Bem-vindos à Fisioterapia Neural Odontologia Neurofocal e Terapia

Сomentários

Transcrição

Bem-vindos à Fisioterapia Neural Odontologia Neurofocal e Terapia
Bem-vindos à Fisioterapia Neural
Trata-se de abordagem diagnóstica e terapêutica que provê a homeostase do sistema nervoso
autônomo com procedimentos próprios de agulhamento em sítios dolorosos..
A Fisioterapia Neural propicia uma visão holística do ser humano e nos casos disfuncionais
propicia a abordagem da causa em detrimento do sintoma. Utiliza a vasta rede neural do sistema
nervoso autônomo como mediadora reflexa de ações terapêuticas diversas.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Odontologia Neurofocal e Terapia Neural
As disfunções do sistema nervoso autônomo, além do comprometimento segmentar, podem
sofrer influência de campos de interferência. Muitos campos de interferência podem ocorrer no
sistema estomatognático. Focos dentários, distúrbios gengivais, dentes desalinhados e outras
disfunções, contribuem para a manutenção de quadros patológicos à distância, articulares,
miotendinosos ou viscerais.
A Odontologia Neurofocal é uma especialidade odontológica, bem desenvolvida em diversos
países, que é um elo integrador entre a Terapia Neural e a Medicina Integrativa, se ocupa de
estudar, diagnosticar e tratar estes campos de intereferência dentários e que produzem
estímulos irritativos no sistema nervoso autônomo e e realimentam processos dolorosos e/ou
outros efeitos fisiopatológicos em outras partes do corpo.
Para mais informações e acesso a artigos científicos, sugiro o blog da Dra. Yoseth Ozorio (em
espanhol), de Bogotá: http://www.yosethosorio.com/es/inicio.htm
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Conheça mais sobre a Fisioterapia Neural
A Fisioterapia Neural consiste na estimulação de terminais nervosos do sistema nervoso
autônomo que se encontram bloqueados, intoxicados ou estagnados em função da presença de
tecidos inflamados, em sofrimento bioquímico por falta de oxigénio e nutrientes, ou necróticos.
Trata-se o paciente com agulhamento auxiliado por anestésico local em baixa concentração (de
0,5 a 1% normalmente) em pontos específicos do corpo.
Praticada por diversos profissionais de saúde oriundos da Alemanha no Brasil e diversos países
da América Latina.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Pai da Terapia Neural
Dr. Ferdinand Huneke +1966
O uso de anestésicos locais para tratar as condições dolorosas musculoesqueléticas teve início
com os médicos alemães Ferdinand e Walter Huneke. Propuseram como uma "terapia de
regulação", holística, com visão integrativa.
Embasada em outras percepções do corpo humano, tais como a visão segmentar e zonas
reflexas de Head, Klieber, Kolraush e mais recentemente sistematizado por Peter e Mathias
Dosch, a Terapia Neural tem sua maior expressão em território alemão. Observa-se ainda núcleos
de prática e estudos avançados na Espanha, Argentina e Colômbia e nos EUA. No Brasil ainda
são poucos os seus praticantes, mas temos certeza de que, pelos resultados obtidos com dores
ditas "intratáveis" ou de pouca resposta terapêutica, tenderá a se disseminar de forma rápida.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Conceito de Fisioterapia Neural
Visão assistencial da Fisioterapia que estuda e diagnostica as disfunções cinesiológicas
funcionais humanas a partir dos desequilíbrios neurovegetativos, trata e recupera
funcionalmente os seres humanos a partir da indução de estímulos neurais em sítios
específicos.
Oséas Moura Filho, Março de 2011.
Este conceito foi desenvolvido a partir do conceito de Fisioterapia elaborado pelo Dr. Ruy Gallart
de Menezes, com a colaboração do Dr. Julio Payan de La Roche, Terapeuta Neural e Dra. Yoseth
Osorio, Odontóloga Neurofocal, ambos cientistas neuralterapeutas colombianos.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
O Fenômeno em Segundos e Campos de
Intereferência
Ainda em 1940 foi observado o primeiro “fenômeno em segundos”, de onde emergiu o princípio
de que elementos irritativos neurais, também chamados de campos de interferência, podem
produzir e manter as mais diversas disfunções além da ordem segmentar.
