Dossier de impresa 24 Agosto

Сomentários

Transcrição

Dossier de impresa 24 Agosto
Espanha Mostra o melhor da sua cultura
em 13 cidades portuguesas
Mostra Espanha 2015
4ª Edição
Setembro a dezembro de 2015
mais de 50 propostas
mais de 100 eventos
Pintura | Fotografia | Teatro | Dança | Música | Cinema |
Pensamento | Arquitetura | Instalações | Performances |
Joalharia | Azulejo | Design Gastronómico.
VALENÇA DO MINHO | VIANA DO CASTELO | BRAGA
| PORTO | COIMBRA | ÓBIDOS | CASCAIS | LISBOA |
ALMADA | PALMELA | ÉVORA | BEJA | FARO
(apresentação em conferência de imprensa,
2ªfª, dia 24 de agosto, 11h,
na Fundação José Saramago)
Imagens disponíveis aqui: http://we.tl/pEeyM1hKdJ
A Espanha está mesmo ao nosso lado e agora a Espanha cultural passa
também a estar dentro de nós. Por todo o lado de nós. Na sua 4ª edição, em
2015, a Mostra Espanha passa de 5 a 13 cidades onde mostrará que
Espanha cultural é esta.
Em 13 cidades de Portugal (de Valença a Faro, passando por Braga,
Porto, Coimbra e Lisboa), de setembro de 2015 a janeiro de 2016,
Espanha mostra o melhor da cultura espanhola contemporânea através
de 50 propostas artísticas que se traduzem em mais de 100 eventos em
áreas disciplinares tão diversas quanto a pintura, a fotografia, o teatro,
a dança, a música, o cinema, o pensamento, a arquitetura, as
instalações e performances, a joalharia, o azulejo e, até, o design
gastronómico.
Esta 2ªfª, dia 24 de agosto e menos de um mês antes da 4º edição da
bienal Mostra Espanha começar a mostrar em Portugal que Espanha Cultural
é a de hoje, revelamos em conferência de imprensa (11h, na Fundação
José Saramago [Casa dos Bicos]) o conceito que une este programa
cultural, os seus principais destaques em cada uma das 13 cidades que o
acolhem e qual a relevância de em Portugal se mostrar a Espanha Cultural
contemporânea.
Ao apresentar a edição de 2015 da Bienal de cultura espanhola em Portugal
vamos interrogar-nos sobre que Espanha é a de hoje, qual a cultura que faz
Espanha hoje e que ideias trespassam a não-fronteira ibérica e, assim,
evidenciar através do programa cultural a ser aqui revelado como
Espanha e Portugal formam uma Ibéria com gente dentro, gente que
entre si fala, comunica e se entende. Sobretudo na e pela cultura. Que
melhor forma de o fazer do que montar uma temporada da Espanha
Cultural em todo o Portugal Cultural, em 13 cidades do extremo norte ao
extremo sul do país?
É esta Mostra Espanha 2015 que aqui nos é apresentada pelo coordenador
da “Mostra Espanha 2015", Feliciano Novoa (chefe do serviço de
cooperação cultural do Ministério da Cultura do Governo de Espanha),
por Pilar Masegosa (conselheira cultural da Embaixada de Espanha em
Portugal), por Carlos Antunes (diretor do Círculo de Artes Plásticas de
Coimbra e da Bienal "Anozero" que tem a sua primeira edição
justamente no quadro desta “Mostra Espanha 2015”) e com Paulo Durão
(arquiteto responsável pelo “Seminário Fronteiras”, que reflete
justamente a não fronteira, conceito central desta edição do “Mostra Espanha
2015).
Depoimento do Secretário de Estado da Cultura
do Governo de Espanha
Já na sua quarta edição, a Mostra Espanha evidencia uma consolidação e um
crescimento progressivos, quer em número, quer em extensão das suas atividades,
que nesta ocasião somam mais de trinta e que se distribuem por uma grande parte
da geografia nacional portuguesa. Atividades que abrangem exposições de
arqueologia e arte clássica e contemporânea, espetáculos teatrais, concertos e
mostras de cinema, apresentações literárias e encontros entre especialistas e
gestores culturais; oferecem-se como um panorama o mais amplo possível da
vitalidade cultural espanhola. São, de facto, o reflexo do especial reconhecimento de
Portugal como parceiro europeu privilegiado, na Europa e na Ibero-América, por
parte da Secretaria de Estado da Cultura do Governo de Espanha, e das restantes
entidades parceiras espanholas. Mas são também, e na mesma medida, fruto do
interesse das instituições culturais portuguesas que as acolhem, reflexo por sua vez
do interesse existente no seio da sociedade portuguesa pela cultura espanhola
atual.
