Essencial Management - Managing Essentials

Сomentários

Transcrição

Essencial Management - Managing Essentials
EM Brazil
Essencial Management
Do Brasil
Volume 2, Edição 7
06 Agosto 2012
Editorial: Autenticidade - Tenha cuidado.
Nesta edição:
Por Wolfgang Battmann
Sempre as que eleições acontecem em
países democráticos, a questão da
"autenticidade" dos líderes políticos é
largamente debatida. Nesse contexto a
"autenticidade" refere-se principalmente
à credibilidade e honestidade dos
candidatos. Estes atributos são
importantes já que política é
freqüentemente vista como show de
negócios estando os políticos nos
palcos. Eles parecem estar dispostos a
abraçar a todos seja qual for a
promessa que pareça mais apropriada,
somente para receber o voto. A
autenticidade refere-se à essência da
personalidade; esta garante que as
promessas sejam mantidas e as
decisões seguirão os princípios expostos
nas águas desconhecidas do futuro.
Três fatores indicam que autenticidade
também se pode tornar mais importante
para a gerência no futuro.
Primeiramente, a imagem de líderes das
companhias é mais completo e realista
hoje em dia. Aparências raras e
orquestradas sempre ajudaram a
manter algum misticismo. Atualmente,
em entrevistas ao vivo observadas por
milhões de pessoas, muitos líderes
mostram que não apenas suam a
camisa como todas as outras pessoas,
mas, além disso, eles frequentemente
parecem ignorantes a respeito do que é
de fato importante; eles não convencem,
nem com seus conhecimentos, nem com
seus argumentos. Em segundo lugar,
eles frequentemente estão ladeados por
advogados. Este panorama
involuntariamente relembra fatos já
amplamente discutidos nos mídia:
Alguns membros da alta elite encontram
-se na prisão, ou esperando julgamento,
ou sob investigação. O efeito indireto é
mesmo mais importante que o direto.
Essas ovelhas negras questionam a
qualidade de julgamento de seus
colegas. Isso sugere que
aparentemente, a ovelha branca tem
problemas em identificar as negras a
tempo. Em terceiro lugar, o público e os
empregados lêem não apenas sobre as
vidas privadas de celebridades e
políticos mas também, sobre altos
executivos, muitos dos quais se
tornaram celebridades. Alguns contra
Continua na página 11
Gestão de pessoas
O 'Geek': A beleza do especial.
Há dez anos Steve Silberman criou o
termo ‘Geek Syndrome’ ou ‘síndrome
geek’, abordando um aumento
significativo na prevalência do autismo e
do síndrome de Asperger em crianças
nascidas e criadas em torno de Silicon
Valley. Evidência anedótica e pesquisa
avaliada por ‘The Economist’ agora
indica que ser um pouco diferente do
resto pode ser uma vantagem em
algumas profissões.
"Estranhezas" mentais como Asperger,
dislexia e Transtorno de Déficit de
Atenção (TDA) podem ser rotulados de
aflições amigáveis dos negócios se
Continua na página 2
Dinheiro a mais= tempo
a menos.
2
Baixa autoconfiança: um 3
recurso subestimado.
Um desconto de 33% é
mais do que um bônus
de 33%.
3
Lições em trabalho de
equipe: a Olimpíada.
4
Compre uma mesa de
4
trabalho de pé, aumente
sua expectativa de vida.
Gerenciamento de projetos
‘cascata’ baseado em
premissas erradas.
5
Sobrecarregando os
olhos com o
computador.
5
Um ranking de líderes
empresariais chineses
abre uma nova
perspectiva sobre sua
economia.
6
Não se importam com o
trabalho duro: Mulheres
Brasileiras.
6
A “Baleia de Londres"
mergulhou mais fundo
do que o esperado.
7
A Ciência não ajuda:
economistas alemães e
o mecanismo de
estabilidade europeu.
7
Amigos e Inimigos:
Guerra de Patentes na
Tecnologia e
Informação.
8
10
Abordagem ao cliente: o
sistema operacional do seu
computador pode entregálo.
O perigo do sigilo
empresarial.
