Parashat Vaierá - 5771 TORAH –[email protected]

Сomentários

Transcrição

Parashat Vaierá - 5771 TORAH –[email protected]
bs"d
Parashat Vaierá - 5771
Transmita esta mensagem para seus familiares e amigos(as). Serviço gratuito, semanal e em tempo real, para mais de 12.000 assinantes!
9 Mar Cheshvan 5771
TORAH
–[email protected]
www.torahmail.com.br
UMA FRASE PARA PENSAR:
“É fácil ser corajoso estando longe.”
Provérbio Nativo Americano
UM PENSAMENTO PARA ENTENDER:
“Esteja dentro.
Mas permaneça acima.”
UMA HISTÓRIA PARA VIVER:
A porção desta semana da Torá termina com a história do Akeidá (‘amarração’) de Yitschac por seu pai
Avraham. Surpreendentemente, essa estranha história de tentativa de homicídio provocado por “uma
voz celestial” é a base do Judaísmo!
Não só isso, mas a Torá nos diz quase nada sobre o Judaísmo de Abraão, seus rituais, princípios e
crenças. Mas nos diz quase todos os detalhes desta Akeida que ele fez!
O que é tão importante sobre esta ação?
Para entender isso, aqui está uma história.
O ano era 1950, na Rússia. O comunismo estava pronto para conquistar o mundo com suas idéias
ousadas de igualdade, oportunidade, esperança e liberdade da opressão econômica. A Rússia estava
animada e inspirada com esperança e visão, mas talvez os mais animados eram os judeus.
Eles jogaram fora seu judaísmo aos milhões. A religião era uma coisa do passado, um resquício da
idade das trevas. Ora, Marx, Lênin e Stalin (que seu nome seja amaldiçoado para sempre) são os que
iluminam o mundo! O comunismo iria acabar as preocupações da humanidade!
Ninguém acreditava que isso mais do que Abrasha Yafe.
Seu pai, Reb Avraham, tinha sido um judeu religioso, um Chassid e seguidor do Quinto Rebe de
Chabad, Rabi Shalom Dov Ber de Lubavitch. Mas Abrasha era um comunista de carteirinha, totalmente
dedicado com uma posição alta no partido e aspirações ainda mas altas e não tinha espaço ou tempo
no seu coração para a religião.
Ele não fazia nada judaico por mais de dez anos, desde que tinha quinze anos, o Judaísmo estava
simplesmente fora de sua agenda.
Abrasha casou-se com uma menina que também era uma oficial comunista, talvez não tão alto nas
fileiras como ele, mas que compartilhava totalmente os seus ideais. Por "coincidência" também tinha
pais judeus. Seus avós tinham sido observantes. Seus pais eram apenas de forma marginal, mas ela
estava era comunista por completo.
Então não foi surpresa que quando seu primeiro filho nasceu, um menino, jamais lhe passou pela
cabeça fazer a circuncisão.
Mas a mãe de Abrasha, cujo nome era Chaya Basha, não quis saber. Ela enfrentou seu filho: seu neto
teria a circuncisão de qualquer jeito!
Abrasha tentou ignorá-la, mas ela continuou firme. Ele tentou argumentar que era bobagem,
antiquado, perigoso, supersticioso, contra a lei, mas ela se recusou a ouvir suas razões.
Então, quando ele simplesmente disse "não"! Ela olhou para ele de uma forma que nunca tinha visto
antes, pôs a mão em seu coração e disse, quase num sussurro, que se recusasse ela iria cometer
suicídio!
Abrasha começou a tremer! Ele não conseguia sequer olhar nos seus olhos! Ele pigarreou algumas
vezes, e imediatamente concordou. Mas só com duas condições.
Primeiro, que o Brit (circuncisão) seria feito em total sigilo, para que ninguém soubesse. Em segundo
lugar, que nem ele nem sua esposa poderiam estar presentes. Dessa forma, se pego, ele poderia
alegar que sua velha mãe levou o filho quando ele não estava olhando.
