Clique para conhecer o currículo completo do Instituto

Сomentários

Transcrição

Clique para conhecer o currículo completo do Instituto
CURRÍCULO DO INSTITUTO LUIZ HENRIQUE SCHWANKE
Em 2002, após intenso movimento no meio cultural, a Prefeitura Municipal de
Joinville, através do Decreto Municipal nº 10.632/2002, criou oficialmente o
Museu de Arte Contemporânea Luiz Henrique Schwanke (MAC Schwanke) ainda
hoje sem sede própria instalada. No mesmo ano, uma comissão criada pelo
Decreto Municipal nº 10.804/2002, foi nomeada para definir os critérios de
implementação do museu, formada por diferentes profissionais e representante
da família do artista. Essa comissão deliberou que o MAC Schwanke deveria
atuar como um órgão de preservação e divulgação do acervo, bem como ser
equipado para adquirir e manter obras de artistas contemporâneos brasileiros e
estrangeiros, produzidas a partir do ano 2000. Após inúmeras questões
discutidas, especialmente quanto à manutenção do museu, optou-se pela criação
de uma instituição privada sem fins lucrativos e de natureza cultural, que pudesse
funcionar como entidade mantenedora, administrando os rumos do MAC
Schwanke e gerenciando as ações de pesquisa, intercâmbio e divulgação da
obra do artista. Em 2003, foi então criado o Instituto Luiz Henrique Schwanke ILHS, com 208 associados fundadores, envolvendo desde admiradores do artista
aos principais empresários e lideranças de Santa Catarina. Desde 2005, o
Instituto detém a qualificação de Utilidade Pública Municipal e Estadual. Na
criação do ILHS, o Governador do Estado de Santa Catarina e o Prefeito
Municipal de Joinville, destinaram ao MAC, a pedido da instituição, a antiga
fábrica da Cervejaria Antarctica, uma privilegiada edificação na área central da
cidade, anteriormente adquirida pelo poder público, que conta com área
construída de 6.280 m2 e entorno de aproximadamente 8.000 (oito mil metros
quadrados). Em 2006, a Prefeitura Municipal de Joinville, com o aval da Câmara
de Vereadores, concedeu a permissão de uso deste imóvel ao ILHS mediante a
Lei Municipal nº 5.476. Por ser uma antiga fábrica, histórica para o município,
com tombamento parcial pela comissão de patrimônio de Joinville, inúmeros
equipamentos deverão ser integrados ao projeto do MAC. A torre central, onde se
encontram os tanques de fermentação, será restaurada, mantendo sua
originalidade e servindo como principal acesso ao museu. A adequação prevê a
manutenção da volumetria original, das chaminés e dos telhados, embora se
pretenda retirar a laje que divide o espaço principal em dois pavimentos,
permitindo a criação de áreas expositivas amplas, com pé direito de mais de 8 m
e iluminação natural privilegiada, condições até hoje inexistentes nos museus de
Santa Catarina. Sobre a instalação do MAC Schwanke numa antiga fábrica,
verificam-se bons exemplos no exterior ou mesmo no Brasil, como a instalação
da Tate Modern numa antiga usina junto ao rio Tâmisa, em Londres, a Usina do
Gasômetro, em Porto Alegre, e o antigo Moinho Rebouças, em Curitiba. A ideia
torna-se particularmente interessante para as obras de Schwanke, que trabalhou
os conceitos de seriação, releitura do passado e resignificação de materiais
industriais. Os projetos: arquitetônico, estrutural, luminotécnico, elétrico, hidrosanitário, animação gráfica e maquete eletrônica para a implementação do MAC
Schwanke já foram elaborados. Hoje, o Instituto Schwanke busca parcerias junto
ao poder público e a iniciativa privada para definir a obra civil através do
encaminhamento de projetos específicos para a captação de recursos.
O acervo de Luiz Henrique Schwanke compõe-se de desenhos, pinturas,
esculturas e instalações que serão transferidas ao museu pela família do referido
artista em regime de comodato.
