Relatório de actividades de 2010

Сomentários

Transcrição

Relatório de actividades de 2010
Actividade Científica no
Museu Nacional de História
Natural
- Relatório Anual 2010 -
Conselho Científico
Dezembro de 2010
Índice
Sumário Executivo .................................................................................................. 5
Introdução .................................................................................................................. 7
Actividade Científica no MNHN ........................................................................ 11
Investigadores ........................................................................................................ 11
Linhas de Investigação ....................................................................................... 11
Biomonitorização..............................................................................................................................11
Biodiversidade e Conservação in situ e ex situ da Flora .......................................................11
Educação Ambiental, Educação para a Sustentabilidade .....................................................11
Biodiversidade e Conservação de Ecossistemas Aquáticos, Estuarinos e Marinhos...11
Biologia Comportamental e Comunicação Animal..................................................................11
Biologia Evolutiva e Biossistemática em Organismos Aquáticos.......................................11
Antropologia Forense e Bioarqueologia ....................................................................................11
Processos e Padrões de Diversidade em Populações de Mamíferos Terrestres ............11
Paleontologia de Vertebrados do Jurássico .............................................................................11
Paleobiologia dos Vertebrados do Mesozóico de Portugal ..................................................11
Dinâmica Sedimentar Actual dos Domínios Litoral e de Plataforma de Portugal
(Continental e Insular) .....................................................................................................................11
Laboratório de Análises e Biomonitorização Ambiental (LABA) .........................................11
Laboratório de Antropologia .........................................................................................................11
Laboratório de Citogenética e Identificação de espécies ......................................................11
Laboratório de Criptogamia ...........................................................................................................11
Laboratório de Ecologia e Conservação ....................................................................................11
Laboratório de Ecologia Molecular ..............................................................................................11
Laboratório de Icnologia de Vertebrados...................................................................................11
Laboratório de Microvertebrados do Mesozóico Português.................................................11
Laboratório de Paleontologia de Vertebrados ..........................................................................11
Laboratório de Sedimentologia.....................................................................................................11
Projectos de Investigação ................................................................................. 11
Participação em Redes Internacionais e Comités Científicos ............ 11
Formação Avançada ............................................................................................. 11
Conselho Científico
3/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Orientação de Teses de Doutoramento ......................................................................................11
Orientação de Teses de Mestrado................................................................................................11
Orientação de Estágios Profissionalizantes e Outros ............................................................11
Organização de Cursos de Formação Avançada .....................................................................11
Participação em Cursos de Formação Avançada ....................................................................11
Participação em Júris de Teses....................................................................................................11
Revistas Científicas..........................................................................................................................11
Livros ou Capítulos de Livro .........................................................................................................11
Comunicações em Encontros Científicos .................................................... 11
Organização de Encontros Científicos ......................................................... 11
Revisão de Trabalhos Científicos ................................................................... 11
Consultoria .............................................................................................................. 11
Visitas Institucionais de Cientistas ............................................................... 11
Expedições Científicas ....................................................................................... 11
Colecções ................................................................................................................. 11
Banco de Sementes António Luís Belo Correia .......................................................................11
Herbário - LISU ..................................................................................................................................11
Colecções Geológicas.....................................................................................................................11
Colecções Zoológicas e Antropológicas....................................................................................11
Divulgação Científica .......................................................................................... 11
Programa Bioeventos 2010 ............................................................................................................11
Projectos de Divulgação Científica ..............................................................................................11
Obras de Divulgação........................................................................................................................11
Palestras de Divulgação .................................................................................................................11
Ciência Viva........................................................................................................................................11
Dias comemorativos ........................................................................................................................11
Colaboração com Escolas..............................................................................................................11
Exposições .........................................................................................................................................11
O Museu e a Comunicação Social................................................................................................11
Páginas Internet ................................................................................................................................11
Conselho Cientifico
4/116
2010
Sumário Executivo
A investigação no MNHN
A investigação no MNHN está estruturada em 11 linhas de trabalho, centradas
nas temáticas de biodiversidade e sistemática biológica, na geologia
sedimentar dos sistemas costeiros actuais, na paleontologia de vertebrados e
na Antropologia.
Em 2010, a actividade de investigação no MNHN foi desenvolvida por 30
doutores. Destes, apenas 16% pertencem ao quadro, sendo que 50% dos
investigadores doutorados são bolseiros financiados pela FCT ou outras
entidades. Os investigadores que exercem a sua actividade no MNHN estão
inseridos em centros de investigação da Universidade de Lisboa, da
Universidade de Coimbra, do Instituto Superior de Psicologia Aplicada-Instituto
Universitário e do Instituto Universitário de Lisboa.
Durante o ano de 2010, estiveram em curso 44 projectos de investigação
científica, dos quais 23 coordenados por investigadores do museu. Estes
permitiram a aquisição de equipamento, contratação de recursos humanos, e
financiamento de missões, despesas correntes e serviços. A principal
instituição financiadora foi a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).
O MNHN tem laços de cooperação com 46 instituições nacionais e 51
internacionais, vocacionadas para a investigação e ensino superior. O MNHN
participa, ainda, em 11 redes internacionais de investigação e em 21 comités
científicos.
Os investigadores do MNHN colaboraram na leccionação de cursos de
mestrado, bem como na formação de 55 estudantes, sendo 21 alunos de
doutoramento, 26 de mestrado e 8 de estágios profissionalizantes.
Os investigadores do MNHN e respectivas equipas publicaram, em 2010, um
total de 108 trabalhos com arbitragem científica, incluindo 72 artigos em
revistas científicas, 17 artigos em actas de encontros científicos e 19 capítulos
de livros. Em média, foram publicados, por doutor, 2.3 artigos em revistas
indexadas.
Em 2010, os investigadores do MNHN e colaboradores, apresentaram um total
69 comunicações científicas, das quais 46 foram efectuadas em encontros
internacionais.
Em 2010 foram efectuadas 42 expedições científicas no âmbito de projectos
de investigação, que contribuíram para o enriquecimento das colecções do
MNHN através da incorporação do material biológico e geológico proveniente
dessas missões.
Conselho Científico
5/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Colecções
No MNHN, as colecções estão intimamente ligadas ao desenvolvimento da
actividade de investigação, sendo que a gestão da maior parte das colecções é
assegurada por investigadores.
Tendo como base de trabalho o Sistema de Informação para a gestão do Herbário
LISU, composto pela aplicação BROTERO, desenvolvida no MNHN, em 2010,
foram integrados cerca de 3300 espécimes de criptogâmicas (1700 líquenes, 1100
briófitos, 500 fungos) e procedeu-se à digitalização e colocação em base de
dados de cerca de 1000 espécimes tipo da colecção angolana de F. Welwitsch.
No que diz respeito ao Banco de Germoplasma, foram adicionadas 75 novas
amostras de sementes de 24 espécies da Flora Portuguesa e procedeu-se à
colheita de material vegetal e extracção de ADN a integrar o banco de ADN
que tem, até à data, 564 amostras de espécies da Flora.
Em 2010, as colecções de Zoologia e Antropologia foram ampliadas através de
permutas, doações e campanhas financiadas por projectos de investigação em
curso. Receberam-se ainda exemplares no âmbito da iniciativa Códigos de barras
para a vida aquática – Portugal – [email protected]
Nas colecções de Mineralogia, Geologia e Paleontologia deu entrada um espólio
paleontológico considerável, produto da escavação realizada em Andrés, Pombal
no âmbito do projecto VertJura. Foram adquiridos vários exemplares de minerais e
fósseis no âmbito da XXIV Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis.
Divulgação científica
Investigadores do MNHN coordenaram 7 projectos de divulgação científica e
publicaram 13 trabalhos de divulgação.
Os investigadores do MNHN participaram activamente em várias acções de
divulgação. Destaca-se o programa de comemoração do Ano Internacional da
Biodiversidade – Bioeventos 2010, que incluiu numerosas iniciativas de grande
destaque mediático. Neste âmbito foram produzidas duas novas exposições
científicas – “Insectos em Ordem” e “Linces, Lobos e Águias Reais”.
Os investigadores participaram ainda em acções promovidas pela Gulbenkian e
Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica – Ciência Viva, palestras,
exposições e diversos programas de comunicação social.
Finalmente, o CC promoveu a elaboração do documento “Comments to the
document “Future Targets and Structure of the Museu Nacional de História
Natural da Universidade de Lisboa and the Museu de Ciência da Universidade
de Lisboa (both known as Museus da Politécnica)”: A contribution for the
reflection about the future of the Museu Nacional de História Natural (MNHN).”
Este contributo resultou da cooperação entre investigadores e diversos
colaboradores do MNHN.
Conselho Cientifico
6/116
2010
Introdução
Este relatório insere-se no âmbito da actividade científica desenvolvida no
Museu Nacional de História Natural (MNHN) referindo-se apenas à
investigação, formação, conservação de colecções e divulgação científica
levadas a cabo pelos seus investigadores.
Não se pretende por isso, substituir o relatório
anual da instituição referente a toda a actividade
que se desenvolve no museu por um leque de
recursos humanos mais vasto que actua
especificamente no cômputo da missão do MNHN.
A elaboração de um relatório abrangente não
incide, portanto, nas competências do Conselho
Científico (CC) do MNHN.
O plano de actividade científica para 2010 previa
integrar críticas e sugestões do painel
internacional de avaliadores que visitou o MNHN
em Julho de 2009. No entanto, o documento
“Future targets and structure of the Museu Nacional de História Natural and the
Museu de Ciência da Universidade de Lisboa”, elaborado pelo painel de
avaliadores foi divulgado apenas no final do 1º semestre de 2010. Assim, o
plano de actividade científica proposto para 2010 não reflectiu a referida
avaliação.
No âmbito do ano internacional da biodiversidade o plano para a actividade de
investigação para o ano de 2010 conferiu maior relevo a temáticas
relacionadas com a diversidade biológica, geológica e paleontológica, e teve os
seguintes objectivos:
1. Reforçar o potencial científico do MNHN
2. Reforçar a integração de Doutores nas equipas de investigação do MNHN
3. Reforçar o envolvimento em acções de formação avançada
4. Difundir os resultados obtidos para a comunidade científica
5. Divulgar para o público a investigação científica realizada no MHNH
6. Avaliar a investigação em curso
Reforçar o potencial científico do MNHN
Foram realizadas todas as actividades previstas. Especificamente:
Conselho Científico
7/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
a) Certificaram-se as actuais linhas de investigação por se enquadrarem na
missão do MNHN.
b) Procedeu-se à racionalização e optimização dos laboratórios do MNHN,
consubstanciada pela partilha de laboratórios entre investigadores de
diferentes departamentos do MNHN.
c) Iniciaram-se 8 novos projectos de investigação.
d) Foram desenvolvidos esforços para a submissão de novas candidaturas
a projectos de I&D, nacionais ou internacionais, bem como a instituições
privadas.
e) Foram fortalecidas parcerias com instituições I&D similares e entre
investigadores do MNHN.
f) Foram estabelecidas as bases para a constituição de um consórcio de
colecções de história natural envolvendo as Universidade de Coimbra,
Lisboa e Porto, o Instituto de Investigação Científica Tropical e o Museu
do Funchal.
Reforçar a integração de Doutores nas equipas de investigação do MNHN
a) Promoveu-se a cooperação institucional através do acolhimento de
investigadores de outras instituições.
b) Promoveram-se candidaturas de doutores a bolsas de pós-doutoramento
financiadas pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.
c) Em relação ao ano passado, houve um acréscimo de massa crítica de
15% (27 investigadores em 2009 para 31 em 2010) e de
aproximadamente 41% novos investigadores nos últimos 3 anos.
Considerando que apenas 16% dos investigadores do MNHN são do
quadro, sublinhamos a importância de integrar novos investigadores em
postos de trabalho do MNHN para que continue a ser possível manter o
nível de produção científica actual.
Reforçar o envolvimento em acções de formação avançada
a) Os investigadores atraíram para as suas
equipas de investigação 29 alunos de
mestrado e 21 de doutoramento.
b) Os investigadores organizaram acções de
formação e participaram em cursos de
formação avançada ministrados por institutos
e universidades portuguesas.
c) Foi ministrado, no MNHN, o módulo intitulado
“Biodiversidade e Colecções de História
Conselho Cientifico
8/116
2010
Natural” desenvolvido no âmbito do Programa Doutoral em
“Biodiversidade, Genética e Evolução” do CBA e CIBIO-Centro de
Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos.
Difundir os resultados obtidos na comunidade científica
a) Em 2010, foram publicados 108 trabalhos científicos sujeitos a
arbitragem científica, incluindo 68 artigos em revistas científicas
indexadas.
b) Em média, foram publicados por doutor em 2010, 2.3 artigos em revistas
científicas indexadas. Considerando os últimos três anos, o MNHN
apresenta uma produtividade média de 2.2 artigos indexados por
doutor/ano.
c) Os investigadores do MNHN participaram em encontros científicos
nacionais e internacionais.
Divulgar a investigação científica realizada no MNHN para o público
a) A informação “on-line” sobre a actividade de investigação desenvolvida
no museu através página da Internet do MNHN (em www.mnhn.ul.pt) foi
actualizada.
b) Estão disponíveis “on-line”
páginas sobre a actividade de
investigação e projectos de
investigação
de
alguns
investigadores.
c) Promoveram-se os seminários
“Almoços
com
História
Natural”, organizados pelo CC
e que contribuem para a
divulgação
do
trabalho
desenvolvido por cada investigador do MNHN, aos funcionários do
MNHN, MC, estudantes e ao público em geral.
d) Os investigadores do MNHN proferiram palestras de divulgação noutras
instituições e colaboraram com a comunicação social e escolas do
ensino básico e secundário
e) Os investigadores do MNHN apoiaram, cientificamente, exposições
divulgando para o público em geral o produto das suas descobertas
científicas.
Conselho Científico
9/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Avaliar a investigação em curso
a) O relatório de actividade científica de 2009 e o plano para 2010,
elaborados pelo CC, foram divulgados através da página da internet do
MNHN (“link” do Conselho Científico) e foram distribuídos às
entidades/personalidades competentes, incluindo o Sr. Reitor da
Universidade de Lisboa e o Sr. Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino
Superior.
b) Nos últimos 3 anos, o CC tornou-se num órgão estruturante do MNHN,
que tem funcionado eficazmente e tem tido uma actuação consensual e
convergente no âmbito da missão do MNHN.
c) O CC não só tem dado coesão à actividade de investigação, como tem
promovido, entre outras acções, a participação de todos os funcionários
do museu na discussão de propostas de reorganização dos museus do
Complexo Museológico da Politécnica, o desenvolvimento de políticas
articuladas de gestão de colecções, e
avaliação do rigor científico dos
conteúdos das acções de divulgação
científica e cultural desenvolvidas no
MNHN.
d) Reforçamos a importância para que
se tome uma decisão sobre o futuro
do MNHN que lhe confira meios para
que se afirme a nível nacional e
internacional. Só com a definição de
um programa orientador global, que garanta novas abordagens de I&D,
será possível efectuar uma avaliação externa que reforce a posição do
MNHN no panorama científico internacional.
Conselho Cientifico
10/116
2010
Actividade Científica no MNHN
A actividade científica levada a cabo no Museu Nacional de História Natural
(MNHN) suporta e é um garante de todas as acções desenvolvidas no âmbito
das outras missões, na medida em que valoriza as colecções e fundamenta a
informação divulgada através de exposições e da acção educativa. É através
da investigação no MNHN que se fazem novas descobertas e que se fomenta a
cultura científica, a promoção do indivíduo e o desenvolvimento sustentado da
sociedade.
O MNHN tem papel de destaque como repositório nacional de amostras
científicas de História Natural, que são testemunhos inestimáveis da geo e
biodiversidade a nível mundial, e a actividade científica contribui sobejamente
para o enriquecimento e diversidade das colecções do museu. Por outro lado,
ao incidir sobre o estudo sistemático destas colecções, a investigação no
MNHN promove a preservação e divulgação do património biológico, geológico
e paleontológico e é essencial para o sucesso das estratégias de conservação
desenvolvidas pelo museu para proteger e preservar o património natural do
país.
O MNHN tem estreitos laços de cooperação com outras instituições, nacionais
e internacionais, vocacionadas para a
investigação e ensino superior, reforçando
assim a qualidade da sua actividade de
investigação. Esta cooperação aumenta a
participação do MNHN na formação
avançada de recursos humanos e em
iniciativas de I&D integradas numa
perspectiva global, que potenciam o seu
papel numa sociedade de informação
como a actual.
O MNHN estimula a internacionalização e divulgação da sua actividade de
investigação para a comunidade científica através da publicação de trabalhos
em revistas, na maioria, indexadas e sua divulgação em encontros científicos.
Conselho Científico
11/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Investigadores
A investigação no MNHN é levada a cabo por investigadores que desenvolvem
a sua actividade com objectivos científicos e educativos, no âmbito da missão
do museu e se reúnem para discutir ideias e acções em plenário do Conselho
Científico.
Investigadores
Habilitações Literárias
Posição MNHN
Adelaide Clemente
Alexandra Marçal Correia
Ana Isabel Correia
Bruno Pinto
Cecília Sérgio
César Garcia
Cristiane Bastos-Silveira
Cristina Luís
Cristina Tauleigne Gomes
Fernando Barriga
Gisela Oliveira
Graça Ramalhinho
Helena Cotrim
Hugo Cardoso
Ireneia Melo
Joana Magos Brehm
João Pedro Cascalho
José Pedro Granadeiro
Manuela Sim-Sim
Maria Amélia Martins-Loução
Maria Judite Alves
Maria Peixe Dias
Natacha Mesquita
Palmira Carvalho
Patrícia Garcia Pereira
Paulo Catry
Paulo Marques
Raul Ramos
Teresa Catry
Vanda Faria Santos
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Habilitação a Coordenador
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Agregação
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Agregação
Agregação
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Doutoramento
Pos Doc MNHN
Inv Aux MNHN
Prof. Aux FCUL3
Pos Doc MNHN
Inv Princ FCUL1,3
Pos Doc MNHN
Pos Doc MNHN
Inv Aux UL2
Pos Doc MNHN
Prof. Cat. FCUL1
Pos Doc MNHN
Colaboradora MNHN
Inv Aux UL2
Inv Aux UL2
Inv Princ MNHN
Pos Doc MNHN
Inv Aux MNHN
Téc Sup MNHN
Prof. Aux FCUL3
Prof. Cat. FCUL3
Inv Aux MNHN
Pos Doc ISPA3
Pos Doc MNHN
Téc Sup MNHN
Inv Aux UL2
Inv Aux ISPA2
Pos Doc ISPA3
Pos Doc MNHN
Pos Doc MNHN
Inv Aux MNHN
1-Director/a; 2-Investigadores contratados a termo no âmbito do Programa Ciência 2007/2008, financiado
pela FCT; 3-Investigadores contratualmente ligados a outras instituições, mas que desenvolvem a sua
actividade no MNHN; A negrito salientam-se os investigadores do quadro do MNHN.
Conselho Cientifico
12/116
2010
Actualmente, os investigadores com assento no CC abrangem doutores do
quadro (7, dos quais 2 estão ainda na carreira técnica superior), destacados da
FCUL (5), destacados do ISPA (3), Investigadores Ciência 2007/2008 (4),
bolseiros de pós-doutoramento (10) e um colaborador.
Os investigadores que exercem a sua actividade no MNHN, estão inseridos em
centros de investigação da Universidade de Lisboa, tais como o Centro de
Biologia Ambiental (CBA), Centro de Geologia (CGUL), Centro de Recursos
Minerais, Mineralogia e Cristalografia (CREMINER), Instituto de Medicina
Molecular (IMM), e de outras universidades, nomeadamente, no Centro de
Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) e Centro de Geofísica da
Universidade de Coimbra (CGUC), Centro de Investigação e Estudos de
Sociologia (CIES) do Instituto Universitário de Lisboa, e Unidade de
Investigação em Eco-Etologia (UIEE) do Instituto Superior de Psicologia
Aplicada.
Os investigadores do MNHN procuram
materializar ideias através da recolha,
interpretação e divulgação sistemática de
dados sobre a diversidade Natural de
forma a participar na promoção da
literacia e na valorização científica da
sociedade.
Os investigadores do MNHN têm como
princípio a difusão alargada e intercâmbio
de conhecimentos, a nível nacional e
internacional, constituindo elementos indispensáveis no domínio da fruição e
criação cultural e científica do Museu.
Conselho Científico
13/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Linhas de Investigação
A investigação no MNHN está estruturada em 11 linhas de trabalho, centradas
nas temáticas de biodiversidade e sistemática biológica, na geologia
sedimentar dos sistemas costeiros actuais e na paleontologia de vertebrados,
em consonância com a sua missão e objectivos, tirando partido dos
laboratórios instalados:
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Biomonitorização
Biodiversidade e Conservação in situ e ex situ da flora
Educação Ambiental, Educação para a Sustentabilidade
Biodiversidade e Conservação de Ecossistemas Aquáticos, Estuarinos e
Marinhos
Biologia Comportamental e Comunicação Animal
Biologia Evolutiva e Biossistemática em Organismos Aquáticos
Métodos e Técnicas em Antropologia Forense e Bioarqueologia
Processos e Padrões de Diversidade em Populações de Mamíferos
Terrestres
Paleontologia de Vertebrados do Jurássico
Paleobiologia de Vertebrados do Mesozóico de Portugal.
Dinâmica Sedimentar Actual dos Domínios Litoral e de Plataforma de
Portugal (Continental e Insular)
São abordados, nestas áreas, os diferentes níveis de integração biológica,
incluindo os aspectos de diversidade
genética,
populacional
e
das
comunidades e ecossistemas. Estes
temas estão relacionados e orientados
para a caracterização e conservação da
biodiversidade aos níveis nacional e
global. No que concerne à geologia, as
linhas de investigação abrangem quer o
estudo das formações sedimentares
actuais
da
margem
continental
portuguesa,
quer
estudos
paleontológicos de vários grupos de
vertebrados. O estudo e conservação do património geológico e paleontológico
são outros aspectos decorrentes da investigação no MNHN.
Os trabalhos de investigação baseiam-se quer nos exemplares existentes nas
colecções biológicas e geológicas, quer em material e informação recolhidos
Conselho Cientifico
14/116
2010
através de trabalho de campo, que tem vindo a enriquecer progressivamente
as colecções, quer em jazidas preservadas in situ.
Os membros do MNHN têm vindo a contribuir para a musealização de sítios,
em todo o território nacional, alguns dos quais considerados monumentos
naturais. Contribuíram ainda para a selecção de áreas de grande diversidade
de “hotspots”, para a elaboração da lista de espécies da flora portuguesa e na
preparação de Listas Vermelhas.
Biomonitorização
Esta linha de investigação, financiada por projectos nacionais e internacionais,
contribui com estudos de avaliação da contaminação de poluentes
atmosféricos, aquáticos e edáficos. A utilização de líquenes e briófitos nas
monitorizações ambientais conta já com quase quatro décadas de
investigação, tendo demonstrado grande capacidade na avaliação de fontes
locais de contaminação (tráfego rodoviário, indústrias e outras actividades
antropogénicas), ou de contaminação de fundo, determinada por redes de
monitorização de larga escala.
Um grupo de estudos de biomonitorização incide
sobre a avaliação da biodiversidade de líquenes e
briófitos, e os efeitos da contaminação atmosférica
nas comunidades destes organismos. Outro grupo
tem incidido na contaminação por metais, em
particular metais pesados, elementos salinos, em
particular os iões Na+ e Cl-, e outros poluentes
atmosféricos como o SO2.
São desenvolvidas campanhas de amostragem de
biomonitores seleccionados para a quantificação
dos contaminantes acumulados por aqueles
organismos. São também desenvolvidos ensaios de
laboratório para verificação dos efeitos fisiológicos
causados pelos contaminantes, e das propriedades
de acumulação dos organismos.
A utilização de líquenes como bioindicadores e biomonitores de azoto
atmosférico tem igualmente merecido elevada atenção particularmente ligada à
necessidade premente de usar uma metodologia simples e credível para
mapear a quantidade de azoto reactivo no ecossistema. Este é um trabalho
que tem sido largamente desenvolvido em colaboração com diferentes equipas
do CBA e no âmbito de projectos europeus ligados à European Science
Foundation e às Acções COST. No âmbito desta investigação foi submetida
uma candidatura ao ERASMUS MUNDUS, EMJD, através de um consórcio
Conselho Científico
15/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
liderado pela Universidade de Lisboa, incluindo como parceiros a Holanda,
Reino Unido, Brasil e China.
As orientações estratégicas para esta área visam desenvolver o potencial de
interligação da monitorização ambiental com a biomonitorização humana, para
a determinação de índices de risco para a saúde.
Um novo estudo está a ser desenvolvido numa campanha de biomonitorização
da qualidade do ar (líquenes e briófitos) para obter um novo referencial no
padrão de áreas isopoluídas. Será adoptada a mesma metodologia que a
utilizada nos primeiros estudos elaborados na década de 80, na região de
Lisboa e Vale do Tejo, de modo a permitir explorar as tendências espaciais e
temporais.
Equipa
• Cecília Sérgio
• César Garcia
• Manuela Sim-Sim
• Maria Amélia Martins-Loução
• Palmira Carvalho
• Erika Almeida (Bolseira de investigação)
• Paula Matos (Bolseira)
• Tereza Almeida (Bolseira de investigação)
• Vera Novais (Bolseira de investigação)
• Lurdes Aires (Técnica de Laboratório)
Laboratórios de apoio
• Herbário
• Laboratório de Análises e Biomonitorização Ambiental (LABA)
Parceiros nacionais
• Departamento de Biologia Vegetal, CBA, FCUL
• Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
• Instituto Superior Técnico, CERENA
• Universidade de Aveiro
• Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
• Universidade do Minho
Parceiros internacionais
• COST 729
• NINE
• NitroEurope
• UNECE ICP – Vegetation
Conselho Cientifico
16/116
2010
Biodiversidade e Conservação in situ e ex situ da Flora
Esta é uma linha multidisciplinar que engloba estudos em sistemática e
filogeografia, ecologia das comunidades vegetais, modelação e conservação in
situ e ex situ.
Nesta linha, a actividade científica debruça-se sobre a biodiversidade vegetal
dos ecossistemas mediterrâneos, atlânticos e tropicais de Portugal e Ilhas
Atlânticas, tendo presente os aspectos da
conservação vs exploração numa perspectiva
de sustentabilidade. Tem particular incidência
o estudo da ecologia, dinâmica populacional e
sistemática molecular de espécies raras e/ou
ameaçadas que necessitam de constante
monitorização temporal e espacial e avaliação
da variabilidade genética. Estas diferentes e
multidisciplinares abordagens são usadas na
modelação da distribuição das espécies e/ou
comunidades, e da caracterização do seu grau
de ameaça perante mudanças globais, sendo posteriormente usadas para o
desenvolvimento de medidas de conservação tanto in situ como ex situ. Integra
investigadores de diferentes especialidades.
A flora de Portugal incluindo as Ilhas Atlânticas (Madeira e Açores), é
extremamente
rica
e
diversificada,
representando uma unidade relevante no
contexto Europeu. De facto, a posição
geográfica do país, aliada aos diferentes
processos evolutivos que condicionaram a
composição da sua flora ao longo de
diferentes épocas geológicas, reforçam a
importância do seu conhecimento num
enquadramento Europeu e Mundial. A par
desta riqueza, a nossa flora tem ainda
importantes endemismos, muitos dos quais
raros e/ou ameaçados. A biologia e evolução dessas espécies é um tema
prioritário, abordado de forma multidisciplinar que nos poderá permitir
desenvolver estratégias de conservação adequadas. Algumas das actividades
integram a selecção de “hotspots” baseados na modelação geoestatística e na
preparação de Listas Vermelhas.
As estratégias de conservação deverão ser priorizadas e para tal têm vindo a
ser testados métodos de priorização de espécies, baseados em análises
multivariadas e geoestatística e confirmadas por análises de diversidade
genética.
Conselho Científico
17/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
A aposta na conservação ex situ, nomeadamente através do desenvolvimento
e optimização de um banco de sementes activo dedicado a plantas autóctones,
não cultivares, tem sido uma prioridade. O Banco de Sementes do Jardim
Botânico é o único banco de sementes nacional parceiro da Rede Europeia de
Bancos de Sementes (ENSCONET), cujo principal objectivo é o
desenvolvimento de técnicas de conservação ex situ comuns na Europa,
contribuindo assim para alcançar os objectivos da Estratégia Global para a
Conservação das Plantas. Está em construção uma espermateca que ficará ao
serviço da botânica forense, da medicina, da arqueologia, entre outros. Foi
recentemente criada uma colecção de ADN cujo objectivo é a conservação de
ADN da Flora ameaçada portuguesa e de outras espécies vegetais.
A par dos Bancos de Sementes, os Jardins Botânicos são locais de grande
riqueza de conservação com papel
destacado a nível nacional e
internacional. É neste sentido que o
Jardim
Botânico
do
MNHN,
consciente
desta
sua
responsabilidade, estabeleceu um
protocolo com a Câmara Municipal
de Odivelas para ali instalar um novo
jardim onde seja conservadas e
divulgadas a flora da região
olissiponense. Este foi um projecto
que arrancou este ano, tem duração de 5 anos e espera-se ter pleno
desenvolvimento em 2011.
Os mais importantes centros de investigação em Portugal, em que se estuda a
biodiversidade e taxonomia dos macrofungos, líquenes e briófitos, estão
integrados no Herbário do Museu Nacional de História Natural - Jardim
Botânico da Universidade de Lisboa
(Herbário LISU). É de salientar a
preparação da publicação Novas Floras
Ibéricas (Fungos, Líquenes e Briófitos) em
que o material de herbário é o suporte
mais efectivo. Por outro lado, a
elaboração deste tipo de publicações
devem integrar tanto quanto possível
estudos
de
revisão
actualizados
especialmente de grupos críticos com
apoio de diferentes metodologias de ponta
(análises moleculares, fitoquímicas, entre outras). É de salientar que a
fiabilidade de muitos projectos europeus sobre biodiversidade passa
necessariamente pelo recurso das colecções armazenadas em LISU. Pode-se
ainda referir a preparação de Listas e Livros Vermelhos, tanto de criptogâmicas
Conselho Cientifico
18/116
2010
(fungos, briófitos) como de fanerogâmicas (plantas vasculares), ferramentas
fundamentais para a conservação da biodiversidade.