Chaya Basha sabia exatamente o que fazer. Ela conhecia um Chassid chamado Chanoch Hendel
Galperin, que era um Mohel e pediu-lhe para arranjar o Brit para o dia que a criança teria oito dias de
idade.
Ele concordou com a condição que só naquele dia divulgaria onde o Brit seria. Ele chegou no final da
tarde, apenas meia hora antes da ocasião junto com nove Chassidim que, com o maior sigilo, rapidez e
eficiência, fizeram caminhos separados até chegar ao terceiro andar do apartamento. A porta foi
trancada, as cortinas da janela foram fechadas, Chaya Basha trouxe o bebê e então foi feito o Brit e o
menino recebeu o nome de Yisrael (em homenagem a Yisrael Baal Shem, o Baal Shem Tov) todos
disseram Mazal Tov em silêncio e então veio a refeição! (Depois de um Brit é feita uma refeição
festiva.)
Chaya Basha trouxe alguns pães pequenos, uma garrafa de vodka, arenque e um pouco de salada e
começou a refeição! Foram feitos Le’Chaims e logo os Chassidim estavam cantando Nigunim (músicas
chassídicas) e até começaram a dançar.
De repente, houve uma batida na porta!
Um silêncio mortal caiu sobre todos. Chaya Basha esperou um momento, pôs o dedo aos lábios para
que ninguém falasse e gritou: "Quem está aí?"
Nenhuma resposta. Apenas mais batidas!
Ela se aproximou da porta e disse novamente, ‘quem está aí!?’ A pessoa do outro lado resmungou algo
que ela não conseguiu entender. "Quem?" Ela repetiu. Novamente um resmungo.
Poderia ser a KGB? Era um truque? Ela não tinha escolha. Se fosse KGB e ela não abrisse iriam
quebrá-la e prenderiam todo mundo.
Cautelosamente abriu uma trava após a outra e abriu a porta e... lá estava seu filho, Abrasha!
Sem dizer uma palavra ele entrou, olhou em volta, fechou a porta atrás dele, se aproximou da mesa
onde todos estavam sentados, puxou uma cadeira e sentou-se. Alguém lhe deu um Le’Chaim. Ele
pegou o copo e levantou-o, mas antes que pudesse beber, um dos Chassidim trouxe uma kipá, colocou
em sua cabeça e disse, "talvez você possa fazer uma bênção" (é um mandamento agradecer a D’us
antes de comer. A kipá é usada para reconhecer o temor de D’us ).
Ele fez a bênção e tomou todo o copo pequeno. O Chassid colocou a mão no ombro de Abrasha e
disse: "Diga-me, você já ouviu falar de um Chassid de nome Avraham Yafe?"
Quando Abrasha ouviu o nome de seu falecido pai, ele começou a balançar ligeiramente para trás e
para frente, fechou os olhos e cantou um Nigun lento bonito que seu pai costumava cantar. Todos se
juntaram no canto emocionado.
Depois de mais alguns Le’Chaims, ele começou a relembrar calorosamente, como seu pai rezava por
horas, as canções que ele cantava quando orava, as histórias que ele contava, etc. E assim continuou
até o amanhecer. Qunado brilharam os raios solares através das persianas, um dos Chassidim sugeriu
a Abrasha que fizesse uma resolução. Abrasha apenas franziu o rosto como se dissesse, ’o que é isso?’
Mas o Chassid não desistiu. "Abrasha!" disse calorosamente. "Eu conheci bem o seu pai. Ele era um
homem muito genuíno e honesto. Ele realmente acreditava em D’us e em você, Abrasha. Ele
acreditava que ambos não iriam decepcioná-lo. Tenho certeza que no céu seu pai não tem descanso
até você fazer o que o Criador quer! Abrasha! coloque Tefilin, guarde o Shabat, coma apenas alimentos
casher. Só então você e seu pai serão felizes.
