Anais 22º CIORJ

Сomentários

Transcrição

Anais 22º CIORJ
ANAIS
Concurso de Painéis Científicos
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 1 de 431
ANAIS 22º CIORJ
Anais do Concurso de Painéis Científicos
Concursos Científicos
Coordenador
ARMANDO HAYASSY
Assessores
CARLOS FERNANDO MOURÃO
LUIS RENAN GASSE BOSSOROY
IGOR MOSCI DOS TABAJARAS DE NUNES
RODRIGUES
MARCOS VINICIUS ABDORAL
JONATHAN RIBEIRO DA SILVA
MARIA CRISTINA QUELHAS
RIVA MARQUES CAMPOS
Avaliadores
ALESSANDRA AREAS E SOUZA
CAMILA OLIVEIRA BORGES FRAZÃO
FABIANA CERVO DE BARROS
ALEXANDRE CARVALHO TEIXEIRA
CARLOS FERNANDO MOURÃO
FELIPE GONÇALVES BELLADONNA
ALEXANDRE PEREZ MARQUES
CLARICE AUSTREGÉSILO BARBOSA
FERNANDA NUNES DE SOUZA
ALIA REGINA PORTO
DANIEL PEREIRA PARREIRAS DE
BRAGANÇA
FILIPE HAYASSY RABELLO
ALINE DOS SANTOS LETIERI
DANIEL TELLES
FLÁVIA ALMEIDA BARBOSA
AMAURI FAVIERI RIBEIRO
DÁRIA GLÁUCIA RANGEL DA CRUZ
BUSQUET FERREIRA
GUSTAVO TEDESCO
ANDERSON JAÑA ROSA
EDSON MARCUS CEZÁRIO
HELDER VALIENSE
ANDERSON TADASHI SAMEJIMA
EDSON JORGE LIMA MOREIRA
HERALDO ELIAS SALOMÃO DOS SANTOS
ANDRÉ FÁBIO VASCONCELOS MORO
ELSON CORMACK
HERNANDO VALENTIM DA ROCHA JR
ANDRÉ MALLMANN
ESIO VIEIRA
IGOR BASTOS BARBOSA
BRUNA NINA BOTRELL
EUDIVAR CORREIA DE FARIAS NETO
JANAINA NUNES SAMPAIO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 2 de 431
ANAIS 22º CIORJ
Avaliadores
JONATHAN RIBEIRO DA SILVA
MARCELO GARBOSSA
NATÁLIA RODRIGUES MANES
JOSÉ CARLOS GAROFALO
MARCELO JOSÉ P. G. DE UZEDA
NATHALIA ALBRECHT
JOSÉ COLUMBANO NETO
MARCELLO GHETTI DE MELO
NATHALIA DE ALMEIDA FREIRE
JOSÉ MASSAO MIASATO
MARCIA MARIA PEREIRA RENDEIRO
PABLO SOTELO
JULIANA DE NORONHA SANTOS NETTO
MARCIA REJANE THOMAS CANABARRO
ANDRADE
PATRÍCIA ARRIAGA CARVALHO
JULIANA TRISTÃO WERNECK
MARCIO SALLES FERREIRA
RAIMUNDO ALEXANDRE DA SILVEIRA
VIDIGAL LACERDA
KARLA BIANCA FERNANDES DA COSTA
FONTES
MARCOS ANTÔNIO NUNES COSTA
SILAMI
RAQUEL RAMOS CASTELLO
KEYLA FREIRE PEREIRA
MARCUS VINICIUS CORVELO DE
ANDRADES
RENATA COSTA VAL RODRIGUES
LAURA MARIA DE OLIVEIRA SOTELO
MARIA CRISTINA QUELHAS
RIVA MARQUES CAMPOS
LIANA BASTOS FREITAS FERNANDES
MARIA CYNÉSIA MEDEIROS DE BARROS
TORRES
RODRIGO FIGUEIREDO DE BRITO
RESENDE
LILIAN VIEIRA LIMA
MARIA ISABEL BASTOS VALENTE
RUDÁ FRANÇA MOREIRA
LUCIANA FONSECA BORGES
MARIA ISABEL DE CASTRO DE SOUZA
SANDRA REGINA FERNANDES
ALBUQUERQUE
LUCIANA POMARICO
MARIA SILVIA NACAO
SILENO CORRÊA BRUM
LUCÍOLA RANGEL DE LUCA
MARIANA FAMPA FOGACCI
SONIA GROISMAN
LUIS ANTONIO TATO LUCIANO DOS
SANTOS
MARIANE MICHELS
TATIANA KELLY DA SILVA FIDALGO
LUIS PAULO DINIZ BARRETO
MARLUS ROBERTO RODRIGUES
CAJAZEIRA
TEREZA CRISTINA ALMEIDA GRAÇA
LUIZ FELIPE ALMEIDA GRAÇA
MAURO D’OLIVEIRA
VANESSA MOLINA ASCO
LUIZ OTÁVIO RIBEIRO GARCIA
MÔNICA ISRAEL
WILLIAM CHAIA
MARCELA MELO DOS SANTOS
MONIQUE OLIVEIRA RODRIGUES
MARCELO CLÁUDIO GAMA DE
CARVALHO
NATÁLIA ARAÚJO SILVA PRADO
Associação Brasileira de Odontologia – Seção do Rio de Janeiro
Rua Barão de Sertório, 75 - Rio Comprido
Rio de Janeiro - RJ, 20261-050, Brasil.
Telefone: (21) 2504-0002 / Fax: (21) 2504-3859
www.aborj.org.br
Anais disponibilizados nos endereços:
www.ciorj.org.br
www.aborj.org.br
Filiação
FDI World Dental Federation
Federación Odontológica Latino Americana
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 3 de 431
ANAIS 22º CIORJ
Índice dos Trabalhos apresentados
no Concurso de Painéis Científicos
Painéis Clínicos
............................................. pág. 005 - 210
Painéis de Revisão
............................................. pág. 211 - 330
Painéis de Pesquisa
............................................. pág. 331 – 431
Constam nestes Anais todos os trabalhos que se apresentaram e foram analisados pelos
avaliadores do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ.
Os conteúdos apresentados a seguir bem como a redação empregada para expressá-los são de inteira
responsabilidade de seus autores. O texto final de cada resumo está representado da mesma forma com
que foi submetido pelos autores ao 22º CIORJ.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 4 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Protocolo de Maxila com Ativação Tardia Após Enxerto de Alvéolos com Bone Ceramic.
Abílio Augusto Sobrinho Rodrigues
Marcelo Vinicius Rizzo
CO AUTORES Cleide Gisele Ribeiro
Bruno Salles Sotto Maior
Mendonça
ORIENTADOR Neuza Maria Souza Picorelli Assis
A perda dos dentes resulta em atrofia alveolar e muitos materiais têm sido utilizados
para a compensação desta perda volumétrica. O objetivo deste trabalho foi descrever a
utilização do substituto ósseo Bone Ceramic (Straumann) como enxerto em alvéolos de
extração para manutenção de volume do rebordo maxilar, instalação tardia de implantes
e confecção de prótese tipo protocolo. Paciente L. V. L. G. foi submetida a extrações dos
dentes superiores, seguida de curetagem dos alvéolos e preenchimento com o Bone
Ceramic. Foi confeccionada uma prótese total provisória. Após o período de sete meses,
foram instalados seis implantes (HE - Easy Grip - Conexão). Como não obtiveram
RESUMO
travamento mínimo para a ativação imediata, os implantes foram submersos e foi
aguardado o período de seis meses para que osseointegração ocorresse. Em seguida, a
paciente foi submetida à cirurgia de reabertura para exposição dos implantes que foram
ativados e a prótese definitiva tipo protocolo foi instalada. Foram realizadas radiografias
panorâmicas para acompanhamento do caso. A prótese encontra-se em função há 24
meses. Ao exame clínico, constatou-se que a prótese apresenta boa estética e função,
bem como a satisfação da paciente. O enxerto com Bone Ceramic mostrou-se como uma
boa alternativa para o preenchimento dos alvéolos de extração.
TÍTULO
AUTOR
Fibroma Ossificante Juvenil Psamomatóide: Relato de Caso
Adnaiane Kelly Moraes Soares
Wanessa Alice Santos
Bruno Augusto Benevenuto
CO AUTORES
Paulo Bartholo
Miranda
de Andrade
ORIENTADOR Mário José Romañach
O fibroma ossificante juvenil (FOJ) é uma neoplasia benigna agressiva que usualmente
acomete pacientes jovens, caracterizada pela proliferação de material mineralizado em
meio a um estroma fibroso. Baseado nas características clínicas e microscópicas, duas
variantes do FOJ são reconhecidas: trabecular e psamomatóide. Paciente do gênero
masculino, 20 anos de idade, apresentou aumento de volume assintomático medindo
cerca de 5 cm, localizado na região fronto-orbitária esquerda, com evolução de 10 anos,
causando importante distopia ocular. Em exames de imagem observa-se lesão mista
multilocular que causa expansão e adelgaçamento das corticais ósseas do osso frontal,
RESUMO
respeitando a linha média. O paciente foi submetido à biópsia incisional em ambiente
hospitalar, a qual microscopicamente revelou a presença de estroma fibroso altamente
celularizado em meio a múltiplas formações concêntricas de material mineralizado. O
diagnóstico final foi de FOJ variante psamomatóide. O tratamento consistiu na remoção
cirúrgica conservadora da lesão e o paciente encontra-se sem sinais de recidiva 6 meses
após a cirurgia. A variante psamomatóide do FOJ acomete preferencialmente os ossos
frontal, zigomático e seios paranasais de pacientes com média de idade de 22 anos,
consistindo em importante diagnóstico diferencial de lesões fibro-ósseas da região oral e
maxilofacial de pacientes jovens.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 5 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Gengivite Ulcerativa Necrosante e Estomatite Necrosante em Paciente com Doença
Falciforme
AUTOR
Adriana Menucci Bachur da Silva
CO AUTORES Marcela Ferraz
Fabiana de Paoli
Danielle Accetta
ORIENTADOR Wellington Cavalcanti
Este relato visa acrescentar um caso de doença periodontal necrosante à literatura,
relacionando com a Doença Falciforme (DF). A.G.L.P., 14 anos, gênero feminino,
portadora de DF, procurou o Setor de Odontologia do HEMORIO, relatando dor e
sangramento gengival na arcada superior. Ao exame clínico, foram observados:
tratamento ortodôntico em andamento, usando aparatologia fixa, ausência de
linfonodopatia, higiene bucal deficiente, sangramento gengival espontâneo, necrose em
papilas interdentais dos elementos ântero-superiores, úlcera em freio labial superior e
odor fétido. Foi feito diagnóstico de Gengivite Ulcerativa Necrosante (GUN) e Estomatite
RESUMO
Necrosante. Como a GUN pode estar relacionada com imunossupressão, a paciente foi
encaminhada ao hematologista para investigação da condição atual da doença-base. Foi
realizada terapia antimicrobiana, associada ao controle mecânico da placa e instrução de
higiene oral. Após 7 dias, observou-se total remissão dos sinais e sintomas. É possível
que a doença periodontal seja suficiente para estimular uma resposta inflamatória e
precipitar a crise falcêmica. Logo, é importante que o cirurgião-dentista relacione as
manifestações orais às possíveis patologias sistêmicas e, sempre que julgar necessário
encaminhe ao médico.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
Tratamento de Hemangioma em Língua com Criocirurgia: Relato de Caso
Adriane Romeiro Bispo
Antonio Dionízio de
Ranna Jacielly Lopes da
CO AUTORES
Luiz Arthur Barbosa Silva
Albuquerque Neto
Rocha Lins
ORIENTADOR Pedro Thalles Bernardo de Carvalho Nogueira
A criocirurgia é uma técnica que consiste na aplicação tecidual de temperaturas muito
baixas com a finalidade de provocar uma isquemia local, dano tecidual e
consequentemente à morte celular. É utilizada no tratamento de lesões benignas e
potencialmente malignas da cavidade oral, devido sua eficácia e condição conservadora,
baixo desconforto cirúrgico e pós-operatório, sangramento e cicatriz mínimos, além de
baixa incidência de infecção secundária. Os hemangiomas são neoplasias benignas
caracterizadas por proliferação de células endoteliais, cuja etiologia é multifatorial, pode
ser classificado como capilar, juvenil, cavernoso e arteriovenoso. O objetivo do presente
RESUMO
estudo se reporta ao caso de uma paciente leucoderma, 65 anos de idade, gênero
feminino, que deu entrada no Ambulatório de cirurgia e traumatologia Bucomaxilofacial,
com queixa de lesão arroxeada em língua. Ao exame físico verificou-se a presença de
lesão nodular localizada em borda lateral esquerda da língua, assintomática, com
história aproximada de dois anos. Diascopia positiva e punção aspirativa de conteúdo
sanguinolento, com diagnóstico clínico de lesão hemangiomatosa. Foi submetida à
criocirurgia sob anestesia local, através da técnica do spray com nitrogênio líquido. Com
total remissão da lesão dentro de quinze dias, e sob proservação de dois anos não se
verificou complicações ou sinais de recidiva.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 6 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Inter-relação Perio-implante: Instalação de Implante Imediato com Recobrimento
Tecidual Utilizando a Técnica de Tinti.
AUTOR
Alef Fonseca de Mattos Xavier
CO AUTORES Luis Paulo Diniz Barreto
Marcela Melo dos Santos
ORIENTADOR Guaracilei Maciel Vidigal Jr
Os implantes osseointegrados podem ser instalados cirurgicamente, em diversas fases. A
escolha do prazo depende de fatores estruturais ósseos, estéticos e funcionais. A técnica
de implante imediato pós-exodontia pode preservar as cristas ósseas vestibulares, o que
é determinante para o sucesso estético da reabilitação. Paciente LDB, 28 anos
compareceu no consultório dentário queixando-se de dor no elemento 26, que
apresentava uma restauração em resina. Após tentativas de tratamento com a
realização de nova restauração e, posteriormente, tratamento endodôntico, houve
fratura longitudinal do mesmo, sendo indicada a exodontia e realização de implante
RESUMO
imediato. Foi feita exodontia minimamente traumática, e instalação de implante
imediato com preenchimento do espaço entre o implante e as paredes do alvéolo com
hidroxiapatita de origem bovina. Mantendo a arquitetura gengival vestibular não foram
realizadas incisões relaxantes. Para o fechamento da área operada foi escolhida a
realização do retalho palatino de Tinti, sendo girado um retalho de tecido queratinizado
do palato mantendo assim o implante e o material particulado protegido. A técnica de
implante imediato associado ao retalho de Tinti apresenta ótimo prognóstico com
relação à manutenção dos tecidos Peri-implantares vestibulares, gerando na área
operada um tecido queratinizado que favorecerá a reabilitação protética.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
Reabilitação Bucal de Paciente Infantil Portador de Displasia Ectodérmica: Relato de Caso
Alessandra Rezende da Silva
Luis Caludio Assunção
Lucia Helena Raymundo de
CO AUTORES
Patrícia Nivoloni Tannure
Andrade
Andrade
ORIENTADOR Andrea Graciene Lopez Ramos Valente
A displasia ectodérmica é uma condição hereditária em que duas ou mais estruturas
anatômicas hereditárias originadas do ectoderma apresentam falhas no seu
desenvolvimento.De acordo com o tipo de displasia ectodérmica encontra-se aplasia ou
hipoplasia de tecidos como pele, cabelos, unhas, dentes ou glândulas sudoríparas. As
formas de displasia ectodérmica mais frequentes são a hipohidrótica, também conhecida
como anidrótica ou síndrome de Christ-Siemens-Touraine e a hidrótica ou síndrome de
Clouston. A complexidade do tratamento odontológico de um paciente com displasia
ectodérmica depende da extensão do comprometimento clínico causado pela
RESUMO
enfermidade. Geralmente, o tratamento é multidisciplinar, visando fornecer melhor
qualidade de vida ao paciente.Este trabalho tem por objetivo apresentar um caso clínico
de uma paciente infantil, 9 anos de idade, portadora de displasia ectodérmica
hipohidrótica, cujo tratamento odontológico reabilitador consistiu em restaurações
estéticas de cerômero nos dentes conóides (12,22,31 e 32) e no fechamento do
diastema entre os dentes 11 e 21, além da instalação de uma prótese parcial removível
para reabilitar estética e função na área edêntula gerada pela anodontia dos elementos
41 e 42.O resultado final proporcionou recuperação da estética e função
comprometidas, devolvendo autoestima à paciente e melhorando sua qualidade de vida.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 7 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Restabelecimento da Estética Dentária e Periodontal Através de uma Restauração
Transcirúrgica
AUTOR
Alexandre de Rossi
CO AUTORES Caroline Fernandes e Silva
Luis Eduardo Rilling da Nova Cruz
ORIENTADOR Josué Martos
Uma restauração é classificada como satisfatória, quando consegue permitir uma
interação saudável com todas as estruturas biológicas da cavidade oral, compreendendo
necessidades estéticas, anatômicas e fisiológicas. Existem algumas situações clínicas
como as fraturas coronárias ou corono-radiculares levam a perda cervical de estrutura
dental e invadem a zona do espaço biológico do periodonto, impossibilitam
procedimentos supragengivais, necessitando de intervenções cirúrgico-periodontais. O
objetivo deste trabalho é descrever o tratamento restaurador transcirúrgico de um
incisivo central superior (21) fraturado e com margens subgengivais nas faces vestibular
RESUMO
e mesial. A partir do acesso cirúrgico às margens dentais associado a uma plastia da
superfície radicular realizou-se o isolamento do campo operatório. Após os
procedimentos adesivos de rotina e incrementos de resina composta, partiu-se para a
remoção de irregularidades e o refinamento da adaptação do material. O caso apresenta
controle clínico-radiográfico de 24 meses, observa-se a manutenção de uma excelente
condição clínica dos tecidos periodontais aliado ao controle de placa por parte do
paciente. Conclui-se que a abordagem empregada permitiu o restauro da fratura com
adequado contorno e polimento, solucionando o problema restaurador, sem prejuízos
para a estética vermelha e para a saúde dos tecidos periodontais.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
Granuloma Piogênico Entre Incisivos Centrais
Alexandre Juliano dos Santos
Carlos Eduardo Pereira
CO AUTORES
Rodrigo Cária Magalhães
Alexandre Fonseca Davatz
Cunha
ORIENTADOR Márcio Américo Dias
Granuloma piogênico (GP) é um processo proliferativo reacional multifatorial, podendo
acometer pele e mucosa. Na cavidade bucal, pode afetar língua, mucosa palatina e jugal,
sendo este mais comum na região gengival. Sua manifestação clínica se dá através de
uma lesão lobulada ou plana, pediculada e na maioria dos casos com superfície ulcerada.
Normalmente o tratamento preconizado é a exérese da lesão, com posterior envio para
exame anatomopatológico, para diagnóstico diferencial de qualquer lesão que acometa
mucosa oral e gengiva, também é necessário a remoção do trauma local, visto que a
lesão apresenta chances de recidiva caso haja persistência do trauma local. Proposição
RESUMO
de apresentar o caso clínico de R.S.F., sexo feminino, 39 anos, feoderma, que
compareceu ao consultório particular queixando-se de uma ferida entre seus dentes
anteriores, ao exame intra bucal foi constatada lesão ulcerada entre os elementos 11 e
21, indolor, com aspecto bastante avermelhado, com sangramento ao toque, em virtude
da grande vascularização no local. Assim, pode-se levantar a hipótese diagnóstica de
granuloma piogênico. O tratamento eleito para a lesão foi exérese cirúrgica, com
remoção total da lesão. Após a remoção da peça, foi separada e colocada em frasco com
formol a 10% e enviado para exame anatomopatológico. E o paciente encontra-se em
proservação, sem sinais de recidiva.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 8 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Frenectomia Labial em Paciente Portador da Síndrome de Down – Relato de Caso Clínico.
Alexandre Thurler Paes
Cláudio Jorge Campos
Rodrigo Figueiredo de Brito
CO AUTORES
Pinkie Seabra Marra
Fernandes
Resende
ORIENTADOR Marcelo Ventura de Andrade
Os portadores da Síndrome de Down apresentam uma alta incidência de doença
periodontal. Observa-se nesses pacientes falta de migração dos linfócitos para a área de
inflamação, redução da função dos neutrófilos e prevalência de bactérias
Melanogênicas. Estas alterações associadas ao biofilme, são responsáveis pela
progressão rápida da doença periodontal. A manutenção de um alto padrão de
escovação talvez seja a maior dificuldade nesses pacientes. O objetivo deste trabalho é
apresentar um caso de frenectomia labial realizado no paciente portador da Síndrome
de Down P.R.L.F., com 32 anos compareceu ao ambulatório do Hospital Estadual Rocha
RESUMO
Faria, apresentando gengivite na região de incisivos superiores. A responsável relatou
que encontrava dificuldade em tracionar o lábio para cima e sempre que escovava batia
no freio labial, impossibilitando a escovação. Após anamnese e exame clínico, a
frenectomia labial foi indicada. Esse caso vem reforçar a importância da individualização
do tratamento, apesar deste procedimento não ser o de escolha para os pacientes
portadores da Síndrome de Down devido uma deficiência na resposta inflamatória e
relativa dificuldade de controle comportamental, optou-se pela realização da cirurgia
pelo fato do paciente ser colaborador e por possibilitar uma escovação adequada.
Ressecção em Bloco em Paciente Infantil Por Lesão Central Células Gigantes Agressiva
em Maxila.
AUTOR
Aline Cerqueira Moura e Silva
Ana Paula Eufrázio do
Fernando Bastos Pereira
CO AUTORES
Mirella Falcão Lima
Nascimento Andrade
Júnior
ORIENTADOR Márcio Campos Oliveira
A lesão central de células gigantes (LCCG) é um tumor benigno raro, não neoplásico,
intraósseo, com predileção por pacientes jovens do sexo feminino e sem etiologia
definida. Frequente em região anterior da mandíbula, quando acomete a maxila pode
invadir assoalho de órbita, seio maxilar e fossas nasais. O objetivo deste trabalho é
relatar um caso de LCCG em uma criança, sexo feminino, 10 anos, com lesão de 5 cm, em
maxila esquerda, com re incidência agressiva após 6 anos. Foi realizada biópsia
incisional, com laudo histopatológico confirmatório e dosagens séricas de cálcio, fosfato,
fosfatase alcalina e paratormônio normais, excluindo o diagnóstico diferencial de tumor
RESUMO
marrom do hiperparatireoidismo. Os exames de imagem demonstraram invasão em seio
maxilar e deslocamento dentário. A lesão foi tratada com injeções intra-lesionais de
corticosteróides, Theracort 40, 1 aplicação semanal, sem regressão, durante 6 semanas.
Optou-se pela hemimaxilectomia e uso de telas de titânio em âmbito hospitalar. Esse
estudo demonstrou que mesmo sendo uma lesão benigna, de acordo com a
agressividade, pode ser bastante destrutiva e necessitar de ressecção em bloco.
Ressaltando assim, a importância do diagnóstico precoce e correto com o intuito de
estagnar o crescimento da lesão e evitar o tratamento cirúrgico mutilador, preservando
a integralidade dos ossos gnáticos e estruturas dentárias.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 9 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Reabilitação Oral em Odontopediatria: Relato de Caso
Aline de Oliveira Lima Nunes
CO AUTORES
Ylana Rosa Matos
Isabelly de Carvalho Leal
Ana Beatriz Silveira
Rodrigues
ORIENTADOR Morgana Ponte Brasil Gradvohl
A doença cárie é uma condição oral multifatorial que pode acometer dentes
permanentes e dentes decíduos. A perda extensa de substrato dentário em pacientes
infantis repercute fortemente no desenvolvimento da oclusão futura, tendo relação com
a fonética e função mastigatória do indivíduo, além da perda estética, ocasionando
transtornos comportamentais. Nesses casos, uma opção de tratamento são as próteses
overdenture. Esse trabalho tem como objetivo relatar um caso de reabilitação oral em
dontopediatria utilizando prótese overdenture em dentes anteriores. Paciente H.C.M., 5
anos de idade, sexo masculino, chegou à clínica presentando destruição dentária por
RESUMO
cárie em múltiplos elementos, principalmente nos dentes 61, 62, 71, 72, 81, 82. Foi
realizada moldagem superior e inferior e solicitado ao laboratório a execução de uma
Placa de Hawley removível com dentes de estoque nas regiões dos dentes 61 e 62 para a
arcada superior e um Aparelho de Schwarz removível com dentes de estoque na região
dos dentes 72 a 82 para a arcada inferior. O resultado estético-funcional mostrou-se
bastante satisfatório, sendo possível perceber melhora da auto-estima, da estética e da
fonética do paciente, somada a benefícios funcionais, como leve expansão maxilar,
permitindo o crescimento transverso da maxila.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Cirurgia Ortognática para Correção de Deformidade Dentofacial Severa – Relato de Caso
Aline Fernanda Costa Vaz
Fernanda Durski
Rodrigo Gomes
Leandro Kluppel
Rafaela Scariot
A cirurgia ortognática consiste em um procedimento eletivo para o tratamento das
deformidades dentofaciais, localizadas em um único osso ou sendo uma deformidade
combinada entre maxila, mandíbula e/ou mento, de modo a atuar em conjunto com a
terapia ortodôntica da má-oclusão. Paciente PHOS, sexo masculino, compareceu ao
Serviço de Cirurgia Bucomaxilofacial apresentando deformidade dentofacial, com
excesso vertical de maxila e deficiência anteroposterior de mandíbula e mento, além de
mordida aberta anterior. Na anamnese, o paciente relatou tratamento ortodôntico
prévio, sem sucesso. O plano de tratamento proposto foi cirurgia ortognática para
impactação anterior da maxila e alteração do plano oclusal, fechamento de mordida
aberta com avanço da mandíbula do mento. A cirurgia foi realizada em ambiente
hospitalar, sob anestesia geral, sem intercorrências. Foi impactado 4mm na região
anterior de maxila e baixado 2mm na porção posterior, realizando um giro anti-horário
da maxila. A mandíbula foi avançada 10mm, e o mento foi avançado 8mm. A
estabilidade da oclusão do paciente foi mantida com elásticos no pós-operatório.
Atualmente, o paciente se encontra estável, com a função mastigatória restabelecida e
com excelentes resultados estéticos e/ou funcionais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 10 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Reconstrução com Resina Acrílica em Paciente Submetido à Ressecção Mandibular:
Relato de Caso.
AUTOR
Aline Lopes do Rêgo Barros
Ricardo José de Holanda
André Luiz Guimarães da
CO AUTORES Airton Vieira Leite Segundo
Vasconcellos
Silva
ORIENTADOR Emerson Filipe de Carvalho Nogueira
A reconstrução mandibular é um dos principais desafios para a cirurgia bucomaxilofacial
no que diz respeito ao restabelecimento e estabilidade funcional. Atualmente, as opções
para essas reconstruções são os enxertos autógenos e os materiais aloplásticos. Dentre
os materiais aloplásticos uma opção é uso da resina acrílica, que tem como vantagens:
não causar morbidade adicional ao paciente, mínima reação inflamatória, fácil
disponibilidade, facilidade de adaptação local e o baixo custo.O presente trabalho relata
o caso de uma paciente, 70 anos, com queixa de aumento de volume em mandíbula
direita. Os exames de imagens demonstraram imagem radiolúcida, multiloculada, com
RESUMO
margens bem definidas, envolvendo corpo mandibular, ramo e côndilo direito. A
hipótese diagnóstica foi de ameloblastoma multicístico, a qual foi confirmada após
biópsia incisional. A confecção da prótese foi realizada utilizando um modelo de
estereotipagem. O tratamento de escolha foi a mandibulectomia parcial e reconstrução
com prótese articular de resina acrílica, fixada com placa de reconstrução do sistema 2.7.
Após 12 meses, o paciente não apresenta sinais de recidiva, queixas clínicas, e apresenta
boa simetria facial e movimentos mandibulares satisfatórios. A reconstrução condilar
com a utilização da resina acrílica mostra ser uma opção de baixo custo e sucesso pósoperatório nas ressecções mandibulares.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Primeiro Molar Superior com Seis Canais Radiculares - Relato de Caso.
Aline Tavares Lima Holanda
Mônica Meneses Lima
Giovanna Dodt Sales
Cláudio Maniglia Ferreira
Fábio de Almeida Gomes
A complexidade da anatomia do sistema de canais radiculares constitui um desafio
contínuo para o endodontista. A morfologia do primeiro molar superior permanente
contém inúmeras variações referentes ao número de raízes, de canais e à sua
localização. O conhecimento da anatomia pulpar normal pode ser tão relevante quanto
o conhecimento de possíveis variações morfológicas para o sucesso da terapia
endodôntica. O primeiro molar superior se caracteriza por apresentar, geralmente, três
raízes e quatro canais, ou, às vezes, apenas três canais. Apesar dessa anatomia mais
frequente, alterações na quantidade, morfologia e distribuição do sistema de canais
radiculares pode existir. O estudo caracteriza-se por um relato de caso clínico de um
primeiro molar superior composto por seis canais radiculares, no qual foi realizado o
tratamento endodôntico. O objetivo desse trabalho é apresentar e descrever o
tratamento endodôntico de um primeiro molar superior apresentando seis canais
radiculares. O conhecimento da anatomia interna, bem como de suas diversidades, é de
suma importância para o sucesso do caso, aliado ao uso de tecnologias, como
microscópio operatório, ultrassom e tomografia computadorizada, fazendo com que o
tratamento endodôntico seja realizado com sucesso.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 11 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Adequação de Prótese Total como Instrumento de Diagnóstico
Alinne Jenifer Brandão Lima
Isadora Barreto
Rodrigo Tiossi
Cristina Costa de Almeida
As próteses totais "em uso" são úteis para diagnóstico, planejamento e simulação do que
esperar das próteses novas. A visualização tridimensional das alterações planejadas para
a prótese permite aos pacientes entender a natureza dessas modificações, bem como,
reduzir a ansiedade decorrente. Além disso, deve orientar o cirurgião-dentista e
protético para a confecção das próteses novas. Paciente do sexo feminino, 52 anos,
usuária de prótese total superior e ausência dos dentes 36, 37, 38 e 46, 47, 48 no arco
inferior, procurou a disciplina de Prótese Parcial Removível da Faculdade de Odontologia
- UFF para reabilitação. Ao exame clínico foi constatado perda de dimensão vertical
devido a ausência de contatos oclusais, além de apresentar prótese total superior em
classe III de Angle. Foram obtidos modelos de gesso tipo III para articulação e confecção
de planos de cera. Na prova dos planos de cera, foi restabelecida a DVO para posterior
montagem dos dentes artificiais posteriores. Na prova dos dentes da PPR overlay,
overjet e overbite foram definidos com a montagem dos dentes artificiais anteriores. O
tratamento foi realizado com sucesso e a paciente deverá retornar para a confecção da
prótese total superior definitiva.
Utilização da Toxina Botulínica como Tratamento do Sorriso Gengival: Relato de Caso
Clínico
AUTOR
Amanda Alves Martins
CO AUTORES Cirley Maria de Lima Lessa
ORIENTADOR Mariella Agostinho Gonçalves
O sorriso gengival é uma das maiores queixas estéticas da atualidade, pois a exposição
exagerada de gengiva ao sorrir pode causar constrangimento ao paciente. Sua etiologia
está relacionada a diversos fatores, dentre ele a hiperatividade dos músculos elevadores
do lábio superior. Disfunções musculares podem ser tratadas com toxina botulínica,
causando desenervação química temporária dos músculos. Na Odontologia a toxina
também é utilizada na disfunção temporomandibular, dor orofacial, sorriso gengival,
sorriso assimétrico, entre outras aplicações. Os efeitos clínicos ocorrem em um período
de 1 a 7 dias após a aplicação e duram aproximadamente 6 meses. O presente trabalho
RESUMO
pretende, por meio de um relato de caso clínico, abordar os benefícios do uso da toxina
botulínica para o tratamento do sorriso gengival. Paciente A. P., sexo feminino, 24 anos,
leucoderma, procurou atendimento odontológico queixando-se de insatisfação ao sorrir,
devido à exposição exagerada do tecido gengival. Após anamnese e exame físico, optouse pela gengivectomia e gengivoplastia, seguidas da aplicação da toxina botulínica. A
associação entre estes métodos resultou no sucesso do tratamento. Conclui-se que
utilizando a toxina botulínica como método de correção do sorriso gengival apresenta
várias vantagens, incluindo facilidade e segurança durante a aplicação, rápida ação,
baixo risco e efeito reversível.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 12 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Reabilitação de Elementos Unitários Anteriores Utilizando Implantes Ósseo integrados
de Diâmetro Reduzido com Conexão Cone Morse
AUTOR
Amanda Gomes Pizzolato
CO AUTORES Amanda Garcia Mayworm
Élson Braga de Mello
Osmar de Agostinho Neto
ORIENTADOR Jeter Bochnia Ribeiro
Implantes de conexão Cone Morse vêm sendo indicados por minimizar a perda óssea
perimplantar, o que é explicado pelo forte embricamento entre a superfície interna do
implante e o componente protético, levando a uma menor movimentação entre estas
estruturas e evitando a penetração de microrganismos. Além disso, tais componentes
com plataforma reduzida geram uma menor reabsorção óssea devido à sua localização
mais distante da crista. O presente trabalho tem como objetivo apresentar um caso
clínico complexo onde um paciente do sexo masculino, 42 anos, apresentou-se com
mobilidade no implante na região do elemento 21, levando à necessidade de removê-lo;
RESUMO
este suportava ambos incisivos centrais em uma prótese parcial fixa. Além da sobrecarga
biomecânica gerada pelo elemento 11 em cantilever, foi diagnosticado trauma mecânico
crônico devido ao uso de placa noturna para o tratamento de apneia, comprometendo a
ósseointegração. Após procedimento de regeneração óssea, uma vez que o implante
instalado anteriormente possuía grande diâmetro, o paciente foi reabilitado com
implantes ósseointegrados de diâmetro reduzido com conexão Cone Morse nas regiões
dos elementos 11 e 21, com posterior cimentação de coroas totais de zircônia usinadas
por CAD-CAM. Desta forma, o resultado final mostrou-se eficaz em restituir os
parâmetros funcionais, estéticos e fonéticos do paciente.
TÍTULO
Fratura Mandibular Por Projétil de Arma de Fogo em Paciente com Vulnerabilidade
Facial: Relato de Caso.
AUTOR
Amanda Veiga Francisco da Silva
CO AUTORES Gilberto Leal Grade
Letícia Kirst Post
Michelle Zardin Furich
ORIENTADOR Otacílio Luiz Chagas Junior
Os agentes etiológicos das fraturas mandibulares variam de acordo com a localização
geográfica do estudo, distribuídos de acordo com sua freqüência em: acidentes
automobilísticos, agressão física, acidentes desportivos, por armas de fogo e fraturas
patológicas. A violência e o uso indiscriminado das armas de fogo tornaram os
ferimentos por projétil de arma de fogo (PAF), comum nos grandes centros e geralmente
acometem a região maxilofacial, principalmente o terço inferior da face. Nos ferimentos
por PAF em face, predominam as fraturas cominutivas em mandíbula e a presença de
focos infecciosos. A forma de tratamento clássico das fraturas mandibulares por arma
RESUMO
de fogo se constitui da redução fechada e bloqueio maxilomandibular. Contudo, em
determinados casos, opta-se pelo tratamento aberto e fixação interna estável. O
presente trabalho tem por objetivo descrever o caso de um paciente do sexo masculino,
30 anos, leucoderma, tabagista, usuário de crack em abstinência, vítima de projétil de
arma de fogo, com fratura complexa infectada em sínfise mandibular. O paciente está
em acompanhamento no serviço há 3 meses, com retornos assíduos ao serviço de
urgência e emergência devido a novas agressões. O presente caso mostra a dificuldade
do tratamento de pacientes com uma maior vulnerabilidade e probabilidade de traumas
consecutivos, com o material disponível no sistema único de saúde.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 13 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Dentes com Distúrbios de Desenvolvimento Associados à Impactação de Incisivo Central
Superior Permanente: Relato de Caso
AUTOR
Ana Beatriz Freitas Pimenta
Oswaldo de Castro Costa
CO AUTORES Fernanda Mafei
Kairon Dias
Filho
ORIENTADOR Luciana Pomarico
O dente supranumerário é uma anomalia de número que acomete ambas as dentições,
podendo causar alterações na erupção dos dentes adjacentes, impactação de dentes da
série normal e maloclusão. É uma alteração frequentemente diagnosticada em exames
radiográficos de rotina. O presente trabalho teve como objetivo descrever um caso
clínico de dentes supranumerários com alteração de tamanho e forma, que causaram a
impactação do incisivo central superior direito permanente. Paciente do gênero
masculino, 12 anos de idade, compareceu à clínica de Odontopediatria de uma
instituição pública de ensino com queixa de mau posicionamento do dente ânteroRESUMO
superior. Ao exame clínico observou-se ausência de cárie dentária e a presença de um
dente girovertido e com alteração de tamanho localizado na região de incisivo central
superior direito. Foi realizada uma radiografia panorâmica de rotina no paciente, e com
o exame radiográfico detectou-se além do elemento 11 impactado, a presença de um
mesiodente. Devido à colaboração do paciente, o tratamento de escolha foi remoção
cirúrgica dos dois dentes supranumerários com anestesia local e o acompanhamento da
erupção espontânea do elemento 11. É de responsabilidade de o cirurgião-dentista
solicitar exames complementares de rotina ao paciente para diagnosticar possíveis
alterações dentárias, prevenindo a instalação de problemas bucais.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Otimização Ortodôntica do Tratamento Interdisciplinar da Agenesia Dentária
Ana Beatriz Neves Pereira
Cintia Junqueira
A agenesia dentária, uma das anomalias dentárias mais frequentes no ser humano, é
caracterizada pela ausência congênita de um ou mais dentes. Este trabalho se propõe a
apresentar o tratamento interdisciplinar de uma jovem de 25 anos, com queixas iniciais
estéticas e funcionais. Apresentava uma face vertical e harmônica, agenesia dos
elementos 15, 22, 25, 35, 45, e de todos os 3os molares, perda do 36, dente 12
classificado como microdente e a presença do decíduo 55. Por espaço abundante e
severas giroversões, deslocamentos mesio-distais se manifestaram, originando uma
relação de Classe II completa de canino do lado direito e um acentuado desvio da linha
média superior para a esquerda. Após a recusa de um tratamento simétrico e
simplificado, porém mais radical, optou-se por uma abordagem mais conservadora,
fechando o máximo de espaço possível, com ancoragem esquelética e mesialização de
dentes posteriores. Os espaços dos segundos pré-molares foram fechados, o microdente
reanatomizado, a região do 22 recebeu prótese sobre implante e a região pósteroinferior direita prótese removível, pelas condições ósseas desfavoráveis a implantes
osseointegráveis. Neste caso interdisciplinar, a Ortodontia reorganizou a oclusão e a
estética em colapso, reduziu o número de implantes, viabilizando a reabilitação
protética, dentro da realidade da paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 14 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Reabilitação Estética com Laminados Cerâmicos
Ana Carolina Angélico de Moura
Vinicius Brigagão
Vinicius Goulart
Yan Paes
Felipe Miguel Saliba
O uso de laminados cerâmicos para a restauração de dentes anteriores esta cada vez
mais atual na Odontologia Restauradora. Em função das propriedades ópticas
semelhantes à estrutura do elemento dental, as porcelanas modernas permitem se
conseguir resultados naturais, em espessuras ultrafinas, promovendo o mínimo desgaste
dental. Dessa forma, este relato de caso clinico teve por objetivo descrever a resolução
estética do sorriso através deste tipo de tratamento.Os laminados cerâmicos são
empregados quando exigimos um grau máximo de estética, como apresentado a seguir:
Paciente apresentando facetas de resina composta nos 06 dentes anteriores superiores,
agenesia do elemento 12 e desvio de linha media superior de aproximadamente 3 mm.
Foi programado uma cirurgia de aumento de coroa clinica sem retalho (fechada), para
melhorar o posicionamento da margem gengival dos elementos 11, 21, 22, 23, 24 e 25. A
remoção das resinas compostas foi realizada com lamina de bisturi e caneta de alta
rotação com luz ultra- violeta. O tratamento foi finalizado com laminados cerâmicos nos
incisivos, caninos e pré molares, onde foi possível devolver à paciente dentes com
proporções mais joviais e uma linha média mais centralizada.
TÍTULO
AUTOR
Estomatite Aftosa Recorrente: um Relato de Caso
Ana Carolina Costa Moreira Nicolau
Andressa Thayná Canuto
Ive Cavalcante de Oliveira
CO AUTORES
Mayara de Melo Bezerra
Félix
Vaz
ORIENTADOR Sônia Maria Soares Ferreira
Estomatite Aftosa Recorrente (EAR) é uma patologia comum da mucosa oral,
caracterizada pela presença de lesões, que podem acontecer de forma simples ou
múltiplas, e são classificadas de acordo com o tamanho, tempo de duração e à formação
de cicatrizes, em menor, maior ou herpetiforme. Sua etiologia é multifatorial, podendo
esta associada a causas de origem local, como traumatismos, ou sistêmicas, como as
infecções e as doenças imuno-hematológicas. Trata-se de um relato de caso de um
paciente do gênero masculino, 30 anos, que apresentou lesão disseminada, ulcerosa, de
superfície lisa, avermelhada, com origem de aproximadamente 5 anos localizada na
RESUMO
mucosa jugal e labial. Por ser uma doença de diagnóstico eminentemente clínico não foi
utilizado nenhum exame complementar. Durante o exame clínico foi observada lesões
ulceradas com halos eritematosos de fundo amarelo com secreção serossanguinolento,
de tamanho variado (de 10mm a 0,5 cm) e disseminadas. Foi prescrita prednisona 20 mg
via oral por 20 dias, onde o esquema terapêutico foi composto por 5 ciclos. Diante disto,
fica evidente a necessidade de profissionais de saúde envolvidos no tratamento e
controle da EAR, evitando assim as incapacidades laborativas na rotina do paciente.
PALAVRAS-CHAVES: Estomatite Aftosa. Úlceras orais. Odontologia
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 15 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Planejamento Digital: a Excelência na Recuperação da Harmonia do Sorriso.
Ana Clara Correa Duarte Simões
Priscila Gonçalves
Adriano Nóbrega de Castro Gisele Cavallo
Gisele Damiana da Silveira Pereira
Cada vez mais os pacientes procuram tratamentos odontológicos estéticos, com a
utilização de materiais que mimetizem a estrutura natural perdida. A recuperação da
harmonia do sorriso exige uma abordagem multidisciplinar e é importante não somente
devido aos conceitos estéticos e funcionais mas também devido ao impacto psicológico
positivo que pode causar na vida do paciente. O design do sorriso refere-se a vários
princípios artísticos e científicos que quando considerados coletivamente podem criar
um sorriso bonito uma vez que obedecem aos princípios estéticos de simetria,
proporção e equilíbrio. A utilização de recursos digitais no planejamento do caso
aprimora execução do procedimento restaurador, facilita o trabalho em equipe e a
comunicação com o paciente e o laboratório, resultando em sucesso clínico e na
recuperação da harmonia perdida, além de auxiliar na visualização do resultado final do
caso antes de sua execução. O objetivo deste trabalho será relatar detalhadamente o
planejamento de um caso clínico com auxílio de recursos digitais, utilizando a técnica do
Digital Smile Design (DSD), na reabilitação estética anterior, com a utilização de
restaurações de resina composta e contorno cosmético.
Tratamento Endodôntico Convencional de Primeiro Molar Superior com 6 Canais. Relato
de Caso Clínico
AUTOR
Ana Gabriela Gurgel Dourado
CO AUTORES Aldo Angelim Dias
Fábio Almeida Gomes
Claudio Maniglia Ferreira
ORIENTADOR Humerto Ramah Menezes de Matos
A ocorrência de 5 ou mais canais em molares superiores é raro, podendo comprometer o
prognóstico do tratamento se o clínico falhar na identificação e tratamento destes. O
objetivo deste trabalho é apresentar um relato de caso clínico de um molar superior
apresentando 6 canais radiculares. O paciente procurou o serviço de Odontologia da
UNIFOR devido a queixas no dente 26. Clinicamente apresentou-se dente sensível aos
testes térmicos e com perda de restauração devido à infiltração e cárie.
Radiograficamente notou-se normalidade dos tecidos periapicais, câmara pulpar e canais
radiculares atrésicos. Na remoção do tecido cariado houve acesso a câmera pulpar e
RESUMO
inicialmente 3 canais localizados (MV, DV e P). Durante os procedimentos de limpeza e
modelagem destes canais, notou-se a presença de pequenas embocaduras localizadas ao
lado de cada um dos canais. Estas foram então exploradas e tratou-se de outros 3 canais
(DL, MP e P2). Os canais foram preparados com auxílio de limas Flexofile e GatesGlidden, seguindo-se o princípio coroa-ápice. Pode-se constatar que todos se
apresentavam com forames distintos, fato que levaria o caso ao insucesso caso estes
canais não fossem localizados. É essencial um cuidadoso exame radiográfico prévio, além
da exploração da câmara pulpar com instrumentos adequados para que variações
anatômicas como estas possam ser identificadas e tratadas com sucesso.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 16 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Sarcoma Pleomórfico Indiferenciado Oral: Relato de Caso Clínico
Ana Maria Rocha Dias
Paulo Antonio Silvestre de
CO AUTORES Luisa Aguirre Buexm
Silvia Paula de Oliveira
Faria
ORIENTADOR Adriana Terezinha Neves Novellino Alves
RESUMO
mesenquimal infrequente na região de cabeça e pescoço, representando cerca de 1 a 4
% dos tumores malignos que ocorrem na cavidade oral. Esse trabalho relata um caso
clínico de SPI diagnosticado em paciente do sexo masculino, 76 anos, com evolução de
lesão assintomática há cinco meses. Ao exame intrabucal, observou-se lesão tumoral
localizada em rebordo alveolar mandibular, lado direito. Ao exame radiográfico notou-se
extensa imagem radiotransparente parcialmente definida, estendendo-se do ramo até o
rebordo mandibular, provocando reabsorção radicular do elemento associado à lesão.
Realizada a biópsia incisional, no exame histopatológico em HE, observou-se neoplasia
maligna apresentando proliferação de células fusiformes pleomórficas, ora gigantes
multinucleadas, necrose, intensa atipia celular e algumas mitoses atípicas. No exame
imuno-histoquímico as células tumorais foram negativas para vimentina, CKAE1/AE3,
S100, actina 1A4 e HHF-3. Considerando as características clínicas, anátomo-patológicas
e imuno-histoquímicas o diagnóstico final foi de SPI. O paciente foi encaminhado para
tratamento com cirurgião de cabeça e pescoço. Embora raro e agressivo o SPI, esse
relato demostra sua possibilidade de manifestação na cavidade oral.
Transformação Estética do Sorriso com Laminados Cerâmicos Convencionais e Ultrafinos
Associados à Plastia Gengival – Relato de Caso
AUTOR
Ana Paula Ferreira da Silva
Pedro Henrique Rezende
CO AUTORES Lívia Fávaro Zeola
Analice Giovani Pereira
Spini
ORIENTADOR Paulo Vinícius Soares
A reabilitação de dentes anteriores com laminados cerâmicos tem como vantagem a
preservação da estrutura dental. O objetivo deste trabalho é apresentar o protocolo de
reabilitação estética e funcional com facetas cerâmicas associadas à cirurgia plástica
periodontal. Paciente do gênero feminino, 35 anos, procurou a equipe executora
queixando-se da estética de seu sorriso. Ao exame clínico, verificou-se a presença de
diastemas, escurecimento do dente 21 e padrão periodontal desfavorável. A primeira
etapa do tratamento foi a plastia gengival e frenectomia. Após a cicatrização, foi
proposta a confecção de laminados ultrafinos nos dentes 11,12 e 22 e faceta
RESUMO
convencional no 21. Após moldagem de estudo e enceramento, o mock-up foi
confeccionado utilizando resina bis-acrílica, a fim de fornecer uma perspectiva final do
tratamento. A moldagem de trabalho foi realizada com silicone por adição, que fornece
maior fidelidade de cópia e menor distorção do modelo. Os laminados foram
confeccionados em dissilicato de lítio e cimentados com cimento resinoso fotoativado.
Como resultado, obteve-se a satisfação do paciente e da equipe executora. Conclui-se
que a utilização de laminados cerâmicos convencionais e ultrafinos, quando bem
indicados, combinado com plastia gengival permite a reabilitação estética e funcional do
sorriso de forma extremamente conservadora.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 17 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Enucleação de Cisto de Retenção no Seio Maxilar Pela Técnica Cirúrgica de Caldwell-luc:
Relato de Caso
AUTOR
André Luiz Guimarães da Silva
Eduarda Francyane Lima de Marcela Côrte Real
Rodrigo Henrique Mello
CO AUTORES
Souza
Fernandes
Varela Ayres de Melo
ORIENTADOR Ricardo Eugenio Varela Ayres de Melo
O cisto de retenção é uma cavidade patológica preenchida por muco e revestida,
geralmente por epitélio pseudoestratificado não ciliado. Clinicamente, o cisto apresentase assintomático, o qual permanece sem tratamento, ou sintomático, podendo causar
cefaléia, dor periorbital, assimetria facial, desvitalizações dentárias devendo ser tratado
cirurgicamente. Este trabalho tem como objetivo relatar a enucleação de um cisto de
retenção no seio maxilar esquerdo pela técnica geral de Caldwell-Luc. Paciente do sexo
feminino, 57 anos, leucoderma, procurou o serviço de Cirurgia e Traumatologia BucoMaxilo-Facial, UFPE relatando ausência de dentes e cefaléia constante. Clinicamente,
RESUMO
constatou-se uma expansão vestibular na região entre o segundo pré-molar esquerdo e
primeiro molar esquerdo, além de sinusite maxilar. Ao exame imaginológico, foi possível
observar uma alteração radiopaca em forma de cúpula no seio maxilar esquerdo. A
paciente foi submetida a uma intervenção cirúrgica sob anestesia geral para enucleação
da lesão por meio da técnica de Caldwell-Luc. A técnica cirúrgica mostrou ser eficiente e
segura, pois não houve complicações operatórias devido ao fácil acesso ao interior da
cavidade sinusal, o que facilitou a visualização e remoção da lesão. A remissão dos
sintomas ocorreu de modo satisfatório, o que evidencia o sucesso de Caldwell- Luc em
patologias no seio maxilar.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
Tratamento Endodôntico com Apicetomia
Andre Sabbatini Barbosa
Isabela Amoroso Machado
CO AUTORES
Pedro de Souza Dias
Thais Nunes Pereira
Cotta
ORIENTADOR Márcio Américo Dias
O objetivo desse trabalho é relatar um caso clínico sobre os fatores relacionados aos
recursos técnicos para realização da cirurgia parendodôntica e as condições anatômicas.
Paciente R.F.G., do gênero feminino, 21 anos, leucoderma, residente na cidade de
Congonhal em Minas Gerais, compareceu ao centro de cirurgia do Instituto Nacional de
Ensino Superior e Pós-Graduação Padre Gervásio – Inapós, na cidade de Pouso Alegre
em Minas Gerais queixando-se de dor espontânea no elemento 32, após sofrer um
trauma. Durante o exame clínico foi constatado que o elemento apresentava-se sem
mobilidade, não havia alteração da coroa dental e no teste de vitalidade pulpar o
RESUMO
resultado foi negativo. Pela exploração radiográfica realizada em diferentes ângulos foi
observada fratura horizontal no terço apical. Como medida terapêutica foi realizado o
tratamento endodôntico via canal e posteriormente cirurgia parendodôntica do tipo
apicetomia. A paciente encontra-se em proservação. O acompanhamento do caso está
sendo realizado periodicamente através de controle clinico-radiográfico. Conclui-se que
vários elementos influenciam no sucesso após a realização da apicetomia, como a região
radicular no qual o corte é feito, o uso de brocas e o envolvimento das variações
anatômicas apicais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 18 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Ortodontia Interceptora em Paciente Portadora de Displasia Dentinária Tipo I (Dd-i) na
Primeira Dentição. Relato de Caso Clínico
Andréa Laudares Marques
Laura Salignac de Souza
Andréa Vaz Braga Pintor
Fabio Ribeiro Guedes
Guimarães Primo
O acompanhamento da evolução das dentições é fundamental para a saúde bucal. Assim
são relevantes o diagnóstico precoce de alterações e a intervenção ortodôntica
interceptora quando necessária. Displasia dentinária tipo I é uma desordem genética
rara do desenvolvimento da dentina, principalmente associada à transmissão
autossômica dominante. Pode acometer ambas as dentições, sendo observadas:
ocorrência de dentes com morfologia coronária normal e raízes com tamanho reduzido
ou inexistentes, lesões periapicais em dentes não cariados e esfoliação precoce de
dentes decíduos. Nesse relato, descreve-se características de uma paciente de 6 anos,
com molares decíduos afetados e a abordagem terapêutica, mostrando o tratamento
ortodôntico interceptor. Paciente no período da dentição mista apresentando: ausência
dos dentes 52, 62 e 83; maloclusão com mordida cruzada posterior bilateral; transpasse
vertical acentuado; diastema mediano superior e; desvio da linha média inferior para a
direita. A análise da dentição mostrou discrepância de modelo negativa de 4mm. Foram
instalados mantenedores de espaço do tipo arco lingual e botão de Nance e após
tratamento cirúrgico/restaurador os dentes 15, 14, 24, 25, 34 e 35 irromperam. Ocorreu
desenvolvimento normal das raízes dos dentes 16 e 26, e foi instalado um quadrihélice
para descruzar a mordida. Paciente encontra-se na fase de contenção.
Tratamento de Paciente Vítima de Agressão Física Por Arma Branca - Relato de Caso
Clínico
AUTOR
Andréa Roberta Azevedo Duarte Nunes
Lara Ribeiro Feitosa
CO AUTORES Norton Ryuji Narazaki
Luciana Campos Araujo
Duailibe
ORIENTADOR Ciro Borges Duailibe de Deus
Ferimentos por armas brancas (FAB) em face são pouco relatadas na literatura nacional.
No atendimento inicial há o reconhecimento das lesões e aplicação de medidas para
manutenção da vida. O diagnóstico e a classificação dos ferimentos faciais são de suma
importância possibilitando que o tratamento seja baseado na etiologia e complexidade
do trauma. A profundidade e extensão da lesão, a necessidade de reconstruções, injúrias
às estruturas anatômicas nobres e o tempo decorrido desde o trauma são informações
essenciais para definir o tratamento específico. Este trabalho tem como objetivo
apresentar um caso de agressão física com múltiplos FAB envolvendo região facial e
RESUMO
torácica em um paciente do gênero masculino, 35 anos de idade, que deu entrada no
Pronto Socorro Municipal Central de Bauru. Paciente apresentou quadro de hemotórax e
pneumotórax esquerdo, tratado emergencialmente, seguindo o protocolo do ATLS
(Advanced Trauma Life Support). Em análise de tomografia computadorizada, observouse fratura de parede anterior de seio maxilar e hemossinus esquerdo, instituíndo-se o
tratamento conservador. Foram realizadas infiltrações anestésicas nas bordas das
feridas, antissepsia com PVPI degermante e tópico, debridamento das feridas e sutura
por planos. No pós-operatório foi realizado acompanhamento do paciente no
ambulatório notando-se uma condição estética aceitável.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 19 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Cisto Mucoso do Seio Maxilar: Relato de Caso
Andressa Bezerra de Almeida
Igor Rafael Cavalcanti
CO AUTORES Thalles Moreira Suassuna
Mariza Pereira da Silva
Marques
ORIENTADOR Marcelo Farias de Medeiros
O cisto mucoso do seio maxilar é uma lesão de natureza inflamatória crônica, sem
predileção por raça, gênero e idade. Quanto a sua origem, acredita-se que tenha ligação
com a condição de saúde bucal ou em causa alérgica e irritativa. É diagnosticada por
radiografia panorâmica, porém, para seu estudo pode ser associado a outras técnicas
como a incidência de Waters-Waldron e a tomografia computadorizada (TC). É
caracterizada por sua forma de cúpula invertida, de consistência homogênea e levemente
radiopaca, com limites bem definidos e uma linha cervical radiopaca. O tratamento mais
indicado é o acompanhamento radiográfico, porém no caso com sintomatologia seria a
RESUMO
punção e a drenagem, ou sua remoção cirúrgica. O propósito deste artigo é, através da
apresentação de um caso clínico, revisar os aspectos diagnósticos e de tratamento do cisto
mucoso do seio maxilar. O caso de trata da paciente AOJ, gênero feminino, 41 anos,
queixando-se de algia na região da fronte e terço médio da face e também de
entupimento nasal constante. Tendo em mãos a TC de crânio e a radiografia panorâmica
foi observado velamento quase total do seio maxilar, evidenciando a presença do cisto. O
tratamento instituído foi a excisão cirúrgica, devido a presença de sintomatologia.
Podemos concluir que a presença ou ausência da sintomatologia é bastante importante
para a indicação do tratamento a ser utilizado.
TÍTULO
AUTOR
Tratamento de Sequela de Angina de Ludwig: Relato de Caso Clínico
Andressa Lissandra Bispo Melo
Antonio Dionízio de
Maria Eduarda de
CO AUTORES
Mayara Ricardo Moraes
Albuquerque Neto
Albuquerque Cavalcanti
ORIENTADOR Luiz Arthur Barbosa Silva
A Angina de Ludwig (AL) representa um processo infeccioso, frequentemente de
etiologia odontogênica, de rápida progressão que envolve os espaços submandibular,
sublingual e submentoniano. A sintomatologia inclui dor, aumento de volume em região
cervical, disfagia, odinofagia, trismo, edema do assoalho bucal, protrusão lingual, febre e
linfadenopatia. Denota alto índice de mortalidade, seja pela obstrução das vias aéreas ou
por complicações tardias decorrentes de uma maior disseminação da infecção. O
tratamento, além da remoção do foco infeccioso, concentra-se na tríade: manutenção
das vias aéreas superiores, antibioticoterapia endovenosa apropriada e drenagem
RESUMO
cirúrgica. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de paciente do gênero
feminino, 39 anos de idade, que deu entrada na clínica de urgência com queixa de dor e
edema em região submandibular, com história de infecção agressiva na área há cerca de
3 meses, que surgiu com os sinais clássicos de AL anteriormente citados. Ao dar entrada
em nosso serviço não se enquadrava na fase aguda, possuía elemento dentário 38 com
imagem radiolúcida em região periapical. Procedeu-se a exodontia do elemento 38,
prescrição domiciliar adequada e orientações. Foi constatada a remissão do quadro
clínico dentro de 15 dias após a abordagem. A paciente encontra-se em proservação de
3 meses sem alterações.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 20 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Leishmaniose: um Caso Clínico com Manifestação Gengival
Andressa Silva Alves Cartagenes
Monique Maria Melo
CO AUTORES
Felipe Cavalcante Santos
Erika Martins Pereira
Mouchrek
ORIENTADOR Vanessa Camila da Silva
A leishmaniose é provocada por parasitas do gênere Leishmania e os sintomas mais
comuns são febre, mal-estar e lesões cutâneas. A apresentação clínica da Leishmaniose
na gengiva é uma situação incomum e é observada principalmente em pacientes
imunossuprimidos. Este trabalho relata um caso envolvendo a gengiva na arcada
superior e inferior de um paciente do sexo feminino de 20 anos. A paciente apresentouse ao consultório após o insucesso na busca de tratamento com outros profissionais,
tendo como queixa principal a gengiva eritematosa, dolorosa e com sangramento. Após
a anamnese a paciente foi submetida a 3 sessões de raspagem supra-gengival associada
RESUMO
à antibioticoterapia não apresentando melhora dos sinais e sintomas. Uma biópsia foi
realizada para exame histopatológico e foram solicitados exames laboratoriais e
eletroforese de proteína. Os exames radiográficos não apresentaram alterações e os
cortes histológicos revelaram diagnóstico compatível com a Leishmaniose. Comprovouse que a paciente estava com a doença apesar de não apresentar nenhum outro
sintoma. Após o diagnóstico definitivo a paciente foi submetida ao tratamento adequado
respondendo com remição dos sinais e sintomas e apresentando total tratamento da
doença.
Palavras-chave: leishmaniose, doenças periodontais, gengiva.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Uso da Toxina Botulínica Tipo a na Correção do Sorriso Gengival
Ângela Alexandre Meira Dias
Carolina Cardoso Correa
Nayara Martins Resende
Muitos pacientes procuram os consultórios em busca de um sorriso mais bonito. Na
maioria das situações, apenas tratamentos restauradores estéticos, pequenas
movimentações dentárias e o clareamento são capazes de promover o sorriso desejado.
O sorriso gengival é uma queixa frequente e que afeta diretamente a estética do sorriso,
um aspecto fundamental na composição da beleza de um indivíduo. A correção
definitiva do sorriso gengival é obtida por meio de procedimentos cirúrgicos, o que nem
sempre é o que desejam aqueles acometidos por tal alteração. Nestes casos a melhora
do padrão do sorriso, expondo menos tecido gengival, e da autoestima é proporcionada
por meio da aplicação de toxina botulínica do tipo A, que levará ao relaxamento dos
músculos envolvidos no excessivo levantamento do lábio superior. Seu efeito tem uma
duração média de quatro meses e diminuirá com o decorrer do tempo. Em
aproximadamente seis meses não haverá mais nenhuma ação da toxina botulínica,
devendo uma nova aplicação da mesma ser feita. Por meio da aplicação de toxina
botulínica tipo A, objetivou-se amenizar a hiperfunção dos músculos responsáveis pelo
excessivo levantamento do lábio superior, levando a um sorriso mais bonito e
harmônico. O resultado, como esperado, foi satisfatório a todos os envolvidos no
estudo, refletindo positivamente na vida social e na autoestima dos mesmos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 21 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Coronectomia de Terceiro Molar Inferior: Relato de Caso.
Anna Carolina Jaccottet Oliveira
Gilberto Leal Grade
Luciana Thaís Pilz
Cristina Braga Xavier
A manutenção de terceiros molares retidos muitas vezes está relacionada com processos
patológicos, infecciosos e reabsorções dentárias. A exodontia desses dentes, quando as
raízes se encontram próximas ou relacionadas ao canal mandibular, pode gerar lesão ao
nervo alveolar inferior (NAI), caracterizada pela perda de sensibilidade na região por ele
inervada. A técnica coronectomia, proposta em 1984 por Ecuyer e Debien, tem o intuito
de minimizar distúrbios ao NAI A técnica consiste em uma cirurgia oral menor
usualmente realizada com anestesia local, acesso ao terceiro molar, ostectotomia até a
visualização do limite amelocementário, exposição da coroa e sua remoção. Seguida pelo
desgaste das raízes deixando as submersas, em 3mm, de osso saudável. Partindo dessa
premissa, o objetivo do trabalho é apresentar o caso clínico de uma paciente
leucoderma, 33 anos, sem comorbidades que procurou o serviço de CTBMF da UFPel
com queixa álgica no elemento 38. Após avaliação radiográfica solicitou-se uma TC ConeBean que confirmou a associação dentária com o canal mandibular. O tratamento
escolhido foi a coronectomia, e, em um acompanhamento de 10 meses a paciente não
apresentou sintomatologia e manteve a sensibilidade da região. Inferimos assim que
esta é uma técnica a ser considerada e aplicada em casos de íntima relação com o canal
mandibular, com o objetivo de preservação a inervação.
Relato de Caso: O Enceramento Diagnóstico como Fator Decisivo em Tratamentos
Estéticos
AUTOR
Anna Paula Gonzaga Martins
João Luiz Bittencourt de
Eduardo Otero Amaral
Kátia Regina Hostilio
CO AUTORES
Abreu
Vargas
Cervantes Dias
ORIENTADOR Rafael Ferrone Andreiuolo
O sucesso do tratamento estético odontológico requer real entendimento das
necessidades do paciente, assim como planejamento e execução de procedimentos para
suprir tais necessidades. O enceramento diagnóstico permite que os resultados
esperados ao término do tratamento sejam visualizados e discutidos antes do início do
tratamento. Além disso, o enceramento pode funcionar como parte atuante nas diversas
etapas do tratamento restaurador. Este caso tem objetivo de ilustrar o papel de
protagonista que o enceramento diagnóstico desempenha na odontologia
contemporânea. Paciente L.A., sexo feminino, 34 anos, buscou atendimento no
consultório particular para correção dos diastemas entre incisivos laterais e caninos
RESUMO
superiores, em virtude de seus incisivos laterais serem conóides. Após anamnese e
exame clínico foram realizadas moldagens das arcadas superior e inferior, além de
fotografias intra e extra-orais. Foi realizado enceramento diagnóstico, acrescentando
cera à distal dos dentes 12 e 22. Foi realizado um molde com silicone de adição do
modelo encerado, e neste molde injetou-se resina bis-acrílica para a confecção de
provisórias, a fim de simular as restaurações planejadas. Portanto, o enceramento
permitiu corresponder às expectativas da paciente pela realização das provisórias, além
de facilitar o trabalho do técnico em prótese dentária na confecção das restaurações
definitivas.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 22 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Laserterapia na Mucosite Oral em Paciente com Linfoma de Burkitt em Maxila
Anna Paula Natividade de A. Gonçalves
Melina Guedes Cavalcanti
Françoise Guimarāes Andrade
Paciente masculino, leucoderma, 13 anos, compareceu ao Serviço de Oncologia do
Hospital da Criança para tratamento de Linfoma de Burkitt em maxila. A tomografia
evidenciou lesão lítica, insuflante, em assoalho e parede do seio maxilar, em contato
com raízes de molares, e massa sólida contigua com 5,5 cm no maior eixo. Ao exame
clínico foi observado aumento de volume de limites imprecisos, de coloraçāo arroxeada,
em vestíbulo e palato duro do lado direito, e mobilidade dentária associada. Havia
queixa de sensibilidade na regiāo. O objetivo do relato é ratificar a eficácia da
Laserterapia no tratamento da mucosite associada à quimioterapia. Foi iniciada a terapia
citorredutora e a Laserterapia foi contra-indicada nesta fase pela localizaçāo do tumor.
Após a reduçāo tumoral, no bloco B, com alta dose de Metotrexato, o paciente
desenvolveu mucosite grau 2 no D8. Foi liberada a Laserterapia diária até a remissão dos
sintomas. Em D9 as lesões evoluíram para o grau 3, condiçāo em que o paciente só
tolera dieta líquida. A irradiaçāo manteve-se do D8 ao D14. Em D15 o paciente já se
alimentava com sólidos e em D16 não apresentava queixas. O curso da mucosite oral e
foi abreviado e houve a melhora da qualidade de vida da criança, através dos efeitos
analgésico e antiinflamatório da Laserterapia.
Manifestações Orais do Lúpus Eritematoso: Relato de Caso
Aquila Almenara Curty
Bruna Lavinassayed
Thays Teixeira de
Eliane Pedra Dias
Adrianna Milagres
Picciani
Souza
O lúpus eritematoso é uma doença crônica auto-imune que afeta o tecido conjuntivo e
vários órgãos. A ocorrência de manifestações orais é pouco frequente e caracterizada por
lesões de aspectos variados. Os principais diagnósticos diferenciais incluem líquen plano,
leucoplasia, eritema polimorfo e pênfigo vulgar. O trabalho tem como proposição,
apresentar o caso clínico de uma paciente, parda, 46 anos, apresentou-se ao ambulatório
de Diagnóstico Oral com queixa de lesões em palato duro e lábio inferior. Ao exame
extra-oral, verificou-se presença de área hipocrômica de limites definidos em pele da
face, associado à história pregressa de biópsia incisional e exame histopatológico
compatível com lúpus eritematoso. Verificou-se também presença de semi-mucosa labial
com intensa descamação, úlceras, assim como extensa área leucoplásica, sugerindo
queilite lúpica. Ao exame intraoral, notou-se uma placa irregular eritematosa de centro
atrófico e borda queratótica de padrão radiado em palato duro, sugerindo manifestação
oral do lúpus. Ambas as lesões orais foram submetidas à biópsia incisional, cujos
aspectos histopatológicos revelaram alterações compatíveis com lúpus eritematoso. É
imprescindível o conhecimento das manifestações orais do lúpus e de seus diagnósticos
diferenciais, uma vez que a presença destas em mucosa oral pode preceder o
aparecimento das manifestações sistêmicas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 23 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Queilite Actínica: Relato de Caso
Ariana Viana Neves
CO AUTORES
Mariane Pereira Amaral
Ângela Sahyure Queiroz
Imara Juliane Nunes de
Queiroz Silva
ORIENTADOR Imara Juliane Nunes de Queiroz Silva
A queilite actínica é uma alteração labial causada pela exposição crônica aos raios
ultravioleta, comum em indivíduos idosos de pele clara que mantêm hábitos ao ar livre.
Trata-se de lesão potencialmente maligna por consequência da exposição prolongada e
contínua à radiação solar, especificamente à radiação ultra-violeta B (faixa UVB 320280nm), afetando preferencialmente o lábio inferior. Caracteriza-se por alterações
clínicas como ressecamento e atrofia do vermelhão do lábio, com áreas de aspecto
empalidecido e lustroso, muitas vezes com pregas em ângulos retos no sentido
mucocutâneo. Possui alto potencial de malignização para carcinoma de células
RESUMO
escamosas e apresenta grande risco à saúde geral do paciente, levando-o a posteriores
mutilações ou até mesmo óbito por metástase, caso haja a instalação e progressão do
carcinoma epidermóide. O diagnóstico baseia-se em detalhado exame clínico,
identificando fatores de risco dessa lesão. Existem várias formas de tratamento para a
queilite actínica: aplicação de 5-fluorouracil, peeling com ácido tricloroacético a 50%,
eletrocirurgia, laser de CO2, vermelhectomia, criocirurgia, dermoabrasão e terapia
fotodinâmica. O presente estudo tem por fim um relato de caso clínico referente a
diagnóstico de queilite actínica, proveniente do ambulatório da disciplina de
Estomatologia I da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal da Bahia.
TÍTULO
AUTOR
Displasia Óssea Florida e Seus Vários Aspectos Imaginológicos
Arthur Filgueira Coutinho Pinto
Maria Luiza dos Anjos
Flávia Maria Moraes
CO AUTORES Andrea dos Anjos Pontual
Pontual
Ramos-Perez
ORIENTADOR Danyel Elias Cruz Perez
A displasia óssea florida (DOF) se caracteriza como uma patologia em que se evidencia a
substituição de tecido ósseo em tecido conjuntivo fibroso. Apresenta predileção por
pacientes melanodermas e sexo feminino. A osteomielite é uma complicação comum
dessa lesão por ser de tecido pouco vascularizado. O diagnóstico é baseado em achados
clínicos e imaginológicos, sem necessidade de biópsia para a sua confirmação na maioria
dos casos. O objetivo neste trabalho é apresentar um caso clínico de DOF com
osteomielite.Paciente do sexo feminino, de 42 anos, procurou atendimento na UFPE,
queixando-se de dor na mandíbula. Ao exame tomográfico, verificou-se, na maxila,
RESUMO
imagem de densidade mista e de margens corticalizadas na região edêntula dos dentes
14, 15 e 16, com expansão das corticais e deslocamento superior do assoalho do seio
maxilar. Na mandíbula, foi constatada presença de lesão hipodensa na região de
periápice dos dentes 47 e 48 e de densidade mista da região de periápice do 43 ao 37.
Na região do 36, evidenciou-se presença de área sugestiva de exodontia. Em todas as
lesões, observou-se abaulamento e adelgaçamento das corticais, com perfuração da
cortical lingual na região do 31, 32 e 41.Visualizou-se interrupção das corticais e do
rebordo ósseo alveolar na região do 36 e 37. A DOF deve ser diagnosticada de forma
precoce de modo que se evite complicações como a osteomielite.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 24 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Tratamento de MÁ Oclusão de Classe Ii- 2 Subdivisão em Paciente com Lábio Leporino.
Artur Jose de Freitas Lopes
Paulo Noer
Paciente N. S. N. gênero masculino, com 16 anos de idade, perfil reto, assimetria facial e
padrão mesofacial. No exame intrabucal constatou-se mordida profunda anterior e
posterior cruzada; com maxila retroposicionada e mandíbula protruída. Presença de
extra-numerário na região do 22. Objetivo do tratamento: correção da classe II
subdivisão [esquerda] remoção de extra numerário, correção da mordida profunda e
estética dentária superior anterior. Foi empregado aparelho auto-ligado (Damon). O
tratamento completo foi realizado em quatro fases. Fase I: Colagem superior e inferior,
levante de mordida posterior superior [com resina fotopolimerizável], elástico classe II
1/4 leve e fio 014” CuNiTi. Fase II: Levante de mordia superior com resina
fotopolimerizáve+ nivelamento fio CuNiTi, fio 014”x -025” CuNiTi; após 018” x -025”
CuNiTi; Fase III: 019” x -025” aço superior e inferior diagramados e coordenados e Fase
IV: finalização arcos ideais 019” x -025” aço. Conteção hawley superior e barra lingual
inferior 3x3. Após remoção de aparelhos ortodônticos, reconstrução estética dos
elementos dentários: (11) incisivo central superior direito, (21) incisivo central superior
esquerdo, (22) incisivo lateral superior esquerdo com resina fotopolimerizável.
Elevação do Seio Maxilar Pela Técnica de Summers com Enxerto Autógeno do Tórus,
Follow Up de 8 Anos.
AUTOR
Aryane Guimarães de Carvalho Nogueira
Mariana Fátima Gonçalves de Oliveira
CO AUTORES Joon Im
Medeiros
ORIENTADOR Joon Im
O levantamento de seio é muito utilizado em implantodontia, devido a pouco suporte
ósseo. Dentre as várias técnicas para este procedimento, existe a técnica de Summers,
esta que, além de prática e eficiente atinge bons resultados sendo pouco traumático e
menos invasivo. Devido à ausente óssea é necessário o enxerto para o sucesso do
implante, sendo o autógeno considerado o ‘’padrão ouro’’, pois atenua o risco de
rejeição do organismo do paciente aumentando as chances de sucesso da cirurgia.
Dentre as áreas doadoras usadas para enxerto temos a região de mento, o corpo e o
ramo ascendente da mandíbula, além da espinha nasal e tórus palatino ou mandibular.
