Fundo de Pensões

Сomentários

Transcrição

Fundo de Pensões
Fundo de Pensões
FPARA
Relatório Financeiro 2008
VICTORIA Seguros de Vida, S.A.
Edifício VICTORIA – Av. da Liberdade, 200 1200-147 LISBOA – Portugal
www.victoria-seguros.pt
ÍNDICE
ÍNDICE
2
1. EVOLUÇÃO DA ECONOMIA INTERNACIONAL EM 2008
3
2. RESUMO DA AVALIAÇÃO FINANCEIRA E RENTABILIDADE OBTIDA
5
3. VALORIMETRIA, AUDITORIA E SUPERVISÃO
5
4. EVOLUÇÃO DO FUNDO
6
5. ACTIVIDADE DO FUNDO
6
6. ALOCAÇÃO DE ACTIVOS E POLÍTICA DE INVESTIMENTOS
7
7. PERSPECTIVAS E RECOMENDAÇÕES PARA 2009
8
ANEXO 1 – COMPOSIÇÃO DETALHADA DA CARTEIRA EM 31-12-2008
9
ANEXO 2 – CÁLCULO DA RENTABILIDADE DO FUNDO
10
ANEXO 3 – MOVIMENTOS DE TÍTULOS
11
-2-
1. EVOLUÇÃO DA ECONOMIA INTERNACIONAL EM 2008
A crise do Subprime, iniciada no ano anterior, evoluiu em 2008 para uma grave crise de crédito, abalando
seriamente o sistema financeiro e arrastando a economia mundial para uma das mais graves recessões do
período pós-guerra. A queda acentuada no preço de acções enfraqueceu o balanço das instituições
financeiras, levando-as a reduzir a concessão de crédito. A liquidez praticamente desapareceu dos
mercados financeiros, obrigando muitos investidores a vender com grande desconto variados instrumentos
de crédito. O aumento do custo de crédito, colocou as principais economias em recessão e lançou o pânico
nos mercados financeiros. Os mercados accionistas, de obrigações corporate e de commodities registaram
perdas acentuadas, em contraste com o mercado de Dívida Pública, eleito mercado refúgio. Os Bancos
Centrais e governos da maior parte dos países com sistema financeiro desenvolvido foram obrigados a
intervir para suportar as instituições financeiras. Além da descida das taxas de juros, foram aprovados
planos de suporte directo a instituições financeiras
em dificuldades e linhas de crédito especiais para
Mercados Accionistas
assegurar a manutenção da sua actividade.
100
90
A economia americana registou em 2008 uma
80
queda no crescimento económico de 2,0% para
70
1,3%. A inflação devido aos efeitos nefastos do
60
preço petróleo subiu para 3,8% (2,9% em 2007). A
50
crise económica foi-se adensando ao longo do ano,
EuroStoxx50
S&P 500
Nikey
Dez-08
Nov-08
Out-08
Set-08
Ago-08
Jul-08
Jun-08
Mai-08
Abr-08
Mar-08
Fev-08
Jan-08
Dez-07
40
principalmente
devido
à
redução
de
crédito
disponível e consequente impacto na procura. A
PSI20
Reserva Federal desceu as taxas de juro de 4,25%
para apenas 0,25%.
Na Europa o crescimento económico abrandou de
Curva de Rendimento Alemã e Taxas Euribor
5,25
2,6% para 1,2%. A inflação subiu 3,3%, também
0,0
em resultado da escalada do preço do petróleo que
4,75
-50,0
4,25
assistimos no início do Verão. O Banco Central
3,75
-100,0
Europeu, preocupado com a possibilidade de uma
3,25
-150,0
2,75
2,25
subida descontrolada no nível de preços subiu as
-200,0
taxas de juro em Julho para 4,25%, porém, à
-250,0
medida que a crise de crédito atingia a Zona Euro,
1,75
Variação
31-12-2008
30yr
20yr
15yr
10yr
9yr
8yr
7yr
6yr
5yr
4yr
3yr
2yr
1yr
Eur 6m
Eur 3m
1,25