Abrasha pensou por um momento e... concordou!
No dia seguinte ele disse à esposa que decidiu virar uma nova página e algumas semanas depois, eles
milagrosamente encontraram alguma desculpa para largar sua posição política e conseguir um
emprego mais normal onde não seriam observados constantemente e poderiam se tornar judeus
observantes.
A circuncisão de seu filho removeu também o ‘prepúcio espiritual’ do seu coração também.
Isso responde às nossas perguntas.
A Mishná (Avot 5:3) nos diz que Abraão foi testado dez vezes por D’us.
Embora o último teste e mais difícil foi a "Akeidá", o único que foi chamado de "pacto" (Brit) foi a
circuncisão.
Porque a circuncisão sublinhou o propósito de todos os outros testes: a mudança da natureza humana
"remover o ‘prepúcio espiritual’ que cobre o coração, e vinculá-lo ao Criador. Ou seja a verdade tem
mais valor do que o sucesso.
Isto é o que aconteceu com Abrasha em nossa história. De repente, ele mudou a sua natureza e se
dedicou à verdade e não a sua alta posição no partido.
E essa é a essência do judaísmo.
Mas na Akeidá foi onde esta essência foi mais exigida. Não havia história de sucesso maior do que o
nascimento milagroso de Yitschac e sua educação. Ele era a única pessoa no mundo que realmente
poderia continuar a mensagem de Abraão, de verdade! Assim, quando D’us disse a Abraão para
sacrificá-lo, ele estava realmente dizendo a Abraão para destruir com suas próprias mãos, o seu
futuro, passado e tudo o que ele havia trabalhado por toda a sua vida!
Abraão estava disposto a fazê-lo! Ele amarrou o filho porque ele valorizava a verdade mais do que
sucesso. (claro, no final D’us promete sucesso também)
E esta é a "essência" do judaísmo, D’us é o Criador de tudo e devemos nos preocupar apenas em fazer
o que Ele quer.
É essa "essência" que nos permitiu não apenas suportar os piores testes de quase dois mil anos de
holocaustos, massacres e expulsões, mas ainda crescer e prosperar, apesar (ou talvez por causa
deles)!
Este é o nosso trabalho hoje. O Rebe enfatizou muitas vezes: tivemos provas suficientes e dificuldades,
hoje, devemos dirigir toda a devoção que herdamos de Avraham e fazer tudo que pudermos para
melhorar o mundo inteiro. Mesmo uma boa ação, palavra ou mesmo o pensamento!
COM OS MELHORES DESEJOS PARA UMA SEMANA MUITO BOA, SAUDÁVEL E PRÓSPERA, E SHABAT
SHALOM!
A PARASHÁ DA SEMANA EM ALGUMAS LINHAS
Vaierá
Avraham recebe a visita de três anjos, que anunciam que num ano Sarah terá um filho.
Avraham intercede pelos habitantes de Sodoma e Gomorra, quando sabe que estas cidades serão
destruídas pela sua iniqüidade. Apesar de D’us ter concordado em não destruir as cidades caso lá
houvesse pelo menos 10 justos, nem este número havia, e os anjos seguem em sua missão. Antes
de destruir Sodoma e Gomorra, retiram de lá Lot e sua família. A mulher de Lot olha para trás durante
a fuga e se transforma em uma estátua de sal.
Nasce Yitschak, e Avraham faz nele a circuncisão aos 8 dias.
A pedido de Sarah, Avraham manda Hagar e Ishmael para longe de Yitschak.
A Parashá termina relatando o sacrifício de Yitschak, e logo a seguir o nascimento de Rivkah.
MASHIACH PARA NOS REDIMIR
“No final do dia em que Avraham fez um pacto especial com D’us, a Torá dia, ‘E o sol se pôs, e
Avraham caiu num sono profundo.” O sol representa Mashiach, Avraham representa o povo judeu. O
significado do versículo é que o povo judeu estará num sono espiritual profundo antes de Mashiach
chegar.
