Jornal Dia a Dia

Сomentários

Transcrição

Jornal Dia a Dia
Jornal Dia a Dia
Ficha Técnica:
Equipa Editorial
Todos os alunos e Orientadores Educativos da Escola da Ponte.
Equipa Redatorial
Afonso Silva, Rúben André, Bruna Salgado, Fernanda Catarina, Erik Vieira, Francisco
Martins, Hélder Lobo, Henrique Forte, Henrique Pereira, João Costa, Lourenzo Calçada,
Lucas Carneiro, Luís Araújo, Maria Mendes e Sabrina Moreira.
Rua José Luís de Andrade
4795-638 S. Tomé de Negrelos
Email: [email protected]
Telefone: 252875350
Fax: 252875352
Editorial
Um percurso pela Escola da Ponte
Todas as instituições necessitam de tempo para se afirmar. No caso particular de uma
Escola, isso torna-se ainda mais relevante. Na verdade, ninguém escolhe uma Escola de ânimo
leve: procura-se um Projeto Educativo e avaliam-se os seus valores matriciais e o prestígio
conquistado. Estes princípios basilares são determinados pela expectativa que temos para os
nossos filhos e pela ânsia de que se preparem para enfrentar um mundo em mudança
permanente.
Ao longo destes 39 anos, a Escola da Ponte fez um percurso, tem uma história, concebeu
um Projeto Educativo, que se foi aperfeiçoando e afirmando. Este foi construído por pessoas
que, ao longo deste tempo, a ele se dedicaram de corpo e alma, se tornaram referências
determinantes na formação dos nossos alunos.
Os nossos “resultados” são crianças e jovens que cresceram e se tornaram homens e
mulheres, seguiram o seu percurso, têm família, trabalham – alguns com muito sucesso. São
cidadãos globais, ativos, responsáveis e com princípios. Com o passar dos anos,
consciencializam-se mais profundamente da “marca” que a Escola da Ponte deixou nas suas
vidas, na sua visão e na forma de estar no mundo, por isso abraçam espontaneamente o lema:
uma vez Ponte, Ponte para sempre.
Alexandra Ferreira
(Orientadora Educativa)
Implantação da República
No dia 5 de outubro, a Escola da Ponte
comemorou a Implantação da República em
Portugal. Para o efeito, a Dimensão Identitária
lançou um Desafio Histórico a todos os alunos da
escola, com o intuito de estes pesquisarem
informações sobre a importância histórica deste
acontecimento. Os resultados destes trabalhos
foram expostos num mural, criado para o efeito.
A Implantação da República Portuguesa foi o resultado de uma revolução organizada
pelo Partido Republicano Português, iniciada no dia 2 e vitoriosa na madrugada do dia 5 de
Outubro de 1910, que destituiu a Monarquia Constitucional e implantou um regime
republicano em Portugal.
Após a revolução, um Governo Provisório chefiado por Teófilo Braga dirigiu os destinos
do país até à aprovação da Constituição de 1911 que deu início à Primeira República. Entre
outras mudanças, com a implantação da República, foram substituídos os símbolos nacionais:
o hino nacional e a bandeira.
Manuel II o Patriota ou o
Desventurado
(Último Rei de Portugal)
Teófilo Braga
Presidente do Governo
Provisório
Nova Bandeira de
Portugal
Ana Azevedo
Processo Eleitoral para a Mesa da Assembleia
Neste ano letivo, houve três listas candidatas para a Mesa da Assembleia:
Lista M, liderada pela Maria Mercês
Lista B, liderada pela Bruna Miranda
Lista S, encabeçada pelo Júlio Silva
Entrevista a uma das candidatas à presidência da Assembleia de alunos
da Escola Básica da Ponte
Entrevistador: Olá Bruna!
Bruna: Olá!
Entrevistador: Em primeiro lugar, quero dar-te os meus parabéns por teres esta “coragem” de
te candidatares a este cargo tão importante para a escola. Gostaria de saber a razão.
Bruna: Muito obrigada! Decidi candidatar-me a presidente, porque, desde de pequena, que
gostaria de “vestir esse papel”, mas nunca pensei consegui-lo. Este ano, achei que estava na
altura de formar uma lista e passar pelo processo eleitoral de uma forma mais ativa.
Entrevistador: Quais são as tuas características que te levam a pensar que darias uma boa
presidente?
Bruna: Acho que tenho um bom discurso, um bom poder argumentativo, uma personalidade
forte que não se deixa abalar por “terceiros” e tento sempre ajudar os outros no que estiver
ao meu alcance.
Entrevistador: Tens receio de não corresponder às espectativas de um presidente?
Bruna: Bastante… (risos) Talvez, esse seja o meu maior receio, porque, apesar de achar que
tenho capacidades para o cargo, existe sempre aquele bocadinho de receio de despontar
alguém que esteja à espera de mais. Penso que isso já está na minha personalidade, não há
nada a fazer…
Entrevistador: Sentirias orgulho em dizer que és presidente?
Bruna: Muito! Se o for é sinal que os meus colegas acham que devo ser eu a representa-los e,
por isso, cada um deles vê, um pouco de si, em mim.
Entrevistador: E tu vês um pouco de ti neles?
Bruna: Sim.
Entrevistador: O quê?
Bruna: Quando estamos com as pessoas diariamente, acabamos por deixar um pouco de nós
nelas, quando vamos embora. Nem que seja um “não devias fazer isso”, pois para a próxima,
essa pessoa pode fazer novamente, mas vai lembrar-se que eu lhe disso isso. Também pode
ser um abraço na altura certa. Todos os dias tento deixar um pouco de mim em todos eles.
Entrevistador: E se não fores presidente?
Bruna: Farei tudo aquilo que referi que faço hoje em dia, porque, mesmo não sendo
presidente e estando num outro cargo da mesa da assembleia, posso fazer igualmente os
meus possíveis para ajudar a escola.
Entrevistador: Se fores presidente, vais mudara a tua personalidade?
Bruna: Não, serei sempre eu própria! Vou é acrescentar o facto de dar sempre o exemplo aos
meus colegas. Enriqueceria a minha personalidade!
Entrevistador: Resta-me desejar-te sorte para as eleições e espero que desenvolvas um bom
trabalho em qualquer dos cargos que ocupes.