As condições para se reconhecer o fenômeno em segundos são:
Ao produzir o estímulo neuralterapêutico no campo de interferência específico, ocorre a resolução
dos desequilíbrios locais ou à distância, quando for anatomicamente relacionado pela rede neural
autônoma.
O desaparecimento total dos simtomas deve durar no mínimo 8 horas se o campo envolvido tiver
relação com os dentes e 20 horas se campo ocorrer em outra parte do corpo.
Se os sintomas voltarem a se manifestar, deve-se estimular novamente o sítio acometido. O
tempo de duração do efeito em estimulações subseqüentes não devem ter durações inferiores
àqueles do estímulo inicial. Espera-se que sejam mas amplos do que os primeiros.
Como campos de interferência podem ser considerados dentes necrosados, infeccionados ou
dissociados, amígdalas, seis paranasais, cicatrizes na pele e na profundidade do periósteo e do
osso em si.
Outros campos de interferência podem se manifestar pela presença de corpos estranhos, órgãos
cronicamente inflamados ou estados residuais de processos inflamatórios crônicos afetando as
vias biliares, apêndice, intestinos, estômago, útero, testículos e ovários.
Se o estímulo em um suposto campo de interferência não produzir o efeito desejado, tal sítio não
mais deverá receber estímulos neuralterapêuticos. Nesta situação, o terapeuta neural deverá
pesquisar outro possível campo de interferência.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Via neural dos "trigger points"
Transcrevo a definição de Simons, Travell e Simons, que o ponto gatilho miofascial é "o local
hiperirritável no músculo esquelético associado a um nódulo palpável hipersensível em uma faixa
tensa. O local é sensível quando pressionado e pode elevar a dor referida característica,
disfunção motora e fenômenos autonômicos...".
Fenômenos autonômicos incluindo sudorese localizada, vasoconstrição ou vasodilatação e
atividade pilomotora podem ser observados ao se tratar os pontos-gatilho. Pontos-gatilho
localizados na cabeça podem levar à ocorrência de lacrimejamento, coriza nasal e salivação.
Um grande desafio do profissional que se presta à atenção dos distúrbios neurovegetativos é
compreender como os desequilíbrios autonômicos interferem ou podem se relacionar com os
pontos-gatilho. Os reflexos envolvidos são normalmente bidirecionais, como o viscero-cutâneo /
cutâneo-visceral.
As relações segmentares de tais músculos com as funções viscerais devem ser adequadamente
apreciadas nas intervenções de Fisioterapia Neural.
Leitura recomendada: Dommerholt, J., Huijbregts, P. Myofascial Trigger Points:
Pathophysiology and Evidence-Informed Diagnosis and Management. Jones & Bartlett
Publishers, Sudbury, 2011.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Quais são as principais indicações da Fisioterapia
Neural?
As disfunções que cursam com dores musculoesqueléticas, tais como epicondilites, tendinites,
miosites, neuralgias, fibromialgia, hérnias discais, cefaléias cervicogênicas, dentre outras,
possuem em comum componentes neurovegetativos com repercussões locais e à distância, em
função das inúmeras interconexões neurais presentes no corpo humano.
Os desequilíbrios neurovegetativos, ou seja, hiper ou hipoatividade simpática, parasimpática ou
visceral, isoladas ou combinadamente, produzem alterações circulatórias regionais e/ou
sistêmicas, alterações da condução neural, levando ao desencadeamento e/ou agravamento de
condições hipertônicas, hipersensibilidade e algias.
Muitas vezes, apesar do uso de fármacos potentes analgésicos, AINHs, antidepressivos e outros,
não há alívio de sintomas. Diversos autores como descrevem que a Terapia Neural produz efeitos
diretos sobre a circulação e inervação autônoma, favorecendo a absorção e a ação destes
fármacos.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Fibromialgia e hiperatividade simpática
Fibromialgia e hiperatividade autonômica simpática foram correlacionadas pelo Dr. Manuel
Martínez-Lenvín, médico Chefe do Departamento de Reumatologia do Instituto Nacional de
Cardiologia Ignácio Chávez, da Cidade do México, em 2001.
