dossier de imprensa - Materiais Diversos

Сomentários

Transcrição

dossier de imprensa - Materiais Diversos
DOSSIER DE IMPRENSA
_ EDITORIAL | p.2
_ PALCO | p.3
_ FORA DE PALCO | p.27
_ FOCOS DA PROGRAMAÇÃO | p.41
_ NÚMEROS & LISTAGEM ARTISTAS | p.42
_ CALENDÁRIO DE PROGRAMAÇÃO | p.43
_ INFORMAÇÕES | p.47
_ SOBRE A MATERIAIS DIVERSOS | p.51
_ EQUIPA | p.52
_ CONTACTOS | p.54
EDITORIAL
Atravessados quatro anos num contexto social e económico avesso à cultura, eis que o Festival
Materiais Diversos chega à sua 5ª edição.
Teria sido fácil desistir em clima tão adverso, mas acreditamos que é nestas alturas que nos
devemos agarrar às nossas convicções e contaminar os nossos parceiros com elas. Foi a
convicção de que é possível desenvolver um grande festival de artes performativas na região do
Médio Tejo que nos encorajou a inventar esta que, arrisco dizer, é a mais ambiciosa edição de
sempre.
Tal seria impossível de concretizar sem a cumplicidade de quem nos ajuda a desenvolver este
projecto. Desde logo os Municípios de Torres Novas, Alcanena e Cartaxo que connosco
decidiram embarcar numa aventura para os próximos quatro anos mas também as associações
locais, demais equipamentos que acolhem as actividades, uma entusiasta população local
sempre envolvida e todas as equipas técnicas, de produção e artísticas que a nós se juntam a
cada ano.
44 artistas vindos de áreas tão distintas como a dança, música, teatro, performance, fotografia,
vídeo, som, artes plásticas, design gráfico e design industrial são a alavanca para esta edição
especial que propõe uma deambulação por vários locais.
O FMD13 alarga no seu território e desenvolve actividades em Torres Novas, Minde, Alcanena,
Espinheiro, Cartaxo e Lisboa apresentando as suas propostas em teatros municipais, centros
culturais, museus, castelos, fábricas desactivadas, autocarros, casas particulares e no espaço
público, convocando o público a descobrir projectos inusitados.
Ao longo deste programa poderão antever as nossas propostas de palco e também tudo o que
acontecerá fora dele. Venha connosco nesta viagem e desvende como:
Olhamos para a indústria têxtil de Minde propondo possibilidades futuras;
Entramos no Facebook através de um musical de Martim Pedroso;
A Sagração da Primavera com 4 versões dançadas desta obra;
Mostramos um espectáculo do coreógrafo alemão Raimund Hoghe feito à medida para o Castelo
de Torres Novas e possibilitamos uma viagem performativa com um guia turístico sem papas
na língua para ver os espectáculos apresentados em Lisboa pela Culturgest e pelo São Luiz
Teatro Municipal;
Petrificamos perante a réplica vulcânica de Marco da Silva Ferreira;
Remisturamos a música de Minde e de Alcanena com os seus grupos locais;
Incentivamos adolescentes a montar um espectáculo com o encenador Daniel Gorjão;
Ousamos enfrentar o desconhecido com les Ballets C de la B / Miguel Moreira & Romeu Runa,
Revelamos talentosos jovens criadores e damos a descobrir o seu trabalho a programadores
internacionais;
Propomos visitas performativas a museus através do corpo e voz de Ana Rita Teodoro;
Colocamos artistas ao domicílio transformando a sua sala num palco;
Dançamos horas a fio ao som da música de 7 DJs;
Realizamos o maior playback feito numa praça pública;
Fotografamos a fabulosa arquitectura industrial da região;
Descobrimos a música de Frankie Chavez e Orelha Negra;
Visionamos Cenas de Dança em parceria com o Cine-Clube de Torres Novas.
Serão 3 semanas de intensa actividade cultural, convívio e revelação de olhares tão particulares
acerca do mundo que nos rodeia. Um bom festival para todos!
Tiago Guedes Director Artístico | Festival Materiais Diversos
PALCO
DANÇA
Roger Bernat La Consagración de la Primavera FOCO:A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA &
PROJECTO COM A COMUNIDADE
Raimund Hoghe Sacre The Rite of Spring FOCO: A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
David Wampach SACRE FOCO:A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
Mónica Calle A Sagração da Primavera FOCO:A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
Raimund Hoghe Sacre The Rite of Spring FOCO:RAIMUND HOGHE &A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
Raimund Hoghe I Remember FOCO: RAIMUND HOGHE
Raimund Hoghe Cantatas FOCO: RAIMUND HOGHE
Raimund Hoghe Pas de Deux FOCO: RAIMUND HOGHE
Lander Patrick
FOCO: JOVENS CRIADORES & PROJECTO COM A COMUNIDADE
Jonas Lopes & Lander Patrick Playback FOCO: JOVENS CRIADORES & PROJECTO COM A
COMUNIDADE
Ana Rita Teodoro Orifice Paradis FOCO: JOVENS CRIADORES
Ana Rita Teodoro Assombro FOCO: JOVENS CRIADORES
Teresa Silva o que fica do que passa FOCO: JOVENS CRIADORES
Sofia Dias & Vítor Roriz Um gesto que não passa de uma ameaça FOCO: JOVENS
CRIADORES
Luís Guerra Nevoeiro FOCO: JOVENS CRIADORES
Marco Ferreira
FOCO: JOVENS CRIADORES
les ballets C de la B / Miguel Moreira e Romeu Runa The Old King
TEATRO
Daniel Gorjão Que o dia te seja limpo PROJECTO COM A COMUNIDADE
Martim Pedroso O Grande Salão
PERFORMANCE
António Onio Autocarro Performativo à descoberta de Raimund Hoghe
FOCO:RAIMUND HOGHE
MÚSICA
Tiago Pereira com Pedro Félix A Música de Minde e Alcanena a remisturar-se a ela
própria PROJECTO COM A COMUNIDADE
Frankie Chavez
Orelha Negra
PALCO
O FMD13 conta este ano com uma expressiva edição onde artistas portugueses, alemães,
franceses e espanhóis apresentam propostas singulares, pertinentes e muito desafiadoras. Três
eixos principais e uma mão cheia de projectos únicos dão a descobrir o que de mais interessante
se anda a explorar nas artes performativas.
Em 1913 A Sagração da Primavera, obra emblemática do compositor Igor Stravinsky e do
coreógrafo Vaslav Nijinsky, gerou um verdadeiro motim em Paris. 100 anos depois e centenas
de versões coreográficas passadas, o FMD13 apresenta 4 espectáculos, oriundos de 4 países
diferentes e uma conferência que marca esta comemoração.
Os coreógrafos Raimund Hoghe, David Wampach e Roger Bernat e a encenadora Mónica Calle
exploram versões surpreendentes que nos permitem assistir a abordagens coreográficas
distintas a partir de uma mesma partitura musical.
Numa estimulante conferência, o musicólogo Ruy Vieira Nery e a historiadora de dança Maria
José Fazenda enquadram a relação entre a música e a dança através desta magistral obra,
realçando a sua importância a partir da forma como atravessou o último século.
Raimund Hoghe, dramaturgo de Pina Bausch entre 1980 e 1990, é um ícone da dança
contemporânea actual. Em parceria com a Culturgest, o São Luiz Teatro Municipal e o Goethe
Institut (Lisboa), montámos um foco em torno do seu trabalho, incluindo 2 espectáculos, um
vídeo e o lançamento de um dos seus mais recentes livros.
Em Torres Novas, o Castelo é pano de fundo para o projecto I Remember, criação especial onde o
coreógrafo convoca a memória de alguns dos seus espectáculos, adaptados a esta cenografia
medieval. Um vídeo do mítico Sacre - The Rite of Spring faz a segunda parte desta noite
emblemática. O FMD13 disponibiliza um autocarro especial com origem e destino Lisboa para
quem quiser seguir as criações deste coreógrafo.
Mantendo a tradição no que diz respeito à atenção que damos aos Jovens Criadores nacionais, o
fim-de-semana de abertura do festival apresenta 3 estreias e diversos projectos que atestam a
inventividade da mais recente geração de coreógrafos. Lander Patrick, Ana Rita Teodoro,
Teresa Silva, Sofia Dias & Vítor Roriz, Marco da Silva Ferreira e Luís Guerra apresentam
propostas inusitadas a experimentar pelo público e pelas dezenas de programadores nacionais e
internacionais que nos acompanham nestes três dias inaugurais.
Fora dos nossos focos, uma programação vasta e cativante integra projectos únicos e
consolidados. O encenador Martim Pedroso regressa ao festival com um delirante cabaret acerca
do facebook, Daniel Gorjão mergulha no universo dos adolescentes do Concelho de Alcanena;
les ballets C de la B, através de Miguel Moreira & Romeu Runa, apresentam um dos espectáculos
que fez sensação na última edição do Festival de Avignon, The Old King. Um levantamento
musical da nossa região em registo sonoro e vídeo, liderado por Tiago Pereira e Pedro Félix,
garante a exposição de sonoridades locais - novas e tradicionais - no célebre projecto A Música
Portuguesa a Gostar Dela Própria. Os Orelha Negra e Frankie Chavez completam a programação
de música com concertos que nos farão vibrar.
Tiago Guedes Director Artístico | Festival Materiais Diversos
DANÇA | FOCO: A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
PROJECTO COM A COMUNIDADE
ROGER BERNAT / FFF (ES)
LA CONSAGRACIÓN DE LA PRIMAVERA
ESTREIA NACIONAL
15 Setembro, domingo | 17h | dur.50 min | Teatro Virgínia, Torres Novas
Lotação limitada! Reservar com antecedência para: [email protected]
O público
confrontado com o
seu próprio desejo
numa performance
que questiona o
conceito de
comunidade.
© BLENDA
Uma performance para experienciar de pé, que é tanto um jogo quanto uma
coreografia. São entregues headphones sem fios ao público, acolhido no espaço ao som
A Sagração da Primavera de Igor Stravinsky. Escutam-se diversas vozes diferentes
para cada um dos 3 m,npçlcanais disponíveis. Vozes em paralelo que divergem e se
sobrepõem. O mecanismo isola o espectador e confronta-o com o seu próprio desejo. Ao
invés de ver um espectáculo, irá cruzar-se com ele e partilhar responsabilidade.