o BCE desceu as taxas de juro em 1,75% para
2,5%.
31-12-2007
Portugal, como economia fortemente dependente do sector exportador e com um nível de endividamento
bancário elevado, foi também afectado pela crise. O crescimento do Produto Interno Bruto desceu de 1,9%
-3-
para apenas 0,3%, adiando uma vez mais o processo de convergência com a economia europeia. A
inflação subiu ligeiramente de 2,5% para 2,6%.
A perspectiva de uma recessão a nível mundial e procura pelos investidores de um activo sem risco,
contribuíu para uma descida acentuada nos yields da Dívida Pública. O rendimento das obrigações a 10
anos da Dívida alemã desceu de 4,31% para 2,95% no final do ano. O índice de Obrigações de Dívida
Pública (EFFAS EuroMarket Tracker All > 1 yr Total Return) valorizou-se mais de 9%. O mercado de Dívida
de Empresas foi fortemente penalizado pela crise. A fragilidade de muitas instituições financeiras, e uma
crescente aversão ao risco levaram à subida generalizada dos spreads: o índice Merrill Lynch Global Broad
Market Corporate EUR registou uma quebra de 4,7% em 2008.
Em 2008, os mercados accionistas apresentaram rentabilidades fortemente negativas, anulando os ganhos
acumulados desde meados de 2003. O índice DJ EuroStoxx 50 desceu 44,8% enquanto o índice nacional
PSI-20 cedeu 51,3%. Nos Estados Unidos as
quedas do S&P 500 e do tecnológico Nasdaq
Câmbio Euro-Dólar
Composite
1,65
foram
de
38,5%
e
de
40,5%
1,60
respectivamente. O índice japonês Nikkei 225
1,55
sofreu uma quebra de 42,1%.
1,50
1,45
1,40
O preço do petróleo manteve a trajectória de
1,35
subida até dia 11 de Julho, aproximando-se da
1,30
Dez-08
Nov-08
Out-08
Set-08
Ago-08
Jul-08
Jun-08
Mai-08
Abr-08
Mar-08
Fev-08
data, os efeitos da crise económica e o fim da
Jan-08
barreira dos 150 dólares por barril. A partir dessa
1,20
Dez-07
1,25
especulação, levaram a uma queda de 70% do
preço do Ouro negro até ao final do ano.
O enfraquecimento da economia americana e a
Petróleo Brent (preço em dólares)
perspectiva da redução de taxas de juro pela
150,0
Reserva
130,0
apreciação da moeda europeia face ao dólar, que
110,0
atingiu mínimos históricos em meados do ano. A
90,0
Federal,
contribuíram
para
uma
partir de Julho, a redução no diferencial de taxas
70,0
e as perspectivas menos positivas para a
50,0
economia europeia, levaram a uma recuperação
Dez-08
Nov-08
Out-08
Set-08
Ago-08
Jul-08
Jun-08
Mai-08
Abr-08
Mar-08
Fev-08
Jan-08
Dez-07
30,0
do dólar. O Euro acabou por fechar o ano a
transaccionar nos 1,40 dólares/euro, face a 1,46
no final do ano transacto.
-4-
2. RESUMO DA AVALIAÇÃO FINANCEIRA E RENTABILIDADE OBTIDA
Em 31 de Dezembro de 2008, a composição do Fundo por classes de activos era a seguinte:
Classe
Valor em Carteira
Títulos de Rendimento Variável
Acções
Unidades de Participação em Fundos de Investimento Mobiliários
Unidades de Participação em Fundos de Investimento Imobiliário
Títulos de Rendimento Fixo
Dívida Pública
Outros Emissores Públicos
Outros Emissores
Aplicações de Curto Prazo
Depósitos a Prazo
Liquidez
Valores Diferidos e/ou Pendentes de Regularização
