da apresentação

Сomentários

Transcrição

da apresentação
Ricardo Setubal
Diretor de Relações com Investidores
Agenda
9 Perfil da Empresa
9 Investimentos Estratégicos
9 Ações
ç
Desenvolvidas no Período
9 Desempenho das Áreas
9 Informações Financeiras Consolidadas
9 Governança Corporativa
9 Sustentabilidade
9 Crescimento Sustentável
1
Perfil da Empresa
Itautec Brasil
Informática
Automações
Serviços
Itautec Exterior
Tallard Technologies
Automações
ç
Serviços
Distribuidor de Valor
Agregado - VAD
• Argentina
• Espanha
• Estados Unidos
• México
• Portugal
• Argentina
• Brasil
• Chile
• Colômbia
• Equador
• Estados Unidos
• México
• Venezuela
2
Perfil da Empresa
Informática
Fabricação de Desktops, Notebooks e Servidores
Posicionamento no Mercado
Desktops - Entre as 6 maiores empresas do Brasil - Market Share aproximado 5% *
Notebooks - Entre as 5 maiores empresas - Market Share aproximado 6% *
* Fonte IT Data
3
Perfil da Empresa
Automações
Fabricação de equipamentos de Automação Bancária e Comercial
ATM Adattis
ATM TTW
QuickWay Selfcheckout
QuickWay Checker Wi-fi
SIGA
Posicionamento no Mercado
Entre as 3 maiores empresas do Brasil
10ª maior base instalada de ATMs no mundo e 2ª na América Latina*
*Fonte: "Global ATM Market and Forecasts to 2013" - Retail Banking Research
4
Perfil da Empresa
Serviços
Outsourcing, Assistência Técnica, infra-estrutura e Instalações
Abrangência Brasil:
• 2.700 Municípios Atendidos
• 12.000 Clientes Ativos
• 34 unidades
id d e 7 laboratórios
l b
tó i
• 3.000 Funcionários
Posicionamento no Mercado
Maior rede própria de assistência técnica no Brasil
5
Perfil da Empresa
Distribuição
Distribuidor de Valor Agregado – VAD de marcas globais
Posicionamento no Mercado
Tallard Miami/EUA
Maior empresa brasileira de tecnologia no exterior
6
Investimentos Estratégicos
Capacidade Produtiva
Produto
Unidades mil/ano
Desktops
480
Notebooks
480
Automação Bancária
24
Automação Comercial
21
- Aumento da capacidade de produção de cofres para 3.000 unidades/ano
Aquisição de máquina de corte a plasma com capacidade
para chapas de 1 polegada
- Lançamento da linha de ATMs Adattis – Lead free
Equipamentos modulares isentos de chumbo
- SIAC – Sistema Itautec de Automação Comercial
Modernização de toda estrutura e adequação
à demanda do mercado
7
Ações Desenvolvidas no Período
- Criação de uma Holding Internacional na Espanha
Consolidação dos resultados das empresas do exterior
- Participação nas principais feiras de tecnologia
Cebit – Hannover/Alemanha / BAI – Orlando/EUA /
Fórum TI Governo – Brasil / Ciab Febraban – Brasil
- Implantação do sistema SAP
Padronização e consolidação das operações, maior controle e segurança
Cebit – Hannover/Alemanha
no tratamento e armazenamento das informações, otimização dos
processos de negócios.
8
Desempenho
9
Áreas de Atuação - Informática
Itautec - Unidades Expedidas - mil
(Desktops + Notebooks)
Receita Bruta de Vendas – R$ Milhões
683,8
310,3
326 9
326,9
580 2
580,2
76,9
104,6
146,4
233 4
233,4
222 3
222,3
2006
2007
601 2
601,2
178,6
164,5
175,6
55,8
+41,1% 313,8
433 8
433,8
505,2
517,1
436 7 +18,4%
436,7
119,8
2005
A
Acum.
9M
Meses
4º T
Trimestre
i
2008
2005
2006
Acum 9 Meses
Acum.
2007
2008
4º Trimestre
10
Áreas de Atuação - Informática
Breakdown Itautec
Perspectiva de vendas no Brasil até 2012
Unidades Vendidas
Em milhões de unidades – Fonte IT Data
17,2
20 2%
20,2%
41,1%
8,2
58,9%
Desktops
1,9
12,0
12,7
4,2
5,6
7,0
8,5
10,0
0,7
79,8%
9M07
10,0
14,0
15,5
9M08
Notebooks
7,5
8,1
7,8
7,1
7,0
7,0
7,2
2006
2007
2008E
2009E
2010E
2011E
2012E
Desktops
Notebooks
11
Áreas de Atuação - Automações
Unidades Expedidas - mil
(Bancária + Comercial)
32,9
23,5
9,7
Receita Bruta de Vendas – R$ Milhões
265 5
265,5
38 0
38,0
235,6
11,8
162,4
2005
102,0
164,8
163,5
2006
2007
46,0
8,4
15,1
70,8
23,2
26 2
26,2
2006
2007
A
Acum.
9M
Meses
-0 8%
-0,8%
26 0
26,0
116,4
4º T
Trimestre
i
t
2008
2005
Acum 9 Meses
Acum.