No âmbito da conservação in situ têm-se desenvolvido protocolos de
cooperação com diversas entidades privadas, com a finalidade de se colaborar
em Estudos de Impacte Ambiental (EIA). É o caso do Aproveitamento
Hidroeléctrico de Foz Tua e da Barragem do Fridão (Flora Briofítica e
Liquénica)
A utilização da Informática, estatística e geoestatística nos estudos de
Biodiversidade desenvolveram-se desde a inclusão dos registos de herbário
em sistemas de informação suportados por bases de dados e aplicações de
gestão de grande capacidade. São desenvolvidos modelos de distribuição
potencial de espécies, com base na distribuição conhecida e no nicho
ecológico. Estes trabalhos permitem a identificação de novas áreas de
distribuição potencial das espécies, assim como a modelação dos efeitos das
alterações climáticas na distribuição das espécies.
Equipa
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Adelaide Clemente
Ana Isabel Correia
Cecília Sérgio
César Garcia
Cristina Tauleigne Gomes
Helena Cotrim
Ireneia Melo
Joana Magos Brehm
Manuela Sim-Sim
Maria Amélia Martins-Loução
Palmira Carvalho
Leena Luís (Ph D, colaboradora)
Helena Serrano (Estudante de doutoramento, Univ. Lisboa)
Manuel João Pinto (Estudante de doutoramento, Univ. Lisboa)
Soraia Martins (Estudante de doutoramento, Univ de Lisboa)
David Claro (Mestre, colaborador)
Ricardo Ramirez (Bolseiro de Integração na Investigação, CBA, FCUL)
Sarah Stow (Bolseira de investigação)
José Cardoso (Técnico)
Iracema Lucas (Técnico)
Domitila Brocas (Técnica auxiliar)
Laboratórios de apoio
Herbário LISU
• Banco de Sementes António Luís Belo Correia
Conselho Científico
19/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
• Herbário de Vasculares
• Herbário e Laboratório de Criptogamia
• Laboratório de Ecologia Molecular
Parceiros Nacionais
• CERENA – Centro de Recursos Naturais e Ambiente, IST
• CIBIO/Departamento de Botânica, FCUP, Universidade do Porto
• CEM - Centro de Estudos da Macaronésia, Universidade da Madeira,
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Funchal
Departamento de Biologia Vegetal, FCUL
Departamento de Biologia, Univ. Açores
Departamento de Geologia, Univ. Aveiro
ICNB
IICT, Jardim Tropical
ISA, CEABN, Tapada da Ajuda, Lisboa
ISA, Dep. Engenharia Florestal, Tapada da Ajuda
Jardim Botânico da Madeira, Funchal
Jardim Botânico da Univ. Coimbra
Parque Natural da Madeira, Funchal
Parceiros Internacionais
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
AIMJB – Associação Iberomacaronésica de Jardins Botânicos
BGCI – Botanical Garden Conservation International
Departamento de Biologia, Universidade de Múrcia
Departamento de Biología (Botánica), Universidad Autónoma de Madrid
Departamento de Biología e Ciencias do Solo, Universidad de Vigo
Departamento de Biología Vegetal, Facultad de Farmacia, Universidad
de La Laguna
Departamento de Biología Vegetal y Ecología, Facultad de Ciencias,
Universidad del País Basco
Departamento de Botánica, Facultad de Ciencias, Universidad
Autónoma de Barcelona
Direcção de Conservação da Natureza, Saneamento e Qualidade do
Ambiente. São Tomé e Príncipe ENSCONET – European Seed
Conservation Network
Institut für Biologie - Systematische Botanik und Pflanzengeographie -,
Freie Universität Berlin, Germany.
Jardim Botânico do Bom Sucesso. São Tomé e Príncipe
Muséum National d’Histoire Naturelle, Paris
Nationaal Herbarium Nederland, Universiteit Leiden branch, Leide, The
Netherlands
Real Jardin Botanico de Madrid
Swedish Museum of Natural History
Conselho Cientifico
20/116
2010
•
•
Swiss Federal Research Institute WSL, Birmensdorf, Switzerland
Universidade de Birmingham
Educação Ambiental, Educação para a Sustentabilidade
Esta nova linha de investigação pretende contribuir para o desenvolvimento da
educação ambiental através do estudo de modelos conceptuais, no âmbito da
psicologia social e do desenvolvimento de novos materiais e experiências
educativas, que permitam melhorar a compreensão de como se podem
promover comportamentos pró-ambientais,
para o desenvolvimento de medidas de
sustentabilidade por parte da população.
Esta linha de trabalho é desenvolvida em
parceria com comunidades escolares de
forma a testar a relação entre a educação
ambiental, a escolaridade formal e o
sucesso escolar. É também ao nível desta
área que se abordam os conceitos de
sustentabilidade e ética ambiental.
Esta nova linha de investigação integra
ainda uma componente dedicada ao estudo da comunicação e promoção da
Ciência com vista à educação ambiental.
Equipa
•
•
•
•
•
•
Bruno Pinto
Gisela Oliveira
Maria Amélia Martins-Loução
Ana Raquel Barata (Estudante de doutoramento, ISCTE)
Miguel António Abrantes (Estudante de Mestrado, Univ. Porto)
Alexandra Escudeiro (Técnica Superior)
Parceiros Nacionais
•
•
•
•
•
ABAE
Ciência Viva
Escolas de Ensino Básico (ES + 2,3 Passos Manuel, ES + 3º ciclo Pedro
Nunes, Conservatório Nacional de Lisboa, ES + 2,3 Gil Vicente)
Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB)
ISCTE
Parceiros Internacionais
•
Botanic Gardens Conservation International (BGCI)
Conselho Científico
21/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Biodiversidade e Conservação de Ecossistemas Aquáticos,
Estuarinos e Marinhos
Os projectos de investigação desta linha centram-se essencialmente sobre a
problemática da conservação da biodiversidade de ecossistemas aquáticos,
estuarinos e marinhos, usando dois grupos taxonómicos como modelos de
estudo: os invertebrados e as aves.
No âmbito desta linha tem-se desenvolvido o estudo integrado de processos
ecológicos e genéticos de populações de espécies invasoras (usando
invertebrados como modelo biológico) e a avaliação do seu impacto na
biodiversidade da fauna autóctone de zonas húmidas. Outro aspecto deste
trabalho prende-se com a análise da estrutura das comunidades de
invertebrados aquáticos e com o seu uso em programas de monitorização da
qualidade da água.
Um outro projecto diz respeito à
avaliação dos factores ambientais que
afectam os efectivos e a distribuição
das aves aquáticas nos grandes
estuários do País. Este trabalho tem-se
centrado no estuário do Tejo, a maior
zona húmida da Península Ibérica e
entre as três mais importantes da
Europa.
A linha compreende ainda estudos sobre a conservação de ecossistemas
marinhos envolvendo aves e crustáceos. Mais especificamente têm sido
realizados projectos focando a conservação de aves marinhas pelágicas e sua
utilização como bioindicadores, bem como a determinação de padrões
geográficos de dispersão e de diferenciação em crustáceos ao longo da costa
portuguesa.
Equipa
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Alexandra Marçal Correia
Cristina Luís
José Pedro Granadeiro
Maria P. Dias
Paulo Catry
Patrícia Garcia-Pereira
Teresa Catry
Alexandra Cartaxana (Estudante de Doutoramento, Univ. Lisboa)
Ana Leal (Estudante de Doutoramento, Univ. Lisboa)
Ricardo Martins (Estudante de Doutoramento, Univ. Lisboa)
Luís Rosa (Estudante de Mestrado, Univ. Évora)
Ricardo Correia (Estudante de Mestrado, Univ. Lisboa)
Conselho Cientifico
22/116
2010
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
David Rodrigues (Estudante de Mestrado, Univ. Évora)
Diana Carvalho (Técnica Superior, MNHN)
Ana Almeida (Bolsa Investigação)
Elena Garcia (Faro Global Grant)
José Alves (Bolsa Investigação)
Miguel Lecoq (Bolsa Investigação)
Ricardo Rocha (Bolsa Investigação)
Sara Pardal (Bolsa Investigação)
Agnieszka Chomiuk (Programa Erasmus)
Beatriz Diaz-Guevara (Programa Erasmus)
Penélope Karagianni (Programa Erasmus)
Pawel Mucko (Programa Erasmus)
Laboratórios de apoio
• Laboratório de Ecologia e Conservação
Parceiros Nacionais
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Estação Agronómica Nacional, Santarém
Departamento de Biologia, Univ. de Aveiro
Departamento de Biologia, Univ. dos Açores
Departamento de Biologia, Univ. de Coimbra
Departamento de Biologia, Univ. de Évora
Departamento de Ecologia; Univ. de Évora
Departamento Biologia Animal, Univ. de Lisboa
Instituto do Mar-IMAR, Coimbra
Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Lisboa
Parque Natural da Madeira, Funchal
Parceiros Internacionais
• British Antarctic Survey, Reino Unido
• Universidade de Gröningen, Holanda
• Universidade de Hull, Reino Unido
Biologia Comportamental e Comunicação Animal
Esta linha tem como objectivo o estudo do comportamento animal do ponto de
vista do indivíduo e das populações, integrando o meio como factor essencial
para a compreensão do seu desenvolvimento e evolução. Este conhecimento é
importante para a compreensão da biodiversidade em todos os seus níveis,
desde os genes aos biomas e da íntima relação dos comportamentos animais
com o ambiente onde evoluíram. A abordagem a esta área do conhecimento é
feita a múltiplas escalas, utilizando diferentes taxa e recorrendo à
experimentação, monitorização e à modelação ecológica. Em concordância,
desenvolvem-se actualmente trabalhos de investigação no âmbito da migração
Conselho Científico
23/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
das aves e da orientação de aves, estudos da relação entre a estrutura do
habitat e a composição das comunidades
de aves e análises dos efeitos do
ambiente na comunicação animal.
Realizamos actualmente um retrato
acústico das paisagens naturais de
Portugal.
Os estudos em curso sobre migração e
orientação debruçam-se sobre os efeitos
da ontogenia no desenvolvimento da
orientação de pombos, a utilização de
informação magnética e olfactiva na orientação de pombos correio. Outro
aspecto actualmente a ser estudado é a migração diferencial nas aves usando
como modelo as gaivotas.
Investigação da relação entre a estrutura do habitat e a composição das
comunidades de aves; o estudo das
estratégias e técnicas de alimentação de
aves estuarinas nos grandes estuários
do País; a investigação do efeito do
habitat de nidificação na estrutura das
colónias de pardal espanhol e o impacto
no sucesso reprodutor.
Estudos sobre a comunicação entre
progenitores e crias em pardais e pegas
azuis, honestidade dos sinais de
solicitação de alimentação, ontogenia das vocalizações das crias de pardais, e
efeito do ambiente acústico na eficácia da comunicação e evolução de
respostas adaptativas.
Equipa
•
•
•
•
•
Alexandra Marçal Correia
José Pedro Granadeiro
Paulo AM Marques
Daniel M Magalhães (Bolseiro de investigação)
Susana F Pereira (Bolseiro de investigação)
Laboratórios de apoio
• Estação de campo do Centro de Biologia Ambiental, Grândola (Univ.
Lisboa, CBA)
• Laboratório de Ecologia e Conservação
Conselho Cientifico
24/116
2010
Parceiros Nacionais
• Departamento Biologia Animal, Univ. Lisboa
• INESC Inovação, Instituto de Novas Tecnologias
(INOV/INESC/IST/UTL) Univ. Técnica de Lisboa
• Instituto do Mar-IMAR, Coimbra
• Unidade de Investigação em Eco-Etologia, Instituto Superior de
Psicologia Aplicada
Parceiros Internacionais
• Department of Biology, Dalhousie University, Canadá
• Department of Biology, Univ. Gröningen, Holanda
• European Network of Bioacoustic Collections for Taxonomy,
Systematics and Conservation
• Fachbereich Biologie und Informatik der J. W. Goethe-Universitat,
Alemanha
• Museo Nacional de Ciencias Naturales, Espanha
• Universidade Estadual de Campinas, Brasil
Biologia Evolutiva e Biossistemática em Organismos Aquáticos
Os actuais interesses de investigação centram-se no estudo dos processos
evolutivos envolvidos na origem da diversidade animal, utilizando como
modelos de estudo diferentes organismos aquáticos. Assim, tem-se procurado
analisar os processos históricos e recentes que determinam os padrões de
diversidade genética ao longo do tempo e no espaço, e que promovem a
subdivisão das populações animais e a especiação.
Em particular, os projectos em curso
procuram investigar o papel evolutivo
dos fenómenos de hibridação e
poliploidia, as consequências evolutivas
dos efeitos de gargalo e efeito fundador
em populações naturais, e o papel de
factores
intrínsecos
aos
vários
organismos
(ex.
comportamento
reprodutor, capacidade de dispersão,
especificidade do habitat) e de factores ambientais (ex. ciclos glaciários,
alterações da paisagem induzidas pelo homem) na estruturação das
populações animais.
A metodologia de estudo envolve a análise de marcadores moleculares e
morfológicos. Os organismos aquáticos em foco nos diferentes projectos de
investigação desta linha incluem peixes marinhos, dulciaquícolas e migradores,
e invertebrados estuarinos e marinhos.
Conselho Científico
25/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Equipa
•
•
•
•
•
•
•
•
Maria Judite Alves
Natacha Mesquita
Catarina Mateus (Estudante de Doutoramento, Univ. Évora)
Joana Micael (Estudante de Doutoramento, Univ. Açores)
Carolina Madeira (Estudante de Mestrado, Univ. Lisboa)
Ana Filipa Filipe (Bolseira de Investigação)
Maria Drago (Bolseira de Investigação)
Marta Lourenço (Bolseira de Investigação)
Laboratórios de apoio
• Laboratório de Ecologia e Conservação
• Laboratório de Ecologia Molecular
Parceiros Nacionais
• Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos,
Univ. Porto
• Centro de Oceanografia – Laboratório Marítimo da Guia, Univ.
Lisboa
• Departamento de Biologia, Univ. Açores
• Departamento de Biologia, Univ. Évora
• Departamento de Biologia Animal, Univ. Lisboa
• Departamento de Biologia, Univ. Minho
• Departamento de Geologia, Univ. Lisboa
• Instituto do Mar-IMAR/Univ. Nova Lisboa
Parceiros Internacionais
•
•
•
•
Arizona State University, Estados Unidos da América
Universidad de Barcelona, Espanha
Virginia Institute of Marine Science, Estados Unidos da America
Zoologisches Institut, Universität Basel, Basileia – Suíça
Antropologia Forense e Bioarqueologia
Esta linha de investigação tem como objectivo o desenvolvimento e teste de
métodos e técnicas baseadas no esqueleto e dentição humanas, com
aplicação na prática forense e em estudos bioarqueológicos. A colecção de
esqueletos identificados oferece a oportunidade para comparar directamente a
informação que se retira do material osteológico (morfológica, morfométrica,
patológica, histológica, auxológica) com atributos biológicos como o sexo, a
idade ou a causa de morte, que constam na ficha biográfica de cada esqueleto.
Conselho Cientifico
26/116
2010
Nesta linha de investigação têm sido desenvolvidos e testados métodos de
reconstrução da identidade, nomeadamente determinação do sexo, estimativa
da idade à morte e estatura, tanto em
adultos como não adultos. Nesta linha
também se tem procurado investigar o
papel regulador do ambiente no
crescimento e maturação do esqueleto e
da dentição humanas. No âmbito forense,
têm-se desenvolvido ainda trabalhos
relacionados com a análise de trauma
peri-mortem e a aproximação facial.
As séries arqueológicas que o MNHN
possui representam uma fonte importante de informação sobre as condições de
vida e do estado de saúde das populações históricas e pré-históricas que
representam. Dado que estas séries arqueológicas foram apenas parcialmente
estudadas, elas encerram ainda um enorme potencial de investigação
antropológica e histórica.
Equipa
•
•
•
•
•
•
•
Hugo Cardoso
Susana Garcia (Colaboradora, Prof. Auxiliar ISCSP)
Eunice Conceição (Estudante de Mestrado, Univ. Lisboa)
Fernando Faria (Estudante de Mestrado, Univ. Lisboa)
Filipe Franco (Estudante de Mestrado, Univ. Lisboa)
José Gomes (Estudante de Mestrado, Univ. Coimbra)
Vanessa Campanacho (Estudante de Mestrado, Univ. Coimbra)
Laboratórios de apoio
• Laboratório de Antropologia
• Grupo de Investigação em Antropologia Biológica (Instituto Superior
de Ciências Sociais e Políticas, Univ. Técnica de Lisboa)
Parceiros Nacionais
•
•
•
•
•
•
•
Delegação do Norte do Instituto Nacional de Medicina Legal
Departamento de Biologia Animal, Universidade de Lisboa
Departamento de Antropologia, Universidade de Coimbra
Departamento de Antropologia, Universidade Nova de Lisboa
Faculdade de Medicina da Universidade do Porto
Institutito Universitário de Lisboa
Unidade Científico-Pedagógica de Antropologia, Instituto Superior de
Ciências Sociais e Políticas, Universidade Técnica de Lisboa
Parceiros Internacionais
• Department of Anthropology, University of Windsor, Canadá
Conselho Científico
27/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
• Departamento de Biologia, Universidade Autónoma de Madrid,
Espanha
• Department of Paleontology, Natural History Museum, London
• Penn State University, Pennsylvania, Estados Unidos
• University of North Carolina, Estados Unidos
Processos e Padrões de Diversidade em Populações de
Mamíferos Terrestres
Os projectos de investigação desta linha centram-se no estudo dos padrões de
diversidade encontrados nas populações de mamíferos terrestres, os
processos envolvidos na origem desta diversidade e a avaliação do seu
declínio. Dois grupos taxonómicos são utilizados como modelo: os
micromamíferos e os ungulados. As abordagens metodológicas envolvem
técnicas de morfometria, citogenética e genética molecular.
Nesta linha são desenvolvidos estudos
filogeográficos
de
espécies
de
micromamíferos com o objectivo de
compreender os efeitos das alterações
climáticas, do Quaternário, na diversidade
intraespecífica. Espécies confinadas às
zonas temperadas sofreram regressões e
expansões na sua área de distribuição
durante as eras interglaciárias. Dado que a
especiação está muitas vezes associada a
variações cromossómicas intraespecíficas,
são analisados polimorfismos cromossómicos, que permitem comparar e
verificar a possível sincronia entre a evolução cromossómica e genética.
A linha compreende ainda o estudo de pequenas populações, uma
característica típica das espécies ameaçadas. Estas populações requerem
cuidados especiais na gestão genética e demográfica do seu efectivo. Várias
abordagens metodológicas são utilizadas para identificar e definir unidades
taxonómicas de gestão com o objectivo de contribuir para a conservação in-situ
e ex-situ de espécies de ungulados.
Dado o declínio acelerado da biodiversidade, os investigadores desta linha têm
desenvolvido actividades na área da identificação de espécies recorrendo a
técnicas de genética molecular forense, com o objectivo de detectar tráfico
ilegal de partes ou produtos de espécies animais ameaçadas. Dados deste
projecto contribuem para a iniciativa “DNA Barcode of Life”
http://www.barcodingbirds.org/people/participants.
Conselho Cientifico
28/116
2010
Equipa
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Maria da Graça Ramalhinho
Cristiane Bastos-Silveira
Joaquim Tapisso (Estudante de Doutoramento, Univ. Lisboa)
Ana Sofia Boa-Alma (Estudante de Mestrado, Univ. Lisboa)
Patrícia Sardinha (Estudante de Mestrado, Univ. Lisboa)
Vânia Gaio (Estudante de Mestrado, Univ. Lisboa)
Margarida Duarte (Bolseira de Investigação)
Joana Esteves (Bolseira de Iniciação a Investigação)
Joana Silvestre (Bolseira de Iniciação a Investigação)
Sofia Gabriel (Bolseira de Investigação)
Sófia Paulos (Bolseira de Iniciação a Investigação)
Laboratório de apoio
• Laboratório de Citogenética e Identificação de espécies
Parceiros Nacionais
•
•
•
•
•
•
•
Centro de Biologia Molecular e Ambiental
Departamento de Biologia Animal, Univ. Lisboa
Instituto de Investigação Científica Tropical
Instituto Superior de Agronomia, Univ. Técnica de Lisboa
Jardim Zoológico, Lisboa
Rede Nacional de Parques Naturais
Universidade do Minho
Parceiros Internacionais
•
•
•
•
•
•
European Association of Zoo and Aquaria, Holanda
Institute of Ecology and Evolution, Berna, Suiça
Polish Academy of Science, Polónia
Universidade de Montpellier, França
Universidade de York, Reino Unido
Wildlife DNA Services, Reino Unido
Paleontologia de Vertebrados do Jurássico
Esta linha de investigação prossegue as actividades iniciadas há muitos anos
pelo prof. AM Galopim de Carvalho, no MNHN, em Paleontologia de
Vertebrados, na sua vertente de Osteologia. Está presentemente activo um
projecto cujas actividades incluirão escavações paleontológicas, (duas a três)
preparação de material (fósseis) osteológicos, realização de reuniões
científicas para análise de resultados e apresentação de resultados não só em
conferências e publicações científicas mas também em exposições e outras
instâncias de divulgação especificamente museológicas, como se começou já a
Conselho Científico
29/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
fazer com a exposição “Allosaurus: Um Dinossáurio, Dois Continentes?”
presentemente patente no MNHN.
Equipa
•
•
•
•
•
•
Fernando JAS Barriga
Pedro Dantas
Francisco Ortega
Liliana Povoas
Bruno Ribeiro
Elisabete Malafaia
Laboratórios de apoio
• Laboratório de Paleontologia de Vertebrados
Parceiros nacionais
•
•
•
•
•
•
Departamento de Geologia e Centro de Geologia, FCUL
Universidade Nova de Lisboa
Laboratório de História Natural da Batalha
Câmara Municipal da Batalha
Associação Leonel Trindade
Câmara Municipal de Pombal (JF de Santiago de Litém)
Parceiros internacionais
Não estão formalizadas parcerias internacionais nesta linha de investigação,
mas participam no projecto VertJura investigadores da Universidade Autónoma
de Madrid, e do Natural History Museum of Los Angeles County, USA
Paleobiologia dos Vertebrados do Mesozóico de Portugal
Esta linha de investigação visa o estudo de vestígios directos e indirectos de
dinossáurios e de outros grupos de vertebrados do Mesozóico, bem como do
conteúdo microfossilífero das jazidas onde estes se encontram inseridos. Estas
jazidas paleontológicas que se situam
em terrenos de fácies continental e de
transição do Jurássico e do Cretácico,
caracterizam-se por conterem uma
enorme riqueza nestes vestígios, e o
seu estudo tem um enorme potencial
para ampliar os conhecimentos que
temos acerca da paleobiologia e
paleoecologia de vários grupos
biológicos do passado, bem como
para permitir estabelecer relações
filogenéticas entre a fauna estudada e as conhecidas no registo mundial.
Conselho Cientifico
30/116
2010
Esta linha de investigação engloba estudos em icnologia de vertebrados e em
microvertebrados do Mesozóico Português.
No âmbito da icnologia de vertebrados são efectuados os estudos relativos a
pegadas de dinossáurios, na sua maioria preservadas in situ e integradas no
seu contexto geológico. Nesta área de investigação tem-se dado prioridade ao
registo icnológico dos dinossáurios no Jurássico médio por corresponder a uma
fase inicial da evolução deste grupo biológico e, igualmente, à prospecção e
estudo de vestígios directos e indirectos, quer de dinossáurios quer de outros
grupos de vertebrados, nas formações do Cretácico. É de notar que a fauna de
dinossáurios no Cretácico superior é mal conhecida na Europa, pelo que se
pretende obter uma melhor caracterização desta fauna na fase final do seu
processo evolutivo. Tem sido efectuada uma análise detalhada da morfologia,
da variabilidade e da distribuição temporal e espacial das pegadas de
saurópodes, de terópodes e de ornitópodes, abundantes no registo JurássicoCretácico. Com o objectivo de incrementar o número de jazidas com pegadas
de dinossáurios no Jurássico e Cretácico são realizadas campanhas de
prospecção em áreas promissoras, em especial em pedreiras abandonadas e
com boas superfícies de exposição. A prospecção de vestígios directos e
indirectos de dinossáurios e de outros vertebrados é igualmente tida em
consideração, sobretudo porque se pretende aumentar as oportunidades de
trabalho em outras linhas de investigação.
A morfometria geométrica (MG) tem como objectivo o estudo e quantificação
das variações da forma biológica e a sua covariação com factores ambientais,
biomecânicos e outros. A MG consiste
numa série de técnicas que visam
descrever, quantificar e representar a
geometria das formas estudadas. A
quantificação da variação de forma é feita
através
da
aplicação
de
diversas
metodologias estatísticas multivariantes.
Um aspecto importante destes métodos é a
possibilidade de visualizar os resultados de
vários métodos estatísticos ao gerar formas
de organismos hipotéticos.
As técnicas de MG têm sido utilizadas no estudo do registo icnológico de
Dinosauria (2D), osteológico de Dinosauria:Sauropodomorpha (3D) e
osteológico de humanos (2D), num projecto conjunto com a Faculdade de
Motricidade Humana.
Na área de investigação de microvertebrados do Mesozóico Português referese ao estudo dos vestígios de microvertebrados das sequências sedimentares
do Jurássico superior e do Cretácico das bacias sedimentares portuguesas,
bem como a sua comparação com o registo fóssil mundial, nomeadamente
com o registo de bacias sedimentares em Espanha. Estes estudos pretendem
Conselho Científico
31/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
contribuir para o conhecimento da paleobiodiversidade e paleoecologia de
ecossistemas continentais e de transição.
As actividades científicas desta linha de investigação são também
fundamentais para o sucesso das estratégias de geoconservação de modo a
proteger e valorizar os locais com interesse geológico e paleontológico.
Equipa
• Vanda Faria dos Santos
• Carlos Marques da Silva (Colaborador, Prof. Auxiliar da FCUL)
• Carlos Neto de Carvalho (Colaborador, Câmara Municipal de Idanhaa-Nova)
• Luís de Azevedo Rodrigues (Colaborador)
• Nuno Rodrigues (Colaborador)
Laboratórios de apoio
Nesta linha não existem infra-estruturas que se possam considerar verdadeiros
laboratórios, existem espaços que são, temporariamente, adaptados de forma
a apoiar e viabilizar o trabalho de investigação a desenvolver e que
designamos por:
• Laboratório de Icnologia de Vertebrados
• Laboratório de Microvertebrados do Mesozóico Português
• Laboratório de Paleoecologia e Paleoclimatologia (CGUC)
Parceiros nacionais
• Centro de Geologia da Universidade de Coimbra
• Departamento de Ciências da Terra da Universidade de Coimbra
• Departamento de Geologia, FCUL
Parceiros internacionais
•
•
•
•
•
•
Fundación Conjunto Paleontológico de Teruel, DINOPOLIS, Espanha
Instituto Catalão de Paleontologia, Barcelona, Espanha
Museo Geominero (Instituto Geológico y Minero de España)
Universidad Autónoma de Madrid, Espanha
Universidad Complutense de Madrid, Espanha
Universidad de Girona, Espanha
Dinâmica Sedimentar Actual dos Domínios Litoral e de
Plataforma de Portugal (Continental e Insular)
A investigação sobre a dinâmica sedimentar desenvolvida no âmbito de vários
projectos de investigação tem permitido aumentar o conhecimento científico
numa área fundamental ao desenvolvimento do país.
Conselho Cientifico
32/116
2010
Neste âmbito destaca-se: o conhecimento do transporte sedimentar de
partículas desde a sua origem até aos
locais de deposição em domínio da
plataforma continental; a avaliação de
recursos em inertes existentes na
plataforma continental; o estudo da
dinâmica dos sistemas litorais através de
traçadores sedimentares; o estudo de
importantes estruturas submarinas como
condutas sedimentares profundas de
sedimentos, como é o caso dos canhões
submarinos do Porto, de Aveiro e da
Nazaré e também o estudo da dinâmica sedimentar de diferentes praias de
ambientes energéticos contrastantes (Alfeite, Comporta e Salgado).
Equipa
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
João Cascalho
Ana Santos (Colaboradora, Instituto Hidrográfico)
Ana Silva (Colaboradora, FCUL)
Anabela Oliveira (Colaboradora, Instituto Hidrográfico)
Aurora Rodrigues (Colaboradora, Instituto Hidrográfico)
Catarina Guerreiro (Colaboradora, Instituto Hidrográfico)
Filipa Oliveira (Colaboradora, LNEC)
Fátima Lira (Colaboradora, IST)
Ivana Bosnic (Colaboradora, FCUL)
João Duarte (Colaborador, Instituto Hidrográfico)
Joaquim Pombo (Colaborador, Instituto Hidrográfico)
Mónica Ribeiro (Colaboradora, Instituto Hidrográfico e FFCUL)
Maria João Balsinha (Colaboradora, Instituto Hidrográfico)
Paula Freire (Colaboradora, LNEC)
Rui Taborda (Colaborador, FCUL)
Laboratórios de apoio
• Laboratório de Sedimentologia
• Laboratório de Sedimentologia do Departamento de Geologia da
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
• Laboratório de Sedimentologia do Instituto Hidrográfico
Parceiros Nacionais
•
•
•
•
Departamento de Geologia e Centro de Geologia, FCUL
Instituto Hidrográfico
Instituto Superior Técnico (CERENA)
Laboratório Nacional de Engenharia Civil
Conselho Científico
33/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Laboratórios de Investigação
O MNHN possui 10 laboratórios vocacionados para a investigação científica, e
que servem de apoio às linhas de investigação desenvolvidas:
• Laboratório de Análises e Biomonitorização Ambiental (LABA)
• Laboratório de Antropologia
• Laboratório de Citogenética e Identificação de espécies
• Laboratório de Criptogamia
• Laboratório de Ecologia e Conservação
• Laboratório de Ecologia Molecular
• Laboratório de Icnologia de Vertebrados
• Laboratório de Microvertebrados do Mesozóico Português
• Laboratório de Paleontologia de Vertebrados
• Laboratório de Sedimentologia
Laboratório de Análises e Biomonitorização Ambiental (LABA)
Este é um laboratório de apoio a actividades ligadas a Ecotoxicologia e
Biomonitorização e especializado na análise de elementos por espectrometria
de absorção atómica.
