opTech Broc. FINAL_PT corrected

Сomentários

Transcrição

opTech Broc. FINAL_PT corrected
Marca registada da Sumitomo Chemical Co. Ltd.
O Mosquiteiro da Próxima Geração com Protecção Adicional
A Olyset® Plus é uma rede mosquiteira
de longa duração com acção rápida contra
os mosquitos e eficácia adicional contra
mosquitos resistentes a piretróides.
Olyset Plus – respondemos à evolução das necessidades do mundo.
Índice
Introdução e Antecedentes ........................................................................ 1
Tecnologia de Libertação Controlada ....................................................... 5
Eficácia Biológica ......................................................................................... 6
Especificações Técnicas .......................................................................... 10
Utilização e Segurança .............................................................................. 12
Introdução e Historial
Introdução
Crescente resistência a insecticidas – uma ameaça real
As redes mosquiteiras possuem um longo historial de
protecção contra os mosquitos portadores de malária,
embora não tenha sido até à introdução do tratamento das
redes com insecticidas piretróides que os mosquiteiros
deixaram de ser apenas uma barreira física para passarem a
ser uma ferramenta insecticida activa que repele e elimina
os mosquitos. O método original de imersão de redes em
solução insecticida era bastante trabalhoso, apresentava
muitas dificuldades logísticas em campo e o tratamento
raramente sobrevivia a mais de três lavagens. Esta situação
mudou drasticamente com a introdução de redes tratadas
com insecticida de longa duração (REMTILD), à prova de
água e tratadas em fábricas, nas quais o insecticida é ligado à
superfície da fibra da rede ou incorporado na própria fibra.
Devido aos excelentes resultados conseguidos com a
utilização de REMTILDs, os doadores defenderam e fizeram
campanhas a favor da distribuição em massa de redes
mosquiteiras em todo continente africano e em muitos
outros países endémicos. No início de 2011 foi alcançada a
cobertura universal (cobertura de populações em risco
utilizando as REMTILD de pelo menos 80%) em vários
países africanos. A pressão exercida a favor da utilização
exclusiva de piretróides nas redes REMTILD e o seu uso
extensivo em programas de pulverização residual de espaços
interiores e na agricultura conduziu ao aparecimento de
populações de mosquitos vectores resistentes ao insecticida
em algumas partes do mundo, sobretudo em África. “À data
da elaboração deste relatório foi identificada resistência a
pelo menos um insecticida em 64 países com transmissão
Rede Mosquiteira Olyset® – Tecnologia Pioneira com
Durabilidade Adicional
A Sumitomo Chemical foi a primeira empresa a
desenvolver uma tecnologia pioneira de incorporação em
fibras. Concluímos que a incorporação de insecticida nas
fibras - utilizando a tecnologia de libertação controlada,
que permite que o insecticida migre para a superfície e
mantenha um abastecimento regular – é superior à
“colagem” na superfície da fibra, que deixa o insecticida
vulnerável à remoção por abrasão ou lavagem. Além disso,
o uso de polietileno de alta densidade (PEAD) como o
material da fibra, em vez de poliéster, traz grandes
vantagens em termos da força e durabilidade da rede. A
Olyset Plus, tal como a rede Olyset original, possui um
denier superior a 150, ao passo que as redes de poliéster
convencionais disponíveis têm um denier entre 75 – 100.
Sendo o denier um dos principais factores que contribuem
para a força e durabilidade em campo, a Olyset Plus é cerca
de 1,5 - 2 vezes mais resistente do que as REMTILD de
poliéster típicas, com denier entre 75 – 100.
A Rede Olyset convencional foi a primeira REMTILD
a passar o Programa de Avaliação de Pesticidas da
Organização Mundial de Saúde (WHOPES). Desde essa
altura, muitas outras redes passaram o programa com
recomendação definitiva ou provisória. Contudo, estas
redes — incluindo a rede Olyset convencional— são
fabricadas usando uma única classe de insecticidas,
conhecida como piretróides, em virtude da sua
excelente eficácia contra os mosquitos e baixa
toxicidade para mamíferos.
Características Principais
• Malha fina.
• Toque mais macio.
• Excelente desempenho biológico
contra os mosquitos.
• O insecticida e o agente
sinérgico migram
continuamente para a
superfície da fibra ao longo
de vários anos.
• Maior eficácia na neutralização e • Regeneração de ambos os
eliminação
ingredientes activos.
de mosquitos resistentes aos
• Única no mercado.
piretróides.
• Uma segunda geração da
• Contém o agente sinérgico –
Rede Mosquiteira Olyset com
butóxido de piperonilo (PBO) resultados comprovados.
em todas as superfícies.
• Insecticida e agente sinérgico
incorporados nas fibras.