Além do desenvolvimento de projetos para a sede do MAC, o ILHS , desde 2005
vem realizando seminários, palestras, cursos e exposições, ocupando espaços
cedidos pela Fundação Cultural de Joinville e Universidade da Região de
Joinville - Univille.
As pessoas que estão vinculadas ao Instituto Schwanke e trabalham a favor do
Museu de Arte Contemporânea, exercem sua função em caráter de voluntariado.
Todas dedicam parte de seu tempo e atividades em prol da arte e da cultura, pois
acreditam que a união de iniciativas de caráter pública e privada é que poderão
efetivamente contribuir para a construção de uma sociedade mais sensível.
Projeto Arquitetônico MAC Schwanke – Arquiteto Reinhard Conrads
Projetos Realizados e em realização
2013 a 2014
MÔA – 40 Anos de Produção Artística
Aprovação: Ministério da Cultura (MINC), ART. 18 da Lei Rouanet nº 8.313/91.
Area cultural: Humanidades. PRONAC 131877.
Valor: R$ 140.668,09. Em fase de captação.
Resumo: Editar e publicar livro comemorativo dos 40 anos de trajetória do artista
joinvilense Moacir Moreira que exerce importante representação na cena
catarinense desde os anos 70, bem como realizar a exposição retrospectiva de
sua produção. O livro “Môa Lúcidos Sonhos”, será construído a partir de textos,
críticas e imagens sobre o desenvolvimento de sua história.
2012 / 2013 a 2014
Arte Conceitual: Realidade e Consistência?
Aprovação: SIMDEC – Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura –
Mecenato- Portaria de aprovação nº 059/2012.
Valor: R$ 40.000,00. Captação: 100% em janeiro 2013 – IPTU.
Resumo: O projeto tem como objetivo promover eventos de âmbito nacional e
internacional, elucidando conceitos teóricos e a produção decorrente na arte
contemporânea, tendo como tema “o impacto da arte conceitual na atualidade”.
Joseph Kosuth, 69 anos, artista americano, morador de Londres e Nova York, é um
dos pioneiros/fundadores do movimento conceitual nos anos 60. Realizará palestra
no Teatro Juarez Machado dia 29/08/2013. Outras 5 palestras serão ministradas no
auditório da Univille, tendo como palestrantes Paulo Herkenhoff, Walter Guerreiro,
Nadja Lamas, Alena Marmo Jahn e Letícia Mognol. Terá como público-alvo
professores da rede de ensino municipal, estadual, professores e alunos
universitários vinculados aos cursos de artes visuais, design, arquitetura,
comunicação social, entre outros, interessados em história da arte e os associados
ao Instituto Schwanke. Esses encontros tem o objetivo de formação artística,
cultural e pedagógica a fim de efetivar a transposição desses conhecimentos para o
contexto escolar. A intenção é democratizar conhecimento, atendendo em especial
o público estudantil. Dessa forma, o MAC Schwanke potencializa e cumpre sua
função educativa.
2010 / 2012
Arte Contemporânea: Produção e Curadoria
Aprovação: SIMDEC - Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura
Valor: R$ 21.352,08
Resumo: Promover discussão acerca da arte contemporânea no que diz respeito
a sua produção e relação com a curadoria e crítica de arte, assim como auxiliar
na manutenção das atividades culturais do Instituto Luiz Henrique Schwanke.
Agnaldo Farias, crítico de arte e curador da 29ª Bienal de São Paulo em 2010,
proferiu palestra sob o tema “A curadoria e o papel da crítica na
contemporaneidade” nos dias 19 e 20/08/2011. Nº de inscrições: 157 pessoas.
Em 30 de março de 2012 o Instituto Schwanke recebeu o artista plástico
brasileiro Nuno Ramos. Nuno veio à Joinville para falar sobre a sua produção
artística e o processo de criação. Nº de inscrições: 153 pessoas. Os encontros
foram realizados no auditório da reitoria da Univille (entidade apoiadora) com
duração de 06 horas cada. Houve sorteio de livros no encerramento de cada
evento. Emissão de certificados mediante 75% de presença no evento.