-
Ano de produção 2010
+ info www.rogerbernat.info
DANÇA | FOCO: A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
DAVID WAMPACH / ASSOCIATION ACHLES (FR)
SACRE
ESTREIA NACIONAL
21 Setembro, sábado | 19h | dur. 45 min | Fábrica de Cultura, Minde
Um espectáculo
grotesco mas
minimalista com
um toque de êxtase
e intoxicação.
© Valérie Archeno
Uma experiência extrema: um homem e uma mulher quase aspiram a vida do outro
pela respiração. Wampach interessa-se pelo argumento de A Sagração da Primavera e
tudo o que evoca "o ritual, o estado de êxtase, intoxicação...". Com a bailarina Tamar
Shelef, exaure-se no palco, tomando estes conceitos através da técnica de execução e
interpretação. Uma série de rituais, em que a gravidade do espaço e do rosto é central,
levados a cabo num ambiente minimalista, com um toque grotesco e sinistro.
David Wampach (França) começou o seu percurso profissional com a fundação da Association Achles,
criando a sua primeira peça em 2003. Em 2011, assinou duas peças em referência ao Ballets Russes:
CASSETTE, uma releitura de O Quebra-Nozes e SACRE
A Sagração da Primavera, apresentado no
Festival Montpellier Danse. No mesmo ano, foi premiado na Villa Kujojama em Kyoto. Em 2013, dirigiu a
curta-metragem RITE, continuação da sua obra para palco SACRE, e criou o solo TOUR.
-
-
-
www.davidwampach.fr
DANÇA | FOCO: A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
MÓNICA CALLE (PT)
A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
ESTREIA
28 Setembro, sábado | 21h30 | dur. 2h45 | Teatro Virgínia, Torres Novas
Um espectáculo
sobre o sacrifício, a
força e a fé. Sobre a
dimensão sagrada de
cada vida humana
© Bruno Simão
A Sagração da Primavera é a história de um sacrifício pela comunidade: uma mulher
dança até à morte para que as colheitas floresçam. Mónica Calle encontra aqui um
sentido de vida, uma equivalência entre o impulso vital e o gesto artístico, que não
implica um fim, nem um objectivo, e só termina com a morte. Esta Sagração é um
trabalho sobre o corpo, as suas capacidades e os seus limites. Sobre o sacrifício, a força e
a fé. Sobre a dimensão sagrada de cada vida humana.
Mónica Calle (1966) estudou na ESTC. É encenadora, cenógrafa, actriz e directora da Casa Conveniente
desde 1992. Recebe da APCT o Prémio de Melhor Interpretação Feminina, o Prémio Sete de Ouro
Revelação de Teatro e Prémio Autores da SPA para Melhor Espectáculo de Teatro, entre outras menções. O
seu trabalho situa-se entre a componente experimental e o texto teatral. Desenvolve formação com
actores e não actores. Participou em filmes de Raul Ruíz, João Botelho e Luís Fonseca.
-
DANÇA | FOCOS: A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
RAIMUND HOGHE
RAIMUND HOGHE (DE)
SACRE THE RITE OF SPRING
ESTREIA NACIONAL
20 Setembro, sexta* | 21h30 | dur.45min | Castelo de Torres Novas
*noite dupla com: I Remember, Raimund Hoghe | dur. 45 min
Autocarro Performativo à descoberta de Raimund Hoghe (ver página 23)
Um filme de dança
sobre o emblemático
clássico do ballet,
interpretado por
Hoghe num ritual de
iniciação que lança o
corpo à luta.
© Rosa Frank
Raimund Hoghe não escapou ao encanto deste clássico do ballet, para o qual
desenvolve uma interpretação contemporânea minimalista, seguindo a dinâmica
contaminante de Stravinsky: um ritual de iniciação para dois homens, onde se cria
uma esfera comum na qual se aproximam e repelem. É sobre esta criação que Hoghe
vai falar, a partir do soberbo filme de dança de Sandeep Mehta, suportado na
linguagem de movimento única do coreógrafo, com colaboração de Lorenzo De
Brabandere.
Raimund Hoghe (Wuppertal, Alemanha) trabalhou como jornalista e escritor para o jornal Die Zeit. Entre
1980 e 1990, foi dramaturgo do Tanztheater Wuppertal, de Pina Bausch. Desenvolve desde 1989 as suas
próprias peças, apresentadas em vários países da Europa, América do Norte e do Sul, Ásia e Austrália. Em
sondagem da revista ballet-tanz. Foram escritos 8 livros sobre a sua obra.
Conceito Raimund Hoghe Coreografia e interpretação Raimund Hoghe, Lorenzo De Brabandere
Realização Sandeep Mehta Colaboração artística Luca Giacomo Schulte Música Igor Stravinsky Luz
Amoury Seval, Raimund Hoghe Som Frank Strätker Produção Raimund Hoghe Co-produção Montpellier
Danse, Theater im Pumpenhaus Apoio Kaaitheater, STUK, Groupe Kam Laï Ano de produção 2004
+ info www.raimundhoghe.com
DANÇA | FOCO: RAIMUND HOGHE
RAIMUND HOGHE (DE)
I REMEMBER
ESTREIA
20 Setembro, sexta* | 21h30 | dur.45 min | Castelo de Torres Novas
*noite dupla com: Sacre - The Rite of Spring, Raimund Hoghe | dur. 45 min
Autocarro Performativo à descoberta de Raimund Hoghe (ver página 23)
Excertos da obra
coreográfica de
Raimund Hoghe,
momentos de lembrança
que desvendam o seu
processo artístico.
© Rosa Frank
I remember é um espectáculo minimalista, desenhado à medida para o espaço onde tem
lugar, estreitamente ligado à atmosfera que aí prevalece. Oferece ao público uma visão
sobre o trabalho de Hoghe, o seu processo artístico e as suas peças, que aqui surgem em
fragmentos. A partir desses fragmentos, surge uma nova obra de seu pleno direito, não
apenas um conjunto de best of, mas momentos de lembrança. Foram apresentadas
diferentes versões do projeto em Brest, New York, Montpellier, Polónia e Alemanha.
Raimund Hoghe (Wuppertal, Alemanha) trabalhou como jornalista e escritor para o jornal Die Zeit. Entre
1980 e 1990, foi dramaturgo do Tanztheater Wuppertal, de Pina Bausch. Desenvolve desde 1989 as suas
próprias peças, apresentadas em vários países da Europa, América do Norte e do Sul, Ásia e Austrália. Em
sondagem da revista ballet-tanz. Foram escritos 8 livros sobre a sua obra.
Conceito e coreografia Raimund Hoghe Colaboração artística Luca Giacomo Schulte Desenho de luz
Raimund Hoghe Som Frank Strätker Produção Hoghe & Schulte
+ info www.raimundhoghe.com
DANÇA | FOCO: RAIMUND HOGHE
RAIMUND HOGHE (DE)
CANTATAS*
ESTREIA NACIONAL
24 e 25 Setembro, terça e quarta | 21h | dur. 3h com intervalo | São Luiz Teatro Municipal
*Co-apresentação: Materiais Diversos / São Luiz Teatro Municipal
Autocarro Performativo à descoberta de Raimund Hoghe (ver página 23)
Uma obra coreográfica
delicada que elogia o
poder unificador e
evocador de memórias da
música.
© Rosa Frank
A música assume um papel central na obra de Raimund Hoghe, não apenas como
complementar ou enquanto suporte da dança e movimento, como também para criar
um mundo e situar a performance no tempo e no espaço. A música abre as portas da
história. Aqui, as cantatas de Bach, bem como outras composições, transformam-se em
gesto. Cantatas introduzem também pela primeira vez na obra do criador o canto ao
vivo, protagonizado pela jovem soprano Kerstin Pohle, que estabelece um íntimo
diálogo com os bailarinos.
Conceito, direcção, coreografia e cenário Raimund Hoghe Colaboração artística Luca Giacomo Schulte
Interpretação Marion Ballester, Finola Cronin, Adrien Dantou, Emmanuel Eggermont, Raimund Hoghe,
Yutaka Takei, Luca Giacomo Schulte, Takashi Ueno, Kerstin Pohle (Soprano) Luz Raimund Hoghe,
Johannes Sundrup Som Frank Strätker Produção Raimund Hoghe/Hoghe & Schulte GbR, Cie VENTO
Co-produção Festival Montpellier Danse 2013, tanzhaus nrw, PACT Zollverein, Theater im Pumpenhaus
Apoio Ministerium für Familie, Kinder, Jugend, Kultur und Sport des Landes NRW, CCN Belfort, La
Ménagerie de Verre, no âmbito do Studiolab, Montpellier Danse/Agora, Cité Internationale de la Danse
Ano de produção 2012
+ info www.raimundhoghe.com
DANÇA | FOCO: RAIMUND HOGHE
RAIMUND HOGHE (DE)
PAS DE DEUX*
ESTREIA NACIONAL
27 e 28 Setembro, sexta e sábado | 21h30 | dur.2h | Culturgest
*O espectáculo é programado e apresentado pela Culturgest
Autocarro Performativo à descoberta de Raimund Hoghe (ver página 23)
Uma antologia da dança
interpretada por dois
bailarinos numa viagem
comum de autodescoberta e diferenciação
© Rosa Frank
emblemático do virtuosismo no ballet clássico do século XIX. Raimund Hoghe aborda
este conceito de modo distinto: para ele é literalmente um passo a dois, virtuoso à sua
maneira. Os bailarinos entram em diálogo um com o outro: uma conversa sobre as
coisas em que são semelhantes e aquelas em que diferem, uma investigação sobre a
estrutura do relacionamento (dançado) entre duas pessoas.
Conceito, coreografia e cenário Raimund Hoghe Luz Raimund Hoghe e Johannes Sundrup Interpretação
Raimund Hoghe e Takashi Ueno Colaboração artística Luca Giacomo Schulte Som Frank Strätker
Produção Cie Raimund Hoghe Co-produção Theater im Pumpenhaus Münster, Théâtre Garonne
tomne à Paris Apoio Kulturamt der Landeshauptstadt Düsseldorf, Ministerium für
Familie, Kinder, Jugend, Kultur und Sport des Landes Nrw, Fiaf Crossing The Line, The Baryshnikov Arts
ora/Cité Internationale de La
Danse Ano de produção 2011
+ info www.raimundhoghe.com
DANÇA | FOCO: JOVENS CRIADORES
PROJECTO COM A COMUNIDADE
LANDER PATRICK (PT)
ESTREIA
13 Setembro, sexta | 18h | dur. 45min | Blackbox Bombeiros Voluntários, Torres Novas
21 Setembro, sábado | 21h30 | dur. 45min | Centro Cultural do Cartaxo
Isto não é uma
história de amor
© Günter Kräemmer
Isto não é uma história de amor. Referência ao quadro Ceci n'est pas une pipe de
Magritte, em que a veracidade da imagem entra em confronto directo com a sua
textualização.
categoriza uma relação através da negação, explorando
uma situação em que a comunicação entre duas pessoas constitui um risco, enquanto
executam, de olhos vendados, uma coreografia baseada em movimentos precisos,
ritmada, musical. A iminência da hesitação é a linha hipnótica que envolve o público
no mesmo desafio: um virtuoso tiro no escuro.
