as causas da evasão discentes na educação a

Сomentários

Transcrição

as causas da evasão discentes na educação a
II CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE DESENVOLVIMENTO SOCIAL
Novembro de 2013
Iturama - MG - Brasil
AS CAUSAS DA EVASÃO DISCENTES NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA PERSPECTIVA DOS
TUTORES
Carolina Zavadzki Martins (UNOESTE) - [email protected]
Mestranda do programa de mestrado da Unoeste. Especialista em Ead e as tecnologias educacionais e em gestão
empresarial. Graduada em Administração
Raimunda Abou Gebran (UNOESTE) - [email protected]
Possui graduação em Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho,
graduação em Pedagogia pela Universidade de Marília, Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de
Campinas e Doutorado em Educação pela Univer
AS CAUSAS DA EVASÃO DISCENTES NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA
PERSPECTIVA DOS TUTORES
Carolina Zavadzki Martins1
Raimunda Abou Gebran2
RESUMO
A evasão escolar está cada vez mais frequente na atualizada. Por isso, o
objetivo deste artigo é apresentar as causas da evasão discente de um curso
de graduação na Educação a Distância na perspectiva dos tutores. Para
alcançar este objetivo foi realizado um estudo de caso de natureza quantiqualitativa. Na coleta de dados, foi utilizado um questionário que foi aplicado
aos tutores de um curso de graduação na EAD com o propósito de identificar
as causas da evasão. Por meio deste estudo, pode-se constatar que são várias
as causas da evasão como, por exemplo, a estrutura do polo, falta de tempo,
atendimento do tutor presencial, adaptação a metodologia do curso, interação
com o tutor, o Ambiente Virtual de Aprendizagem e a questão financeira. De
todas estas razões, os dois principais motivos da evasão se referem à
adaptação do aluno a metodologia de ensino e a dificuldade financeira.
Palavras-chave: Evasão. Educação a Distância. Tutores.
INTRODUÇÃO E OBJETIVO
A Educação a Distância é uma modalidade que está em constante
expansão tanto no que se refere ao número de discentes matriculados quanto
no de cursos ofertados. Entende-se por EAD, a modalidade de educação, que
segundo Litwin (2001), proporciona uma maneira particular de criar espaço
para gerar, promover e implementar situações em que os alunos aprendam, ou
seja, o foco está na aprendizagem do aluno.
Esta modalidade proporciona a seus alunos flexibilidade de local e
horário para se dedicar aos estudos, ou seja, os discentes podem estudar no
local e horário que atenda melhor as suas necessidades e de acordo com as
suas disponibilidades. Além disso, o aluno não precisa se descolar todos os
dias para a Instituição, o que possibilita que pessoas que residem distante da
IES possam também estudar. Mais que isso, a EAD é a modalidade ideal para
os alunos que precisam trabalhar.
Apenas disso, assim como a modalidade presencial, a Educação a
____________________________________________
1
Mestranda do programa de Mestrado em Educação pela UNOESTE (Universidade do Oeste
Paulista). Especialista em EAD e as Tecnologias Educacionais pelo CESUMAR (Centro
Universitário de Maringá). Graduada em Administração também pelo Cesumar. E-mail:
[email protected]
2
Professora titular do Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado) da Universidade
do Oeste Paulista e coordenadora pedagógica do curso de Pedagogia do Instituto Educacional
de Assis (IEDA). E-mail: [email protected]
Distância também enfrenta o problema da evasão escolar que é uma das
maiores preocupações das Instituições de Ensino, ou seja, a desistência
definitiva dos alunos. São várias as razões que levam um aluno a tomar essa
decisão drástica. Sendo assim, o objetivo deste artigo é apresentar as causas
da evasão discente na Educação a Distância na perspectiva dos tutores.
EVASÃO
A evasão escolar é uma preocupação constante por parte das
Instituições de Ensino Superior. Sendo assim, para compreender essa temática
é essencial entender o seu conceito. Portanto, evasão é a
[...] interrupção de um ciclo de estudo, onde o estudante deixa de
completar o curso ou programa que frequenta. São considerados
evadidos inclusive os estudantes que se matriculam e desistem antes
mesmo de iniciar o curso (COMARELLA, 2009, p. 52).