Pontos dolorosos na fibromialgia
Ele descreveu que "a fibromialgia e a distrofia simpático reflexa possuem características comuns
como a dor crônica e a alodinia, assim como outras importantes características clínicas, como
surgimento após um trauma, predominância feminina, parestesia, instabilidade vasomotora,
resposta ao bloqueio simpático e ansiedade/depressão."
O Dr. Martínez-Lenvín propôs ainda que "a fibromialgia é uma síndrome dolorosa simpaticamente
mantida, na qual a manutenção da hiperatividade simpática sensibiliza os nociceptores primários
e induz a ampliação da dor e da alodínia.
É importante ressaltar que a fibromialgia é uma síndrome que produz um grande desconforto ao
paciente e é de difícil controle. Normalmente os pacientes estão sob forte ação farmacológica e a
melhora é muitas vezes tímida. A TN, com sua proposta de reequilibrar os desequilíbrios
neurovegetativos é uma das mais promissoras ações terapêuticas, junto à liberação miofascial e
controle dos trigger points. Mais do que apenas oferefer condutas paliativas, é tratar a causa e os
mecanismos disparadores. Sua ação sobre a modulação autonômica é ímpar.
Leitura sugerida: Martínez-Lenvín, M. Is fibromyalgia a generalized sympathetic dystrophy?
Clinical and Experimental Rheumatology, 2001; 19:1-3
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Fisioterapeutas britânicos sistematizaram métodos
injetáveis desde 1995
Desde 1995, a Chartered Society of Physiotherapists, no Reino Unido, tem oferecido treinamento
do uso de técnicas terapêuticas utilizando métodos injetáveis. Diretrizes específicas nesta
temática são disponíveis naquele país. Tais iniciativas são conduzidas pela The Association of
Chartered Physiotherapists with an Interest in Orthopaedic Medicine and Injection Therapy.
Tais abordagens incrementam a resolutividade assistencial do fisioterapeuta, sobretudo na
atenção às disfunções musculoesquléticas ortopédicas e reumáticas. Temos conduzido tais
discussões no Brasil nos últimos anos e tal intervenção se tornpou um diferencial na prática da
Fisioterapia Clínica.
O livro INJECTION TECHNIQUES in Orthopaedic and Sports Medicine: A practical manual for
doctors and physiotherapists - 3. Ed, Elsevier, de autoria de Stephanie Saunders, FCSP FSOM,
fisioterapeuta que atua na prática clínica privada e Diretora de cursos e seminários da Association
of Chartered Physiotherapists in Orthopaedic Medicine e Fellow of Chartered Society of
Physiotherapists, London, UK, e Steve Longworth MB CHB MSC FRCGP DM-SMED DPCR
FSOM, Coordenador de Prática Generalista da East Leicester Medical Practice, Uppingham Road
Health Centre, Leicester, UK. A obra se tornou referência para os fisioterapeutas clínicos.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Cresce número de fisioterapeutas na prática da
Terapia Neural
A Terapia Neural é um método que visa o reequilíbrio neurovegetativo, ou seja, das atividades
simpática e parassimpática que modulam a dor, inflamação e processos irritativos que levam à
manifestação de disfunções musculoesqueléticas e neurais tratadas pelos fisioterapeutas.
Hérnias discais, fibromialgia, epicondilites, LER/DORTs, lombalgias, tendinites, sinovites, bursites
e muitas outras que são alvo de intervenções fisioterapêuticas bioeletrofototermobiológicas,
manipulativas ou cinesioterapêuticas têm uma evolução bem mais acelerada por apresentarem,
além dos componentes álgicos, inflamatórios e biomecânicos, elementos neurovegetativos que
podem ser reequilibrados de maneira segmentar, ganglionar ou sistêmica.
Tal formação era até dois anos atrás, exclusiva para médicos, dentistas e veterinários e passou,
por nossa intervenção, a ser oferecido aos fisioterapeutas. Envolve a administração de estímulos
específicos de agulhamento que são indutores de tais reequilíbrios. Desta maneira, amplia-se
também o espectro terapêutico para outras condições, tais como: enxaquecas, processos
distônicos, refluxo, tonturas, tinnitus, insônia e outras, decorrentes de desequilíbrios
neurovegetativos passíveis de correção pela administração de estímulos seletivos.