Lander Patrick (1989, Rio de Janeiro) estudou na Escola de Dança do Conservatório Nacional, Hogeschool
voor den ARtEZ Kunsten (Holanda) e completou a Escola Superior de Dança. Como coreógrafo, detém 3
obras em repertório, apresentadas em Portugal, na Sérvia, Alemanha, Itália e nos EUA, com as quais
ganhou 3 prémios. Colaborou com Luís Guerra, Joana Antunes (Guimarães 2012), Margarida Bettencourt
ou Tomaz Simatovic (Eslovénia) e integrou nas Companhias CeDeCe e Persona (França).
+ info www.vimeo.com/61544664
DANÇA | FOCO: JOVENS CRIADORES
PROJECTO COM A COMUNIDADE
JONAS LOPES & LANDER PATRICK (PT)
PLAYBACK
ESTREIA
27 Setembro, sexta | 23h | dur. 1h30 | Praça 5 de Outubro, Torres Novas
Se conhecer a
música e quiser
arriscar, salte para o
palco!
Lander Patrick e Jonas Lopes mergulham no universo do playback enquanto
acontecimento social colectivo, para criar uma apresentação no espaço público que dá
lugar ao potencial artista em cada um de nós. Partindo de músicas que todos conhecem
e que têm ressonância na sociedade de hoje (quer pela forma como activam a memória,
quer pela força do seu presente), os participantes são desafiados a interpretar músicas
seleccionadas, numa actuação conjunta que explora a corporalidade da música.
Jonas Lopes (1986, Lisboa) é um multifacetado jovem criador, cantor, bailarino e actor. Completou a
formação no Chapitô e iniciou estudos na Escola Superior de Dança e no Pineapple Dance Studio (Londres).
Em teatro foi dirigido por António Pires, Sofia de Portugal ou Adriano Luz. Com o grupo Rosa Negra, lança
o álbum Fado Mutante, apresentado em diversos países. Em dança, integrou peças de Margarida
Bettencourt e Vera Mantero. Desenvolve diversas co-criações com Alena Dittrichová e Lander Patrick e
assina a sua primeira obra a solo, Matilda Carlota, em 2013. É intérprete na nova criação de Tiago Guedes,
Hoje.
+ info www.vimeo.com/user4872271
www.vimeo.com/68866169
DANÇA | FOCO: JOVENS CRIADORES
ANA RITA TEODORO (PT)
ORIFICE PARADIS
ESTREIA NACIONAL
13 Setembro, sexta* | 21h30 | dur. 20min | Fábrica de Cultura, Minde
*noite dupla com: o que fica do que passa, Teresa Silva | dur. 30min
Paraíso que vem a
galope: uma
homenagem
dançante à boca e ao
seu orifício
complementar,
a vagina
© Laurent Friquet
Nesta performance, a dinâmica da construção coreográfica passa pela multiplicação da
boca enquanto órgão e das funções a ela destinadas (comer, cantar, morder). O
resultado é um corpo de uma mulher que se transforma em boca, um corpo que fala e
come por todos os lados. Tornar presente o paraíso: uma fonte de vida, uma
homenagem à boca e ao seu orifício complementar, a vagina. Paraíso que vem a galope
para fazer presente a sensação da boca.
Ana Rita Teodoro (1982) é coreógrafa e bailarina. Concluiu o mestrado do CNDC de Angers e da
Universidade Paris 8, onde pesquisou a cri
Pesquisa e Criação Coreográfica do Fórum Dança e o Curso de Coreografia da FCG e estudou com o c.e.m.
Desenvolveu trabalho com diferentes comunidades e de interacção com o espaço público. Criou as peças
MelTe (2009), Curva (2010), Orifice Paradis (2012),
e Assombro (2013).
+ info www.vimeo.com/user3296693
DANÇA | FOCO: JOVENS CRIADORES
ANA RITA TEODORO (PT)
ASSOMBRO
ESTREIA NACIONAL
14 Setembro, sábado | 11h e 15h | dur. 30min | Museu da Boneca, Alcanena e Museu
Carlos Reis, Torres Novas*
15 Setembro, domingo | 11h e 15h | dur. 30min | Museu de Aguarela Roque Gameiro,
Minde e Museu Rural e Etnográfico do Espinheiro*
*mediante inscrição para: [email protected]
Quadros vivos de onde
surge a canção tradicional
portuguesa com a voz
assombrosamente
deslocada da boca
© Simon Jordan
de identidade. Através do corpo de uma mulher desarticulada que parece não se
pertencer, suspende-se Tradição e Modernidade e observa-se os fantasmas do povo
português. Que lugar existe hoje para estas canções que arriscam ficar cristalizadas?
Canções engolidas pela sombra do tempo reivindicam a sua voz actual nesta série de
quadros vivos de onde surge a canção com a voz deslocada da boca, através da técnica
de ventriloquia.
-
+ info www.vimeo.com/user3296693
DANÇA | FOCO: JOVENS CRIADORES
TERESA SILVA (PT)
O QUE FICA DO QUE PASSA título provisório
ESTREIA
13 Setembro, sexta* | 21h30 | dur. 30min | Fábrica de Cultura, Minde
21 Setembro, sábado** | 21h30 | dur. 30min | Centro Cultural do Cartaxo
*noite dupla com: Orifice Paradis, Ana Rita Teodoro | dur: 20min
**noite dupla com
, Lander Patrick | dur: 45min
Uma fantasia sem
nome
que entra de
rompante,
onde o desafio é
apenas
sentir
© Teresa Silva
É entre aquilo que se vê e aquilo que se imagina, que a coisa se manifesta. Ela desfruta
precisamente da pluralidade e da estranheza. Tenho impressões de gestos arritmados e
inconsequentes, de um estado desprendido e de uma fantasia. Estes são os meus
delírios temporários quando olho a coisa. Na verdade, acho que ao ver a coisa estou é a
ver-me a mim. Talvez a aventura aqui, seja só sentir. Dar-se a possibilidade de ter, por
momentos, um olho que sente.
Teresa Silva (1988, Lisboa) inicia os estudos na Escola de Dança do Conservatório Nacional. Completa a
Escola Superior de Dança e o PEPCC do Fórum Dança. Criou 5 peças, duas das quais em colaboração com
Elizabete Francisca. Integra desde 2007 criações de coreógrafos como Loïc Touzé, Luís Guerra, Tânia
Carvalho, Ana Borralho e João Galante, Sofia Dias & Vítor Roriz, entre outros. É intérprete na nova criação
de Tiago Guedes, Hoje, a estrear em Dezembo na Culturgest.
-
+info www.materiaisdiversos.com
DANÇA | FOCO: JOVENS CRIADORES
SOFIA DIAS & VÍTOR RORIZ (PT)
UM GESTO QUE NÃO PASSA DE UMA AMEAÇA
14 Setembro, sábado | 17h | dur. 40min | Blackbox Bombeiros, Torres Novas
Como em simultâneo
descobrir e criar o
presente através da
incessante repetição
do passado
© João Octávio
Sofia Dias & Vítor Roriz vão ao encontro do modo caótico como a nossa mente percebe
e associa acontecimentos, situando-se no momento de perda e atribuição de sentido, de
degeneração e transformação de palavras e de movimento. Um percurso
desconstrutivo entre palavras contraditórias, contextos sem correspondência, línguas
diferentes ou mesmo inexistentes, feito por ligações ténues e subtis de sons, ritmos,
movimentos, respirações e fonemas.
Sofia Dias & Vítor Roriz colaboram desde 2006 na pesquisa e concepção de vários trabalhos de dança,
apresentados em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Suíça, Roménia, Bélgica, Inglaterra, Holanda e
Polónia. Têm orientado workshops para profissionais e não-profissionais das artes performativas no c.e.m,
Fórum Dança, Alkantara, entre outros e leccionam Oficina de Corpo no Curso de Teatro da ESAD desde
-
+info www.materiaisdiversos.com
DANÇA | FOCO: JOVENS CRIADORES
LUÍS GUERRA (PT)
NEVOEIRO
ESTREIA
15 Setembro, domingo | 15h | dur. 40min | Fábrica de Cultura, Minde
Uma obra de dança que
apela à intuição e ao
indizível
© Carol Carvalho
Para Luís Guerra, aquilo que apreendemos do movimento dos corpos humanos é
imensamente rico, por ser vago. Assim, ambiciona criar uma obra de dança que fale por
si só, sem necessitar de palavras, pois a necessidade de verbalizar nada mais é que uma
limitação. Num mundo onde a Razão é continuamente levada à exaustão, é
imprescindível apelar à Intuição, à Emoção, ao Indizível. Nevoeiro quer ser uma dança
onde o espectador sente e vê coisas que não sabe classificar.
Luís Guerra é um artista português que se dedica maioritariamente à dança e ao desenho, formado na
Escola de Dança do Conservatório Nacional e em coreografia no ACARTE/Fundação Gulbenkian. Assina
trabalhos coreográficos desde 2005, integrando a equipa da Bomba Suicida desde 2008. Interpretou para
diversos criadores nacionais e estrangeiros. Esporadicamente, trabalhou como actor, performer em
concertos, feirante e modelo artístico.
+info www.bombasuicidaagenda.wordpress.com
DANÇA | FOCO: JOVENS CRIADORES
MARCO DA SILVA FERREIRA (PT)
A
14 Setembro, sábado | 18h | dur. 25min | Jardim das Rosas / Chaminé, Torres Novas
Um corpo
petrificado, sem
tempo e sem
controlo
© Diana Santos
Um corpo petrificado, sem tempo e sem controlo. Réplica de uma erupção
descontrolada, de uma emergência, de uma apoteose qualquer. Eu, aqui, agora, como
um balão prestes a rebentar. Um instante abrupto em que a adrenalina é libertada,
enchendo-me de energia potencial que me desrealiza e despersonaliza. Esta peça tem
como ponto de partida as impressões deixadas pelas cinzas e rochas após a súbita
erupção vulcânica de Pompeia em 79 d.C. que apanha os corpos desprevenidos,
petrificando-os para a eternidade.