10
Essencial
Management
O 'Geek': A beleza do especial. (continuou)
essas mentes especiais estiverem
vinculadas a tarefas que eles
desempenham bem. Para as pessoas
com síndrome de Asperger os perigos de
"codificação" de software podem
representar desafios naturais para suas
paixões e dislexia pode ainda ser útil
para empresários. Julie Logan da Cass
Business School encontrou em um
estudo recente de empresários bem
sucedidos que 35% sofriam de dislexia,
a qual tem uma prevalência de 10% na
população em geral, e 1% em gerentes
profissionais. Ela explicou o sucesso
destes no desenvolvimento de maiores
habilidades em comunicação, liderança
e delegação.Eles enfocam a
comunicação oral, formam
relacionamentos duradouros e estão
dispostos a delegar. Com essas
habilidades eles compensam suas
deficiências. No entanto, parece ser
ainda mais importante, a capacidade
deles de pensar de forma diferente e
confiar nas habilidades do "cérebro
direito", especialmente nas intuições.
Há décadas antropólogos culturais
observaram que muitos indivíduos
forçados a internamento em instituições
mentais das nações industriais viveriam
como sacerdotes e magos respeitados
em outras culturas. Uma deficiência ou
excentricidade não é necessariamente
um fenômeno incapacitante. Pelo
contrário, usar uma deficiência ou
compensá-la pode levar a soluções
inovadoras e aumentar a produtividade.
Muitos dos empreendedores bemsucedidos estudados por Julie Logan
deixaram o mundo corporativo por
frustração e estresse. Eles poderiam ter
sido os iniciadores da tão necessária
prática inovadora.
Links e Literatura
The Geek Syndrome: Autism - and its
milder cousin Asperger syndrome - is
surging among the children of Silicon Valley. Are math-and-tech genes
to blame? (Steve Silberman)
www.managing-essentials.com/2ga
In praise of misfits - Why business
needs people with Asperger syndrome, attention-deficit disorder and
dyslexia (The Economist)
www.managing-essentials.com/2gb
Unusual talent: a study of successful
leadership and delegation in dyslexic
entrepreneurs (Julie Logan)
www.managing-essentials.com/2gc
Dinheiro a mais= tempo a menos.
Quase todo mundo reclama a falta de
tempo, mas estas queixas são mais
pronunciadas por aqueles que ganham
salários elevados. Jordan Weissmann
de "The Atlantic" descobriu um estudo
acadêmico que comprova este
fenômeno ser verdadeiramente
internacional, que ainda precisa de
alguma explicação.
Daniel M. Hamermesh da University of
Texas e Jungmin Lee da University of
Arkansas analisaram dados de painel
sobre rendimentos domésticos e
escassez de tempo percebida da
Austrália, Alemanha, Coréia do Sul e
dos EUA. Os resultados foram
qualitativamente consistentes entre
esses 4 países de 4 continentes
diferentes. Quanto mais o agregado
doméstico trabalhava e ganhava, tanto
maior a pressão temporal percebida.
No entanto, o pressão temporal
também aumentou quando o horário de
compras e trabalho doméstico foi
mantido constante e o ganho
aumentou.. Isso indica que as
reclamações nas famílias de renda
mais elevadas, têm duas fontes, mais
horas de trabalho, e,
independentemente deste primeiro
fator, que mais dinheiro é disponível
para gastar no tempo livre.
É um fato clássico da economia que o
tempo é mais valioso para aqueles que
ganham mais dinheiro. No entanto, o
que as famílias de rendimentos mais
elevados mais reclamam é a falta de
tempo independentemente do tempo
que eles realmente trabalham. Alguma
explicação é necessária. Uma razão
pode ser que eles são afetados pelos
limites de tempo de compra. Podem
contratar um jardineiro para cortar a
grama e uma babá para cuidar do filho,
mas o tempo individual de lazer,
recreação e outros aspectos positivos da
vida continuam bem escassos. Além
disso, as famílias de maior renda podem
ter a desvantagem do ditado que diz
"Quem diz que o dinheiro não pode
comprar a felicidade não sabe onde
comprar". Quanto mais você trabalha e
ganha, mais você sofre por não ter
tempo suficiente para usufruir ou
investir o lucro.
