PROGRAMA Wolfgang Amadeus Mozart Concerto nº 3 em sol maior

Сomentários

Transcrição

PROGRAMA Wolfgang Amadeus Mozart Concerto nº 3 em sol maior
PROGRAMA
Wolfgang Amadeus Mozart
Concerto nº 3 em sol maior para violino e orquestra, K 216
I – Allegro
II – Adágio tutti
III – Rondeau
Solista: Fernanda Acioli
Piotr Ilich Tchaikovsky
Sinfonia nº 4 em Fá menor, op. 36
I. Andante sostenuto – Moderato con anima
II. Andantino in modo di canzona
III. Scherzo — Pizzicato ostinato
IV. Finale — Allegro con fuoco
Solista - Fernanda Lucia Acioli Furtado nasceu no Rio Grande do
Norte, mudando-se para João Pessoa-PB aos três anos de idade.
Iniciou seus estudos de violino no Projeto Espiral e em seguida
ingressou na Escola de musica Antenor Navarro. Continuou seus
estudos na UFPB, quando participou da Orquestra Infanto Juvenil
dessa universidade por meio da qual fez turnês em países como
Portugal, Argentina, e Estados Unidos. Atualmente participa da
Camerata Arte Mulher é chefe de naipe dos segundos violinos na
Orquestra de Câmara de João Pessoa e na Orquestra Sinfônica do
Recife.
Moisés Mandel - (1932 - 2012) - Spalla da OSR de 1994 a 2010
Natural de Natal (RN), Mandel veio ao Recife em 1945 para estudar
violino no Conservatório Pernambucano de Música, onde foi aluno de
Vicente Fittipaldi. Aos 14 anos já tocava na Orquestra Sinfônica do
Recife e na Orquestra da Rádio Jornal do Commercio.
Pouco tempo depois de formado, o músico foi convidado a integrar a
Orquestra Sinfônica da Bahia como primeiro violinista. Anos depois,
morou em Brasília, onde foi spalla da Orquestra Sinfônica do Teatro
Nacional e também atuou como diretor da Escola de Música da
Universidade de Brasília (UNB).
Fora do Brasil, Mandel trabalhou como professor convidado da
Fundação Gulbekian, em Portugal, e tocou como solista em
orquestras em países como Estados Unidos, Itália e Japão. O músico
voltou ao Recife em 1994, a convite do então Diretor Artístico e
Regente Titular desta Carlos Veiga, contratado como spalla da
Orquestra Sinfônica, onde atuou até 2010.
Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791) foi um prolífico e
influente compositor austríaco do período clássico. Mozart mostrou
uma habilidade musical prodigiosa desde sua infância. Já competente
nos instrumentos de teclado e no violino, começou a compor aos
cinco anos de idade, e passou a se apresentar para a realeza
europeia, maravilhando a todos com seu talento precoce. Foi autor de
mais de seiscentas obras, muitas delas referenciais na música
sinfônica, concertante, operística, coral, pianística e camerística.
Sua produção foi louvada por todos os críticos de sua época, embora
muitos a considerassem excessivamente complexa e difícil, e
estendeu sua influência sobre vários outros compositores ao longo de
todo o século XIX e início do século XX. Hoje Mozart é visto pela
crítica especializada como um dos maiores compositores do ocidente
conseguiu conquistar grande prestígio mesmo entre os leigos, e sua
imagem se tornou um ícone popular.
Piotr Ilich Tchaikovsky nasceu em maio de 1840, na cidade de
Kamsko-Votkinsk, na Rússia. Desde cedo Tchaikovsky interessou-se
por música. Seu primeiro contato foi aos cinco anos com um velho
órgão mecânico que havia em sua casa, onde aprendeu algumas árias
da moda ajudado por sua mãe. Embora não faça parte do chamado
Grupo dos Cinco (Mussorgsky, César Cui, Rimsky-Korsakov, Balakirev
e Borodin) de compositores nacionalistas daquele país, sua música se
tornou conhecida e admirada por seu caráter distintamente russo,
bem como por suas ricas harmonias e vivas melodias. Suas obras, no
entanto, foram muito mais ocidentalizadas do que aquelas de seus
compatriotas, uma vez que ele utilizava elementos internacionais ao
lado de melodias populares nacionalistas russas.
Tchaikovsky, assim como Mozart, é um dos poucos compositores
aclamados que se sentia igualmente confortável escrevendo óperas,
sinfonias, concertos e obras para piano.