Clique aqui e leia a revista elaborada pelo Fiscal

Сomentários

Transcrição

Clique aqui e leia a revista elaborada pelo Fiscal
2
REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
3
Capa
Cão ou gato
Qual o melhor
para você?
Meu amigo bicho 8
CONTEÚDO
Pauta:
Fabiana Sebben Basei
André Luiz B. Palmeira · Médico Veterinário
18
Quiz 46
Amigo bicho recomenda 47
Conte sua história 64
ARTE
Diretor de arte e diagramador:
Rafael Sebben · Designer Gráfico
Variedades
Como cuidar do
seu peixinho
PUBLICIDADE
Diretor comercial:
Notino Pedro Basei
[email protected]
52
Queremos saber o que você
pensa sobre a revista.
Escreva para
[email protected]
com comentários, críticas ou sugestões.
4
O momento certo
para dar um bicho ao seu filho 20
Abandono de animais 24
Castrar é prevenir o abandono 26
ATENDIMENTO AO LEITOR
[email protected]
O conteúdo e as opiniões apresentadas nas
matérias publicadas não são de responsabilidade
desta revista e não representam necessariamente
as opiniões de seus editores.
As vantagens de ter um animal de
estimação 16
Vai viajar? 22
CANAIS ALTERNATIVOS
facebook: Revista Amigo Bicho
www.revistaamigobicho.com.br
A reprodução total ou parcial desta obra
é proibida sem a prévia autorização.
Novidades 12
Curiosidades 15
REDAÇÃO
Revisor:
Igor José Milan · Jornalista
IMPRESSO POR: Arcus Indústria Gráfica
Periodicidade: Bimestral
Tiragem: 3.000 exemplares
Caiu na rede 10
10 Mandamentos da posse
responsável 28
Hamsters
Cantos e cores
que encantam
56
32
Cães
5 Dicas para você aproveitar a
companhia do seu bichinho 32
Cada vez mais populares, os
pássaros ornamentais dão show
quando o assunto é “qual o pet
perfeito para mim?”
Entenda a linguagem das calopsitas 36
Calopsitas Adestradas 38
Criação de Canário Belga 42
Cuidados com seu pet 30
Como cortar a unha de um cão 35
Gatos
Iguana
58
Alimentação dos gatos 48
Hora da diversão 50
Edição de
Lançamento
Carta ao leitor
Todos sabem que a vida é uma
constante onde obstáculos e
conquistas se intercalam no
percurso da nossa história pessoal.
Há quem, por duvidar de suas
próprias qualidades e capacidades,
desista de suas metas diante das
dificuldades e há os que, focados
nos frutos da persistência, seguem
firmes para a boa colheita.
É o caso deste trabalho. A Amigo
Bicho foi além das expectativas,
mostrando-se um trabalho sério,
harmonioso e de tal dedicação em
sua produção, por pessoas que
amam os animais, que não poderia
resultar senão numa leitura dinâmica
e cativante, repleta de emoções que
fascinam qualquer um que tenha
um bichinho de estimação e mesmo
os que ainda não encontraram seu
amigo bicho ideal.
André Luiz B. Palmeira
Fiscal Federal Agropecuário
junto ao Ministério da
Agricultura, Médico
Veterinário, Mestre em
Ciências Veterinárias
Nesta edição de lançamento o leitor
encontrará dicas sobre a melhor
forma de escolher um amigo bicho,
qual o momento certo de dar ao
seu filho um bichinho. Há quem
prefira os cães por entenderem que
são mais ativos, enquanto outros
preferem os gatos, pela forma
carinhosa de que nos tratam. Há
ainda os aficionados por peixes
e animais exóticos. Contudo,
independente da espécie, cuidados
são indispensáveis para saúde e
bem-estar do seu amigo, pois ele
estará sempre por perto quando se
sentir amado. Lembre-se sempre
que a saúde entra pela boca e dar
ao seu bichinho uma alimentação
saudável, ajuda a preservar por
muitos anos a vida dele.
Mantenha-se informado. Isso
é muito importante para quem
deseja viajar na companhia de
seu bichinho. Existem certas
exigências, referentes a diferentes
legislações, principalmente para
quem viajará ao exterior. Busque
junto ao VIGIAGRO (Vigilância
Agropecuária Internacional –
Ministério da Agricultura Pecuária
e Abastecimento) todas as
informações necessárias e tenha
uma boa viagem.
Desejo que você tenha uma ótima
leitura e que não perca as próximas
edições. Nelas serão abordados
sempre temas de grande interesse
e que vão informar com mais
qualidade, além de auxiliar ainda mais
na relação com seu amigo bicho.
André Palmeira
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
7
Meu Amigo Bicho
Nesta primeira edição queremos apresentar aqueles que
foram, e são, nossa maior inspiração para a realização
deste projeto: nossos grandes amigos bichos!
Fabiana e Coah
Rafael e Lola
Notino e Miah
Igor e Mimo
Você também tem um amigo
bicho? Queremos conhecê-lo.
Mande uma foto para
[email protected]
André e Lilica
8
REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
9
Caiu na
rede
Conheça Maru, o gato japonês que
faz sucesso na internet.
Gato sem pelos
São vários vídeos onde ele aparece
explorando a casa, mas o que ele mais
gosta são das caixas, para as quais ele
pula sem pensar duas vezes. Assista
essa fofura no You Tube.
agendapet.com.br
Esse gato pelado é da raça Sphynx, que
significa “esfinge”. Pelo nome, você já
deve ter pensado que ele é de origem
egípcia, certo?
Errado. Ele é canadense! E para os
alérgicos a pelos é a companhia perfeita!
facebook.com/premierpet
Cães dirigindo carros de verdade!
A SPCA, uma organização que incentiva o
tratamento humano dos animais criou, em parceria
com a fabricante de automóveis Mini, uma forma
interessante de incentivar a adoção de cães. Eles
ensinam cães de rua a dirigir um Mini adaptado
para isso, mostrando o quanto eles são inteligentes.
Confira o vídeo.
migre.me/cyTmD
Um Terrier vira cão-guia de seu amigo
Labrador, que ficou cego.
Após reparar que Eddie vinha tropeçando em diversos
objetos, sua dona o levou para fazer alguns exames e
constatou que ele havia perdido a visão.
Suas brincadeiras com Milo, que costumavam ser
frequentes, foram tornando-se cada vez mais difíceis,
mas o Terrier passou a agir como guia, ajudando-o a
caminhar.
Milo usa guizos na coleira para que Eddie possa segui-lo e, caso o labrador
se afaste, ele procura trazê-lo para perto novamente, mantendo-o em
segurança.
http://clubedodog.com.br/noticias/amigo-guia
10 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
Agora, os Pet Maníacos poderão
acompanhar o dia a dia do pet,
mesmo estando longe!
Os donos de pets que precisam trabalhar,
mas ficam com receio de deixar os animais
sozinhos em casa, acabaram de ganhar aliados
que prometem acabar com esse problema.
O aplicativo Whistle, lançado para iPhone,
permite acoplar uma câmera na coleira do pet
e monitorar suas atividades diárias.
Não é sensacional?
cachorrogato.com.br
Exercícios para cães
O exercício é uma
necessidade para
manter o bem-estar
físico e mental em níveis
saudáveis. Confira a
Dica do Blog Petshop.
is.gd/tFmeYf
Visete
Revista Amigo Bicho
no Facebook
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
11
novidades
Electrolux anuncia aspirador de pó
para a limpeza de lares com pets
A Electrolux elegeu um de seus modelos mais charmosos
de aspiradores de pó e criou uma edição especial para
ajudar a limpeza dos lares que possuem animais domésticos, o Ergolite Pet. O produto vem acompanhado de um
bocal miniturbo especial que é capaz de aspirar pelos das
superfícies mais difíceis, como carpetes, tapetes, sofás e
cortinas. O acessório alcança esse objetivo graças a uma
escova com cerdas que limpam profundamente tecidos,
retirando até os menores pelos, sempre inconvenientes e
que parecem impossíveis de aspirar.
www.electrolux.com.br
Brinquedos educativos
para cães e gatos
Os PetGames atiçam os animais pela busca de
alimentos escondidos e estão classificados em três
níveis de dificuldade. Cada modelo possui suas
peculiaridades e várias fases de aprendizagem.
Para eles são pura diversão. Confira!
www.petgames.com.br
Bebedouro com comedouro
System Ball
Bebedouro, comedouro e sistema anti-formigas, 100%
automático, e com um design inovador.
Desenvolvido em plástico inquebrável, e totalmente
anti-aderente à sujeira, é recomendado para gatos e
cães de pequeno porte e pelagem longa.
www.dogdrink.com.br
12 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
13
8 Curiosidades
do mundo animal
1
imagem: conexaociencia.files.wordpress.com
Cães podem
doar sangue
para outros cães
e gatos podem
doar sangue para
outros gatos.