Não se trata de circunstâncias casuais. Como em outras ocasiões, tivemos o prazer
de relembrar que a longa fronteira entre Espanha e Portugal não é uma linha que
marca o início de uma coisa e o começo de outra, mas sim uma membrana ou uma
charneira que articula elementos distintos de uma mesma realidade. Para além das
contingências económicas, os tempos atuais são especialmente favoráveis ao
encontro e ao reconhecimento mútuo; apreciar aquilo que nos une e desfrutar
daquilo que nos diferencia, que como duas pernas em aparente contradição
constituem um mecanismo único e perfeito no nosso caminhar comum. Por isso
mesmo, à semelhança das Mostras portuguesas em Espanha, a Mostra Espanha
tem como objetivo estabelecer espaços de encontro, argumentos de diálogo, o
fortalecimento das redes profissionais entre as duas Administrações, oportunidades
de colaboração e de criação de projetos entre profissionais da cultura de ambos os
países.
Resumindo, inspirar processos comuns de criação cultural.
José María Lassalle Ruiz
Secretário de Estado da Cultura de Espanha
Depoimento do Secretário de Estado da Cultura
do Governo de Portugal
É a segunda vez neste mandato que tenho o gosto de felicitar esta iniciativa do
Governo de Espanha que, cada dois anos, tem trazido a Portugal, num esforço de
organização conjunta, exposições, espetáculos, concertos, cinema, apresentações
literárias, conferências e encontros entre especialistas do sector cultural oriundos
dos nossos dois países.
O vasto programa da Mostra de 2015, a quarta edição deste certame, promove
uma vez mais um profícuo intercâmbio entre os nossos dois povos trazendo a
Portugal obras de referência da cultura espanhola, e ao mesmo tempo
aproveitando as dinâmicas das formas mais contemporâneas e mais urbanas,
demonstrando a vitalidade não só destas expressões culturais como das relações
que podemos estabelecer a propósito delas.
O programa, para além de rico de um ponto de vista disciplinar, estende-se
por quase todo o país com atividades programadas de Sul a Norte, em Faro, Beja e
Évora, em Almada, Lisboa e Cascais, Palmela e Coimbra, Porto, Viana do Castelo e
ainda Valença do Minho.
Podemos falar de um abraço ibérico que une a riquíssima diversidade que nos
caracteriza num diálogo aberto e sereno, o que, no contexto europeu, representa a
essência da construção de um espaço comum de uma forma para a qual a cultura
é um vetor de excelência e de eleição e para a qual Portugal tem também
procurado contribuir com as Mostras de Portugal que anualmente se realizam em
Espanha.
É por isso com muito orgulho que renovo o meus votos de 2013 para a esta Mostra
Espanha de 2015, felicitando os nossos companheiros ibéricos pelos resultados já
obtidos e desejando o maior sucesso, bem como a continuação e crescente
consolidação desta iniciativa.
Jorge Barreto Xavier
Secretário de Estado da Cultura de Portugal
Almada
Misterio del Cristo de los
Gascones
Nao d’amores
Dramaturgia e encenação: Ana Zamora
Intérpretes: Elvira Cuadrupani, Juan Pedro Schwartz, Javier
Carramiñana e Nati Vera (atores) e Sofía Alegre, Alicia Lázaro, Eva Jornet e
Isabel Zamora (músicos)
Arranjos e direcção musical: Alicia Lázaro
Títeres: David Faraco
Desenho e construção do Cristo:David Faraco, Miguel Ángel Coso e Sofie
Krog
Cenografia: Richard Cenier
Figurinos: Deborah Macías
Luz: Miguel Ángel Camacho
Coreografia: Lieven Baert
Organização: Secretaría de Estado de Cultura, Teatro Joaquim Benite
Cristo de los Gascones, uma escultura de Cristo em madeira, com braços
articulados, é o único testemunho de uma cerimónia litúrgica que se realizava
na Igreja de San Justo, em Segóvia, no século XV. Prosseguindo a sua
investigação em torno da relação entre o teatro e os ritos religiosos, a
companhia espanhola Nao d’amores propõe uma recriação livre e
contemporânea dessa cerimónia. Misterio del Cristo de los Gascones não é
uma reconstituição histórica, mas sim uma reinterpretação de uma cerimónia
que nos confronta com “perguntas universais, para as quais, mesmo depois
de vários séculos, continuamos a não ter respostas”.