• Tecnologia japonesa.
contínua de malária. A resistência aos piretróides parece
ser a mais difundida”. A extensão e a ameaça da resistência
ao uso de REMTILDs e o seu impacto em casos reais de
malária ainda não são totalmente compreendidos e está
prevista a implementação de extensos programas para o
acompanhamento e verificação do seu impacto na
transmissão.
* Programa Global da OMS para Gestão de Resistência a Insecticidas em vectores
de malária (GPIRM), 201
1
Figura 1. Cenário possível para o desenvolvimento de resistência numa
população de mosquitos.
Reproduzido com autorização do IRAC
A rede mosquiteira Olyset original, fabricada pela
Sumitomo Chemical, continua a ser uma das melhores e
mais duradouras REMTILDs do mercado. No entanto, a
Sumitomo identificou que, em alguns mercados, poderiam
ser introduzidas melhorias, aumentando a velocidade de
acção e a eficácia contra os mosquitos, resistentes e
susceptíveis. Isto conduziu ao desenvolvimento da rede
Olyset Plus.
A Olyset Plus introduz várias características inovadoras,
incluindo a adição de butóxido de piperonilo (PBO), um
sinérgico que aumenta a eficácia do ingrediente activo
(permetrina) e, em particular, reforça o efeito contra
mosquitos resistentes a piretróides (para mais informações
sobre o PBO consulte a secção abaixo).
A Olyset Plus é a primeira e única rede mosquiteira do
mercado a incorporar PBO em todas as fibras e superfícies
da rede, para uma maior eficácia na neutralização e
eliminação de mosquitos resistentes a piretróides.
Resistência a Insecticidas
Figura 2. Distribuição em África da resistência a piretróides, com base em
dados recolhidos entre 2000 e 2010.
A resistência a insecticidas é definida pelo Comité de
Acção contra a Resistência a Insecticidas (IRAC) como:
“uma alteração hereditária na sensibilidade de uma
população de pragas que é reflectida na falha repetida de
um produto em atingir o nível esperado de controlo, quando
utilizado de acordo com as recomendações do fabricante
para essa espécie”.
O desenvolvimento da resistência a insecticidas ocorre
devido às seguintes razões:
Legenda:
An. pharoensis
An. labranchiae
An. funestus
An. gambiae s.l.
An. arabiensis
An. gambiae s.s.
Resistência
Suspeita de resistência
Susceptível
Ranson et al, Tendências em Parasitologia, Fevereiro de 2011, Vol.27, Nº 2.
2
• A selecção natural permite que insectos pré-adaptados
com genes de resistência sobrevivam e passem esta
característica para os seus descendentes.
• À medida que é aplicada uma maior quantidade de
produto, a população resistente continua a crescer,
enquanto os indivíduos susceptíveis são eliminados
pelo insecticida. Por conseguinte, o produto já não é
totalmente eficaz.
Outros pontos importantes a considerar:
• A rapidez no desenvolvimento da resistência depende da
velocidade de reprodução, da persistência do insecticida
aplicado e da proporção de espécies susceptíveis.
• Regista-se resistência em vários vectores de saúde pública
a grande parte das classes químicas de insecticidas.
• O problema da resistência no controlo de vectores é
agravado pelo uso extensivo, e por vezes indevido, das
mesmas classes de insecticidas na agricultura.
O mapa (ver Figura 2) indica que há uma propagação da
resistência aos piretróides em várias zonas do continente
africano, onde as REMTILDs estão a ser distribuídas.
Embora o impacto desta resistência na eficácia das
REMTILDs e na transmissão da malária ainda seja
desconhecido, existe um consenso crescente de que altos
níveis de resistência podem, no futuro, conduzir à falha
operacional dos programas de distribuição maciça de
REMTILDs. A resistência a insecticidas em vectores de
malária é por isto um dos maiores receios das partes
interessadas actualmente.
Existem vários tipos de mecanismos de resistência:
• Resistência metabólica.
• Resistência localizada (Resistência a “knockdown”
(Kdr) – ao derrube - ou insensibilidade nervosa).
• Resistência comportamental.
• Resistência devido a penetração reduzida.
A Olyset Plus é a primeira e única rede mosquiteira
do mercado a incorporar PBO em todas as fibras e
superfícies da rede, para uma maior eficácia na
neutralização e eliminação de mosquitos resistentes
a piretróides
acção rápida, elevada actividade intrínseca contra os
insectos-alvo e baixa toxicidade para mamíferos,
juntamente com facilidade de produção. Estas
características tornam a identificação da composição
química adequada uma tarefa extremamente desafiante,
dispendiosa e de longo prazo.