-9,1%
9 1%
148,6
2008
4º Trimestre
12
Áreas de Atuação - Serviços
Receita Bruta de Vendas – R$ Milhões
Nº de Atendimentos - mil
343,1
1 125 0
1.125,0
1 203 6
1.203,6
1 209 4
1.209,4
291,3
303,7
320,7
300,9
90,1
821 3
821,3
882,9
908,5 +8,5% 985,9
201,2
2005
2006
2007
2005
Acum. 9 Meses
2008
4º Trimestre
101 2
101,2
360,2
93 2
93,2
241,9
267,0
+10,6% 295,2
2006
2007
2008
Acum. 9 Meses
4º Trimestre
13
Áreas de Atuação – Distribuição
Receita Bruta de Vendas – R$ Milhões
Aquisição
Tallard
432,6
330 7
330,7
143 3
143,3
136,2
+26,4%
88 8
88,8
36,7
52,1
2005
194,5
2006
4º Trimestre
289,3
2007
365,8
2008
Acum. 9 Meses
14
Informações Financeiras Consolidadas
Receita Bruta até Setembro:
R$ 1.366,6 milhões
Di t ib i ã por Área
Distribuição
Á
Serviços
R$ 295,2 MM
Automações
R$ 148,6 MM
Informática
R$ 517,1 MM
Itautec Exterior +
Exportação
R$ 39,9 MM
Di t ib i ã
Distribuição
R$ 365,8 MM
2,9%
10,9%
Itautec Exterior +
Exportação
21,6%
Automações
26,7%
Serviços
37,9%
Distribuição
I f
Informática
áti
15
Informações Financeiras Consolidadas
Indicadores Financeiros
R$ Milhões
9 M 07
9 M 08
Receita Bruta
1.185,9
1.366,6
Receita Líquida
1.062,6
1.229,0
219,1
232,6
Lucro Líquido
77,2
34,2
Lucro Líquido Recorrente
38,5
30,4
EBITDA
85,8
77,5
Dívida Líquida
50,1
160,6
26,8%
10,5%
8 1%
8,1%
6 3%
6,3%
0,6
2,1
Lucro Bruto
Lucro Líquido / Patrimônio Líquido Médio (ROE)
EBITDA / R
Receita
it Líquida
Lí id
Dívida Líquida / EBITDA (Vezes)
ATM Adattis
16
Informações Financeiras Consolidadas
Movimentação EBITDA – R$ Milhões
+ 13,5
85,8
- 15,4
EBITDA 9M07
Aumento
Lucro Bruto
Aumento
Desp. Vendas
- 6,7
- 1,5
Aumento Desp.
Administrativas
Aumento
Despesas
P&D
+1 8
+1,8
77 5
77,5
Aumento
Outros
Resultados
EBITDA 9M08
17
Informações Financeiras Consolidadas
Financiamento aprovado junto ao BNDES de R$ 142,6
142 6 milhões
Liberados R$ 131,7 milhões (92,4%) até 30.09.08
Detalhamento do financiamento:
1) Inovação e Pesquisa e Desenvolvimento Î R$ 68,5 milhões
2) Modernização e aumento de capacidade das
linhas de montagem Î R$ 39,5 milhões
3) Esforço de Internacionalização Î R$ 34,6 milhões
18
Informações Financeiras Consolidadas
Indicadores de Liquidez
Líquidez - vezes
2,12
,
2 03
2,03
2,11
,
1,77
1,50
1,51
1,48
1,18
2003
1,26
1,44
1,42
1,43
Liquidez Corrente
Liquidez
q
Geral
2004
2005
2006
2007
30.09.08
19
Informações Financeiras Consolidadas
Dividendos e Juros sobre Capital Próprio – JCP
Juros sobre Capital Próprio
por Competência - R$ milhões
Pay-out
10 5
10,5
27,9%
7,8
4,4
,
16,8%
5,2
MINIPOS Prizis
Pi i
1S05
1S06
1S07
1S08
1S07
1S08
20
Informações Financeiras Consolidadas
Market Capitalization
Market Capitalization - R$ Milhões
679 3
679,3
517,7
594,2
349,7
Quickway
Q
y Checker
2005
2006
2007
28.11.08
21
Informações Financeiras Consolidadas
Market Capitalization
p
12/2007
0%
MMR$ 504,7
MMR$ 3.818,4
MMR$
679,3
-43%
-44%
-49%
49%
-87%
63.886 Pontos
12/07 01/08 02/08 03/08 04/08 05/08 06/08 07/08 08/08 09/08 10/08 11/08
Bematech (BEMA3)
Positivo (POSI3)
Itautec (ITEC3)
11/2008
MMR$
284
284,9
9
MMR$
504,9
MMR$
349,7
36.595 Pontos
IBovespa
22
Governança Corporativa
- 100% Ações Ordinárias;
- Tag-along de 80%;
- Comitê de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes desde 2002;
- Distribuição de dividendos mínimos de 25% do lucro líquido ajustado (Estatutário);
- Média de 29% do lucro líquido nos últimos 5 anos;
- Comitês
C
itê d
de G
Gestão:
tã IInteligência
t li ê i Corporativa,
C
ti
Riscos
Ri
e Ética,
Éti
Governança
G
Corporativa,
C
ti
Gestão
G tã
de Talentos, Excelência Operacional e de Sustentabilidade Social, Ambiental e Cultural;
- Código de Ética e Conduta;
- Divulgação de Relatório Anual desde 1999.