RESUMO
O tórus, crescimento ósseo no palato, é um dos locais mais utilizados quando presente
no paciente, pois apresenta características favoráveis. A perda de dentes na região
posterior da maxila dificulta a colocação de implantes devido à pneumatização do seio
maxilar. As principais técnicas para a elevação do seio maxilar são: Caldwell Luc e
Summers. É de grande importância o planejamento adequado para realização da
cirurgia. Este trabalho apresenta um caso clínico onde foi realizado elevação do seio
maxilar pela técnica de Summers com enxerto autógeno obtido do tórus palatino e
colocação imediata do implante, com acompanhamento de oito anos.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 25 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Queilite Actínica Tratada com Quimioesfoliante: Relato de Caso Clínico
Ashley Fischer
Bruno Matos
Joscilene Almeida
Mônica Israel
Queilite actínica é uma lesão pré-maligna,comum do vermelhão do lábio inferior
resultado de uma longa exposição aos raios ultravioletas do sol. Predominante em
leucodermas e sexo masculino, ocorre por volta da quinta década de vida;em
profissionais com longo período de exposição solar. Clinicamente se dá pela elevação do
lábio inferior até a comissura, por alterações na cor e perda da elasticidade, podendo
observar erosões em alguns casos. Há presença de eritema, hiperqueratose, crostas e
áreas de atrofia. Dentre as opções terapêuticas, temos o uso de quimioesfoliante. O
objetivo é relatar um caso clínico de paciente do sexo masculino, 49 anos, gari;
encaminhado à clínica de estomatologia da Faculdade de Odontologia da Universidade
do Estado do Rio de Janeiro,devido a uma lesão no lábio inferior com perda do contorno
no vermelhão e presença de área leucoplásica. Realizou-se anamnese e exame físico,
teste de azul de toluidina com resultado positivo focal e biopsia incisional com displasia
moderada e elastose solar, confirmando o diagnóstico de queilite actínica. Foi prescrito
dicoflenaco de sódio 3,0% associado com ácido hialurônico 2,5% duas vezes ao dia, por
16 semanas. Ao fim do tratamento medicamentoso,o paciente foi reavaliado exibindo
sinais de melhora. Em novo teste do azul de toluidina com resultado negativo, e biópsia
que não exibiu displasia, mostrou-se a eficácia do tratamento.
Remoção Cirúrgica de Sialolito: Relato de Caso e Descrição de Técnica Cirúrgica.
Bárbara de Oliveira Nogueira
Gabriela Gonçalves
Rafael Seabra
Rodrigo Resende
Marcelo J. Uzeda
Os sialolitos são estruturas calcificadas que se desenvolvem no interior do sistema ductal
salivar, em decorrência da deposição de sais de cálcio ao redor de restos orgânicos.
Acometem com maior frequência as glândulas submandibulares, podendo acometer
também as demais glândulas salivares. São responsáveis por mais de 50% das patologias
glandulares, sendo a causa mais comum de inflamações agudas ou crônicas dessas
estruturas. Manifestam-se com maior frequência em indivíduos adultos de meia idade
sob a forma de calcificações simples ou múltiplas, de coloração amarelada, com
tamanho e forma variável. Os sinais e sintomas mais evidenciados são dor e tumefação
local, exacerbados principalmente durante as refeições. Podem ser evidenciados por
radiografias convencionais, sialografias, ultrassonografias, tomografia computadorizada
e ressonância magnética. O tratamento inclui o uso de medicamentos, manobras
manuais, remoção cirúrgica e em alguns casos até a remoção da própria glândula. Em
outros pode haver a eliminação espontânea do sialolito. O objetivo deste trabalho é
relatar um caso clínico de uma paciente do gênero feminino, leucoderma, 44 anos de
idade, atendida na clínica de cirurgia bucal da Universidade Federal Fluminense,
portadora de sialolito da glândula submandibular e submetida à remoção cirúrgica sob
anestesia local, sem intercorrências cirúrgicas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 26 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Título: Tumor de Células Granulares: Relato de Três Casos Clínicos
Bárbara do Vale Machado
Rafaela Elvira Rozza de
CO AUTORES Silvia Paula de Oliveira
Ademar Takahama Júnior
Menezes
ORIENTADOR Rebeca de Souza Azevedo
O tumor de células granulares (TCG) é uma neoplasia benigna de origem neural, que
envolve principalmente a língua de pacientes adultos do sexo feminino como um nódulo
séssil, bem delimitado, assintomático e normocrômico. Sua importância reside no
diagnóstico diferencial microscópico com o carcinoma espinocelular devido à presença
comum da hiperplasia pseudoepiteliomatosa (HPE). Dessa forma, o objetivo deste
trabalho é apresentar três casos clínicos de TCG, ressaltando suas principais
características clínicas e microscópicas. As lesões envolveram o dorso de língua e a
mucosa jugal de dois homens e uma mulher com idade variando entre 22 e 50 anos,
RESUMO
como nódulos sésseis de superfície lisa ou granular, levando ao diagnóstico clínico de
TCG, fibroma traumático ou neoplasia mesenquimal benigna. Foi realizada biópsia
excisional em todos os casos. O exame microscópico revelou uma proliferação de células
poligonais de citoplasma eosinofílico e granular, e exibiram positividade
imunoistoquímica para a proteína S100, levando ao diagnóstico de TCG. Em apenas um
dos casos observou-se a presença de HPE. A presente série de casos clínicos destaca o
padrão clínico e microscópico relativamente homogêneo do TCG, que pode suscitar
algumas variações no diagnóstico clínico, de forma que a realização da biópsia é
fundamental para se estabelecer o correto diagnóstico e tratamento destes pacientes.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Odontoma e Dentes Supranumerários. Eles São Diferentes para o Ortodontista?
Bárbara Lermen de Sá
Leandro Berni Osório
Kivia Linhares Ferrazzo
A região anterior da maxila é sensível a alterações de desenvolvimento que podem
comprometer o sorriso e desenvolvimento psicossocial da criança e adolescente. Destes
supranumerários são descritos como prevalentes nessa região, contudo a presença
concomitante de um odontoma e dois supranumerários na maxila é condição rara. Este
trabalho descreve o tratamento ortodôntico de uma menina de 10 anos que apresentava
retenção prolongada dos incisivos decíduos, central e lateral direito, com falta de
erupção seus sucessores. Ao exame radiográfico foi observada a presença de estruturas
condizentes com odontoma e dentes supranumerários, além de severo deslocamento do
incisivo central superior direito. A paciente apresentava perfil facial reto, face
harmoniosa, relação de molar de classe I e discrepância negativa de 3mm na arcada
inferior. O tratamento consistiu na enucleação do odontoma e exodontia dos dois dentes
supranumerários. O incisivo retido foi tracionado usando a técnica de erupção fechada e
posicionamento dos dentes na arcada utilizando mecânica ortodôntica fixa. Os autores
exploram a possibilidade de essas duas entidades poderem compartilhar fatores
etiológicos similares além de atuarem de forma análoga no desenvolvimento da
maloclusão bem como no desafio do diagnóstico precoce para evitar a necessidade de
mecânica ortodôntica complexa.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 27 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Tratamento de Paciente Classe Ii: da Ortopedia Facial à Cirurgia Ortognática - Relato de
Caso
AUTOR
Barbara Nóbrega Goyanes de Andrade
CO AUTORES Carolina Considera Vogas
Lívia Kelly Ferraz Nunes
Tarsila Pellegrino
ORIENTADOR José Augusto Mendes Miguel
Paciente de 6 anos e 8 meses procurou a clínica de Ortodontia da UERJ. Ao exame clínico
observou-se uma Classe II de Angle 1ª divisão, overjet de 8 mm, perfil convexo, face
simétrica, linha de sorriso alta e terço inferior da face aumentado. Havia discrepância
positiva superior e inferior. Apresentava uma classe II esquelética severa (ANB=13o;
Wits= 4 mm; SNA= 93o; SNB= 80o), tendência de crescimento vertical (SN-GoGn= 40o;
FMA=35o; Eixo Y=64o) e incisivos projetados (1-NA= 31o e 7 mm; 1-NB= 46o e 11 mm;
IMPA=107o). Na primeira fase do tratamento foi utilizado o aparelho de Thurow, mas o
paciente não cooperou. Aos 11 anos houve apenas uma melhora na relação molar, mas
RESUMO
com aumento do overjet para 14 mm. Foi então planejado tratamento ortocirúrgico com
exodontia de 15, 25, 34 e 44. Quando o paciente completou 18 anos, foi realizado o giro
anti-horário do complexo maxilomandibular (impacção de 9 mm nos incisivos, 5 mm nos
molares e recuo de 4 mm nos incisivos, gerando um recuo total de 9,6 mm na ENA), com
avanço de 4 mm da mandíbula e mentoplastia. Após um ano, o tratamento foi finalizado
de forma satisfatória, com oclusão de Classe I de Angle e overjet de 2 mm; classe II
esquelética suave (ANB=5o; Wits=1,5 mm; SNA= 90o; SNB= 85o), padrão mesocefálico
(SN-GoGn= 29o; FMA=26o; Eixo Y=60o) e melhor posicionamento dos incisivos (1-NA=
28o e 6 mm; 1-NB= 38o e 10 mm; IMPA=104o).
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Uso de Adesivos Universais em Restaurações Diretas: Uso Racional com Segurança
Bárbara Stephanie Leal Dias
Mariana Peres de Simas Discini
Marcos Barceleiro
Na evolução dos sistemas adesivos autocondicionantes, pesquisas tem mostrado bons
resultados de redução de sensibilidade em restaurações adesivas. No entanto, testes de
adesão, principalmente em esmalte, tem mostrado alguns resultados não satisfatórios.
Por isso a indústria tem indicado o condicionamento seletivo do esmalte para reduzir
este problema, onde o profissional realiza o condicionamento prévio do esmalte com
ácido fosfórico a 37%, e em seguida, realiza o uso do adesivo no restante da cavidade,
sem qualquer condicionamento dentinário. No entanto, nesta técnica, existe o risco de
contaminação da dentina durante este procedimento, diminuindo a eficácia dos
adesivos autocondicionantes. Por isso, a indústria lançou recentemente os chamados
adesivos universais, que nada mais são do que adesivos autocondicionantes, que podem
ser utilizados no modo autocondicionante, com condicionamento seletivo do esmalte,
ou ainda com condicionamento total de esmalte e dentina. Os primeiros testes
laboratoriais e clínicos com estes adesivos universais têm mostrado excelentes
resultados nos diferentes modos de utilização, e a tendência é que eles passem a fazer
parte dos procedimentos clínicos restauradores com maior frequência. O objetivo deste
trabalho é apresentar as maneiras de utilização destes adesivos universais, em todos os
tipos de cavidades, de classe I a classe V.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 28 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Técnica Radiográfica Extra Oral em Endodontia: Relato de Caso Clínico
Beatriz Araujo Menezes
Ana Paula Marciano de Oliveira
Jaqueline Ávila Costa
Arlindo da Rosa Azevedo
As radiografias periapicais são muito utilizadas no decorrer do tratamento endodôntico,
sua especificidade e detalhes fornecem ao cirurgião-dentista as informações necessárias
para que o tratamento ocorra dentro dos parâmetros desejados. Porém alguns pacientes
apresentam intolerância ao introduzir as películas radiográficas na cavidade oral, o que
poderia levar a inviabilidade da realização do tratamento endodôntico. Com isso foram
desenvolvidas técnicas extra-orais que permitem mais conforto ao paciente e com a
mesma qualidade da técnica convencional, entretanto possui uma dose de radiação
maior quando comparadas com as técnicas extrabucais. A técnica radiográfica extrabucal surgiu com o objetivo de atender os pacientes que não toleram os filmes intraorais, permitindo assim diagnósticos e resultados mais precisos, tendo em vista do valor
de uma imagem radiográfica durante o tratamento odontológico. O presente trabalho
visa relatar um caso clínico de um tratamento endodôntico onde se optou pela
realização da técnica extra-oral, pela forte náusea que o paciente desenvolvia durante a
tomada radiográfica intra-oral, o resultado do tratamento foi satisfatório, reforçando a
aplicabilidade da técnica.
Uso de Tcfc de Alta Resolução para Dúvida em Diagnóstico de Fratura Radicular
Horizontal: Relato de Caso.
AUTOR
Bernardo Barbosa Freire
CO AUTORES Felipe Maciel
Marcus Freire
ORIENTADOR Izabel Coelho Camões Gomes
O diagnóstico de fraturas radiculares horizontais, muitas vezes, é difícil de ser elucidado
em exames radiográficos convencionais, devido à incidência do feixe de radiação X e a
localização da fratura. A tomografia computadorizada de feixe cônico é uma ferramenta
imaginológica que auxilia em diagnósticos duvidosos de fratura radicular horizontal, em
que se necessita confirmar a hipótese clínica diagnóstica. Neste caso, um paciente do
gênero feminino, 52 anos, leucoderma, após realizar cirurgia plástica e queixar-se de
mobilidade e dor ao toque no dente 31 foi encaminhada ao serviço de Radiologia Oral.
Após a análise da radiografia periapical, não foi possível obter indícios de fratura
RESUMO
radicular e alterações patológicas. Em seguida, foram adquiridas imagens no Tomógrafo
Prexion3D, usando-se 90 kVp e 4,0 mA, FOV 56,00, em 19 segundos de exposição e
thickness 0,100 mm. No estudo foi identificado uma linha de fratura tanto oblíqua
quanto horizontal na região mediana para apical da raiz. Para tal análise foram
examinadas imagens axiais, sagitais e coronais. A reconstrução em 3ª dimensão
corroborou os achados imaginológicos. Desta forma, a utilização da tomografia
computadorizada de feixe cônico de alta resolução é um valoroso recurso para se
localizar e concluir diagnósticos duvidosos de fratura radicular horizontal.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 29 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Fechamento de Fístula Buco Sinusal Utilizando a Técnica de Hayashi: um Relato de Caso
para Descrição da Técnica
AUTOR
Bernardo Correia Lima
ORIENTADOR Gerson Hayashi
A incidência de Fistula Bucoantral (FBA) após extração de 3° molar é rara, ocorrendo
mais na extração de 1° e 2° molar, principalmente nos casos em que houver
pneumatização do seio, ocorrendo quando o tratamento de uma comunicação entre
seio maxilar e boca é ineficaz. As técnicas cirúrgicas mais comuns para tratamento desta
complicação são retalho de avanço vestibular ou retalho palatino em ilha; retalho
palatino em raquete; retalho de avanço de corpo adiposo da bochecha. Paciente
homem, de 39 anos, consultou-se para fechamento de FBA após extração do dente 16,
há 6 meses. Depois do pedido de radiografia panorâmica e CTCB, observou-se a presença
RESUMO
de FBA de aproximadamente 6 mm de diâmetro, e optou-se por reparo com retalho
palatino em raquete. Nesta técnica, escolhe-se um leito doador no palato, realiza-se
incisão até total exposição do osso. Posteriormente, o retalho é redirecionado ao leito
onde se encontra a fistula, mas, ao invés de passar o retalho por cima da mucosa do
palato aderida, o que causa uma grande dobra de tecido, provocando maior desconforto
no pós-operatório ao paciente, nesta Técnica descola-se esta mucosa palatal, e expõe-se
o conjuntivo abaixo do epitélio, para assim passar o retalho por baixo desta mucosa
palatal, gerando menor incomodo ao paciente no pós-operatório e maior aderência do
retalho ao leito receptor, o que garante maior sucesso da cirurgia.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Correção da Mordida Cruzada Posterior com Discrepância Transversa e Vertical
Bianca Menezes Blanquet Ribeiro
Monica Tostes
Terior (MCP) é uma maloclusão transversa que pode ocorrer paralelamente com a
mordida cruzada anterior. Clinicamente, um ou mais dentes podem estar anormalmente
para lingual ou vestibular em relação ao seu antagonista. A mordida cruzada funcional
ocorre devido a uma adaptação funcional em relação às interferências dentárias. Esta
interferência pode estar presente tanto na mordida cruzada dentária como na
esquelética. Na maioria das mordidas cruzadas com interferência há atresia do arco
superior, desvio funcional e desvio da linha média. O caso clinico apresentado é de uma
paciente de 8 anos de idade, gênero feminino, com mordida cruzada posterior unilateral
e funcional, com atresia bilateral. O tratamento proposto foi o aparelho quadrihélice
com ativações mensais. Após três ativações a mordida cruzada foi corrigida, porém a
pacientes apresentava uma instabilidade na oclusão devido a uma alteração do plano
oclusal. O Aparelho quadrihélice foi removido e um dispositivo de acrílico foi utilizado
por mais 3 meses. Após este período, a paciente foi acompanhada por mais 12 meses.
Conclui-se que o diagnostico precoce e o tratamento com quadrihélice foram efetivos no
sucesso do tratamento e propiciou um desenvolvimento normal da oclusão.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 30 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Tratamento Orto-cirúrgico de Retenção Prolongada Atípica de Incisivos Centrais
Superiores Pós-trauma Dentário na Infância: Relato de Caso
AUTOR
Brenda Gonçalves de Carvalho
CO AUTORES Jessica Lindgri
Jônatas Caldeira
Gerson Hayashi
ORIENTADOR Emanuel Mendes
A impactação de dentes anteriores é um evento multifatorial, cujas causas incluem
fatores hereditários e ambientais. Associação de técnicas orto-cirúrgicas adquirem
importância no tratamento, sendo a reposição apical de retalho com tracionamento
ortodôntico uma das mais usadas. Este trabalho tem como objetivo relatar o tratamento
de um caso de retenção prolongada atípica de incisivos centrais superiores pós-trauma
dentário na infância, através de reposição apical de retalho com tracionamento
ortodôntico, elucidando as principais dúvidas quanto ao diagnóstico e tratamento
multidisciplinar. Paciente L. P. S. A., 12 anos, sexo masculino, melanoderma, compareceu
RESUMO
à clínica de cirurgia oral da FO-UFRJ, queixando-se que os “dentes da frente não
nasceram”. Durante anamnese constatou-se histórico de trauma dentário aos 4 anos. Ao
exame clínico notou-se ausência dos dentes 11 e 21. Imaginologicamente observou-se os
dentes 11 e 21 inclusos e imagem radiopaca sugestiva de odontoma associado à coroa
do dente 11. O plano de tratamento consistiu em avaliação clínica e imaginológica,
através de exposição dos dentes inclusos pela técnica de reposição apical de retalho,
exérese da lesão e posterior tracionamento ortodôntico. Conclui-se que uma abordagem
multidisciplinar efetiva permite o adequado posicionamento dos dentes, com resultados
estético-funcionais e psicológicos desejáveis.
TÍTULO
Restauração de Dente Posterior com Resina Composta com Automodulador de
Polimerização
AUTOR
Brenda Leite Muniz
Marianna Fernandes
CO AUTORES
Sabrina de Castro Brasil
Plínio Mendes Senna
Carapiá
ORIENTADOR Luciano Ribeiro Corrêa Netto
As resinas compostas têm sido largamente utilizadas na restauração de dentes
posteriores para atender as exigências estéticas por parte dos pacientes. Apesar da sua
crescente evolução quanto à composição e propriedades mecânicas, um dos pontos
negativos quanto ao uso deste material está na sua inevitável contração de
polimerização gerada durante a fotopolimerização, cuja tensão pode acarretar na
diminuição da qualidade da interface adesiva. Esta contração de polimerização está
relacionada a alguns efeitos negativos como a formação de fenda marginal,
manchamento superficial, fratura de cúspides, microinfiltração e sensibilidade pósRESUMO
operatória. Dentro deste contexto, a resina composta fluida Surefill SDR Flow (Dentsply)
representa uma grande contribuição na confecção de restaurações diretas em dentes
posteriores. Este material é classificado como um substituto dentinário, podendo ser
utilizado em um incremento único de até 4 mm, com uma redução de 60% na tensão de
contração de polimerização quando comparado aos compósitos tradicionais à base de
metacrilato. Diante do exposto, este artigo tem o objetivo de relatar o protocolo
restaurador da resina composta SDR em uma cavidade classe II, e a restauração de uma
cavidade classe I pela técnica incremental com muita praticidade, simplicidade e redução
do tempo de trabalho.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 31 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Osteonecrose Maxilar Induzida Por Bisfosfonato Venoso> Relato de Caso
Briana Góes Monteiro
Neiana Carolina
Maria Cecília
CO AUTORES
Pedro Berenguer
Eduardo Azoubel
Rios Ribeiro
Fônseca Azoubel
ORIENTADOR Eduardo Azoubel
Os bisfosfonatos (BPs) são inibidores da reabsorção óssea, sendo usados como terapia
medicamentosa em pacientes com osteoporose e patologias associadas a perdas ósseas.
A ocorrência de osteonecrose dos maxilares (ONM) tem sido associada ao uso
prolongado dos BPs, podendo estar associada a tratamentos cirúrgicos ou simplesmente
aparecer espontaneamente, sem nenhum tipo de intervenção odontológica. Com o
aumento de casos de ONM associada ao uso de BPs, é de suma importância o papel do
cirurgião-dentista no diagnóstico e acompanhamento das lesões necróticas, tendo
elucidação das condutas a serem tomadas. O relato de caso a ser apresentado decorre
de, inicialmente, uma pequena exposição óssea na maxila, numa paciente portadora de
RESUMO
neoplasia mamária, com uso sistêmico de BPs. Em virtude do aumento da exposição
óssea na região, devido a um diagnóstico errôneo, houve o encaminhamento da
paciente para um profissional especializado em cirurgia bucomaxilofacial, o qual
diagnosticou necrose maxilar, realizando tratamento cirúrgico associado a
antibioticoterapia e câmara hiperbárica, encaminhado após para reabilitação oral.
Contudo o objetivo deste trabalho é a apresentação de um relato de caso clínico de
osteonecrose de maxila associada ao uso de bisfosfonato, descrevendo as características
clínicas e imaginológicas da paciente em questão, assim como o tratamento reabilitador
escolhido.
Tratamento de Incisivos Impactados e Dentes Supranumerários com Aparelho de Haas
Modificado
AUTOR
Bruna Caroline Tomé Barreto
CO AUTORES Amanda Carneiro Cunha
Claudia Franzotti Santanna Mariana Marquezan
ORIENTADOR Eduardo Franzotti Santanna
A erupção dos dentes permanentes compreende uma série de eventos fisiológicos interrelacionados e ocorre normalmente na fase de metade ou três quartos de formação
radicular. Entretanto, fatores etiológicos multifatoriais podem alterar o processo e
trajeto de erupção caracterizando a impacção dentária. O presente estudo relata o caso
de um paciente do sexo masculino, com sete anos e quatro meses de idade, que
procurou atendimento ortodôntico com histórico de trauma na região anterior da maxila
durante o primeiro ano de vida. Ao exame clínico, foi diagnosticada maloclusão Classe I
de Angle, perfil reto, proporções faciais verticais e ângulo nasolabial normais e desvio da
RESUMO
linha média superior em 7mm para o lado direito. A radiografia panorâmica indicou
impacção e desvio no trajeto de erupção dos dentes 12, 11, 22 e 23, causado pela
presença de dois dentes supranumerários. O tratamento consistiu na remoção dos
dentes supranumerários e instalação de um aparelho de Haas modificado com mola
helicoidal para abertura de espaço na região anterior e correção da linha média superior.
Os dentes impactados irromperam espontaneamente e foram direcionados para suas
posições. Findando o tratamento ortodôntico, gengivoplastia foi realizada para o
recontorno gengival. Como resultado, foi obtido sorriso agradável e harmônico.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 32 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Odontectomia Parcial Intencional: Relato de Caso
Bruno Roberto Batista Tinoco
Luana de Castro
Glauco Siqueira Lima
A odontectomia parcial intencional (OPI) ou coronectomia parcial intencional, foi
proposta como procedimento cirúrgico para extração de 3º molares mandibulares onde
há proximidade das raízes com estruturas nobres, reduzindo a ocorrência de lesões no
nervo alveolar inferior (NAI), que podem ocorrer a partir da compressão do nervo,
secção por instrumentos rotatórios, ou durante a remoção de dentes que apresentam
raízes sulcadas ou perfuradas pelo NAI. A técnica cirúrgica é aplicada a dentes sem
contaminação pulpar e consiste na remoção de toda coroa anatômica, ou seja, além da
junção amelocementária, e mantendo a porção radicular sem luxá-la. A OPI apresenta
contra indicações como a existência de infecção ativa envolvendo a raiz do dente; dentes
ou raízes que com mobilidade. Paciente masculino, 23 anos, apresentando os sisos
inferiores inclusos e impactados, com relação íntima das raízes com o canal mandibular,
avaliado por TC Cone Beam. Realizada a OPI, não apresentou queixa clínica ou alteração
radiográfica no período de 12 meses. A OPI é uma alternativa viável, apresentando uma
prevalência baixa a infecções e raramente necessita de uma segunda intervenção para
retirada de raízes mesmo nos casos que houver migração.
Previsibilidade Frente às Injúrias Traumáticas: Relato de Caso Sobre Avulsão e Fratura
Dentária
AUTOR
Caíque Constancio Miranda
Sandro Junio de Oliveira
CO AUTORES
Larissa Christina Costa Pinto Ludmila da Silva Guimarães
Tavares
ORIENTADOR Cinthya Cristina Gomes
O traumatismo dentário acomete principalmente crianças e jovens, sendo as principais
causas: quedas, colisões e acidentes por atividades recreativas e esportivas, além de
casos de violência. O atendimento incorreto pode levar a perda do elemento dentário,
levando a implicações psicológicas e funcionais. O objetivo deste trabalho é relatar um
caso clínico de paciente de 7 anos, sexo feminino, que sofreu avulsão do elemento 11 e
fratura de esmalte e dentina do 21. O atendimento emergencial foi realizado em hospital
2 horas após o trauma com reimplante do 11, contenção semi-rígida e medicação
sistêmica de Amoxicilina. Após 30 dias a paciente procurou o Projeto Trauma da UFF,
RESUMO
sendo realizados exames clínico e radiográficos, constatando: rizogênese incompleta dos
elementos 11 e 21 e necrose do 11. Sendo removida contenção, acesso e medicação
com hidróxido de cálcio do 11 e restauração com resina elemento 21. A paciente
abandonou o tratamento, retornando 1 ano após com ausência do elemento 11 e
necrose do 21. O tratamento adotado foi endodontia do 21, confecção de prótese
provisória com splintagem lingual no espaço do 11 e acompanhamento clínico
radiográfico do caso planejando um futuro implante após completo crescimento crânio
facial da paciente. Pode-se concluir que o atendimento emergencial, assim como o
tratamento adequado são fundamentais para maior previsibilidade do caso.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 33 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Restabelecimento Estético Imediato – Clareamento Associado a Restaurações Imediatas
com Uso de Index Palatino.
AUTOR
Camila Alessandra Dutra Machado Valle
Nathasha Morgado de
CO AUTORES
Luis Paulo Diniz Barreto
Henrique de Pina Bernardo
Freitas
ORIENTADOR Luis Felipe Diniz Barreto
A crescente procura por dentes brancos e resultados imediatos no consultório se
tornaram rotina para os clínicos e principalmente especialistas em dentística
restauradora. Com o vasto acesso a diversos tipos de clareadores imediatos, chamados
de “clareadores de consultórios”, podemos suprir tal demanda. Este painel tem o
objetivo de mostrar uma sequência de tratamento envolvendo o restabelecimento
estético do paciente na mesma consulta realizando clareamento dentário e restaurações
estéticas em resina composta. Para o clareamento dental, foi utilizado o Power
RESUMO
Bleaching (BM4) Office 37%, que foi escolhido por conta da sua praticidade, por se
apresentar em uma única seringa e não necessitar de barreira gengival e resultados
clínicos tanto com relação a clarear os dentes como na ausência de sensibilidade pós
operatória, pois utiliza o Oxalato de potássio como agente dessensibilizante.
Posteriormente ao clareamento, foram feitas as restaurações classe IV nos elementos 11
e 21 em resina composta (Filtek Z350 3M) com o auxílio de um índex de silicone de
condensação auxiliando a confecção das mesmas. Os resultados obtidos tanto com
relação ao clareamento quanto ao procedimento restaurador foram satisfatórios.
TÍTULO
Fechamento de Diastemas com Resina Composta: o Uso Imprescindível do
Isolomamento Absoluto para o Sucesso Restaurador.
AUTOR
Camila Diuana de Almeida
Gisele Damiana da Silveira
Paulo Ricardo Barros de
CO AUTORES Cínthia Marques Sperduto
Pereira
Campos
ORIENTADOR Lívia Rodrigues Menezes
A estética é fator primordial nos dias atuais. A utilização de técnicas diretas com
compósitos para solução de casos de discrepância de espaço, forma e contorno dentais
apresentam inúmeras vantagens tais como menor custo e preservação da estrutura
dental sadia. Para tal, a utilização do isolamento absoluto em tratamentos restauradores
estéticos diretos, como o fechamento de diastemas, é imprescindível pois, além de
aumentar o afastamento gengival para uma melhor adaptação e assentamento da resina
na área cervical do dente, recuperando a anatomia correta da região e seus contatos
proximais, evitando os triângulos negros o que ocasiona um melhor resultado estético,
RESUMO
protege da umidade e consequentemente aumenta a longevidade da restauração, além
de promover um melhor campo operatório, sendo mais confortável para o cirurgião
dentista. Neste trabalho, foram realizados dois casos clínicos nos quais os espaços entre
os incisivos centrais superiores foram fechados utilizando dique de borracha e resina
composta e, desta forma, pôde-se confirmar a importância do uso do isolamento
absoluto com dique de borracha, e conclui-se que sua utilização contribuiu para
obtenção de restaurações extremamente satisfatórias sob o ponto de vista estético e
funcional.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 34 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Tumor de Warthin: Relato de Caso
Camila Rodrigues de Paiva Correia
André Luís Santos Saud
Marcelo Pinheiro José de Guedes Uzeda
O tumor de Warthin, também conhecido como cistadenoma papilífero linfomatoso, é o
segundo tumor benigno mais comum da glândula parótida, e é responsável por
aproximadamente 15% dos tumores epiteliais da glândula.Possui maior incidência em
pacientes do sexo masculino, durante a sexta ou sétima décadas de vida. O tratamento
consiste em parotidectomia com preservação do nervo facial. O estudo clínico buscou
relatar as características clínicas, semiológicas e histopatológicas, além do tratamento
indicado e as complicações mais frequentes do cistadenoma papilar linfomatoso. No
estudo, apresentaremos um relato de caso de tratamento cirúrgico. O paciente relatado,
do sexo masculino, 53 anos de idade, leucoderma, procurou o Serviço de Cirurgia
Bucomaxilofacial do Hospital Federal de Ipanema, apresentando aumento de volume em
região parotídea esquerda, queixando-se de desconforto local. Sem neuropraxia, sem
limitação de abertura bucal e sem sinais de infecção. O mesmo foi submetido ao exame
de tomografia computadorizada contrastada. Evidenciou-se lesão de bordos bem
definidos, com 8 cm de diâmetro e conteúdo liquefeito em seu interior. Foi realizada
exérese da lesão sob anestesia geral e exame histopatológico, que mostrou tratar-se de
Tumor de Warthin.
Anquilose Dentoalveolar Associada à Mordida Cruzada Posterior na Dentição Decídua –
Relato de Caso
AUTOR
Camila Siqueira Silva Coelho
Maria Hellen Sâmia Fortes
Alexandre Henrique de
CO AUTORES
Thais Torres Barros Dutra
Brito
Melo Simplício
ORIENTADOR Marcoeli Silva de Moura
Objetivo: A infraoclusão é uma das alterações que acometem a dentição durante o
processo eruptivo dos dentes, definida como a presença do dente clinicamente abaixo
do plano oclusal em relação aos adjacentes, tendo como etiologia a anquilose
dentoalveolar. Relato de Caso: Paciente do sexo feminino, três anos de idade, procurou
a clínica da Universidade Federal do Piauí para tratamento odontológico. No exame
clínico observou-se a presença dos dentes decíduos, presença de mordida cruzada
posterior unilateral direita e severa infraoclusão do segundo molar inferior direito. O
plano de tratamento sugerido foi o restabelecimento dos contatos oclusais e proximais
RESUMO
do dente 85 com a confecção de uma coroa de resina composta indireta. Para correção
da mordida cruzada foi confeccionado um expansor maxilar do tipo Haas, utilizando-se o
protocolo de ativação de 2/4 de volta por dia. Durante a fase ativa de 21 dias, realizou-se
controle semanal, após a mesma o parafuso expansor foi travado com resina composta e
o aparelho foi utilizado como contenção durante 6 meses. Após 2 anos de
acompanhamento observa-se a coroa de resina em posição e os molares permanentes
em erupção. Conclusão: O uso de coroa indireta de resina composta demonstrou ser um
tratamento efetivo para casos de anquilose, pois evitou complicações na dentição
decídua e permitiu a erupção do molar permanente sem inclinações.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 35 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Restauração Estético-funcional de Dente Anterior Fraturado Através da Técnica de
Estratificação Natural e Utilização de Pino de Fibra de Vidro: Relato de Caso Clínico
AUTOR
Camila Soares Ribeiro
CO AUTORES Nailê Wendler
ORIENTADOR Luiz Henrique Schwartz
O traumatismo dentário é considerado hoje, um problema de saúde pública, não só
devido a sua grande prevalência, bem como pelos transtornos psicossociais que causa
nas vítimas e seus familiares. Mais da metade dos traumas dentários envolvem
indivíduos jovens do sexo masculino durante a primeira década de vida. Os principais
fatores etiológicos são: queda da própria altura, acidentes desportivos e agressão. O
elemento dentário de maior prevalência são os incisivos centrais superiores, e as
fraturas coronárias as lesões de maior incidência. As fraturas coronárias podem
envolver: apenas o esmalte; o esmalte e a dentina (fraturas não complicadas); esmalte,
RESUMO
dentina e polpa (fraturas complicadas). Quando há grandes perdas de estrutura dental
pode-se usar como auxilio ,o pino de fibra de vidro para reforço estrutural
proporcionando melhor retenção e resistência à restauração. O objetivo deste trabalho é
apresentar um relato de caso clinico de um paciente do Projeto Trauma da UNESA, que
procurou atendimento após ter sofrido uma fratura coronária extensa. Como tratamento
para o desfecho, o paciente recebeu uma restauração direta com resina composta
através da técnica estratificada com instalação de pino de fibra de vidro para reforço
estrutural.
TÍTULO
TÍTULO
Incisivo Central Inferior com Duas Raízes: Relato de Caso Clínico.
AUTOR
Camille Parizi de Almeida Viana
ORIENTADOR Silvio Menezes
A realização de um tratamento endodôntico correto pressupõe-se no conhecimento da
anatomia interna do elemento dental. Dentes que apresentam uma raiz e um canal
podem exibir variações nesse número. O incisivo central inferior apresenta uma raiz
achatada no sentido mésio-distal, assim como seu canal radicular. Em virtude do grau de
achatamento, 25% desses dentes são comuns notar "ilhotas de dentina" ou bifurcações
do canal. Tal fato é responsável pela formação de dois canais: um vestibular e um
lingual. Na maioria dos casos esses canais convergem para um mesmo forame apical e
em outras situações, seguem trajetórias independentes e terminam em forames
apicalmente separados. Executar um tratamento endodôntico sem ter a consciência da
RESUMO
anatomia dentária favorece a ocorrência de insucesso do tratamento. Este estudo
descreverá o caso clínico de um paciente do sexo masculino, 44 anos de idade,
leucoedema que apresentava no dente 31, já tratado endodonticamente há 3 anos.
Extensa lesão periapical visualizada radiograficamente. Após indicação de retratamento,
constatou-se a presença de um segundo canal não tratado. Foi realizado o tratamento
em ambos os canais, sugerindo a realização de um plug com pasta HPG. Para
acompanhamento da lesão, o paciente foi submetido á realização de radiografia
periapical após 3 meses do término do tratamento e foi observada significante redução
da lesão.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 36 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Alterações Dento-esqueléticas Decorrentes da Utilização do Twin-block na Correção da
Classe II em Pacientes em Diferentes Fases de Crescimento Puberal
AUTOR
Candice Belchior Duplat
Nathalia Bandeira de Mello
Ione Helena Vieira Portella
CO AUTORES
Tatiana Araújo de Lima
da Escossia
Brunharo
ORIENTADOR Ione Helena Vieira Portella Brunharo
Um dos fatores que mais influenciam na obtenção de resultados satisfatórios na
correção da maloclusão de Classe II com a utilização dos aparelhos funcionais é a fase do
surto de crescimento, porém ainda há dúvidas na literatura quanto à determinação do
melhor momento para a atuação. Pretendeu-se descrever dois casos clínicos de
pacientes Classe II, com características dentárias e esqueléticas semelhantes, tratados
com aparelho funcional Twin-Block, porém em diferentes momentos de intervenção:
início e pico da curva de crescimento puberal, determinado através da análise de mão de
punho e das vértebras. A avaliação das alterações esqueléticas foi realizada através da
RESUMO
sobreposição de imagens radiográficas pré e pós-tratamento e a avaliação qualitativa e
quantitativa das alterações dentárias foi realizada a partir da sobreposição das imagens
3D das fases inicial e final dos tratamentos obtidas através do escaneamento digital dos
modelos de gesso. Observou-se uma diminuição do ANB, retroinclinação dos incisivos
superiores e redução de 50% do overjet de forma semelhante em ambos os casos.
Houve uma projeção dos incisivos inferiores maior no paciente tratado no início do surto
de crescimento. A Classe II foi corrigida nos dois casos, no entanto o paciente tratado no
pico do surto de crescimento puberal apresentou uma resposta esquelética maior que
dentoalveolar.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Entendendo a Tecnologia Cad-cam – Relato de Caso Utilizando o Sistema Cerec.
Carina Taboada Ronconi
Marcela Melo dos Santos
Luis Paulo Diniz Barreto
Henrique de Pina Bernardo
Luis Felipe Diniz Barreto
A tecnologia está a cada dia mais presente na sociedade e na odontologia não é
diferente. Desenvolvido no ano de 1985 em Zurich na Alemanha, a tecnologia CAD-CAM
é uma ferramenta que vem sendo desenvolvida desde então com o intuito de
informatizar a odontologia e tornar mais prática a vida do cirurgião-dentista que
trabalha com reabilitações protéticas. Existem diversos sistemas CAD-CAM disponíveis,
dentre eles o sistema CEREC, sendo este o sistema mais utilizado no mundo. Dentre as
vantagens de se utilizar esta tecnologia temos como destaque a automação na
confecção das restaurações, otimização do seu tempo de fabricação e redução dos
custos. Esta tecnologia propicia ao cirurgião-dentista a possibilidade de realizar
restaurações definitivas e provisórias de resina, cerômero e cerâmica dos tipos coroas
totais, inlays, onlays, pontes fixas e até mesmo pilares e coroas sobre implantes, dentre
outros tipos de trabalhos com a praticidade de realizá-las dentro do próprio consultório,
que dispõem do escâner e da fresadora em uma única consulta. O objetivo deste painel
é apresentar um caso clínico em que foi utilizado o sistema CEREC para solucionar a
necessidade do paciente em uma única consulta.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 37 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Extrusão Ortodôntica Lenta - Otimizando o Ambiente Restaurador
Carla Cristina King Santos Cruz
Paulla Ribeiro
Tatiana Dantas da Costa Lyra
Mickelson Costa
A composição de um sorriso atraente e saudável envolve aspectos importantes como o
equilíbrio entre a forma e a simetria dos dentes, lábios e gengiva, além da maneira que
se relacionam e harmonizam entre si e com as características faciais dos pacientes. As
alterações gengivais podem interferir negativamente nessas relações e, quando
acometem a papila interdental, influenciam na fonética e aumentam a retenção de
alimentos. A extrusão ortodôntica, também conhecida como erupção forçada ou
tracionamento, caracteriza-se pelo movimento dentário induzido no mesmo sentido da
erupção dentária. Essa técnica pode ser utilizada, com previsibilidade, em diversas
situações clínicas. O objetivo deste trabalho é apresentar dois exemplos de redução de
defeitos ósseos verticais e nivelamento da margem gengival através do tracionamento
ortodôntico. No primeiro caso, é exemplificada sua aplicação para otimização de sítio
para implante osseointegrado, enquanto o segundo ilustra o tratamento de um paciente
que apresentava considerável perda óssea juntamente com recessão gengival e
alteração da morfologia da papila interdental na região de incisivos. Conclui-se que a
extrusão lenta provoca migração coronal do periodonto de inserção, podendo ser usada
para nivelar as margens gengivais e reduzir defeitos ósseos verticais, sendo, muitas
vezes, fundamental para o sucesso de tratamento reabilitadores.
TÍTULO
AUTOR
Alterações Periodontais Causadas Pela Neurofibromatose: Relato de Caso
Carlos Higor Mendonça Araujo
Vanessa Maria Carvalho
Sormani Bento Fernandes
CO AUTORES
Girlene Peixoto Girao
Lima
Queiroz
ORIENTADOR Sormani Bento Fernandes Queiroz
A Neurofibromatose tipo 1 (NF1) é uma condição hereditária relativamente comum
caracterizada por manchas café com leite, efélides, neurofibroma da pele, neurofibroma
plexiforme, defeitos ósseos, nódulos de Lisch e tumores do sistema nervoso central. Os
critérios diagnósticos são estabelecidos ao serem encontradas duas ou mais
características da NF1. Em geral os portadores apresentam neurofibromas múltiplos,
que podem gerar alterações estéticas. Não existe tratamento específico,
frequentemente tratam-se apenas as complicações. Neste trabalho temos o objetivo de
relatar um caso de alteração estética da NF1. Paciente NNS, 28 anos de idade, gênero
RESUMO
feminino, procurou o serviço do CEO de Russas – CE, queixando-se sangramento gengival
e dores de origem dentária. Ao exame físico observaram-se massas nodulares na face,
pigmentação café-com-leite e retrognatismo mandibular. Ao exame radiográfico
observou-se imagem radiolúcida na região mandibular compatível com lesão óssea
distinta. Dessa forma, foi diagnosticado a NF1. A NF1 causa alterações estéticas levando
o paciente a se distanciar do convívio social, fazendo com que a autoestima se reduza ao
ponto de não apresentar vontade de manter os hábitos de higiene básica, como a
escovação dentária, acarretando em alterações sistêmicas ou locais distintas da
patologia.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 38 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Ameloblastoma Associado a Terceiro Molar Inferior Incluso, Relato de Caso
Carlos Roberto Fravoline de Castro
Renan de Barros Farneze
Natalia Tavares de Souza
Aline Corrêa Abrahão
Márcia Grillo Cabral
O ameloblastoma é um dos principais tumores odontogênicos, normalmente intraósseo,
que ocorre preferencialmente na mandíbula, região posterior. As lesões intraósseas são
classificadas em solida ou convencional, ou unicística, com maior prevalência entre a
terceira e sétima décadas de vida, e não apresentando predileção por gênero. Mais
raramente, podem ocorrer variantes periféricas ou extraósseas. Clinicamente, o
ameloblastoma pode apresentar aumento de volume, ou ser descoberto em exame
radiográfico de rotina.
O aspecto radiográfico pode variar de uma lesão
radiotransparente, multilocular ou unilocular. Em muitos casos, existe um dente incluso
associado à lesão. Neste relato, paciente de 21 anos de idade, sexo feminino,
compareceu a um consultório particular com radiografia panorâmica de rotina para
avaliação de terceiros molares inclusos. Ao exame radiográfico, observou-se lesão
radiolúcida unilocular bem delimitada associada à coroa do dente 48 incluso. Foi
realizada a exodontia do elemento incluso e a remoção cirúrgica completa da lesão com
posterior curetagem óssea. O exame histopatológico apresentou tecido conjuntivo
fibroso com áreas de epitélio ameloblástico, constituído por camada basal de células
cúbicas com núcleos hipercromáticos e polarização invertida. O diagnóstico foi de
ameloblastoma. A paciente segue em acompanhamento, sem indícios de recidiva.
Tratamento Orto-cirúrgico de um Paciente com Microssomia Hemifacial:
Acompanhamento de 3 Anos Pós-Contenção
AUTOR
Carolina Considera Vogas
CO AUTORES Jonas Capelli Junior
Tarsila Pellegrino
Lívia Nunes
ORIENTADOR Barbara Andrade
Aos 12 anos, paciente do sexo masculino compareceu à Clínica de Ortodontia da UERJ,
encaminhado pelo Departamento de Cirurgia Bucomaxilofacial, com uma grave
deformidade facial, comprometimento funcional e estético causados por microssomia
hemifacial com hipoplasia do ramo e côndilo mandibular esquerdos. Apesar de já fazer
acompanhamento ortodôntico prévio e possuir aparelhos fixos, o paciente não estava
satisfeito, apresentando má formação da orelha esquerda; excesso vertical de maxila;
retrusão mandibular; assimetria facial com desvio do mento para esquerda; mordida
aberta lateral direita; e desvio das linhas médias dentárias. Os problemas funcionais
RESUMO
eram dificuldades na fala e mastigação, falta de selamento labial, desvio mandibular
durante a função e ausência de oclusão cêntrica reprodutível. Assim, os objetivos do
tratamento foram melhorar a estética e função do paciente, e portanto sua qualidade de
vida. O tratamento ortodôntico procedeu e foi feita a cirurgia de reconstrução da ATM
com enxerto costocondral no lado esquerdo. Ao final do tratamento obteve-se: melhor
simetria e proporções faciais; perfil reto; selamento labial; melhora do sorriso e
intercuspidação. Registros de 3 anos após remoção exibiram resultados estáveis,
permitindo concluir que o tratamento da microssomia hemifacial antes do término do
crescimento facial pode ser considerado uma alternativa de sucesso.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 39 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Cirurgia Plástica Periodontal para Excisão de Granuloma Piogênico em Região Incisivos
Superiores
AUTOR
Caroline Fernandes e Silva
CO AUTORES Alexandre de Rossi
Luis Eduardo Rilling Nova Cruz
ORIENTADOR Josué Martos
O granuloma piogênico consiste em uma lesão proliferativa não neoplásica de
característica reacional, composta por tecido de granulação com extensa vascularização.
Em geral, o granuloma possui sua origem relacionada a uma irritação local ou trauma
ocasionando uma exacerbada resposta do tecido conjuntivo. O objetivo deste trabalho é
descrever uma cirurgia plástica periodontal de uma paciente gestante. Após realização
de exame clínico intra-oral foi identificada a presença de um nódulo na mucosa jugal
esquerda na região de incisivos superiores, apresentando características fibrosa,
eritematosa, pediculada e com superfície irregular. A lesão apresentava-se sangrante e
RESUMO
com evolução clínica de quatro meses. A paciente foi submetida a procedimento
cirúrgico periodontal para excisão da lesão presente. Após a excisão da lesão efetuou-se
a proteção da região com cimento cirúrgico além da prescrição de gluconato de
clorexidina para manutenção periodontal. A análise histopatológica revelou presença de
ulceração, proliferação vascular, similar o tecido de granulação. Após 30 dias de
proservação, a paciente apresentou processo de cicatrização dentro dos parâmetros
biofisiológicos dos tecidos periodontais envolvidos. Dessa forma, conclui-se pelo caso
clínico exposto que a terapia excisional associada à plastia periodontal se mostrou
efetivo para resolução do granuloma piogênico.
TÍTULO
Uso do Digital Smile Design em Reabilitação Estética Anterior Minimamente Invasiva –
Relato de Caso
AUTOR
Caroline Martins Nascimento
Maydson Marques
Rosana Costa Casanovas de
CO AUTORES
Vinicius Ahid
Meneses Araújo
Carvalho
ORIENTADOR Letícia Machado Gonçalves
Dentre os fatores essenciais no planejamento de reabilitação que envolve dentes
anteriores, a estética é considerada primordial. Visando preservar o máximo da
estrutura dental, preparos minimamente invasivos associados às restaurações cerâmicas
extremamente finas (as “lentes de contato”), tem sido amplamente indicados para
remodelação dental. A incorporação do planejamento Digital Smile Design (DSD) permite
a realização de tratamentos personalizados e previsibilidade dos resultados a serem
obtidos. Este trabalho objetiva apresentar um caso utilizando DSD, com plastia gengival,
preparo conservador e cimentação de “lentes de contato”. O caso clínico envolve
RESUMO
paciente do gênero feminino, 22 anos, queixando-se da estética do seu sorriso. Foi feito
registro fotográfico para planejamento. Através de software foi realizado o DSD, guiando
o enceramento diagnóstico. Em seguida, foi realizado o mock-up para posterior
aprovação do planejamento pelo paciente. Após a aprovação, realizou-se a plást
TÍTULO
a que
auxilia no tratamento restaurador estético e que o tratamento minimamente invasivo
possibilitou estética satisfatória à paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 40 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Tratamento Conservador de Fratura de Mandíbula
Cássia Simone de Lima Lira
Vanessa Patrícia de Lima
Felipe Leonardo de Melo
CO AUTORES
Thalles Moreira Suassuna
Lira
Almeida Fonseca
ORIENTADOR Joaquim Celestino da Silva Neto
As fraturas mandibulares estão entre as fraturas da face que ocorrem mais
frequentemente, estando em algumas estatísticas em primeiro lugar de ocorrência.
Clinicamente esta condição pode apresentar diferentes padrões de fraturas, variando
em função da região anatômica envolvida, do agente etiológico e da energia do trauma.
Ao exame físico são observados grandes deslocamentos ou não, injúrias aos tecidos
moles adjacentes e às estruturas dentais. O tratamento hoje mais preconizado é a
abordagem cirúrgica para redução e fixação direta. No entanto alternativas mais
conservadoras podem ser adotadas.O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico
RESUMO
de fratura mandibular que foi tratado de forma fechada. Caso clínico: Paciente G.I,
gênero masculino, com história de acidente automobilístico. Após o atendimento inicial
preconizado pelo ATLS foi diagnosticado com fratura complexa de mandíbula na região
de parassínfise bilateralmente, porém com pouco deslocamento. O tratamento
instituído foi a redução indireta da fratura, através da instalação de barras de Erich e
bloqueio maxilo-mandibular por 40 dias. O paciente cursou com sinais radiográficos de
consolidação óssea na posição anatômica original evoluindo sem complicações. Diante
do exposto conclui-se que o tratamento conservador é o tratamento mais antigo
relatado e permanece tendo sua aplicabilidade a casos selecionados.
Avulsão Dental – Aspectos Importantes na Determinação do Tratamento e Prognóstico
em Pacientes Jovens – Relato de Caso.
AUTOR
Cecília Fabielle Batista Amaro
CO AUTORES Marcio Alex Gomes
ORIENTADOR Marcio Alex Barros Gomes
Os traumatismos dentais representam um sério problema de saúde pública entre
pacientes jovens. Suas principais causas são: a prática de esportes, acidentes de bicicleta
e quedas. A avulsão dental, definida como completo deslocamento do dente de seu
alvéolo com ruptura total do feixe vasculonervoso e das fibras do ligamento periodontal,
tem como tratamento: o reimplante dental, contenção e terapia endodôntica. Uma das
consequências indesejáveis é a reabsorção radicular, que em muitos dos casos, pode
acelerar a perda do dente. No relato de caso a ser apresentado, o paciente H.F.G.,
gênero masculino, 11 anos, vítima de avulsão do elemento 11, foi encaminhado para
RESUMO
tratamento endodôntico após atendimento em Unidade Básica de Saúde. Na radiografia
inicial notou-se aspecto compatível com reabsorção substitutiva em toda a extensão da
raiz. Após treze meses de terapia com hidróxido de cálcio, optou-se por obturar
definitivamente o canal com guta-percha, logo a reabsorção estabilizou-se e não havia
sinais ou sintomas de infecção. Nesse caso conseguiu-se a restauração da saúde dos
tecidos periodontais apenas, com as trocas de medicação intracanal. O raro controle
radiográfico após cinco anos da conclusão demonstrou total integridade dos tecidos,
com a manutenção do dente na cavidade bucal. Sendo este um fator preditivo para o
sucesso em um eventual implante futuro, se necessário.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 41 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Colagem de Fragmento e Técnica Incremental para Restauração de Incisivos Centrais
Superiores Fraturados
AUTOR
Cecília Sued Leão
CO AUTORES Louise Schmitt Alves
ORIENTADOR Paulo Ricardo de Campos
Paciente do sexo feminino, 21 anos, procurou a Faculdade de Odontologia da
Universidade Federal do Rio de Janeiro após fratura dos incisivos centrais superiores
classificada como “Fratura não complicada da coroa”. A paciente manteve o fragmento
do elemento 21 e foi decidido fazer a colagem do mesmo e reconstrução do elemento
11 com uso de resina composta. Após o isolamento absoluto dos elementos 14 ao 24, a
colagem do fragmento do elemento 21 com uso do sistema adesivo utilizando resina
composta foi realizada. Fragmento e dente foram condicionados com ácido fosfórico
37%, posteriormente lavados e aplicado adesivo de forma ativa durante alguns
RESUMO
segundos, fez-se a secagem para provocar a evaporação do solvente seguido da
polimerização. Em seguida, utilizou-se a resina A2 de dentina tanto no fragmento quanto
no dente que foram unidos e feito a fotopolimerização. No elemento 11, após a
proteção dos dentes vizinhos com uso de veda rosca e condicionamento com ácido
fosfórico 37%, foi efetuada lavagem do elemento e aplicação do sistema adesivo de
forma ativa durante alguns segundos e secagem para provocar a evaporação do solvente
seguido de fotopolimerização. Foi usado resina A2 de dentina e A1 de esmalte para
reconstrução do elemento perdido pela técnica incremental de resina composta
fotoativada a fim de alcançar a translucidez correta para dar naturalidade ao trabalho.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Caso Clínico de Paciente Ortodôntico com Biprotrusão Tratado com a Técnica StraightWire
Chaiene Barbosa dos Santos
Paulo Roberto Aranha Nouer
O objetivo deste trabalho foi apresentar um caso clínico de biprotrusão dentária tratado
com a Técnica Straight-Wire. A paciente I.T. 27 anos, sexo feminino, caucasiana,
apresentou-se para o tratamento com a queixa principal de não conseguir fechar a boca
totalmente, boca seca, sorriso antiestético, aspecto do mento como “casca de laranja”,
dentes apinhados e leve abertura entre os dentes anteriores do lado direito. O
diagnóstico ortodôntico baseado na anamnese, análise facial, exame clínico, estudo dos
modelos zocalados, radiografias panorâmica e cefalométrica em norma lateral, com as
análises de Steiner e Tweed foi de biprotrusão, Classe I, apinhamentos e dificuldade de
vedamento labial; para isso contraía a musculatura da face. A técnica ortodôntica foi
utilizada durante um ano e seis meses com indicação de exodontias dos elementos 15,
25, 35 e 45, alinhamento e nivelamento dos elementos dentários, mecânica de retração
anterior superior e inferior, fechamento dos espaços remanescentes, contenção superior
e “três por três” inferior, com o resultado alcançado de corrigir os apinhamentos e a
biprotrusão sem causar retrusão do perfil facial anterior, visto que a paciente tinha os
tegumentos labiais delgados e nariz de tamanho médio. Concluiu-se que o diagnóstico
correto seguido do tratamento com a técnica Straight-Wire foi eficaz beneficiando a
saúde bucal da paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 42 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Recuperação da Estética do Sorriso Através da Aplicação Simples e Eficaz de Facetas PréPolimerizadas.
AUTOR
Cínthia Marques Sperduto
CO AUTORES Mariana Fogacci
Jeane Batista dos Santos
Gisele Cavallo
ORIENTADOR Gisele Damiana da Silveira Pereira
Na sociedade moderna há uma crescente preocupação com a aparência física. Novos
padrões de beleza são vinculados pela mídia intensificando o processo de culto ao corpo
e incentivando a busca por novos produtos que ajudem a chegar ao seu ideal de beleza.
É cada vez mais comum encontrarmos pacientes com queixas estéticas, como alterações
de cor e forma de seus dentes, na busca por tratamentos que lhes devolva o prazer de
sorrir. Vários fatores podem levar a problemas que afetam a estética oral. São alguns
deles: traumas, cáries, consumo frequente de alimentos pigmentados, mau
posicionamento dentário, diastemas, entre outros. Cabe ao cirurgião dentista avaliar as
RESUMO
causas e elaborar o melhor plano de tratamento possível para cada paciente. As facetas
pré-fabricadas de resina composta- Componeer, Coltene- são facetas pré polimerizadas
do compósito Brilliant, que surgiram no mercado para simplificar o procedimento
restaurador, reduzindo o tempo de trabalho. São facetas extremamente finas, fabricadas
em diversos tamanhos, com as quais é possível realizar restaurações com alto padrão
estético em dentes anteriores com restaurações minimamente invasivas. Desta forma,
este trabalho teve como objetivo demonstrar o uso clínico de facetas pré-fabricadas de
resina na recuperação da estética dentária de um paciente jovem com histórico de
fratura dos dentes anteriores por trauma.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Tratamento Ortocirúrgico de Classe III com Presença de Supranumerário Inferior
Clarice Costa Braga
Rhita Almeida
Juliana Nogueira
Carolina Vogas
Marco Antonio Almeida
Paciente TAV compareceu a clínica de Ortodontia da UERJ com 21 anos, apresentando
ausência dos terceiros molares e presença de um supranumerário inferior. Face era
assimétrica para esquerda com boa linha de sorriso, perfil reto, com ângulo nasolabial
obtuso e mento deficiente. Discrepância positiva de 4mm no arco superior e negativa de
2,5mm no inferior, relação de molar Classe III de Angle, mordida cruzada dos elementos
12/43, 11 e 21/supranumerário e 31, 22 e 23/33 e 34, com overjet negativo de 0,5mm.
Linha média superior era coincidente com a face e a inferior coincidente com a metade
do supranumerário. Na análise cefalométrica observou-se: Classe III esquelética
(ANB=1o; Wits= -11mm) com protrusão maxilar e mandibular (SNA= 90o; SNB= 89o),
padrão facial dolicocefálico (SNGoGn=38o; FMA=30o; Eixo Y=55o) incisivos superiores
bem posicionados e inferiores retroinclinados (1-NA= 19o e 4mm; 1-NB= 25o e 6 mm;
IMPA=76o). Devido a severidade do caso optou-se pelo tratamento ortocirúrgico com
cirurgia ortognática combinada. Quatro anos após o início do tratamento, o mesmo foi
finalizado com melhora no perfil, boa linha de sorriso, bom alinhamento e nivelamento,
corretos overbite e overjet, linhas médias coincidentes entre si e paciente satisfeita com
o resultado.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 43 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Osteoartrite Infecciosa Condilar: Relato de Caso
Cláudio Araújo de Melo Neto
Paulo Rogério Ferretti B
CO AUTORES Rafaella Maria S. Souza
Ricardo Villar Beltrão
Bonan
ORIENTADOR Helena Aguiar Ribeiro do Nascimento
A osteoartrite infecciosa da articulação temporomandibular é uma condição inflamatória
que se desenvolve pela propagação de microorganismos através de uma disseminação
hematológica, devido a uma infecção contígua ou ato iatrogênico. Na forma mais grave,
pode levar à completa destruição do côndilo e, em crianças, pode ocorrer a anquilose
fibrosa ou óssea ocasionando distúrbio de crescimento. O diagnóstico envolve história
pregressa, exame físico e imaginológico. O objetivo neste trabalho é apresentar um caso
clínico de osteoartrite infecciosa. Paciente do sexo feminino, leucoderma, 24 anos,
RESUMO
compareceu à Clínica de Estomatologia da UFPB com queixa principal a “ausência de
encaixe mandibular”. A mesma não referia dor. Verificou-se deslocamento da mandíbula
para o lado esquerdo durante abertura bucal. Na tomografia computadorizada de feixe
cônico, observou-se destruição do côndilo mandibular e alteração da superfície do
tubérculo articular do lado esquerdo. A paciente relatou ter otite supurativa ocorrente
na infância, o que possibilitou determinar que esta alteração severa deve-se ao histórico
de artrite infecciosa da ATM. É importante o diagnóstico precoce da osteoartrite, de
modo a evitar futuras complicações.
A Importância do Diagnóstico Diferencial Entre Displasia Cemento-óssea Periapical e
Lesões de Endodônticas: Relato de Caso
AUTOR
Cristiane Barbosa Lopes
Flávio Rodrigues Ferreira
Simone Verçosa Simões
CO AUTORES
Sabrina Castro Brasil
Alves
Amaral
ORIENTADOR Marília Videira Marceliano-alves
A displasia cemento-óssea periapical é um tumor odontogênico benigno de origem
mesenquimal, derivado do ligamento periodontal. É mais frequente em pacientes
melanodermas, do sexo feminino, por volta de 40 anos de idade e acomete a região
periapical de incisivos inferiores. É assintomática e é normalmente é descoberta em
exames radiográficos de rotina. Dependendo do estágio, o aspecto radiográfico pode se
semelhar às lesões periapicais inflamatórias (cistos e granulomas), o que pode confundir
o clínico no momento do diagnóstico e levar à indicação de um tratamento endodôntico
desnecessário. O objetivo deste trabalho foi a apresentação das características dessa
RESUMO
displasia, enfatizando a necessidade do diagnóstico diferencial, como forma de
implementação da melhor conduta, além da ilustração por meio de relato de caso, de
paciente atendida na Clínica de Especialização em Endodontia da Universidade Estácio
de Sá, no qual se valeu dos recursos semiotécnicos para o diagnóstico. Conforme a
literatura e devido às características da patologia evidenciada neste caso, conclui-se que,
como existe tendência à estabilização e não há envolvimento pulpar, o diagnóstico
diferencial é imprescindível para a implementação da conduta mais adequada para que
se evite tratamentos endodônticos desnecessários. Palavras-chave: tumor odontogênico,
ligamento periodontal, lesões periapicais.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 44 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Cosmética Dental: Reparo Direto com Resina Composta
Cristina Pereira Isolan
Eliseu Aldrigui Münchow
Lisia Lorea Valente
O objetivo do caso clínico foi o reparo de duas restaurações classe IV com resina
composta. Paciente EAM, sexo masculino, 26 anos, procurou atendimento devido
desgaste nas restaurações dos dentes 11 e 21. Os dentes estavam vitais e as
restaurações não apresentavam pigmentação marginal e nem alteração de cor, porém o
halo translúcido incisal estava desgasto. O planejamento foi realizado a partir de modelo
de estudo, onde se optou por reparo da restauração. Após, foi produzido um modelo de
trabalho para confecção de guia palatina com silicone de adição. A cor dos dentes foi
selecionada, sendo B1 para esmalte e dentina, segundo a escala da resina composta
Empress Direct® (Ivoclar Vivadent). A confecção das restaurações foi realizada com
isolamento relativo combinado (expandex, roletes de algodão, sugador e gaze) e
utilizando-se a guia palatina como anteparo. As resinas compostas foram inseridas
seguindo-se a técnica da estratificação; o acabamento foi feito com pontas diamantadas
extrafinas e pontas de silicone abrasivo (DFL); por fim, o polimento final foi realizado
com escova pelo de cabra e pasta de polimento Ophal®. Conclui-se que o reparo de
restaurações de resina composta com resina composta traz excelente resultado estético.
Além disso, esta técnica possui menor custo e menor tempo de confecção do que a
substituição completa das restaurações.
Toxina Botulínica Associada ao Tratamento Odontológico.
Cynthia Luna de Bcellar
Luis Felipe Diniz Barreto
Fernanda Camargo
Felipe Miguel Saliba
A toxina botulínica é produzida pela bactéria Clostridium Botulinum, sendo uma toxina
muito potente, tendo sete formas distintas, sendo a do “tipo A” a mais conhecida. Elas
são usadas clinicamente quando há uma desordem muscular, sendo então uma
“terapeuta muscular”, que agem reduzindo ou impedindo a contração muscular. Na área
de atuação do cirurgião-dentista ela pode auxiliar na terapêutica de casos como,
bruxismo, hipertrofia do masseter, disfunções têmporo-mandibulares, sialorréia,
assimetria de sorriso, exposição gengival acentuada e, mais recentemente tem sido
descrita na utilização profilática para a redução da força muscular dos músculos
masseter e temporal em alguns casos em implantodontia. Por possuir conhecimento
sobre as estruturas da cabeça e pescoço, o cirurgião-dentista pode tratar certas afecções
da face e da cavidade oral de forma conservadora e segura com a aplicação da toxina
botulínica, desde que possua treinamento específico e conhecimento sobre sua
utilização e não à extrapole, mesmo a técnica de aplicação sendo “simples”. Neste painel
científico vamos abordar a utilização da toxina botulínica na terapêutica de três casos
clínicos abordando estética e função. Bruxismo, Sorriso gengival e Fechamento de
corredor bucal.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 45 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Talon Cúspide: Relato de Caso com Abordagem Terapêutica Estético-Funcional
Dandhara Lino Tôrres
Renata Cordeiro Teixeira
Pedro Henrique Moreira
CO AUTORES
Mônica Meneses Lima
Medeiros
Lima
ORIENTADOR Sandra Régia Albuquerque Ximenes
Talon cúspide é uma anomalia dentária, relativamente, rara de etiologia multifatorial,
incluindo tanto fatores genéticos e ambientais. Existem várias teorias, porém a mais
aceita sugere que essa anomalia ocorre como resultado de uma dobragem para o
exterior de células epiteliais internas do esmalte e uma hiperplasia focal transitória da
papila dentária mesenquimal. Apresenta-se como uma estrutura semelhante a uma
cúspide supranumerária que se projeta da área do cíngulo ou da junção amelo
cementária de dentes anteriores permanentes e decíduos, tanto maxilares quanto
mandibulares, podendo ou não ter a presença de cornos pulpares. Tem prevalência
RESUMO
maior em homens, mais comumente em dentes superiores, dentre eles destacam-se o
incisivo lateral seguido pelo incisivo central. Muitas vezes os indivíduos que apresentam
essa anomalia não sentem desconforto, mas em alguns casos sua presença pode facilitar
o desenvolvimento de cáries devido à dificuldade de higienização na área da junção da
talon cúspide com a superfície do dente. O objetivo deste trabalho é relatar um caso
clínico de talon cúspides e seu tratamento, que consistiu em um desgaste gradual com
ponta diamantada em todos os dentes anteriores superiores, de um paciente que se
queixava de desconforto estético e funcional. Palavras-chave: Talon cúspide, Desgaste
seletivo, Anomalia dentária.
Planejamento e Conduta Clínica Frente a Avulsão Dentária: Relato de Caso com
Acompanhamento de 10 Anos
AUTOR
Daniel de Oliveira Brandão Neto
Sandro Junio de Oliveira
CO AUTORES
Larissa Christina Costa Pinto Ludmila da Silva Guimarães
Tavares
ORIENTADOR Cinthya Cristina Gomes
As lesões traumáticas dentárias podem causar distúrbios estéticos e psicossociais,
estudos epidemiológicos mostram que o número de casos logo poderá ultrapassar a
cárie e a doença periodontal. A avulsão dentária é um dos diversos tipos de traumatismo
e se refere a total exarticulação do dente do alvéolo, sendo preconizado o reimplante do
dente. O índice de sucesso está em razão inversa ao tempo de permanência fora do
alvéolo e em razão direta com a quantidade de ligamento periodontal neoformado, e as
principais complicações são anquilose, reabsorção radicular e consequente esfoliação.
Por vezes o paciente procura o especialista numa condição em que a reabsorção
RESUMO
radicular e perda do dente é iminente, e o objetivo do tratamento passa a ser protelar a
perda até que o paciente alcance crescimento crânio facial que permita realização de um
implante dentário. A proposta deste trabalho é realizar o relato de caso clínico de
avulsão do elemento 21 em uma criança de 10 anos, com acompanhamento clínico e
radiográfico por 10 anos. A conduta adotada e os resultados serão apresentados através
da exposição da documentação realizada ao longo do tratamento. Conclui-se que o
protocolo de trocas sucessivas de hidróxido de cálcio, bem como a obturação do canal
no momento ideal, são fundamentais para o adiamento da perda dentária
proporcionando maior previsibilidade e sucesso ao tratamento.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 46 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Moldagem Facial para Confecção de Prótese Óculo Palpebral: Relato de Caso
Daniele Valente Veloso
Luciana Valadares
Daniele Valente Veloso
Guilherme Meyer
Defeitos faciais podem ocorrer por traumas, defeitos congênitos e cirurgias para
remoção de tumores, podendo alterar a fala e qualidade de vida do paciente. A
reabilitação pode ocorrer por reconstruções cirúrgicas e/ou protéticas. A prótese
bucomaxilofacial busca minimizar a gravidade estética e funcional, sendo importante na
reabilitação e reintegração do paciente. Para isto, a obtenção do modelo da face é
indispensável na elaboração da prótese facial esteticamente apropriada, que contemple
adequada adaptação aos tecidos remanescentes, sendo fator essencial para o êxito. A
moldagem facial tem como principal inconveniente o longo tempo para a confecção,
promovendo desconforto ao paciente enquanto aguarda-se a geleificação da camada de
precisão (hidrocolóide reversível) e a cristalização da camada de reforço em gesso. As
moldagens faciais podem ser classificadas em totais ou parciais, destacando-se a
moldagem para a região óculo-palpebral. Diante disso, objetiva-se apresentar, por meio
da descrição de um caso clínico, uma técnica alternativa de moldagem para a região
óculo-palpebral em uma paciente de 58 anos submetida a cirurgia de remoção do globo
ocular direito e estruturas musculares associadas, devido a um carcinoma
mucoepidermóide. Pôde-se concluir que a técnica proposta por meio da adaptação de
um óculos de proteção permitiu rapidez ao procedimento e conforto à paciente.
TÍTULO
AUTOR
Diagnóstico Precoce de Epidermólise Bolhosa em Paciente Infantil
Daniele Vieira Cassol
Thais Rodrigues Campos
Maria Elisa Rangek Rangel
CO AUTORES Adrielle Mangabeira
Soares
Janini
ORIENTADOR Glória Fernanda Barbosa de Araujo Castro
A epidermólise bolhosa é uma doença rara que acomete o tecido epitelial e mucoso
caracterizada por formação de bolhas ou vesículas de origem traumática ou espontânea.
Manifestações bucais podem ser observadas requerendo cuidados preventivos,
interceptadores ou curativos. Essa fragilidade tecidual é capaz de causar ulcerações
frente à ação mecânica, mesmo que em pequenos impactos. Dessa forma, este caso
descreve o diagnóstico de uma criança do gênero feminino de 6 meses de idade com
epidermólise bolhosa acompanhada por dois anos tendo a queixa principal lesões no
corpo e na boca. Ao exame clínico observou-se lesões cutâneas, onicodistrofia. No que
RESUMO
se refere as manifestações orais, devido a presença de dentes neonatais, os incisivos
centrais inferiores decíduos sem alteração de forma, a presença de extensas lesões na
língua. A suspeita do diagnóstico se deu através da avaliação odontológica que foi
confirmada após o teste de microscopia eletrônica que é padrão ouro na identificação. O
tratamento estabelecido foi baseado na odontologia preventiva para manter a saúde da
cavidade oral. Desta forma, para que o cirurgião-dentista ofereça um tratamento eficaz,
faz-se necessário o conhecimento dessa doença genética a fim de melhorar a qualidade
de vida destes pacientes minimizando, dessa forma, possíveis lesões orais frente a
tratamentos mais invasivos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 47 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Infiltração com Resina de Baixa Viscosidade em Dentes com Hipomineralização Molarincisivo e Fluorose.
AUTOR
Daniella Varela Soares
CO AUTORES Gabriela Caldeira Americano Roberta Costa Jorge
Aline Borburema Neves
ORIENTADOR Vera Mendes Soviero
A hipomineralização molar-Incisivo (HMI) e a fluorose são defeitos de desenvolvimento
do esmalte dentário que ocorrem com relativa frequência na população mundial. Em
casos mais severos, com comprometimento estético e funcional. A técnica micro
invasiva de infiltração com resina de baixa viscosidade tem demonstrado resultados
satisfatórios no mascaramento de lesões cariosas e de defeitos de esmalte. O objetivo
do presente trabalho é relatar um caso clínico de uma paciente de 8 anos de idade, com
opacidades relacionadas à HMI e à fluorose acometendo os incisivos permanentes, com
comprometimento estético relevante. Informações sobre saúde geral indicaram tratar-se
RESUMO
de uma criança saudável. A HMI foi diagnosticada através dos critérios da EAPD e a
fluorose pelo índice TF e de Dean. A percepção da paciente sobre sua condição bucal foi
avaliada pelo questionário CPQ8-10. O tratamento proposto foi à infiltração das
opacidades com resina de baixa viscosidade (Icon, DMG), associada à restauração
minimamente invasiva em resina composta (TPH, Dentsply). Este foi realizado seguindo
as recomendações dos fabricantes, sob isolamento absoluto, sem necessidade de
anestesia local e em consulta única. Concluiu-se que, através de um tratamento pouco
invasivo e rápido, obteve-se bom resultado estético, satisfazendo a expectativa da
paciente e de seus responsáveis.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Diagnóstico e Tratamento da Nevralgia do Nervo Trigêmeo: Relato de um Caso Clínico
David Almeida Costa
Hyago Luiz Silva Barbosa
Nayane Maria Barreto Silva Antônio Varela Cancio
Jener Gonçalves de Farias
O Nervo trigêmeo é o quinto par craniano, sendo responsável pela sensibilidade de
importantes áreas da face e mucosa oral. A Neuralgia do Trigêmeo (NT) é a afecção mais
frequente do quinto par craniano, caracterizada por dores lancinantes, de curto período
e variados intervalos, localizada na distribuição de um ou mais ramos do nervo. Com
base em observações clínicas, sugere-se que a NT seja causada pela compressão do
nervo por vasos (principalmente por artérias, mas ocasionalmente por veias) ou
tumores. O diagnóstico da NT é fundamentado na história da doença e exame físico do
paciente podendo ser confundida com outras doenças que acometem a mesma região.
O tratamento pode variar desde o farmacológico, com medicamentos anticonvulsivantes, até o cirúrgico. O presente trabalho relata um caso clínico diagnosticado
e tratado por um estomatologista em paciente do gênero feminino, 18 anos, que buscou
atendimento odontológico em virtude de fortes dores unilaterais na mandíbula, maxila,
olho e na região temporo-mandíbular. Confrontando as características da patologia
contidas na literatura e o relato da paciente sobre a história da doença, esta foi
diagnosticada com neuralgia do trigêmeo, mostrando ser um achado atípico devido à
idade da paciente. O tratamento ocorreu de forma não cirúrgica com drogas anticonvulsivantes, obtendo sucesso na resposta terapêutica.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 48 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Reabilitação Estética Anterior com Facetas Convencionais e Lentes de Contato - uma
Alternativa Viável e Conservadora
Dayana Campanelli de Morais
Nicolli de Araújo Meckelburg Aline Raybolt dos Santos
Terumitsu Sekito Júnior
Este caso foi realizado na clínica de Especialização em Prótese Dentária da FO-UFRJ.
Paciente gênero feminino 42 anos, apresentando insatisfação com o sorriso em relação à
cor e forma das restaurações que possuía. O objetivo do tratamento foi atender a
demanda estética da paciente associando: cirurgia periodontal para nivelar os zênites
gengivais e restauração anterior com facetas convencionais e lentes de contato. Durante
o estudo do caso o Desenho Digital do Sorriso foi usado como auxílio para definir
contorno e altura dos dentes. Um enceramento diagnóstico foi realizado para melhor
visualização do resultado desejado e foi observado a necessidade de cirurgia periodontal
nos elementos 12, 11, e 21 para regularizar e redefinir os zênites gengivais. Um guia
cirúrgico em resina bis acrílica guiou a cirurgia oferecendo maior precisão intra oral do
que era esperado através do enceramento. Após o período de cicatrização, preparos para
faceta foram realizados nestes elementos e remoção de arestas nos elementos 22 e 23
para confecção de lente de contato e fragmento. Os preparos foram conservadores com
a finalidade de preservar estrutura dentária, porém mantendo uma espessura ideal para
as restaurações cerâmicas. O planejamento final do caso foi possível após ajuste dos
dados obtidos pelo DSD e as condições biológicas da paciente, proporcionando
previsibilidade trans e pós operatória.
