Exposição solo de artista será aberta hoje na Capital

Сomentários

Transcrição

Exposição solo de artista será aberta hoje na Capital
C6 oMatoEstado
Grosso do Sul
Campo Grande - MS | Quarta-feira 1º de abril de 2015
Teatro
Memórias cotidianas
Fotos: Eliese Garlipp/Divulgação
‘Um Trago nas
Horas’ aborda
lembranças
que afetam o
cotidiano de
personagens
Juliana Barros
A
nova peça da diretora
e dramaturga Francielli Zamora, “Um
Trago nas Horas”, representa
o tempo e as escolhas baseadas
nas más memórias. O espetáculo será apresentado pelo
grupo teatral Você em Cena,
neste sábado (4) e domingo
(5), às 20h, no Teatro Aracy
Balabanian. A classificação
é livre e os ingressos estão
sendo vendidos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).
A obra é um drama que
fala sobre o tempo, o que as
pessoas fazem da vida, das
memórias e de como tudo isso
afeta o cotidiano. “A história é
um pouco anacrônica, começa
do fim. Ela vai confundir o
espectador, mas é proposital”,
explica a diretora.
A peça conta a história de
Ávalos, um pianista famoso
que está doente e perdendo
o movimento das mãos. Na
sua juventude, o músico viveu
bons momentos, mas vive dilemas pessoais no presente,
casos internos que o levaram
ao fracasso.
A jovem Clarisse cuida de
Ávalos na pior fase de sua vida,
ela questiona o passado do músico e os seus casos de amor. O
pianista tem uma mulher me-
Drama atemporal mostra a história de um pianista famoso que perde o movimento das mãos e relembra suas escolhas de vida e na adolescência, com atores do grupo Você em Cena teatral
gera que quer acabar com a
vida dele a qualquer custo, por
questões de herança.
Montagem traz para os palcos
mensagens reflexivas para o público
As cenas passam do presente
para o passado com uma encenação performática, dança e
música com um toque francês.
O espetáculo surpreende pelo
enlace do texto, dramatizando
as sensações.
“A linguagem da peça é um
pouco mais formal, para remeter ao espectador essa ilusão
que as cenas podem ter acontecido no passado, na década de
1940”, acrescenta.
A obra foi feita para inspirar o
espectador a tirar dela algumas
conclusões. “A mensagem é bem
clara, cada um tem sua própria
interpretação, mas nosso foco
é realmente passar que temos
um lado pessimista e de vitimi-
Perfil
Jovem escritor
se prepara para
lançar livros
Ana Karolyna Resquim
Tendo contato com as artes
desde muito cedo, hoje, o poeta
Vinicius Febraro de Oliveira já
tem um livro escrito. “O Real
Poetastro”, que está em fase
de edição, deve ser publicado
em julho.
Ele mesmo tomou a iniciativa de buscar uma editora. “Eu acabei escrevendo
bastante, quase 600 páginas
e decidi dividi-lo em três ou
quatro partes. A obra fala
sobre minhas vivências desde
os 13 anos, fala sobre o mundo,
cores e desenhos, minha
paixão pela arte”, explica.
Com seus 16 anos, ele já
se revela em poesias e se
expressa no teatro, relembrando que quando tinha 5
anos, já respirava arte nos
passeios por museus e teatros
ao lado de sua mãe. O poeta
e aspirante a ator nasceu em
Campo Grande e ainda muito
pequeno aprendeu com a mãe
a apreciar a arte. “Ela me
levava muito em museus para
ver quadros e obras antigas, e
também ao teatro e fui aprendendo essa paixão, Mas um
dia, ela parou de fazer esses
passeios e eu resolvi não parar,
porque era muito bom estar
nesse universo e ver tudo
isso”, relata Vinicius.
Em sua busca, que agora
era solitária, por aquilo que
o satisfizesse, Vinicius encontrou aos 10 anos uma oficina
de teatro. “Senti que lá poderia
me soltar e me expressar, mas
acabei tendo que parar porque
Cleber Gellio
Poeta vive na Capital e tem 16 anos
o curso tinha poucos alunos e
acabou fechando”, conta. Depois disso, passou alguns anos
buscando a arte nas palavras.
“Eu lia muito e comecei a me
interessar. E em 2013, algumas
mudanças aconteceram em
minha vida e decidi pôr no
papel aqueles sentimentos”,
relembra.
Vinicius então começou a
escrever. “Eu escrevia tudo em