Relatório Anual 2007
23
Sustentabilidade
Responsabilidade Ambiental
- Certificação dos produtos com normas internacionais (RoHS e Weee);
- Certificação ISO 14.001 (desde 2003);
- Criação do Comitê de Sustentabilidade Ambiental, Social e Cultural;
- Realizada a 1ª venda de microcomputadores com critérios de sustentabilidade (2008);
- Premiação do case de embalagem pelo Benchmarking Ambiental Brasileiro
Responsabilidade Social
- Patrocinadora da Fundação Itaúsa Industrial (Planos de aposentadoria complementar);
- Código de Ética e Conduta – prevê cláusulas relativas à proibição de mão-de-obra infantil ou análogo à escravidão;
- Programa de Inclusão Digital para jovens e adolescentes da comunidade de entorno;
- Programa
P
de
d Inclusão
I l ã Eficiente
Efi i t - incentiva
i
ti a contratação
t t ã de
d Portadores
P t d
de
d Necessidades
N
id d Especiais;
E
i i
- Participa do Programa Empresa Amiga da Criança desde 2004 (Fundação Abrinq).
24
Sustentabilidade
Premiações
ç
- Prêmio Abrasca Relatório Anual (Edição 2008)
1º lugar na categoria companhias abertas com receita líquida igual ou superior a R$ 1 bilhão
- Excelência em Pesquisa e Desenvolvimento – Projeto MobiCash* (Anuário Informática Hoje – Edição 2008)
* Projeto Mobicash – Dispositivo móvel para transações financeiras
- Melhor empresa na categoria Tecnologia-Softwares e Serviços (As Melhores da Dinheiro – Edição 2008)
- IF Product Design Award 2009 – Hannover/Alemanha (6º ano)
T
Terminal
i l Consulta
C
lt Prizis
P i i com Pedestal
P d t l e Base
B
25
Crescimento Sustentável
Crescimento com Criação de Valor
Posicionamento no Mercado
Eficiência Operacional
Força da marca - 29 anos de presença no mercado nacional;
Sinergia entre as áreas de negócios;
Habilidades superiores no desenvolvimento de produtos
de alto valor agregado;
Custos de produção competitivos;
Portfólio de produtos com excelente relação custo x benefício;
Atendimento
At di
t técnico
té i especializado
i li d em ttodo
d tterritório
itó i nacional;
i
l
Produtos homologados no mercado internacional;
Qualificada carteira de clientes;
Capacidade
C
id d d
de produção
d ã em alta
lt escala;
l
Sólida estrutura de capital;
Geração operacional de caixa positiva nos 10 últimos exercícios;
Direcionamento estratégico dos investimentos;
Crescimento das receitas em moeda estrangeira;
Responsável atuação sócio-ambiental;
9 exercícios consecutivos com resultados positivos.
Desenvolvimento de projetos customizados.
26
Ricardo Setubal
Diretor de Relações com Investidores
Plínio do Amaral Pinheiro
Diretor de Relações com Investidores
Áreas de Atuação
DIVISÃO DECA
DIVISÃO MADEIRA
• Metais Sanitários
• Chapa de Fibra
• Louças Sanitárias
• MDP
• Acessórios
• MDF/HDF/SDF
• Piso Laminado
1
Área florestal
ƒ Terras pertencem a Duratex S
S.A;
A;
ƒ Certificações ISO14
ISO14.001
001 e FSC;
ƒ Área total: ~120 mil ha de terras em Set/08;
ƒ Membro da CCX (Chicago Climate Exchange).
9 valor de mercado: R$ 1.473 milhões (US$ 731M);
9 valor patrimonial: R$
537 milhões (US$ 281M).
ƒ Auto-suficiência em madeira:
9 Economias de escala;
9 Menos riscos no processo
9
9acesso
estratégico
t té i a matéria-prima
té i
i
2
Localização geográfica
MDP
Itapetininga - SP
Madeira
MDF & Piso
Laminado
Agudos - SP
Chapa de Fibra
Jundiaí - SP
MDF & Chapa de Fibra
Botucatu - SP
3
Localização geográfica
Metais
São Paulo - SP
Metais e Louças
Jundiaí - SP
Louças
Sao Leopoldo - RS
Louças
Cabo de Sto
Agostinho - PE
Louças
Queimados - RJ
Louças
Jundiaí – SP
4
Cenário – Setor da construção civil
Déficit habitacional estimado:
7,9 milhões de moradias.
UF
% Mapeamento
M
t
SP / RJ
80%
Outros
60%
Construtoras
2.361
Nº de Obras
7.967
Fonte:C riactive
Abaixo de 40 obras
Entre 40 e 600 obras
Acima de 600 obras
5
Cenário
Deca: disponibilidade
p
de produtos
p
para
p
os diferentes segmentos
g
de consumo:
$ / $$ / $$$ / $$$$
Banheiro completo:
aproximadamente
R$ 1.500,00
$ / $$ / $$$ / $$$$
Banheiro completo:
aproximadamente
R$ 13.500,00
METAIS + LOUÇAS
. Louças: linha Vogue Plus;
. Metais: linha Izy e
. Chuveiro Izy.