Este laboratório dá apoio a projectos de
biomonitorização da contaminação do ar, água e
solo, preparando amostras, desenvolvendo
sistemas de exposição de transplantes e
ajustando protocolos de análise química.
Realizam-se também ensaios de teste das
capacidades biomonitoras dos organismos e dos
efeitos toxicológicos ao nível do balanço iónico e
sistemas fotossintéticos.
Laboratório de Antropologia
As actividades do laboratório de antropologia centram-se sobretudo em torno
da colecção de esqueletos identificados e também em torno de colecções
arqueológicas de esqueletos humanos.
Conselho Cientifico
34/116
2010
Neste laboratório procede-se à conservação de todo o material, incluindo a
limpeza, arquivo, catalogação e documentação das ossadas humanas, assim
como a gestão do espólio, de modo a permitir uma correcta preservação do
mesmo e auxiliar os diversos estudos que neste laboratório têm sido
desenvolvidos com base nesta colecção.
A segunda vertente está relacionada com a investigação, com ênfase especial
na análise macroscópica e osteométrica, para desenvolvimento de métodos e
modelos demográficos (estimativa da idade à morte e de determinação do
sexo) e paleopatológicos (lesões associadas a determinadas doenças e
epidemiologia), tanto em indivíduos adultos como não adultos, para posterior
aplicação nas áreas das ciências forenses e bioarqueologia.
Laboratório de Citogenética e Identificação de espécies
O laboratório de citogenética e identificação de espécies possui o equipamento
necessário à execução de técnicas de citogenética e de genética molecular.
Neste laboratório são desenvolvidas as actividades da linha de investigação
“Processos e padrões de diversidade em populações mamíferos terrestres”.
Entre as técnicas desenvolvidas neste laboratório, especial foco é dado à
utilização de exemplares do Museu Bocage como fonte de ADN (“ADN antigo”).
O laboratório também possui equipamento para a realização de estudos de
morfometria, nomeadamente a morfometria geométrica
Laboratório de Criptogamia
As colecções de espécimes conservadas em herbário – LISU - são o resultado
e o suporte da investigação desenvolvida neste laboratório. São ainda a base
de dados de referência reconhecida a nível mundial destes organismos, sob
aspecto taxonómico, ecológico e evolutivo
da Flora Ibérica e da Macaronésia. São de
destacar os estudos desenvolvidos com
diferentes abordagens como a modelação
da distribuição das espécies e/ou
comunidades, a caracterização do grau de
ameaça, os estudos de impacto e
monitorização da qualidade ambiental, a
elaboração de floras e formação avançada
na área da Criptogâmia.
Conselho Científico
35/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Laboratório de Ecologia e Conservação
O laboratório de ecologia e conservação é constituído por duas valências, uma
experimental e outra analítica.
Na unidade experimental realizam-se estudos de comportamento animal e de
interacções tróficas interespecíficas.
Na unidade analítica efectua-se o processamento de amostras obtidas no
campo e análise de imagem de forma a dar resposta a trabalhos de
investigação em dinâmica populacional, morfometria geométrica e identificação
de espécimes.
Laboratório de Ecologia Molecular
O laboratório de ecologia molecular possui o equipamento necessário para a
realização de diferentes técnicas de genética molecular, incluindo a extracção e
amplificação de ADN, e a análise de aloenzimas, de microssatélites e de
sequências de ADN.
Neste laboratório realizam-se os vários projectos de investigação da linha
“Biologia evolutiva e biossistemática em organismos aquáticos” e também
projectos da linha “Biodiversidade e Conservação in situ e ex situ da Flora”.
Laboratório de Icnologia de Vertebrados
Esta estrutura, ainda em fase de implementação, funciona em espaços
alternativos para a produção de moldes e de réplicas de fósseis,
nomeadamente, de pegadas de dinossáurios.
Laboratório de Microvertebrados do Mesozóico Português
Esta estrutura tem funcionado desde Outubro de 2007 no espaço do antigo
laboratório de Palinologia, situado na cave do MNHN, para permitir realizar os
trabalhos necessários à lavagem e triagem de sedimento.
Laboratório de Paleontologia de Vertebrados
Laboratório para tratamento dos materiais recolhidos em escavações,
nomeadamente remoção de sedimento aderente às peças, consolidação e
Conselho Cientifico
36/116
2010
reconstituição das mesmas, lavagem de sedimentos e triagem à lupa binocular,
trabalhos estes cruciais para o estudo e preservação dos fósseis recolhidos.
Atendendo ao recente desenvolvimento das actividades nesta área, estão em
fase adiantada de instalação novos espaços para este fim.
Laboratório de Sedimentologia
Este laboratório tem funcionado desde Março de 1988 como espaço de
tratamento de amostras de sedimentos arenosos marinhos e costeiros.
Os trabalhos realizados incluíram o tratamento de largas centenas de amostras
de sedimentos arenosos com o objectivo de estudar o seu conteúdo
mineralógico.
Estas tarefas têm sido desenroladas no âmbito de múltiplos projectos
desenvolvidos na área da Geologia Marinha em estreita colaboração com
outras entidades, nomeadamente, Departamento de Geologia FCUL, Instituto
Hidrográfico, Instituto Tecnológico e Nuclear, Universidade do Algarve e
Universidade de Aveiro, Laboratório Nacional de Engenharia Civil e Instituto
Superior Técnico.
Projectos de Investigação
Durante o ano de 2010, os investigadores do MNHN participaram em 44
projectos de investigação científica, sendo 23 coordenados por investigadores
do MNHN. O financiamento da maioria destes projectos é efectuado pela
Fundação para a Ciência e a Tecnologia, através de instituições que cobram
20% ou 4% de “Overheads”. Embora alguns projectos não tenham verba
atribuída directamente ao MNHN, constituem uma mais valia para a instituição
através da aquisição equipamento, contratação de recursos humanos,
financiamento de missões, despesas correntes, serviços, divulgação e
transversalidade interinstitucional.
2010-2014
Esferas de Resposta do Ecossistema ao Azoto (EREA): Um caso de estudo
num ecossistema do tipo Mediterrânico no sul de Portugal (PTDC/BIABEC/099323/2008).
Instituição proponente: CBA/FCUL
Outras Instituições Participantes: Instituto de Tecnologia Química e Biológica
(ITQB/UNL)
Coordenador: C Cruz
Equipa MNHN: A Clemente, MA Martins-Loução
2010-2013
Conselho Científico
37/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
METALAND: Inferência de Dinâmicas Metapopulacionais com Genética da
Paisagem em Vertebrados das Montanhas da Mauritânia
Ref. PTDC/BIA-BEC/099934/2008
Instituição proponente: ICETA/CiBiO
Outras Instituições Participantes: MNHN/CBA, CICGE, CEFE (França)
Coordenador: JC Brito
Equipa MNHN: MJ Alves, N Mesquita
2010-2013
Briófitas da Ilha da Trindade, um estudo taxonómico e biogeográfico.
Ref. MCT/CNPq N°026/2009
Instituição proponente: FUB, UnBrasília, Brasil.
Outras Instituições Participantes: MNHN, FCUL
Coordenador: PE Câmara
Equipa MNHN: M Sim-Sim, C Garcia
2010-2013
ALBATROZ - O voo do albatroz: causas e consequências de estratégias
individuais de busca de alimento, com relações com a demografia, a
oceanografia e as pescas
Ref. PTDC/MAR/099366/2008
Instituição proponente: ISPA
Outras Instituições Participantes: MNHN/CBA
Coordenação: P Catry
Equipa MNHN: JP Granadeiro
2010-2013
Inquire - Inquiry-based teacher training for a sustainable future (Ref. FP7SCIENCE-IN-SOCIETY-2010- 2.2.1.1.)
Instituição proponente: University of Innsbruck,
Outras Instituições Participantes: BGCI, King’s College London University
(KCL), Museo Tridentino di Science Naturali, Trento, (MTSN), Royal Botanic
Gardens Kew (KEW), Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC),
University of Bremen (Uni Bremen), National Botanic Garden of Belgium
(NBGB), University of Sofia, Schulbiologisches Zentrum Hannover (SBZH),
Jardin Botanique de la Ville de Bordeaux (BORD), Moscow State University
Botanical Garden (MW), Coimbra Botanical Garden (FCTUC), Natural History
Museum, Botanical Garden (NHM), Botanischer Garten, Rhododendron-Park,
botanika Bremen (BGRHB), Universidad de Alcala, MNHN-JB Universidade de
Lisboa
Coordenação MNHN: MA Martins-Loução
Equipa de MNHN: G Gaio-Oliveira, R Barata
2010-2013
Modelos conjuntos para processos espaço-temporais e respectivo desenho
amostral, em Ciências do Ambiente e Saúde
Conselho Cientifico
38/116
2010
Ref. PTDC/MAT/112338/2009
Instituição Proponente: Universidade do Minho.
Outras Instituições Participantes: MNHN/CBA
Coordenador: R Menezes
Equipa MNHN: C Sérgio
2010-2013
Modelação da diversidade florística e genética de criptogâmicas. Um
instrumento para a gestão da floresta natural da Madeira (MadCrypto)
Ref. PTDC/AGR-CFL/111241/2009
Instituição proponente: FFCUL/CBA
Outras Instituições Participantes: MNHN
Coordenador: M Sim-Sim
Equipa MNHN: C Garcia, C Sérgio
2010-2013
Cross talk between neurotrophic factor receptors (TrkB) and adenosine A2A
receptors: implications for Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS).
Ref. PTDC/SAU-NEU/101752/2008
Instituição proponente: IMM
Outras Instituições Participantes: MNHN, FMUL
Coordenador: JA Ribeiro
Equipa MNHN: AM Correia
2010-12
Investigação, Conservação e Divulgação da Biodiversidade dos Charcos
Temporários (CHARCOScomBIO)
Ref. Fundo EDP para a Biodiversidade/2009
Instituições proponentes: CBA, CIBIO, MNHN, IST
Coordenação: MJ Caramujo, J Teixeira
Equipa do MNHN: C Luís, P Garcia-Pereira
2010-2012
Conservação e Valorização da Flora Endémica Ameaçada em Portugal
Ref. Fundo EDP para a Biodiversidade/2009
Instituição proponente: MNHN/CBA, UC, IBET-ITQB
Coordenação MNHN/CBA: A Clemente
Equipa do MNHN: H Cotrim, J Magos Brehm, MA Martins-Loução
2010-12
Paisagens acústicas naturais num mundo em mudança. Preservar o passado e
construir as memórias do futuro.
Ref. HC/0009/2009
Instituição Proponente: ISPA
Outras Instituições Participantes: MNHN/CBA, MNCN/CSIC
Coordenação: PAM Marques
Conselho Científico
39/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Equipa do MNHN: CB Silveira
2010-12
Flora Briofítica Ibérica. Fase V: Dicranales pp, Grimmiales, Leucodentales pp.
Ref. CGL2009-09530
Instituição proponente: SEB (Espanha)
Coordenação: MF Puche
Equipa MNHN: C Sérgio
2010-2012
Cryptosensores/Lisboa- Monitorização da poluição atmosférica na biosfera de
Lisboa e margem Sul do rio Tejo utilizando biosensores.
Ref. PTDC/AAC-AMB/105037/2008Instituição proponente: FFCUL (MNHN/CBA)
Outras Instituições Participantes: IST
Coordenação: C Sérgio
Equipa MNHN: P Carvalho, C Garcia, M Sim-Sim, E Almeida, V Novais
2010-2012
“Paleobiologia e Paleoecologia de Dinosauria e faunas associadas de Portugal
e o seu papel macroevolutivo no contexto do Mesozóico da Europa ocidental”.
Instituição Proponente: MNHN
Outras Instituições Participantes: FCUL (Dept. Geologia), Universidade de
Coimbra (Dept. de Ciências da Terra), Câmara Municipal de Idanha-a-Nova
Coordenação: VF Santos
Equipa MNHN: VF Santos
2010 (14/06/2010 - 03/07/2010)
An investigation of critical lichen groups from Azores and mainland Portugal
Ref.: GB-TAF-498 (SYNTHESYS project)
Instituição proponente: MNHN
Outras Instituições Participantes: Natural History Museum of London (BM)
Coordenação: P Carvalho
Equipa MNHN: P Carvalho
2010
Danish gulls winter and migration habits: age, sex and life history effect
project DK-TAF-808, 2061 Euros
financed by the European Union program “Structuring the European Research
Area”, under SYNTHESYS
Instituição proponente: ISPA
Outras Instituições Participantes: MNHN/CBA
Coordenação: PAM Marques
Equipa de MNHN: PAM Marques
2009-12
Conselho Cientifico
40/116
2010
VERT-JURA – Estudo da fauna de Vertebrados do Jurássico superior da Bacia
Lusitânica e implicações paleobiogeográficas
Ref. PTDC/CTE-GEX/67723/2009
Instituição proponente: FFCUL (MNHN/CREMINER)
Outras Instituições Participantes: FCUL, FCT/UNL
Coordenação: FJAS Barriga
Equipa MNHN: P Dantas, L Póvoas B Ribeiro, E Malafaia
2009-2012
Understanding the origin and persistence of Microtus species in the Iberian
Peninsula: the genetical, behavior and ecological forces.
Ref. PTDC/BIA-BEC/103729/2008
Instituição proponente: FFCUL (MNHN/CBA)
Coordenação: C Bastos-Silveira
Equipa do MNHN: C Bastos-Silveira
2009-12
Monitoring Program of the Terrestrial and Estuarine Ecosystems in the
surroundings of the CTRSU in S. João da Talha
Instituição Proponente: FFCUL (FCUL)
Outras instituições participantes: MNHN/CBA
Coordenação: V Brotas, M Sim-Sim, L Gordo
Equipa MNHN: M Sim-Sim, C Garcia, T Almeida
2009-12
Flora y cartografia de briòfits
Ref. PT2008-S0213
Instituição proponente: IECB (Espanha)
Coordenação: M Brugués, RM Cros
Equipa MNHN: C Sérgio
2009-12
Beach Sand Code
Ref.: PTDC/CTE-GEX/64592/2006
Instituição Proponente: FFCUL (MNHN)
Outras instituições participantes: CGFCUL, LATTEX –IDL, IH, LNEC, IST
(CRENA)
Coordenação: J Cascalho
Equipa MNHN: J Cascalho
2009-12
Biogeografia de Corticeaceos (Basidiomycota) Macaronesicos: la conéxion
Africana.
Ref. CGL2009-07231/subprograma BOS
Instituição proponente: RJBM/CSIC (Espanha)
Outras instituições participantes: MNHN/CBA, UPB (Espanha)
Conselho Científico
41/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Coordenação: MT Telleria
Equipa MNHN: I Melo, J Cardoso
2009-10
European Red List (sub-tópico: European Red List of Vascular Plants)
Instituição Proponente: IUCN Species Programme, IUCN Species Survival
Commission and IUCN Regional Office for Europe
Coordenação: M Bilz (IUCN)
Equipa MNHN: J Magos Brehm
2009-2010
Projecto Arenaria: 'Distribuição e Abundância de Aves nas Praias e Costas de
Portugal.
Instituições Participantes: MNHN, ISPA - Instituto Universitário e SPEA
(Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves)
Coordenação: P Catry, JP Granadeiro
Equipa MNHN: P Catry, JP Granadeiro
2009-10
LISUTypes2009 – Conclusão da Informatização e Digitalização dos tipos na
colecção angolana de F. Welwitsch.
Instituição Proponente: MNHN
Coordenação: AID Correia
Equipa MNHN: AID Correia
2008-11
Estrutura genética e filogeografia das lampreias (Petromyzontidae): definição
de unidades de conservação e gestão
Ref. PTDC/BIA-BDE/71826/2006
Instituição proponente: UEvora
Outras Instituições Participantes: MNHN/CBA
Coordenação: PR Almeida
Equipa do MNHN: MJ Alves, C Mateus, M Lourenço
2008-11
GENESTREAM. Genética da paisagem em peixes de água doce: a dimensão
geográfica da diversidade genética.
Ref. PTDC/BIA-BDE/66519/2006
Instituição Proponente: FFCUL (MNHN/CBA)
Outras Instituições Participantes: FCUL/CG
Coordenação: MJ Alves
Equipa do MNHN: N Mesquita, F Filipe, M Drago
2008-11
Recuperar o passado, registar o presente e preparar o futuro das colecções
zoológicas em Portugal.
Conselho Cientifico
42/116
2010
Ref. PTDC/BIA-QOR/71492/2006
Instituição proponente: FFCUL (MNHN/CBA)
Outras Instituições Participantes: IICT, UMinho, CiBio
Coordenação: C Bastos-Silveira
Equipa do MNHN: JP Granadeiro, G Ramalhinho.
2008-11
Predicting age at death of immature skeletal remains from measurements of the
growing skeleton.
Ref. GB-TAF-4686, SYNTHESYS
Instituições Participantes: MNHN/CBA, NHM (London)
Coordenação: H Cardoso, L Humphrey
Equipa MNHN: H Cardoso
2008-11
Calonectris: Variações da temperatura superficial do mar no Atlântico e
tendências no sucesso alimentar, migração e dinâmica populacional de
cagarras Calonectris diomedea
Ref. PTDC/MAR/71927/2006
Instituição proponente: ISPA
Outras Instituições Participantes: MNHN/CBA
Coordenação: P Catry
Equipa MNHN: MP Dias, JP Granadeiro
2008-11
Análise dos processos evolutivos que terão estado na origem de “hotspots” de
biodiversidade. Estudo da região sul de Portugal baseado na análise de novas
abordagens multi-locus em peixes e anfíbios.
Ref. PTDC/BIA-BDE/69769/2006
Instituição proponente: FFCUL (FCUL/CBA)
Outras Instituições Participantes: MNHN/CBA, CiBiO
Coordenação: MM Coelho
Equipa do MNHN: MJ Alves, N Mesquita, M Drago
2008-11
Migratagis: Aves limícolas migradoras e invernantes como indicadoras da
qualidade de
ambientes estuarinos
Ref. PTDC/MAR/66319/2006
Instituição proponente: FFCUL (MNHN/CBA)
Outras Instituições Participantes: IO
Coordenação: JP Granadeiro
Equipa MNHN: T Catry, MP Dias
2008-11
BrioAtlas-Portugal (Atlas dos briófitos ameaçados de Portugal)
Conselho Científico
43/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Programa: Fundo EDP para a Biodiversidade 2008
Financiamento: EDP
Instituição Proponente: FUL (MNHN/CBA)
Outras Instituições participantes: CEBIO
Coordenação: C Sérgio
Equipa do MNHN: M Sim-Sim, C Garcia, L Luis
2008-11
URBSOIL-LISBON, Geoquímica dos solos urbanos de Lisboa: caracterização e
cartografia, suporte para futuros estudos de saúde humana.
Ref. PTDC/CTE-GEX/68523/2006
Instituição proponente: UAveiro
Coordenação: AP Reis
Equipa MNHN: C Sérgio (Consultora)
2008-10
Identification, characterisation and conservation of geological heritage: a
geoconservation strategy for Portugal.
Ref. PTDC/CTE-GEX/64966/2006
Instituição proponente: UMinho
Outras instituições participantes: 13 outras instituições
Coordenação: J Brilha
Equipa MNHN: FJAS Barriga, C Lopes, L Povoas, VF Santos
2008-10
Strategies for Zero Emission Fossil Fuel Energy in Portugal (ZeroEm)
Ref. PTDC/ENR/70767/2006
Instituição proponente: IST
Outras instituições participantes: FCUL, LA-ISR, CeGUL
Coordenação: P Cadete Ferrão
Equipa MNHN: FJAS Barriga
2008-10
Especializações individuais em albatrozes: os efeitos da idade, da
morfologia e de traços comportamentais.
Ref. Ano Polar Internacional/FCT
Instituição proponente: ISPA
Outras Instituições Participantes: MNHN/CESAM
Coordenação: P Catry
Equipa MNHN: JP Granadeiro
2008-10
Gestão Ecológica de Áreas Revegetadas em Pedreiras Calcárias.
Instituição proponente: FFCUL (FCUL/CBA)
Outras instituições participantes: MNHN
Coordenação: O Correia
Conselho Cientifico
44/116
2010
Equipa do MNHN: A Clemente, AID Correia
2007-10
H2Deep – EuroMarc Collaborative Research Project /0001/2007 Ultra-slow
spreading and hydrogen-based deep biosphere: A site survey proposal for zeroage drilling of the Knipovich Ridge
Instituição proponente (geral): CGB/UB (Noruega)
Instituição proponente (Portugal): FCUL/Creminer LA-ISR
Outras instituições participantes: MNHN e 6 instituições da Suécia, Suíça,
França, UK
Equipa MNHN: FJAS Barriga, Á Pinto
2007 – 10 – SOS Alterações Climáticas e Biodiversidade
Outras instituições participantes: ISCTE, ES + 2,3 Passos Manuel, ES + 3º
ciclo Pedro Nunes, Conservatório Nacional de Lisboa, ES + 2,3 Gil Vicente
Coordenação: P Castro, MA Martins-Loução
Equipa MNHN: R Barata
2007-10
IMBAMBA - Implementar o Acesso à Informação sobre Biodiversidade e a
Gestão de Colecções Botânicas em Angola.
Ref. PTDC/BIA-QOR/66702/2006
Instituição Proponente: IICT
Outras Instituições Participantes: MNHN
Coordenação: L Catarino
Equipa MNHN: AID Correia
2005-10
História das expedições científicas à ilha de S.Tomé e Príncipe. Caracterização
da biodiversidade de briófitos com base no inventário das colecções de
herbário.
Ref. POCTI/AFR/58699/2004
Instituição Proponente: FUL (MNHN/CBA)
Outras Instituições Participantes: UC/IAV, IICT
Coordenação: C Sérgio
Equipa MNHN: C Garcia
2005 -10.
Biomonitoring of tropospheric ozone and assessment of the ozone sensitivity of
Medterranean vegetation.
Ref. POCI/AMB/57228/2004
Instituição Proponente: CVRM-IST
Outras instituições participantes: MNHN/CBA, FCUL/CBA, IICT
Coordenação: R Figueira
Equipa MNHN: P Matos, C Sérgio
Conselho Científico
45/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
2005 -10.
Exposição fetal a chumbo determinada por biomarcadores humanos e
ambientais - investigação da influência na reprodução humana e sistema
nervoso autónomo de ratos.
Ref. FEXHE-BIO. POCTI/SAU-ESP/62115/2004
Instituição Proponente: AID-FMUL
Outras Instituições Participantes: MNHN/CBA, UAveiro, CERENA-IST
Coordenação: F Reis
Equipa de MNHN: C Sérgio
Participação em Redes Internacionais e Comités
Científicos
O MNHN participa em 11 redes internacionais e em 21 comités científicos:
COST 729 - Assessing and Managing Nitrogen Fluxes in the AtmosphereBiosphere System in Europe. Delegada portuguesa: MA Martins-Loução. Esta
Acção em rede permite o intercâmbio de conhecimentos sobre os fluxos de N
ao nível do sistema solo-planta-atmosfera e procura desenvolver
conhecimentos aplicados à minimização de efeitos negativos sobre os
ecossistemas. http://www.cost729.org
Ecsite - the European Network of Science Centres and Museums com a
participação do Dep. de Mineralogia e Geologia do MNHN. É a rede europeia
que liga profissionais da comunicação da ciência de mais de 400 instituições
em 50 países. Fundada há 20 anos, Ecsite relaciona as instituições membro
através de projectos e actividades e promove a troca de ideias e das melhores
práticas para prossecução da comunicação.
ENSCONET – European Native Seed Conservation Network, coordenada em
Portugal por MA Martins-Loução e conta também com a participação de D
Brocas, A Clemente, I Marques, C Tauleigne Gomes. Esta rede tem como
objectivo desenvolver protocolos metodológicos de colheita, preparação e
armazenamento de sementes de plantas autóctones presentes em 6 regiões
biogeográficas na Europa e é coordenada internacionalmente por Simon
Linington (Royal Botanic Gardens, Kew). http://www.ensconet.eu
“European Network of Bioacoustic Collections for Taxonomy, Systematics and
Conservation”, com a participação de PAM Marques. Esta rede envolve 15
instituições de 9 países. O objectivo é incentivar a cooperação entre
instituições, investigadores e amadores de modo a prover o conhecimento e a
utilização da bioacústica na investigação e na conservação da natureza.
http://www.ibac.info/bioac_collections.html.
Conselho Cientifico
46/116
2010
FISHBOL EUROPE - European Regional Working Group of the Fish Barcode of
Life Initiative, e ABBI - All Birds Barcoding Initiative, com a participação de MJ
Alves e C Bastos-Silveira. Estas redes são membros do Consortium for the
Barcode of Life – CBOL, que envolve mais de 40 países num esforço integrado
para catalogar a imensa biodiversidade do nosso planeta.
Global Biodiversity Information Facility (GBIF), com a participação de C BastosSilveira, P Carvalho, JP Granadeiro, MA Martins-Loução, I Melo, C Sérgio. Esta
rede proporciona o acesso livre e gratuito para todos, através da Internet, a
dados primários de Biodiversidade. É constituída por 209 provedores de dados
de 42 países, com 1009 colecções e disponibilizando mais de 136 milhões de
registos. O MNHN é um dos provedores registados através de
http://data.gbif.org/datasets/provider/212, onde são disponibilizados mais de 24000
registos, correspondentes a duas colecções: Briófitos e Líquenes.
KeyToNature, rede focada na utilização de ferramentas eductivas interactivas
para a identificação de organismos. Tem como objectivo promover, o
conhecimento sobre a biodiversidade, a todos os níveis de ensino através da
Europa. Este projecto envolve 14 instituições provenientes de 11 países da
comunidade europeia e diversos membros associados, entre os quais o Jardim
Botânico da Universidade de Lisboa (MNHN).
IUCN SSC Bryophyte Specialist Group – http://www.artdata.slu.se/guest/
SSCBryo/SSCBryo.html, através do Jardim Botânico.
IUCN SSC Crop Wild Relative Specialist Group – http://www.cwrsg.org/,
através de J Magos Brehm.
IUCN SSC Tapir Specialist Group – http://www.tapirs.org/, com a participação de
C Luís (co-coordenadora do comité de genética).
Rede Internacional InterRidge através de FJAS Barriga
Comissão de Coordenação Científica da Candidatura Ibérica de um conjunto
de jazidas com pegadas de dinossáurios, designada IDPI (Icnitas de
Dinossáurios da Península Ibérica) a Património Mundial da UNESCO através
de FJAS Barriga e VF Santos.
Commission on Bryophytes (2007-2013) - Organization for the PhytoTaxonomic Investigation of the Mediterranean Area (OPTIMA) através do
Jardim Botânico.
ECCBEuropean
Committee
for
Conservation
http://www.bio.ntnu.no/ECCB/ através do Jardim Botânico.
of
Bryophytes-
European Consortium for Oceanic Research Drilling (Ecord) através de FJAS
Barriga (delegado de Portugal Ecord Council)
Conselho Científico
47/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Integrated Ocean Drilling Program, IODP: FJAS Barriga é membro do IODP
Council e do International Working Group Plus (IWG+)
Membro da Associação dos Jardins Históricos, através do Jardim Botânico.
Membro da Comissão Editorial da Flora Micológica Ibérica (Real Jardín
Botánico, CSIC, Espanha) através de I Melo.
Membro do Comité Científico do Coastal Hope 2010, Lisboa, 14-17 de Junho
de 2010. J Cascalho
Membro do Comité Científico das III Congresso Ibérico de Paleontologia / XXVI
Jornadas de la Sociedad Española de Paleontologia. Lisboa, 7 a de 10 Julho
2010. VF Santos.
Membro do Comité Científico do VIII Encuentro de Jóvenes Investigadores en
Paleontología Enciso (La Rioja, Espanha), 21 a 24 de Abril de 2010. VF Santos
Membro do Comité Científico das V Jornadas Internacionales sobre
Paleontología de Dinosaurios y su Entorno. Salas de los Infantes (Burgos,
Espanha), Setembro de 2010. VF Santos.
Membro do Conselho Científico (Paleontologia) da Federação Portuguesa de
Espeleologia, através de VF Santos
Membro do Conselho Científico (Paleontologia) do Monumento Natural das
Pegadas de Dinossáurio da Serra de Aire, através de VF Santos
Membro do Conselho Científico (Paleontologia) da revista National GeographicPortugal, através de VF Santos
Membro do “Editorial Council of Flora Ibérica (Musgos) of the Sociedade
Espanhola de Briologia” http://www.uam.es/informacion/asociaciones/SEB/,
através do Jardim Botânico.
Membro do Grupo Consolidad de Recerca per la Generalitat de Catalunya
(SGR), através do Jardim Botânico (desde 2008)
Membro da International Marine Mining Society, através de FJAS Barriga
Membro do InterRidge Working Group on Submarine Mineralisations, através
de FJAS Barriga
Membro do “IUCN/NSSC Bryophyte specialist group”, tendo colaborado no
desenvolvimento do projecto “The 2000 IUCN World Red List of Bryophytes”
http://www.artdata.slu.se/guest/SSCBryo/SSCBryo.html,
através
do
Jardim
Botânico.
Conselho Cientifico
48/116
2010
Membro de “OPTIMA, Bryophyte Commission”, através do Jardim Botânico
(desde 2001).
Membro da Sociedade Geológica de Portugal através de FJAS Barriga que foi
incumbido de revitalizar o Grupo de Especialidade nacional em Mineralogia,
incluindo a ligação institucional, em rede, entre a SGP e a International
Mineralogical Association (IMA)
Formação Avançada
O MNHN tem reforçado nos últimos anos a sua participação em acções
formação avançada. Neste sentido, tem colaborado activamente em cursos
mestrado, licenciatura e outros de formação avançada, bem como
supervisão de alunos de doutoramento, mestrado, pós-graduação
licenciatura.
de
de
na
e
Os investigadores do MNHN, em 2010 participaram na formação de 55
estudantes, sendo 21 alunos de doutoramento, 26 de Mestrado e 8 estagiários.
Orientação de Teses de Doutoramento
2009-13. Elisabete Malafaia. Estudo dos terópodes do Jurássico Superior
português, nomeadamente de Allosaurus. Orientador: Francisco Ortega.
Universidade de Lisboa.
2009-13. Inês Cruz. Prospecção hidrotermal em cristas lentas e ultra-lentas
sedimentadas no Árctico e Atlântico Norte. Orientador: FJAS Barriga.