Bruna: Obrigada! No que depender de mim, vou desenvolver um bom trabalho e superar-me a
mim mesma!
Entrevistador: De nada e obrigada pela tua disponibilidade para esta pequena entrevista! Até
outo dia!
Bruna: De nada, foi com muito gosto! Adeus.
Bruna Miranda
Resultado Final
No dia 23 de outubro, deu-se início ao ato eleitoral com vista à eleição dos membros
para a Mesa da Assembleia da Escola da Ponte.
Os primeiros votantes foram os elementos das
mesas e a comissão eleitoral. Seguiram-se os alunos do
primeiro ano, do pré-escolar, do segundo ano e assim
sucessivamente até ao sexto ano. Depois de uma pausa
para o intervalo da manhã, foi retomado o ato eleitoral
por volta das 11 horas com o sétimo, oitavo e nono anos.
As urnas encerraram por volta das 11h30m.
No total, votaram 193 alunos, registando-se a falta de 5 alunos. Apurados os
resultados, os votos distribuíram-se da seguinte forma:
Votos
Brancos
6
Nulos
3
Lista B
73
Lista M
60
Aplicando o método de Hondt, os eleitos foram os seguintes:
Posição
Nome
Presidente
Bruna Miranda (Lista B)
Vice Pres.
Maria Mercês (Lista M)
1.º Secretário
Júlio Silva (Lista S)
Lista S
51
2.º Secretário
Ana Cláudia (Lista B)
3.º Secretário
Samanta Ferreira (Lista M)
4.º Secretário
Luís Crespo (Lista S)
1.º Vogal
Jorge Cunha (Lista B)
2.º Vogal
Clara Evaristo (Lista M)
3.º Vogal
David Braga (Lista B)
4.º Vogal
Liv Vieira (Lista S)
1.º Suplente
Vasco Pinheiro (Lista M)
2.º Suplente
José Rafael (Lista B)
3.º Suplente
Henrique Silva (Lista S)
4.º Suplente
Iara Monteiro (Lista B)
Na parte da tarde, todos reunidos no auditório da escola, procedeu-se à instalação da
nova Mesa da Assembleia.
Comissão Eleitoral
Caminhada Concelhia
No passado dia 22 de outubro, realizou-se mais uma edição da Caminhada Concelhia
até ao Monte de Assunção, promovida pela Câmara Municipal de Santo Tirso. Como não podia
deixar de ser, a nossa escola participou com bastante afinco. Apesar de ter sido uma
caminhada muito exaustiva, valeu bem a pena pelo convívio e pela paisagem. Foi um dia
inesquecível como se pode constatar pelas fotos.
Responsabilidade “Jornal e Facebook”
“Trick or Treat”? Que significa: “Doçura ou Travessura?”
A Ponte em modo assustador…
Algo de fantasmagórico aconteceu na Escola da Ponte no dia 30 de outubro. Os alunos
foram, inesperadamente, transformados em zoombies, fantasmas, bruxas, feiticeiros, etc. Nem
o capuchinho vermelho escapou…
A alegria e o entusiasmo de todos foi bem evidente nesta comemoração do Halloween.
Parabéns a todos!
Responsabilidade “Jornal e Facebook”
HALLOWEEN
Chegou o dia!
Cegou a hora!
Vai ser aqui
E agora.
Na escuridão, ouvirás
O que nunca ouviste.
De casa, saíras,
Assustado, com o que viste!
Inocentes crianças,
Doces estão pedir.
Mas tu que me leste,
Medo estás a sentir.
A lua,
A mesma não te parece,
Pois o meu espírito,
O mundo escurece!
Não tenhas medo,
O único não serás,
Mas aviso-te, já,
Comigo dormirás.
Abóboras, fantasmas e bruxas,
Nas casa não vão faltar,
Desde que não se esqueçam
De para a festa me convidar.
Sou eu, a noite,
Tenho ciúmes da luz,
Por isso o ambiente do Halloween,
É algo que me seduz!
Pelos restantes 364 dias,
Estou aqui para me vingar.
E conto contigo,
Para me ajudar!
Bruna Miranda
No Halloween,
Toda a gente se mascarou,
Seja de bruxa e muito mais,
E com os pais,
Doçura ou travessura
Vamos pedir, assombrar as casas
E vamos nós rir!
Ana Rita Pereira
O S. Martinho também veio à nossa escola…
No dia de S. Martinho, comem-se as castanhas e prova-se o vinho. É assim que reza
este ditado popular. Na nossa escola também festejamos o S. Martinho, comemos as
castanhas e, em vez do vinho, bebemos sumos, oferecidos pela Associação de Pais.
Realizaram-se também diversos jogos tradicionais como saltar à corda, doces na farinha, puxar
a corda, corrida de sacos, lançamento do pião, corrida de arcos, entre outros. Foi um dia
divertido em que o S. Pedro também ajudou!
Responsabilidade “Jornal e Facebook”
O grupo Girassóis (pré-escolar) e o grupo Mistério (1ª Vez) juntaram-se para em
conjunto descobrirem a história do São Martinho, tradições e canções.
No final decidiram construir uma banda desenhada, que foi afixada num mural da
Escola da Ponte.
Comentários:
Grupo da 1ª Vez
Olimpíadas da Matemática
No dia 11 de novembro, no período da tarde, realizou-se na nossa Escola a 1ª
eliminatória das XXXIV Olimpíadas Portuguesas de Matemática que contou com a participação
de vários alunos dos Núcleos de Consolidação e Aprofundamento. A 2ª eliminatória realizou-se
no dia 13 de janeiro e a nossa escola acolheu alunos de outras escolas do concelho de Santo
Tirso.
Foram momentos importantes para pôr os conhecimentos matemáticos à prova e
exercitar os neurónios. Os participantes ficaram contentes com o seu desempenho.
Responsabilidade “Jornal e Facebook”
Aula Direta: Os Primeiros Povos
Na quarta-feira, dia 18 de Novembro, participamos
numa aula direta sobre Os Primeiros Povos, foi diferente e
muito interessante, pois os professores trouxeram
imagens do Homem a evoluir, trouxeram também
instrumentos que foram usados há cerca de 25.000 anos,
alguns desses instrumentos serviram para pescar, caçar,
tirar a pele dos animais, arrancar ervas, etc…
Nós pegamos numa pedra muito fina que cortava
papel igual a um x-ato, também tocamos em peças de um jarro muito antigo que
estava partido.