Ana Zamora é licenciada em Encenação e Dramaturgia pela RESAD. Em
2001 fundou a companhia Nao d’amores, com a qual desenvolve um trabalho
de investigação e de formação em torno do teatro pré-barroco. Já levou à
cena peças como Comedia llamada Metamorfosea, de Joaquín de Cepeda
(2001), Auto de la Sibila Casandra (2003) e Auto de los cuatro
tiempos (2004), ambos de Gil Vicente, Auto de los Reyes
Magos(2008), Dança da morte (2010) e Penal de Ocaña (2013), apresentada
no 31.º Festival de Almada.
Morada
Teatro Municipal Joaquim Benite
Av. Professor Egas Moniz
Almada
www.ctalmada.pt
Horário
17 de outubro as 21h30
Sala principal
Conversa com o público as 18h
Preços Plateia: 10€ Comprar
Beja
Novas perspetivas do Caminho de
Santiago em Portugal e Espanha
Colóquio
6-7 de novembro
Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese
de Beja
Coordenação: José António Falcão, María Azcona, Feliciano Novoa
Organização: Secretaria de Estado de Cultura do Governo de
Espanha, Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de
Beja
As jornadas “Novas perspetivas do Caminho de Santiago em Portugal e
Espanha” têm como objetivo estabelecer um espaço de diálogo entre ambos
os países, que permitirá a troca de conhecimentos, de experiências e de
boas práticas em torno da realidade patrimonial e turística que é o Caminho
de Santiago. Para tal, os conteúdos organizaram-se ao redor de quatro
blocos fundamentais (património cultural, património natural, turismo e
projetos em cooperação), onde se alternam as intervenções sobre o Caminho
de Santiago em Portugal e Espanha. Este encontro oferece-nos a
possibilidade de ter uma visão mais completa das iniciativas que se estão a
realizar sobre o Caminho na Península Ibérica, bem como a oportunidade de
partilhá-las para contribuir no sentido de um enriquecimento comum.
INFO SEDES: Localização e Horário
Morada
Departamento do património histórico e artístico da Diocese de Beja
Largo dos Prazeres, 4 PT. Beja
www.diocese-beja.pt
Horário
Quando: 22-23 de outubro
Horário: No programa
http://www.mostraespanha2015.com/camino-santiago/
Braga
Las heridas del viento
De Juan Carlos Rubio
20 de novembro (21h30)
Theatro Circo. Braga
Autor e direção Juan Carlos Rubio
Assistente de direção Chus Martínez
Interpretação Kiti Mánver e Dani Muriel
Produção Tal y Cual Producciones SL
Organização Secretaría de Estado de Cultura (España), Instituto Nacional de
las Artes Escénicas y de la Música, Companhia de Teatro de Braga
A morte de seu pai obriga David a assumir o seu legado. Entre os seus bens
ele encontra algo de inesperado: cartas de amor de outro homem. Intrigado
com a descoberta, ele decide visitar o suposto amante do seu pai e descobrir
a verdade
Premio Ceres de Teatro 2014 a la Mejor Actriz.
Premio Unión de Actores 2014 a la Mejor Actriz Protagonista de Teatro.
Premio del Teatro Andaluz 2015 al Mejor Autor (Juan Carlos Rubio).
Finalista Premios Max Mejor Actriz Protagonista (Kiti Mánver).
Nominado Premio Unión de Actores 2014 al Mejor Actor Secundario de
Teatro (Daniel Muriel).
Recomendado por la comisión artística de la Red Nacional de Teatros.
