperatura,
dá pra deixá-la ligada também quando está mais quente para fazer uma
bela recepção nos dias de festa’’, fala
Arthur. Outra característica que o jornalista realça, é que a queima desses
pellets produz pouquíssimos resíduos, facilitando muito a limpeza e conservação da lareira.
Luiza Larsson, engenheira civil da
Sharp-e Lareiras Modernas, esclarece
que os modelos atuais tem controle da
entrada e do fluxo de ar. ‘‘Lembrando que alguns materiais, como o ferro
fundido, pedra sabão, aquecem rapidamente e esfriam mais devagar, prolongando o conforto do aquecimento.
Normalmente recomendo a potencia
de 7kw para 450m³ para as condições
brasileiras de construção e clima’’, cita.
Manutenção
Qual escolher?
A arquiteta Estela Netto explica que
a lareira a gás precisa de uma tubulação para acendê-la. Já a tradicional,
que funciona com lenha, necessita de
ter uma chaminé para sair todo aquele vapor. ’’A lareira de bio fluído funciona por meio de um álcool especial
que você coloca nela e não precisa de
nenhuma infraestrutura para poder
utilizá-la. Então vai depender do conceito de cada casa. Sendo assim, o
que vai determinar a lareira ideal para
cada tipo de casa é o gosto do cliente
e também a infraestrutura que é possível fazer na residência ’’, realça.
Para Harlley Oliveira, gerente comercial
da Reinox, a lareira que aquece mais é
a lenha, porém é a que dá mais trabalho. ’’Você tem que colocar as lenhas,
atiçar o fogo e fazer reposição. Já a
elétrica é mais confortável, você liga
no controle remoto e percebe o calor
e vê as chamas virtuais. A lareira a gás
tem a opção de controle também, porém as chamas são mais baixas e alguns modelos utilizam exaustão’’, diz.
Harley comenta que a lareira a álcool
tem as chamas altas e não precisa de
exaustão, mas solicita de atenção redobrada para a reposição de álcool.
Luiz Augusto Chocair, da LCZ Lareiras,
elucida que a manutenção vai depender de cada lareira. Em geral, a preservação é simples para todas elas, mas
algumas requerem mais cuidados. ’’As
lareiras convencionais a lenha devem
ser limpas todas às vezes, logo após
serem usadas para recolher as cinzas e
fuligens. Lembro que as chaminés também devem ser limpas regularmente
por um profissional’’, adverte Luiz. Segundo o gerente as lareiras ecológicas
são ainda mais simples e as a álcool e a
gás, basta tirar o pó com um pano seco
ou espanador regulamente.
4 passos essências
ANTES DE TER UMA LAREIRA PENSE
Luiza Larsson, da Sharp-e Lareiras Modernas, recomenda o que é necessário
levar em conta na hora de decidir qual
lareira ter em casa:
‘‘Ao escolher uma lareira, o consumidor deve pesquisar qual melhor
se adéqua ao seu estilo de vida, seus anseios, suas necessidades. Se
aquecimento ou apenas decoração ou os dois. Pesquise as vantagens
de cada tipo de lareira versus os custos de instalação e manutenção’’
(Luiz Augusto Chocair, gerente comercial da LCZ Lareiras).
1) Tamanho do ambiente a ser aquecido
2) Conforto térmico necessário e quão
frio faz no local
3) Qual o espaço para a lareira.
4) Qual estilo combina melhor com
o ambiente e o gosto do proprietário
QUANDO TIVER UMA LAREIRA FAÇA
’’O ideal é seguir o manual de instruções arrisca. Nunca lavar, sempre
limpar. E mantenha o ambiente ventilado para garantir que os gases
liberados durante a queima sejam eliminados do local’’, (Harlley Oliveira, gerente comercial da Reinox).
LAREIRA
Lareiras a gás
Uma opção que não faz sujeira e nem fumaça, pois não gera fuligem, é a lareira a
gás. Elas são indicadas para todo tipo de ambiente, internos e externos, residenciais e comerciais. O consumidor não tem gastos com chaminés, coifas ou dutos,
pois elas não necessitam de chaminés. O calor produzido pelas chamas da lareira
a gás é 100% aproveitado e das opções de lareiras é hoje a que mais aquece. São
altamente seguras, pois possuem sistema de segurança que bloqueia automaticamente o fornecimento de gás e quando a chama se apagar por qualquer outro
motivo externo, como ventos fortes, o sistema também bloqueia o gás imediatamente. Para a instalação da lareira a gás é necessário um ponto elétrico e um
ponto de gás. Luiz Augusto Chocair diz que idealmente, o ponto de gás deve ser
planejado em obra, na construção ou reforma do imóvel. Caso a residência já esteja pronta, será necessária uma pequena obra para puxar a alimentação do gás.
Lareiras a álcool
São indicadas para todos os ambientes, inclusive dormitórios, pois a queima do álcool se transforma em vapor de água, também umidificando o
ambiente. É ideal para residências, pousadas e hotéis. Em ambientes externos ou comerciais, podem ser instaladas como peça decorativa.