Maria Inês
Intercâmbio com alunos brasileiros via Skype
Na passada quinta-feira, dia 12 de novembro, alguns alunos da Escola de Ponte falaram com
colegas brasileiros através do Skype, no âmbito do Dia Mundial da Alimentação.
O tema da conversa girou em torno dos hábitos alimentares dos dois países e o seu modo
de vida.
No Brasil, pelo que foi afirmado, come-se bastante feijão e bebe-se muitos sumos naturais.
Na minha opinião, este encontro via Skype foi muito interessante, pois tornou possível
sabermos mais sobre as diferenças entre os países em causa, no que diz respeito aos hábitos
alimentares e aos seus modos de vida.
Martim Ferreira
A propósito da comemoração do Dia da
Filosofia, a 21 de novembro, e como a filosofia
também é para crianças, um grupo de alunos do
Núcleo de Consolidação teve a oportunidade de
participar na atividade “A árvore vermelha”, no
dia 23 de novembro. Inicialmente, lemos uma
pequena história de um piolho coxo, que vivia
numa cabeça. A partir deste texto, ficamos a
perceber melhor o que era a filosofia, que esta palavra era grega (philo + sophia) e significava
“amigo da sabedoria”.
Depois, recebemos uma folha vermelha, onde colocámos palavras e imagens recortadas
de diferentes revistas e jornais. Colámos o que, para nós, é bom no mundo num lado da folha
e o que é mau no outro lado. Seguidamente, apresentámos ao grupo o que colocámos nos dois
lados e justificámos as nossas escolhas.
Posteriormente, ouvimos mais uma história - “A árvore vermelha”, de Shaun Tan, e
estivemos a refletir sobre os sentimentos que associávamos a esta. Logo, iniciou-se um
momento de reflexão filosófica, a partir de algumas perguntas, como: Por que é que as pessoas
ficam tristes? O que fazes quando te sentes triste? O que dá cor à tua vida? O que é a felicidade
para ti? Para registar todos os contributos e as nossas
conclusões, houve uma secretária voluntária, a Lara Monteiro.
Surgiram partilhas como: “Fico triste quando me fazem
brincadeiras sem sentido”, ”Não poder fazer nada quando
acontece alguma coisa má deixa-me triste, como a guerra na
Síria.”, “Quando nos sentimos tristes, procuramos alguém.”,
”Gosto de me sentar à janela e ver o que se passa lá fora.” e “A
felicidade é fazer as coisas acontecerem”.
Por último, fizemos um balanço da atividade e demos a
nossa opinião sobre a mesma. Assim, todo o grupo gostou de
ser um pequeno filósofo não só por um dia, mas sim, talvez, no
presente e no futuro.
Carolina Gonçalves
Semana da Ciência e da Tecnologia
Retomando uma antiga tradição da Escola da Ponte,
celebrou-se, no final de novembro, a Semana da
Ciência e Tecnologia. De facto, uma semana foi
pouco para a quantidade de atividades promovidas,
tendo uma semana sido transformada em três
semanas de promoção da cultura científica.
Envolvendo todos os Núcleos, desde os mais novos
do Pré-escolar aos mais velhos do Núcleo de
Aprofundamento, todos participaram nas mais de 20
atividades desenvolvidas. Do sentido do sabor ao
eletromagnetismo, dos foguetões aos microscópios,
do indicador de couve roxa aos vulcões, do ovo na
garrafa à alimentação, das plantas carnívoras à
origem do fogo, da implosão de latas aos fluidos não
newtonianos, da impressão 3D aos sais de banho, do
dissolve não dissolve aos pegamonstros, muitas
foram as atividades promovidas pela Dimensão
Naturalista, com a colaboração de alunos e encarregados de educação. Os alunos aderiram
efusivamente a estas iniciativas explorando, de forma lúdica, conceitos científicos e
desenvolvendo competências práticas. Para além das atividades práticas, os alunos do Núcleo
de Aprofundamento e de Consolidação tiveram ainda a oportunidade de participar em 3
palestras com ilustres convidados. Raquel Filgueiras, diretora de um parque nacional
da Zâmbia, Doutora Carolina Lemos, professora de genética do Instituto de Ciências
Biomédicas Abel Salazar e Doutor José Santos, professor catedrático da Faculdade de Ciências
da Universidade do Porto, maravilharam os nossos alunos/professores com o seu
conhecimento
e
abriram-lhes
novos
horizontes.
Parabéns também a todos os alunos pela entusiasta e
responsável participação em todas atividades. A fasquia ficou
elevada, mas para o ano tentaremos manter a qualidade e
diversidade das atividades!
Viva a Ciência e Tecnologia!
Dimensão Naturalista
Palestra sobre Parques Naturais
No dia 19 de novembro de 2015, realizou-se uma palestra sobre Parques Naturais, no
âmbito da Semana da Ciência e Tecnologia, destinada aos alunos da Consolidação.
Raquel Filgueiras, a nossa convidada, falou acerca da sua experiência na Zâmbia, um país
do Sul de África, através de diversas imagens e fotografias. Concentrou-se mais no parque
Liuwa Plains, em que trabalhou.
Disse que o parque se situava numa zona chamada Liuwa, perto da fronteira com
Angola, e que tinha, no total, uma área de 3660 Km2. Falou também acerca do clima,
explicando que durante 6 meses do ano estava tudo inundado, havia muitas cheias e que
apenas era possível sair da pequena aldeia, que existia no parque, de barco ou de avião.
Durante os outros 6 meses, estava tudo muito seco e, por isso, havia muitos fogos, apesar de
grande parte deles serem postos por causa das pastagens! Continuo, dizendo que a população
era ou muito rica ou muito pobre e que, na aldeia desse parque, a maioria da população era
pobre. Por esse motivo, as escolas também eram pobres. Ainda há pouco tempo, tinha doado
dinheiro a uma escola e que todos os anos davam prémios aos melhores alunos para os
incentivar a continuar a estudar.
