info-mar-abril-2013

Сomentários

Transcrição

info-mar-abril-2013
I n fo
Deutschland
Alemanha/2013
Ano 003
Freiburg/Handrup/Berlin
MAR/ABR-2013
Nº 005
BRASILEIROS NA ALEMANHA
Mais um encontro com
os jovens alemães que
irão para o EJD em Taubaté e a JMJ no Rio de
Janeiro em julho deste
ano.
Fr. Maximiliano Cândido,scj
«Para mim, as duas grandes guerras mundiais não estão
mais somente nas folhas dos livros, mas sim, nas ruas
por onde passo e no olhar de algumas pessoas»
«Ide e fazei discípulos
entre todas as nações»
(Mt. 28,19)
Pág. 02
Pág. 05
Sehnsucht
statt Hoffnung
ESPECIAL
Pág. 03/04
Berlim
(Saudades ao invés de Esperança)
Padre
Przemyslaw
Bukowski
Ginásio
Leoninum
Um pouco sobre
Handrup...
«Podemos nos
perguntar:
o que nos espera?
Qual é a nossa
esperança?
O que deve mudar
em nós?»
Pág. 01
Pág. 06
Michael inicia o
Postulantado
na Província Alemã
Pág. 05
Fratres ajudam no
Night Fever em
Freiburg
Pág. 06
I n f o - D e u t s c h l a n d
Alemanha/2013
Editorial
Jesus ressuscitou, aleluia,
pois, Ele está no meio de nós.
Nós, religiosos brasileiros que
estamos na Alemanha,
desejamos a todos vocês,
leitores do Info-Deutschland
um santo tempo pascal. Nesta
nova edição de número 5,
inovamos o nosso informativo
por meio do convite feito ao
Padre Przemyslaw, para
expor seu pensamento sobre
a situação da Igreja Católica
na Europa. Agradecemos a
disponibilidade dele. Você
verá também nesta edição um
«Especial Berlim», uma vez
que esta, é a nova
comunidade da Província
Alemã. Além disso, você terá
acesso ao trabalho dos
religiosos que estão no
Ginásio Leoninum em
Handrup, a participação dos
Fratres junto ao movimento
Night Fever, a preparação dos
jovens para o EJD e JMJ e a
admissão do novo postulante
M i c h a e l . P o r f i m , F r.
Maximiliano nos escreve
sobre sua experiência em um
país que transmite história de
uma guerra ao longo do dia-adia. Agradecemos a todos os
nossos leitores e ainda
aguardamos a sua visita em
nosso blog. Lembrando que,
você, leitor, pode contribuir
com nosso trabalho por meio
do nosso e-mail. O que você
gostaria de saber sobre a
missão dos religiosos
brasileiros que estão na
Alemanha? Continuemos
encurtando nossas
distâncias. Boa leitura e até a
próxima!
Fr. Rarden Pedrosa, scj
Diagramação: Fr. Rarden Pedrosa,scj
Revisão: Pe. Ricardo Diniz,scj
Autores: Religiosos Brasileiros na Província Alemã
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
SAUDADES AO INVÉS
DE ESPERANÇA
O rosto da Igreja Católica
e da Fé na Europa
N
a Europa encontram-se as fontes de nossa fé
católica cristã. A Palestina pertence à Ásia,
porém Roma ao Vaticano... tudo isso já nos
pertence. Isso significa também, que a Igreja,
desde o princípio, marcava presença neste
continente e ali pode crescer. Porém, apesar disso,
a situação da fé e da Igreja aqui, hoje, voltou a ser
difícil.
Não podemos dizer que a Europa tenha medo
diante da Igreja ou que sinta ódio dela. Tem-se a
impressão de que a Igreja sempre, já desde o
princípio, tinha uma influência sobre a Europa. A
meu ver, não se pode pensar a Europa de hoje sem
tais influências do Cristianismo.