Marco Ferreira (1986, Santa Maria da Feira) é bailarino desde 2004. Intérprete profissional pela
Hofesh Shechter), integra ainda diversas peças de Elisabeth Lambeck, Victor Hugo Pontes e Sylvia Rijmer.
Iniciou-se como coreógrafo em 2008 em co-criação com Mara Andrade e destaca do seu repertório o solo
Nevoeiro 21
+info www.pensamento-avulso.jimdo.com
DANÇA
LES BALLETS C DE LA B / MIGUEL MOREIRA & ROMEU RUNA (PT/FR)
THE OLD KING
14 Setembro, sábado | 21h30 | dur. 1h05 | Teatro Virgínia, Torres Novas
Um homem abandoado
por Deus pensa sobre a sua
razão de ser.
Ousará enfrentar o
desconhecido?
© Helena Gonçalves
Um homem abandonado por Deus está num palco coberto com minas; reflecte sobre si
mesmo e o mundo ao seu redor. Enquanto luta com os seus pensamentos, decide
construir uma plataforma a partir da qual se dirige à multidão. O progresso não faz
qualquer sentido, a não ser que ousemos saltar, enfrentar o desconhecido. Se formos
corajosos o suficiente para fazê-lo, mesmo que incertos do resultado, aproximar-nosemos da própria vida. Uma revolução que todos nós temos que travar no nosso interior.
Miguel Moreira (1973, Moçambique) é formado em Artes Performativas pelo Chapitô (Portugal). Fundou o
Útero em 1997 e dirigiu o Colectivo de Teatro O Grupo e O Bando desde 1996. Trabalhou em peças de João
Brites, João Garcia Miguel, António Pires, Teatro Praga, Colectivo Olho, entre outros; bem como em
produções de dança por Vera Mantero, Olga Roriz, Teresa Simas, Rui Horta, Alain Platel, Clara Andermatt,
etc. Integrou o elenco de várias séries de televisão e filmes.
Romeu Runa (1978, Portugal) estudou na Escola de Dança do Conservatório Nacional. Foi membro do
Ballet Gulbenkian até à sua extinção. Colaborou com Miguel Moreira (Útero), Rui Horta, Paulo Ribeiro,
Clara Andermatt, Olga Roriz, Teatro Praga, Labour Graz, In-jun Jung, Cláudia Novoa, Hillel Kogan, Alain
Platel e Berlinde De Bruyckere.
-
+info www.lesballetscdela.be
TEATRO
MARTIM PEDROSO (PT)
O GRANDE SALÃO
12 Setembro, quinta | 21h30 | dur. 1h45 | Cine-Teatro São Pedro, Alcanena
Um espectáculo-cabaret
construído a partir da rede
social mais famosa do
mundo, o FACEBOOK.
© Duarte Branquinho
Somos todos convidados a fazer parte deste acontecimento teatral, especialmente
burguês, que se serve da rede social mais famosa do mundo, o Facebook. Este é um
espectáculo de comments, shares, likes e emoticons feitos carne e nervos, um salão
confortável e surpreendente, onde todos entram sem bater à porta. Um objecto poético
e político que se serve da banalidade para construir um discurso sobre este espectáculo
que é o mundo.
Martim Pedroso (1979, Lisboa) estudou Encenação na ESTC e no curso internacional da École des Maitres
(Antonio Latella, 2006). Participa desde 1998 em diversos trabalhos como actor com criadores e
companhias nacionais e internacionais. Inicia-se como encenador em 2005, desde então assinando 6
produções, 5 das quais apresentadas no FMD. Leccionou nos Mestrados de Interpretação e Encenação da
ESTC e promove, regularmente, laboratórios de reciclagem para performers profissionais. Co-criou
espectáculos com o Projecto Teatral, Teatro Praga e Cie. Zerogrammi (Itália).
Direcção artística Martim Pedroso Dramaturgia Nelson Guerreiro e Martim Pedroso Interpretação Bruno
Huca, Carla Galvão, Catarina Guerreiro, Elmano Sancho, Hugo Bettencourt, Hugo Franco, Íris Cayatte,
Manuel Sá Pessoa, Maria Ana Filipe, Marina Albuquerque, Martim Pedroso, Miguel Damião, Nelson
Guerreiro, Paula Só, Paulo Duarte Ribeiro, Pedro Sousa Loureiro, Sandra Simões, Statt Miller, Tânia
Leonardo Colaboração na criação Flávia Gusmão Música Hugo Franco Direcção técnica Tiago Cerqueira
Produção Bruno Reis Co-Produção ZDB, São Luiz Teatro Municipal, Materiais Diversos, UAU Ano de
produção 2012
+ info www.facebook.com/MartimPedrosoNovaCompanhia
TEATRO
PROJECTO COM A COMUNIDADE
DANIEL GORJÃO (PT)
QUE O DIA TE SEJA LIMPO
19 Setembro, quinta | 21h30 | dur. 1h | Cine-Teatro São Pedro, Alcanena
Procura sobre quem
lugar do qual temos medo;
o fundo é negro;
o fundo talvez até
cheire mal.
A partir do universo de
Al Berto
© Sara Vicente
Neste espectáculo fala-se do Homem, caricaturando a carne e chamando-a a depor
sobre Nós: quem somos, do mais escuro à luz do ser. Daniel Gorjão quer desvendar a
podridão humana, entender o que escondemos e por que o escondemos - é dela que fala
através da relação entre as palavras de Al Berto e corpos que testam os seus limites. Um
objeto que rompe os limites do teatro numa pesquisa interdisciplinar e laboratorial,
partilhado entre actores e estudantes de Minde e Alcanena.
Daniel Gorjão (1984, Minde) frequentou o curso de Formação de Actores da Universidade Moderna e a
ESTC. Integra diversas criações da Companhia do Teatro Politeama (Filipe La Féria) desde 2003. A sua
criação um dia dancei SÓ dancei um dia (2010) é galardoada com o Prémio Emergentes. Em 2010 funda a
Rosa74 Teatro, da qual é director artístico até 2012, ano em que cria o Teatro do Vão, onde assina diversas
obras. Colabora regularmente com Maria João Luís. É director de actores na RTP2.
+ info: www. companhiavaodeteatro.blogspot.pt
PERFORMANCE
ANTÓNIO ONIO (PT)
AUTOCARRO PERFORMATIVO
À DESCOBERTA DE RAIMUND HOGHE
20 Setembro, sexta | I Remember + Sacre The Rite of Spring
IDA 18.00 Lisboa (SLTM*) - 20.00 Alcanena (CTSP**) - 20.30 Torres Novas (Castelo)
VOLTA 23.30
24 Setembro, terça | Cantatas
IDA 18.00 Alcanena (CTSP) - 19.00 Torres Novas (TV***) - 20.30 Lisboa (SLTM)
VOLTA 00.00
27 Setembro, sexta | Pas de Deux
IDA 18.00 Alcanena (CTSP) - 19.00 Torres Novas (TV) - 20.30 Lisboa (Culturgest)
VOLTA 23.30
mediante inscrição para: [email protected]
Um guia turístico sem
papas na língua que não o
deixará indiferente.
Excelente preâmbulo para
descobrir o universo de
Raimund Hoghe.
A colaboração entre o FMD, o São Luiz Teatro Municipal, a Culturgest e o GoetheInstitut irá permitir-nos participar na mostra de 3 espectáculos, numa projecção de
vídeo e no lançamento do mais recente livro sobre o universo particular do consagrado
artista alemão Raimund Hoghe. Para não perder pitada, um autocarro gratuito faz uma
Onio, transformará o percurso numa divertida paródia sobre a paisagem, o festival, os
espectáculos e a cena artística actual. Uma das mais surpreendentes criações desta
edição!
António Onio (Porto) começou por ser António Maia. Concluiu estudos no Ginasiano Escola de Dança e na
Amsterdam Hogeschool voor de Kunsten. Trabalha frequentemente com Diego Gil, Fernando Belfiore,
Sarah Armstrong e Igor Dobricic. Em conjunto com Ana Todo Bom Fernandes, cria em 2012 o projecto
intervencionista METER O DEDO NA FERIDA, que quer abalar a sociedade patriarcal portuguesa e
esbater as diferenças entre público, pessoal e privado.
Conceito Tiago Guedes Criação e interpretação António Onio
* SLTM São Luiz Teatro Municipal ** CTSP Cine-Teatro São Pedro
*** TV Teatro Virgínia
MÚSICA
FRANKIE CHAVEZ (PT)
14 Setembro, sábado | 23h30 | dur. 1h | Fábrica de Cultura, Minde
.
Um novo álbum
intimista de
musicalidade
corpulenta mas
respirada, temas
meditados para escutar
com atenção.
© Rui Pedro Rafael
Depois de Family Tree (2011, The Search Records), Frankie Chavez traz ao Festival
Materiais Diversos uma antestreia do novo álbum. Para quem já conhece este
cantautor, sabe que pode esperar uma sonoridade única, resultante da reinvenção da
abordagem à guitarra portuguesa, misturada com instrumentos típicos do blues. Multiintrumentista, mune-se de várias guitarras, de uma bateria improvisada e de pedais
de efeitos. Temas intimistas, de musicalidade corpulenta mas respirada.
Frankie Chavez é um dos mais promissores talentos da nova música portuguesa, referido como a mais
recente revelação blues do Sul da Europa. Conjuga diferentes sonoridades, resultando num blues/folk
composto por ambientes limpos e por outros mais crus e psicadélicos. Apesar de se identificarem
influências musicais (Robert Johnson, Jimi Hendrix, Kelly Joe Phelps, Ry Cooder), é difícil encontrar um
termo que o defina, garante de um estilo único e inconfundível. Desde 2006, compôs 3 bandas sonoras, um
EP e um álbum.
Composição, guitarra e voz Frankie Chavez Bateria João Correia Agência Lisboa Agência
+ info www.frankiechavez.com
MÚSICA
ORELHA NEGRA (PT)
21 Setembro, sábado | 21h30 | dur. 1h10 | Teatro Vírginia, Torres Novas
Música nua que
quer transformar o
mundo, pulsante,
carregada de
histórias.
Memória e hip-hop,
sempre.