523.777,50
2.840,49
450.085,05
70.851,96
1.715.783,99
1.076.970,19
638.813,80
70.477,03
70.477,03
Total
-
1.991,32
2.308.047,20
No Anexo 1 é apresentada a informação detalhada dos activos do Fundo a 31 de Dezembro.
A rentabilidade anualizada do Fundo foi em 2008 de -13,34% (medida através da variação da Unidade de
Participação).
O Anexo 2 a este relatório inclui o apuramento da rentabilidade atrás referida.
3. VALORIMETRIA, AUDITORIA E SUPERVISÃO
Os activos que compõem a carteira do Fundo são avaliados ao seu valor actual, através do seu valor de
mercado (cotação), ou na inexistência deste, através do seu Fair Value (ou justo valor) determinado pelo
sistema Bloomberg.
As contas do Fundo foram devidamente auditadas pela KPMG.
A informação relativa à actividade do Fundo, foi de acordo com a legislação em vigor, enviada ao I.S.P. –
Instituto de Seguros de Portugal, entidade encarregue da supervisão da actividade.
-5-
4. EVOLUÇÃO DO FUNDO
A evolução do Fundo ao longo do ano é apresentada no seguinte quadro:
Valor do Fundo em 31-12-2007
1.588.965,05
Acréscimos ao Valor do Fundo
1.797.239,55
Contribuições
Rendimentos
Ganhos na Alienação e Reavaliação
Outras Receitas
1.640.674,24
146.030,79
10.534,52
-
Decréscimos ao Valor do Fundo
1.078.157,40
Reembolsos
Comissões de Gestão, de Depósito
Outras Taxas e Impostos
Perdas na Alienação e Reavaliação
Outras Despesas
585.332,30
41.637,51
174,86
449.010,79
2.001,94
Valor do Fundo em 31-12-2008
2.308.047,20
5. ACTIVIDADE DO FUNDO
Durante o ano de 2008, o Fundo registou em termos globais uma entrada superior a 1 milhão euros. A
discriminação das Entradas e Saídas do Fundo estão espelhadas no quadro abaixo:
Entradas
1.640.674,24
Contribuições
Outras Receitas
1.640.674,24
629.146,61
Saídas
Reembolsos
Comissões de Gestão, de Depósito
Outras Taxas e Impostos
Outras Despesas
585.332,30
41.637,51
174,86
2.001,94
1.011.527,63
Entregas Líquidas
-6-
6. ALOCAÇÃO DE ACTIVOS E POLÍTICA DE INVESTIMENTOS
De acordo com a estratégia de investimento definida para 2008 e tendo em conta a evolução dos mercados
ao longo do ano, a composição da carteira no final do ano era a seguinte:
Composição da Carteira
M ercado M o netário
3,0%
Fundo s de
Investimento
Imo biliário s
3,1%
Fundo s de
Investimento em
Acçõ es
19,5%
Obrigaçõ es de Taxa
Fixa
36,0%
Acçõ es
0,1%
Obrigaçõ es de Taxa
Variável
38,4%
As principais classes de activos do Fundo são as seguintes:
o
O investimento no mercado accionista era no final do ano de aproximadamente 20%. As
aplicações são efectuadas em fundos de fundos internacionais, ETF (Exchange Trade Funds)
sobre o DJ Eurostoxx 50 e títulos cotados no mercado nacional;
o
O investimento no mercado de obrigações foi repartido em activos de reduzido risco de taxa
de juro e de crédito, através da selecção de obrigações de rendimento variável e títulos de
Divida Pública de Estados soberanos. O investimento nesta classe de activos era a 31 de
Dezembro de 75%. A Duração Modificada do Fundo, considerando a carteira na sua
totalidade era no final de 2008 de 2,77%;
o
