O amor

Сomentários

Transcrição

O amor
O amor
Vanessa Zilio
Talvez seja pela sua beleza, talvez seja pelo seu jeito de ser. Afinal, por que iria me
apaixonar por você?
Talvez seja pela sua paciência ou pela sua presença de espírito. Talvez não seja nem por
isso, nem por aquilo.
Acho que você me cai bem. Cinema, passeio de mãos dadas, leituras em voz alta de
trechos de livros que adoramos.
O pão francês de ontem é dividido, rigorosamente, naquelas manhãs em que ambos
estão com preguiça de ir até a padaria. O beijo apressado de bom dia, a falta de tempo
para um abraço matinal demorado e, ainda, sim, nos amamos. As contas estão pregadas
na geladeira e são tantas... Não chegamos a nenhuma conclusão quanto a nossa viagem
de férias. Vamos para a praia ou para a fazenda? Ah, meu Deus! Primeiro precisamos
pagar as contas.
-Amor, acho que a casa está precisando de uma tintura.
-Amore, agora eu só quero pensar nas nossas férias.
-Amor, não se esqueça de passar no banco. Hoje é dia 15. Conta de luz, conta de água e
academia.
-Amore, você pode fazer isso por nós hoje? Tenho que chegar mais cedo ao trabalho.
-Tá bom. Beijo. Te amo. Até mais, já estou atrasada.
Talvez seja pelo seu sorriso, talvez seja pela sua perseverança. Ainda não encontramos
tempo de nos entreolharmos e nos apaixonarmos novamente esta semana, mas eu não
consigo esquecer aquele carinho singelo que você me fez anteontem. Retirou alguns fios
de cabelo que, provocados pelo vento, repousaram em meus lábios. Você é tão
carinhoso, às vezes. Trim-trim, trim-trim.
Por que eu nunca consigo encontrar o meu celular quando ele toca em lugares em que
deveria estar desligado? Ah, era você. Mais uma vez não consegui atender a sua ligação.
Não acredito. Que droga! Eu sei o quanto você odeia isso. Agora, perderemos pelo
menos três longos minutos com reflexões tolas sobre a minha falta de perspicácia em
atender o celular.
-Amore, por que você não atendeu?
-Desculpa, amor. Meu celular insiste em desaparecer na minha bolsa, todas as vezes que
toca.
-Amore, nos já conversamos sobre isso um milhão de vezes. Por que você não coloca o
seu celular em um lugar mais fácil de encontrar? Não estaríamos discutindo sobre isso
NOVAMENTE se você me desse ouvido. Você não concorda?
-Harãn...
-Amore, você precisa encontrar um lugar para colocar este celular.
-Ah, tá. OK. Por que você ligou?
-Queria te lembrar que as contas vencem hoje. Hoje é dia 15.
-É, eu sei. Fui eu quem te lembrou de pagá-las hoje de manhã.
-Você pegou as contas na geladeira?
-Peguei.
-O que deu em você?
-Nada.
-Então, tá. Te vejo mais tarde. Beijo.
Definitivamente, não te amo pela sua sensibilidade em perceber que eu estou brava com
você. Como pôde desligar sem nem ao menos perguntar de novo se está tudo bem?
Você ainda não aprendeu que quando as mulheres estão bravas nunca, NUNCA, falam o
que há de errado com elas na primeira vez que os homens perguntam? Precisamos saber
que vocês realmente estão interessados no que estamos sentindo. Não queremos que
perguntem apenas por perguntar.
Nem sei se te amo mais. Você é tão grosso! Ah, que raiva! Você conseguiu estragar a
minha manhã. Estava tudo indo bem, daí vem você com as suas reclamações eternas.
Ah, já sei. Talvez eu te ame, justamente, por que você me irrita. Talvez você seja um
karma de vidas passadas. Cada um tem o que merece e eu mereço você.
-Com licença, senhora. Estou na fila do caixa eletrônico há mais de meia hora, o que
está acontecendo?
-Estamos com problema no sistema. Aquele caixa só faz depósito. Este só realiza
pagamentos e saques. Temos que ter paciência, né!
Como eu posso estar apaixonada por alguém há cinco anos? Um alguém que se esquiva
de pagar as contas no banco todos os meses. Devo estar louca!
Este ano eu quero ir para a praia e pronto. Se ele quiser ir para a fazenda, que vá
sozinho! Eu não acredito que eu vou chegar atrasada ao trabalho de novo.
O quê???Não pode ser.
-Amor, o que você está fazendo aqui?
-Vim pedir desculpas.
-Pelo que?
-Acho que não foi legal o jeito que eu falei com você ao telefone. Adiaram a reunião
para as 9h. Pode deixar que eu pago estas contas.
-Ah... Amor, você é o homem mais maravilhoso desse mundo!
Talvez seja pelas surpresas que você me faz. Talvez seja porque você é você e eu sou
eu. Talvez seja, simplesmente, porque tinha que ser. Só sei que, independente de tudo
isso, eu ainda amaria você.
-Oi, amor. Como foi o seu dia?
-Uma eternidade longe de você.
-Estive pensando e acho que a casa precisa mesmo de uma tintura.
-Se sobrar dinheiro depois das contas pagas e da viagem definida, podemos começar a
pesquisar quanto fica para tintar só do lado de fora da casa.
-Ok. Você está a fim de ir ao cinema hoje?
-O que está passando? Eu não quero ver filme de ação, hein.
-E eu não quero ver romance.