Um número crescente de profissionais em diversos países demonstra o êxito da técnica que se
harmoniza com outras abordagens fisioterapêuticas, uma vez que o método, além de tratar
algumas disfunções em breve período de tempo, contribui sinergicamente com os métodos de
reeducação de postura, osteopatia, FNP, recursos eletrotermofotobiológicos, miofascial release,
acupuntura e da própria cinesioterapia.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Fisioterapia Neural, instrumento do Fisioterapeuta
Clínico
Fisioterapia Neural é a abordagem que diagnostica e trata distúrbios do sistema nervoso
autônomo que se manifestam nas disfunções habitualmente tratadas pelos fisioterapeutas, tais
como bursites, epicondilites, enxaquecas, tenossinovites, sequelas de fraturas e traumatismos,
bloqueios osteomioarticulares, miosites, artrites, hérnias discais, fibromialgia e dores
musculoesqueléticas como um todo.
Os distúrbios são geralmente associados a campos neurais de interferência, são instáveis
eletrofisiologicamente e emitem sinais que desequilibram o sistema nervoso autônomo.
Rede neural
Tais distúrbios desencadeiam respostas irritativas, inflamatórias e álgicas, desequilibrando as
funções osteomioarticulares, e de órgãos e sistemas corporais.
Cicatrizes, distúrbios dentários, processos infecciosos locais e outros podem gerar campos de
interferência, os quais merecem um cuidado à parte. Por exemplo, uma cicatriz de cirurgia
abdominal pode desencadear quadros de enxaqueca crônica, refluxo, tinnitus, cólon irritável,
distúrbios do sono e quadros depressivos que podem ser devidamente reequilibrados com
estímulos adequados administrados pelo fisioterapeuta.
O sistema nervoso autônomo, nos seus componentes simpático e parassimpático, reagem a
estímulos estressores de diversas formas. Síndromes miofasciais e outras síndromes dolorosas
podem ocorrer. Funções viscerais podem ser afetadas causando refluxo, asma, angina,
irregularidades menstruais, etc. A princípio, as disfunções musculoesqueléticas possuem um
componente neurovegetativo, seja simpático ou parassimpático.
O fisioterapeuta ao diagnosticar as disfunções cinesiológicas funcionais, identifica os campos
neurais afetados e administra estímulos específicos visando reequilibra-los. Os estímulos
geralmente respeitam a organização segmentar do corpo.
O termo Fisioterapia Neural tem um novo significado para o fisioterapeuta mundialmente,
intervindo na regulação do sistema nervoso autônomo na atenção às disfunções dolorosas e
cinéticas funcionais humanas, induzindo processos de auto-regulação e de reequilíbrio.
A abordagem soma benefícios e resultados positivos às abordagens mais modernas, incluindo
aquelas de reprogramação postural, manipulativas, osteopáticas, cinesioterapêuticas,
eletrotermofototerapêuticas, acupuntura (bioenergéticas), hidrocinesioterapêuticas e outras.
Trata-se de abordar componentes neurovegetativos normalmente não contemplados em outros
métodos, com agulhamento favorecido por agente neuralterapêutico, amplificador do estímulo
aplicado.
Os estímulos desencadeam alterações nos canais de cálcio e funções mitocondriais,
normalizando o potencial de ação da membrana celular nos sítios afetados.
No curso são explorados os princípios fisiológicos, patológicos, propedêuticos e terapêuticos,
fechando uma completa abordagem que assiste às disfunções musculoesqueléticas,
neuromusculares, cardiopulmonares e intertegumentares.
É uma das principais ferramentas do FISIOTERAPEUTA CLÍNICO de vanguarda.
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho
Três interessantes evidências sobre a Terapia Neural.
Development and implementation of a 'curriculum complementary and alternative
medicine' at the Heidelberg Medical School]. [German] Joos S. Eicher C.