2
Cães prevêem ataques
epiléticos e alertam seus
donos momentos antes.
3
Estudos mostram que
pessoas que possuem
animais de estimação
vivem mais, com menos
stress, e tem menos
ataques do coração.
6 Os touros correm
mais depressa ladeira
acima que ladeira
abaixo.
Os gatos reproduzem
cerca de 100 sons vocais,
enquanto que os cães
reproduzem apenas 10.
7
4
8
As borboletas sentem
o gosto com os pés e não
com a língua.
14 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
5
Os mosquitos já
causaram mais mortes
do que todas as guerras
juntas.
Um dos materiais mais
resistentes criado pela
natureza é a teia de aranha.
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
15
VARIEDADES
Confira algumas vantagens:
AS VANTAGENS
de ter um animal
DE ESTIMAÇÃO
São tantas as vantagens que compensam
gastos e eventuais preocupações
Ter pet em casa exige alguns cuidados. Mas o
trabalho é pequeno se comparado aos benefícios que eles nos trazem. Cerca de 33 milhões
de brasileiros que são donos de cães e 17
milhões que têm gatos já descobriram isso. Se
você ainda não tem um bichinho de estimação
para chamar de seu, saiba que nunca é tarde
para adotar um.
• No contato diário, crianças e animais aprendem a
controlar impulsos. Entre eles, a agressividade.
• Para pessoas tímidas, os bichos servem como um
bom treino para se comunicar melhor.
• Os bichinhos ajudam a lidar com fatos da vida, como
nascimento, reprodução e morte, além de reforçar a
autoestima.
• Ter um cão ou gato antes de completar 1 ano
de idade reduz pela metade o risco da criança
desenvolver alergias.
Os benefícios à saúde
Menos médicos, menos
remédios
Donos de cães e gatos vão
menos ao médico, garantem os
pesquisadores da Universidade
de Cambridge, na Inglaterra. E
precisam tomar menos remédios,
segundo um estudo australiano.
Quando ficam doentes, os donos
de cães ainda saem do hospital,
em média, dois dias antes que os
demais.
Coração blindado
Em pesquisa em Nova York,
corretores da Bolsa de Valores
foram submetidos a situações
de estresse e só os que tinham
um animal de estimação
apresentaram taxas normais
de pressão arterial. É que a
sensação de responsabilidade
e companheirismo diminui o
nervosismo e dilata os vasos
sanguíneos. Um estudo de 1980
já apontava isso: durante um
ano, a doutora Erika Friedmann
acompanhou 92 homens e
mulheres hospitalizados por
ataques cardíacos. Ela constatou
que 11 dos 39 pacientes sem
bichos morreram, enquanto
apenas 3 dos 53 donos de cães e
gatos tiveram o mesmo fim.
Muito mais amizades
Passear com um cachorro facilita
aproximações. Segundo uma pesquisa, pessoas que saem com seu
cão acabam fazendo mais amizades do que as que costumam
caminhar desacompanhadas.
“Hormônio do Amor”
Mulheres que adotam um cão ou
gato filhote passam a produzir
mais ocitocina, segundo revela
um grupo de cientistas japoneses.
Conhecida como hormônio do
amor, essa substância é responsável pela alegria quando a
mãe dá à luz o bebê e quando o
amamenta. Pesquisa realizada
nos Estados Unidos comprovou
ainda que casais que têm bichos
brigam menos do que aqueles
que não têm um animal de
estimação.
Bem-estar incomparável
Outro estudo americano,
dessa vez realizado com 240
casais, revelou que a presença
de um mascote em casa deixa
as tarefas do dia a dia muito
mais agradáveis, aliviando a
pressão cotidiana. Segundo o
veterinário Johannes Odedaal,
essa interação libera endorfina,
dopamina e outros hormônios
que reduzem a ansiedade, além
de relaxar o corpo.
Adeus, depressão!
A companhia de um cão evita o
isolamento de pessoas com idade
entre 65 e 78 anos, afastando a
depressão, segundo um estudo na
Inglaterra. E os benefícios não
param por aí: os idosos donos de
cães e gatos também se tornam
mais ativos e sociáveis, garantem
cientistas norte-americanos.
Fonte: Revista Anamaria
16 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
17
VARIEDADES
Cão
CÃO OU GATO
Qual o melhor para você?
Descubra qual é o
companheiro ideal,
de acordo com sua
personalidade e estilo de
vida.
Conheça as raças
ideais de acordo com
suas necessidades
Para quem tem crianças
Melhores raças: Beagle, Cocker
Spaniel, Rhodesian Ridgeback, Border
Collie, Golden Retriever, Dachshund
São cães brincalhões e ativos, como
as próprias crianças. Mas saiba: o
excesso de energia da turma às
vezes dá trabalho extra na hora do
adestramento.
Para esportistas
Melhores raças: Labrador,
Dobermann, Pastor-alemão e Galgo
Cheias de energia, essas raças
necessitam de muito exercício. O
corpo relativamente leve e o focinho
longo facilitam a respiração durante
as corridas.
Para quem tem outros pets
Melhores raças: Whippet, Labrador,
Sheepdog, Boston Terrier
São animais dóceis e bastante
sociáveis. De forma geral, lidam bem
com outros bichos no mesmo espaço.
Apenas tome cuidado com diferenças
significativas de tamanho.
Para quem tem alergia a pelos
Melhores raças: Maltês, Bichon Frisé,
Yorkshire, Cão de Crista Chinês
Diferentemente do que se pensa, o
que importa não é o comprimento do
pelo, mas a periodicidade com que ele
é trocado. E, nessas raças, as trocas
acontecem com frequência menor.
Banhos semanais ou quinzenais e
escovação diária também evitam
pelos soltos pela casa.
Para o campo
Melhores raças: Dobermann,
Rottweiler, Weimaraner e Boxer
Bichos com pelagem curta correm
menor risco de ser infestados por
parasitas comuns em espaços com
vegetação, como carrapatos e pulgas.
Porém, nos primeiros meses, esqueça
a aparência do jardim. Os mais jovens
adoram cavar, esconder brinquedos
e destruir plantas. Com a idade,
aprenderão a obedecer.
Para apartamentos
Melhores raças: Pug, Lhasa Apso,
Papillon, Yorkshire e Poodle Toy
Embora todos os cães precisem de
espaço, os de pequeno porte não necessitam de grandes áreas para correr,
brincar e gastar energia. Passeios
diários de 30 minutos são suficientes.
Para quem passa o dia fora
Melhores raças: Buldogue, Pug, Akita,
Chow-chow, Husky Siberiano
Apesar de nenhum cachorro gostar de
ficar sozinho, algumas linhagens lidam
melhor com a solidão. Essas podem
passar horas sem exigir atenção.
Fonte: mdemulher.abril.com.br
Gato
Pode ser o
seu melhor
amigo se:
1
Você trabalha
muito e fica fora de
casa o dia todo.
2
Não quer gastar
muito com banhos
em pet shops. Afinal,
todo bichano faz sua
autolimpeza.
18 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
3
Não tem muita
paciência para ensinar.
Os gatinhos aprendem, por exemplo, a
usar a famosa caixa
de areia sem a menor
dificuldade.
4
Não tem
tempo para levá-lo
passear. Um gato se
adapta muito bem em
ambientes internos,
desde que haja espaço
para correr e uma caixa
de areia para fazer
suas necessidades.
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
19
VARIEDADES
O MOMENTO CERTO
para dar um bicho
AO SEU FILHO
Seu filho pequeno vive pedindo um cão?
Veja qual é a melhor hora para atendê-lo.
Antes de ceder aos apelos dos
filhos, veja o que é preciso
levar em conta ao comprar
ou adotar um bichinho de
estimação. Confira a dica da
especialista:
“O contato entre criança e
bicho pode ser estabelecido
desde os primeiros anos.
Entre outras coisas, ajuda a
ampliar o senso de responsabilidade dos pequenos,
que, aos poucos, colaboram
na rotina de cuidados com
a mascote”, afirma a especialista em comportamento
animal Luciene Martins, de
São Paulo.
Segundo ela, “para que a
experiência dê certo, um
profissional deve orientar o
processo e a escolha da raça”.
Os cães de porte grande, caso
do labrador e golden, reque-
rem espaço. São interessantes
para crianças com temperamento mais ativo.
Já as raças menores e com
pelos longos, como shih tzu,
satisfazem os pequenos que
gostam de cuidar e carregar
no colo.
Mas é bom ter sempre em
mente que bichos não são
brinquedo e geram gastos.