Ainda sobre a definição da evasão, ressalta-se que, nessa mesma linha
de raciocínio, Favero (2006) entende a evasão como a desistência do curso,
incluindo os que, após terem se matriculado, nunca se apresentaram ou se
manifestaram de alguma forma para seus colegas e ou para seus professores
e tutores do curso, em qualquer momento desde sua matricula.
São vários os motivos que levam os alunos a tomarem essa decisão.
Dessas razões, vale-se destacar que, de acordo com Sanchez (2008, p. 69),
“os motivos mais frequentes entre os apontados para a evasão pelo aluno são
o financeiro (35%) e a falta de tempo (22,9%)”. Comparando esses dois fatores
afirma-se que, de acordo com o CensoEAD.br (2010), a disputa com o relógio é
o motivo principal da evasão, mais grave que a questão financeira.
Além dos motivos da evasão já mencionados, outras razões também
podem contribuir para a desistência dos alunos. Então, conforme afirma Coelho
(2006), a ausência da tradicional interação face-a-face entre o professor e os
alunos é um dos fatores que levam os mesmos a evadirem, pois se acredita
que nesse tipo de relacionamento existe maior interação e as respostas são
mais afetivas entre os envolvidos nos processos de ensino e aprendizagem.
Mais do que este fator, destaca-se também o insuficiente domínio
técnico do uso do computador e das tecnologias da informação, principalmente
da internet. Essa dificuldade em lidar com as novas tecnologias cria problemas
por parte do acadêmico em acompanhar as atividades e as aulas propostas
pelos cursos a distância. Ainda sobre isso, outro fator se refere a ausência de
reciprocidade na comunicação, isto é, o acadêmico apresenta algumas
dificuldades em expor suas ideias de forma escrita, o que inviabiliza a
interatividade e pode acarretar a desistência dele (COELHO, 2006).
A Influência da Tutoria na Evasão
A tutoria desempenha um papel importante nos cursos na
modalidade a distância e influencia no sucesso ou na evasão do discente.
Por isso, ela precisa ser considerada quando se estuda as causas da
evasão nos cursos em EAD. Contudo, antes de se apresentar a correlação
entre a tutoria e evasão, se faz necessário uma melhor compreensão da
tutoria e do papel do tutor nesse processo. Sendo assim, a tutoria é
abordada como um processo de ajuda e orientação, porém, ela é muito mais
abrangente que isso, pois envolve também a avaliação e necessidade de
compreensão da tecnologia. Com base, nesse preceito entende-se que
[...] a tutoria é muito mais que um aspecto estrutural e de apoio ao
estudante.
Pressupõe
fluência
tecnológica,
orientação,
acompanhamento pedagógico, monitoramento e avaliação. A tutoria é
fundamental para que a mediação do processo ensino-aprendizagem
ocorra de forma dialógico-problematizadora desdobrada em
interatividade, interação, colaboração (autoria e coautoria) e
autonomia (SCHNEIDER; MALLMANN, 2011, p.3).
A tutoria é realizada pelo tutor. Segundo Arredondo, González e
González (2011, p. 34), o tutor “[...] é o maior responsável por abastecer de
conteúdo a tutoria e por realizar as atuações estabelecidas no plano da ação
tutorial”. Na modalidade a distância, ele precisa desempenhar sua função com
o objetivo de atingir o seu propósito pedagógico.
É válido enfatizar que o tutor assume na EAD as funções de comentar
os trabalhos realizados pelos discentes; responder às questões dos alunos
sobre a instituição e o conteúdo; ajudar no planejamento de seu trabalho;
organizar grupos de estudo; fornecer informações; supervisionar trabalhos
práticos; atualizar informações sobre o progresso dos alunos e servir de
intermediário entre a instituição e os estudantes (NISKIER, 2000).