METAIS + LOUÇAS
Ç
. Louças: linha Link;
. Válvula Deca Slim e
. Metais: linha Stick;
. Chuveiro Quadrado
Quadrado.
MARCUS VINICIUS R. NOVAIS
DÉBORA AGUIAR
Fonte: estudo interno Área de Eventos Deca
6
Cenário – Indústria de painéis
8 concorrentes;
• Localização predominante nas regiões sul e sudeste;
• Próximo aos principais pólos moveleiros:
ƒ mais
i d
de 14 mil
il empresas;
ƒ principais pólos e localidades:
•
MG
ES
SP
Bento Gonçalves (RS),
(RS)
São Bento do Sul (SC),
Arapongas (PR),
Grande São Paulo ((SP),
),
Votuporanga (SP)
Mirassol (SP)
Ubá (MG)
Linhares (ES)
PR
SC
RS
7
Cenário
Mercado de móveis (preço médio em R$ em set/08):
Móveis de quarto
7.900,00
Prazos de pagamentos (em set/08):
pagamentos à vista
Móveis de sala
7%
2.650,00
Moveis de cozinha
superiores
a 4 parcelas
4.560,00
1.670,00
72%
2.730,00
2 630 00
2.630,00
950,00
1.840,00
2.520,00
1.070,00
615,00
1.050,00
Baixo Padrão
Medio Padrão
pagamentos
em até 3x
21%
Alto Padrão
Fonte: Pesquisa Gouveia de Souza
nas seguintes lojas: Casas Bahia,
Ponto Frio, Marabraz, Kolumbus,
Insinuante, dentre outras, num total
de 211 lojas consultadas
8
Cenário
Disponibilidade de crédito imobiliário (R$’000):
Crédito imobiliário pelo PIB:
29.000
Crédito Imobiliário / PIB Brasil (em %)
Fonte: BACEN
3,56%
Financiamentos do SBPE (R$ milhões)
Fonte: Bacen e ABECIP
9.340
2 66%
2,66%
2,23%
1,36%
1,45%
1,21% 1,31%
CAGR: 67,2%
2.218
3.002
2003
2004
4.852
1,70% 1,84%
Financiamentos do FGTS (R$ milhões)
Fonte: Base de dados CBIC e CEF
2003 2004
18.283
3,13%
2005 2006 2007 2008* 2009* 2010* 2011* 2012*
3.821
3.892
2003
2004
2005
2006
2007
2008*
8.500
6.999
6.909
2006
2007
5.533
* Estimativas
2005
2008*
* 2008: jan a ago08 (anualizado)
9
Cenário
Lançamentos na região metropolitana de São Paulo
(nº unidades lançadas em prédios e condomínios horizontais)
62.065
9 meses (jan. a set.)
31 545
31.545
47.393
34.938
33.682
34.727
28.192
30.520
2003
2004
2005
2006
2007
2008
10
Cenário
Mercados atendidos
(% da Receita Duratex consolidada):
Outros
22%
Ciclo médio de uma obra:
Construção
ç
46%
Móveis
32%
6 meses
12 meses
6 meses
11
Cenário
Com a rápida
p
mudança
ç de cenário,, foi divulgado
g
o seguinte
g
esclarecimento ao mercado:
10 de outubro de 2008
“Em função de diversas perguntas e consultas ocorridas nos últimos dias, informamos que todos os Passivos em
moeda estrangeira da Duratex estão totalmente cobertos por operações de hedge tradicionais,
tradicionais não apresentando
qualquer risco em função da atual volatilidade cambial.
Informamos ainda que não, temos nem realizamos qualquer operação com derivativos alavancados.
Com relação aos investimentos em andamento anunciados no 1º semestre de 2008, informamos que devido ao
agravamento
g
da crise financeira internacional,, e de seus p
possíveis reflexos p
para a Economia brasileira,, a Diretoria da
Duratex decidiu readequar seu cronograma de implantação, postergando a sua execução por 6 meses.
A gestão financeira da Duratex é pautada por Políticas conservadoras, privilegiando a liquidez da Empresa e a
sustentabilidade de suas operações.
Plínio do Amaral Pinheiro
Vice Presidente Corporativo e Financeiro
Diretor de Relações com Investidores”
12
Cenário
Operações
p
ç
sujeitas
j
a variação
ç cambial (em
(
R$
$ ‘000):
)
ATIVOS EM MOEDA ESTRANGEIRA
PASSIVO EM MOEDA ESTRANGEIRA
IMPORTAÇÃO EM ANDAMENTO
80.907
BNDES
CONTAS A REC. DE CLIENTES NO EXTERIOR
31.174
RESOLUÇÃO 2770
252.995
DURATEX OVERSEAS
36.018
FINANCIAMENTO DE IMPORTAÇÃO
153.203
SWAP YEN / US$ X
CDI
OPÇÕES DE COMPRA DE US$
294 703
294.703
ADIANTAMENTODE CONTRATO DE CÂMBIO
87 897
87.897
76.571
FINANCIAMENTO COM VAR. CAMBIAL NO PL
(30.578)
FORNECEDORES
TOTAL ATIVO + INSTRUMENTO FINANCEIRO
17.527
519.373
PASSIVO EM MOEDA ESTRANGEIRA
45.519
526.563
13
Cenário
I
Investimentos
ti
t postergados:
t
d
Projeto
P j t MDP
• Investimentos totais estimados em R$ 1,0 bilhão;
• MDP: linha com capacidade de 1.000.000 m3/ano;
• Fábrica de Resina;
• Aquisição de terras e plantio de florestas.