Quanto mais
você ganha,
mais você perde
tempo
Links e Literatura
Why Only Yuppies Feel Busy: An
Economic Theory (Jordan Weissmann)
www.managing-essentials.com/2gd
Stressed Out on Four Continents:
Time Crunch or Yuppie Kvetch
(Daniel M. Hamermesh and Jungmin
Lee)
www.managing-essentials.com/2ge
Página 2
Essencial
Management
Assunto cultural
Um ranking de líderes empresariais chineses abre uma
nova perspectiva sobre sua economia.
Um novo ranking de líderes empresariais
chineses indicou que a economia do
país é mais avançada do que muitos
pensam. Xiaowei Rose Luo e colegas da
INSEAD Business School apresentaram
os resultados de sua recente
classificação na "Harvard Business
Review”.
Em contraste com outras classificações,
os autores basearam suas avaliações no
desempenho financeiro a longo prazo.
Eles acompanharam o retorno dos
acionistas e a capitalização bolsista
durante o tempo mantido do líder da
primeira posição na empresa, na China
isso é normalmente o cargo de
presidente do conselho. 509 líderes das
244 empresas privadas e mantidas pelo
estado foram monitoradas. Sr. Li
Jiaxiang da China Airways, Sr. Wang
Dongming da Citic Securitiesand e Sra.
Dong Mingzhu de Gee Electric
Appliances ocuparam os cargos de
liderança. Já a composição deste grupo
principal apontou que o segredo do
sucesso da China não é a fabricação. Ao
contrário, é a capacidade e a vontade de
construir marcas globais tanto no setor
de serviços como em indústrias
financeiras. O estudo também mostrou
que não há diferença de desempenho
entre empresas estatais e empresas
privadas e que as empresas menores
cresceram mais fortemente do que as
maiores. Finalmente, com um prazo
médio de 6,8 anos, os líderes Chineses
mantêm-se por menos tempo na
liderança do que seu grupo homólogo a
nivel global que tem uma média de 8,8
anos.
Os autores apresentaram estudos
comparáveis para líderes na Índia e
no mundo inteiro durante os últimos
anos e descobriram que a China
representa um caso especial.
Facilmente, a percebida estabilidade
do sistema político e do respectivo
pessoal serão estendidas para a vida
empresarial. O estudo indica, porém,
que a economia chinesa é muito
dinâmica e competitiva com uma alta
gerência que olham muito para além
da pura fabricação.
Links e Literatura
Top 50 Ranking of China's Business
Leaders Exposes Common Myths
(Xiaowei Rose Luo, Morten T. Hansen, Herminia Ibarra, and Urs Peyer)
www.managing-essentials.com/2gr
Não se importam com o trabalho duro: Mulheres
Brasileiras.
A vida das mulheres brasileiras mudou
consideravelmente nas últimas décadas.
Há cinquenta anos apenas 17%
trabalhavam fora de casa, o índice mais
baixo da América do Sul. Atualmente
dois terços delas trabalham, uma das
maiores taxas do continente. A revista
“The Economist” analisa as razões disto
e as consequências desta revolução.
O “Center for Talent Innovation” (Centro
de Inovações e Talento), um grupo de
pesquisa situado em Nova York,
recentemente descobriu que as
mulheres no Brasil são muito voltadas
para a carreira. Aproximadamente 80%
delas aspiram alcançar posições
superiores e 59% consideram-se muito
ambiciosas. Os números
correspondentes para os EUA são 52% e
36%. Além disso, elas gostam do seu
trabalho significativamente, com a
grande maioria permanecendo leais ao
seu empregador. Agora, mais que um
quarto das mulheres altamente
qualificadas ganha salários mais altos
que seus companheiros. Não obstante,
cerca de um quarto de todas as
mulheres e os homens brasileiros
acham que as mulheres são injustiçadas
em seus locais de trabalho. O
empregador preferencial é o setor
público (65%), multinacionais (53%) e
por último, companhias locais (49%)
com rendimento menor. Agora que o
Brasil tem uma presidente mulher,
Dilma Rousseff, e um mercado de
trabalho cada vez mais apertado, é
previsto que o papel das mulheres no
trabalho se fortaleça ainda mais.