Muitos costumam dizer hoje: “A Europa já se
cansou do Cristianismo”. Penso ser justamente
esta a razão da crise de fé na Europa. Porém, esta
crise não significa que os europeus não queiram
mais crer, mas, sim o fato de não conseguirem
mais crer como creram no passado. Não se trata
portanto de uma crise da fé em si, mas sim, da
interpretação que se faz dela. Talvez a Igreja atual,
presente neste continente, ainda não tenha
encontrado o método apropriado, para se
estabelecer e encontrar a sua posição em meio à
sociedade modernizada.
Poderíamos perguntar: “o que nos espera?” “Qual
é nossa esperança?” “O que deve mudar em nós?”
São grandes interrogações, que também a Igreja
na Europa se faz neste ano atual da fé.
Pessoalmente penso que não é a fé em si ou a
Igreja na Europa que tem problemas. Muito mais
são aqueles, que não encontram na Igreja ou na fé,
o que lá procuram e necessitam para a sua vida.
Uma dica e possível resposta que eu vejo: Os
europeus hoje já não têm o anseio de voltar às
fontes de sua fé e da Igreja, porém eles têm a
grande esperança, de que a sua fé e a sua Igreja
possam oferecer-lhes algo vivo hoje, algo que
responda aos seus anseios mais profundos.
Pág. 01
Padre Przemyslaw
Bukowski
Padre Przemyslaw
Bukowski tem 32
anos e é natural de
Szczucyn, Polônia.
Foi ordenado
sacerdote no dia 26
de maio de 2007.
Como vigário
trabalhou os três
primeiros anos em
uma Paróquia na
cidade de Lublin,
Polônia. Após este
trabalho foi para
Freiburg, com o
objetivo de realizar
seu Mestrado em
Filosofia, lugar
onde até hoje
trabalha e estuda.
Confira o texto no original
Pág. 10
Tradução de
Pe. Márcio Auth,scj
Alemanha/2013
I n f o - D e u t s c h l a n d
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
Visita aos lugares das Guerras Mundiais
Após alguns meses na Alemanha tive a oportunidade de
conhecer alguns lugares onde aconteceram batalhas das
duas grandes guerras mundiais – (1914-1918) e (19391945). Quando nós estudamos história na escola,
especificamente as duas grandes guerras mundiais, logo
nos chamam a atenção várias particularidades como a
figura de Hitler, a Alemanha nazista, os campos de
concentração, o massacre dos judeus e o desejo de
Hitler, de tornar Berlim a capital do mundo. Ficamos
curiosos, olhamos as fotos atentamente, nos
questionamos sobre as razões de tais guerras,
decoramos datas importantes dos acontecimentos deste
período, damos asas para a imaginação e assim
compreendemos um pouco da razão deste triste fato da
história. Porém, pisar neste solo de guerra, que no
passado foi muitas vezes banhado por sangue, é uma
experiência ímpar. Enquanto eu lia nos livros, estudava
com os amigos e questionava os professores sobre os
acontecimentos das guerras, minha visão se limitava as
referências dos livros. Entretanto, agora que visitei
lugares históricos, como por exemplo: museus de
guerras onde pude ver artefatos utilizados em campos de
batalhas, pontos de batalhas sangrentas e campos de
concentração, posso dizer que minha visão sobre o que
foi realmente a guerra, com certeza, não são mais as dos
livros. Um dos primeiros lugares de guerra que visitei e o
que mais me marcou até agora foi o campo de
concentração “Natzweiler-Struthof” na França. Fui com
mais quatro religiosos. Quando chegamos ao campo
pairava no ar uma atmosfera triste, respeitosa e
meditativa. O campo se localiza num lugar afastado e
calmo. Assim que chegamos, já vimos a entrada do
campo toda feita de madeira e arame farpado por todos
os lados. Em seguida observamos outros pontos como:
as torres de vigilância, os pátios, os galpões, os vários
níveis de cercas de arame farpado. Todavia, o que mais
me chamou a atenção não foram estes pontos. Nada me
deixou mais meditativo neste dia do que o crematório, a
câmara de gás e a bancada de tortura. O sentimento foi
tão forte quando entrei na câmara de gás, que aquilo não
parecia ter acontecido de verdade e que não podia
acreditar que pessoas passaram por tamanha
atrocidade. Depois visitamos uma sala preparada para
execução de prisioneiros, onde o ralo está bem no centro
e o piso é todo inclinado para uma limpeza rápida do
sangue do executado. Triste e lamentável foi o
holocausto de seres humanos. Este é um momento
daqueles que as palavras não expressão os sentimentos.