Universidade de Lisboa.
2009-2013. Pedro Manuel Ferreira Lopes Dantas. Estudo geológico e
paleontológico do Jurássico Superior português. Orientadores: Francisco
Ortega e Nuno Pimentel. Universidade de Lisboa
2009-13. Soraia Sofia Coutinho Alves Bandeira Martins. Origin and
adaptative radiatiation of the Echinodiaceae: A Molecular phylogenetic and
biogeographic approach on the Macaronesian species. Orientadores: M SimSim, M Stech (Universidade Leiden, The Netherlands). Universidade de Lisboa.
2009. ASCMA Dias. Geochemistry of deep-sea hydrothermal sediments from
the Saldanha and Lucky Strike hydrothermal fields (Mid-Atlantic Ridge).
Orientador: FJAS Barriga. Universidade de Lisboa.
Conselho Científico
49/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
2008-12. Catarina Mateus. Definição de unidades de conservação e gestão
das lampreias (Petromyzontidae) através da análise da estrutura genética,
filogeografia e ecologia. Orientadores: PR Almeida (U Évora), MJ Alves.
Universidade de Évora.
2008-12. Helena Serrano. Caracterização dos constrangimentos ecológicos
para a conservação de espécies endémicas e raras do género Plantago.
Orientadores: MA Martins-Loução, C Branquinho (CBA). Universidade de
Lisboa.
2008-12. Ricardo Martins. Ecology and behaviour of wintering and migratory
waders in the Tagus estuary. Orientadores: JP Granadeiro, JM Palmeirim
(FCUL). Universidade de Lisboa.
2008-12. Ricardo Simões. Estudo dos incisivos e caninos numa população
portuguesa: Morfologia, Patologia e Terapêutica. Orientadores: H Cardoso, I
Caldas (FMDUP). Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.
2008-10. Alexandra Cartaxana. Biologia e ecologia do camarão Palaemon
lonngirostris, H. Milne Edwards, 1837 (Crustacea, Decapoda, Palaemonidae)
no rio Mira, Portugal. Orientadores: AM Correia, H Cabral (FCUL). Universidade
de Lisboa.
2007-11. Ana Raquel Barata. A educação ambiental no contexto da
sociedade: como promover comportamentos pró-ambientais? Orientadoras: P
Castro (ISCTE) e MA Martins-Loução. Instituto Superior de CTE.
2007-11. Filipa Monteiro. Isolation and expression analysis of genes related to
odour changes in Ophrys (Orchidaceae) pollination syndromes: unravelling the
bouquet Dynamics. Orientadores: F Schiestl (Institute of Systematic Botany,
Zurich), M Fay (Royal Botanic Gardens Kew, UK), M Mota (U Évora), H Cotrim.
Universidade de Évora.
2007-11. Joaquim Tapisso. How historical and present climate conditions
affected the distribution of the Mediterranean Water Shrew? A
phylogeographical and ecological approach. Orientadoras: ML Mathias (FCUL),
MG Ramalhinho. Universidade de Lisboa.
2007-10. Álvaro Manuel Madureira Pinto. Comparison Between the Paleozoic
Neves-Corvo Massive Sulphide Deposits and present-day Examples in the
Pacific Ocean. Orientador: FJAS Barriga. Universidade de Lisboa.
2007-10. Carlos Carvalho. Software applications for mineral identification.
2007-10. Isabel Amaral Costa. Genesis of breccias from the Mid-Atlantic
Ridge hydrothermal systems Lucky Strike and Menez Gwen. Orientador: FJAS
Barriga. Universidade de Lisboa.
Conselho Cientifico
50/116
2010
2007-10. Joana Micael. Biological aspects of Ophidiaster ophidianus
(Echinodermata, Asteridae): perspectives for its conservation. Orientadoras: AC
Costa (Univ. dos Açores), MJ Alves. Universidade dos Açores.
2007-10. João Xavier Matos. Alteração Hidrotermal Ácido-Sulfato Associada
aos Jazigos de Sulfuretos Maciços de Lagoa Salgada, Aljustrel e S. Domingos
(Faixa Piritosa Ibérica). Orientador: FJAS Barriga. Universidade de Lisboa.
2006-10. Ana Leal. Compatibilizando gestão e conservação: aves como
indicadores de biodiversidade em montados de sobro. Orientadores: JM
Palmeirim (FCUL), JP Granadeiro. Universidade de Lisboa.
2006-12. Carlos Alberto Lobo. O género Fissidens (Musci) na Macaronésia.
Sistemática molecular, ecologia e afinidades biogeográficas. Orientadores: S
Fontinha (Univ. Madeira), M Sim-Sim. Universidade da Madeira.
2000-10. David Draper Munt. Avaliação dos factores ambientais e
antropogénicos que condicionam a distribuição actual das espécies vegetais
endémicas na Península Ibérica. Orientadora: C Sérgio. Universidade de
Madrid.
Orientação de Teses de Mestrado
2010-2011. Ana Sofia Boa-Alma. Monitoring rates of roads pollution using
genetic biomarkers in small mammals. Mestrado em Biologia Humana e
Ambiente. Orientadores: G Ramalhinho, ML Mathias (FCUL). Faculdade de
Ciências, Universidade de Lisboa.
2010-11. Ana Sofia Dias. Dieta e Zonas de alimentação das Cagarras
Calonectris diomedea que nidificam nos arquipélagos da Selvagem e da
Berlenga. Orientadores: P Catry, R Rebelo (FCUL). Faculdade de Ciências,
Universidade de Lisboa
20010-11. Carla Silva. Optimização da germinação de espécies autóctones
para monitorização das colecções em Bancos de Sementes. Orientadores: A
Clemente, MD Espírito-Santo (ISA). Instituto Superior de Agronomia,
Universidade Técnica de Lisboa.
2010-11. Ivana Bosnic. Caracterização textural dos sedimentos arenosos
através da análise de imagem. Orientadores: J Cascalho, Rui Taborda (FCUL),
Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa.
2010-11. Maria Daniela Madelino Feijão. A Flora Medicinal e Aromática da
Herdade da Ribeira Abaixo, Grândola (Estação de Campo, CBA):
caracterização micromorfológica e dos óleos essenciais de Lavandula luisieri.
Conselho Científico
51/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Orientadores: AID Correia, G Teixeira. Faculdade de Ciências da Universidade
de Lisboa.
2010-11. Mariana Marques. Using feathers to gather information on the
wintering distribution, habitat and fitness of a pelagic seabird, the Cory’s
Shearwater Calonectris diomedea. Orientadores: M Dias, R Rebelo (FCUL).
Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa.
2010-11. Mariana Rocha. Efeito da Adenosina na transmissão neuromuscular
de um modelo transgénico de Esclerose Lateral Amiotrófica. Mestrado em
Neurociências. Orientadores: AM Correia, PA Pousinha (FMUL). Faculdade de
Medicina, Universidade de Lisboa.
2010-11. Mónica Ribeiro. Dinâmica sedimentar da zona de rebentação.
Orientadores: J Cascalho, Rui Taborda (FCUL), Faculdade de Ciências,
Universidade de Lisboa.
2009-10. Patrícia Sardinha. Colecções de História Natural como fonte de AND
degradado – teste de protocolos moleculares com aplicação à genetica
forense. Orientador: C Bastos-Silveira. Universidade de Lisboa.
2010-11. Rosa Maria Alves Pereira. Ilustração Botânica - Um resgate
histórico. Orientadores: P Salgado, AID Correia, A. Escudeiro. Instituto Superior
de Educação e Ciências.
2010-11. Sara Carolina Madeira. Diferenciação morfológica e genética de
Cerithidea decollata ao longo da costa leste Africana. Mestrado em Ecologia
Marinha. Orientadores: J Paula (FCUL), MJ Alves. Faculdade de Ciências,
Universidade de Lisboa.
2010-11. Sofia Isabel Fernandes Gomes. Caracterização morfológica e
molecular de Tricholoma equestre (L.) Kummer e de T. auratum (Paul. ex Fr.)
Gillet, com vista a uma contribuição para a segurança alimentar. Orientadores:
R Tenreiro, JL Baptista-Ferreira, I Melo. Universidade de Lisboa.
2010-11. Susana Pereira. A influência da Bioacústica na evolução da Ciência
em Portugal. Interface da Bioacústica e Monitorização da Biodiversidade.
Orientadores: PAM Marques, MT Cardoso (ISA). Instituto Superior de
Agronomia, Universidade Técnica de Lisboa.
2010-2011. Vânia Gaio. Genotoxicity of Pesticide in small mammals. Mestrado
em Biologia Humana e Ambiente. Orientadores: G Ramalhinho, ML Mathias
(FCUL). Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa.
2009-10. Ana Moedas. Efeito dos componentes da hidrossementeira na
germinação e crescimento de espécies autóctones. Orientadores: A Clemente,
O Correia (FCUL). Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.
Conselho Cientifico
52/116
2010
2009-10. Andreia Patrícia Valentim de Matos. Monitorização das taxas de
poluição urbana usando biomarcadores genéticos em micromamíferos.
Mestrado em Biologia Humana e Ambiente. Orientadores: MG Ramalhinho, ML
Mathias (FCUL). Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa.
2009-10. David Rodrigues. Padrões de movimento de C. alpina e P.
squatarola nas áreas de alimentação do estuário do Tejo. Orientadores: JP
Granadeiro, J Rabaça (UE). Universidade de Évora.
2009-10. José Gomes. Estudo sobre a estatura e condições de vida de uma
amostra da colecção de esqueletos identificados da Museu Bocage (MNHN –
Lisboa). Orientadores: H Cardoso, C Padez (FCTUC). Faculdade de Ciências e
Tecnologia, Universidade de Coimbra.
2009-10. Katerina Puentes. Análise de marcas de instrumentos cortantes em
material osteológico e cartilagem. Orientadores: H Cardoso. Faculdade
Medicina, Universidade do Porto.
2009-10. Luís Rosa. Aves limícolas como indicadores da qualidade dos
ambientes estuarinos. Orientadores: JP Granadeiro, J Rabaça (UE).
Universidade de Évora.
2009-10. Patrícia Sardinha. Optimização de técnicas de extracção e
amplificação de ADN degradado para aplicação forense. Orientadores: C.
Bastos-Silveira, D. Dias (FCUL). Faculdade de Ciências da Univ. de Lisboa.
2009-10. Ricardo Correia. The effects of management practices in Montado
Birds. Orientadores: JP Granadeiro, J Palmeirim. Faculdade de Ciências,
Universidade de Lisboa.
2009-10. Vanessa Campanacho. Influência da actividade ocupacional na
senescência óssea, no sulco preauricular e nos marcadores músculoesqueléticos do osso coxal em esqueletos identificados do sexo masculino.
Orientadores: H Cardoso, A Santos (FCTUC). Faculdade de Ciências e
Tecnologia, Universidade de Coimbra.
2009-10. Vânia Teixeira. Factores socio-económicos na infância e obesidade
no adulto. Orientadores: H Cardoso, A Azevedo (FMUP). Faculdade de
Medicina, Universidade do Porto.
2008-10. Eunice Conceição. Maturação óssea do joelho e a sua utilidade para
a estimativa da idade partindo do método radiográfico de Pyle e Hoerr.
Mestrado em Biologia Humana e Ambiente. Orientadores: H Cardoso, MA
Gama (FCUL). Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa.
2007-10. Fernando Faria. Determinação da Idade à morte através das
Alterações Morfológicas na Clavícula – Da Adolescência à Idade Adulta – e
Conselho Científico
53/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Impacto de Factores Ambientais. Mestrado em Biologia Humana e Ambiente
(DBA, Univ. Lisboa). Orientadores: H Cardoso, MA Gama (FCUL). Faculdade
de Ciências, Universidade de Lisboa.
Orientação de Estágios Profissionalizantes e Outros
2010-2011. Ana Margarida Lagartinho Lopes Ilustração de Aves e
Mamíferos: Duas perspectivas diferentes da aplicação da Ilustração Científica
num contexto museológico. Responsável: Cristiane Bastos-Silveira. Instituto
Superior de Educação e Ciências.
2010-2011. Sara Sánchez del Campo. Seed illustration for seed bank
dissemination and environmental education. ARGO Global. Orientadores: MA
Martins-Loução, A Clemente, R Barata.
2010. Daniela Rodrigues. Conservação de Colecções Antropológicas. Estágio
Profissional. Universidade de Coimbra. Orientador: H Cardoso.
2010 (Setembro-Novembro). Nagore García Medina - Estágio no ambito de
Doutoramento Europeu. Responsáveis. C Garcia e C Sérgio. Universidade
Autónoma de Madrid.
2010 - Nereida Sánchez Rico - Developing educational resources on
biodiversity conservation. Programa Leonardo Da Vinci. Orientadoras: MA
Martins-Loução, R Barata
2009-10. Ana Sofia Salvador Santos. Taxonomia, distribuição e ecologia de
briófitos de áreas inexploradas de Portugal. Bolsa de Integração na
Investigação (BII) CBA (Univ. Lisboa). Orientadora: C Sérgio.
2009-10. Patricia Alexandra Pinheiro dos Santos. Projecto de trabalho no
âmbito de Bolsa Fundação Amadeu Dias: Selecção de novas regiões
genómicas para a Sistemática Molecular de Silene sect. Siphonomorpha Otth.
Bolsa Fundação Amadeu Dias/ Universidade de Lisboa. Orientadora: Helena
Cotrim
2009-10. Pedro Lopes. Análise e reclassificação de crânios de Cetáceos do
Miocénico português (Adiça, Península de Setúbal). Bolsa Amadeu Dias/
GeoFCUL. Orientadores: FJAS Barriga, L Povoas.
Organização de Cursos de Formação Avançada
Curso “Natural History Collections and Biodiversity” no âmbito dos programas
doutorais em Biologia (Universidade de Lisboa) e em Biodiversidade, Genética
e Evolução (Universidade de Lisboa e Universidade do Porto)
Conselho Cientifico
54/116
2010
11 a 14 de Outubro de 2010.
Organização: MNHN/CBA
Coordenador: MJ Alves
Formadores: MJ Alves, C Bastos-Silveira, T Catry, A Clemente, AID Correia, C
Garcia, JP Granadeiro, PAM Marques, N Mesquita, C Sérgio.
Participação em Cursos de Formação Avançada
Clemente A – Leccionou dois cursos de formação - Conservação de sementes
a longo prazo, no âmbito de colaborações com o Jardim Botânico do Faial e a
Universidade Eduardo Mondlane (Maputo). Museu Nacional de História Natural,
Universidade de Lisboa.
Correia AM – Leccionou aulas práticas sobre efeito de neuromodeladores em
junção neuromuscular através do uso de técnicas de registo intracelular no
âmbito do programa de Mestrado/Doutoramento em Neurociências, Faculdade
de Medicina, Universidade de Lisboa.
Granadeiro JP – Leccionou aulas de "Biologia Animal: Aves" a ca. 200
alunos do primeiro ciclo do curso de Biologia da Faculdade de Ciências
da Universidade de Lisboa. Museu Nacional de História Natural,
Universidade de Lisboa.
Mesquita N – Leccionou aula teórica, intitulada “Novas colecções e a utilização
das colecções de História Natural em estudos de genética”, no âmbito da
disciplina Genética Animal Aplicada do 3º ano da Licenciatura em Biologia,
Ramo Biologia Evolutiva e do Desenvolvimento, da Faculdade de Ciências da
Universidade de Lisboa.
Sim-Sim M – Leccionou o estágio prático de formação avançada:
“Caracterização ecológica e biodiversidade dos géneros Echinodium e Andoa”
no âmbito do Doutoramento de Soraia Martins como o tema “Origem e radiação
adaptativa de musgos endémicos da Macaronésia: Abordagem filogenética e
biogeográfica dos géneros Echinodium (Echinodiaceae) e Andoa (Hypnaceae).
Jardim Botânico, Museu Nacional de História Natural, Universidade de Lisboa.
Santos VF – Leccionou duas aulas num seminário sobre a história e o papel da
ilustração na Paleontologia, no curso de Mestrado de Ilustração organizado
pelo Instituto Superior de Educação e Ciência e pela Universidade de Évora a
26 de Maio de 2010.
Participação em Júris de Teses
Correia AM - Arguência da tese de mestrado em Biologia da Conservação de
Carla Maria das Neves Marques, intitulada “Prey depletion by the Eurasian otter
Conselho Científico
55/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
(Lutra lutra) in a Mediterranean stream, SW Portugal, during summer drought”.
Universidade de Évora.
Correia AM - Arguência da tese de mestrado em Biologia da Conservação de
Miriam Pedroza Ferreira, intitulada “Interactions between indigenous and non
indigenous species: waterbird-mediated Crayfish Procambarus clarkii dispersal.
Universidade de Évora.
Mesquita N – Arguência da tese de mestrado em Biologia Humana e Ambiente
de Patrícia Sardinha, intitulada “Colecções de História Natural como fonte de
ADN degradado – teste de protocolos moleculares com aplicação à genética
forense”. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.
Sérgio C – Júri das provas de doutoramento de Leena Luis intitulada “Briófitos
ripicolas de ecossistemas aquáticos. Biodiversidade, bioindicação e
conservação” (SFRH/BD/12444/2003). Jardim Botânico - Museu Nacional de
História Natural, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Março de
2010.
Santos VF – Júri das provas de doutoramento em Biologia (Paleontologia) de
Bernat Vila Ginesti intitulada “Los saurópodos del Cretácico tardío del sur de
Europa: diversidad, icnología y biología reproductiva”. Universidad Autónoma
de Madrid.
Sérgio C – Como orientadora da tese de doutoramento de David Draper Munt
intitulada “Avaliação dos factores ambientais e antropogénicos que
condicionam a distribuição actual das espécies vegetais endémicas na
Península Ibérica”Orientadores: José Iriondo Alegria (Univ Rey Juan Carlos) e
C Sérgio (Univ. Lisboa).
Sim-Sim M – Arguente das provas de doutoramento em Biologia (Ecologia) de
Palmira da Graça Gonçalves de Carvalho intitulada “O género Collema F.H.
Wigg. na Península Ibérica”. Universidade de Lisboa.
Sim-Sim M – Como orientadora da tese de doutoramento de Leena Luis
intitulada “Briófitos ripicolas de ecossistemas aquáticos. Biodiversidade,
bioindicação e conservação” (SFRH/BD/12444/2003). Jardim Botânico - Museu
Nacional de História Natural, Faculdade de Ciências da Universidade de
Lisboa. Março de 2010.
Conselho Cientifico
56/116
2010
Trabalhos Publicados
Os investigadores do MNHN e respectivas equipas publicaram, em 2010, um
total de 108 trabalhos, incluindo 72 artigos em revistas científicas, 17 artigos
em actas de encontros científicos e 19 capítulos de livros.
Revistas Científicas
Branquinho C, Pinho P, Dias T, Máguas C, Cruz C & Martins-Loução MA. 2010.
Lichen transplants at our service for atmospheric NH3 deposition assessments.
Biblioteca Lichenologica 105: 103-112.
Brugués M & Sérgio C. 2010. On the identity of some Entosthodon species
endemic to Macaronesia or the North of Africa Cryptogamie, Bryologie 31: 277280.
Buchbender V, Hespanhol H, Sérgio C, Séneca A, Hedenäs L & Quandt D.
2010. Phylogenetic reconstructions of the Hedwigiaceae (Bryophyta) reveal
cryptic speciation and hybridisation in Hedwigia. Australian Journal of Botany 57
(in press).
Cardoso HFV. In press. Testing Discriminant Functions for Sex Determination
from Deciduous Teeth. Journal of Forensic Sciences. DOI: 10.1111/j.15564029.2010.01530.x
Cardoso HFV & Caninas M. 2010. Secular trends in social class differences of
height, weight and BMI of Portuguese of boys from two schools in Lisbon,
Portugal (1910-2000). Economics and Human Biology. 8: 111-120
Cardoso HFV & Rios L. In press. Age Estimation from Stages of Epiphyseal
Union in the Presacral Vertebrae. American Journal of Physical Anthropology
DOI: 10.1002/ajpa.21394
Cardoso HFV & Severino RSS. In press. The Chronology of Epiphyseal Union
in the Hand and Foot from Dry Bone Observations. International Journal of
Osteoarchaeology. DOI: 10.1002/oa.1097
Cardoso HFV, Heuzé Y & Júlio P. 2010. Secular change in the timing of dental
root maturation in Portuguese boys and girls. American Journal of Human
Biology 22: 791-800.
Cardoso HFV, Santos A, Dias R, Garcia C, Pinto M, Sérgio C & Magalhães T.
In press. Establishing a minimum post-mortem interval of human remains in an
advanced state of skeletonisation using the growth rate of bryophytes and of
plant roots. International Journal of Legal Medicine DOI: 10.1007/s00414-0090372-5
Conselho Científico
57/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Cardoso I, Cabral H & Granadeiro JP. 2010. Benthic macroinvertebrates
vertical distribution in the Tagus estuary: the influence of tidal cycle. Estuarine
Coastal and Shelf Science 86: 580-586.
Carvalho LM, Antunes PM, Martins-Loução MA & Klironomos JN. 2010.
Disturbance influences the outcome of plant-soil biota interactions in the
invasive Acacia longifolia and in native species. Oikos 119: 1-9.
Catry I, Dias MP, Catry T, Afanasyev V, Fox J, Franco A & Sutherland W. In
press. Individual variation in migratory movements and winter behaviour of
Iberian Lesser Kestrels Falco naumanni revealed by geolocators. Ibis.
Catry P, Granadeiro JP, Ramos J, Phillips RA & Oliveira P. In press. Either
taking it easy or feeling too tired: old Cory’s Shearwaters display reduced
activity levels while at sea. Journal of Ornithology.
Catry P, Phillips RA, Forster IP, Matia R, Lecoq M, Granadeiro JP & Strange I.
2010. Brood-guarding duration in black-browed albatrosses Thalassarche
melanophris: temporal, geographical and individual variation. Journal of Avian
Biology 41: 460-469.
Conceição ELN & Cardoso HFV. In press. Environmental Effects on Skeletal
Versus Dental Development II: Further Testing of a Basic Assumption in Human
Osteological Research. American Journal of Physical Anthropology.
Correia PJ, Gama F, Pestana M & Martins-Loução MA. 2010. Tolerance of
young (Ceratonia siliqua L.) carob rootstock to NaCl. Agricultural Water
Management 97: 777-938.
Cruz C, Dias T, Pinho P, Branquinho C, Máguas C, Pinto MJ & Martins-Loução
MA. In press. Policies for plant diversity conservation on a global scale: a
SWOT analysis. Plant conservation for the next decade: a celebration of Kew’s
250th anniversary. Kew Bulletin.
Dias ÁS, Früh-Green GL, Bernasconi SM, Barriga FJAS, Seahma & Charles
Darwin 167 cruise teams. In press. Geochemistry and stable isotope constraints
on high temperature activity from sediment cores of the Saldanha hydrothermal
field. Marine Geology.
Dias ÁS, Mills RA, Ribeiro da Costa I, Costa R, Taylor RN, Cooper MJ &
Barriga FJAS. 2010. Tracing fluid-rock reaction and hydrothermal circulation at
the Saldanha hydrothermal field. Chemical Geology 273: 168-179
Dias MP, Granadeiro JP, Phillips R, Alonso H & Catry P. In press. Breaking the
routine: individual Cory’s shearwaters shift winter destinations between
hemispheres and across ocean basins. Proceedings of the Royal Society B.
Conselho Cientifico
58/116
2010
Figueiredo AC, Garcia C, Sim-Sim M, Sérgio C, Pedro LG & Barroso JG. 2010.
Volatiles from Plicanthus hirtellus (F.Weber) R.M. Schust. and Radula boryana
(F.Weber) Nees (Hepaticae) grown in São Tomé e Príncipe Archipelago.
Flavour Fragr. J. 25: 219-222.
Fonseca R, Barriga FJAS & Conceição P. 2010. Clay minerals in sediments of
Portuguese reservoirs and their significance as weathering products from overeroded soils. Comparative study of the Maranhão, Monte Novo and Divor
Reservoirs (South Portugal). International Journal of Earth Sciences 99: 18991916. DOI 10.1007/s00531-009-0488-3
Fontinha S, Sim-Sim M & Sérgio C. In press. The genus Porella (Porellaceae,
Marchantiophyta) in Madeira Archipelago: ecological and morphological
approaches. Nova Hedwigia Beiheft 136.
Gante HF, Santos CD & Alves MJ. 2010. Phylogenetic relationships of the
newly described species Chondrostoma olisiponensis Gante et al. (Teleostei:
Cyprinidae). Journal of Fish Biology 76: 965-974.
Garcia C, Vieira C & Sérgio C. 2010. New data about the extinct liverwort
Porella pinnata L. (Porellaceae, Jungermanniales, Hepaticae) in Portugal.
Cryptogamie Bryologie 31: 101-105.
Hespanhol H, Séneca A & Sérgio C. 2010. Bryophytes from exposed rock
outcrops in the North and Centre of Portugal: distribution and conservation.
Boletin Sociedad Española Briologia 34/35: 19-35.
Hespanhol H, Séneca A, Figueira R & Sérgio C. 2010. Bryophyte-environment
relationships in rock outcrops of North-western Portugal: the importance of
micro and macro-scale variables. Cryptogamie, Bryologie 31: 147-161.
Jorge PE, Marques PAM & Phillips JB. 2010. Activational effects of odours on
avian navigation. Proc. R. Soc. Lond. B 277: 45-49. 10.1098/rspb.2009.1521
Lecoq M, Catry P & Granadeiro, JP. In press. Population trends of Cory’s
Shearwaters Calonectris diomedea borealis breeding at Berlengas Islands,
Portugal. Airo
Lobo C, Fontinha S, Luís L & Sim-Sim M. 2010. Fissidens sublimbatus Grout.
In: Ellis LT. et al. New national and regional bryophyte records,24. Journal of
Bryology 32: 232.
Lourenço PM, Mandema FS, Hooijmeijer JCEW, Granadeiro JP & Piersma T.
2010. Site selection and resource depletion in black-tailed godwits Limosa l.
limosa eating rice during northward migration. Journal of Animal Ecology 79:
522-528.
Conselho Científico
59/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Luís L, Bergamini A, Figueira R & Sim-Sim M. 2010. Ripicolous bryophyte
commnities in Madeira Island: Patterns and determinants of species richness.
Journal of Bryology 32: 32-45.
Luís L, Sim-Sim M & Fontinha S. 2010. Tortula pallida (Lindb.) R.H.Zander. In:
Ellis LT. et al. New national and regional bryophyte records, 24. Journal of
Bryology 32: 235.
Magos Brehm J, Maxted N, Martins-Loução MA & Ford-Lloyd BV (2010) New
approaches for establishing conservation priorities for socio-economically
important plant species. Biodiversity and Conservation 19: 2715-2740.
Malafaia EF, Ortega FE, Dantas P, Pimentel N, Gasulla J, Ribeiro B, Barriga F
& Sanz J. 2010. Vertebrate fauna at the Allosaurus fossil-site of Andrés (Upper
Jurassic), Pombal, Portugal. Journal of Iberian Geology 36: 193-204.
Marques I, Tauleigne Gomes C & Draper D. 2010. Rumex palustris Sm.
(Polygonaceae), nueva especie para la flora de Portugal. Acta Botanica
Malacitana 35: 130-132.
Marques I, Fuertes Aguilar J, Martins-Loução MA & Nieto Feliner G. In press.
Habitat disturbance determines the strength of isolating barriers in autumnal
hybridizing species of Narcissus. Proceedings of the Royal Society B.
Marques I, Nieto Feliner G, Draper D, Martins-Loução MA & Fuertes Aguilar J.
In press. Molecular chromosomal reproductive and niche modelling evidence
unravel the origin of orphan hybrid populations in Narcissus. Molecular Ecology.
Marques I, Nieto Feliner G, Draper D, Martins-Loução MA & Fuertes Aguilar J.
In press. Unraveling cryptic reticulate relationships and the origin of orphan
hybrid disjunct populations in Narcissus. Evolution.
Marques I, Nieto Feliner G, Martins-Loução MA & Fuertes Aguilar J. In press.
Fitness In Narcissus hybrids: low fertility is overcome by early hybrid vigor,
absence of exogenous selection and high bulb propagation. Evolution.
Marques PAM, De Araújo C & Vicente LM. 2010. Nestling call modification
during early development in a colonial passerine. Bioacoustics 20: 45-58.
Marques PAM, Sowter D & Jorge PE. 2010. Gulls can change their migratory
behavior during lifetime. Oikos 119: 946-951. 10.1111/j.16000706.2009.18192.x
Neto de Carvalho C, Rodrigues NPC, Viegas PA, Baucon A & Santos VF. 2010.
Patterns of occurrence and distribution of crustacean ichnofossils in the Lower
Jurassic–Upper Cretaceous of Atlantic occidental margin basins, Portugal. Acta
Geol. Polonica 60: 19–28.
Conselho Cientifico
60/116
2010
Nunes AC, Catalan J, Lopez J, Ramalhinho M da Graça, Mathias M da Luz &
Britton-Davidian J. 2010. Fertility assessment in hybrids between
monobrachially homologous Rb races of the house mouse from the island of
Madeira: implications for modes of chromosomal evolution. Heredity 2010: 1–9.
Pedersen RB, HT Rapp, IH Thorseth, M Lilley, FJAS Barriga, T Baumberger, G
Bernasconi-Green, K Flesland, R Fonseca & SL Jorgensen. 2010. Discovery of
a black smoker vent field and a novel vent fauna at the Arctic Mid-Ocean
Ridges. Nature (in press)
Pérez Garcia A & Ortega F. In press. Selenemys lusitanica gen. et sp. nov., a
new pleurosternid turtle (Testudines, Paracryptodira) from the Upper Jurassic of
Portugal. Journal of Vertebrate Paleontology.
Porto M, Ramalho CE, Pereira AJ, Vitorino JL, Tauleigne Gomes C & Carapeto
A. 2010. Adições corológicas de taxa relevantes para as províncias do Baixo
Alentejo e Algarve - Portugal. Silva Lusitana 18: 103-113.
Porto M, Pereira AJ, Vitorino JL & Tauleigne Gomes C. 2010. Cyperus
distachyos All. (Cyperaceae) observado em novas localidades portuguesas
setenta anos após a última colheita. Silva Lusitana 19.