14
PAR – Plano de Aplicação de Recursos
R$925,3
$
, milhões
(em R$ milhões)
615,3
R$1.327,5 milhões
310,0
303,5
222,3
138,9
139,4
2000
'01
172,8
'02
'03
* Î PAR estimado entre 2008 e 2009.
136,8 108,4 105,4
'04
'05
'06
'07
'08*
'09*
Î postergados investimentos de R$450 milhões.
15
PAR – Plano de Aplicação de Recursos
Evolução
ç da capacidade de produção
ç e taxa de utilização:
ç
Madeira
81%
70%
85%
88%
69%
60%
1.440
640
640
640
640
640
640
500
500
500
500
500
500
500
360
360
360
360
360
360
360
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
Utilização da capacidade
MDF
MDP
Chapa
p de Fibra
(em ‘000 m3)
16
PAR – Plano de Aplicação de Recursos
Evolução
ç da capacidade
p
de produção
p
ç e taxa de utilização:
ç
87%
76%
3.200
77%
74%
69%
4.200
4.200
83%
7 040
7.040
3.800
3.800
4.520
Utilização da capacidade
14.400
14.400
14.400
14.400
14.400
15.600
16.800
Louças Sanitárias
Metais Sanitários
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
(em ‘000 peças)
17
PAR – Plano de Aplicação de Recursos
Projeto MDF:
Metais Sanitários:
Louças Sanitárias:
• Nova linha de 800.000 m3/ano:
Start-up em abril/2009.
• Linha de Acabamento Melamínico;
• Planta de Resina;
• Florestas.
• Aumento de capacidade:
400.000 peças / mês;
• Término das expansões:
2010
• Duas aquisições de R$60 milhões cada, considerando:
Î valor pago + investimentos + capital de giro
• + 80% sobre a capacidade ao final de 2007:
1 - Ideal Standard: 1.800.000 peças / ano:
Duas plantas (Jundiaí - SP e Queimados - RJ).
2 - Cerâmica Monte Carlo: 1.440.000 peças / ano;
Uma planta em Cabo de Sto Agostinho (PE).
18
Desempenho
Destaques
q
(R$
(
milhões):
)
Destaques Financeiros
Caixa
Ativo Circulante
Realizável a Longo Prazo
Ativo Permanente
Ativo Total
Endividamento Curto Prazo
Passivo Circulante
Endividamento Longo-Prazo
Exigível a Longo Prazo
P ti i
Participação
ã Minoritária
Mi
itá i
Patrimônio Líquido
2007
set/08
662,9
,
1.266,0
34,3
1.330,1
2.630,4
246 2
246,2
540,9
424,6
546,2
75
7,5
1.535,8
656,9
1.381,3
,
80,7
1.791,8
3.253,8
395 0
395,0
804,0
595,6
772,6
02
0,2
1.677,1
2007
set/08
Indicadores de Risco
Liquidez Corrente
2,34
1,72
PL / Ativo Total
58%
52%
Dívida / Dívida + PL
30%
37%
7,9
333,7
Dívida Líquida
Dívida Líquida / PL
0,01
0,20
Dívida Líquida / EBITDA*
0,01
0,58
* Î EBITDA últimos 12 meses
19
Desempenho
Cronograma
g
de amortização
ç da dívida
Endividamento em set/08:
(em R$ milhões):
358
R$ 990,6M
331
Dívida de longo-prazo
Dívida de curto
curto-prazo
prazo
88
Curto-Prazo
C
t P
40%
125
270
61
Longo-Prazo
60%
17
4T2008
2009
2010
2011
2012
26
25
2013
2014
49
2015 e
após
20
Desempenho
Receita líquida
q
(Jan
(
a Set / 2008):
)
Distribuição geográfica das vendas:
R$ 1.428,0 milhões
MDP
14,5%
Piso Laminado
6,0%
MDF/HDF/SDF
26,1%
Chapa de Fibra
17,3%
,
Mercado Externo
10,1%
Metais Sanitários
22,7%
ç Sanitárias
Louças
13,3%
Mercado Interno
89 9%
89,9%
21
Desempenho Janeiro a Setembro
Receita Liq. (R$ M) &
Margem Bruta (%)
EBITDA (R$ M) & Margem (%)
, % 40
42 6% 45,7%
42 2% 42,6%
40,2%
2%
38 7% 42,2%
38,7%
1.428,0
1.210,8
27,9% 29,5% 30,8%
1.078,5
883,4
940 3
940,3
246,7
277,2
332 5
332,5
34,2%
414,0
Lucro Líquido (R$ M) & ROE (%)
30,1%
21,6% 22,5%
17,3%
430,3
12,9%
92,7
2004
2005
2006
2007
CAGR: 12,7%
2008
2004
2005
2006
2007
CAGR: 14,9%
2008
2004
13 9%
13,9%
105,8
2005
160,8
2006
241 5
241,5
265 9
265,9
2007
2008
CAGR: 30,1%
22
Desempenho Trimestral Recorrente
Receita Liq. (R$ M) &
Margem Bruta (%)
EBITDA (R$ M) & Margem (%)
45,4%
34,0%
,
43 3% 40,2%
43,3%
40 2% 40,3%
40 3% 40,0%
40 0%
31 3%
31,3%
30 3% 28,5%
29,9% 30,3%
529,7
429,0