Restaurações Semi-diretas Associando Fibras de Vidro a Resinas Compostas: Relato de
Caso
AUTOR
Dayanne Gabrielle Gomes da Silva
ORIENTADOR Fernando Luiz Tavares Vieira
O restabelecimento estético, mesmo em dentes posteriores, tem se tornado prioridade
dos pacientes que procuram serviços odontológicos. Restaurações feitas em amálgama
vem sendo substituídas por resina composta, material que consegue com propriedade se
aproximar o máximo possível da estrutura dental sadia. Tendo em vista que a resina
composta apresenta um mecanismo de contração de polimerização considerável é
importante atentar para a questão da adaptação marginal das restaurações, já que a
contratilidade pode comprometer a manutenção do vedamento marginal ocasionando
insucesso no tratamento restaurador odontológico. Uma alternativa para diminuir a
RESUMO
contração de polimerização da resina composta na cavidade dentária e
consequentemente alcançar mais sucesso é lançar mão de técnicas semi-diretas,
resultando no aumento da resistência ao desgaste, maior estabilidade dimensional da
resina composta, reprodução de uma anatomia oclusal mais fiel e pontos de contato
mais precisos quando comparada as técnicas convencionais diretas. O presente trabalho
relata o procedimento de substituição de restauração extensa feita com amálgama no
elemento dentário 36 por uma feita com resina composta através de técnica semi-direta,
associando fibras de vidro e tem como objetivo apresentar solução estética alternativa a
técnicas convencionais.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 49 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Implantes Zigomáticos em Maxila Atrófica. Acompanhamento Clínico e Radiográfico de 7
Anos: Relato de Caso
AUTOR
Deborah da Cruz Pinheiro
CO AUTORES Rodrigo Resende
Rafael Seabra
Helder Valiense
ORIENTADOR Marcelo Uzeda
Os implantes zigomáticos têm como função servir de ancoragem para próteses dentárias
em maxilas severamente absorvidas e sem possibilidades para a colocação de implantes
convencionais. Essa técnica quando bem empregada apresenta índices de sucesso acima
de 95% tendo como possíveis indicadores de insucesso, processos patológicos sinusais
crônicos ou distúrbios periimplantares relacionados a forças mastigatórias. A indicação
dos implantes zigomáticos obedece a um rígido critério de aplicação e sua execução
requer acentuado treinamento da equipe envolvida, devendo a sua utilização restringirse a casos específicos. A maior vantagem desta técnica é que o procedimento é realizado
RESUMO
em apenas um tempo cirúrgico, dispensando a necessidade de enxerto ósseo prévio com
um período de recuperação maior, além do aumento da morbidade e do custo, adiando
a conclusão do tratamento. Este trabalho tem por objetivo relatar o caso clínico da
paciente S.B.A., leucoderma, gênero feminino, 50 anos de idade, que apresentava severa
atrofia em maxila e foi tratada através da colocação de implantes zigomáticos que
permitiu a paciente a retomada de sua autoestima, devolvendo a função mastigatória
além do suporte e simetria labial e a harmonia da estética facial. Este caso tem o followup de 7 anos durante os quais não se observou qualquer complicação.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
Tratamento Precoce de Paciente com Padrões Esquelético e Dentário de Classe III
Diane Vasconcelos de Santana Oliveira
Joanna Betrine Pereira
CO AUTORES Bruna Alecrim Figueiredo
Marcely Kaye Franco Reis
Ribeiro
ORIENTADOR Marcos Alan Vieira Bittencourt
O padrão esquelético de classe III é caracterizado pela desarmonia entre as bases ósseas
maxilar e mandibular, podendo ou não estar acompanhada por alterações dentárias. A
estética facial, em geral, fica comprometida, e na maioria das vezes, é o que motiva o
paciente ou seus responsáveis a procurar por tratamento. O objetivo deste trabalho é
descrever o caso clínico de uma paciente que se apresentou para o exame inicial aos seis
anos e três meses de idade, com bom estado geral de saúde, terço inferior da face
levemente diminuído no sentido vertical e deficiência do terço médio no sentido
anteroposterior. Sorria pouco e a queixa principal, relatada pelos pais, referia-se à
RESUMO
mordida cruzada anterior e ao fato de apresentar o queixo e o lábio inferior protruídos,
o que comprometia a estética facial. Com o objetivo de harmonizar o perfil e a postura
labial, com a adequação da relação esquelética entre maxila e mandíbula, e a correção
da mordida cruzada anterior, idealizou-se um plano de tratamento envolvendo o
tracionamento reverso da maxila, por meio do uso da máscara facial de Petit, associada
a um disjuntor de Haas modificado. Esta conduta se mostrou bastante acertada,
obtendo-se um resultado favorável, tanto no aspecto facial quanto dentário, e
possibilitando, a partir de então, o adequado processo de crescimento e
desenvolvimento dos terços médio e inferior da face da paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 50 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Reimplante de Dentes Avulsionados Por Traumatismo: Relato de Caso
Diogo Bernardino de Carvalho Almeida
Ernani da Costa Abad
Caroline Ribeiro Xavier
Rafael Araújo de Andrade
Andréia Machado
O estudo do caso demonstra a importância dos procedimentos corretos a serem
seguidos após um trauma dentário (avulsão) e como tais ações influenciam diretamente
no prognóstico do paciente. Paciente do sexo feminino, 11 anos de idade, apresentou-se
ao Projeto Trauma, da Universidade Estácio de Sá, com traumatismo dentário dos
elementos 11, 12. A anamnse e o exame clínico evidenciaram que a paciente sofreu uma
avulsão do elemento 11 e uma sub-luxação do elemento 12 decorrentes de uma “queda
na beira da piscina, onde o dente caiu”. O primeiro atendimento da paciente foi
realizado em uma unidade hospitalar, onde o elemento avulsionado foi dado a equipe
“embrulhado” em um pedaço de papel que não é uma indicação para conservação de
elementos dentários. Foi analisada a condição do dente e percebeu-se que não havia
mais remanescentes de ligamento periodontal, sendo feita então o reimplante do
elemento dentário e uma splintagem com material semirrígido, fixado por resina
fotopolimerizável. Durante o primeiro atendimento no Projeto Trauma, foram realizados
testes de sensibilidade a frio e quente, onde o elemento 11 teve resposta negativa e o 21
positiva, sendo assim, foi realizado o tratamento endodôntico em duas sessões,
utilizando como medicação intra-canal HPGO. Ao final do tratamento foi explicado para
paciente a importância do acompanhamento periódico do seu caso.
Odontologia em UTI – Tratamento Cirúrgico de Úlcera Traumática Ocasionada Por Tubo
Orotraqueal
Diva Claudia de Almeida
Luciana dos Santos Drugos
Pedro Alves Pereira
Ricardo Rosenfeld
Pacientes em UTI, normalmente, encontram-se em estado crítico e risco de morte
agravados, por fatores imunossupressivos, endócrinos, hemodinâmicos e alteração da
microbiota corporal. A importância da odontologia na UTI baseia-se na freqüência de
alterações bucais que ocorre nesses pacientes, associadas ao acúmulo de biofilme
bacteriano, podendo agravar o quadro do paciente. Frequentemente pacientes em UTI
necessitam respiração artificial por tubo orotraqueal (TOT). Porém, este dispositivo pode
desenvolver úlcera traumática na cavidade bucal. Paciente masculino, 59 anos, UTI do
Hospital Federal da Lagoa, RJ, doença pulmonar descompensada, respiração mecânica/
TOT, posteriormente em traqueostomia. Presença de úlcera na mucosa labial superior,
por pressão da fixação do TOT no lábio, contra as arestas de fratura do ângulo incisomesial dos dentes 11 e 23. Optou-se recobrir os dentes com cimento cirúrgico para
proteger a mucosa, face à instabilidade hemodinâmica do paciente. Úlcera evoluiu para
infecção e necrose. Agravante: Sangramento constante das úlceras por uso de
anticoagulante sistêmico. Indicada cirurgia com debridamento e remoção do tecido
necrosado, aproximação dos bordos e sutura. Úlceras bucais não tratadas em UTI são
fator de risco de infecção local, inclusive sepse. Infecções em UTI são responsáveis por
alto índice de mortes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 51 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Correção da Mordida Cruzada Posterior Através das Técnicas Ortopédicas dos Maxilares
Djalma Saturno Barboza Junior
Cesário Lins de
Guilherme Soares Gomes
CO AUTORES Gabriela de Melo Barbosa
Albuquerque Neto
da Silva
ORIENTADOR Sonia Maria Soares da Silva
A mordida cruzada posterior é uma relação anormal vestíbulo-lingual dos dentes
posteriores da maxila ou mandíbula, ou de ambas, quando em oclusão, podendo ser uni
ou bilateral. A mordida cruzada pode ser produzida por problemas localizados de
posicionamento dos dentes, de crescimento alveolar ou por uma grande desarmonia
entre a maxila e a mandíbula. As técnicas ortopédicas dos maxilares visam atuar
diretamente sobre o padrão de crescimento do indivíduo, modificando a estrutura óssea
e órgãos motores associados. Este trabalho objetiva relatar um caso clínico de
tratamento de mordida cruzada posterior com ortopedia dos maxilares, em paciente do
sexo masculino, leucoderma, 13 anos de idade. Após o estudo da documentação
RESUMO
ortodôntica do paciente foi realizada a moldagem dos arcos dentários para a confecção
do aparelho. O aparelho foi adaptado e permaneceu em função por um período médio
de 01 ano. A avaliação do caso foi realizada pela comparação da documentação
ortodôntica e exame clínico antes e após o tratamento, sendo a função e a estética facial
reequilibrados. Quanto aos resultados, as técnicas dos encapsulados, levaram a uma
melhor expansão dos arcos, conquista de espaço e adequada relação de chave de
caninos e de molares. Concluímos com isso, a eficiência das técnicas Ortopédicas dos
Maxilares, na promoção do equilíbrio entre forma e função dos portadores de tal
disfunção.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Cirurgia Paraendodôntica: Apicetomia com Obturação Retrógrada
Edilene da Silva Nesio
Ana Paula Paiva de Andrade
Márcio Américo Dias
A apicectomia com obturação retrógrada consiste no corte da porção apical da raiz do
dente, seguido do preparo de uma cavidade na porção final do remanescente radicular e
a obturação deste espaço com um material adequado. A eliminação de microorganismos e zonas de imperfeições apicais e o fechamento adequado dos túbulos
dentinários expostos com o corte radicular configuram-se como manobras de
fundamental importância para o sucesso do procedimento. Uma vez realizada a
apicectomia, é necessário que o condicionamento da região, a retrocavidade e o
material retrobturador de eleição ofereçam condições biológicas para a cicatrização e
conservação do elemento dental. O paciente deve ser examinado nos meses seguintes
da cirurgia, a fim de serem observados a regeneração óssea com o desaparecimento da
área de rarefação primitiva, o aspecto uniforme do pericemento apical e o
restabelecimento da integridade da lâmina dura. A obturação do canal radicular
simultânea ao ato cirúrgico é uma excelente ferramenta que está à mão do cirurgiãodentista. Desde que seja bem indicada, é uma técnica de resultados previsíveis a curto e
a longo prazo. O objetivo do presente trabalho é relatar um caso clínico de apicectomia
com obturação retrógrada no elemento 11.
Palavras-chave: Cirurgia Paraendodôntica. Apicectomia. Obturação Retrógrada.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 52 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Utilização de Mock Up como Ferramenta de Diagnóstico e Planejamento
Eduardo Otero Amaral Vargas
Anna Paula Martins
Dayse Amaral
Eduardo Vargas
Paulo Ricardo Barros de Campos
Grande parte do sucesso no tratamento odontológico deve-se a um bom planejamento
do caso clínico. Com a busca por tratamentos cada vez mais estéticos, alguns
procedimentos foram desenvolvidos, dentre eles o mock up, para garantir maior
previsibilidade dos resultados. O mock up, ou ensaio restaurador, é indicado para dentes
com alteração de forma, comprimento ou posição, além de sorrisos com assimetrias.
Possui como objetivo avaliar o enceramento diagnóstico e simular as restaurações
planejadas, para que o paciente consiga visualizar o tratamento proposto na própria
boca. Além disso, é uma excelente forma de marketing odontológico. Este relato de caso
tem como objetivo mostrar a importância do mock up no diagnóstico e planejamento de
casos. Paciente R.F., 25 anos, compareceu à Clínica Integrada da UFRJ com queixa de
sorriso infantil com espaçamentos entre incisivos. Com o objetivo de se obter a maior
previsibilidade e assertividade no resultado final do tratamento, foi realizada moldagem
da arcada superior para realização do enceramento diagnóstico. Após a confecção do
guia de silicone, foi inserido nele resina bis-acrílica cor A1 (Protemp 4- 3M ESPE) para a
simulação do sorriso final da paciente. Após a visualização e aprovação pela paciente, foi
escolhida resina composta para finalizar o caso, o qual se mostrou estético e fiel ao
planejamento, devido à utilização do mock up.
TÍTULO
AUTOR
Tratamento Ortodôntico em Paciente com Displasia Óssea Florida: Relato de Caso
Elaine Cristina Rodrigues Duque
Maria Augusta Portella
CO AUTORES Thaíza Gonçalves Rocha
Fábio Ribeiro Guedes
Guedes Visconti
ORIENTADOR Andréa de Castro Domingos Vieira
A displasia óssea florida é uma forma generalizada de displasia óssea periapical, na qual
o osso trabecular normal é substituído por um osso amorfo acelular denso em um
estroma de tecido conjuntivo fibroso, com suprimento vascular deficiente. Possui alta
prevalência entre mulheres negras e de meia idade. Apesar de ser uma lesão fibro-óssea,
afetando a atividade osteoblástica e sua proliferação, estudos sugerem uma resposta
normal do osso displásico às forças ortodônticas. O objetivo deste trabalho é apresentar
um caso clínico no qual foi realizado o tratamento ortodôntico em uma paciente
melanoderma, com 30 anos, assintomática, sem aumento de volume, apresentando
RESUMO
lesões em diferentes estágios de maturação e estendendo-se por toda a mandíbula. A
paciente foi acompanhada por 3 anos por meio de avaliação clínica e radiografias
panorâmicas. O aspecto radiográfico manteve-se inalterado durante e após o
tratamento ortodôntico, sendo o mesmo considerado bem sucedido. Poucos são os
estudos sobre os efeitos da ortodontia em pacientes apresentando displasia óssea
florida, porém tem sido demonstrado que o tratamento pode ser realizado, desde que
seja associado a uma boa higiene oral. Exodontias, por sua vez, devem ser evitadas,
principalmente nas áreas afetadas, a fim de se prevenir o desenvolvimento de infecções
secundárias.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 53 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Selamento de Comunicação Bucoantral com o Corpo Adiposo da Bochecha
Elena Okada Hayasida
Karen Paço de Souza Bins
Gabriele Santos Rocher
CO AUTORES Tamires Silva de Souza
Lena
Monteiro
ORIENTADOR Andrea Aparecida Alves Cotes Tavares
A comunicação bucoantral é a comunicação do seio maxilar com a cavidade bucal, que
pode ocorrer após extrações dentárias superiores, favorecida pela íntima relação dos
ápices desses dentes com o assoalho do seio associada à diminuta espessura do mesmo.
A reparação da comunicação bucoantral inclui retalhos da mucosa bucal e da língua.
Devido às desvantagens destas técnicas que exigem segundo tempo cirúrgico, iniciou-se
o uso do corpo adiposo bucal. O presente trabalho relata caso clínico de paciente do
gênero masculino, 60 anos, que compareceu à clínica de Cirurgia da FOV-RJ, o exame
clínico demonstrou edentulismo total superior e comunicação bucosinusal, à direita.
RESUMO
Paciente ASA II, admitido no HELGJ-RJ para atendimento a nível hospitalar, utilizando o
selamento de comunicação bucosinusal com o corpo adiposo da bochecha. Realizou
antissepsia bucal e facial; aposição de campos estéreis, incisão linear no rebordo
alveolar; divulsão do retalho mucoperiosteal, incisão no periósteo para acessar o corpo
adiposo bucal, divulsão e direcionamento do mesmo, acomodando-o sob a área da
comunicação, sem tensão, previamente curetada, irrigação com SF 0,9%, sutura do
corpo adiposo com a mucosa palatina, recobrindo toda o defeito. O retalho foi
reposicionado, observou hemostasia e prescrição medicamentosa. Alta hospitalar,
orientações de manutenção do corpo adiposo e higiene bucal.
TÍTULO
AUTOR
Tratamento Restaurador Atraumático: a Classe II é Realmente uma Contra indicação?
Elisa França Martins
Márcia Edeuma Santos
CO AUTORES
Carolina Guedes Barquete
Aline Borges Luiz Monnerat
Cabral
ORIENTADOR Antônio Fernando Monnerat
O Tratamento Restaurador Atraumático (TRA) é uma técnica que utiliza instrumentos
manuais para a remoção de tecido dentário cariado macio e completamente
desmineralizado, tendo como base a filosofia preventiva minimamente invasiva e a
restauração da cavidade com material adesivo, o cimento de ionômero de vidro. A
seleção adequada do caso é fator importante para a sobrevida da restauração, e um dos
exemplos de indicações do TRA que não são bem esclarecidas ou que suas limitações
não são atendidas é a Classe II. Esse trabalho tem como objetivo apresentar as
indicações e limitações do TRA, com ênfase em restaurações Classe II, apresentando
RESUMO
também técnicas que aumentem seu sucesso. O TRA foi desenvolvido para ser utilizado
em dentes decíduos e permanentes, desde que se respeitem as indicações e limitações.
As indicações clássicas em dentição decídua e permanente são Classe I, Classe II (com
restrições na dentição permanente), Classe III (com restrição estética) e Classe V. Na
dentição decídua, o TRA não é contra indicado em restaurações Classe II. Já na dentição
permanente, o critério é a preservação das paredes vestibular e lingual da caixa
proximal, tornando as indicações mais restritas. Concluímos que o TRA pode sim ser uma
ótima indicação, desde que suas indicações e limitações sejam respeitadas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 54 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Agenesia de Incisivos Laterais Superiores Reabilitados com Implantes Ósseo Integrados.
Acompanhamento Clínico e Radiográfico de 8 Anos: Relato de Caso
AUTOR
Elisa Tostes de Souza
CO AUTORES Marcelo Telles
Rodrigo Resende
Rafael Seabra
ORIENTADOR Marcelo Uzeda
Caracterizada pela ausência congênita de elementos dentários, a agenesia dental possui
etiologia predominantemente hereditária embora autores atribuam à possibilidade de
serem resultantes de mutações genéticas e da evolução filogenética natural do arco
dental. Acometendo cerca de 20% da população, encontram-se resultados divergentes
na literatura quanto à frequência de envolvimento dos elementos dentários, contudo, há
consenso entre os estudiosos do assunto quanto à redução dos dentes terminais de cada
série, sendo bastante alta a incidência sobre os incisivos laterais superiores
RESUMO
acompanhada pelos segundos pré-molares inferiores, quando comparados a outros
elementos dentários. O objetivo deste trabalho é relatar um caso da paciente Y.M.S. do
gênero feminino, 45 anos de idade com ausência congênita dos incisivos laterais
superiores e fazendo uso de prótese parcial removível, atendida no curso de atualização
em implantodontia da Associação Brasileira de Odontologia de Ilhéus/BA e tratada
através da colocação de dois implantes dentários com sistema de conexão de hexágono
externo, medindo cada um 13mm X 3,75mm e reabilitados por próteses cerâmicas
aparafusadas. O caso tem acompanhamento de oito anos sem apresentar complicações.
TÍTULO
Intervenção Preventiva e Interceptadora da Mordida Cruzada Anterior: Relato de Caso
Clínico.
AUTOR
Elisandra Silva Oliveira
CO AUTORES Thais Garcia da Silva
ORIENTADOR Daniela Cristina
A mordida cruzada dentária é uma má oclusão podendo ser esquelética devido a
alterações nas proporções como também no posicionamento dos ossos. Além da origem
dentária. Pode ser anterior, posterior, unilateral ou bilateral. A mordida cruzada anterior
caracteriza-se por um posicionamento em que os dentes anteriores superiores
localizam-se por lingual em relação aos dentes anteriores inferiores. É necessário o
conhecimento dos diferentes tipos de mordida cruzada anterior para um adequado e
correto diagnóstico, planejamento e tratamento. Paciente L.P.G. 6 anos procurou o setor
de Odontopediatria da FAMA devido a presença de cárie dentária e dor. Constatou-se
RESUMO
que na região anterior o dente 11 encontrava-se irrompido lingualmente ao antagonista
e o dente 61 não havia esfoliado. Diagnosticada a mordida cruzada anterior individual,
após o exame radiográfico e avaliação do grau de esfoliação do 61, optou-se pela
utilização de aparelho removível com mola digital para vestibularizar o dente 11. A
retenção do dente 51 provocou a irrupção ectópica do 11. Para evitar o mesmo quadro
no dente 21, optou-se pela exodontia do 61. Após instalação e ativação da mola, o
paciente retornou e o dente 11 havia descruzado, sendo recomendado o uso por mais 60
dias. Concluímos que é importante a atuação precoce nas mordidas cruzadas dentárias
anteriores que provoquem a progressão de maloclusões.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 55 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Osteonecrose dos Ossos Maxilares Induzida Por Bisfosfonatos: Relato de Dois Casos
Eloá Borges Luna
Ana Carolina dos Santos
CO AUTORES
Juliana Tristão Werneck
Valdir Meirelles Junior
Menezes
ORIENTADOR Maria Elisa Rangel Janini
A utilização de bisfosfonatos para o tratamento de neoplasias malignas e osteoporose
representou significativo avanço. Porém esses medicamentos apresentam uma série de
efeitos adversos, sendo a osteonecrose dos ossos maxilares o mais expressivo. O manejo
desses pacientes depende da clinica e de fatores individuais. Relataremos dois casos que
apresentaram comportamento clinico distintos, apesar da mesma conduta inicial. Duas
pacientes do sexo feminino, uma com 77 anos, melanoderma e a outra com 80 anos,
leucoderma. A primeira, apresentando área de osteonecrose em rebordo maxilar, lado
esquerdo; a segunda com comprometimento em corpo mandibular, lado esquerdo. O
RESUMO
tratamento consistiu em antibioticoterapia e curetagem, com sequestrotomia. Na
primeira paciente, devido ao maior comprometimento ósseo, não houve resolução do
quadro, sendo mantida a antibioticoterapia. Na segunda paciente houve significativa
melhora clínica e sintomatológica após a cirurgia, sendo suspensa a medicação. As duas
pacientes permanecem em acompanhamento clínico e radiográfico. Ambas apesar da
mesma conduta, porém apresentaram evolução clínica distintas, destacando que cada
indivíduo apresenta características que influenciam diretamente na conduta terapêutica.
Dessa forma pode-se concluir que aspectos clínicos e alterações de saúde individuais
determinam a conduta terapêutica ideal para cada paciente.
Correção de Má Oclusão de Classe II Divisão 1 Assimétrica Por Meio de Aparelho de
Protração Mandibular: Relato de Caso.
AUTOR
Emannuel Paullino Sousa Morais
CO AUTORES Izabel Cristina Vieira de Oliveira
San Diego Oliveira Souza
ORIENTADOR Benedito Viana Freitas
Assimetria facial é um estado de desequilíbrio entre as estruturas homólogas do
complexo dentofacial. É uma condição bastante freqüente na população que se torna
especialmente relevante quando compromete a harmonia facial, oclusão e função das
estruturas envolvidas. O tratamento ortodôntico ou ortocirúrgico é indicado de acordo
com o diagnóstico da assimetria tendo como objetivo a melhora da estética aliada à
estabilidade oclusal e funcional a longo prazo. Este trabalho tem como objetivo relatar
um caso de assimetria facial grave em paciente do gênero feminino, 11 anos e 9 meses
de idade, portando má oclusão de Classe II de Angle divisão 1 subdivisão esquerda, com
RESUMO
perfil facial convexo, sobremordida profunda, ausência de selamento labial passivo,
ângulo nasolabial fechado, mandíbula retrognática e assimetria facial. O tratamento
consistiu em realizar compensação dentoalveolar sem extrações com avanço mandibular
assimétrico através do Aparelho de Protração Mandibular (APM) e do uso de elásticos
intermaxilares. Ao final do tratamento foi alcançada relação oclusal normal bilateral
entre molares e caninos, melhora do perfil facial, oclusão com sobressaliência e mordida
normais, boa intercuspidação, excelentes contatos interproximais, paralelismo entre as
raízes e fisionomia mais harmônica. A paciente ficou satisfeita com a aparência dental e
facial após a conclusão do tratamento.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 56 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Fratura Bilateral de Mandíbula: Relato de Caso
Erika Calixto de Souza
Maria Eduarda Bené de
Edivania Maria Lima
CO AUTORES
Crislayne Silva Leite
Oliveira Sabino
Augiete da Ilva
ORIENTADOR David Moraes de Oliveira
Paciente D. J. S., 12 anos de idade, gênero masculino, vítima de acidente automobilístico,
com traumatismo em face, foi atendido na emergência de um hospital privado da cidade
do Recife, com queixa de limitação de abertura bucal, dor ao abrir a boca e dificuldade
para mastigar. Ao exame físico observou-se edema em terço médio e inferior de face
esquerdo; trismo; maloclusão severa; mobilidade a palpação em mandíbula (bilateral) e
fratura exposta intra-bucal de mandíbula bilateralmente, em região de parassínfise
direita e corpo esquerdo. O exame tomográfico confirmou as fraturas descritas e
mostrou ainda um deslocamento posterior da fratura de parassínfise. Após realização
RESUMO
dos exames pré-operatórios de rotina, o paciente foi submetido a anestesia geral e
então foi realizado acesso cirúrgico intra-bucal em região de lábio inferior e sulco
gengivo-labial esquerdo para abordagem das fraturas; redução inicial das fraturas, de
acordo com a oclusão, através de bloqueio maxilo-mandibular com barras de Erich e fio
de aço 1; redução final e fixação das fraturas com placas e parafusos sistema 2.0mm
seguindo os princípios da AO/ASIF; retirada do bloqueio e das barras; checagem da
oclusão e sutura com vicryl 4-0. Nenhum tipo de complicação pós-operatória foi
observada e o paciente evoluiu dentro da normalidade após 1 ano, com
restabelecimento total da função e estética.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Controle de Ulceração Aftosa Recorrente
Erika Dionísio de Alcantara
Luiz Alcino Monteiro Gueiros
Jair Carneiro Leão
Alessandra Albuquerque Tavares Carvalho
A ulceração aftosa recorrente (UAR) é uma doença de etiologia incerta, muito comum na
mucosa oral. Acredita-se que seja multifatorial e que destrua a mucosa através de uma
reação inflamatória mediada pelas células T. Pode estar associada a alterações
sistêmicas, como deficiência de ferro, vitamina B12, ácido fólico. O presente trabalho
tem como objetivo fazer um relato de caso de ulceração aftosa recorrente (UAR).
Paciente C.N.C., sexo masculino, 48 anos, pardo, procurou a Clínica de Estomatologia da
UFPE, em 2013, queixando-se de aftas há aproximadamente 20 anos, tendo usado até
talidomida. Foram solicitados exames complementares com posterior prescrição de
Prednisona, Dapsona e Triancinolona orobase. Avaliou-se o surgimento de novas lesões,
inclusive a forma mais intensa, como afta de Sutton. O paciente chegou a apresentar
candidíase pseudomembranosa devido o uso de corticosteróides frequentes, porém a
recorrência das lesões aftosas permaneceu. A candidíase foi erradicada com o uso de
antifúngico. O acompanhamento do paciente é realizado até os dias atuais, sendo
tratado com creme de proprionato de clobetasol 0,05%. Concluiu-se que a solução
clínica satisfatória da UAR é difícil, procurando assim o melhor controle da
sintomatologia e evolução da doença com o auxílio de corticosteróides tópicos e
sistêmicos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 57 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Exérese de Lipoma em Língua - Relato de Caso
Eryksson Souza de Souza
Fabrício Le Draper Vieira
Fabio Vieira
Rodrigo Le Draper Vieira
Misseno Alves Pereira Junior
O lipoma é um tumor benigno sem risco de transformação maligna, constituído por
células adiposas e de caráter assintomático. Representa uma das neoplasias benignas
mais frequentes na cavidade oral, tendo como principais sítios de acometimento, a
mucosa bucal e língua. O diagnóstico diferencial para o lipoma deve ser levado em
consideração os cistos linfoepiteliais e cistos epidermóides. O presente trabalho tem
como objetivo relatar um caso de tratamento de lipoma em língua. Paciente com 45
anos de idade procurou o serviço de bucomaxilofacial da Universidade Severino Sombra
(Vassouras - RJ) com a queixas de tumor em língua que no momento atrapalhava
adaptação de próteses e na alimentação. A anamnese, paciente sem comorbidades e
sem uso de medicações, relatava tempo de evolução de dez anos e vinha crescendo
insidiosamente, disfágica, lesão esférica de consistência amolecida em lateral de língua
direita, medindo aproximadamente 5 cm. Foi realizado uma incisão linear na lateral da
língua, divulsão e ordenha do tumor, que apresentava coloração amarelada compatível
com tecido adiposo. A remoção da lesão foi realizado por completo e suturado. Tumor
foi enviado para realização de exames histopatológico, que confirmou o diagnóstico de
lipoma. Paciente em acompanhamento clínico e sem recidiva da lesão no prazo de 2
anos.
Implante Dentário em Incisivo Central X Faceta Dentária: Trabalhando com Diferentes
Substratos – Passo a Passo Clínico
Ester Dias de Oliveira
Mayla Kezy Silva Teixeira
Terumitsu Sekito Junior
No tratamento Odontológico que almeje função e estética é fundamental a realização de
um planejamento clínico minucioso, sendo muitas vezes necessária a integração entre as
especialidades odontológicas e as diversas opções restauradoras em um mesmo caso.
Nesse contexto, os implantes dentários unitários têm sido comumente empregados para
a substituição de dentes perdidos/ausentes, sendo a opção mais compatível com as
necessidades biológicas, estéticas e funcionais. No entanto, a reabilitação de um
dente/implante anterior e superior ainda é um desafio para os profissionais de
Odontologia por apresentar uma grande participação na harmonização dos elementos
dentários no sorriso. Este painel tem por objetivo demonstrar o passo a passo de um
caso clínico onde foi utilizado implante dentário em um incisivo central, prótese sobre
implante e facetas na reabilitação do sorriso, tendo abordado cada elemento dentário da
maneira mais necessária. Tendo como ênfase uma solução clínica e laboratorial a fim de
igualar o substrato de uma coroa sobre implante com a cor de dentina de um dente
preparado para faceta dentária, ressaltando a importância de restaurações estéticas em
diferentes substratos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 58 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Alternativa Conservadora para Reabilitação Estética de Dentes Afetados Por
Amelogênese Imperfeita
AUTOR
Estevão Antero Santos
Fernanda Signorelli
Laryssa França Marques da
CO AUTORES
Ana Cristina Lamosa
Calazans
Costa
ORIENTADOR Mauro Sayão de Miranda
A amelogênese imperfeita é uma anomalia hereditária que afeta exclusivamente o
esmalte. Geralmente afeta consideravelmente a estética e promove extrema
sensibilidade. O objetivo deste trabalho foi relatar a resolução de um caso clínico e
apresentar o controle de 3 anos, no qual os dentes eram afetados severamente pela
amelogênese imperfeita, com restaurações indiretas de resina composta sem nenhum
tipo de desgaste da superfície dental. Paciente de 12 anos, com fratura de incisivo
central superior e amelogênese imperfeita afetando toda a dentição permanente. Pelas
características do caso, realizar somente restauração protética do elemento fraturado
RESUMO
não resolveria adequadamente o problema da paciente. Pelo fato da oclusão não estar
em equilíbrio ainda, por conta da dentição mista, optou-se pela colocação de coroa em
resina no elemento fraturado e para completar a reabilitação, facetas em resina indireta
nos elementos permanentes adjacentes sem qualquer desgaste da superfície. Tanto a
coroa, quanto as facetas foram confeccionadas no próprio consultório e cimentadas
conforme o protocolo de cimentação de restaurações adesivas indiretas. Como
resultado, houve um aumento da auto-estima da adolescente, além de preservação de
estrutura dental enquanto não há possibilidade de reabilitação protética mais avançada
pela pouca idade e a falta da oclusão definitiva da paciente.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
Técnica de Archer para Realização de Frenectomia Labial: Relato de Caso.
Eugênio Braz Rodrigues Arantes
Marcelo José Pinheiro
CO AUTORES Taiane dos Santos Lopes
Rafael Seabra Louro
Guedes de Uzeda
ORIENTADOR Rodrigo Figueiredo de Brito Resende
Os freios, também chamados de frênulos, são estruturas delgadas de tecido mole que
conectam uma superfície móvel a outra fixa na cavidade oral. O freio labial superior tem
sua origem na linha mediana da face interna labial e estende-se da linha de junção dos
maxilares até a face externa do periósteo. Ao nascimento e durante o desenvolvimento,
essa estrutura surge da papila palatina até assumir sua posição normal, porém, quando o
freio mantém sua inserção na papila palatina aumentando o tamanho desta, denominase freio labial hipertrófico. Esse posicionamento anormal pode desenvolver algumas
anomalias como retração dos tecidos gengivais, diastema interincisal, restrição dos
RESUMO
movimentos, interferir na fala, mastigação e fonação, e ainda afetar a estética. O
objetivo deste trabalho é relatar o tratamento cirúrgico da paciente C.R.F. de 14 anos,
gênero feminino, que procurou a Disciplina de Cirurgia Bucal da Universidade Federal
Fluminense, por indicação ortodôntica devido à presença de diastema interincisal
causado pelo freio labial superior fibroso. Ao exame clínico verificou-se a presença de
freio labial com grande inserção, sendo indicada para sua remoção a técnica de Archer,
que proporcionou um posicionamento melhor, uma nova inserção para o freio labial,
estética eficaz e com isso, o fechamento do diastema para prosseguimento do
tratamento ortodôntico.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 59 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Aumento de Coroa Clínica com e sem Osteotomia para Possibilitar a Dentística em
Dentes Posteriores e Anteriores: Relato de Casos Clínicos
Fabianna da Conceição Dantas de Medeiros
Isabela Pinheiro Cavalcanti Lima
O trabalho objetiva descrever dois casos clínicos de cirurgia periodontal para reabilitação
com restaurações estéticas diretas em resina composta, em dentes anteriores e
posteriores. No primeiro caso, paciente jovem, do gênero feminino e insatisfeita com seu
sorriso, apresentando irregularidades no contorno gengival, coroas clínicas curtas nos
dentes anteriores e restaurações de resina composta insatisfatórias. Para tanto, realizouse a cirurgia de gengivectomia sem osteotomia, proporcionando equilíbrio estético e o
aumento das coroas clínicas dos dentes anteriores. Após o período de cicatrização dos
tecidos gengivais, finalizou-se com a substituição das restaurações diretas em resina
composta. O outro caso, paciente jovem, gênero masculino, com indicação de troca de
restauração de amálgama em dente posterior. Previamente, foi necessária a cirurgia de
aumento de coroa clínica com osteotomia para recuperação das distâncias biológicas.
Posteriormente, realizou-se a confecção de restauração direta em resina composta.
Ambos os pacientes apresentavam grau de condicionamento e higiene bucal
satisfatórios, contribuindo para a recuperação dos tecidos periodontais após os
procedimentos cirúrgicos. Portanto, a interação Periodontia e Dentística mostrou-se
essencial para viabilizar a reabilitação estética e funcional, possibilitando atender as
expectativas dos pacientes.
TÍTULO
AUTOR
Radiologia Digital com Sensor na Endodontia, Relato de Caso Clínico.
Fabio Goeringue Shocair Borges
Fernando Antônio Machado
CO AUTORES
Luiz Antônio Nora
Marcelo M. Bruno
Miguel
ORIENTADOR Guilherme Antônio Monteiro Miguel
Os frequentes avanços na endodontia como a microscopia, instrumentação rotatória e a
radiologia digital, vêm facilitar o tratamento odontológico principalmente na
endodontia. A radiologia digital direta com o uso do sensor para captação de imagem é
transferida para o computador, gera uma imagem de alta resolução que pode ser
processada com o uso de diversos filtros e técnicas. A imagem digital corresponde á
decomposição da imagem convencional em uma matriz de pontos de imagem,
denominados pixel, o tamanho do pixel está diretamente relacionada a resolução da
imagem, quanto menor for o pixel, maior a resolução da imagem. Dentre as principais
RESUMO
vantagens do sensor está a diminuição do tempo de trabalho, eliminação do processo
químico da revelação, diminuição da dose de Rx e a facilidade no armazenamento,
manipulação e recuperação de imagem. O presente trabalho vem ilustrar através de
caso clínico do elemento 36 do paciente de AGB de 56 anos sexo masculino a
importância da radiologia digital em endodontia, mostrando a imagem com diversas
técnicas de manipulação de imagem, aferição do comprimento do dente e alteração na
qualidade da imagem. Foi realizado a instrumentação rotatória pro desing S, irrigação
com hipoclorito de sódio e obturação pela técnica hibrida de Tagger. O uso da radiologia
digital pelo sensor diminui o tempo de trabalho e aumenta a qualidade da radiografia.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 60 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Linfoma de Burkitt- Relato de Caso.
Fabio Luiz Silva Pereira
Ligia Akiko Ninokata
Girlene Maria do Rego
Flavia Sirotheau Correa
CO AUTORES
Miyahara
Bezerra
Pontes
ORIENTADOR Hélder Antônio Rebelo Pontes
O Linfoma de Burkitt é um linfoma não-hodking de células B de alto grau, que é
endêmico na África e ocorre esporadicamente na América do norte e Europa ocidental. A
patologia em questão envolve a mandíbula, maxila e o abdômen, com envolvimento
extranodal do retroperitônio, rins, fígado, ovários e glândulas endócrinas. Relatamos um
caso de um paciente de 13 anos, sexo masculino, apresentando fragmento de lesão em
rebordo alveolar posterior de mandíbula, lado esquerdo. No exame clínico intra-oral,
apresentava uma lesão exófitica, de superfície irregular, de cor avermelhada, sem limites
definidos, friável ao toque. A biópsia incisional foi realizada para análise histopatológica,
RESUMO
revelando fragmento de neoplasia de origem linfocítica, caracterizada pela proliferação
em lençol de células neoplásicas, de núcleos redondos e citoplasma escasso. Permeando
a proliferação de linfócitos neoplásicos, observam-se grandes macrófagos propiciando
um aspecto morfológico que se assemelha a “céu estrelado”. Inúmeras figuras de
mitoses atípicas encontram-se dispersas pelo espécime, e áreas de hemorragias e vasos
sanguíneos completam o quadro histopatológico. Este aspecto histopatológico foi
indicativo de Linfoma de Burkitt e o paciente foi então encaminhado para tratamento
quimioterápico, porém vindo a óbito.
Isolamento Absoluto Atípico - Uso do Grampo 201 para Isolar 2 Dentes ÂnteroSuperiores.
AUTOR
Fabrício Coelho da Silva
Fernando Antônio
CO AUTORES Fayla Nogueira
Rafael Salgado
Monteiro Miguel
ORIENTADOR Guilherme Antônio Monteiro Miguel
O isolamento absoluto é essencial para manter a cadeia asséptica durante o tratamento
endodontico e manterá a segurança evitando acidentes de deglutição de instrumento e
NaOCl. É comum casos de dificuldade na sua colocação, onde se faz necessário o uso de
recursos de selamento marginal e adaptações de grampos, principalmente quando o
profissional realiza endodontia simultânea em dois dentes vizinhos onde acaba
ocorrendo uma incompatibilidade entre os dois grampos, sendo recentemente
preconizado a utilização do grampo 201 para o isolamento dos dois dentes simultâneos.
O presente trabalho demonstra a utilização do grampo 201 (molar) para isolar dois
RESUMO
dentes ântero-superiores com as coroas destruídas. O caso clínico do paciente de 55
anos que procurou a Faculdade de Odontologia de Valença na disciplina de Clínica
Integrada para realizar tratamento endodôntico de dois incisivos superiores (elemento
11 e 12) que foram isolados simultaneamente com a utilização do grampo 201 associado
ao lençol de borracha, sendo realizado selamento marginal com o uso do cimento de
Hidróxido de Cálcio e Cianocrilato para possibilitar a irrigação, preparo químico mecânico
e obturação dos canais radiculares em seção única. A utilização do grampo 201 em dois
dentes adjacentes sem coroa apresenta fácil execução e boa confiabilidade.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 61 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Odontoma Erupcionado: Relato de um Caso Clínico
Fany Souza Lingordo
Andrea Pereira de Morais
Silvia Paula de Oliveira
Ellen Rose Bundzman
Rebeca de Souza Azevedo
O odontoma (ODT) é considerado o tumor odontogênico mais comum. É assintomático,
descoberto em exame radiográfico de rotina ou pelo atraso na erupção de um dente
permanente. Em raros casos, o ODT pode erupcionar na cavidade oral, podendo
provocar dor e infecção. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é apresentar um caso
raro de um ODT que erupcionou e que estava associado a um folículo pericoronário
hiperplásico. Paciente do sexo feminino, melanoderma, 6 anos, foi encaminhado ao
estomatologista para avaliação de aumento de volume na região do dente 36. Ao exame
físico, observou-se nódulo irregular e dolorido a mastigação associado a uma área de
tecido duro esbranquiçado semelhante a um dente, e que radiograficamente era
caracterizado por uma massa radiopaca. Foi realizada biópsia excisional e o exame
histopatológico revelou a presença de uma proliferação de tecido conjuntivo de arranjo
denso superficialmente e frouxo profundamente contendo focos de inflamação, ilhas e
cordões de epitélio odontogênico e fragmento contendo tecido dentinário e pulpar,
levando ao diagnóstico de um ODT associado a um folículo pericoronário hiperplásico. O
dente 36 erupcionou cinco meses depois. O presente caso clínico evidencia a
importância do acompanhamento rotineiro da erupção, o diagnóstico precoce e a
remoção cirúrgica do ODT permitindo o desenvolvimento harmônico da dentição.
Próteses Combinadas Utilizando Encaixe Resiliente Extracoronário: Relato de Caso Clínico
Felipe Bernabé Lima
Angela Martins
No caso de perdas dentais, as próteses implantossuportadas são a primeira alternativa
de tratamento na reabilitação oral parcial ou total, porém existem limitações
anatômicas, sistêmicas ou econômicas que impossibilitam esse tipo de tratamento.
Quando não é possível este tipo de tratamento com implantes, o uso de próteses parciais
fixas associadas a PPR com encaixes se tornam uma alternativa viável. A proposta deste
estudo clínico foi demonstrar a viabilidade de se obter estética e proteção dos dentes
pilares, através da utilização de próteses parciais removíveis associadas a próteses
parciais fixas através de encaixes resilientes extra-coronários, observando-se os
princípios biomecânicos que os casos de classe I de Kennedy exigem. Paciente, 72 anos,
sexo feminino, procurou atendimento com queixa de deslocamentos e fraturas
constantes das coroas provisórias, além de estética insatisfatória. Foi verificada também
a ausência dos elementos posteriores o que causou uma diminuição da dimensão vertical
de oclusão e perda de contenção posterior. O tratamento proposto à paciente incluiu
uma prótese parcial fixa metalocerâmica associada a uma prótese parcial removível a
encaixe, como forma de resolução estética e funcional do caso.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 62 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Utilização de Enxerto Autógeno em Bloco para Reconstrução de Defeito Alveolar Maxilar
para Instalação de Implante: Relato de Caso.
AUTOR
Fernanda Britto de Melo Silva
Rodrigo Figueiredo de Brito
CO AUTORES Helder Valiense
Rafael Seabra Louro
Resende
ORIENTADOR Marcelo José Pinheiro Guedes de Uzeda
O apelo estético e funcional cada vez mais rigoroso no campo da implantodontia e da
periodontia torna cada vez mais necessário o desenvolvimento de procedimentos que
permitam criar volume ósseo que predigam resultados mais promissores. Com isso, os
enxertos autógenos provenientes de áreas doadoras intrabucais, representam uma
possibilidade bastante favorável com menor morbidade e mais agilidade em sua
execução, representando nos dias atuais o tratamento de escolha para aqueles
pacientes com volume de osso insuficiente e que desejam receber implantes
osseointegráveis. O presente trabalho tem por objetivo relatar o caso do paciente M.V.S.
RESUMO
do gênero masculino e de 30 anos de idade, submetido previamente a tratamento ortocirúrgico de deformidade Maxilo-mandibular, apresentando ausência do incisivo central
superior esquerdo associado a extenso defeito ósseo vestíbulo-palatino e tratado no
curso de especialização da Associação Brasileira de Odontologia de Ilhéus/BA onde foi
realizada cirurgia para a reconstrução maxilar a partir de enxerto ósseo autógeno
proveniente de ramo mandibular com posterior instalação de implante do tipo
osseointegrável com sistema de conexão de hexágono externo medindo 17mm X
3.75mm com acompanhamento de 3 anos.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Maloclusão em Pacientes Ortodônticos Irmãos: Relato de Casos e Discussão
Fernanda de Brito Cazumbá
Jamille Barros Ferreira
Andréa Fonseca Jardim da Motta
Adriana de Alcantara Cury Saramago
Encontram-se informações relacionando maloclusões e hereditariedade, tanto para
características esqueléticas quanto oclusais como: desarmonias anteroposteriores,
mordidas cruzadas, problemas verticais e diastemas. Objetiva-se ilustrar e discutir o
papel etiológico da hereditariedade nas maloclusões. Em diagnósticos ortodônticos de
pacientes irmãos da Clínica de Ortodontia da FOUFF foram analisadas fichas clínicas,
fotografias, cefalometrias e modelos de estudo e comparados entre os pares. A primeira
dupla de irmãos meninos, com idades iniciais de 8 a 6m e 5 a 11m foram tratados para
mordida cruzada unilateral esquerda. A segunda dupla refere-se a irmãos com idades
iniciais de 12 a 11m e 10 a 11m. Ambos tratados para maloclusão Classe II 1ª divisão de
Angle e desarmonia esquelética anteroposterior. O início do tratamento da menina foi
mais precoce, devido à possibilidade de melhora do prognóstico, pela fase do surto de
crescimento puberal. A última dupla envolve um casal, com idades iniciais de 12 a 9m e
14 a 5m e mordida aberta anterior, discrepância de perímetro do arco inferior suave e
desvio de linha média. Aparentemente sem hábitos viciosos e medidas cefalométricas
com predomínio do crescimento vertical da face. Sabe-se que maloclusões podem ser
causadas por diversos fatores, e não necessariamente e somente por hereditariedade,
tendo o ambiente uma influência na etiologia das mesmas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 63 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Enxerto de Tecido Conjuntivo Subepitelial para Cobertura Radicular sem Deslocamento
Coronáriolanger & Langer, 1985
Fernanda Gilvana de Araujo Zubieta
Eduardo Saba-Chujfi
A técnica descreve o uso do tecido conjuntivo subepitelial como área doadora para
cobertura da superfície radicular. O sucesso destes enxertos foram atribuídos ao duplo
suprimento sanguíneo da área receptora com base de tecido conjuntivo subjacente e
cobertura da área receptora com o enxerto. Relato de um caso clínico do paciente B. P.
V. F., 43 anos, leucoderma, compareceu no C P O São Leopoldo Mandic para
atendimento. Foi constatada a necessidade de se realizar no elemento dental 23 uma
cirurgia de recobrimento radicular por meio da técnica de Langer & Langer original, 1985,
sem deslocamento do retalho para coronário. Este enxerto de tecido conjuntivo
subepitelial sobrevive e tem bons resultados, devido ao duplo suprimento sanguíneo, do
tecido conjuntivo nutrido também pela cobertura parcial do retalho.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: Langer B., Langer L. Subepithelial connective tissue graft
technique for root coverage. J Periodontol 56 (12), 1985.
Cisto Periapical: Relato de Caso em um Paciente Pediátrico
Fernanda Mafei Felix da Silva
Andréa Laudares Marques
Gloria Fernanda Castro
Thais Soares
Carla Martins
Cisto periapical inflamatório é considerado raro na dentição decídua. Frequentemente
são assintomáticos e apresentam um crescimento lento, entretanto pode ocorrer
presença de tumefações, sensibilidade, mobilidade do elemento envolvido e
deslocamentos dos dentes adjacentes. São diagnosticados através de radiografias de
rotina e confirmados com exame histopatológico. O objetivo desse trabalho é relatar um
caso de cisto periapical na dentição decídua e seu tratamento. Paciente do gênero
masculino, com 7 anos de idade, compareceu à clínica de Odontopediatria da Faculdade
de Odontologia - Universidade Federal do Rio de Janeiro com queixa de dor e aumento
de volume na região de segundo molar decíduo inferior direito (85). Ao exame clínico foi
observada mobilidade e extensa lesão de cárie no elemento 85. Radiograficamente foi
observado uma imagem radiolúcida unilocular no ápice do elemento 85 e o
deslocamento do dente sucessor 45 (segundo pré molar inferior direito). Sendo assim,
foi realizada a enucleação, que consiste na remoção cirúrgica total do cisto e a exodontia
do elemento 85. Foi realizado um exame histopatológico e o paciente está em
acompanhamento. Um exame clínico e radiográfico cauteloso pode auxiliar no
diagnóstico de patologias orais. É de responsabilidade de o cirurgião dentista
diagnosticá-la e orientar ao paciente sobre possíveis tratamentos e prevenção.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 64 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Preservação de Alvéolos Pós-extração Através de Recobrimento com Membrana de
Plasma Rico em Fibrina: um Relato de Caso Clínico
AUTOR
Fernanda Ramos Conhasca
CO AUTORES Rackel Gonçalves
Vittorio Moraschini
Ingrid Moutinho
ORIENTADOR Carolina Barbosa
A extração dentária é um procedimento de rotina na Odontologia. Imediatamente após
uma exodontia, o processo de reparo no interior do alvéolo é iniciado e,
consequentemente, alterações dimensionais nos tecidos moles e duros irão ocorrer de
forma fisiológica. Essas alterações, se não minimizadas, poderão levar a defeitos
estéticos importantes e uma maior dificuldade para a reabilitação com implantes.
Recentemente, foi proposto o uso de plasmas concentrados autólogos ricos em fatores
de crescimento para o preenchimento ou recobrimento de alvéolos pós-extração. O
plasma rico em fibrina (PRF) pertence a uma nova geração de concentrados de plasma
RESUMO
com processamento biomecânico simplificado e sem a necessidade de manipulação
bioquímica do sangue. Alguns estudos demonstraram o potencial do PRF em liberar
fatores de crescimento, citocinas e glicoproteínas, o que pode estimular e acelerar a
regeneração dos tecidos moles. O objetivo desse relato de caso clínico é demonstrar a
técnica de preservação de alvéolo pós-extração com recobrimento de membrana de
plasma rico em fibrina. Após a realização do procedimento, a cicatrização dos tecidos
moles foi acompanhada através de exame clínico e fotografias padronizadas durante 120
dias.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Enxerto em Bloco para Reabilitação Estética Funcional da Região Anterior da Maxila Relato de Caso Clínico
Flavio Warol Klen Santana
Edgard Poiate Junior
Eduardo Seixas Cardoso
A necessidade do posicionamento tridimensional ideal dos implantes osseointegráveis, por
vezes demanda uma série de procedimentos cirúrgicos de reconstruções ósseas para que
implantes respeitem as distâncias biológicas e inclinações que permitem uma
reabilitação protética com resultados previsíveis e estáveis. Objetivo: apresentar relato
de caso clínico no qual foi realizado enxerto em bloco (EB) para a correção de defeito
ósseo e instalação de um implante na reabilitação do elemento 13. Método: paciente,
gênero feminino, idade 20 anos, apresentava como queixa principal ausência do
elemento 13, perdido após exodontia traumática deste incluso. Clinicamente observouse defeito ósseo horizontal, em região estética. Diante do exposto, optou-se pela
utilização da técnica do EB, associada à ortodontia fixa, e em seguida instalação de
implante Biomet 3i, Osseotite Certain de 4.1 X 13 mm. Resultado: após finalização da
fase cirúrgica, tratamento ortodôntico e instalação da prótese pode-se observar que a
técnica do EB é eficiente na reconstrução dos rebordos alveolares. Conclusão: apesar da
técnica do EB levar a um maior número de intervenções cirúrgicas, a recuperação do
paciente é favorável e é possível alcançar resultado estético favorável de forma
previsível. Além disso, determinados casos demonstram-se com prognóstico favorável
quando se realiza planejamento multiprofissional.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 65 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Displasia Óssea Fibrosa: Relato de Caso
Franciele da Silva de Oliveira
Priscilla Cavassola de Araújo
Celso Ricardo Adami
Displasia óssea fibrosa é uma desordem benigna que acomete o desenvolvimento ósseo
onde há uma substituição do osso normal por tecido conjuntivo fibroso, alterações
endócrinas e cutâneas estão associadas em alguns casos à Síndrome de McCuneAlbrigth. Clinicamente temos problemas estéticos, desconfortos, desadaptação nas
próteses entre outros, causados por esse crescimento excessivo. O diagnóstico deve
levar em conta o exame clínico, exames de imagem e o anatomopatológico. Podemos ter
a transformação desta patologia em lesão maligna, mas essa é uma complicação
extremamente rara. O objetivo deste trabalho é o relato de um caso clínico de lesão de
displasia óssea fibrosa monostótica. Paciente leucoderma, 45 anos, compareceu ao
consultório odontológico relatando aumento de volume na região posterior superior
esquerda, sua queixa principal era estética. Após realizar o exame clinico e de imagem,
optou-se pela remoção cirúrgica da lesão sob anestesia local, acesso intrabucal e
encaminhamento para o exame anatomopatológico. Deste modo o tratamento da
displasia óssea fibrosa consiste em procedimento cirúrgico, visando à melhora da
assimetria facial e facilitação da reabilitação protética.
Reabilitação Oral de Paciente com Microstomia Induzida Por Esclerodermia Utilizando
Próteses Removíveis - Relato de Caso
AUTOR
Francyne Sales Muniz Ribeiro
Silvana Marques Miranda
CO AUTORES Osmar Agostinho Neto
Aline Tany Posch
Spyrides
ORIENTADOR Marcela Rodrigues Alves
A esclerodermia é uma doença crônica e debilitante do tecido conjuntivo, caracterizada
por uma fibrose colágena que resulta em enrijecimento da pele e mucosas. Cerca de
70% dos pacientes com esclerodermia apresentam microstomia, o que dificulta a
realização de procedimentos odontológicos. Uma paciente do sexo feminino, 60 anos,
apresentando microstomia causada por esclerodermia sistêmica foi encaminhada para o
Departamento de Prótese e Materiais Dentários da FO-UFRJ, para realização de
reabilitação protética. A mesma apresentava 30 mm de abertura bucal e utilizava uma
prótese total superior e uma prótese parcial removível classe I de Kennedy inferior,
RESUMO
ambas com as flanges encurtadas para facilitar a inserção e remoção das mesmas. Foi
confeccionada uma órtese para expansão da abertura bucal e a paciente foi instruída a
realizar 20 repetições do exercício, quatro vezes ao dia. Após 3 meses, a abertura bucal
aumentou 15mm, facilitando os procedimentos odontológicos e possibilitando a
realização de novas próteses, dentro de parâmetros ideais. Com isso, pode-se concluir
que com uma abordagem conservadora, foi possível reverter a microstomia causada
pela esclerodermia, possibilitando a reabilitação da paciente e a manutenção dos
hábitos de higiene oral pela mesma.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 66 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Cúspide em Garra: Relato de Caso e Revisão de Literatura
Gabriel Inácio Melandes Silva
Mariana da Silva Campos
Leonardo Santos Antunes
Lívia Azeredo Alves Antunes
A cúspide em garra é uma cúspide adicional bem delineada, localizada na superfície,
vestibular ou lingual, de um dente anterior e representa a continuação ou a extensão de
um cíngulo normal, um cíngulo aumentado, uma pequena cúspide acessória, ou,
finalmente, a formação completa da cúspide em garra. Estimativas sugerem que a
frequência das cúspides em garra na população seja menor que 1%, e sua ocorrência
pode ser unilateral ou bilateral, sendo prevalente a ocorrência bilateral. A Cúspide em
Garra tem uma etiologia desconhecida, sendo geralmente associada com a
morfodiferenciação do estado de odontogênese do germe dentário e está intimamente
ligada com outras anomalias dentárias de má formação. É importante a percepção e
tratamento pelo profissional perante esta anomalia, pois dela pode-se originar
patologias e maloclusões, que afetarão a qualidade funcional e de vida do paciente. O
presente trabalho tem por objetivo de realizar a exposição de um caso clínico
documentado no Pólo Universitário de Nova Friburgo – UFF, apresentando um paciente
de 10 anos que exibia Cúspides em Garra nos incisivos centrais superiores permanentes,
possibilitando a discussão e as possíveis formas de tratamento acerca desta anomalia.
Escleroterapia como Alternativa de Ótima Perspectiva para Tratamento de Hemangioma:
Relato de Caso.
AUTOR
Gabriel Marques Bezerra
CO AUTORES Jhones Suelone Pontes Nogueira
Gabriela de Melo Barbosa
ORIENTADOR Thalles Moreira Suassuna
Os hemangiomas são tumores vasculares benignos, geralmente congênitos, com
tendência à involução. Clinicamente representados por bolhas de conteúdo sanguíneo,
podem também apresentar-se como manchas de colorações que variam de um
vermelho intenso ao arroxeado de acordo com sua localização. O trabalho tem por
objetivo Ilustrar caso clínico de um paciente acometido com hemangioma envolvendo
cavidade bucal, descrevendo suas condições clínicas, bem como descrever tratamento
proposto. Paciente AFS, gênero masculino, 35 anos, com história de aumento de volume
em ápice lingual desde a infância. Clinicamente apresentava uma lesão séssil,
consistência flácida, indolor, superfície lisa, coloração arroxeada, sem ulcerações e
RESUMO
sangrava a estímulos vigorosos. Foi instituída a escleroterapia com o uso de agentes
esclerosantes intralesionais após anestesia local. O agente usado foi o oleato de
monoetanolamina. Após a primeira sessão o paciente evoluiu com formação de necrose
superficial e grande sintomatologia. Nas consultas subsequentes observamos a
resolução do quadro e ausência de necessidade de novas administrações do agente. O
paciente permanece em acompanhamento. Conclusão: A escleroterapia utilizando
oleato de monoetanolamina como agente esclerosante, é um tratamento eficiente para
pequenos hemangiomas, levando a total regressão da lesão sem maiores injurias para o
paciente.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 67 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Uso do Edta no Tratamento da Peri-implantite: Relato de Caso
Gabriela Andrade Soldati
Veruska de João Malheiros
CO AUTORES Diellen Oliveira Marques
Gustavo Alcebiades da Silva
Pfau
ORIENTADOR Eduardo Augusto Pfau
O termo “peri-implantite” foi introduzido no final dos anos 80 (Mombelli et al., 1987) e,
posteriormente, foi definido como um processo inflamatório que afeta os tecidos moles
e duros em torno de implantes osseointegrados resultando em perda do osso de suporte
(Albrektsson & Isidor, 1994). Para o tratamento das Peri-implantites apresentar sucesso,
o resultado deve incluir parâmetros que descrevam a resolução da inflamação e a
preservação do osso de suporte. Os tratamentos propostos na literatura podem ser
desde os mais conservadores como raspagem com curetas de teflon e antibioticoterapia
sistêmica e bem como tratamentos mais invasivos com acesso cirúrgico da lesão, uso de
RESUMO
jatos de ar abrasivo e substâncias descontaminantes, tais como digluconato de
clorexidina, gel de tetraciclina e EDTA gel. O EDTA é uma substância quelante, usado na
odontologia para limpeza e descontaminação radicular e intra-canal, atualmente tem
sido proposto sua utilização para descontaminação peri-implantar. O objetivo do
presente trabalho é relatar um caso clínico de tratamento de peri-implantite através de
uma cirurgia associada à descontaminação de superfície dos implantes com o uso do gel
de EDTA a 24% com preservação de 24 meses. Concluímos que seu uso no presente caso
clínico foi eficaz devido ao restabelecimento da saúde peri-implantar.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Classe Ii-1 em Paciente Respirador Bucal: Tratamento com Ortopedia Funcional dos
Maxilares
Gabriela de Melo Barbosa
Djalma Saturno Barboza
Cesário Lins de
Guilherme Soares Gomes
Júnior
Albuquerque Neto
da Silva
Sônia Maria Soares da Silva
A maloclusão de classe II representa uma discrepância anteroposterior
maxilomandibular, na qual podemos encontrar uma protrusão maxilar, retrusão
mandibular ou uma combinação de ambas, associada ou não às inclinações dentárias.
Este trabalho objetiva relatar um caso clínico de classe II-1 tratado na Clínica de
Hebiatria da UFPE, na paciente MFC, sexo feminino, leucoderma, 12 anos de idade e
respiradora bucal, com Ortopedia Funcional dos Maxilares, com aparelho de Klammt
para classe II-1, indicado, principalmente, na presença de retrusão mandibular. O
aparelho foi adaptado e permaneceu em função por um período médio de 01 ano e 06
meses. A avaliação do caso foi realizada pela comparação da documentação ortodôntica
e exame clínico antes e após o tratamento, sendo a função e a estética facial
reequilibrados. Quanto aos resultados, as técnicas Ortopédicas Funcionais dos Maxilares,
especialmente o Klammt para classe II-1, levaram a uma melhor expansão dos arcos,
adequada relação de chave de caninos e de molares e vedamento labial. Concluímos
com isso a eficiência das técnicas Ortopédicas dos Maxilares na promoção do equilíbrio
entre forma e função de todo sistema estomatognático, fala mastigação e deglutição.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 68 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Remoção de Tórus Mandibular: Relato de Caso e Descrição de Técnica Cirúrgica
Gabriela de Souza Gonçalves
Barbara Nogueira
Rafael Seabra
Marcelo Uzeda
Rodrigo Resende
O torus é uma exostose ou hiperostese benigna comum, não representando uma
patologia ou formação tumoral. Desenvolve-se ao longo da superfície lingual da
mandíbula acima da linha milo-hióidea na região de pré-molares ou palatina, quando
superior. Apresentam-se como uma massa óssea dura de formato variado, possuindo
uma etiologia multifatorial onde se inclui fatores genéticos e ambientais. Em mais de
90% dos casos ocorrem bilateralmente, e só são percebidos quando a mucosa que os
recobrem tornam-se secundariamente ulceradas. Seu tratamento é realizado quando
provoca algum desconforto ao paciente ou para adaptação de próteses. Nesses casos é
executado procedimento cirúrgico, onde o profissional deve respeitar estruturas
anatômicas próximas, para que se evite complicações pós-operatórias. O objetivo deste
trabalho é relatar um caso clínico de um paciente do gênero feminino, leucoderma, 55
anos de idade, atendida na clínica de cirurgia bucal da Universidade Federal Fluminense,
onde a mesma foi encaminhada para a remoção cirúrgica de torús mandibular bilateral
de grande proporção para a instalação de prótese dentária. A paciente foi submetida à
remoção cirúrgica dos tórus mandibular, sob anestesia local, sem intercorrências
cirúrgicas.
A Importância da Correlação Clínicopatológica das Lesões Reacionais Encontradas em
Gengiva: Relato de Quatro Casos Clínicos.
AUTOR
Gabriela Medeiros de Cerqueira
CO AUTORES Rebeca de Souza Azevedo
Silvia Paula de Oliveira
Adriele Ferreira Gouvêa
ORIENTADOR Danielle Nobre Lopes
As hiperplasias reacionais são um grupo de lesões não neoplásicas que ocorrem
geralmente como uma resposta do tecido conjuntivo a uma injúria. O objetivo desse
estudo é, por meio do relato de quatro casos clínicos, abordar as semelhanças e
diferenças clínicas e histológicas destas entidades, que são comuns (hiperplasia fibrosa,
HF, e granuloma piogênico, GP) ou exclusivas (lesão periférica de células gigantes, LPCG,
e fibroma ossificante periférico, FOP) em gengiva. Paciente, de 61 anos, exibia nódulo
séssil em rebordo alveolar na região dos dentes 43 e 44, que após a remoção revelou ser
uma HF. Paciente, de 52 anos, exibia nódulo séssil em gengiva entre os dentes 32 e 33,
RESUMO
que após biópsia obteve um diagnóstico de GP. Paciente, de 42 anos, exibia lesão
nodular entre os dentes 36 e 38, que apresentavam mobilidade e com desenvolvimento
durante a gestação. Após biópsia excisional com exodontia dos dentes envolvidos, o
diagnóstico foi de LPCG. Paciente, de 56 anos, exibia um nódulo pediculado em gengiva
vestibular do dente 21, que após a remoção revelou ser um FOP. A presente série de
casos clínicos destaca o fato de a gengiva ser um dos principais sítios de
desenvolvimento de lesões reacionais que podem se apresentar clinicamente
semelhantes; com isso, a história clínica aliada à análise histopatológica é essencial para
um correto diagnóstico e tratamento destes pacientes.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 69 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Frenectomia: um Relato de Caso
Gabriela Mendonça de Luna
Marcela Sandy Valença de
Rafael Antonio de Oliveira
Bruna de Carvalho Farias
CO AUTORES
Barros
Ribeiro
Vajgel
ORIENTADOR Renata Cimões Jovino Silveira
Frênulos são pregas, de origem congênita, compostas por tecido fibroso, muscular ou
fibromuscular, cobertos por membrana mucosa. O freio labial fica inserido no tubérculo
do lábio superior e inferior na porção profunda do rebordo alveolar e na porção mediana
da face vestibular do processo alveolar e terminando aproximadamente 4mm acima da
papila interproximal dos incisivos centrais, devendo-se inserir, em condições de
normalidade, no limite mucogengival. Em condições normais, os frênulos não ocasionam
consequências patológicas, no entanto, a inserção anormal dos freios provoca tração
anormal dos movimentos labiais levando a alterações nos tecidos periodontais como:
RESUMO
dificuldade de manter o autocontrole do biofilme dental, recessões gengivais,
repuxamento de bolsas periodontais, além de causar o afastamento dos incisivos
levando ao diastema. A remoção cirúrgica dos freios, denominada frenectomia, pode ser
efetuada pela técnica convencional com bisturi, com bisturi elétrico ou por meio de
lasers cirúrgicos. No presente caso, o paciente M. S., 21 anos de idade, procurou a clínica
de pós-graduação em Odontologia da Universidade Federal de Pernambuco, queixandose da presença de um tecido aumentado que incomodava seu sorriso. Ao exame físico,
observou-se a presença de um freio labial hipertrofiado e com um posicionamento
interincisal estendendo-se até a região de papila incisiva.
Tratamento Cirúrgico de Incisivo Central Retido com Dilaceração Coronária e Radicular:
Relato de Caso
AUTOR
Gabriela Ribeiro Vasconcelos
CO AUTORES Jurandi Santos de Albuquerque
ORIENTADOR Ana Lídia Soares Cota
A dilaceração é uma anomalia dentária caracterizada por uma angulação anormal da raiz
e/ou da coroa dentária que pode causar problemas na erupção espontânea do dente,
acarretando desde um atraso até sua retenção intraóssea. De forma geral, apresenta
etiologia relacionada a um trauma nos dentes anteriores decíduos, em torno dos dois
aos cinco anos de idade, período de formação do dente permanente sucessor. Um
indício importante no diagnóstico da dilaceração é a ausência clínica do dente
permanente, sendo essencial o exame radiográfico. Este trabalho tem como objetivo
RESUMO
relatar um caso clínico de dilaceração coronária e radicular. Paciente do gênero
masculino, nove anos de idade, compareceu ao consultório odontológico queixando-se
da ausência do incisivo central superior direito. Durante anamnese os pais relataram que
a criança sofreu um trauma no dente decíduo correspondente aos dois anos de idade
(coice de cavalo). Após análise clínica e radiográfica, foi realizado a exodontia do dente
permanente retido, devido à intensa angulação dentária. Considerando os resultados
das avaliações finais do caso, a conduta cirúrgica proposta mostrou-se pertinente e de
suma importância para a reabilitação bucal do paciente.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 70 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Erosão Dentária Causada Por Bebidas Ácidas Afetando a Dentição Decídua: Relato de
Caso
AUTOR
Gabriella Fernandes Rodrigues
CO AUTORES Bruna Barreto
Thiago Isidro Vieira
Andréa Laudares Marques
ORIENTADOR Andréa Gonçalves Antonio
A erosão dentária é uma doença crônica que provoca perda progressiva e irreversível de
tecido dentário duro, decorrente de processos químicos e ácidos. O objetivo deste
trabalho foi relatar caso de erosão dentária oriunda de bebidas ácidas afetando a
dentição decídua. Paciente do gênero masculino, 08 anos, compareceu à clínica de
Odontopediatria da UFRJ para consulta de rotina. Durante anamnese, responsável
relatou consumo excessivo de refrigerante à base de cola com frequência diária. Ao
exame clínico e radiográfico, observou-se desgaste dentário nos elementos: 53, 54, 63,
64, 74, 73 e 83 com diminuição do brilho do esmalte nas áreas afetadas e superfícies
RESUMO
polidas devido à perda da microanatomia pelo desafio erosivo. Constatou-se presença
de restauração de compósito no elemento 75, cárie interproximal entre o 53 e o 54 e
mantenedor de espaço do tipo banda-alça na região do 84. O plano de tratamento
consistiu em restauração com compósito nos elementos 53 e 54, aconselhamento
dietético e fluorterapia (flúor gel neutro - NaF 2%) para os elementos erodidos. O
paciente encontra-se em acompanhamento trimestral. É de fundamental importância
orientar a criança e o responsável sobre a necessidade de mudanças de hábitos para
evitar a progressão do desgaste e realizar uma boa anamnese para investigar os fatores
etiológicos e assim estabelecer o correto diagnóstico e plano de tratamento.
TÍTULO
Tumor Marrom: Ocorrência em Paciente Sistemicamente Afetado Por
Hiperparatireoidismo Primário
AUTOR
Giele Tenisi Braga
CO AUTORES Thalita Teixeira Santana
Delano Oliveira Souza
Bráulio Carneiro Júnior
ORIENTADOR Águida Cristina Gomes Henriques
O tumor marrom é uma lesão óssea, isolada ou múltipla e com ou sem expansão óssea
que se desenvolve em pacientes com hiperparatireoidismo, podendo acometer
mandíbula, clavícula, pelve e costelas. Histopatologicamente é idêntica à lesão central de
células gigantes. Este trabalho relata um caso de tumor marrom que contribuiu para o
diagnóstico de hiperparatireoidismo, destacando suas características clínicas,
histopatológicas, diagnósticos diferenciais e exames complementares que foram
fundamentais para o diagnóstico. Paciente, sexo feminino, 70 anos, com aumento de
volume nas regiões de corpo mandibular bilateralmente e anterior de maxila. Os exames
RESUMO
imaginológicos mostraram múltiplas lesões multiloculares, com expansão óssea. Altos
níveis de paratormônio e fosfatase alcalina foram detectados. Foi realizada biópsia
incisional, evidenciando características compatíveis com tumor marrom. Após
investigação médica, foi confirmado o hiperparatireoidismo primário e realizada a
remoção parcial da paratireóide. Após 12 meses, houve redução das lesões, sendo a
cirurgia conservadora. Ressalta-se a importância do cirurgião-dentista na identificação
das manifestações clínicas no sistema estomatognático que podem acometer um
indivíduo com hiperparatireoidismo, para que a investigação seja iniciada.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 71 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Carcinoma Epidermóide na Região de Palato com Infiltração para Tecido Ósseo: Aspectos
Clínicos e Imaginológicos
AUTOR
Gilberto Carneiro Albuquerque Junior
Flávia Maria de Moraes
CO AUTORES Danyel Elias da Cruz Perez
Andréa dos Anjos Pontual
Ramos-Perez
ORIENTADOR Maria Luiza dos Anjos Pontual
O carcinoma epidermóide é a neoplasia maligna de maior prevalência da cavidade oral,
ocorrendo duas vezes mais na mandíbula que na maxila. Quando não descoberto
precocemente, pode infiltrar-se para outros tecidos, como o ósseo. Desta forma, exames
imaginológicos são usados para medir a extensão da lesão. No presente estudo, é
objetivo apresentar um relato de caso de carcinoma epidermóide na maxila com
infiltração para o tecido ósseo. Paciente José L. Silva, 61 anos, sexo masculino, feoderma,
compareceu ao centro de Estomatologia da Universidade Federal da Paraíba queixandose de aumento de volume na maxila, com duração indefinida. Na anamnese, foi relatado
RESUMO
uso continuo de tabaco. No exame clínico intra-oral foi constatada uma lesão em
rebordo alveolar superior direito em área chapeável. Ao exame radiográfico periapical
verificou-se uma imagem radiolúcida difusa na região de rebordo ósseo. Ao exame
tomográfico computadorizado, visualizou-se destruição de rebordo ósseo da região
posterior da maxila e do assoalho do seio maxilar do lado direito, o qual apresentava
material hipodenso no seu interior. A análise histopatológica revelou uma neoplasia
maligna formada por células escamosas pleomórficas, as quais se arranjavam em blocos
e invadiam o tecido conjuntivo adjacente, diagnosticando assim o quadro de carcinoma
epidermóide. O paciente foi encaminhado para tratamento oncológico.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
O PRF na Odontologia
Giovana de Oliveira Costa Duarte
Lorrane Duque Teixeira
Marcus Vinicius Sodré
PRF (Platelet-rich fibrin–Fibrina Rica em Plaquetas) ou L-PRF (leukocyte- and platelet-rich
fibrin-Fibrina Rica em Plaquetas e Leucócitos) foi desenvolvido na França em 2001 por
Joseph Choukroun et al. É um subproduto do Plasma Rico em Plaquetas (PRP) obtido
através da mudança de parâmetros no processo de decantação do plasma. Trata-se de
material de enxerto autólogo não trombinizado que libera fatores de crescimento
durante período prolongado (7-14 dias). Protocolo resume-se a coletar sangue do
paciente, sem adição de anticoagulantes, armazenando em tubos 10 ml, centrifugação e
obtenção de coágulo PRF, o qual é comprimido, criando a membrana de PRF. Estas
podem ficar expostas ao meio bucal e são suturáveis. Quando usado como membrana
ou fragmento, o PRF proporciona proteção quanto a agressões externas, e atua como
matriz que acelera a cicatrização dos bordos operatórios; se usado em conjunto com
material enxerto ósseo, o coágulo de fibrina funciona como conexão entre os diferentes
elementos do enxerto; favorece neo-angiogênese, capacidade recrutar células
precursoras e migração de células osteoprodutoras para o enxerto. O presente painel
tem por objetivo descrever relato caso clínico de utilização de membrana L-PRF com
material de enxerto alógeno, em sítio cirúrgico, após exodontia do elemento 16
condenado, preenchendo alvéolos e membrana L-PRF para recobrimento da região.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 72 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Técnica Cirúrgica de Palatoplastia em Fissurados: Relato de Caso
Giovanna Colucci Marcondes
Deborah de França Tresse
Paola Pereira Teixeira
Mariana Teixeira Barbosa
Fabrício Le Draper Vieira
Fissuras faciais são anomalias congênitas de etiologia multifatoriais. O tratamento se faz
necessariamente de forma interdisciplinar. Tais fissuras acometem 1 (um) em cada 600
(seiscentos) nascimentos no Brasil. Muitas vezes não se alcança o resultado esperado
devido à falta de centros especializados. Requerem tratamento complexo de longo prazo
e sua incidência significativa representa um problema de saúde pública. O nascimento de
uma criança com fissura causa as dificuldades de cunho médico, social e familiar visto
que o bebê pode não corresponder às expectativas de saúde e perfeição dos pais e da
sociedade. O presente trabalho se propõe a relatar técnica cirúrgica para correção de
fissura palatal, para obtenção de resultados significativos a mesma deve ser realizada
preferencialmente antes da alfabetização reduzindo assim transtornos fonoaudiológico.