Crianças, claro, não têm
consciência disso. Então,
sempre que seu filho pedir
um bichinho, não o iluda
dizendo que “vai pensar no
assunto”. Explique suas razões com argumentos claros e
dê a ele oportunidade de contato com a natureza: leve-o
ao zoológico, a parques ou
simplesmente até o vizinho
que tem um cão.
“ ...bichos
não são
brinquedo
e geram
gastos.”
Como orientar
o filho a cuidar
do bichinho de
estimação?
Crianças precisam de
orientação para cuidar de
seus Pets
Não espere que uma criança
com menos de 12 anos seja
capaz de tomar conta do bicho.
Ela pode ajudar, mas não tem
maturidade para realizar a
tarefa diária. Por isso, antes de
trazer o novo morador para
casa, os adultos devem decidir
quem se encarregará das
necessidades dele. Os pais dão
o exemplo de como tratá-lo.
As obrigações do dono
Quem tem um animal
doméstico deve insistir em
regras de higiene, como lavar
as mãos depois de brincar
com ele. Logo que o bicho
chegar, comece a ensinar-lhe
hábitos, como os lugares onde
deverá dormir e comer. Cães
precisam passear no mínimo
duas vezes por dia para fazer
as necessidades. É fundamental
recolher as fezes com saco
plástico.
Já os gatos utilizam caixa com
areia apropriada. Informarse com o veterinário e ficar
atenta ao prazo das vacinas
e dos vermífugos, zelar pelo
controle das pulgas, manter
o animal com coleira e placa
com número de telefone e não
deixá-lo passear sozinho são
cuidados básicos.
Segure a mão do seu filho e
mostre o jeito delicado de fazer
carinho. A criança precisa
aprender a não bater no animal
e a não incomodá-lo quando
estiver dormindo ou comendo.
Mesmo um cachorro manso
pode morder se ficar com medo.
A convivência é um duplo
aprendizado: para a família e
para a mascote.
Reflita sobre alguns pontos
antes de ceder aos apelos
de seu filho e dar-lhe um
bichinho de estimação.
Os especialistas acreditam que
a criança deve ter no mínimo
6 anos. Também é importante
saber que o novo amigo poderá
viver cerca de quinze anos
e que a responsabilidade é
permanente.
Procure conhecer as características das raças para depois tomar
uma decisão. Evite escolher
por impulso a raça da moda
ou aquela que foi protagonista
do filme das férias. Um cão de
grande porte ou agitado pode
gerar problemas para quem vive
em apartamento, por exemplo,
e, eventualmente, aumentar o
número de bichos abandonados.
A opção politicamente correta
é adotar um dos que vivem nos
abrigos de entidades protetoras.
Em geral, eles são doados
vacinados e castrados.
Fonte: claudia.abril.com.br
20 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
21
VARIEDADES
Vai Viajar?
Viagem com “amigo” de estimação
necessita de documentação específica.
O passageiro que pretende
levar um cão, gato ou outro
animal de estimação em
viagens internacionais deve
ficar atento às normas de
ingresso do país de destino.
Só no ano de 2011, o aeroporto de Guarulhos, um dos
principais pontos de partida
para o exterior, registrou a
movimentação de quase 8 mil
animais, um aumento de 33%
comparado a 2010. O Sistema
de Vigilância Agropecuária
Internacional (Vigiagro) do
Ministério da Agricultura,
Pecuária e Abastecimento
(Mapa) é responsável por
conferir a documentação
exigida antes de o animal sair
do Brasil.
O trânsito de animais de
companhia depende de um
certificado emitido pelo
Vigiagro – o Certificado
Zoossanitário Internacional
(CZI). Para obter o documento, é preciso procurar um
veterinário, que fornecerá o
atestado de saúde do animal
e outros documentos eventualmente exigidos pelo país
O CZI é feito na hora.
Excepcionalmente, devido à
grande demanda em algumas
unidades, a entrega poderá
demorar até 48 horas, desde
que todos os requisitos tenham
sido atendidos, incluindo
exames clínicos, vacinas e
testes laboratoriais. Países da
União Europeia, por exemplo,
demandam teste de anticorpos
contra raiva e só permitem
ingresso após três meses da
realização do exame. Para o
Japão, a espera é de seis meses
após o teste.
Volta
Para a entrada de cães e gatos
no Brasil, é necessário apresentar atestado de saúde assinado
por veterinário do país em que
o animal está. É obrigatória
a vacina antirrábica, exceto
de animais vindos de países
considerados livres de raiva.
As unidades do Vigiagro
funcionam de segunda a sexta-feira em horário comercial
(8h às 18h). Todos os aeroportos dispõem do serviço. No
Brasil, o certificado é emitido
gratuitamente. Mas, para este
tipo de transporte, as com-
panhias aéreas cobram taxas
baseadas no peso e tamanho
do animal, a critério de cada
empresa. Já nas viagens nacionais, durante o deslocamento,
o proprietário deve ter em
mãos a carteira de vacinação
do animal, atualizada para a
vacina contra a raiva.
Para vôos partindo de Chapecó,
busque informações junto a
UTRA - Unidade Técnica Regional
do Ministério da Agricultura.
Rua Nereu Ramos, 1750-E.
Anexo ao Mercado Público.
Telefone: (49) 3322-1924.
Fonte: www.embarquenaviagem.com
FISCAL FEDERAL AGROPECUÁRIO
de destino. Como o atestado
de saúde tem validade de três
dias, é preciso, dentro desse
prazo, dirigir-se à unidade
do Vigiagro mais próxima e
garantir a emissão do CZI.
Cães e gatos devem estar com
exames e vacinas em dia para
serem levados ao exterior.
A fiscal federal do Vigiagro,
Mirela Eidt, explica que a
permanência no destino pode
22 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
ser de um, dois, ou 90 dias.
Independente disso, para
retornar ao Brasil, o dono do
animal terá que procurar o
serviço veterinário oficial do
país em que está e providenciar um novo documento. Se
tudo estiver correto, o dono
nem precisa levar o animal
para obter o CZI. “O proprietário é responsável pela
fidelidade das informações,
que serão fiscalizadas no ponto
de ingresso”, destaca Eidt.
Em defesa dos interesses da sociedade
A delegacia sindical de Santa Catarina
parabeniza a todos os Fiscais Federais
Agropecuários pela passagem do seu dia.
Delegacia Sindical
de Santa Catarina
Telefone: (48) 3259-3169
Endereço: Rua João Grumiche Nº 18
Kobrasol | São José - SC | CEP: 88102-600
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
23
VARIEDADES
Abandono de Animais
A decisão de ter um animal de estimação, seja adotado ou comprado,
deve sempre vir acompanhada de muita responsabilidade. É preciso,
antes de mais nada, estar ciente de que esse serzinho verá em você
um porto seguro, uma referência de amor, confiança, e proteção.
Cuidá-lo será sua responsabilidade durante toda a vida dele.
O abandono de animais é assunto sério e que deve ser tratado como
tal. Basta, para isso, ter em mente que ao ser tirado do seu convívio,
seu animalzinho, sofrerá muito, não apenas com fome e sede, mas
pela exposição a situações de maus-tratos e outros perigos a que
estará exposto ao ser obrigado a viver nas ruas.
Esses são alguns motivos para o abandono de animais. Mas o principal
motivo mesmo é que o tutor não tem coração e não tem caráter!
ENTENDA
O que é considerado maus-tratos aos animais:
- Abandono;
- Manter o animal preso em correntes ou locais
fechados;
- Fazer uso de qualquer tipo de violência contra o
animal: espancar, bater, golpear com objeto ou pés e
mãos;
- Manter em locais sem higiene, pequenos e sem
conforto algum;
- Não prover água limpa e alimentação diariamente;
- Deixar o animal ao relento, no sol, na chuva, no frio;
- Manter o animal num ambiente sem ventilação e luz
solar adequada;
- Não levar ao veterinário quando o animal adoece;
- Envenenar um animal;
- Obrigar o animal a trabalhar excessivamente ou com
esforço superior à sua força.
A denúncia contra maus-tratos
pode ser feita pelo 190 da
Polícia Militar, para situações
que envolvam cães, gatos,
cavalos, aves e qualquer outra
espécie animal.
Abandonar ou maltratar
animais é crime.
Muitos não sabem, mas este
tipo de delito pode terminar
em multa e até 1(um) ano de
detenção, de acordo com a
artigo 32 da Lei n°9.605 de 12
de fevereiro de 1998.
Texto: Grupo Bem-estar Animal
Fui abandonado
porque fiquei idoso.
Fui abandonado
porque cresci
demais.
Fui abandonado
porque meu tutor
viajou de férias.
Fui abandonado
porque eu latia
demais.
Fui abandonado
porque minha tutora
mudou de casa e eu
não cabia nela.