Pousinha PA, Correia AM, Sebastião AM & Ribeiro JA. 2010. Modulation of the
rat neuromuscular transmission by adenosine upon ageing. Purinergic
Signalling 6 (Suppl 1): S102.
Pousinha PA, Correia AM, Sebastião AM & Ribeiro JA. 2010. Predominance of
adenosine excitatory over inhibitory effects on transmission at the
neuromuscular junction of infant rats. Journal of Pharmacology and
Experimental Therapeutics 332: 153-163.
Reis AP, Patinha C, Ferreira da Silva E, Sousa A, Figueira R, Sérgio C &
Novais V. 2010. Assessment of human exposure to environmental heavy
metals in soils and bryophytes of the central region of Portugal. International
Journal of Environmental Health Research 20: 87-113.
Relvas JMRS, Povoas L, Costa T, Matos J, Varela T, Lopes C & Barriga FJAS.
In press. Project “Underground Visit to the Lousal Mine”: rehabilitation of a
closed mine in the Iberian Pyrite Belt towards sustainable development and
preservation of mining heritage. PROGEO Special Volume (In press).
Santos CD, Palmeirim JM & Granadeiro JP. 2010. Choosing the best foraging
microhabitats: individual skills constrain the choices of dunlins. Journal of Avian
Biology 41: 1-7.
Conselho Científico
61/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Santos, CD, Palmeirim JM & Granadeiro JP 2010. Choosing the best foraging
microhabitats: individual skills constrain the choices of dunlins Calidris alpina.
Journal of Avian Biology 41: 18-24.
Sérgio C & Garcia C. In press. Bryophyte flora of São Tomé E Príncipe
Archipelago: Annotated Catalogue based on past researches. Cryptogamie,
Bryologie.
Sérgio C, Garcia C & Martins A. 2009. Bryum moravicum Podp. in Blockeel TL.
Bryological Notes. New national and regional bryophyte records, 22. Journal of
Bryology 31: 201-202.
Sérgio C, Garcia C & Silva I. In press. As primeiras expedições científicas ao
Arquipélago de São Tomé e Príncipe. Bases histórico-científicas e o
conhecimento da briologia Africana. Boletim da Sociedade Broteriana, 72.
Sérgio C, Sim-Sim, M & Luis L. 2010. Atrichum androgynum (Müll.Hal.)
A.Jaeger in Portugal, Azores and Madeira, new to the European bryoflora.
Cryptogamie, Bryologie 31: 281-288.
Sérgio C, Stow S, Brugués M & Cros RM. 2010. Entosthodon mouretii Corb.
Jelenc in Portugal. New areas of ocurrence worldwide. Journal of Bryology 32:
239-241.
Sérgio C, Vieira C, & Claro D. In press. Conocephalum salebrosum
Szweykowski, Buczkowska & Odrzykoski (Marchantiopsida) a hygrophytic
species new to the bryophyte flora of Portugal, Madeira and Azores. Journal of
Bryology.
Sérgio C, Vieira C, Silva I, Brugués M, Cros R, & Stow S. 2010. Update on the
distribution, ecology and conservation of Fissidens fontanus in Portugal. Field
Bryology 101: 9-12.
Silva IC, Alves MJ, Paula J & Hawkins SJ. 2010. Population differentiation of
the shore crab Carcinus maenas (Brachyura, Portunidae) in the southwest
English coast based on genetic and morphometric analyses. Scientia Marina
74: 435-444.
Silva IC, Mesquita N & Paula J. 2010. Genetic and morphological differentiation
of the mangrove crab Perisesarma guttatum (Brachyura: Sesarmidae) along an
East African latitudinal gradient. Biological Journal of the Linnean Society 99:
28-46. (http://www3.interscience.wiley.com/journal/123218436/abstract)
Silva IC, Mesquita N & Paula J. 2010. Lack of population structure in the fiddler
crab Uca annulipes along an East African latitudinal gradient: genetic and
morphometric evidence. Marine Biology 157: 1113-1126.
Conselho Cientifico
62/116
2010
Silva MC, Granadeiro JP, Boersma PD & Strange I. In press Effects of
predation risk on the nocturnal activity budgets of thin-billed prions Pachyptila
belcheri on New Island, Falkland Islands. Polar Biology
Sim-Sim M, Fontinha S, Luís L, Lobo C, & Stech M. In press. The Selvagens
Islands bryoflora and its relation with islands of the Madeira and Canary Islands
Archipelagos. Nova Hedwigia Beiheft 136.
Sim-Sim M, Luís L & Fontinha S. 2010. Pottiopsis caespitosa (Brid.) Blockeel &
A.J.E.Sm. In: Ellis L.T. et al. New national and regional bryophyte records, 24.
Journal of Bryology 32: 235.
Smith DK, Exxon N, Barriga FJAS & Tatsumi Y. 2010. Forty years of successful
international collaboration in scientific ocean drilling. Eos Transactions
American Geophysical Union 91: 393-404.
Stech M, Sim-Sim M, Esquivel MG, Luis L, Fontinha S, Lobo C, Garcia C,
Martins S, Vieira C, Barroso JG, Pedro LG & Figueiredo AC. 2010. Molecular,
phytochemical, and morphological characterisation of the liverwort genus
Radula in Portugal (mainland, Madeira, Azores). Systematics and Biodiversity
8: 257-268.
Stech M, Sim-Sim M & Kruijer HJD. 2010. Campylopus Brid. (Leucobryaceae)
in Macaronesia revisited. Tropical Bryology 31: 154-163.
Stech M, Werner O, González-Mancebo JM, Patiño J, Sim-Sim M, Fontinha S,
Hildebrandt I & Ros RM. In press. Systematic and biogeographic relationships
in Leucodon Schwägr. (Leucodontaceae, Bryophyta) with a focus on the
Macaronesian species. Taxon.
Telleria MT, Dueñas M, Melo I & Martín MP. 2010. Morphological and molecular
studies of Hyphodermella in the Western Mediterranean area. Mycol. Progress
9: 585-596.
Telleria MT, Dueñas M, Melo I, Hallenberg N & Martín MP. 2010. A reeveluation of Hypochnicium (Polyporales) based on morphological and
molecular characters. Mycologia 102: 1426-1436.
Wilson LAB, Cardoso HFV & Humphrey LT. In press. On the reliability of a
geometric morphometric approach to sex determination: a blind test of six
criteria of the juvenile ilium. Forensic Science International
doi:10.1016/j.forsciint.2010.06.014
Conselho Científico
63/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Actas de Encontros Científicos
Barriga F, Carvalho C, Cruz MI, Dias A, Fonseca R, Relvas J & Pedersen R,
2010. Preliminary Results on Mineralogy and Geochemistry of Loki’s Castle
Arctic Vents and Host Sediments. Geophysical Research Abstracts Vol. 12,
EGU2010-11970 EGU General Assembly 2010
Barriga FJAS, Fonseca R, Dias ÁS, Cruz I, Carvalho C, Relvas JMRS Rolf &
Pedersen B. 2010. Mineralogy and Acid-Extractable Geochemistry from the
Loki's Castle Hydrothermal Field, Norwegian Sea at 74 degrees N (South
Knipovich Ridge). AGU Fall Meeting, San Francisco, Session OS26 (Deep-Sea
Hydrothermal Systems: New Knowledge from New Discoveries and New
Technology)
Brilha J, Alcalá L, Almeida A, Araújo A, Azevedo A, Azevedo MR, Barriga F,
Brum da Silveira A, Cabral J, Cachão M, Caetano P, Cobos A, Coke C, Couto
H, Crispim J, Cunha PP, Dias R, Duarte LV, Dória A, Falé P, Ferreira N,
Ferreira Soares A, Fonseca P, Galopim de Carvalho A, Gonçalves R, Granja H,
Henriques MH, Kullberg JC, Kullberg MC, Legoinha P, Lima A, Lima E, Lopes
L, Madeira J, Marques JF, Martins A, Martins R, Matos J, Medina J, Miranda R,
Monteiro C, Moreira M, Moura D, Neto de Carvalho C, Noronha F, Nunes JC,
Oliveira JT, Pais J, Pena dos Reis R, Pereira D, Pereira P, Pereira Z, Piçarra J,
Pimentel N, Pinto de Jesus A, Pradas S, Prego A, Ramalho L, Ramalho M,
Ramalho R, Relvas J, Ribeiro A, Ribeiro MA, Rocha R, Sá A, Santos VF
Sant’Ovaia H, Sequeira A, Sousa M, Terrinha P, Valle Aguado B & Vaz N.
2010. O inventário nacional do património geológico: abordagem metodológica
e resultados. VIII Congresso Nacional de Geologia (Univ. do Minho, Braga, 1214 de Julho de 2010). e-Terra, 18(1), http://e-terra.geopor.pt
Brilha J, Alcalá L, Almeida A, Araújo A, Azevedo A, Azevedo MR, Barriga F,
Brum da Silveira A, Cabral J, Cachão M, Caetano P, Cobos A, Coke C, Couto
H, Crispim J, Cunha PP, Dias R, Duarte LV, Dória A, Falé P, Ferreira N,
Ferreira Soares A, Fonseca P, Galopim de Carvalho A, Gonçalves R, Granja H,
Henriques MH, Kullberg JC, Kullberg MC, Legoinha P, Lima A, Lima E, Lopes
L, Madeira J, Marques JF, Martins A, Martins R, Matos J, Medina J, Miranda R,
Monteiro C, Moreira M, Moura D, Neto de Carvalho C, Noronha F, Nunes JC,
Oliveira JT, Pais J, Pena dos Reis R, Pereira D, Pereira P, Pereira Z, Piçarra J,
Pimentel N, Pinto de Jesus A, Pradas S, Prego A, Ramalho L, Ramalho M,
Ramalho R, Relvas J, Ribeiro A, Ribeiro MA, Rocha R, Sá A, Santos VF
Sant’Ovaia H, Sequeira A, Sousa M, Terrinha P, Valle Aguado B & Vaz N.
2010. The national inventory of geosites in Portugal. Abstracts Book of the
International Conference on Geoevents, Geological Heritage and the Role of
IGCP (First Meeting of ProGEO Regional Working Group SW Europe),
Ayuntamiento de Caravaca de la Cruz, Spain, 15-18 Setembro 2010, pp. 18-24.
Conselho Cientifico
64/116
2010
Dias AS, Cruz I, Fonseca R, Barriga FJAS & Pedersen RB. 2010. Mineralogy
and Geochemistry from Trollveggen Vent Field Chimneys and Metalliferous
Sediments (Mohns Ridge, West Jan Mayen Fracture Zone at 71°N). AGU Fall
Meeting, San Francisco, Session OS26 (Deep-Sea Hydrothermal Systems:
New Knowledge from New Discoveries and New Technology).
Cascalho J, Ribeiro M, Pombo J, Rodrigues A, Taborda R & Guerreiro C. In
press. Heavy minerals from Porto, Aveiro and Nazaré Canyon head áreas.
Actas das 1.as Jornadas de Engenharia Hidrográfica, Lisboa, 21-22 de Junho
de 2010.
Escaso F, Silva B, Ortega F, Dantas P, Malafaia E, Gasulla JM & Sanz JL.
2010. Análisis preliminar de un nueva ejemplar de camptopsáurido del Jurásico
Superior de Portugal. Publicaciones del Seminario de Paleontología de
Zaragoza (SEPAZ), 9:116-117.
Gerbelová H, Casimiro S, Ioakimidis C, Melo M, Almeida CAC, Barriga FJAS &
Ferrão P. 2010. Assessment for Carbon Capture and Storage Opportunities:
Portuguese Case Study. GHGT-10 - 10th International Conference on
Greenhouse Gas Control Technologies, Amsterdam, September 2010.
Malafaia E, Ortega F, Escaso F, Dantas P & Silva B. 2010. Nova evidência de
Ceratosaurus (Theropoda, Ceratosauria) no Jurássico Superior da Bacia
Lusitânica (Portugal). Publicaciones del Seminario de Paleontología de
Zaragoza (SEPAZ), 9: 157-158.
Matos JX, Oliveira JT, Pereira Z, Relvas JMRS, Barriga FB & Martins LP. 2010.
A Rota da Pirite, uma rede de sítios geológicos e mineiros dedicada ao
património e história da Faixa Piritosa Ibérica, paper presented at VIII
Congresso Nacional de Geologia, Revista Ciências da Terra Portugal (in press)
Mocho P & Póvoas L. 2010. Contribuição para a revisão sistemática de um
crânio de Cephalotropis Cope, 1896 (Cetacea: Cetotheriidae) do Miocénico
superior (Tortoniano inferior) da Adiça (Sesimbra, Portugal). In: A. Santos, E.
Mayoral, G. Meléndez, C.M. Silva & M. Cachão (Eds.), Actas III Congresso
Ibérico de Paleontologia / XXVI Jornadas de la Sociedad Española de
Paleontologia, Lisboa, 7 – 10 Julho, p. 180-183
Mocho P, & Póvoas L. 2010. Crânios fósseis de cetáceos (Mysticeti,
Cetotheriidae) do Museu Nacional de História Natural, Lisboa: um breve
enquadramento histórico. In: A. Santos, E. Mayoral, G. Meléndez, C.M. Silva &
M. Cachão (Eds.), Actas III Congresso Ibérico de Paleontologia / XXVI
Jornadas de la Sociedad Española de Paleontologia, Lisboa, 7 – 10 Julho, p.
184-187
Pedersen RB, Thorseth IH, Lilley MD, Barriga FJAS & Nakamura GF-GK. 2010.
Loki’s Castle: Discovery and geology of a black smoker vent field at the Arctic
Conselho Científico
65/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Mid-Ocean Ridge. AGU Fall Meeting, San Francisco, Session OS26 (Deep-Sea
Hydrothermal Systems: New Knowledge from New Discoveries and New
Technology)
Pérez-García A, Ortega F & Silva B. 2010. Análisis preliminary de la diversidad
de quelonios del Jurásico Superior de Torres Vedras (Portugal). Publicaciones
del Seminario de Paleontología de Zaragoza (SEPAZ), 9: 235-238.
Póvoas L, Lopes C, Dantas P, Malafaia E, Ribeiro B, Barriga FJAS. 2010. A
exposição “Allosaurus: um, dinossáurio, dois continentes?” – divulgar
procedimentos científicos para promover literacia científica. VIII Congresso
Nacional de Geologia (Univ. do Minho, Braga, 12-14 de Julho). e-Terra, 15 (51),
http://e-terra.geopor.pt
Santos VF, Barriga FJAS, Galopim de Carvalho AM, Mergulhão LM, Monteiro
C, Silveira SC, Fernandes MJ, Alho JM & Coelho R. 2010. Dinosaur track sites
from Portugal and its significance as natural heritage. In: V. Mügge-Bartolovic,
H.-G. Röhling & V. Wrede (Eds.), Abstract Book, 6th International Symposium
on Conservation of Geological Heritage, Hagen, Germany, 29 May - 2 June,
2010, p. 125
Santos VF, Barriga FJAS, Galopim de Carvalho AM, Mergulhão LM, Monteiro
C, Silveira SC, Fernandes MJ, Alho JM & Coelho R. 2010. Seguindo os passos
dos dinossáurios do Mesozóico Português: valor excepcional de jazidas
icnológicas a preservar. In: A. Santos, E. Mayoral, G. Meléndez, C.M. Silva &
M. Cachão (Eds.), Actas III Congresso Ibérico de Paleontologia / XXVI
Jornadas de la Sociedad Española de Paleontologia, Lisboa, 7 – 10 Julho
2010, pp. 37-39.
Ribeiro M, Cascalho J, Taborda R, Oliveira A, Freire P & Rodrigues A. In press.
Evaluation of suspended sediment in a fetch limites beach using optical
backscatter sensors: particle size effects. Actas das 1.as Jornadas de
Engenharia Hidrográfica, Lisboa, 21-22 de Junho de 2010.
Livros ou Capítulos de Livro
Alcalá L, Cobos A, Luque L, Mampel L, Royo-Torres R & Santos VF. In press.
Los dinosaurios de la Península Ibérica através de sus huellas. In:
Paleontologia y dinosaurios desde America Latina. Mendoza, EDIUNC.
Barriga FJAS & Santos RS. 2010. Recursos minerais marinhos, metálicos, não
metálicos e energéticos: potencial e impactos ambientais. Vol. Esp. Academia
das Ciências de Lisboa (in press).
Borges PAV, Costa A, Cunha R, Gabriel R, Gonçalves V, Frias Martins A, Melo
I, Parente M, Raposeiro P, Rodrigues P, Serrão Santos R, Silva L, Vieira P &
Conselho Cientifico
66/116
2010
Vieira V (Eds.). 2010. A list of the terrestrial and marine biota from the Azores.
Princípia, Cascais, 432 pp.
Carvalho P. 2010. Lecanorales: Collemataceae. Flora Liquenológica Ibérica.
Sociedad Española de Liquenologia (SEL), Spain (accepted).
Corrêa A & Martins-Loução MA. 2010. C:N interactions and the cost: benefit
balance in ectomycorrhizae. In: Rai M and Varma A (Eds.) Diversity and
Biotechnology of Ectomycorrhizae. Soil Biology Series. Springer-Verlag.
Costa F & Belo Correia AL. 2010. Jardim Botânico - Palmeiras. Vol Series Jardim Botânico. Martins-Loução MA (Ed.). Museu Nacional de História Natural.
Universidade de Lisboa. Textype Artes Gráficas Ltd. Pp. 125.
Fouquet Y, Cambon P, Etoubleau J, Charlou JL, Ondréas H, Barriga FJAS,
Cherkashov G, Semkova T, Poroshina I, Bohn M, Donval JP, Henry K, Murphy
P & Rouxel O. In press. Geodiversity of Hydrothermal Processes Along the MidAtlantic Ridge–Ultramafic-Hosted Mineralization: A New Type of Oceanic CuZn-Co-Au Volcanogenic Massive Sulfide Deposit. American Geophysical
Monograph.
Gabriel R, Sjögren E, Schumacker R, Sérgio C, Silva CA, Claro D, Homem N &
Martins B. 2010. List of Bryophytes (Antocerotophyta, Marchantiophyta,
Bryophyta) in Borges PAV, Costa A, Cunha R, Gabriel R, Gonçalves V, Frias
Martins A, Melo I, Parente M, Raposeiro P, Rodrigues P, Serrão Santos R,
Silva L, Vieira P, Vieira V (Eds.). 2010. A list of the terrestrial and marine biota
from the Azores. Princípia, Cascais, 432 pp.
Lopes C & Póvoas L. 2010. A Feira Internacional de Minerais, Gemas e
Fósseis de Lisboa. In: J. M. Brandão, P.M. Callapez, O. Mateus, P. Castro
(Eds.), Colecções e museus de Geologia: missão e gestão. Museu
Mineralógico e Geológico da Universidade de Coimbra e Centro de Estudos de
História e Filosofia da Ciência. p. 331-336, Coimbra, 393 pp.
Melo I, Cardoso J, Dueñas M, Salcedo I & Telleria MT. 2010. List of fungi
(Fungi). In: Borges PAV, Costa A, Cunha R, Gabriel R, Gonçalves V, Frias
Martins A, Melo I, Parente M, Raposeiro P, Rodrigues P, Serrão Santos R,
Silva L, Vieira P & Vieira V (Eds.). A list of the terrestrial and marine biota from
the Azores. pp. 37-58, Princípia, Cascais, 432 pp.
Póvoas L. In press. Terra, Vida e extinções em massa. In: M. A. MartinsLoução, F. Barriga e G. Ramalhinho (Eds.), Catálogo da Exposição Aventura
da Terra: Um planeta em evolução. Museu Nacional de História Natural.
Póvoas L & Lopes C. 2010. Colecções geológicas: janela sobre o passado,
reserva para o futuro. In: J. M. Brandão, P.M. Callapez, O. Mateus, P. Castro
(Eds.), Colecções e museus de Geologia: missão e gestão. Museu
Conselho Científico
67/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Mineralógico e Geológico da Universidade de Coimbra e Centro de Estudos de
História e Filosofia da Ciência. p. 385-391, Coimbra, 393 pp.
Reis J, Brilha J, Barriga F, Lopes C & Póvoas L. 2010. O Museu Nacional de
História Natural como promotor do património geológico: caracterização
preliminar dos visitantes do Departamento de Mineralogia e Geologia. In: J. M.
Brandão, P.M. Callapez, O. Mateus, P. Castro (Eds.), Colecções e museus de
Geologia: missão e gestão. Museu Mineralógico e Geológico da Universidade
de Coimbra e Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência. p. 369-376,
Coimbra, 393 pp.
Santos VF & Rodrigues NPC. In press. Breve Síntese da História da
Paleontologia em Portugal (A Paleontologia e seus domínios). In: Fernando
Correia, A Paleo-arte. Arte aplicada à Paleontologia, Porto.
Santos VF, Rodrigues JC & Neto de Carvalho C. (Coords.). 2010. DinoExpo:
Dinossáurios invadem o Geopark Naturtejo. Catálogo da exposição DinoExpo,
Naturtejo/Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Castelo Branco, 72 pp. ISNB
978-972-8285-57-9
Sérgio C & Garcia C. 2010. Funariella Sérgio. Flora Briofítica Ibérica, vol. 4.
Sociedad Española de Briología, pp. 39-41 Murcia.
Sérgio C & Garcia C. 2010. Shistostegaceae Schimp.: Schistostega Schimp.
Flora Briofítica Ibérica, vol. 4. Sociedad Española de Briología, pp. 87-89,
Murcia.
Sérgio C, Figueira R & Menezes R. 2010. Modeling the distribution of
Sematophyllum substrumulosum (Hampe) E. Britton as a signal of climatic
changes in Europe. In Slack N. & Tuba Z. (Eds). Bryophyte Ecology and
Climate Change. Cambridge University Press.
Soares M, Cotrim H & Figueiredo E 2010. Phylogenetic origin of Impatiens
(Balsaminaceae) of São Tomé e Príncipe. In: van der Burgt X, van der Maesen
J & Onana J-M (Eds.). Systematics and Conservation of African Plants. pp. 8190, Royal Botanic Gardens, Kew.
Conselho Cientifico
68/116
2010
Comunicações em Encontros Científicos
Em 2010 foram apresentadas, por investigadores e outros membros das
respectivas equipas de investigação do MNHN, um total de 69 comunicações
científicas, das quais 46 foram efectuadas em encontros internacionais.
2ª Reunião Portuguesa de Ciências Polares
Sociedade de Geografia de Lisboa, 26 Abril 2010
Estudos de um predador de topo do sudoeste do Atlântico em declínio
acentuado: o Alcaide das Falkland
Almeida A, Catry P (C Oral)
9th International Congress on the Biology of Fish
Barcelona, Espanha, 5-9 Julho 2010
Phylogeographic analysis of the lamprey genus Lampetra in the Iberian
Península
Almeida PR, Mateus CS, Quintella BR, Alves MJ (C Painel)
9th International Congress on the Biology of Fish
Barcelona, Espanha, 5-9 Julho 2010
Examining the geographical dimension of genetic diversity in freshwater fish
species: the GENESTREAM Project
Alves MJ, Filipe AF, Mesquita N, Drago MC, Sousa V, Nunes E, Azevedo T,
Coelho MC, Collares-Pereira MJ (C Painel)
Frontiers in Biodiversity: a Phylogenetic Perspective
Barcelona, Espanha, 1-2 Outubro 2010
Genetic diversity across riverscapes: the GENESTREAM project
Alves MJ, Filipe AF, Mesquita N, Drago MC, Sousa V, Nunes E, Azevedo T,
Coelho MC, Collares-Pereira MJ (C Painel)
13th Meeting of the German Group of Forensic Age Diagnostics
Berlim, Alemanha, 19 de Março, 2010
Can we combine dental and skeletal when assessing biological age?
Andrade M, Cardoso HFV (C Oral)
VII Simpósio Nacional de Investigação em Psicologia,
Braga, Portugal, 4-6 de Fevereiro 2010
Influência da ambivalência em comportamentos pró-ambientais
Barata AR, Castro P, Martins-Loução MA (C. Oral)
2nd Cooperation Workshop of the Polish-German-Portuguese Natural History
Consortium “Collections based biodiversity research and education in Natural
History Museums”
Conselho Científico
69/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Museu Nacional de História Natural, Lisboa, Portugal, 1- 4 de Março 2010
Botanic Garden – NHM: educating for conservation and sustainability
Barata AR, Martins-Loução MA (C. Oral)
Ciência 2010 (FCT – CLA)
Pavilhão de Congressos de Lisboa, 6 de Julho 2010
New hints for seabed metal deposits
Barriga FJAS (C Oral)
Sociedade de Geografia
Lisboa, 16 Julho 2010
As potencialidades do mar profundo: um novo brasil?
Barriga FJAS(C Oral)
II Congresso Mares da Lusofonia
Centro Cultural de Cascais, 22 Outubro 2010
Ciência na última fronteira terrestre
Barriga FJAS (C Oral)
Workshop on Oceans as a Source of Energy
Academias de Engenharia de Lisboa e de Berlim, 18 Maio 2010
Submarine Energy Sources and Fluxes in a Water-Cooled Planet
Barriga FJAS (C Oral)
Seafloor Massive Sulphide Workshop
BGR, Hannover, Julho 2010
MOR sub seafloor massive sulphide deposits and exploration in the Portuguese
legal continental platform
Barriga FJAS (C Oral)
2ª Reunião Portuguesa de Ciências Polares
Sociedade de Geografia de Lisboa, 26 Abril 2010
O papel dos portugueses na caracterização de Loki's Castle, o campo
hidrotermal submarino mais a Norte (74ºN)
Barriga FJAS (C Oral)
II Congresso Mares da Lusofonia
Centro Cultural de Cascais, 22 Outubro 2010
Ciência da última fronteira
Barriga FJAS (C Oral)
Portugal e o Mar
Academia de Marinha, 30 Novembro 2010
Recursos naturais debaixo do mar profundo
Barriga FJAS (C Oral)
Conselho Cientifico
70/116
2010
12th Rodends et Spatium. The International Conference on Rodent Biology.
Zonguldak Karaelmas University Zonguldak, Turkey 19-23 Julho 2010
Tracking the evolutionary history of the pine voles Microtus lusitanicus and
Microtus duodecimcostatus: a multidisciplinary approach.
Bastos-Silveira C (C Oral)
XIV Congreso Ibérico de Entomología
Lugo, Espanha, 1-4 septiembre 2010
Terrestrial and Marine Azorean Biodiversity
Borges PAV, Bried J, Costa A, Cunha R, Gabriel R, Gonçalves V, Frias Martins
A, Melo I, Parente M, Raposeiro P, Rodrigues P, Serrão Santos R, Silva L,
Vieira P, Vieira V, Mendonça E, Boieiro M. (C Oral)
VIII Congresso Nacional de Geologia
Univ. do Minho, Braga, 12-14 de Julho de 2010
O inventário nacional do património geológico: abordagem metodológica e
resultados.
J Brilha et al (C oral)
International Conference on Geoevents, Geological Heritage and the Role of
IGCP
Caravaca de la Cruz, Espanha , 15-18 de Setembro de 2010
The national inventory of geosites in Portugal.
J. Brilha et al (C oral)
1.as Jornadas de Engenharia Hidrográfica, Lisboa
21-22 de Junho de 2010.
Heavy minerals from Porto, Aveiro and Nazaré Canyon head áreas.
Cascalho J, Ribeiro M, Pombo J, Rodrigues A, Taborda R, Guerreiro C (C Oral)
5th Meeting of the Forensic Anthropology Society of Europe
Copenhaga, Dinamarca, 16 de Outubro, 2010
On the Non-Equivalence of Living, Cadaver and Forensic Stature
Cardoso H, Marinho L, Santos A, Magalhães T (C Oral)
2ª Reunião Portuguesa de Ciências Polares
Sociedade de Geografia de Lisboa, 26 Abril 2010
Projecto Albatroz – estudo de uma espécie ameaçada com implicações para a
monitorização do sudoeste do Atlântico.
Catry P, Granadeiro JP, Matias R, Almeida A, Anderson O, Lecoq M (C Oral)
The Conservation Biology Conference 2010.
Universidade de Évora, 28 Maio 2010.
Marine conservation biology: are small projects useful or just drops in the vast
ocean?
Catry P (C Convidada)
Conselho Científico
71/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
5th Meeting of the Forensic Anthropology Society of Europe
Copenhaga, Dinamarca, 16 Outubro, 2010
Reliability of Skeletal Maturation of the Knee for Age Estimates in Skeletal
Remains
Conceição E, Cardoso HFV (C Painel)
Simpósio Patrimónios da Arrábida. Homenagem ao botânico Gomes Pedro.
Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, 22 de Maio de 2010
A vegetação da Arrábida
Correia AID (C. Oral)
Second Conference of the European Consortium for the Barcode of Life
(ECBOL 2)
Braga, 2-4 Junho 2010
Testing plant DNA barcode regions for species discrimination in Silene sect
Siphonomorpha Otth
Cotrim H, dos Santos P, Martins-Loução MA (C Painel)
International Conference on Agricultural Biodiversity in Africa
Ouagadougou, Burkina Faso, 19-20 Julho 2010
Crop Plants Biodiversity and Food Security
Dulloo ME, Hodgkin T, Magos Brehm J, Thormann I, Vodouhe R, Marandu W
(C. Oral)
SVP 2010 Annual Meeting Program
Bristol, Grã-Bretanha, 23-26 Setembro 2010
A Portuguese specimen of Camptosaurus aphanoecetes (Ornithopoda
Camptosauridae) increases the dinosaurian similarity among the Upper
Jurassic Alcobaça and Morrison Formations.
Escaso F, Silva B, Ortega F, Malafaia E, Sanz J (C Oral)
International Symposium FloraMac2010
Ponta Delgada, S. Miguel, Portugal 23-25 Setembro 2010
Molecular and morphological data reveal a new Macaronesian taxon of
Isothecium (Bryophyta).
González-Mancebo JM, Draper I, Werner O, Patiño J, Stech M, Sim-Sim M,
Hedenäs L, Ros RM (C Painel)
Conference Cycle “Knowing and Protecting Nature. 2010 The International Year
of Biodiversity”
Universidade dos Açores, Terceira, 22 Setembro 2010
Frequency and rarity causes in bryophytes of the Macaronesian Islands.
González-Mancebo JM, Gabriel R, Sim-Sim M, Luis L, Sérgio C (C Oral)
Conselho Cientifico
72/116
2010
2ª Reunião Portuguesa de Ciências Polares
Sociedade de Geografia de Lisboa, 26 Abril 2010
Interacções entre aves marinhas e pescarias no Atlântico Sul: uma convivência
saudável?
