Maimônides (Rambam)

Сomentários

Transcrição

Maimônides (Rambam)
Maimônides (Rambam)
(1138 - 1204)
Maimônides, ou simplesmente Rambam, como é conhecido até hoje Moshe ben
Maimon, foi talvez o mais importante filosofo judeu de sua época. Nasceu em
1138, na cidade de Córdoba, na Espanha, então sob domínio muçulmanos. A
cidade era um grande centro cultural, onde muçulmanos, judeus e cristãos
conviviam e participavam ativamente da vida pública. Em 1148, no entanto, foi
tomada pelos Almohads, que pregavam a restauração da fé pura Islâmica. Os
judeus que não se converteram foram expulsos. Maimon tinha então 13 anos.
Sua família vagou durante 12 anos pela Espanha antes de se estabelecer em
Fez, no Marrocos. Maimon estudou medicina e Torá durante sua permanência
de cinco anos, onde escreveu alguns de seus trabalhos. Após esse período, foi
para Fostat no Egito (antigo Cairo), em 1165. Seu irmão Davi, comerciante,
mantinha economicamente a família, e Maimon dedicáva-se aos estudos. Após
o trágico naufrágio que matou seu irmão, passou a exercer medicina como
forma de sustentar a família. Já era então um importante membro da
comunidade judaica local. Em 1177 era reconhecido como seu líder, e entre
suas ocupações somavam-se a de juiz e administrador. Tornou-se médico e
conselheiro do vizir al-Fadir, e sua reputação tornou-se internacional.
Comunidades judaicas de várias partes do mundo lhe escreviam em busca de
sua sabedoria na lei judaica. Maimônides escreveu dez trabalhos de medicina
em árabe, e vários trabalhos de teor religioso, onde reflete sua visão filosófica
sobre o judaísmo, entre eles o "Guia dos Perplexos" e "Mishneh Torá". Morreu
em 1204, em Fostat, e foi enterrado em Tiberias, Israel.
Considerado unanimemente o maior dos pensadores judeus medievais,
Maimônides exerceu grande influência tanto no meio hebraico como fora dele, e
procurou conciliar os princípios religiosos com o conhecimento fundado na
razão.
Moisés ben Maimon, conhecido como Maimônides, nasceu em Córdoba, na
Andaluzia, em 30 de março de 1135. Pertencia a uma ilustre família de eruditos
e, em idade ainda tenra, já assombrava seus mestres com a amplitude e
profundidade de seu saber. A ocupação da Andaluzia pela seita dos almôadas,
em 1148, pôs a comunidade hebraica na situação crítica de abraçar a fé islâmica
ou abandonar a cidade. Durante os 11 anos seguintes a família de Maimônides
escondeu sua religião até mudar-se para Fez, no norte da África. Logo, porém,
se viu obrigada a emigrar de novo, para em 1165 estabelecer-se no Egito. Ali
viveu Maimônides o resto da vida, dedicado aos estudos talmúdicos e filosóficos
e ao exercício da medicina, em que se distinguiu a ponto de ser chamado a
integrar a corte do sultão Saladino.
A obra de Maimônides foi prolífica. No terreno estritamente religioso, foram
notáveis um comentário em árabe sobre a Mischná, codificação tradicional da lei
judaica, que sintetizou e esclareceu, e outro em hebraico sobre o Talmude. O
maior tratado filosófico de Maimônides, porém, escrito originalmente em árabe, é
o célebre Dalalat al-hairin (Guia dos perplexos), em que trabalhou durante 15
anos, a partir de 1176.
O Dalalat al-hairin, que propõe a concordância entre fé e razão, e a necessidade
de harmonizar religião, filosofia e ciência, despertou divergências entre os
judeus ortodoxos, mas finalmente foi aceito. Traduzido primeiramente para o
hebraico, com o título More nevukhim, e logo para o latim, inspirou a escolástica