Theatro Circo
Avenida da Liberdade, 697
Braga
www.theatrocirco.com
Horário
Quando: 20 de novembro
Horário: 21h30
http://www.mostraespanha2015.com/las-heridas-del-viento/
Cascais
Nicolás Muller. Obras-Primas
Fotografia
18 de dezembro-17 de abril 2016
Fundação Dom Luís I. Cascais
Comissariado: Chema Conesa
Organização: Secretaría de Estado de Cultura, Fundação Dom Luís I,
PHotoEspaña
Produção: Comunidad de Madrid, La Fábrica
A obra fotográfica de Nicolás Muller constrói-se em paralelo com o seu
atribulado percurso de vida. Advogado de profissão, fotógrafo por vocação e
militante por convicção, Muller abandonou o seu país ameaçado pela loucura
nazi.
Nasceu na Hungria, tendo em França assistido ao momento germinal da
construção narrativa da reportagem fotográfica, onde Doisneau e Bresson,
entre outros, reafirmaram a nova visão trazida por Kerstész, Brassaï e Robert
Capa, compatriotas de Muller e companheiros de exílio forçado.
A exposição, coproduzida pela Comunidade de Madrid e La Fabrica, incide
sobre todo o percurso do fotógrafo, com imagens já conhecidas e outras
inéditas. A exposição faz parte da programação da Mostra Espanha 2015,
graças à colaboração da Secretaria de Estado da Cultura e da Fundação D.
Luis I, bem como da programação do festival PHotoespaña.
Morada
Fundação Dom Luis I de Cascais
Centro Cultural de Cascais
Avenida Rei Humberto II de Itália, 16
2750-800 Cascais Portugal
www.fundacaodomluis.pt
Quando
18 de dezembro-17 de abril 2016
Horário exposições
Terça-feira a Domingo,
das 10h00 às 18h00
http://www.mostraespanha2015.com/nicolas-muller/
Coimbra
Encontro sobre colecionismo
Arte e mercado em Espanha e Portugal
Participantes: Chema de Francisco, Cristina Castañer, António Lobo, Maura
Marvão, António Veiga Pinto, Pilar Citoler, Manuel Navacerrada, António
Albertino, António Cachola e Luís Augusto Teixeira de Freitas.
Organização: Secretaria de Estado de Cultura do Governo de
Espanha, Bienal Anozero (Universidade de Coimbra, Câmara Municipal de
Coimbra e Círculo de Artes Plásticas de Coimbra), Slowtrack.
A arte contemporânea é atualmente um campo de atividade que experimenta
uma relevante significação a nível económico, no qual convergem agentes,
artistas, galeristas, comissários de exposições ou colecionadores. Tendo em
conta essa importância, a Mostra Espanha 2015 e o Anozero organizam
o Encontro sobre colecionismo: arte e mercado em Espanha e Portugal, no
âmbito da primeira edição de Anozero – Encontros de Arte Contemporânea
de Coimbra, que celebrará a sua primeira edição em novembro deste ano.
Neste Encontro, em que se partilharão experiências e se debaterão assuntos
relativos à arte contemporânea e à formação de coleções, estarão presentes
especialistas e colecionadores de Espanha e Portugal, em duas jornadas
celebradas nos dias 31 de outubro e 1 de novembro. As mesas
redondas terão lugar na histórica Biblioteca Joanina de Coimbra, e serão
inauguradas por Carlos Antunes, co-curador do Anozero, e Faustino Diaz
Fortuny, Subdiretor Geral de Promoção de Indústrias Culturais e
Mecenato, da Secretaria de Estado de Cultura de Espanha.
Universidade de Coimbra
Biblioteca Joanina
Pátio das Escolas da Universidade de Coimbra
Coimbra
www.uc.pt
Horário
Quando: 31 de outubro-1 de novembro
Horário:
Évora
Arquitectura Dispuesta:
Preposiciones Cotidianas
Arquitetura
1 de outubro-20 de novembro
Universidade de Évora
Comissariado: Marta Pelegrín+Fernando Pérez (MEDIOMUNDO arquitectos)
Coordenador Portugal: Daniel Jiménez (GAP arquitectos)
Organização: Secretaría de Estado de Cultura, Universidade de Évora –
Escola de Artes, Fundação Eugénio de Almeida
Produção: MedioMundo Arquitectos
Arquitetura Disposta: Propostas Quotidianas (Architecture: Everyday Life
Prepositions) é uma exposição que mostra os processos de desenho,
construção e utilização de obras de arquitetura. Reúne de forma excecional
28 projetos e obras de equipas espanholas e portuguesas que mostram uma
atitude pragmática e experimental, cuja obra manifesta uma intensa relação
com o meio urbano, social, político e produtivo em que se constroem.