Uma das funções do tutor nos cursos a distância consiste na interação
com os discentes, que tende, conforme afirma Mercado (2008, p. 291),
“indubitavelmente a minimizar os problemas que normalmente surgem como a
timidez ou até mesmo, ao longo do curso o distanciamento, a evasão”. Essa
interação ocorre por meio do chat e dos fóruns que são ferramentas do
Ambiente Virtual de Aprendizagem.
Ainda sobre a relação existente entre a tutoria e o processo de evasão, é
necessário destacar-se que os serviços da tutoria são utilizados, de acordo
com Munhoz (2003, p. 5),
[...] para aproximar os alunos distantes da instituição sede e fazer
com que eles não se sintam subjugados pelo fantasma da solidão,
considerado como um dos responsáveis pelos elevados índices de
evasão nos cursos oferecidos nesta modalidade.
A interatividade nos processos de ensino e aprendizagem é importante
para se evitar que os discentes desistam permanentemente do curso, pois por
meio da interação, os discentes não se sentem sozinhos, mas pertencentes a
uma comunidade, o que é essencial nos cursos em EAD. Com base nisso,
ressalta-se que
[...] quanto maior a atenção que se dá ao desenvolvimento de um
sentido de comunidade, mais os alunos tendem a continuar no curso
até o final. Se os alunos acreditarem que “estão nessa juntos”, a
possibilidade de retenção aumentará porque a sensação de
isolamento diminuirá, independentemente a matéria estudada seja
difícil (PALLOFF; PRATT, 2004, p. 141).
Diante disso, na EAD é preciso superar a imagem de isolamento na qual
o aluno tem que ser solitário e isolado dos demais discentes para desenvolver
as suas atividades. Isso está sendo superado visto que a internet traz
flexibilidade no acesso a materiais e também favorece a interação e
participação possibilitando que os alunos estejam juntos mesmo separados
geograficamente (MORAN, 2007).
Com o advento da tecnologia, principalmente da internet, cria-se
condições para superação da sensação de isolamento do aluno. Para isso, é
importante utilizar a abordagem do “estar junto virtual” que é baseada na
intensa interação entre aprendiz e docente do curso e também entre os
próprios aprendizes. Por meio dessa abordagem é possível formar um
profissional que seja capaz de refletir durante a ação pedagógica que realiza e
também sobre esta ação e, com isso, poder rever e reconstruir sua prática
pedagógica (PRADO; VALENTE, 2002).
Esta abordagem não tem como objetivo tornar disponível a informação e
verificar se a mesma foi retida pelo aluno. Logo, o acompanhamento constante
do aprendiz e a atuação do docente do curso pela internet têm como propósito
o estabelecimento do ciclo de aprendizagem descrição-execução-reflexãodepuração-descrição (VALENTE, 1999). Sendo assim, a internet é uma
ferramenta facilitadora desse processo, contudo, ela sozinha não é suficiente
para utilizar a abordagem do “estar junto virtual”, portanto, ela é importante,
mas é fundamental também que tanto o docente quanto o aluno estejam em
constante interação.
Nesse sentido, o tutor que interage com os acadêmicos, organiza e
dissemina entre os alunos a sensação de comunidade e tem um grupo
pequeno para trabalhar consequentemente, contribui positivamente para a
diminuição da evasão dos discentes, pois minimizam a solidão que os alunos
sentem nessa modalidade de educação.
METODOLOGIA
A presente pesquisa foi realizada por meio da pesquisa quantiqualitativa. De acordo com Gressler (2004, p.43), “a abordagem quantitativa
caracteriza-se pela formulação de hipóteses, definições operacionais das
variáveis, quantificação nas modalidades de coleta de dados e informações,
utilização de tratamentos estatísticos”. A autora alega ainda que “[...] a
abordagem quantitativa tem, em princípio, a intenção de garantir a precisão dos
resultados, evitar distorções de análise e interpretação”. Por outro lado,
segundo a natureza das informações, a pesquisa qualitativa é um método que,
segundo Minayo (2011), “trabalha com o universo dos significados, dos
motivos, das aspirações, das crenças, dos valores e das atitudes.”