O investimento no mercado imobiliário correspondeu a 3,07% do valor dos activos do Fundo e
foi efectuado através da aquisição de unidades de participação do fundo de investimento
imobiliário:
-7-
Vision Escritórios: Foi lançado em 1999 e tem como objectivo o investimento em
espaços de escritório em zonas prime da cidade de Lisboa. Em 2008 obteve uma
1
rentabilidade de -1,30% (3,18% em 2007);
Norfin Ibéria: Investe no espaço geográfico da Península Ibérica, seleccionando
espaços prime com diferentes características (escritórios, logística e retalho). O
2
fundo foi lançado em 2006 e obteve em 2008 uma rentabilidade -14,54% (5,72%
em 2007);
o
As aplicações de curto prazo a 31 de Dezembro de 2008, cerca de 3% do valor total dos
activos do Fundo;
Qualidade de Crédito da Carteira de Obrigações
Distribuição Geográfica da Carteira de Acções
BBB
5,8%
20,7%
AA A
6,7%
0,0%
23,0%
P o rtugal
França
2,3%
A lemanha
A
55,9%
1,5%
P aíses B aixo s
Itália
0,0%
Espanha
Irlanda
B élgica
Finlândia
10,4%
AA
31,6%
24,2%
Outro s
10,9%
7,1%
7. PERSPECTIVAS E RECOMENDAÇÕES PARA 2009
De acordo com a estratégia de investimento delineada, considerando o modelo de programação e as
perspectivas para a evolução dos mercados monetários financeiros em 2009, propõe-se a seguinte
alocação:
o
Não aumentar o risco de crédito do Fundo e na medida que exista alguma recuperação
neste mercado, reduzir a concentração no sector financeiro de covered bonds;
o
A duração do Fundo poderá ser aumentada, apenas mediante a definição em Comité de
um Stop-loss de perda máxima;
o
A exposição ao mercado accionista não deverá ser aumentada até que o mercado
apresente sinais de recuperação sustentada;
1
2
Fonte: Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. A rentabilidade inclui o reinvestimento dos dividendos.
Fonte: Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM)
-8-
ANEXO 1 – COMPOSIÇÃO DETALHADA DA CARTEIRA EM 31-12-2008
-9-
ANEXO 2 – CÁLCULO DA RENTABILIDADE DO FUNDO
Evolução do Valor da Unidade de Participação (ano de 2008):
- 10 -
ANEXO 3 – MOVIMENTOS DE TÍTULOS
Data
Título
Qtd / Montante
Preço
Valor
Compra Obrigações
15-03-2007
17-05-2008
18-05-2007
29-05-2007
25-07-2007
25-07-2007
28-11-2007
13-12-2007
KBC Float 02/11
HAA Float 11/11
NBSS Float 05/10
LBBER Float 03/10
BPE Float 2008
AYTCED Float 15
Belgium Float 06/11
Belgium Float 06/11
100.000,00
200.000,00
200.000,00
250.000,00
50.000,00
100.000,00
100.000,00
300.000,00
100,04%
100,16%
100,00%
100,16%
100,00%
100,07%
100,30%
100,38%
100.040,00
200.320,00
200.000,00
250.400,00
50.000,00
100.070,00
100.300,00
301.140,00
350,00
225,54
78.939,00
890,00
4.860,00
2.800,00
905,00
6,00
6,57
10,06
10,04
5.340,00
31.930,20
28.168,00
9.086,20
150.000,00
150.000,00
150.000,00
50.000,00
100,20%
99,45%
98,85%
100,01%
150.300,00
149.175,00
148.275,00
50.005,00
150,00
2.500,00
4.000,00
236,00
2.769,00
155,00
850,00
370,00
1.000,00
63.000,00
100,00
1.600,00
106,77
6,09
6,09
105,90
106,20
1751,68
108,43
110,32
106,82
6,24
1785,26
39,92
16.015,50
15.225,00
24.360,00
24.992,40
294.067,80
271.510,40
92.165,50
40.818,40