A técnica proposta pelo professor Fabio Vieira proporciona o fechamento em duas
camadas restaurando a anatomia, funcionalidade com a união precisa das mucosas.
Paciente JGH 18 anos gênero masculino apresentou-se ao Serviço de Cirurgia e
traumatologia Bucomaxilofacial da USS com fissura palatal. Teve a cirurgia realizada
antes da alfabetização em centro cirúrgico sob anestesia geral com intubação nasal.
TÍTULO
Odontoma Composto: Relato de Caso Clínico
AUTOR
Giovanna Siqueira Rolim Arruda
ORIENTADOR Renata Cordeiro Teixeira Medeiros
O presente trabalho relata um caso clínico de paciente RFT, 17 anos, que compareceu à
clínica de Estomatologia, portando radiografia panorâmica realizada para controle pós
tratamento ortodôntico, na qual se aferia um caso de odontoma composto, embora não
houvesse sintomatologia. A maioria dos odontomas são diagnosticados na segunda
década de vida, durante exames radiográficos de investigação sobre a não erupção de
um dente. De origem ectomesenquimal e etiologia desconhecida os odontomas são os
hamartomas mais comuns, assim, aborda-se a indentifição radiográfica, histopatológica
e clínica. Sendo assintomáticos e de lenta evolução, geralmente causam retenções e
RESUMO
rechaçamentos dentais podendo gerar complicações de ordem funcional e estética.
Neste relato, analisa-se ainda fatores como o prognótisco, a idade de diagnóstico e o
tratamento de escolha. A metodologia envolve a execução de radiografia oclusal e
técnica de Clark para melhor localização da lesão e definição da abordagem cirúrgica.
Após os exames complementares, a cirurgia em ambiente ambulatorial foi indicada, sob
anestesia local, com incisão intrasulcular e descolamento do retalho palatino. Foi feita
uma ostectomia e remoção da peça cirúrgica com radiografia trans operatória para
confirmação da completa ausência de fragmentos da lesão. O paciente encontra-se sob
proservação, sem sinais de recidiva clínco-radiográficas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 73 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Emprego de Enxerto Gengival Livre para Recobrimento Radicular: Relato de Caso Clínico
Girlene Peixoto Girão
Carlos Higor Mendonça
Vanessa Maria Carvalho
CO AUTORES Ivna Freitas de Sousa Alves
Araújo
Lima
ORIENTADOR Jorge Francisco Fiamengui Filho
O complexo mucogengival compreende os tecidos moles do periodonto marginal e
desempenha a função de barreira protetora do periodonto de suporte, sendo que o
ponto frágil dessa proteção está situado ao nível do epitélio juncional e o ponto forte
dessa estrutura de defesa compõe-se da gengiva queratinizada e inserida. O enxerto
gengival livre pode ser indicado para o recobrimento de recessões gengivais, bem como
aumentar a largura de gengiva queratinizada, eliminando a inserção de freios e aumento
da extensão do vestíbulo. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico em que foi
realizada cirurgia de enxerto gengival livre com objetivo de aumentar a faixa da mucosa
RESUMO
queratinizada na região de incisivos inferiores para devolver a saúde gengival da
paciente. Foram realizados os procedimentos periodontais básicos e a paciente foi
reavaliada após 5 semanas, quando foi observada a presença de pequenas recessões
gengivais e fina camada de tecido gengival queratinizado nos elementos 31,41,42. Após
esta etapa de planejamento decidiu-se realizar o tratamento cirúrgico, com a da técnica
EGL para recobrir e aumentar a faixa de tecido queratinizado. Pôde-se concluir que,
quando bem indicada, a técnica de enxerto gengival livre pode ser um recurso aplicável
para o recobrimento radicular e aumento do tecido queratinizado, permitindo alcançar
uma adequada morfologia do periodonto.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
A Importância do Planejamento Digital do Sorriso na Recuperação Estética e Funcional
de Dentes Utilizando Laminados Cerâmicos.
Gisele Damiana da Silveira Pereira
Victor Vinícius Barros
Ana Clara Duarte Simões
Adriano Nóbrega de Castro
Soares
Denise Fernandes Lopez Nascimento
A hipoplasia e hipocalcificação do esmalte apresentam-se como anomalias de estrutura
que resultam da ação de vários fatores etiológicos durante os estágios de aposição e
mineralização do desenvolvimento dentário, ocasionando alterações de forma, cor e
contorno dos dentes, comprometendo demasiadamente a estética e a função. A
restauração destes defeitos exige uma abordagem multidisciplinar e é importante não
somente devido aos conceitos estéticos e funcionais, mas também devido ao impacto
psicológico positivo que pode causar na vida do paciente. A utilização de recursos
digitais no planejamento do caso aprimora execução do procedimento restaurador,
facilita o trabalho em equipe e a comunicação com o paciente e o laboratório,
resultando em sucesso clínico e na recuperação da harmonia perdida. Desta forma, o
propósito deste estudo foi relatar um caso clínico cujo planejamento dispôs do auxílio da
técnica do Planejamento Digital do Sorriso (PDS), na reabilitação estética anterior com
laminados cerâmicos e lentes de contato, em uma paciente portadora de restaurações
de compósito deficientes e esmalte defeituoso, com diagnóstico sugerido, porém
inconclusivo, de Amelogênese Imperfeita Autossômica Dominante- Padrão localizado.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 74 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Lentes de Contato Dentais: um Promissor Recurso da Odontologia Estética.
Giulia Marins Soares
Marcos de Oliveira
Ricardo Fernandes Martins Juliana Mattos
Barceleiro
A busca por técnicas restauradoras minimamente invasivas e que proporcionem
resultados estéticos satisfatórios tem sido cada vez maior. Nesse sentido, laminados
cerâmicos de mínima espessura têm se tornado uma opção de tratamento, graças à
evolução das cerâmicas dentais e dos sistemas adesivos. Conceitualmente, a Lente de
Contato Dental difere da Faceta tradicional basicamente pela necessidade de pouco ou
nenhum preparo dental e, consequentemente, pela menor espessura da peça protética,
a qual pode ser confeccionada com até 0,3 mm. Contudo, esta técnica está indicada
apenas para pequenas correções, como fechamento de diastemas e alterações da forma.
O objetivo deste trabalho é demonstrar o passo a passo das etapas clínicas para
confecção de Lentes de Contato Dentais, por meio da apresentação de um caso clínico
que envolveu a colocação de 10 laminados (elemento 15 ao 25) confeccionados com o
sistema cerâmico IPS e.max Press. Ao exame clínico inicial, o paciente de 43 anos
apresentava diastemas e desgaste oclusal, e após o término do tratamento foram
alcançados excelente resultado estético e notável satisfação do paciente. Pode-se
concluir que a técnica de Lente de Contato é uma promissora opção para a reabilitação
estética conservadora, e o seu sucesso é altamente dependente da correta execução de
todos os passos operatórios, desde a adequada indicação até a cimentação adesiva.
Coronectomia: Alternativa Cirúrgica para Exodontia de Terceiros Molares Complexos
Giullia Costa de Vasconcelos
Davi Barbirato
Gerson Hayashi
A coronectomia é uma técnica cirúrgica desenvolvida com o objetivo de minimizar os
riscos de lesão ao nervo alveolar inferior, fratura de mandíbula ou outras complicações
possíveis, em decorrência do procedimento clínico de exodontia. Tendo em vista o fato
de que a parestesia do nervo alveolar inferior (NAI) ocorre com frequências que variam
de 0,26% a 8,4% (GULICHER & GERLACH, 2001; CHEUNG et al., 2010; JERJES et al., 2010),
em cirurgias de terceiros molares inclusos, a proximidade dos mesmos com o canal
mandibular pode representar a principal indicação de coronectomia. O objetivo do
presente relato de caso clínico é descrever a técnica de coronectomia e sua indicação, a
partir de embasamentos científicos, realizados em uma paciente de 24 anos,
leucoderma, atendida na clínica de Cirurgia Oral da Faculdade de Odontologia da UFRJ.
Concluímos que a coronectomia pode oferecer maior segurança tanto para o operador
quanto para o paciente nos casos de exodontia de terceiros molares inferiores com alto
risco de lesão do NAI durante sua remoção ou intimo contato com a basilar da
mandíbula, em decorrência da redução dos risos de complicações trans e pósoperatórias, como fraturas e parestesia, e menor morbidade. O paciente deve ter um
acompanhamento pós-operatório de pelo menos seis meses para avaliar a necessidade
de um segundo tempo cirúrgico para a remoção das raízes remanescentes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 75 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Retratamento Endodontico com a Utilização de Instrumentos Rotatórios de Niti Easy
Endo Prodesing S.
Guilherme Antonio Monteiro Miguel
Luiz Antonio Nora
Enio Figueira Junior
Fabrício Coelho da Silva
Fernando Antonio Machado Miguel
Mesmo com a utilização de vários avanços da endodontia, como ativação da irrigação,
novas técnicas de instrumentação de canal manual e rotatória, obturação
termoplastificada, microscopia e localizador apical que proporcionam um alto índice de
sucesso para a terapêutica endodôntica moderna, o tratamento endodôntico pode não
ter a resposta desejada e quando o tratamento endodôntico falha, a opção que recai é o
retratamento do sistema de canais. Durante o retratamento o endodontista deve fazer a
completa remoção da guta-percha e do cimento obturador que em certos casos se torna
demorado e de difícil execução varias técnicas são propostas para remoção de material
obturador como, instrumento manual, instrumento aquecidos, uso de solvente, uso do
ultra som e instrumentação rotatória com limas de NiTi. O presente trabalho mostra um
relato de caso clinico de uma paciente P.N de 36 anos no elemento 26, onde a remoção
de material obturador foi realizada com instrumentos rotatórios (NiTi) Pro design S Easy
Endo acionados por motor elétrico rotatório da Easy Endo re instrumentados e
obturados pela técnica hibrida de Tagger. O instrumentos de (NiTi) são seguros, rápidos
e eficientes na remoção de guta-percha dos canais radiculares.
Tratamento Precoce da Classe III Por Meio da Expansão Rápida da Maxila Seguida da
Tração Reversa. Relato de Caso.
Guilherme Vargas Gomes Almeida Russo
Débora Yassuda
Luana Porto Cicarino da Rocha
O tratamento da classe III em pacientes jovens é uma das tarefas mais desafiadoras.
Uma das estratégias de tratamento, nos casos de classe III por deficiência maxilar, é a
que preconiza a utilização do disjuntor maxilar seguido da máscara facial ortopédica. A
disjunção da maxila corrige a deficiência transversal, ao mesmo tempo em que “solta” as
suturas maxilares, iniciando o movimento para baixo e para frente do complexo maxilar.
A máscara facial, ao incidir forças de 500g sobre o complexo maxilar, protrai a maxila e
rotaciona a mandíbula no sentido horário, corrigindo a desarmonia esquelética e a
concavidade do perfil. O objetivo é relatar o caso de um paciente com má oclusão de
classe III, em fase de dentição mista, tratado no curso de especialização em Ortodontia
ABO-RJ/Sede, apresentando maxila atrésica, mordida cruzada anterior/posterior
bilateral e perfil côncavo. Inicialmente submetido à disjunção maxilar com expansor tipo
Hyrax para correção da mordida cruzada posterior. Logo após a abertura da sutura
maxilar, foi instituída a utilização da máscara facial de Petit. O sucesso da terapia pode
ser comprovada pela correção da mordida cruzada posterior, pela obtenção de
transpasse horizontal anterior positivo e pela melhoria do perfil. Radiografias
cefalométricas antes, durante e após o tratamento confirmam o efeito de tração
ortopédica da máscara facial sobre o complexo maxilar.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 76 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Osteonecrose Induzida Pelo Uso de Bisfosfonatos Após Instalação de Implantes
Dentários
Gustavo Boehmer Leite
Cristiane Ferreira Pinto
Sergio Henrique Gonçalves
Ricardo Louro
Paterline Vivacqua
Motta
Os bisfosfonatos são drogas anti-reabsortivas empregadas no uso de diversas patologias
ósseas. Uma das principais complicações relacionadas com o uso deste tipo de
medicamento é a osteonecrose dos maxilares. Tal complicação pode se desenvolver
espontaneamente ou devido a um procedimento cirúrgico invasivo, como exodontia,
cirurgia periodontal ou cirurgia de implante dentário, trauma oral, infecção, além da má
higiene oral. Este trabalho tem como objetivo relatar um caso clínico onde a paciente
desenvolveu a complicação após instalação de implantes dentários, porém o diagnóstico
desta patologia só foi realizado muitos meses após o início da sintomatologia, quando a
paciente revelou fazer uso regular da medicação. Inicialmente o caso foi tratado como
infecção até que o diagnostico foi realizado, por meio de exame histopatológico de
sequestro ósseo. Procedeu-se com uso de laser de baixa potência e antibioticoterapia.
Atualmente a paciente encontra-se sem sintomatologia. As modalidades de tratamento
da osteonecrose dos maxilares relacionadas ao uso de bisfosfonatos foram aplicadas de
acordo com a literatura atual. O tratamento conservador é a primeira escolha,
reservando intervenções cirúrgicas para casos específicos. Uma anamnese dirigida e
medidas para prevenção da complicação devem ser tomadas em pacientes que fazem ou
fizeram uso deste tipo de droga.
Aspectos Cito - histopatológicos do Efeito Citopático do HPV no Diagnóstico do
Condiloma Acuminado em Paciente HIV Positivo
Gustavo de Souza Vieira
Arley Silva Junior
Thays Teixeira de Souza
Eliane Pedra Dias
Bruna Lavinas Sayed Picciani
O condiloma acuminado é uma lesão infecciosa, causada pelo Papiloma vírus humano
(HPV), transmitida sexualmente, que pode acometer a mucosa oral e apresenta aumento
da frequência em pacientes soropositivos para o HIV (HIV+). Objetiva-se demonstrar a
correlação cito-histopatológica em lesão suspeita de infecção por HPV, através de um
relato do caso clínico de uma Mulher, 52 anos, negra, HIV+, compareceu ao ambulatório
de diagnóstico oral queixando-se de aparecimento de lesões há três meses, localizadas
bilateralmente em retrocomissuras que, apesar de serem assintomáticas, causavam
comprometimento estético. Ao exame físico, observou-se áreas sobrelevadas de aspecto
verrugoso e normocrômicas. Realizou-se escovados das lesões, e a citopatologia
identificou candidíase e efeito citopático do HPV. Após tratamento antifúngico, realizouse biópsia excisional e o diagnóstico histopatológico foi de condiloma acuminado. O
exame histopatológico é a metodologia mais utilizada no diagnóstico de lesões causadas
pelo HPV, porém, a citopatologia permite a observação de alterações e efeitos
citopáticos representativos do vírus, principalmente em pacientes HIV+. Assim, por ser
um método simples e não invasivo, sua utilização deveria ser considerada,
principalmente em pacientes comprometidos sistemicamente, tanto para o diagnóstico
como para o acompanhamento dos mesmos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 77 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Fratura Parassinfisária Pós Acidente Motociclístico: Relato de Caso
Gustavo Gomes Nardone Rodrigues
Victor César Santos Bastos
Gustavo Boehmer Leite
Wagner Hespanhol
de Souza
Maria Aparecida Cavalcante
O trauma facial pode ser considerado uma das agressões mais devastadoras encontradas
em centros de trauma devido às consequências emocionais, à possibilidade de
deformidade e, também, ao impacto econômico que esses traumas causam em um
sistema de saúde. Mesmo com o advento de novas medidas para prevenção de
acidentes, ainda nos deparamos com um bom número de fraturas dos ossos da face.
Atualmente grande parte dos acidentes são motociclísticos, gerando assim fraturas
maxilares e mandibulares como a relatada neste caso. As fraturas mandibulares são
bastante comuns em acidentes motociclísticos, principalmente pelo não uso do
capacete, sendo a mandíbula o único osso da face que apresenta mobilidade, e o
restante fazendo parte do esqueleto fixo da face, a sua fratura não passa jamais
despercebida, pois é bastante dolorosa, dor essa que piora muito com os movimentos
mastigatórios, fonatórios e, até, movimentos respiratórios, havendo, às vezes, queixas
de assimetrias faciais. Das fraturas mandibulares a parassinfisária ocorre na região entre
a linha média mandibular e uma linha vertical na distal do canino. Este trabalho visa
demonstrar um relato de caso do tratamento de uma fratura parassinfisária por meio de
redução e fixação interna rígida (FIR) de uma vítima de acidente motociclístico.
Correção do Sorriso Gengival: Relato de Caso
Hanna Thielly Silva Santana
Renata Araújo Barbosa
Ana Luisa Teixera Meira
Erica Del Peloso Ribeiro
A aparência do contorno gengival depende, basicamente, dos seguintes fatores:
posicionamento dentário, tipo de periodonto, forma dos dentes e desenho da junção
amelo-cementária. Em um periodonto normal e clinicamente saudável, o contorno
gengival representa e recobre a junção amelo-cementária. As relações das margens
gengivais dos seis dentes ântero-superiores têm um papel importante na estética do
sorriso. Pacientes que possuem uma linha de sorriso alta expõem uma larga zona de
tecido gengival e frequentemente expressam preocupação em relação ao seu “sorriso
gengival”. O objetivo deste trabalho é, por meio da apresentação de um caso clínico,
discutir a importância da correção do sorriso gengival na harmonia estética do sorriso.
Indivíduo do sexo feminino, 21 anos, faioderma, que apresentava como queixa principal
“os meus dentes da frente são pequenos e tenho grande exposição de tecido gengival ao
sorriso relaxado”. Após exame clínico e radiográfico revelando saúde periodontal e
níveis de profundidade de sulcos gengivais mínimos e, principalmente, similares a
paciente foi submetida à gengivectomia/gengivoplastia. Foi observado posterior ganho
na harmonia estética do sorriso e na autoestima.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 78 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Estratégias Cirúrgicas no Aproveitamento de Caninos Superiores Inclusos: Relato de
Casos
Hannah Taynnan de Lima Bezerra Rabêlo
Marcos Antônio Farias de Paiva
Josélia da Silva Leite
José Wilson Noleto
Existem vários elementos dentários que se apresentam impactados ou que
apresentaram falha no processo de erupção, os quais podem ser levados a uma situação
de oclusão funcional. Dentre estes, os caninos superiores apresentam uma prevalência
de cerca 1,5% de inclusão, sendo superados apenas pelos terceiros molares inferiores e
superiores. A etiologia de tal inclusão é idiopática em grande número dos casos, embora
o fato do canino superior erupcionar após o incisivo lateral e primeiro pré-molar seja um
fator que possa contribuir para esta situação. O primeiro passo a ser dado, antes da
abordagem cirúrgica para o aproveitamento de um dente incluso, é a abertura de espaço
na arcada de pelo menos uma vez e meia o comprimento mésio-distal de sua coroa.
Caso este esteja em uma posição axial favorável, e a rizogênese ainda incompleta, há a
possibilidade de erupção sem a necessidade de tracionamento ortodôntico. Caso a
erupção espontânea não ocorra, algum acessório ortodôntico deverá ser fixado ao dente
para que sua tração seja efetuada. O trabalho tem por objetivos relatar dois casos de
caninos superiores inclusos que foram expostos cirurgicamente e tracionados com
sucesso. O bom resultado obtido nos dois casos expostos demonstrou que, sempre que
houver a possibilidade e indicação, a técnica de aproveitamento ortodôntico-cirúrgico
deve ser tentada antes de opções protéticas.
Amelogênese Imperfeita: Aspectos Clínicos e Tratamento Conservador
Helena Freire Duarte Neta
Saul Antunes Neto
Amelogênese imperfeita: aspectos clínicos e tratamento conservador
O objetivo deste trabalho é apresentar uma revisão de literatura e imagens, avaliando
aspectos clínicos e relato de uma reabilitação conservadora da amelogênese imperfeita,
com a intenção de fornecer ao cirurgião dentista e acadêmicos de odontologia subsídios
para o diagnóstico e escolha de tratamento mais apropriado, levando em consideração a
individualidade de cada caso. Amelogênese imperfeita é uma doença hereditária que
afeta a formação do esmalte, tanto na dentição decídua como na permanente. O
diagnóstico da amelogênese imperfeita envolve a exclusão de fatores ambientais e
estabelecimento de um provável padrão de herança genética, reconhecimento do
fenótipo e correlação coma formação do esmalte. Numerosas modalidades de
tratamento têm sido descritas para a reabilitação de pacientes com amelogênese
imperfeita. No entanto, tem-se buscado reabilitar de maneira conservadora e com um
enfoque na prevenção dos efeitos dessa patologia. Este trabalho irá relatar um caso
clinico de reabilitação estética e funcional por meio do uso de resinas compostas, em
uma paciente com amelogênese imperfeita. Pôde-se concluir que é possível melhorar a
estética e restabelecer a função destes pacientes através de procedimentos e técnicas
simples e de baixo custo.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 79 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Reabilitação Estética em Dente Anterior com Traumatismo Através da Colagem de
Fragmento: Relato de Caso
Hiorran Coelho Almeida Matos
Fernanda Mafei
Andrea Marques
Lucianne Cople Maia
Luciana Pomarico
Traumatismos dentários são muito comuns durante a infância, época em que o paciente
está constantemente praticando atividades recreativas e esportivas com risco de
integridade física. A maior prevalência de acometimento está relacionada aos dentes
anteriores, gerando danos estéticos e funcionais ao paciente. Existem opções de
tratamento para reabilitação estética desses dentes, sendo uma delas a colagem do
fragmento dentário. Esse trabalho teve como objetivo relatar um caso de colagem de
fragmento em um paciente com fratura de esmalte e dentina com exposição pulpar no
elemento 21. O paciente do gênero masculino, 10 anos, compareceu a clínica de
odontopediatria com relato de traumatismo dentário e dor. Ao exame clínico e
radiográfico foi observado fratura com exposição pulpar no incisivo central superior
esquerdo. No mesmo dia do trauma foi realizado a pulpotomia. Uma semana depois, foi
realizada nova avaliação, e observada ausência de sintomatologia e alteração clínica e
radiográfica. Assim, a opção de tratamento foi a colagem do fragmento dentário. A
elevação do grau de exigência estética pela sociedade tem motivado os dentistas a se
aprimorarem em técnicas conservadoras, procurando preservar ao máximo as
características originais dos dentes. A colagem de fragmento dentário é uma alternativa
simples e apresenta a vantagem de manter as características dos elementos dentários.
Tumor Odontogênico Epitelial Calcificante (Tumor de Pindborg): Relato de Caso
Honório da Silva Lima Junior
Maria Aparecida de
Bruno Augusto Benevenuto
João Manoel Mota
Albuquerque Cavalcante
de Andrade
Mário José Romañach
O tumor odontogênico epitelial calcificante (TOEC ou tumor de Pindborg) é um tumor
odontogênico benigno incomum e potencialmente agressivo. Paciente do gênero
feminino, 73 anos de idade, compareceu ao serviço de Cirurgia Oral da Faculdade de
Odontologia da UFRJ apresentando aumento de volume assintomático na região anterior
da mandíbula de evolução desconhecida. Exames de imagem demonstraram lesão
radiolúcida bem delimitada contendo material radiopaco no seu interior, com
deslocamento dos dentes 42 e 43 e destruição das corticais ósseas vestibular e lingual. A
paciente foi submetida à biópsia incisional, a qual microscopicamente revelou a
presença de células epiteliais eosinofílicas poliédricas mostrando pleomorfismo nuclear
e pontes intercelulares proeminentes, em um estroma contendo material amilóide
amorfo positivo para vermelho congo e áreas de calcificação. O tratamento consistiu na
remoção cirúrgica conservadora da lesão, incluindo margem óssea e dentes associados.
Paciente atualmente não apresenta sinais de recidiva 3 meses após a cirurgia e será
submetida a acompanhamento clínico-radiográfico de 2 anos. O TOEC é um importante
diagnóstico diferencial das lesões mistas dos ossos gnáticos e deve ser reconhecido pelo
cirurgião-dentista para que o tratamento adequado seja fornecido aos pacientes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 80 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Fechamento de Fístula Buco-nasal em Paciente Vítima de Paf: Relato de Caso
Igor Rafael Cavalcanti Marques
Ricardo José de Holanda
Andressa Bezerra de
Airton Vieira Leite Segundo
Vasconcellos
Almeida
Fechamento de Fístula Buco-nasal em Paciente Vítima de Paf: Relato de Caso
A fístula buco-nasal é a descontinuidade de tecido na região que separa o meio oral e a
cavidade nasal, envolvida por tecido epitelial no seu trajeto. Para seu fechamento,
existem várias técnicas cirúrgicas, que variam de acordo com o tamanho da fístula,
quantidade de tecido duro e mole disponíveis no local da comunicação, bem como a
escolha da técnica adequada para cada paciente. O objetivo desse trabalho é relatar o
caso de um paciente, 22 anos de idade, que procurou o Serviço de Bucomaxilofacial do
Hospital Regional do Agreste, com queixa de “um orifício no céu da boca”. O mesmo
relatou que foi vítima de agressão por arma de fogo aproximadamente 2 meses antes da
consulta. Ao exame físico, observava-se presença de fístula buco-nasal na região
interpalatal. A tomografia computadorizada demonstrou perda de continuidade do
assoalho da fossa nasal, velamento do seio maxilar, e imagem hiperdensa no local,
sugerindo a presença de corpo estranho. O paciente foi submetido à anestesia geral, e
realizou-se a fistulectomia, remoção do corpo estranho pelo mesmo acesso, e em
seguida o fechamento da fístula com rotação de retalho palatino bilateral, o qual
ofereceu boa espessura e quantidade de tecido, minimizando o risco de deiscência, e
aumentando as taxas de sucesso. O paciente evoluiu bem, sem infecção ou deiscência,
apresentando-se sem queixas no 4º mês de pós-operatório.
Mediastinite Descendente Necrosante Pós Angina de Ludwig: Relato de Caso
Imara Juliane Nunes de Queiroz Silva
Rafaela Maia Cardoso
Heloisa Laís Rosários dos
Mariana Carvalho Coelho
Almendra
Santos
Viviane Almeida Sarmento
A angina de Ludwig é uma infecção dos espaços submandibular e sublingual, originada,
em geral, a partir de uma infecção no segundos ou terceiros molares inferiores. Como
consequência, pode causar obstrução das vias aéreas ou mediastinite descendente
necrosante. Esta representa uma forma grave e rara de infecção mediastinal. O
diagnóstico precoce e tratamento cirúrgico ajudam a reduzir a alta mortalidade
associada a esta doença. O objetivo deste trabalho é relatar um caso de uma
mediastinite decorrente da complicação de uma infecção odontogênica em uma mulher
admitida no Hospital Universitário Professor Edgard Santos (UFBA), Salvador, Bahia,
Brasil. A paciente relatou odontalgia em segundo molar inferior esquerdo, a 8 dias da
admissão, que evoluiu com aumento de região cervical e trismo, acompanhada de sinais
flogísticos e eliminação de secreção purulenta na boca. Foi iniciada antibioticoterapia,
solicitado tomografia computadorizada com contraste e realizado drenagem cirúrgica
imediata da infecção cervical profunda combinada com drenagem mediastinal, através
de uma abordagem torácica. O dente envolvido apresentava necrose pulpar e abscesso
periapical, sendo realizada sua exodontia imediata. A paciente teve sucesso no
tratamento através de uma abordagem combinada da cirurgia torácica e remoção do
foco infeccioso bucal, com alta hospitalar após trinta dias.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 81 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Lipomas Orais: Relato de Três Casos e Revisão da Literatura
Ingrid de Almeida Baião
CO AUTORES
Adriele Ferreira Gouvêa
ORIENTADOR
Sílvia Paula de Oliveira
Lipomas são neoplasias mesenquimais benignas que se originam nas células adiposas
maduras. Sua etiologia pode estar associada a diferentes fatores, como células de
gordura embrionária residuais, entre outros. Ocorre em média aos 60 anos de idade,
sendo raramente encontrado em crianças. Na cavidade oral ocorre principalmente nas
regiões de mucosa jugal, lábios, língua, fórnice vestibular e assoalho de boca.
Microscopicamente, o lipoma pode ser classificado como fibrolipoma, angiolipoma,
intramuscular, pleomórfico, sialolipoma, mixóide e atípico. O diagnóstico de lipoma é
baseado em características clínicas, microscópicas e imunoistoquímicas. Apresentamos 3
casos de lipoma diagnosticados e tratados no serviço de Estomatologia e Patologia Oral
da Universidade Federal Fluminense, pólo universitário de Nova Friburgo. As pacientes,
com idades variando entre 50 e 70 anos, apresentaram nódulos sésseis com crescimento
assintomático, apresentando superfície lisa e consistência macia. Análise microscópica
mostrou proliferação bem delimitada de adipócitos maduros em todos os casos, em um
deles notou-se degeneração cística e um apresentou-se entremeado por feixes de tecido
conjuntivo friboso. Conclui-se que lipoma é uma proliferação de tecido gorduroso, com
crescimento assintomático que pode causar incômodos na mastigação e fala e que
apresenta recidiva improvável após rescisão.
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Danielle Nobre Lopes
Karla Bianca Fernandes da
Costa Fontes
Rânula: Tratamento com a Técnica da Micromarsupialização
Ingrid Nunes do Rosário
Alana Del´arco Barbosa
Raiane Adorno Trindade
George Veloso Silva
Antonio Fernando Pereira Falcão
A mucocele é uma lesão benigna comum na mucosa oral. Quando de origem traumática,
caracteriza-se pelo rompimento do ducto de uma glândula salivar menor e o
extravasamento de muco no tecido conjuntivo adjacente. O acometimento dessa lesão
no assoalho bucal possuirá a denominação de rânula. Quando esse extravasamento de
muco ocorre acima do músculo milohiódeo, subjacente a mucosa do assoalho é dado o
nome de rânula simples ou bucal. Essa patologia será unilateral, com a inserção séssil ou
pediculada localizando-se na linha média. A coloração azulada ou translúcida é uma das
características na averiguação do exame clínico, bem como a ausência de sintomatologia
dolorosa. A rânula é diagnosticada na maioria das vezes, através do exame clínico. Em
alguns casos, exames complementares, como radiografias, tomografias computadorizas
e ultrassonografias são necessários para evitar erros, uma vez que, este tipo lesão se
confunde com outras patologias. Quando estabelecido o diagnóstico, são várias as
modalidades de tratamento. Objetiva-se relatar o caso de um paciente atendido numa
unidade de saúde e posteriormente encaminhado ao serviço de Estomatologia da
Faculdade de Odontologia Da UFBA para a realização do plano de tratamento a ser
executado (micromarsupialização) e subsequentemente a proservação.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 82 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Cisto Odontogênico Ortoqueratinizado: Relato de um Caso Clínico com Padrão Clínicoradiográfico Pouco Usual
Isabel Schausltz Pereira Faustino
Maíra Menezes Santos
Ademar Takahama Junior
Renata Tucci
Martins
Rebeca de Souza Azevedo
O cisto odontogênico ortoqueratinizado (COO) é um cisto odontogênico incomum, que
foi inicialmente categorizado como uma variante do então denominado queratocisto
odontogênico. Acomete principalmente a região posterior da mandíbula de pacientes
masculinos como uma lesão radiolúcida unilocular associada a um dente incluso num
padrão similar a um cisto dentígero. Desta forma, o objetivo deste trabalho é relatar um
caso de COO exibindo características clínicas e radiográficas pouco usuais. Paciente do
sexo feminino, leucoderma, 18 anos, exibiu em exame radiográfico de rotina uma lesão
radiopaca, bem delimitada, na região próxima ao periápice do dente 28 incluso. Sob
anestesia local, foi realizada a exodontia do dente incluso e a lesão associada enucleada.
O exame histopatológico da amostra revelou a presença de uma cavidade cística
revestida por epitélio escamoso estratificado ortoqueratinizado, sem presença de
organização da camada basal em paliçada e com deslocamento de queratina para o
interior do lúmen, levando ao diagnóstico de COO. O presente caso clínico evidencia a
importância do envio de lesões removidas no cotidiano da clínica odontológica para
análise microscópica para adequado estabelecimento do diagnóstico e tratamento
realizado de lesões incomuns e até com padrão clinico-radiográfico inesperado.
Mieloma Múltiplo e Intervenção Odontológica: Relato de Caso
Isabela da Cruz Barcellos Nunes
Raquel Richelieu Lima de
Wagner Pereira Coutinho
Renato Liess Krebs
Andrade Pontes
Filho
Nancy de Assis Ferreira
Mieloma Múltiplo (MM) é uma neoplasia maligna que afeta células plasmáticas. O uso
do bisfosfonato é comum, pois reduz a reabsorção óssea, sendo utilizado na prevenção
de complicações como fraturas e controle da dor. Entretanto, eles não melhoram a
sobrevida. O transplante de células tronco hematopoiético (TCTH), apesar de não ser
curativo, proporciona um aumento significativo da sobrevida e qualidade de vida. O
objetivo deste estudo é relatar o tratamento odontológico pré, durante e póstransplante. Indivíduo gênero feminino, 62 anos, portadora de mieloma múltiplo, pré
TCTH, em uso de bisfosfonato há um ano, avaliada pela odontologia, onde foram
realizados tratamento endodôntico, exodontia e tratamento restaurador. Durante TCTH,
em ambiente hospitalar, foi realizada laserterapia para prevenção de mucosite, não
desenvolvendo complicações orais durante a internação. O acompanhamento
odontológico pós-transplante é realizado a cada três meses, sem intercorrências orais. A
realização do tratamento odontológico prévio ao transplante, orientações de higiene
oral e o acompanhamento durante o transplante reduz o risco de complicações, para
minimizar ainda mais os riscos o tratamento deverá ocorrer antes do início da terapia
com bisfosfonatos. Proporcionando melhor qualidade de vida ao indivíduo.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 83 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Transformando a Face com Prótese Total
Isabela Lopes Eustáquio
Iasmyn Machado Ramos
Luis Felipe Diniz Barreto
Vinicius Carvalho Brigagão
Felipe Miguel Saliba
A personalidade de um indivíduo poderá sofrer mudanças físicas e psicológicas ao longo
de sua vida, podendo gerar preocupações causadas pela perda dos seus elementos
dentários. O uso de Prótese Total muitas vezes cria no paciente uma limitação social,
fazendo com que o mesmo se abstenha de relações interpessoais. O caso clínico
demonstrado exemplifica a transformação de uma face seguindo o correto protocolo de
confecção de Próteses Totais, onde se conseguiu melhora na adaptação, função e
estética, bem como a atenção à personalidade do paciente. Paciente V. M., de 55 anos,
apresentou-se com queixa estética de suas próteses totais e desconforto na função
mastigatória, foi realizada a substituição das mesmas por novas próteses, respeitando as
medidas do terço inferior da face, estética labial, melhorando o formato, cor e
posicionamento dos dentes artificiais. Isso resultou numa melhora considerável na
estética facial da paciente. Desta forma, podemos concluir que ao procurar o tratamento
odontológico, o paciente espera que além da reposição de seus dentes, através de
próteses bem confeccionadas, o trabalho final lhe permita reconstruir de maneira
satisfatória, a sua imagem pessoal e a sua vida social.
Condiloma Acuminado em Paciente HIV Positivo: Relato de Caso
Isabela Sampaio de Cerqueira
Bruno Andrade Cantharino
Tarsila de Carvalho Freitas
Márcio Oliveira Campos
de Carvalho
Ramos
Michelle Miranda Lopes Falcão
O condiloma acuminado é uma proliferação benigna do epitélio escamoso estratificado,
induzida por vírus que pode ocorrer na boca. É considerada uma doença sexualmente
transmissível (DST), com lesões que se desenvolvem no local de contato sexual ou
trauma. Constituem 20% das DSTs diagnosticadas. O período de incubação é de um a
três meses a partir do contato sexual e tem relação com a imunidade do indivíduo.
Ocorre mais em jovens. Objetiva-se relatar um caso de DST com manifestação bucal em
indivíduo HIV positivo. Indivíduo do sexo masculino, 34 anos, melanoderma foi
encaminhado para remoção de múltiplas lesões em cavidade oral. O exame intraoral
revelou a presença de lesões arredondadas, contorno regular, consistência fibrosa,
esbranquiçada e base séssil localizadas no lábio superior, palato duro, mucosa labial e
rebordo alveolar. Solicitou-se relatório do infectologista e exames pré-operatórios. Após
verificação da normalidade dos exames, realizou-se biópsia excisional das lesões. O
exame histopatológico indicou o condiloma acuminado com sugestiva associação viral
(Papiloma vírus Humano). O cirurgião-dentista deve está apto para reconhecer e
conduzir os casos de DST com manifestação bucal.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 84 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Utilização do Protetor Bucal como Protocolo Preventivo em Criança Traumatizada:
Relato de Caso
Isabela Tavares Dutra
Luiz Edmundo Costa
Rodrigo Von Held Marques
Lívia Azeredo Alves Antunes
Gouvêa Júnior
Leonardo dos Santos Antunes
A avulsão dentária implica no total deslocamento do dente de seu alvéolo, ocasionando
danos ao ligamento periodontal, osso alveolar, cemento, gengiva e polpa. O rápido e
correto pronto atendimento tem grande influência no prognóstico do dente em questão.
Dispositivos de segurança, como o protetor bucal, devem ser utilizados, mesmo após a
injuria, atenuando a ocorrência de novos danos físicos e psicológicos ao paciente. Assim,
o objetivo deste trabalho foi relatar o caso de uma paciente do sexo feminino, com 9
anos de idade, que sofreu avulsão no elemento 11 e luxação nos elementos 12 e 21
decorrente de queda da própria altura. Este trabalho foi aprovado pelo CEP número
CAAE 34751514.6.0000.5626. Foi realizado contenção semi rígida durante 2 semanas
seguido de tratamento endodôntico do elemento 11 conforme preconizado pela
Academia Americana de Odontopediatria. Foi confeccionado ainda um protetor bucal
laminado e personalizado, uma vez que a paciente praticava esporte com frequência. A
paciente encontra-se sob acompanhamento clínico e radiográfico, no período de 01 ano,
sem apresentar qualquer sintomatologia ou alteração. Observou-se ainda, que o uso do
protetor bucal possibilitou maior segurança durante a prática de esportes, atenuando a
ocorrência de danos físicos e psicológicos.
Nano compósitos: o Estado da Arte
Isabella da Costa Abreu Rodrigues
Thiago Dias Ottoboni Oliveira
Raphael Monte Alto
Tathiana Tavares Barreto Paes
Os conceitos: estética, funcionalidade e resistência alicerçam a Odontologia atual, a qual
tem buscado ser cada vez mais conservadora da estrutura dental. Visando esses
conceitos, podemos ver a grande evolução das resinas compostas, tanto em tamanho,
formato, composição e distribuição das partículas, unindo estética e resistência em um
único material. As resinas compostas são amplamente utilizadas na odontologia hoje
devido a grande demanda estética, com isso, existem diversos tipos de resinas
disponíveis no mercado, cada uma com suas limitações e indicações. Com o
aprimoramento das resinas com a finalidade de minimizar os erros, temos a introdução
da nanotecnologia nas resinas compostas, que agregam inúmeras vantagens, sendo uma
delas a de mimetizar os tecidos dentais reproduzindo translucidez, opacidade,
fluorescência e opalescência. Essas resinas apresentam um ótimo resultado estético e
grande resistência ao desgaste, e são compostas por partículas de carga de 20 a 75
nanômetros. O objetivo desse painel é apresentar um caso clínico de sucesso obtido
através do uso de nano compósitos demonstrando o estado real da arte, onde foram
realizadas facetas diretas em resina composta, reproduzindo assim, os tecidos dentais
com qualidade, devolvendo ao paciente sua estética, função e principalmente sua autoestima.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 85 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Importância de Exames Por Imagem no Diagnóstico do Tumor Odontogênico Cístico
Calcificante
Isabella da Rocha Rodrigues
Elaine Judite de Amorim
Andrea dos Anjos Pontual
Danyel Elias da Cruz Perez
Carvalho
Flavia Maria de Moraes Ramos-Perez
O tumor odontogênico cístico calcificante (TOCC) é uma neoplasia benigna mista
incomum. Por este motivo, este trabalho relata um caso de TOCC localizado na maxila.
Paciente do gênero masculino, 38 anos de idade, apresentava aumento de volume na
face à direita, de duração desconhecida. Ao exame clínico, havia um aumento de volume
recoberto por mucosa íntegra. Radiografia panorâmica revelou imagem radiolúcida,
unilocular, bem delimitada, localizada no lado direito da maxila, medindo cerca de 3,5
cm. A lesão deslocava o dente 13 incluso e causa reabsorção radicular do dente 15. Foco
radiopaco foi observado no interior da lesão. Tomografia computadorizada revelou
expansão e adelgaçamento significativo da cortical óssea vestibular. Sob anestesia local,
foi realizada biópsia incisional. Microscopicamente, foi observada cavidade cística
revestida por tecido epitelial, o qual apresentava células basais dispostas em paliçada e
com núcleo em polarização invertida. Além disso, haviam numerosas células
arredondadas, anucleadas e com citoplasma eosinofílico (células fantasmas). Assim, o
diagnóstico de TOCC foi estabelecido. O paciente foi submetido a excisão cirúrgica da
lesão, sem evidências de recidiva tumoral após 18 meses do tratamento. O TOCC é uma
lesão incomum e de bom prognóstico. Além disso, deve ser considerado no diagnóstico
diferencial de lesões que causam reabsorção radicular.
Incisivo Central Superior com Quatro Canais Radiculares: Relato de Caso
Isabelly de Carvalho Leal
Wlhadya Kaenny de Freitas
Aline de Oliveira Lima
Ylana Rosa Matos
Costa
Nunes
Fábio de Almeida Gomes
O tratamento endodôntico busca promover uma minuciosa limpeza mecânica e química
de toda a cavidade pulpar para atingir um grau de desinfecção apropriado. Uma das
principais razões associadas ao fracasso endodôntico é a persistência da infecção que,
muitas vezes, está relacionada com erros de diagnóstico, erros na instrumentação dos
canais radiculares, fraturas de instrumentos, restaurações insatisfatórias, e variações
anatômicas. O objetivo deste trabalho é apresentar um caso clínico do tratamento
endodôntico de um incisivo central superior que apresenta uma raiz e 4 canais
radiculares. O sucesso do tratamento endodôntico requer conhecimento da anatomia
dental e suas possíveis variações. Este trabalho relata a presença de uma anatomia
incomum detectada em um incisivo central superior apresentando 4 canais radiculares
com uma lesão periapical associada. A incidência de 4 canais radiculares neste dente é
muito raro. No entanto, deve ser tido em consideração, os resultados clínicos e
radiográficos avaliados durante o tratamento a fim de melhorar o diagnóstico. Muitas
vezes, a presença de um canal supranumerário é notado somente após a finalização do
caso, devido à continuação do desconforto pós-operatório ou devido ao fracasso do
tratamento. Portanto, conhecer que os dentes possuem grandes variações anatômicas é
fundamental para a boa prática endodôntica.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 86 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
A Importância da Tomografia Computadorizada na Avaliação de Alterações Morfológicas
Severas nas Cabeças da Mandíbula: Relato de Caso
Isadora Follak de Souza
Elaine Cristina Rodrigues
Thaiza Gonçalves Rocha
Nathália Ribeiro
Duque
Andréa de Castro Domingos Vieira
A tomografia computadorizada (TC) é considerada o exame padrão ouro no diagnóstico
de alterações morfológicas das cabeças da mandíbula, pois permite uma visualização
tridimensional apurada dos seus detalhes ósseos, sem a limitação das sobreposições.
Este trabalho relata um caso de alteração morfológica severa das ATMs, cujo diagnóstico
foi realizado por meio de exame tomográfico. A paciente do sexo feminino, de 30 anos,
apresentou, clinicamente, severa limitação de abertura bucal. O exame tomográfico
revelou, em vista sagital, erosão da vertente ântero-superior e aplainamento das
vertentes ântero-superior e póstero-superior da cabeça direita da mandíbula, enquanto
os cortes coronais mostraram a presença de erosão do pólo centro-lateral da mesma. A
cabeça da mandíbula esquerda apresentou-se hipoplásica e com severa alteração
morfológica, tendo sido verificada erosão nos seus pólos medial, central e lateral.
Verificou-se também erosão na cavidade articular direita e significativa alteração
morfológica na cavidade e tubérculo articulares do lado esquerdo. No exame realizado
com boca aberta, observou-se severa hipomobilidade de ambas as cabeças da
mandíbula. Concluiu-se que a TC proporciona uma identificação precisa de alterações
morfológicas das ATMs, tendo em vista sua complexidade anatômica e fisiológica,
contribuindo de forma decisiva para o diagnóstico de suas disfunções.
Reabilitação Oral em Paciente com Desgaste Dentário Severo
Israela de Andrade Lins
Leonardo José Rodrigues de Oliveira
Marcos Vinícius de Souza Luna Alves
Rodivan Braz da Silva
Este trabalho visa demonstrar a possibilidade de reabilitar a estética e a função de um
paciente com bruxismo, que apresentava grande desgaste de tecido dentário em todos
os dentes e perda de dimensão vertical de oclusão. Paciente do sexo masculino, 47 anos,
procurou o serviço odontológico da Faculdade de Odontologia de Pernambuco,
relatando ter passado por vários tratamentos odontológicos anteriores, que não
conseguiram reabilitá-lo. Inicialmente foi feito um plano de tratamento para uma
reabilitação oral multidisciplinar. Este planejamento indicou a necessidade de cirurgia
periodontal de aumento da coroa clínica para os dentes anteriores, aumento da
dimensão vertical, através dos testes métricos, fonéticos e estético, usando dispositivo
interoclusal, montagem em articulador semi-ajustável e enceramento diagnóstico. Logo
em seguida foi feita a confecção de placa reposicionadora (overlay). Posteriormente
foram preparadas coroas provisórias, que aos poucos foram substituindo a placa,
núcleos metálicos fundidos e as coroas metalo-cerâmicas, sendo finalizado esse
tratamento com a confecção de uma placa miorrelaxante. Desse modo, mesmo em
casos que apresentam grande complexidade, é possível a reabilitação da função, estética
e consequentemente a melhoria da autoestima do paciente, através de um
planejamento e tratamento baseado em evidências científicas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 87 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Diferente Perfil Comportamental de Paciente Infantil com Bruxismo Noturno
Ivan Rafael de Oliveira Calabrio
Cláudia Maria Tavares da
CO AUTORES
Adrielle Mangabeira
Lucianne Cople Maia
Silva
ORIENTADOR Andréa Gonçalves Antonio
O bruxismo é uma parafunção do sistema mastigatório produzida por contrações dos
músculos mandibulares, caracterizada pelo ranger dos dentes, resultando no seu
desgaste. Sua etiologia pode estar associada à hereditariedade e sugere um reflexo do
estado comportamental de hiperatividade, agitação, estresse e ansiedade. Considerando
os dentes acometidos, o bruxismo pode ocasionar hipersensibilidade térmica,
mobilidade, lesões no ligamento periodontal e periodonto, hipercementose, cúspides
fraturadas, pulpite e necrose. O presente relato descreve uma criança com bruxismo
noturno, gênero feminino, 8 anos de idade e com comportamento diferente do padrão
RESUMO
encontrado em crianças bruxistas, pois trata-se de uma paciente calma sem traços de
hiperatividade, de sono profundo, de bom rendimento escolar. Ao exame clínico,
diagnosticou-se severos desgastes em todos os dentes decíduos. Foi confeccionada uma
placa de acrílico com levante oclusal para impedir o desgaste dentário com parafuso
expansor a fim de acompanhar o crescimento da criança. Dessa forma, pode-se concluir
que o cirurgião-dentista deve ficar atento as conformações dentárias dos pacientes, bem
como com o relato do responsável, visto que uma criança com bruxismo pode não
apresentar o perfil comportamental mais característico e, com isso, seu diagnóstico é
traçado através de uma detalhada anamnese e exame clínico.
TÍTULO
AUTOR
Granuloma Piogênico: Relato de Caso
Ive Cavalcante de Oliveira Vaz
Ana Carolina Costa Moreira Laís Albuquerque Ribeiro
Samuel Barbosa da Silva
CO AUTORES
Nicolau
Pimentel
Filho
ORIENTADOR Sonia Maria Soares Ferreira
O Granuloma Piogênico (GP) é uma lesão de processo proliferativo não neoplásico,
indolor, de tecido conjuntivo, que varia de 0,3 a 7,0 cm, caracterizada pelo aumento
volumétrico nodular. Possui massa plana ou lobulada usualmente pedunculada
semelhante a um tumor da cavidade oral, ocorrendo devido a respostas teciduais e
estímulos crônicos de longa duração. Em 75% dos casos acomete a gengiva. Lábios,
língua e mucosa jugal são outros sítios comuns. Embora possa acometer qualquer idade,
é mais comum em adolescentes e adultos jovens de 11 a 40 anos, possuindo predileção
por mulheres devido aos efeitos vasculares provocados por hormônios femininos.
RESUMO
Pretende-se com este trabalho relatar o caso clínico de uma paciente, 16 anos, com
lesão única, situada na região vestibular de molares inferiores esquerdos, dor provocada,
com duração de cerca de 1 ano. A radiografia panorâmica apresentou uma reabsorção
óssea atípica e uma grande extensão da lesão que permitiu a hipótese diagnóstica de
osteossarcoma. A biópsia excisional revelou fragmentos de mucosa revestidos por
epitélio estratificado pavimentoso, com lâmina própria fibrosa com forte proliferação de
células endoteliais e neoformação vascular, fechando o diagnóstico de GP. Dessa forma,
evidencia-se a importância de um profissional capacitado para um diagnóstico correto.
Palavras-chave: Granuloma piogênico; Gengiva; Reabsorção óssea.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 88 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Transplante Autógeno Dentário: uma Alternativa para o SUS
Izana Santos Borges Nascimento
Monalisa da Silva
CO AUTORES David Almeida Costa
Deyvid da Silva Rebouças
Mascarenhas
ORIENTADOR Bruno Andrade Cantharino de Carvalho
O transplante dentário autógeno consiste na substituição de um dente inviável ou
ausente, por outro dente inutilizado, geralmente o terceiro molar. O TDA está indicado
em de casos de agenesia, dentes inclusos, cáries extensas, doença periodontal,
reabsorção radicular e fratura coronorradicular. O objetivo é descrever um caso de
reabilitação com transplante dentário de um terceiro molar para a região do segundo
pré-molar inferior ausente devido agenesia. O diagnóstico foi de agenesia dentária da
unidade 3.5, onde ainda encontrava-se no local a unidade 7.5 com restauração
fraturada. Foram feitas, adequação do meio oral, antibioticoterapia profilática e estudo
RESUMO
radiográfico para avaliar a condição da rizogênese da unidade a ser transplantada e a
possibilidade da sua adaptação no alvéolo receptor. O transoperatório deu-se com a
exodontia da unidade 7.5, alveoplastia do sítio receptor, extração cuidadosa do germe
doador, e a implantação do germe em infra-oclusão, finalizando com uma contenção
semirrígida através de suturas envolvendo a superfície oclusal. Após o período
necessário para estabilização do germe, notou-se a devolução da função mastigatória,
retorno estético e a melhora da auto-estima do paciente. Conclui-se que O TDA é uma
técnica simples, sendo opção para reabilitação anatomo-funcional, acessível à boa parte
da população que pode ser empregada no setor público de saúde.
TÍTULO
AUTOR
Controle da Dor no Pós-operatório na Cirurgia Periodontal de Peeling Gengival.
Izaneide de Oliveira Morais
Rachel de Queiroz Ferreira
João Paulo Barbosa
CO AUTORES
Maronilson Soares Leite
Rodrigues
Anastácio
ORIENTADOR João Nilton Lopes de Sousa
OBJETIVO: O cuidado pós-operatório de feridas cirúrgicas oral requer atenção especial.
Com relação ao controle da dor, geralmente são usados analgésicos e anti-inflamatórios.
Na atualidade temos como alternativa ao uso dos fármacos, a laserterapia de baixa
intensidade (LBI). O presente estudo tem por objetivo descrever a utilização da LBI no
controle de dor pós-operatória em cirurgia periodontal de peeling gengival. RELATO DE
CASO: Paciente melanoderma, do sexo feminino, com 17 anos de idade, compareceu a
clínica escola de odontologia da Universidade Federal de Campina Grande, queixando-se
de hiperpigmentação na região ântero-superior. O procedimento cirúrgico foi a
RESUMO
gengivoplastia associada à gengivectomia dos elementos 13 ao 23, usando gengivótomo
de kirkland e lâmina de bisturi n°15. Após a cirurgia, foi realizado LBI usando o sistema
Laser Duo, com comprimento de onda de 808nm, de 105j/cm², potência de 100W, sendo
três aplicações pontuais de 32s cada. Em seguida, aplicação de cimento cirúrgico e
orientações ao paciente. Com retorno de 08 e 21 dias, foi realizado, respectivamente, LBI
e avaliação da dor pós-operatória com o uso de questionário específico. Em ambas as
avaliações, a paciente não relatou dor. CONCLUSÕES: Conclui-se no presente caso
clínico, a eficiência do LBI no controle da dor no pós-operatório, sendo uma alternativa
eficaz ao uso de fármacos convencionais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 89 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Reconstrução Coronária Transcirúrgica: Relato de Caso
Jaciel Leandro de Melo Freitas
CO AUTORES
Kleber Silva Ramires
Suely do Nascimento Aguiar
Cláudio Heliomar Vicente
da Silva
ORIENTADOR Daene Patrícia Tenório Salvador da Costa
A reconstrução dentária em dentes tratados endodonticamente e que apresentam
grande destruição coronária é comumente necessária na clínica odontológica. Contudo,
a escolha para reabilitação desse tipo de situação ainda causa muitas controvérsias. A
restauração com pino intra-radicular se apresenta como a alternativa mais viável para a
retenção necessária do material restaurador ao remanescente coronário sem gerar
perdas adicionais de estrutura dentária, além de propiciar reforço da porção radicular.
Todo procedimento restaurador repercute direta ou indiretamente sobre os tecidos
periodontais, devendo-se ter, em situações especificas, um cuidado especial na
RESUMO
manutenção do espaço biológico, utilizando manobras cirúrgicas a fim de obter as
condições ideais para o procedimento restaurador. Esse trabalho tem como objetivo
relatar um caso clínico de reconstrução coronária do elemento dentário 34, enfatizando
a técnica restauradora transcirúrgica com emprego de retentores intrarradiculares préfabricados, com o controle clínico e radiográfico de dois anos e seis meses. Foi possível
observar que o protocolo empregado é uma alternativa promissora para reabilitação de
dentes com grande perda coronária, pois além do restabelecimento da saúde
periodontal, foi possível devolver a função dentária que, atualmente, desempenha
também o papel de suporte protético.
Utilização do Corpo Adiposo Bucal para Fechamento de Fístula Bucossinusal: Relato de
Caso
AUTOR
Jáder Sátiro de Araújo
Sormani Bento Fernandes
Carlos Higor Mendonça
Vanessa Maria Carvalho
CO AUTORES
Queiroz
Araujo
Lima
ORIENTADOR Valthierre Nunes de Lima
A comunicação bucossinusal após exodontia é um tipo de complicação que deve ser
revertida o mais prontamente possível, a fim de minimizar os riscos de infecções do seio
maxilar e/ou fístulas bucossinusais. O objetivo deste trabalho é relatar um caso de fístula
bucossinusal pós-exodontia. O paciente do gênero masculino, 21 anos de idade,
procurou o serviço de CTBMF relatando ter sido submetido a exodontia do dente 26 que
após o procedimento evoluiu com uma bertura no local que não cicatrizava. Ao exame
físico intra-oral observou-se uma fístula na região relatada, que após exame radiográfico
foi diagnosticado presença de comunicação bucossinusal coma presença de uma raiz
RESUMO
dentária no interior do seio maxilar. Foi realizado, sob anestesia geral, a remoção da raiz
por acesso de Caldwell-Luc, após realizou-se o fechamento da fístula com o auxílio do
coxim adiposo bucal, para o selamento da comunicação, em seguida foi realizado a
exodontia dos dentes 18 e 38, aproveitando a submissão a anestesia geral que foi
indicada devido o grau de ansiedade do paciente e seu relato traumático anterior. Dessa
forma, o paciente evoluiu de forma satisfatória e obtivemos o sucesso no fechamento da
fístula. As fístulas bucossinusais apresentam o potencial infeccioso que pode levar o
paciente a desenvolver sinusites graves, devendo assim ser realizado o seu fechamento o
mais rápido possível.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 90 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Relato de Caso de uma Paciente com Predisposição à Luxação da Articulação
Temporomandibular (Atm).
AUTOR
Jadson Lisboa da Silva
Janderson Ítalo Meireles de
Juliana Mariana Pinheiro
CO AUTORES
Silvio Rafael Amaral Pereira
Oliveira
Lemos
ORIENTADOR Maria Áurea Lira Feitosa.
Dentre as disfunções temporomandibulares, a luxação e a subluxação da articulação
temporomandibular (ATM), caracterizam-se pela posição anormal dos côndilos na
cavidade mandibular. Geralmente são bilaterais, mas podem apresentar unilateralidade
do distúrbio, e são diferenciadas tendo como referência o travamento ou não do côndilo
após a eminência articular, sendo considerada subluxação caso o côndilo seja capaz de
retornar à posição normal de repouso sem intervenção externa, estudos clínicos
apontam que 70% da população seja portadora de subluxação da ATM. Suas causas são
diversas, mas geralmente são relacionadas com a abertura máxima da boca, destacandoRESUMO
se: bocejos, manipulação durante serviços odontológicos e traumas. Existem diferentes
formas de tratamento, variando entre métodos conservadores, como: redução manual,
relaxantes musculares, fisioterapia e os aparelhos interoclusais; semi invasivos: toxina
botulínica e agentes esclerosantes; até interferências cirúrgicas complexas como a
miotomia do músculo pterigóideo lateral, eminectomia, eminoplastia, entre outras. Este
trabalho tem como objetivo demonstrar o diagnóstico, tratamento e resultados
esperados em um relato de caso clínico diagnosticado, com predisposição a desarranjo
da articulação temporomandibular.
Palavras-chave: Luxação, Subluxação, Diagnóstico, Tratamento, Resultados.
TÍTULO
Injúrias ao Tecido Mole da Face Causado Por Acidente Motociclístico – Relato de um
Caso Clínico.
AUTOR
Janaina Barbosa de Oliveira
CO AUTORES Franciely Araujo Moura
Daniel Haber Oliveira
Fabio Luiz Silva Pereira
ORIENTADOR Diego Assunção Calixto da Silva
O Traumatismo buco-maxilo-facial ocasionado por acidentes motociclísticos tem sido
uma tônica na região metropolitana de Belém. Com o crescimento da frota de
motocicletas, e a não conscientização no uso obrigatório de capacetes por parte de seus
usuários, esses indivíduos tem assumindo os primeiros lugares dentre as vítimas de
acidente de trânsito. O objetivo deste trabalho é relatar o caso clínico da paciente
G.K.S.O., de 21 anos, do sexo feminino, leucoderma, vitima de acidente motoclístico sem
capacete, com trauma na face. Deu entrada no pronto atendimento do hospital
RESUMO
metropolitano de urgência e emergência do estado do Pará. Após avaliação médica nos
moldes do ATLS, foi solicitada a avaliação da equipe de cirurgia e traumatologia bucomaxilo-facial que diante da avaliação clínica e tomográfica verificou-se fratura dos ossos
próprios do nariz assim como uma injúria de alta complexidade, com perda de
substância dos tecidos mole da região frontal, região dorso, ápice e columela nasal, lábio
superior da face, lacerações transfixante na região buco-maxilo-facial. A referida foi
submetida aos reparos cirúrgicos sob anestesia geral. E atualmente está em
acompanhamento pós operatórios de dez meses.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 91 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Recobrimento Radicular para Tratamento de Recessão Gengival de Dente
Vestibularizado - Relato de Caso
Janaína Maria Barrêtto Ferreira Tourinho Argolo
Sandro Bittencourt
A recessão gengival é definida como deslocamento apical da margem gengival gerando
exposição da superfície radicular, consequentemente a hipersensibilidade dentinária e
estética desfavorável. Concomitante a demanda, por solucionar tais questões, houve
avanços importantes nas técnicas cirúrgicas como a não utilização de incisões relaxantes.
Desse modo, esse trabalho tem como objetivo relatar um caso, a fim de discutir a
escolha da técnica de recobrimento radicular convencional tendo em vista as
características da gengiva, aporte ósseo, implantação dos dentes na arcada, as
consequências quanto a não adesão ao tratamento ortodôntico e necessidade de
mudança quanto ao tipo de escovação. O relato trata de uma paciente L.F.S., do sexo
feminino, 34 anos, acometida por múltiplas recessões gengivais, da unidade 1.4 a 1.1,
em especial, na região de canino (1.3) a qual havia recessão gengival de 7 mm, classe I de
Miller, com desalinhamento importante. O curso pós-operatório transcorreu com
mínima morbidade, eficácia na administração dos fármacos e satisfatório resultado
estético, queixando-se apenas quanto à restrição alimentar. Por fim, discussões
levantadas, trazem a compreensão de uma situação clínica, em que a alteração da
técnica de recobrimento radicular convencional, por eliminação das incisões verticais,
parece contribuir para melhor curso pós-operatório e resultado estético.
TÍTULO
Utilização de Biomaterial Associado ao Uso de Plasma Rico em Plaquetas
AUTOR
Jean Chaves Pereira
ORIENTADOR Dr. Antonio Cesar Manentti Fogaça
A exodontia, geralmente, acarreta danos ao tecido ósseo alveolar, originando defeitos
em suas paredes. Desta forma, a reconstrução óssea imediata possibilita a manutenção
do nível ósseo original ou próximo deste, facilitando os procedimentos reconstrutores,
reabilitadores e estéticos. Relatamos um caso clínico onde realizamos a exodontia do 25
e a utilização de barreira reabsorvível de colágeno. As imagens tomográficas, anteriores
à cirurgia e utilizadas para o planejamento cirúrgico, evidenciaram grave perda de
suporte ósseo e inevitável colapso da estrutura alveolar, caso não se procedesse a
reconstrução óssea imediatamente a extração. Feita a exodontia e preparado o plasma
RESUMO
rico em plaquetas, no protocolo de centrifugação, fizemos uso do Bone Ceramic® e o
inserimos no leito ósseo defeituoso. Utilizamos uma membrana de colágeno reabsorvível
que cobriu todo o defeito ósseo. Os achados tomográficos, após sete meses,
evidenciaram boa formação óssea e manutenção do volume alveolar. Essas imagens
possibilitaram a mensuração do tecido alveolar reconstruído, sendo 9,33mm no sentido
vestíbulo-palatino e 14,86mm em cérvico–oclusal. O ganho ósseo e a manutenção do
volume alveolar possibilitou a utilização dos implantes odontológicos, como alternativa
de reabilitação. A regeneração óssea guiada é uma alternativa cada vez mais evidente e
estudos deverão atestar sua previsibilidade.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 92 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Trauma Dental: a Recuperação da Estética Através da Técnica Simples e Direta com
Resina Composta.
AUTOR
Jeane Batista dos Santos
Thaís Rodrigues Campos
CO AUTORES Paula Moraes Lima
Aline dos Santos Letieri
Soares
ORIENTADOR Gisele Damiana da Silveira Pereira
A maioria dos traumas dentários envolve dentes anteriores, especialmente os incisivos
centrais superiores e em especial meninos. Diferentes abordagens para tratar estes
dentes fraturados têm sido relatados na literatura, o tipo de tratamento prestado
depende principalmente da extensão da fratura, envolvimento pulpar, invasão do
espaço biológico ou a presença do pedaço fraturado. Desta forma, o objetivo deste
trabalho foi relatar o caso clínico de um paciente de 13 anos, do sexo masculino, que
apresentou fratura dos elementos 21 e 12 após trauma. Devido à inexistência dos
fragmentos, a possibilidade de colagem foi descartada, a opção escolhida para o caso foi
RESUMO
à reconstrução estratificada do elemento dental com uso direto de resina composta por
ser uma alternativa menos invasiva. Após a realização da adesão ao substrato dental, o
compósito Z 350 foi utilizado. Aplicou-se uma fina camada de resina translúcida na
palatina para que, por cima desta camada, fosse possível estratificar as diferentes cores
e opacidades necessárias à reconstrução, recuperando a anatomia, estética e função das
estruturas perdidas. A evolução dos materiais e das técnicas restauradoras permite a
reabilitação estética de dentes fraturados, porém para alcançar resultados satisfatórios o
cirurgião-dentista deve entender comportamento óptico dos tecidos dentários e das
resinas compostas.
TÍTULO
Diagnóstico de Defeito de Stafne na Região Anterior da Mandíbula Por Meio de
Tomografia de Feixe Cônico: Relato de Caso
AUTOR
Jessica C. Souza e Silva
Pandora Rosa Ramos de
Victor de Aquino
CO AUTORES
Iva Ferreira de Souza Neta
Carvalho
Wanderley
ORIENTADOR Luciane Farias de Araújo
O defeito da glândula salivar lingual mandibular é um caso raro de defeito ósseo de
Stafne, sendo relatado pela primeira vez em 1957. É considerado uma anomalia do
desenvolvimento que pode possuir diagnóstico controverso por apresentar imagem
semelhante às lesões dos maxilares, como cisto inflamatório, cisto odontogênico, cisto
ósseo traumático, neoplasma, osteomielite ou osteoporose; principalmente quando é
visualizado em radiografias convencionais, podendo proporcionar intervenções
cirúrgicas desnecessárias. A tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) têm-se
mostrado como um importante recurso no diagnóstico desses defeitos de
RESUMO
desenvolvimento, pois revelam a ausência cortical lingual como vistas no defeito de
Stafne, por meio de visualização em três dimensões. A causa desse defeito geralmente
está relacionada com a impressão da glândula sublingual nesta região. Relato de caso:
Paciente de 47 anos realizou TCFC para avaliação óssea com fins de reabilitação por
implantes. Na reconstrução panorâmica observou-se uma imagem hipodensa, unilateral,
unicistica entre as raízes do 32 e 33. Através de cortes axiais, transaxiais e aplicação do
filtro “Sharpen” do Software Icat 3D, obteve-se imagens nítidas e um melhor
detalhamento do defeito ósseo. Demonstrando que nessas situações o diagnóstico pode
ser confirmado pela TCFC, evitando-se condutas terapêuticas incorretas.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 93 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Ameloblastoma Sólido: Relato de Caso
Jessica dos Santos Nunes
Jonathan Ribeiro
Rafael Meira
Roberto Santos
Carlos Fernando Mourão
O ameloblastoma é um tumor odontogênico benigno, de origem epitelial, de
crescimento lento, assintomático, localmente invasivo e agressivo, capaz de infiltrar-se
pelos espaços medulares do osso. A assimetria facial bem como o deslocamento e a
mobilidade dental são os sinais clínicos mais frequentes. O tumor responde por cerca de
1% de todos os tumores da maxila e mandíbula e por 11% de todos os tumores
odontogênicos. Radiograficamente pode apresentar imagem radiolúcida unilocular ou
multilocular, frequentemente associadas com dentes não irrompidos, em especial os
terceiros molares inferiores, sendo comum observar reabsorção radicular nos dentes
envolvidos. O diagnóstico definitivo é obtido por meio da biopsia incisional, na maioria
dos casos, isto dependerá do tamanho do tumor. Para ameloblastomas multicísticos, é
indicada a remoção cirúrgica de toda a lesão com uma margem de segurança de 2 cm. O
objetivo trabalho é relatar um caso de ameloblastoma em mandíbula, tratado com
ressecção cirúrgica. Foi realizado o procedimento operatório no centro cirúrgico, com
instalação de uma placa de reconstrução seguido da remoção da lesão. Após o
tratamento o paciente foi acompanhado por um período de 3 anos sem apresentar
recidivas.
Abordagem Precoce de um Paciente Classe III Esquelética Através de Intervenção
Ortopédica
AUTOR
Jéssica Gomes Rodrigues Nunes
CO AUTORES Carolina Vogas
Tarsila Pellegrino
Cristiane Canavarro
ORIENTADOR José Augusto Mendes Miguel
Aos 6 anos, paciente do sexo masculino, compareceu a clínica de ortodontia
acompanhado dos pais, que apresentavam queixa em relação à estética e oclusão.
Intraoralmente exibia: dentição decídua; mordida cruzada anterior; overjet negativo de
1,5mm; overbite de 1/2 dos incisivos superiores e lábio inferior proeminente. Na análise
cefalométrica era possível observar Classe III esquelética (ANB= -1o) devido à retrusão
maxilar (SNA=77o). Considerando a idade do paciente e a presença da deficiência
maxilar optou-se pelo tratamento ortopédico através da expansão rápida da maxila e
constrição alternadas, durante um período aproximado de 7 semanas (protocolo de
RESUMO
LIOU, 2005) seguido de tração reversa da maxila com a utilização da máscara facial.
Assim, o objetivo do tratamento era redirecionar o crescimento maxilar e obter relação
Classe I esquelética. Após o período de 1 ano de tratamento, foi obtida Classe I
esquelética com um melhor posicionamento da maxila (SNA=81o), correção da mordida
cruzada, overbite e overjet adequados, e melhor relação labial, permitindo que o
paciente e pais ficassem satisfeitos com o resultado obtido. Conclui-se que a
participação da maxila no diagnóstico precoce da maloclusão de Classe III esquelética
beneficia o prognóstico do tratamento através de intervenção ortopédica.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 94 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Tratamento Multidisciplinar de Incisivo Central Superior com Inclusão Trans-alveolar
Secundário a Trauma Dentário: Relato de Caso Clínico
AUTOR
Jessica Lindgri Pessanha
CO AUTORES Mariana Thiel
Davi Barbirato
Gerson Hayashi
ORIENTADOR Emanuel Mendes
Impactação primária caracteriza-se pela incapacidade de erupção de um dente para
realizar sua função mastigatória por um período superior a 6 meses em comparação ao
dente homólogo. Sua etiologia está associada a fatores locais e gerais, como o trauma
dento-alveolar, afetando na maioria dos casos, crianças na idade pré-escolar e escolar.
Cerca de 90% dos traumas ocorrem na maxila, devido à disposição anatômica, sendo os
incisivos centrais superiores os dentes mais acometidos. Dessa forma, a não irrupção
desses dentes traz prejuízos estético-funcionais. O diagnóstico precoce e tratamento
adequado são importantes para melhor resolução do problema do ponto de vista
RESUMO
funcional e psicológico. Este trabalho tem como objetivo descrever um caso clínico de
impactação trans-alveolar secundária a trauma dentário do incisivo central superior
direito e fornecer aos cirurgiões dentistas informações úteis para o diagnóstico e
tratamento, minimizando os danos decorrentes. Paciente N. S. M., 13 anos,
melanoderma, sexo masculino, compareceu a clínica de Cirurgia Oral da FO-UFRJ,
encaminhado por seu ortodontista para realizar exodontia do dente 11. O plano de
tratamento consistiu em avaliação clínica e imaginológica, através de exodontia do dente
impactado devido ao seu posicionamento, dilaceração radicular e falta de espaço, por
indicação preventiva ortodôntica e patológica associada a este.
TÍTULO
Exames Complementares para Diagnóstico de Fratura Coronorradicular Complicada:
Relato de Caso
AUTOR
Jéssica Muniz Loureiro
Clarissa Christina Avelar
Thaís Rodrigues Campos
CO AUTORES
Thiago Isidro Vieira
Fernandez
Soares
ORIENTADOR Lucianne Cople Maia
Objetivou-se relatar a importância de exames complementares para diagnóstico de
fratura coronorradicular complicada incomum afetando dente permanente de paciente
pediátrico. Menino, dez anos, compareceu ao Centro de Vigilância e Monitoramento de
Traumatismo Dentoalveolar da Universidade Federal do Rio de Janeiro para tratamento
após acidente esportivo ocorrido 24 horas antes. O mesmo buscou atendimento
imediato na Unidade de Pronto Atendimento onde foi realizado acesso endodôntico. Ao
exame clínico constatou-se fratura de esmalte no dente 22 e fratura coronorradicular
complicada incomum no 21, que, após o trauma, apresentou-se em três fragmentos,
RESUMO
sendo apenas o menor deles com mobilidade. No exame radiográfico periapical (técnica
de Clark) e oclusal foram observadas linhas de fraturas e aquela associada ao menor
fragmento apresentava-se bem definida com término nítido. A linha de fratura associada
aos fragmentos maiores não possuía término bem definido. Na avaliação da Tomografia
Computadorizada (TC) pelos cortes axial e sagital oblíquo, constatou-se que o traço de
fratura era incompleto e seguia até o terço cervical da raiz, justificando assim a ausência
de mobilidade dos fragmentos maiores. Conclui-se que os exames complementares,
principalmente a TC é um excelente instrumento de diagnóstico para dentes com
traumatismos complexos, interferindo assim na conduta a ser adotada.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 95 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Sialometaplasia Necrosante Associada com Disjuntor Palatino: Relato de Caso Clínico.
Jéssica Pereira Vidal da Silva
Mariana Botelho Leite
Gabriela Zanon Simões
João Luiz de Miranda
Ana Terezinha Marques Mesquita
Sialometaplasia necrosante (SN) é uma reação inflamatória rara, envolvendo
principalmente as glândulas salivares menores do palato. Compreende menos de 1% das
doenças de glândulas salivares, com predileção pelo gênero masculino com média de
idade de 40 anos. Sua etiologia é indefinida, embora a lesão tenha sido associada com
isquemia, devido a traumatismos. Paciente feminino, 17 anos, encaminhada devido à
dor em palato, iniciada há 15 dias, após a colocação de aparelho ortodôntico do tipo
disjuntor palatino. A história médica e o exame extra-oral não demonstraram alterações.
