Banda: Kamões Palco ALTAmente: 23 Junho, às 18 horas

Сomentários

Transcrição

Banda: Kamões Palco ALTAmente: 23 Junho, às 18 horas
Banda: Kamões
Palco ALTAmente: 23 Junho, às 18 horas
Estilo musical- Rap, Reggae
Localidade/Residência- Cascais
Sou o Kamões, nasci a 0/0/0 em Cascais, onde ainda atualmente resido! O Rap e a cultura Hip-Hop
sempre estiveram presentes na minha vida, comecei por ouvir Vannila ice e Mc, depois apareceu Public
Enemy (mas não me fico só pelo Rap, gosto de ouvir um pouco de tudo, ouvi muito metal, muito
grunge, muito reggae, muito dub e por ai fora....) Mais tarde começaram a aparecer os primeiros Raps
em português, e por essa altura fiquei fascinado quando descobri 2 Pac e Cypresshill. A partir daí o Rap
começou a ser uma constante. As primeiras rimas surgiram em 99, juntamente com vários amigos,
observava o movimento aqui na zona, vi os fundadores do fim da linha em ação, grandes freestyles que
eu ouvi. Comecei a dar os primeiros passos no freestyle, Nessa altura gravava-mos com phones em
casas de amigos que tinham aparelhagens, na altura tínhamos uns instrumentais numa cassete. Tudo
começou a evoluir naturalmente, comecei-me a interessar pela parte da produção e comecei a produzir
na playstation, no music. Depois alguns de nós desistiram e ficamos 3, nessa altura formamos a banda
3º Direito. Tudo foi evoluindo, conheci muitas pessoas, produzi para muitas pessoas e rimei com muitas
pessoas. Tudo foi evoluindo e por volta de 2004 gravei um som para uma coletânea (Paris/Cascais), de
seguida a minha banda juntou-se a outra banda para formar o coletivo Forças Aliadas, já não me
recordo da data em que lançamos o álbum, a minha necessidade de fazer musica sempre esteve
presente desde que me lembro de existir, mas depois desses álbuns decidi alimentar a "fome" de fazer
música e lancei o meu primeiro álbum a solo Regressão, em 2007. Sempre estive no underground!
Muitas pessoas fazem me sempre duas questões, o porquê de aparecer agora e o porquê da máscara.
Ok eu não resolvi aparecer, apenas está a acontecer, não ambiciono fama, nem estou aqui para
competir com ninguém, sou apenas mais um entre muitos e muitos com enorme talento! Agora a
máscara..ok...eu uso-a como protesto, porque o ser humano está cada vez mais acorrentado e qualquer
dia até pagamos para respirar. Uso-a porque a minha música não é a minha cara, a minha música sou
eu, a minha voz, as minhas palavras e o mais importante é que a mensagem chegue a quem me ouve de
maneira mais clara possível e que seja compreendida, a minha identidade é a minha mensagem!
Entretanto lancei o meu segundo álbum a solo Segunda Aparição que foi um sucesso e levou-me à
rádio, à televisão e a grandes palcos a nível nacional.