© Pedro Cláudio
De regresso ao estúdio, os Orelha Negra criaram mais uma brilhante colecção de 15
temas. Instrumentais, pulsantes, musculados, sinuosos como tudo o que tem groove;
pesados, densos, carregados de histórias, polvilhados com palavras, memórias, lenga
lengas, com farrapos de poesia, com malhas de órgão e de guitarra, com scratch e linhas
de baixo gordas, com bateria que pinga funk. Audível é a vontade de transformar o
mundo pela música, que se oferece nua, sem máscaras e sem rostos, sem vozes e sem
poses.
Os Orelha Negra são um puzzle imaculado, conjunto ilustre de músicos, talentos individuais, apaixonados
pelas sonoridades afro-americanas: Sam The Kid, DJ Cruzfader, Fred Ferreira, Francisco Rebelo e João
Gomes, que se juntam depois de tocarem na digressão de Sam The Kid em 2008. Na senda de novos sons,
exploram numa síntese perfeita o presente e o passado, onde o hip-hop provou ser uma forma de integrar
todas as influências da música negra (jazz, funk, soul, etc). Música que faz bater o pé, à qual não se pode
ficar indiferente.
MPC Mira Professional (Samuel Mira aka Sam The Kid) Baixo e guitarra Rebelo Jazz Bass (Francisco
Rebelo) Bateria Ferrano (Fred) Teclado e sintetizadores Diogo Santos Cruz (DJ Cruzfader)
+info www.radardossons.com
MÚSICA
PROJECTO COM A COMUNIDADE
TIAGO PEREIRA COM PEDRO FÉLIX (PT)
A MÚSICA DE MINDE E DE ALCANENA
A REMISTURAR-SE A ELA PRÓPRIA
ESTREIA
22 Setembro, domingo | 17h | dur. 40 m | Cine-Teatro S.Pedro, Alcanena
Acordar o
património musical
de Minde e
Alcanena, celebrar a
música portuguesa
na sua variedade e
espontaneidade.
© Tiago Pereira
O projecto A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria recolheu, desde o seu início em
2011, cerca de 475 gravações que resgatam do esquecimento e dão a conhecer a
diversidade musical, tradicional e contemporânea, de norte a sul do país. Convidamos
Tiago Pereira, com o músico minderico Pedro Félix, a registar e celebrar a música do
concelho de Alcanena na sua variedade e espontaneidade. O resultado será uma
performance audiovisual, em tempo real, a partir deste arquivo de memórias
revisitado.
Tiago Pereira (1972) estudou na Escola Superior de Teatro e Cinema. É realizador, videasta, mentor e
oordenador do website A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria, bem como membro do projeto musical
OMIRI. Vencedor do prémio Megafone, é autor de 5 filmes premiados entre 1998 e 2012. Tem desenvolvido
um estilo único de documentar, recolher e misturar imagens em movimento, a partir de manifestações de
cultura imaterial como a música, rituais e performances.
Conceito e vídeo Tiago Pereira Música Tiago Pereira, Pedro Félix Músico convidado Pedro Félix Produção
André Conceição e Patrícia Bento Co-produção Festival Materiais Diversos
+ info www.amusicaportuguesaagostardelapropria.org/
FORA DE PALCO
EXPOSIÇÕES
Rita Rio, Miguel Constantino, Marco Balesteros, Catarina Dias, Carlos Lobo, Henrique
Ralheta 6+6 Olhares sobre a Indústria Têxtil de Minde PROJECTO COM A COMUNIDADE
(vídeo, design gráfico, design de produto, artes plásticas, fotografia)
Manuel Ribeiro & participantes Workshop Fotografia de Arquitectura: os edifícios da
indústria têxtil PROJECTO COM A COMUNIDADE (fotografia)
CONFERÊNCIA
A Sagração da Primavera: os vestígios, a reconstrução e as reinterpretações Maria José
Fazenda & Rui Vieira Nery FOCO:A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
LANÇAMENTO DE LIVRO
Schreiben mit Körpern Raimund Hoghe FOCO: RAIMUND HOGHE
CINEMA
Crazy Horse Frederick Wiseman CENAS DE DANÇA (documentário)
Cisne Negro Daren Aronofsky CENAS DE DANÇA (drama)
DANÇA E TEATRO
Susana Gaspar e Cláudia Gaiolas Um artista ao domicílio descubra a dança e o teatro
em sua casa PROJECTO COM A COMUNIDADE
WORKSHOPS
Playback Jonas Lopes & Lander Patrick PROJECTO COM A COMUNIDADE (música e dança)
Fotografia de Arquitectura: os edifícios da indústria têxtil Manuel Ribeiro PROJECTO
COM A COMUNIDADE FOTOGRAFIA (fotografia)
Consciência corporal Francesca Bertozzi DANÇA
PONTO DE ENCONTRO & NOITES LONGAS
Mauro Crachat, Andy Punch, D.M.A. (disco my ass), Almada Guerra, Guerreiro e
Galante DJ
ENCONTROS
Open Latitudes, Jovens em Foco e ONDA
FORA DE PALCO
Nem só de espectáculos se faz o FMD. Desde a sua primeira edição, desenvolvemos uma
programação paralela fora de palco que dá músculo a este evento cultural. O fora de palco é
feito em parceria com a população, as associações, os museus e a indústria da nossa região.
Este ano, uma colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian tem como resultado a
exposição 6+6, onde seis artistas de áreas tão distintas como o design gráfico, design industrial,
som, vídeo, artes plásticas e fotografia criam obras a partir da experiência de residência em seis
fábricas de têxteis de Minde.
Um artista ao domicílio oferece-nos a todos a possibilidade de acolher em nossas casas um
bailarino ou um actor que nos contará - e às nossas famílias e amigos - as suas histórias, com
apontamentos performativos.
Na Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes (Torres Novas), Maria José Fazenda e Rui Vieira
Nery reflectem em conferência sobre um dos nossos focos de programação - os 100 anos da
icónica obra A Sagração da Primavera -; a inovação que trouxe às linguagens da dança e da
música e o que levou a que seja uma das mais criações reinterpretadas de sempre.
Em parceria com o Goethe Institut Lissabon, o lançamento do livro Schreiben mit Körpern
Raimund Hoghe, pontua outro dos nossos
focos, que incide sobre a magistral obra deste coreógrafo.
Numa primeira colaboração com o Cine-Clube de Torres Novas, Cenas de Dança exibirá dois
emblemáticos filmes - um documentário e uma ficção - onde o corpo e a dança são os
protagonistas.
Ao público oferece-se a oportunidade de participar em workshops de fotografia de
arquitectura, consciência corporal e playback, este último propondo uma surpreendente
abordagem à dança e à música com apresentação pública na Praça 5 de Outubro em Torres
Novas.
O Ponto de Encontro deste ano é na Fábrica de Cultura de Minde. Esta fábrica conhecida de
todos, que outrora representou o esplendor da indústria têxtil, será agora povoada com Noites
Longas de festa e DJ, exposições e espectáculos.
O nosso festival acolhe ainda vários encontros profissionais no âmbito de projectos dos quais a
Materiais Diversos é parceira/co-organizadora, programadores internacionais e jovens
estudantes franceses à descoberta do que andam a fazer os nossos artistas.
FMD13: para onde em Setembro confluem a população, os artistas e os públicos que connosco
são peças chave para o sucesso de mais uma edição.
Tiago Guedes Director Artístico | Festival Materiais Diversos
EXPOSIÇÕES | PLURIDISCIPLINAR
PROJECTO COM A COMUNIDADE
6+6 OLHARES SOBRE A INDUSTRIA TÊXTIL DE MINDE
CATARINA DIAS, CARLOS LOBO, HENRIQUE RALHETA, MARCO
BALESTEROS, MIGUEL CONSTANTINO E RITA RIO
CURADORIA SARA FRANQUEIRA
Co-produção: Fundação Calouste Gulbenkian
Programa Gulbenkian Educação para a Cultura e Ciência
INAUGURAÇÃO COM ARTISTAS + VISITA GUIADA
12 Setembro, quinta | 18h| Fábrica de Cultura de Minde
VISITA LIVRE
13 a 15 Setembro, sexta a domingo + 19 a 22 Setembro, quinta a domingo + 26 a 28
Setembro, quinta a sábado | 15h 18h
VISITAS GUIADAS*
14 e 21 Setembro, sábados + 15 Setembro, domingo | 15h
22 Setembro, domingo | 11h
*mediante inscrição para: [email protected]
Que olhares se escondem
no que produzimos?
Um desafio artístico comum
a 6 artistas e 6 fábricas.
© Mafalda Oliveira
O FMD13 desafia seis artistas de diferentes áreas - artes visuais (plásticas, vídeo e
fotografia), som e design (gráfico e equipamento) - e seis fábricas no activo, a
desenvolver um projecto criativo comum baseado na tradição da indústria têxtil de
Minde. Como é que os outros olham o que fazemos? O que está escondido por trás do
visível? Questões que despoletam um interessante diálogo social, económico e artístico,
exploradas nas obras a descobrir na Fábrica de Cultura, em visitas guiadas pela
curadora ou ao seu ritmo.
Sara Franqueira | Curadora
Licenciada em Arquitectura e Mestre em Estudos de Teatro no âmbito do estudo da cenografia,
doutoranda na Faculdade de Letras e mediadora de arte contemporânea para várias entidades (ex: Centro
de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian e Museu de Arte Contemporânea Colecção Berardo).
Henrique Ralheta | Design equipamento
Licenciado e pós-graduado em Design (FA-UTL), desenvolve trabalho em Design Industrial, Cenografia,
Design de Exposições e de Comunicação. É actualmente director criativo na Brandia Central, bem como
docente nos cursos de Design de Ambientes e Teatro na ESAD.CR
+info www.henriqueralheta.com
Marco Balesteros | Design gráfico
Mestrado em Design e Tipografia pela Werkplaats Typografie (ArtEZ Institute of Arts). Designer gráfico e
editor, fundador do estúdio Letra e co-fundador da editora Random Press (com Michael Satter & Sandra
Doeller) - projecto editorial que coexiste entre Lisboa e Frankfurt.