Ao exame intra-oral foi observada lesão ulcerada, com bordas elevadas, superfície e
forma irregulares, localizada no lado direito do palato duro. Diante das hipóteses
diagnósticas de SN e úlcera eosinofílica foi realizada biópsia incisional, sendo prescrito
analgésico e bochechos com clorexidina a 0,12%. A análise histopatológica revelou
hiperplasia epitelial, infiltrado inflamatório, metaplasia dos ductos salivares e necrose
acinar, sendo compatível com SN. Após uma semana a paciente relatou ausência de dor,
sendo observada regressão significativa da lesão, com completa cicatrização após 8
meses. A força aplicada pelo aparelho disjuntor pode, eventualmente, provocar
isquemia na região devido à compressão das artérias palatinas. Portanto, a SN deve ser
considerada durante o planejamento ortodôntico.
Técnica de Estratificação de Resinas Compostas para Restaurações Classe IV
João Luiz Samora de Carvalho
Katia Regina H.Cervantes
Ariane Halliday Sant´anna
CO AUTORES
Rafael Ferrone Andreiuolo
Dias
Nascimento
ORIENTADOR Patrícia Carmelo de Moura
Uma das situações mais desafiadoras na clínica odontológica é a restauração de dentes
anteriores fraturados com resinas compostas. Aspectos como cor, forma, e textura
muitas vezes são difíceis de serem reproduzidos com naturalidade. Para se obter sucesso
nas restaurações de resina em dentes anteriores, um correto planejamento é
imprescindível. Além disso, o domínio da técnica, baseado no entendimento das
características dentárias e nos diferentes graus de translucidez e opacidade das resinas
compostas é fundamental. Em restaurações classe IV isso é especialmente dificultado,
por se tratar de restaurações que envolvem as faces proximal e incisal. O objetivo desse
RESUMO
trabalho é apresentar uma técnica de estratificação com auxílio de uma guia de silicone.
No presente caso, o paciente apresentava fratura no elemento 11, e uma restauração
classe IV considerada esteticamente insatisfatória no dente 21. As restaurações foram
confeccionadas a partir de um enceramento diagnóstico e da utilização de uma barreira
de silicone. Foram utilizadas resinas de dentina, esmalte cromático, esmalte de efeito e
esmalte de valor para alcançar um resultado estético satisfatório. Além disso,
acabamento e polimento foram realizados para uma adequada caracterização de macro
e microtextura de superfície. Os resultados obtidos foram bem aceitos pelo paciente sob
os pontos de vista funcional, estético e biológico.
TÍTULO
AUTOR
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 96 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Mioepitelioma Intra-ósseo na Maxila: Relato de um Caso Raro
José Erivaldo da Silva Mendes
Maria Eduarda Pérez de
Flávia Maria de Moraes
Jurema Freire Lisboa de
CO AUTORES
Oliveira
Ramos-Perez
Castro
ORIENTADOR Danyel Elias da Cruz Perez
Mioepiteliomas intra-ósseos são muito raros. O objetivo deste trabalho é relatar um
caso raro de mioepitelioma central na maxila. Paciente do gênero feminino, 14 anos de
idade, foi encaminhada para diagnóstico de um inchaço na maxila com cerca de oito
meses de evolução. No exame intra-bucal, havia um aumento de volume assintomático
na região anterior da maxila, o qual era recoberto por mucosa íntegra. A radiografia
panorâmica relevou imagem radiolúcida multilocular na região anterior da maxila,
causando divergência das raízes dos dentes 11 e 12. Além disso, septos ósseos finos
foram observados no interior da lesão. Sob anestesia local, foi realizada biópsia incisional
RESUMO
e o espécime encaminhado para análise anatomo-patólogica. Microscopicamente, a
lesão apresentava células grandes e arredondadas, de aspecto plasmocitóide, com
núcleo excêntrico e citoplasma eosinofílico abundante e homogêneo. Estas células se
dispunham em trabéculas formando um padrão sólido e entremeadas por estroma
frouxo. As células tumorais apresentavam forte positividade para AE1/AE3 e proteína S100. De acordo com essas características, o diagnóstico de mioepitelioma central foi
estabelecido. O paciente foi submetido à excisão cirúrgica do tumor e não houve recidiva
após 2 anos de tratamento. Embora muito raro, o mioepitelioma deve ser considerado
no diagnóstico diferencial de imagens radiolúcidas maxilares.
TÍTULO
AUTOR
Opções Restauradoras para o Tratamento de Manchas Hipoplásicas
José Sebastião Galvão dos Santos
Camylla de Albuquerque
Claudio Heliomar Vicente da
CO AUTORES Pedro Henrique José Roza
Felipe
Silva
ORIENTADOR Renata Pedrosa Guimarães
A estética é um fator importante na vida em sociedade. Manchas hipoplásicas, por
exemplo, tendem a repercutir negativamente, uma vez que interferem na harmonia do
sorriso. A hipoplasia é um distúrbio que pode ser consequência de eventos sistêmicos,
traumáticos, ambientais ou genéticos, interferindo na formação da matriz do esmalte
causando defeitos e irregularidades na sua superfície. Pode se apresentar como manchas
esbranquiçadas, irregulares ou rugosas, bem como outras alterações. As alternativas de
tratamento para este tipo de lesão variam em função da extensão, profundidade e do tipo
da alteração, sendo assim, de acordo com o grau de severidade, vários protocolos de
RESUMO
tratamento podem ser realizados, desde clareamento, microabrasão e restaurações
estéticas diretas. O presente trabalho objetiva relatar um caso clínico de manchas
hipoplásicas, onde inicialmente foi realizado clareamento dentário pela técnica de
consultório, seguida da técnica da microabrasão do esmalte com associação ácido
fosfórico + pedra pomes e do tratamento restaurador com resina composta de uso direto.
Em poucas sessões clínicas, foi possível restabelecer a harmonia estética, propiciando
significativo impacto positivo à auto-estima da paciente, apontando para resultados
satisfatórios através de uma técnica restauradora simples e de baixo custo.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 97 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Manifestações Bucais de Doenças Auto Imune- Relato de Cinco Casos
Jucimara Souza da Rocha
Thayná Melo de Lima
Camilia Maria Beder Ribeiro
CO AUTORES
Lara Rebelo de Almeida
Morais
ORIENTADOR Sonia Maria Soares Ferreira
O pênfigo, o penfigóide e o líquen plano bolhoso são doenças mediadas
imunologicamente, no qual o paciente produz autoanticorpos causando danos aos
constituintes do aparato molecular das células epiteliais. Uma série de cinco casos
clínicos destas lesões é relatada. Dos cinco pacientes quatro são mulheres e um homem,
com idade variando de 36 a 74 anos. A queixa principal de todos foi: “ferida na boca e
dor”. Clinicamente as lesões apresentavam-se irregulares, e rosadas e ulceradas,
disseminadas em mucosa bucal, histologicamente são caracterizados por fendas
intraepiteliais ou subepiteliais. na maioria dos casos deixando os pacientes debilitados;
RESUMO
em apenas um caso a doença tinha característica mucocutânea. Biópsia incisional foi
realizada em todos os casos. A hipótese clínica para todos os casos foi de pênfigo vulgar,
sendo confirmado histopatologicamente como pênfigo vulgar (2 casos), penfigóide (2
casos) e um caso de lesão inflamatória com bolha subepitelial. Todas exigiram
tratamento com altas doses de corticóide e abordagem multidisciplinar. Embora não
raras estas lesões extremamente dolorosas, apresenta diagnóstico histopatológico e
clinico desafiadores, devido a sua frequente apresentação mucocutânea, o tratamento
odontológico e médico deve ser integrado para melhorar o prognóstico do paciente.
Palavras-chave: Doença auto imune. Doença bucal. Estomatologia
TÍTULO
AUTOR
Segundo Molar Inferior com Canal em Forma de "C"
Júlia Esteves Corvino
Beatriz Mattos de Lima e
CO AUTORES Fabrício Coelho da Silva
Brício de Moraes Mesquita
Silva
ORIENTADOR Guilherme Antônio Monteiro Miguel
O molar inferior com canal em forma de “C” requer um extremo cuidado durante a
execução do tratamento endodôntico, onde o profissional deve ter um conhecimento
profundo da anatomia, técnicas de irrigação, instrumentação e obturação apropriadas.
Geralmente, os canais em forma de “C” se classificam em dois tipos: forma de fita, que
vai do orifício ao ápice, ou aquele com três ou mais canais distintos, que se unificam em
“C” abaixo do orifício de entrada dos canais. O presente relato de caso clínico, vem
demonstrar a variação anatômica do segundo molar inferior. Paciente A.N., 39 anos,
procurou a Clínica Integrada da FOV, para tratamento protético no elemento 46 e
RESUMO
relatou sensibilidade à percussão e estímulos térmicos, como frio e quente, sendo
indicado tratamento endodôntico. Após o acesso aos canais radiculares, foi verificada
com o auxílio da Microscopia Operatória, a existência de um istmo unindo os três canais.
Os canais foram preparados com o uso de instrumentos rotatórios Prodesing Easy Endo
acionados pelo motor elétrico Easy Endo e obturados com cone único pela técnica de
obturação híbrida de Tagger. Molar em forma de “C” tem a característica anatômica
mais complexa, e requer uma maior cautela durante irrigação, instrumentação e
obturação, visando assim, a obturação de todos os canais e istmos, garantindo o sucesso
do tratamento endodôntico.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 98 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Carcinoma Mucoepidermóide de Baixo Grau: Relato de Caso Clínico
Juliana Araujo Lima da Silva
Tarsila de Carvalho Freitas
CO AUTORES Valéria Souza Freitas
Joana Dourado Martins
Ramos
ORIENTADOR Bruno Oliveira Queiroz
O carcinoma mucoepidermóide (CME) é o tumor maligno de glândula salivar mais
comumente encontrado na cavidade bucal. Trata-se de uma lesão agressiva que
apresenta um comportamento biológico associado ao seu grau histológico, sendo
classificada como de baixo, intermediário ou alto grau, dependendo da proporção e
características histológicas das células. O CME ocorre preferencialmente no gênero
feminino, no entanto, no presente caso clínico foi identificada a patologia em um
paciente do gênero masculino, melanoderma, 81 anos que apresentou-se aos cuidados
do Centro de Referências de Lesões Orais da UEFS queixando-se de sangramento pelo
RESUMO
nariz e boca e presença de caroço no céu da boca há seis meses. Ao exame intra-bucal
constatou-se presença de tumor séssil, exofítico, entre região de palato mole e palato
duro. Levantou-se a hipótese diagnóstica de adenoma pleomórfico, porém após biópsia
incisional, os aspectos histopatológicos conduziram ao diagnóstico de CME, evidenciado
intensa proliferação de células epidermóides intermediárias e mucosas, exibindo
discreto pleomorfismo celular, com formação de ilhas neoplásicas em tecido adiposo
adjacente. O tratamento radical incluiu a maxilectomia total, sendo necessária
adequação do meio bucal no pré e pós tratamento cirúrgico. Conclui-se que a condução
do tratamento destes tumores está na dependência da sua classificação histológica.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Recobrimento Radicular Pela Técnica de Zuchelli com Enxerto Conjuntivo
Juliana Cristina Peixoto Conceição
Alisson Guedes Pessoa
Cristiano Hooper Pascoal
Luciana Silva Regueira
Recobrimento radicular consiste em uma cirurgia periodontal para eliminar recessão
gengival. É indicado para devolver função e estética ao paciente, hipersensibilidade
dentinária, cáries cervicais e favorecer higiene oral. O uso de enxerto conjuntivo é
definido como a remoção de parte de tecido do palato para ser transplantado para
região de gengiva com desnudamento radicular. O presente trabalho visa expor um caso
clínico de recobrimento radicular realizado pela técnica de Zuchelli com associação de
enxerto conjuntivo. Paciente RPN, 35 anos queixava-se de retração gengival em diversos
elementos dentários. Inicialmente optou-se por realizar o recobrimento radicular dos
elementos 23 e 24. Ao exame elemento 23 apresentava retração de aproximadamente 4
mm, elemento 22 com retração de 2mm, e retração de 1mm na face medial do
elemento11. A técnica escolhida foi a técnica de Zuchelli para recobrimento múltiplo
com associação de enxerto conjuntivo removido do palato. Como o primeiro pré molar
não havia retração, optou-se por terminar a incisão em “L”. A técnica de Zuchelli para
retrações múltiplas é um método seguro para realizar o recobrimento radicular por se
basear nas medidas da retração de cada dente. O enxerto conjuntivo associado a
técnicas de recobrimento permite um melhor refinamento estético e melhor prognóstico
do tratamento.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 99 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Carcinoma Adenóide Cístico: Relato de Três Casos Clínicos
Juliana de Souza do Nascimento
CO AUTORES
Silvia Paula de Oliveira
Ademar Takahama Junior
Rafaela Elvira Rozza de
Menezes
ORIENTADOR Renata Tucci
O carcinoma adenóide cístico (CAC) é uma neoplasia maligna rara das glândulas
salivares, constituindo 1% de todos os tumores malignos de cabeça e pescoço. Pode
afetar qualquer glândula salivar, entretanto mais da metade dos casos acomete as
glândulas salivares menores da cavidade oral situados na região do palato duro. O
objetivo deste trabalho é relatar três casos clínicos de pacientes diagnosticados com CAC
e destacar a importância do cirurgião-dentista no diagnóstico precoce desta patologia.
Dois pacientes eram do gênero feminino e um masculino que apresentavam idades entre
43 e 68 anos. Clinicamente, os três pacientes demonstravam uma massa nodular em
RESUMO
palato duro, assoalho de boca e mucosa labial, respectivamente. O tempo de maior
duração da lesão, dentre os três pacientes, foi de três anos e também foi a que se
apresentou em um estágio mais avançado. Sob anestesia local, foram realizadas biópsias
incisionais em dois casos e biópsia excisional em um caso, pois o tumor maligno media
menos de 1 cm em sua maior extensão. Através da análise microscópica dos espécimes
obtidos, estabeleceu-se o diagnóstico histopatológico de CAC. Os presentes casos
clínicos ressaltam a importância do conhecimento suficiente do cirurgião-dentista para
conduzir o diagnóstico precoce destas lesões, tendo noção que o CAC é uma neoplasia
maligna que tende à recidiva local e metástase à distância.
Acelerando a Osseointegração com a Utilização do PRF Líquido – Relato de Caso Clínico
com Acompanhamento de Curto Tempo
AUTOR
Juliana dos Santos Menezes
ORIENTADOR Gustavo Vicentis de Oliveira Fernandes
A Fibrina Rica em Plaquetas (PRF) tem sido utilizada em cirurgias orais auxiliando no
reparo tecidual. O processo de preparo é simples, pois utiliza amostra de sangue do
paciente somente. Esta é conduzida, imediatamente, para a centrífuga, resultando no
PRF rica em leucócitos e em fatores de crescimento. O objetivo deste relato foi mostrar a
utilização do PRF (líquido) associado ao implante acelerando a osseointegração e
redução do tempo para reabilitação do paciente. Após feito todo pré-operatório, seguiuse para a cirurgia, na qual foi coletado o sangue e feito todo processamento. Seguinte a
etapa cirúrgica tradicional, o implante foi anteriormente colocado no PRF (líquido) e,
RESUMO
enfim, implantado. Alcançou-se baixo torque (7-10Ncm), manual, o que comprometeu
uma mais rápida reabilitação. No entanto, seguindo protocolo proposto, aguardou-se 45
dias para reabertura. Feito avaliação clínica e verificado a estabilidade do implante com
Osstell® (71 ISQ), foram realizados os passos seguintes para confecção da coroa. Após
três meses em função, o paciente passou por revisão clínica e tomográfica, que mostrou
ótima condição tecidual e adaptação entre coroa-implante. Concluímos que o PRF
líquido, confeccionado de acordo com o protocolo pré-estabelecido, foi extremamente
eficiente no processo de aceleração da osseointegração do implante, alcançando grande
estabilidade após 45 dias.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 100 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Manejo em Caso de Perda Precoce de Dente Decíduo Por Traumatismo Dentário
Juliana Fernandes Vasques
Christiane Vasconcellos
Marcelo de Castro Costa
Daniele Miranda
Cruz
Objetiva-se nesse trabalho relatar o caso clínico no qual o aparelho alça e banda foi o
dispositivo de escolha para o tratamento de perda precoce de dente decíduo como
resultado de fratura crono radicular. Para tanto, o paciente RCDVC, sete anos e meio,
sexo masculino, melanoderma, queixa principal dentes quebrados SIC procurou a clínica
de especialização em Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da Universidade
Federal Fluminense por queda de bicicleta com consequente fratura corono radicular no
elemento 75. Ao exame clínico observou-se relação de classe I molar e canina, linha
média coincidente, padrão de respiração e deglutição normal e padrão de
comportamento definitivamente negativo. Ao exame radiográfico constatou-se que o
sucessor permanente apresentava-se no estágio 7 de Nolla. O plano de tratamento de
escolha foi a exodontia do elemento 75 e a instalação do aparelho alça e banda na
região da perda precoce. Conclui-se, portanto, que a manutenção de espaço é a solução
adequada em casos de perda precoce de dentes decíduos, devendo-se lançar mão de um
correto diagnóstico para a indicação da terapia adequada. O aparelho mantenedor de
espaço alça e banda é uma alternativa de tratamento em casos de perda precoce
unitária de dentes decíduos posteriores em pacientes com padrão de colaboração ruim.
Tratamento da Classe III com Protração Maxilar Utilizando Ancoragem Esquelética
Juliana Leoni Mussa Cury
Vitória de Oliveira Chami
Natalia Mencarini
Flavio Carvalho
Flavia Raposo Gebara Artese
Paciente do sexo masculino, 8a e 6m, compareceu à clínica de especialização em
Ortodontia da UERJ. A queixa principal era o mau posicionamento dos dentes.
Constatou-se dentição mista; Cl I esquelética, com tendência a Cl III; Cl I de Angle e
mordida aberta anterior; Over Jet de +1 mm; mordida em topo dos elementos 54/85,
55/85, 16/46 e impacção de 13 e 23. Foi decidido pela instalação de disjuntor McNamara
no arco superior, arco lingual no inferior e acompanhar as trocas dentárias. Aos 10a e
6m, com os dentes permanentes erupcionados, exceto 13 e 23, o padrão esquelético
alterou para Cl III; Cl I de Angle e mordida de topo permaneceram; a mordida aberta
fechou e o overjet diminuiu para -2,5 mm. Havia falta de espaço no arco superior e leve
apinhamento inferior. Os objetivos agora eram melhorar a relação transversa com um
disjuntor Hyrax, tracionar a maxila anteriormente e favorecer o giro horário da
mandíbula com a instalação de 2 miniplacas superiores e mentoneira de Hickham. O uso
correto dos dispositivos e cooperação do paciente levaram à correção da mordida
cruzada posterior e obtenção de overjet de +2,5mm. Como ainda não havia espaço para
erupção de 13 e 23, foi solicitada a exodontia de 14 e 24 para alinhamento e
nivelamento das arcadas e colagem do aparelho fixo. O caso foi finalizado com correção
dos problemas no sentido transverso, anteroposterior e vertical.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 101 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Utilização de Toxina Botulínica do Tipo a para Minimizar o Sorriso Gengival – Relato de
três Casos Clínicos
AUTOR
Juliana Nogueira dos Santos
CO AUTORES Nathália Bandeira de Mello
Lívia Kelly Ferraz Nunes
Clarice Costa Braga
da Escóssia
ORIENTADOR Jonas Capelli Júnior
RESUMO
O sorriso gengival é geralmente considerado esteticamente desagradável tanto para os
ortodontistas como para os próprios pacientes, que muitas vezes relatam possuir
desconforto com a aparência, podendo assim influenciar no aspecto psicológico e social.
Existem diversos tipos de tratamento de diferentes complexidades, como por exemplo:
gengivoplastia, tratamento ortodôntico, cirurgia ortognática e ressecção óssea.
Atualmente, a Toxina Botulínica do Tipo A vem ganhando espaço como um método
simples e rápido para a correção estética do excesso de exposição da gengiva ao sorrir. O
objetivo deste trabalho foi relatar o resultado de três pacientes portadores de sorriso
gengival tratados com a aplicação da Toxina Botulínica do tipo A (BTX-A). A
documentação e análise das imagens foram realizadas por meio de uma metodologia
desenvolvida em videografia digital específica, sendo esse procedimento repetido 1, 2,
12 e 24 semanas após a aplicação da BTX-A. Observou-se que nesses pacientes ocorreu
uma redução na exposição gengival e que após 24 semanas eles não retornaram aos
níveis iniciais. Desta forma, a BTX-A pode ser considerada pouco invasiva, eficaz e produz
uma forma de tratamento temporário para minimizar o sorriso gengival.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Remoção Cirúrgica de Granuloma Piogênico: Relato de Caso Clínico
Juliana Oliveira de Medeiros
Adriana Novelino
Marcelo Uzeda
Paulo Ribeiro
Rodrigo Rezende
O granuloma piogênico é uma lesão benigna constituída por tecido de granulação que se
origina no tecido conjuntivo da pele ou da membrana mucosa. É considerada uma lesão
reacional e multifatorial relacionada a agressões repetitivas, traumas, irritantes locais e
pobre higiene bucal. Acomete mais frequentemente, adolescentes, adultos jovens de 11
a 40 anos, localizado mais na maxila do que na mandíbula. As mulheres são mais
afetadas que os homens, por conta dos efeitos vasculares provocados pelos hormônios
femininos. Está presente em 5% das mulheres grávidas, por isso chamado também de
granuloma gravídico. O tratamento consiste na excisão cirúrgica local, onde sua
incompleta remoção pode levar à recidiva. Seu diagnóstico diferencial pode ser feito
com o granuloma de células gigantes, hemangiomas, sarcoma de Kaposi deve ser feito
pela biópsia do tecido removido. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de
um paciente do gênero feminino, leucoderma, 43 anos de idade, atendida na clínica de
Cirurgia bucal da Universidade Iguaçu /RJ, onde a mesma foi encaminhada para a
remoção cirúrgica da lesão pela terceira vez. A paciente foi submetida à remoção
cirúrgica sob anestesia local, onde não houveram intercorrências cirúrgicas e sem
presença de recidiva após um ano.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 102 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Neurilemoma em Região Submandibular: Relato de Caso Clínico.
Juliana Portes de Oliveira
Marina Urquiza Lopes
Alexandre Moraes
Caroline Ciraulo Faraj
Vieira
Neurilemoma é uma neoplasia benigna associada a um tronco nervoso que é
extremamente incomum, ela se origina a partir da proliferação das células de Schwann e
possui causa e estímulos desconhecidos. Clinicamente, se apresenta como estrutura
modular móvel, firme, de superfície lisa e consistência borrachóide à palpação, além de
ser indolor. Entretanto, com seu crescimento pode vir a comprimir o tronco nervoso
causando dor e parestesia na região acometida. Essa patologia tem forte predileção por
língua, mas também pode acometer apenas tecido mole ou aparecer no interior de
estruturas ósseas. Em casos de acometimento intra-ósseo, o local mais comum é a
mandíbula e apresenta-se radiograficamente como lesões radiolúcidas uniloculares ou
multiloculares. O diagnóstico é feito mediante o exame histopatológico e técnica imunohistoquímica com proteína S-100. O tratamento consiste em excisão da lesão e costuma
apresentar excelente prognóstico. O objetivo desse trabalho será apresentar o caso
clínico de uma paciente que se apresentou ao serviço de Cirurgia e Traumatologia
Bucomaxilofacial do Hospital Municipal Salgado Filho, relatando aumento de volume em
região submandibular sem causa associada, e discutir os princípios de diagnóstico,
tratamento e prognóstico do Neurilemoma.
Granuloma Piogênico em Gengiva: Relato de Caso
Juliane Cuciniello dos Santos
Sergio Luiz Melo Gonçalves Raquel Machado Andrade
Isadora Follak de Souza
Adrianna Milagres
O granuloma piogênico é uma hiperplasia inflamatória assintomática de crescimento
rápido, acomete principalmente a gengiva, associada à irritação crônica de baixa
intensidade ou trauma. Devido suas características clínicas, tem como diagnóstico
diferencial de neoplasias benignas e malignas. Neste trabalho é relatado o caso de uma
mulher negra, 56 anos, atendida no Serviço de Diagnóstico Oral (HUAP-UFF) queixandose de lesão gengival na região anterior da maxila, com aumento progressivo há dois
anos. Ao exame clínico, observou-se lesão nodular de base séssil, de consistência firme
endurecida, medindo 2x2 cm e sangrante à palpação. No exame radiográfico observouse apenas grande perda óssea horizontal. A hipótese diagnóstica foi granuloma
piogênico, sendo realizada biópsia excisional com tartarotomia transoperatória. O laudo
histopatológico confirmou o diagnóstico de granuloma piogênico, com extensa área de
fibrose. Após três semanas de acompanhamento a área da cirurgia apresentava
cicatrização satisfatória. O correto diagnóstico se faz importante de forma a afastar
lesões como Fibroma Ossificante Periférico, Tumor de Células Gigantes e Sarcoma de
Kaposi, levando assim a uma correta conduta clínica e tratamento. A remoção cirúrgica e
a dos fatores de irritação é o tratamento de escolha, sendo importante o
acompanhamento periódico do paciente para evitar recidivas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 103 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Reabilitação Estética Associando Prótese Sobre Implante Unitária e Dentística
Restauradora
Julyanne Vaz Aramayo
Fernanda Ferreira Jassé
A prótese sobre implante metal-free constitui-se em uma excelente opção de
tratamento quando há perda de um ou mais elementos dentários em área estética. Nos
casos em que não há perda dental, sendo necessária apenas a restauração do elemento,
as resinas compostas tem se mostrado uma opção mais conservadora e de baixo custo,
permitindo imitar a estética não só das cerâmicas como também dos elementos dentais
naturais. O presente trabalho relata um caso clínico de reabilitação estético-funcional
que foi solucionado associando-se o uso de coroa livre de metal unitária
implantossuportada, confeccionada em cerâmica E-Max e restaurações em resina
composta nos dentes adjacentes. Paciente M. A. L., gênero feminino, 40 anos, com
ausência do elemento 21 e restaurações deficientes e manchadas nos dentes 11 e 22 foi
submetida à cirurgia de implante na região desdentada, sendo posteriormente instalado
ao implante um pilar personalizado cerâmico. Durante a provisionalização da coroa do
dente 21, foi realizado o planejamento estético baseado no enceramento diagnóstico
dos dentes vizinhos a serem restaurados por meio da técnica da matriz de silicona. Após
as restaurações, foi confeccionada a coroa metal-free sobre-implante para o dente 21,
concluindo-se o caso com excelente resultado estético e funcional, graças ao excepcional
avanço dos materiais cerâmicos e das resinas compostas.
Remoção Cirúrgica de Lipoma: Relato de Caso
Jurandi Santos de Albuquerque
Gabriela Ribeiro Vasconcelos
João de Sá da Silva Neto
Pedro Thalles Nogueira
Os lipomas são as neoplasias benignas mais constantes do corpo humano, proveniente
do tecido adiposo. Clinicamente, pode aparecer em dimensões diversas e acarretar
grande incômodo estético, além de apresentar-se como massas nodulares,
pedunculadas ou sésseis, de aspecto brando, gelatinoso e de superfície lisa,
constantemente são assintomáticas e sem ulcerações. Não aparecem com muita
frequência em crianças, tendo maior predisposição em adultos acima de 40 anos de
idade. Cerca de 1 a 2% da população apresenta um ou mais lipomas em seus corpos, e
desse percentual estima-se que 13% dos casos são destacados no complexo aro-maxilofacial. Apesar de o Lipoma possuir sua etiologia incerta, acredita-se que sua aparição
esteja relacionada a traumas, alterações endócrinas, infecções ou até mesmo fatores
hereditários. Seu diagnostico é principalmente clinico, contudo a utilização de exames de
imagens como ultrassonografia, ressonância magnética e tomografia computadorizada,
pode auxiliar no diagnostico diferencial. Sua analise definitiva é fornecida pela biopsia
incisional ou excisional da lesão. O presente trabalho tem por objetivo relatar um caso
de lipoma gigante localizado na região submandibular esquerda e em íntimo contato
com a carótida externa.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 104 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Tratamento Ortodôntico Interceptativo da Mordida Aberta Anterior: Relato de Caso
Kamila Aparecida Peixe Campos
Débora Amaral
Sarah Vicente
Soraia Veloso
Fernanda Catharino
A mordida aberta anterior (MAA) caracteriza-se pela presença de dimensão vertical
negativa entre os bordos incisais dos dentes anteriores antagonistas quando em oclusão
cêntrica. A etiologia da MAA é multifatorial e se relaciona com fatores hereditários e
ambientais, tais como os hábitos orais deletérios, respiração bucal viciosa ou por
obstrução nasal, e postura incorreta da língua em repouso. O tratamento para pacientes
com postura de língua em posição ântero-inferior em repouso, apresenta melhor
prognóstico quando se utiliza a grade lingual fixa com associação de pontas ativas, as
quais impedem que a língua se apóie sobre os dentes. O objetivo deste trabalho consiste
em ressaltar a importância do tratamento ortodôntico interceptativo da mordida aberta
anterior, por ser menos invasivo, evitando que o paciente necessite de tratamento
complexo no futuro. Paciente R.S.R., 12 anos de idade, compareceu à EBMSP em 2014
na disciplina de Odontopediatria para avaliação bucal e foi diagnosticada a presença de
mordia aberta anterior com padrão de língua ântero-inferior, foi iniciado o tratamento
ortodôntico interceptativo com grade lingual fixa com associação de pontas ativas. O
tratamento encontra-se em andamento com sinais de evolução e ressalta a importância
do correto diagnóstico e planejamento do caso para o fechamento da MAA.
Palavras - Chave: Mordida Aberta – Diagnóstico
TÍTULO
AUTOR
Tratamento Endodôntico do Elemento 47 com o Uso do Sistema Reciproc
Karen Paço de Souza Bins Lena
Gabriele Santos Rocher
CO AUTORES
Elena Okada Haysida
Tamires Silva de Souza
Monteiro
ORIENTADOR Guilherme Antonio Monteiro Miguel
As limas do sistema reciproc, têm sido desenvolvidas de forma específica para o uso do
movimento reciprocante. Elas são fabricadas a partir de um Ni-Ti especial, através de um
processo inovador de tratamento térmico, que permite a confecção do preparo do canal
radicular com apenas um único instrumento, ”single-file”. O intuito é minimizar o risco
de fratura causada pelo stress torcional do instrumento através do ângulo de rotação no
sentido anti-horário, que é designado para ser menor do que o limite elástico do
instrumento. Esses instrumentos completam uma rotação de 360° com vários ciclos de
movimentos reciprocantes, 150° no sentido anti-horário e 30° no sentido horário. O
RESUMO
presente trabalho demonstra a rapidez e agilidade durante o preparo do sistema de
canais radiculares com o uso do reciproc. Foi realizado tratamento no elemento 47 do
paciente M.F de 58 anos na clínica da FOV, sendo realizado patência com a lima 10k e
instrumentação dos canais vestibular e palatal com único instrumento reciproc 25/.08,
acionado por motor reciproc VDW. A obturação dos canais foi feita pela técnica híbrida
de Tagger com o uso do compactador 60, posteriormente os canais foram selados com
cimento provisório. O sistema reciproc mostrou ser de rápida execução, apresentando
grande eficiência sobre os sistemas rotatórios convencionais e mantendo a anatomia dos
canais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 105 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Correção da Mordida Aberta Anterior e Cruzada Posterior com o Uso do QuadrihéliceAcompanhamento de 6 Anos.
AUTOR
Karol de Oliveira Martins
Luísa Schubach da Costa
CO AUTORES Maristela Barbosa Portela
Wesley Felisberto Vasquez
Barreto
ORIENTADOR Monica Almeida Tostes
A Mordida Cruzada Posterior é uma maloclusão transversa definida pela relação lábiolingual anormal dos dentes. A mordida aberta anterior, uma maloclusão vertical, e
caracterizada por abertura no plano oclusal anterior e ausência de overbite. O aparelho
quadrihélice, introduzido por Ricketts em 1975 é uma modificação do aparelho "W", de
Porter, e tem sido utilizado para correção da mordida cruzada posterior, rotação e
distalização dos molares superiores e auxiliar, como lembrete, na interrupção do hábito
de sucção não nutritivo. O presente painel apresenta sua confecção, as indicações e
contraindicações, vantagens e desvantagens do uso deste aparelho, além de apresentar
RESUMO
um caso clínico em que o quadrihélice foi usado com sucesso na interrupção do hábito. A
paciente do gênero feminino, 7 anos de idade, mordida cruzada posterior funcional e
mordida aberta anterior provocadas por hábito de sucção do polegar. O aparelho,
confeccionado com fio 0,9, permaneceu na cavidade bucal por 6 meses e, neste período,
2 ativações foram realizadas. Após esta primeira fase, a paciente relatou ter cessado o
hábito e a mordida cruzada corrigida. O aparelho foi removido e acompanhado por 6
anos. Conclui-se que o aparelho foi bem tolerado pela criança e pode ser utilizado como
lembrete na interrupção do habito, principalmente, na fase inicial da dentição mista.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
Reconstrução de Fratura Zigomático-orbital Produzida Por Arma Branca: Relato de Caso
Karoline Maria Santos de Oliveira
Marcela Côrte Real
Rodrigo Henrique Mello
CO AUTORES Janile Lacerda de Carvalho
Fernandes
Varela Ayres de Melo
ORIENTADOR Ricardo Eugenio Varela Ayres de Melo
O trauma facial pode ser considerado uma das agressões mais devastadoras devido às
consequências emocionais e à possibilidade de deformidade. Os traumas produzidos por
instrumentos metálicos são comuns em guerras, conflitos pessoais e em acidentes
diversos podendo provocar lesões desde pequenos ferimentos até fraturas extensas e
graves. A região zigomática é a segunda área da face mais atingida por lesões, superada
apenas pelos ossos nasais. A proposta deste trabalho é apresentar um relato de caso
clínico com intervenção multidisciplinar, nas especialidades de cirurgia e traumatologia
buco-maxilo-facial, neurocirurgia, oftalmologia e prótese buco-maxilo-facial. Trata-se de
RESUMO
um paciente vítima de agressão física por arma branca que apresentou fraturas em
regiões fronto-zigomática esquerda, corpo do zigomático esquerdo, maxilar esquerdo e
direito, nasal, vômer, temporal esquerdo, etmóide, parietal esquerdo e esfenóide, com
fragmentos ósseos dentro da cavidade orbitária, ocasionando a perda do globo ocular
esquerdo.. Foi conseguindo uma consolidação óssea satisfatória, restabelecendo a
função e a estética do paciente, inclusive com reabilitação através de prótese ocular, não
ocorrendo nenhuma complicação pós-operatória. Verificou-se que a rápida intervenção
multidisciplinar, aliada a uma correta técnica cirúrgica, garante o bom prognóstico do
paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 106 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Colagem de Fragmentos e Reconstrução Dentes Anteriores Pós Traumatismo – Relato de
Caso
AUTOR
Karyn Chequetto Pereira
CO AUTORES Camila Alves Peregrino
ORIENTADOR Sávio D. da R. Pereira
Paciente de 17 anos, sexo masculino foi atendido de urgência após sofrer traumatismo
dentário múltiplo devido a uma bola de baseball em um treino. Foi constatada fratura de
esmalte e dentina sem invasão do espaço biológico nos 11, 21, 31 e 41, exposição pulpar
nos 21 e 31 e lesões corto contusas na região perioral. Após a pulpectomia dos 21 e 31,
foram realizados a medicação intracanal e o selamento com cimento de ionômero de
vidro dos remanescentes; após o encaminhamento para o tratamento restaurador de
urgência. O paciente dispunha apenas do fragmento do 21. No exame radiográfico
notou-se presença de imagem radiopaca no interior do lábio inferior, mostrando dois
RESUMO
fragmentos dentários. Posteriormente anestesia mentoniana bilateral, a ferida interna
do lábio inferior foi divulsionada e os fragmentos dos 31 e 41 foram recuperados e a
ferida suturada. Após profilaxia dos remanescentes, antissepsia e limpeza dos
fragmentos, foi feito o isolamento de Liebenberg. Como o fragmento do 21 não
adaptava no remanescente, foi usado cimento resino na colagem e restaurado as
imperfeições com resina composta. O dente 11 foi restaurado com resina composta pela
técnica a mão livre com matriz de poliéster e de forma incremental. Os fragmentos dos
31 e 41 foram aderidos aos remanescentes com cimento resinoso. Após 48 horas, o
paciente retornou para ajustes, acabamentos e polimentos finais.
TÍTULO
Tratamento Orto-cirurgico para Correção de Classe III Esquelética – Relato de Caso
Clinico
AUTOR
Katheleen Miranda dos Santos
CO AUTORES Naylin Oliveira
Eduardo Leão Whiters
Leandro Eduardo Klüppel
ORIENTADOR Rafaela Scariot
A cirurgia ortognática é uma modalidade de tratamento bem estabelecida para corrigir
as discrepâncias do esqueleto facial, de modo a facilitar a terapia ortodôntica da máoclusão. A conduta de tratamento visa atender a cinco princípios: harmonia facial,
harmonia dentária, oclusão funcional, saúde das estruturas orofaciais e a estabilidade do
procedimento. As deformidades dentofaciais podem frequentemente serem tratadas
por procedimentos isolados na maxila, mandíbula ou ambas. Paciente RAR, 28 anos, sexo
masculino, compareceu ao Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial do
RESUMO
Hospital XV, Curitiba-PR, para avaliação orto-cirúrgica. Ao exame clínico e radiográfico,
observou-se deficiência anteroposterior de maxila, excesso anteroposterior e desvio de
linha média da mandíbula. Após preparo ortodôntico descompensatório, o paciente foi
submetido à cirurgia ortognática para avanço da maxila de 4 mm e recuo da mandíbula
de 2 mm com correção da linha média, sob anestesia geral. A fixação foi realizada com
placas e parafusos de titânio do sistema 2.0. Atualmente, o paciente encontra-se
finalizado do ponto de vista cirúrgico e ortodôntico, com excelentes resultados
funcionais e estéticos.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 107 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
A Importância do Cirurgião-dentista no Diagnóstico da Síndrome de Sjögren: Relato de
Quatro Casos Clínicos
AUTOR
Katryne da Costa
CO AUTORES Mariana Silva Campos
Jadeir Elias dos Santos
Renata Tucci
ORIENTADOR Rafaela Elvira Rozza de Menezes
A Síndrome de Sjögren (SS) é uma doença autoimune caracterizada pela presença da
xerostomia e xeroftalmia. A sialadenite linfocítica focal (SLF) é uma alteração
microscópica considerada um dos critérios diagnósticos desta doença e consiste na
infiltração de linfócitos nas glândulas salivares com destruição dos ácinos. Outros
critérios diagnósticos da SS são a positividade para alguns autoanticorpos e presença da
ceratoconjuntivite seca. O objetivo deste trabalho é apresentar quatro casos clínicos de
pacientes com SLF e destacar a importância do cirurgião-dentista no diagnóstico da SS.
As quatro pacientes eram mulheres com idade variando entre 28 e 48 anos de idade.
RESUMO
Destas, três tinham xerostomia e xeroftalmia e todas apresentaram hipossalivação. Duas
pacientes tinham positividade para os autoanticorpos e duas tinham ceratoconjuntivite
seca. Após a biópsia de pelo menos cinco glândulas salivares menores em mucosa labial
inferior, a confirmação da SLF foi obtida em todos os casos. O diagnóstico de SS foi
alcançado em três pacientes, sendo indefinido em um caso devido ao único achado ser a
SLF. A SLF é essencial no diagnóstico da SS e a atuação entre diferentes especialidades,
especialmente incluindo os oftalmologistas, torna-se essencial para o correto
diagnóstico e manejo da SS.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Tetralogia de Fallot: Relato de Caso Clinico
Khawana Faker
Natalia Dilanaro
Viviane a Cancio de Paula
Monica Almeida Tostes
Tetralogia de Fallot é um defeito cardíaco congênito e possui quatro características
principais: defeito do septo ventricular, obstrução na via de saída do ventricular direito,
aorta em dextroposição e hipertrofia do ventrículo direito. Na odontologia poucos são os
relatos da condição bucal de crianças com esta síndrome. Este trabalho descreve um caso
clinico de uma menina de 5 anos de idade, negra, portadora da doença e com atresia
pulmonar. Clinicamente, a paciente apresentava respiração bucal, ausência de selamento
labial e problemas de fonação. O arco superior estava atrésico, com mordida cruzada
bilateral e fazia uso de chupeta. Um restauração foi realizada com cobertura antibiótica.
Para correção da mordida cruzada, um aparelho encapsulado foi adaptado, além da
orientação sobre o uso da chupeta e hábito alimentares. Em todas as consultas foram
reforçadas a escovação e a importância do controle do biofilme. A presença de placa
bacteriana e a gengivite podem aumentar o risco de crianças cardiopatas congênitas
desenvolverem endocardite bacteriana. Deve-se, portanto, ressaltar a importância das
medidas preventivas, a educação em saúde bucal e a motivação do núcleo familiar. Assim,
evitam-se procedimentos invasivos, os quais, no caso de pacientes com tetralogia de
Fallot, sempre serão precedidos de profilaxia antibiótico.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 108 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Fístula Buco-sinusal Tratada Pela Técnica do Retalho do Tecido Adiposo Bucal: Relato de
Caso
AUTOR
Laís Dantas Fernandes Leite
CO AUTORES Reis, Jéssica Ornelas
ORIENTADOR Sardinha, Sandra de Cássia Santana
As práticas cirúrgicas são potencialmente passíveis de acometimentos iatrogênicos,
dentre eles estão as comunicações buco-sinusais, uma lesão patológica, na sua maioria,
decorrente de exodontias de dentes posteriores da maxila. Tal prevalência etiológica
ocorre devido à íntima relação entre as raízes desses dentes com a cortical óssea do seio
maxilar, formando, em alguns casos, um acesso direto entre este e a cavidade bucal,
chamada comunicação buco-sinusal. Geralmente a comunicação vem seguida de
infecção no seio maxilar, por consequência da passagem de fluidos e bactérias da
cavidade oral para este espaço. A proposta do trabalho foi apresentar um caso clínico de
RESUMO
uma paciente de 62 anos, atendida no ambulatório da disciplina de Estomatologia I, da
Faculdade de Odontologia da Universidade Federal da Bahia. Para diagnóstico da
patologia realizou-se a manobra de Valsalva em primeira instância e posteriormente
avaliação do exame radiográfico panorâmico, o qual demonstrava descontinuidade da
linha radiopaca do assoalho do seio maxilar. A cirurgia procedida na paciente utilizou
como técnica a bola adiposa de forma pediculada, para a obliteração entre as cavidades.
A escolha deste tecido é baseada em estudos que comprovam ser uma técnica cirúrgica
simples e rápida, com mínima incidência de falha, realizada sob anestesia local e com
discreta perda de profundidade do sulco vestibular.
TÍTULO
Retração do Segmento Anterior Superior com o Auxílio de Miniparafusos, um Relato de
Caso Clínico.
AUTOR
Laís Gevisiez de Abreu
Alexandre Olímpio Santos
Sabrina Kelen Silva
Gabriela Souza Macêdo de
CO AUTORES
Siqueira
Smargiassi
Queiroz Santos
ORIENTADOR Ellen Cardoso Teixeira
O controle da ancoragem representa uma das principais preocupações a serem
consideradas no planejamento ortodôntico (MOYERS, 1991). Com o aumento da
demanda de pacientes adultos para o tratamento ortodôntico, o planejamento da
ancoragem pode ficar comprometido devido a ausências dentais presentes nesses
pacientes. A freqüente ausência de algumas unidades dentárias dificulta utilizá-los como
unidade de suporte (VILLELA, H. et al). Há muito tempo percebeu-se que, se estruturas
que não o dente pudessem servir como ancoragem, seria possível produzir movimento
dental, ou modificação do crescimento, sem efeitos colaterais indesejados (PROFFIT,
RESUMO
2013). Neste ponto, a aplicação dos miniparafuros ou miniplacas para ancoragem
esquelética tornou-se um aspecto de rotina na clínica ortodôntica. O mini-implante pode
ser útil para a ancoragem em tratamentos ortodônticos, facilitando a mecânica por meio
de um método com custo reduzido, de simples colocação, remoção e com possibilidade
de utilização imediata de carga (JOSGRILBERT, L. et al 2008). Este presente estudo teve
como objetivo avaliar o resultado do tratamento ortodôntico, com o auxílio de
miniparafusos, para retração do segmento superior anterior com consequente
diminuição do overjet e melhora do perfil convexo do paciente.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 109 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Cisto Dermóide em Assoalho Bucal: Relato de Caso
Laís Inês Silva Cardoso
Luis Raimundo Serra Rabêlo
Josimar Camelo
Eider Guimarães Bastos
O cisto dermóide é uma lesão incomum na cabeça e no pescoço, com apenas 6,9%,
apresentando-se nessas regiões. Essa entidade tem sido descrita como um cisto de
desenvolvimento que contém anexos da derme como glândulas sudoríparas e sebáceas,
folículos pilosos revestidos por epitélio escamoso estratificado. O objetivo deste trabalho
é relatar um caso clínico de cisto dermóide em assoalho bucal. Paciente SLN, 45 anos,
sexo masculino, apresentou-se à Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do
Maranhão com assimetria facial provocada por uma tumefação localizada na região de
assoalho bucal. A lesão era mole à palpação com consistência “borrachóide”, com o
tempo de evolução de 1 ano e 2 meses. Não havia história de febre ou drenagem, nem
linfadenopatia cervical. Na imagem da ressonância magnética observa-se uma massa sob
o nível superior do músculo milo-hióideo. Devido a localização anatômica da lesão, o
acesso intra-bucal é o de escolha. Com o paciente em decúbito dorsal e intubação
nasotraqueal, e por meio de uma incisão retilínea na região ventral da língua, realizou-se
o acesso, e em seguida, o descolamento para a exposição de toda a lesão. Ao exame
histopatológico, os achados mostraram-se compatíveis com cisto dermóide. Quando o
diagnóstico é precoce e a intervenção, correta, o índice de recidiva torna-se raro.
Esvaziamento do Forame Nasopalatino para Reabilitação com Implantes em Maxila
Atrófica - Relato de Caso Clínico
Lara Portella Ávila
Breno da Silva Paiva
Joon Im
No cotidiano da clínica odontológica frequentemente nos deparamos com a necessidade
da instalação de implantes em pacientes portadores de maxilas atróficas e por esse
motivo estes possuíam poucas chances de serem reabilitados. Porém, com a evolução da
Implantodontia e de novas técnicas cirúrgicas o desenvolvimento de novos biomateriais
e instrumentais, nos levam a recapacitação dos paciente com pouco rebordo ósseo na
região anterior da maxila, hoje em dia esse procedimento já é viável para nós. A
degeneração do processo alveolar segue diferentes processos na mandíbula e maxila por
decorrência das diferentes densidades ósseas. A necessidade de uma abordagem
individual para cada caso é de exímia importância para que o profissional esteja sempre
atento as variações anatômicas presentes e estruturas nobres, como quando é
necessário instalar um implante na região nasopalatina. Por isso é tão importante o
planejamento reverso nas reabilitações orais com o uso de implantes. Este trabalho
corrobora um caso clínico que demonstra uma expansão óssea maxilar com uma das
técnicas existentes e a necessidade do esvaziamento do canal nasopalatino para a
efetividade da técnica e reabilitação óssea.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 110 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Lesão Central de Células Gigantes em Paciente Pediátrico: Relato de Caso.
Lara Rebelo de Almeida
Larissa Tinô de Carvalho
Deyse Danielly Rodrigues
Jéssica Cristina de Oliveira
Silva
Gomes
Camila Maria Beder Ribeiro
A Lesão Central de Células Gigantes (LCCG) é um processo patológico incomum de
caráter osteolítico benigno e de natureza incerta. Ocorre principalmente antes dos 30
anos de idade, em pacientes mulheres e com predileção por região anterior da
mandíbula. Seu comportamento varia de lesão não-agressiva com crescimento lento e
assintomático à agressiva com dor, crescimento rápido e reabsorção óssea. O trabalho
tem o objetivo de relatar o caso de uma paciente de 7 anos de idade, gênero feminino,
com queixa principal de “crescimento do queixo e dentes moles”. A responsável pela
menor afirmou que a lesão era indolor e que evoluiu em 3 meses. Ao exame extraoral
percebeu-se aumento volumétrico da região anterior da mandíbula e ao exame intraoral
foi observado lesão tumoral única em rebordo alveolar, normocrômica e endurecida,
com abaulamento dentário. O exame radiográfico exibiu uma área radiolúcida extensa,
delimitada com adelgaçamento da cortical e reabsorção dos dentes envolvidos. Foi
realizada biopsia incisional e os cortes histológicos revelaram células gigantes
multinucleadas associadas a células mesenquimais fusiformes e ovais. Optou-se pela
enucleação total da LCCG. Dessa forma, mostra-se importante o correto diagnóstico e
acompanhamento do paciente devido ao grande poder de recidiva.
Palavras-chave: Granuloma de Células Gigantes. Doenças mandibulares. Criança.
Aspectos Estomatológicos da Síndrome de Dutch-kentucky - Relato de Caso Clínico
Lara Ribeiro Feitosa Duailibe
Erik Neiva Ribeiro de Carvalho Reis
Ciro Borges Duailibe de Deus
O termo trismo é derivado do grego Trismus, que significa "moagem", resultando na
incapacidade de abrir a boca. Entre suas diferentes etiologias, as desordens congênitas
são de rara ocorrência, dentre as quais se pode citar: sinéquias intralveolares, fusão
maxilomandibular congênita, anormalidades dos músculos mastigatórios e
pseudocamptodactilia. O trismo moderado a severo pode interferir no desenvolvimento
crâniofacial e representar um desafio diagnóstico e de difícil tratamento. A síndrome de
Dutch-Kentucky é uma alteração genética autossômica dominante que promove
desordem do desenvolvimento muscular, os sinais clínicos são: aumento do processo
coronóide da mandíbula, flexão dos dedos na extensão do pulso, músculos isqueotibiais
e gastrocnêmios curtos, equinovarus talipes, dedos em forma de martelo, estatura
reduzida e micrognatia, sem alterações morfológicas da articulação temporomandibular.
O trismo representa o principal desafio no tratamento, não sendo bem elucidado até o
momento, uma vez que os relatos da literatura não trazem resultados satisfatórios a
longo prazo. O objetivo deste trabalho é apresentar por meio de uma revisão de
literatura e apresentação de caso clínico a síndrome de Dutch-Kentucky, esta patologia
incomum e rara, mostrando as formas de tratamentos atuais, resultados obtidos com as
terapias cirúrgicas e desafios no manejo clínico.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 111 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Síndrome Neurofibromatose Tipo I: Relato de Caso Clínico
Larissa Maciel de Souza
Ana Regina Casaroto
Elen de Souza Tolentino
Gustavo Zanna Ferreira
Moreschi
A neurofibromatose tipo I (NF1), também conhecida como doença de Von
Recklinghausen, é uma condição de origem genética autossômica dominante, com
incidência de aproximadamente 1:3000. Lesões orais estão tipicamente associadas à
NF1, sendo que neurofibromas podem ser encontrados em até 25% dos pacientes, e
outras alterações como aumento das papilas fungiformes e anormalidades ósseas em
até 70%. Este trabalho tem como objetivo relatar um caso clínico de uma mulher de 65
anos, que compareceu à Clínica Odontológica da Unicesumar acompanhando a filha, que
estava sob tratamento odontológico. Devido à presença de múltiplos nódulos cutâneos,
a paciente foi submetida à anamnese e exame físico. A mesma apresentava nódulos e
pápulas distribuídos por todo o corpo, com maior concentração em tórax, abdômen e
costas. À inspeção intraoral, observou-se presença de um nódulo róseo, firme à
palpação, de aproximadamente 0,6cm, em região de mucosa jugal esquerda.
Pigmentações na íris também foram visualizadas. Com base nos achados clínicos, a
paciente recebeu o diagnóstico de NF1, cujos primeiros sinais também puderam ser
detectados em sua filha e em sua neta, posteriormente. A paciente permanece sob
controles clínicos, uma vez que não existe cura para esta síndrome.
Eficácia da Terapia Fotodinâmica para Tratamento de Queilite Actínica: Relato de Caso
Larissa Mendes Silva Barboza
Ademar Takahama Júnior
Irma Gonçalves Reys
Cristina Kurachi
Karla Bianca Fernandes da Costa Fontes
A queilite actínica (QA) é uma desordem potencialmente maligna da semimucosa labial
devido a exposição crônica aos raios ultravioletas. A QA tem potencial de malignização, o
que torna o seu diagnóstico e tratamento necessários. A terapia fotodinâmica (TFD) é
uma proposta promissora que produz morte celular tumoral, isquemia tumoral e
ativação da resposta imune. O objetivo será apresentar um caso clínico que demonstra a
eficácia da TFD para tratamento de QA. Paciente apresentou-se na Clínica de
Estomatologia da Faculdade de Odontologia da UFF – Campus Nova Friburgo com QA em
semimucosa labial inferior. Após exame clínico, a semimucosa foi mapeada e através do
exame físico e dos testes ópticos, compostos pelos sistemas de fluorescência de campo
amplo e de espectroscopia de fluorescência, a área mais afetada foi submetida à biópsia
incisional. A histopatologia revelou presença de displasia epitelial acentuada. Paciente
foi submetida a 2 sessões de TFD mediante a aplicação tópica de creme de cloridrato de
aminolevulinato de metila 20% (PDT Pharma, São Paulo) e irradiada com fonte de luz LED
vermelha (630nm, 48J/cm2, 100mW - Lince, MMOptics, São Paulo). Após 278 dias do
término da TFD, clinicamente observou-se melhora significativa do quadro e completa
remissão da displasia epitelial. Diante do exposto, a TFD parece ser uma proposta eficaz
para tratamento de queilite actínica.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 112 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Dor Miofascial Associada a Hábitos Parafuncionais em Paciente Ansioso: Relato de Caso.
Larissa Tinô de Carvalho Silva
Lara Rebelo de Almeida
Jéssica Cristina de Oliveira
Jucimara Souza da Rocha
Katharina Jucá de Moraes Fernandes
A Dor Miofascial (DMF) é uma desordem dos músculos esqueléticos, com um conjunto
de sintomas sensoriais e motores causados por pontos de gatilho miofasciais. As
disfunções temporomandibulares são distúrbios que envolvem os músculos da
mastigação, a articulação temporomandibular e estruturas associadas. O trabalho tem o
objetivo de relatar o caso de uma paciente de 38 anos com a queixa principal de “dor no
canto da orelha”. A paciente possuía uma dor pulsátil, cansada e intermitente em região
pré-auricular bilateral, há cerca de 3 anos. Durante a palpação muscular extra-oral a
paciente apresentou dor na região temporal e massetérica com intensidade 7 na escala
numérica de 1 a 10. A desordem provavelmente estava associada a hábitos
parafuncionais, como onicofagia e apertamento, que mantinham os músculos da
mastigação sob constante atividade, sendo agravada pelo Transtorno da Ansiedade que
a paciente possuía. O tratamento proposto foi a fisioterapia das regiões massetérica e
temporal, além do tratamento comportamental cognitivo. Dessa forma, a avaliação de
pacientes com DMF deve ser rica em detalhes, procurando-se descobrir cada um dos
fatores desencadeantes, sendo a orientação quanto aos hábitos um fator primordial e a
primeira etapa do tratamento.
PALAVRAS-CHAVE: Dor Orofacial. Síndrome da Dor Miofascial. Estresse Psicológico.
TÍTULO
AUTOR
Problemas Relacionados com o Uso de Piercing na Língua - Relato de Caso
Laryssa França Marques da Costa
Fernanda Signorelli
CO AUTORES Estevão Antero Santos
Mauro Sayão de Miranda
Calazans
ORIENTADOR Ana Christina Lamosa
O uso de piercings pelos jovens vem sendo adotado como uma nova abordagem de
estilo e inclusão social. Muitas são as áreas de aplicação na boca: língua, lábios,
bochechas, dentes e úvula. Inúmeros problemas têm sido relatados associados ao uso de
piercing na língua, como: cálculo, halitose, recessão gengival, trauma dental e na
mucosa, hipersalivação, hemorragia e até tromboflebite do seio sigmoide e endocardite
estreptocócica. Este relato de caso clínico mostra uma técnica restauradora,
minimamente invasiva, de dentes traumatizados e a importância do profissional quanto
à orientação das consequências do uso indiscriminado dos piercings. Descrição do caso:
RESUMO
Paciente do sexo feminino, 15 anos de idade, chegou à clínica da Disciplina de Saúde
Oral do Adolescente, da UERJ, relatando ter "quebrado" o dente. Ao exame, observou
uma fratura no elemento dentário 24 e uso de piercing lingual, o provável causador. O
tratamento consistiu no esclarecimento quanto aos riscos do uso de piercings e
confecção de uma restauração conservadora indireta de cerâmica, dissilicato de lítio.
Após o tratamento e orientação, a paciente resolveu remover o piercing. A paciente vem
sendo acompanhada e a restauração continua em perfeitas condições após 7 anos de
controle
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 113 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Síndrome de Hallermann-streiff: Relato de Caso Clínico
Laura Mazzola Mendes
Ricardo Gonçalves
Letícia Kovac Elias
Tatiane Marega
A Síndrome de Hallermann-Streiff (HSS) ou também conhecida como
Oculomandibulodiscefalia com Hipotricose é uma doença congênita rara que atinge
menos de duzentas pessoas em todo o mundo. Ela pode estar associada com GJA1 e se
caracteriza principalmente pelas anomalias craniofaciais como: braquicefalia com bossa
frontal e parietal, calota craniana fina, atraso na ossificação das suturas, hipoplasia
malar, micrognatia, nariz fino e saliente semelhante a um bico de papagaio, palato
estreito, hipoplasia, má implantação dos dentes, dentes neonatais, anodontia parcial,
atrofia de pele, pelos finos e claros, hipotricose principalmente no couro cabeludo,
sobrancelhas e cílios, microftalmia bilateral, catarata congênita, nistagmo, estrabismo e
déficit intelectual. A paciente R.S., 14 anos de idade, sexo feminino, leocoderma, com
diagnóstico confirmado da HSS compareceu à clínica da Faculdade São Leopoldo Mandic,
unidade Campinas, acompanhada de seus pais para avaliação e tratamento
odontológico. Fisicamente apresentava: braquicefalia, nariz fino e saliente, hipotricose,
catarata congênita resultando em cegueira e presença de déficit intelectual severo. O
exame intra-oral revelou palato estreito, fissura submucosa confirmada em exame
radiográfico, presença de caries, necessidade de exodontias e biofilme em excesso. A
maioria das características apresentadas condizem com as da HSS.
Verruga Vulgar: Relato de Caso em Mucosa Oral
Laura Moté de Carvalho Novaes
Aline de Almeida Neves
Fernanda Mafei
Taísa Domingues
Luciana Pomarico
A verruga vulgar é uma hiperplasia benigna do epitélio escamoso estratificado associado
ao vírus papiloma humano (HPV), observada principalmente em crianças e adolescentes.
Clinicamente se apresenta como um nódulo indolor de superfície rugosa, com coloração
esbranquiçada. É uma lesão contagiosa podendo estar localizada em qualquer parte do
corpo, sendo raramente encontrada na mucosa oral. O objetivo desse trabalho foi
relatar um caso clínico de verruga vulgar localizada no lábio inferior. Um paciente do
gênero masculino, com 13 anos de idade compareceu a clinica de Odontopediatria de
uma instituição pública federal com queixa do aparecimento de uma lesão no lábio. Ao
exame clínico intra-oral foi observada ausência de lesões de caries, uma higiene
controlada e a presença de uma lesão nodular esbranquiçada localizada na região
externa do lábio inferior sem sintomatologia. Quando questionados sobre o tempo de
existência da lesão, paciente e responsável relataram ter o conhecimento da lesão há
uma semana. O tratamento de escolha foi a excisão cirúrgico pelo fato do paciente
apresentar um perfil colaborador e o diagnóstico foi confirmado pelo exame
histopatológico. Apesar de a verruga vulgar ser uma lesão incomum na cavidade oral, é
de responsabilidade do cirurgião dentista diagnosticá-la e orientar ao paciente sobre
possíveis tratamentos e prevenção.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 114 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Histoplasmose Oral em Paciente HIV - positivo: Relato de Caso
Lauren Frenzel Schuch
Karine Duarte da Silva
José Ricardo Souza Costa
Isadora Luana Flores
Ana Paula Neutzling Gomes
A histoplasmose é uma infecção fúngica profunda causada pela inalação do Histoplasma
capsulatum, que na forma disseminada pode acometer a cavidade oral. Paciente do sexo
feminino, 48 anos de idade, leucoderma, com queixa de dor e sangramento ao escovar
os dentes superiores há 4 meses, apresenta ao exame intraoral extensa massa tecidual
de superfície ulcerada envolvendo maxila posterior esquerda, além de recessão gengival
nos elementos 26 e 27. A história médica revelou infecção pelo vírus do HIV
diagnosticada há 3 meses, e histórico de falta de ar e tosse, em tratamento como
pneumocistose. Radiografia de tórax demonstrou presença de numerosas opacidades
em ambos os pulmões. Com diagnóstico clínico de linfoma associado ao HIV, a paciente
foi submetida a procedimento de biópsia incisional, sendo o material encaminhado para
análise histopatológica no Centro de Diagnóstico das Doenças da Boca da FO-UFPel.
Inflamação crônica granulomatosa difusa com a presença de leveduras de Histoplasma
Capsulatum, positivas à coloração com ácido periódico de Schiff, foram conclusivas para
o diagnóstico de histoplasmose. A paciente segue em acompanhamento médico no
Hospital Escola da UFPel. A disseminação extra-pulmonar da histoplasmose é observada
em 2 a 10% dos indivíduos HIV - positivos e o envolvimento da cavidade oral deve ser
considerado em pacientes com quadros de imunodeficiência.
TÍTULO
AUTOR
Problemas de Erupção e Supervisão de Espaço na Dentição Mista
Leandra Matos Azevedo
Luísa Schubach da Costa
CO AUTORES Wesley Felisberto Vasques
Karol de Oliveira Martins
Barreto
ORIENTADOR Monica Almeida Tostes
O cirurgião dentista e, principalmente, o odontopediatra deve ter por objetivo propiciar
um serviço de saúde bucal que avalie e oriente o desenvolvimento da oclusão em busca
de excelentes resultados. A supervisão do espaço deve ser realizada durante toda a fase
do desenvolvimento, mas é na fase da dentição mista que os problemas de erupção
devem ser mais bem avaliados para que minimizem o impacto mais severo na futura
dentição. A supervisão de espaço pode abranger apenas o acompanhamento da erupção
sem intervenções ortodônticas, ou pode requerer procedimentos ortodônticos
preventivos para a correção de anomalias que impeçam o desenvolvimento normal.
RESUMO
Dentre os problemas de erupção abordaremos: erupção ectópica de incisivos inferiores,
erupção ectópica de molares permanentes, e erupção ectópica de caninos permanentes.
A avaliação radiográfica deve ser enfatizada sempre na fase final da dentição mista e,
principalmente, nos casos de retenção prolongada do canino decíduo e inclinações
exageradas dos laterais, ausência do volume da coroa presente no rebordo alveolar e
deficiência do perímetro do arco. Em todos os casos citados acima, o profissional deve
intervir no momento oportuno. Este trabalho tem como objetivo apresentar diversas
situações clínicas, bem como as soluções com base na ortodontia preventiva.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 115 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Amelogênese Imperfeita: Relato de Caso
Leidyane Silva Moraes Cupertino
CO AUTORES
Luzia Marques Rocha Neta
ORIENTADOR
Flávia Caló de Aquino Xavier
A amelogênese imperfeita (AI) é uma alteração na formação do esmalte dentário de
ambas as dentições de caráter hereditário. O padrão pode ser autossômico dominante
ou recessivo ligado ao cromossomo X. As consequências variam de sensibilidade
dentária, perda da dimensão vertical e comprometimento em nível estético. O objetivo
desse estudo foi relatar o caso de uma paciente M.M.F.S., 36 anos, sexo feminino,
melanoderma, que procurou o ambulatório de Estomatologia da Faculdade de
Odontologia da Universidade Federal da Bahia (FOUFBA) com queixas de dores nos
dentes devido uma fratura. Ao exame físico, constatou-se dentes com matiz marromamarelado, com rugosidade em todas as faces dentárias, superfícies grosseiras e
sensibilidade dentaria. A paciente relatou ter descendente (filha) e co-sanguíneos (tio e
irmã) com os mesmos sinais clínicos. O diagnóstico clínico estabelecido foi de
amelogênese imperfeita. O plano de tratamento delineado foi o tratamento
endodôntico e reabilitação protética/estética de todas as unidades dentárias. O
diagnóstico preciso dessa alteração dentária é importante, pois o planejamento e a
escolha da melhor solução terapêutica dependem dentre diferentes fatores, do nível
sócio econômico, idade do paciente e da gravidade da anomalia estrutural.
RESUMO
Eidy Silva Moraes Cupertino
Antônio Fernando Pereira
Falcão
TÍTULO
AUTOR
Anemia Falciforme: Aspectos Odontológicos
Lennon Santos Tarrão
Laiana Driele Andrade
CO AUTORES
Thainá dos Santos Andrade Thais Sthefane Leal Reis
Ferreira
ORIENTADOR Flávia Caló
A anemia falciforme é uma patologia comum no Brasil, sendo prevalente em indivíduos
melanodérmicos. As manifestações clínicas variam de períodos assintomáticos até crises
que levam à hospitalização. O diagnóstico é baseado no teste de eletroforese de
Hemoglobina. Não há tratamento que leve à cura. O acompanhamento odontológico é
realizado para diminuir os focos de infecções orais. Neste trabalho será apresentado o
caso da paciente JLN 10 anos, gênero feminino, residente em Salvador, melanoderma,
sendo encaminhada à FOUFBA pela médica que a acompanhava, pois é portadora da
patologia e apresentou níveis altos de infecções no sangue, sendo relevante o
RESUMO
acompanhamento odontológico. O diagnóstico foi através do teste do pezinho. A
paciente sente dores nas articulações e inchaço nos tornozelos, tendo episódios de
crises álgicas acompanhada de febre. Nos exame de Eletroforese de Hemoglobina
detectou a presença de HbS no valor de 84,4%, enquanto na HbA o valor encontrado foi
2,9%. Entre as anemias, a anemia falciforme é a mais grave, possuindo alto índice de
morbimortalidade da população afetada. O diagnóstico após o nascimento da criança é
importante para a eficiência do tratamento. A prevenção através do diagnóstico,
aconselhamento genético e os cuidados médicos e odontológicos podem reduzir os
sintomas e aumentar a taxa de sobrevivência dos doentes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 116 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Reparação de Perfuração Radicular Usando Agregado de Trióxido Mineral: Avaliação Por
10 Anos
Leopoldo Cosme Silva
Naiana Viana Viola
Breno Carnevalli
Leon Franco de Carvalho
Elaine Manso Oliveira Franco de Carvalho
A remoção de pinos metálicos é uma fase delicada na terapia endodôntica e pode gerar
uma série de problemas. As perfurações radiculares são complicações indesejáveis e
incidentes infelizes que podem ocorrer durante a terapia pulpar. O Agregado de Trióxido
Mineral (MTA) apresenta resultados biológicos e físicos que demonstram sua capacidade
de induzir a formação de tecido duro e pode ser apropriado para fechar a comunicação
entre a câmara pulpar e os tecidos periodontais adjacentes. Este caso clínico relata uma
perfuração iatrogênica que foi reparada com sucesso pelo MTA. Devido à lesão nas
raízes do 2° molar inferior foi indicado o retratamento endodôntico deste elemento
dental. Para iniciar o tratamento foi necessário a remoção da coroa protética e pinos
intrarradiculares metálicos, porém tal remoção causou perfurações iatrogênicas o que
causou intenso sangramento intrarradicular. O sangramento foi controlado com agente
hemostático e selado com o MTA sem matriz interna. Finalmente, os canais foram
retratados endodonticamente e restaurados com resina composta e coroa de cerâmica.
Após 10 anos de observação clínica e radiográfica notou-se ausência de lesões
radiopacas perirradiculares, inexistência de dor, além da estabilidade funcional da
restauração protética que indicaram um resultado bem sucedido ao se usar MTA em
perfurações radiculares.
TÍTULO
AUTOR
Hipomineralização Molar-incisivo com Perda de Estrutura em Criança: Relato de Caso
Lethicia Gomes de Araujo Piazzi
Gloria Fernanda Barbosa de
CO AUTORES Paula Moraes Lima
Adrielle Mangabeira
Araújo Castro
ORIENTADOR João Alfredo Farinhas
Hipomineralização molar-incisivo (HMI) é um defeito de origem sistêmica no esmalte
dentário que atinge primeiros molares permanentes associada a incisivos permanentes.
O esmalte apresenta-se poroso com opacidades delimitadas e atinge até dois terços
oclusais do elemento, favorecendo a sensibilidade dentária e lesões cariosas. Sua
etiologia pode ser advinda de complicações perinatais, doenças respiratórias, desordens
metabólicas de cálcio e fosfato e febre alta nos três primeiros anos de vida. Os molares
apresentam maior perda de estrutura dentária comparada com os incisivos devido a
incidência da força mastigatória. Este caso descreve uma paciente do gênero feminino, 5
RESUMO
anos de idade, com HMI nos elementos 41,46 e 36. O elemento 36 apresentava-se com
grande perda de estrutura na superfície oclusal, enquanto os elementos 41 e 46 não
apresentavam perda de estrutura. O tratamento estabelecido foi restauração com
cimento de ionômero de vidro no elemento 36, visto que era inviável restaurar o
elemento com resina fotopolimerizável, pois o elemento estava em processo de
erupção. A aplicação tópica de flúor foi realizada. Dessa forma, o cirurgião dentista deve
ficar atento a qualquer alteração que possa existir nos molares e incisivos permanentes,
o que pode indicar HMI. Além disso, deve escolher e realizar o tratamento adequado
para cada tipo de alteração causada por HMI.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 117 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Contorno Cosmético: uma Alternativa Simples para Reformulação Estética do Sorriso.
Letícia Chaves David
Bruna Caroline Tomé
Thaíssa de Barros Alves
Paulo Ricardo Barros de
CO AUTORES
Barreto
Pires
Campos
ORIENTADOR Gisele Damiana da Silveira Pereira
A odontologia cosmética apresenta-se como um dos fatores primordiais no
planejamento odontológico, influenciando as pessoas, seja através da mídia ou da
própria sociedade, em obter restaurações imperceptíveis e dentes cada vez mais claros.
A harmonia facial depende da disposição, do alinhamento e da posição dos dentes que,
quando se encontram em uma geometria apropriada, traduzem a expressão do que é
belo. Contudo, um dos problemas encontrados é o desequilíbrio na harmonia do sorriso
causado por alterações promovidas por bordas incisisais gastas ou fraturadas e ainda
diastemas, giroversões e dentes conóides. Neste contexto, a reformulação dos dentes
RESUMO
naturais, utilizando o contorno cosmético, através da confecção de restaurações
adesivas imperceptíveis e duradouras com compósitos, acompanhadas de biséis incisais
e/ou vestibulares, na própria estrutura dental, criando ilusões ópticas, representam uma
alternativa simples e eficaz na recuperação de uma aparência mais harmônica,
adequando o sorriso a padrões estéticos desejáveis. Desta forma, este trabalho teve
como objetivo discutir as vantagens e limitações da utilização da técnica do contorno
cosmético, e ainda, descrever um caso clínico no qual a remodelação cosmética
associada à restaurações de resina compostas foram utilizadas no tratamento de uma
paciente que apresentava giroversão do elemento 22 e sorriso invertido.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Mucocele em Mucosa Jugal: Relato de Caso Clínico
Letícia dos Santos Santiago Dias
Camila Soares Ribeiro
Mônica Lage Ribeiro
A cavidade oral é rica em pequenas glândulas salivares e se algumas forem lesionadas, o
rompimento (extravasamento de mucina) ou obstrução dos ductos das glândulas
salivares menores podem levar ao aparecimento da mucocele. A mucocele ou fenômeno
de extravasamento de muco caracteriza-se, por ser uma lesão comum na mucosa oral,
onde há um acúmulo de saliva dentro de uma bolha, sendo causada por trauma local,
geralmente entre a primeira e a segunda década de vida. Diferencia-se dos cistos do
ducto salivar por não conter revestimento epitelial circundante. Porém alguns autores
classificam esses cistos como “mucocele de retenção”. A região mais acometida é a
superfície interna do lábio inferior (linha média), mas em qualquer outra região da
cavidade oral pode aparecer, como: revestimento interno da bochecha, região anterior
de ventre de língua, palato, trígono retromolar e assoalho de boca (rânula). De tamanho
variando de um milímetro a dois milímetros, podendo chegar a centímetros. O objetivo
do trabalho é relatar um caso clínico de uma paciente do sexo feminino de 29 anos,
usuária de aparelho ortodôntico apresentando mucocele em mucosa jugal, de
aproximadamente um centímetro de diâmetro. Foi realizada a exérese total da lesão
cujo diagnóstico foi confirmado pela histopatologia.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 118 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Teste da Linguinha e a Cirurgia de Frenotomia
Letícia Kovac Elias
Laura Mazzola Mendes
Gabriel Tilli Politano
Recentemente o Teste da Linguinha virou lei nacional (13002/14), sendo realizada pelos
profissionais da área da saúde com a finalidade de avaliar a necessidade ou não da
remoção do frênulo lingual devido à alteração na motricidade lingual. Uma das possíveis
complicações seria a dificuldade no aleitamento materno, causando estresse para o
bebê e para a mãe. Por outro lado, a “língua presa” poderia trazer dificuldades para a
deglutição, mastigação e fonética, interferindo na comunicação, no relacionamento
social e desenvolvimento da criança. Para solucionar esse problema, podemos realizar
procedimentos cirúrgicos como a frenotomia, a frenectomia e a frenuloplastia. Na
frenotomia, a cirurgia é realizada um o corte e divulsão do frênulo lingual, sendo esse
procedimento, o mais indicado e seguro pelos cirurgiões dentistas. O caso relatado é de
um bebê de 10 dias de vida, cuja dificuldade em amamentar era muito grande. Após
realização do Teste, a pontuação recebida foi 7, indicativa de cirurgia. Já com o
diagnóstico feito, foi realizada a cirurgia com anestesia local e o procedimento de
frenotomia. Logo após a cirurgia, a mãe foi orientada a colocar o bebê no peito para
amamentar. A melhora foi imediata e posteriormente o padrão de aleitamento
estabeleceu a normalidade. Com esse resultado conclui-se que o Teste e a cirurgia
podem ser benéficos para melhora do aleitamento materno.