Fui abandonado
porque fiquei
doente.
24 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
Fui abandonada
porque não procriava
mais e não dava mais
lucro.
Fui abandonado
porque fiz xixi no
tapete da sala.
Voluntários do Grupo Bem-estar Animal, Xanxerê - SC
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
25
VARIEDADES
CASTRAR É PREVENIR
o abandono
Muitos não sabem, mas para evitar a gravidez indesejada
do seu animal de estimação e o possível abandono, um dos
métodos, o mais eficaz, é a castração.
Esterilizar (castrar) significa tornar o animal,
incapaz de se reproduzir, através da retirada dos
órgãos sexuais. No processo, as fêmeas deixam
de entrar no cio (não ovulam) e os machos ficam
impossibilitados de produzir espermatozóides.
Isto é realizado através de um procedimento
cirúrgico. No caso dos machos, são retirados os
testículos (castração) e nas fêmeas, os ovários
(ovarioctomia) ou ovários e úteros (ovariohisterectomia). Em ambos os casos, os processos
hormonais desaparecem, mas as características
do animal (macho ou fêmea) permanecem.
Imagino que para os proprietários de cadelas,
o principal motivo é a “não entrada” no cio,
o que eliminaria uma série de inconvenientes,
especialmente por tornar a higiene mais simples
e prática. No caso dos machos, o principal
motivo é evitar que o cão marque o território
(xixi em vários locais) e também para o caso de
quando se tem fêmeas na mesma residência e o
cruzamento entre eles não é desejável.
A superpopulação de cães e gatos é um problema que afeta a maioria dos países, em maior ou
menor grau. A equação é simples: existem mais
animais do que lares para eles. Para evitar esse
grande problema a esterilização em cães e gatos
evita um aumento inesperado da prole, além
de trazer mais qualidade de vida aos bichinhos.
Mas antes de tudo, o que precisamos é que a
população humana tenha consciência disso e
castre seus animais para evitar crias indesejáveis
que na maioria das vezes são abandonados
e até mesmos sacrificados pelos seus donos.
Uma cadela e seus descendentes podem gerar
em 6 anos, 73.000 animais e não existem lares
responsáveis para todos e uma gatinha com vida
reprodutiva pode deixar até 2.000 descendentes.
26 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
A castração possui algumas vantagens:
• Reduz completamente o risco
de tumores de mama, próstata e
tumores transmitidos sexualmente;
• Evita gravidez indesejada,
não ocorre mais o cio e nem o
sangramento nas fêmeas;
• Elimina a gravidez psicológica
(pseudociese) nas fêmeas;
• Animais se tornam mais saudáveis
e sua expectativa de vida aumenta,
pois há menor chance de doenças
reprodutivas;
• Elimina o risco de uma piometra
(doença intra-uterina que
geralmente aparece após o cio, onde
o útero se enche de pus, na qual o
tratamento é a castração – ocorre
em cerca de 60% das fêmeas não
castradas);
• Nos gatos há a diminuição do hábito
de urinar nos objetos da casa para
demarcar território; evita que
fiquem fora de casa por dias sem se
alimentar para acasalar.
• Em cães evita crias indesejáveis e
reduz a marcação de território;
• Machos ficam muito mais tranquilos;
• Evita tumores testiculares, hérnias
perianais e tumores de glândulas
perianais tumores prostáticos,
entre outros. No entanto, convém
salientar que a esterilização não
muda nada em relação à defesa
territorial e agressividade por
medo, ou seja, a esterilização
não deixa o cão menos ou mais
medroso, nem interfere no seu
instinto de guarda. A personalidade
do animal não muda.
Esterilize seus animais e ajude a educar a população sobre essa necessidade,
como ato de amor e responsabilidade. Só assim poderá diminuir o número
de animais abandonados e sacrificados, evitando-se crias indesejadas, pois a
principal causa do abandono é o descontrole populacional.
Pablo Diego Presotto Bento
Médico Veterinário Trupe da Kuki
CRMV: 5140
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
27
VARIEDADES
10 Mandamentos
da posse responsável
6
Zele pela saúde psicológica do animal. Dê atenção, carinho e
ambiente adequado a ele.
7
Eduque o animal, se necessário, por meio de adestramento, mas
respeite suas características.
8
Recolha e jogue os dejetos (cocô) em local apropriado.
9
Identifique o animal com plaqueta e registre-o no Centro de
Controle de Zoonoses ou similar, informando-se sobre a legislação
do local. Também é recomendável uma identificação permanente
(microchip ou tatuagem).
10
Evite as crias indesejadas de cães e gatos. Castre os machos e
fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da
procriação e não tem contra-indicações.
Fonte: www.arcabrasil.org.br
1
Antes de adquirir um animal, considere que seu tempo médio
de vida é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de
acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique
quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados.
2
Adote animais de abrigos públicos e privados (vacinados e
castrados), em vez de comprar por impulso.
3
Informe-se sobre as características e necessidades da espécie
escolhida – tamanho, peculiaridades, espaço físico.
4
Mantenha o seu animal sempre dentro de casa, jamais solto
na rua. Para os cães, passeios são fundamentais, mas apenas
com coleira/guia e conduzido por quem possa contê-lo.
5
Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento,
vacinas e leve-o regularmente ao veterinário. Dê banho,
escove e exercite-o regularmente.
28 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
29
UNOESC XANXERÊ
UNOESC XANXERÊ
V
Figura 1: útero de cadela com
conteúdo purulento.
30 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
Figura 2: neoplasia mamária
em cadela.
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
31
CÃES
5 DICAS PARA VOCÊ
Aproveitar a companhia
DO SEU BICHINHO
Veja como curtir a companhia do seu bichinho de
estimação e crie uma maior afetividade com ele.
Está comprovado:
criar afetividade
com o bichinho de
estimação faz bem
ao corpo e à mente
do homem. Veja
como aproveitar a
companhia do seu
amigo de patas.
Dê banho
você mesmo
Massagem.
Por que não?
Você não ficará muito tempo
com o bicho no colo ou mesmo
perto dele se estiver exalando
mau cheiro, certo? Portanto,
torne seu animal “abraçável”.
Dê uma folga à pet shop e
providencie você mesmo o
banho do seu amigão. A água
morna e o carinho da massagem
com a espuma do xampu podem
trazer ótimos momentos.
Comece devagar. Diga palavras
suaves, num tom tranquilizante.
Aplique uma pressão gentil,
com a mão em forma de
concha, em movimentos largos,
da cabeça à anca. Deixe que
as pontas dos dedos (não as
unhas) deslizem por todo o
corpo, prestando atenção às
partes em que ele mais gosta
de ser afagado.
Cozinhe para ele
Invente jogos
para vocês dois
Escove os dentes
Pelo menos uma vez por
semana, dispense a ração e
prepare você mesmo alguma
coisa saborosa para seu animal
comer. Ele vai ficar feliz da vida.
Só não deixe de consultar antes
o veterinário para saber que
tipo de comida você pode fazer.
Brinque com seu animal. Ensine
novos truques a ele e aproveite
para se divertir também.
Nesse momento, podemos dar
risada e diminuir o estresse.
Lembre-se de que a diversão
é prioridade na vida do bicho.
Para isso, ele estará sempre
pronto.
Mantenha a boca do seu animal
saudável. Assim, você vai sempre querer estar próximo dele.
Há no mercado cremes dentais
apropriados com sabores
apetitosos. As pastas destinadas a humanos contêm muito
detergente e podem fazer mal
ao estômago do animal.
Fonte: vidasimples.abril.com.br
32 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
33
CÃES
Como
cortar
a unha
de um
Cão
Unhas bem cortadas são de fundamental
importância no acabamento do trimming
(aparamento) de um cão, podendo muitas vezes
melhorar a aparência de uma pata cujos dedos
não sejam muito bem arqueados.
Independente disto, o hábito de cortar as unhas
do seu Pet dá um aspecto mais limpo e possibilita
melhor movimentação do animal (unhas muito
grandes podem prejudicar o movimento e até
causar algum defeito no caso de cães em fase de
crescimento).
Veja na figura ao lado onde deve ser realizado
o corte da unha. A área pontilhada embaixo
da unha é tecido vivo com sangue e nervos e
é chamada de sabugo, ou leito da unha. Corte
diagonalmente na unha somente alguns poucos
milímetros. Em caso de dúvida, solicite o procedimento ao seu veterinário.
Fonte: www.belocaoguaratingueta.com.br
34 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
35
PÁSSAROS
ENTENDA A LINGUAGEM
Rangendo o bico
Fazer carinho em outras calopsitas
O ranger de bico característico das calopsitas
(roçar a parte de cima com a parte de baixo
do bico) indica uma sensação reconfortante,
responsável pela liberação de endorfina,
substância responsável pelo bem-estar, redução
da ansiedade e melhoria do sono.