O Brasil difere de outros países da
América do Sul significativamente a nível
de idioma, cultura, procedimentos e
estrutura da vida profissional. Do lado
cultural o fenômeno do "machismo"
parece menos pronunciado que nos
países que falam espanhol. O governo e
as grandes companhias estatais tentam
objetivar a avaliação e a seleção de
candidatos usando "Concursos Públicos"
para o ingresso em certos trabalhos,
uma característica importante, pois
eles são os maiores empregadores.
Estes concursos não discriminam
mulheres e homens. Estes fatores,
assim como sua ambição, dá uma
chance mais justa de sucesso
profissional para mulheres no Brasil
do que em outros países sul
americanos.
Links e Literatura
Amazons at work: A revolution in the
workplace meets little resistance
(The Economist)
www.managing-essentials.com/2gs
The Battle for Female Talent in Brazil (Sylvia Ann Hewlett and Ripa
Rashid with Anne Erni, Catherine
Fredman,. Laura Sherbin, and
Melinda Wolfe)
www.managing-essentials.com/2gt
Página 6
Essencial
Management
Casos de nagócios
Abordagem ao cliente: o sistema operacional do seu
computador pode entregáentregá-lo.
No seu site, Orbitz, a cadeia de viagens
dos EUA, oferece hotéis aos clientes, a
partir do sistema operacional do seu
computador. Dana Mattioli discute as
implicações desta nova abordagem para
a segmentação de clientes no "Wall
Street Journal".
Os indivíduos que acessam o website
Orbitz à procura de um hotel a partir de
um computador da Mac recebem ofertas
de hotéis muito mais caros, do que
aqueles que acessam o site a partir de
um computador com sistema
operacional Windows. Esta abordagem
seguiu uma análise de dados de
comportamento de reserva. mostrou que
usuários de Mac gastam em média 20 a
30% mais por noite e são 40% mais
propensos a reservar um hotel de quatro
estrelas ou superior. Preços dos hotéis
individuais não variam, mas em algumas
comparações o preço médio sobre todos
os hotéis, exibidos na primeira página
dos resultados da pesquisa era mais de
10% superior.
O procedimento é um bom exemplo dos
benefícios, e para alguns dos perigos
potenciais de mineração de dados. Os
usuários da Apple têm a reputação de
serem "grandes gastadores".Forrester
Research estima que a renda das
famílias dos usuários de Apple é cerca
de US$ 99.000 em comparação com os
usuários de PC cerca de US$ 75.000. Tal
como acontece com notícias
individualizadas e sistemas de
informação o benefício óbvio é estar
mais perto do cliente e antecipar seus
desejos. A questão é, claro, em primeiro
lugar se os clientes gostam de ser
classificado dessa forma, em segundo
lugar se eles estão conscientes disso e
por fim se tal classificação tem
desvantagens. Neste exemplo, todos
obtêm os mesmos resultados, por
exemplo, ao classificar por preço. Em
outras aplicações, no entanto, os
clientes podem discordar
principalmente se eles são
apontados e não têm conhecimento
dos critérios utilizados. O que é
direcionamento para alguns, é
percebido como discriminação para
os outros.
Links e Literatura
On Orbitz, Mac Users Steered to
Pricier Hotels (Dana Mattioli)
www.managing-essentials.com/2g2
Orbitz Discriminates Against Mac
Users ... Just Like It Should Be Doing
(Megan Garber)
www.managing-essentials.com/2g3
O perigo do sigilo empresarial.
O debate atual sobre Mitt Romney, o
republicano esperançoso na corrida
presidencial dos EUA e sua antiga
empresa Bain Capital, atualmente
domina os noticiários dos EUA e a luta
pela Casa Branca que pode ser decidida
pela falta de transparência na Bain
Capital.