Embora empresas como a Sumitomo Chemical estejam
a desempenhar um papel central na síntese, triagem e no
desenvolvimento de novas composições químicas para
utilização no controlo de vectores de doenças, a melhor
solução a nível provisório é continuar a formular
REMTILDs com insecticidas piretróides e utilizar as
propriedades sinérgicas do PBO para melhorar a
actividade insecticida contra mosquitos susceptíveis e
resistentes.
Para mais informações sobre resistência,
acompanhamento e estratégias de gestão de insecticidas
consulte `Prevenção e Gestão de Resistência a Insecticidas
em Vectores de Importância de Saúde Pública do IRAC
(CropLife International) – Ver (www.irac-online.org)
O que é a Olyset Plus?
Entre estes mecanismos, a resistência metabólica é
provavelmente a mais importante, embora o impacto da
resistência Kdr (ao derrube) também seja significativo.
A única possibilidade de ultrapassar a maioria dos tipos
de resistência reside na utilização de uma classe de
insecticidas totalmente nova, algo que ainda não se
encontra disponível. Preferencialmente, um novo
insecticida teria todos os atributos dos piretróides:
A Olyset Plus é uma rede mosquiteira de polietileno de
longa duração, que contém 2 % de permetrina e 1% do
agente sinérgico butóxido de piperonilo (PBO),
incorporados em todas as suas fibras. Desta forma, todos
os lados e o tecto da rede são tratados. Utilizando a
tecnologia única de libertação controlada Olyset,
patenteada pela Sumitomo Chemical, as fibras da rede
foram concebidas de modo a libertar os dois ingredientes a
uma razão constante de 2:1, garantindo assim uma maior
eficácia contra todos os mosquitos, incluindo os
resistentes, ao longo de toda a vida útil da rede.
Foi comprovado que, embora alguns mosquitos se
aproximem do tecto das REMTILD, uma proporção
semelhante desloca-se para os lados para se aproximar do
hospedeiro enquanto este dorme. (Ref. Severin, L.
Universidade d` Abomey – Calavi Calvi, pers. comm.)
3
Com base nisto, é evidente que qualquer rede que
procure fornecer níveis reforçados de protecção contra
insectos susceptíveis e resistentes deve possuir PBO em
todas as superfícies para que os mosquitos não consigam
evitar o contacto com o insecticida e o sinérgico ao
mesmo tempo.
O que é o Butóxido de Piperonilo?
O butóxido de piperonilo (PBO) é um agente sinérgico
usado desde há muito para aumentar a eficácia dos
insecticidas piretróides, especialmente os aerossóis de uso
doméstico. Os sinérgicos são substâncias químicas que não
têm actividade insecticida própria, mas que aumentam a
acção insecticida de outros produtos químicos.
Como é que o Butóxido de Piperonilo combate a resistência?
Todos os insectos, susceptíveis ou resistentes, possuem
enzimas que metabolizam os insecticidas em componentes
inofensivos. Algumas destas enzimas, conhecidas como
citocromos P450, são poderosos agentes oxidantes, capazes
de neutralizar um ingrediente activo antes de ser
alcançado o efeito desejado; o PBO é um poderoso
inibidor de enzimas e, por conseguinte, bloqueia esta
acção.
Em insectos resistentes a actividade destas enzimas
pode ser bastante reforçada, o que pode reduzir
significativamente a eficácia de um insecticida. O PBO
actua sobre estas enzimas em insectos resistentes e inibe a
quebra ou a metabolização dos insecticidas, tornando o
insecticida mais eficaz. O PBO aumenta igualmente a
actividade dos piretróides contra insectos susceptíveis,
logo a adição de PBO a uma REMTILD traz benefícios
mesmo em zonas em que não haja resistência.
Existem inúmeros estudos científicos que demonstram
o impacto do PBO na resistência a piretróides e alguns
destacam especificamente o impacto na resistência à
permetrina. Ver, por exemplo: Demonstrações de
mecanismos múltiplos de resistência a piretróides na espécie
Anopheles gambiae sensu stricto, vector da malária, oriunda
da Nigéria. Awolola, T.S. et al., Transacções do Instituto de
Higiene e Medicina Tropical Vol: 103, Edição: 11, Páginas:
1139-1145 (2009).
Pontos-chave sobre o butóxido de piperonilo:
• Inibidor de enzimas P450.
• Aumenta a penetração do insecticida.
• Usado em vários aerossóis de uso doméstico e
produtos para pulverização de ambientes.
• Não é um insecticida, é um agente sinérgico.
• Baixa toxicidade para mamíferos.
• Conhecido e usado há mais de 50 anos.
Regeneração da Olyset Plys
Eficácia total em menos de 2 dias, após a lavagem.