+info www.letra.com.pt ou www.random-press.com
Catarina Dias | Artes Plásticas
Graduada pela Ar.Co e Mestrada pela Byam Shaw School of Art, University of the Arts, Londres (bolseira
FCG). Realizou diversas exposições individuais e colectivas. Colabora desde 2005 com os coreógrafos Sofia
Dias & Vítor Roriz e desde 2011 com a editora independente Fossil e teve exposição na Galeria Vera Cortês
em Fevereiro 2013
+info www.missdove.org/2013/02/catarina-dias-at-vera-cortes
Miguel Constantino | Som
Cursou em Estudos Electrónicos, detém um Mestrado em Engenharia de Som pela Universidade de Brest e
estudos na CCMIX. Colaborou com o Collectif Effervescence e fundou em 2005 o seu estúdio, onde gravou
os álbuns de bandas como Marvin, Papier Tigre, Talibam, Will Guthrie, Passe Montagne, etc. Sob o nome
de Audiopixel lança um álbum de sucesso internacional.
+info www.constantinorecording.tumblr.com
Rita Rio | Vídeo
Estudou Gestão das Artes e Filosofia. Trabalha como videasta para teatro, dança e sectores institucionais,
com especial
+info www.sardinhaemlata.com
Carlos Lobo | Fotografia
Estudou Ensino de Português e Inglês, Tecnologias da Comunicação Audiovisual, Fotografia (Gulbenkian) e
detém um Mestrado em Imagem e Comunicação. Vencedor do prémio BES Revelação (2005) e nomeado
para o prémio BES Photo 2011. Tem trabalhos representados em diversas colecções nacionais de renome.
Fundador das editoras Chromma e LEBOP.
+info www.carloslobo.net
Indústrias de acolhimento Malhas Achega, Afellini, Coelho & Irmãos, Rijoma - Indústria de Têxteis,
Ramiro Almeida & Filhos e Primma
EXPOSIÇÕES | FOTOGRAFIA
PROJECTO COM A COMUNIDADE
FOTOGRAFIA DE ARQUITECTURA:
OS EDIFÍCIOS DA INDÚSTRIA TÊXTIL
COORDENAÇÃO MANUEL RIBEIRO
Co-produção: Fundação Calouste Gulbenkian
Programa Gulbenkian Educação para a Cultura e Ciência
12 a 28 Setembro, quinta a sábado | a partir das 20h* | Fábrica de Cultura, Minde /
Ponto de Encontro
* em dias de espectáculo na Fábrica, a partir das 23h
Imagens produzidas no
âmbito de um
workshop que
reflectem a paisagem
das fábricas
desactivadas da região .
Imagem cedida por Minde-Online
Esta exposição resulta de um workshop realizado por Manuel Ribeiro, fotógrafo
especializado em arquitectura e património, no âmbito do projecto 6+6. A proposta é
partir à descoberta das fábricas desactivadas da outrora próspera indústria têxtil da
região, desenvolvendo uma abordagem aos princípios, técnicas e tendências na
fotografia de arquitectura a partir de uma exploração imagética e espacial, através de
case study e exercícios práticos, cujos resultados estarão expostos durante todo o
Festival. F
estas magistrais construções produtivas.
Manuel Ribeiro (Évora, 1963) é um fotógrafo profissional para publicações e multimédia desde 1983. Tem
desenvolvido trabalho com as mais importantes instituições portuguesas ligadas ao Património, como o
IGESPAR ou Instituto dos Museus e da Conservação. É um reconhecido especialista nas áreas da fotografia
do Património, Arquitectura e Levantamentos Fotográficos, com trabalhos em publicações especializadas,
catálogos e roteiros.
CONFERÊNCIA | FOCO: A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA:
OS VESTÍGIOS, A RECONSTRUÇÃO E AS REINTERPRETAÇÕES
MARIA JOSÉ FAZENDA & RUI VIEIRA NERY
18 Setembro, quarta | 18h30 | dur. 1h30 | Biblioteca Municipal Gustavo Pinto, Torres
Novas
O que torna esta
inovadora obra
coreográfica e musical
uma incontornável
referência?
A estreia de Le Sacre du Printemps em 1913 ficou célebre por uma reacção
extremamente hostil por parte do público. A historiadora de dança Maria José Fazenda
avalia o que faz da obra de Nijinsky uma das mais inovadoras - e reinterpretadas - do
património coreográfico do séc.XX. A revolucionária e influenciadora peça musical de
Stravinsky, com dissonâncias extremas a desafiarem os cânones do sistema tonal
tradicional que ainda hoje soam a novidade, é por sua vez escrutinada pelo musicólogo
Rui Vieira Nery.
Maria José Fazenda fez o Curso de Dança do Conservatório Nacional. Completou um doutoramento em
Antropologia pelo ISCTE e é investigadora do CRIA - Centro em Rede de Investigação em Antropologia. Foi
crítica de dança do jornal Público. É autora de antologias e publicações sobre dança, professora na Escola
Superior de Dança do IPL e na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da UNL.
Rui Vieira Nery licenciou-se em História (Universidade de Lisboa) e doutorou-se em Musicologia pela
Universidade do Texas em Austin. É actualmente Professor de Ciências Musicais na Universidade Nova de
Lisboa e Director do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas na Fundação Calouste
Gulbenkian.
LANÇAMENTO DE LIVRO | FOCO: RAIMUND HOGHE
SCHREIBEN MIT KÖRPERN
DE GERALD SIEGMUND, THOMAS BETZ E FRANZ ANTON CRAMER
EDITADO POR KATJA SCHNEIDER
APRESENTADO POR
RAIMUND HOGHE
23 Setembro, segunda | 17h | dur. 1h15 | Goethe-Institut, Lisboa
Uma colectânea de textos
e reflexões sobre a obra
ímpar do coreógrafo
Raimund Hoghe.
© Rosa Frank
Hoghe faz coreografia no sentido original da palavra: como escrita com movimento,
de um dos artistas mais importantes do nosso tempo, responsável pela definição do que
é a dança hoje. Em parceria com o Goethe-Institut Lissabon, lançamos em Portugal o
livro Schreiben mit Körpern
reflexões que abordam a obra e percurso dos 20 anos da carreira ímpar de Raimund
Hoghe.
Raimund Hoghe (Wuppertal, Alemanha) trabalhou como jornalista e escritor para o jornal Die Zeit. Entre
1980 e 1990, foi dramaturgo do Tanztheater Wuppertal, de Pina Bausch. Desenvolve desde 1989 as suas
próprias peças, apresentadas em vários países da Europa, América do Norte e do Sul, Ásia e Austrália. Em
sondagem da revista ballet-tanz. Foram escritos 8 livros sobre a sua obra.
+info www.raimundhoghe.com
CINEMA | CENAS DE DANÇA
CRAZY HORSE E CISNE NEGRO
Cine-Clube de Torres Novas
O FMD inicia uma parceria com o Cine-Clube de Torres Novas, dando a descobrir ao
público filmes icónicos que partilham o fascínio pelo movimento e pela dança. O
exuberante documentário Crazy Horse retrata o processo de montagem do espectáculo
Désir (Philippe Découflé) para o mítico cabaret parisiense que dá o nome ao filme. Cisne
Negro embrulha-nos nos meandros sinuosos de uma companhia de ballet novapapel tão gracioso quanto malicioso.
Dois filmes icónicos que
partilham o fascínio pelo
movimento
CINEMA | CENAS DE DANÇA
CRAZY HORSE
FREDERICK WISEMAN
Documentário | França / EUA, 2011
18 Setembro, quarta | 21h30 | dur. 1h15
Desde 1951, data da sua fundação por Alain Bernardin, que o Le Crazy Horse se assume
como presença incontornável da noite parisiense - um templo mundial de sensualidade
-, tão icónico quanto a Torre Eiffel ou o Louvre. Filmado ao longo de dez semanas, sob o
olhar imaculado de Frederick Wiseman, este documentário percorre os bastidores do
cabaret, revelando o perfeccionismo, exigência e elegância que se escondem por detrás
por Philippe Découflé para o lendário Le Crazy Horse, bem como questões paralelas
relacionadas com a planificação do espectáculo e a gestão da boate, o filme retrata um
deslumbramento artístico pelo corpo da mulher, visto como uma arte em que se
conjuga o desejo, a sedução e a paixão. Crazy Horse foi exibido em consagrados
festivais como o Venice Days (Festival de Cinema de Veneza), o Festival de Cinema de
Toronto, Festival de Cinema de San Sebastián ou o Doc Lisboa.
Realização, produção, edição e som Frederick Wiseman Produção executiva Pierre-Olivier Bardet
Direcção de fotografia John Davey
CISNE NEGRO
DARREN ARONOFSKY
Ficção/Drama | EUA, 2010
25 Setembro, quarta | 21h30 | dur. 1h40
Este denso thriller psicológico segue a história de Nina (Natalie Portman), uma bailarina
da New York City Ballet Company totalmente consumida pela dança. Quando o
director artístico Thomas Leroy decide substituir a primeira bailarina para a produção
da nova temporada, O Lago dos Cisnes, Nina é a eleita. No entanto, tem concorrência
feroz - a maliciosa bailarina Lily.
A representação exige uma ambivalência fundamental: a de assumir tanto o Cisne
Branco com inocência e graça, quanto o Cisne Negro, personificação de perfidez e
sensualidade. À medida que se expande uma rivalidade desmedida entre as duas
bailarinas, Nina atravessa uma viagem mental obscura de encontro ao papel para o
qual se torna assustadoramente perfeita.
Realização Darren AronofskyArgumento Mark Heyman, Andres Heinz e John J. McLaughlin Produção
executiva Jon Avnet Direcção de fotografia Matthew Libatique Banda sonora Clint Mansell Mistura de
som Nancy Allen Elenco Barbara Hershey, Mila Kunis, Natalie Portman, Vincent Cassel e Winona Ryder
DANÇA & TEATRO
PROJECTO COM A COMUNIDADE
SUSANA GASPAR & CLÁUDIA GAIOLAS (PT)
UM ARTISTA AO DOMICÍLIO
DESCUBRA A DANÇA E O TEATRO EM SUA CASA
13 a 15 Setembro + 20 a 22 Setembro, sexta a domingo & 27 e 28 Setembro, sábado e
domingo | vários horários | 1h (+ refeição + espectáculo) | Casas particulares da região*
*mediante inscrição para [email protected]
Histórias e
experiências
artísticas em
exclusivo
para si e para os
seus amigos no
conforto da
sua sala de estar
© Simão Botelho
No FMD13, os artistas invadem a casa das populações. Quem desejar, pode acolher um
artista e passar algumas horas a descobrir inusitados universos com os seus
convidados. A escolha está entre a dança (Susana Gaspar) ou o teatro (Cláudia Gaiolas),
partilhados através de histórias, experiências, imagens, excertos de vídeo e pequenos
solos interpretados na sua sala de estar! Receber um artista comporta um encontro
performativo, uma refeição em conjunto (oferecida pela família) e uma ida
acompanhada - e comentada - ao espectáculo do dia.