Palestra de Agnaldo Farias na Univille
Palestra de Nuno Ramos na Univille
2006 / 2011
Schwanke: inventário, avaliação técnica, conservação preventiva e catálogo
do acervo artístico.
Aprovação: Lei Rouanet – Mecenato Federal – PRONAC 064821
Valor: R$ 305.018,68
Resumo: Em 2008 foi realizada a adequação do espaço físico provisório cedido
por empresa da família Schwanke, que foi transformado num atelier específico
para a execução do projeto e armazenamento do acervo tratado. Foram
adquiridas mapotecas e armários de aço, equipamentos de informática e
fotografia, mobiliário, ferramentas e papéis especiais para embalagem das obras.
No início de 2009 a equipe técnica contratada inventariou o acervo em papel do
artista Luiz Henrique Schwanke, por meio do registro detalhado de cada obra em
programa específico para tal fim, cedido pelo Museu Nacional de Belas Artes do
Rio de Janeiro, fotografou, fez o levantamento do estado de conservação do
acervo, desenvolveu intervenções de conservação preventiva, por meio de
limpeza mecânica de cada obra, acondicionou o acervo em papéis de ph-neutro e
mobiliário adequado e monitorou o ambiente – temperatura e umidade relativa do
ar. Tal procedimento viabilizou o acesso de pesquisadores ao acervo e permitiu
pensar uma mostra sem manusear o acervo. O livro Schwanke: Rastros,
organizado pelo historiador e crítico de arte Walter de Queiroz Guerreiro, foi
editado pela C/Arte de Belo Horizonte e distribuído de norte e sul do país
recebendo elogios da crítica nacional pela qualidade e conteúdo. O MinC, a
Fundação Biblioteca Nacional, os patrocinadores, os museus de arte brasileiros,
críticos de arte, instituições culturais, bibliotecas, universidades com cursos de
arte e programa Arte na Escola, escolas estaduais e municipais de Joinville já
receberam o exemplar. O livro, composto por textos de 16 críticos de arte
brasileiros, 10 excertos, 1 texto do artista, 1 texto jornalístico, 6 transcrições de
entrevistas, 1 texto poético, 85 referências, 1 texto técnico sobre a conservação
das obras, 204 páginas e 174 imagens foi lançado em Belo Horizonte, Joinville
(ACIJ e Museu Nacional de Imigração e Colonização – Semana dos Museus),
Blumenau e Florianópolis. Encerramos o PRONAC 06-4821 em 30/06/2011
envaidecidos pelo resultado superior às expectativas.
Sala de restauração de obras no Instituto Schwanke
Outdoor Projeto Schwanke em Jaraguá do Sul
Lançamento do livro Schwanke Rastros
Lançamento do livro Schwanke Rastros na ACIJ em Joinville
Lançamento do Livro Schwanke Rastros no Museu Nacional de Imigração e
Colonização em Joinville
2010
Projeto Museológico MAC Schwanke
Contratação de Equipe Técnica de Museólogos para desenvolver o projeto
Museológico do Museu de Arte Contemporânea Luiz Henrique Schwanke
Aprovação: SEITEC (Secretaria de Incentivo ao Turismo, Esporte e Cultura) –
FUNCULTURAL.
Valor: R$ 16.200,00.
Resumo: Contratação da equipe técnica composta por Ana Lúcia Bérgamo,
conservadora e restauradora, bacharel em museologia (COREM 050-1) e Mirella
de Jesus Honorato, bacharel em museologia (COREM 053-1), para desenvolver o
projeto museológico do Museu de Arte Contemporânea Luiz Henrique Schwanke.
A elaboração deste projeto busca o detalhamento da estrutura de um plano
museológico compatível com a concepção, missão, acervo e espaço físico do
museu.
