Lidando com o Estresse na Alfândega dos Estados Unidos

Сomentários

Transcrição

Lidando com o Estresse na Alfândega dos Estados Unidos
Lidando com
n Estresse na
Âlfândega
dos Estados
Unidos
o
crescimento do número de passageiros aéreos e
marítimos e a quantidade de carga
cada vez maior, juntamente com o contrabando
e tráfico rte drogas, aumentaram
a
pressão aos funcionários da Alfândega nos
Estaclos Unidos. Acopiaoa a esses fatores
geradores de estresse vem a pressão adicional
de uma força de ,áuuu.ro em expansão
caracterizada como mais diversa e menos treinada.
A. ue"es, as senìanas de trabalhn
têm em rnédia 11 horas por dia durante seis dias,
aumentando o nfrmero e a intensidade
de fatores geradores de estresse pessoal, como questÕes
de cuidado dos filhos e
problemas financeiros.
. Para agravar esses problentas, aproximaclamente metade dos luncionários da
Alfândega norte-americana também serve como oficiais
de justiça. Essas pessoas enlien,
tam pressões de mudança de turno de trabarho, exposição
às piores doenças sociais.
frustração em lidar com um sistema judiciário burocrático
e longos períoclos cie
monotonia seguidos por uma excitação que faz a adrenarina
disparãr. outra queixa
comum dos funcionários é que seus ge.entes não são
bons superüsores, os funcioná
rios descreveni o ambiente de trabarho coìno um lugar
onde as críticas, o feedback
negativo e a ênfase nos erros são comuns, enquanto
os bons profìssionais não são
notados nem recompensados por isso.
Durante as aulas cle tt'einamento de gerenciameuto do
estresse no Serviço Alfandegário, os funcionários iclentificaram ciÃo fatores como
as principais causas de seu
estresse no local de trabalho:
a
Õ
a
a
a
Pressões da supervisão
Pressóes de tempolprazos
Monotonia,/falta de signifícado do trabalho
Frustração com colegas de trabalho
Condições de trabalho
PERGUNTAS
1.
2.
tabalhando individuaimente ou em grupo, discuta maneiras
de cada um dos
fatores estressantes mencionados pelos funcionários
cÌa alfândega serem
reduzidos ou eliminados.
como os empregadores poderiam reduzir ou eliminar os fatores
estressantes
pessoais de seu trabalho?
ryQIAS E REFERÊNC|AS
Larly Reynoìds, "Figlrting Domestic Vioience in the
\\brkplace", HRFocus 74, ns 11 (nov. lgg7): g.
'Top On-Job Killers:
taffic
Accidenrs, Homicide,,,
Cincinnati Enquirer, Abrii 24, lggg, C,l.
"The_Cost
of Doing Business,,' Ocaryaüonal Hazards 60,
ne2 (fev. 1998):26.
Stephen G. Minter, "The Birth of OSHA,,, Occupational
Hazards 60, ne Z [iul. 1998): 59-60. Ver
tambà Lisa
Finnegan, "Is 19gg OSHAs year?" OccupationalHazards
16, ne 12 (dez. 1998): 27-29.
U.S. Department of Labor, Occupationai
Safety and
Health Administrarion. All aboui OSHA, rev eá.
(Washington,
U.S. Government
199s), L
Printing Office.
All about OSHA, 5, 6.
L. Smith, "The Rebirth of NIOSH', Occuaational
Hazards 60, ns l2 (dez. 1gg8): 30*32.
AII ahout OSHA,6, 7.
9. AII about OSHA. 17.
10. Charles M, Chadd e Jerome K. Borvman, .,Targeted for
Inspecrion", Occupational Health and Safery 6i, na 3
(mar. 1998): 22*26.Yer rarnbém '.OSHAs Mosr
Wanted", HRFocus TS, nç2 (fev lggg): 6.
S.
L
1'l.
All about OSHA. tg.23.
:i
,::t