Não precisam de chaminés ou coifas; não geram fuligem, fumaça ou sujeira e seu aquecimento é relativamente intenso. Sua instalação é a mais
simples, pois não requer obras.
Lareiras elétricas
A vantagem desta opção é a facilidade de manuseio, para ligar basta apertar
um botão, que pode ser da lareira ou do controle remoto. A diferença desta
para a lareira a gás, é que na elétrica não há queima de fogo. O sistema é
o mesmo dos aquecedores, sendo necessária uma tomada. E para o efeito
do fogo queimando há duas opções, que são as toras de cerâmica imitando
as lenhas de madeira ou imagens de chamas em 3D.Como o principio de
funcionamento é o mesmo das estufas, a lareira elétrica tira a umidade do
ambiente. Então, é indicado deixar um recipiente com água no local.
Lareiras à Lenha
Existem as opções de comprá-la prontas ou mandar fazer sob medida embutida na parede. Ambas necessitam do auxílio de um profissional para
fazer corretamente a canalização da fumaça. Além disso, sua manutenção
requer mais atenção.
22 • AlphaVida
EVENTO
C-SUL promoveu evento para os
moradores da lagoa dos ingleses
N
o dia 07 de junho, a C-SUL,
um dos mais importantes
projetos urbanísticos do
Brasil, se apresentou para os moradores da região da Lagoa dos
Ingleses. Cerca de 700 pessoas
compareceram ao evento. Dentre
as atrações, os convidados curtiram a apresentação musical estilo
pop rock da cantora Camila Maia
e da banda cover dos Beatles, Hocus Pocus.
Idealizado por empresários mineiros, o projeto que chega como
referência em inovação urbana,
conta com a participação do Grupo Asamar, da Alicerce Empreendimentos, da BVEP - braço imobiliário
do Grupo Votorantim -, da MINDT
e da AGHC Participações.
Os investidores têm o objetivo de promover, no longo prazo, o desenvolvimento urbano na região da Lagoa dos
Ingleses. Para isso, eles adquiriram um
terreno de 27 milhões de metros quadrados, localizado nos municípios de
Nova Lima e Itabirito, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
AlphaVida • 23
JURÍDICO
A anatomia das Associações de
Proprietários de Imóveis
A aplicação do modelo americano da Homeowner’s Association – HOA no
empreendimento Alphaville Lagoa dos Ingleses
T
rata-se a HOA de associação
de proprietários incumbida
de atuar segundo objeto estatutário, normas e restrições convencionais. No enfrentamento das
questões afetas aos loteamentos
fechados, devem ser observadas
as leis 6.766, de 10 de dezembro
de 1979, que rege o parcelamento do solo para fins urbanos; a
lei 4.591, de 16 de dezembro de
1964, que trata dos condomínios
e das incorporações imobiliárias; o
Código Civil; a legislação municipal, e, ainda, de todos os atos e
termos emanados das entidades
ambientais, inclusive da legislação ambiental aplicável, independente de sua origem legiferante,
com atenção ao que dispõe a Lei
Complementar 140, de 8 de dezembro de 2011, que regulamenta
o parágrafo único, do art. 23, da
Constituição da República (CR). É
bom lembrar que o Município tem
competência para legislar sobre
interesses locais e promover adequado ordenamento territorial,
nos termos dos incisos I e VIII, respectivamente, do art. 30, da CR,
daí a conveniência da participação
da associação nas políticas públicas deste ente federado.
A estrutura associativa da HOA
deve observar as peculiaridades
do loteamento, a começar pela
extensão de sua base geográfica.
Em seguida, devem ser dimensionados os benefícios e o alcance
direto ou indireto da HOA em relação aos proprietários de imóveis
desta base geográfica. Neste particular, a despeito da livre adesão
e permanência nos quadros da
24 • AlphaVida
associação, nos termos dispostos
pelo inciso XX, do art. 5o, da CR,
os custos são rateados segundo
critérios previamente aprovados,
sob projeção nos imóveis – não
nas pessoas – e exigidos como
prestação de natureza real, ou
seja, têm caráter de obrigação
propter rem.
No caso do Alphaville Lagoa dos
Ingleses, o modelo de governança
se estruturou sob a forma de associações de proprietários atreladas
a uma associação geral, com distribuição de atribuições e competências. O desenho administrativo
a ser adotado em qualquer HOA
deve inspirar-se na maximização
da eficiência e na minimização dos
custos, inclusive aqueles de agência, entendidos como aplicados
aos meios e formas para dar arcabouço às câmaras de governança,
com seus quadros e membros.
