A Idade do Gelo

Сomentários

Transcrição

A Idade do Gelo
Disciplina - Ciências -
A Idade do Gelo
Ciências
Enviado por:
Postado em:06/09/2011
O aumento da massa corporal, a aquisição de vasta pelagem e patas adaptadas à neve podem não
ter sido uma adaptação evolutiva decorrente das condições extremas impostas pela Idade do Gelo.
O estudo de um fóssil encontrado no sopé dos Himalaias em 2007 — um rinoceronte lanudo de 3,6
milhões de anos — mostra que grandes animais podem, na verdade, ter surgido nas frias
montanhas do Tibete antes do período glacial. Quando a temperatura caiu globalmente, desceram
as montanhas e, pré-adaptados ao gelo, dominaram as estepes europeias e asiáticas. As
conclusões partiram da análise do crânio e mandíbula da nova espécie de rinoceronte peludo
(Coelodonta thibetana) encontrada. A descoberta foi descrita em um artigo publicado na revista
Science. O trabalho, liderado por pesquisadores do Museu de História Natural de Los Angeles (HM),
nos EUA, e Instituto de Paleontologia e Paleoantropologia da Academia de Ciências da China,
sugere um novo cenário para a evolução dos grandes animais durante a Idade do Gelo. "Tibete,
Ártico e Antártica são lugares frios em que a maior parte das descobertas inesperadas será feita no
futuro — são fronteiras ainda não amplamente exploradas", diz Xiaoming Wang, responsável pelo
trabalho. Segundo os pesquisadores, o Coelodonta thibetana viveu no meio do Plioceno e é bem
mais antigo do que os primitivos descendentes de mamutes que habitaram as estepes europeias e
asiáticas durante a Idade do Gelo (Pleistoceno). O animal desenvolveu algumas adaptações
especiais para viver em climas frios. Seu chifre, por exemplo, podia 'varrer' a neve. Era uma maneira
de facilitar a busca por comida em um ambiente hostil, mas não completamente dominado pelo gelo
— como ocorreu mais tarde. Dessa maneira, acostumou-se às altas altitudes e se tornou
pré-adaptado ao futuro clima da Idade do Gelo, que despontou de fato há 2,6 milhões de anos.
Quando o frio passou a dominar amplamente o globo, no Pleistoceno, os rinocerontes peludos
desceram das montanhas e foram bem-sucedidos em ambientes hostis para outros seres. Além do
rinoceronte, os pesquisadores descobriram outras espécies extintas: cavalo de três dedos
(Hipparion), carneiro azul (Pseudois), antílope tibetano (Pantholops), leopardo da neve (Uncia),
texugo (Meles) e mais outros 23 animais. A coleção de fósseis pode oferecer novas pistas sobre a
origem dos grandes animais encontrados no Pleistoceno. Até agora, a maioria dos pesquisadores se
voltava para a tundra ou estepes de outras regiões. Esta notícia foi publicada em 02/09/2011 na
Revista Veja. Todas as informações nela contida são de responsabilidade do autor.
http://www.ciencias.seed.pr.gov.br
2/10/2016 12:04:20 - 1

Documentos relacionados