Resolução da Prova de Geografia | Vestibular PUCRS 2015/2

Сomentários

Transcrição

Resolução da Prova de Geografia | Vestibular PUCRS 2015/2
Vestibular PUCRS 2015/2
Resolução da Prova de Geografia
11. Alternativa E
Perfis topográficos (levantamento topográfico de acidentes naturais ou artificiais que
permite a determinação de altitudes), cartas batimétricas (levantamento das
profundidades de oceanos, rios e lagos representados por isóbatas), imagens de
satélite (informações meteorológicas, recursos minerais obtidos por sensores que
estão em órbita da Terra) e anamorfoses (mapas esquemáticos que não representam a
escala geográfica) são informações possíveis de ser representadas em um mapa.
12. Alternativa D
O primeiro parêntese define a forma de relevo que chamamos de depressão onde sua
principal característica fica representada pelo segmento “rebaixado em relação ao seu
entorno”. O segundo parêntese define a forma de relevo que chamamos de planície
característica representada pelo segmento “plana em que os processos de
sedimentação superam os de erosão”. O terceiro parêntese define a forma de relevo
que chamamos de chapadas característica representada pelo segmento “plana em
área elevada”. (Não concordamos com o gabarito). A questão pede para associar os
tipos de relevo do território brasileiro com a sua descrição, porém CHAPADAS é um
tipo de PLANALTO e não um tipo de relevo.
13. Alternativa B
As zonas intertropicais (zona definida entre o Trópico de Câncer23°27’N e o Trópico de
Capricórnio 23°27’ S) são as regiões que apresentam as menores amplitudes térmicas
anuais (diferenças entre a temperatura máxima e a temperatura mínima) devido à
incidência dos raios solares de forma direta. A altitude vai influenciar na queda das
temperaturas máximas e mínimas, porém a relação da amplitude térmica fica regulada
pela latitude.
14. Alternativa E
Alternativa I (Falsa) - A preocupação manifestada foi definida em Estocolmo 72 e não
no Rio de Janeiro.
Alternativa II (Verdadeira) - A Carta Terra se sustenta sobre quarto pilares: o respeito e
cuidado com a comunidade da vida; a integridade ecológica; justiça social e
econômica; democracia, não-violência e paz. Dentro do pilar da “Integridade
ecológica” iremos encontrar a base para os cuidados dos recursos hídricos.
Alternativa III (Verdadeira) - A má gestão e preservação dos mananciais hídricos
acarreta a redução deste recurso para o consumo.
Alternativa IV (Verdadeira) - A água torna-se um bem valioso principalmente em
regiões onde este recurso é escasso. Alguns conflitos mundiais têm como fundo a
questão da água, como por exemplo, no Oriente Médio, em 1967, durante a Guerra
dos Seis Dias, Israel invadiu as Colinas de Golã, na Síria, tanto pela sua posição
estratégica quanto pelo fato de essa localidade abrigar as nascentes do Rio Jordão,
necessárias tanto para os israelenses quanto para a jordanianos; Palestina, a
população local é privada de ter acesso às fontes locais pelo próprio governo de Israel,
sendo um dos fatores que elevam a instabilidade política em uma área com grandes
desertos e pouco potencial hídrico; Turquia, Iraque e Síria, rios Tigre e Eufrates, os
quais abastecem sírios e iraquianos, mas possuem suas nascentes localizadas em
território turco. Em 2009, uma seca na região diminuiu o fluxo dos rios e tornou as
relações ainda mais tensas, uma vez que o Iraque passou a acusar os outros dois países
de usarem acima do permitido as águas dos rios em questão, o que desencadeou falta
de água no país.
15. Alternativa D
Alternativa I (Verdadeira) - há um aumento e uma diversificação no comércio entre os
países que importam alta tecnologia e os que têm no setor primário sua força, reflexo
do processo de globalização.
Alternativa II (Verdadeira) - os países Emergentes (subdesenvolvidos