Atividades a realizar: Conferência e inauguração. Realizar-se-ão duas
conferências e mesas redondas.
Morada
Universidade de Évora
Escola de Artes e Arquitetura (Átrio e sala de exposição)
Colégio Mateus d’ Aranda
Rua do Reimundo. Évora
www.uevora.pt
Horário exposições
Terça-feira a sábado,
das 14h00 às 18h00
http://www.mostraespanha2015.com/arquitectura-dispuesta/
Faro
Camino del Paraiso
Companhia Teatro Guirigai
Companhia: Teatro Guirigai
Diretor: Agustín Iglesias
Atores: Agustín Iglesias, Magda Gª-Arenal e Raúl Rodríguez
Organização: Secretaría de Estado de Cultura, Circuito Ibérico de Artes
Cénicas, Teatro do Algarve
Programa: Circuito Ibérico de Artes Cénicas
O Teatro Gurigai é uma companhia com 36 anos de atividade profissional e
com 48 produções de autores clássicos e contemporâneos, que apresenta na
Mostra Espanha 2015 a obra “Camino del Paraiso”, escrita, dirigida e
interpretada por Agustín Iglesias, com Magda Gª-Arenal e Raúl Rodríguez.
Inspirada na cultura popular da praça pública “Caminos del Paraíso” é
herdeira da tradição picaresca que através do humor e da sátira os atores
transformam numa festa de celebração gastronómica com os espetadores,
“rompendo continuamente a quarta parede”.
A obra enquadra-se no “Circuito Ibérico de Artes Cénicas”, um projeto de
criação artística e de gestão privada, que dirige e programa espaços cénicos
de serviço público. Atualmente, é composto por onze espaços cénicos, sete
de Portugal e quatro de Espanha”.
Morada
Teatro Lethes
Rua de Portugal, 58. Faro
www.actateatro.org.pt
Horário
Quando: 24 setembro
Horário:
Lisboa
El Greco no Museu Nacional de
Arte Antiga
La Sagrada Familia con Santa Ana
24 de setembro-10 de janeiro 2016
Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa
Comissariado: Fernando Marías
Organização: Secretaría de Estado de Cultura (España), Secretário de
Estado de Cultura (Portugal), Museu Nacional de Arte Antiga, Acción Cultural
Española (AC/E)
Mais informação: www.accioncultural.es
Esta mostra insere-se num ciclo de exposições trimestrais realizado pelo
museu denominado “Obras Convidadas”, cujo objetivo é dar a conhecer
obras de grandes mestres da pintura ocidental, que raramente foram
expostas em Lisboa, provenientes de distintos museus e exposições do
mundo inteiro.
A Sagrada Família com Santa Ana (ca. 1590-1595, óleo sobre tela 127 x
106 cm), Toledo, Museu de Santa Cruz (proveniente da paróquia de Santa
Leocádia de Toledo).
Esta obra de Doménico Theotocópuli ‘El Greco’ (Candía, Creta, 1541-Toledo,
1614) com a sua Santa Ana ou Santa Isabel, que desvela a desnudez
sexuada do Menino adormecido, constitui um dos exemplos emocional e
compositivamente mais complexos do cretense, onde combinou de forma
magistral a temática devocional de caráter privado e o retrato.
Uma recente restauração da tela, para a Exposição de 1982, permitiu
recuperar a imagem –oculta, sem sabermos desde quando, pelas nuvens do
fundo- de um esplêndido retrato de uma personagem desconhecida vestida
de verde, talvez um doador que nos terá contemplado desde a tela com um
intenso e direto olhar.