Tudo isso é um pouco da triste parte da história e dos
períodos de guerras, que tive o privilégio de conhecer.
Contudo, pisar, tocar e ver todos esses lugares
possibilitou ir além dos conhecimentos dos livros de
história, sobre as duas grandes guerras mundiais, e
colocou-me, de fato, nos lugares históricos. Por exemplo,
a cidade onde moramos, Freiburg, foi quase toda
destruída. Restou somente a catedral gótica, de mais de
700 anos, e, algumas casas. Para mim, as duas grandes
guerras mundiais não estão mais somente nas folhas dos
livros, mas sim, nas ruas por onde passo e no olhar de
algumas pessoas que até então tive a oportunidade de
conhecer.
Pág. 02
Fr. Maximiliano Cândido,scj
Alemanha/2013
I n f o - D e u t s c h l a n d
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
Especial Berlim
No dia 16 de fevereiro, com missa presidida pelo arcebispo de Berlim Rainer Maria cardeal Woelki, foi
abençoado o nosso convento. Às 10 horas da manhã de um frio sábado do inverno europeu a igreja Mater
Dolorosa situada na Greifswalder Strasse, 18 A, estava completamente lotada. Membros da comunidade
local, da paróquia Corpus Christi e da comunidade de língua portuguesa vieram prestigiar esse histórico
acontecimento. O coro da paróquia Corpus Christi e o coro da comunidade de língua portuguesa
abrilhantaram a liturgia. Mais de 40 religiosas marcaram presença, dentre elas 3 superioras Gerais, 2
provinciais e várias superioras de comunidades. Mais de 30 padres concelebraram a missa. Da parte dos
nossos confrades estiveram presentes: Dom Teemu Sippo scj, bispo da Finlândia; Pe. John van den
Hengel, conselheiro geral; Pe. Heiner Wilmer, provincial da GER; Pe. Sebastião Pitz, representante do
provincial da BSP; Pe. Salomon, representante do provincial da Polônia; Pe. Cinal, representante do
superior da ACR; 8 confrades da Polônia; Pe. Ricardo Diniz e outros confrades da GER. Da parte do
arcebispado de Berlin tivemos a presença do Prelado Tobias Przytarski, Vigário Geral; Prelado Stefan
Dyboswski, coordenador de pastoral; Monsenhor Hans-Jürgen Günther “Personalchef”; Dr. Monsenhor
Hoefs, responsável pelos religiosos; o Padre secretário do núncio apostólico que acompanhava
D. Teemu e outros padres que atuam nas paróquias vizinhas. Ao término da missa o Cardeal
rezou a oração de bênção do convento e fomos numa restrita comitiva aspergir os cômodos
de nossa casa, situados no 4º andar da construção anexa à Igreja. Então nos reunimos com
todos os nossos convidados para a recepção (espumante, sucos e uma apetitosa sopa de
carnes, na Alemanha chamada de “Gulasch”) no salão nobre da escola. Lá discursou o
conselheiro geral e o superior provincial. Em nome da comunidade religiosa local, eu, como
reitor, agradeci a todos os que estavam presentes. Pela graça de Deus e o trabalho da nova
comunidade as repercussões foram as melhores possíveis, o que nos deixou muito
satisfeitos.
