Polícia tenta tapar o sol pelas mãos

Сomentários

Transcrição

Polícia tenta tapar o sol pelas mãos
30/03/2010 - # 4505
Tráfico de mulheres nos arredores de Maputo
Polícia tenta tapar o sol pelas mãos
(Maputo) A Polícia da República de Moçambique ao nível da cidade de Maputo veio ontem, a
público, dizer que as informações que indicam ter sido detido, nos últimos dias, um grupo que faz
parte da rede de traficantes de mulheres de Moçambique para África do Sul, não constituem a
verdade. Para a polícia, na voz do porta-voz da cidade, Arnaldo Chefo, tudo que foi publicado
pelo semanário SAVANA, tendo como uma base um trabalho jornalístico feito por uma equipa do
Grupo media24, proprietária do jornal City Press, que se publica em Johannesburg, na África do
Sul é mera especulação, pois “não há indicações de a polícia ter detido este grupo de traficantes
que se diz que aconteceu” – desmentiu Chefo para depois colocar algumas reticências no seu
próprio discurso: “Bom, é uma informação que temos que ver até que ponto ela é verdadeira” –
disse Chefo.
Entretanto, a informação disponível indica que a par da investigação do grupo Media24, a polícia
moçambicana já estava no encalço do gang.
Assim, a 17 de Março corrente, quando os traficantes se preparavam para entregar uma das
meninas moçambicana no Restaurante Milano, dois sequestradores foram detidos e levados
para interrogatórios. As investigações policiais levaram à detenção de mais quatro indivíduos no
sábado, mas poderão conduzir a mais pistas sobre a extensão desta rede de tráfico de mulheres.
Investiga-se, igualmente, o possível envolvimento do gang nos casos de tráfico de drogas e
viaturas roubadas na África do Sul.
De acordo com a investigação da City Press, o sindicato opera em Moçambique, pelo menos,
desde 2004, com uma média de venda de 30 a 40 mulheres/mês.
Uma vez na África do Sul, as mulheres, algumas delas ainda tão jovens com uma idade dos 16
anos, são obrigadas a entrar para a indústria da prostituição.
Não é só a partir de Moçambique que as mulheres são traficadas para alimentar a indústria da
prostituição na África do Sul. As investigações do Media24 revelam que centenas (ou talvez
milhares) de mulheres são traficadas todos os anos a partir de várias partes do continente
africano, da Ásia e da Europa do Leste. (Redacção)