4
A regeneração rápida de ingredientes activos à superfície
após a lavagem – e, por conseguinte, o fornecimento de
uma barreira de insecticida e de PBO contra os mosquitos
quase continuamente disponível – é necessária de modo a
maximizar o efeito protector. Isto é especialmente
importante em zonas onde foram detectados mosquitos
resistentes. A taxa de migração da permetrina e do PBO
do reservatório interno da fibra para a superfície da rede
(conhecida como a ‘taxa de sangramento’) foi ajustada
na Olyset Plus, de modo a proporcionar uma taxa de
regeneração rápida que faz com que o mosqueteiro
esteja de novo activo 1 a 2 dias após a lavagem.
Tecnologia de Libertação Controlada
Fibras de Polietileno incorporadas com Tecnologia de Libertação Controlada versus Fibra de Poliéster Revestido
Permetrina e PBO
1º Ano
2º Ano
3º Ano
Rede Convencional
Acima: Na rede Olyset Plus, a permetrina e o
butóxido de piperonilo migram para a superfície
da fibra ao longo de um período mínimo de três
anos, mantendo uma concentração à superfície
eficaz do ponto de vista biológico.
Partículas de insecticida
“coladas” à superfície
da rede
1º Ano
2º Ano
3º Ano
À esquerda: Nas redes REMTILD “revestidas”, a
concentração de insecticida à superfície diminui
ao longo do tempo.
Eficácia Biológica
Os objectivos dos testes realizados à Olyset Plus foram os seguintes:
• Confirmar que a eficácia obedece aos padrões do
WHOPES.
• Confirmar que o tempo de regeneração do insecticida
e do agente sinérgico é rápido.
• Avaliar a eficácia contra mosquitos susceptíveis.
• Avaliar a eficácia contra mosquitos resistentes a
piretróides.
% mortalidade
Figura 3. A Olyset Plus foi testada sem ter sido lavada e em
intervalos após três lavageans — mortalidade em 24 horas.
Dias após a lavagem
Rossignol, B. Luce, MN Lacroix and F. Chandre, DOC/LIN/IRD/01/11
% Derrube em 60 minutos
Figura 4. Efeito da lavagem da Olyset Plus (teste de cone da OMS).
Número de lavagens
Rossignol, B. Luce, MN Lacroix and F. Chandre, DOC/LIN/IRD/01/11
Figura 5. Velocidade de regeneração da Olyset Plus contra os
mosquitos resistentes a piretróides capturados em campo
(teste de cone da OMS).
%
Derrube
Mortalidade
Olyset Plus
Não lavada
Olyset Plus
Lavada
Ref. Relatório do Laboratório de Ciências Agrícolas e da Saúde da
Sumitomo Chemical, 2011
6
1. Regeneração, resistência às lavagens e eficácia da Olyset Plus contra
mosquitos susceptíveis da espécie Anopheles gambiae
Para avaliar a velocidade de regeneração, a Olyset Plus
foi testada sem ser lavada e, em seguida, foi lavada e seca 3
vezes e testada nos dias seguintes às lavagens. Os resultados
(Figura 3) demonstram que a rede recupera rapidamente a
sua eficácia na eliminação dos mosquitos, mantendo um
índice de 100% na neutralização de mosquitos após a
lavagem. A partir destes resultados (é de notar o facto de
que os intervalos de confiança para a mortalidade entre o
2º e o 7º dias se sobrepuseram) determinou-se que o
tempo de regeneração da rede é de 2 dias.
Para avaliar a resistência às lavagens, as redes foram
testadas após repetidas lavagens através do método do
cone. A partir dos dados obtidos acima, o intervalo entre as
lavagens foi estabelecido em 2 dias, para permitir a regeneração total da rede. Os resultados indicam que o derrube
(KD) dos mosquitos expostos à Olyset Plus se altera muito
pouco ao longo de 25 lavagens. Uma vez que estes testes
foram conduzidos apenas 24 horas após cada lavagem, a
regeneração rápida do ingrediente activo na superfície da
fibra é claramente demonstrada (Ver Figura 4).
2. Avaliação da Olyset Plus versus a Olyset Plus sem PBO, não lavada e
um dia após a lavagem, contra mosquitos resistentes a piretróides
capturados em campo.
Foram realizados testes através do método do cone (3
minutos de exposição) da Organização Mundial de Saúde
(OMS) contra mosquitos Anopheles arabiensis, capturados
em campo e que apresentavam um mecanismo de resistência metabólica aos piretróides. A Olyset Plus foi muito
eficaz sem lavagem e teve uma regeneração muito rápida
após 1 dia, resultando numa taxa de neutralização de 100%
e numa taxa de mortalidade de 73,2% (Ver Figura 5).
3. Avaliação da Olyset Plus contra mosquitos resistentes a piretróides
usando o teste de túnel da OMS dois dias após 20 lavagens.