industrializados) estão entre os maiores exportadores mundiais, com destaque para o
BRICS (Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul) que figuram como postulastes a estar
entre as 5 maiores economias do mundo nos próximos 50 anos.
Alternativa III (Verdadeira) - OMC regula o comércio internacional reduzindo a
intervenção dos governos no fluxo do capital estrangeiro (protecionismo).
Alternativa IV (Falsa) - O Brasil já se envolveu em diversas batalhas contra o
EUA na OMC sobre a questão do protecionismo (defesa feita pelos governos nacionais
a sua produção, oportunizando subsídios e baixando os custos, colocando seus
produtos com preços mais acessíveis do que os importados).
16. Alternativa C
A redução do crescimento da população europeia não se deve à emigração por que o
continente é uma área de imigração, além disso, ao associarmos o declínio
populacional europeu às taxas demográficas, apesar da redução da mortalidade, o
decréscimo mais significativo é em decorrência da redução das taxas de fecundidade e
natalidade.
17. Alternativa C
A concentração de terras no Brasil nos dias de hoje ainda é extrema, estabelecimentos
com mais de mil hectares são a minoria em entre as propriedades pequenas, médias e
grandes, entretanto, ocupam a maior parte das terras agricultáveis do país. Enquanto
as pequenas propriedades, a maioria dos estabelecimentos, ocupam uma pequena
parcela das terras em condições de produzir no Brasil.
18. Alternativa D
Existem muitas controvérsias acerca da existência de uma megalópole brasileira
consolidada, de fato o que o eixo entre São Paulo e Rio de Janeiro (item 1) forma é um
complexo metropolitano que ainda apresenta espaços opacos quanto à sua integração
em termos de serviços, produtos, infraestrutura, pessoas, etc. Definir esse eixo como
uma megalópole plena é equivocado. Quanto às outras localidades (itens 2 e 4) de fato
são megalópoles. Já no eixo Boston-Chicago (item 3) ocorre que as duas cidades fazem
parte de duas megalópoles distintas, Boswash e Chipitts, respectivamente, embora
estejam na mesma região (nordeste dos EUA).
19. Alternativa A
A questão 19 é difícil, pois praticamente todas as regiões produzem todos os recursos
apresentados entre os itens e nem todas as regiões utilizam majoritariamente os itens
das alternativas nas suas matrizes internas. Cada país utiliza aquilo que apresenta
condições de produzir, seja mais barato e que gere menos impactos ao meio ambiente
(embora nem sempre esse último ponto seja considerado). Os EUA e o Canadá utilizam
mais petróleo e gás natural; a Rússia apesar de ter imensas reservas de todos os
combustíveis fósseis, utiliza, mas gás e carvão mineral; a Espanha e a França utilizam
muito petróleo e energia eólica (embora a matriz francesa seja marcada pela presença
significativa de energia nuclear, enquanto a matriz espanhola seja marcada
majoritariamente por fontes eólicas, hidrelétricas e nucleares).
20. Alternativa B
O Iêmen é o país mais pobre do Oriente Médio, portanto, não tem uma renda per
capita elevada e, apesar de estar em uma condição muito melhor que a do vizinho, a
Arábia Saudita também não tem a maior renda per capita. A disputa envolve diversos
grupos entre eles merecem destaques Xiitas Houthis, Sunitas, Governistas e
separatistas. A Al-Qaeda atua efetivamente no território e o Estado Islâmico, embora
não esteja tão presente quanto a Al-Qaeda, já reivindicou ataques no país realizados
por grupos ligados à organização. Arábia Saudita (de maioria Sunita) e Irã (de maioria
Xiita) apoiam os grupos com os quais se identificam no país. O estreito de Bab al
Mandab, rota estratégica para o petróleo que vai em direção ao mediterrâneo vindo
do golfo de Áden encontra-se no litoral iemenita.