Manual ETT 202 Faça o do manual em

Сomentários

Transcrição

Manual ETT 202 Faça o do manual em
Manual de Uso
Analisador de Pressão/Vazão para Injeção Eletrônica
ETT 202
Os dados contidos neste manual são fornecidos a título indicativo e poderão ficar desatualizados em conseqüência das modificações feitas pelo fabricante, a qualquer momento, por razões de natureza técnica ou comercial, porém sem prejudicar
as características básicas do produto.
Conteúdo
Página
1.
Instruções para sua segurança .................................... 4
2.
2.1
Aplicação ..................................................................... 6
Escala de medição ....................................................... 6
3.
3.1
Preparativos para medição .......................................... 6
Desmontar o circuito de combustível ........................... 6
4.
4.1
Medição da pressão de linha ....................................... 6
Valores de referência para testes de vazão e pressão ...... 6
5.
5.1
5.2
5.3
5.4
5.5
5.6
5.7
5.8
Conexão do manômetro e seus respectivos engates .. 7
Descrição ..................................................................... 7
Conexão para o sistema de injeção monoponto .......... 7
Conexão para o sistema de injeção multiponto ........... 8
Conexão para o sistema return less - multiponto ......... 9
Conexão para o sistema de injeção equipado com o
conector tipo “Schraider” no tubo distribuidor ............ 10
Valores de referência para pressão/vazão ................. 10
Dicas técnicas ............................................................ 10
Teste do sistema de alimentação de combustível .......... 11
6.
6.1
Âmbito de fornecimento ............................................. 13
Acessórios opcionais ................................................. 14
7.
Garantia ..................................................................... 14
8.
Dados técnicos .......................................................... 14
9.
Peças de reposição .................................................... 14
1. Instruções para sua segurança pessoal, para proteção
de aparelhos e componentes dos veículos
Tensões de rede
Alta tensão
Perigo de irritação das
vias respiratórias
Tanto nas redes de iluminação, quanto nos sistemas elétricos
de veículos, apresentam-se tensões perigosas. No caso de
tocar em peças submetidas a tensão (por exemplo, bobinas de
ignição) ou em casos de descargas de energia devidas a isolamentos deteriorados (por exemplo, cabos elétricos roídos por
animais) existe o risco de sofrer uma descarga elétrica.Isto se
aplica tanto ao lado secundário como primário do sistema de
ignição, a sistemas de fio e cabos com uniões por encaixe, a
sistemas de iluminação (Litronic), assim como a conexões e
equipamentos de teste.
Para a análise de gases de escape empregam-se mangueiras flexíveis para coleta dos gases de escape que, ao serem aquecidas a temperaturas superiores a 250 graus C, ou
em caso de incêndio, liberam um gás extremamente corrosivo
(fluoreto de hidrogênio), que pode queimar as vias respiratórias.
Preucações:
- Em caso de ianalação, procurar imediatamente um médico!
- Para eliminar os resíduos da combustão, utilizar luvas de neopreno ou de PVC.
Medidas de Segurança:
- Todos os equipamentos devem ser conectados exclusivamente a bases de encaixe aterradas e à prova de choques.
- Utilizar somente o cabo de ligação à rede fornecido junto
com o equipamento de teste.
- Utilizar somente cabos de extensão com contatos de proteção.
- Neutralizar os resíduos da combustão com solução de hidróxido de cálcio (cal hidratada). Forma-se assim um fluoreto de
cálcio, não tóxico, que pode ser eliminado por enxaque.
- Trocar os cabos cujo isolamento esteja deteriorado (por
exemplo, cabos de conexão à rede ou iluminação).
Perigo de corrosão
- Conectar primeiro o equipamento de teste à rede elétrica e
acioná-lo antes de conectá-lo ao veículo.
- Conectar o equipamento de teste à massa do motor ou ao
pólo negativo da bateria (B–) antes de ligar o veículo.