A Olyset Plus foi lavada 20 vezes usando o método convencional da OMS e de seguida foi avaliada no teste de túnel da
OMS contra a estirpe G3 do mosquito Anopheles gambiae
(com resistência metabólica aos piretróides moderada),
apenas dois dias após a última lavagem. Os mosquitos foram
introduzidos num dos lados do túnel e um pequeno animal
foi colocado no lado oposto. A amostra da rede foi colocada
entre ambos e foram efectuados nove orifícios no túnel, de
acordo com o protocolo da OMS. Se os mosquitos conseguirem passar através dos orifícios na rede, isso significa
que a rede tem pouco efeito repelente ou de eliminação.
A Redução da Refeição Sanguínea (BFI) demonstra a
percentagem de mosquitos que são impedidos de chegar
ao animal e de se alimentarem. A mortalidade traduz-se no
número total de mosquitos mortos durante as suas tentativas
de alimentação.
A Sumitomo Chemical foi a primeira empresa a desenvolver
uma tecnologia pioneira de incorporação de fibras.
Figura 6. A Olyset Plus 2 dias após 20 lavagens contra
mosquitos resistentes a piretróides (teste de túnel da OMS).
%
BFI
Mortalidade
Os resultados (Figura 6) demonstram que a redução da
refeição sanguínea foi bastante elevada e a taxa de mortalidade atingiu cerca de 80%, apesar dos mosquitos serem
resistentes aos piretróides. Este teste comprova a rapidez
com que a eficácia da Olyset Plus é restabelecida após 20
lavagens e apenas 2 dias de regeneração.
4. A Olyset Plus versus uma REMTILD de Poliéster contra os mosquitos
resistentes a piretróides capturados em campo.
Estes testes foram realizados em mosquitos Anopheles
arabiensis com resistência metabólica a piretróides
capturados em campo. Ambas as redes eram novas e
nunca haviam sido lavadas. Foi utilizada uma REMTILD de
poliéster disponível no mercado e tratada com deltametrina,
amplamente utilizada em programas de controlo da malária.
Foi utilizado o método do cone da OMS (3 minutos de
exposição). Os resultados (Figura 7) demonstram que os
Anopheles resistentes foram neutralizados e eliminados pela
Olyset Plus, mas que o impacto da rede com piretróide disponível no mercado foi muito menor, comprovando a eficácia
superior da Olyset Plus contra os mosquitos resistentes.
5. O impacto da adição de PBO à Olyset Plus e a eficácia contra
mosquitos resistentes um dia após a lavagem
Foram realizados testes a Anopheles arabiensis, capturados
em campo, que apresentavam resistência metabólica aos
piretróides. Para avaliar o impacto do PBO, foi fabricada
uma rede Olyset Plus experimental sem a presença do
agente sinérgico. Ambas as redes foram lavadas uma vez e
testadas após um dia, recorrendo ao teste de cone da OMS
(3 minutos de exposição).
Os resultados (Figura 8) revelam que, embora não se
verificasse um impacto perceptível no efeito de derrube
(KD), se verificou uma diferença drástica na taxa de mortalidade, como resultado da acção do PBO, que bloqueou o
mecanismo de resistência metabólica.
Ref. Relatório do Laboratório de Ciências Agrícolas e da Saúde da Sumitomo Chemical, 2011
Figura 7. A Olyset Plus versus uma REMTILD de poliéster contra
mosquitos resistentes capturados em campo (teste do cone da OMS).
%
Polyester LLIN
Olyset Plus
KDMortalidade
Ref. Relatório do Laboratório de Ciências Agrícolas e da Saúde da Sumitomo Chemical, 2011
Figura 8. O impacto do PBO na Olyset Plus contra mosquitos
resistentes 1 dias após a lavagem (teste de cone da OMS).
%
Olyset Plus sem PBO
Olyset Plus com PBO
Ref. Relatório do Laboratório de Ciências Agrícolas e da Saúde da Sumitomo Chemical, 2011
Figura 9. Redução da Refeição Sanguínea em ensaios em cabanas
contra mosquitos resistentes no Benim.
Olyset original
Olyset Plus
%
KDR+
Kisumu antes Kisumu após a
Metabólica
da lavagem
Lavagem
antes da
(3x+7 dias)
lavagem
KDR+
metabólica
após a lavagem
(3x+7 dias)
Metabólica
Metabólica
Antes da Após a lavagem
lavagem
(3x+7 dias
Ref: C.Pennetier, V.Corbel et al. DOC/IRD/CREC/02/10
Figura 10. Ensaios experimentais em cabanas nos Camarões:
A Olyset Original e a Olyset Plus.