cristã medieval, especialmente santo Tomás de Aquino, e filósofos racionalistas
do século XVII, como Spinoza e Leibniz. Maimônides morreu no Egito em 13 de
dezembro de 1204 e foi enterrado em Tiberíades, Palestina. Seu túmulo se
tornou lugar de peregrinação para o povo judeu.
Os treze príncipios do Judaísmo de Maimônides
•
Creio plenamente que D’us é o Criador e guia de todos os seres, ou seja,
que só Ele fez, faz e fará tudo.
•
Creio plenamente que o Criador é um e único; que não existe unidade de
qualquer forma igual à d’Ele; e que somente Ele é nosso D’us, foi e será.
•
Creio plenamente que o Criador é incorpóreo e que está isento de
qualquer propriedade antropomórfica.
•
Creio plenamente que o Criador foi o primeiro (nada existiu antes d’Ele) e
que será o último (nada existirá depois d’Ele).
•
Creio plenamente que o Criador é o único a quem é apropriado rezar, e
que é proibido dirigir preces a qualquer outra entidade.
•
Creio plenamente que todas as palavras dos profetas são verdadeiras.
•
Creio plenamente que a profecia de Moshê Rabeinu é verídica, e que ele
foi o pai dos profetas, tanto dos que o precederam como dos que o
sucederam.
•
Creio plenamente que toda a Torá que agora possuímos foi dada pelo
Criador a Moshê Rabênu.
•
Creio plenamente que esta Torá não será modificada e nem haverá outra
ortorgada pelo Criador.
•
Creio plenamente que o Criador conhece todos os atos e pensamentos
dos seres humanos, eis que está escrito: "Ele forma os corações de todos
e percebe todas as suas ações" (Tehilim 33:15).
•
Creio plenamente que o Criador recompensa aqueles que cumprem os
Seus mandamentos, e pune os que transgridem Suas leis.
•
Creio plenamente na vinda do Mashiach e, embora ele possa demorar,
aguardo todos os dias a sua chegada.
•
Creio plenamente que haverá a ressurreição dos mortos quando for a
vontade do Criador.
Obra
Maimônides publicou diversas obras no campo médico, filosófico e teológico.
Entre estes se destacam:
•
1168- Peirush Hamishnaiot ou Sefer HaMahor. Publicado em árabe com o
título de Sirah (Luz), onde se propõe à apresentar de forma sistemática a
Mishná e oferecer uma introdução ao estudo do Talmud. Para Graetz
Maimônides foi o primeiro à aplicar aos estudos talmúdicos um critério
cientifíco.
•
1170 até 1180 -Mishnê Torá ou Yad Hazaká (Mão Forte)-composto de 14
livros que contêm 982 capítulos e milhares de leis. Constitui uma
organização
e
depuração
do
Talmud,
com
classificação,
fundamentação,categorização e simplificação.
•
1190 - Guia dos Perplexos - Obra de Filosofia Aristotélica fundada na
Torá. Este livro concilia Judaísmo com o uso da Razão . Como diversos
judeus entusiasmados com a filosofia árabe-aristótelica desprezavam os
conhecimentos bíblicos, Maimônides criou esta obra como príncipio
teológico, metafísico e moral.
Fonte:
Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.
Wikipédia
Produzido por:
Denis Strum – Coordenador Eitan São Paulo – 2007

Documentos relacionados

o-pensamento-de-maimonides-2

o-pensamento-de-maimonides-2 período, foi para Fostat, no Egito (antigo Cairo) em 1168. Seu irmão Davi,  comerciante, mantinha economicamente a família, e Maimon dedicava­se aos  estudos. Após o trágico naufrágio que matou o s...

Leia mais

quem foi maimônides - Previna

quem foi maimônides - Previna A obra de Maimônides foi prolífica. No terreno estritamente religioso, foram notáveis um comentário em árabe sobre a Mischná, codificação tradicional da lei judaica, que sintetizou e esclareceu, e ...

Leia mais