- O sistema elétrico dos veículos somente deve ser manuseado com a parte elétrica desligada. Isto diz respeito por exemplo à conexão de aparelhos de teste, à troca de peças do
sistema de ligação, à desmontagem de grupos (por exemplo, alternadores) à conexão de conjuntos a bancos de prova, etc.
- Sempre que possível, realizar as operações de teste e ajuste unicamente com o veículo totalmente desligado e o motor parado.
- Em caso de realizar operações de teste ou verificações e
ajuste com a chave ligada ou com o motor em funcionamento, não tocar em peças condutoras de tensão. Isto vale
para todos os fios e cabos de conexão dos equipamentos
de teste e para as conexões de conjuntos a bancos de prova.
Os ácidos e os álcalis podem provocar fortes queimaduras
na pele desprotegida. A fluoramina forma ácido fluorídrico combinados com a umidade (água).
O condensado que se acumula na mangueira coletora e no
coletor do condensado também contém ácido.
Ao trocar o sensor de valores medidos de O2 deve atentarse para o fato de que o mesmo contém álcalis (lixívia).
Precauções:
- Enxaguar imediatamente com a água as áreas afetadas da
pele e em seguida procurar um médico.
Se, em caso de danificação um visor de cristal líquido derramar o líquido do seu interior, é imprescindível evitar o contato
direto com a pele, bem como a inalação ou ingestão do mesmo.
- Efetuar as conexões de teste utilizando somente os elementos de ligação apropriados (por exemplo, o jogo de cabos de
teste 1 687 001 208 ou adaptadores específicos do veículo).
Preucações:
- Encaixar corretamente os plugues e atentar para que a ligação esteja firme.
- Lavar a fundo a pele e a roupa com água e sabão, caso
tenha entrado em contato com o mencionado cristal líquido.
- Em caso de inalação ou injestão, procurar imediatamente o
médico.
4
Risco de asfixia
Os gases de escape de veículos contêm monóxido de carbono (CO), que é um gás incolor e inodoro. Em caso de aspiração, o monóxido de carbono provoca um déficit de oxigênio no
corpo. É necessário tomar extremo cuidado especialmente no
trabalho em fossos, já que alguns componentes dos gases de
escape são mais pesados que o ar, acumulando-se no fundo
desses fossos.
Cuidado também em casos de veículos com sistemas de propulsão a gás.
Riscos de queimaduras
Ao trabalhar com o motor quente existe risco de queimaduras
caso se encoste em componentes, como por exemplo coletor
de escape, turboalimentador, Sonda Lambda, etc., ou nas suas
proximidades. Estes componentes podem alcançar temperaturas de várias centenas de graus centígrados. Dependendo
da duração da análise dos gases de escape, a sonda** do analisador também pode esquentar muito.
Precauções:
- Utilizar equipamentos de segurança, como por exemplo luvas.
Precauções:
- Procurar sempre uma boa ventilação e exaustão (principalmente em fossos).
- Em locais fechados, conectar e ligar sempre o sistema de
exaustão.
- Deixar que o motor esfrie totalmente, isto também se aplica
a sistemas de aquecimento auxiliares.
- Não estender os cabos do aparelho de teste sobre peças
quentes ou nas suas proximidades.
- Não deixe que o motor funcione mais tempo que o necessário para o teste e o ajuste.
Risco de esmagamentos,
perigo de lesões
Se o veículo não estiver impedido de rolar, existe por exemplo
o risco de esmagamento contra um banco de provas. Nos motores, tanto em funcionamento como parados, existem peças
giratórias e móveis (por exemplo, transmissões por correias)
que podem provocar lesões em dedos e braços. Especialmente no caso de ventiladores elétricos (ventoinhas) existe o perigo de que comecem a funcionar inesperadamente, inclusive
estando o motor parado e a chave desligada.
Precauções:
- Assegure-se de que o veículo não se deslocará de forma
alguma durante os testes. Situe o câmbio automático na
posição de estacionamento, acione o freio de mão ou bloqueie as rodas utilizando calços.
Ruído
Ao efetuar medições no veículo, podem ser produzidos níveis
de ruídos acima de 70 Db (A), especialmente em alta rotação.