«Uma comunidade com coração no coração de Berlim»
Padre Tarcísio Feldhaus: Superior da Comunidade Religiosa em Berlim
Pág. 03
Alemanha/2013
Padre Markus Mönch
natural da Alemanha
é Pároco da Paróquia
Alemã
I n f o - D e u t s c h l a n d
Padre Márcio Auth
natural do Brasil é
Vigário Paroquial na
Paróquia Alemã e
Portuguesa
Padre Ryszard Krupa
natural da Polônia é
responsável pelos
estrangeiros em
Berlim
Pág. 04
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
Padre Wladyslaw
Mach é Capelão em
um Hospital
(Unfallklinik) em
Berlim
Alemanha/2013
I n f o - D e u t s c h l a n d
Novo Postulante na Província Alemã
No dia 31 de março às 18h00 na
Capela principal do Convento de
Freiburg realizou-se a Admissão ao
Postulantado do candidato Michael
Zkmeläwfki. Ele é natural da Polônia e
tem 37 anos. A celebração foi presidida
pelo Superior da Comunidade, Padre
Konrad Flatau, e concelebrada pelo
Mestre de Postulantes e Noviços,
Padre Heinz Lau. Estiveram também
presentes os Fratres estudantes e
leigos da Comunidade. Padre Konrad
ressaltou a importância do carisma
dehoniano e de Padre Dehon nos
tempos atuais. Após um ano de
preparação, ele foi acolhido ao
Postulantado, que é a primeira etapa
para o ingresso no noviciado.
Desejamos a ele uma ótima e firme
caminhada.
«A Província Alemã está se preparando para a
Jornada Mundial da Juventude e para o
Encontro da Juventude Dehoniana em
julho deste ano no Brasil. Portanto,
já foram realizados dois encontros
preparativos para os Jovens que
irão para o Brasil. A expectativa é
grande! Além disso, todos os jovens
alemães se reunirão entre os dias 27,
28 e 29 de maio, no Convento de Maria
Martental para um último encontro geral
antes da viajem, no qual será feito
uma apresentação cultural sobre o Brasil»
Os jovens alemães estarão «dentro»
do EJD em Taubaté e da JMJ no Rio
de Janeiro».
Pág. 05
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
Alemanha/2013
I n f o - D e u t s c h l a n d
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
Ginásio Leoninum
em Handrup
A grade curricular do Ginásio
Leoninum contém uma disciplina
chamada Religião. Junto com esta
disciplina está o trabalho
desenvolvido por nós brasileiros que
aqui estamos: Padre Demetrius,
Padre Ricardo e Fr. Rarden.
Formamos uma equipe que se ocupa
pela área espiritual, litúrgica e
religiosa de todo o Colégio. Sempre
trabalhamos em conjunto com todos
os professores da disciplina de
religião, além disso, estamos sempre
presentes juntos aos outros
professores e funcionários no dia-adia do Colégio. Uma das atividades
realizada por nós chama-se:
Besinnungstag, ou seja, um encontro
de um dia voltado para uma
determinada classe. As atividades
feitas neste dia são: oração,
dinâmicas, brincadeiras, partilha de
temas, ajuda mútua nos trabalhos e
esporte. Um momento importante
para conhecer-mos mais de perto os
alunos do nosso Ginásio.
Padre Demetrius, Padre Ricardo e Fr. Rarden
Night Fever, um movimento que surgiu após a
Jornada Mundial da Juventude no ano de 2005
em Colônia. Jovens que se encontram durante
a noite para celebrarem a missa e após a
Santa Eucaristia se reúnem para adorarem
Jesus na Hóstia Santa,com o objetivo de
convidar pessoas, que neste momento
passam ao redor da Igreja, para orarem por
alguns minutos. «Posso te dar uma vela de
presente?» Esta é a pergunta que se faz na
porta da Igreja. «Para que?» Para que você
possa ascendê-la dentro da Igreja. Assim,
quando a pessoa entra na Igreja, ela se depara
com um ambiente convidativo para a oração. A
cena mais interessante de observar, é quando
a pessoa tem que caminhar todo o corredor
central da Igreja e ascender a vela no
presbitério, enquanto caminha ela troca os
olhares com o Cristo exposto no Santíssimo
Sacramento. Participar do Night Fever é um
forte momento de aprendizado, de fato um
revigoramento da fé. Muitas pessoas que são
convidadas dizem que agora não tem tempo,
ou que estão indo para outra direção, ou que
irão encontrar com uma pessoa e não podem
parar. O meu questionamento pessoal é:
«Será que nem por um minuto?» O movimento
está invadindo a Europa e se espalhando pelo
mundo. Já são mais de 45 cidades na Europa
que realizam o Night Fever e no dia 28 de
outubro de 2012 foi a primeira vez que
aconteceu em São Paulo. Jovens que se
unem para evangelizar e convidar as pessoas
para rezarem. Quem sabe você não escutará
um dia esta pergunta: «Posso te dar uma vela
de presente?»
