ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL DE ALTO

Сomentários

Transcrição

ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL DE ALTO
ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL DE ALTO RISCO
Fabiane Andrade Amaro
Ândrea Dayse Matos Lima
Beatriz do Nascimento Leal
Cristal Ribeiro Mesquita
Paula Beatriz Barros Leite
Introdução: A atenção qualificada na gravidez de alto risco proporciona gestações
e partos mais seguros. O pré-natal monitora a saúde de gestante/feto e previne
maiores complicações, com os trabalhos da Enfermagem merecendo destaque.
Objetivo: Identificar as ações de Enfermagem na assistência à gestante no prénatal de alto risco. Método: Observação não participante realizada a nível
ambulatorial, em um Hospital Referência em Belém-PA, com a Enfermagem
assistindo gestantes no pré-natal de alto risco (acolhimento/matrícula e consultas).
A experiência ocorreu de 23 de março a 23 de abril/2015. Literaturas consultadas
do período de 2010-2015. Resultados: A Enfermagem está qualificada para o
atendimento à gestante de alto risco, pois assiste o grupo conforme a PNH, realiza
seus atendimentos consistentemente, possui manejo coerente para cada situação
de risco gestacional, direciona e orienta todas as gestantes, trabalha na esfera
multiprofissional. Além disso, em parceria com Residentes de Enfermagem,
incorporaram folders para um melhor entendimento das gestantes sobre os
sintomas fisiológicos do período e desenvolvem no ambulatório, semanalmente,
educação em saúde, abordando temas relevantes, desvendando dúvidas e medos
destas mulheres. Conclusão: A assistência pré-natal de alto risco deve
proporcionar cuidados e condutas em favor da gestante e concepto, orientando,
prevenindo complicações e permitindo redução nos índices de morbimortalidade
materna/fetal. Contribuições para a Enfermagem Obstétrica: A categoria,
212
detentora de conhecimento técnicocientífico, consegue oferecer assistência
acolhedora, completa e eficaz, promovendo saúde, e tornando-se indispensáveis
neste acompanhamento especializado.
Referências
1. SILVA, JC. Manual obstétrico: guia prático para enfermagem. 2. ed. São Paulo:
Corpus, 2010. p. 54-55, 94-97. 2. Brasil. MS. Gestação de Alto Risco: manual
técnico. 5 ed. Brasília: 2010, 302 p.
Descritores: Pré-Natal, Gestação de Alto Risco, Enfermagem Obstétrica.
212