Mini Guia de Campo

Сomentários

Transcrição

Mini Guia de Campo
mini guia
de campo
adulto
descrição
girino
Salamandra-lusitânica
Chioglossa lusitanica
Urodelo inconfundível pelo seu aspeto
geral: elegante, cauda longa, coloração
negra com duas listas douradas ou alaranjadas que se estendem sobre todo o dorso,
fundindo-se na zona de inserção da cauda.
Endemismo ibérico muito sensível. Não
possui pulmões funcionais, respirando
unicamente pela pele. É tipicamente uma
espécie de regiões montanhosas que vive
em habitats ribeirinhos muito puros.
Identificado pela 1ª vez para a ciência no
Buçaco, em 1864.
Salamandra-de-pintas-amarelas
Salamandra salamandra
É a salamandra mais conhecida, apesar dos
seus hábitos noturnos. Está muitas vezes
associada a crenças e receios populares,
marcadamente infundados. A subespécie
que ocorre na Mata é a S. s. gallaica e
caracteriza-se pelas elevadas dimensões
(pode ultrapassar os 22 cm), pela coloração
predominantemente negra, com manchas
amarelas e, também, laivos vermelhos nos
flancos e zona da garganta.
Tritão-de-ventre-laranja
Lissotriton boscai
Pequeno tritão que atinge, no máximo, 10
cm de comprimento. A sua característica
mais evidente é a coloração laranja-vivo do
ventre. A coloração dorsal é bastante
variável, podendo ir do cinzento-amarelado ao castanho. Endemismo ibérico. Na
Mata encontra-se dentro de água ao longo
de todo o ano, nomeadamente, na Cascata
de S. Silvestre.
anfíbios
adulto
descrição
girino
Tritão-marmorado
Triturus marmoratus
É o maior tritão da nossa fauna, podendo
alcançar 16 cm. A sua coloração verde com
manchas negras é inconfundível. Durante a
época reprodutiva, os machos desenvolvem uma crista dorsal alta de recorte
ondulado. As fêmeas nunca apresentam
crista, evidenciam uma linha vertebral de
cor alaranjada. Espécie de hábitos
noturnos, embora no interior da água se
possam observar indivíduos durante o dia.
Rã-ibérica
Rana iberica
Rã pequena e esbelta, de coloração
acastanhada, com uma característica
mancha pós-ocular escura. Espécie típica
de zonas montanhosas, encontra-se junto
a ribeiros de águas frias e correntes
rápidas, com vegetação abundante.
Apresenta atividade diurna e noturna. Na
Mata encontra-se apenas nos cursos de
água corrente.
Sapo-comum
Bufo bufo
É o maior anuro da nossa fauna, podendo
algumas fêmeas atingir 22 cm de comprimento. Os machos, geralmente menores,
raramente ultrapassam os 10 cm. Sapo de
aspeto robusto, olhos grandes, com pupila
horizontal, glândulas parótidas proeminentes, pele verrugosa no dorso e granulosa no ventre. A coloração dorsal varia entre
o castanho-amarelado até ao castanho-escuro. Hábitos são essencialmente crepusculares e noturnos, no entanto, em dias
húmidos pode apresentar alguma
atividade.
Com a contribuição do instrumento
financeiro LIFE da União Europeia