Caso pessoas estejam expostas a esses níveis de ruído por
muito tempo, podem ocorrer danos ao aparelho auditivo.
Precauções:
- Quando necessário, os locais de trabalho próximos ao local
em que estão sendo realizados os testes deverão ser protegidos contra ruído.
- Os operários deverão utilizar, neste caso, Equipamentos de
Proteção Individual contra o ruído.
- Estando o motor em funcionamento, não aproxime as mãos
de áreas com peças giratórias/móveis.
- Ao trabalhar em ventiladores elétricos ou nas suas proximidades, deixar primeiro o motor esfriar e desconectar a ligação do motor ao ventilador.
- Mantenha cabos de conexão dos equipamentos de testes
longe das áreas de peças giratórias.
5
2. Aplicação
4. Medição
O analisador de Pressão/Vazão Bosch para sistemas de injeção eletrônica mede a pressão e a vazão do circuito de combustível nos sistemas de injeção eletrônica monoponto e multiponto.
A escala do manômetro está em bar, com precisão de 2% e a
escala do rotâmetro em litro/minuto.
Obtém-se a leitura exata e em tempo real, com o motor em
funcionamento, sem a necessidade de cronômetros ou recipientes graduados.
O equipamento é constituído de um manômetro de precisão
para a medição da pressão do combustível e de um rotâmetro
integrado para a medição da vazão.
2.1 Escala de medição
Pressão: 0 – 10 bar
Para medir a pressão e a vazão, acionar a bomba do combustível, conforme procedimento indicado pelo fabricante, com o
respectivo valor de ensaio.
Durante a medição manter o analisador sempre na posição vertical, para obter total precisão nos resultados.
Comparar os valores obtidos com os prescritos na tabela da
página 11 deste manual ou prescrita pelo fabricante do veículo. Em caso de divergências, identificar o componente defeituoso e repetir os testes.
Vazão: 0 – 3 litros/minuto
4.1 Valores de referência para testes de
vazão e pressão
3. Preparativos para a medição
Para o teste de pressão e vazão na linha de combustível, o
analisador deve ser ligado no circuito de pressão do sistema.
Portanto, é necessário tomar medidas de proteção para evitar
possíveis vazamentos de combustível.
Faça a instalação das mangueiras do analisador com cuidado, reapertando todas as
conexões nas abraçadeiras fornecidas, antes de ligar a eletrobomba de combustível.
Interrupções no cirtuito de combustíveis exigem cuidados especiais:
- Utilizar óculos de proteção.
- Não fumar durante o procedimento de ensaio ou reparos.
Importante!
3.1 Desmontar o circuito de combustível
O circuito de combustível dos veículos com injeção eletrônica
permanece pressurizado mesmo depois de desligado o motor.
Portanto, é necessário despressurizar o sistema antes de instalar o analisador e suas respectivas mangueiras. Para isso,
basta retirar o fusível da eletrobomba e dar a partida no motor
por alguns segundos. Recoloque o fusível novamente.
Para maior segurança nas medições, recomendamos seguir o
esquema de conexão do analisador conforme mostrado a seguir.
6
A tabela da página 11 deste manual apresenta valores de medição de bombas novas. Os valores obtidos durante os testes
poderão sofrer variações, levando em consideração o tempo
de uso e a idade do veículo.
5. Conexão do analisador e seus respectivos engates
5.1 Descrição
O circuito abaixo representa uma forma comum de conexão
do analisador, porém os diversos sistemas existentes podem
possuir características de engates diferentes. Nesses casos,
selecionar entre os componentes da maleta o mais adequado
a cada aplicação.