A doutrina jurídica sobre o tema
HOA se mostra discreta diante do
enfrentamento do tema, apesar
das alvissareiras decisões judiciais
que consolidam a legitimidade de
atuação das associações de proprietários em diversas questões a
ela peculiares. Assim, as experiências empíricas vêm edificando
usos e costumes que mais cedo
ou mais tarde acabarão inspirando nossos legisladores e insculpindo nosso ordenamento jurídico positivado.
O presente texto é de autoria e responsabilidade do consultor jurídico
da AG, Renato Ourives Neves e sua assistente Ana Luiza Ourives
Desfrute de todo conforto e qualidade
que o Mercure Lagoa dos ingleses
preparou para lhe receber.
o qUE voCê ESPERAvA:
RESERvE EM MERCURE.COM
o qUE voCê Não ESPERAvA:
REDESCUBRA
MERCURE
MAiS DE 700 hotéiS
No MUNDo toDo.
31 3589 7900
Av. Princesa Diana, 440 NovA LiMA
INSCREVA-SE EM NOSSO PROGRAMA MUNDIAL
DE FIDELIDADE EM ACCORHOTELS.COM
MEIO-AMBIENTE
Não abandone
U
ma sociedade organizada e
desenvolvida
preocupa-se
com sua fauna, tem compaixão para com seus animais e mobiliza-se para tratar do assunto com
responsabilidade
A situação dos animais de rua nos
bairros da vizinhança do Alphaville é
grave, tendo em vista que as pessoas
os abandonam à própria sorte e por
motivos torpes, seja por viagem ou
doença do animal, ou os criam nas
ruas, ficando esses perambulando
pelas vias, sendo vítimas de doenças,
atropelamentos, envenenamentos e
impensáveis formas de maus tratos,
além de se reproduzirem descontroladamente - o que multiplica, em progressão geométrica, o sofrimento e a
ocorrência de zoonoses.
Algumas ações importantes que tanto o poder público quanto a população podem tomar, são: a conscientização da população quanto à guarda
responsável dos animais, o fomento
a um centro de esterilização animal e
a promoção de feiras de adoção de
animais no município.
A comunidade científica tem reconhecido a esterilização cirúrgica
como um método ético e definitivo
26 • AlphaVida
de controle populacional de animais
de rua. Trata-se de um procedimento
realizado mediante administração de
anestesia geral, e indicado para animais a partir dos sete meses de idade. A administração de antibióticos
e anti-inflamatórios deve ser feita no
período pós-operatório.
Nós, no Alphaville, devemos nos preocupar em sermos ambientalmente
responsáveis, em respeitar a biodiversidade e proteger sua fauna de forma
ética, respeitosa e coerente para que
homens e animais possam coabitar,
de forma harmoniosa, o mesmo espaço. Vamos criar essa consciência!
A adoção de animais vem tomando corpo em nossa sociedade, sendo aceita por um número crescente
de pessoas. O número de feiras de
adoção em todo o Estado, promovidas por entidades empenhadas no
incentivo à adoção, vem crescendo.
Principalmente nas redes sociais, nos
deparamos, com frequência, com publicações referentes a animais disponibilizados para adoção.
Sites que disponibilizam animais
para adoção:
É importante ressaltar que, para disponibilizar um animal para adoção,
é necessário assegurar-se de que ele
tenha boa saúde e não seja capaz de
se reproduzir no ambiente em que
venha conviver. O aspirante a adotante deve oferecer um ambiente adequado à boa saúde do animal, e deve
cuidar dele com responsabilidade,
oferecendo boa alimentação, higienização, consultas veterinárias periódicas, além de momentos de convivência e lazer. Adotar é um ato de amor.
Centro de Controle de Zoonoses de BH
Endereço:
Rua Edna de Quintel, 173 – Bairro
São Bernardo
Telefones:
(31) 3277-7413 e (31) 3277-7411
Comparecer nos fins de semana.
www.sosbichosmg.com.br
www.institutocasabranca.blogspot.com.br
www.caoviver.com.br
www.guiavegano.com.br
www.adoteumamigo.org.br
Feira de adoção:
Aplicativo que disponibiliza animais para adoção:
Adote Pets
Complexo Hidrelétrico de Rio de Peixe
Lagoa do Miguelão
INOVAR
A AngloGold Ashanti possui o Sistema Hidrelétrico Rio de Peixe que atende
atualmente a 19% da demanda energética da empresa em Minas Gerais.
Mais do que gerar energia, há 110 anos, o Sistema contribui para o
desenvolvimento da região onde está instalado. Além de, nos dias atuais,
contribuir para o abastecimento de água de Nova Lima e Belo Horizonte, por meio
da captação em seus reservatórios durante o período de chuva e regularização da
vazão durante a seca.
A área preservada conta com quase 200 espécies de animais silvestres e mais de
300 tipos de plantas da mata atlântica e do cerrado. Rio de Peixe é uma iniciativa
inovadora que fortalece nosso compromisso com a construção de um futuro melhor.
INOVAÇÃO. O CAMINHO DO NOSSO FUTURO.
PARA
PRESERVAR.

Documentos relacionados