Cirurgia do Freio Labial Superior Pela Técnica V-y Seguida de Laserterapia de Baixa
Potência: Relato de Caso
Letícia Tributino França
Karlla Almeida Vieira
Ricardo Viana Bessa Nogueira
O freio labial superior apresenta-se como uma dobra de tecido mucoso que se inicia na
face interna do lábio, estendendo-se sobre a linha de junção dos maxilares. Pode
representar um problema para o paciente quando este tem sua inserção próxima à
margem gengival. Além disso, quando hipertrófico pode dificultar a higienização,
restringir os movimentos do lábio, possibilitar acúmulo de biofilme e prejudicar a
fonética. A literatura evidencia que tanto a laserterapia de alta, como a de baixa
potência está indicada no tratamento dos freios. Este trabalho teve como objetivo
apresentar o caso clínico de uma paciente melanoderma de doze anos de idade com
freio labial superior hipertrófico e fibroso devido ao uso de prótese dentária. A
frenulotomia e reposicionamento do freio foi realizada segundo a técnica V-Y (incisão
em “V” feita em ângulo de 45 graus ao lado do freio, plastia e sutura em “Y”), seguida de
laserterapia de baixa potência (660nm, 80mW, modo contínuo, 80J/cm2, 28s) com um
laser diodo de GaAlAs (Whitening Lase II, DMC, São Carlos/SP). A irradiação foi feita no
pós-operatório imediato em três pontos: rebordo alveolar, região palatina e vestibular,
com uma dose de 2,2J por ponto. A laserterapia foi utilizada para melhorar as chances
de regeneração periodontal e acelerar a cobertura epitelial da região. No pós-operatório
tardio a paciente evoluiu sem queixas ou complicações.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 119 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Colagem de Fragmento Pós Trauma
Licia da Silva Domingos
Saul Antunes Neto
Mariana Angélica da Costa
Sileno Correa Brun
Paciente A., 09 anos de idade, gênero feminino, compareceu à Clínica Infantil da
Faculdade de Odontologia da Unig, após sofrer queda na escola, em que fraturou o
elemento 11, fratura coronária sem exposição pulpar embora tenha ocorrido invasão do
espaço biológico, após exame radiográfico, o tratamento imediato de escolha foi a
retirada do fragmento, que foi armazenado em soro fisiológico, a profilaxia dentária e a
proteção do remanescente coronário utilizando cimento de hidróxido de cálcio para
forramento e cimento de ionômero de vidro como material restaurador provisório, sob
isolamento relativo. A paciente foi orientada quanto à dieta e a higiene bucal e foi
encaminhada para a Clínica de Dentística. Foi realizada cirurgia para exposição da área,
com bloqueio vestibular e palatino, retalho tipo envelope, remoção de tecido de
granulação presente no local, posteriormente foi realizado o isolamento absoluto. Com
campo seco e limpo, tanto o dente como o fragmento foram condicionados com ácido
fosfórico à 37% e sistema adesivo, a restauração foi realizada por meio da colagem do
fragmento dentário com resina composta finalizada com sutura. Dadas as instruções pós
operatórias e a prescrição de analgésico e antiinflamatório. Após uma semana foram
realizados remoção de sutura, acabamento e polimento, e orientações para os cuidados
e retorno para acompanhamento em 21 dias.
Celulite Facial de Origem Odontogênica em Crianças: Relato de 2 Casos Clínicos
Lidiane Duarte Varela
A celulite é uma infeção difusa dos tecidos moles, proveniente de um abscesso que não
foi capaz de se drenar através das superfícies cutâneas ou no interior da cavidade bucal.
Normalmente, é causada por uma cárie severa num dente não vital, tanto decíduo como
permanente. A necrose pulpar, resultante de uma cárie profunda cria uma via para as
bactérias penetrarem nos tecidos periapicais. O quadro desta infeção pode variar desde
infecções brandas até infecções bastante graves e de caráter emergencial. Este estudo
tem por objetivo relatar dois casos clínicos de pacientes do sexo feminino, que
compareceram à Clinica Sodente, sendo uma de 6 anos de idade, melanoderma, com dor
no dente e tumefação na região inferior esquerda da face, e a outra de 8 anos de idade,
melanoderma, com dor no dente e tumefação na região superior direita da face. Após a
anamnese e exame clínico, foi diagnosticado Celulite facial de origem odontogênica. O
tratamento de eleição foi a associação da terapia medicamentosa, drenagem e
exodontia das unidades dentárias causadoras da infecção. Por apresentar um quadro
clínico diverso e variável, o diagnóstico precoce e tratamento eficaz desta patogenia, se
faz necessário, a fim de reduzir as chances de hospitalizações e evitar o desenvolvimento
de complicações vitais
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 120 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Manejo e Acompanhamento de Elemento Dentário Gravemente Deslocado como
Consequência de Traumatismo na Infância
Lidiane Isadora Carvalho Ribeiro
Úrsula Laura Romeiro
João Alfredo Farinhas
Laura Guimarães Primo
Adilis Kalina Alexandria
O traumatismo dentário na dentição decídua pode gerar graves sequelas para os dentes
permanentes. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado devem ser instituídos no
sentido de minimizar as consequência do traumatismo. Objetivou-se relatar o manejo
clínico e 3 anos de acompanhamento de um paciente com sequela em incisivo central
permanente superior decorrente de trauma na dentição decídua. A paciente de 9 anos
de idade queixava-se de ausência do elemento dentário 21. A responsável pela criança
relatou que a mesma sofreu um traumatismo com impacto na região anterior da face
aos 2 anos de idade. Ao exame clínico confirmou-se a ausência dentária do elemento 21
e após exame radiográfico observou-se a impactação e grave deslocamento desse
elemento dentário. Como tratamento foi instituído a exposição cirúrgica, tracionamento
e alinhamento do dente, esses procedimentos foram executados em 1 ano de
tratamento. Atualmente, a paciente encontra-se em acompanhamento clínico,
apresentando estética satisfatória, adequada oclusão e saúde periodontal na região do
elemento 21. Após 3 anos de acompanhamento clínico e radiográfico, pôde-se concluir
que o manejo instituído foi adequado com sucesso clínico, recuperação estética e
funcional do elemento dental afetado após traumatismo na infância.
Impacto na Qualidade de Vida em Paciente Submetida à Tratamento Multidisciplinar
Lívia Kelly Ferraz Nunes
Nathália Bandeira de Mello
Rhita Cristina Cunha
Juliana Nogueira dos Santos
da Escóssia
Almeida
Marco Antonio de Oliveira Almeida
Paciente, sexo feminino, 26 anos e 3 meses de idade, compareceu à Clínica de
Especialização em Ortodontia da UERJ, relatando dificuldades durante a mastigação,
estética deficiente, além de problemas psicossociais. Na análise das fotografias,
constatou-se assimetria para direita e perfil côncavo. Ao exame intra oral observou-se
oligodontia, presença de elementos decíduos e chave de molar em classe III de Angle. A
mordida cruzada era total, com overjet negativo de 9mm. À radiografia cefalométrica,
observou-se ANB negativo de 18°, plano mandibular aumentado (SN-GoGn= 37,5°),
incisivos superiores projetados (1-NA= 54°) e incisivos inferiores retroinclinados (1-NB=
11°). O plano de tratamento proposto era orto-cirúrgico, seguido de reabilitação
protética. A mecânica ortodôntica incluiu a verticalização dos incisivos superiores
ancorada no Botão de Nance, e, a mesialização dos molares inferiores e projeção dos
incisivos com auxílio da mentoneira de Hickham. A cirurgia ortognática foi realizada
avançando-se 9mm em maxila, e recuando-se 9mm em mandíbula. Após isso,
instalaram-se implantes nas regiões de 14; 12; 22; 24; 35; 34; 44 e 45. O tratamento foi
finalizado com corretos overjet e overbite, e, grande melhora no perfil. A paciente
encontra-se plenamente satisfeita com o resultado final do tratamento. Houve um
significativo aumento da autoestima e melhoria na relação social.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 121 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Tratamento Odontológico em Paciente com Epidermólise Bolhosa Recessiva Distrófica
Lorena de Jesus Soares
André Luís Vieira Cortez
A epidermólise bolhosa (EB) é uma doença rara, de origem genética, que afeta
principalmente a pele e as mucosas em áreas de fricção e pressão, caracterizada pela
formação de bolhas e úlceras. A doença pode ser classificada em 25 diferentes formas
clínicas agregadas em três categorias amplas: simples, juncional e a distrófica. Os tipos
simples de EB representam formas incômodas, relativamente brandas. A juncional é a
forma mais grave e pode ser fatal já ao nascimento. A categoria distrófica é a que mais
apresenta manifestações bucais. Ainda, dentro desta última categoria, ela pode
apresentar uma subdivisão em dominante ou recessiva, sendo a recessiva a mais grave.
Dentre as alterações bucais podem ser observadas anomalias dentárias, manifestações
de mucosa (feridas e aftas), anodontia, hipoplasia de esmalte, múltiplas lesões de cáries,
eritema gengival, anquiloglossia, lesões vésico-bolhosas e recessão gengival. Devido à
fragilidade da mucosa o paciente apresenta dificuldades para alimentação e higienização
geral e bucal. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de uma criança
portadora de EB distrófica recessiva que foi atendida na Clínica de Odontologia do
Hospital Universitário de Brasília, detalhando as suas características clínicas,
radiográficas, dificuldades no atendimento ambulatorial e ênfase no preparo para
intervenção odontológica sob anestesia geral.
Artroscopia da Articulação Temporomandibular: Indicações, Vantagens, e Descrição da
Técnica
AUTOR
Lorenzo Mendonça Pinto
Ana Carolina de Araujo
CO AUTORES Felippe Elicio de Ferrante
Paulo Marcos Nunes
Santos
ORIENTADOR Jonathan Ribeiro
A artrosocopia da articulação temporomandibular foi descrita em 1975 por Onishi, e
desde então modificações na técnica e a evolução na tecnologia permitiram que este
procedimento se tornasse uma ferramenta para o diagnóstico e para o tratamento de
patologias da ATM de forma minimamente invasiva. O objetivo deste trabalho é relatar a
técnica da artroscopia da ATM através de um caso clínico, onde uma paciente
diagnosticada em estágio III de Wilkes e refratária à terapia conservadora foi submetida
à lise e lavagem artroscópica. O procedimento foi realizado em ambiente hospitalar, sob
anestesia geral e intubação nasotraqueal, sendo utilizado uma ótica de zero graus e
RESUMO
1.9mm de diâmetro. O recesso posterior do compartimento articular superior foi
acessado primeiramente, e após o ´´sweep´´ artroscópico foi evidenciado sinovites e
condromalácias na ATM direita e esquerda. A lise e lavagem artroscópica foi realizada
com um total de 300ml de solução de ringer lactato em cada lado, e duração total de 80
minutos. Após acompanhamento pós-operatório de 6 meses houve uma ampliação da
abertura bucal e movimentações mandibulares, e diminuição significativa da dor local.
Pode-se concluir que a artroscopia da ATM é um procedimento pouco invasivo, usado
para o diagnóstico e tratamento dos desarranjos internos da ATM, e apresenta
resultados satisfatórios quando corretamente indicada.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 122 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Manejo de Mucocele em um Paciente Pediátrico: Relato de Caso
Louise Schmitt Alves
Fernanda Mafei
Andréa Laudares Marques
Michelle Ammari
Andrea Gonçalves Antonio
A mucocele é uma lesão benigna caracterizada pelo rompimento do ducto de glândulas
salivares ocasionando o extravasamento de muco. Geralmente está associada à traumas
locais e sua localização mais comum é no lábio inferior. Os tratamentos propostos são a
excisão total da lesão, a marsupialização, a criocirurgia, o laser e a micromarsupialização.
O objetivo deste trabalho é apresentar um caso clínico de mucocele no lábio inferior de
uma criança em que foi realizada a excisão total da lesão. Paciente, gênero feminino, de
06 anos de idade compareceu à clínica de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia
da Universidade Federal do Rio de Janeiro para consulta de revisão acompanhada do
responsável. Ao exame clínico intrabucal observou-se ausência de lesões de cárie
dentária e presença de uma lesão de 10 x 6 x 4 mm de base séssil, nodular, flácida à
palpação com coloração semelhante à mucosa e localizada no lábio inferior. A
responsável não havia percebido a existência da lesão e, portanto não soube relatar seu
início. Foi realizada anestesia local e a excisão total da lesão. O exame histopatológico
confirmou diagnóstico de mucocele. Um exame clínico intra e extraoral de qualidade e o
conhecimento do profissional sobre as patologias orais são fundamentais para um
correto diagnóstico e realização de um plano de tratamento adequado, principalmente
em casos assintomáticos.
Revascularização Pulpar: Protocolo Simples e Eficaz.
Loyse Martorano Fernandes
Patrícia Kelly dos Santos
Evelynn Crhistyann
Fábio Roberto Dametto
Lopes
Medeiros Duarte
Laísa Thaíse Oliveira Batista
A rizogênese incompleta é compreendida pela paralisação na formação radicular,
resultante de um trauma ou de uma progressão cariosa. Desta forma, o presente
trabalho objetivou relatar um caso clínico, onde se restabeleceu o desenvolvimento da
raiz em um dente sem vitalidade com rizogênese incompleta. Paciente K.K.G.S., 12 anos
de idade, sexo feminino, compareceu ao Departamento de Odontologia da UFRN, para o
tratamento do elemento 11, o qual teve a formação radicular interrompida após ter
sofrido um trauma. Foi utilizado como irrigante o hipoclorito de sódio (NaOCl) e como
medicação intracanal a pasta tripla antibiótica composta por ciprofloxacina,
metronidazol e a amoxicilina, sendo mantida por 15 dias. Transcorrido este período foi
executado nova irrigação com NaOCl, soro fisiológico e a indução do coagulo com uma
sobre instrumentação, posteriormente executado o tampão cervical com MTA e
selamento coronário com resina composta. A paciente foi acompanhada
radiograficamente e clinicamente para comprovação da eficácia da técnica. Assim,
obteve-se como resultado, a regressão da lesão periapical e da sintomatologia dolorosa,
além do aumento da espessura das paredes radiculares, diminuição da abertura apical,
delineamento da lâmina dura. Conclui-se então que o protocolo utilizado obteve
sucesso, sendo indicado para dentes com rizogênese incompleta e lesão periapical.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 123 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Abordagem Estética Conservadora: Relato de Caso Clínico
Luana Gracia dos Santos
Pedro Henrique Cabral Oliveira
Wanessa Maria de Freitas Aras
O sorriso é um dos aspectos estéticos mais valorizados pela sociedade, pois representa
saúde e bem estar psicossocial. Com a evolução da Odontologia, foi possível desenvolver
materiais e técnicas com o intuito de melhorar a estética do sorriso. A associação de
técnicas conservadoras é uma abordagem de alta aplicabilidade na clínica, porém em
função da necessidade de resultados imediatos e de maior durabilidade é substituída por
procedimentos restauradores mais invasivos. O objetivo deste trabalho é relatar o caso
clínico de um paciente do gênero masculino com fluorose no terço médio das faces
vestibulares dos elementos 11 e 22 e resina composta insatisfatória no terço incisal da
unidade 22. Foi realizado, inicialmente, o clareamento dentário (Whiteness HP, FGM) e
posteriormente, a microabrasão (Whiteness RM, FGM) apenas nas áreas de manchas
brancas. Por fim, fez-se a remoção da resina composta presente na unidade 22 e
desgaste superficial no elemento 11 a fim de atenuar a opacidade da mancha de
fluorose. Resina composta (A1, Z350 XT, 3M ESPE) foi utilizada para restaurar as
unidades. Após o acabamento e polimento, o paciente apresentou um sorriso mais
harmônico, mostrando-se plenamente satisfeito com o resultado. Portanto, uma
abordagem estética mais conservadora e adequada ao caso clínico bem como um bom
planejamento são fatores imprescindíveis para o sucesso do tratamento.
Impacto Facial Proveniente da Osteodistrofia Renal em Junção ao Hiperparatireoidismo
Secundário: um Relato de Caso Clínico
AUTOR
Luana Maria Ferreira Nunes
CO AUTORES Petrus Pereira Gomes
ORIENTADOR Matheus Dantas de Araújo Barretto
Propõe-se analisar o impacto facial em caso de osteodistrofia renal junto ao
hiperparatireidismo secundário. A vitamina D não é transformada em sua forma ativa
(hidroxicolecalciferol), responsável pela absorção intestinal do cálcio; os níveis de fosfato
estão elevados, contribuindo para a desordem. Devido à hipocalcemia, o paratormônio
(PTH) é secretado, responsável pela atividade deosteoclastos na remodelação óssea,
fazendo com que tecido não mineralizado seja depositado em junção ao mineralizado
proveniente dos osteoblastos. No caso, paciente do sexo feminino, 23 anos, com DRC e
com histórico de hemodiálise (8 anos). Exame clínico extra oral mostra aumento de
RESUMO
volume em hemiface direita, exofítico, resistente à palpação; no intra oral um aumento
de volume em região vestibular da maxila e má oclusão. Na tomografia, lesão de aspecto
misto, invadindo parte da fossa nasal, assoalho de órbita e seio maxilar. No exame
hematológico houve alteração nos níveis de fosfato, PTH e cálcio. Em 2010 foi realizada a
paratireoidectomia com baixa regressão da lesão. Biópsia incisional posterior
diagnosticou osteodistrofia renal associado ao hiperparatireoidismo secundário. A
paciente foi submetida à cirurgia a fim de obter melhora estética e funcional, sendo feita
a remoção parcial da lesão e retornou ao serviço sem queixas e com melhoras estéticas e
funcionais.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 124 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Aparelhos Ortopédico funcionais: uma Alternativa para o Tratamento Precoce das
Classes III? Relato de Caso
Luana Porto Cicarino da Rocha
Débora Yassuda
Guilherme Russo
Os aparelhos ortopédico funcionais são aparelhos fixos ou removíveis que modificam a
relação maxilo-mandibular por meio de forças geradas pelo acrílico/fios que atuam
sobre os dentes e estruturas adjacentes. Tais forças são geradas pelo estiramento dos
músculos, fascia, periósteo e estimulam alterações alveolares, condilares, ou ambas. Os
Modeladores Elásticos foram idealizados por Bimler e constituem um importante
recurso terapêutico que possibilita a utilização de forças oriundas da musculatura
peribucal para a correção das maloclusões. Este trabalho tem por objetivo fazer um
relato do tratamento precoce de paciente na dentição mista, classe III de Angle,
portadora de mordida cruzada anterior, na clínica do curso de especialização em
Ortodontia da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-RJ/Sede). O tratamento foi
realizado com o Modelador Elástico de Bimler C1. A correção da mordida cruzada
anterior e consequente harmonização do perfil facial foi obtida após 12 meses de
tratamento. Um dos aspectos mais relevantes acerca da utilização do Modelador Elástico
de Bimler é a correção das relações dentárias e da relação maxilo-mandibular por meio
de forças extremamente leves e intermitentes, sob controle do sistema neuromuscular
do paciente, sem os efeitos colaterais observados na terapia ortodôntica convencional.
Microabrasão Dental: Relato de Efetividade Entre Produto Comercial X Mistura de
Consultório
Luana Souza Cardoso
Vinicius Barçal Cavalcante
Ariane de Oliveira Lima
Ariane Vicente Morais
da Silva
Andrea Damas Tedesco
A hipoplasia de esmalte pode causar defeitos e irregularidades na sua superfície como:
manchas esbranquiçadas, irregulares, rugosas, ou ainda, sulcos e ranhuras, bem como
outras alterações na estrutura do esmalte. Diante dessas condições a microabrasão é
umas das técnicas indicadas para a resolução deste problema, pois ela possibilita um
tratamento conservador através do emprego de um material ácido associado a um
abrasivo. Com o objetivo de avaliar a melhor eficácia entre dois dos métodos abrasivos,
este estudo, testou uma mistura caseira (composta de ácido fosfórico e pedra pomes) e
um produto comercial (Whitness RM da FGM). Foi comparada a técnica de microabrasão
nos elementos 21 e 11 de um mesmo paciente com hipoplasia dental, que apresentava
manchas brancas no terço incisal dos incisivos centrais, laterais e caninos superiores.
Após duas sessões utilizando o Whitness RM da FGM no elemento 11 e a mistura caseira
no elemento 21, conclui-se a melhor eficácia do produto comercial Whitness RM (FGM).
Para finalização do caso foi realizada a complementação da técnica microabrasiva em
todos os dentes da arcada superior, que ainda apresentavam manchamentos, sendo eles
os elementos 13, 12, 21, 22, 23, seguido de polimento com a pasta Diamond Excel (FGM)
e discos Soflex, aplicação tópica de flúor e posterior clareamento dental com a utilização
da técnica caseira.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 125 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Rotação Horária do Plano Oclusal para Fechamento de Mordida Aberta Anterior
Luana Thamires Rocha dos Santos
Bianca Bravim
Júlio Leite
Sérgio Gonçalves
Roberto Prado
As deformidades dento faciais acarretam ao paciente dificuldades mastigatória, de
fonação, deglutição e estética facial. A mordida aberta anterior pode ser definida como
sendo a presença de um trespasse vertical negativo entre as bordas incisais dos dentes
anteriores superiores e os dentes anteriores inferiores. Diversas modalidades de
tratamento são apresentadas para esse tipo de maloclusão e a mesma compreende uma
das condições mais difíceis para tratamento. Isto ocorre, principalmente, devido à
dificuldade de estabilidade e previsibilidade de resultados a longo prazo. Em muitos
casos apenas o tratamento ortodôntico não é suficiente para o fechamento, sendo
necessária a realização de cirurgia ortognática. Diferentes técnicas cirúrgicas podem ser
empregadas para o tratamento da mordida aberta anterior. Atualmente, o que
observamos na literatura é a preferência pela rotação horária do plano oclusal, pois
permite um controle pós-operatório muito mais seguro e, praticamente, sem recidivas.
Nosso painel relata o caso do paciente J.L.M. que apresentava mordida aberta anterior
severa onde foi realizada a cirurgia ortognática com rotação do plano oclusal no sentido
horário e o mesmo encontra-se em controle pós-operatório a longo prazo e sem
recidiva.
Uso de Enceramento Diagnóstico para Confecção de Restaurações Diretas
Lucas Borges Esperança
Ingrid Lima Fernandes Pina
Bruno Juste Paschoalino
Vivian Espírito Santo Massi Paschoalino
O restabelecimento de um sorriso harmônico constitui um desafio para a Odontologia
restauradora. As discrepâncias de forma e tamanho podem interferir significativamente
na sua harmonia. O objetivo deste trabalho foi apresentar um caso clinico de
procedimentos diretos em resina composta, aplicando conhecimentos das propriedades
mecânicas e estéticas deste material. Paciente D.N, sexo feminino, procurou a clinica da
FESJF com queixa de insatisfação do sorriso. No exame clínico constatou-se necessidade
de fechamento de diastema nos elementos ântero-inferiores e ântero-superiores, e
indicação de gengivoplastia nos elementos 11, 12 e 13. Realizou-se moldagem e
enceramento diagnóstico do modelo. Em seguida, realizada a moldagem desse
enceramento com silicona, o molde foi recortado no sentido mesio-distal, com lâmina de
bisturi nº 11 para confecção de uma matriz palatina. Este foi levado em boca para
verificação do assentamento. Utilizou-se resina composta micro-híbrida (3M Filtek Z250
XT). Em outra sessão, foi realizada gengivoplastia. Pode-se concluir que a realização de
restaurações em resina composta é uma opção viável à resolução estética imediata e seu
resultado satisfatório não é determinado apenas pela seleção correta de cor e aspectos
anatômicos. É preciso que o sorriso final seja harmônico e equilibrado.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 126 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Gengivoestomatite Herpética Primária: Relato de Caso
Lucas da Cruz Xavier
CO AUTORES
Ana Paula Neutzling Gomes
ORIENTADOR
Ana Carolina Uchoa Vasconcelos
A Gengivoestomatite Herpética Primária é o padrão mais comum de infecção primária
sintomática pelo Herpes Simplex Vírus (HSV). A doença acomete, preferencialmente,
crianças e adultos jovens e manifesta-se, clinicamente, por vesículas e úlceras em pele
perioral, mucosa móvel e aderida, as quais, usualmente, estão associadas à febre,
linfadopatia e prostação. O objetivo do trabalho é apresentar um caso de GEHP,
diagnosticado no Centro de Diagnóstico das Doenças da Boca (FO-UFPel). Paciente
R.D.R., sexo feminino, leucoderma, 10 anos, procurou o CDDB, queixando-se de “aftas”
sintomáticas, acompanhadas de quadro febril, percebidas há uma semana. Ao exame
clínico intraoral, observou-se um quadro de eritema e aumento de volume gengival
generalizado associado com múltiplas ulcerações - distribuídas por toda mucosa bucal.
Ao exame extraoral, foram detectadas vesículas e lesões úlcero-crostosas, localizadas em
pele perioral. Frente ao caso, optou-se pela realização de terapia de suporte, realizada
por meio de analgésicos e antitérmicos, associada à laserterapia. Transcorridas três
semanas da consulta inicial, a paciente apresentava completa remissão do quadro. O
diagnóstico da GEHP é dado, via de regra, por meio de suas características clínicas. É
importante que o profissional reconheça a condição para o pronto e correto
estabelecimento da terapêutica.
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Adriana Etges
Sandra Beatriz Chaves
Tarquinio
Nova Técnica de Cirurgia Plástica Periodontal para Tratamento de Granuloma Piogênico.
Lucas Francisco Xavier Leme de Oliveira
Carolina Miller Mattos de Santana
Ronaldo Barcellos de Santana
O Granuloma Piogênico é uma lesão hiperplásica benigna de etiologia controversa que
têm predileção pela gengiva superior, anterior e vestibular. Atualmente considera-se
que esta lesão represente uma resposta tecidual exuberante a uma irritação local ou
trauma. Paciente do gênero feminino, 37 anos compareceu à clinica de Periodontia da
Faculdade de Odontologia da Universidade Federal Fluminense queixando-se de grande
incômodo devido a um crescimento gengival o qual não a deixava fechar o lábio. Ao
exame clínico, observou-se lesão exofítica, eritematosa, presente na área interdentária
dos elementos 11 e 21. O planejamento proposto foi biopsia excisional, rotacionamento
oblíquo do retalho para completo fechamento da ferida por primeira intenção. Após
realização cirúrgica a amostra biopsiada foi processada e analisada por técnica
histológica, confirmando o diagnóstico de granuloma piogênico. Resultados clínicos
obtidos três anos após o tratamento demonstraram tecido gengival de cor, contorno e
textura normais, compatíveis com saúde gengival. O tratamento realizado demonstrou
ser um procedimento cirúrgico conservador, efetivo, de resultado clinico e estético
satisfatórios, que se mantiveram estáveis por até três anos após a terapia.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 127 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Mucocele em Lábio Inferior - Relato de Caso Clínico
Luciana Campos Araújo
Lara Ribeiro Feitosa Duailibe
Andrea Roberta Azevedo Duarte Nunes
Ciro Borges Duailibe de Deus
Mucocele é uma terminologia empregada para designar a manifestação clínica de
fenômenos que podem afetar as glândulas salivares, sendo eles o extravasamento de
muco ou o cisto de retenção mucoso. Ambas as manifestações possuem aspecto clínico
idênticos, distinguindo-se quando analisados histopatologicamente. O fenômeno de
extravasamento de muco é o tipo de mucocele que predomina e está relacionado com
um dano no ducto excretor da glândula salivar, causando extravasamento de muco no
tecido conjuntivo adjacente. O cisto de retenção, porém, aparece após a obstrução
parcial ou completa do ducto excretor, provocando a retenção do muco e dilatação do
ducto. O lábio inferior é o local de maior acometimento desta lesão. Devido à
semelhança com outras lesões, um diagnóstico diferencial se faz necessário, devendo-se
considerar a hiperplasia fibrosa focal, o papiloma, o lipoma, bem como uma neoplasia
benigna. A excisão cirúrgica, criocirurgia, marsupialização, micromarsupialização e
aplicação de laser de argônio são as opções de tratamento da mucocele. Dentre as várias
opções de tratamento da mucocele, a cirurgia de enucleação é a técnica mais comum e
usual. É de extrema importância que o cirurgião dentista se familiarize com essa
patologia (sua etiopatogenia, características clínicas e tratamento) devido à freqüência
de aparecimento do mucocele na cavidade bucal.
Tratamento de Fratura de Mandíbula Atrófica em Paciente Idoso: Relato de Caso Clínico.
Luciana Thais Pilz
Anna Carolina Jaccottet
Ângelo Niemczewski
Rafael Jobim Rodrigues
Oliveira
Bobrowski
Otacílio Luiz Chagas Junior
As Fraturas de Mandíbula Atrófica apresentam um desafio único para o Cirurgião BucoMaxilo-Facial devido as dificuldades associadas à redução e imobilização que
comumente podem resultar em um falta de união óssea. Normalmente, estas fraturas
ocorrem em indivíduos mais velhos em que o risco operatório é significativo e
contribuem para aumentar a dificuldade do tratamento. O objetivo deste relato é
apresentar um caso de fratura de mandíbula atrófica em corpo bilateral em paciente
idoso e uma breve revisão de literatura. Paciente Z.M.P., 69 anos, gênero feminino,
leucoderma, foi encaminhada ao serviço de Cirurgia Buco-Maxilo-Facial devido à fratura
de mandíbula atrófica após ter sido vítima de atropelamento por motocicleta. Ao exame
físico, apresentava edema e equimose em região submentoniana, submandibular
bilateral e em lábio inferior e mobilidade entre os segmentos fraturados. Foi submetida
a osteossíntese da fratura com placa de reconstrução (sistema 2.4) via acesso
submandibular bilateral. No pós-operatório a paciente evolui bem, não apresentando
sinais de complicação após 4 meses de acompanhamento. A utilização de uma
abordagem aparentemente mais “agressiva” para tratar as fraturas da mandíbula
atrófica pode ser mais "conservadora" do que uma abordagem menos invasiva. Mesmo
quando apresentam idade avançada, os pacientes toleraram bem a cirurgia e passam
bem no pós-operatório.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 128 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Transplante Dental Autógeno Triplo como Alternativa de Reabilitação Oral
Luís Augusto Cruz Santos
Nayane Maria Barreto Silva Hyago Luís Silva Barbosa
Jener Farias
Antônio Varela Câncio
Uma alternativa para a reabilitação de indivíduos com perdas dentárias ou exodontias
indicadas é o transplante dental. Esta modalidade de tratamento corresponde à
transferência de um órgão dental, para um alvéolo receptor. O presente trabalho irá
relatar um caso de triplo transplante autógeno utilizando terceiros molares, enfatizando
as etapas cirúrgicas e demonstrando que após 02 anos de preservação os resultados
confirmam o sucesso deste tratamento. A paciente L.C.S., 16 anos, sexo feminino,
compareceu ao ambulatório queixando-se de dor intermitente, exacerbada pelo calor e
frio na unidade 47, há 03 meses. Ao exame físico intrabucal foi observada destruição
coronária das unidades 26, 37 e 47. Foram solicitadas radiografias panorâmica e
periapicais onde se observou severo comprometimento coronário, e a presença de todos
os terceiros molares ainda em formação radicular. Foi sugerido como plano de
tratamento o transplante autógeno das unidades 48, 38 e 28 para os alvéolos receptores
dos dentes 47,37 e 26 respectivamente. Conclui-se que o transplante dental autógeno é
uma importante alternativa terapêutica para a reabilitação oral de pacientes jovens com
poucos recursos econômicos.
Paracoccidioidomicose no Hospital Municipal Salgado Filho: um Estudo de Caso
Luís Fernando Rodrigues
Camila R. P. Correia
Taiara de Oliveira Costa
Yhasmim Jhota Messias
Sérgio Pinto Chaves
A Paracoccidioidomicose (PCM) é uma micose sistêmica causada pelo fungo
Paracoccidioides brasiliensis natural dos países da América Latina e endêmica do Brasil,
acreditando-se que 50% dos habitantes das regiões endêmicas já foram expostas ao
fungo. Sabendo-se da importância de um diagnóstico correto e o tratamento bem feito o
objetivo deste trabalho é apresentar um relato de caso de PCM de um paciente do sexo
masculino que compareceu a emergência do Hospital Municipal Salgado Filho relatando
dormência na boca, disfagia, dificuldade de fala, perda significativa de peso no último
mês, coincidindo com o início do aparecimento de lesões orais. Além do exame clínico
intra e extra oral, foi realizado uma radiografia de tórax que apresentou imagem
sugestiva de PCM e uma biopsia confirmando microscopicamente o diagnóstico. Após o
diagnóstico, o paciente recebeu o tratamento com Itraconazol e após uma semana o ele
apresentava melhora no seu quadro clinico. Sendo assim o presente trabalho mostra a
importância de se estabelecer um diagnóstico baseado em uma conduta clínica
adequada, exames complementares e uma anamnese bem feita, excluindo diagnóstico
diferenciais e executando um tratamento eficiente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 129 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Restauração com Resina Composta de Dentes Anteriores Fraturados: Relato de Caso
Clínico.
Luisa Schubach da Costa Barreto
Karol de Oliveira Martins
Wesley Felisberto Vasquez
Leandra Matos Azevedo
Mônica Almeida Tostes
O presente trabalho descreve um caso clinico onde foi empregado a técnica adesiva
direta pra a resolução da fratura coronária dos incisivos centrais superiores. O paciente
do gênero masculino, 8 anos, sofreu um queda ao jogar bola em um pátio de cimento.
Todas as atividades esportivas apresentam um risco associado às lesões orofaciais
devido a quedas, colisões, e contato com superfícies duras. Traumas dentários podem
levar a situações irreparáveis e quando extensas, a perda do perímetro do arco. Apos
anamnese detalhada, exame clinico e radiográfico nenhuma alteração relevante foi
encontrada. Para a preservação do espaço e restabelecimento da estética do paciente os
dentes 11 e 21 foram restaurados com a técnica de resina composta direta. Utilizou-se
resinas hibridas e microhibridas para a caracterização do esmalte e dentina na técnica
incremental e matriz. Conclui-se que a morfologia definitiva da coroa deve ser
restaurada o mais breve possível depois do atendimento de emergência para
restabelecer as relações sagitais com os incisivos inferiores e dentes adjacentes. O
paciente seguiu em acompanhamento clínico e radiográfico após 1, 3 e 6 meses para
verificar a vitalidade e o crescimento normal das raízes. A técnica direta permite a
preservação da estrutura dentária, bem como restabelece a estética em uma única
consulta.
Cisto Paradentário: Relato de Caso.
Malena Ferreira Marques
Aline Tavares Lima Holanda Mônica Meneses Lima
Luis Carlos Ferreira Uchoa
Renata Cordeiro Teixeira
O presente trabalho objetiva relatar o caso clínico do paciente DBC, 13 anos, sexo
masculino, normossistêmico, que compareceu ao serviço de Odontologia com carie
extensa no dente 46 e dente 47 parcialmente irrompido associado com inchaço e dor no
local relacionado a pericoronarite. Ao exame intraoral observou-se também ausência do
36 com alvéolo em reparo . Foi realizada radiografia panorâmica onde se observou uma
imagem radiolúcida na região do dente 47. A radiografia periapical da área evidenciou
uma imagem osteolítica envolvendo toda a extensão do dente 47 que se apresentava
parcialmente erupcionado com rizogênese incompleta. A radiografia oclusal mostrou
ainda um abaulamento da cortical óssea vestibular, sendo o diagnóstico presuntivo de
cisto paradentário. Esse cisto é definido como um cisto que ocorre próximo à margem
cervical da face lateral da raiz e acontece geralmente em terceiros molares parcialmente
irrompidos associado a pericoronarite. A abordagem cirúrgica foi realizada em ambiente
ambulatorial, tendo sido feita punção da região, que foi negativa para liquido, seguida
de descolamento de retalho vestibular e exérese da lesão. O elemento dentário
associado à lesão foi preservado e sua erupção ocorreu normalmente. O exame
histopatológico confirmou a hipótese levantada. O paciente apresentou reparo total da
região constatado no acompanhamento clínico-radiográfico.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 130 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Rânula em Bebê: Relato de Caso Clínico
Manoela Machado Oliveira
Marina Sousa Azevedo
Marcos Antonio Torriani
Ana Regina Romano
Rânulas são lesões císticas e benignas localizadas no assoalho bucal e acomete crianças
de um a cinco anos de idade. Este trabalho tem como objetivo relatar o tratamento do
caso clínico de rânula do bebê R.A.M., menino, 06 meses de idade, que foi atendido no
projeto de extensão Atenção Odontológica Materno-Infantil da Faculdade de
Odontologia da UFPel com a queixa de uma pequena elevação embaixo da língua, que,
segundo a mãe, de vez em quando ficava grande e depois esvaziava. O diagnóstico foi de
rânula unilateral direita e o planejamento inicial foi a micromarsupialização em
momento de fase cheia para resolver o mais precoce e menos invasivo possível. O
procedimento foi realizado em nível de consultório com anestesia local infiltrativa e
estabilização protetiva na idade de 14 meses. Dois meses depois, houve recidiva e,
devido à idade do paciente, foi necessário realizar excisão, sob anestesia geral, em nível
hospitalar e sua proservação por mais de 2 anos. O laudo histopatológico confirmou o
diagnóstico clínico. Conclui-se que, embora exista a possibilidade de realizar
intervenções cirúrgicas em bebês em nível de consultório, algumas situações devem ser
conduzidas em nível hospitalar, pois o ambiente favorece tanto a realização do
procedimento como pode propiciar uma situação de maior tranquilidade familiar.
Atendimento Odontológico em Unidade de Terapia Intensiva, em Pacientes com Doença
Periodontal Crônica.
Manuel de Jesus Fernandes da Costa Junior
John Racene
Sheila Caetano
Nely Caires
As doenças periodontais, além de serem fatores de risco prováveis para as doenças
sistêmicas, com a sua evolução podem causar grandes prejuízos à saúde bucal de
pacientes internados em UTI, causando prejuízos estéticos e mobilidade dentária,
podendo levar à perda dentária. É dever da equipe multidisciplinar integrada a UTI
contribuir com a saúde bucal, visando melhorar a qualidade de vida dos pacientes
internados. Será relatado um caso clínico de paciente com doença periodontal em UTI
do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto e a realização de tratamento após o
diagnóstico. O atendimento odontológico nas UTIs e os cuidados com a saúde bucal
podem diminuir o tempo de internação e os custos hospitalares. A doença periodontal
pode ser considerada um fator de risco para a saúde sistêmica dos pacientes, pois é
fonte de contaminação e proliferação microbiana. A avaliação da condição bucal e
necessidade de tratamento odontológico em pacientes hospitalizados exigem o
acompanhamento por um cirurgião dentista habilitado em odontologia hospitalar,
evitando um aumento da proliferação de microrganismos e, consequentemente, de
infecções e doenças sistêmicas que representam risco para a saúde do paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 131 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Indicação Clínica da Prótese Parcial Removível do Tipo Overlay: Relato de Caso
Marcela Beatriz Aguiar Moreira
Ana Paula Eufrázio do
Juliana Araújo da Silva
CO AUTORES
Lilian de Jesus Neves
Nascimento Andrade
Simoura
ORIENTADOR Ana Carla Ferreira Carneiro Rios
As próteses parciais removíveis do tipo overlay (PPR-overlay) constituem-se importantes
dispositivos de diagnóstico na determinação da Dimensão Vertical de Oclusão (DVO),
proporcionando melhor conforto muscular e articular ao paciente, além da reabilitação
funcional e estética. Objetiva-se apresentar Relato de caso de uso de PPR-Overlay em
paciente com diminuição da DVO. Paciente de 29 anos de idade, sexo feminino,
melanoderma, compareceu ao Estágio em Clínica Integrada em 2012-2013, queixando-se
de dor, dificuldade ao mastigar e baixa autoestima. Após exame clínico observou-se
colapso oclusal com edentulismo parcial e redução na DVO, além da necessidade de
RESUMO
raspagem, exodontias, retratamento endodôntico e restaurações com resina composta.
A determinação da DVO terapêutica se deu por meio da PPR-Overlay na arcada superior,
submetida a ajustes sequenciais até se verificar o restabelecimento neuromuscular. A
instalação de próteses definitivas e reanatomizações dos terços incisais dos dentes
anteriores superiores foram planejadas para assegurar manutenção da DVO, função e
estética. Após quatro meses de uso da Overlay a paciente relatou melhor conforto
durante a mastigação, supressão da dor e melhor autoestima. Quando devidamente
indicada a PPR-overlay consagra-se uma alternativa de tratamento eficaz para o
restabelecimento da DVO diminuída, estética, função e estabilidade oclusal.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Volumoso Ameloblastoma Multicístico em Criança
Marcela de Oliveira Santos
Iara Fabrícia dos Santos
Guilherme Pereira do
Marília Souza Machado
Medeiros
Nascimento
Fabrício Le Draper Vieira
Ameloblastoma é um tumor odontogênico benigno, de origem epitelial e crescimento
lento; Considerado raros, mais frequentes na mandíbula que se apresentam como
crescimentos intra-orais com ou sem ulceração. O ameloblastoma faz parte do grupo das
neoplasias originadas do epitélio odontogênico sem a participação de estruturas do
ectomesênquima. É um tumor odontogênico de maior significado clínico. Apresenta um
comportamento biológico único que leva a controvérsias quanto à melhor forma de
tratamento. Os sintomas são mínimos, sendo raramente percebido pelo paciente nos
estágios iniciais, vindo a ser diagnosticado, às vezes, ao acaso, em exames radiográficos
de rotina. Os ameloblastomas são capazes de causar grandes deformidades faciais no
paciente em decorrência de sua evolução ou como resultante do tipo de tratamento
proposto. Dor, dormência, mobilidade ou má acomodação dentária na arcada,
ulcerações, drenagem dos seios maxilares, obstrução nasal ou, frequentemente,
epistaxe faz com que o paciente procure um serviço médico. O tratamento mais indicado
na literatura é a cirurgia radical com margem de segurança ou ressecção
hemimandibular. O presente trabalho se propõe em apresentar o diagnóstico de um
volumoso ameloblastoma em mandíbula de criança.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 132 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Necrose Pulpar de Dente Hígido em Paciente Falcêmico: Relato de Caso
Marcela Pessanha Ferraz
Adriana Menucci
Karin Egger
Jéssica Kaizer
Wellington Cavalcanti
Na Doença Falciforme (DF), a hemoglobina alterada (HbS), em situações de ausência ou
diminuição da tensão de oxigênio, muda a morfologia da hemácia, que passa a assumir a
forma de foice, provocando vasoclusões e infartos locais. O objetivo deste trabalho é
apresentar um caso de necrose pulpar em dente hígido, uma das possíveis
manifestações bucais da DF, corroborando, assim, a literatura. A.D.R.O., 18 anos, gênero
masculino, compareceu ao setor de Odontologia do Hemorio com queixa de
sensibilidade no elemento 21. Ao exame clínico e radiográfico, o elemento apresentavase hígido. O paciente foi orientado quanto à possibilidade de essa queixa estar
relacionada à sua doença. Três meses depois, o paciente voltou para a consulta de
acompanhamento afirmando que a dor no elemento dentário havia cessado. Ao exame
clínico, havia alteração de cor e resposta negativa ao teste térmico de sensibilidade. O
plano terapêutico proposto consistiu em tratamento endodôntico e posterior
recuperação da estética. Pode-se concluir que o cirurgião-dentista deve estar atento às
manifestações bucais da DF a fim de facilitar o seu diagnóstico, bem como esclarecer e
tranquilizar o paciente quanto ao seu tratamento, evitando ou diminuindo o estresse
durante os procedimentos odontológicos, já que esses fatores podem desencadear uma
crise falcêmica.
Tratamento Não-cirúrgico da Hiperplasia Gengival Induzida Por Nifedipina: um Relato de
Caso em Paciente Idoso
Marcela Sandy Valença de Barros
Gabriela Mendonça de
Bruna Carvalho de Farias
Paula Aguiar Cabral
Luna
Vajgel
Renata Cimões
A hiperplasia gengival induzida por drogas é um problema importante para cirurgiõesdentistas e esse efeito colateral é frequentemente associado à três medicamentos
específicos: fenitoína, ciclosporina A e nifedipina. No presente caso, um homem de 75
anos de idade, com crescimento gengival generalizado queixou-se de halitose e
sangramento gengival. A história médica revelou um estado hipertensão controlada e
Acidente Vascular Cerebral (AVC) três anos antes da consulta. O diagnóstico foi de
hiperplasia gengival associada a nifedipina, sem outros fatores de risco associados. O
paciente estava tomando nifedipina durante 18 meses, mas após a consulta com o
médico do paciente, a hipertensão foi controlada e a nifedipina foi suspensa. O
tratamento consistiu na instrução de higiene bucal, alisamento corono-radicular e
profilaxia. Seis meses após a primeira intervenção, os parâmetros clínicos revelaram uma
melhoria significante com considerável redução da hiperplasia gengival, demonstrando o
efeito da terapia periodontal não-cirúrgica em casos graves. O tratamento não-cirúrgico
de hiperplasia gengival induzido por drogas é uma técnica muito menos invasiva do que
as abordagens cirúrgicas e tem demonstrado uma impressionante resposta positiva ao
tratamento. Devendo, portanto, ser considerada como uma primeira opção de
tratamento para hiperplasia gengival induzido por drogas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 133 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Tratamento Odontológico Sob Anestesia Geral em Paciente Portador de Púrpura
Trombocitopênica Imunológica – Relato de Caso
Marcelo Ventura de Andrade
Rafaela Moraes de
Pinkie Seabra Marra
Alexandre Thurler Paes
Mendonça Andrade
Cláudio Jorge Campos Fernandes
A púrpura trombocitopênica imunológica (PTI) é uma doença adquirida, hemorrágica,
não contagiosa, não hereditária de origem imunológica que levam à redução da
contagem de plaquetas. Na PTI, as plaquetas são destruídas no baço, e essa diminuição
(trombocitopenia), pode ocorre o risco de hemorragia espontânea e geralmente
apresenta manifestações bucais. Os sangramentos mais comuns são petéquias,
equimoses, gengivorragia, bolhas hemorrágicas em mucosa oral, sangramento em
outros sítios (trato gastrointestinal e sistema nervoso central) ocorrem raramente. Há
descrito casos na literatura de um risco aumentado dos pacientes com PTI de
desenvolver lúpus eritematoso sistêmico, principalmente quando a PTI evolui de forma
crônica. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de tratamento Odontológico
sob anestesia geral em uma paciente com púrpura trombocitopênica no setor de
Odontologia na Enfermaria Sorriso Especial do Hospital Estadual Rocha Faria, destacando
a importância do Cirurgião-dentista estar apto a reconhecer os sinais sintomas da PTI,
avaliar criteriosamente os exames pré-operatórios, solicitar transfusão de sangue
quando necessário, utilizar de hemostáticos e atuar imediamente no caso de uma
intercorrência.
Tratamento Precoce de Maloclusão de Classe Lll e de Mordida Cruzada Posterior:
Tratamento em Irmãs Gêmeas Dizigóticas
Marcia Ritzmann
Paulo Roberto Aranha Nouer
A incidência da Classe lll de Angle é 3% na população brasileira e a de mordida cruzada
posterior unilateral é 5,7%. Ambas são maloclusões com bom prognóstico no tratamento
precoce, devendo este ser iniciado na dentição decídua ou início da mista, antes do surto
de crescimento puberal. O presente caso clínico relata o tratamento realizado em duas
irmãs gêmeas dizigóticas, 6 anos, uma portadora de Classe lll dentária com mordida
cruzada anterior e posterior e a outra, portadora de mordida cruzada posterior. A
maloclusão de Classe III foi tratada por meio de expansão rápida da maxila empregandose o aparelho Hyrax, ao qual foram acrescentados ganchos vestibulares na altura de
caninos para serviram de apoio à tração reversa, feita com máscara facial de Petit. Após
a expansão rápida da maxila, iniciou-se o uso da máscara com 200 gf por 30 dias. Após
esse período a força foi aumentada para 400 gf por mais oito meses, levando à
sobrecorreção desejada. A mordida cruzada posterior foi tratada com expansão rápida
de maxila com aparelho tipo Hyrax com duas ativações diárias por três semanas. Foi
interessante observar que ao final do tratamento a semelhança entre as gêmeas se
acentuou, fato relatado por elas e por seus familiares. Tal relato corrobora a convicção
de que ao serem retirados os fatores ambientais impeditivos do crescimento, este se
expressa em todo seu potencial genético.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 134 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Manifestações Bucais da Sífilis Congênita: Relato de Caso
Marcone de Oliveira Rocha
Daniela Carvalho França de Maria Tereza Cordeiro de
Samira Ingred Laura de
Oliveira
Oliveira
Almeida
Walquíria dos Santos Lima
Diversas são as patologias que possuem alterações bucais como manifestação clínica, as
quais podem ocorrer de forma irreversível, deixando sequelas. Sendo o germe dentário
extremamente suscetível às condições locais durante o seu desenvolvimento, algumas
malformações neste órgão podem advir de processos infecciosos sistêmicos. Mostrar a
importância do conhecimento das manifestações bucais de patologias sistêmicas.
Paciente J. M. B. P. sexo feminino, leucoderma, nove anos de idade, compareceu a
Unidade Básica de Saúde do município de Gameleiras - MG, acompanhad pela irmã, para
avaliação odontológica. A história médica da criança não relatava dados relevantes. Ao
exame clínico foi observado em todos os incisivos superiores e inferiores uma borda
incisal que apresentava uma chanfradura hipoplásica, alterações de forma semelhantes
às encontradas nos dentes de Hutchinson, característica patognomônica para sífilis
congênita. O termo de consentimento foi assinado pelo responsável e a paciente foi
encaminhada para avaliação médica especializada. O Cirurgião-Dentista possui um papel
importante na identificação de manifestações bucais de patologias sistêmicas,
necessitando o conhecimento das principais alterações bucais.
Neurofibromatose Tipo I com Manifestação Oral: Relato de Caso.
Maressa Cedraz de Oliveira
Caroline Oliveira dos Santos
Lisia Daltro Borges Alves
Valeria Souza Freitas
Freitas
Joana Dourado Martins
A neurofibromatose tipo I é uma das doenças genética mais comum. O objetivo deste
estudo é relatar o caso da paciente M.C.R.S, sexo feminino, 33 anos, melanoderma, que
procurou a clínica de Estudos Integrados XIV UEFS – BA, com queixa de “presença de
caroços no céu da boca e na língua”. Na anamnese a paciente relatou diagnóstico de
neurofibromatose tipo I em pele e o surgimento há um ano e dois meses das lesões em
boca. Ao exame clínico extraoral foram observados nódulos subcutâneos e máculas café
com leite, de diferentes tamanhos espalhados pelo corpo. O exame intraoral apresentou
nódulos arredondados, em região de dorso da língua e no palato duro, medindo 5mm,
contorno regular, coloração rósea, consistência amolecida e crescimento exofítico. Foi
realizada biópsia excisional da lesão em dorso de língua e o exame histopatológico
mostrou fragmentos de tecido mesenquimal com proliferação de células fusiformes e
núcleo ondulado arranjadas em feixes entrelaçados, permeadas por estroma de tecido
conjuntivo constituído por feixes colágenos delicados e matriz mixóide, o epitélio de
revestimento exibiu acantose, degeneração hidrópica, exocitose e hiperceratose,
sugerindo o diagnóstico de Neurofibroma. O caso relatado ressalta a importância de
uma anamnese detalhada e de um exame físico minucioso, para que doenças de caráter
sistêmico possam ser consideradas no diagnóstico oral.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 135 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Osteopetrose Infantil: Características Clínicas e Imaginológicas Desta Rara Doença
Hereditária
AUTOR
Maria Cardoso de Castro Berry
CO AUTORES Glória Castro
Fábio Ribeiro Guedes
Maria Augusta Visconti
ORIENTADOR Andréa de Castro Domingos Vieira
A osteopetrose é uma doença hereditária esquelética rara caracterizada por um
significativo aumento da densidade óssea, resultante de uma atipia no processo de
remodelagem óssea. A forma infantil, considerada mais grave, é transmitida como um
traço autossômico recessivo, ao passo que a forma adulta é transmitida como um traço
autossômico dominante. O objetivo do presente trabalho é relatar os aspectos clínicos e
imaginológicos de um caso de osteopetrose infantil, ressaltando o papel do cirurgiãodentista no seu diagnóstico e tratamento. O paciente do sexo masculino e de 8 anos de
idade apresentou, ao exame clínico, cegueira e diversas ausências dentárias. O exame
RESUMO
tomográfico revelou a presença de osso hiperdenso, esclerótico, com aspecto
“marmóreo”, podendo ser observados a obliteração dos espaços medulares e o
espessamento das corticais. Verificou-se também a presença de diversos dentes
decíduos e permanentes inclusos, tendo sido notada alteração na sua morfologia. O
significativo atraso na cronologia de erupção dentária, bem como a usual retenção de
diversos elementos dentários, inclui o cirurgião-dentista em uma equipe multidisciplinar
que atua no diagnóstico e tratamento desta doença, devendo o mesmo estar
familiarizado com seus aspectos clínicos e imaginológicos.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Carcinoma Verrucoso em Borda Lateral de Língua: Relato de Caso
Maria Carolina Silva Leite
Tarsila de Carvalho Freitas
Maria Emília Santos Pereira
Valéria Souza Freitas
Ramos
Ramos
Michelle Miranda Lopes Falcão
O carcinoma verrucoso é uma variante de baixo grau do carcinoma de células escamosas
oral. Apesar de maligna, essa variante cursa com algumas características de tumor
benigno, que são o lento crescimento, o padrão evolutivo mais expansivo que invasivo e
a boa diferenciação celular. O hábito de mascar betel ou rapé, tabagismo e infecção pelo
papiloma vírus, destacam-se como principais fatores carcinogênicos associados a esse
tumor. É encontrado predominantemente em homens com mais de 55 anos.
Caracteriza-se clinicamente por pápula ou placa, notadamente verrucosa, branca
acinzentada, sendo os sítios mais envolvidos da mucosa oral, o fundo de vestíbulo
inferior, mucosa jugal e língua. Diante da escassez de casos descritos na literatura de
carcinoma verrucoso, esse trabalho tem por objetivo relatar o caso clínico de uma
paciente do sexo feminino, 81 anos, tabagista há 30 anos, com lesão branca em borda
lateral de língua, lado direito, medindo, aproximadamente, 1 cm em seu maior diâmetro
e sintomatologia dolorosa. A princípio, a suspeita clínica foi de leucoplasia verruciforme.
Após avaliação da normalidade dos exames pré-operatórios, fez-se a biópsia incisional,
cujo resultado do exame histopatológico foi de carcinoma verrucoso. A paciente foi
encaminhada para tratamento especializado em unidade de alta complexidade e, até a
presente data, não retornou para acompanhamento.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 136 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Redução do Índice de Cárie nas Escolas da Área da Clínica da Família Ariadne Lopes de
Menezes Através da Realização do Tra (Tratamento Restaurador Atraumático)
Maria Cristina Durce Maciel
Moacyr Torres Junior
A técnica do Tratamento Restaurador Atraumático (TRA),é uma proposta para controle
da doença cárie, introduzida na clínica na década de 90, seguindo o princípio de
intervenção mínima, não requerendo equipamento elétrico. Baseada na remoção do
tecido descalcificado com instrumentos manuais, restaura-se a cavidade com material de
preenchimento adesivo com liberação de flúor para a estrutura dental. No Brasil, o TRA
mostra-se como uma alternativa viável dentro da promoção da saúde, por ter um custo
financeiro baixo quando comparada à técnica restauradora convencional,com maior
preservação das estruturas dentárias através do uso do fluoreto. Implementando-se esta
prática em escolares estaremos reduzindo a demanda para atendimento odontológico
na rede pública. Como proposição, pretende-se reduzir a demanda de escolares para
tratamento odontológico nas clínicas da família e postos de saúde, além de, atuando no
Programa Saúde na Escola, aplicar o TRA nos casos em que houver indicação da técnica.
Conclui-se que o TRA é uma opção de tratamento viável, devido à praticidade e baixo
custo para sua realização, agilizando a conclusão dos tratamentos, enfatizando-se que,
deverá ser aliado à inserção do paciente em um programa de promoção de saúde bucal,
para prevenção de novas lesões de cáries.
Manifestação Bucal da Sífilis
Maria Eduarda Pérez de Oliveira
José Erivaldo da Silva
Eduardo Rodrigues
Elaine Judite de Amorim
Mendes
Fregnani
Carvalho
Danyel Elias da Cruz Perez
Sífilis é uma doença infecciosa sistêmica causada pelo Treponema pallidum. A principal
via de transmissão é o contato sexual. As lesões bucais sifilíticas são incomuns. O
objetivo deste trabalho é relatar um caso de manifestação bucal da sífilis. Paciente do
gênero masculino, 36 anos de idade, foi encaminhado para diagnóstico de uma úlcera
bucal com um mês de evolução. O exame intra-bucal revelou lesão ulcerada localizada
no ápice lingual, indolor, com bordas ligeiramente elevadas e consistência firme à
palpação. Úlcera inespecífica ou lesão infecciosa foram as hipóteses de diagnóstico. Sob
anestesia local, uma biópsia incisional foi realizada. Microscopicamente, observou-se
uma reação inflamatória crônica intensa formada predominantemente por plasmócitos,
de disposição perivascular. Após 10 dias o paciente foi reavaliado e apresentava
manchas vermelhas na pele, sobretudo nas palmas das mãos, sugestivas de roséolas
sifilíticas. VDRL (titulação 1/64) e FTA-ABS (IgM) foram positivos. Associando as
características clínico-patológicas e sorológicas, o diagnóstico de sífilis secundária foi
confirmado. O paciente foi encaminhado para infectologista e tratado com sucesso com
penicilina injetável. Em conclusão, os cirurgiões-dentistas devem estar familiarizados
com as manifestações bucais sifilíticas e preparados para considerá-las no diagnóstico
diferencial de lesões bucais ulceradas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 137 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Tuberculose Miliar: Úlcera Atípica em Assoalho de Boca e Rebordo Alveolar
Maria Janaína Ramos Almeida
Michelle Miranda Lopes
Tarsila Moraes de Carvalho
Mirella Falcão Lima
Falcão
Freitas
Márcio Campos Oliveira
A tuberculose é uma doença infecto-contagiosa, cujo agente etiológico é o
Mycobacterium tuberculosis. As lesões de tuberculose normalmente estão localizadas
no ápice do pulmão, mas podem propagar-se para qualquer parte do corpo,
ocasionando uma infecção denominada tuberculose miliar. Um dos sítios acometidos
por esta é a cavidade bucal e a prevalência documentada das lesões orais clinicamente
evidentes varia de 0,5% a 1,5%, sendo que a incidência é maior nos indivíduos
imunocomprometidos. Acredita-se que a maioria dessas lesões ocorrem pelo contato da
saliva contaminada com áreas levemente traumatizadas. Esse trabalho objetiva relatar o
caso clínico de um paciente que compareceu a um Centro de Referência de Lesões
Bucais com extensa úlcera rasa em rebordo alveolar e assoalho de boca. A realização de
biópsia conduziu ao diagnóstico de lesão infecciosa de origem a esclarecer e a reação
intradérmica de Mantoux confirmou o diagnóstico clínico de tuberculose. O paciente foi
encaminhado ao pneumologista com o objetivo de iniciar a terapêutica adequada. Foi
tratado com Pirazinamida e Rifampicina + Isoniazida, por 6 meses, exibindo cicatrização
completa da lesão oral. O fechamento do diagnóstico de tuberculose pode ser realizado
pelo cirurgião-dentista, uma vez que essa lesão se apresente no seu campo de atuação,
que é a região de cavidade oral.
Benefícios Funcionais e Estéticos das Próteses Sobre Implantes: um Estudo de Caso
Maria Luiza Barra Couri
Luís Fernando Rodrigues
Milton Conrado Otero Espinoza Junior
Guilherme Alves Peixoto
A perda total dos dentes ou edentulismo é um dos piores agravos à saúde bucal. As
perdas dentárias constituem-se em uma marca da desigualdade social, diminuem a
capacidade mastigatória dificultando e limitando o consumo de diversos alimentos,
afetam a fonação e causam danos estéticos que podem originar alterações psicológicas.
Estudos demonstram os benefícios proporcionados do tratamento com as overdentures
quando estas indicadas nos casos em que se tem pouco espaço vertical entre as arcadas,
em casos de hábitos parafuncionais em estágio avançado, deficiência de higienização e
quando existe estrutura óssea insuficiente para uma prótese fixa sobre implantes, não
podemos também deixar de citar as razões financeiras, devido uma necessidade menor
quanto ao número de implantes ,proporcionando a reintegração do paciente à
sociedade. O presente trabalho tem a finalidade de demonstrar, por meio de estudos de
caso, a eficácia do tratamento de próteses sobre implantes na região anterior de
mandíbula em dois pacientes do sexo feminino tratados em um curso de atualização em
Periodontia e Implantodologia na cidade de Nova Friburgo – RJ, avaliando o grau de
satisfação e melhora funcional e estética dos pacientes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 138 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Rânula em Assoalho de Boca em Recém Nascido: Relato de Caso
Maria Luiza Prosdócimo Moreira
Gustavo Gomes Nardone
Ana Paula Barreto
Gustavo Boehmer Leite
Rodrigues
Noguieira
Maria Aparecida Cavalcante
A rânula é a lesão mais comum da glândula sublingual, que é uma glândula salivar maior,
localizada na face superior do músculo miloióide, separada da cavidade oral por uma
fina camada de mucosa, tornando-se susceptíveis ao trauma, levando à retenção de
muco no sistema de ductos de Bartholin e Rivius ou de extravazamento mucoso como
resultado de rompimento ductal, ambos dando origem a rânula, na qual há um acúmulo
de secreção salivar grossa e viscosa nos tecidos, produzindo um pseudocisto, pois não
apresentam um revestimento epitelial verdadeiro. Pode ser classificada com simples ou
dissecante. Clinicamente apresenta-se como uma lesão cinza-azulada em assoalho bucal,
indolor, podendo romper-se liberando fluído, porém recidivando logo em seguida. Este
caso visa relatar uma condição rara, pois ocorreu em um recém nascido com
aproximadamente 17 dias de vida, o que levava a dificuldade de amamentação devido
ao tamanho da lesão que impedia a sucção e a deglutição do leite materno. O
tratamento proposto foi marsupialização, na qual é realizada uma excisão na mucosa
oral do assoalho bucal e na parede superior da rânula, esta, por sua vez devendo ser
suturada à mucosa oral do assoalho bucal, promovendo uma reparação por segunda
intenção.
Carcinoma Epidermóide: Relato de Caso Clínico
Mariana Bitu Ramos Pinto
Paulo Rogério Ferreti
Laudenice de Lucena
Danyel Elias da Cruz Perez
Bonan
Pereira
Maria Luiza dos Anjos Pontual
O objetivo no presente trabalho, além de discutir é relatar um caso de carcinoma
epidermóide em paciente J.P.S., 36 anos, masculino, auxiliar de cozinha que compareceu
ao Serviço Especializado em Diagnóstico Oral (SEDO), queixando-se de “muita dor na
boca”. Relatou ser tabagista e etilista crônico e que percebeu a lesão há dois meses. Ao
exame clínico extrabucal, observou-se um discreto aumento de volume do terço inferior
da face com palpação ganglionar negativa. Ao exame intrabucal, verificou-se uma lesão
extensa e destrutiva de cor branco-amarelada, a qual envolvia o assoalho da boca e
rebordo alveolar inferior. Foi realizada biópsia do tipo incisional da lesão e solicitado
tomografia computadorizada da região. Ao exame imaginológico, visualizou-se a
presença de destruição óssea em aspecto de “ruído por traça” e a de dentes flutuantes.
Ao exame histopatológico, foram observadas células arranjadas em ilhas, infiltrando o
tecido conjuntivo adjacente, além de pleomorfismo celular e mitoses atípicas,
compatível com carcinoma epidermóide. Após o diagnóstico final, o paciente foi
encaminhado para um hospital de referência no tratamento de lesões malignas da
cidade de João Pessoa.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 139 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Inter-relação Perio e Prótese: Aumento de Coroa Clínica com Finalidade Estética – Caso
Clínico.
Mariana Camara de Andrade
Gabriela Gonzalez Mussel
Carina Taboada Ronconi
Luis Paulo Diniz Barreto
Marcela Melo dos Santos
A doença periodontal pode trazer algumas consequências como a perda de inserção
fazendo com que haja transtornos estéticos. O tecido gengival ao redor dos elementos
anteriores superiores tem um papel fundamental na estética. O aumento de coroa
clínica consiste em um procedimento específico que tem o intuito de restabelecer o
espaço biológico. A técnica cirúrgica envolve exposição da crista óssea e remoção
cirúrgica dos tecidos periodontais moles e duros, realizando osteotomia, a fim de obter
ganho no tamanho da coroa visando o reestabelecimento do espaço biológico,
permitindo assim,a confecção de trabalhos protéticos bem adaptados e com melhores
resultados estéticos, O objetivo deste trabalho é apresentar um caso clínico que ilustra
essa técnica cirúrgica. A paciente do sexo feminino com 50 anos de idade compareceu
na clínica de periodontia da UNIGRANRIO queixando-se de problemas estéticos. Durante
o exame clínico foi diagnosticado periodontite crônica, e restaurações defeituosas nos
elementos 12, 11 e 21. Primeiramente foi realizado tratamento periodontal através de
raspagem supragengival e subgengival, associado com instrução de higiene oral. Após a
cicatrização da raspagem subgengival foi feito aumento de coroa clínica para do espaço
biológico com finalidade periodontal e protética para confecção das coroas provisórias e
futuramente as coroas definitivas.
Linfoma de Células T Periférico: Relato de Casos Clínicos
Mariana Carvalho Coelho
Heloisa Laís Rosário dos
Antonio Fernando Pereira
Patricia Leite Ribeiro
Santos
Falcão
Viviane Almeida Sarmento
O linfoma de células T periférico (LCTP) é um Linfoma Não Hodgkin extra-nodal,
compreendendo um grupo heterogêneo de desordens linfoproliferativas definidas pela
expansão primária de linfócitos T malignos para a pele ou tecidos periféricos. Em 54%
dos casos a lesão é denominada de Micose Fungóide, afetando principalmente homens
mais velhos. Em outros casos, a doença pode apresentar envolvimento difuso da pele e
as células tumorais podem circular no sangue periférico, ao que se denomina Síndrome
Sézary, tendo pior prognóstico. O objetivo deste trabalho é relatar dois casos clínicos
internados no Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos (UFBA,
Salvador,Bahia) com LCTP. No primeiro caso, mulher de 25 anos com lesão em lábio.
Após biópsia, o diagnóstico morfológico e por imuno-histoquímica revelou tratar-se de
LCTP. A paciente iniciou quimioterapia com protocolo CHOEP, porém faleceu após o
primeiro ciclo. No segundo caso, homem de 37 anos com lesão ulcerada na língua.
Realizada biópsia, o laudo do exame anátomo-patológico associado aos resultados da
imuno-histoquímica foi de LCTP. O paciente foi submetido a esquema de citorredução
CVP, seguido de protocolo quimioterápico CHOEP associado à MADIT, cuja resposta não
foi satisfatória. O esquema quimioterápico foi alterado para o HYPER-CVAD, porém o
paciente também veio a óbito.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 140 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Reabilitação Estética e Funcional com Plastia Periodontal e Laminados Cerâmicos
Ultrafinos Após Tratamento Ortodôntico
Mariana Rezende Souza
Ramon Corrêa de Queiroz
Michelle Pereira Costa
Alexandre Coelho Machado
Gonzaga
Mundim
Paulo Vinícius Soares
A busca pela harmonia do sorriso e a máxima conservação de estrutura dentária
estimula o desenvolvimento de técnicas odontológicas. O objetivo deste trabalho é
relatar as etapas de fechamento de diastema com facetas cerâmicas ultrafinas. Paciente
do gênero masculino, 31 anos, estava em fase de conclusão de tratamento ortodôntico e
demonstrou insatisfação com a aparência de seu sorriso devido a presença de diastemas
entre os elementos 13,12,11,21,22,23. Após avaliação inicial, verificou-se gengiva
volumosa, sendo realizado plastia gengival para exposição do esmalte subgengival. Após
o período pós-operatório, foi realizado o planejamento digital do sorriso e
confeccionado enceramento. Posteriormente a moldagem do enceramento com silicone
por adição, confeccionou-se mock-up utilizando resina bis-acrílica. Os laminados foram
confeccionados em cerâmicas reforçadas por dissilicato de lítio. Após a seleção de cor do
cimento com pasta teste e tratamento da superfície da cerâmica, foi aplicado sistema
adesivo na estrutura dentária e as facetas cimentadas com cimento resinoso
fotoativado. Como resultado, recuperou-se a função e estética esperada pelo paciente e
equipe executora. Conclui-se que a utilização de facetas cerâmicas ultrafinas em dentes
anteriores com presença de diastema, possibilita sucesso estético do tratamento
reabilitador, sendo extremamente conservador.
Diagnóstico e Tratamento Cirúrgico de Extenso Cisto Periapical Inflamatório: Relato de
Caso Clínico
Mariana Silva Thiel Ribeiro
Brenda Gonçalves
Mario Romañach
Gerson Hayashi
Emanuel Mendes
Cisto periapical é o cisto odontogênico mais comum, de origem inflamatória, na maioria
dos casos sua etiologia esta relacionada ao epitélio do ápice de um dente com necrose
pulpar. Acomete preferencialmente adultos entre a 3ª e 5ª década de vida, são
assintomáticos, com crescimento lento, podendo atingir grandes proporções.
Normalmente é descoberto através de exame radiográfico de rotina. Este trabalho tem
como objetivo relatar o caso de um extenso cisto periapical, elucidando as principais
dúvidas no diagnóstico e tratamento. Paciente H. S. M. G., 34 anos, leucoderma, sexo
feminino, compareceu a clínica de Cirurgia Oral da FO-UFRJ encaminhada por seu
dentista para tratamento de lesão intraóssea. Clinicamente observamos extensa lesão
cariosa no dente 36, imaginologicamente envolvimento da região de furca, imagem
radiolúcida com 14,25 x 8,75 mm em seu maior diâmetro, bem delimitada, assim como
preservação das tábuas ósseas. Após análise clínica, imaginológica e punção aspirativa o
diagnóstico provável foi de cisto periapical. O tratamento proposto foi exodontia do
dente 36, enucleação com curetagem, enxertia óssea e recobrimento com membrana.
Histopatologicamente a hipótese diagnóstica foi confirmada. Conclui-se que o
tratamento mais indicado é enucleação com curetagem, em grandes perdas ósseas,
técnicas de enxertos são consideradas a fim de favorecer a regeneração óssea.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 141 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Miíase na Cavidade Oral: Relato de Caso
Mariana Simões de Oliveira
Matheus Fernandes
Ana Gabriela Penedo
Thais Evellyn da Silva
Lasneau Moraes
Santos
Antônio Fábio Vieira
Miíase se caracteriza pela invasão de tecido do corpo ou cavidade de animais vivos por
larva. O tratamento consiste na remoção mecânica das larvas, uma a uma, constituindose um ato doloroso e constrangedor, tanto para o profissional quanto para o paciente. A
ocorrência na cavidade bucal não é incomum, apesar dos poucos trabalhos que a
abordam. O objetivo deste trabalho é apresentar as características clínicas e o
tratamento desta doença, para orientar e qualificar profissionais odontológicos, através
de um caso clínico, onde o diagnóstico foi baseado na presença visual das larvas
Cochliomyia hominivorax, na região de incisivo lateral inferior, entre o 2º e 3º estágio de
desenvolvimento. Paciente de 52 anos, sexo masculino, residente em Vassouras – RJ,
compareceu à clínica odontológica da USS relatando dificuldade em se alimentar, dor,
sensação de formigamento e forte ardência na área infectada. No exame bucal foi
observada uma extensa lesão com secreção serosa purulenta de odor fétido. Embasado
na anamnese e nos aspectos clínicos foi feito um diagnóstico sugestivo de miíase oral.
Conclui-se que é de grande importância que os profissionais em odontologia saibam que
os cuidados prestados aos portadores de miíase se fazem vitais, visto que o tratamento
correto produz no indivíduo maior qualidade de vida, e previne futuras intercorrências
ocasionadas por esta patologia.
Reanatomização do Sorriso: Relato de Caso Clínico
Mariane Aparecida Bernardo
Marina Macedo Siqueira
Gabriela Ferreira Carvalho
Alexandre Vicente Garcia Suarez
No mundo contemporâneo a busca por padrões estéticos tem se intensificado, o que
requer o advento de novos procedimentos que consigam atender as necessidade
estéticas dos pacientes. Com a evolução das resinas compostas junto ao advento da
ténica de condicionamento ácido do esmalte, a dentística restauradora teve grande
progresso. As restaurações em resinas compostas tem então sido uma grande aliada
quando se fala de estética, visto que apresenta como suas principais vantagens a
preservação da estrutura dental e a redução de tempo clínico. As anomalias dentárias
são as principais causas que levam o paciente a procura de um profissional da
odontologia, na busca de respostas estéticas. São várias as anomalias que podem
necessitar de técnicas restauradoras estéticas, tais como: Alteração no desenvolvimento
da estrutura dental (amelogênese imperfeita e dentinogênese imperfeita), alterações de
desenvolvimento das dimensões dos dentes ( microdontia) e dentes conóides.Outro
fator que pode interferir na harmonia do sorriso é a presença de diastemas, que pode
ocorrer pelo excesso de espaços no arco dentário ou quando estão relacionados a
anomalias de tamanho e forma.O presente trabalho relata um caso clínico que utiliza a
técnica de restauração direta em resina composta para reanatomizar dentes conóides e
fechar diastemas anteriores.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 142 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Cisto Paradentário: Relato de Caso em Paciente Pediátrico
Mariane Carolina Faria Barbosa
Alessandro Antônio Costa
Marina Lara de Carli
Ingrid Antoniazi
Pereira
João Adolfo Costa Hanemann
O cisto paradentário ocorre próximoa um dente parcialmente erupcionado, como
consequência de um processo inflamatório no folículo pericoronário. O objetivo deste
trabalho é relatar o caso de uma lesão óssea descoberta ao exame radiográfico de rotina
em paciente do sexo masculino, melanoderma, 11 anos de idade, que apresentava,
radiograficamente, uma lesão radiolúcida unilocular circundada por um halo
ligeiramente radiopaco, localizada entre a face distal do 37 e o germe do 38, causando o
deslocamento do germe. À oroscopia, observou-se ausência de erupção do 37 e a
mucosa que recobria o local apresentava-se normocorada. As hipóteses diagnósticas
foram de cisto dentígero, cisto paradentário e tumor odontogênico queratocístico.