5.2 Conexão para o sistema de injeção
eletrônica monoponto
Exemplo:
4
5
6
3
Manômetro
Medidor da Pressão
7
2
8
1
9
0
10
Analisador
Pressão/Vazão
Rotâmetro
Medidor da Vazão
Registro de
alívio de
pressão
Unidade corpo
de borboletas
monoponto
(exemplo)
Alívio
Entrada
Saída
Adaptar o
circuito de
pressão de
linha
Registro de pressão
máxima (*)
Mangueira
de alívio de
pressão
Adaptar a
conexão
para o
sistema
em teste
Tubo de
retorno de
combustível
ao tanque
(*) Recomendamos a utilização do registro tipo esfera para verificação da estanqueidade da bomba de combustível. Este registro
é fornecido em separado como acessório opcional. Favor consultar a lista de acessórios opcionais na página 14 deste manual.
7
5.3 Conexão para o sistema de injeção
eletrônica multiponto
Exemplo:
4
5
6
3
Manômetro
Medidor da Pressão
7
2
8
1
9
0
10
Analisador
Pressão/Vazão
Rotâmetro
Medidor da Vazão
Registro de
alívio de
pressão
Alívio
Entrada
Saída
Adaptar o
circuito de
pressão de
linha
Registro de pressão
máxima (*)
Mangueira
de alívio de
pressão
Adaptar a
conexão
para o
sistema
em teste
Tubo de retorno
Tubo de entrada de combustível
Tubo distribuidor
Ligado ao coletor
de admissão
Válvulas injetoras
Obs.: sempre procurar fazer a medição da pressão da linha de combustível o mais próximo possível das válvulas de injeção.
(*) Recomendamos utilizar-se do registro tipo esfera para verificação da estanqueidade da bomba de combustível. Este registro é
fornecido em separado como acessório opcional. Favor consultar a lista de acessórios opcionais na página 14 deste manual.
8
5.4 Conexão para o sistema return less multiponto
Conectar o analisador pelo lado de baixo do veículo na parte
traseira, onde está localizado o tubo de retorno de combustível, ou conectá-lo na tampa do tanque, localizada normalmente na parte traseira do veículo (porta-malas).
A conexão no sistema return-less exige cuidado especial para
conectar as mangueiras de pressão e retorno, portanto verifique as inscrições: P-pressão e R-retorno.
5
4
6
3
Manômetro
Medidor da Pressão
7
2
8
1
9
0
10
Analisador
Pressão/Vazão
Rotâmetro
Medidor da Vazão
Registro de
alívio de
pressão
Alívio
Entrada
Saída
Tubo distribuidor
P
Lado de baixo
do veículo
Lado do motor
Filtro de
combustível (*)
Tubo de
retorno
Válvulas injetoras
Bomba de
combustível
R
Regulador de pressão
Tanque de
combustível
P = Pressão
Pescador
R = Retorno
(*) Atentar para o sentido correto de montagem do filtro de combustível, conforme indicado na carcaça do mesmo
9
5.5 Conexão para o sistema de injeção equipado com o conector tipo “Schrader” no tubo distribuidor
Abaixo apresentamos a sugestão de ligação para diagnóstico
da pressão de combustível utilizando-se do Analisador de Pressão e Vazão, para sistemas que possuem o conector “Schrader” no tubo distribuidor de combustível.
4
5
As mangueiras “Schrader” com o respectivo conector para adaptar no Analisador Pressão/Vazão Bosch são fornecidas em separado como acessório opcional. Favor consultar a lista de acessórios opcionais na página 14 deste manual.
6
3
7
2
8
1
9
0
10
Manômetro
Medidor da Pressão
Analisador
Pressão/Vazão
Rotâmetro
Medidor da Vazão
Válvula Schrader
Alívio
Entrada
Saída
Registro de
alívio de
pressão
Tubo de retorno
Obstruir a saída de
combustível
Válvula
reguladora
da pressão
Tubo de entrada de
combustível
Tubo distribuidor
Tubo ligado
ao coletor de
admissão
Válvulas injetoras
5.6 Valores de referência para pressão/vazão
5.7 Dicas técnicas
Os valores de vazão de combustível apresentados na tabela a
seguir não são fornecidos em alguns casos. Por esse motivo, recomendamos que utilize o Analisador de Pressão/Vazão Bosch
para coletar valores de veículos novos e em perfeito estado de
funcionamento, para montar seu próprio banco de dados.