Granadeiro JP, Catry P (C Oral)
CIÊNCIA 2010 - Encontro com a Ciência em Portugal
Centro de Congressos de Lisboa, 4-7 Julho 2010
Ameaças à biodiversidade em ambientes oceânicos: interacção entre pescarias
e albatrozes no Atlântico Sul
Granadeiro JP, Catry P (C Oral)
International Wader Study Group Conference 2010
MNHN, Lisboa, Portugal, 01-04 Outubro 2010
Shorebird populations wintering on non-estuarine coasts of Portugal in
2009/2010: results of the first national census
Lecoq M, Catry P, Granadeiro JP, Ramírez I (C Painel)
1st World Seabird Conference
Victoria, Canada, 7-11 Setembro 2010
Tracking seabirds to identify potential high-seas Marine Protected Areas in the
western Indian Ocean
Le Corre M, Weimerskirch H, Pinaud D, Marsac F, Catry T, Ramos J, Pinet P,
Russel J, Shah N, Kappes M, Jaquemet S (C Oral)
2º Encontro Nacional de História da Ciência e da Tecnologia
Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, 26-28 Julho 2010
“Plumas em Dinossáurios” - Avaliação da exposição e estudo de públicos
Lopes C (C Oral)
Congreso Español de Sociología
Pamplona, Spain, Julho 1-3 2010
Attitude of biological sciences researchers towards communicating with the
public. The Portuguese perspective.
Luís C, Rey-Rocha J, Conceição CP, Martín-Sempere MJ, Garzón B, Firmino
da Costa A (C Painel)
Congreso Español de Sociología
Pamplona, Spain, Julho 1-3 2010
Understanding the scientists’ dynamics in the public understanding of
biodiversity.
Luís C, Cunha C, Conceição CP, Rey-Rocha J, Garzón B, Caramujo MJ,
Proença V, Dias D, Firmino da Costa A (C Painel)
Symposium “Towards the establishment of genetic reserve for crop wild
relatives and landraces in Europe”
Conselho Científico
73/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Funchal, Madeira, 13-16 Setembro 2010
Neutral genetic diversity helps deciding where to conserve Portuguese
prioritized crop wild relatives
Magos Brehm J, Ford-Lloyd BV, Maxted N, Martins-Loução MA (C Oral)
Bird Migration and Global Change, Second Conference.
Algeciras, Espanha, Março 2010
Population age-structure changes across the winter range in Larus fuscus
Marques PAM, Sowter D, Jorge PE (C Painel)
Real Academia de Farmácia
Madrid, Janeiro 2010
Barreras planetarias: que son, que abarcan y que amenazan
Martins-Loução MA (C Oral)
Ciclo de Conferências "2010 - Ano Internacional da Biodiversidade”
Instituto de Cultura Europeia e Atlântica. Ericeira. Abril 2010
Repensando a biodiversidade à escala planetaria.
Martins-Loução MA (C Oral)
Semana da Biodiversidade e Conservação da Natureza
Instituto Superior de Agronomia, Lisboa, Maio 2010
O papel dos Jardins Botânicos na conservação da biodiversidade: o JB como
caso de estudo
Martins-Loução MA (C Oral)
International Symposium FloraMac2010
Ponta Delgada, S. Miguel, Portugal 23-25 Setembro 2010
Molecular phylogenetic analyses of the Macaronesian endemic moss genera
Echinodium and Andoa.
Martins S, Stech M, Sim-Sim M (C Oral)
SMBE 2010 - Annual Meeting of the Society for Molecular Biology and
Evolution
Lyon, França. 4 a 8 de Julho de 2010,
Evaluation of the reproductive isolation of the lamprey paired species Lampetra
fluviatilis (L.) and Lampetra planeri (Bloch)
Mateus CS, Almeida PR, Quintella BR, Alves MJ (C Painel)
XXXV Portuguese Genetics Conference
Braga, Portugal, 31 Maio-2 de Junho 2010
Phylogeography of the European genus Lampetra in the Iberian glacial
refugium inferred from mitochondrial DNA variation
Mateus CS, Almeida PR, Quintella BR, Alves MJ (C Oral)
9th International Mycological Congress (IMC9), The Biology of Fungi
Conselho Cientifico
74/116
2010
Edinburgh, 1-6 Agosto 2010
The genus Peniophora in the Atlantic islands (Azores and Madeira
archipelagos, Portugal).
Melo I, Cardoso J, Dueñas M, Salcedo I, Telleria MT (C Painel)
2nd Conference of the European Consortium for the Barcode of Life (ECBOL2):
2010 International Year of Biodiversity
Braga, Portugal, 2-4 Junho 2010
Testing DNA barcoding to discriminate Echinodermata from Portugal.
Micael J, Costa AC, Alves MJ (C Painel)
International Conference on Environmental Pollution, Restoration, and
Management
Ho Chi Minh City, Vietname, 1 a 5 de Março de 2010.
Marine translocations: can they be considered as conservation and
management tool?
Micael J, Alves MJ, Malcolm B. Jones MB, Costa AC (C Oral)
Evolutionary and ecological genomics of adaptation – IIIème Cycle Romand en
Sciences Biologiques
Fribourg, Suíça, 2-3 Setembro 2010
The role of landscape features in the evolutionary history of freshwater fish
species: the GENESTREAM project
Mesquita N, Filipe AF, Drago MC, Sousa V, Coelho MC, Collares-Pereira MJ,
Alves MJ (C Painel)
2º Encontro Nacional de História da Ciência e da Tecnologia
Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, 26-28 Julho 2010
Os 3 “Crânios de Vandelli” + 1: uma história paleontológica com quase dois séculos
Mocho P, Póvoas L (C Oral)
III Congresso Ibérico de Paleontologia / XXVI Jornadas de la Sociedad
Española de Paleontologia, Lisboa, 7 – 10 de Julho de 2010
Contribuição para a revisão sistemática de um crânio de Cephalotropis Cope,
1896 (Cetacea: Cetotheriidae) do Miocénico superior (Tortoniano inferior) da
Adiça (Sesimbra, Portugal).
Mocho P, Póvoas L (C Oral)
III Congresso Ibérico de Paleontologia / XXVI Jornadas de la Sociedad
Española de Paleontologia, Lisboa, 7 – 10 Julho 2010
Crânios fósseis de cetáceos (Mysticeti, Cetotheriidae) do Museu Nacional de
História Natural, Lisboa: um breve enquadramento histórico.
Mocho P, Póvoas L (C Oral)
III Simposio Internacional sobre Restauración Ecológica
Santa Clara, Cuba, 13-19 Setembro 2010
Conselho Científico
75/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Efeito de promotores de crescimento utilizados em hidrossementeira na
germinação de espécies autóctones mediterrânicas.
Moedas A, Oliveira G, Nunes A, Martins-Loução MA, Correia O, Clemente A (C
Painel)
12º Encontro Nacional de Ecologia
Porto, 18-20 de Outubro
Contribuição para o melhoramento da revegetação de áreas degradadas com
espécies nativas
Oliveira G, Clemente A, Nunes A, Correia O (C Painel)
8th Annual Meeting of the European Association of Vertebrate Palaeontologists
Aix-en-Provence, França, 07-12 Junho 2010
New evidences of the sauropod Turiasaurus from the Portuguese Upper
Jurassic.
Ortega F, Royo Torres R, Gascó F, Escaso F, Sanz JL (C Oral)
Third International Palaeontological Congress IPC3
London, Grã-Bretanha, 28 Junho-03 Julho 2010
The more ancient pleurosternid genus (Chelonii, Paracryptodira) recorded in
Europe.
Pérez-Garcia A, Ortega F (C Oral)
Second Cooperation Workshop, Polish-German-Portuguese Natural History
partnership
Lisbon, 1th Março 2010.
Conservation biology studies in Portuguese threatened wild vascular plants
Pinto MJ (C Oral)
Annual Meeting of the Society for Neurosciences
San Diego, EUA, 13-17 Novembro 2010
Neuromuscular transmission and ageing: the role of adenosine.
Pousinha PA, Correia AM, Sebastião AM, JA Ribeiro (C Painel)
Purines Meeting 2010: Adenine Nucleosides and Nucleotides in Biomedicine
Tarragona-Barcelona, Spain, 30 Maio–2 Junho 2010
Modulation of the rat neuromuscular transmission by adenosine upon ageing
Pousinha PA, Correia AM, Sebastião AM, JA Ribeiro (C Painel)
2º Encontro Nacional de História da Ciência e da Tecnologia
Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, 26-28 Julho 2010
“Allosaurus: um dinossáurio, dois continentes ?” – expor o método, divulgar
ciência.
Póvoas L, Lopes C, Barriga FJAS (C Oral)
VIII Congresso Nacional de Geologia
Conselho Cientifico
76/116
2010
Univ. do Minho, Braga, 12-14 de Julho de 2010
A exposição “Allosaurus: um, dinossáurio, dois continentes?” – divulgar
procedimentos científicos para promover literacia científica.
Póvoas L, Lopes C, Dantas P, Malafaia E, Ribeiro B, Barriga FJAS (C Oral)
34th Annual Larval Fish Conference
Santa Fe, New Mexico, EUA, 30 Maio-3 Junho 2010,
The early stages of the Larval Fish Collection at the National Museum of
Natural History, Lisbon (Portugal) – help us to “grow up”
Ribeiro F, Alves MJ (C Painel)
1.as Jornadas de Engenharia Hidrográfica,
Lisboa, 21-22 de Junho de 2010.
Evaluation of suspended sediment in a fetch limites beach using optical
backscatter sensors: particle size effects.
Ribeiro M, Cascalho J, Taborda R, Oliveira A, Freire P, Rodrigues A (C Oral)
International Wader Study Group Conference 2010
MNHN, Lisboa, Portugal, 01-04 Outubro 2010
Choosing the best foraging microhabitats: individual skills constrain the choices
of dunlins
Santos CD, Martins R, Palmeirim JP, Granadeiro JP (C Oral)
6th International Symposium on Conservation of Geological Heritage
Hagen, Alemanha, 29 Maio-2 Junho de 2010
Dinosaur track sites from Portugal and its significance as natural heritage.
Santos VF, Barriga FJAS, Galopim de Carvalho AM, Mergulhão LM, Monteiro
C, Silveira SC, Fernandes MJ, Alho JM, Coelho R (C Oral)
III Congresso Ibérico de Paleontologia / XXVI Jornadas de la Sociedad
Española de Paleontologia
Lisboa, 7 – 10 Julho 2010
Seguindo os passos dos dinossáurios do Mesozóico Português: valor
excepcional de jazidas icnológicas a preservar.
Santos VF, Barriga FJAS, Galopim de Carvalho AM, Mergulhão LM, Monteiro
C, Silveira SC, Fernandes MJ, Alho JM, Coelho R (C Oral)
Workshop Biosphere-Atmosphere Interaction in a Changing Environment: from
Local to Global Scale.
Centre for Environmental and Marine Studies (CESAM), Universidade de
Aveiro. 20 Setembro 2010.
Bioindication of atmospheric heavy metal deposition in Portuguese terrestrial
ecosystems, during 10 years using moss species.
C Sérgio (C Oral)
Conselho Científico
77/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
II Seminário Ibérico IGBP – Mudança Global na Península Ibérica. Uma Visão
Integrada.
Hotel Opera. Lisboa, Portugal, 4-5 Novembro de 2010
Redefinição de áreas de conservação com base na brioflora Portuguesa face a
cenários de alterações climáticas.
C Sérgio (C Oral)
VIII Encontros Internacionais de Fitossociologia - ALFA
Lisboa, Portugal, 13-16 de Setembro 2010
Sobre a extinção do endemismo cintrano-olissiponense Armeria pseudoarmeria
da flora naturalizada das ilhas Britânicas.
Tauleigne Gomes C, Nieto Feliner G (C Painel)
Organização de Encontros Científicos
Workshop “Collections based biodiversity research and education in Natural
History Museums”,
MNHN (for the Natural History and Biodiversity Consortium), Lisboa, Portugal
1-4 March 2010
Comité Organizador
MJ Alves, N Mesquita, CB Silveira, JP Granadeiro, PAM Marques
2nd Conference of the European Consortium for the Barcode of Life Meeting –
ECBOL2
Universidade do Minho, 2-4 Junho 2010
Membro do Comité Organizador
C. Bastos-Silveira
International Wader Study Group Conference 2010
MNHN, Lisboa, Portugal.
01-04 October 2010
Comité Editorial
JP Granadeiro, CD Santos
Comité Organizador
T Catry, JP Granadeiro, R Martins, CD Santos
Workshop “Biodiversity why still bother? State of the art and new perspectives”
The Biodiversity Research Consortium, Brussels, Belgium
8 June 2010
Membro do Comité Organizador
PAM Marques
Conselho Cientifico
78/116
2010
Revisão de Trabalhos Científicos
Os investigadores do MNHN efectuaram revisão científica de manuscritos
submetidos às seguintes revistas:
Airo (PAM Marques)
Acta Ethologica (PAM Marques)
Actas do VIII Encuentro de Jóvenes Investigadores en Paleontología (Enciso,
La Rioja, Espanha) (VF Santos)
African Journal of Biotechnology (C Luís)
American Journal of Physical Anthropology (H Cardoso)
Animal Genetics (C Luís)
Boletin Sociedad Española de Briologia- (C Sérgio)
Computers and Education (AID Correia)
Cryptogamie, Bryologie (C Sérgio)
EMAS – Environmental Monitoring and Assessment (C Sérgio)
European Journal of Soil Biology (MA Martins-Loução)
Forensic Science, Medicine and Pathology (H Cardoso)
Forensic Science International (H Cardoso)
International Journal of Biological Sciences (AM Correia)
Journal of Bryology (C Sérgio)
Journal of Animal Breeding and Genetics (C Bastos-Silveira, C Luís)
Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism (H Cardoso)
Journal of Coastal Conservation (AID Correia)
Journal of Forensic Dental Sciences (H Cardoso)
Journal of Applied Ichthyology (AM Correia)
Journal of Fish Biology (N Mesquita)
Mammal Review (C. Bastos- Silveira)
Mycorrhiza (MA Martins-Loução)
Mycotaxon (P. Carvalho)
Oecologia (AM Correia)
Plant Genetic Resources Characterization and Utilization (J Magos Brehm)
Taxon (H Cotrim)
Conselho Científico
79/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Consultoria
Museu do Quartzo:
Completou-se em 2010 um muito considerável esforço de assessoria do
MNHN, personificado por FJAS Barriga e AM Galopim de Carvalho, sobre os
conteúdos do Museu do Quartzo, em Viseu. O Museu do Quartzo é fruto de
uma proposta do MNHN baseada numa ideia de AM Galopim de Carvalho, com
as seguintes componentes adicionais da autoria do MNHN: projecto de
arquitectura (do então Assessor do MNHN Arq. Mário Moutinho) e
acompanhamento da obra; Guião de AM Galopim de Carvalho e Fernando JAS
Barriga; acompanhamento da montagem do Museu do Quartzo junto da
empresa YDreams, a quem a Câmara Municipal de Viseu adjudicou o
empreendimento
FJAS Barriga
Mina do Lousal
Foi inaugurado em 30 de Junho de 2010 o Centro Ciência Viva do Lousal, com
grande contribuição do MNHN, que está envolvido no projecto desde a primeira
hora. Em 2010 completaram-se numerosos conteúdos, com guiões de módulos
e assessorias várias junto das empresas Maketree e WDesign (sobretudo
realizadas por FJAS Barriga e Álvaro Pinto). Álvaro Pinto é Director Executivo
do CCV Lousal, em acumulação com as suas funções no MNHN. Esta função
de Álvaro Pinto confere ao MNHN um papel de grande relevância na
prossecução das actividades do CCV Lousal.
FJAS Barriga, Á Pinto
Apoio científico ao Clube de Mineralogia. O Clube conta, nesta fase precoce da
sua existência, com cerca de 50 membros e outros tantos aderentes. As
actividades consistem sobretudo em:
1. Visitas de terreno (a minas, pedreiras, etc). Em 2010 realizaram-se visitas às
minas da Panasqueira e de Neves Corvo, e à região de Ródão, onde
inclusivamente foi possível batear, com sucesso, para ouro.
2. Conferências por especialistas e por membros do Clube, sobre temas de
Mineralogia;
3. Sessões laboratoriais de identificação de minerais;
4. Actividades de fotografia de minerais.
FJAS Barriga, Á Pinto, L Póvoas
Apoio a solicitações de outros institutos na identificação de espécimes
liquénicos. Nomeadamente na identificação de alguns exemplares provenientes
do Museu do Azulejo e do Instituto Português de Conservação e Restauro.
P. Carvalho
Conselho Cientifico
80/116
2010
Colaboração com o Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade
na elaboração do “Programa de monitorização de Picris willkommii”, no âmbito
do “Plano de acção para proteger a população portuguesa do rapa-saias-dobarrocal Picris willkommii”.
A Clemente
Colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian através da selecção e
empréstimo de exemplares das colecções de Entomologia e de Paleontologia
do MNHN a fim de figurarem na exposição “Darwin” na Interactive Fair,
Bruxelas, Bélgica (31 Maio- 2 Jun de 2010)
AM Correia, L Póvoas
Colaboração com a Câmara Municipal de Lisboa – Divisão de Educação e
Sensibilização Ambiental (CML-DESA). Apoio à publicação da “Rota da
Biodiversidade”, uma edição da CML em colaboração com a FCUL
C Luís
Colaboração com a Faculdade de Ciências de Lisboa (DBA-FCUL). Apoio ao
estudante de Mestrado Jasper Shilling (Universidade de Lund) na criação de
um guião de entrevista sobre espaços verdes na cidade de Lisboa e no
estabelecimento de contactos com a CML
C Luís
Colaboração com a Biodiversity International (Rome, Italy) na preparação de
um relatório acerca do estado dos recursos fitogenéticos na África Subsariana,
que foi convidado para apresentação na International Conference on
Agricultural Biodiversity in Africa (“Revealing the Appeal and Potential of
Agricultural Biodiversity For Africa: Status, Trends and Outlook for Future”) e
que decorreu em Julho de 2010 no Burkina Faso.
J Magos Brehm
Consultoria científica em colaboração com a Universidade de Birmingham
(Reino Unido) para a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e
Alimentação (FAO) num projecto intitulado “Crop Wild Relative and Landrace
Conservation (2010-2011)
J Magos Brehm
Assessoria Científica ao abrigo de um protocolo entre a Reitoria da
Universidade de Lisboa e a Câmara Municipal de Odivelas para instalação de
um Jardim Botânico em Famões (2010-2015)
MA Martins-Loução, J Magos Brehm, T Antunes, AID Correia, A Clemente, I
Melo, C Sérgio, MJ Pinto, P Carvalho, A Escudeiro, G Oliveira, R Barata,
Ao abrigo do protocolo entre o MNHN e a Câmara Municipal da Batalha,
colaboração na concepção e montagem do futuro Museu da Comunidade
Concelhia da Batalha (a inaugurar até final de 2010) através da selecção de
Conselho Científico
81/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
conteúdos e de exemplares e da elaboração do guião para o módulo “As
Origens do Território” que se refere à geologia e geomorfologia da região.
Participação no catálogo da exposição no capítulo referente aquelas temáticas
L Póvoas, E. Malafaia, P Dantas, J C Kullberg, C Lopes
Concepção, elaboração do guião, selecção de réplicas a alugar, selecção de
exemplares do MNHN a emprestar, orientação para a elaboração de
ilustrações científicas alusivas a ambientes terrestres e marinho do Jurássico,
orientação para a execução de reconstituições de quatro fósseis, colaboração
na montagem da exposição “Uma viagem ao Jurássico” para o Museu da
Pedra do Município de Cantanhede (a inaugurar em 27 de Novembro de 2010)
L Póvoas, B Ribeiro, P Andrade
Parceria do MNHN com a empresa Ritmos & Blues com vista à assessoria
científica do espectáculo “Walking with Dinosaurs” que teve lugar no Pavilhão
Atlântico, Parque das Nações, Lisboa, nos dias 14 a 16 de Maio de 2010. O
MNHN assegurou a revisão científica da tradução do texto do espectáculo e
divulgou o espectáculo a partir do Museu. As exposições do MNHN foram
divulgadas no Pavilhão Atlântico.
L Póvoas, C Lopes, B Ribeiro, F Barriga
Emissão do parecer solicitado pelo Instituto da Conservação da Natureza e da
Biodiversidade “Critérios botânicos considerados na avaliação da Capacidade
de Carga da Ilha Berlenga - Reserva Natural das Berlengas”.
C Tauleigne Gomes
Análise e determinação de material do Género Armeria Willd. no âmbito da 3ª
edição da “New Flora of the British Isles” (Stace C. 2010).
C Tauleigne Gomes
Colaboração com a Associação Bandeira Azul da Europa. A Associação
Bandeira Azul da Europa (ABAE) é uma Organização não-governamental de
Ambiente (ONGA), sem fins lucrativos, dedicada à Educação para o
Desenvolvimento Sustentável e à gestão e reconhecimento de boas práticas
ambientais.
Júri do Indicador: Conservação da Natureza (Biodiversidade e
Geodiversidade). Conhecer, Educar e Divulgar. Candidatura ECOXXI
2010/2011. Para a Bandeira Verde Municipal. http://www.abae.pt
Equipa do MNHN: C Garcia
Conselho Cientifico
82/116
2010
Visitas Institucionais de Cientistas
Ana Cristina Figueiredo (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa)
Ana Cristina Roque (Instituto de Investigação Científica Tropical, Lisboa)
Ariel Bergamini (Swiss Federal Research Institute WSL, Birmensdorf,
Switzerland)
Cândida Zita (Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, Moçambique)
Chris Van Swaay, Irma Wynhoff (Butterfly Conservation Europe, Holanda)
Fernanda Bessa (Instituto de Investigação Científica e Tropical, Portugal)
Generosa Teixeira (Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa)
Gonzalo Nieto Feliner (Real Jardin Botánico Madrid, Espanha)
Javier Fuertes Aguilar (Real Jardín Botánico Madrid, Espanha)
Judy Loo (Bioversity International, Itália)
Maria Cândida Liberato (Instituto de Investigação Científica Tropical, Lisboa)
Michael Nee (New York Botanical Garden, USA)
Natasha Ribeiro (Universidade Eduardo Mondlane, Maputo, Moçambique)
Nuno Rodrigues (Jardim Botânico do Faial, Portugal)
Pier Luigi Nimis (Universidade de Trieste, Itália)
Rena Farias (Banco Português de Germoplasma, Portugal)
Salvatore Cozzolino (Università degli Studi di Napoli Frederico II, Itália)
Sara Bárrios (Royal Botanic Gardens, Kew, UK)
Sílvia Venturi (Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil
Steven Bachman (Royal Botanic Gardens, Kew, UK)
Vanderlei Perez Canhos (CRIA, Brasil)
Conselho Científico
83/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Expedições Científicas
Em 2010 foram efectuadas 42 expedições científicas no âmbito de projectos de
investigação e que contribuíram para o enriquecimento das colecções do
MNHN através da incorporação de material biológico e geológico proveniente
dessas missões.
Março, Abril e Maio de 2010
Amostragem de ictiofauna dulciaquícola na bacia do Rio Tejo no âmbito do
projecto GENESTREAM.
MJ Alves, M Drago, AF Filipe, NP Mesquita
Maio de 2010
Realização da quarta campanha de escavações na jazida paleontológica de
Andrés (Pombal) pertencente ao Jurássico Superior; processo levado a cabo
no âmbito do projecto de investigação Vert-Jura, financiado pela FCT. Foram
recuperados numerosos restos de fósseis de diversos grupos paleobiológicos,
parte deles passíveis de fornecer relevantes elementos científicos sobre os
contextos paleoecológicos e paleobiogeográficos da Europa Ocidental
inerentes ao Jurássico Superior
P Dantas, B Ribeiro, E Malafaia, F Ortega, F Escasso, J M Gasulla
De Janeiro a Outubro de 2010 tiveram lugar 7 missões no âmbito do projecto
Beach Sand Code (PTDC/CTE-GEX/64592/2006). Estas missões tiveram como
objectivo fundamental caracterizar a variação textural dos sedimentos de praia
e medição de prâmetros oceanográficos (ondas, correntes e concentração dos
sedimentos em suspensão). Locais das missões: praia do Alfeite (Janeiro de
2010), praia da Lagoa de Albufeira (Abril de 2010), praia da Saúde (Maio de
2010), praia da Almagreira (Junho de 2010), praia da Comporta (Julho de
2010), praia da Lagoa de Albufeira (Setembro de 2010), praia do Salgado
(Outubro de 2010).
J. Cascalho
Julho 2010
Campanha às Ilhas Desertas no âmbito do projecto “Medidas urgentes para a
recuperação da Freira do Bugio - Pterodroma feae – e do seu habitat” (SOS
Freira do Bugio; LIFE06 NAT/P/000184)
P Catry
Abril-Setembro 2010
Quatro campanhas às Ilhas Selvagens no âmbito do projecto “Atlantic oceanwide changes in sea surface temperature and trends on Cory´s shearwater
Calonectris diomedea foraging success, migration and population dynamics”
(PTDC/MAR/71927/2006)
Conselho Cientifico
84/116
2010
P Catry, T Catry, M Dias, JP Granadeiro
Junho a Agosto de 2010
11 expedições em diversas regiões do país no âmbito do projecto
“Conservação e Valorização da Flora Endémica Ameaçada em Portugal”
A Clemente, J Magos Brehm
Agosto de 2010
Expedição no âmbito do projecto H2Deep no oceano Árctico.
I Cruz
Dezembro 2010
Campanha às Ilhas Malvinas no âmbito dos projectos “ALBATROZ - Learning
from the flight of the albatross: causes and consequences of individual foraging
strategies, with links to demography, oceanography and fisheries”
(PTDC/MAR/099366/2008)
M Dias, JP Granadeiro
Agosto de 2010
Lagoas de Bertiandos e S. Pedro d'Arcos. Viseu e Caminha.
C Garcia
Agosto de 2010
Serra da Estrela e Serra da Freita
C Garcia
Fevereiro a Setembro de 2010
Monitorização do ecossistema terrestre e estuarino na envolvente à CTRSU de
S. João da Talha
C Garcia, M Sim-Sim
Março a Novembro 2010
Inventariação da diversidade de fauna e flora das Estações da Biodiversidade.
Monitorização das comunidades de borboletas diurnas do Parque Natureza de
Noudar.
P Garcia-Pereira.
Abril de 2010
Campanha a Marrocos no âmbito do projecto “Biogeografia de Corticiáceis
Macaronésicos: la conexión africana”
I Melo, J Cardoso
Setembro de 2010
Campanha a Cabo Verde (Santiago, Fogo, São Vicente e Santo Antão) no
âmbito do projecto “Biogeografia de Corticiáceis Macaronésicos: la conexión
africana”
Conselho Científico
85/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
I Melo e J Cardoso
Outubro de 2010
Campanha à região de Erquy (França). 22 èmes Rencontres francophones
Aphyllophorales. Estudo de fungos do grupo das Aphyllophorales.
I Melo
Novembro de 2010
Campanha à “Sierra de la Demanda y sabinares del Arlanza (Burgos, La Rioja,
España)” integrada no projecto “Flora Micológica Ibérica”. XXIV Campaña
Micologica de Flora Micologica Ibérica. Estudo de fungos do grupo das
Aphyllophorales.
I Melo, J Cardoso
Junho 2010
Campanha na Serra do Gerês no âmbito do projecto BrioAtlas e colaborando
no Projecto Syntesys com o Prof. David Long da Universidade de Edinburgo
C Sérgio, C Garcia, S Stow
Novembro de 2010
Inventariação da diversidade de Briofitos e Líquenes no âmbito de um estudo
complementar ao estudo de impacte ambiental do aproveitamento
hidroeléctrico de Fridão.
C Sérgio, P Carvalho, C Garcia
Maio e Outubro de 2010
Campanha às Ilhas da Madeira no âmbito do projecto “Origin and adaptative
radiatiation of the Echinodiaceae: A Molecular phylogenetic and biogeographic
approach on the Macaronesian species.”
S Martins, M Sim-Sim
Setembro de 2010
Amostragem da flora e Briófitos na Ilha Terceira e Ilha do Pico no âmbito do
projecto “Origin and adaptative radiatiation of the Echinodiaceae: A Molecular
phylogenetic and biogeographic approach on the Macaronesian species.”
S Martins
Conselho Cientifico
86/116
2010
Colecções
No MNHN as colecções estão intimamente ligadas ao desenvolvimento da
actividade de investigação, sendo que a gestão da maior parte das colecções,
nomeadamente de Botânica e de Zoologia e Antropologia, é levada a cabo por
investigadores.
Banco de Sementes António Luís Belo Correia
Na Europa, mais de um quinto das reservas genéticas estão ameaçadas
devido à ausência de medidas de conservação adequadas e às alterações da
paisagem e do clima. Neste contexto, a Estratégia Global para a Conservação
das Plantas recomenda a criação de colecções ex situ para 60% das espécies
ameaçadas até 2010. Do ponto de vista económico, científico e ecológico
devemos desenvolver medidas de conservação dos nossos recursos genéticos,
independentemente da sua utilização imediata pelo homem. Esta é a função
dos bancos de sementes, ou bancos de germoplasma, equipamento dedicado
a conservar o património genético das plantas, sob a forma de sementes, ADN,
tecidos, etc.
Uma das responsabilidades actuais dos Jardins Botânicos é possuir condições
de conservação ex situ como os bancos de germoplasma, particularmente
ligado à flora nativa e ameaçada, para assim manter a variabilidade genética
de populações que, em condições naturais, estão ameaçadas por falta de
habitat ou por erosão genética. A conservação de germoplasma constitui um
importante complemento da conservação in situ, proporcionando um “seguro”
contra a extinção das espécies no estado selvagem.
O Banco de Sementes A.L. Belo Correia
integra uma colecção de sementes e uma
colecção de ADN da Flora portuguesa. É
igualmente um local de pesquisa e de
desenvolvimento
científico,
particularmente
direccionado
para
desenvolver protocolos de conservação da
Flora autóctone ex situ, bem como para
programas de conservação in situ,
nomeadamente ensaios de repovoamento
e recuperação ecológica utilizando
sementes previamente conservadas em banco de sementes.