A pesquisa foi desenvolvida através de um estudo de caso que, segundo
Gonsalves (2005, p. 65), “é um tipo de pesquisa que privilegia um caso
particular, uma unidade significativa, considerada suficiente para a análise de
um fenômeno”. Além disso, a autora destaca ainda que “[...] o estudo de caso,
ao realizar um exame minucioso de uma experiência, objetiva colaborar na
tomada de decisões sobre o problema estudado, indicando as possibilidades
para sua modificação”.
No processo de coleta de dados foi utilizado o questionário que, de
acordo com Lima (2004, p. 52) “[...] corresponde a uma técnica de coleta de
dados utilizada em pesquisas de campo de caráter quantitativo. É resultado da
formulação e da aplicação de uma série ordenada de questões.” Este
questionário foi aplicado a 16 (dezesseis) tutores a distância de um curso de
graduação na modalidade a distância.
As informações descritas neste questionário de cunho quantitativo foram
tabuladas por meio de planilhas eletrônicas do Excel. Já, a parte qualitativa, foi
tabulada utilizando a análise de conteúdo de Bardin. Por análise de conteúdo,
entende-se o
[...] conjunto de técnicas de analise das comunicações visando obter,
por procedimentos sistemáticos e objetivos de descrição do conteúdo
das mensagens, indicadores (quantitativos ou não) que permitem a
inferência de conhecimentos relativos às condições de
produção/recepção (variáveis inferidas) destas mensagens. (BARDIN,
2008, p.40)
Nesta parte foi apresentado os procedimentos metodológicos que foram
utilizados para o desenvolvido da pesquisa, o que permitiu compreender como
foram obtidos os dados e informações sobre a desistência dos alunos na visão
dos tutores.
RESULTADOS E DISCUSSÕES
Esta pesquisa foi realizada por meio da aplicação de um questionário
aos 16 tutores a distância de um curso de graduação em EAD. Este
questionário tinha como propósito a identificação das causas da evasão
discentes na perspectiva dos tutores. O primeiro quesito, que foi investigado,
se refere ao impacto da estrutura do polo na evasão discente. Conforme os
dados descritos na tabela 1, ressalta-se que a maioria concorda parcialmente
que a estrutura do polo contribui com a evasão, por outro lado, 31,25% dos
pesquisados discordam totalmente disso.
TABELA 1 – Relação entre a estrutura do polo e a evasão
Estrutura do polo
Discordo totalmente
Discordo parcialmente
Indeciso
Concordo parcialmente
Concordo totalmente
TOTAL
%
31,25
6,25
0
43,75
18,75
100
Número
5
1
0
7
3
16
Fonte: Organizado pela autora, com base nas informações da IES/2013
Além disso, foi pesquisado outro, que diz respeito ao atendimento dos
tutores presenciais às demandas dos discentes. Em relação a isso, ficou
evidente que, de acordo com a tabela 2, os tutores apresentaram percepções
diferentes sobre o impacto na evasão discente, pois 37,50% concordam
parcialmente e 31,25% discordam totalmente de que o atendimento do tutor
presencial pode incentivar ou não os discentes a evadir.
TABELA 2 – Atendimento dos tutores presenciais e a evasão
Atendimento dos tutores
Discordo totalmente
Discordo parcialmente
Indeciso
Concordo parcialmente
Concordo totalmente
TOTAL
%
31,25
12,50
0
37,50
18,75
100
Número
5
2
0
6
3
16
Fonte: Organizado pela autora, com base nas informações da IES/2013
Na EAD o aluno necessita se sentir assessorado, orientado e ajudado.
Por isso, o tutor precisa estar bem preparado para atender ao seu aluno e
também para transmitir ao mesmo as informações da IES, pois de acordo com
Niskier (2000), ele tem por função responder às questões dos alunos sobre a
instituição, bem como servir de intermediário entre a instituição e os
estudantes.
Outro fator diz respeito ao Ambiente Virtual de Aprendizagem. Sobre
isso, ficou evidenciado que mais da metade dos tutores discorda que esse seja
um fator que influencia na evasão e somente 12,50% dos pesquisados
concordam parcialmente que esse sistema está ligado a evasão. Esses dados
estão apresentados na tabela 3.