Caso haja divergências nos valores obtidos no veículo, recomendamos utilizar os equipamentos Multímetro Bosch: MMD 301, 302,
128, 148 para leitura da tensão da bateria, tensão de alimentação
da bomba de combustível, do relé de acionamento e continuidade do chicote de ligação.
Importante:
Os valores apresentados a seguir servem apenas de referência. Portanto, a Bosch se reserva no direito de alterar os valores apresentados a qualquer tempo, sem aviso prévio.
10
Para verificar o sistema elétrico, a interrupção no chicote do
veículo ou em cabos de ligação e os sinais respectivos da unidade de comando, utilize o equipamento PIN-OUT com respectivo cabo adaptador da injeção eletrônica para um diagnóstico preciso e seguro.
5.8 Teste do sistema de alimentação de combustível
Para certificar-se do bom funcionamento do sistema de alimentação de combustível, você deve realizar os testes de pressão,
vazão e estanqueidade.
Pressão
Para medir a pressão, instale um manômetro na linha de combustível antes do regulador de pressão e faça a bomba de combustível ser acionada diretamente, excluindo o relé de acionamento que é comandado pela U.C.E. Em outras palavras, forneça alimentação de bateria à bomba de combustível.
O valor indicado no manômetro representa a contrapressão pela
qual a bomba de combustível tem que superar do ponto de onde
está instalado o manômetro até o seu retorno ao reservatório.
Como em geral o manômetro é instalado posteriormente ao
filtro de combustível, a contrapressão medida deve ser igual
aos valores prescritos pelo fabricante, como em alguns exemplos abaixo:
Modelo
Pressão
FIAT/FORD/VW - monoponto - gasolina
1,0 bar
FIAT/FORD/VW - monoponto - álcool
1,5 bar
GM - Multec 700 - gasolina ou álcool
2,0 bar
GM - Multec EMS- EFI - Motor 2.2
2,0 bar
GM - monoponto exceto Multec 700 - gasolina e Multec EMS - EFI - 2.2
1,0 bar
GM monoponto exceto Multec 700 - álcool
1,5 bar
FIAT/FORD/GM/VW - multiponto - gasolina/álcool - motor desligado
3,0 bar
FIAT/FORD/GM/VW - multiponto - gasolina/álcool - marcha lenta
2,5 bar
FIAT/FORD/GM/VW - multiponto - gasolina/álcool - acelerando o motor
maior que 2,5 bar e aumentando
GM - PCM - motor desligado
Valores de pressão abaixo da faixa mostram falha no regulador de pressão: mola descalibrada ou “cansada”, diafragma
rasgado ou “transpirando”. A mistura fica pobre com a baixa
pressão na mola e excessivamente rica com defeito no diafragma.
Valores de pressão acima da faixa mostram falha no regulador
ou obstrução no retorno de combustível. Refaça o teste com o
retorno desligado; se a pressão cair a valores normais a falha
está no regulador de pressão. Um excesso de pressão na linha
de combustível provoca um enriquecimento indesejável da mistura, a marcha lenta pode ficar instável (oscilando), a U.C.E.
pode condenar a sonda lambda e os gases emitidos ficam fora
da faixa normal de funcionamento (consumo excessivo de combustível).
4,0 bar
Válvula de segurança
Provoque um estrangulamento da mangueira de envio de combustível entre o manômetro e o regulador de pressão. A pressão vai aumentando até estabilizar-se e o valor indicado deve
ser de 4,0 a 5,0 bar para os sistemas monoponto e de 6,0 a 7,5
bar para os multiponto.
Valores acima desses podem ser perigosos e a bomba deve
ser substituída, já que todo o sistema foi projetado baseado na
pressão máxima de segurança. Cuidado para não romper uma
mangueira ou mesmo o filtro de combustível.
Estanqueidade e válvula de retenção
Com a bomba desligada, observe se a pressão indicada no
manômetro cai rapidamente a zero. Caso isso ocorra e não
hajam vazamentos visíveis por mangueiras, o vazamento pode
estar ocorrendo no interior do reservatório, nos eletroinjetores
ou na válvula de retenção da bomba.