A calopsita gosta de dar e receber carinho, não
somente com calopsitas do sexo oposto. É normal
ocorrer isso entre pássaros do mesmo sexo, entre
pais e filhos, entre jovens ou adultos, portanto,
não estranhe.
Curiosa, amigável e inteligente. A calopsita é assim, uma ave simplesmente
encantadora. Sua fácil domesticação aliada à sua facilidade em reproduzir sons,
assoviar e imitar palavras está levando cada vez mais pessoas a buscar esse
pássaro como animal de estimação.
Se você também curte essa avezinha topetuda e quer saber mais sobre seus hábitos
e comportamento, não pode perder as dicas a seguir.
Gritos frequentes
das calopsitas
Alguns sinais que podem dizer
muito sobre o que ela está
pensando ou sentindo.
Passar o bico entre as penas do corpo
Ato de higiene bastante comum e, portanto, um
comportamento normal na espécie.
Jeito curioso
Naturalmente curioso, é um pássaro muito
observador.
Ficar empoleirada somente com uma
perna
Indicativo de relaxamento. Geralmente, nessa
ocasião as aves aproveitam para tirar uma soneca.
Abaixa a cabeça para você
Representa a confiança que ela deposita em você,
para receber carinho. Faça movimentos delicados
em sua ave, na cabeça, na região da bochecha, dos
ouvidos.
Irritação
A calopsita abre o bico, muitas vezes de forma
seguida, isso ocorre geralmente quando está
relaxada, ou próximo ao horário de dormir.
Procure relacionar-se com sua ave de forma
tranquila, sem movimentos bruscos, evitando
tocá-la em partes do corpo que ela não goste. Não
é a todo instante que sua calopsita está animada
para uma brincadeira, um carinho, e isso precisa
ser respeitado, inclusive as horas de sono que são
preciosas (ao cair da tarde até a manhã seguinte).
Seguindo esses cuidados você estará evitando que
sua ave sinta-se estressada, o que pode propiciar
irritabilidade e o desencadeamento de doenças.
Abrindo o bico e girando o pescoço
Bico com bico
Gritos podem expressar muitas coisas. Cabe ao
dono tentar identificar o que a ave quer dizer.
Pode ser por se sentir sozinha, por querer sair da
gaiola, por medo, fome, estresse, etc.
Bocejando
Significa descontração.
Espreguiçando-se
Mesmo entre casais, as calopsitas podem ter
um desentendimento momentâneo, o que não
significa que não possam ficar juntas.
Descontraindo-se ou dando boas vindas.
Pela legislação ambiental brasileira, a calopsita é considerada ave
doméstica, conforme portaria nº 93 do Ibama.
Aves domésticas são aquelas que, através de processos tradicionais e
sistematizados de manejo e melhoramento zootécnico, tornaram-se
domésticos, possuindo características biológicas e comportamentais em estrita
dependência do homem, podendo inclusive apresentar aparência diferente
da espécie silvestre que as originou. Portanto, a calopsita não é uma ave cuja
criação, comércio e posse é controlado pelo IBAMA.
Fonte: www.portaldascalopsitas.com.br
Posição do topete
Em posição normal, significa que sua calopsita
está relaxada e calma; Ereto, significa atenção;
Para baixo, significa que a ave está concentrada e
interessada no que está ao seu redor.
Asas abertas com corpo para baixo
Alegria, batendo asas para voar.
36 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
37
PÁSSAROS
Calopsitas adestradas
Isso mesmo! Já foi o tempo em que apenas os
cãezinhos recebiam treinamento para um melhor
convívio social e com seu dono.
O adestramento de calopsitas requer paciência e dedicação, porém o
processo pode se tornar rápido e divertido se você possuir tais características.
Conforme você cria intimidade com o seu animal, é possível vê-lo se
transformar de pássaro inquieto a uma criatura confiável que come em sua
mão e até empoleira-se em seu dedo ou ombro. Com os cuidados certos,
você pode desenvolver uma relação duradoura com a sua ave e vivenciar os
benefícios de possuir um bicho de estimação amigável e feliz.
Como
Fazer
Buscar a aproximação com
o seu amigo bicho
Ponha o animal em uma gaiola, para que
possa se socializar. Apresente-o à outras
pessoas, posicionando a gaiola em uma
sala pública ou familiar, antes de realizar a
transferência para uma gaiola maior. Dessa
forma, ele irá se acostumar às pessoas
antes de retornar a um ambiente mais
“natural”.
Tornem-se grandes amigos
em pouco tempo
O que você vai precisar?
Pequena gaiola
Espaço com bastante
circulação de pessoas
Guloseimas de calopsitas
Comida
Fique próximo da gaiola com frequência
para que a calopsita se acostume à
presença humana. Se você quiser adestrá-la
com rapidez, será preciso se comprometer
com três ou quatro sessões de dez minutos
por dia, mantendo-as curtas para evitar
agitar demais o animal e permitir que
descanse. Embora seja possível treinar uma
calopsita com apenas uma curta interação
diária, seu pássaro ficará amigável mais
rápido se você fizer várias. Obviamente,
diferentes aves possuem diferentes
personalidades, o que influencia no tempo
necessário para que se tornem adestradas.
Chame seu novo amigo pelo nome
Inicie o contato gradualmente. Na primeira
semana, realize atividades próximo o
suficiente para que ele o veja, porém não
tanto para não causar medo. Assim que
nomeá-lo, fale o seu nome suavemente
sempre que chegar perto da gaiola ou
alimentá-lo. Dessa forma, a calopsita se
habituará à sua voz.
Fique perto enquanto ele come
Fique perto da gaiola após levar comida para
que o pássaro aprenda a confiar e comer em
sua presença. Se a princípio houver recusa
em comer, afaste-se um pouco. Conforme
você repetir o processo, o espaço entre
vocês será reduzido.
Veja que progresso! Dê o alimento
direto de sua mão.
Ponha uma pequena porção de comida de
pássaro em sua tigela. Quando ele comer e
quiser mais, ofereça de sua própria mão. Se
ele recusar, ponha na vasilha. Repita isso até
dar certo, o que indicará que seu amigo está
adestrado e confortável com a sua presença.
Agora você pode fazer poleiros com seus
dedos e ombros.
Abaixo dicas para ajudá-lo ainda mais no
treinamento do seu novo amigo bicho.
• Para obtermos bons resultados no
adestramento de pássaros, e torná-los
ótimos pets, devemos fazer com que eles
sintam prazer nos exercícios realizados.
• Antes de abrir a gaiola, certifique-se
que ele esteja com suas penas de voos
contidas e que não tenha nada ao seu
redor que venha causar danos e risco a
sua vida.
• Durante o treinamento, em especial no
início, procure usar luvas de couro.
• Caso o pássaro pule de sua mão e caia no
chão, tenha calma, espere ele se ajeitar
e então faça todo o processo novamente
abaixado junto a ele e oferecendo a sua
mão, transmitindo calma, segurança e,
principalmente, confiança.
• Sempre que seu pássaro realizar algum
comando solicitado, elogie e ofereça uma
guloseima como recompensa.
• Reveze seus brinquedos semanalmente,
assim seu amigo terá mais interesse neles
e ficará mais feliz.
Fonte: www.ehow.com.br / universodascalopsitas.blogspot.com.br
38 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
39
SOCO CHAPECÓ
Em junho de 1989, com o apoio de algumas pessoas,
Dr. Wilmar José Nogara fundou a Sociedade Oeste
Catarinene de Ornitologia, a SOCO.
A ideia veio depois de conversas de Nogara com outros
criadores, onde se constatou, não apenas a necessidade,
como a viabilidade da criação de uma associação local.
Depois do ato de fundação e dos trâmites legais, após
cerca de um ano, já em 1990, foi realizada a primeira
exposição da SOCO. Devido ao seu sucesso, a prefeitura
doou o terreno onde é hoje a sede da SOCO e graças a
doações e parcerias, em 1995 a obra foi concluída.
40 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
www.socochapeco.com.br
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
41
PÁSSAROS
criação de
Canário Belga
Saiba mais sobre essas encantadoras
aves ornamentais e como criá-las.
O canário belga é originário das
Ilhas Canárias, e ancestral nativo dos
canários domésticos que conhecemos
(Serinus Canaria) e lá encontrado até
os dias atuais.
Esses pássaros sofreram inúmeras
modificações, ou seja, mutações, tanto
no porte quanto na cor e se tornaram
uma ave doméstica. São conhecidos
dentre outros nomes por canário
belga, pois uma linhagem veio da
Bélgica, e por canário do reino, pois
eles costumavam chegar ao Brasil
por meio de navios que vinham do
“reino” de Portugal. Atualmente
existem aproximadamente 600 cores
de canários de cor e mais de 200
variedades de canários de porte.