106.820,00
393.120,00
178.526,00
63.872,00
Compra Unidades de Participação
06-11-2007
Pictet Cont European Equity
Venda Acções
09-02-2007
09-03-2007
07-09-2007
24-10-2007
Sonae.COM
BPI
Portugal Telecom
Portugal Telecom
Venda Obrigações
14-03-2007
15-03-2007
25-07-2007
30-07-2007
Morgan Stanley FRN 01/10
GE FRN 06/21
HSBC FRN 10/13
BPE Float 2008
Venda Unidades de Participação
17-01-2007
06-02-2007
19-02-2007
12-03-2007
14-05-2007
15-05-2007
24-08-2007
27-08-2007
15-10-2007
05-11-2007
06-11-2007
05-11-2007
PICTET EURO SHORT-MID TERM BOND
SCHRODER INTL EURO SHT
SCHRODER INTL EURO SHT
JP MORGAN SHORT DURATION
JP MORGAN SHORT DURATION
DEXIA BONDS EURO SHORT TERM
PICTET EURO SHORT-MID TERM BOND
PARVEST EUROPEAN BOND
JP MORGAN SHORT DURATION
SCHRODER INTL EURO SHT T-CAC
DEXIA BONDS EURO SHORT TERM
FIDELITY EUROPEAN EQUITY LG CO
TOTAL DE VENDAS / AMORTIZAÇÕES
TOTAL DE COMPRAS
2.093.772,40
1.381.209,00
ANEXO 4 – PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS FUNDOS DE
INVESTIMENTO MOBILIÁRIOS
Informação actualizada a 31-12-2008
Fundo
SCHRODER EURO EQUITY
PICTET CONTINENTAL EUROPEAN EQUITIES
Tipo
Rend 3anos anual.
Acções Europa
Acções Europa
Rend. 2008
-30,19%
-33,49%
-43,42%
-47,29%
Beta
Sharpe
1,12
1,13
-0,59%
-0,68%
Tracking Error Modified Duration
4,75%
5,00%
Para cálculo das estatísticas dos Fundos utilizaram-se os seguintes benchmarks:
MSCI Euro Debt EMU Sovereign 1 to 3 year TR Eur
Obrigações Curto Prazo
MSCI Euro Debt EMU Sovereign TR Eur
Obrigações Euro
Eurostoxx 50 TR
Acções Europa
Definições
Rend 3 anos anual.
Beta
Sharpe
Tracking Error
Modified Duration
Volatilidade
Rentabilidade Anualizada do Fundo nos últimos 3 anos
Relação entre o risco do Fundo e do seu Benchmark. = (Volatilidade do Fundo / Volatilidade do Benchmark)
Relação entre o risco do Fundo e a sua Rentabilidade. Pressupõe que a rentabilidade do Fundo não deve ser obtida através de
um aumento desnecessário do nível de risco.
Desvio Padrão dos Desvios Mensais entre a Rentabilidade do Fundo e do seu Benchmark
Relação entre a Variação do Valor do Fundo e Variações na Taxa de Juro
Desvio Padrão Anualizado da Rentabilidade Mensal do Fundo
- 11 -
n.a.
n.a.
Volatilidade
19,08%
19,24%

Documentos relacionados

Fundo de Pensões

Fundo de Pensões Na Europa o crescimento económico caiu de 0,6% para -3,9%. A inflação desceu de 3,3% para 0,3% também devido ao forte abrandamento da actividade produtiva. O Banco Central Europeu, em conjunto com...

Leia mais

Fundo de Pensões Aberto Rendimento Activo FPARA

Fundo de Pensões Aberto Rendimento Activo FPARA Na Europa o crescimento económico caiu de 0,6% para -3,9%. A inflação desceu de 3,3% para 0,3% também devido ao forte abrandamento da actividade produtiva. O Banco Central Europeu, em conjunto com...

Leia mais

Deutsche Invest I Global Thematic - DWS

Deutsche Invest I Global Thematic - DWS Os dados incluídos neste documento não constituem um conselho de investimento, tendo como objectivo apenas uma breve apresentação das mais importantes características do fundo. Os dados completos r...

Leia mais