Contrapartida Social: Palestra “O QUE É MUSEU?”, proferida pela professora
universitária e mestre em artes visuais Alena Marmo. Para cumprir o estabelecido
foram realizadas 02 palestras no Colégio Estadual Gov. Celso Ramos em
18/11/2010. Período matutino: Cursos 3º Magistério 1 e 4º Magistério 1 = 31
alunos. Período noturno: 3º Magistério 2, 3º Magistério 3 e 4º Magistério 2 = 54
alunos. No final houve sorteio de material educativo: livros (Arte Contemporânea
em Questão), DVD (Arte Contemporânea: intervenções e encontros), apostilas e
folders.
Palestra de Alena Jahn “O que é Museu” no Colégio Estadual Gov. Celso Ramos
Em Joinville
2009
Pensar sobre a arte: Fernando Cocchiarale e Angélica Moraes
Aprovação: Edital de Apoio do SIMDEC-Sistema Municipal de Desenvolvimento
pela Cultura
Valor: R$ 11.326,00
Resumo: Realizar o curso Pensar sobre a Arte, com os críticos de arte Fernando
Cocchiarale (Rio) e Angélica Moraes (São Paulo), a partir da produção artística
brasileira na contemporaneidade e sobre a concepção de pintura expandida,
tendo como referência a obra de Schwanke. Proporcionar à alunos, professores,
interessados em história da arte e associados do Instituto Schwanke a
oportunidade de reflexão sobre a arte, com críticos de reconhecimento nacional e
internacional.
Emissão de certificado àqueles que tiveram 75% de frequência.
Número de inscrições:
107 inscritos p/curso c/Fernando - 103 inscritos p/curso c/Angélica
Participantes que devolveram a ficha de presença:
Curso Arte e Contemporaneidade – Fernando Cocchiarale: 81 pessoas
Curso Schwanke e a Pintura Expandida – Angélica Moraes: 62 pessoas
Inscrições canceladas: 18 inscrições do staff do CIC de Florianópolis (devido a
cancelamento de verba p/transporte e hotel). Pequeno número de ausências em
decorrência à incidência da Gripe A no Estado de Santa Catarina.
Palestra do crítico de arte Fernando Cocchiarale na Univille
Palestra da crítica de arte e jornalista Angélica de Moraes na Univille
2008 / 2009
Contratação de Projetos Executivos Complementares para o MAC
Schwanke
Aprovação: SIMDEC (Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura) –
Mecenato
Valor: R$ 41.593,60
Resumo: Contratar empresas especializadas para elaborar os projetos executivos
COMPLEMENTARES para a devida adequação do espaço da antiga fábrica de
Cerveja Antarctica, deixando-o em condições de instalar o Museu de Arte
Contemporânea Luiz Henrique Schwanke. Projetos: Sistema de Climatização,
Estruturas Metálicas, Sondagem do Solo, Memorial da Cervejaria Catarinense.
Criação de catálogo informativo em PowerPoint com a proposta de manutenção
do MAC e imagens do projeto arquitetônico.
Plantas do projeto do Mac Schwanke
Plantas do projeto do Mac Schwanke
Plantas do projeto do Mac Schwanke
Animação gráfica do MAC Schwanke
2008 / 2009
Arte Contemporânea: Intervenções e Encontros
Aprovação: SIMDEC (Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura) –
Mecenato
Valor total: R$ 41.931,46
Resumo: Realizar 05 intervenções artísticas, acompanhadas de encontro e
oficina com o (a) artista selecionado (a) (Edital de Seleção 2008), junto ao espaço
do Museu de Arte Contemporânea Luiz Henrique Schwanke, na Cidadela Cultural
Antarctica, em Joinville-SC, no ano de 2008.
Resultado: Criação de vídeo-documentário (DVD) com intuito didático de
aproximar o grande público dos conceitos utilizados na arte contemporânea
presentes na produção artística atual.
Número de Visitantes que assinaram o livro: 2.344 (dois mil trezentos e quarenta
e quatro) pessoas.