A Dra. Raquel Filgueiras contou que, no Parque, trabalhavam 90 pessoas, distribuídas
por diferentes equipas. Falou de diversas espécies que existiam no parque, como: leões, chitas,
gnus, cegonhas, zebras, crocodilos, elefantes… Explicou que existem espécies endémicas, ou
seja, espécies que apenas existem num determinada sítio.
Terminou-se a palestra com uma grande salva de palmas e agradecimentos à Dra.
Raquel Filgueiras por ter partilhado os seus conhecimentos e experiência connosco!
Liv Vieira
Experiências com plantas carnívoras
No dia 24 de novembro, realizou-se mais uma
atividade no âmbito da Semana da Ciência e
Tecnologia, desta vez acerca de plantas
carnívoras.
Nesta sessão, pudemos observar várias
plantas, inclusive carnívoras. Começamos pelas
plantas que “choram”. Estas plantas absorvem
muita água e, para libertarem essa mesma água,
“choram”, ou seja, libertam a água em excesso.
Observamos ainda um ramo de folhas que era um fóssil. Esse ramo pertencia a uma árvore
que já existia há muitos anos!
Mas as plantas carnívoras conseguiram a atenção de todos. Apesar de serem carnívoras,
não comem carne! As minhas preferidas foram a «dioneia» e a «nepenthes alata». Quando
colocamos um dedo na primeira, ela fechou-se e fez-nos cócegas. A «nepenthes alata» tem
um líquido dentro dela, o qual, para os insetos, cheira muito bem. Por isso, estes aproximamse desta planta, mas o seu destino não é nada bom: a «nepenthes alata» devora-os!
Gostei muito desta atividade!
Ana Rita Pereira
Nepenthes alata
Dioneia
Outras atividades no âmbito da Semana da Ciência….
Alimentação
Fluídos Não Newtonianos
Eletromagnetismo
Foguetões
Impressão 3D
Implosão de Latas
Microscópio
Indicador de Couve Roxa
A origem do Fogo
Ovo na garrafa
Palestra Novos Horizontes
Pegamonstros
Sabores
Sais de banho
Vulcão de Vinagre
Palestra sobre a Genética
No dia 1 de dezembro de 2015, no âmbito da Semana da Ciência e Tecnologia, realizouse, no auditório da Escola Básica da Ponte, uma palestra sobre genética. Os alunos do Núcleo
de Consolidação e de Aprofundamento mostraram-se muito interessados no que a nossa
convidada, a doutora Carolina Lemos, nos veio explicar.
A doutora Carolina Lemos é licenciada em Biologia, pela Faculdade de Ciências da
Universidade do Porto (2002) e doutorada pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar
(ICBAS), na área das Ciências Biomédicas. Integra uma equipa que identificou, recentemente,
variantes genéticas responsáveis pela enxaqueca, que atinge muitos portugueses. Os seus
principais interesses, para além do estudo genético da enxaqueca, incluem a epidemiologia
genética em doenças complexas e o estudo de
modificadores em doenças mendelianas. A par da
investigação, esta portuguesa gosta de ler, ir ao cinema e
de escrever.
A doutora Carolina Lemos explicou-nos diferentes
curiosidades sobre os constituintes da célula, a formação
da cor dos olhos azuis e castanhos, para que serve a
proteína e, por fim, as doenças genéticas. Foi um
momento muito interessante e único.
Rafael Moreira e Miguel Machado
DIA DA FLORESTA AUTÓCTONE
No dia vinte e três de novembro celebrou-se O DIA DA
FLORESTA AUTÓCTONE. Esta floresta é constituída por árvores de
espécies originárias do nosso território como os carvalhos, os
sobreiros, os castanheiros, os medronheiros, os azereiros, os
loureiros, os azevinhos, os amieiros...
A Floresta Autóctone portuguesa é formada por árvores de
crescimento tipicamente mais lento do que as espécies de árvores
introduzidas, mas que adquiriram a capacidade de melhor resistir a
longos períodos de seca com temperaturas elevadas e intercalados
por chuvas relativamente intensas. São florestas também resilientes
aos incêndios.
Novembro é a época ideal para
plantar árvores de espécies autóctones e,
por isso, as Responsabilidades ECO-ESCOLAS
e TERRÁRIO E JARDIM aliaram-se para assinalar este dia, plantando
dez novas árvores nos jardins da nossa Escola. Juntos, plantamos
quatro Sobreiros, quatro Freixos e dois Amieiros.
Para concretizarmos esta atividade, tivemos a valiosa
colaboração da Câmara Municipal de Santo Tirso e do FAPAS (Fundo
para a Proteção de Animais Selvagens), que nos cederam os dez
exemplares de espécies Autóctones. Muito Obrigado!
As Responsabilidades ECO-ESCOLAS e TERRÁRIO E JARDIM
Torneio de Xadrez
A exemplo dos anos anteriores, a nossa Escola conta com o xadrez como modalidade
do Desporto Escolar. Paralelamente, e como complemento, temos um clube federado: Núcleo
de Xadrez da Escola Básica da Ponte.
No âmbito do desporto federado, no passado dia 28 de novembro, uma delegação de
oito jogadores da nossa escola deslocou-se a Ermesinde para disputar o II Torneio de
Homenagem a António Torcato. O torneio foi
disputado em ritmo semirrápido (15 minutos de
reflexão para cada jogador). Alguns dos nossos
jogadores disputaram o seu primeiro torneio e o prof.
Topa voltou a jogar ao fim de quase um ano.
As nossas classificações oscilaram entre o 11º
lugar e o 26º. Houve medalhas de participação para
todos.
Fica a foto dos jogadores presentes.
No passado dia 19 de dezembro, um grupo de jogadores da nossa Escola deslocou-se a
Braga para disputar o Torneio Xadrez Solidário, organizado pelos alunos da licenciatura em
turismo da Universidade Católica.
O torneio disputou-se no ritmo semirrápido. A taxa de inscrição consistia na entrega de
bens não perecíveis para serem distribuídos por instituições de solidariedade. No total,
conseguiu-se reunir mais de 200 kg de bens.
Em termos de classificados, os nossos jogadores situaramse entre o 8º e o 37º lugar. Não nos podemos esquecer que
a faixa etária dos nossos jogadores variou entre os 6 anos
do jogador mais novo e os 42 anos do mais velho.