A conservação das sementes ex situ contempla diversas fases: i) colheita; ii)
secagem iii) determinação da viabilidade e das condições óptimas de
germinação e iv) conservação a longo prazo. Cada elemento da colecção do
Banco de Sementes possui um passaporte de identificação com toda a
Conselho Científico
87/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
informação referente à colheita, características da semente e condições de
armazenamento.
Por outro lado foi criada recentemente uma colecção de ADN que pretende
centrar-se na Flora ameaçada portuguesa
mas que inclui também amostras de
outras espécies vegetais, quer da
colecção viva do Jardim Botânico, quer
amostras
subjacentes
a
estudos
desenvolvidos ou em desenvolvimento no
JB. A colecção contém amostras de dois
tipos populacionais (pop) em que apenas
um exemplar por população recebe
voucher e da espécie (tax) com um
voucher por cada registo. A colecção
integra até à data 564 amostras das famílias Caryophyllaceae, Fagaceae,
Orchidaceae, e Plantaginaceae. A colecção tem como fim servir de base a
trocas e permutas entre instituições bem como em projectos de ADN código de
barras das plantas (plant DNA barcode) e providenciar um recurso a longo
termo que poderá ser usado à luz de desenvolvimentos tecnológicos ou
modificações de protocolos de ADN código de barras das plantas. Durante o
corrente ano receberam 2 pedidos relativos a 38 taxa provenientes de outras
instituições de investigação portuguesas, os quais estão em curso.
A Clemente - curadora e gestora da colecção de sementes, sendo responsável
pela sua validação em termos científicos, manutenção, conservação e
acessibilidade. Em 2010, foram adicionados 75 novos registos,
correspondentes a 24 taxa da Flora autóctone.
H Cotrim - curadora e gestora da recente colecção de ADN vegetal, é
responsável pela sua validação em termos científicos, manutenção
conservação e acessibilidade.
Herbário - LISU
Para além das colecções vivas, o Jardim Botânico tem colecções de espécimes
conservadas em herbário. Os espécimes de herbário – LISU - são uma base de
dados de referência reconhecida a nível mundial, por apresentarem informação
geográfica e ecológica, o que permite a elaboração de mapas de distribuição
de espécies, a selecção de áreas com importância para a conservação
(parques naturais, Rede Natura 2000 e outras áreas), o estudo das alterações
climáticas, estudos moleculares, determinação de espécimes a investigadores
e à população em geral sempre que solicitado, prestando assim um serviço
público que não pode ser fornecido por outro tipo de instituição.
Conselho Cientifico
88/116
2010
As colecções de criptogâmicas existentes neste herbário incluem importantes e
históricas colecções de Portugal, Macaronésia e África, com mais de 150.000
espécimes. As colecções de plantas vasculares incluem, para além de
colecções mais recentes, importantes herbários históricos, nomeadamente o
herbário angolano de Welwitsch e os herbários de Alexandre Rodrigues
Ferreira, Brotero e Vandelli. Este herbário, e muito particularmente a colecção
angolana de Welwitsch, integra numerosos espécimes tipos (tipos
nomenclaturais) exemplares únicos, alguns dos quais de taxa exclusivos desta
região.
Salienta-se a importância deste herbário, não só
por constituir um repertório base da biodiversidade
de organismos extremamente importantes para a
caracterização dos ecossistemas terrestres, como
servirem de suporte na avaliação de alterações
ambientais quer no espaço quer no tempo. Assim,
os dados de biodiversidade avaliados a partir de
colecções biológicas de LISU, algumas com mais
de 150 anos, podem revelar-se de grande
acuidade. Em estudos recentes tem possibilitado a
delimitação de áreas de interesse biológico, a
pesquisa sobre a introdução de plantas exóticas e sua expansão ao longo do
tempo e, no futuro, para a avaliação de possíveis alterações climáticas.
No Departamento de Botânica, e tendo como base de trabalho o Sistema de
Informação para a gestão do Herbário LISU, composto pela aplicação
BROTERO, desenvolvida no MNHN, foram integradas entre Novembro de 2009
a Outubro de 2010 cerca de 3300 espécimes de criptogâmicas (1700 líquenes,
1100 briófitos, 500 fungos). São mantidas nesta aplicação duas vertente de
acesso, a primeira in-house, para a gestão corrente da colecção, e outra online (http://brotero.politecnica.ul.pt), para acesso público aos dados de herbário.
P Carvalho - curadora e gestora da
colecção de líquenes de LISU, sendo
responsável pela sua validação em
termos
científicos,
manutenção,
conservação e acessibilidade. Durante o
ano de 2010 foram incluídos nesta
colecção 600 espécimes colhidos em
Portugal e 1100 espécimes provenientes
de S. Tomé, Angola, Cabo Verde e Timor,
resultado de antigas expedições.
AID Correia - curadora e gestora da colecção de plantas vasculares de LISU,
sendo responsável pela sua validação em termos científicos, manutenção,
conservação e acessibilidade. Em 2010 procedeu-se à digitalização e
Conselho Científico
89/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
colocação em base de dados (Specify6) de cerca de 1000 espécimes tipo da
colecção angolana de F. Welwitsch e está em curso a informatização do
herbário de Valorado.
I Melo - curadora e gestora da colecção de fungos de LISU, sendo responsável
pela sua validação em termos científicos, manutenção, conservação e
acessibilidade. A colecção foi aumentada com cerca de 500 espécimes de
fungos Aphyllophorales provenientes de Marrocos e de Cabo Verde.
C Sérgio - curadora e gestora da colecção de briófitos de LISU, sendo
responsável pela sua validação em termos científicos, manutenção,
conservação e acessibilidade. Como base para a elaboração da Flora
Briológica e Liquénica do vale do Tua foram colhidos cerca de 800 espécimens
de briófitos (C. Sérgio & C. Garcia). Exclusivamente no projecto BrioAtlas foram
identificados e integrados cerca de 500 espécimes de briófitos.
M Sim-Sim - Colheu cerca de 300 espécimes de briófitos do Arquipélago da
Madeira. Seleccionou e preparou amostras de espécies com estatuto de
conservação para integrarem o banco de ADN do Jardim Botânico.
C Tauleigne Gomes - co-responsável pelo desenvolvimento da estrutura da
Base de Dados Babilonia, ferramenta informática para a gestão conjunta das
diferentes colecções botânicas albergadas pelos Jardins Botânicos
(nomeadamente Herbário, Plantas Vivas e Germoplasma), no âmbito da
Asociación Ibero-Macaronésica de Jardines Botánicos (AIMJB), que envolveu a
participação das seguintes entidades: Jardín Botánico Atlántico, Jardí Botànic
de la Universitat de Valencia, Banco de Germoplasma de la Universidad
Politécnica de Madrid, Museu Nacional de História Natural - Jardim Botânico,
Jardín Botánico de Córdoba, Jardí Botánic Marimurtra, Jardín Botánico de
Barcelona, Real Jardín Botánico de Madrid, Jardín Botánico Juan Carlos I,
Jardí Botànic de Soller, Jardín de Aclimatación de la Orotova (acessível a partir
do site: http://www.jbotanicos.net/, embora a BD seja de acesso livre, neste
estado de desenvolvimento da aplicação, as palavras passe de acesso deverão
ser solicitadas à AIMJB).
Colecções Geológicas
As colecções que integram o acervo do Departamento de Mineralogia e
Geologia do Museu Nacional de História Natural são, na sua quase totalidade,
colecções mineralógicas, petrológicas e paleontológicas (totalizam cerca de
69000 exemplares, excluindo as colecções de trabalho). As colecções
paleontológicas estão organizadas de acordo com critérios taxonómicos ou
com critérios estratigráficos constituindo, neste caso, colecções de estratigrafia.
Em todas as categorias existem exemplares ou núcleos de colecções que
integravam o Museu Nacional à data da sua entrega à Escola Politécnica
Conselho Cientifico
90/116
2010
(1858). O incêndio que destruiu parcialmente o edifício em Março de 1978
danificou e destruiu grande parte dos exemplares. Ainda hoje se prossegue
com o trabalho de recuperação, reorganização e reelaboração inventários
perdidos naquela situação. Optou-se por manter as colecções salvas do
incêndio com a organização que apresentavam em 1978. São hoje colecções
fechadas preservando as marcas da sua história. Com os exemplares
posteriormente adquiridos iniciaram-se novas colecções.
Durante o ano de 2010 concluiu-se a
primeira fase de informatização da base de
dados das colecções mineralógicas. A
segunda fase será iniciada em 2010 (rever
e completar a informação referente a cada
exemplar). Procedeu-se à remarcação e
reacondicionamento da Colecção de
Gemas, Pedras talhadas e Cabuchões (652
exemplares).
Quanto às colecções de paleontologia e
estratigrafia continua ainda a ser necessário aprofundar e rever, nalguns casos
mesmo pesquisar, a respectiva documentação. É preciso dizer que este
trabalho longo, minucioso, naturalmente demorado, tem-no sido ainda mais
pelo facto de o departamento ter decidido que ele se processaria em
simultâneo com um esforço continuado de divulgação das temáticas da
Geologia sob pena de o MNHN ser considerado desaparecido no incêndio de
1978.
Durante 2010 prosseguiu a revisão da Colecção de Graptólitos pelo Doutor
José Piçarra, investigador do LNEG, delegação de Beja, no âmbito dos estudos
que desenvolve sobre aquele grupo fóssil do Paleozóico. Depois da
informatização do inventário da Colecção de Flora Fóssil do Carbónico
“Bernardino António Gomes” efectuada em 2009, procedeu-se ao respectivo
reacondicionamento.
No âmbito de uma bolsa Amadeu Dias (GeoFCUL), Pedro Mocho deu início ao
estudo, com vista a eventual revisão da classificação e do posicionamento
filogenético, de três crânios de Cetáceos do Miocénico da Adiça recolhidos por
Alexandre Vandelli para o Museu em 1831 que são exemplares tipo e paratipo
das respectivas espécies. Este trabalho deu origem a dois trabalhos publicados
em actas de congresso e a uma comunicação. Continuamos em contacto com
Félix Marx do Department of Earth Sciences da University of Bristol e Oliver
Hampe do Museum fur Naturkunde de Berlim para acompanhamento deste
processo.
Durante este ano ingressaram no Museu centenas de fósseis provenientes da
escavação realizada em Maio nos terrenos do Jurássico superior de Andrés,
Pombal, de onde foram extraídos mais fósseis de Allosaurus, de outros
Conselho Científico
91/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
vertebrados e de moluscos. À medida que se proceder à respectiva preparação
e estudo os exemplares serão integrados na Colecção de Dinossáurios.
Está em curso a revisão taxonómica e a reclassificação de alguns exemplares
de amonites pelo Prof. Rogério Rocha da UNL, especialista nestes moluscos.
L Póvoas, com a colaboração de JP Lopes ocupam-se da curadoria e gestão
das colecções coordenando as tarefas de conservação e documentação e,
quando necessário, recorrendo à colaboração de diversos especialistas quando
a validação científica ou a revisão da antiga identificação e classificação assim
o exigem.
Colecções Zoológicas e Antropológicas
O Departamento de Zoologia abriga uma colecção zoológica composta, na sua
maioria, por exemplares da fauna ibérica e também das faunas de outras
regiões do mundo. Com o objectivo de acompanhar os recentes avanços nas
técnicas de recolha, armazenamento e utilização de material biológico o museu
tem ampliado a sua colecção de tecidos e ADN actualmente composto por
material oriundo da investigação científica realizada nesta instituição. O
departamento alberga ainda uma ampla colecção antropológica, considerada a
segunda mais importante da Europa. Faz também parte do acervo um
importante fundo documental, relacionado com a Zoologia e a Antropologia em
Portugal desde o séc. XVIII, que inclui mais de 4000 documentos.
Neste departamento, a maioria dos investigadores está envolvida em
actividades relacionadas com as colecções:
MJ Alves - curadora e gestora da colecção de peixes, sendo responsável pela
sua validação em termos científicos,
manutenção,
conservação
e
acessibilidade. Em 2010, a colecção de
peixes foi ampliada através de
campanhas direccionadas para a
captura
de
espécies
da
fauna
portuguesa, tendo a totalidade destas
campanhas sido financiada pelos
projectos de investigação em curso.
C Bastos-Silveira - curadora e gestora
da colecção de tecidos e ADN, sendo responsável pela sua validação em
termos científicos, manutenção, conservação e acessibilidade.
HFV Cardoso - curador e gestor das colecções de antropologia (esqueletos
humanos). As colecções não têm sido alvo de ampliação, mas o actual espólio
da colecção de esqueletos identificados representa uma das mais importantes
Conselho Cientifico
92/116
2010
e maiores extensas do género no mundo. O curador é responsável pela sua
conservação, manutenção e acessibilidade.
T Catry - curadora-adjunta da colecção de aves, coadjuvando o curador e
gestor da respectiva colecção nas acções de validação científica, manutenção,
conservação e acessibilidade.
E Conceição - curadora-adjunta das colecções de antropologia, coadjuvando o
curador e gestor da respectiva colecção nas acções de validação científica,
manutenção, conservação e acessibilidade.
AM Correia - curadora e gestora das colecções de entomologia, aracnida e
miriapoda, sendo responsável pela sua validação em termos científicos,
manutenção, conservação e acessibilidade. Em 2010, as colecções foram
ampliadas através de doações.
P Garcia-Pereira - curadora-adjunta das colecções
especificamente no que se refere a Lepidoptera.
de
entomologia,
JP Granadeiro - curador e gestor das colecções de aves, sendo responsável
pela sua validação em termos científicos, manutenção, conservação e
acessibilidade. Em 2010 desenvolveu-se um esforço significativo de
enriquecimento das colecções científicas, tendo sido estabelecidos diversos
contactos (com centros de recuperação de aves, investigadores, anilhadores
de aves, etc), com vista à obtenção de espécimes.
PAM Marques - curador-adjunto da colecção de aves, coadjuvando o curador e
gestor da respectiva colecção nas acções de validação científica, manutenção,
conservação e acessibilidade.
N Mesquita – curadora-adjunta da colecção de peixes, coadjuvando a curadora
e gestora da respectiva colecção nas acções de validação científica,
manutenção, conservação e acessibilidade.
G Ramalhinho - curadora e gestora da colecção de mamíferos, sendo
responsável pela sua validação em termos científicos, manutenção,
conservação e acessibilidade.
No Departamento de Zoologia e Antropologia encontra-se disponível para
consulta on-line (www.mnhn.pt) um documento relativo à política de colecções
zoológicas do MNHN, nomeadamente, âmbito e política de aquisições, regras e
formulários de empréstimo e de consulta, métodos e registo das acções de
conservação efectuadas ao longo do ano.
Conselho Científico
93/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Divulgação Científica
A actividade de divulgação científica através dos investigadores do MNHN e
respectivas equipas é fundamental para a promoção do MNHN e da
Universidade de Lisboa, e sobretudo para a promoção de uma cultura científica
fundamental para o desenvolvimento da sociedade. Daí advirão quer novos
públicos para os Museus de História Natural, quer potenciais estudantes de
ciências naturais.
A vertente de divulgação científica relacionada com a valorização do
Património Natural e Conservação da Natureza em diversos concelhos do país
tem sido desenvolvida no MNHN.
Desde 1990 o MNHN empreendeu a tarefa de promover o estudo, conservação
e musealização de sítios com património geológico representativo de aspectos
da história da Terra e da Vida. Trata-se de objectos geológicos notáveis
integrados no seu contexto, no território, designados geomonumentos.
São 16 os geomonumentos cujo estudo e preservação decorre de protocolos e
projectos elaborados entre o MNHN e autarquias ou parque naturais. Referemse a sítios com trilhos de Dinossáurios, com estruturas geológicas particulares,
antigas pedreiras e minas ou aos últimos afloramentos de rochas na cidade de
Lisboa. Funcionam como pólos científicos e pedagógicos do MNHN e da
Universidade de Lisboa.
Programa Bioeventos 2010
Programa de Comemoração do Ano Internacional da Biodiversidade
http://bioeventos2010.ul.pt
Instituição parceira: Centro de Biologia
Ambiental
Outras parcerias: EDP, BES, UNESCO,
ICNB, BCSD, Ciência Viva, FGC, FCT,
TAGIS, AMRS, Biodiversity4All, Rádio
Zero, Cine Eco, FLAD, CP, Refer,
CMPalmela, CMSintra, CMSeia, CMLIsboa,
CMSesimbra, CMBarreiro, CMSetúbal, Inst.
Italiano, Embaixada França,
Portucel/Soporcel, Visão, RTP2, SIC,
Zappiens.
Coordenadores: A Eiró, M Santos Reis
Equipa do MNHN: MJ Alves, P GarciaPereira, C Luís, B Pinto, C Sérgio
Com o intuito de comemorar do Ano Internacional da Biodiversidade, o Museu
Nacional de História Natural e do Centro de Biologia Ambiental lançaram o
Conselho Cientifico
94/116
2010
programa Bioeventos 2010: um conjunto de iniciativas que pretendem divulgar
o papel e importância da biodiversidade para a sustentabilidade do planeta e o
papel das sociedades humanas na sua preservação, juntando Portugal à lista
de países promotores destas iniciativas.
As actividades propostas alcançaram um largo espectro da sociedade, do
público mais especializado e informado sobre a temática, ao cidadão comum.
As iniciativas destinaram-se a um público diverso e assumiram diferentes
formas de comunicação. Alguns dos eventos planeados prolongar-se-ão para
além de 2010, permitindo manter a atenção conquistada e dar continuidade ao
papel informativo e formativo do programa.
Comboio da Biodiversidade – 13 de Março
Actividade de lançamento do programa Bioeventos 2010 com uma tertúlia
sobre biodiversidade a bordo de um
comboio que saiu de Santa Apolónia
para uma viagem circular que
atravessou o Estuário do Tejo e o
Vale do Sado. Esta viagem incluiu
uma viagem de autocarro até à Serra
da Arrábida. Os participantes foram
pessoas ligadas a grupos de decisão
político-económica, à economia e ao
sector empresarial, ao ambiente e
gestão de recursos naturais, para
além de figuras públicas que fazem a opinião e que dão o exemplo. Os guias
foram, na sua maioria, investigadores da Universidade de Lisboa e
representaram várias áreas do conhecimento relacionadas com a temática da
Biodiversidade.
Equipa MNHN: P Garcia-Pereira, C Luís, B Pinto
Dia B - Campanha pública de observação da Biodiversidade – 22 de Maio
Esta campanha consistiu na participação activa do público no trabalho de
inventariação do nosso património natural. Pediu-se aos cidadãos que saíssem
à rua neste dia, procurassem um local apropriado e registassem as espécies
que observaram, usando um guia de campo que foi elaborado para este evento
(Guia de Campo do Dia B), com as espécies mais comuns em Portugal.
Posteriormente procedeu-se à colocação das observações registadas na base
de dados Biodiversity4All. Aderiram inúmeras entidades a esta iniciativa, entre
elas, diversos municípios, escolas de ensino público e privado, centros Ciência
Viva, Fundação Serralves, Herdade da Faia Brava, Parque Biológico de
Vinhais. Pretende-se prolongar esta iniciativa para além de 2010.
Equipa MNHN: MJ Alves, J Cardoso, P Carvalho, A Cartaxana, D Carvalho, A
Galveias, C Garcia, P Garcia-Pereira, C Luís, I Melo, B Pinto, C Sérgio
Conselho Científico
95/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Ciclo de Conferências “Biodiversidade e Sociedade”
12 Abril
Biodiversidade e ecologia de reconciliação
Mike Rosenzweig (Univ. Arizona, EUA)
10 Maio
Biodiversidade Humana
Jonathan Marks (Univ. North Carolina, EUA)
17 Maio
Biodiversidade e práticas de conservação
Ana Sofia Rodrigues (CEFE-CNRS, França)
7 Junho
Biodiversidade, evolução e OGM´s
Pierre-Henry Gouyon (MNHN, França)
29 Setembro
Biodiversidade e fragmentação de habitat
Ilkka Hanski (Univ. Helsinki, Finlândia)
6 Outubro
Biodiversidade e educação
Pier Luigi Nimis (Univ. Trieste, Itália)
20 Outubro
Biodiversidade e saúde humana
Aaron Bernstein (HMS-Harvard, EUA)
3 Novembro
Biodiversidade e genética de conservação
Craig Moritz (Univ. Berkeley, EUA)
Estações da Biodiversidade
Constituem uma nova vertente de divulgação científica relacionada com a
valorização do Património Natural e Conservação da Natureza em diversos
concelhos do país. Está a ser implementada uma rede de Estações da
Biodiversidade que permitirá desenvolver acções de educação, sensibilização e
turismo ambiental. As Estações da Biodiversidade são percursos públicos, com
uma extensão máxima de 3 km, sinalizados no terreno através de painéis
informativos sobre as riquezas biológicas a observar pelos visitantes. Cada
estação está localizada num local de elevada riqueza específica e paisagística,
representativa dos habitats característicos da área. Os conteúdos científicos
que se encontra a ser colocados nos vários locais fazem referência às
principais espécies emblemáticas a observar, assim como informação base
Conselho Cientifico
96/116
2010
sobre os organismos mais comuns. Será dada particular importância aos
insectos e plantas, uma vez que são a base para a conservação dos
ecossistemas terrestres. A rede é actualmente composta por 31 estações, que
cobrem todo o território nacional. Em 2010 foi inaugurada a estação da
biodiversidade do Parque Biológico de Vinhais.
Equipa MNHN: P Garcia-Pereira; C Luís, AI Correia, C Garcia, I Melo
Projectos de Divulgação Científica
2010-2013
Natural Europe: Natural History & Environmental Cultural Heritage in
European Digital Libraries for Education
Ref. CIP-ICT PSP-2009-3
Instituição proponente: GR&TN (Grécia)
Outras Instituições Participantes: TUC (Grécia), FIAIT (Alemanha), EA (Grécia),
UB (Alemanha), UH (Filandia), BARCO (Bélgica), MW (Bélgica), NHMC
(Grécia), RBINS (Bélgica), JME (Alemanha), AC (Filandia), TNHM (Estónia),
HNHM (Hungria)
Coordenador: N Manouselis
Equipa MNHN: MJ Alves, C Luís, R Barata, C Bastos-Silveira, I Melo, A
Cartaxana, D Carvalho, F Serralheiro, B Ribeiro, JP Granadeiro, J Prudêncio.
2010-12 – Macedo Natura
Instituições Proponentes: MNHN, Tagis – Centro de Conservação das
Borboletas de Portugal
Coordenador: P Garcia-Pereira
Equipa MNHN: P Garcia-Pereira
2010-12 – Estação da Biodiversidade de S. Brás de Alportel
Instituições Proponentes: MNHN, Tagis – Centro de Conservação das
Borboletas de Portugal
Coordenador: P Garcia-Pereira
Equipa MNHN: P Garcia-Pereira
2010 - Noite dos Investigadores
Instituições participantes: Univ- Porto Inovação – Univ. Porto, Instituto Biologia
Molecular e Celular, Centro Astrofísica Univ. Porto, Instituto Investigação
Científica Tropical, Associação Viver a Ciência, CRIA – Divisão de
Empreendedorismo e Transferência Tecnologia Univ. Algarve, Natura Algarve,
Museu Ciência Univ. Coimbra, Fundação Calouste Gulbenkian - Instituto
Gulbenkian de Ciência
Equipa MNHN: B Pinto
2009-10 – Estações da Biodiversidade Natura 2000
Coordenador: P Garcia-Pereira
Conselho Científico
97/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Instituições Proponentes: MNHN, Tagis – Centro de Conservação das
Borboletas de Portugal
Outra instituições participantes: EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva, SA. Agência Portuguesa do Ambiente – EEA Grants –
Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu
Coordenador: P Garcia-Pereira
Equipa MNHN: P Garcia-Pereira
2009–10
Ano Darwin: Aprenda com Darwin no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva
e no Museu Nacional de História Natural”
Instituições Participantes: Museu Nacional de História Natural e Agência
Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica – Ciência Viva.
Coordenadora do Projecto: VF Santos
Equipa do MNHN: R Barata, A Escudeiro, F Serralheiro, B Ribeiro, L Povoas, G
Cavaco
2006 -11 - Um bosque perto de si. Visitas a ecossistemas florestais
http://www.cienciaviva.pt/projectos/bosque/
Outras Instituições Participantes: Agência Nacional para a Cultura Científica e
Tecnológica - Ciência Viva.
Coordenador Cientifico: C Garcia
Equipa do MNHN: C Garcia, C Sérgio, M Sim-Sim
Edição 2009-120 escolas envolvidas e cerca de 4000 alunos
2003-2010 – Projecto PALDES (Paleontología y Desarrollo - Níger)
Este projecto pretende analisar, promover e proteger as jazidas paleontológicas
da região e estabelecer infra-estruturas locais, como o recém concluído Museu
Paleontológico de Tadibene (Níger)
Coordenador Científico: F Ortega
Equipa do MNHN: P Dantas, B Ribeiro
Obras de Divulgação
Alves MJ, Santos VF. In press. Os primeiros vertebrados e a evolução dos
peixes. In: M. A. Martins-Loução, F. Barriga & G. Ramalhinho (Eds.), Catálogo
da Exposição Aventura da Terra: Um planeta em evolução, Museu Nacional de
História Natural.
Catry T, Dias MP. 2010. A ciência das aves. Pardela 37: 24-25.
Catry T, Dias MP. 2010. A ciência das aves. Pardela 38: 22-23.
Catry T, Dias MP. 2010. A ciência das aves. Pardela 39: 26-27.
Conselho Cientifico
98/116
2010
Catry P, Lecoq M, Granadeiro JP, Ramírez I. 2010. Projecto Arenaria.
Distribuição e abundância de aves nas praias e costas de Portugal. Pardela 39:
9-11.
Márquez R, de la Riva I, Gil D, Marques PAM, Sueur J, Beltran JF, Amaral JP,
Eekhout X, Llusia D, Pérez M, González L, Solís G In press. Fonotecas
científicas y estudios bioacústicos. El discurso de la biodiversidad. [Scientific
sound archives and bioacoustics studies: the speech of biodiversity]. Quercus.
Martins-Loução MA, Sérgio C, Melo I, Correia AI, Escudeiro A, Barata AR, SimSim M, Carvalho P, Pinto MJ, Garcia C, Figueira R, Magos Brehm J, Draper D,
Marques I, Rosseló A, Tauleigne Gomes C, Cotrim H, Serrano H, Branquinho
C, Clemente A. 2010. O contributo do Jardim Botânico de Lisboa para a
Estratégia Global para a Conservação de Plantas (2003-2009). El/O Botanico
4: 10-11.
Pinto B. 2010. Comemorações do Ano Internacional da Biodiversidade. Pardela
38: 5-6.
Pinto B, Luís C, Garcia-Pereira P, Vala F (eds.). 2010. Guia de Campo Dia B.
Bioeventos 2010, Universidade de Lisboa. ISBN 978-989-96748-0-6.
Póvoas L. In press. Terra, Vida e extinções em massa. In: M. A. MartinsLoução, F. Barriga e G. Ramalhinho (Eds.), Catálogo da Exposição Aventura
da Terra: Um planeta em evolução. Museu Nacional de História Natural.
Santos VF, Royo-Torres R. 2010. As mãos do gigante. National Geographic
Portugal 9 (Janeiro).
Santos VF. 2010. Reconstituição do ambiente e do dinossáurio cujas pegadas
se encontram preservadas na laje que constitui a jazida da Pedreira do
Galinha. National Geographic Portugal 9 (Janeiro).
Santos VF, Alves MJ In press. A adaptação dos vertebrados ao meio terrestre e
a sua diversificação. In: M. A. Martins-Loução, F. Barriga e G. Ramalhinho
(Eds.), Catálogo da Exposição Aventura da Terra: Um planeta em evolução,
Museu Nacional de História Natural.
Palestras de Divulgação
Os investigadores do MNHN foram oradores das seguintes palestras de
divulgação:
Conferências em escolas
Escola EB 2/3 Roque Gameiro, Amadora, 26 de Maio de 2010.
Biodiversidade em Portugal
Conselho Científico
99/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
MJ Alves (C Convidada)
Ciclo de sessões dedicadas ao património científico Português
Museu de Ciência, Lisboa, 24 de Junho
Esqueletos no Armário: O Espólio Osteológico Humano do Museu Nacional de
História Natural desde a sua Fundação
H Cardoso (C Convidada)
Ciclo de palestras “Ciência em Português”
Museu de Ciência, Lisboa, 18 de Junho
O Que nos Contam os Ossos: Realidade e Ficção em Séries Televisivas como
Bones e CSI
H Cardoso (C Convidada)
Encontros Scientia
Centro de Biologia Ambiental, FCUL, 4 de Fevereiro
Atribuições Recentes da Antropologia Forense: Estimativa da idade em
indivíduos vivos
H Cardoso (C Convidada)
Natural Europe: Natural History & Environmental Cultural Heritage in
European Digital Libraries for Education: Kick-off Meeting
Bayreuth/Eichstätt, Alemanha, 10-13 Outubro
Digital Collections Marketplace. The contribution of the Museu Nacional de
História Natural, University of Lisbon
A Cartaxana
Comemoração do Dia Mundial das Zonas Húmidas
ICNB, Museu do Neo-realismo de Vila Franca de Xira, 2 Fevereiro
Estuário do Tejo: no centro da rota das aves limícolas migradoras
T Catry (C Convidada)
Conversas às Quintas
Museu de Ciência, Lisboa
Bioeventos 2010 – Apresentação do Projecto
P Garcia-Pereira, Luís C
Conversas às Quintas
Museu de Ciência, Lisboa
Estações da Biodiversidade
P Garcia-Pereira
Extensão do Festival Cine’ Eco
Fórum FNAC Chiado, Lisboa, 5 Junho
Tertúlia sobre biodiversidade
P Garcia-Pereira, C Luís, B Pinto (C Convidada)
Conselho Cientifico
100/116
2010
Expedições Extremas
Pavilhão do conhecimento, Lisboa, 9 de Janeiro
Pinguins e afins
JP Granadeiro (C Convidada)
CoastWatch: 20 anos a olhar pelo litoral
Barreiro, 30 de Junho
Biodiversidade de aves nas praias e costas de Portugal
JP Granadeiro (C Convidada)
As Zonas Húmidas e a Gestão da Biodiversidade”
ICNB, Forum Cultural Alcochete, 5 Novembro
Entre lamas e salgados: aves limícolas e conservação de zonas estuarinas.