Exposição TUDO - Sérgio Adriano
Exposição Céu no Chão – Letícia Cardoso
13/14/15 dezembro de 2007 – 4ª Mostra Latino-Americana de Artes Visuais –
Vento Sul: curso e seminário em Joinville
Aprovação: SIMDEC (Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura) –
Edital de Apoio as Artes 2007
Valor total R$ 11.242,99
Valor pleiteado R$ 8.883,99
Resumo: Mesa redonda: Tema “narrativas contemporâneas” com os críticos de
arte Fernando Cocchiarale (Rio de Janeiro e Tício Escobar (Assunção –
Paraguai)
Local: Sala de cinema – Cidadela Cultural Antarctica
Curso: “Quem tem medo de arte contemporânea” com Fernando Cocchiarale.
Local: Anfiteatro II da Univille
Nº de inscrições: 53 - Participantes: alunos universitários, professores, críticos de
arte e associados do Instituto Schwanke.
Curso “Quem tem medo de arte contemporânea”, com Fernando Cocchiarale na
Univille.
Curso com Fernando Cocchiarale na Univille
2006 / 2007
Contratação de Projetos Executivos para o MAC Schwanke
Aprovação: SEITEC – FUNCULTURAL – PTEC 1138-057
Valor: R$ 125.000,00
Contrapartida: R$ 25.000,00 Instituto Schwanke
Resumo: Contratar empresas para elaborar os projetos executivos de adequação
da antiga fábrica da Antarctica, em Joinville (SC), para instalação do Museu de
Arte Contemporânea Luiz Henrique Schwanke.
Projetos: Arquitetônico, Elétrico, Hidro-sanitário, Estrutural, Luminotécnico
Interno, Gráfico.
Criação de pasta para apresentação e divulgação do projeto arquitetônico do
MAC SCHWANKE, incluindo as plantas baixas.
Maquete virtual MAC Schwanke
2005 / 2006
Substituição de Peças das Obras de Luiz Henrique Schwanke
Aprovação: SEITEC – FUNCULTURAL – PTEC 234/052
Valor: R$ 13.487,50
Contrapartida: R$ 2.697,50 Instituto Schwanke
Resumo: Substituir as peças plásticas deterioradas (baldes, bacias, mangueiras,
maletas e outros utensílios) das esculturas do artista plástico Luiz Henrique
Schwanke, por novas peças, especialmente injetadas na mesma fábrica onde
foram produzidas as peças originais, com tratamento especial contra raios
ultravioleta. Substituir as peças estruturais (tubos galvanizados) das obras com
colunas e bacias plásticas.
A realização deste projeto proporcionou o retorno deste acervo às exposições.
Escultura de Schwanke c/bacias do projeto recuperação de obras.
Exposição do Salão de Arte Contemporânea Luiz Henrique Schwanke na Galeria
Marta Traba no Memorial da América Latina – São Paulo
2005 / 2006
Arte Contemporânea em Questão
Data: 2005 a junho de 2006 – Trabalho voluntário - 11 palestras - 1.161
participantes.
Aprovação: SIMDEC – Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura –
Edital de Apoio
Valor: R$14.997,80 - Julho a dezembro 2006 – 09 palestras – 798 participantes.
Resumo: Realizar a segunda etapa do Seminário Arte Contemporânea em
Questão, composto de um conjunto de palestras mensais com profissionais de
diferentes linguagens artísticas, articuladas com a arte contemporânea.
Resultado: Edição do livro Arte Contemporânea em Questão, distribuído às
escolas municipais de Joinville, universidades com curso de artes visuais,
bibliotecas e entidades culturais.
Emissão de certificado àqueles que tiveram 75% de presença no seminário.
Lançamento do livro Arte Contemporânea em Questão na sala de cinema da
Cidadela Cultural Antarctica
Instituto Luiz Henrique Schwanke – CNPJ 05.913.091/0001-70
Lei nº 5.195 Utilidade Pública Municipal , 26/04/05 / Lei nº 13.610 Utilidade Pública Estadual, 05/12/05
Lei nº 5.476 Permissão de Uso do prédio da Cervejaria Antarctica
Rua XV de Novembro, 1400, América, 89.201-602 Joinville, SC – Fone: (47) 9119-3680