A vivência da arte

Сomentários

Transcrição

A vivência da arte
Gonçalo Borges
Luisa Potl
Maria Goret Chagas
A vivência da arte
A capacidade do ser humano de se reinventar através da
arte e a busca de superação por quaisquer que sejam os limites impostos pela vida, faz da expressão artística algo muito
mais valioso.
Em 1956, foi fundada em Liechtenstein (Europa Central),
por Erich Stegmann, a Associação dos Pintores com a Boca e
os Pés. Atualmente, em mais de 70 países, tem proporcionado a 800 artistas que não têm o uso de suas mãos, uma vida
independente. No Brasil, a sede fica em São Paulo/SP e conta
com 48 pintores.
Estes pintores são beneficiados com a satisfação de poder ganhar seu próprio sustento independente de caridade.
Seu trabalho é avaliado e deve ter um padrão que possa competir em estética e base comercial com trabalhos de artistas
convencionais. Uma vez aceitos como “membros”, é garantida
a eles uma renda substancial por toda a vida, mesmo se forem
incapacitados de continuar a pintar. Esta renda é proveniente
da venda de seus trabalhos que são transformados em cartões e calendários.
O sucesso das vendas dos produtos num mercado altamente competitivo ajuda a assegurar também bolsas de estudo para pintores que ainda não atingiram os padrões exigidos
de um “membro”, assim, suas habilidades podem ser desenvolvidas e encorajadas. Além disso, subvenções são feitas
para equipamentos especiais e tratamentos em alguns casos.
A Associação é gerenciada e administrada sob o controle
e supervisão de seus membros, todos, artistas sem o uso de
suas mãos, que a entendem como um negócio e não como
entidade filantrópica. Através do trabalho e da independência
financeira a Associação abre portas para os artistas mostrarem
sua arte no Brasil e no exterior, em exposições internacionais.
Muitos ganham medalhas e outras honras por realizações artísticas e acadêmicas. Todos têm a oportunidade de uma vida
digna e construtiva, com trabalho, estudos e esforço pessoal.
Dr. Richard Hiepe, um eminente historiador da arte, disse
uma vez: “Pela virtude do seu trabalho, os artistas se tornam
seres novos e integrados... A Associação faz com que eles
sejam independentes de toda a miséria da caridade publicamente conduzida. Mas, mais significante que isso, os inspira
com a consciência de uma vida construtiva adquirida através
do esforço pessoal e da construção de uma existência independente. Eles realizam isso através da sua arte – tendo
novamente a condução de suas vidas em suas próprias mãos”.
Para fazer parte ou conhecer a Associação dos Pintores
com a Boca e os Pés, acesse www.apbp.com.br ou entre em
contato pelo telefone (11) 5051-1008.
Naturale
dezembro/janeiro - 2013
Eliana Zagui
José Marcos dos Santos
Claudette Corpo