Canicultura Inglesa – II

Сomentários

Transcrição

Canicultura Inglesa – II
Antologia Canina
Canicultura Inglesa – II
Nos cães classificados de «desportivos» e no grupo de «gundogs» ( cães de caça a tiro), temos os seguintes:
A familia SETTERS, com três variedades, «Inglesa», «Irlandesa» e«Gordon», representa um dos mais belos
apuramentos do Reino Unido.
As primeiras duas, são de uma origem anosa e crê-se serem provenientes de «spaniels», isto é de antigos cães
peninsulares cruzados com «bracos».
No livro de John Caíus (1510-1573), publicado no ano de 1570, o autor afirma que os « Setters » não são mais
do que «spaniels» muito seleccionados.
Todas as três variedades são de lindas pelagens e de cores diferentes.
O «aristocrático» SETTER INGLES possui uma silhuêta atlética, sem ser pesada, elegante, com um corpo mais
comprido do que alto. É do tipo rectilíneo.
No dizer de Pierre Reudet: «É um gentleman harmonioso, tocado de uma centelha de génio».
A caçar traz naturalmente a cabeça alta, é dotado de muito bom olfacto, e os andamentos são muito rápidos e
de grande leveza. Quando pressente os eflúvios da caça, torna-se prudente, tomando posições de um felino, parece
caçar com a cautela de um tigre e faz paragens firmes, verdadeiramente espectaculares.
Caça todas as espécies cinegéticas, tanto em bosques de vegetação àspera e espinhosa, como em planices
pantanosas, para o que mostra uma natural predisposição, ao contrário do «Pointer», que não gosta muito da água dos
pauís.
É docil, obediente ao seu dono e tem uma expressão de olhar denunciadora de meiguice e de inteligência.
É muito apreciado em todo o mundo, havendo na América do Norte, no Canadá, em França, em Itália e em
muitos outros países, clubes da raça e muitos canís que produzem animais de primeira ordem.
Setter Irlandês
Foram inúmeros os criadores dedicados a esta raça, principalmente os Ingleses. Sobresai entre os primeiros,
Eduard Laverack, que começou por adquirir ao Rev. A. Harrison, no ano de 1826, o célebre casal, «Old Moll» e
«Pronto», ambos «blue belton». Tratavam-se de cães de pura raça, seleccionados pelo Rev. Harrison, que criou
«Setters Ingleses» durante 35 anos.
Laverack através de práticas de consanguinidade, obteve individuos notáveis em categoria, começando a
ganhar os melhores prémios nas primeiras exposições caninas, salientando-se extraordinàriamente nos «Field-Trials»
(provas de caça).
Estes cães foram denominados «Setters-Laverack». Ganham positivas qualidades como animais de trabalho,
mas começam a perder caracteristicas físicas, definhando pouco a pouco, aligeirando o esqueleto e tornando-se muito
mais esguíos.
Essas dificiências nos «Setters Ingleses» levam Purcell Llewellyn a iniciar tentativas para o revigoramento da
raça.
Recorre às infusões de sangue estranho, empregando para tal os «Gordons», mas, não obtem resultados
satisfatórios. Passa para os «Irlandeses» e consegue as indispensáveis correcções, chegando a apresentar um cão 7/8
de sangue Laverack, que agrada totalmente, rompendo assim com a consanguinidade. A raça resurge
consideravelmente.
Funda-se o Kennell Club, que começa a estabelecer regulamentos sobre criações e registos.
Em 1897, A. William Humphrey, grande mestre em assuntos de genética, dedica-se a esta raça e introduz
melhorias anatómicas apreciáveis, importando da América do Norte e do Canadá alguns exemplares, acabando por
conseguir animais perfeitamente constituidos, sendo mais rápidos e brilhantes, de fino nariz e cheios de estilo,
despresando um pouco os aspectos estéticos dos antigos.
Os muitos Clubes de «Field-Trials» conservam intactas todas as qualidades da raça no ponto de vista de
