Carvão e Fertilizantes

Сomentários

Transcrição

Carvão e Fertilizantes
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Fernando Luiz Zancan
Associação Brasileira do Carvão Mineral - ABCM
Carvão e Fertilizantes
09/06/08
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Simbiose Industrial - ECOPLEX
Conceito: Cooperação industrial entre várias
empresas que negociam subprodutos ( VISION 21 )
Re-uso de subprodutos –
fertilizantes, vapor e cinzas.
Redução de consumo de
recursos.
Empresa A
Município
Redução do impacto ambiental.
Usina
Aumento da Eficiência
Energética
Melhor utilização dos recursos
energéticos.
Empresa B
Mina
Ex: Kalundborg – Red Hills
(Dinamarca) - (USA)
2
09/06/08
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Metropolitana
Carvão- ROM
Criciúma
Carvão-ROM
Produção de
rejeitos
Rejeitos
Existentes
USITESC - Projeto – 440 MW
ENERGIA
Água
Amônia
Termelétrica
USITESC
Produção de
Fertilizante
Sulfato de
Amonia
(Fertilizante)
Cinzas
Distribuição
Fertilizante
Uso Industrial
Calcário
Uso Agricultura
Recuperação ambiental
Disposição
3
09/06/08
USITESC - Dados Gerais
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Parceria: Carboníferas Criciúma S.A. e Metropolitana S.A.
Tecnologia: Leito Fluidizado + Desulfurização c/ amônia
Potência instalada: 440 MW – líquido = 387,7 MW
Investimento: 850 USD milhões
Eletricidade Garantida (GWh/ano): 3,16
Sulfato de Amonia (t/ano): 300 e 400 mil
Consumo de Carvão (t/ano): 2,4 milhões
Consumo de Calcário (t/ano): 148 mil ; Cinzas (t/ano): 1,6
milhões
Empregos: Diretos – 860 / Indiretos (FGV) – 5.000
Estágio atual: Escolha do investidor, Licença Prévia OK, Licença de
Instalação em execução
4
09/06/08
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Treviso - SC
USITESC – 440 MW
5
09/06/08
Produto – Fertilizante –
Sulfato de Amonia
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Sulfato de Amônia - Produção Doméstica e
Importação
1.000 toneladas
1200
1000
800
600
400
200
0
1994
1995
Importada
1996
1997
Doméstica
1998
Consumo
em 2007:
3 milhões
de t
Produção
nacional
cerca10 %
Produção USITESC = 300.000 a 400 mil t/ano
6
09/06/08
Associação Brasileira do Carvão Mineral
A gaseificação
A gaseificação se dá pela reação química dos agentes
gaseificantes gasosos (O2, ar, H2Ov, H2, CO2) com a
matéria carbonosa do carvão, resultando numa
mistura de gases constituída geralmente de H2, CO,
CO2, CH4 e N2, cuja com,posição e proporção
dependem do processo de gaseificação adotado e
das condições de operação utilizadas.
09/06/08
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Produtos da gaseificação
do carvão e seus usos
Gás combustível: utilização industrial para geração de calor,
energia elétrica, fertilizantes, etc.
 Baixo PC: 1000-1600 kcal/Nm3
 Médio PC: 2700-3600 kcal/Nm3
 Alto PC: 8000-9000 kcal/Nm3
Gás redutor de baixo ou médio PC utilizado na siderurgia
Gás de síntese, matéria-prima para síntese de amônia (cadeia
de fertilizantes – uréia) , de metanol, de Fischer-Tropsch (
diesel, nafta, parafinas), etc.
09/06/08
Gaseificação de Carvão
Associação Brasileira do Carvão Mineral
9
09/06/08
Associação Brasileira do Carvão Mineral
O que se pode fazer
com gaseificação do carvão ?
10
09/06/08
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Produtos Finais do Carvão
11
09/06/08
Fertilizantes - China
Associação Brasileira do Carvão Mineral
12
09/06/08
Projetos de Gaseificação - China
Associação Brasileira do Carvão Mineral
13
09/06/08
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Fertilizantes - USA
14
09/06/08
Associação Brasileira do Carvão Mineral
Conclusões
• Caso USITESC : Solução integrada = Energia
Elétrica e Fertilizantes
• A Produção local de um fertilizante como
Sulfato de Amônia viria, não somente
aumentar a disponibilidade local, como
reduziria o custo final para o produtor. –
Vantagem para o sul do Brasil – RS , SC e PR
• A rota de gaseificação de carvão : Vários
produtos, incluíndo a cadeia de fertilizantes
(Amônia – Uréia)
• Diminuição da dependência brasileira de
fertilizantes
09/06/08

Documentos relacionados