Morada
Museu Nacional de Arte Antiga
Rua das Janelas Verdes
Lisboa
www.museudearteantiga.pt
Horário exposições
Terça a domingo
10h00-18h00
Bilhete Normal 6€
http://www.mostraespanha2015.com/obra-convidada/
Óbidos
Fólio
Festival Literário Internacional de Óbidos
15 – 25 de outubro
Livraria de Santiago, Museo Municipal, Residência Josefa de
Óbidos
Organização: Comissão de Coordenação do Desenvolvimento da Região
Centro e Câmara Municipal de Óbidos
Colaboração: FILO, Instituto Cervantes de Lisboa e Mostra Espanha 2015
(Secretaría de Estado de Cultura de Espanha)
Participantes: Rosa Montero, Almudena Grandes, Javier Cercas
FÓLIO – O Festival Literário Internacional de Óbidos coloca em andamento a
sua primeira edição de 15 a 25 de outubro de 2015 com empenho em ser o
festival internacional de literatura de refêrencia em Portugal. Promovido pela
Comissão de Coordenação do Desenvolvimento da Região Centro e pela
Câmara Municipal de Óbidos e tendo como pano de fundo a presença
literária dos países de língua portuguesa, o festival dá enfase à literatura em
qualquer idioma, privilegiando a edição inaugural das literaturas em língua
espanhola. Fruto da colaboração entre a FILO, o Instituto Cervantes, e o
programa Mostra da Secretaría de Estado de Cultura, destaca a presença no
festival de três autores espanhóis no programa FILO Paralelo concebido para
reunir editores, institutos de cultura e outros organismos e dotar o festival
dum programa internacional de apresentação de livros, encontros com o
público, sessões de autógrafos de livros e muitas outras atividades.
Sexta 23 de outubro; 18h30; Livraria de Santiago: Rosa Montero
Sábado, 24 de outubro; 18h30; Museu Municipal: Almudena Grandes
Domingo 25 de outubro; 18h30; Residência Josefa de Óbidos: Javier
Cercas fala da sua obra literária e jornalística e apresenta o seu último
romance traduzido para o português, El impostor
Morada
Livraria de Santiago
Largo de São Tiago do Castelo
Óbidos
Horário
Quando: Sexta 23 de outubro
Horário: 18h30
Entrada Livre
Morada
Museu Municipal de Óbidos
Rua Direita. Óbidos
www.cm-obidos.pt
Horário
Quando: Sábado 24 de outubro
Horário: 18h30
Entrada Livre
Morada
Residência Josefa de Óbidos
Rua Lourenço Marques
Óbidos
Horário
Quando: Domingo 25 de outubro
Horário: 18h30
Entrada Livre
http://www.mostraespanha2015.com/folio/
Palmela
Javier Paxariño Trío
Mediterranean Jazz
16 de outubro as 19h30
Cineteatro Municipal S. João,
Palmela
17 de outubro
Casa da Música, Porto
Formação: Javier Paxariño (saxofones e flautas), Josete Ordoñez (guitarra,
mandola e alaúde elétrico), Manu de Lucena (bateria e percussão)
Organização: Secretaría de Estado de Cultura, Câmara Municipal de
Palmela, Casa da Música
www.cm-palmela.pt
Javier Paxariño Trío representa o amplo mosaico musical espanhol no
contexto atual. Este novo trabalho, em colaboração com Josete Ordoñez e
Manu de Lucena, representa paixão, os sons do Mare Nostrum fusionados
com a música espanhola das três culturas. Os ritmos do Mediterrâneo estão
interligados: o ritmo gnawa do Magrebe com o ritmo ajechao da Estremadura,
trocas de influências que têm como pano de fundo a grande diversidade
cultural da Península. Tudo isto num convívio entre os instrumentos
tradicionais e a tecnologia mais moderna.
Javier Paxariño, especialista em instrumentos de sopro, é considerado um
dos melhores saxofonistas de Espanha, revelando-se em cena como um
artista completo. Pioneiro da música de fusão e um estudioso dos
instrumentos e das músicas do Mediterrâneo.