Paralelamente, tivemos contacto com outros jogos de
tabuleiro que se encontravam em exposição numa outra
sala.
Paulo Topa – Orientador Educativo
Corta-Mato
Decorreu no dia 3 de dezembro de 2015,
na Escola Básica da Ponte. Participaram 97
alunos, orientadores educativos, membros da
Órgão de Gestão, auxiliares operacionais,
Bombeiros Voluntários da Vila das Aves e
Encarregados de Educação. Foi organizada pela
Dimensão Artística (valência de Educação Física)
no âmbito da atividade interna promovida pelo
Desporto Escolar.
Com diferentes distâncias a percorrer
pelos diferentes escalões (com base na idade dos alunos), o percurso de Corta Mato foi de
dificuldade média, pois obrigou a gerir a ansiedade, o esforço e a estratégia ao longo de um
percurso desnivelado.
Foi, por isso, com muita satisfação e orgulho, que toda a comunidade educativa viu
correr estes atletas.
Numa manhã com ótimas condições atmosféricas para a prática, os alunos atletas
puderam dar o máximo e demonstraram bem as suas capacidades de Corrida, para entusiasmo
da assistência que aplaudiu a Prova.
No final, todas as corridas foram terminadas com sucesso, e sem grandes acidentes.
Viu-se bem que os atletas que participaram nas Provas deram todos o seu melhor!
Resta-nos agora torcer pelas equipas de campeões que vão representar a Escola Básica da
Ponte na fase Distrital do Corta Mato, a decorrer na cidade da Póvoa de Varzim, no dia 22 de
janeiro. Foram apurados os primeiros 6 de cada escalão/sexo na classificação final.
Ana Luísa – Orientadora Educativa
Corta-Mato Concelhio
No passado dia 15 de dezembro, realizou a fase concelhia do Corta-Mato, no Parque
Urbano da Rabada, em Santo Tirso. Mais uma vez, parabéns aos atletas participantes, em
especial ao Diogo Martins que foi o 1º classificado do seu escalão.
Responsabilidade “Jornal e Facebook”
Desporto Escolar - Badminton
No âmbito do Desporto Escolar, realizou-se na nossa escola
a Formação Juiz-Árbitros, nível escola (I), que decorreu no dia 16 e
19 de novembro, no horário de treinos. Teve a participação de 27
alunos, de diferentes escalões e sexo. Estes alunos ficaram aptos
para arbitrar os jogos de badminton.
Ainda no âmbito do Desporto Escolar, no dia 12 de
dezembro, realizou-se na Escola Básica de Pedrouços, na
Maia, o 1º torneio de Badminton e que teve a participação
dos alunos da Escola da Ponte, tendo obtido excelentes
resultados em todos os escalões.
José Simão – Orientador Educativo
Funcionalidade e Autonomia
Neste ano letivo, nas atividades da Oficina de
Funcionalidade e Autonomia estamos a desenvolver um
conjunto de atividades tendo em vista a atuação dos
alunos o mais independente e eficiente possível, em
diversas situações da vida diária.
Assim, estamos a trabalhar e a consolidar
diversas competências, nomeadamente no âmbito da
identidade pessoal e relativamente ao desenvolvimento
da motricidade fina, realizámos trabalhos práticos
diversificados para assinalar datas comemorativas, nomeadamente o “Halloween” e o “Dia de
Natal”.
Vamos intensificar as regras de higiene pessoal (cuidados na higiene oral),
possibilitando o manuseamento dos materiais de higiene e a criação do hábito de limpeza dos
dentes.
No âmbito da rotina diária, vamos manusear o dinheiro com exercícios de identificação
das moedas e notas do euro, o seu valor e o reconhecimento dos números representativos do
dinheiro entre outras atividades que iremos desenvolver ao longo do ano letivo.
Pedro Barbosa – Orientador Educativo
O Natal na nossa Escola…
A quadra natalícia é uma época em que se celebram
os valores da solidariedade, amizade, tolerância, respeito, paz,
entre outros. Valores que fazem parte do nosso Projeto. Como tal, o Natal é festejado com
grande entusiasmo e dedicação na nossa escola. Assim, realizaram-se diversas atividades,
como: oficinas de decorações natalícias; workshops de doces natalícios; almoço de Natal em
tutoria, com troca de presentes elaborados pelos próprios alunos; e, a grandiosa festa de
Natal, que se realizou no passado dia 18 de dezembro e que contou com a participação de
toda a comunidade educativa.
Responsabilidade “Jornal e Facebook”
Oficina de decorações de Natal
Workshop de Bolachas
Almoço em Tutoria
Decoração na Escola
Festa de Natal
No dia 18 de Dezembro de 2015 realizou-se a festa de Natal da nossa escola. A festa foi
apresentada pelas 21 horas no pavilhão desportivo. Houve vários grupos de atuações:
- o I 1 cantou a música – Dó – Ré- Mi/canção no coração;
- o grupo I 2 e o I 3 cantaram e tocaram uma música de natal;
- a consolidação cantou e dançou;
- o Aprofundamento apresentou uma dramatização.
Não faltou animação, até os pais dos nossos alunos participaram e cantaram a música
Oh happy day.
A festa foi muito bonita e animada.
Henrique Forte
As três árvores de natal
Era uma vez três árvores: uma era uma tamareira, a segunda era uma oliveira e a
terceira um pinheiro.
As três árvores, ao verem o Jesus a nascer, quiseram oferecer um presente.
A árvore oliveira foi a primeira a dar o presente. Ela deu
as azeitonas ao Menino Jesus.
A árvore tamareira foi a segunda. Ela decidiu dar-lhe
doces tâmaras.
Mas, como o pinheiro não tinha nada para lhe dar, ficou
muito triste.
Quando a estrela do céu viu o pinheiro triste e viu que
nada tinha para dar, decidiu descer e pousar sobre os seus
galhos, iluminando-o.
Feliz e iluminado, o pinheiro assim se ofereceu ao
Menino Jesus.
Ana Marta
Sarau de Reis
Todos os anos, a nossa Escola recebe o convite do Grupo
de Escuteiros de Vila das Aves para participar no Sarau de Reis.
Este ano, teve lugar no patronato, no passado dia 9 de janeiro.