Realizou-se punção aspirativa, negativa para conteúdo líquido, enucleação da lesão e
exodontia do germe do 38. Os cortes microscópicos revelaram cavidade cística revestida
parcialmente por epitélio pavimentoso estratificado, não queratinizado, fino, com
discretas projeções para a cápsula. Observou-se cápsula de tecido conjuntivo fibroso, ora
mixomatoso, ora denso e com moderado infiltrado inflamatório mononuclear. O
diagnóstico foi de cisto paradentário e, oito meses após a cirurgia, observa-se
neoformação óssea completa do local. Conclui-se que a abordagem terapêutica realizada
foi eficiente no tratamento de cisto paradentário em paciente pediátrico.
TÍTULO
AUTOR
Cisto Radicular Residual em Paciente Cardiopata: Relato de Caso Clínico.
Mariane Pereira Amaral
Imara Juliane Nunes de
Taiane de Oliveira Gonzaga
CO AUTORES
Vanessa Oliveira Batista
Queiroz Silva
Santos
ORIENTADOR Delano Oliveira Souza
O cisto radicular residual é uma lesão resultante do estímulo à proliferação dos restos
epiteliais de Malassez devido a processo inflamatório de necrose pulpar em que o
elemento dentário já fora removido. Seu crescimento ocorre por osmose, pelo
desequilíbrio de pressões entre o meio interno e externo e tende a regredir ao cessar a
fonte de estímulo. No entanto, em alguns casos, o cisto atinge grandes dimensões,
necessitando de intervenção cirúrgica e exame anatomopatológico. O manejo clínico de
pacientes cardiopatas deve seguir protocolo de atendimento específico. O objetivo do
trabalho é relatar um caso de uma paciente com insuficiência mitral portadora de cisto
RESUMO
radicular residual de grande dimensão em região de maxila. A paciente exibiu aumento
de volume em região de maxila, com evolução de 1 ano, edentulismo total e expansão
do septo nasal. Ao exame de imagem observou-se lesão intra-óssea bem delimitada.
Diante dos achados clínicos e radiográficos chegou-se a hipótese diagnóstica de cisto
residual. Foi solicitado um relatório médico e avaliação do cardiologista. Realizado
biópsia excisional em centro cirúrgico com monitorização e posterior exame
histopatológico, que confirmou a hipótese diagnóstica clínica. A comunicação estreita
entre o cardiologista e o cirurgião-dentista foi fundamental para o planejamento do
caso, e a execução da cirurgia em ambiente hospitalar.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 143 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Como Obter Naturalidade na Restauração de Dentes Fraturados
Marianna Falcão Silva
Claudio Heliomar Vicente
Aline Raquel Melo
Hilcia Mezzalira Teixeira
da Silva
Renata Pedrosa Guimarães
As fraturas coronárias se caracterizam pela perda de estrutura dentária com exposição
de túbulos dentinários, sendo o tipo de lesão traumática mais frequente na dentição
permanente e em indivíduos do sexo masculino, especialmente em idade escolar,
provocando sérios problemas funcionais e estéticos. Neste sentido, o presente trabalho
objetiva relatar um caso clínico de reabilitação estética em dente anterior fraturado,
com comprometimento de esmalte e dentina, em paciente adolescente, 12 anos de
idade, envolvendo os 2/3 incisais. Ao exame clínico, observou-se restauração
previamente realizada com alteração de cor e forma por reincidência de fratura. Após
realização dos exames complementares, foi realizada moldagem com alginato para
confecção de modelo de estudo e enceramento diagnóstico com cera. A partir deste, um
guia de silicone (Express XT – 3M/ESPE) foi confeccionado a fim de auxiliar a técnica de
estratificação da resina composta nanoparticulada Z350 XT (3M/ESPE). A associação do
guia de silicone, quando bem indicado, com a correta seleção do compósito quanto às
suas características de translucidez e opacidade, conferem ao tratamento restaurador
estético praticidade e naturalidade. Em pacientes adolescentes, um minucioso protocolo
de acabamento e polimento com a correta texturização do esmalte superficial busca a
excelência do resultado final.
Tratamento Odontológico de Paciente Soropositivo para o Hiv. um Relato de Caso.
Mariella Agostinho Gonçalves
José Carlos de Souza Viana Neto
Cirley Maria de Lima Lessa
As manifestações bucais da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) são
comuns e podem representar os primeiros sinais clínicos da doença, por vezes
antecedendo as manifestações sistêmicas. O presente trabalho tem por proposição
apresentar um relato de caso clínico de uma paciente HIV positivo, em tratamento
odontológico na Clínica Integrada da Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora. Durante
anamnese e exame físico, a paciente também relatou possuir tuberculose ganglionar e
infecção pelo vírus da Hepatite B, encontrando-se em uso de rifampicina e izoniazida. Ao
exame físico foi constatada a presença de doença periodontal e candidose
pseudomembranosa bucal. A paciente foi encaminhada para atendimento médico e
avaliação do quadro sistêmico de imunossupressão. O tratamento foi iniciado com a
prescrição de solução de nistatina para bochecho. Ao retornar para controle, verificou-se
a melhora do quadro de candidose. A paciente está em acompanhamento, aguardando a
liberação médica para o tratamento periodontal, tendo em vista o quadro de
imunossupressão grave associado ao HIV e ao comprometimento hepático provocado
pelo vírus da hepatite B. Concluiu-se que o tratamento odontológico direcionado ao
paciente HIV positivo é fundamental para a melhora do quadro sistêmico,
proporcionando maior qualidade de vida aos mesmos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 144 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Laminados Cerâmicos em Elementos Anteriores Superiores, a Excelência do Sorriso.
Marina Coelho de Freitas Diniz
André Machado
Mauricea de Paula Assis
Mariella Agostinho
A estética é cada vez mais valorizada na sociedade atual, e sua busca é constante nos
consultórios e clínicas odontológicas. Este trabalho objetiva demonstrar um caso clínico
em que a estética de dentes anteriores superiores foi obtida pela restauração de quatro
laminados cerâmicos. Paciente do gênero feminino, 39 anos, com restaurações em
resina composta deficientes em cor e adaptação marginal nos elementos 12, 11, 21 e 22
apresentou-se em busca de tratamento para melhora da condição estética dos dentes
anteriores superiores. O tratamento proposto foi a melhoria da forma e aparência dos
dentes com facetas laminadas em cerâmica – E- max. As facetas foram confeccionadas
na cor A2 para manter a naturalidade do sorriso, levando em conta a cor dos dentes
inferiores e caninos vizinhos. A cimentação feita com o cimento Allcem Veneer,
específico para facetas. Na execução deste caso clínico, o planejamento o preparo a
confecção e a cimentação das restaurações, foram ealizadas com o objetivo de adquirir
estética satisfatória e duradoura, com mínima invasão e manutenção da saúde dos
tecidos adjacentes envolvidos. Conclui-se que laminados de cerâmica são uma excelente
opção para o tratamento estético, desde que respeitados os princípios de preparo
conservador, a escolha adequada da cerâmica, cor e cimentação criteriosa, garantindo
assim a excelência do trabalho.
Utilização de Implantes Pterigóides, na Reabilitação de Maxila Atrófica Posterior Bilateral
Marina Cunha Menezes
Raimundo Silva Rocha
O objetivo do presente estudo é demonstrar uma solução mais simples e menos invasiva
para reabilitar áreas de edentulismo na maxila, com insuficiência óssea e limitações
anatômicas. As opções de tratamento resumem-se á enxerto no seio maxilar para
posterior implantação, ou a instalação de implantes na área pterigomaxilar. Esta, sem
necessidade de acréscimo ósseo, possibilitando ancoragem protética evitando
procedimentos mais complexos como o “sinus lift”. Será apresentado um caso clinico
paciente gênero masculino, V.P.C.M. F., 57 anos, com saúde estável, mas apresentando
periodontite posterior severa. Realizou-se exodontias das unidades 15, 24,26 e 27 sendo
reabilitado posteriormente com prótese parcial fixa parafusada, ancorada em implantes
instalados nas regiões das unidades 14, 15,24, 25 e nas pterigomaxilares direito e
esquerdo. O controle pós-operatório de quatro anos e meio demonstrou sucesso clinico
dos implantes e da prótese. Conclui-se que a reabilitação de maxilas atróficas utilizando
implantes pterigoides, representam alternativas de tratamento aos procedimentos de
reconstrução, com alta taxa de sucesso, menor custo, menos invasão, satisfação do
paciente e reabilitação de mais elementos dentários com eliminação de “cantilever”.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 145 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Alternativas Estéticas para Reconstrução de Dentes Anteriores Fraturados um Relato de
Caso
Marina Macedo Siqueira
Mariane Aparecida
Mariana Rodrigues
Lívia Carvalho Diniz
Bernardo
Gonzalez
Alexandre Vicente Garcia Suarez
Este trabalho teve como objetivo descrever a reconstrução coronária de dentes
anteriores extensamente destruídos devido a trauma dentário. Paciente ASO, do sexo
feminino, 14 anos de idade, compareceu a Clínica Escola de Odontologia do Unifeso,
com história de queda da própria altura e fratura dos elementos dentários, incisivo
central superior direito e incisivo lateral superior direito, ocorrida três meses antes do
atendimento. No exame clínico e radiográfico verificou-se, em ambos os dentes, a
presença de fratura coronária com comprometimento da vitalidade pulpar. A conduta
terapêutica adotada foi: tratamento endodôntico dos dentes fraturados, cimentação de
pinos estéticos em fibra de vidro em ambos os dentes, colagem do fragmento no dente
incisivo lateral superior direito, pois a paciente o levou em bom estado e reconstrução
coronária com resina composta utilizando à técnica da barreira de silicone no dente
incisivo central superior direito. Tais procedimentos proporcionaram sucesso no
tratamento, proporcionando a paciente uma reabilitação funcional, estética, fisiológica e
psicológica. A recuperação de dentes anteriores fraturados com a utilização de resina
composta e pino de fibra de vidro implicam em um resultado estético favorável e com
menor custo para o paciente.
A Otimização de Cirurgia em Bloco com o Uso do Aparelho Piezoelétrico – Relato de Caso
Clínico
Marina Prado Fernandes Pinheiro
Mylena Duim Moreno
Rackel Gonçalves
Aline Muniz de Oliveira
Gustavo Vicentis de Oliveira Fernandes
O aparelho Piezoelétrico possui poder cirúrgico três vezes maior do que os instrumentos
ultrassônicos possibilitando a osteotomia e realização de cortes seletivos, com menor
sangramento, além de menor edema e com mínima ou nenhuma injúria aos tecidos
moles adjacentes. As principais indicações para o piezoelétrico em implantodontia
seriam a remoção de osso autógeno e abertura da janela óssea durante o levantamento
de seio maxilar. A principal desvantagem é o maior tempo operatório, pois as lâminas
piezoelétricas requerem repetidas aplicações ao osso para completar a osteotomia.
Assim, este trabalho tem por objetivo demonstrar, através de um caso clínico, a
utilização do motor piezoelétrico em cirurgia de enxerto autógeno em bloco mostrando
suas vantagens e desvantagens. Paciente com planejamento para ganho ósseo
horizontal (22), com remoção de bloco do mento. Utilizado o Piezoelétrico, a habilidade
do operador favorece o rápido atendimento e observou-se menor grau inflamatório no
pós-operatório, em avaliação clínica e por relato da paciente, embora tenha sido uma
cirurgia agressiva. Os cortes foram mais precisos e o gasto de soro fisiológico
aumentado. Concluiu-se que o piezoelétrico é favorável para cirurgia de enxerto em
bloco, com menor resultado inflamatório pós-operatório, porém com custo elevado
tornando sua aquisição, por profissionais, comprometida.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 146 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Camuflagem da Classe III com Dispositivo de Ancoragem Temporária em Paciente Pós
Surto de Crescimento
Mayara Franco Corteletti Fagundes
Diego Junior da Silva Santos Natalia Mencarini
Vitória de Oliveira Chami
Marco Antônio de Oliveira Almeida
Camuflagem ortodôntica realizada em paciente do sexo feminino, melanoderma, com 19
anos e 5 meses, portadora de maloclusão de classe III dentária que buscou tratamento
na clínica de ortodontia da UERJ com a seguinte queixa principal: “Meus dentes
entortaram e cruzam na frente. Não sei se meu queixo é para frente ou se a maxila é
muito funda”. Perfil facial reto, lábios com selamento em repouso, sem contração do
músculo mental. O exame e fotografias intraorais iniciais mostraram ausência de
mordida cruzada anterior, posterior e incisivos apresentavam relação de topo. Planejouse a montagem de aparelho fixo pré-ajustado com “slot” de dimensões. 022”x.025”
superior e inferior (exceto os incisivos inferiores inicialmente para evitar o cruzamento
da mordida anteriormente). No arco inferior, foram instaladas duas miniplacas de titânio
com elo de ancoragem emergendo da mucosa em região interproximal de primeiros
molares e segundos pré-molares. O tratamento ortodôntico teve duração de 25 meses e
os objetivos estabelecidos (obtenção da relação de Classe I de caninos e molares, bom
engrenamento dentário, corretos “overjet” e “overbite e manutenção do perfil) foram
alcançados. Os dispositivos de ancoragem temporária tiveram boa indicação para
distalização do arco inferior, alcançando desta forma, uma relação de classe I de caninos
e molares.
Tratamento Cirúrgico de Cisto Dentígero: Relato de Caso
Mayara Ricardo Moraes
Andressa Lissandra Bispo
Antônio Dionízio de
Diogo Henrique Rodrigues
Melo
Albuquerque Neto
Marques
José Zenou Costa Filho
O cisto dentígero consiste em lesão osteolítica benigna proveniente do acúmulo de
liquido entre a coroa de dente não erupcionado e o epitélio reduzido do órgão de
esmalte. Comumente notam-se imagens radiolúcidas e uniloculares. A localização
anatômica usual é referida como os terceiros molares inferiores e os caninos superiores
não irrompidos. Observa-se também relatos de acometimento relacionado a dentes
supranumerários e odontomas. Aparece geralmente nas três primeiras décadas de vida e
caracteriza-se por ser de crescimento lento e assintomático. Pode atingir dimensões
consideráveis, causar impactação de dentes, fraturas e deslocamento de estruturas
adjacentes. Apesar dos achados clínicos clássicos, o diagnóstico diferencial com outras
lesões semelhantes é feito através de exame histopatológico, a exemplo do
ameloblastoma unicístico. Devido ao baixo índice de recidivas seu tratamento é dado
através de enucleação. O presente trabalho objetiva relatar um caso clínico de paciente
do gênero masculino, 16 anos de idade, assintomático e sem comorbidades, que através
de exame radiográfico para documentação ortodôntica verificou-se a presença de lesão
sugestiva de cisto dentígero em região de elemento 38 horizontal irrompido. Procedeuse a exodontia, enucleação da lesão associada e envio para laboratório de patologia oral,
com diagnóstico que corroborou com a hipótese supracitada.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 147 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Harmonização do Sorriso com Resina Composta Direta
Mayara Rossetto
Rafaella Angeli
Patrícia Gaffuri
Vera Lúcia Schmitt
Fabiana Scarparo Naufel
A presença de diastemas anteriores é um problema estético frequente devido às
diversas etiologias; e diferentes condutas são indicadas, podendo envolver mais de uma
especialidade. Quando o tratamento se refere à dentística, observa-se que a teoria da
divina proporção ou proporção áurea, e o avanço tecnológico da odontologia cosmética
adesiva têm permitido restaurar forma e função dentária com as características estéticas
da cor, translucidez e opacidade, mimetizando a estrutura dentária. Este trabalho relata
um caso clínico, com o objetivo de mostrar a sequência de aplicação das diferentes
camadas de resinas, assim como a reprodução dos aspectos ópticos dos dentes naturais.
Isso é possível graças à grande variedade de cores, bem como às propriedades
mecânicas e físicas, e facilidade na execução da técnica, permitindo a realização de
restaurações diretas em resina composta para fechamento de diastemas, por meio da
utilização de um material restaurador nanoparticulado. Conclui-se que o método
utilizado para a realização das restaurações anteriores, descritos nesta apresentação,
facilitam a obtenção da harmonia e simetria finais, diminuindo o tempo de acabamento,
consequentemente o tempo de cadeira.
Reabilitação com Implante Dental Associado à Técnicas que Garantem o Sucesso Estético
Maydson Marques Meneses Araújo
Caroline Martins
Letícia Lima Marques
Adriana de Fátima
Nascimento
Coimbra
Vasconcelos Pereira
Liana Linhares Lima Serra
O implante dentário consiste na instalação cirúrgica de uma estrutura metálica no osso
maxilar ou mandibular com intuito de substituir a raiz dental perdida, promovendo um
suporte estável para reabilitação protética. Este caso clínico visa expor uma reabilitação
protética com a instalação de implante associado a uma cirurgia plástica periodontal, e
levantamento de seio maxilar. Paciente 54 anos, sexo feminino, relata dor ao mastigar e
gosto desagradável na boca. Foi realizado o exame clínico intra bucal, e constatada a
presença de fístula na região dos dentes posteriores superiores do lado direito, e
ausência do elemento dental 16. Solicitada a realização de exames complementares,
onde através de radiografias observou-se a presença de fratura no elemento 14
condenando-o à extração. Realizado o exame clínico, seguido do raspagem e polimento
dental, para realizar a exodontia do elemento 14, foram utilizadas técnicas para
manutenção do rebordo e posterior instalação do implante do tipo Straummam na
região correspondente ao dente 16. Em seguida, foi realizada a técnica de enxerto de
tecido conjuntivo com objetivo de reestabelecer a estética. Destaca-se a realização
simultânea da instalação do implante e o levantamento de seio maxilar na região do
elemento 16, no mesmo tempo cirúrgico. Devolveu-se assim função e estética à região
antes comprometida, finalizando este caso sucesso.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 148 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Carcinoma de Células Escamosas Oral em Paciente Não-tabagista e Não-etilista: Relato
de 2 Casos
AUTOR
Michele Fonseca Brantes
Karla Bianca Fernandes da
CO AUTORES Renata Tucci
Danielle Nobre Lopes
Costa Fontes
ORIENTADOR Ademar Takahama Junior
O Carcinoma de Células Escamosas (CCE) é a principal neoplasia maligna da cavidade oral
e os principais fatores associados ao seu desenvolvimento são o fumo de tabaco e o
consumo de álcool. Apenas 3% dos pacientes com CCE oral não são etilistas ou
tabagistas. O objetivo deste trabalho é relatar dois casos de CCE oral sem associação
com tabagismo e etilismo, discutindo os outros possíveis fatores etiológicos. O primeiro
caso é de uma paciente do sexo feminino de 65 anos de idade, encaminhada para
avaliação de lesão leucoeritroplásica, assintomática em mucosa jugal. O segundo caso,
também de uma paciente do sexo feminino, de 51 anos de idade, apresentando lesão
RESUMO
eritematosa e ulcerada em borda lateral de língua. Em ambos os casos foi realizado
biópsia incisional confirmando o diagnóstico de CCE. Em pacientes não-tabagistas e nãoetilistas, outros fatores extrínsecos e intrínsecos podem ser considerados, como a sífilis,
a desnutrição e a anemia. Além disso, vírus oncogênicos, como o HPV, e algumas cepas
do fungo Candida albicans,também são relacionados ao desenvolvimento do CCE
oral.Por possuir uma etiologia multifatorial, o conhecimento dos fatores de risco para o
CCE oral é fundamental e nos orienta que este deve ser procurado em toda população,
principalmente nos indivíduos que apresentem exposição a um ou mais fatores,
independente de ser tabaco ou álcool.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Uso do Agregado de Trióxido Mineral como Tampão Apical em Dentes com Rizogênese
Incompleta: Relato de Caso
Micheli dos Reis Santos
Érica dos Santos Carvalho
Maria de Fátima Malvar Gesteira
Fabíola Bastos de Carvalho
O tratamento endodôntico em dentes com rizogênese incompleta impõe grande
dificuldade aos cirurgiões-dentistas, devido à configuração anatômica dos canais
radiculares, que se se apresentam com paredes dentinárias divergentes e forame apical
amplo, à limitação na instrumentação e selamento do terço apical e ao tempo de
atendimento clínico prolongado. Conhecendo-se as vantagens apresentadas pelo
agregado de trióxido mineral (MTA) tais como boa adesividade ao tecido dental, boa
resistência a compressão, biocompatibilidade, não só apresenta poder bacteriostático
bem como poder bactericida, prevenção de microinfiltração, alcalinidade, capacidade de
estimulação de regeneração tecidual e evita o extravasamento do material obturador
para os tecidos periapicais entre outras que o torna superior ao hidróxido de cálcio e
material de escolha durante o tratamento de dentes que não alcançaram o estágio 10 de
Nolla, o presente trabalho tem como objetivo demonstrar a aplicação do MTA como
barreira apical, proporcionando um selamento apical adequado e redução do tempo de
tratamento por meio de relato de caso.
PALAVRAS CHAVE: rizogênese incompleta; MTA; apicificação; agregado de trióxido
mineral
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 149 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
A Utilização do Mock-up em Procedimentos Integrados de Periodontia e Dentística
Michelle Zardin Furich
Luis Eduardo Rilling da Nova Cruz
Josué Martos
Um sorriso esteticamente satisfatório depende de vários fatores. Desta forma, um
planejamento estético-funcional envolve a integração de diferentes áreas da
odontologia, destacando-se fundamentalmente a atuação da periodontia. Aspectos
como a arquitetura em arco côncavo em equilíbrio com a posição do lábio e elementos
dentais, é de fundamental importância para o planejamento de um caso de reabilitação
estética. O presente trabalho relata um caso de paciente do gênero masculino, 34 anos
de idade, cuja queixa principal era a altura dos dentes ao sorrir, deixando um excesso
gengival aparente. Após exames clínicos e periodontal detalhado, optou-se pela
realização de um ensaio restaurador ou mock-up, a fim de antecipar o resultado estético
antes da execução da cirurgia periodontal. Foi possível concluir com o presente trabalho
que o mock-up facilitou o planejamento inicial além de permitir a visualização prévia do
procedimento cirúrgico, tanto para o paciente quanto ao profissional, e a posição e
proporção das futuras restaurações estéticas. O uso do mock-up tornou-se fundamental
uma vez que forneceu maior previsibilidade e otimização da etapa cirúrgico periodontal
no caso clínico descrito.
Manifestações Orofaciais da Osteodistrofia Renal: Relato de Caso
Millena Mirella Silva Araújo
Monikelly do Carmo Chagas Elaine Judite de Amorim
Danyel Elias da Cruz Perez
do Nascimento
Carvalho
Flávia Maria de Moraes Ramos-Perez
A osteodistrofia renal (ODR) é uma doença óssea associada a insuficiência renal crônica,
a qual provoca desequilíbrio nos níveis sistêmicos de cálcio e fosfato. O objetivo desse
relato é descrever um caso de ODR com envolvimento orofacial. Paciente do gênero
masculino, 35 anos de idade, compareceu à Clínica de Diagnóstico Oral para avaliação de
aumento de volume facial com 3 meses de evolução. A história médica revelou
insuficiência renal crônica e aumento dos níveis sanguíneos de fosfato e de
paratormônio (940pg/mL). Ao exame intra-bucal, além do aumento de volume na maxila
e mandíbula, mobilidade dentária também foi observada. A radiografia panorâmica
revelou imagens mistas difusas, envolvendo maxila e mandíbula de forma generalizada.
Os ossos afetados apresentavam trabeculado com aspecto de vidro despolido, além de
expansão e adelgaçamento das corticais ósseas. Ausência de lâmina dura e alargamento
do ligamento periodontal foram também extensamente observados. Após biópsia
incisional, a análise histopatológica revelou a presença de trabéculas ósseas irregulares
entremeadas por tecido conjuntivo celularizado sem atipias, compatível com osteíte
fibrosa. Assim, o diagnóstico de ODR foi estabelecido. Em resumo, a ODR apresenta
semelhanças radiográficas e histopatológicas com outras lesões fibro-ósseas benignas. O
diagnóstico preciso é essencial para a abordagem correta.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 150 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Instrumentaçao Rotatótia – Sistema Pro Desing S
Mitsue Samara Hoshi
Guilherme Antonio
Fernando Antonio Machado Michele de Deus Gonçalves
CO AUTORES
Monteiro Miguel
Miguel
Miguel
ORIENTADOR Francisco Alves Chicarino
A realização do tratamento de canais radiculares atresiados e/ou curvos de molares não
é uma tarefa fácil, requer muito tempo do profissional para realização do tratamento,
risco de fratura do instrumento endodontico, dificuldade de manter a curvatura do canal
para possibilitar a correta instrumentação e desinfecção do sistema de canais
radiculares. Várias técnicas de instrumentação manual e rotatória são propostas para
facilitar o tratamento dos canais atresicos e curvos, dentre elas se destacam a
instrumentação rotatória com uso de instrumentos de Níquel-Titânio (NiTi) que é
utilizada também no retratamento endodontico para a remoção de material obturador
RESUMO
dos canais radiculares. O trabalho relata o uso do sistema rotatório Pro Desing S (Easy
Endo) acionado por motor elétrico easy endo na instrumentação do sistema de canais
radiculares do elemento 37, com canal em forma de C, a instrumentação seguiu a
técnica preconizada pelo fabricante onde a ultima lima utilizado na modelagem foi 20/06
na patência, irrigação com hipoclorito de sódio a 2,5%, ativação da irrigação com pontas
de ultra som e a obturação com cone M Microtiped (Endo Ponits) e cimento
endometazone pela técnica Hibrida de Tagger. A instrumentação rotatória possibilita a
realização de tratamentos de canais radiculares atresiados, retos e/ou curvos de
molares, de uma forma mais rápida, eficaz e segura.
TÍTULO
Abordagem Cirúrgica de Fratura Mandibular em Paciente com Histórico de Cicatriz
Hipertrófica: Relato de Caso
AUTOR
Monalisa da Silva Mascarenhas
CO AUTORES David Almeida Costa
Eduardo Costa das Mercês
Deyvid Rebouças Silva
ORIENTADOR Bruno Andrade Cantharino de Carvalho
Introdução: O tratamento de uma fratura é muito importante para a manutenção das
funções mastigatórias, fonativas e psicológicas, pelo impacto que o defeito facial tende a
acometer assim como a situação que ocasionou o trauma. Objetivo: Descrever a técnica
cirúrgica que restabeleceu as funções da mandíbula fraturada salientando a importância
do tratamento individualizado. Material e método: Paciente sexo masculino,
melanodermo, com histórico de cicatrizes hipertróficas, vítima de agressão física com
trauma contuso em face. Submetido à cirurgia sob anestesia geral para tratamento das
fraturas em ângulo de mandíbula direito e região de parassínfise esquerda. Foi realizada
RESUMO
a exodontia da unidade 4.8. Posteriormente, foi instalada a barra de Erich para a
estabilização oclusal e bloqueio maxilomandibular. Assim, foi obtido o correto
posicionamento da mandíbula para a reparação da fratura, redução e fixação interna
rígida da região de parassínfise e em seguida do ramo mandibular. Resultados: O período
de recuperação funcional mandibular foi de 45 dias, a resolução da parestesia se deu em
60 dias e o acompanhamento durou cinco meses. Conclusão: Foi constatado o sucesso
da intervenção visto que alcançou as correções da assimetria facial e da fratura e a
oclusão foi restabelecida dentro dos padrões aceitáveis.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 151 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Levantamento de Seio Maxilar Bilateral com Utilização de Enxerto Heterógeno - Relato
de Caso Clínico
AUTOR
Mônica Meneses Lima
Pedro Henrique Moreira
CO AUTORES Aline Tavares Lima Holanda
Igor Ribeiro Rola
Lima
ORIENTADOR Saulo Ellery Santos
A falta de osso na região dos maxilares em pacientes que perderam seus dentes
precocemente se deve, principalmente, a dois fatores: a reabsorção óssea após perda
dentária e a pneumatização do seio maxilar. O tratamento protético em região posterior
de maxila com implantes dentais se apresenta, muitas vezes, como um desafio, devido à
altura ou volume ósseo serem insuficientes. Diante disso, a técnica de levantamento do
seio maxilar associada a uma reconstrução óssea por meio dos enxertos visam
restabelecer a dimensão óssea adequada, permitindo a reabilitação do paciente. Os
biomateriais de origem bovina vêm mostrando ser uma ótima opção, com menor
RESUMO
morbidade e desconforto para o paciente. O objetivo deste trabalho é apresentar um
relato de caso de paciente do gênero masculino, com 58 anos de idade, parcialmente
desdentado em região posterior de maxila bilateral que foi submetido a elevação do
assoalho do seio maxilar com utilização de enxerto ósseo heterógeno (bovino)
particulado. Após 6 meses do tempo de incorporação do enxerto ósseo, foi realizado a
cirurgia de instalação de 6 implantes nesta região. Concluímos que o biomaterial
utilizado apresentou bons resultados no processo de regeneração óssea, promovendo
uma neoformação satisfatória para que haja uma reabilitação do paciente com
implantes osseointegráveis, podendo ser realizado com sucesso na clínica odontológica.
TÍTULO
A Importância do Exame Periodontal Inicial para a Prevenção e Controle da Doença
Periodontal em Adolescente com Abordagem Cirúrgica.
AUTOR
Monike Fernandes Santoro
Marília da Silva Pereira
CO AUTORES Giuliana Pereira Santos
Maria Amélia Pazos Roxo
Bittencourt
ORIENTADOR Marilisa Lugon Ferreira Terezan
A abordagem periodontal ao paciente adolescente é de extrema importância para evitar
a instalação de doenças bucais precocemente. Soma-se a isso, quando há condições
anormais mucogengivais que favorecem esse risco, contribuindo ainda mais para
modificações na arquitetura gengival, podendo agravar a situação mucogengival
patológica. O objetivo do trabalho é apresentar através de um relato de caso, a
importância do exame inicial periodontal, prevenindo a instalação precoce de condições
para o desenvolvimento da doença periodontal através de abordagem cirúrgica
mucogengival. No relato de caso, paciente PHVAM, gênero masculino de 15 anos
RESUMO
apresentou-se à clínica de pós graduação em periodontia da UERJ com o responsável,
para exame. Na anamnese queixou-se de dificuldade de higienização e dor em região do
elemento 41 e sem motivação aos cuidados de higiene bucal. Ao exame clínico,
apresentou acúmulo grosseiro de biofilme dental, inserção patológica de freios e bridas
labiais inferiores exercendo tração sobre a gengiva marginal, condicionando o início de
recessão gengival e fundo de vestíbulo raso. Concluimos após a terapia inicial, que a
abordagem cirúrgica atingiu o objetivo funcional, que após 60 dias da cirurgia
demonstrou saúde gengival, com melhora da motivação do paciente para um controle
mais eficiente de biofilme dental.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 152 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Abordagem Endodôntica de Dente Invaginado Tipo III Associado à Extensa Lesão
Perirradicular
Nancy Kudsi de Carvalho
Emmanuel João Nogueira
Maycon Deykson Borges
Renato Liess Krebs
Leal da Silva
Rodrigues
Tauby Coutinho-Filho
A invaginação dentária é uma alteração de desenvolvimento que na fase de
morfodiferenciação da formação dentária. Histologicamente representa uma
proliferação do epitélio interno do órgão do esmalte que invagina a papila, e manifestase clinicamente como uma fenda revestida por esmalte e dentina no interior do
elemento dentário. O tecido pulpar fica exposto à invasão de microorganismos dos
fluidos orais e susceptível às afecções pulpares. O presente trabalho relata o caso de
uma paciente de 23 anos, sexo feminino, que procurou o serviço de Endodontia da
Universidade do Estado do Rio de Janeiro para avaliação endodôntica do elemento 22.
Após anamnese, exame clínico e radiográfico constatou-se extensa lesão perirradicular
associada ao elemento, o qual apresentava conformação clínica e radiográfica atípica.
Deste modo, foi determinado o diagnóstico de Dens Invaginatus tipo III, segundo a
classificação de Oehlers (1957), traçado o planejamento terapêutico, sendo executada a
terapia endodôntica não-cirúrgica seguida de proservação. Este trabalho demonstra que
diante de adversidades decorrentes da complexidade anatômica apresentada por estes
elementos dentários, o tratamento endodôntico convencional é possível, visto que os
avanços tecnológicos atuais possibilitam que o correto protocolo de tratamento seja
realizado e o êxito do tratamento seja alcançado.
Relato de Caso: Carcinoma Espinocelular
Natália Azevedo Adami
Yohana de Oliveira Machado
Joyce Caroline Gouvêa
Márcio Américo Dias
As vias aero digestivas superiores estão sujeitas a serem acometidas por câncer, sendo o
mais comum na região de cabeça e pescoço, o carcinoma espinocelular (CEC). Mais de
90% dos casos são diagnosticados como CEC. A sua principal relação está ligada ao
tabagismo, o etilismo, a predisposição genética e a fatores ocupacionais. O assoalho de
boca e a língua foram os sítios mais acometidos pelo CEC. Acometendo principalmente
indivíduos do sexo masculino e acima de 50 anos. O comportamento é bastante
agressivo, tendo que serem submetidos a tratamentos como cirurgia e radioterapia, que
sem a devida reabilitação, compromete a sobrevida e qualidade de vida desses
pacientes. A finalidade deste trabalho foi relatar um caso de carcinoma espinocelular na
cavidade oral. Paciente F. R. A., 72 anos, sexo masculino, leucoderma, procurou a clínica
particular com queixa de desconforto no assoalho de boca e sangramento espontâneo.
No exame clínico, observou área ulcerada em assoalho da boca, em linha média a mais
de 3 meses, com sintomatologia dolorosa. No exame radiográfico, nenhuma alteração,
na anamnese, nada digno de nota. Foi dada hipótese de diagnóstico de carcinoma
espinocelular. Foi indicado biópsia incisional e no histopatológico foi confirmado laudo
de carcinoma espinocelular. Paciente foi encaminhado para serviço de oncologia de
cabeça e pescoço.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 153 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Cisto Linfoepitelial Oral: Relato de Dois Casos Clínicos
Natália de Freitas Gens
Karla Bianca Fernandes da
CO AUTORES Sílvia Paula de Oliveira
Danielle Nobre Lopes
Costa Fontes
ORIENTADOR Rebeca de Souza Azevedo
O cisto linfoepitelial oral (CLO) é um cisto não-odontogênico de desenvolvimento
incomum, que ocorre no interior do tecido linfoide associado a mucosa oral. Apresentase como uma massa submucosa pequena de cor branca/amarela que acomete o
assoalho bucal ou língua de pacientes adultos do sexo feminino. Apesar de possuir
características clínicas sugestivas, o diagnóstico feito por cirurgiões-dentistas (CDs)
costuma variar e incluir hiperplasias reacionais, neoplasias benignas mesenquimais e de
glândulas salivares. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é apresentar dois casos
clínicos de CLO, destacando a importância da correlação clinicopatológica no
RESUMO
atendimento clínico. Os casos envolveram um paciente masculino de 76 anos e um
feminino de 64 anos, que exibiam lesões nodulares esféricas, de cor amarela e
consistência mole, localizadas em borda lateral posterior de língua.
Histopatologicamente, os casos revelaram a presença de uma cavidade cística revestida
por epitélio estratificado pavimentoso paraqueratinizado, preenchida por queratina e
contendo infiltrado inflamatório linfocitário, incluindo a formação de centro
germinativo, na cápsula fibrosa, levando ao diagnóstico de CLO. Os presentes casos
clínicos evidenciam a importância de os CDs reconhecerem as características
clinicopatológicas do CLO permitindo diagnóstico e tratamento adequado dos pacientes.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Frenectomia Labial Inferior: Relato de Caso Clínico
Natália Martins Salum de Oliveira
Jéssica Araújo Lage de
Lidiany Souza Amaral
Michele Ribeiro dos Santos
Siqueira
Mariela Agostinho Gonçalves
O freio labial inferior é uma prega conjuntiva fina, triangular, inserida na porção mediana
da maxila e da mandíbula, entre os incisivos centrais. Composto por tecido conjuntivo
altamente vascularizado e coberto superficialmente por epitélio. Função de limitar os
movimentos do lábio, promover a estabilização na linha média e impedir excessiva
exposição do tecido gengival. O presente trabalho tem como objetivo a apresentação do
caso clínico de um paciente L.O.G., sexo masculino, 10 anos de idade, que procurou
atendimento odontológico acompanhado de seu representante legal, queixando-se de
dor durante a escovação dentária. Durante o exame físico intra-bucal, observou-se a
hipertrofia do freio labial inferior, hiperplasia das papilas gengivais na região dos
incisivos inferiores, recessões gengivais e acúmulo de placa bacteriana. Optou-se pela
realização da frenectomia labial inferior. Após anestesia local, foi realizada a excisão do
freio e sutura. Cimento cirúrgico foi utilizado para a proteção da região e para favorecer
a cicatrização. Após sete dias, realizou-se a remoção da sutura. Concluiu-se que a
frenectomia proporcionou maior conforto ao paciente durante os movimentos do lábio
e condições ideais de higienização, impedindo o acúmulo de placa bacteriana e o
aparecimento da doença periodontal.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 154 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Enxerto Gengival Livre, uma Boa Alternativa para Aumento na Espessura de Gengiva
Inserida. Relato de Dois Casos.
Natasha Cristina do Nascimento
Bruna Vieira de Souza
Giselle Cristina Vieira Alves Luis Paulo Diniz Barreto
Marcela Melo dos Santos
A técnica de enxerto gengival livre desenvolvida no ano de 1963 por Bjorn se tornou
uma das principais técnicas de cirurgia periodontal. Tem como principal indicação o
aumento de tecido queratinizado, em alguns casos podendo ser utilizado para
recobrimento radicular e correções Peri-implantes. O objetivo deste trabalho é
apresentar dois casos clínicos de enxerto gengival livre que foram utilizados para
aumento da espessura de gengiva inserida na região de incisivos inferiores. Caso clínico
1, paciente VVS, do sexo feminino de 25 anos compareceu a clínica da UNIGRANRIO
encaminhada para tratamento periodontal. Foi constatado uma recessão gengival na
área do elemento 41 com a presença de inflamação gengival e ausência de gengiva
inserida, a paciente queixou sentir dor durante a higienização da área. Após a terapia
periodontal ser concluída foi proposto enxerto gengival livre para aumento na espessura
de gengiva inserida. Caso clínico 2, paciente SFS, do sexo feminino de 45 anos,
compareceu a clínica da UNIGRANRIO com encaminhamento da ortodontia para
avaliação do elemento 31 que apresentava inflamação e retração gengival com pequena
quantidade de gengiva inserida. Foi proposto a realização de enxerto gengival livre para
aumento da espessura de tecido queratinizado para realização do tratamento
ortodôntico minimizando o risco de aumentar a recessão gengival deste elemento.
Cirurgia Ortognática: Avanço Bimaxilar para Tratamento da Síndrome da Apnéia
Obstrutiva do Sono (Saos) – Relato de Caso
Nathália Bandeira de Mello da Esóssia
Tarsila Martins Pellegrino
Henrique Martins da
Candice Belchior Duplat
Tavares
Silveira
Jose Augusto Mendes Miguel
Síndrome da apnéia obstrutiva do sono (SAOS) é uma condição altamente prevalente na
população mundial, caracterizada por episódios de colapso da faringe durante o sono. O
diagnóstico deve ser realizado por meio de uma minunciosa história clínica voltada para
as queixas de ronco, relato de paradas respiratórias e sonolência excessiva. O
tratamento dessa síndrome requer medidas gerais, uso de aparelhos de pressão positiva,
sendo o CPAP o mais indicado a casos graves e aparelhos intraorais em casos mais leves.
Os procedimentos cirúrgicos têm sua indicação quando alterações anatômicas são
evidentes ou como auxílio aos demais tratamentos. A cirurgia concomitante de avanço
maxilar e mandibular além de preservar as relações maxilomandibulares aumentam o
espaço faríngeo pela expansão da estrutura esquelética, nos quais os tecidos
ssdkkmlkmoles da faringe e língua estão aderidos, resultando na diminuição de colapso
da faringe e aumentando a qualidade de vida do paciente. O objetivo deste trabalho é
relatar um caso clínico de um paciente portador da síndrome da apnéia obstrutiva do
sono utilizando abordagem cirúrgica de avanço bimaxilar, dando enfoque a importância
do seu planejamento.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 155 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Tratamento Precoce da Mordida Cruzada Posterior e Anterior: Caso Clínico
Nathalia Blanco Ferreiro dos Santos
Adriana de Alcantara Cury
Mariana Martins e Martins Ingrid Mesquita Faria
Saramago
Cecília Maria Silva da Costa
Mordida cruzada (MC) é a relação lábio lingual anormal dos dentes antagonistas, tanto
na posição de intercuspidação como nos movimentos da dinâmica mandibular, com
etiologia multifatorial. Pode ser unilateral ou bilateral; anterior e/ou posterior. É a
maloclusão mais frequente na dentição decídua (14,6% segundo Santos et al 2012). Já na
dentição mista a prevalência é de 7,3% (Keski-Misula et al 2003). Não se autocorrige e
tende a se agravar com o crescimento e desenvolvimento, uma vez que as interferências
oclusais e os desvios resultantes podem estimular um crescimento assimétrico e tornar a
mordida cruzada dentária e/ou funcional em esquelética, que possui tratamento mais
complexo, podendo envolver cirurgias. Este é um relato de caso clínico realizado na
clínica de Ortodontia da UFF, cujo paciente CCC, com 4a6m, foi diagnosticado com MC
anterior e MC posterior unilateral, mordida aberta anterior e desarmonia
anteroposterior entre maxila e mandíbula. Optou-se pelo tratamento precoce
interceptativo, utilizando aparelho disjuntor de Hyrax. O aparelho foi ativado duas vezes
ao dia, por 21 dias, permanecendo em contenção por quatro meses. O paciente foi
acompanhado até os 12 anos quando iniciou tratamento ortodôntico corretivo. A
intervenção precoce foi eficaz no tratamento da mordida cruzada, impedindo o
agravamento da assimetria e melhorando as condições para tratamento corretivo fixo.
Fistula Bucossinusal Após Levantamento de Seio Maxilar
Nathália Curty da Silva
Glauco Rangel Zanetti
Liliane Scheidegger Zanett
Atualmente têm se observado uma preferência por reabilitações utilizando implantes
osseointegrados em contraposição a outrasreabilitações protéticas. Neste contexto, a
avaliação da quantidade óssea remanescente é um aspecto de extrema importância. A
região posterior da maxila é uma das áreas mais difíceis para instalação e manutenção
de implantes. Após a perda dos dentes maxilares a reabsorção gradativa do processo
alveolar associada a pneumatização do seio maxilar podem provocar a fusão entre o
assoalho do seio com o processo alveolar. Entretanto, essa técnica pode apresentar
complicações e a mais comum delas é a perfuração da membrana sinusal durante o
procedimento. Complicações menos frequentes, porém mais complexas podem ocorrer
como deiscência de suturas, infecções ou comunicações bucosinusais persistentes
podendo comprometer o resultado. Será mostrado um caso de um paciente edêntulo
que apresentou um quadro de sinusite maxilar e comunicação bucossinusal após ter sido
submetido ao levantamento do seio maxilar com biomaterial. O restabelecimento do
quadro deu-se pelo tratamento da sinusite maxilar e cirurgias de rotação de retalhos
vestibular, palatino e do corpo adiposo jugal. O controle pós-operatório mostrou
resolução da infecção e fechamento da comunicação bucossinusal. Uma prótese total foi
confeccionada para restabelecer a função e estética do paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 156 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Clareamento Dental - Técnica Assistida Associada a de Consultório
Nathalia Loureiro Demuner
Bianca Rovetta
Caio Zucoloto
Ive Camatta
Gabriela Cassaro
Apesar de ser uma escolha e opinião muito pessoal, a "beleza" e "estética ideal" nos
tempos atuais, é marcada por conceitos e parâmetros fixados pela sociedade. O dentista
esta diretamente relacionado a busca de dois dos essências parâmetros de beleza, a cor
e forma dos dentes. Seguindo essa ideia, pessoas que não seguem tais tendências
acabam por buscarem consultórios odontológicos para atingir a estética desejável.
Paciente chegou à clínica odontológica da Faesa, queixando-se de seu sorriso escurecido
e principalmente de uma fratura no bordo incisal do elemento 21. Foi realizado o
clareamento dentário de consultório associado ao caseiro assistido como forma de
alcançar um branqueamento dentário dos dentes com resultados mais rápidos e em
poucas sessões e assim poder confeccionar a faceta com recobrimento de bordo do
elemento 21. Foram confeccionados modelos de estudo para a confecção de moldeiras
de clareamento assistido, com utilização do peróxido de hidrogênio com carbopol a 16%
durante 3 semanas. Na técnica de clareamento de consultório, na clínica odontológica da
Faesa, foi utilizada com concentrações mais altas de peróxido de hidrogênio. Foram
englobados os dentes até o segundo pré-molar em ambas arcadas, utilizando peróxido
de hidrogênio a 20%, num total de 3 sessões.
Etiologias Infecciosas Atípicas de Recessões Gengivais Severas
Nathalia Nogueira dos Santos
Carolina Miller Mattos de Santana
Ronaldo Barcellos de Santana
A recessão gengival é caracterizada pelo posicionamento apical da margem gengival à
junção cemento-esmalte com a simultânea exposição da porção radicular dentária,
sendo desencadeada por diferentes causas amplamente conhecidas, entretanto, é
possível correlacionar alguns casos de recessão gengival severa a fatores primários
infeciosos pouco comuns. O presente trabalho possui o objetivo de relatar casos de dois
pacientes, ambos do sexo masculino, que procuraram a clínica de Periodontia II da
Universidade Federal Fluminense apresentando recessões gengivais severas de etiologia
infecciosa. Um paciente apresentou recessões gengivais em todo o quadrante maxilar
superior direito e o outro possuía uma recessão gengival estendendo-se até o ápice do
elemento 41. Com base nas características clínicas e nos exames complementares
realizados,
foram
diagnosticados
como
manifestações
gengivais
de
paracoccidioidomicose e lesão endo-perio avançada, respectivamente. Desse modo, o
presente relato de casos clínicos objetiva evidenciar etiologias incomuns para recessões
gengivais severas e, com isso, estimular o olhar crítico do cirurgião-dentista para a
realização de um possível diagnóstico diferencial.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 157 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Abscesso Periimplantar Associado à Contaminação Microbiana de Componentes
Protéticos: Relato de Caso.
Nathasha Morgado de Freitas
Camila da Roza Deseta
Luis Felipe Diniz Barreto
Luciano Santos Oliveira
Carvalho
Tatiana Custódio de Oliveira Pereira
Implantes osseointegráveis podem ser afetados por biofilmes microbianos. Uma região
frequentemente acometida é a zona de transição entre a plataforma do implante e seu
componente protético. O selamento proporcionado por esta interface está diretamente
relacionado à qualidade e resistência mecânica do conjunto implante-abutment assim
como ao manuseio clínico minimamente asséptico durante as fases de ativação
protética. Tal situação, quando não respeitada, pode culminar na formação de mucosites
ou mesm periimplantites. No caso relatado por este trabalho, a paciente apresentou a
formação de uma lesão bolhosa bem delimitada e eritematosa 15 dias após à
cimentação da coroa provisória, que foi diagnosticada como abscesso periimplantar, cuja
etiologia estava provavelmente relacionada à contaminação de componentes protéticos
utilizados durante a reabilitação do implante. O presente trabalho, portanto, tem por
objetivo apresentar um relato de caso onde a manipulação clínica indevida e
consequente contaminação dos componentes protéticos estava relacionada ao
surgimento de uma lesão inflamatória aguda, compatível com um abscesso
periimplantar. As etapas de diagnóstico diferencial e o estabelecimento de uma conduta
terapêutica para sua resolução foram apresentadas e discutidas.
TÍTULO
AUTOR
Diagnóstico Precoce do Câncer de Lábio Inferior: Relato de 2 Casos Clínicos
Nattália Di Lanaro
Adriana Terezinha Neves
CO AUTORES Silvia Paula de Oliveira
Ana Flávia Shueler
Novellino Alves
ORIENTADOR Simone Lourenço
O carcinoma de células escamosas (CCE) de lábio inferior é um dos tumores da cavidade
oral mais comum (25 a 30%) e de grande relevância e incidência em países tropicais. O
surgimento do câncer de lábio inferior ocorre, em 80% dos casos, como consequência da
exposição crônica aos raios ultravioletas (UV). Clinicamente, o CCE de lábio tem
crescimento lento, podendo ser precedido por uma lesão pré-maligna, denominada
queilite actínica. Os CCE de lábio geralmente se apresentam em estadiamento clínico
inicial (T1 e T2) e possuem baixas taxas de mortalidade (entre 10% a 15%). Este trabalho
tem como objetivo relatar dois casos clínicos de câncer de lábio diagnosticados por
RESUMO
estomatologistas em estádio clínico inicial. As lesões apresentavam-se clinicamente
leucoplásicas e descamativas e tiveram hipóteses de diagnóstico de queilites actínicas.
Ambas apresentaram áreas positivas no teste de azul de toluidina (TAT) indicando o
melhor local da biópsia. O diagnóstico histopatológico dos dois casos foi de CCE bem
diferenciado de lábio. Os pacientes foram encaminhados para tratamento e estão sendo
acompanhados clinicamente. Esses relatos ressaltam a importância do estomatologista
no processo de diagnóstico das patologias bucais, especialmente no diagnóstico precoce
do câncer de lábio, possibilitando a cura da doença e a redução da morbidade aos
pacientes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 158 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Achados Bucais em Paciente Portador de Hipoparatireoidismo Hidiopático
Nelson Monteiro dos Santos Filho
Carlos Fernando Lima de
Ivete Pomarico Ribeiro de
Luciana Pomarico
Farias Junior
Souza
O hipoparatireoidismo idiopático é uma desordem metabólica rara e de origem
desconhecida. Caracteriza-se por uma deficiência do hormônio paratireóide, causando
diminuição na concentração de cálcio e aumento de fósforo no sangue. O
hipoparatireoidismo pode causar hipocalcemia com conseqüentes parestesias, espasmos
musculares e convulsões, especialmente quando ocorre em sua forma aguda. Em
contraste, o hipoparatireoidismo crônico ocorre de forma gradual, onde o único sinal
pode ser uma deficiência visual de catarata. Desordens nos tecidos ectodérmicos têm
sido relacionadas com esta patologia, sendo a hipoplasia de esmalte a alteração dentária
mais comum. Outros achados bucais são câmaras pulpares volumosas, raízes curtas e
hipodontia. Assim, esse trabalho teve como objetivo descrever um caso de uma criança
com 9 anos de idade com hipoparatireoidismo idiopático não diagnosticado por um
período de seis anos, levando à paralisação da formação radicular e atraso da erupção
da dentição permanente. Pode-se concluir que pacientes pediátricos, necessitam de
anamnese cuidadosa, assim como exames clínico e radiográfico eficazes. Desta forma,
possibilitará ao profissional um diagnóstico precoce e mais preciso de alterações
dentárias que possam sugerir desordens sistêmicas. Assim, uma atuação multidisciplinar
se torna imperativo para um correto diagnóstico e tratamento.
Diagnóstico e Tratamento Multidisciplinar de Severa Anquiloglossia em Paciente Adulto:
Relato de Caso Clínico
Núbia Gomes de Santana
Jeane Batista
Cínthia Sperduto
Gerson Hayashi
Emanuel Mendes
O freio lingual é uma prega mucosa que une a parte inferior do dorso da língua ao
assoalho da boca. Quando se estende até o ápice da língua, restringindo o movimento
da mesma, causa a anquiloglossia, podendo resultar em dificuldade fonatória, deglutição
atípica e mastigatória. Geralmente essa anomalia é percebida durante a infância pelos
pais ou pelo pediatra, sendo encaminhado ao fonoaudiólogo que indica a cirurgia de
frenectomia lingual. O tratamento em crianças muito pequenas tem suas implicações
devido o difícil controle de comportamento durante o procedimento cirúrgico. Quando o
diagnóstico é tardio, problemas fonéticos podem ser mais severos e de difícil tratamento
em pacientes na fase adulta, podendo gerar problemas sociais e até discriminatórios. O
objetivo deste trabalho foi demonstrar os resultados obtidos após a realização de uma
cirurgia de frenectomia lingual, seguida de terapia fonodiológica em um paciente adulto
com 24 meses acompanhamento. Paciente A. S. J., 23 anos, sexo masculino, leucoderma,
compareceu a clínica de cirurgia oral da FO-UFRJ, queixando-se de “língua presa”. Ao
exame clínico observou-se anquiloglossia severa. O plano de tratamento consistiu em
avaliação clínica, através de frenectomia lingual e acompanhamento fonodiológico.
Conclui-se que uma abordagem multidisciplinar efetiva permite adequados resultados
funcionais e psicológicos desejáveis.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 159 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
A Importância de uma Equipe Multidisciplinar e Exames Pré-operatórios no Diagnóstico
e Atendimento Odontológico de Pacientes com Necessidades Especiais
Paloma Sarmento Grecco
Marcelo Ventura
Rodrigo Resende
A avaliação pré-operatória odontológica realizada por uma equipe multidisciplinar tem
como finalidade reduzir a ansiedade pré-operatória, esclarecer as dúvidas e planejar os
procedimentos. A anamnese deve pesquisar as doenças crônicas e relevantes, perguntar
sobre experiências anteriores, averiguar se o paciente possui hábitos sociais ou viciosos,
em caso de mulheres, sobre a data da última menstruação, relatar se existe caso de
história de alergia medicamentosa, e quais os medicamentos utilizados. O exame físico
deve ser minucioso e detalhado, além de exames pré-operatórios de rotina como
eletrocardiograma, radiografia de tórax, teste de gravidez, coagulograma e exames de
urina.Este trabalho tem como objetivo um relato de caso, de um paciente, do sexo
masculino, de 49 anos, portador de Esquizofrenia Paranóide, que compareceu ao Sorriso
Especial, para realização de exames pré-operatórios sob sedação e planejamento de
tratamento odontológico. Entretanto, durante exame de rx do tórax foi diagnosticado
um artefato metálico na região do brônquio direito. Posteriormente, para melhor
visualização do corpo estranho, foi realizada uma tomografia computadorizada. O
paciente não recordava do acontecimento e seus familiares e acompanhantes também
não tinham conhecimento do caso.
Terapia Fotodinâmica Antimicrobiana Associada ao Tratamento Endodôntico
Convencional em Dentes Decíduos
Pâmela de Oliveira Ornellas
Kelly Letícia Baptista da
Thuanny Rosa Coutinho
Natália Iorio Lopes Pontes
Silva
Lívia Azeredo Alves Antunes
A terapia pulpar em dentes decíduos e, em especial a pulpectomia é o tratamento
indicado para dentes com polpa apresentando inflamação pulpar irreversível ou necrose
em decorrência de cárie dental ou traumatismo. Para obter sucesso no tratamento
endodôntico em dentes decíduos é necessário a redução significativa dos
microrganismos dos canais radiculares após a instrumentação químico-mecânica. Ainda
não foi estabelecida a eficácia da erradicação de microrganismos dos canais radiculares
através das técnicas endodônticas convencionais. O Enterococcus faecalis e
Streptococcus são responsáveis pela maior parte das falhas do tratamento endodôntico.
Com isso, novos métodos terapêuticos alternativos têm sido utilizados com o propósito
de reduzir as bactérias residuais dos canais radiculares, dentre eles a Terapia
Fotodinâmica Antimicrobiana (TFDa). Assim, o objetivo deste trabalho foi relatar o caso
de uma paciente do sexo feminino, que sofreu traumatismo dentário no elemento 61
aos 4 anos de idade e que durante a proservação do caso, uma lesão periapical
decorrente do trauma foi detectada, sendo a opção de tratamento o uso da Terapia
Fotodinâmica Antimicrobiana associado ao tratamento endodôntico convencional.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 160 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Eficácia da Terapia Fotodinâmica Antimicrobiana no Tratamento de Estomatite Protética
Associada à Candidíase: Relato de Dois Casos
AUTOR
Pâmella de Pinho Montovani
Igor Bittencourt dos Santos
CO AUTORES
Laís Pereira Cappato
Bianca Alcântara da Silva
Farias
ORIENTADOR Karla Bianca Fernandes da Costa Fontes
Estomatite protética (EP) é uma lesão inflamatória comum localizada na mucosa oral
abaixo das próteses removíveis com etiologia variável, embora a infecção por Candida
spp. seja a mais relevante. Alternativas terapêuticas têm sido estudadas no tratamento
das infecções orais, dentre elas, a terapia fotodinâmica antimicrobiana (TFDa). O
objetivo será demonstrar a eficácia da TFDa no tratamento da EP associada à candidíase
através de dois casos clínicos. Duas pacientes compareceram na Clínica de Estomatologia
da Faculdade de Odontologia da UFF – Campus Nova Friburgo exibindo área eritematosa
difusa, assintomática, na mucosa palatina subjacente à prótese total removível,
RESUMO
sugestiva de EP. Foram coletadas amostras de material para análise citopatológica e para
cultura provenientes tanto da mucosa palatina quanto da superfície interna da prótese.
Após a identificação de Candida spp., as pacientes foram submetidas a cinco sessões
com intervalo semanal de TFDa com solução de azul de metileno a 0,01% (Formula &
Ação, São Paulo) e irradiadas com laser de 660 nm (InGaAlP, 1J, 100mW, Photon lase III,
DMC, São Paulo). Após TFDa, as pacientes exibiram melhora da área eritematosa e
redução significativa da quantidade de UFC/ml tanto na mucosa palatina quanto na
prótese. Em vista do exposto, a TFDa parece ser uma proposta terapêutica eficaz para
tratamento de EP associada à candidíase.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Obstrução de Via Aérea Superior Por Uso Contínuo de Ventilação não Invasiva Por Meio
de Bipap® e Intervenção Odontológica: Relato de Caso
Patricia Batista Lopes do Nascimento
Alexandre Batista Lopes do
Danielle Sofia da Silva
Luciano Jesus Rego Lopes
Nascimento
Marcella Maria dos Santos Cabral
Paciente grave com insuficiência respiratória, sem indicação de suporte invasivo, pode
fazer uso de ventilação não-invasiva, BiPap®, contudo poderá ocorrer ressecamento das
mucosas. O objetivo desse estudo é relatar o caso clínico de obstrução de via aérea
superior por uso continuo de BiPap® com ressecamento das mucosas oral e de via área
em paciente idoso sob internação hospitalar. Indivíduo idoso frágil com 78 anos, doença
de Parkinson avançada e diagnóstico de infecção pulmonar, cujas comorbidades
irreversíveis presentes não recomendou a utilização de medidas de suporte invasivo,
dessa forma iniciou-se o uso de BiPap® de forma contínua. Ao exame odontológico
observou-se ressecamento da mucosa da cavidade bucal e língua com formação de
crostas aderidas que foram removidas diariamente, porém passou-se a observar
formação de crosta na região de orofaringe concomitantemente à piora da dispneia e
desaturação o que sugeriu a hipótese de obstrução parcial da via aérea. Após avaliação e
intervenção do otorrinolaringologista e fisioterapeuta foi removido, por duas vezes,
“rolhas” de muco, fibrina e sangue da região de orofaringe e hipofaringe com imediato
aumento da saturação (99%) e alta em 15 dias. Conclui-se que o uso contínuo de BiPap®
requer acompanhamento pelo cirurgião-dentista e fisioterapeuta; provoca
ressecamento das mucosas e pode levar a obstrução de via aérea superior.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 161 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Projeto Crescer Sorrindo
Patricia Filizzola Dias
Ligia Costa Almeida
Branca Heloísa de Oliveira
Fernanda Barja-Fidalgo
Ana Paula Pires dos Santos
É importante que crianças tenham acesso a cuidados odontológicos desde o nascimento,
voltados para a promoção, a manutenção e a recuperação da saúde bucal. O objetivo
desse trabalho é relatar a experiência do projeto de extensão Crescer Sorrindo. O
projeto é desenvolvido desde 2001, pela disciplina de Odontopediatria da FOUERJ, na
Policlínica Piquet Carneiro. Seu objetivo principal é promover a saúde bucal de crianças
de até 11 anos de idade, através de ações educativas, preventivas e curativas, com
ênfase nos cuidados odontológicos a pré-escolares, além de promover formação e
atualização profissional na área de odontopediatria e desenvolver pesquisas científicas
em saúde bucal infantil. As atividades são executadas por estudantes de graduação e
pós-graduação, sob supervisão docente. Os alunos de graduação, especialmente os
bolsistas de extensão, também são responsáveis por desenvolver palestras e atividades
educativas. Ao longo desses 14 anos, 592 pré-escolares receberam atendimento
odontológico, 840 alunos de graduação e 166 de pós-graduação na área de
Odontopediatria participaram do projeto; mais de 49 resumos foram apresentados e 17
artigos científicos foram publicados em revistas nacionais e internacionais. Assim, o
projeto tem proporcionado, continuamente, integração entre ensino, pesquisa e
extensão em prol da melhoria da saúde bucal infantil.
Protocolo de Acompanhamento da Radioterapia e Prevenção de Complicações Bucais
Tardias
Patrícia Gaffuri
Déborah Sponchiado
Mayara Rossetto
Patricia Zenere Mohr
Adriane de Castro Martinez Martins
Pacientes que fazem uso da radioterapia como forma de tratamento para o câncer
localizado em região de cabeça e pescoço estão suscetíveis a complicações bucais que
podem surgir ou persistir depois de três meses ou até três anos após o término do
tratamento. Estas complicações estão diretamente relacionadas à dose de radiação, à
área irradiada e a fatores relacionados ao paciente. Dentre as mais comuns destacam-se
a xerostomia/hipossalivação, cárie de radiação, doença periodontal, osteoradionecrose,
alterações no paladar, trismo e candidose, que afetam a qualidade de vida do paciente,
interferindo diretamente na sua reabilitação bucal, fala e alimentação. Por esses
motivos, medidas de prevenção se fazem necessárias, e o acompanhamento
odontológico antes, durante e após a radioterapia é essencial para manter a integridade
dos tecidos orais, haja vista que o planejamento terapêutico que delimita o campo de
tratamento inclui estruturas importantes da boca, como a maxila, mandíbula e glândulas
salivares, que sofrem diversas alterações que comprometem o prognóstico e a qualidade
de vida após o término do tratamento. O objetivo deste trabalho é descrever um caso
clínico no qual o paciente apresentava-se com adenocarcinoma papilar de base de língua
e recebeu acompanhamento odontológico durante o tratamento oncológico que incluiu
cirurgia, quimioterapia e radioterapia.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 162 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Uso de Laser de Baixa Intensidade para Tratamento de Xerostomia em Pacientes com
Síndrome de Sjögren
AUTOR
Patricia Zenere Mohr
CO AUTORES Thais Tieppo Koroll
Déborah Sponchiado
Mayara Rossetto
ORIENTADOR Adriane de Castro Martinez Martins
A síndrome de Sjögren (SS) é uma doença sistêmica inflamatória crônica, de provável
etiologia auto-imune, com distribuição mundial. Seu quadro clínico é responsável por
considerável impacto na qualidade de vida de seus portadores, pois, apresenta várias
manifestações clínicas como, manifestações oculares, orais, músculo-esqueléticas,
respiratórias, genito-urinarias, cutâneas, vasculares e psiquiátricas. Uma das
manifestações significantes dessa síndrome é a manifestação oral, causada pela
diminuição na produção de saliva, que produz boca seca (xerostomia), cáries frequentes,
necessidade de umedecer a boca e de ingerir líquidos durante a noite, dificuldade na
RESUMO
deglutição de alimentos sólidos, dor à deglutição, ulcerações aftosas na mucosa labial,
infecções bucais (principalmente causada por Candida sp.) e aumento no volume da
glândula parótida, mais frequente na SS primária. Para ser diagnosticada pode ser
utilizada as técnicas de cintilografia salivar, sialografia da glândula parótida,
ultrassonografia das glândulas salivares e a estimativa do fluxo salivar. O objetivo desse
trabalho é demonstrar a eficácia da aplicação de laser de baixa intensidade, como
tratamento da xerostomia, através da estimulação das glândulas salivares, que
proporciona melhora na qualidade de vida do paciente portador da Síndrome de
Sjögren.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Setup Digital: uma Ferramenta Inovadora para o Planejamento Ortodôntico – Relato de
Caso
Paula Martins Bravo Miranda
Nathália Ferrare
Lincoln Issamu Nojima
A confecção de um setup para planejamento ortodôntico é uma técnica de separação e
montagem de dentes em modelos que permite simular o resultado do tratamento. Seu
método mais comum é a técnica laboratorial em modelos de gesso, que requer um
tempo de trabalho elevado. Outra opção é o Setup Digital, realizado com modelos
digitais tridimensionais, que facilita a manipulação dos dentes, permite realizar
sobreposições de imagens e testar diversas possibilidades de tratamento com agilidade.
O objetivo deste trabalho é apresentar um caso de utilização do setup digital em
planejamento ortodôntico abordando suas etapas de confecção. O diagnóstico e as
opções gerais de tratamento foram definidos através da análise de radiografias,
fotografias e modelos. Os modelos digitais foram obtidos a partir do escaneamento a
laser dos modelos de gesso, e os dentes foram segmentados. O modelo foi sobreposto à
radiografia cefalométrica, a fim de reposicionar os incisivos no osso basal. Os
movimentos dentários foram planejados tridimensionalmente, e os arcos, coordenados.
Obtivemos a oclusão final, que pôde ser superposta à maloclusão inicial. Mais de uma
opção foi testada para a escolha do melhor plano de tratamento para o paciente.
Conclui-se que o setup digital permite visualizar os resultados previstos para diferentes
opções de tratamento, sendo um importante auxílio no planejamento ortodôntico.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 163 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Implante Imediato Sob Prótese Imediata com Infraestrutura Fresada e Fundida
Paulla Verena de Carvalho Ribeiro
Carla King
Paulo Feitosa
A fundição tem acompanhado os tratamentos reabilitadores bucais há muito tempo,
firmando-se em determinado momento como única opção possível e viável. O advento
do CAD/CAM na Odontologia tornou o processo de fresagem nas reabilitações com
próteses implantossuportadas uma opção de tratamento de precisão confirmada, assim
como a instalação de implantes imediatamente após a exodontia, instalando próteses
sobre os implantes. O objetivo deste trabalho foi relatar dois casos de pacientes
reabilitados com implante imediato sob prótese total imediata, contrapondo a técnica
da fresagem e fundição das infraestruturas protéticas. O primeiro paciente teve
indicação de exodontia das unidades presentes por conta de periodontite severa com
instalação imediata de implantes e instalação de prótese provisória. A prótese final foi
confeccionada com infraestrutura metálica fundida. Já o segundo paciente teve suas
unidades extraídas por conta de fratura da unidade que era pilar direto de uma PPR de
encaixe, foram então instalados implantes imediatamente após exodontia das unidades
remanescentes e instalada uma prótese provisória. A prótese final foi confeccionada
com infraestrutura fresada de zircônia. Conclui-se que, com os avanços em estudos e
práticas da odontologia foi possível a instalação de implantes imediatos com cargas
imediatas de forma precisa e segura, preservando a arquitetura óssea.
Ttratamento de Maloclusão de Angle Classe II Div2 Subdivisão Esquerda em Paciente
com Lábio Leporino
Paulo Nouer
Artur José de Freitas Lopes
Paciente N. S. N. gênero masculino, com 16 anos de idade, perfil reto, assimetria facial e
padrão mesofacial. No exame intrabucal constatou-se mordida profunda anterior e
posterior cruzada com maxila retroposicionada e mandíbula protruída. Presença de
extranumerário na região do 22. O objetivo do tratamento foi a correção da maloclusão
de Angle Classe II Divisão 2 subdivisão esquerda, com remoção de um dente extra
numerário, correção da mordida profunda e estética dentária superior anterior. Foi
empregada aparatologia fixa com braquetes Damon (autoligado) colados pela técnica
indireta. O tratamento corretivo completo foi realizado em quatro fases. Na Fase I foi
feita a colagem dos braquetes na arcada superior e inferior, levante de mordida
posterior com resina fotopolimerizável nos molares superiores e foi inserido como
primeiro arco, o fio .014” CuNiTi. Na Fase II, iniciou-se o nivelamento com o fio
.014”x.025” CuNiTi e, após, avançou-se o nivelamento com fio .018”x.025” CuNiTi.
Apenas na Fase III houve mudança significativa da mecânica, inserindo-se o fio
.019”x.025” de aço inoxidável superior e inferior e o emprego do elástico intermaxilar de
classe II ¼” leve. Na Fase IV houve a finalização ortodôntica e refinamento das posições
dentárias. Notou-se ao final do tratamento restabelecimento da oclusão clinicamente
normal, boa estética dentária e satisfatória harmonia facial.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 164 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Enxerto de Conjuntivo Subepitelial para Restabelecer Arquitetura Gengival – Relato de
Caso Clínico
Paulo Sérgio Borella
Maria Aparecida de Oliveira
Analice Giovani Pereira
Cristiane Pacheco Ribeiro
Campoli
Cristiane Pacheco Ribeiro
A harmonia estética em pacientes com linha do sorriso alta é extremamente dependente
da arquitetura gengival, perfil de emergência, cor e contorno das próteses. O paciente
apresentou-se com queixa de assimetria entre os dentes 21 e 11 após instalação de
coroa sobre implante na região do dente 11. Ao realizar exame clínico, observou-se
implante com leve inclinação vestibular e assimetria gengival, devido à espessura
reduzida do tecido periodontal. Duas etapas cirúrgicas foram realizadas. Primeiramente,
enxerto de tecido conjuntivo subepitelial com objetivo de aumento tecidual em
espessura. Após 90 dias, com o remodelamento e maturação teciduais concluídas,
realizou-se a reabertura do implante. Durante o período de cicatrização foi utilizada uma
prótese fixa adesiva. A instalação de provisório sobre implante evidenciou a necessidade
de outra intervenção cirúrgica para aumento visual dos dentes 21 e 22 e deslocamento
coronal (sem enxerto) do tecido periodontal na região do implante 11. Foram realizados
procedimentos de genvivectomia e gengivoplastia. O caso foi finalizado com coroas
totais cerâmicas reforçadas por dissilicato de lítio. Verificou-se no acompanhamento
clínico que os procedimentos cirúrgicos associados a próteses com perfil de emergência,
forma e cor adequadas viabilizam reabilitação funcional e estética para região anterior
em pacientes com linha de sorriso alta.
Hipomineralização Molar-incisivo- Relato de Caso Clínico
Pedro Henrique Mayrink Soares
Sâmila Gonçalves Barra
Priscilla Naback Lemes Vilani
Claudia Valéria Sousa Resende Penido
A hipomineralização molar incisivo (HMI) é definida como defeito do esmalte dentário
de origem sistêmica que atinge os primeiros molares e incisivos permanentes. Vários
fatores etiológicos são citados como causa das alterações, mas sua etiologia ainda é
desconhecida. Este trabalho tem por objetivo descrever o caso clínico de paciente do
gênero masculino, 22 anos de idade, que compareceu à clínica de Odontologia em busca
de novas restaurações nos dentes posteriores que haviam se soltado. Durante a
anamnese, ele relatou que teve bronquite crônica na infância e já havia feito
restaurações nestes dentes que “nasceram com sensibilidade”. Ao exame clínico intraoral observou-se alteração de cor no esmalte dos incisivos e coloração amarelaacastanhada e cavitação nos molares. O diagnóstico, já considerado tardio, foi de HMI
depois de descartadas outras hipóteses diagnósticas. O paciente foi informado sobre as
alternativas de tratamento e autorizou a restauração com cimento ionômero de vidro
(CIV). Foram programadas consultas para proservação do caso. O tratamento proposto
com CIV foi considerado eficaz visando à preservação do esmalte remanescente
saudável. O diagnóstico precoce e o reconhecimento das características clínicas favorece
a escolha do tratamento adequado e minimizam os danos aos tecidos duros, seguindo o
protocolo atualmente recomendado.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 165 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Queilose Actínica: Relato de Caso
Pedro Henrique Moreira Lima
Aline Tavares Lima Holanda Igor Ribeiro Rola
Monica Meneses Lima
Eveline Turatti
A queilose actínica é uma alteração pré-maligna resultante da exposição progressiva ao
espectro ultravioleta da luz solar, comum em lábio inferior. Raramente ocorre em
pessoas abaixo de 45 anos, tem uma predileção pelo sexo masculino, na proporção 10:1
homem/mulher. Clinicamente observam-se lesões em placas ou máculas brancas ou
eritematosas, ressecamento, descamação, atrofia, além de úlceras ou crostas com
apagamento da linha de delimitação lábio/pele. O presente estudo traz o relato de caso
do Paciente AVF, sexo masculino, 66 anos, apresenta áreas atroficas, eritematosas e
hiperceratóticas em lábio inferior, com maior rigidez à palpação e perda de delimitação
labial. Durante anamnese relatou história pregressa com intensa exposição solar. Foi
realizada biopsia incisional, que confirmou o diagnóstico clínico de queilose actínica. O
paciente foi orientado a usar diariamente protetor labial, e continua em
acompanhamento clínico. Por fim, Apesar de ter aparência clínica benigna e não causar
limitações funcionais aos pacientes, a queilose actínica é uma lesão cancerizável
importante e que deve ter seu diagnóstico confirmado através de biópsia, enquanto o
paciente deve ser reavaliado regularmente.
Técnica Alternativa de Transferência da Posição de Implante sem a Utilização de Material
de Modelagem na Fase Transcirúrgica.
Pedro Henrique Toledo Nogueira
Fabio Vieira e Fabrício Vieira
A técnica preconizada pelos autores prioriza menor manipulação tecidual e menor
contato de materiais com a área recém operada objetivando, principalmente, uma
diminuição do risco de contaminação e do tempo de procedimento transcirúrgico.
Paciente com 55 anos gênero feminino. O tratamento proposto foi implante imediato
com garga imediata pela técnica da transferência direta, após leva-se previamente
montando em articulador semi-ajustável perfurado no local do implante e posiciona-se o
análogo usando transferente com a resina relacionando-os com os dentes vizinhos. A
moldagem transoperatória com “pattem resin” permite a obtenção de um modelo de
trabalho onde será confeccionado a prótese provisória diminuindo a manipulação e
reduzindo o risco de contaminação. A técnica prioriza menor invasão pós cirurgia e
diminuição de risco para o paciente usando esse procedimento. O objetivo de
reabilitação com implante osseointegrado para o elemento dentário condenado. Exame
clinico notou- se certa mobilidade na face mesial devido a fratura longitudinal da raiz e ,
pequena lesão periapical. Foi realizado exodondia pela técnica atraumática, análogo e
transferência com “pattem resin” e depois prótese imediata.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 166 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Diagnóstico de Fissura Radicular Utilizando Exame de Tomografia Computadorizada
Cone Beam-relato de Caso.