DANÇA | Susana Gaspar (1980) estudou na Escola Superior de Dança e fez os cursos de Coreografia e
Dança na Comunidade na Gulbenkian e no Fórum Dança. Como bailarina, trabalhou coreógrafas como Né
Barros, Madalena Victorino, Marina Nabais ou Filipa Francisco. É autora de diversas criações e projectos
de dança desde 2005. Desenvolve trabalho pedagógico no CCB e Casa Pia de Lisboa, entre outros. Integra A
menina dos meus olhos Associação Cultural.
TEATRO | Cláudia Gaiolas (1976) estudou na Escola Superior de Teatro e Cinema. É intérprete, criadora,
performer, e co-fundadora dos Teatro Praga. Trabalhou com diversas companhias e criadores, entre as
quais: Teatro da Garagem, Mundo Perfeito, Rui Horta, Martim Pedroso, Mala Voadora, Truta ou
WORKSHOPS
PROJECTOS COM A COMUNIDADE
1) PLAYBACK JONAS LOPES & LANDER PATRICK MÚSICA & DANÇA
2) FOTOGRAFIA DE ARQUITECTURA: OS EDIFÍCIOS DA
INDÚSTRIA TÊXTIL MANUEL RIBEIRO FOTOGRAFIA
3) CONSCIÊNCIA CORPORAL FRANCESCA BERTOZZI DANÇA
Workshops abertos
à comunidade que
resultam num
espectáculo e numa
exposição
© Joana Patita
PLAYBACK MÚSICA & DANÇA
JONAS LOPES & LANDER PATRICK
WORKSHOP
19 a 24 Setembro, quarta a terça* | 20h às 23h30** | Blackbox Bombeiros Voluntários,
Torres Novas | dur. 19h | Gratuito*
*Excepção: 21 Setembro, sábado**22 Setembro, domingo | 14h30 às 19h30
APRESENTAÇÃO (ver página 13)
27 Setembro, sexta | 23h | Praça 5 de Outubro | dur. 1h30 | Entrada livre
Público-alvo: todos os interessados M/14
Máx. 30 participantes
*mediante inscrição para: [email protected]
CONSCIÊNCIA CORPORAL DANÇA, YOGA, PILATES
FRANCESCA BERTOZZI
NSE
14, 21 e 28 Setembro, sábados + 15 e 22 Setembro, domingos | 10h às 12h | E.B. 2+3 de
Minde | dur: 2h | Gratuito
Para todos os interessados
*mediante inscrição para: [email protected]
FOTOGRAFIA DE ARQUITECTURA:
OS EDIFÍCIOS DA INDÚSTRIA TÊXTIL FOTOGRAFIA
MANUEL RIBEIRO
WORKSHOP
7 e 8 Setembro, sábado e domingo | 10h às 13h e das 15h às 18h | Museu de Aguarela
EXPOSIÇÃO (ver página 31)
12 a 28 Setembro, quinta a sábado | a partir das 20h* | Fábrica de Cultura, Minde /
Ponto de Encontro | Entrada livre
Público-alvo: fotógrafos amadores M/16 e professores
8 a 16 participantes
*mediante inscrição para: [email protected]
PONTO DE ENCONTRO & NOITES LONGAS
Fábrica de Cultura, Minde
O clássico PONTO DE ENCONTRO habita nesta edição a remodelada Fábrica de
Cultura - lugar de chegada depois de um espectáculo ou de um concerto, onde público e
artistas socializam. Espaço descontraído e artístico, onde pode ler à sombra de um
Carvalho, dançar ao som da nossa selecção musical e beber uma cerveja ou uma
caipirinha enquanto brinda em Minderico.
D.M.A (DISCO MY ASS), MAURO CRACHAT, ANDY PUNCH,
GUERREIRO E GALANTE DJS
13, 20 e 27 Setembro, sextas + 14 e 21 Setembro, sábados | 23h | Fábrica de Cultura /
Ponto de Encontro, Minde
28 Setembro, sábado | 00h30 | Teatro Virgínia, Torres Novas (festa de encerramento)
Noites longas dançantes
após os espectáculos
© Joana Patita
As emblemáticas Graphic Nights têm novo nome: NOITES LONGAS. O FMD13 volta a
por a malta a dançar com participação de 7 DJ nacionais que desenham caminhos
plurais para todos os pés e formatos entre a música popular portuguesa, electrónica,
lounge e disco. Reconfigurar ritmos à luz da tranquila noite outonal de Minde.
A dupla D.M.A. foi escolhida para animar as festas de abertura e encerramento do
Festival, a decorrer, respectivamente, no Ponto de Encontro em Minde e no Teatro
Virgínia em Torres Novas.
Os D. M. A. nasceram numa viagem de caravana pelo Sul da Península Ibérica no Verão de 2011, quando
e João Villas-Boas brincavam com a ideia de serem DJs ambulantes enquanto
faziam disc jokey com os CDs no rádio. Em cada noite que actuam, vestem de igual uma personagem
exclusiva, cujo figurino é por eles concebido. Despretensiosos, têm como lema tocar o que os entusiasma. O
que resulta: música soft e festiva à qual o corpo não pode ficar indiferente.
ENCONTROS
O FMD13 acolhe encontros de redes de produção, difusão, programação, incentivo à
criação jovem e formação de públicos em parceria com a Associação Latitudes
Contemporaines ou a ONDA, nos quais profissionais das artes performativas dão
seguimento a projectos internacionais em curso, debatem os espectáculos ou desenham
novas estratégias de abordagem a públicos diversos, a partir da análise do caso
concreto do Festival, uma referência no desenvolvimento cultural de novos territórios.
Fruto destes encontros, estarão presentes no Festival mais de 60 programadores,
potenciais apoios à circulação de projectos artísticos nacionais, bem como 8 jovens
franceses socialmente vulneráveis que irão fruiu de novas perspectivas artísticas e
culturais. Assume-se assim o FMD13 como uma plataforma do que de mais
entusiasmante se produz actualmente nas artes performativas em Portugal.
+ info www.latitudescontemporaines.com/en/open-latitudes/le-projet
www.onda.fr/en
FOCOS DA PROGRAMAÇÃO
A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA
Roger Bernat La Consagración de la Primavera DANÇA
Raimund Hoghe Sacre The Rite of Spring VÍDEO & DANÇA
David Wampach SACRE DANÇA
Mónica Calle A Sagração da Primavera TEATRO & DANÇA
Maria José Fazenda & Rui Vieira Nery A Sagração da Primavera: os vestígios, as
construções e as reinterpretações CONFERÊNCIA
RAIMUND HOGHE
Raimund Hoghe I Remember DANÇA
Raimund Hoghe Sacre The Rite of Spring VÍDEO & DANÇA
Raimund Hoghe Cantatas DANÇA
Raimund Hoghe Pas de Deux DANÇA
Raimund Hoghe Schreiben mit Körpern LANÇAMENTO DE LIVRO
JOVENS CRIADORES
Lander Patrick
DANÇA
Jonas Lopes & Lander Patrick Playback DANÇA & MÚSICA
Ana Rita Teodoro Orifice Paradis DANÇA
Ana Rita Teodoro Assombro DANÇA & MÚSICA
Teresa Silva o que fica do que passa DANÇA
Sofia Dias & Vítor Roriz Um gesto que não passa de uma ameaça DANÇA
Luís Guerra Nevoeiro DANÇA
Marco da Silva Ferreira Ré
Éplic
DANÇA
PROJECTOS COM A COMUNIDADE
Daniel Gorjão Que o dia te seja limpo TEATRO
Jonas Lopes & Lander Patrick Playback DANÇA & MÚSICA
Susana Gaspar e Cláudia Gaiolas Um artista ao domicílio descubra a dança e o teatro
em sua casa DANÇA & TEATRO
Tiago Pereira com Pedro Félix A Música de Minde e Alcanena a remisturar-se a ela
própria MÚSICA & VÍDEO
Rita Rio, Miguel Constantino, Marco Balesteros, Catarina Dias, Carlos Lobo, Henrique
Ralheta 6+6 Olhares sobre a Indústria Têxtil de Minde EXPOSIÇÃO
Manuel Ribeiro Fotografia de Arquitectura: os edifícios da indústria têxtil EXPOSIÇÃO
NÚMEROS & LISTAGEM ARTISTAS
PROGRAMAÇÃO FMD13
22 espectáculos e 14 projectos
8 estreias absolutas
8 estreias nacionais
6 projectos com a comunidade
44 artistas
3 semanas
Mais de 75 eventos
18 locais em Torres Novas, Minde, Alcanena, Epinheiro, Cartaxo e Lisboa
ARTISTAS
Ana Rita Teodoro (Portugal)
António Onio (Portugal)
Carlos Lobo (Portugal)
Catarina Dias (Portugal)
Cláudia Gaiolas (Portugal)
Daniel Gorjão (Portugal)
Darren Aronofsky (EUA)
David Wampach / Association Achles (França)
DJ Andy Punch (Portugal)
DJ D.M.A. (disco my ass) (Portugal)
DJ Guerreiro e Galante (Portugal)
DJ Mauro Crachat (Portugal)
Francesca Bertozzi (Itália)
Frankie Chavez (Portugal)
Frederick Wiseman (Alemanha)
Gerald Siegmund, Thomas Betz, Franz Anton Cramer e Katja Schneider
(Alemanha)
Henrique Ralheta (Portugal)
Jonas Lopes (Portugal)
Lander Patrick (Portugal)
les ballets C de la B / Miguel Moreira & Romeu Runa (França/Portugal)
Luís Guerra (Portugal)
Manuel Ribeiro (Portugal)
Marco Balestros (Portugal)
Marco da Silva Ferreira (Portugal)
Maria José Fazenda (Portugal)
Martim Pedroso & Nova Companhia (Portugal)
Miguel Constantino (Portugal)
Mónica Calle (Portugal)
Orelha Negra (Portugal)
Pedro Félix (Portugal)
Raimund Hoghe (Alemanha)
Rita Rio (Portugal)
Roger Bernat / FFF (Espanha)
Rui Vieira Nery (Portugal)
Sara Franqueira (Portugal)
Sofia Dias & Vítor Roriz (Portugal)
Susana Gaspar (Portugal)
Teresa Silva (Portugal)
Tiago Pereira (Portugal)
INFORMAÇÕES
BILHETEIRA
PALCO ESPECTÁCULOS
Minde, Alcanena e Torres Novas
| bilhete inteiro bilhete com desconto
Chavez
Entrada livre:
Assombro, Ana Rita Teodoro +
, Marco da Silva Ferreira + Playback, Jonas Lopes &
Lander Patrick
Lisboa
Culturgest
bilhete inteiro bilhete com desconto
*Para outros descontos, entre 30% e 50%, consultar website Culturgest