O canário belga mede entre 14 e
15 centímetros da ponta do bico à
extremidade da cauda. A cabeça é
pequena e estreita, as pernas longas, o
peito arredondado e cheio e tem uma
plumagem compacta e lisa.
Sempre devemos dar preferência na
aquisição de canários jovens, pois
REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
estes geralmente estarão em melhor
condição se comparados a pássaros
considerados adultos, ou seja, de anos
anteriores ao último ano de criação.
Estes pássaros devem possuir um aspecto saudável; devem estar dispostos,
saltitantes ou ainda espertos, pulando
de um lado para o outro nos poleiros
da gaiola. Canários que ficam quietos
em um canto da gaiola ou com a
cabeça debaixo da asa durante o dia
podem estar com alguma doença.
A alimentação deve ser a base de
alpiste, podendo também ser fornecido colza, niger, linhaça, cânhamo,
verduras e legumes como couve,
almeirão, mostarda, chicória e jiló.
Tudo isso, de forma equilibrada e
nas proporções adequadas. Existem
diversas misturas dessas sementes
prontas para canários no mercado.
Importante mesmo é atentar para a
qualidade das mesmas. A água dos
bebedouros, deve ser trocada todos os
dias, impreterivelmente, lembrando
que estes utensílios devem sempre
serem lavados e/ou desinfetados.
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
43
A gaiola para o casal deve medir
no mínimo 60cm de comprimento,
40cm de altura e 30 cm de largura. O ninho apropriado possui
formato de taça, devendo ser
também forrado. Deve-se deixar
fios de estopa ou mato fino e seco
para que o casal possa fazer o
ninho, nunca use fios cortantes ou
algodão, eles podem cortar o pé
dos canários ou grudar nas unhas
e quando eles saírem do ninho vão
acabar derrubando os ovos.
As fêmeas botam geralmente de 4
a 5 ovos em dias seguidos e a incubação leva em torno de 13 dias.
Os filhotes podem nascer todos no
mesmo dia, caso os ovos tenham
sido tirados da fêmea e colocados
todos juntos quando ela começou
a chocar. A partir de 15 dias os
filhotes começam a deixar o ninho,
mas devemos mantê-los com os
pais por pelo menos 30 dias, para
então “desmamarmos” com mais
segurança, pois é imprescindível
que todos os filhotes saibam se
alimentar sozinhos.
O sucesso na criação depende
única e exclusivamente dos cuidados e da atenção do criador, pois
de nada adianta ter as melhores
instalações, mas um manejo
inadequado. A média mínima
aceitável de filhotes por casal é de
5, ou seja, se um pequeno criador
tiver 10 casais, deve ter como alvo
a produção de 50 filhotes.
A criação de canários, geralmente
esta ligada aos apaixonados por
estes pássaros que há séculos vêm
encantando o homem com sua
beleza inconfundível e exótica.
Porém, todos podem ter um
exemplar em casa ou até no
trabalho para ouvir o canto que é
inusitado, prazeroso, inconfundível
e hipnotizante.
44 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
Adaptação:
Rudimar Rober Schneider
Criador de canários de cor
O acasalamento deve começar
no final do inverno ou início da
primavera, aqui no Brasil, ou seja,
a partir do final de julho ou no
início de agosto, se estendendo
até o final de dezembro. Pode-se
avançar no ano seguinte, até o
início da muda no máximo, que
geralmente acontece, em 80% dos
pássaros do plantel, a partir de
março, se entendendo por mais de
2 meses.
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
45
QUIZ
Você conhece o seu cão?
Preparamos algumas perguntas para lhe ajudarar a descobrir o
quanto você conhece o seu amigo canino.
Amigo Bicho Recomenda
Se o seu cão apresenta problemas de
comportamento, Cesar Millan tem a
solução. Confira o seu trabalho.
LIVRO
1 - Quando posso começar a
levar o filhote para passear?
Logo após o desmame, o filhote
já pode sair de casa;
Apenas após a vermifugação;
5 - Por que os cães fazem xixi
fora do lugar?
Por que são mal educados;
Por que são mal acostumados;
Para marcar território.
Só depois das três primeiras
doses de vacina.
2 - Como saber se o bicho está
com febre?
Pondo um termômetro na boca
dele;
Sentindo a temperatura do nariz
ou introduzindo o termômetro no
ânus;
Animais não sentem febre.
3 - Quando seu cão está com a
língua para fora, é sinal de que:
Ele está com água na boca, pois
viu alguma comida e ficou com
vontade;
Ele está com sede;
Ele está com calor.
4 - O que é cinomose?
É uma operação que deve ser
feita quando o pet ainda é filhote;
É um tipo de vacina;
6 - Quando é a hora certa para
castrar as fêmeas?
Só após a primeira cria;
Só depois do primeiro cio, no
caso das fêmeas;
Depois das vacinas, por volta dos
quatro meses de idade.
Respostas
na pg. 60
Em “O Encantador de Cães”, Cesar Millan conta
como aprendeu a entender o comportamento canino
e compartilha sua sabedoria, ensinando o leitor
a construir um relacionamento mais profundo e
satisfatório com seu companheiro de quatro patas.
Autor: Millan, Cesar
Editora: Verus
Categoria: Agropecuária / Criação de Animais
7 - Se meu bicho está cabisbaixo,
devo:
Dar remédio para ele, pois deve
estar doente;
Fazer ele se alimentar para ficar
forte;
Levar ao veterinário para
identificar o problema.
8 - De quanto em quanto tempo
as fêmeas entram no cio?
Todos os meses;
DVD
O Encantador de Cães aborda os problemas da vida
real enfrentados por donos de cães em todos os
lugares. Cesar Millan, um dos maiores especialistas da
área, oferece soluções realistas e viáveis para todos
os problemas de comportamentos mais comuns de
cães. Sua personalidade dinâmica é hipnotizante, e
os conceitos simples que ele oferece são fáceis de
entender e colocar em operação.
Como diz o próprio Cesar, “Este não é um treinamento,
é uma reabilitação”.
Uma vez por ano;
De seis em seis meses.
TV
9 - Quanto tempo dura a
gestação de cadelas?
Nove meses, como das mulheres;
Seis meses, durante o intervalo
de cada cio;
Dois meses.
A série O Encantador de Cães acompanha o
especialista em comportamento animal, César Millan,
e mostra como ele trabalha com os animais e seus
donos. O Sr. Millan descreve seu trabalho como
“reabilitação de cães” e ensina os donos a procurarem
um equilíbrio.
Canal: Animal Planet
É uma doença grave que atinge o
sistema nervoso dos animais.
46 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
47
GATOS
Alimentação
dos Gatos
Veja como manter seu bichano em forma.
Para gatos domésticos, uma
dieta bem equilibrada é
básica para o seu desenvolvimento e crescimento.
As necessidades nutritivas
variarão segundo a idade e
condições dos animais.
A etapa de amamentar é
fundamental para um bom
comportamento do gato que
será mais dócil e carinhoso
do que os gatos alimentados
na mamadeira. Se a mãe não
puder amamentar, o ideal é
comprar leite em lojas especializadas e nunca substituir o
leite da gata pelo de vaca.
De modo geral, não devemos
alimentar nossos gatinhos
com nossas sobras de comida.
Isso, porque não terão as
vitaminas e aminoácidos
essenciais à sua dieta.
A consistência da comida
também é importantíssima
para felinos. Ela deverá ser
preferencialmente seca. Na
hora de dar medicamentos,
recomenda-se alimentos leves.
A cada dia que passa existem
alimentos mais específicos,
elaborados por especialistas,
considerando muitos fatores
como a idade, a fisionomia, o
momento de vida do gato, etc.
E cuidado com os enlatados!
Devemos ficar de olho, pois
nem sempre esses alimentos
contêm todos os ingredientes
anunciados em sua composição. Outro cuidado
importante é lembrar que os
gatos são animais carnívoros
e precisam desse alimento de
vez em quando. A ideia de
que seu gato gosta apenas de
peixe não tem fundamento.
As vitaminas são essenciais
para uma boa dieta. Elas
são encontradas em vários
alimentos diferentes, mas,
para os gatos em especial,
as de origem animal são as
melhores, pois são mais facilmente absorvidas. A vitamina
A, presente no fígado é boa
para a pele e para a visão. A
vitamina B ajuda na assimilação das proteínas, etc.
As calorias que um gato gasta
vai depender do seu peso e
da sua idade, principalmente.
As etiquetas dos produtos
podem-nos dar informações
relevantes neste aspecto.