3T07
459,8
4T07
428,3
1T08
23,7%
470,0
145,8
2T08
3T08
Lucro Líquido (R$ M) & ROE (%)
3T07
144,1
4T07
127,9
1T08
142,5
2T08
151,0
3T08
20,1%
89 2
89,2
77,4
20,2%
78,8
3T07
4T07
1T08
20,9%
22,7%
73,2
93 9
93,9
2T08
3T08
23
Governança Corporativa
• Inclusão da Duratex no Índice de Sustentabilidade Empresarial;
p
;
• Tag-along de 80% às ações preferenciais;
• Política de distribuição de dividendos mínimos igual a 30% do lucro líquido ajustado (estatutário);
• 3 membros do Conselho de Administração independentes;
• Membro do Nível 1 de Governança da Bovespa;
• Canal eletrônico exclusivo para opinar ou criticar o modelo de governança da empresa:
[email protected];
• Comitês de gestão em funcionamento:
f ncionamento (I) Sustentabilidade Ambiental
Ambiental, Social e Cultural; (II) Opções;
(III) Negociação; (IV) Governança Corporativa; (V) Riscos e Ética; e (VI) Gestão de Talentos, dentre outros.
• Código de Ética e Conduta;
• Políticas em prática: (I) Negociação de Valores Mobiliários; (II) Divulgação de Ato ou Fato Relevante;
(III) Fornecimento de Bens e Serviços; e (IV) Combate a Atos Ilícitos, dentre outras.
24
Criação de Valor
574,4
EPS (R$)
CAGR: +18%
Aquisições de terras e plantio de
florestas e Expansão Deca
Expansão MDP
Aquisição Ideal Standard
Aquisição CMC
Expansão em MDP
Planta de resina
CAGR: +16%
R$50 milhões de
dividendos
extraordinários
104 0
104,0
CAGR: +21%
2, 65
Piso laminado
1º MDF no Brasil
1
EBITDA (R$M)
Dividendos normais
Expansão MDF
Fábrica de Resina
R$15,3 milhões de
dividendos extraordinários
Expansão MDF
1 16
1,16
70,3
0,25
CAGR: +32%
1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008* 2009 2010 2011 2012
6,9
1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008* 2009 2010 2011 2012
* Lucro e EBITDA dos últimos 12 meses e dividendos relativos ao primeiro semestre anualizados
25
Plínio do Amaral Pinheiro
Diretor de Relações
com Investidores
Reinaldo Rubbi
Di t d
Diretor
de R
Relações
l õ com IInvestidores
tid
Produtora de Especialidades Químicas Intermediárias
Aplicações
Finais
Petróleo
Centrais
P t
Petroquímicas
í i
1ª geração
Elekeiroz
2ª geração
ã
Expedição Física
Acumulado até 3º trimestre de 2008: 373 mil t
1
Aplicações Finais
2
Participação da Elekeiroz na Capacidade Brasileira de Produção
2-Etil Hexanóico
100%
Maleico
100%
93%
Oxo-Álcoois
7%
55%
Plastificantes
45%
53%
Ftálico
0%
20%
Elekeiroz
47%
40%
60%
80%
100%
Outros Produtores Brasileiros
Única produtora da América Latina de Octanol, Normal Butanol e Ácido 2-Etil Hexanóico
A maior produtora da América do Sul de Anidrido Maleico, Plastificantes e Isobutanol
3
Participações da Elekeiroz nos Mercados
Líder em Oxo - Álcoois,, Ácido Carboxílico (“Oxoproducts”),
(
p
), Anidridos (Maleico
(
e Ftálico)) e Plastificantes
75%
O x o -Álco o is
M aleico
F tálico
P lastifican tes
0%
E lekeiro z
16%
8 4%
2 -E til Hexan ó ico
25%
50%
50%
5 0%
48%
20%
8%
42%
12%
40%
40%
60%
O u tro s P ro d u to res B ra sileiro s
80%
100%
Im p o rtaçõ es
4
Evolução de Preços Médios
1.147
Nafta Î CAGR 27
27,9%
9%
Produtos Elekeiroz Î CAGR 26,6%
833
695
US$/t
570
465
353
275
9M 03
942
358
9M 04
N a fta
467
9M 05
573
9M 06
628
9M 07
9M 08
P r o d u to s E le k e ir o z
5
Segmentação de Mercado em % da Receita Bruta
Acumulados
A
l d até
té
3º trimestre
56%
9M08
9M07
28
14
14
27
15
13
12
18
12
10
8
10
7 3
6 3
55%
Construção Civil
Vestuário
Automotivo
Exportação
Outros
Ind. Químicas Diversas
Alimentícia
Public/Com. Visual
6
Gestão Estratégica em 2008
ƒ
Aumento de 10% da capacidade nominal de produção da unidade de Oxo-Álcoois de Camaçari (BA).