São Luiz Teatro Municipal
bilhete inteiro -
bilhete com desconto
Autocarro Performativo
Viagem gratuita, incluída no preço dos espectáculos Raimund Hoghe
FORA DE PALCO
Um artista ao domicílio
Inclui performance em casa + ida a espectáculo do dia
Cenas de Dança
Workshops
Restantes workshops são gratuitos
Entrada livre: Conferência, Lançamento de livro, Exposições, Noites Longas e Ponto de Encontro
PASSES
-de-semana (7 espectáculos): 12-15 Set ou 19-22 Set | quinta a domingo
Na compra de qualquer passe, 20% de desconto na estadia em hotéis parceiros
(ver O SEU FIM-DE-SEMANA CONNOSCO, website FMD)
ESPAÇOS FMD13
TEATROS, CENTROS CULTURAIS, BLACKBOXES, MUSEUS,
CINE-TEATROS, BIBLIOTECAS, ESCOLAS, INSTITUTOS
TORRES NOVAS
Teatro Virgínia
Largo José Lopes dos Santos
(+351) 249 839 309
[email protected]
Blackbox Bombeiros Voluntários
Avenida Bombeiros Voluntários
(+351) 249 839 550
Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes + Jardim das Rosas / Chaminé
(+351) 249 810 310
[email protected]
Castelo
Rua General António César de Vasconcelos Correia
(+351) 249 813 019
[email protected]
Museu Municipal Carlos Reis
Rua do Salvador, 10
(+351) 249 812 535
[email protected]
Cine-Clube de Torres Novas / Estúdio Alfa
Rua Artur Gonçalves, nº 20
(+351) 249 819 370
[email protected]
Praça 5 de Outubro
ALCANENA
Cine-Teatro São Pedro
Av. 25 de Abril
(+351) 249 889 115
[email protected]
Museu da Boneca
Rua Engº Eduardo Arantes de Oliveira, 49
(+351) 249 899 308
[email protected]
ESPINHEIRO
Museu Rural e Etnográfico do Espinheiro
Rua Álvaro Valente
(+351) 249 870 612
[email protected]
MINDE
Fábrica de Cultura
Antiga Fábrica Têxteis Emídio da Silva Raposo
Avenida São Sebastião
(+351) 913 633 452
[email protected]
Talho MD / Bilheteira
Rua Emídio Silva Raposo, nº 167
(+351) 913 633 452
[email protected]
Museu de Aguarela Roque Gameiro
Largo Justino Guedes, 2
(+351) 249 841 292
[email protected]
E.B. 2+3 de Minde
Rua António Roque Gameiro, nº 205
(+351) 249 840 952
[email protected]
CARTAXO
Centro Cultural do Cartaxo
Rua 5 de Outubro
(+351) 243 701 600
[email protected]
LISBOA
São Luiz Teatro Municipal
Rua António Maria Cardoso 38
(+351) 213 257 650
[email protected]
Culturgest
Rua Arco do Cego - Edifício Sede da CGD
(+351) 217 905 155
[email protected]
Goethe-Institut
Campo dos Mártires da Pátria, 37
(+351) 218 824 510
[email protected]
COMO CHEGAR
CARRO
Lisboa > Torres Novas/Alcanena/Minde
A1 sentido Porto > saída para a A3 Abrantes/Castelo Branco/Torres Novas
Após a portagem, seguir as placas para Alcanena e/ou Minde (N3)
Duração: 1h10
AUTOCARRO
Preferencial
A Rede Expressos oferece autocarros diários para cada uma das localidades
Duração: Lisboa-Torres Novas: 1h15 a 1h30 / Lisboa-Alcanena ou Minde: 1h50 a 2h /
Lisboa-Cartaxo: 55min
Consultar horários e preços em www.rede-expressos.pt | +351 707 22 33 44
COMBOIO
A CP dispõe de comboios diários com frequência regular que efectuam paragem na
estação de Entroncamento (23km de Minde, 20km de Alcanena, 8km de Torres Novas),
bem como em Santana Cartaxo (5km do Cartaxo).
Duração: 55min (Alfa Pendular) a 1h30 (Regional) - Entroncamento / 50min a 60min
(Regional) - Santana - Cartaxo
Consultar horários e preços em www.cp.pt | (+351) 808 208 208
TÁXI
Torres Novas: (+351) 249 822 612
Alcanena: (+351) 249 882 494
Minde: (+351) 918 766 861
O SEU FIM-DE-SEMANA CONNOSCO
Durma num núcleo medieval entre Torres e selas real de Cavaleiros, num Estaminé
inusitadamente cultural ou ao som dos grilos no turismo rural dos nossos parceiros de
alojamento**. Coma regalado os petiscos e sabores das tascas, tabernas e adegas que nos
oferecem gentes para quem a cozinha é ainda um carinho. Para desmoer, passeie entre
ruínas romanas, pitorescos centros históricos e descubra a particularidade cársica da
refresquese nas tentadoras piscinas naturais e municipais!
O FMD oferece sugestões aos que queiram juntar-se a nós por um fim-de-semana,
incluindo uma programação de excelência a preços especiais (ver BILHETEIRA PASSES)
e diversas actividades proporcionadas pela riqueza cultural, natural e gastronómica da
região.
**Na compra de um passe FMD, 20% de desconto no locais de alojamento parceiros do
Festival
+ info www.materiaisdiversos.com/index.php/ultimas-edicoes/fmd2013
SOBRE A MATERIAIS DIVERSOS
Com direcção artística do coreógrafo Tiago Guedes, a Materiais Diversos é uma
associação cultural sem fins lucrativos que tem como missão incentivar a investigação
e experimentação artísticas e sensibilizar o público em geral para as artes
performativas, com especial enfoque na dança. A sua actividade divide-se em 3 eixos:
artistas associados, programação regular nos municípios parceiros e o Festival
Materiais Diversos.
A MD integra a rede europeia Open Latitudes e a Rede de Estruturas de Dança
nacional. Estrutura financiada pelo Governo de Portugal/Secretário de Estado da
Cultura - DGArtes e pelos os Municípios de Torres Novas, Alcanena e Cartaxo,
domiciliada no espaço Alkantara.
EQUIPA
Direcção artística Tiago Guedes
Administração e Direcção de produção Ana Rita Osório
Coordenação local Filipa Achega
Produção executiva Mónica Talina e Patrícia Bento
Acolhimento programadores Carla Nobre Sousa
Bilheteira e contabilidade Joana Duarte
Comunicação Clara Antunes
Assessoria de imprensa Leonor Mateus Ferreira
Mediação de públicos Daniela Costa
Coordenação Ponto de Encontro Pedro Costa
Gestão de redes sociais Patrícia Bento
Website Sara Camões
Design gráfico Frederico Rocha | buummdesign.com
Tradução Carla Nobre Sousa
Coordenação técnica Carlos Ramos
Técnicos Alexandre Costa, Elio Antunes, Gonçalo Ribeiro, Guilherme
Barbosa, Pedro Machado e Ricardo Madeira
Fotografia Joana Patita
Condutor Felício Novais
Com a colaboração das equipas técnicas e de produção dos diversos espaços de
acolhimento do Festival
Agradecimentos
A todos os municípios associados, parceiros institucionais, de acolhimento e
programação, locais, comerciais, logísticos e de comunicação; aos patrocinadores; às
associações, aos museus e à indústria da região de Torres Novas e Alcanena; e muito
especialmente à população, aos artistas, aos voluntários e às equipas que são a alavanca
desta ambiciosa 5ª edição. O nosso sincero obrigado!
PARCEIROS
Organização
Materiais Diversos
Estrutura financiada por
Governo de Portugal / Secretário de Estado da Cultura DGArtes
Iniciativa financiada por
Município de Torres Novas
Vila de Alcanena
Município do Cartaxo
Alto patrocínio
Presidência da República
Apoio à apresentação
São Luiz Teatro Municipal / EGEAC
Fundação Calouste Gulbenkian / DESCOBRIR (co-produção)
Programa Cultura da União Europeia
Goethe-Institut
Institut Français
Alkantara (co-apresentação)
Départs (com apoio do Programa Cultura da União Europeia)
Parcerias estratégicas
Teatro Virgínia
Turrisespaços
Centro Cultural do Cartaxo
Culturgest
Parcerias internacionais
ONDA Office National de Diffusion Artistique
Latitudes Contemporaines
Parcerias
Museu Municipal Carlos Reis
Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes
Bombeiros Voluntários de Torres Novas
Cine-clube de Torres Novas
Teatro Meia Via Associação Cultural Torres Novas
Cine-Teatro São Pedro
Museu da Boneca
Junta de Freguesia de Minde
CAORG Centro de Artes e Ofícios Roque Gameiro
Museu da Aguarela Roque Gameiro
CIDLeS - Centro Interdisciplinar de Documentação Linguística e Social
Junta de Freguesia do Espinheiro
Museu Rural e Etnográfico do Espinheiro
Agrupamento de Escolas de Alcanena
Achega
Coelhos & Irmãos
RIJOMA Indústria de Têxteis
Ramiro Almeida & Filhos
primma
Apoios
O Espaço do Tempo
Teatro Sá da Bandeira / Município de Santarém
Casa do Povo de Minde
Comissão Fabriqueira de Minde
Sociedade Musical Mindense
Agostinho Feixeira
Apoios logísticos
Parreirais dos Mouquinhos
Casa dos Matos
Cooking and Nature Emotional Hotel
Hotel dos Cavaleiros
Hotel Torres Novas
Bombeiros Voluntários de Minde
Empor Spirits
Bulldog London dry gin
Vimeiro
Media partner
Antena 3
Rádio Hertz
CONTACTOS
ASSESSORIA DE IMPRENSA LEONOR MATEUS FERREIRA
tlm: (+351) 911 942 528 | [email protected]
INFORMAÇÕES
tlm: (+351) 913 633 452 | [email protected]
Bilheteira: [email protected]
Inscrições / Workshops: [email protected]
WWW.MATERIAISDIVERSOS.COM

Documentos relacionados