Musselmann B. Kadmon M. Forschende Komplementarmedizin (2006). 15(5):251-60,
2008 Oct.
BACKGROUND: The 9th revision of the Medical Training Regulations for Physicians
(AAppO) in October 2003 included the new compulsory interdisciplinary subject
'Rehabilitation, Physical Medicine and Complementary and Alternative Medicine (CAM)'
(QB 12). The present article describes the development of a 'CAM curriculum' for
undergraduate education, its implementation in the QB 12 at the Heidelberg Medical
School and its evaluation. METHODS: According to the 6-step approach by Kern, the
following aspects are presented: requirements, experiences/interests of students,
learning targets, development of practical training courses and lectures, implementation,
and evaluation. Experiences/interests of students were assessed by a self-developed
questionnaire. Practical training courses and lectures were evaluated by school marks
(1 through 6) and by a modified version of the HILVE-I. RESULTS: A selection of CAM
methods to be included in the curriculum was made by the participating lecturers based
on the criteria 'evidence' and 'prevalence in health care'. Learning targets were defined
in terms of knowledge, skills and attitudes. On this basis, practical training
courses/lectures comprising classical naturopathy, acupuncture/ traditional Chinese
medicine and neural therapy were developed and integrated in the QB 12. Regular
evaluations of the practical training courses/lectures constantly reveal good results. 69%
of the 219 students questioned indicated to be interested in CAM, 27% already had
gained experience with CAM themselves. DISCUSSION: The well-evaluated CAM
courses/lectures indicate a successful development and implementation of the 'CAM
curriculum' in the QB 12 at the Heidelberg Medical School. Thus, the requirements of
the AAppO are met. Moreover, implementation of CAM in undergraduate education
allows for the importance CAM has in every-day care of patients in Germany. 2008 S.
Karger AG, Basel
Clinical efficacy of neural therapy for the treatment of atopic dermatitis in dogs.
Bravo-Monsalvo A. Vazquez-Chagoyan JC. Gutierrez L. Sumano H. Acta Veterinaria
Hungarica. 56(4):459-69, 2008 Dec.
The aim of this trial was to assess the clinical efficacy of neural therapy (NT) when
treating canine atopic dermatitis. Eighteen dogs (no control group), with at least a 12month history of having nonseasonal atopic dermatitis, were included. No medication
with either glucocorticoids or cyclosporin was allowed during the trial. One set of NT was
given by injecting an intravenous dose of 0.1 mg/kg of a 0.7% procaine solution,
followed by 10 to 25 intradermal injections of the same solution in a volume of 0.1-0.3
mL per site. Dogs were given 6-13 sets of NT during the therapy. The dermatological
condition of each patient was evaluated before and after the treatment using two scales:
the pruritus visual analogue scale (PVAS) and the canine atopic dermatitis extent and
severity index (CADESI). The reduction of pruritus was statistically significant using a
Wilcoxon matched-pairs signed-ranks test (P < 0.001). No adverse side effects were
observed. NT seems to be an effective alternative to control signs related to canine
atopic dermatitis.
Patient satisfaction of primary care for musculoskeletal diseases: a comparison
between Neural Therapy and conventional medicine. Mermod J. Fischer L. Staub L.
Busato A. BMC Complementary & Alternative Medicine. 8:33, 2008.
BACKGROUND: The main objective of this study was to assess and compare patient
satisfaction with Neural Therapy (NT) and conventional medicine (COM) in primary care
for musculoskeletal diseases. METHODS: A cross-sectional study in primary care for
musculoskeletal disorders covering 77 conventional primary care providers and 18
physicians certified in NT with 241 and 164 patients respectively. Patients and
physicians documented consultations and patients completed questionnaires at a onemonth follow-up. Physicians documented duration and severity of symptoms, diagnosis,
and procedures. The main outcomes in the evaluation of patients were: fulfillment of
expectations, perceived treatment effects, and patient satisfaction. RESULTS: The most
frequent diagnoses belonged to the group of dorsopathies (39% in COM, 46% in NT).
We found significant differences between NT and COM with regard to patient
evaluations. NT patients documented better fulfilment of treatment expectations and
higher overall treatment satisfaction. More patients in NT reported positive side effects
and less frequent negative effects than patients in COM. Also, significant differences
between NT and COM patients were seen in the quality of the patient-physician
interaction (relation and communication, medical care, information and support,
continuity and cooperation, facilities availability, and accessibility), where NT patients
showed higher satisfaction. Differences were also found with regard to the physicians'
management of disease, with fewer work incapacity attestations issued and longer
consultation times in NT. CONCLUSION: Our findings show a significantly higher
treatment and care-related patient satisfaction with primary care for musculoskeletal
diseases provided by physicians practising Neural Therapy.
From:
Postado por Dr. Oséas Florêncio de Moura Filho

Documentos relacionados