Mashiach nos despertará todos desse sono.”
(Midrash Agadá em Torá Shleimah, 15:127)
Horário de acendimento das velas de Shabat:
(dia 22/OUT/2010 – 14 Mar Cheshvan - 5771) JÁ É HORÁRIO DE VERÃO NO BRASIL!
Acenda as velas somente antes do horário indicado. Coloque as mãos na frente dos olhos e fale a
seguinte benção:
- BARUCH ATÁ A-DO-NAI E-LO-HÊ-NU MELECH HAOLÁM, ASHER KIDESHÁNU BEMITSVOTAV,
VETSIVÁNU LEHADLIC NER SHEL SHABAT KODESH
No Rio de Janeiro: 18:40Hs e em S. Paulo: 18:56Hs; JERUSALEM: 16:20Hs TEL AVIV: 16:40Hs
Editor:
R. Yossef Zukin.
A seção ”Um pensamento para entender” é baseada nos ensinamentos do Rebe de Lubavitch, a partir das mensagens pela
internet ’Daily Dose’ do Rabino Tsvi Freeman.
A seção ”Uma História para Viver” foi traduzida livremente do ’Dvar Torah’ com permissão do Rabino Tuvia Bolton de Kfar
Chabad - Israel.
A ilustração é uma cortesia do site www.chabad.org
Esta mensagem é dedicada à pronta recuperação de Rav Avraham David ben Rivkah HaLevi, Shalom Dov Ber ben
Rachel, Moshé ben Sarah, Shmuel ben Mazal, Yerachmiel ben Yudit, Moshe ben Ida, Zeev ben Leá, Yossef ben Rachel,
Aharon ben Ester, Binyamin ben Sara, Eitan Baruch ben Ilana Tsipora, Yaakov Dov ben Feigue, Shlomo ben Miriam,
Shlomo Isroel ben Ester Rachel, Iossef ben Sarah, Moishe ben Sheindl Ratze, Moshe ben Itel, Chaim David ben Messodi,
Yitshac ben Miriam, Moshe Yehuda ben Sheva Ruchel, Shlomo ben Lea, Binyomin ben Olga, Avraham ben Shoshana,
Eliah ben Sara Chava, Gabriel ben Frida, Avraham Moshe ben Miriam Tova, Pinchas ben Chana, Yossef ben Sarah,
Avraham ben Sime, Adel bat Rivkah, Sara bat Cypa, Guitla Bat Chaia, Mazal bat Ester, Rachel bat Devorah, Ruth Bat
Ida, Mazal bat Fortune, Chaya Chayka bat Malka, Chanah bat Rivkah, Chaia bat Rosa Shifra, Devorah bas Sara Gittel
Rochel, Myriam bat Chaja Ester, Chaya bat Yocheved, Bashia bat Fraida, Brani Tuber bat Malka, Tsivia bat Tova, Sura
bat Chana, Chana Bluma bat Ita, Ester bat Adel, Chaia bat Basha, Shoshana bat Sarah, Feigale bat Lea, Rivka bat Edit,
Hadassa bat Dinah, Mindel bat Brachá, Tema bat Keila, Devorah bat Chana, Tema Bat Feiga Leah, Chava Roiza Bas
Baila, Iehudit bat Sarah, Rachel bat Sura Faigha, Freida bat Leike, Pauline bat Gracia, Libe Rivkah bat Rachel, Ester Ita
bat Rivkah Rachel, Fradi bat Hava, Guila bat Golda, Ethel bat Chaya Fruma, Judith bat Mathilde, Sima Dobra bat Rywka,
Chaia Vitoria bat Miriam, Tsivia bat Nechama, Latife bat Renee, Miriam Chana bat Tovah e Mazal bat Miriam.
MASHIACH NOW!!!

Documentos relacionados