TABELA 3 – O Ambiente Virtual de Aprendizagem e a evasão
Ambiente Virtual
Discordo totalmente
Discordo parcialmente
Indeciso
Concordo parcialmente
Concordo totalmente
TOTAL
%
56,25
25
6,25
12,50
0
100
Número
9
4
1
2
0
16
Fonte: Organizado pela autora, com base nas informações da IES/2013
Um dos fatores que podem causar evasão se refere ao domínio das
tecnologias. Com base nisso, segundo Coelho (2006) ressalta-se que a
dificuldade em lidar com as novas tecnologias e com o computador pode criar
dificuldades por parte do acadêmico em acompanhar as atividades propostas
pelos cursos. Logo, por causa dessa dificuldade e do insuficiente domínio
técnico dos alunos na utilização do computador contribuem para a evasão
discente.
Outro quesito que foi analisado se refere à interação entre o tutor e o
aluno. Nesse item, verificou-se que mais de 60% dos tutores discordam que
isso seja um fator que causa evasão, contudo, não se pode desconsiderar que
37,50% concordam que isso poderá impactar na desistência dos alunos,
segundo os dados descritos na tabela 4.
TABELA 4 – A interação entre o tutor e o aluno e a evasão
Interação
Discordo totalmente
Discordo parcialmente
Indeciso
Concordo
parcialmente
Concordo totalmente
TOTAL
%
43,75
18,75
0
18,75
18,75
100
Número
7
3
0
3
3
16
Fonte: Organizado pela autora, com base nas informações da IES/2013
A interação entre o tutor e os alunos é fundamental nos cursos a
distância e isso poderá contribuir para minimizar o índice de evasão, pois,
conforme afirma Munhoz (2003, p. 5), os serviços de tutoria têm como
propósito aproximar os discentes que estão distantes da instituição e fazer com
que eles não se sintam sozinhos, que é considerado um dos fatores
responsáveis pelos elevados índices de evasão nos cursos a distância.
Então, na EAD os alunos precisam ter a sensação do “estar junto
virtual”, que de acordo com Valente (2003, p. 141), “[...] envolve o
acompanhamento e assessoramento constante do aprendiz no sentido de
poder entender quem ele é e o que faz, para ser capaz de propor desafios e
auxiliá-lo a atribuir significado ao que está realizando”.
Além das causas da evasão já descritas, foi pesquisado também se a
organização do tempo por parte do aluno pode ser considerada uma das
causas da evasão. Nesse quesito, eles apontaram que:
 “Alguns alunos demoram a se adaptar com datas e horários”.
 “Nem todos conseguem administrar o seu tempo e o aluno de EAD tem que
ser dedicado e organizar o seu tempo para realizar as atividades”.
 “O aluno do EAD, mesmo podendo estudar a distância, erra em não
administrar o seu tempo e a prioridade do estudo. Apesar do curso ser em
EAD, o aluno não deve achar que será fácil, mas deve ter comprometimento
e disciplina”.
 “O aluno precisa assistir as aulas, se dedicar na realização das atividades,
estudar para as avaliações presenciais. Portanto, tem que saber organizar o
seu tempo para não perder os prazos”.
 “Pois na EAD temos prazos a serem cumpridos e um atraso o aluno se
perde em meio às disciplinas”.
 “Pois a falta de disciplina faz com que o acadêmico perca os prazos das
entregas das atividades, acumula o conteúdo para estudar, o que poderá
desestimulá-los”.
 “Sim, a falta de organização do aluno com relação ao tempo, faz com que
ele não encontre tempo para estudar, deixe de desenvolver as atividades
nos prazos solicitados e não consiga um bom desempenho nas provas, o
que os desmotiva e os fazem desistir”.
 “Devido a dar prioridade para outras coisas e não aos estudos”.
 “Muito aluno não conseguem organizar seu tempo, o que dificulta a
realização das atividades, leitura e realização das provas, favorecendo a
evasão”.
 “Pois a grande maioria não está habituada a ter disciplina de estudar
sozinho”.
 “Algumas pessoas não conseguem se organizar e tirar um tempo para os
estudos”.