BFI Mortalidade
%
Controlo
Olyset Original Olyset Plus
Não lavada
Controlo
Olyset Original Olyset Plus
3 lavagens + 7 dias
Ref: C.Pennetier, V.Corbel et al. DOC/IRD/CREC/02/10
Figura 11. Fase II do WHOPES de ensaios experimentais em
cabanas, Malanville, Benim.
Redução da refeição sanguínea
Mortalidade corrigida para o
controlo
%
Olyset Plus
não lavada
Olyset Plus
lavada 20 vezes
Olyset Original
não lavada
Ref: CREC/IRD WHOPES Fase II relatório 31/1/2012
8
Olyset Original
lavada 20 vezes
Estes estudos também demonstram que a Olyset Plus teve
regeneração muito rápida e que estava activa novamente 1
dia após a lavagem.
6. A Olyset Plus comparada com a Olyset Original em cabanas
experimentais – Benim.
Foram realizados ensaios em Cotonou, no Benim, usando
cabanas experimentais, para comparar a actividade da rede
Olyset Original e da Olyset Plus.
A metodologia das lavagens e o protocolo experimental
cumpriram as directrizes da OMS para testes de redes de
longa duração (OMS/CDS/WHOPES/GCDPP/2005.11).
Ambas as redes REMTILD possuíam seis orifícios para
simular redes rasgadas e um voluntário dormiu sob as
mesmas. Os mosquitos acediam a uma refeição sanguínea
ou eram inibidos de se alimentarem e saíam da cabana
para uma armadilha na varanda. Foram usadas três
estirpes de An. gambiae – susceptíveis (Kisumu), com
resistência Kdr + metabólica e apenas com resistência
metabólica. Os mosquitos foram libertados no interior da
cabana em números pré-estabelecidos, em noites diferentes, e a Redução da Refeição Sanguínea (BFI) foi registada para demonstrar os diversos graus de protecção
fornecidos pelas redes testadas. Os resultados encontramse na Figura 9, onde se pode verificar que no caso dos
A rede Olyset Original não lavada teve um bom
desempenho, sobretudo considerando a resistência
presente, mas com a Olyset Plus verificou-se uma
maior mortalidade dos mosquitos.
mosquitos susceptíveis houve pouca diferença antes da
lavagem, enquanto que, após lavagem a Olyset Plus foi
ligeiramente mais eficaz, devido a uma regeneração mais
rápida e à maior eficácia resultante dos efeitos sinérgicos
do PBO. Quando ambas as redes foram testadas contra
mosquitos com resistência metabólica e “knockdown”
(ao derrube), não se verificou grande diferença na eficácia
antes da lavagem. Contudo verificou-se uma diferença
significativa após lavagem, uma vez que a Redução da
Refeição Sanguínea foi muito maior com a Olyset Plus,
demonstrando assim um efeito protector. A Redução da
Refeição Sanguínea no tratamento desta Olyset Plus foi
de 87.1%, o que é bom considerando que com a resistência
Kdr (causada por insensibilidade do sistema nervoso do
insecto ao insecticida) não seria de esperar que o PBO
trouxesse grandes benefícios. Quando testada contra
mosquitos apenas com resistência metabólica, a Olyset
Plus forneceu uma taxa de Redução da Refeição Sanguínea
muito elevada, superior à da rede Olyset convencional
devido à presença do PBO.
7. A Olyset Plus comparada com a Olyset Original em cabanas
experimentais – Camarões.
Foram realizados ensaios experimentais em cabanas
para comparação da rede Olyset convencional e da rede
Olyset Plus em Pitoa, nos Camarões. Como indicado
acima, a metodologia das lavagens e o protocolo cumpriram as directrizes da OMS. A população local de
mosquitos An. gambiae apresentava um mecanismo de
resistência metabólica aos piretróides.
As taxas de Redução da Refeição Sanguínea (BFI) foram
registadas de modo a demonstram os diversos graus de
protecção fornecidos pelas redes mosquiteiras testadas. Os
resultados (Figura 10) revelam que as redes de controlo não
tratadas forneceram pouca protecção antes da lavagem.
A rede Olyset original não lavada teve um bom desempenho, sobretudo considerando a resistência presente, mas
com a Olyset Plus verificou-se uma maior mortalidade dos
mosquitos. Após 3 lavagens e 7 dias a rede Olyset convencional forneceu bons níveis de BFI (88%), enquanto a
Olyset Plus proporcionou uma protecção ainda maior com
um BFI de 96%. A Olyset Plus teve igualmente um maior
impacto global na mortalidade (69% versus 38% com a
Olyset convencional).