Javier Paxariño foi membro fundador da Radio Tarifa e colaborou com
diversos artistas. Destaca-se ainda a sua colaboração criativa com o
compositor Alberto Iglesias para as bandas sonoras de cinema: Vacas
(premiada no Japão), O Fiel Jardineiro e Cometas no Céu (ambas nomeadas
para o Óscar de Melhor Banda Sonora), Exodus de Ridley Scott, entre outras,
e com o compositor Francés Pascal Gaigne para o filme Katmandu, de Icíar
Bollaín.
Cineteatro S. João
Rua Gago Coutinho e Sacadura Cabral, nº1
Palmela
www.cm-palmela.pt
Horário
Quando: 16 de outubro
Horário: 19h30
Casa da Música
Av. da Boavista, 604-610
Porto
www.casadamusica.com
Horário
Quando: 17 de outubro
http://www.mostraespanha2015.com/paxarino-2/
Porto
Mujeres y Criados, de Lope de
Vega
Fundação Siglo de Oro
Direção: Rodrigo Arribas – Laurence Boswell
Reparto: Conde Próspero Pablo Vázquez , Claridán Javier
Collado, Riselo Emilio Buale, Teodoro Julio Hidalgo, Martes Jorge
Gurpegui, Violante Lucía Quintana, Florencio Jesús Fuente, Lope José
Ramón Iglesias, Inés Alejandra Mayo, Luciana Ana Villa, Emiliano Mario
Vedoya, Don Pedro Jesús Teyssierece
Organização: Secretaría de Estado de Cultura, Acción Cultural Española
(AC/E), Teatro do Bolhão, Centro Cultural de Belem
Produção: Fundación Siglo de Oro, Teatro Español e Pentación
Patrocínio: Mercedes Benz, Incatema Consulting & Engeneering e Fundación
Unir
A Fundação Século de Ouro (FuSO) inicia em 2015 a sua segunda década. A
descoberta da obra inédita de Lope de Vega ‘Mujeres y criados’, supõe um
novo espaço de desenvolvimento e investigação para a Fundação, tendo esta
o privilégio de ser o Projeto Teatral que levará à cena pela primeira vez este
texto, após mais de 400 anos, à volta do poder reformador do amor e do
engenho das mulheres e criados face às convenções sociais.
Morada
Palacio do Bolhão
Rua Formosa, 342
Porto
www.ace-tb.com
Horário
Quando: 24 de setembro
Horário: 21h30
Morada
Fundação Centro Cultural de Belem
Praça do Império
Belem, Lisboa
www.ccb.pt
Horário
Quando: 25 e 26 de setembro:
Valença
Homenagem a Arthur Rubinstein.
Andrea González
Concerto de musica espanhola
19 de dezembro (19h00)
Auditório da ESCE Quinta da Mota. Valença do Minho
Intérprete: Andrea González Pérez
Música de Enrique Granados, Rosendo Salvado, Manuel de Falla y Federico
Mompou.
Organização: Secretaría de Estado de Cultura de España, IKFEM
International Keyboard Festival & Masterclass Eurocity Tui – Valença,
Câmara Municipal do Valença do Minho
IKFEM, o International Keyboard Festival & Masterclass da Eurocidade TuiValença, é um festival que reúne os instrumentos mais representativos de
teclado numa agenda de eventos musicais entre as duas culturas, a
portuguesa e a espanhola.
Este concerto é uma homenagem a uma das primeiras figuras que deu a
conhecer a música espanhola fora das nossas fronteiras, amigo pessoal de
Manuel de Falla e de Isaac Albéniz, o pianista polaco Arthur Rubinstein, que
gravou as obras espanholas que tocava habitualmente nos seus concertos.
Andrea González interpretará o programa intitulado Music of Spain, que foi
gravado entre 1928 e 1976.
Para completar o programa, interpretará algumas obras do missionário e
compositor da sua cidade natal, Rosendo Salvado (1814-1901).