Por meio desses relatos evidenciou que os tutores consideram a falta de
tempo uma das causas da evasão. Sobre isso, destaca-se que apesar dos
cursos na EAD proporcionarem aos alunos flexibilidade e a possibilidade de
organizar as suas demanda pessoais e profissionais com os estudos, ela
enfrenta um grande problema que se refere a falta de tempo para os estudos
ou a dificuldade na organização desse tempo (CENSOEAD. BR, 2010).
Diante de todas as causas, foi investigado qual seria o principal fator que
contribui para a evasão. Perante este questionamento, alguns tutores
apontaram o financeiro como a principal causa, conforme os depoimentos:
 “Os gastos com mensalidade é a primeira opção de corte pelo aluno”.
 “Porque nem todos conseguem administrar o que ganham e não
conseguem pagar as mensalidades mais as contas do dia a dia”.
 “A condição financeira, pois sem ela não teria como dar sequência nos
estudos”.
 “Por falta de recursos financeiros, aluno não consegue estudar, não
consegue desenvolver-se individualmente”.
Outra causa ressaltada por vários pesquisados se refere à metodologia
de ensino adotada no curso na modalidade a distância. Nesse quesito, os
tutores fizeram os seguintes apontamentos:
 “O formato da metodologia do curso à distância. Os alunos entram achando
que vai ter facilidades para concluir o curso e tirar m diploma. Mas o curso à
distância exige muita disciplina e dedicação”.
 “O aluno entra na EAD achando que é mais fácil que no presencial mais se
engana porque o mesmo tem que ser mais disciplinado para acompanhar o
curso”.
 “Acredito na metodologia de ensino. Muitas mudanças ainda poderão ser
realizadas, com relação a critérios de atividades e provas”.
 “Falta de adaptação com a metodologia, pois muitos acadêmicos não têm
disciplinas, assim não conseguem ser sujeito ativo do processo de ensino e
aprendizagem”.
 “Acredito que a falta de adaptação a metodologia de ensino, junto com a
falta de comprometimento e disciplina dos alunos”.
A pesquisa realizada com os tutores revelou que as principais razões
para a evasão são a metodologia e o financeiro. O que contrária a pesquisa do
CensoEAD.br que diz que,
[...] os motivos mais frequentes apontados pelos alunos para a
evasão, na análise das instituições, são a falta de dinheiro e de tempo
(indicados por mais de metade), mas os problemas referentes ao
desconhecimento do método ou ao seu estranhamento não são
desprezíveis, sendo citados por um terço das instituições
(CENSOEAD.BR, 2010, p.9).
Através desta pesquisa foi possível elencar as três principais causas da
evasão na perspectiva dos tutores que são: o financeiro, falta de tempo para os
estudos e a dificuldade em se adaptar a metodologia de ensino.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
O objetivo do artigo era apresentar as causas da evasão discente na
Educação a Distância na perspectiva dos tutores. Este objetivo foi alcançado
por meio da pesquisa através da aplicação do questionário aos tutores a
distância de um curso de graduação em EAD.
De acordo com as informações obtidas por meio desta pesquisa ficou
evidente que vários são os motivos da evasão discente, porém os dois
principais na visão dos tutores são: a questão financeira do próprio aluno e
também a dificuldade do aluno se adaptar a metodologia dos cursos em
Educação a Distância. Entretanto, não se deve desconsiderar outro requisito
que também causa a evasão que se refere a falta ou o pouco tempo que os
alunos alegam ter para se dedicar aos estudos. Isso contradiz, o discurso de
que na EAD os alunos tem flexibilidade de tempo para os estudos.
Este estudo não esgota as possibilidades de pesquisa, muito pelo
contrário, pois pode ser o precursor de outros estudos sobre a temática da
evasão escolar nos cursos em Educação a Distância, ou seja, pode contribuir
para incentivar outros estudos sobre este tema.
REFERÊNCIAS
ARREDONDO, Santiago Castilho; GONZÁLEZ, José Antonio Torres;
GONZÁLEZ, Luis Polanco. Formação de tutores: fundamentos teóricos e
práticos. Curitiba: Ibpex, 2011.