utilidade.
Humphrey além de grande técnico em assuntos zootécnicos, era um afamado «falcoeiro», tendo conseguido
caçar com uma águia, o que é difícilimo. Veio várias vezes a Portugal, para actuar como juiz nas primeiras exposições
Caninas.
Quando a linda pelagem dos «Setters Inglêses» é branca salpicada de negro e com manchas alaranjadas,
«lemonbeltom>; e os de malhas castanhas escuras, são «liver-belton».
Os ingleses são partidários dos cães de caça grandes, por isso nos últimos estalões fixaram a altura ao garrote,
nos machos em 0,63 a 0,67 cms., enquanto que os franceses, determinam a altura ideal em 0,56 a 0,62 cms.
O mais belo da famflia «Setter» é o «lRLANDÊS». com a sua rica pelagem vermelha-acaju.
É um magnífico cão de parar, mantendo um estilo típico, possuindo um nariz que lhe permite grandes
«aventamentos». É um cão com um corpo menos longo que o «Setter Inglês».
Sendo também de estruturação sólida e vigorosa é de uma soberania de linhas corporais. A cabeça
elegantemente esculpida é bem proporcionada com o resto do corpo. O seu olhar é doce e inteligente. Mede ao garrote
de 0,55 a 0,65 cms.
O «GORDON-SETTER» de cor negra e fogo, também de pêlo comprido, é uma selecção feita nos antigos canis
do Duque de Gordon e abandonada em 1836.
A sua altura é indicada no estalão de 0,59 a 0,64 cms.
O cão de paragem de grande projecção e com muitos fervorosos apreciadores é o POINTER.
Há quem tenha este conceito: É Impossivel haver um cão de outra raça que trabalhe melhor do que um bom
«Pointer».
O nome «Pointer» vem do espanhol«de punta», que significa «que aponta».
Quanto à sua primitiva origem, diz P. Megnin, que a sua proveniência é dos«bracos» espanhóis do século XIV.
Arkwright um dos mais conhecidos e probos criadores desta raça, no seu famoso livro «The Pointer», é mais
explícito atribuindo-o a um cão peninsular que foi para Inglaterra no século XVIII, vendido por um comerciante português.
Com sangues de outras raças, entrevindo os «Fox-hounds» que apurou as mucosas olfactivas, os cruzamentos
com o «Greyhound» para fornecer massa muscular e elegância de linhas e assim como outras, para lhe darem um fluxo
nervoso, etc., aparecem finalmente fixadas todas essas características, tornando-o um animal perfeitíssimo para o fim
em vista.
Todas os caçadores conhecem a silhueta do «Pointer».
É uma raça de pêlo raso, com grande vocação cinegética, de olfacto potentíssimo, muito firme nas
«amarracões» feitas sempre num estilo incomparável. É um cão de velocidade, a sua configuração é atlética. Forte
ossatura, bons rins, peito estreito e profundo, membros secos e muito musculados, jarrêtes baixos e a configuração da
espádua, inclinada, comprida e musculada predispõe este cão para um grande galopador, próprio para caçar em
grandes extensões de terreno.
Afirmam que esta raça se imobilisa naturalmente, na presença da caça, entre os 10 a 15 meses de idade;
também existem os casos precoces.
Mais tarde, com o grande apogeu do reinado da Rainha Victoria, tornou-se mundialmente conhecido e
considerado como uma das mais úteis raças de cães de «parar» de todos os tempos.
É criado em muitos países. Numa recente estatística, revela que em Itália as raças mais numerosas são: 1º o
«Pointer», 2º «Setter Inglês», 3º «Braco Alemão».
Fora das fronteiras, tem sido a raça preferida para beneficiar muitos outros bracos.
Todas as cores são admitidas no Pointer, sendo as mais apreciadas o branco com malhas cor de laranja, ou
castanhas ou pretas, com ou sem pintas. O preto unicolor também tem muitos adeptos.
Arkwright considerava suspeitos todos os Pointers tricolores.
Manuel F. Morêda
In Jornal “O Mundo Canino” – Novembro de 1969