Sem dúvida Mitt Romney liderou a Bain
Capital até 1999 com um sucesso
espetacular, também usando
estratégias de evasão fiscal e contas
offshore; no entanto, agora este sucesso
misterioso é disseminado. Em seu blog
no "Reuters", Felix Salmon pergunta
como Romney pôde acumular quase
102 milhões de US$ em sua conta de
aposentadoria. Anthony Luzzano
Gardner da "Bloomberg" detalha os
negócios da Bain Capital, rotulando-os
de "capitalismo de casino". Apenas 10
de 67 desses negócios produziram
cerca de 70% dos lucros da empresa e
quatro dessas empresas, mais tarde,
faliram. Atualmente está decorrendo um
debate acalorado sobre quando
realmente foi que Romney deixou a Bain
Capital, foi em 1999 ou 2002? Os
"mistérios" e "buracos negros" da Bain
Capital têm suscitado intensa
curiosidade. O termo "Bain Capital"
entrou na lista das palavras mais
pesquisadas nos EUA na semana
passada. Gallup especula que a riqueza
de Romney pode fazê-lo perder um em
cada cinco eleitores.
Historicamente, os americanos não se
importam se seu Presidente é rico.
Neste caso, se eles sim se importam, é,
provavelmente, por causa dos mistérios
que cercam a fonte dessa riqueza, e
também pelo fato de existirem mistérios.
A Bain Capital compartilha o destino de
outras empresas, famosas por sua
confidencialidade sobre processos
internos e procedimentos operacionais.
Se houver problemas, a imprensa e o
público explorarão ansiosamente a
oportunidade de voltar seus olhares
para a Cidade antes Proibida. É claro
que as empresas devem proteger a
comunicação interna e os processos
operacionais, mas "secretismo" não é
mais um elogio.
Links e Literatura
Did Romney put Bain Capital shares in
his IRA? (Felix Salmon)
www.managing-essentials.com/2g4
Romney’s Bain Yielded Private Gains,
Socialized Losses (Anthony Luzzatto
Gardner)
www.managing-essentials.com/2g5
Google trend “Bain Capital”
www.managing-essentials.com/2g6
Mitt Romney's Wealth Costs Him With
One in Five Voters (Frank Newport)
www.managing-essentials.com/2g7
Página 10
Volume 2, Edição 7
Editorial
(Continuação da página 1)
sua própria vontade, mas outros em
busca do palco público como um
instrumento de marketing para seus
produtos e portanto para si mesmos.
O aumento da transparência é evidente
na gerência de alto nível, mas vai
alcançando linhas mais baixas,
principalmente devido aos meios de
comunicação social. Eles não apenas
mudaram a maneira como os indivíduos
se apresentam, mas também como eles
são apresentados e discutidos.
Concomitantemente, apesar das esferas
públicas e privadas não estarem
incorporadas, estas são mais difíceis de
distinguir que dez anos atrás. As
informações que vazam de qualquer
esfera podem chegar aos ‘whistle
blowers’ através de fóruns anônimos e
sites. A extensão do rumor estava
limitada até alguns anos atrás, agora
fofoca pode ser largamente postada em
sites específicos com este mesmo
propósito. O que pode tornar-se um
assunto de interesse público para um
Diretor Geral, pode ser discutido em
escala menor nos meios de
comunicação social quando se trata de
um escalão gerencial intermediário.
Frente a este pano de fundo,
autenticidade também é abraçada pelos
próprios líderes. Sejamos honestos,
torna-se bastante estressante, talvez até
mesmo impossível, comportar-se
"impecavelmente" a toda hora.
Felizmente para eles, autenticidade
pode ser vista como quase o contrário
de carisma. Enquanto que liderança
carismática tem sido muito popular na
literatura do gerenciamento e no setor
de treinamento, a maioria das pessoas
sentem que este é um conceito bem
complicado desde o principio. Um pode
poli-lo um pouco para apresentá-lo, mas
essencialmente, carisma, como uma
"bênção de Deus", é mais provável ser
uma característica essencial: Você a tem
ou não. Para muitos constitui uma
exigência para tornar-se alguém que
eles mesmos não são. Em contraste,
autenticidade pode trazer libertação e
liberdade. É algo que todo o mundo
parece ter e implica concessões de
fraqueza humana.
O problema da autenticidade, no
entanto, é que esta se refere a algo que
muitos psicólogos duvidam que exista, a
verdadeira natureza de uma
personalidade. Os indivíduos mudam ao
longo do tempo, representam ou são
forçados a representarem papéis, e
possuem pessoas privadas e públicas.