Quanto aos doces, açúcar
e chocolate estão proibidos.
Mas se você quer agradar
seu bichinho com uma
recompensa doce, as lojas de
animais têm a venda produtos
especiais para esta finalidade.
Em resumo, os principais
alimentos de origem animal
que os gatos podem comer
são peixes e carnes.
O peixe deve ser cozido antes
de ser servido ao seu amigo
felino. Em segundo plano na
alimentação do seu gatinho
estão o arroz, o leite, verduras
e derivados lácteos.
Cinco alimentos que o seu amigo felino não deve comer
Laticínios:
Começando pelo leite de vaca e passando por todos os
produtos derivados do leite. Nenhum deve ser ingerido
pelos felinos, pois, a maioria dos gatos é intolerante à
lactose.
Massa de pão:
Se for ingerida crua, a fermentação pode ocorrer
no estômago do gato, causando dores abdominais,
inchaço, letargia, desorientação, convulsões e até
estados de coma ou a ruptura do estômago/intestinos.
Uva:
As uvas, sejam frescas ou secas, são especialmente
venenosas para os gatos, podendo causar danos
irreversíveis aos rins. Em caso de ingestão, as reações
poderão ser: letargia, vômitos, sede anormal,
quantidades excessivas de urina.
Tomate:
Contém solanina – um glicoalcalóide tóxico que,
mesmo ingerido nas menores quantidades, pode ser
fatal para gatos. Principais sinais de alerta: vômitos,
diarreia, comportamento desorientado e paralisia.
Chocolate:
Extremamente tóxico se ingerido por gatos, o chocolate estimula, de forma negativa, o coração e o sistema
nervoso o que, por sua vez, traduz-se em sintomas como temperatura corporal elevada, batimento cardíaco
irregular ou acelerado, sede anormal, tremores, vômitos, agitação e convulsões.
fontes: gatos.mundoentrepatas.com / anossavida.pt
48 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
49
GATOS
Hora da diversão
Uma bolinha de papel no chão, um fiozinho de
plástico ou tecido que fica balançando. Qualquer coisa
brilhante, que faça barulho ou que esteja amassada
poderá se transformar em um brinquedo para o seu
gatinho. Mas é importante ficar atento ao material e
tamanho do objeto, para que não seja engolido e cause
problemas à saúde do seu amigo felino.
Aqui vão algumas
sugestões de brinquedos
“caseiros” e comprados
que os gatos adoram.
Túnel: Eles adoram passar
por ele e se esconder.
Caixas de papelão: Essas são
as preferidas dos gatos. Dê
uma caixa de papelão e eles
transformarão em casa, cabana,
esconderijo, além de gostarem
de brincar de pegar com a pata
quem está do lado de fora. É uma
verdadeira diversão!
Bichinhos de pelúcia: Os gatos
adoram interagir com bichinhos
de pelúcia. Ficam dando patadas
e passeiam com eles pela casa,
como se fossem companheiros.
Bolinhas de papel: Parecem
verdadeiros jogadores de futebol,
lançando a bolinha para frente
com as patas e correndo para
alcançá-las. Essa brincadeira
pode durar muito tempo. A única
restrição é quanto ao tamanho
para que não engulam.
Se preferir comprar os
brinquedos, aqui estão
os preferidos.
Ratinhos de tecido: São ainda
mais atrativos quando vêm com
elástico que permite balançar
para cima e para baixo. Os
gatos se divertem saltando para
alcançar o alvo.
Arranhador e mini-poste: Além
de brinquedo, serve para afiarem
suas unhas, evitando estragos
pela casa. Ao invés de cravarem as
unhas no sofá ou em algum outro
estofado, os gatos arranham esse
mini-poste.
Fonte: www.estimacao.com.br
50 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
51
PEIXES
COMO CUIDAR
do seu Peixinho
Qualquer um pode criar peixes, mesmo em
uma casa pequena. Aliás, trata-se de um
hobby ideal para apartamentos, nos quais
é difícil ou mesmo proibido manter animais
maiores. Os peixes oferecem ainda outras
vantagens: não necessitam fazer exercícios;
não sujam a casa com pelos ou penas; não
fogem, nem fazem barulho. Tudo o que
você necessita é de um pequeno espaço
que possa comportar um aquário.
Mas, se não tratados da forma correta, a
sua vida pode ser drasticamente abreviada.
A boa notícia é que os cuidados de espécie
para espécie são basicamente os mesmos.
“O que muda, principalmente, é a parte
nutricional. Afinal, alguns se alimentam na
superfície, outros no meio e no fundo do
aquário”, afirma Danyelli Ornelas, bióloga e
gerente de produção da Megazoo. Logo, no
caso de aquários comunitários, a ração deve
ter flutuabilidade em níveis diferentes.
52 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
53
Alimentação
Os peixes podem ter hábitos alimentares
mais carnívoros ou herbívoros, no quesito
de proteínas. Mas “nenhum animal é
completamente herbívoro ou carnívoro, e um
pouco de ambas as proteínas é importante para
a sua nutrição”, explica a bióloga. Ainda, é
importante atentar para as gorduras (ter entre
5% e 6% de extrato etéreo) e para o excesso de
vitamina A, que também é tóxico para o peixe.
Além disso, “eles enxergam muito bem as cores,
mas não é bom que ingiram uma ração com
corantes artificiais, pois mancham muito a água
e podem gerar alergias”, completa Danyelli.
Também nunca deve sobrar ração no aquário.
Quando isso acontece, é sinal de que o dono
está oferecendo comida em excesso para o
animal.
Aquário
O aquário deve ser montado de acordo com
hábitos e tamanho dos peixes que viverão ali.
No caso dos Bettas, não há necessidade de um
filtro, mas a água deve ser trocada por completo
pelo menos uma vez por semana. “Se ela for
trocada pela metade, uma hora ele vai acabar
se intoxicando na amônia”, informa a bióloga.
É importante também lavar todo o aquário,
tratar a água com condicionador específico ou
anticloro, e aguardar por aproximadamente
uma hora antes de movê-lo de volta — para
que ela fique em temperatura ambiente. Já
nos grandes aquários, é indispensável o uso de
filtros, aquecedores, e até mesmo luz artificial
de acordo com as espécies e tamanho do
recipiente. Nesses casos, não se deve retirar
a água por completo. Se for trocá-la toda a
semana, deve se remover 1/4 do total e repor
com a água tratada. Se preferir fazer esse
processo a cada 15 dias, metade do líquido deve
ser trocado. A falta de luz diminui a resistência
dos peixes pela queda de oxigênio da água, e
é considerada um dos fatores essenciais para o
aparecimento da popular doença dos pontos
brancos, ou Ictio. A enfermidade é causada por
um parasita e, “além de ser a mais comum, é
também a mais perigosa, pois pode matar todos
os peixes rapidamente por anemia ou asfixia —
quando se instala nas guelras”, afirma Vanessa
Lopes, médica veterinária e responsável
técnica do laboratório Mundo Animal (SP).
Outros fatores para o seu aparecimento são
mudanças bruscas de temperatura e o estresse
no transporte desses animais.
Fonte: revistavivasaude.uol.com.br
Ela já mudou muito,
mas isso é só o começo!
Novo site: www.agencia
54 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
.com.br sem limites
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
55
ROEDORES
Hamsters
Os hamsters gostam
de manter certos
hábitos. A observação
das atividades e
comportamento desses
animais é uma das
principais diversões
de quem escolhe este
pequeno roedor como
seu amigo.
Cuidados com o hamster
Os cuidados básicos com um hamster
não exigem mais que cinco minutos por
dia. Entretanto, como para todo animal
de estimação, esses pequenos cuidados e
o carinho devem ser diários. Os hamsters
são animais sociáveis e apesar do seu
pequeno tamanho, são valentes e ferozes.
A limpeza da tijela, bebedouro e cama
deve ser diária. Semanalmente, é necessário retirá-los da gaiola e fazer a limpeza
com um pano úmido.
Gaiolas para hamster
A expectativa de vida da
espécie é de 2 a 3 anos. São
animais de hábitos noturnos.
Dessa forma, passam a maior
parte do dia repousando e
tornam-se ativos no cair da
noite. Entre a oitava e décima
semanas de idade, a fêmea
já está desenvolvida e pronta
para a reprodução, entrando
no cio, que dura quatro dias. A
gestação dura cerca de 15 dias.
Durante a gravidez é essencial
deixar a fêmea num ambiente
tranquilo e alimentá-la o
mais corretamente possível.
Quando se aproxima o
momento do nascimento, é
necessário isolar a fêmea dos
outros hamsters.
Em relação à alimentação
destes pequenos animais,
existem alimentos já
preparados para eles.