um caderno, mas ele acabou e
eu o guardei, e depois de algum
tempo, ele foi roubado. Mas me
devolveram depois e eu pensei
‘se querem tanto assim ler o
que escrevo, eu vou publicar’”,
relata o poeta.
Nesse período, ele acabou
voltando ao teatro, quando
conheceu o Grupo Casa e renovou sua paixão pela interpretação.
zação, e que certas escolhas
só atraem mais coisas ruins”,
esclarece Francielli.
O espetáculo mostra que as
escolhas do personagem são
baseadas nas más memórias.
Ele utiliza um dom e a oportunidade de um momento de
fama para aproveitar de sua
felicidade, usa a atenção das
mulheres como um troféu para
sua autoestima. Mas a vida
devolve solidão, desprezo e
abandono por suas atitudes.
“O músico teve uma vida
muito boa, só que no decorrer
dela muitas coisas não deram
certo e ele foi pensando pelo
pior lado, escolhendo os
piores pensamentos, e essas
más escolhas o levaram a
atrair tudo de ruim”.
A poética do drama leva
as pessoas a pensarem que
todos precisam voltar ao início
de tudo, ter sua essência, se
satisfazer, agradecer, cativar,
cultivar e valorizar o afeto do
próximo. “Nossa peça mostra
a importância de sermos mais
otimistas, fazermos as coisas
pensando no lado bom delas”,
finaliza a diretora.
O elenco da peça é composto pelos atores Samuel
Xavier, Keila Correa, Ana
Loureiro, Gustavo Hellbert,
Mario Filho, Rafaella Lubatchesck, Leandro do Valle,
Ariadne Farinea, Thais
Barros, Valéria Diniz e Caroline Sandin. O figurino é
da modista Lauren Cury e o
cenário é dos designers de
interiores Gustavo Hellbert
e Edineia Moreira.
SERVIÇO – Todos podem garantir
seu ingresso antecipado no valor
de meia-entrada pelo telefone
(67) 9292-0786. O Teatro Aracy
Balabanian fica na rua 26 de
Agosto, 453. Mais informações
pelo telefone 3317-1791.
Peça conta com linguagem mais rebuscada e momentos mais poéticos
Artes plásticas
Exposição solo de artista
será aberta hoje na Capital
Sarah Caires/Arquivo Pessoal/Divulgação
Luana Ayala
A artista Sarah Caires abre
hoje, às 19h, no Fran’s Café,
sua primeira exposição individual “Sobre Mares, Sobre
Ares”. O projeto permanece
aberto ao público até dia 15 de
abril com entrada gratuita. “A
exposição apresenta personagens que sentem uma conexão
delicada com a natureza. Eles
possuem uma integração lúdica com as ondas, o mar, os
pássaros. Sempre com uma
composição que remeta harmonia”, explica Sarah.
No trabalho exibido, a artista apresenta pintura em
tela, pintura sobre mdf, ilustração e escultura. “Uso a
tinta acrílica, faço muitas misturas para conseguir as tonalidades desejadas, também
sobreponho camadas de tinta
que são bem evidenciadas no
MDF”, revela a artista.
Artista vem trabalhando seus
quadros desde o ano de 2013
Ao todo, serão expostas 21
obras, cujo estudo e experimento vêm sendo trabalhado
desde 2013 por Sarah. Uma
novidade para o público é
o uso do papel machê, que
conforme explica a artista, é
um processo interessante. “É
uma técnica que aprendi com
a artista Antonia Hanemann,
no atêlie da artista Alexandra
Camillo este mês. Sai com
os personagens do bidimensional para o tridimensional”,
relembra.
Jovem artista plástica vai expor 21 obras em Campo Grande, sendo que algumas utilizam telas e o papel machê
As obras além de apreciadas, também poderão ser
compradas. Os preços são
muito diferentes, e dependem
do suporte e do tamanho.
Terão peças por R$ 22, ilustrações por R$ 40, e quadros
maiores por R$ 220. Faltando
poucas horas para a abertura
da exposição, a artista não
esconde as expectativas. “Vou
trabalhando porque as coisas
vão acontecendo. Está muito
legal, minha família e amigos
todos me apoiando”, pontua.
Sarah já tem planos em
mente para os próximos meses
, entre eles, uma exposição na
Galeria de Vidro, na Esplanada. “Tenho muitos projetos,
estou esperando resultados de
alguns editais”, finaliza.
SERVIÇO – A entrada é gratuita.
O Fran’s Café se localiza na rua
Marechal Rondon, 2.453. Mais
informações (67) 3382-5125.

Documentos relacionados