Além do mais, as situações diferem ao
longo da vida e às vezes ocorre que
estas fazem com que as diferenças
individuais se percam nas tensões
impostas. Os indivíduos não apenas
fazem o que querem, mas também o
que eles são esperados ou forçados a
fazer. Seja qual for a natureza da
personalidade, frequentemente não se
deve mostrar frente aos outros e
também se torna difícil de definir para si
mesmo.
Para tornar-se autêntico não é possível
nem necessário esclarecer este assunto,
porque certamente existe uma
dimensão que todos os indivíduos
compartilham e que pode servir como
base para tal. Esta dimensão é a autoreflexão. Pragmaticamente, não é
relevante se um indivíduo denomina isso
de diferentes personas ou
simplesmente, diferentes perspectivas,
já que tem a capacidade de olhar para si
mesmo desde vários ângulos. Ele pode,
portanto, comparar o que fez com o que
gostaria de fazer, ver como outras
pessoas teriam agido e quais normas
éticas foram seguidas ou não. A maioria
das avaliações no trabalho são feitas
internamente sem comparar o que foi
realizado com o que poderia ter sido.
Ellen Langer, eminente psicóloga
norteamericana, ensinando na
Universidade de Harvard criou o termo
"mindfulness" há vinte anos o qual
sugere uma reflexão cuidadosa do
comportamento real desde muitas
perspectivas.
Auto-reflexão atenta pode servir como
ferramenta precisa para tornar-se
autêntico porque esta endereça um
problema relevante na ação humana, o
conflito entre automaticidade e
consciência. A maioria de nossas
atividades depende de rotinas e
esquemas. Estes são formados por um
dos processos mais valiosos do pensar
humano, a categorização. Realmente,
Der trunkene Herkules,
Peter Paul Rubens**
Do Essencial
Management
Essencial Management está prestes
a se tornar o primeiro boletim
informativo para gerentes geral,
especialistas em desenvolvimento
organizacional e profissionais de
recursos humanos. Essencial
Management faz revisões quinzenais
e resumos de artigos sobre novas
aproximações e melhor prática na
“área de empreendimento humano"
com referência especial para os
desafios encontrados em
administração internacional.
Nosso foco é essência de liderança,
mudança de administração,
aprendizagem organizacional,
recrutando e retendo, (mau)
comportamento organizacional e
meio para melhorar impacto de
administração. Para estes tópicos
nós identificamos e definimos essas
aproximações e discernimento que
contêm "conhecimento acionável” ou
que tenha se provado na prática.
Além disso, Essencial Management
tenta identificar novas ideias
inspiradoras dentro e fora da
academia. Nossos editoriais avaliam
e dão o contexto desses assuntos
centrais dos quais muitas soluções
pragmáticas derivam.
Página 11
fazer parte do mundo adulto envolve
aprender a classificar acontecimentos,
pessoas e experiências. Desde nossos
modelos mentais até a coordenação
motora, aprendemos como reagir a
estímulos de maneiras diversas. Estes
muitos compartimentos categorizados no
nosso cérebro e nos sentidos tornam a
vida mais fácil e nos habilitam a reações
rápidas; logo, não poderíamos viver sem
eles. No entanto, estes também podem
causar deficiências já que, em processos
fáceis e rápidos nem tudo fica no lugar
certo, ou seja, reações esquemáticas
nem sempre são apropriadas.
Quanto mais velhos nos tornamos, mais
nos fiamos em nosso sistema de rotinas
e o termo "idade" não se refere aqui à
idade biológica somente, mas, ás
repetições de experiências em geral.
Tendemos a repetir, a refazer, e a
repensar coisas da maneira que nos
parece ter sido comprovadamente bemsucedida no passado, até que realmente
esta não funcione mais,. As rotinas
podem fazer-nos desperceber sinais
pequenos, ignorar mudanças e nos
impedir de olhar mais seriamente para
problemas com estruturas
aparentemente conhecidas.
Com referência ao processo do pensar, a
auto-reflexão previne as rotinas de se
tornarem rígidas. Certamente, isso
também ajuda quando temos que agir e
reagir. Pensar um pouco antes de reagir,
pode desencadear diferentes resultados,
especialmente quando se esta propício a
cair nas armadilhas do temperamento.
