O tubarão e o cancro - Universidade de Évora

Сomentários

Transcrição

O tubarão e o cancro - Universidade de Évora
Lopes, Luis N.º 17125; Suissas, Claudia N.º17355 alunos de Biologia da Universidade de Évora
O tubarão e o cancro
Objectivo: Extrair e isolar o gene que codifica a proteína que confere ao tubarão imunidade ao cancro, com vista à sua utilização para a terapêutica do cancro.
Introdução:
O cancro (ou neoplasia, ou tumor maligno) é uma classe de doenças caracterizadas pelo crescimento descontrolado de células aberrantes. O cancro pode matar devido à invasão destrutiva de órgãos
normais por estas células, por extensão directa ou por disseminação à distância (metastização).
Os tubarões têm uma taxa de incidência de doenças relativamente baixa. Em estudos realizados para avaliar o efeito de substâncias carcinogénicas potentes não foram observadas quaisquer alterações
nos tecidos alvo ou nos seus materiais genéticos que conduzissem à formação de tumores cancerígenos. Uma proteína presente na cartilagem destes animais parece afectar a angiogénese – formação
dos vasos sanguíneos que irrigam o tumor – parecendo ser a causa desta resistência.
Importância do trabalho: Este trabalho é de extrema importância para a terapêutica do cancro uma vez que a incidência do cancro na
população humana é muito alta, sendo a segunda causa de morte nos Estados Unidos e na Europa, apenas superada pelos problemas cardiovasculares.
Na União Europeia o número de mortes por cancro em 1998 foi de 925.146, sendo esperado para 2020 cerca de 20 milhões de novos diagnósticos de
cancro nos países industrializados. As terapêuticas até hoje usadas, como a cirurgia, quimioterapia e radioterapia, têm diversos efeitos secundários
(aparecimento de cancros secundários e mal formações nos ossos), e baixas taxas de sucesso, sendo, por vezes, dolorosos e devastadores para o ser
humano. Actualmente começam a estar disponíveis novas terapêuticas contra o cancro com mecanismos de acção inovadora que actuam directamente
nas células cancerosas, reduzindo o sofrimento dos pacientes. Este trabalho pode ser incluído nestas terapêuticas, tornando-o ainda mais necessário.
Gráfico 1- Cancros mais frequentes na União Europeia (1998)
Metodologia:
Cronograma:
A - Para obter o conteúdo celular:
1. Com um bisturi raspar a cartilagem do tubarão.
B - Para obter a proteína:
1
Conteúdo celular
1. Isolamento das proteínas por Western Blotting;
2. Identificação da proteína com base na sua actividade;
2
Gene
Anos
3
4
5
Testes Pré-Clínicos Testes Pré-Clínicos Testes Clínicos
Proteína
Testes Clínicos
3. Sequenciação parcial da proteína.
Financiamento:
C - Para obter o gene:
1. Construção de Biblioteca Genómica;
Despesas
2. Com base na sequência parcial da proteína procede-se à síntese de oligonucleótidos;
Financiamento ( para 5 anos) (€)
Pessoal 1)
3. Hibridação;
4. Isolamento do clone;
5. Sequenciação de DNA ( método de Sanger);
6. Clonagem.
45000
Reagentes
200000
Material Biológico3)
30000
Outras
D – Testes:
240000
Material2)
despesas4)
Total
13350
528350
1.Ensaios pré-clínicos em animais (OncoMouse);
2.Ensaios clínicos no Homem, primeiramente em indivíduos saudáveis e posteriormente em
indivíduos afectados.
Resultados esperados:
Através destes processos obter-se-á a proteína que confere resistência ao cancro, extraída
das células da sua cartilagem, em condições de utilização no tratamento do cancro em
Humanos.
Quadro 1 – Despesas previstas efectuadas durante o procedimento.
1)
Inclui uma equipa formada por quatro elementos, recebendo cada um 1000 € mensais.
2)
Inclui bisturis, pinças, provetas, centrifugadoras, etc.
3)
Inclui material utilizado para os ensaios pré-clínicos.
4)
Inclui pagamentos ao estado como: facturas de luz, água, gás e contribuições autárquicas.
Sites:
http://europa.eu.int/comm/research/leaflets/health/pt/02.html
Bibliografia:
http://www.roche.pt/her2/her2.cfm?tema=sitepub1
Azevedo, C.; Biologia Celular e Molecular; 3.ª edição; 1999; Lidel; Lisboa; Portugal.
http://www.mercksa-cancro.htm
Lima, N., Mota, M.; Biotecnologia: Fundamentos e Aplicações; 2003; Lidel; Lisboa;
Portugal.
http://brazil.skepdic.com/tubarao.html
Videira, A.; Engenharia Genética: Princípios e Aplicações; 2001; Lidel; Lisboa; Portugal.
http://www.pcd.pt/noticias/ver.php?id=1726
http://www.esmtc.pt/artigos/frtmar.htm#tubarao4
http://homepage.ntlworld.com/markhewitson/ntlup.swf
http://www.icb.ufmg.br/~pat/apopt.htm
www.chc.min-saude.pt/hp/ hemaonco/cancro1.gif
Biotecnologia 2003/2004