Durante uma semana, foram criadas duas letras: “Porque
fazemos tudo pela Escola da Ponte” e “Reis 2016”. A primeira
foi escrita a pensar no estado a que chegou o país, já a segunda inspirou-se na
tradicional visita dos Reis Magos ao Menino Jesus.
O palco encheu-se com alunos, orientadores educativos e elementos da
associação de pais. Foi uma experiência espetacular de partilha com a comunidade,
que ficamos com vontade de repetir no futuro.
Carolina Gonçalves
Aqui ficam as letras bem originais….
TUDO PELA ESCOLA DA PONTE
(versão original All about that bass, de Meghan Trainor)
Porque fazemos tudo pela Escola,
Pela Escola da Ponte.
Todos pela Escola, pela Escola da Ponte,
A cantar os Reis com a Escola da Ponte,
A cantar os Reis com a Ponte.
Sim, está muito claro, aqui, em Portugal,
Está tudo caro, caro, nem dá para o jornal!
Estamos em crise, crise, observe e analise.
Nunca mais tem fim a crise para mim!
Nós vimos o Ronaldo ganhar a bola d’ouro
E o BES a encher os cofres e a formar um tesouro
E nas legislativas lançou-se a confusão!
Até queriam, vejam, mudar a Constituição!
Mas nem tudo ‘stá perdido aqui, na Escola da Ponte,
pois quem não cumprir os planos
terá de subir o monte!
Pois há direitos e deveres que temos de respeitar,
caso contrário, à assembleia os problemas vamos levar.
Porque fazemos tudo pela Escola,
Pela Escola da Ponte.
Todos pela Escola, pela Escola da Ponte,
A cantar os Reis com a Escola da Ponte,
A cantar os Reis com a Ponte.
Estou a ficar cansado
Deste país todo esburacado!
Quero emigrar
E depois talvez,
talvez algo veja alterado!
Mas nem tudo ‘stá perdido aqui, na Escola da Ponte,
pois quem não cumprir os planos
terá de subir o monte!
Pois há direitos e deveres que temos de respeitar,
caso contrário, à assembleia os problemas vamos levar.
Porque fazemos tudo pela Escola,
Pela Escola da Ponte.
Todos pela Escola, pela Escola da Ponte,
A cantar os Reis com a Escola da Ponte,
A cantar os Reis com a Ponte. (3x) + PALMAS
REIS 2016
(versão original Tempo é Dinheiro, de Agir)
Na Escola da Ponte, espalhamos sorrisos,
Cantamos os Reis, as Boas Festas vimos dar.
Ora também os Reis Magos nos fazem companhia
para um Bom Ano desejar…
Os três Reis em Belém,
guiados p’la estrela do além,
tinham
bué d’ presentes p’ra dar.
Puseram o menino Jesus a pasmar!
Vieram
todos co’ coração
Em camelos, vencendo a escuridão.
Ouviram
um bebé a chorar…
Lá chegaram numa noite de luar.
É no 6 que é tradição festejar os Reis.
É ’special, é em janeiro, vós bem o sabeis!
As janeiras contam a história de encantar…
Este menino até nos faz sonhar! Yeh, yeh!
Na Escola da Ponte, espalhamos sorrisos,
Cantamos os Reis, as Boas Festas vimos dar.
Ora também os Reis Magos nos fazem companhia
para um Bom Ano desejar…
Quando eles ali chegaram,
as prendas bem caras lhe entregaram
com o burro e a vaca a admirar.Yeh, yeh!
E Jesus pôs-se a levar,
Para bem longe, para lá do mar,
Os sorrisos que todos aqui vimos dar. Yeh, yeh!
É no 6 que é tradição festejar os Reis.
É ’special, é em janeiro, vós bem o sabeis!
As janeiras contam a história de encantar…
Este menino até nos faz sonhar! Yeh, yeh!
Na Escola da Ponte, espalhamos sorrisos,
Cantamos os Reis, as Boas Festas vimos dar.
Ora também os Reis Magos nos fazem companhia
para um Bom Ano desejar…
Fazer a Ponte (3x)
A Escola da Ponte vem…
Fazer a Ponte (3x)
A Escola da Ponte vem…
Aqui um Bom Ano desejar!
Cantinho da Poesia
Frases sobre amor !
Eu te amo eu te
Adoro , não sou
Nada sem ti , mas
Eu choro só de
Pensar em te perder
O amor não são
Palavras que se dizem
Ao acaso e sem
Pensar, são outras
Que se sentem ao
Sorrir , ao abraçar…
Amor : palavra pequena
Que sorri a pouca gente
Pequena quando se diz !
Enorme quando se sente !
Quando eu te vi
Tive uma ideia brilhante
Foi como se eu olhasse
De dentro de um diamante
E meu olho ganhasse
Mil faces um só instante
Basta um instante
E você tem amor bastante.
Joana Costa
Chaminé
Quem pensam
Que sou? Sou uma
Chaminé, mas uma
Chaminé feliz.
Em mim vai descer
Um velho com
O saco às costas.
Eu não sei como,
Tao gordo ele é….
Mas vai descer
Por mim, chaminé
Lá isso vai. Então
Eu peço a todos
O favor de não
Abrirem o fogão
Para não queimarem
O velho amigo
- Que gordo ele é! –
Com o saco às costas
Pela chaminé
Joana Costa
O Sol
O sol cintilante
é muito brilhante,
tal como uma estrela cadente.
É amarelo,
muito belo,
tem medo do escuro,
por isso salta o muro.
À noite, desaparece
e a noite arrefece.
A nossa mão fica ardente,
se tocar nele, que é tão quente!
Os seus raios são lindos como ouro!
O ser humano agradece este magnífico tesouro!
Mariana Silva
Voar
Se eu quisesse voar,
pedia as asas de um falcão.
Se eu quisesse esconder-me,
pedia a pele de um camaleão.
Se eu quisesse mel,
pedia-o emprestado a uma abelha.
Se eu quisesse estar quentinha,
pedia a lã a uma ovelha.
Se eu quisesse mimo,
pedia o corpo ao meu cão.
Se eu quisesse correr rápido,
era só enervar um leão.
Se eu quisesse chatear,
pedia o hábito a uma melga.