Lentamente contar até dez antes é um
bom conselho, não apenas para crianças.
Pensar das questões começando pelo
final, é outro bom conselho.
Há, naturalmente, uma desvantagem na
auto-reflexão. Esta necessita de tempo e
é muito melhor ser feita quando uma
situação é vista de fora. Dentro da
estrutura de uma situação, reações
imediatas devem ser anuladas, o que
frequentemente é difícil, ou se esta
ocorre dentro de restrições de tempo,
torna-se mesmo impossível.
Consequentemente, auto-reflexão
frequentemente torna-se um retrospecto
com todas suas desculpas, servindo de
argumento quando algo deu errado. Há
também o perigo de perder-se em
pensamento; portanto, também, a autoreflexão deve ser empregada de maneira
atenta. Isto pode ser feito reservando
horas durante a semana para afastar-se
da amolação diária, o que seria útil para
uma auto-reflexão eficaz.
Se não houver estas desvantagens e
auto-reflexão age como guia e
ferramenta para o presente e o futuro,
naturalmente exibirá muitos atributos
que são decisivos em liderança. O
discernimento é um ingrediente natural e
pode ser acompanhado pelo
comportamento de tomada de riscos
equilibrada e racional, por consideração
das opiniões de outros, e por um estado
emocional de mais resistência ao
estresse. Além do mais, erros fora de
rotinas transcorridas de forma errônea
podem ser evitados ou devem ser
endereçados de maneira apropriada.
Alguns podem ter razão em dizer que um
líder atento pode carecer de entusiasmo.
No entanto, entusiasmo tem uma
trajetória íngreme e rápida e também,
em sua desvantagem, eleva a confiança
a um nível que pode ser rotulado mais
tarde como confiança exagerada
fracassada.
Evidentemente a busca de autenticidade
auto-reflexiva pode demonstrar carisma.
Há uma longa fila de líderes, incluindo
Mahatma Gandhi, Nelson Mandela e o
Obtenha uma Versão Premium EM
A assinatura individual para a versão prêmio é R$140 (80 US$; 60€uro ) por ano. As
condições são simples. Apenas subscreva à versão Prêmio. Você só será faturado depois de quatro semanas. Se você não gostar de boletim informativo, ignore a conta - e
seu registro será cancelado. Caso contrário a subscrição continuará durante um ano
sem renovação automática. Se você quiser distribuir Essencial Management para sua
empresa, por favor, solicite nossos planos de assinatura corporativa.
Lama de Dalai que agiram segundo
este princípio. Um aspecto positivo
desses líderes é que eles deixaram
um legado real. Também eles às
vezes, cometeram erros trágicos ao
longo do caminho, mas mesmo
assim, não se perderam. Em vez
disso, trabalharam sobre si mesmos
e melhoraram o mundo. Um mundo,
que tem estado e ainda está pleno
de líderes carismáticos entusiásticos
que preferimos nem mencionar.
Portanto, quando se trata de
fraqueza humana, certamente
autenticidade não é nenhuma
desculpa para um comportamento
rude, temperamento instável muito
menos más maneiras; o contrário é o
caso. A autenticidade significa, dizêlo prosaicamente, esforçar-se para
ser melhor. O foco, portanto, não é
direcionado em exibir o que foi
realizado mas que a pessoa
realmente está se esforçando e é
consciente do processo. Ainda que
algo de errado aconteça, esta
consciência será encarada com
respeito se ela for genuína.
Links e Literatura
Langer, E. (1990). Mindfulness. New
York: Da Capo Press.
Ona & Ono Publishing
Essencial Managment do
Brasil
Detlev Liepmann
Professor of Psychology at Freie
Universität Berlin
Wolfgang Battmann
Associate Professor of Psychology at
Freie Universität Berlin
Roland Maass
German Diplom Engineer
E-mail:
[email protected]
http://www.essencial-management.com.br/
Política de Privacidade/Termos de responsabilidade : www.managing-essentials.com/pr
*Origem: wikipedia.org
**Origem: backtoclassics.com

Documentos relacionados