BARDIN, L. Analise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2008.
CENSO EAD.BR. Associação Brasileira de Educação a Distância. São Paulo:
Pearson Education do Brasil, 2010.
COELHO, M. L. A formação continuada do docente universitário em
cursos a distância via internet: um estado de caso. Disponível em:
http://www.abed.org.br/seminario2003/texto06.doc. Acesso em 08 jun. 2013.
COMARELLA, Rafaela Lunardi. Educação superior a distância: evasão
discente. 2009. 146f. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do
Conhecimento) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.
FAVERO, Rute Vera Maria, Dialogar ou evadir: Eis a questão!: Um estudo
sobre a permanência e a evasão na Educação a Distancia, no Estado do Rio
Grande do Sul. 2006. Porto Alegre: UFRGS, 2006.
GRESSLER, Lori Aline. Introdução à pesquisa: projetos e relatórios. São
Paulo: Loyola, 2004. 295p.
GONSALVES, E. P. Iniciação à pesquisa científica. Campinas: Alínea, 2005.
LIMA, Manolita Correia. Monografia: a engenharia de produção acadêmica.
São Paulo: Saraiva, 2004. 210 p.
LITWIN, Edith. Educação a Distância: temas para o debate de uma nova
agenda educativa. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.
MERCADO, Luis Paulo Leopoldo. Dificuldades na Educação a Distância
online.
Disponível
em:
<http://www.abed.org.br/congresso2007/tc/55200761718PM.pdf>. Acesso em:
30 mar. 2013.
MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: teoria, método e
criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.
MORAN, José Manuel. A educação que desejamos: novos desafios e como
chegar lá. Campinas, SP: Papirus, 2007.
MUNHOZ, A. S. A. Educação a Distância em busca do tutor ideal. Revista
Digital da CVA. Colabora, Santos, v. 2, n. 5, Agosto, 2003. 46 p.
NISKIER, Arnaldo. Educação à distância: a tecnologia da esperança. São
Paulo: Editora Loyola, 2000.
PALLOFF, Rena M; PRATT, Keith. O aluno virtual: um guia para trabalhar
com estudantes on-line. Porto Alegre: Artmed, 2004.
PRADO, M. E. B. B.; VALENTE, J. A. A educação a distância possibilitando a
formação do professor com base no ciclo da prática pedagógica. In: MORAES,
M. C. (Org.) Educação a distância: fundamentos e práticas. Campinas: NiedUnicamp, 2002.
SANCHEZ, Fábio. Anuário Brasileiro Estatístico de Educação Aberta e a
Distância. 4 ed. São Paulo: Instituto Monitor, 2008.
SCHNEIDER, Daniele da Rocha; MALLMANN, Elena Maria. Tutoria em
Educação a Distância indicadores para políticas públicas. Disponível em:
<http://www.abed.org.br/congresso2011/cd/111.pdf>. Acesso em: 02 mar.
2013.
VALENTE, José Armando. Análise dos diferentes tipos de software usados na
educação. In: VALENTE, J. A. (Org.). Computadores na sociedade do
conhecimento. Campinas: Nied-Unicamp, 1999. P.89-110.
_____________. Educação a distância no ensino superior: soluções e
flexibilizações.
Disponível
em:
<
http://www.scielo.br/pdf/icse/v7n12/v7n12a09.pdf>. Acesso em: 15 set. 2013.

Documentos relacionados

A EVASÃO NA EAD: INVESTIGANDO CAUSAS, PROPONDO

A EVASÃO NA EAD: INVESTIGANDO CAUSAS, PROPONDO estratégias que auxiliem o aluno a concluir os estudos. Uma das maiores virtudes da EAD, que é o livre arbítrio por parte do educando na escolha do local e horário para estudar, pode transformar-se...

Leia mais

Evasão e permanência estudantil na educação a distância

Evasão e permanência estudantil na educação a distância Nesse contexto, se o aluno não é integrado ao ambiente, aos grupos virtuais, as salas de reuniões, a interação com professor/tutor, é possível uma evasão do ambiente virtual, resultando num prováve...

Leia mais