Jards lixo

Сomentários

Transcrição

Jards lixo
Juliana Perdigão, cantora e instrumentista, tem se apresentado em diferentes festivais e projetos,
entre os quais o Mercado Cultural de Salvador, Womex, Na Mira da Música Brasileira, Festival de
Inverno da UFMG, Mostra de Cinema de Tiradentes, Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana,
Conexão Vivo, FMI (Feira da Música Independente – Brasília), Projeto Prata da Casa (Sesc
Pompéia – SP), Sesc Instrumental, Virada Cultural - SP, Mostra de Cinema de Ouro Preto, Música
no Museu de Arte da Pampulha, Festa da Música, Verão Arte Contemporânea, Romerías de Mayo
(Holguín, Cuba), Festival Músicas do Mundo (Sines, Portugal) e Prêmio Visa de Música Brasileira.!
!
Foi uma das artistas selecionadas no edital do Programa Música Minas 2009, que viabilizou a
realização de shows de artistas mineiros em capitais do Brasil. Juliana tem atuado em shows e
gravações, em parceria com Kristoff Silva, Tulipa Ruiz, Flávio Henrique, Romulo Fróes, Carlos
Careqa, Gustavo Ruiz, Pablo Castro, Benjamim Taubkin, Mauricio Carrilho, Makely Ka e com os
grupos Graveola e o Lixo Polifônico, Corta Jaca, Misturada Orquestra, Elefante Groove, P.R.O.A,
Voz e Cia, Quatro na Roda e A Outra Cidade. !
!
Em 2012 a artista lançou seu primeiro disco solo, Álbum Desconhecido, viabilizado através da Lei
Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e patrocinado pelo programa Natura Musical. Em
seu disco de estréia, Juliana registrou 13 canções inéditas de compositores da nova geração da
canção brasileira atual, dentre eles Tulipa Ruiz, Rômulo Fróes, Nuno Ramos, Gustavo Ruiz, Pablo
Castro, Flávio Henrique, Luiz Gabriel Lopes, Mauricio Ribeiro e Makely Ka. No disco, contou com
a participação de músicos e arranjadores como Benjamim Taubkin, André Abujamra e Nailor
Proveta. O Álbum Desconhecido foi muito bem recebido pelo público e pela crítica especializada e
nele Juliana se mostra uma intérprete hábil e versátil, em um diverso leque de influências
musicais, proporcionado através da participação colaborativa dos músicos e compositores no
processo de criação das canções presentes no disco. !
!
Em 2013 e 2014 Juliana passou uma temporada em imersão no Teatro Oficina, onde trabalhou
como atriz, cantora e instrumentista. Durante esse período em São Paulo pode vivenciar intensa e
ativamente a cena independente da cidade e criar laços com os músicos e compositores dessa
cena. Atualmente vive entre Minas e São Paulo e desde o ano passado se apresenta ao lado da banda
Os Kurva em shows cujo repertório passeia por composições próprias, canções de seus colegas
de banda, músicas de peças do Teatro Oficina, de colegas de geração como Kiko Dinucci e Ava
Rocha e transcriações de músicas de John Cage, Moondog, Milton Nascimento, Britney Spears e
Jards Macalé.!
!
Esse repertório tem sido a base de um laboratório sonoro que se fez emergir a partir do encontro
com os músicos da banda que Juliana reuniu em meados de 2014. Desde então Juliana Perdigão
e os Kurva, em show homônimo, vem experimentando nos palcos o resultado desse encontro, e
se preparam para entrar em estúdio, ainda no primeiro semestre em 2016, com o intuito de gravar
o segundo disco solo da cantora, a convite do selo e editora YB music e patrocinado pelo
programa Natura Musical. Esse novo trabalho contará com a direção artística de Romulo Fróes.

Documentos relacionados

Música - Maria Mendes

Música - Maria Mendes acaba virando a faixa mais maçante de todo o disco, digna dos mais preguiçosos discos do Simply Red. Lançado lá fora no fim do ano passado, “American soul” está longe de ser o recomeço de carreira ...

Leia mais

- graveola

- graveola peso de ser a continuidade desse movimento tão vitorioso e importante. Delegado fala da geração de músicos que floresceu ao longo da última década em Minas Gerais, sobretudo em Belo Horizonte, disc...

Leia mais