Pág. 06
Fr. Rarden Pedrosa
Alemanha/2013
I n f o - D e u t s c h l a n d
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
Visita aos lugares das Guerras Mundiais
Local para realização de experiências
Entrada do Campo
Janela do
alojamento
Forno para cremação
Alojamento
e Cremação
Cemitério
em homenagem
Pág. 07
Alemanha/2013
I n f o - D e u t s c h l a n d
Preparação para o EJD e a JMJ
JULHO/2013
Besinnungstag (Encontro com a 5ª série)
Pág. 08
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
Alemanha/2013
I n f o - D e u t s c h l a n d
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
Visita do Bispo de Moçambique
Após o Encontro dos Bispos
Dehonianos em Roma, o
Excelentíssimo Sr. Bispo de
Nampula, Moçambique,
Dom Tomé Makhwéliha
realizou uma visita à
Comunidade de Freiburg
para falar sobre a situação
da Arquidiocese do
Moçambique.
Fratres no Night Fever - Freiburg
Pág. 09
Alemanha/2013
I n f o - D e u t s c h l a n d
Ano 03
Nº 005
Freiburg/Handrup/Berlin
Sehnsucht statt Hoffnung
Wie die katholische Kirche und der Glaube in Europa aussehen
In Europa gibt es die Quellen unseres katholischen Glaubens. Palästina gehört zwar zu
Asien, aber Rom, Vatikan… das alles gehört schon zu uns. Das heißt auch, dass die
Kirche von Anfang an auf diesem Kontinent war und hier wachsen konnte. Heute ist die
Situation des Glaubens und der Kirche hier trotzdem wieder schwierig.
Es ist nicht so, dass Europa Angst vor der Kirche hätte oder einen Hass gegen sie
empfindet … Es scheint, dass die Kirche schon immer, von Anfang an, auf Europa
einen Einfluss hatte. In Europa kann man, denke ich, ohne solche Einflusse vom
Christentum, nicht bewusst leben.
Heute sagen manche öfter: „Europa ist schon wieder müde vom Christentum“.
Deswegen denke ich, dass „der europäische Glaube“ eine Krise erlebt. Aber die Krise
besteht nicht darin, dass Europäer nicht mehr glauben wollen, sondern darin, dass sie
nicht mehr so glauben können, wie bis her. Also ist es eigentlich keine Krise des
Glaubens selber, sondern wie man sich den Glauben vorstellt. Vielleicht hat die heutige
Kirche auf dem Kontinent keine gute neue Methode gefunden, mit der sie in der
modernen Gesellschaft umgehen könnte.
Man kann die Fragen stellen: „was kommt?“, „was soll eigentlich kommen?“, was soll
in uns geändert werden, damit wir anders glauben können?“ Das sind großen Fragen,
die auch die Kirche in Europa im aktuellen Jahr des Glaubens sich stellt. Ich persönlich
denke, dass nicht der Glaube selber oder die Kirche in Europa Probleme haben,
sondern die, die in der Kirche oder im Glauben nicht das finden können, was sie da
finden sollten. Ein Tipp dazu kann vielleicht sein, dass Europäer nicht mehr Sehnsucht
nach den Quellen ihres Glaubens und der Kirche haben, sondern Hoffnung darauf,
dass ihr Glaube und ihre Kirche noch etwas lebendiges ihnen zu empfehlen hat.
Padre Przemyslaw Bukowski, scj
Acesse o nosso BLOG
www.inffodeutschland.blogspot.com
[email protected]
Pág. 10

Documentos relacionados