JP Granadeiro (C Convidada)
Kolloquium, Alexander Koenig Museum
Bonn University, Bonn, Germany, 28 of January
Parent-offspring communication in Spanish sparrows: signaling to parents in a
little crowd. The “kindergarten effect
PAM Marques (C Convidada)
Conferências em escolas
Escola Secundária Rainha Dª Amélia, 31 de Março de 2010
Conferência preparatória da visita orientada pelo MNHN de 58 alunos do 11º
ano ao Maciço Ígneo de Sintra e envolvente sedimentar
L Póvoas
Conferências em escolas
Escola Secundária Matias Aires (Agualva-Cacém), 28 de Janeiro de 2008
Seminário sobre “Património Natural e Museologia” integrado em Acção de
Formação em Museologia para professores.
L Póvoas, C Lopes
Natural Europe: Natural History & Environmental Cultural Heritage in
European Digital Libraries for Education: Kick-off Meeting
Bayreuth/Eichstätt, Alemanha, 10-13 Outubro
Allosaurus: One dinosaur, two continents? - A research project turned into an
exhibition
B Ribeiro, R Barata (C Oral)
Natural Europe: Natural History & Environmental Cultural Heritage in
European Digital Libraries for Education: Kick-off Meeting
Bayreuth/Eichstätt, Alemanha, 10-13 Outubro
Museu Nacional de História Natural - Educational activities
B Ribeiro, R Barata (C Oral)
Conselho Científico
101/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Universidad de Verano de Teruel (Espanha)
9ª Edición del Curso de Verano “Paleontología y Desarrollo. Teruel: territorio
paleontológico, 26 de Julho de 2010.
http://uvt.unizar.es/guvt_curso.jsp?curso=125
Utilización sociocultural de los Dinosaurios de Portugal
VF Santos
33ª Edição da Feira do Livro de Coimbra
Coimbra, 22 de Abril de 2010
Como era a vida na Terra
VF Santos
Biblioteca da Escola EB 2,3 de Alpendorada
Alpendorada, 22 de Março de 2010
Pegadas de dinossáurios e geoconservação em Portugal
VF Santos
Câmara Municipal de Marco de Canaveses
Marco de Canaveses, 22 de Março de 2010
Pegadas de dinossáurios e geoconservação em Portugal
VF Santos
Igreja de Nossa Senhora do Cabo Espichel
Cabo Espichel, 3 de Setembro de 2010
Jazidas de icnofósseis e os dinossáurios do Espichel
VF Santos
Almoços com História Natural
Foram organizadas, pelo CC do MNHN e coordenadas por H Cotrim e J Magos
Brehm, várias palestras de divulgação da actividade científica dos
investigadores da instituição. Este encontro científico mensal do MNHN –
Almoço com História Natural - realiza-se desde Março de 2010 e teve os
seguintes temas/oradores:
1-Conservação de Sementes no Banco de Sementes A. L. Belo Correia
25 de Março de 2010
A. Clemente (Departamento de Botânica)
2-Do Tejo às Malvinas: apresentação de 3 projectos com aves em parceria
entre o MNHN e a UIEE/ISPA
29 de Abril de 2010
JP Granadeiro, P Catry e M Dias (Departamento de Zoologia e Antropologia)
Conselho Cientifico
102/116
2010
3-Geobiodiversidade: extremófilos, intraterrestres e extraterrestres, do interior
da Terra aos confins do Sistema Solar
27 de Maio de 2010
F Barriga (Departamento de Mineralogia e Geologia)
4-Estudos de Conservação Biológica em plantas vasculares ameaçadas
dia 29 de Julho de 2010
MJ Pinto (Departamento de Botânica)
5-Comunicação entre e pais-crias no ninho: desafio numa pequena multidão
30 de Setembro de 2010
P Marques (Departamento de Zoologia e Antropologia)
6-Os sedimentos arenosos na perspectiva da dinâmica sedimentar e como
recurso económico
29 de Outubro de 2010
J Cascalho (Departamento de Mineralogia e Geologia)
Ciclo de Conferências no âmbito da “XXIV Feira Internacional de Minerais,
Gemas e Fósseis – Lisboa”
”9 Dez: “O Museu, as Colecções e o Património Geológico” por Fernando
Barriga (MNHN)
“ “Colecções geológicas: o passado e o futuro” por Liliana Póvoas (MNHN)
“A Ciência de uma Mina numa Mina de Ciência” por Álvaro Pinto (MNHN)
“Pegadas de Dinossáurios: O Património Passo a Passo” por Vanda Santos
(MNHN)
10 Dez:"O contributo dos museus para a Geoconservação" por José Brilha (U.
Minho)
11 Dez: •“Granadas do Suimo. Importância histórica e geológica (FCUL)
Equipa MNHN: C Lopes, FJAS Barriga
Ciclo de Palestras “Histórias da Terra” e de visitas à exposição “Allosaurus: Um
dinossáurio, dois continentes ?”
Ao abrigo de parceria entre o Dep. Mineralogia e Geologia do MNHN e o
Montepio Geral foi organizado um ciclo constituído pelas seguintes
conferências, que tiveram lugar no Auditório do Montepio:
21 Setembro: “Geologia e Cidadania” por AM Galopim de Carvalho
21 Outubro: “ A Vida na Terra antes e depois de Allosaurus” por L Póvoas
23 Novembro: “A última fronteira terrestre” por F Barriga
A mesma parceria incluiu uma série de visitas orientadas à exposição em
referência para os associados do Montepio. Tiveram lugar nos dias 17 de
Setembro, 15 de Outubro e 19 de Novembro, sempre às 21 horas.
Equipa MNHN: C Lopes, L Póvoas
Ciclo de Palestras “Jardins e Sociedade”
Conselho Científico
103/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Foi organizado um Ciclo de Palestras em parceria com a Câmara Municipal de
Odivelas no âmbito do Protocolo de Assessoria Científica “Instalação de um
Jardim Botânico em Famões”.
As palestras incluíram os seguintes oradores e temas:
18 Setembro: Prof.ª Maria Amélia Martins-Loução, “Missão dos Jardins
Botânicos”;
9 Outubro: Arqª Ana Luísa Soares (Instituto Superior de Agronomia,
Universidade Técnica de Lisboa), “Jardins urbanos, sua Importância e ligação
com a sociedade”;
13 Novembro: Profª Maria João Alcoforado (Instituto Geográfico e
Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa), “Alterações climáticas e
jardins urbanos”,
11 Dezembro: Arqª Teresa Rego (Câmara Municipal de Odivelas) e J Magos
Brehm (JB-MNHN), “Flora Olissiponense e o Jardim de Famões”.
Equipa do MNHN: J Magos Brehm e MA Martins-Loução
Colóquio: “Afinal os sismos podem ou não prever-se?”
Organização conjunta do MNHN e do Departamento de Geologia da FCUL
17 Março de 2010. No Museu Nacional de História Natural
Participações:
Luís Matias (FCUL) “Sismologia- Geração de Sismos- Tectónica de Placas”;
João Cabral (FCUL) “Sismotectónica de Portugal Continental – área emersa”;
Pedro Terrinha (LNEG) “Sismotectónica de Portugal Continental – área
imersa”;
Maria Ana Baptista (FCUL) “Tsunamis”;
Mourad Bezzeghoud (U Évora) “Modelação de fontes sísmicas”
António Ribeiro (FCUL) “Perigosidade sísmica”
Luís Mendes Victor (FCUL) “ Da previsão à prevenção”
Carlos Oliveira (IST) “ Risco sísmico e construção”
Moderadores: Fernando Barriga (MNHN) e César Andrade (GeoFCUL)
Ciência Viva
Programa “Biologia no Verão 2010” e “Geologia no Verão 2010”.
Os investigadores do MNHN participaram nestes programas, promovidos pela
Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica – Programa Ciência
Viva, com as seguintes acções:
•
Na mira das borboletas de Sintra (17, 24, 31 Julho)
•
Biodiversidade em todos os tempos (17 e 28 de Julho)
•
Borboletas nocturnas no Monte da Lua (17, 24, 31 Julho)
Conselho Cientifico
104/116
2010
•
Descobrir os segredos das aves (17 e 31 de Julho, 7 e 21 de Agosto, 4 e
11 de Setembro) (MNHN-ICTE))
•
A Biodiversidade na cidade (29 de
Agosto)
•
Plantas da Bíblia (9 de Setembro)
•
Biosensores
Setembro)
•
Monitorização da poluição atmosférica
na biosfera de Lisboa por biosensores.
Jardim Botânico como local modelo (14 de Setembro)
•
Para além do nome das plantas: o papel de um Jardim Botânico no
ecossistema urbano (14 de Setembro)
•
As comunidades de musgos e hepáticas no tronco das árvores no jardim
Botânico (15 de Setembro)
•
Alquimia com Minerais (sessões práticas de química de minerais nos
dias 15 e 30 de Julho)
•
Como se estuda um Dinossáurio? (21 de Julho, 4 de Agosto, 15 de
Setembro)
•
Minerais: identificar, classificar - na exposição e no laboratório (22 e 29
de Julho, 26 de Agosto, 2, 9 e 15 de Setembro)
•
Saiba tudo sobre Dinossáurios (20 de Julho, 3 de Agosto, 14 de
Setembro)
–
Lisboa
(14
de
• Descubra a Mina no Museu (23 e 30 de Julho; 10 de Setembro)
• À noite no Museu (16 de Julho; 8 de Setembro)
• Dádivas da Terra (23 de Julho)
• Caderno de Campo (20 e 27 de Julho; 31 de Agosto; 7 de Setembro)
• Fósseis para todos (22 e 27 de Julho; 2 e 9 de Setembro)
Conselho Científico
105/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
• Notícias do Jardim Grande…manual de bom comportamento das rochas
de Belém (em parceria com o Museu da Presidência da República) (1, 8,
22, 28 de Agosto)
Equipa MNHN: FJAS Barriga, JP Cascalho, P Carvalho, A Escudeiro, C Garcia,
MA Martins-Loução, I Melo, A Pinto, MJ Pinto, L Povoas, B Ribeiro, VF Santos,
C Sérgio
Dias comemorativos
Visitas orientadas
“Percursos no tempo” – 18 de Abril, Dia Internacional de Monumentos e Sítios
“Allosaurus: um dinossáurio, dois continentes?”- 18 de Maio, Dia Internacional
dos Museus
“Aventura da Terra” sob o tema da Paleobiodiversidade – 22 de Maio, Dia
Internacional da Biodiversidade
“Rota da Seda” – à descoberta dos locais ligados ao fabrico da seda nos séc.
XVIII e XIX. 26 de Setembro, Jornadas Europeias do Património
L Póvoas
Organização dos dias 22 de Abril - Dia da Terra e 18 de Maio – Dia
Internacional dos Museus
B Ribeiro
Colaboração com Escolas
•
Visitas orientadas ao Banco de Sementes.
A Clemente
•
Visitas orientadas à exposição “Minerais identificar e classificar” e
laboratório prático associado à exposição e destinado à observação das
propriedades dos minerais e de lâminas de rochas ao microscópio
petrográfico.
JP Cascalho, A Pinto, L Povoas
•
Visitas orientadas e animadas à exposição “Jóias da Terra – o minério
da Panasqueira”
JP Cascalho, A Pinto, L Povoas, B Ribeiro
•
Como fazer o Dia B
Apresentação do programa no Colégio S. João de Brito e apoio na
realização do Dia B
C Luís, B Pinto
Conselho Cientifico
106/116
2010
•
Visitas orientadas à exposição “Tudo sobre Dinossáurios”
L Póvoas, B Ribeiro
•
Visita a um Bosque em Alcobaça e a um Bosque em Cascais com
escolas Secundárias integrado no projecto: “Um Bosque Perto de Si”
C. Garcia.
•
Visitas orientadas à exposição “Allosaurus: um dinossáurio, dois
Continentes?”
L Póvoas, B Ribeiro
•
Visita de estudo ao Maciço Ígneo de Sintra e sua envolvente sedimentar.
Durante um dia 58 alunos do 11º ano da Escola Secundária Rainha Dª
Amélia observaram no terreno as rochas que contam a história
geológica da região, conduzidos pelo MNHN.
L Póvoas, B Ribeiro, P Dantas
•
Visitas orientadas à Exposição “Aventura da Terra, um planeta em
evolução”
F Serralheiro, L Póvoas
Exposições
Allosaurus: um dinossáurio, dois continentes?
Através desta exposição procuramos partilhar com o público um processo de
investigação científica e de produção de conhecimento em curso no Museu.
Convidamos os visitantes a percorrer os
vários passos desse processo desde a
escavação até às conclusões (ou novas
questões?), passando pela identificação e
caracterização da espécie paleontológica
Allosaurus fragilis, até então apenas
conhecida nos Estados Unidos.
A descoberta em Portugal, pela primeira vez
fora da América do Norte, de fósseis de
Allosaurus, foi surpreendente.
Os Allosaurus viveram no final do Jurássico.
As terras emersas do Norte da América e da
Península Ibérica, antes parte de um mesmo
continente, tinham começado a separar-se,
mas estavam ainda muito próximas: o Norte
do Oceano Atlântico era um braço de mar
estreito e alongado, semelhante ao Mar
Vermelho. A presença de Allosaurus em
Conselho Científico
107/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Portugal nesta época demonstra que a passagem destes animais era ainda
possível, e levanta questões apaixonantes e de grande importância científica.
No percurso da exposição, além da contemplação de imagens, de elementos
de esqueleto fossilizados e de 16 réplicas alusivas a outros tantos
dinossáurios, os visitantes são convidados a fazer algumas descobertas.
www.mnhn.ul.pt
Fevereiro de 2009 a Fevereiro de 2011
Equipa MNHN: F Barriga, LPóvoas, C Lopes, P Dantas, B Ribeiro, F Paiva, JP
Lopes, W Rita, MA Vieira, C Cruz, S Gonçalves, MC Simões
A Aventura da Terra: Um planeta em Evolução
Esta exposição relata a história e evolução da Terra ao longo dos últimos 4 600
milhões de anos. A história desenrola-se ao longo de um friso cronológico –
linha do tempo geológico – aproximadamente de cem metros, no qual se
sucedem os eventos geológicos
e biológicos que ilustram os
episódios
evolutivos
mais
marcantes da história da Terra.
Como cada metro representa 50
milhões de anos, o público é
levado a compreender a história
do planeta e a evolução da vida
na sua verdadeira relação temporal. Globos terrestres representando diferentes
idades do planeta, módulos interactivos, fósseis e modelos tridimensionais de
seres vivos do passado, complementam este friso cronológico, convidando a
uma verdadeira aventura interactiva sobre a evolução do nosso planeta.
http://aventuradaterra.aeiou.pt/exposicaomnhn
20 de Novembro 2009 a 31 de Dezembro 2011.
Equipa MNHN: MJ Alves, FJAS Barriga, H Cardoso, H Cotrim, C BastosSilveira, A Cartaxana, D Carvalho, C Gouveia, C Lacerda, C Lopes, C
Madruga, M Madureira, PAM Marques, MI Marques, MA Martins-Loucão, MC
Mateus, I Melo, L Povoas, F Paiva, J Prudêncio, MG Ramalhinho, A Ribeiro, B
Ribeiro, H Ribeiro, MC Santos, VF Santos, F Serralheiro, J Silva, J Tapisso
Insectos em Ordem
Incluída no programa Bioeventos 2010, esta é uma exposição de divulgação
científica sobre a diversidade de insectos. O ponto de partida é um desafio:
todos podemos aprender os princípios da identificação das espécies de
insectos. A partir daí, a exposição está concebida como um labirinto educativo
de 600 m2, onde os visitantes têm a missão de identificar a Ordem taxonómica
do insecto (preservado em resina) que lhes é entregue à entrada. Desta forma,
a configuração do espaço submete-se à chave dicotómica usada pelos
cientistas, com cada caminho ramificando-se noutros dois, e onde o visitante
deve identificar o percurso a seguir ao observar as características do seu
Conselho Cientifico
108/116
2010
exemplar, até chegar à identificação da Ordem. Ao longo da exposição, os
visitantes irão aprender sobre 16 ordens
diferentes de insectos, transformando
este evento num grande jogo didáctico e
interactivo da biodiversidade. Propomos
aos visitantes que venham ser "biólogos
por uma hora", identificando insectos
enquanto aprendem sobre a sua
diversidade no nosso país.
Crítica publicada na revista Science (Vol.
330, pp. 590).
28 de Maio 2010 a 28 de Novembro 2010
Equipa MNHN: P Garcia-Pereira, C Luís, B Pinto
Linces, Lobos e Águias-Reais
Incluída no programa Bioeventos 2010, esta exposição apresenta uma visão
histórica sobre a conservação da biodiversidade em Portugal. A primeira parte
da exposição foca as principais ameaças à conservação da biodiversidade,
ilustrando-as com as histórias da conservação de três espécies faunísticas
carismáticas em Portugal: o Lince-ibérico, o Lobo-ibérico e a Águia-real. Na
segunda parte, apresenta-se cronologicamente as principais medidas de
conservação da biodiversidade no nosso país, que são ilustradas com notícias
de imprensa e de televisão, posters, fotografias e mapas, solicitando-se ainda
aos visitantes que apresentem sugestões para solucionar problemas
ambientais no futuro.
2 de Dezembro 2010 a 17 de Abril 2011
Equipa MNHN: B Pinto, P Garcia-Pereira, C Luís
Biodiversidade em Portugal
Exposição de curta duração, organizada pelo Museu Nacional de História
Natural, em colaboração com a Tagis, na Assembleia da República, sobre
biodiversidade em Portugal, usando como material expositivo colecções do
MNHN.
17 a 21 de Maio
Equipa MNHN: MJ Alves PAM Marques, I Melo
DinoExpo – Dinossáurios invadem o Geopark Naturtejo
Exposição de Curta duração organizado pelo Geopark Naturtejo/Câmara
Municipal de Idanha-a-Nova e participação MNHN. Este evento decorreu em
Castelo Branco e foi Com a “DinoExpo” pretendeu-se fazer chegar informação
científica sobre dinossáurios e outros vertebrados do Mesozóico a um público
que habitualmente tem de se deslocar a Lisboa e ao Porto para usufruir deste
tipo de evento.
Conselho Científico
109/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Equipa MNHN: VF Santos
XXIV Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis
Este evento constitui, desde 1988, uma grande festa do Museu e uma marca
na vida cultural da cidade. Reúne coleccionadores e comerciantes de minerais,
gemas e fósseis, oriundos de vários países da
Europa, bem como um vasto público, representado
por milhares de visitantes, que tem aqui uma
oportunidade ímpar de adquirir ou simplesmente
deleitar-se com a observação de exemplares únicos.
Como habitualmente, paralelamente à Feira, teve
lugar um programa complementar de actividades de
divulgação cultural e científica destinadas a jovens e
adultos. Muitas vocações para a Geologia e/ou o
coleccionismo nasceram ao longo das 24 edições da
Feira.
Este ano a Feira realizou-se sob o tema
Coleccionismo e Património. Boa parte do património geológico natural é
demasiado frágil para ser conservado in-situ (minerais e muitos fósseis). O
lugar das peças mais notáveis é nos museus, onde possam ser apreciadas por
todos. Peças menos excepcionais são muito procuradas por coleccionadores
privados, cujo apreço conduz à sua recolha, por exemplo em minas e
pedreiras. Sem o interesse dos coleccionadores, estes exemplares acabariam
destruídos pelos processos industriais. Por outro lado, é sabido que alguns
coleccionadores e comerciantes menos escrupulosos e/ou cuidadosos
produzem depredações inaceitáveis em afloramentos públicos e privados, com
destruição de boa parte do património. Onde está a virtude? Como conseguir
coleccionismo e preservação do património? Eis o tema da Feira deste ano
www.mnhn.ul.pt
8 a 12 de Dezembro de 2010
Equipa MNHN: FJAS Barriga, A Bernardo, JP Cascalho, C Cruz, S Gonçalves,
C Lopes, JP Lopes, F Paiva, A Pinto, L Póvoas, B Ribeiro, W Rita
O Museu e a Comunicação Social
RTP 1
Entrevista ao programa “Portugal em Directo” em 20.07.2010 e “Bom dia
Portugal” em 22.07.2010 a propósito da conservação de sementes de espécies
ameaçadas no Banco de Sementes A.L. Belo Correia.
A Clemente, J Magos Brehm
Apresentação do Guia do Dia B no “Minuto Verde” de 27.05.2010
Bioeventos 2010
Conselho Cientifico
110/116
2010
Visita à exposição “Insectos em Ordem” a 29.6.2010 no âmbito do programa
“Portugal em Directo”.
Bioeventos 2010
RTP 2
Comboio da Biodiversidade no programa Biosfera de 24.03.2010
Bioeventos 2010
Spot: Sai P’ra Rua e Faz o Dia B
Bioeventos 2010
Programa da Universidade aberta sobre os monumentos naturais de pegadas
de dinossáurios
VF Santos
RTP N
Entrevista ao programa “4 x Ciência” de 23.10.2010 a propósito da colecção de
peixes.
MJ Alves
RTVE
Reportagem acerca da escavação paleontológica de Andrés e da exposição
Allosaurus, em 1Nov2010 Ao minuto 48:20
http://www.rtve.es/alacarta/la1/abecedario/T.html#918122
F Ortega, P Dantas, FJAS Barriga
SIC
Quatro horas de transmissões em directo acompanhando o salvamento dos
mineiros chilenos da mina de San José, Copiapó (12 Out 2010)
FJAS Barriga
Spot: Sai P’ra Rua e Faz o Dia B
Bioeventos 2010
SIC K
Filmagens e entrevistas nas exposições patentes no Museu para o Magazine
Factor K (19 Fev. 2010)
L Póvoas, F Serralheiro
TVI
Jornal Nacional
Reportagem sobre o Monumento Natural de Carenque a 31.10.2010
http://www.tvi.iol.pt/mediacenter.html?mul_id=13341452&load=1&pos=7&pagin
a=5
Conselho Científico
111/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
FJAS Barriga, VF Santos
CvTv
Expedições eXtremas: Pinguins e afins (palestra convidada no Pavilhão do
conhecimento, 9 de Janeiro de 2010, o video disponível em
http://www.cvtv.pt/imagens/index.asp?id_video=487
JP Granadeiro, PCatry, MP Dias, T Catry
Saída de Campo à Matinha de Queluz, no âmbito do projecto Um bosque perto
de si!
http://www.cvtv.pt/home/pesquisa.asp?id_tag=15&id_video=472
C. Garcia.
Saída de campo à mata Carvalhais da Vestiaria, Alcobaça, no âmbito do
projecto Um bosque perto de si!
http://www.cvtv.pt/home/pesquisa.asp?id_video=1147
C. Garcia.
Rádio Renascença
Entrevista no programa “Ilustre Visita” em 15.03.2010
B Pinto
Entrevista no programa “Ilustre Visita” em 10.2010
P Garcia-Pereira
Reportagens na Rádio Renascença, Rádio Clube Português e TSF acerca
da publicação de um artigo de um novo género e espécie de dinossáurio
descoberto no Jurássico Médio do Níger, em expedições que tiveram a
participação de elementos da equipa do MNHN (Outubro 2009)
Imprensa
Entrevista de Nelson Marques, jornalista do Expresso, na Única de 23 de
Outubro de 2010 (A última fronteira, pp 64-70)
FJAS Barriga
Comboio da Biodiversidade vai partir. Expresso, 12 Março 2010.
http://aeiou.expresso.pt/comboio-da-biodiversidade-vai-partir=f570559
Bioeventos 2010
Biodiversidade: Comboio parte hoje em viagem ambiental para dar a conhecer
espécies naturais. Expresso, 13 Março 2010
Conselho Cientifico
112/116
2010
http://aeiou.expresso.pt/biodiversidade-comboio-parte-hoje-em-viagemambiental-para-dar-a-conhecer-especies-naturais=f57071
Bioeventos 2010
Comboio da Biodiversidade parte hoje em viagem para dar a conhecer
espécies naturais. Público, 13 de Março 2010-11-02
http://www.publico.pt/Sociedade/comboio-da-biodiversidade-parte-hoje-emviagem-para-dar-a-conhecer-especies-naturais_1426904
Bioeventos 2010
Apoio a candidatura da Arrábida a Património Mundial. Seixal Boletim
Municipal nº 523, 19 de Março de 2010
Bioeventos 2010
Bichos – Insectos para todos os gostos. Diário de Notícias, 30 de Maio de
2010
Bioeventos 2010
Crianças ricas são 5,7 centímetros mais altas. Jornal i, 3 de Fevereiro 2010
http://www.ionline.pt/conteudo/44983-criancas-ricas-sao-57-centimetros-maisaltas
H Cardoso
Reportagem sobre o Ciclo de Palestras “Jardins e Sociedade” nomeadamente
aquando da 1ª palestra do ciclo com a Prof. Maria Amélia Martins-Loução, no
jornal Nova Odivelas, nº 360, 24 Setembro 2010, pp: 6.
MA Martins-Loução
Jardim Botânico está há 40 anos à espera de ser classificado como
monumento nacional. Público, 24 de Julho de 2010.
http://www.publico.pt/Cultura/jardim-botanico-esta-ha-40-anos-a-espera-de-serclassificado-como-monumento-nacional_1448567
MNHN
Gulbenkian tornou-se monumento nacional, Jardim Botânico e Aljubarrota
também. Público, 5 de Novembro de 2010.
http://jornal.publico.pt/noticia/05-11-2010/gulbenkian-tornouse-monumentonacional-jardim-botanico-e-aljubarrota-tambem-20554818.htm
MNHN
Lisboa conta com três novos monumentos nacionais. Diário de Notícias, 6 de
Novembro de 2010.
http://dn.sapo.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=1704266
MNHN
Conselho Científico
113/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Noite dos Investigadores 2010: Humor cientificamente comprovado”. Visão, 14
de Outubro de 2010.
http://aeiou.visao.pt/visao-edicao-n-919-14-outubro-2010=f575506
http://aeiou.visao.pt/cientistas-com-piada=f575737
B Pinto
Seis regiones y Portugal apuestan por un proyecto común sobre dinosaurios.
Diário de Burgos, 23 de Agosto de 2010.
VF Santos
El império del gigante europeo. El Mundo, 23 de Julho de 2010.
VF Santos
Días clave para las icnitas. La Rioja, 10 de Julho de 2010.
VF Santos
Páginas Internet
À descoberta dos líquenes (módulo de e-learning sobre líquenes no âmbito do
projecto Key to Nature)
http://www.divulgando.org/portugal/
P Carvalho
Uma caça ao tesouro no Jardim Botânico de Lisboa (no âmbito do projecto Key
to Nature)
http://dbiodbs.units.it/carso/chiavi_pub21?sc=442
P Carvalho, R Barata
À descoberta das plantas do Jardim Botânico da Universidade de Lisboa (no
âmbito do projecto KeytoNature)
http://dbiodbs.units.it/carso/chiavi_pub21?sc=435
P Carvalho, R Barata, C Sérgio
ALBATROZ - Learning from the flight of the albatross: causes and
consequences of individual foraging strategies, with links to demography,
oceanography and fisheries (FCT: PTDC/MAR/ /099366/2008):
http://sites.google.com/site/projectoalbatroz/
JP Granadeiro, PCatry, MP Dias, T Catry
Arenaria - Distribuição e Abundância de Aves nas Praias e Costas de Portugal
http://sites.google.com/site/projectoarenaria/
JP Granadeiro, PCatry, MP Dias, T Catry
Conselho Cientifico
114/116
2010
Atlantic ocean-wide changes in sea surface temperature and trends on Cory´s
shearwater Calonectris diomedea foraging success, migration and population
(FCT: PTDC/MAR/71927/2006):
http://sites.google.com/site/projectocalonectris/
JP Granadeiro, PCatry, MP Dias, T Catry
Wintering and migrating shorebirds as indicators of the quality of estuarine
environments (FCT: PTDC/MAR/66319/2006):
https://sites.google.com/site/migratagis/
JP Granadeiro, PCatry, MP Dias, T Catry
O Ciclo de Palestras “Jardins e Sociedade” foi divulgado em vários blogues e
sítios da internet, como por exemplo:
http://ecosfera.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1464922
http://www.jardins.com.pt/noticias/alteracoes-climaticas-e-jardins-botanicos-palestra/
http://odivelas.com/2010/09/12/odivelas-ambiente-jardins-e-sociedade/,
http://www.aml.pt/index.php?iAction=AgendaVer&iAgendID=6720,
http://www.seta.org.pt/sv3_eventos_detalhe.htm,
http://amigosdobotanico.blogspot.com/2010/09/ciclo-de-palestras-jardins-esociedade.html,
http://www.campestris.com/sitemega/view.asp?itemid=583&catid=1
http://naturlink.sapo.pt/article.aspx?menuid=65&exmenuid=26447&bl=1&cid=26447
JB/MNHN
Natural soundscapes in a changing world. Preserve the past and building the
memories of the future (FCT: HC/0009/2009):
http://sites.google.com/site/paisagemacusticapt/
PAM Marques
A Aventura da Terra: um Planeta em Evolução
http://aventuradaterra.aeiou.pt/
MNHN
Bioeventos 2010
Programa de Comemoração do Ano Internacional da Biodiversidade
http://bioeventos2010.ul.pt
MNHN
Imagens em directo do laboratório do Lagartagis: ciclo de vida das borboletas
Borboletas na web
http://static.publico.clix.pt/borboletasnaweb/
MNHN em parceria com: Público, FCCN, Tagis
Conselho Científico
115/116
2010
Relatório da Actividade Científica no MNHN
Entrevista publicada a 9 de Junho de 2010 no blog de ciência “Tierra de
Dinosaurios” do Colectivo Arqueológico-Paleontológico de Salas (Salas de los
Infantes, Burgos, Espanha):
http://colectivosalas.blogspot.com/2010/07/apoyo-la-candidatura-idpi-icnitas-de-la.html
VF Santos
Projecto Cartografia de Briòfits. Península Ibèrica i Illes Balears Cartografia de
Briòfits financiado polo Institut d’Estudis Catalans:
http://briofits.iec.cat./
C Sérgio
The Bryophyte Flora of São Tomé and Príncipe.
http://www.jb.ul.pt/bryophyte_sao_tome/index.html
C. Garcia
Conselho Cientifico
116/116
2010

Documentos relacionados