Normalmente se trata de
comida seca em forma de
croquetes ou pastilhas, que
proporciona ao hamster
os minerais e vitaminas
necessários para o seu bom
desenvolvimento.
Estes animais têm o costume
de armazenar o alimento para
depois comê-lo durante o dia
em diferentes horas, por isso
56 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
devem ser alimentados uma
única vez por dia, sempre no
mesmo horário.
A alimentação básica deve ser
comida seca. Os alimentos
frescos se decompõem com
facilidade e umedecem a
gaiola, podendo comprometer
a saúde do seu bichinho.
Se você quiser dar uma
guloseima ao seu hamster,
dê sementes de girassol ou
frutas e verduras frescas,
sempre limpas. Evite as frutas
ácidas como os cítricos. Estas
guloseimas podem ser dadas
duas vezes por semana.
Os hamsters são animais de
estimação muito populares devido ao seu tamanho reduzido
e à facilidade nos cuidados.
Este simpático animalzinho
deve ter um lugar próprio e
adequado. Recomenda-se
três tipos ideais de gaiola: a
de barras, o aquário de vidro
com a tampa em grades ou a
gaiola de acrílico.
De forma geral é importante
proporcionar ao seu hamster
a maior gaiola possível, pois
embora sejam animais pouco
ativos durante o dia, à noite
eles compensam, movimentando-se muito.
O local ideal para colocar a
gaiola é em ambiente com um
bom conforto térmico, isto
é, arejado, sem correntes de
ar e sem incidência direta da
luz do sol. O fundo da gaiola
deve ser de material deslizante
para facilitar a limpeza.
Fonte: mamiferos.mundoentrepatas.com
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
57
EXÓTICOS
Ficha
Nome científico:
Iguana iguana
Nomes populares: Iguana,
iguana-verde, camaleão,
sinimbu
Iguana
Origem: América do Sul. Vive
em regiões variadas, desde as
tropicais até as desérticas. É
muito comum no México
Mesmo com cara de
poucos amigos, este
réptil, é perfeitamente
domesticável e se
torna cada vez mais
popular entre os fãs
de bichos exóticos.
Claro que o iguana jamais será um
companheiro no sentido literal da
palavra, como um cão ou um gato,
mas, também não quer dizer que ele
seja de comportamento agressivo.
Caso se sinta ameaçado “pode até
usar a cauda como um chicote, além
de arranhar e morder”, alerta a bióloga Paola Antoniassi, da clínica Pet
Center Marginal, em São Paulo. A
reação intempestiva virá se o bicho
for manuseado de forma brusca.
Crianças, portanto, não combinam
com essas criaturas primitivas.
Importante: o réptil deve ser adquirido de um criadouro autorizado
Tamanho: Pode chegar aos
2,50 m, mas no Brasil não
costuma ultrapassar 1,80 m
Coloração: Varia de verdelimão até marrom-acinzentado
Expectativa de vida: 15 anos
pelo Ibama. O órgão exige que ele
venha com um microship cujo número de registro deve coincidir com
o que consta em sua nota fiscal. Em
relação às doenças que os animais
transmitem para o homem, o maior
risco, no caso, é a salmonelose,
infecção por bactéria que provoca
diarréia e vômitos. “Para prevenir o
transtorno, mantenha o terrário limpo, lave as mãos depois de tocar no
bicho e leve-o ao veterinário para
livrá-lo de desnutrição, pneumonia,
problemas de pele e estômago”,
recomenda o especialista Roberto
Fecchio, do Hospital Veterinário
Sena Madureira, em São Paulo.
Tudo de que um iguana precisa é
um terrário com um bom sistema de
aquecimento. “Isso é importante para
seu metabolismo funcionar direito”,
justifica o veterinário Rodrigo
Teixeira, do Parque Zoológico de
Sorocaba, no interior paulista. “Já a
luz ultravioleta ajuda a fixar a vitamina D.” A umidade ideal deve estar
entre 70% e 80%. Para controlá-la,
compre um medidor. Se o dispositivo
acusar que a umidade está abaixo
do recomendável, borrife água no
ambiente.
Quanto ao cardápio do réptil, é
variado e pouco convencional.
“Insetos como tenébrio, grilo, barata
e até filhotes recém nascidos de rato
devem ser oferecidos duas vezes
por semana, em dias alternados”,
recomenda Teixeira. Haja estômago!
“Mas o iguana também pode se
deleitar com uma ração específica,
complementada com frutas, verduras,
legumes, ovo ou carne, em dias alternados”, acrescenta Paola Antoniassi,
para tranqüilidade geral. Ah, os
iguanas também gostam de rosas, mas
nada de alimentar o bichinho com
flores colhidas no seu jardim. Se optar
por esse tipo de alimento, procure as
que são vendidas em lojas especializadas. Vale o mesmo para os insetos.
fonte: saude.abril.com.br
58 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
59
QUIZ
Respostas do quiz:
VOCÊ CONHECE O
SEU CÃO?
1 - Quando posso começar a
levar o filhote para passear?
5 - Por que os cães fazem xixi
fora do lugar?
Só depois das três primeiras doses de vacina. Filhotes contraem
doenças com mais facilidade.
Na maioria das vezes, mesmo
os adestrados, por que querem
marcar território.
2 - Como saber se o bicho
está com febre?
6 - Quando é a hora certa
para castrar as fêmeas?
Em casa, você pode sentir o estado febril pelo nariz do bicho. Se
estiver quente, poderá estar com
febre, porém, será mais preciso se
medir a temperatura anal.
Depois das vacinas, por volta
dos quatro meses de idade já é
possível castrar as fêmeas.
3 - Quando seu cão está com
a língua para fora é sinal de
que:
Ele está com calor. Como os
cachorros não suam, colocar
a língua para fora é a forma
de trocar temperatura com o
ambiente.
4 - O que é cinomose?
É uma doença grave que atinge
o sistema nervoso dos animais.
7 - Se meu bicho está
cabisbaixo, devo:
A primeira alternativa é
fornecer alimento, se permanecer
cabisbaixo, leve-o ao veterinário.
8 - De quanto em quanto tempo as fêmeas entram no cio?
De seis em seis meses.
9 - Quanto tempo dura a
gestação de cadelas?
Dois meses.
gOSTOU?
ENTÃO cONFIRA O QUIZ DA PRÓXIMA EDIÇÃO.
60 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
Criadores Associados à SOCO
Sociedade Oeste Catarinense de Ornitologia
Veja na
próxima edição
Matéria especial sobre
adestramento, com a Dra.
Lúcia Helena Maia Franco,
da Dog Show Chapecó.
Fotos: Oh Fotografia
62 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
63
CONTE SUA HISTÓRIA
Lindinha
Esse é mais um caso onde os
“donos” adotam um filhote e
acham que eles não crescem,
não fazem necessidades
fisiológicas, não comem, não
precisam de atenção.
Esse era o estado da
Lindinha quando foi
acolhida.
Assim aconteceu com Lindinha.
Quando ela cresceu, os donos a jogaram para fora do portão e não a
deixaram mais entrar. Ela passou a
vagar pelas ruas e terrenos baldios,
perto da casa onde julgava ser seu
lar, juntamente com outros dois cachorros de rua. Ela estava prenha,
cheia de pulgas, carrapatos, bicho
de pé e um cheiro horrível. Pobre
animal! Parecia um esfregão.
Decidimos então que tínhamos que
fazer algo: Tiramos Lindinha da
rua e a levamos em uma pet shop
para os devidos cuidados.
Uma vizinha, que conhecia melhor
seus antigos donos, avisou que iríamos cuidá-la e encaminhá-la para
adoção. Eles aceitaram com uma
condição: que quando ela tivesse
os filhotes eles ficariam com um.
Jamais! E, para que não a pedissem
de volta, a mandamos para um lar
64 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013
provisório, na casa de amigos (por
lá já passaram vários animais que
foram para adoção).
Lindinha teve cinco filhotes, três
machos e duas fêmeas, e todos
foram adotados. Antes de ser
adotada, foi castrada pela ONG
Amigos dos Bichos.
Não fazemos parte de nenhuma
ONG, só achamos que todos os
animais deveriam ser tirados da
rua, esterilizados e terem donos
conscientes de que eles não são
bibelôs. O que fizemos não foi
muito, mas se todos colaborassem
um pouco, não existiriam tantos
animais abandonados.
Fotos para eventos
Aniversários - Casamentos - 15 anos
Solicite um orçamento sem compromisso
49 3323.3653
fotografia.com.br
Esta história foi contado por
André e Sandra Bail.
Conte-nos a sua história também.
[email protected]
AGOSTO/SETEMBRO | 2013 · REVISTA AMIGO BICHO
65
66 REVISTA AMIGO BICHO · AGOSTO/SETEMBRO | 2013