11
Vazão
O Analisador de Pressão/Vazão ETT 202 permite avaliar simultaneamente a pressão e a vazão de combustível do sistema.
A vazão de combustível indicada no analisador não pode ser menor
que 1 litro/minuto, em condições normais de funcionamento.
Uma vazão abaixo desses valores pode indicar uma obstrução na mangueira de envio (antes do manômetro), ou a necessidade de substituição do filtro de combustível, ou de limpeza
do pescador da bomba de combustível ou da entrada de combustível na bomba, ou ainda a possibilidade de desgaste mecânico na bomba de combustível.
É importante salientar que o fato da pressão na linha de combustível ser normal, não significa que a vazão esteja normal.
Portanto, o teste de vazão é o teste final que complementa o
teste do sistema de alimentação de combustível.
Outro cuidado: a vazão de combustível da bomba é proporcional à tensão de bateria, logo a tensão de bateria deve ser verificada antes de qualquer teste.
12
6. Âmbito de fornecimento
Item
Peça
Denominação
nº tipo Bosch
Quantidade
Conjunto composto de:
manômetro com protetor,
suporte e
rotâmetro
F000 WA5 017
1
2
Válvula
de alívio
F000 WA5 018
1
3
Tubo de alívio (0,8 mt)
F000 WA5 002
1
4
Abraçadeira 10 x 13
F000 WA5 007
6
5
Segmento de mangueira
(0,6 mt cada)
F000 WA5 008
3
6
“Multiponta”
União para mangueiras
F000 WA5 009
2
7
Conjunto a daptador
União Quick Ø 7 mm
F000 WA5 011
1
8
Conjunto adaptador
União Quick Ø 9 mm
F000 WA5 012
1
9
Adaptador cônico M14
F000 WA5 013
1
10
Adaptador cônico M16
F000 WA5 015
1
11
Pino cego
F000 WA5 021
1
4
5
6
3
7
2
8
1
9
0
10
Analisador
Pressão/Vazão
1
Alívio
Entrada
Saída
13
6.1 Acessórios opcionais
Item
Peça
Denominação
nº tipo Bosch
Quantidade
1
Adapatador para
Schrader Ø 7 mm
(mang. 200 mm)
F000 WA5 019
1
2
Mangueira intermediária
com Schrader 10
(mang. 200 mm)
F000 WA5 020
1
3
Controle remoto
F000 WA0 126
1
4
Conjunto “T” com válvulas
e bicos para mangueiras
F000 WA5 005
1
5
Registros com bicos
para mangueiras
F000 WA5 006
1
6
Adaptador 7 mm tipo 90°
F000 WA5 022
1
7
Chave desmontagem para
quick conector
F000 WA5 023
1
7. Garantia
Caso seja efetuada alguma modificação em nossos produtos ou usados acessórios não originais Bosch, todos os direitos de
garantia cessarão.
8. Dados técnicos
Dimensões do conjunto manômetro e rotâmetro em cm: (LxPxC) = 11x4x40
Faixa de medição do manômetro: 0 a 10 bar
Tolerância: 2%
Faixa de medição do rotâmetro: 0 – 3 litros/min.
Pressão máxima admissível para o rotâmetro: 10 bar
9. Peças de reposição e desgaste
A lista de peças e nº tipo Bosch constam no item 6 – âmbito de fornecimento e item 6.1 – acessórios opcionais.
14
Analisador de Pressão/Vazão
F 000 WA0 202
6 008 FW3 085
Robert Bosch Ltda.
RBBR - KH-PR Divisão Equipamentos de Teste
Fones: (0xx19) 745-2127/1834/1158/1820/2126/1752/2029
Fax: (0xx19) 745-2192
Via Anhangüera, km 98 Caixa postal 1195
CEP 13065-900 Campinas SP
www.bosch.com.br
08/2000
Toda tecnologia pra você

Documentos relacionados