ƒ
Aumento de 5% da capacidade nominal de produção da unidade de Ftálico de VP com sensível
incremento da qualidade do produto.
ƒ
A unidade de Ftálico de VP é considerada a mais avançada do mundo, sendo a única que faz a
destilação contínua do produto final em uma só coluna,
coluna o que possibilita menor consumo de
matéria-prima, aumento da vida útil do catalisador e redução da geração de sub-produtos e resíduos.
ƒ
Ampliação de 13% da capacidade nominal de produção e diversificação dos Plastificantes (VP e CA).
CA)
7
Investimentos Realizados: 2002 a 2008
R$ milhões
31,6
29,8
média anual 2002 a 2007
9M 08
8
Produtos Químicos Orgânicos e Inorgânicos
Acumulados até 3º trimestre
Expedição Física: mil t
391
373
193
188
198
Receita Líquida: R$ milhões
644
710
585
593
59
117
185
9M 07
9M 08
9M07
9M08
Inorgânicos
O rgânicos
Inorgânicos
Orgânicos
9
Produtos Químicos Orgânicos e Inorgânicos
Acumulados até 3º trimestre
Expedição Física
49%
51%
9M 07
Inorgânicos
Receita Líquida
50%
91%
84%
9%
16%
50%
9M 08
O rgânicos
9M 07
Inorgânicos
9M 08
O rgânicos
10
Evolução da Receita Líquida
A
Acumulados
l d até
té 3º ttrimestre
i
t
CAGR 11
11,1%
1%
710
644
13%
508
R$ milhões
420
18%
82%
9M 03
16%
508
11%
520
22%
19%
87%
84%
9M 04
89%
%
9M 05
M e r c a d o In te r n o
78%
81%
9M 06
9M 07
9M 08
M e r c a d o E x te r n o
11
Distribuição da Receita Líquida
Acumulados até 3º trimestre
Por Mercado de Destino
Os produtos
Por Linha de Produto
Inorgânicos são
vendidos integralmente
no mercado interno
9%
16%
22%
13%
69%
71%
9M 07
O rgânicos M I
5%
81%
9%
15%
Inorgânicos
5%
5%
34%
16%
13%
27%
32%
34%
9M07
9M 08
O rgânicos M E
5%
Plastificantes
Inorgânicos
74%
9M08
Oxo-Álcoois
Resinas
Anidridos
Formol
12
Margem de Contribuição
ƒ
A margem de contribuição média unitária da empresa cresceu 15% apesar do
forte aumento dos preços das matérias
matérias-primas
primas e da pressão exercida pela
crescente importação de produtos acabados.
ƒ
A margem de contribuição média unitária dos produtos orgânicos diminuiu
3% e a margem dos produtos inorgânicos aumentou 159%.
13
Evolução da Margem de Contribuição: Total Empresa
Acumulados até 3º trimestre: 2008/2007
R$ milhões
1 2 3 ,1
(3 2 ,8 )
1 6 7 ,1
1 8 3 ,5
(7 0 ,4 )
M a rge m 9 M 0 7
P re ç o de Ve nda
(3 ,6 )
V olum e de V e nda Cons um o de M P e Índ. Té c . de M P e
Outros V a riá ve is Outros Va riá ve is
M a rge m 9 M 0 8
14
Indicadores Financeiros
Acumulados até 3º trimestre
9M 07
9M 08
V a r. 0 8 /0 7
R e c e ita B ru ta
7 9 6 ,8
8 9 1 ,5
1 1 ,9 %
R e c e ita L íq u id a
6 4 4 ,0
7 1 0 ,3
1 0 ,3 %
L u c ro B ru to
1 3 7 ,2
1 5 0 ,4
9 ,6 %
L u c ro L íq u id o
4 5 ,4
5 9 ,3
3 0 ,6 %
E B IT D A
8 6 ,5
1 0 3 ,7
1 9 ,9 %
D ívid a L íq u id a
2 5 ,5
5
4 3 ,5
5
7 0 ,5
5%
E x p o rta ç õ e s / R e c e ita L íq u id a
2 1 ,8 %
1 3 ,4 %
L u c ro L íq u id o / P a trim ô n io L íq u id o
1 7 ,1 %
1 8 ,7 %
E B IT D A / R e c e ita L íq u id a
1 3 ,4
4%
1 4 ,6
6%
0 ,3
0 ,4
R $ m ilh õ e s
D ívid a L íq u id a / E B IT D A
15
Balanço Patrimonial
ATIVO
CIRCULANTE
set/08
308,3
set/07
273,7
Disponível/Aplicações
Clientes
Estoques
Outros
37 4
37,4
118,1
132,5
20,3
84 0
84,0
102,9
67,3
19,5
NÃO CIRCULANTE
353 9
353,9
349 9
349,9
Realizável a Longo Prazo
91,7
Permanente
TOTAL DO ATIVO
PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO
set/08
set/07
CIRCULANTE
127,4
120,3
Fornecedores
Instituições Financeiras
Outros
35,3
35
3
65,4
26,8
37 7
37,7
54,9
27,8
NÃO CIRCULANTE
95,0
132,1
93,7
Instituições Financeiras
Outros
15,5
79,5
54,7
77,4
262,3
256,2
PATRIMÔNIO LÍQUIDO