Morada
Auditorio da ESCE Quinta da Mota
Valença do Minho
www.ikfem.com
Horário
Quando: 19 de dezembro
Horário: 19h00
http://www.mostraespanha2015.com/rubinstein
ENTIDADES COLABORADORAS:
Agencia Española de Cooperación Internacional para el Desarrollo (AECID) / Arena
d’Évora / Câmara Municipal de Lisboa / Câmara Municipal de Palmela / Câmara
Municipal do Porto / Casa da Música / Casa Fernando Pessoa / CCB, Centro
Cultural de Belém / Cemusa / Centro Português de Fotografia / Cine Mundo / Círculo
de Artes Plásticas de Coimbra / Consejería de Educación y Cultura, Gobierno de
Extremadura / Fábrica do Braço de Prata /
FÓLIO, Festival Internacional Literatura de Óbidos / Fundação Calouste Gulbenkian /
Fundação Dom Luís I / Grémio Literário / IKFEM, International Keyboard Festival &
Masterclass /Eurocity Tui - Valença / Instituto Cervantes de Lisboa / Museu Nacional
de Arqueologia / Museu Nacional de Arte Antiga / Museu Nacional Soares dos Reis /
Plataforma Revólver /Transboavista Art Edificio / Sociedade Nacional de Belas Artes
/ Teatro Académico de Gil Vicente / Teatro do Bolhão / Teatro do Noroeste. Centro
Dramático de Viana / Teatro Lethes / Teatro Municipal Joaquim Benite / Teatro
Municipal Maria Matos / Teatro Municipal Rivoli / Teatro Municipal São Luiz / Theatro
Circo / Universidade de Coimbra / Universidade de Évora
AGRADECIMENTOS:
Carlos Antunes (AnoZero), Teresa Alburquerque (Secretário de Estado da Cultura de
Portugal), Pedro Aparicio (Teatro do Bolhão), Álvaro Manuel Balseiro Amaro
(Presidente da Câmara Múnicipal de Palmela), Ana Berruguete (PhotoEspaña),
Lurdes Camacho (Secretária de Estado da Cultura de Portugal), Lucia Casani Fraile
(Fundación Montemadrid), Bernardino Castro (Centro Português de Fotografia),
Maria do Ceu Ramos (Fundação Eugenio da Almeida), Francisco Correia Malheiro
(Teatro Rivoli), Ana Costa Freitas (Reitora da Universidade de Évora), Paulo Cunha
Silva (Vereador da Cultura da Câmara de Lisboa), Mark Deputter (Teatro Maria
Matos), Paulo Durao (Arquitecto), Rodrigo Francisco (Teatro Municipal Joaquim
Benedite), Márcia Freitas (Centro Português de Fotografia), Tiago Guedes (Teatro
Municipal Rivoli), Otelo Lapa (Fundação Calouste Gulbenkian), Miguel Leal Coelho
(Centro Cultural de Belém), Rui Madeira (Theatro Circo), Paulo Madruga (Fundação
Calouste Gulbenkian), Francisco Malleiro (Teatro Municipal Rivoli), José Antonio
Martínez de Villarreal (Cónsul de España en Oporto), Marta Moriarty
(SLOWTRACK), Inés Muñozcano (SLOWTRACK), Fernando M. Oliveira (Teatro Gil
Vicente), Filipa Oliveira (Fundação Eugenio de Almeida), Mickael de Oliveira (Teatro
Gil Vicente), Rui Pereira (Fundação D.Luis I), Elisabete Pinto (Teatro do Noroeste),
Victor Pinto da Fonseca (Plataforma Revolver), José Reis (Teatro Municipal Rivoli),
António Repolho Correia (Fundação Calouste Gulbenkian), Hugo Silva (Theatro
Circo), Patricia Silva (Centro Cultural de Belém), Cristina de Sousa Azevedo Tavares
(Sociedad Nacional de Belas Artes), Fernando Sousa (Casa da Música), Salvato
Teles de Menezes (Fundação D.Luis I), Maria Joâo Vasconcelos (Museu Nacional
Soares dos Reis), Catarina Vaz Pinto (Vereadora da Cultura da Câmara de Lisboa),
Emilio Vilanova Martínez-Frías (MAEC).
Assessoria Mediática:
Há Festa no Largo!
Consultores de Comunicação
[email protected]
--t.:
[+351] 917 679 579 | Lino Miguel Teixeira
[+351] 917 839 130 | Isalinda Santos
[+351] 916 662 017 | Filipa Silva
--Tel. 22 606 1570, Fax 22 606 1579
Rua Cândido dos Reis, 46, 2º, Sala C, 4150-151 Porto

Documentos relacionados