Se eu quisesse uma árvore,
pedia-a a uma floresta.
Se eu quisesse ser a noite,
pedia a cor a uma pantera.
Se eu quisesse e tivesse isso tudo…
Ai, isso é que era!
Inês Silva
A Rã
Era uma rã convencida,
que se achava a maior!
Por ser grande e gorda,
ninguém era melhor!
Era a líder do charco
e estava sempre a gabar-se.
Os amigos até fugiam…
Nem podiam aproximar-se!
Um dia, veio um boi
que foi beber água ao charco.
Todos viram como foi
o seu tamanho no lago!
A rã convencida
nem queria acreditar!
As outras insistiram
para se encher de ar.
Ela inchou, inchou, inchou…
Até rebentar!
Joana Costa
(a partir da História da Quinzena «A maior de todas as rãs»)
A Estrela Brilhante
A estrela brilhante
tem uma luz cintilante,
gosta de comer panquecas
e de brincar com bonecas.
De noite, fazem a festa,
naquela floresta:
no céu cantam
e no chão dançam!
As estrelas no céu
guiam o meu caminho.
Com a força da sua luz,
nunca me sinto sozinho!
Maria Inês Silva
Criatividade e Imaginação… (Trabalhos dos nossos alunos)
Hello! My name is Joana and my surname is Duarte. I am
eleven years old. My father is Abílio. My mother is Cristina. I
live in Guimarães. I am from Portugal. I am Portuguese. My
favourite food is lasagna. My favourite sport is swimming and
my favourite colours are blue and pink. I love music,
especially a Portuguese band called D.A.M.A.. I went to a
concert and it was great! Goodbye!
Joana Costa
Hello! My name is Isabella Dorante and I am 10 years old. Alessandra Dorante is my mom and
João Marcelo is my father. I live in Portugal with my mother and my dad lives in Brazil with my
two brothers: João Vítor, who is nine years old, and João Kuoshi, who is two.
I have got two cats, one is white and the other one is black. The white one is called Mio and
the black one is called Emma.
My mother and I live in a small flat. My favourite colour is blue and my favourite dessert is
oreo cookies and chocolate cupcakes.
When I was four years old, I entered my first school – CLIP – and I studied there until the
second grade. After that I moved to my second school, where I studied for two years. It was
named OBS. Unfortunately, my mother and I moved to Brazil, so I changed school again, this
time to Puríssimo, but I only stayed there for half a year, because we came back to Portugal.
Now, I am studying at Escola da Ponte. I like it and I don’t want to change school again!
Isabella Dorante
Good morning! My name is David and my surname is Braga. I am
eleven years old. My father is Judá Braga. He is forty-three years
old. My mother is Cristina Alves. She is forty-three years old. I
have got a sister. Her name is Beatriz Braga. I also have got a
pet. It’s a cat. Its name is Alice.
My address is Santa Maria Madalena. I don’t have a phone
number. I am from Portugal. I am Portuguese. My favourite food
is pancakes. My favourite sport is handball and my favourite
colour is orange. Goodbye!
David Braga
Sete desejos cinzentos
Certo dia, ia eu a passear por uma terra muito colorida,
chamada Arco-Íris, quando vi uma mala nova e cheia de cor.
Peguei na mala e, de repente, ouvi uma voz que disse:
- Eu sou a mala dos desejos! Posso concretizar-te sete desejos.
Escolhe bem!
Eu fiquei de boca aberta, respirei fundo e não me deixei levar pelo medo. Em vez disso,
deixei-me levar pela riqueza e pela gulodice! Pedi uma caixa cheia de doces, quis ser rei de
Inglaterra, fui de viagem à Disney, nadei numa piscina de ouro, comprei um shopping inteiro,
um Ferrari e viajei por todo o mundo!
Depois de tudo isto, cansei-me, porque, quando se tem tudo, não se pode queixar de nada!
Eu queria ser pobre outra vez!
A mala ouviu os meus pensamentos e foi implacável:
- Não te posso conceder mais desejos! Lamento!
- Mas, vá lá…
- Ok! Mas como castigo, terás de viver numa terra sem cor.
- Hum! Não sei bem… Mas vou experimentar!
Nesse mesmo instante, eu, Pedro Tiago, fui teletransportado para outra dimensão. Nessa
terra sem cor, tudo era preto e cinzento: a comida, o céu, os animais, as plantas, as rochas…
De imediato, arrependi-me. Comecei a ficar preto e cinzento também. Estava a ficar muito
aflito, até que… PUM! Caí abaixo da cama e percebi que continuava bem pobre e que tudo
tinha sido um sonho!
Apoio ao Estudo
A cor da nuvem
Nos mais profundos céus da Terra, no manto negro olhado de medo
por todo o mundo, nasceu uma pequenina nuvem cinzenta, com o nome
de Negrinha.
Na sua parte do céu, todas as nuvens eram grandes e negras. A outra parte era a da cor do
azul límpido do rio. Aí, todas as nuvens eram brancas como uma folha de papel.
No primeiro aniversário de Negrinha, o chefe das nuvens brancas chegou-se ao pé da parte
obscura do céu, sem passar a barreira que as dividia, virou-se para a pequena nuvem negra e
exclamou:
- Olá, pequenina!
- Olá! – disse Negrinha, intrigada.
- Soube que hoje fazes anos. Parabéns!
- Como soubeste?
- Eu sei tudo, minha querida…
- Nunca nenhuma nuvem branca se chegou para perto da barreira para ser simpática! O
que vieste realmente fazer aqui?
- Talvez tenhas uma ideia errada sobre nós…
- Não! Sei que não tenho! Vocês são uns nuvistas!
(Na linguagem das nuvens, nuvistas eram verdadeiros racistas.)
O chefe das nuvens brancas foi embora irritado, pois sabia que a nuvem Negrinha tinha
razão, mas não o queria admitir.
Todas as nuvens cinzentas eram nuvadas (ou seja, gozadas), devido à sua cor, por ser
medonha e obscura. As nuvens brancas eram muito egoístas e achavam-se sempre superiores
a elas.
Certo dia, o céu todo ficou negro e começou a pingar água. As nuvens brancas estavam no
seu momento de gozo, quando começaram a escurecer e, para grande alegria da nuvem
Negrinha, esta choveu e tornou-se branca. Mas não foi só ela! Todas as nuvens negras se
haviam tornado branquinhas como um véu! A alegria só não existiu para as nuvencidas
(convencidas), que ficaram negras como um texugo!