8. FaseII da Avaliação da Olyset Plus pela OMS – Benim.
Como parte da avaliação da Olyset Plus, o programa
WHOPES conduziu uma segunda fase de ensaios
experimentais em cabanas no Benim. Estes foram
realizados em Malanville, numa zona onde foi
recentemente reportada uma resistência crescente dos
vectores de malária aos piretróides (22% de mortalidade
para 0.75% de permetrina). Os resultados dos ensaios com
An.gambiae livres e em estado selvagem são apresentados
na Figura 11. Estes resultados revelam que embora antes
da lavagem ambas as redes forneçam bons níveis de
protecção inicial à picada do insecto, a Olyset Plus
continua a fornecer excelente protecção após 20 lavagens.
Os níveis de protecção da rede Olyset convencional,
embora satisfatórios, diminuíram. Os dados referentes à
mortalidade seguem uma tendência semelhante, sugerindo
que a Olyset Plus terá um maior efeito na mortalidade
destas populações resistentes ao longo do tempo, quando
comparado com a rede Olyset original.
Especificações Técnicasdo mundo
Olyset Plus – a responder à evolução das necessidades do mundo.
Tamanhos disponíveis (cm)
Especificações
Categoria
Especificação
Redes Rectangulares
Odor
Inodoro
Descrição
Comprimento Largura
Altura
Cor
Azul ou Branco
Nº de anéis
(mín.)
Forma
Rectangular ou Cónica
Estabilidade Dimensional
(ISSO 5077)
Não excede os 5% da dimensão inicial
Duplo
Familiar
Familiar Grande/ Elevado
Familiar Extra Grande
Elevado
180
180
180/180
100
130
160/160
150
150
150/210
6
6
6
190/190
180/180
150/210
6
Fixação da rede
Rectangular – Pelo menos 6 pontos de
suspensão (um em cada um dos quatro
cantos do painel superior e um equidistante
em cada um dos lados) fixas por argolas
em tecido.
Cónica – ponto único de suspensão
Redes Cónicas
Ingrediente activo
Permetrina 2.0% p/p (+/- 0.5%p/p),
20g/kg (+/- 5g/kg)
Embalagem
As redes são colocadas em embalagens
individuais em sacos de polipropileno
selados e com etiqueta.
Agente sinérgico
Butóxido de piperonilo 1.0% p/p
(+/- 0.25%p/p), 10g/kg (+/- 2.5g/kg)
Localização do insecticida Incorporado no fio
synergist location
Estabilidade de
armazenamento
Em testes de armazenamento, o material da
rede contém 95% do teor original do
ingrediente activo após 2 semanas a 54ºC
Duração da eficácia
3 anos (mínimo)
Classificação de
Segurança Contra
Incêndios 16CFR 1610
Classe 1
(Têxteis – permitido o uso em vestuário)
Fio
150 denier (+/- 30) fibra de monofilamento
de polietileno de alta densidade
Tamanho da malha
(orifícios/pol²)
Peso da rede
Tipo de tecido
Força de Ruptura
No mínimo 80 orifícios por polegada2r
40 g/m2 (+/- 10g/m2)
Raschel
Tecido Principal: 250KPa (mínimo)
Costura: 250KPa (mínimo)
Costuras
Linha de costura em poliéster
Fabrico
ISO 13938-1-1999
Malha de Teia
Circunferência
Altura
Pequena
850
220
56
Metal flexível
Média
1050
220
56
Metal flexível
Grande
1250
250
65
Metal flexível
Tecto
Nota: Os tamanhos das redes rectangulares e cónicas são medidos pendurados
+/- 10%.do mundo.
Ingrediente Activo da Olyset Plus
Permetrina (Ref VBC/DS/84.51)
As seguintes informações referem-se à permetrina, o
ingrediente activo presente nas redes Olyset Plus. A
permetrina é usada há mais de 30 anos no controlo de
insectos na agricultura e saúde pública com excelentes
resultados. Os usos registados da permetrina incluem:
aplicações cutâneas para o controlo da sarna e como
repelente de insectos.
SINOPSE: A permetrina é um piretróide sintético, não
cumulativo, de largo espectro e trata-se de uma neurotoxina
de acção rápida com bom contacto, acção limitada no
estômago e sem acção fumigante. É um produto
moderadamente estável no ambiente e apresenta uma boa
acção residual em superfícies inertes. A permetrina é não
sistémica em plantas, apresenta baixa toxicidade para
mamíferos e é facilmente metabolizada com perda imediata
de toxicidade.
Nome comum: Permetrina (ISO, BSI, ANSI)
Identidade:
IUPAC: 3-Fenoxibenzil(1RS)-cis,trans-3-(2,2diclorovinil)-2,2-dimetilciclopropanocarboxilato.