439,8
371,2
662,3
623,6
TOTAL DO PASSIVO E PL
662,3
623,6
16
Indicadores de Performance: ROE (%)
+ 1,7 vez
1 8 ,7
1 6 ,4
9 ,6
m é d ia 1 9 9 8 a 2 0 0 1
m é d ia 2 0 0 2 a 2 0 0 7
Aquisição Ciquine
2008
2008: 9 meses anualizado
17
Evolução do EBITDA
Acumulados até 3º trimestre: 2008/2007
R$ milhões
8,2
13,2
103,7
86,5
(1 8)
(1,8)
EBITDA 9M07 Lucro Bruto
(2 4)
(2,4)
Despesas de
Despesas
Outros
EBITDA 9M08
Vendas
Gerais e Adm Operacionais
18
Dividendos Líquidos + JCP (*) aos Acionistas
R$ milhões
11,7 (26,6% do LL)
9,4 (25,7% do LL do 1ºS)
+ 3,5
, vezes
((26,2%
,
do LL)) 3,4
(*) Juros sobre Capital Próprio
média 1998 a 2001
média 2002 a 2007
1ºS/08 Antecipação
19
Valor Adicionado
Acumulados até 3º trimestre
Financiadores
6%
R$ 129,5 milhões
Acionistas
Lucros
R tid
Retidos
38%
9%
Governo
Pessoal
14%
33%
20
Utilização da Capacidade Instalada
Acumulados até 3º trimestre
índice ideal
100%
97%
Plastificantes
R esinas
93%
92%
Maleico
2-E til H ex.
91%
Ftálico
86%
86%
S ulfúrico
Oxo-Álcoois
83%
Formol
0%
20%
40%
60%
80%
85%
100%
21
Estratégia de Investimentos
ƒ
Modernização, racionalização e automação das operações.
ƒ
Racionalização e redução do consumo de energia, água e outros recursos naturais.
ƒ
Padronização progressiva de equipamentos e softwares.
softwares
ƒ
Crescimento nos negócios existentes.
ƒ
Expansão
p
regional
g
na América do Sul.
ƒ
Constituição de alianças estratégicas com parceiros internacionais.
ƒ
Entrada em novos produtos da cadeia petroquímica, que se destinem aos mesmos
mercados
d consumidores
id
fi i
finais.
22
Investimentos: 2008 a 2010 (R$ milhões)
PROJETOS
LOCALIZAÇÃO
VALOR
MERCADO ALVO
Camaçari – BA e Várzea Pta – SP
144,1
Coatings
Camaçari – BA
44,0
Coatings e Plastificantes
Anidrido Maleico
Várzea Pta – SP e Camaçari
ç – BA
44,0
,
Coatings
g e Plastificantes
Plastificantes Especiais
Várzea Pta – SP e Camaçari – BA
16,5
Plastificantes
Anidrido Ftálico
Várzea Pta – SP e Camaçari – BA
9,9
Coatings e Plastificantes
Investimentos Correntes
Várzea Pta – SP e Camaçari – BA
66,0
Todos
Poliálcoois
Álcoois – Modernização c/ Expansão
Total dos Investimentos
324,5
Financiamento BNDES
171,4
Geração Operacional
153,1
Total das Fontes
324,5
23
Gestão Ambiental e Sustentabilidade
ƒ
A empresa aplicou R$ 8,3 milhões em ações sócio-ambientais realizadas de comum
acordo com as comunidades locais.
ƒ
Foram renovadas no período todas as Licenças de Operação para as atividades de
Várzea Paulista em São Paulo junto à CETESB.
ƒ
A empresa é signatária do Programa de Atuação Responsável criado pelo
International Council of Chemical Associations e administrado no Brasil pela
ABIQUIM – Associação
ç Brasileira da Indústria Química.
24
Valor de Mercado
6 3 3 ,9
6 3 0 ,3
R$ milhões
7 4 ,9
m é d ia 1 9 9 8 a 2 0 0 1
m é d ia 2 0 0 2 a 2 0 0 7
s e t/0 8
31/dez de cada ano e 30/set/08 com base na cotação da ação PN
25
Vantagens Competitivas (Liderança e Cultura ) Î Valor
1
1.
Maior
M
i produtora
d t
d América
da
A é i Latina
L ti de
d Octanol,
O t
l Butanol,
B t
l Isobutanol,
I b t
l Plastificantes,
Pl tifi
t
Anidridos Maleico e Ftálico, e Ácido 2-Etil Hexanóico, adicionada a;
2.
Cultura diferenciada (aplicada em todas as decisões gerenciais) de:
ƒ
Busca de melhorias continuas de performance e segurança operacional;
ƒ
Respeito integral às normas de preservação do meio ambiente;
ƒ
Gestão participativa;
ƒ
Aprimoramento crescente dos colaboradores.
Î CRIAÇÃO
à DE VALOR PARA AS COMUNIDADES E ACIONISTAS
26
Reinaldo Rubbi
Di t d
Diretor
de R
Relações
l õ com IInvestidores
tid