E pronto! Acaba aqui a minha história, pois viveram quase todos felizes, até chover outra
vez!
Inês Silva
A Aventura no Jardim Zoológico
Num belo dia de sol, logo pela manhã, Maria e Soraia foram ao jardim
zoológico da Maia. Quando chegaram ao jardim, foram logo comprar os
bilhetes para entrarem. Viram muitos animais e o que elas mais gostaram foi
das focas e das Zebras. Deram comida a alguns animais e adoraram.
Lancharam por lá, no café que tinha lá dentro, pediram dois pães e dois sumos. Os pães eram
da forma de golfinhos e os sumos em forma de peixe. Elas acharam muita piada. A Maria e a
Soraia tiraram várias fotos aos animais e as outras coisas engraçadas. Já estava na hora de elas
irem embora e na papelaria de lá decidiram comprar um golfinho cada uma para recordação
deste dia.
Elas adoraram, pois foi um dia maravilhoso!
Joana Costa
Ilustrações baseadas na História da Quinzena «Jorinda e
Joringuel»
Bruna Faria
Rita Pereira
Ana Marta Makaruk
Mafalda Regêncio
Grupo Girassóis
O Grupo da Pré – Girassóis – também quis participar no nosso jornal. Ao longo do 1º
período realizaram diversas atividades que foram ilustradas no mural do seu espaço. Foi o caso
da visita da Escola Segura que incutiu nos mais pequeninos as regras básicas de segurança na
estrada e em casa. Outro exemplo, foi a sua participação na semana da Ciência e Tecnologia (já
referida neste jornal), nomeadamente nas experiências vulcânicas e com cores. Finalmente,
como não podia deixar de ser, as festividades do Natal que são, sem dúvida, a alegria das
crianças.
Responsabilidade “Jornal e Facebook”
LIVROS E COMPANHIA
A Responsabilidade Livros e Companhia apresenta, neste espaço, algumas
sugestões de leitura. Se gostas de ler, procura estes livros e muitos outros na
biblioteca da escola e apresenta também sugestões de leitura! Colabora connosco e
lê, lê muito!
No seu livro Pequeno Pinguim, A. J. Wood
conta a história de um pequeno pinguim que
resolve partir à aventura e fazer uma viagem
pelo mundo. Como em todas as aventuras, há
sempre riscos, e este pinguim perde-se. Mas
a sua estrela da sorte acompanha-o e os seus
pais acabam por encontrá-lo. Aconselho-vos
a leitura deste livro, se gostarem de
aventura! Vão conseguir imaginar-se a fazer
uma viagem igual à do Pequeno Pinguim, tal
como aconteceu comigo! Boas leituras!
Sara Esteves
A fábula que vou contar pertence a um livro que tenho desde a minha infância:
Fábulas de Esopo. Esta fábula, «O Leão e o Javali», conta que, a meio do verão, todos
os animais sofriam com sede.
Perto de uma nascente, um leão e um javali discutiam sobre quem devia beber
primeiro. Estavam quase a lutar um com o outro, quando viram voar por cima deles
muitos abutres. Se não resolvessem a situação e terminassem a discussão, acabariam
os dois mortos! Foi então que decidiram partilhar a água e, assim, não morreram, nem
de sede nem comidos pelos abutres.
Esta fábula, como todas as fábulas, tem uma moralidade: devemos partilhar, em vez
de discutir e de sermos egoístas.
Se, como eu, gostas de fábulas e de grandes lições, procura este livro na nossa
biblioteca! Boas leituras!
João Lucas
O que acontece, quando a fava, o brinde e o bolo-rei
resolvem cortar relações e reivindicar os seus direitos, em
pleno Natal? Será que uma Fada do Natal será suficiente
para resolver toda esta confusão?
E a história da Cegonha Eletricista, conhecem-na? Será
que consegue iluminar o seu ninho, na noite de Natal?
Apenas poderemos dizer que gostávamos de viver no
País dos Gulosos e de conhecer o rei Anafado I, que, no
Natal, receberá um delicioso presépio de chocolate dos
seus conselheiros!
Se gostas de histórias divertidas e muito criativas, procura, na biblioteca da nossa
escola, o livro A Árvore das Histórias de Natal, de José Jorge Letria. É a nossa sugestão
de leitura para este Natal. Boas leituras!
Responsabilidade Livros e Companhia
Para Rir…
Diz a Professora para a turma:
-O TPC é escrever quatro palavras para
amanhã.
Vai o Joãozinho perguntar ao pai:
-Pai, diz-me quatro palavras.
O Pai:
-Não me chateies.
E o Joãozinho anota. Vai então à mãe fazer a
mesma pergunta:
-Mãe, diz-me quatro palavras.
A mãe:
-Vai ver se há raios no mar.
E o Joãozinho anota. De seguida, faz a mesma
pergunta à irmã que estava a ouvir música:
-Mana, diz-me quatro palavras.
Ela responde ouvindo a música:
-Vem comigo, vem comigo.
E ele anota. Por último, repete a mesma
pergunta ao irmão que estava a ver televisão:
-Mano, diz-me quatro palavras.
-Super-homem, Super-homem.
E ele anota. No dia seguinte, na escola, a
professora pergunta:
-Joãozinho, diz-me os TPC!
Ele responde:
-Não me chateies.
Indignada, a professora repete:
-Menino Joãozinho, TPC imediatamente!
-Vai ver se há raios no mar.
A professora, zangada, explode:
-Joãozinho, já para o Conselho de Gestão!!!
-Vem comigo, vem comigo.
Já com os cabelos em pé, a professora grita:
-Quem e que julgas que és?
-Super-homem, Super-homem!
Na escola, a professora explica:
- Se eu digo "fui bonita" é passado. Se digo
"sou bonita" o que é Joãozinho?
- É mentira.....
A professora tenta ensinar matemática ao
Joãozinho.
- Se eu te der 4 chocolates hoje e mais 3
amanhã, tu vais ficar com...com.... com....
E o Joãozinho:
- Contente!
Diogo Martins e Ricardo Rompante