Fórmula molecular: C21H20Cl2O3
Peso molecular: 391.3
10
Anel superior
Descrição
Utilização e Segurança
Utilização e Cuidados com a Olyset Plus
A rede Olyset Plus vem pronta a ser utilizada. Basta
retirá-la da embalagem e pendurá-la sobre a cama,
utilizando as argolas fornecidas para fixação do fio ou da
corda e suspendê-la do tecto. Ao contrário de outras redes,
não é necessário arejar a rede antes da sua utilização.
Certifique-se de que a rede fica suspensa sobre a cama
caindo com folga suficiente para colocar debaixo do
colchão ou da esteira durante a noite.
A rede é impregnada com insecticidas e agentes
sinérgicos na fábrica e não necessita de novo tratamento.
activo encontra-se em quantidade suficiente na superfície
da rede para garantir excelente eficácia biológica contra os
mosquitos.
Os riscos decorrentes do manuseio da rede são mínimo.
A permetrina e o butóxido de piperonilo são virtualmente
não irritantes, pelo que não se prevêem efeitos adversos
resultantes do contacto durante o manuseamento ou ao
dormir debaixo da rede mosquiteira.
Programa de Avaliação de Pesticidas da Organização Mundial de
Saúde (WHOPES)
De acordo com as políticas éticas da Sumitomo, a Olyset
Plus foi submetida ao WHOPES para avaliação através de
todas as fases de testes do programa e, até ao momento, os
resultados são muito positivos. O Grupo de Trabalho do
WHOPES reuniu-se e, após consideração de todos os
dados científicos relevantes, concederam à Olyset Plus
uma recomendação provisória.
Avaliação de Riscos da Olyset Plus pela OMS (abstracto)
As redes mosquiteiras Olyset Plus podem ser lavadas
com água e sabão para remoção da sujidade. Recomendase a lavagem das redes algumas vezes durante o ano, já que
a sujidade excessiva poderá reduzir a sua eficácia,
sobrepondo-se ao insecticida.
Foi realizada uma avaliação de riscos em conformidade
com o modelo genérico de avaliação de riscos da OMS,
para apoiar a utilização de uma nova rede mosquiteira
tratada com insecticida de longa duração (REMTILD) para
protecção contra a malária transmitida por mosquitos. A
rede de polietileno contém permetrina a 2% p/p e butóxido
de piperonilo e sinérgico insecticida (1% w/w).
Uma vez que as redes são fabricadas e pré-tratadas com
permetrina e butóxido de piperonilo na fábrica, o
tratamento das redes pelo utilizador final não é necessário.
Segurança
Assim sendo, os únicos cenários de exposição relevantes,
considerados na avaliação de riscos, foram a exposição
durante a lavagem das redes e a exposição ao dormir sob
as redes, incluindo a exposição decorrente da possível
ingestão oral por bebés ou crianças que suguem ou
mordam as redes. As possíveis exposições da Permetrina e
do PBO durante estas actividades foram avaliadas usando
valores padrão, parâmetros e pressupostos conservadores
definidos no modelo da OMS.
A permetrina é um insecticida piretróide com baixa
toxicidade para mamíferos. O butóxido piperonilo é um
agente sinérgico de baixa toxidade para mamíferos. Além
disso, a maior parte destas substâncias químicas está
incorporada na matriz da fibra. No entanto, o ingrediente
Todas as exposições previstas à permetrina e ao PBO
atingiram margens de segurança aceitáveis para adultos,
crianças e bebés nas actividades relevantes acima
indicadas. Por conseguinte, a combinação de Permetrina e
PBO em REMTILDs foi considerada segura.
Para evitar danificar a rede é recomendada a lavagem
suave (sem lixívia). Após a lavagem, a rede deve secar à
sombra antes de voltar a ser pendurada sobre a cama. Uma
vez lavada, a rede regenera rapidamente o insecticida e o
agente sinérgico na superfície das fibras, para repor o que
possa ter sido perdido durante a lavagem.
12
A rede Olyset Plus vem pronta a ser utilizada. Basta retirá-la da
embalagem e pendurá-la sobre a cama, utilizando as argolas
fornecidas para fixação do fio ou da corda, e suspendê-la do tecto.
Ao contrário de outras redes, não é necessário arejar a rede antes
da sua utilização
Saiba mais em www.olyset.net
Departamento de Atendimento ao Cliente da Olyset
Horatio House
77-85 Fulham Palace Road
Londres W6 8JA
Reino Unido
Tel: +44 (0)208 600 7700
Email: [email protected]
Olyset® é uma Marca Registada da Sumitomo Chemical Co.Ltd

Documentos relacionados

O mosquiteiro da próxima geração com protecção adicional

O mosquiteiro da próxima geração com protecção adicional Olyset Plus é uma rede mosquiteira durável fabricada em polietileno que contém 2% de permetrina combinada com 1% do agente sinérgico PBO, incorporada em todas as fibras de todos os lados e também n...

Leia mais