Pedro Paulo Bichara Barbosa
Laura Maciel Martins
Bianca de Almeida Camões
Thuilla Camarda do Amaral
Araujo
A Tomografia computadorizada por feixe cônico apresenta indicação em casos clínicos
de insucesso endodôntico com suspeita de fissura ou fratura radicular. O presente
trabalho aborda um relato de caso clínico, no qual a paciente apresentava diagnóstico de
periodontite apical crônica com lesão periapical visível radiograficamente no elemento
dentário 15. Como primeira opção, de acordo com a literatura, foi realizado o
retratamento endodôntico. Na proservação radiográfica, foi realizada uma radiografia
periapical convencional após 6 meses e outra radiografia, desta vez digital, após 9 meses
do retratamento. Embora radiograficamente houvesse imagem compatível com a
regressão da lesão perirradicular e neoformação óssea, a paciente ainda relatava
sintomatologia dolorosa com desconforto à oclusão. Devido aos sintomas persistentes,
optou-se por uma análise imaginológica de tomografia computadorizada por feixe
cônico, com análise tridimensional do elemento. As imagens tomográficas obtidas
possibilitaram observar traço hipodenso na parede palatina do elemento 15, no sentido
corono-apical na porção média com reação óssea adjacente, compatível com fissura
radicular. Concluiu-se que apesar da regressão da lesão periapical radiograficamente,
pode ocorrer um fracasso endodôntico onde a tomografia computadorizada por feixe
cônico pode ser extremamente útil no diagnóstico do caso.
Fusão Dentária na Dentição Decídua em Criança Portadora de Síndrome de Down –
Relato de Caso
Pinkie Seabra Marra
Marcelo Ventura de
Rafaela Moraes de
Fábio Claudino Heil
Andrade
Mendonça Andrade
Danuza Botelho Gandra Mesquita
A dentição humana pode apresentar variações de tamanho, forma, estrutura, número,
cor e formação das estruturas dentárias. As anomalias dentárias são alterações
frequentes em crianças que podem originar problemas graves, se não forem
diagnosticadas precocemente. Os indivíduos com Síndrome de Down apresentam
diversas alterações dentárias, entre as mais prevalentes está a fusão, que é uma
anomalia de forma das estruturas dentárias duras, que representa a união de dois
dentes independentes, em desenvolvimento e são dez vezes mais comuns em pacientes
com Síndrome de Down do que na população geral. A fusão dentária pode causar
problemas clínicos relacionados como alteração na época de esfoliação da dentição
decídua, dificuldades funcionais, estética, espaço e condições periodontais como o maior
acúmulo de placa bacteriana. Essa condição clínica se agrava no paciente portador de
síndrome de Down. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de fusão em
dentes decíduos em uma criança portadora de Síndrome de Down e mostrar a conduta
clínica realizada no ambulatório do Sorriso Especial no Hospital Estadual Rocha Faria
para a realização deste procedimento e as possíveis complicações quando não
planejado.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 167 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Tratamento Cirúrgico da Interface Restauração-alvéolo: Relato de Caso
Priscila de Azevêdo Araújo
Hanna Thielly Silva Santana Sandro Bittencourt
Érica Del Peloso Ribeiro
Renata Araujo Barbosa
A Interface Restauração-Alvéolo (IRA) é a área da superfície radicular localizada entre a
crista óssea alveolar e a gengiva marginal livre. Alterações nesta interface têm
importante reflexo sobre o controle do biofilme, presença da papila interdental e
contribui para um perfil de emergência protético adequado. Tem suas principais
indicações em situações de presença de concavidades, convexidades e de grande
proximidade radicular, sendo utilizada como uma alternativa à movimentação
ortodôntica, amputação radicular, hemisecção e até à extração dentária. O objetivo
deste trabalho é discutir, por meio de um relato de caso clínico, a importância do
conhecimento e indicação do tratamento cirúrgico da IRA para a obtenção de melhores
resultados protéticos com manutenção da saúde periodontal. Paciente E.F.S., ASA I, sexo
feminino, 53 anos. Após exames clínico e radiográfico foi constatada saúde periodontal
nas demais unidades, invasão do espaço biológico unidade 24 e presença de grande
proximidade radicular entre as unidades 24 e 23. Foi indicado o aumento de coroa clínica
com osteotomia devido à invasão ao espaço biológico e tratamento da IRA. Após a
cirurgia, observou-se maior facilidade de higienização e contorno gengival e perfil de
emergência da prótese mais satisfatório.
Utilização de Dentes Naturais como Provisória na Carga Imediata Sobre Implantes
Priscila de Oliveira Garcia
Eduardo J. Veras Lourenço
André Daniel M. Neto
Marcele Pereira
Leopoldo Miranda
O objetivo deste trabalho é de apresentar um caso clínico, utilizando dentes naturais
como restauração provisória de implante imediato com carga imediata. A paciente
apresentava a coroa dos incisivos centrais inferiores hígidas e o suporte periodontal
completamente destruído. A tomografia computadorizada cone bean foi utilizada para
avaliar o volume e a densidade do tecido ósseo. As exodontias dos elementos 41 e 31
ocorreram de forma atraumática e sem realização de retalho e foram instalados
implantes cilíndrico cônicos de 3.5 de diâmetro e 13mm de comprimento, Neodent EX
CM. Ambos ancoraram com 50Ncm possibilitando a realização da carga imediata. Para
confecção das coroas provisórias foram utilizados munhões universais de 3.3x6x2.5. Os
dentes extraídos foram seccionados no terço médio da raiz, desgastados na superfície
lingual e testados na boca para adequação estética. Os mesmos foram condicionados
com ácido fosfórico a 37% na superfície lingual, em seguida aplicado adesivo dentinário.
As coroas clínicas dos dentes seccionados foram unidas aos cilindros com resina
composta, e a mesma foi utilizada para dar a anatomia cervical das provisórias. O ajuste
oclusal cuidadoso e o acabamento e polimento das provisórias foram realizados antes da
cimentação temporária das coroas aos munhões.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 168 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Biópsia Excisional de Lesão de Hpv: Relato de Caso
Priscila Gimenez Oliveira Bouças
Fernando Silva Pereira
Léo Werneck Barros
Fabricio Le Draper Vieira
Os papiloma vírus humanos pertencem à família Papillomaviridae e seu ciclo de vida e
diretamente ligado a diferenciação das células epiteliais do hospedeiro. Na boca, o HPV
esta associado a papiloma escamoso oral, condiloma acuminado, verruga vulgar e
hiperplasia epitelial focal. Entretanto, seu papel na carcinogênese oral e ainda
controverso, sendo também identificado como agente etiológico de alguns carcinomas
de células escamosas de cabeça e pescoço. Presente trabalho tem como objetivo
apresentar um relato de caso onde o paciente apresenta lesão do tipo papiloma e que a
abordagem cirúrgica radical (biopsia excisional) foi realizada e a analise histopatológica
mostrou alterações nucleares e ampla vacuolização citoplasmática, com balonização do
ceratinocito fechado e diagnostico em papiloma. Resaltamos a importância do
diagnostico clinico e terapêutico no cotidiano da estomatologia, no entanto, ainda esta
longe o estabelecimento preciso do real papel do HPV em lesões proliferativas e préneoplásicas e no câncer oral, pois há significativa divergência de resultados
apresentados. Paciente do sexo masculino com idade aproximadamente de 65 anos
queixava-se de um carosso na extremidade da boca, durante exame físico constatou que
o paciente apresentava uma lesão com displasia oral, coloração branca, assintomática,
localizada na mucosa jugal.
Harmonização da Estética em Dentes Anteriores com a Confecção de Facetas Indiretas
Personalizadas Pela Técnica Inversa
Priscila Leticia Kitagawa Marques
Ewerton Nocchi Conceição
Aline Vargas de Almeida
Leily Macedo Firoozmand
O objetivo deste estudo foi apresentar um caso clínico, onde foram realizadas
restaurações para fechamento de diastemas, empregando a técnica inversa de facetas
indiretas personalizadas e caracterizadas com resinas compostas diretas. Paciente do
sexo feminino, 29 anos, insatisfeita com o seu sorriso, mesmo sendo apresentada a
opção do tratamento ortodôntico, optou por realizar o tratamento restaurador. A partir
da análise fotográfica e modelos de estudo, planejou-se confeccionar seis facetas
indiretas, englobando os incisivos e caninos superiores. No enceramento aditivo, foi
realizado um guia de silicona para restabelecer a face vestibular. Uma fina camada de
resina translúcida e opalescente reproduziu a forma e contorno do esmalte vestibular.
As facetas foram testadas nos dentes e os sobrecontornos, removidos. Houve mínimo
desgaste dental e foi aplicado o sistema adesivo para a inserção das facetas
caracterizadas. Estas foram preenchidas com resinas opacas que foram termoativadas,
aumentando a fluidez dos materiais, possibilitando o posicionamento das facetas. Após a
fotopolimerização das facetas, obteve-se harmonia estética e funcional. Assim, concluise que a confecção de facetas indiretas com resinas diretas pela técnica inversa
apresenta-se como uma opção conservadora e estética de tratamento, reproduzindo as
características anatômicas e ópticas dos elementos dentais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 169 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Restabelecimento Estético do Contorno Gengival de Dens In Dente Utilizando Resina
Composta Rosa – Relato de Caso
Priscila Simões Autran da Silva Leite Pardal
Luciano Ribeiro Corrêa
Gustavo de Souza Ribeiro
Sabrina de Castro Brasil
Netto
Plínio Mendes Senna
As alterações nos tecidos duros dentais (esmalte e dentina) situadas na região cervical
podem ser corrigidas a partir de restaurações diretas realizadas com resinas compostas
que apresentam características ópticas semelhantes ao esmalte e à dentina,
prolongando a aparência óptica do dente para além da linha do contorno gengival, o que
pode repercutir negativamente com relação à estética do sorriso. Uma possibilidade é o
uso de uma resina composta que simula as características ópticas do tecido gengival.
Este trabalho descreve a resolução estética de um caso de alteração de desenvolvimento
dens in dente no incisivo lateral superior associado a uma retração gengival pela face
vestibular. Inicialmente foi realizado o tratamento endodôntico, e remoção do tecido
cariado na face distal que foi restaurada com uma resina composta (TPH3, Dentsply) na
cor A2. Posteriormente, foi aplicada a resina composta rosa (Amaris Gingiva, Voco) na
área da retração gengival vestibular para que fosse criado um contorno cervical
simulando o tecido da margem gengival livre. Ao final deste tratamento, pôde-se
observar que a resina composta rosa representa uma importante ferramenta na
resolução estética de dentes que apresentam retração gengival.
Intubação Submentual em Cirurgia Bucomaxilofacial – Relato de Caso
Priscilla Cavassola de Araujo
Franciele da Silva de
Celso Ricardo Adami
Mateus Carvalho
Oliveira
Andressa de Oliveira Loss
A intubação submentual é uma técnica para manutenção da via aérea de pacientes que
sofreram fraturas complexas de terço médio da face, fratura da base do crânio, ou algum
tipo de alteração anatômica nasal. A indicação critica para a intubação submental é a
exigência de fixação maxilomandibular trans-operatória e em situações onde a
manutenção pós-operatória das vias aéreas por períodos prolongados não é requerida o
que contra indica o uso da traqueotomia, sendo descrita como uma alternativa mais
segura. As fraturas Le Fort II (28,5%) caracterizaram-se como o tipo mais comum
associado à execução da técnica, seguido de Le Fort I (23,8%), Le Fort III. A intubação
submental é uma técnica simples, de execução rápida e baixa morbidez. O objetivo deste
trabalho é o relato de um caso clínico de cirurgia bucomaxilofacial que teve como
indicação intubação submentual. Paciente Leucoderma, 20 anos, compareceu ao pronto
atendimento apresentando Fratura de face Le Fort II, com necessidade trans-operatória
de manipulação da oclusão dentária e acesso a fraturas na região nasal, desta forma a
intubação preconizada foi submentual que associa as vantagens da intubação
nasotraqueal e orotraqueal, e apresenta menos complicações do que a traqueotomia.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 170 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Cisto do Ducto Nasopalatino: Relato de Caso Clínico
Priscilla de Oliveira Marques
CO AUTORES
Renata Cordeiro Teixeira
ORIENTADOR
Danielle Frota de Albuquerque
O presente trabalho objetiva relatar o caso clínico do paciente JHG, 18 anos, sexo
masculino, normossistêmico, que compareceu ao serviço de Estomatologia com queixa
de “inchaço no céu da boca”. O mesmo não relatava dor na região e a evolução era de
cerca de 3 meses. Ao exame físico intraoral observou-se um abaulamento na região
anterior do palato, de coloração semelhante a da mucosa, creptante à palpação, sendo
que todos os dentes anteriores superiores responderam positivamente aos testes de
sensibilidade pulpar. Foi realizada uma radiografia panorâmica, seguida de radiografias
periapical e oclusal, que evidenciaram uma lesão intra óssea, na região de linha média,
em formato de coração pela sobreposição da espinha nasal anterior, sendo o diagnóstico
presuntivo de cisto do ducto nasopalatino. O exame tomográfico da região evidenciou
uma lesão unilocular, em região de linha media do palato, respeitando os limites da
fossa nasal e expandindo a cortical lingual da maxila. A abordagem cirúrgica foi realizada
em ambiente ambulatorial, sob anestesia local, tendo feita punção da região, que foi
negativa para liquido, seguida de descolamento de retalho lingual e exérese da lesão. O
exame histopatológico confirmou a hipótese levantada. O paciente apresentou reparo
total da região constatado no acompanhamento clínico-radiográfico.
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Luis Carlos Ferreira Uchoa
Francisco Cristovão Mota
Lima Junior
Tumor Odontogênico Adenomatóide: Relato de Caso Clínico Enfatizando Seus
Diagnósticos Diferenciais
Priscilla Rodrigues Câmara
André Boziki Chavier do
Ademar Takahama Júnior
Sabrina Nogueira Dutra
Carmo
Rebeca de Souza Azevedo
O tumor odontogênico adenomatóide (TOA) é um tumor odontogênico benigno
incomum, que ocorre principalmente em adolescentes do sexo feminino em associação
com um dente incluso na região anterior de maxila, e que pode incluir uma variedade de
cistos e tumores odontogênicos em seu diagnóstico diferencial. Dessa forma, o objetivo
deste trabalho é apresentar um caso clínico de TOA enfatizando suas características
clinicopatológicas e diagnósticos diferenciais. A lesão acometeu um paciente do sexo
masculino, de 16 anos, exibindo uma lesão radiolúcida, unilocular, bem delimitada
associada ao dente 24 incluso. A partir dos diagnósticos de TOA, cisto dentígero, tumor
odontogênico cístico calcificante (TOCC) e ameloblastoma unicístico, foi realizada biópsia
excisional. A radiografia da peça cirúrgica evidenciou pequenos focos radiopacos,
reforçando o diagnóstico de TOA ou de TOCC. Na microscopia, observou-se áreas
“rosett-like”, estruturas tubulares, cavidade cística revestida por epitélio escamoso
estratificado não-queratinizado com poucas camadas de células e áreas de calcificação,
confirmando o diagnóstico de TOA. O presente caso clínico evidencia a importância de
reconhecer o TOA e suas características no estabelecimento dos diagnósticos
diferenciais e do diagnóstico definitivo de lesões intraósseas envolvendo dentes inclusos
de forma a permitir o tratamento adequado do paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 171 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Angina Bolhosa Hemorrágica: um Relato de Caso
Rafael Antonio de Oliveira Ribeiro
Juliana Cristina Peixoto
Marcela Sandy Valença de
Alessandra de Albuquerque
Conceição
Barros
Tavares Carvalho
Jair Carneiro Leão
Angina hemorrágica bolhosa é uma desordem caracterizada por formação aguda de
bolhas de sangue na mucosa oral ou orofaríngea mais comumente visto no palato mole.
Os pacientes idosos são geralmente afetados e as lesões são frequentemente
assintomática e curam espontaneamente. A patogênese é desconhecida, embora, pode
ser um fenômeno multifatorial. O trauma parece ter um papel importante e o uso em
longo prazo de esteroides inaladores também tem sido implicado na doença,
possivelmente associada a uma alteração do metabolismo da glicose. Subjacentes
desordens hematológicas ou imunopatogênicos não foram descritas, o tratamento na
maioria das vezes é sintomático visando prevenir infecção secundária e favorecendo a
cicatrização. No presente relatório, detalhamos as características de uma paciente de 88
anos, desdentada, do sexo feminino, saudável, que se queixou de uma bolha de sangue
que progrediu para uma úlcera localizada no palato mole diagnosticado como angina
bolhosa hemorrágica. A ingestão de leite quente foi identificada como a causa da
precipitação, a erosão foi curada dentro de uma semana. Embora esta seja uma
condição benigna, pode resultar em redução da qualidade de vida do paciente por
provocar dificuldade em engolir e, eventualmente, obstrução das vias aéreas.
Reconhecimento e manejo adequado são, portanto, de grande importância.
Uso do Mta como Selador Apical e Material Obturador de Canais com Reabsorções
Radiculares e Ápice Aberto: Relato de Caso
Rafael Araujo de Andrade
Mariana Xavier
Andréia Machado
Diogo Bernardino
Ernani Abad
O tratamento endodôntico tradicional para dentes com ápice aberto, atualmente tem
como primeira escolha o uso do hidróxido de cálcio como curativo para induzir uma
barreira de tecido duro. Têm sido sugeridas diferentes indicações de barreiras apicais
artificiais como uma alternativa para o uso do hidróxido de cálcio. Uma das alternativas
para induzir o fechamento apical é o uso do Agregado Trióxido Mineral (MTA) para selar
o forame apical, fazendo um plug apical no ápice que se encontra aberto a fim de
conseguir restaurar o conduto posteriormente sem extrusão do material obturador para
os tecidos periodontais. Este estudo tem como objetivo principal mostrar a eficácia do
MTA quando utilizado como barreira física nos casos de reabsorções e rizogênese
incompleta ocasionado por trauma dental. A relevância desse estudo encontra-se no uso
do MTA como material de primeira escolha, uma vez que proporciona a conclusão mais
rápida do tratamento, um menor desgaste dentário e de fratura. Esse trabalho descreve
o tratamento odontológico de um caso clínico de uma criança que sofreu um trauma
dental de um elemento permanente que apresentava rizogênese incompleta e
reabsorções radiculares, que teve seu tratamento realizado com MTA. Nesse estudo
obteve-se sucesso no tratamento realizado com MTA que pode ser comprovado
clinicamente e radiograficamente após um ano de execução da técnica.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 172 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Ressecção Cirúrgica de Lipoma em Região Parotídea
Rafael da Cunha Rodrigues
Fabio Santos Alves
Davi Félix da Silva
Eduarda Ferreira de Araújo
Fabrício Le Draper Vieira
Os lipomas são tumores benignos compostos de tecido adiposo com origem
mesenquimal, de crescimento lento e assintomático, a maioria dos casos ocorre no
tronco e na porção proximal das extremidades, sendo muito menos frequentes na região
oral e maxilofacial. Afetam principalmente pacientes acima dos 40 anos. Lipomas
intrabucais distribuem-se de forma equilibrada entre os gêneros. Maioria com 3 cm em
média, podendo apresentar dimensões variáveis. Estas lesões apresentam consistência
mole, podendo ser sésseis ou pedunculadas. A etiologia é incerta, porém possíveis
alterações endócrinas, traumatismo e hereditariedade podem estar relacionadas. A
mucosa jugal e vestíbulo são as localizações intraorais mais comuns. Apresentam-se na
ressonância como regiões de hipersinal e no exame tomográfico como massas
radiopacas com alo radiolúcido. O diagnóstico final é obtido por biópsia, uma
característica é que estes tumores tendem a flutuar quando inseridos em solução de
formol a 10%. O tratamento é pela excisão cirúrgica local conservadora e a recidiva é
rara. O presente trabalho tem como objetivo relatar caso de volumoso tumor em região
parotídea, onde o tratamento foi a remoção cirúrgica por acesso extra oral.
Cirurgia Flapless com Carga Imediata em Região de Incisivo Superior: Alternativa para
Manutenção do Contorno Gengival Periimplantar Pós Exodontia – Relato de Caso
Rafael Figueiredo da Silva
Flavio Varol Klein Santana
Rogerio Franco de Oliveira
Leticia de Souza Curvo
Gabriela Alessandra da Cruz Galhardo Camargo
A técnica de cirurgia flapless para instalação de implantes dentários é indicada para a
manutenção ou reestabelecimento do contorno gengival periimplantar em regiões que
possuem alto nível de exigência estética. O objetivo desse estudo é o relato de caso
clínico com instalação de implante dentário pós exodontia de elemento 11 acometido
por fratura radicular, utilizando coroa total provisória com carga imediata para
manutenção da região gengival periimplantar. Foi utilizado implante titamax cone morse
ex (4.0 x 13mm neodent®), enxerto ósseo mineral bovino particulado de granulação 600
a 425 µm (lumina- bone critéria®) para preenchimento do alvéolo cirúrgico, micro-pilar
cone morse com cinta de 3,5mm e abuttman (neodent®), reabilitado com coroa total
provisória confeccionada com dente autógeno. Notou-se após uma semana, hiperemia
gengival com formação de tecido de necrose superficial de cicatrização em região
cervical. Com 20 dias, reestruturação da cor, textura e formato gengival. O caso
encontra-se estável, mantendo as devidas propriedades estéticas e funcionais. Concluise que a execução de implantes dentários com técnica de cirurgia flapless e carga
imediata foi eficiente para o restabelecimento estético/funcional, tornando-se uma
alternativa para a manutenção do contorno gengival periimplantar pós exodontia.
Palavras Chave: Periodontia, Implantodontia, Estética Gengival.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 173 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Remoção Cirúrgica de Cisto Dentigero; relato de Caso
Rafael Oliveira Pacheco
Sandra de Cássia Santana Sardinha
O trabalho aborda uma opção de tratamento do cisto dentígero e os cuidados pré e pós
operatórios pela avaliação de exames radiográficos e clínicos. Avaliou-se o paciente do
gênero masculino, 17 anos e melanoderma na Faculdade de Odontologia da UFBA. Ao
exame clinico, notou-se aumento de volume na região de ângulo mandibular esquerdo
com consistência firme, sinais vitais estáveis e boa higiene bucal. Na radiografia
panorâmica de face, observou-se os dentes 18, 28, 38, 37 e 48 inclusos, 38 e 37
impactados e imagem radiolúcida circunscrita na região de molares inferiores esquerdos
sugestiva de cisto. Solicitou-se TC cone been e agendamento da cirurgia. No dia
marcado, o paciente apresentou PA 160-100mmHg e solicitado exame clinico médico
para tratamento. Após um mês da avaliação médica, o paciente compareceu com PA
estável ao ambulatório, para exame clinico e avaliação das radiografias solicitadas e
concluiu condições clinicas deste para cirurgia. Na cirurgia, fez-se: punção do conteúdo
cístico, remoção da peça cirúrgica para biopsia, extração do dente 38 e curetagem no
espaço cístico. O laudo anatomo patológico revelou a síntese diagnóstica de Cisto
Dentígero e o dente extraído normal. No pós cirúrgico de 20 dias, removeu-se a sutura,
observou cicatrização do local e solicitou reavaliações de controle. O conhecimento
clínico, radiográfico e o diagnóstico adequado, são necessários para tratar o Cisto
Dentígero.
Cirurgia Parendodôntica - Retro Obturação com o Uso do Cimento de Óxido de ZincoEugenol
Rafael Salgado Guedes Borges
Guilherme Antônio
Fernando Antônio Machado
Carlos Chagas Bruno
Monteiro Miguel
Miguel
Luiz Antônio Nora
A Terapêutica Endodôntica atual muitas vezes se depara com a impossibilidade da
eliminação dos agentes etiológicos dos processos inflamatórios periapicais de maneira
conservadora durante o retratamento endodôntico, devido a uma perfuração,
complexidades anatômicas e instrumentos fraturados. Sendo opção a utilização da
Cirurgia Parendodôntica. A Cirurgia Parendodôntica com retropreparo e obturação
retrógrada é uma das formas de cirurgia na endodontia mais utilizadas. A procura pela
excelência leva ao desenvolvimento de novas técnicas e materiais biocompatíveis, para
serem utilizados na retro obturação da Cirurgia Parendodôntica, material que não deve
ser reabsorvível, ser biocompatível e de fácil inserção na cavidade do retropreparo.
Vários são os materiais utilizados na retro obturação como Cimento de Óxido de ZincoEugenol, Amálgama, MTA e Super-EBA. Presente trabalho mostra o caso clínico de uma
paciente WS, de 56 anos que procurou a clínica da FOV, encaminhado por CD relatando
dor no elemento 14, onde foi constatado o desvio do canal radicular sendo indicada a
Cirurgia Parendodôntica, sendo feito acesso cirúrgico, ressecção apical, retropreparo
com pontas de ultrassom e retro obturação com Cimento de Óxido de Zinco-Eugenol.
Concluí que o Cimento de Óxido de Zinco-Eugenol tem fácil utilização clínica e apresenta
bom resultado na Cirurgia Parendodôntica.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 174 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Pulpectomia em Dente Decíduo com Taurodontia: Relato de Caso
Rafaela de Oliveira Torres
Glória Fernanda Barbosa de
Patrícia Nadelman
Paula Moraes Lima
Araújo Castro
Andréa Gonçalves Antonio
Taurodontia é uma anomalia de desenvolvimento dentário com as seguintes alterações:
coroa alongada no sentido apical, câmaras pulpares amplas, raízes curtas e bi ou
trifurcações próximas aos ápices radiculares; assemelhando-se aos dentes de
ruminantes. É uma alteração mais prevalente na dentição permanente e o arco
mandibular é o mais acometido. Na dentição decídua é uma condição rara, cuja
prevalência encontra-se na faixa de 0,54%. O objetivo do presente relato é descrever o
caso de uma criança de 4 anos, gênero feminino, não sindrômica, atendida na Clínica de
Odontopediatria da UFRJ. A criança compareceu em consulta de emergência,
acompanhada de seu responsável, com relato de dor. Após exame clínico, observou-se
aumento de volume na região do elemento 74, característico de abcesso agudo e
restauração inadequada associada. Ao exame radiográfico, verificou-se presença de
taurodontia, classificada como uma mesotaurodontia. O tratamento realizado foi
pulpectomia, em que uma pasta iodoformada foi utilizada como material obturador.
Tratamentos endodônticos em casos de taurodontismo são pouco indicados devido ao
grau de dificuldade em realizá-los. Por se tratar de uma criança em idade pré-escolar,
cujo sucessor permanente ainda encontrava-se no estágio 6 de Nolla, optou-se por um
tratamento mais conservador, sendo o acompanhamento do caso imprescindível até sua
esfoliação natural.
Tratamento Odontológico Sob Anestesia Geral: Em Paciente Portador de Síndrome de
Angelman – Relato de Caso
Rafaela Moraes de Mendonça
Marcelo Ventura de
Cláudio Jorge Campos
Rodrigo Figueiredo de Brito
Andrade
Fernandes
Resende
Pinkie Seabra Marra
A Síndrome de Angelman foi relatada pela primeira vez em 1965 pelo Dr. Harry e apesar de
ser uma condição genética clinicamente bem definida, que na maioria dos casos é
ocasionada por uma deleção do cromossomo 15 materno, ainda encontra-se pouco
divulgada nos meios profissionais e científicos não relacionados à área da genética. A
Síndrome apresenta critérios clínicos consistentes, frequentes e associados e caracteriza-se
por ser um distúrbio neuropsicomotor que causa retardo mental, atraso na aquisição
motora, epilepsia, ausência de fala, falta de atenção, hiperatividade, risos frequentes,
redução do tamanho da cabeça e achatamento de sua porção posterior, características
faciais distintivas e redução da pigmentação cutânea. Seu diagnóstico é realizado a partir do
primeiro ano de vida por um pediatra, geneticista clínico ou pelo neurologista que se
baseiam na história do desenvolvimento motor, desenvolvimento da fala, em relatos de
movimentos atípicos incluindo tremores, flapping das mãos, andar desequilibrado com as
pernas rígidas, abertas e os braços afastados do corpo na tentativa de melhorar o equilíbrio.
O objetivo deste trabalho é relatar o tratamento odontológico em uma adolescente
diagnosticada com esta síndrome no âmbito hospitalar sob anestesia geral realizado no
Serviço de Odontologia da Enfermaria Sorriso Especial do Hospital Estadual Rocha Faria.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 175 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Osteorradionecrose (Orn) Mandibular Associada ao Tratamento de Câncer de Cabeça e
Pescoço: Relato de Caso
Ranna Jacielly Lopes da Rocha Lins
Maria de Fátima Lima
Janaina Andrade Lima
Adriane Romeiro Bispo
Ferreira
Salmos de Brito
Ricardo Viana Bessa Nogueira
A complicação mais grave da radioterapia de cabeça e pescoço é a osteorradionecrose
(ORN), condição em que as células ósseas e vascularização do tecido tornam-se
irreversivelmente danificados após o tratamento anti-neoplásico. A prevalência da ORN
mandibular em pacientes com câncer de cabeça e pescoço e submetidos à radioterapia
complementar pode variar de 0,4% a 56%. O diagnóstico baseia-se na observação clínica
de osso cronicamente exposto, o qual exibe uma fistulação crônica, dolorosa e necrótica.
O objetivo do presente estudo é relatar um caso de um paciente, melanoderma, 49 anos
de idade atendido no Centro de Câncer de Alta Complexidade, da Universidade Federal
de Alagoas (UFAL-CACON), diagnosticado com carcinoma de células escamosas na lateral
direita da língua. O protocolo realizado foi a remoção cirúrgica da região afetada,
seguida de radioterapia e quimioterapia. No seguimento tardio (2 anos e 6 meses), a
ORN mandibular foi clinicamente diagnosticada em exames de imagens (radiografias e
topografias), além de ter sido observado a presença de necrose e sequestro ósseo e
tecido fistulado. O tratamento da ORN consistiu na antibioticoterapia, remoção de
tecido necrótico e dos sequestros de osso, além da drenagem da fístula. O caso
demonstra a gravidade da complicação e a necessidade do conhecimento do cirurgiãodentista para o diagnóstico e tratamento da ORN.
Carcinoma Adenóide Cístico em Mucosa Jugal: Relato de Caso
Raphael Lobo de Souza
Maria Emília Santos Pereira
Valéria Souza Freitas
Márcio Campos Oliveira
Ramos
Michelle Miranda Lopes Falcão
O carcinoma adenoide cístico é um tumor maligno de glândulas salivares que afeta, em
50% dos casos, as glândulas salivares menores. O palato é o sítio mais comum, sendo
relativamente raro em glândula parótida, onde representa 2% a 3% de todos os tumores.
Esta lesão é mais comum em adultos de meia-idade, com leve predileção pelo sexo
feminino. A sintomatologia dolorosa é um achado importante no curso inicial da doença.
Objetiva-se relatar um caso de tumor maligno de glândula salivar, bem como descrever
seus aspectos clínicos e histopatológicos. Indivíduo do sexo feminino, 74 anos,
leucoderma apresentou no exame clínico lesão sintomática na mucosa jugal esquerda
com, aproximadamente, quatro mm de diâmetro, cor semelhante à mucosa
circunvizinha, aspecto nodular, superfície lisa e, segundo relato da paciente, com 10
meses de evolução. Solicitou-se a ultrassonografia da glândula parótida esquerda e
radiografia panorâmica digital. Os achados dos exames hematológicos pré-operatórios
revelaram-se dentro dos parâmetros de normalidade. Foi realizada a biópsia excisional,
sob anestesia local e o resultado do exame histopatológico foi de Carcinoma Adenóide
Cístico. A paciente foi encaminhada para o cirurgião de cabeça e pescoço para adoção de
medidas terapêuticas adequadas. O caso encontra-se em acompanhamento clínico há 20
meses e apresenta-se sem recidiva.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 176 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Gengivite Plasmocitária: Relato de Caso em Criança
Raquel Nogueira de Carvalho
Marlus Roberto Rodrigues
Maria Elisa Rangel Janini
Aline de Almeida Neves
Cajazeira
Luciana Pomarico
A gengivite plasmocitária é um tipo raro de gengivite que afeta adultos, e
ocasionalmente crianças, de ambos os sexos. A etiologia dessa condição é incerta,
embora a participação de um componente alérgico tenha sido proposta como um de
seus prováveis agentes etiológicos. Clinicamente, os pacientes afetados apresentam uma
gengivite de aparecimento súbito, afetando as gengivas livre e inserida, normalmente
dolorosa, caracterizada por um aumento difuso no volume, eritema e perda do aspecto
pontilhado. A condição pode ainda envolver os lábios e língua sendo denominada
gengivoestomatite plasmocitária. O diagnóstico é feito com base na história relatada
pelo paciente em associação ao exame clínico e microscópico. A principal forma de
tratamento é a descoberta e retirada do agente que causou a condição. Quando essa
gengivite é causada por um fator desconhecido, a utilização de corticosteroides tópicos
está indicada. Assim, o objetivo deste trabalho foi apresentar um caso de gengivite
plasmocitária em uma menina de 8 anos de idade, ocorrido após o tratamento de uma
laringite com anti-inflamatório tópico, bem como discutir os principais aspectos
relacionados ao diagnóstico, tratamento e prognóstico dessa condição.
Confecção de Pino Anatômico Pela Técnica Semidireta – Relato de Caso
Rayana Araujo Lima
Brasil, Sc
Mendes, Apkf
Senna, P
Netto, Lrc.
Apesar dos constantes avanços na odontologia, a reabilitação de dentes tratados
endodonticamente representa um desafio não somente na busca de uma adesão ideal
do pino ao substrato dentinário, como também nos casos onde o remanescente dental
se apresenta fragilizado. Logo, pinos de fibra de vidro representam uma possibilidade de
uso nestas situações, pois possuem módulo de elasticidade semelhante à dentina;
adesão à estrutura dental quando utilizados juntamente com o sistema adesivo e
cimento resinoso; além de serem estéticos. Apesar destas vantagens, o tratamento
restaurador de dentes com canais amplos representa uma situação desafiadora, pois
muitas vezes não há uma adequada adaptação do pino, ocorrendo uma espessa linha de
cimento que pode contribuir para o surgimento de bolhas no seu interior, influenciando
negativamente na sua retenção. Logo, a confecção de um pino anatômico através do
reembasamento do pino de fibra com resina composta é uma opção viável, pois permite
uma boa adaptação do pino as paredes do canal radicular, e consequentemente, uma
menor e uniforme linha de cimento. Diante disso, o objetivo deste trabalho é relatar,
através deste caso clínico, a confecção de dois pinos anatômicos pela técnica semidireta.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 177 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Tratamento para Mucosite Oral e a Interferência na Qualidade de Vida do Paciente:
Relato de Caso
AUTOR
Rayanne Neves Pereira
CO AUTORES Jonathan Ribeiro
Rodrigo Santos Pereira
Rodrigo Resende
ORIENTADOR Carlos Fernando Mourão
A mucosite é uma inflamação e ulceração da mucosa bucal com maior prevalência em
pacientes oncológicos tratados com radioterapia e/ou quimioterapia. Suas
características clinicas são: eritema seguido de reação pseudomembranosa dolorosa ao
contato, hemorragia, edema, dificuldade de deglutição. Pode ser confundida com a
candidíase devido seus aspectos clínicos. Mas, há possibilidade de infecção secundária
por Candida Albicans na região afetada. O objetivo deste trabalho é relatar um caso
clínico onde o paciente apresentou um quadro de mucosite relacionada radioterapia
(sete sessões) após tratamento cirúrgico de um carcinoma espinocelular na maxila. Após
RESUMO
21 dias do início desta condição, o paciente relatou perda de 18 Kg, devido a
impossibilidade de ingerir alimentos sólidos. O mesmo compareceu à clínica da
faculdade, aonde foi tratado com gel de miconazol, saliva artificial e solução de
digluconato de clorexidina à 0,12%. Após 14 dias retornou apresentando regressão total
do quadro foi mantido a saliva artificial, prescrito um hidratante labial para maior
conforto ao paciente e um colutório de uso diário para auxiliar a higiene oral. Este
recuperou parte do peso, retornou a sua rotina diária e segue em acompanhamento sem
recidivas após 4 meses do tratamento. Logo, é imprescindível o conhecimento do grau e
nível da mucosite oral para garantir a terapia correta.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Cirurgia Plástica Periodontal em Área Desprovida de Mucosa Ceratinizada
Rayssa Chagas da Silveira
Dilson Luciano Costa Junior
Humberto Lucas Bastos de Souza
Nelson Gnoatto
As técnicas cirúrgicas periodontais de recobrimento radicular em recessões gengivais
dependem da análise da quantidade e qualidade do tecido gengival ceratinizado
adjacente. A ausência de mucosa ceratinizada diminui a previsibilidade de recobrimento
radicular, e uma intervenção cirúrgica primária, de enxerto livre de mucosa ceratinizada
(enxerto gengival livre), pode ser um requisito. Assim, um biótipo mucogengival mais
favorável é obtido para uma intervenção de recobrimento radicular mais previsível em
segundo estágio cirúrgico. O presente trabalho relata um caso clínico de enxerto
gengival livre bimaxilar em áreas estéticas desprovidas de mucosa ceratinizada em
paciente do gênero masculino, 30 anos de idade. Os enxertos, de espessura epitélioconjuntiva em torno de 1,5 mm, foram obtidos da mucosa palatina, na região
compreendida entre o primeiro pré-molar e o segundo molar superior direito e
estabilizados sobre o leito receptor nas áreas de caninos e primeiros pré-molares
direitos superiores e inferiores, por suturas (Vicryl 6-0). Instruções pós-operatórias de
analgesia (dipirona sódica 500 mg por 24 horas), bochechos com digluconato de
clorexidina 0,12% (a cada 12 horas por 15 dias) e higienização atraumática foram
instituídas. Os aspectos clínicos aos 7, 15, 30, 60 e 90 dias são apresentados e discutidos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 178 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Tratamento Ortodôntico-cirúrgico de quatro Caninos Permanentes Impactados. Relato
de Caso Clínico
Rayssa Rodrigues Pereira
Cristóvão Marcondes de
Ricardo José Manna de
Rodrigo Custódio Silveira
Castro Rodrigues
Oliveira
Jonas Dantas Batista
A impacção de caninos pode ocorrer muitas vezes associada a causas sistêmicas e/ou
locais. Diversas terapêuticas são utilizadas na solução do problema, a qual se destaca o
tratamento cirúrgico para exposição da coroa clínica, associada ao tracionamento
ortodôntico. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de impacção de caninos
superiores e inferiores em paciente do sexo feminino, leucoderma, 14 anos de idade,
portadora de má-oclusão de classe I de Angle. Na anamnese não foram observadas
alterações. Ao exame clínico intra-oral verificou-se retenção prolongada dos caninos
decíduos superiores e inferiores, e ausência de espaço para a irrupção dos caninos
permanentes. Após análise da documentação ortodôntica, optou-se pela remoção
cirúrgica dos elementos 53 e 14, 63 e 24, 73 e 34, 83 e 44. Na mesma cirurgia foi
realizada a colagem de botões ortodônticos associado a fio de amarrilhos permitindo de
imediato o tracionamento dos dentes 13, 23, 33 e 43, para suas respectivas posições.
Atualmente, os caninos encontram-se em correto posicionamento, apresentando
estabilidade oclusal, e a face com uma boa harmonia. Pode-se concluir que o
prognóstico depende do posicionamento do canino em relação às estruturas adjacentes,
se há espaço disponível no arco dentário para o tracionamento e se há possibilidade de
movimentação ortodôntica.
Volumoso Cisto Epidermóde em Assoalho de Boca: Relato de Caso
Rebeca Brasil Baldez
Fernanda Ferreira Silva
Amanda Vargas Ferreira
Caroline da Silva Medeiros
Fraga
Fabricio Le Draper Vieira
Cisto epidermóide são alterações de desenvolvimento benignas sem a presença de
estruturas anexas como glândulas sebáceas, folículos pilosos ou glândulas sudoríparas.
Pode desenvolver-se em qualquer região do corpo humano; cerca de 7% destes cisto
ocorrem na região de cabeça e pescoço. Mais frequentemente apresentam
sintomatologia em pacientes entre 15 e 35 anos, mas Pode ocorrer em qualquer idade.
Sua etiologia ainda é incerta, porem acredita-se que esteja associada a remanescentes
do ectoderma aprisionado no primeiro e segundo arcos branquiais, mas outras teorias
propostas como eventos acidentais ou cirúrgicos, ocorrendo uma implantação
traumática do epitélio dentro de estruturas profundas. O presente trabalho tem como
objetivo apresentar tratamento cirúrgico para volumoso cisto epidermóide em assoalho
da boca através de relato de caso. Os cistos epidermoides são mais comum em áreas
propensas ao desenvolvimento de acne na cabeça, pescoço e costas. Eles são raros antes
da puberdade e em adultos jovens tendem a apresentar cistos na face, enquanto que os
mais velhos tem maior propensão para cistos nas costas. Os Cistos epidermoides
apresentam como lesões nodulares subcutâneas, flutuantes, que podem estar ou não
associados á inflamação.
Palavras-chave: cisto dermóide, cisto epidermóide, assoalho de boca.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 179 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Herpes Zoster em Face: Relato de Caso Clínico
Rebeca Brasil Costa
Antonio Fernando Pereira
Renata Portela
Patricia Leite Ribeiro
Falcão
Viviane Almeida Sarmento
Herpes zoster é uma infecção neurodérmica causada pelo vírus da varicela zoster (VVZ),
correspondendo a forma recorrente da varicela. Após infecção primária (varicela) o vírus
aloja-se nos gânglios nervosos da região afetada e permanece em estágio latente até ser
reativado. Afeta normalmente indivíduos mais velhos ou imunossuprimidos e manifestase principalmente no tronco (entre as vértebras T3 e L2) e na face (divisão oftálmica do
nervo trigêmeo). Os sinais prodrômicos da doença são prurido, queimação, dor e
parestesia, que dão lugar a vesículas dolorosas que se distribuem unilateralmente na
região afetada. As lesões evoluem para úlceras que geralmente cicatrizam em algumas
semanas e poderão recidivar. O objetivo deste trabalho é relatar um caso de grandes
proporções de Herpes Zoster na face e região intrabucal, em uma paciente de 74 anos,
internada no Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos (UFBA,
Salvador, Bahia), hipertensa, sob investigação de poliserosite. A paciente foi submetida à
biópsia de pericárdio, pericardiocentese e drenagem pleural bilateral, sem
intercorrências e após 12 dias dos procedimentos evoluiu com lesões em face e em boca,
diagnosticadas como Herpes Zoster, cujo tratamento incluiu a fotobiomodulação com
laser de baixa intensidade. Também serão discutidas as características clínicas,
diagnóstico e tratamento da infecção.
Mioepitelioma X Adenoma de Glândulas Salivares Menores com Ênfase no Diagnostico
Diferencial e Tratamento Cirúrgico – Relato de Caso Clínico
Reinilton Gomes Rocha Junior
Lais Câncio Hayne
Jener Gonçalves de Farias
As neoplasias de glândulas salivares constituem um grupo de lesões, clínica e
morfologicamente diverso, capaz de determinar importantes desafios diagnósticos e
terapêuticos. O presente trabalho tem por objetivo apresentar dois casos de tumores
benignos de glândulas salivares menores, sendo um adenoma e outro mioepitelioma,
discutindo o diagnóstico diferencial e a forma de tratamento em comparação com
informações da literatura. Pacientes do gênero feminino, com idades 46 e 52 anos,
ambas se queixavam que após o uso de uma prótese mal adaptada notou-se o
aparecimento de uma lesão no palato, assíntomatica. Diante das características clínicas
das lesões, uma com hipótese de diagnóstico foi tumor da glândula salivar menor e
adenoma pleomórfico, respectivamente. Diante da ausência de sinais de malignidade, o
tratamento proposto foi biopsia excisional com enucleação e curetagem. Após
tratamento com biopsia, enucleação e curetagem, o tratamento se fez eficaz e houve
uma melhora na cicatrização do palato e fez com que a prótese ficasse satisfatória.
Diante das lesões se as mesmas não apresentam características de malignidade o
tratamento através de biopsia, enucleação e curetagem se tornam eficazes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 180 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Tumor Odontogênico Ceratocístico Mimetizando Lesão Periapical
Renan de Barros Farneze
Bruno Augusto Benevenuto
Flávio Chapelin
Michelle Agostini
de Andrade
Mario José Romanach Gonzalez Sobrinho
O tumor odontogênico queratocístico é uma neoplasia benigna preferencialmente em
região posterior da mandíbula de pacientes entre 10 e 40 anos. Paciente do gênero
masculino, 49 anos, com aumento de volume assintomático em região anterior de
maxila e evolução de 6 meses. O exame radiográfico revelou imagem radiolúcida
unilocular, bem delimitada, com bordos festonados, envolvendo periápices dos dentes
13 ao 23 e cerca de 3,5 cm em seu maior diâmetro. O exame intra-oral revelou ausência
de vitalidade pulpar e coloração amarelada no dente 21. Com diagnóstico clínico e
radiográfico de granuloma periapical ou cisto radicular, foi realizada a remoção cirúrgica
total da lesão com material encaminhado para o Laboratório de Patologia Oral da FOUFRJ e tratamento endodôntico do elemento 21. O exame histopatológico revelou
cavidade cística revestida por epitélio estratificado pavimentoso paraqueratinizado com
núcleos da camada basal em paliçada e superfície luminal corrugada em uma cápsula de
tecido conjuntivo fibroso com escasso infiltrado inflamatório crônico. Com base nestes
achados, o diagnóstico final foi de tumor odontogênico queratocístico. O paciente segue
em acompanhamento clínico-radiográfico, sem sinal de recidiva da lesão após 3 meses.
Lesões radiolúcidas periapicais devem ser avaliadas microscopicamente para excluir a
possibilidade de tumores odontogênicos. Descritores: tumor odontogênico
queratocístico, lesão periapical, patologia oral.
Candida Bucal como Fator de Risco de Infecção Sistêmica em Pacientes na Unidade de
Terapia Intensiva
Renata Castanheira Machado
Tathiana do Nascimento
Diva Claudia de Almeida
Fernanda Brito Siqueira
Souza
Candida é o patógeno fúngico mais prevalente em UTI. Sua relevância patogênica está
relacionada com a capacidade de formar biofilme nos tecidos e superfícies de
biomateriais desenvolvendo infecções nosocomiais. Pacientes em UTI normalmente tem
higiene bucal negligenciada, ocasionando acúmulo de biofilme e de saburra lingual com
alteração da sua composição por patógenos do ambiente hospitalar. Esta situação
propicia o aumento da colonização por Cândida e sua co-agregação a microorganismos
presentes neste biofilme, podendo ocasionar pneumonia nosocomial e candidemia.
Infecções nosocomiais correspondem 10 a 15% de todas as infecções hospitalares sendo
responsável por 20 a 50% de todos os óbitos. Candidíase sistêmica pode levar à falência
renal com alta taxa de morbidade e mortalidade. A descontaminação bucal e do tubo
orotraqueal são imprescindíveis para a prevenção de candidíase. Apresentamos 4 casos
clínicos de pacientes internados na UTI do Hospital Federal da Lagoa, com a aprovação
do seu comitê de ética, que desenvolveram Cândida bucal, diagnosticada e tratada por
cirurgião-dentista. Observamos que pacientes em UTI apresentam alto risco para
alterações bucais que podem agravar o quadro sistêmico. Torna-se necessário a
implantação de protocolos de cuidados bucais e a presença constante de um cirurgiãodentista para a identificação e tratamento precoce de alterações bucais
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 181 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Restabelecimento Estético com Coroas Cerâmicas Puras E-max - Relato de Caso Clínico
com Proservação de 5 Anos.
Renata de Jesus da Silva
Torres, Silvério de Almeida
Vasconcellos, Walison
Paulo Isaías
Souza
Arthuso Seraidarian
Rodrigues, João Lima
Pacientes com necessidades estéticas têm procurado consultórios odontológicos em
busca de tratamentos conservadores. Este trabalho relata o caso clínico de uma paciente
jovem que apresentava facetas de resina composta insatisfatórias nos incisivos centrais
superiores. Ao exame radiográfico foi constatado tratamento endodôntico satisfatório
nos dentes 11, 21 e 23. Com estas informações e anamnese, o tratamento proposto foi
coroas de cerâmicas puras E.max nos dentes 13, 12, 11, 21, 22 e 23. Realizou-se desgaste
dentário com dimensões de 2,0 mm nas faces incisais e 0,5 -1,5mm nas faces livres e
proximais com pontas diamantadas. O término em chanfro foi confeccionado para
adequado assentamento das peças protéticas. As cópias dos preparos foram obtidas
com material de moldagem, silicone de adição de consistência densa e fluida, na técnica
de passo duplo. Modelos de gesso foram produzidos a partir das cópias e confeccionouse as coroas de cerâmica pura. Decorrido 20 dias, as peças foram cimentadas com
sistema adesivo convencional de 3 passos e cimento resinoso dual. As margens do
preparo receberam acabamento e polimento. A reabilitação estética devolveu um
sorriso bonito e harmônico proporcionando satisfação a paciente. O caso permanece
proservado há 5 anos e continua a apresentar resultados satisfatórios.
Injeção Acidental de Hipoclorito de Sódio no Periápice Através de Perfuração Radicular.
Renata Fraga de Carvalho
Eduardo Garcia Natal
Vitor Garcia Natal
Rogério J B Natal
Guilherme Miguel
A irrigação dos sistemas de canais radiculares é de suma importância para o sucesso do
tratamento endodôntico, sendo o hipoclorito de sódio (NaOCl) a solução mais utilizada
durante a irrigação. Apresentando benefícios como excelente agente antibacteriano
capaz de dissolver tecidos necrosados, tecidos pulpares vitais, componentes orgânicos
de dentina e de biofilmes, porém apresenta efeitos tóxicos sobre os tecidos vitais e
periapicais quando extravasados no periápice. O extravasamento acontece devido à
grande pressão exercida sobre a seringa durante o ato da irrigação ou travamento da
agulha de irrigação as paredes do canal causando êmbolo. O presente trabalho através
do relato do caso vem mostrar os sinais, sintomas e tratamento após acidente com
injeção de NaOCl. Paciente C.A.B. de 69 anos durante o retratamento endodôntico do
elemento 14 realizado na clínica, após a irrigação com NaOCl 2,5% apresentou quadro de
dor severa, sangramento no interior do canal, grande edema e hematoma faciais no lado
direito do rosto, logo após o extravasamento foi realizado irrigação com soro fisiológico,
prescrição de antibiótico e anti inflamatório e utilização de compressas externas de gelo
logo após o ocorrido. O acidente com injeção de NaOCl provoca forte dor, grande
edema, equimose podendo causar necrose dos tecidos onde houve contato com NaOCl.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 182 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Caninos Ectópicos: Superando Expectativas
Renata Lopes Lima
Hélio Henrique de Araújo
Mariele Cristina Garcia
Heloísio de Rezende Leite
Brito
Pantuzo
A impactação de caninos superiores ocorre em cerca de 2% da população e pode
acarretar em reabsorção radicular de dentes adjacentes. Por isso, é importante o
diagnóstico precoce, a fim de evitar um maior grau de severidade da impactação e de
tratamentos mais longos e invasivos. Atualmente é possível encontrar uma grande
quantidade de trabalhos que mostram as várias opções de abordagem interceptativa
como forma de tratamento de caninos ectópicos. Por outro lado, o sucesso do
tratamento está diretamente relacionado à severidade da ectopia, considerando a
angulação e a posição anteroposterior do canino. Ericson e Kurol estabeleceram critérios
de avaliar a posição anteroposterior e angulação, permitindo a predição da taxa de
sucesso. A posição mais anterior da coroa do canino em relação aos setores de
classificação e especialmente nos casos onde o canino estiver horizontal, menores são as
chances de normalizar sua trajetória de erupção. O presente trabalho, relata um caso
clínico de paciente V.N.M., do gênero masculino, 8 anos e 4 meses, com o canino
superior esquerdo impactado horizontalmente no palato, em que se optou por fazer
uma abordagem interceptativa com extração dos caninos e primeiros molares decíduos
bilateralmente e acompanhamento radiográfico. Após 3 anos da extração o canino
superior esquerdo começou a irromper espontaneamente sem qualquer outra forma de
tratamento.
Remoção Cirúrgica de Extranumerários- Relato de Caso
Renato Conti Franco
Yohana de Oliveira Machado
Marcio Américo Dias
Dentes extranumerários são alterações de desenvolvimento frequentes em muitas
síndromes genéticas, porém raras em casos não sindrômicos, qualquer dente que exceda
o número normal é denominado extranumerário. Sua presença pode dificultar ou até
mesmo impedir a erupção dos dentes adjacentes, prejudicando o desenvolvimento
normal da oclusão dentária, além de complicações como o surgimento de tumores,
cistos, a perda de vitalidade do dente vizinho, apinhamento e reabsorções radiculares.
Estes elementos podem apresentar-se na forma normal ou uma forma que não lembre a
anatomia dos dentes daquela região, desenvolvendo em qualquer parte dos arcos
dentários e são detectados clinicamente ou através de exames radiográficos de rotina.
Os dentes supranumerários podem ser únicos ou múltiplos, uni ou bilaterais, ocorrendo
com maior freqüência na maxila do que na mandíbula. O diagnóstico precoce e a
intervenção cirúrgica apropriada podem diminuir ou evitar complicações no
desenvolvimento da dentição do paciente, obtendo-se uma harmonia funcional, estética
e oclusal. O objetivo do trabalho foi relatar um caso clínico, de remoção cirúrgica de
dente extranumerário, encontrado em um adolescente do gênero masculino.
Palavras-chave: Remoção Cirúrgica. Extranumerário. Relato de Caso.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 183 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Tratamento Restaurador Estético da Amelogênese Imperfeita: Relato de Caso
Roberta Costa Jorge
Rayza Rocha Gonçalves
Hindra Colodetti
Andrea Melo
Ana Christina Lamosa da Fonseca
Amelogênese imperfeita é uma condição genética hereditária de má-formação do
esmalte dentário, que afeta todos ou a maioria dos dentes, gerando grande impacto na
qualidade de vida, dificultando a função mastigatória, a estética e a socialização. O
esmalte tem coloração amarelo amarronzada, aparência porosa, composição friável e
grande sensibilidade ao ar e ao frio. O objetivo deste trabalho é apresentar o caso clínico
do tratamento restaurador estético pré-ortodôntico de uma paciente de 14 anos,
atendida na clínica da disciplina de Saúde Oral do Adolescente (SOA) na Universidade do
Estado do Rio de Janeiro em 2014. Inicialmente foram removidas as facetas de resina
composta direta dos incisivos superiores, que se apresentavam manchadas e
insatisfatórias, optou-se por reabilitar a região ântero-superior com facetas de Resina
Brilliant NG Componeer da Coltene®, e posteriormente, receber o tratamento
ortodôntico corrigindo a mordida aberta e mordida cruzada posterior e começar com o
tratamento estético definitivo. Esta técnica consiste em utilizar facetas de resina
composta pré-fabricadas, inseridas juntamente com resina composta direta, consistindo
numa técnica semi-direta, arantindo assim, melhor estabilidade de cor e adaptação. O
tratamento proposto na primeira etapa apresentou excelentes resultados, melhora na
higiene oral, estética, e a paciente declarou grande satisfação.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
Correção da Assimetria Dentogengival com Finalidade Estética
Rodrigo Cária Magalhães
André Sabbatini Barbosa
Marcio Américo Dias
Rafael de Aguiar Vilela Junior
A estética do sorriso tem sido muito valorizada ultimamente, pois em casos de
assimetria do
leucoderma,
RESUMO
arcadas
cirurgia, foi indicada novamente a realizar o procedimento na arcada inferior. As técnicas
cirúrgicas como gengivectomia e a gengivoplastia são bem aceitas pelo pacientes e de
fácil execução. Se as indicações forem seguidas corretamente e realizadas dentro das
técnicas, elas trarão harmonia e a simetria do sorriso, além de corrigirem os problemas
estéticos satisfatoriamente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 184 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Síndrome de Stevens Johnson: sua Importância para Odontologia
Rômulo de Almeida Elias
Roberto Elias
Thayssa Souza
A Síndrome de Stevens-Johnson é uma forma grave, às vezes fatal, do eritema
multiforme ou polimorfo, que acomete o tegumento e as mucosas oral, genital, anal e
ocular, podendo evoluir para a forma ainda mais grave de necrólise epidérmica tóxica ou
síndrome de Lyell, sendo 3 a 5 por cento dos casos letais. É uma doença causada por
uma reação alérgica grave, podendo ser causada por estímulos farmacológicos, infecções
virais e neoplasias, embora em grande parte dos casos a etiologia específica não seja
elucidada. Seus sintomas incluem febre, mal-estar, artralgia, conjuntivite e insuficiência
respiratória além de lesões extensas do tipo máculas eritematosas, bolhas serohemorrágicas, púrpuras e úlceras genitais. Seu diagnóstico geralmente é através da
caracterização das erupções cutâneas e no tratamento é suspenso o uso de qualquer
medicamento que possa ter causado a doença, é feita a reposição endovenosa dos
líquidos e sais minerais perdidos devido à lesão e colírios específicos. O objetivo deste
trabalho é relatar um caso clinico de uma paciente do sexo feminino internada no centro
de terapia intensiva de um hospital da cidade do Rio de Janeiro, mostrando aspectos
intra orais no momento do exame, conduta estomatológica e a sua importância para a
odontologia.
Acometimento de Cisto Ósseo Traumático em Criança Após Queda de Própria Altura
Sabrina Morelli de Oliveira
Michele Alonso
Leonardo Peral
Bruno Vargas
Samanta Morelli
Cisto ósseo traumático da face ocorre mais na mandíbula, entre 10-20 anos, diagnóstico
através de exames de rotina, por ser geralmente indolor. É incomum, de etiologia
desconhecida, não neoplásica, sem cápsula de revestimento epitelial. Imagem
radiográfica: lesão cística, radiolúcida bem delimitada de 1-10 cm, em forma de cúpula
sobre as raízes dentárias. Por isso é confundido com cisto odontogênico ou não
odontogênico necessitando cirurgia para fechar diagnóstico (curetagem da cavidade
removendo conteúdo gasoso, líquido ou semi-sólido). Cicatriza em 6 meses, possui baixa
taxa de recidiva. Paciente de 14 anos, histórico de queda aos 10 anos, em radiografia de
rotina notou-se lesão radiolúcida na região dos dentes 43, 44, 45. Biópsia confirmou
cisto ósseo traumático. Não havia relato de dor, mas lesão expandia e possível fratura
patológica indicou a cirurgia. Por não colaboração da paciente, foi realizada anestesia
geral, incisão intra-sulcular com relaxantes, descolamento mucoperiósteo, visualização
da área afetada (área avermelhada por diminuição da densidade causada pela lesão),
confecção de janela óssea e curetagem da lesão (vazia por dentro), enxerto ósseo
microparticulado foi inserido, recoberto com membrana biológica para auxílio na
cicatrização e sutura. Acompanhamos a lesão por radiografias e após 4 meses houve
total cicatrização. Paciente não apresentou sequelas cirúrgicas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 185 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Tratamento Endodôntico com Limas Rotatórias de Niti com Memória Controlada: Relato
de Três Casos Clínicos
Samara Catarino Sampaio
Mariane Carolina Faria
Leopoldo Cosme Silva
Naiana Viana Viola
Barbosa
Existe uma grande praticidade e agilidade no uso de instrumentos de níquel-titânio
acionados a motor e isso torna o tratamento endodôntico mais rápido, menos
dificultoso e de melhor qualidade. Alguns obstáculos técnicos antes considerados
verdadeiros desafios podem ser vencidos com esta tecnologia de tratamento. Várias
gerações de limas de NiTi estão disponíveis no mercado. Atualmente, algumas limas
rotatórias são fabricadas pelo processo que controla a memória do material e isso
permite alta flexibilidade dessas limas. Além da flexibilidade é possível pré curvá-las, a
qual possibilita o acompanhamento da anatomia dos canais radiculares. Isso reduz o
risco de transporte, rasgo, desvio, zip ou perfuração. Este relato ilustra três casos clínicos
de molares tratados endodonticamente empregando a técnica de instrumentação Crown
Down (coroa-ápice) com o uso das limas de memória controlada Hyflex® CM NiTi
(Coltene – Vigodent AS), com abundante irrigação com hipoclorito de sódio a 2,5%. O
uso de limas com grande poder de flexibilidade possibilita vencer obstáculos técnicos e
anatômicos e isso permite uma melhor modelagem dos canais radiculares trazendo
maior segurança ao tratamento endodôntico.
Reabsorção Intracoronal Pré-eruptiva (Ripe): Relato de Caso Clínico
Sâmila Gonçalves Barra
Pedro Henrique Mayrink
Angela Christina Barroso
Cláudia Valéria de Sousa
Soares
Recchioni
Resende Penido
Maria Augusta Portella Guedes Visconti
A reabsorção intracoronal pré eruptiva (RIPE) é uma lesão radiolúcida localizada na
dentina, logo abaixo da junção esmalte dentina de dentes não irrompidos. Esta lesão é
geralmente localizadas nas faces oclusal, distal ou mesial da porção coronária,
estendendo-se a várias profundidades de dentina, raramente envolvendo a polpa e
preservando a coroa hígida. Pode ser confundida com cárie e incorretamente
denominada como “cárie oculta”, termo usado para descrever lesões que não são
diagnosticadas clinicamente e detectadas apenas em radiografias. É rara, assintomática e
de etiologia idiopática, geralmente diagnosticada em exames radiográficos de rotina ou
com fins ortodônticos. Os dentes mais envolvidos são os segundos pré-molares
inferiores, segundos e terceiros molares. Uma abordagem conservadora com
acompanhamento radiográfico é o tratamento recomendado até que o dente erupcione
para ser feita a intervenção. Porém, em casos de sintomatologia ou progressão da lesão,
aconselha-se a intervenção cirúrgica. O objetivo neste trabalho é relatar o caso de RIPE,
na paciente M.V.M.F. caucasiana, que compareceu a Clínica Odontológica da FO/PUCMinas, mostrando a importância dos exames periódicos e correta interpretação
radiográfica para melhor diagnóstico e tratamento precoce desta condição.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 186 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Fusão de Mesiodente com Incisivo Central Superior Associada a Cúspide em Garra:
Relato de Caso
Samille Patrizzia Santos
Helena Aguiar Ribeiro do
Maria Luiza dos Anjos
Andrea dos Anjos Pontual
Nascimento
Pontual
Flavia Maria de Moraes Ramos Perez
Durante o desenvolvimento dentário podem ocorrer algumas falhas que acarretam na
formação de diversas anomalias, dentre elas, a fusão, união de dois germes dentários
com a formação de um dente unido com confluência de dentina. A fusão pode envolver
dentes decíduos, permanentes e supranumerários. Outra anomalia que pode ocorrer, é
a cúspide em garra, na qual uma estrutura em forma de cúspide acessória projeta-se da
área do cíngulo ou da junção cemento-esmalte nos dentes anteriores. Os exames clínicos
e imaginológicos são fundamentais para o diagnóstico e planejamento do tratamento. O
uso de imagens tridimensionais proporciona uma visão melhor dos dentes e orienta a
escolha do tratamento adequado. Nesse caso, a Tomografia Computadorizada de Feixe
Cônico desempenhou um papel importante no diagnóstico e na elaboração do plano de
tratamento do paciente. O objetivo desse trabalho é relatar um caso de um paciente do
sexo masculino, 11 anos, que apresentava uma fusão de um mesiodente com o dente
11, o qual apresentava uma cúspide em garra. Tendo em vista que os pacientes podem
apresentar anomalias no desenvolvimento dentário é indispensável que o cirurgião
dentista esteja apto a realizar o diagnóstico e oferecer um tratamento adequado a esses
pacientes.
Palavras-chave: Fusão, dente supranumerário, cúspide, anomalia dentária.
O Efeito da Terapia Fotodinâmica como Coadjuvante no Tratamento Endodôntico –
Relato de Caso Clínico
Sergio Pinto Chaves Junior
Mayara Torres Eccard
Leonardo dos Santos Antunes Lívia Azeredo Alves Antunes
Natália Iorio Lopes Pontes
A terapia fotodinâmica (TFD) possui atividade antimicrobiana e, na Endodontia, visa a
eliminação dos microrganismos persistentes ao preparo químico-mecânico (PQM) do
sistema de canais. O objetivo do presente estudo é observar o efeito benéfico da TFD
como coadjuvante no tratamento endodôntico convencional. O paciente TC, sexo
masculino, 64 anos, foi atendido na cínica de odontologia da UFF-NF, sob aprovação do
comitê de ética n°: 30420314.3.0000.5626, com os dentes 21 e 22 em necrose pulpar
séptica, drenagem de pus espontânea e sem dor. O tratamento endodôntico foi
realizado pela técnica convencional. Ambos os dentes foram isolados separadamente,
um de cada vez, na mesma sessão. O tratamento foi realizado em duas sessões. Na
primeira sessão, realizou-se o acesso, o PQM com hipoclorito de sódio 2,5% e curativo
com Hidróxido de cálcio PA. Somente no dente 21 foi realizada a TFD. Na segunda
sessão, obturou-se os canais. Foi possível observar que o dente 22, onde não foi feita a
TFD, ainda apresentava drenagem, enquanto o dente 21 apresentava o curativo íntegro.
Em controle de uma semana após a obturação, o paciente não relatou dor. Pode-se
concluir que, embora os resultados do tratamentos endodônticos de ambos os dentes
tenham sido semelhantes, a TFD, como coadjuvante, acelerou o reparo tecidual,
garantindo maior confiabilidade no sucesso da terapia.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 187 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Reconstrução Alveolar (Rdi), Instalação Imediata e Carga Imediata em Incisivo Central
Superior.
Sergio Windson Maciel Bastos de Quadros
Luiz Corrêa Júnior
Mayra Cardoso
Daniel Telles
Eduardo Veras
Os tratamentos na área da implantodontia vêm sofrendo diversas atualizações que
trazem inovações que ajudam no prognóstico do paciente. Uma importante novidade no
tratamento é a instalação imediata de implantes utilizando restauração provisória
imediata na região dos dentes anteriores, uma área de grande preocupação para o
paciente, pois é de muita importância estética. Esta técnica oferece a vantagem de
conseguir reestabelecer estética, função e manutenção dos tecidos periimplantares em
um único tempo cirúrgico. Entretanto situações que prejudicam todo processo do
tratamento, onde a tábua óssea vestibular foi perdida em função de diversos fatores,
como por exemplo, fratura ocorrida do elemento dentário a ser extraído e lesões
inflamatórias que dificultam bastante e algumas vezes contraindicam essa técnica,
tornando o tratamento mais longo e com maior número de intervenções cirúrgicas. O
objetivo deste trabalho é demonstrar por meio de caso clínico o planejamento e a
realização de um enxerto ósseo removido da tuberosidade para reconstruir a parede
vestibular imediatamente após a exodontia do elemento 21 (Rosa et. al. 2010), com
instalação imediata de implante e confecção de restauração provisória.
A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono - Saos
Sheila Ferreira Maria Campos
Alexandre Augusto F. Silva
Aline Cristina da Silva
Paulo Marcos Nunes
Jonathan Ribeiro
A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é uma doença crônica com grande
prevalência na sociedade atual, com graves repercussões sistêmicas, sendo um
problema de saúde pública. A SAOS ocorre pelo estreitamento ou colapso das vias
aéreas superiores durante o sono. Na área da Odontologia destaca-se a Cirurgia
Ortognática de Avanço Maxilomandibular que possibilita através desta técnica o
aumento do volume das vias aéreas superiores, permitindo a diminuição ou eliminação
das obstruções da passagem de ar durante o sono, incluindo a melhoria na perfusão
tecidual. O objetivo deste trabalho é relatar um caso clínico de um paciente portador da
SAOS, tratado previamente de forma conservadora sem sucesso, sendo então submetido
à cirurgia Ortognática de Avanço Maxilomandibular e a rotação anti-horária de plano
oclusal, resultando em um satisfatório aumento de volume de via aérea com
subsequente diminuição dos episódios de apneia. Bibliografia: KUPPER, D. S.; LEITE, M.
G. J.; NOGUEIRA, R. L.; VALERA, F. C. P.; OLIVEIRA, J. A. A. Tratamento cirúrgico da SAOS.
Medicina, Ribeirão Preto, v.39, n.2. 2006. JUNIOR J. T. C.; TABOSA A. K. S.; KAURA S.
Cirurgia Ortognática para tratamento da síndrome da apneia obstrutiva do sono. Revisão
de Literatura. Umarizal, Pará, ago. 2008.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 188 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis Clínicos
Mucocele em Ventre de Língua: Micromarsupialização como Técnica de Tratamento
Silas Alves Costa
Beatriz de Assis Rego
César Augusto Abreu
Melaine de Almeida Lawall
Nogueira
Pareira
Erika Martins Pereira
As mucoceles são lesões benignas de glândulas salivares com etiologia traumática de um
ou mais ductos destas glândulas. A ruptura faz com que o muco seja retido no ducto,
ocausando sua obliteração, ou extravasado para os tecidos mucosos adjacentes. Dentre
as formas de tratamento a micromarsupialização é uma técnica relativamente simples,
pouco traumática, bem aceita pelos pacientes, com cicatrização excelente e apresentase melhor opção para o tratamento de crianças. O objetivo do trabalho será descrever as
características clínicas e histopatológicas da mucocele e as formas de tratamento, com
enfoque na micromarsupialização, demonstrando as vantagens e desvantagens. Paciente
do sexo feminino, 6 anos de idade, procurou a clínica infantil da Universidade com a
queixa de “incômodo em baixo da língua” há cerca de dois meses. Ao exame intrabucal
notou-se a presença de aumento de volume em ventre de língua, no qual se observava
uma bolha de consistência branda à palpação, algumas áreas arroxeadas, indolor,
medindo aproximadamente 2 cm de diâmetro. Sob anestesia infiltrativa local, a lesão foi
tratada com a técnica de micromarsupialização que objetiva a comunicação do meio
bucal com o interior da mucocele por meio de fios de sutura. A paciente foi avaliada a
cada sete dias até o desaparecimento da lesão. Neste momento encontra-se em
acompanhamento e sem recidiva.
Fratura de Fossa Mandibular do Osso Temporal Associada a Trauma de Face:Relato de
Caso
Silvano Silva Santos Junior
Prof. Dr. Bernardo Ferreira Brasileiro
Alguns traumatismos maxilofaciais podem mascarar lesões intracranianas, postergando
o tratamento adequado e comprometendo a saúde do paciente. Diante da importância
do reconhecimento dos traumatismos crânio-encefálicos (TCE) associados aos
traumatismos bucomaxilofaciais, este trabalho objetiva descrever um caso clínico de
uma jovem de 11 anos, vítima de queda de cavalo e que evoluiu com traumatismo facial
associado ao TCE.Ao exame físico, a paciente encontrava-se eupnéica, com estabilidade
cárdio-pulmonar e hemodinâmica, Escala de Coma de Glasgow de 15 pontos e história
de êmese após o trauma. Em face, evoluiu com blefarohematoma à esquerda associada
a otorragia ipsilateral, sem sinais de degraus ósseos, parestesias ou paralisias faciais.Ao
exame de tomografia computadorizada de crânio e coluna cervical foi observada fratura
do osso temporal esquerdo com extensão da porção petrosa até a fossa mandibular,
com hematoma subdural agudo e contusão cortical frontal direita. A tomografia
computadorizada de face não evidenciou nenhuma fratura facial apesar dos sinais
hemorrágicos faciais. Sua condução terapêutica foi baseada em observação hospitalar
por 48 horas para controle da otorragia, e o hematoma periorbital apresentou regressão
completa em proservação ambulatorial de 45 dias. Assim sendo, evidencia-se que existe
associação entre as lesões faciais e os TCE.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 189 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Análise da Associação de Gel Clareador com Agentes Dessensibilizantes em um Gel
Clareador Experimental
Sônia Cristina de Sousa
Daniela Navarro Ribeiro
Alexandre Coelho Machado
Guilherme Faria Moura
Teixeira
Paulo Vinícius Soares
O objetivo deste estudo clínico foi avaliar o efeito da adição de agente dessensibilizante
em gel clareador experimental. Após aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa
(#942.199), 60 pacientes foram selecionados para clareamento de moldeira com
peróxido de carbamida-16% e divididos aleatoriamente em dois grupos: controle (C) e
com adição de nitrato de potássio (D); sendo um estudo duplo cego. A cor inicial foi
realizado com Escala Visual Vita Clássica antes do tratamento (T1), após 7 (T1) e 14 dias
(T2). A sensibilidade foi mensurada com Escala Visual Analógica em T1 e T2 após
estimulo tátil (sonda clínica) e térmico (seringa de ar) e classifica em ausência de dor
(D0), dor leve (D1), dor moderada (D2) e dor intensa (D3). Como resultado, os dentes
mais acometidos por sensibilidade foram os pré-molares seguidos pelos caninos e
incisivos. A adição de nitrato de potássio resultou em menor índice de sensibilidade e
não houve diferença entre o potencial clareador entre os produtos. Portanto, conclui-se
que a adição de nitrato de potássio em gel clareador a base de peróxido de carbamida16% promove menor sensibilidade durante o clareamento dentário, com a mesma taxa
de sucesso do que somente o agente clareador.
Diagnóstico Precoce de Síndrome do Incisivo Central Superior Solitário
Stefânia Werneck Procópio
Thiago Isidro Vieira
Adrielle Mangabeira Santos Marta Terezinha Fornasari
Gloria Fernanda Barbosa Araújo Castro
A Síndrome do Incisivo Central Superior Solitário (SICSS) é uma condição rara, verificada
em 1:50. 000 nascimentos, com maior acometimento no gênero feminino. Ela é
caracterizada pela ocorrência de defeitos de desenvolvimento devido a fatores
desconhecidos no período gestacional podendo ser um indicador de holoprosencefalia.
Sua manifestação oral consiste em alteração no desenvolvimento da oclusão
caracterizada por más formações estruturais na região de linha média. Dessa forma, este
caso descreve um paciente melanoderma do gênero masculino de 8 anos de idade com
um quadro de SICSS. O exame clínico demonstrou a presença de apenas um incisivo
central superior, localizado na linha média, ausência de freio labial superior e sem
presença de cárie. O paciente apresentava má formação cardíaca, porém sua estatura
era compatível com a idade o que difere das características dessa síndrome. O
tratamento proposto foi baseado na odontologia preventiva para manter a saúde da
cavidade oral e em seguida, foi encaminhado para tratamento ortodôntico. Desta forma,
para que o odontopediatra ofereça um tratamento eficaz, faz-se necessário o
conhecimento dessa doença uma vez que ela é o indicativo de outras más formações
congênitas severas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 190 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Frenectomia Lingual: Relato de Caso
Stefanie Paula de Paiva
Yohana Oliveira Machado
Marcio Américo Dias
O frênulo da língua é uma pequena prega de membrana mucosa que conecta a metade
da face sublingual da língua ao assoalho da boca, interferindo nos movimentos da língua
e em suas funções. As funções orofaciais podem estar alteradas de acordo com o grau de
alteração do frênulo da lingual. Cirurgias são indicadas apenas quando as funções
orofaciais estão significativamente comprometidas. As inserções anormais do freio
provocam uma tração anormal dos movimentos labiais podendo causar alterações nos
tecidos periodontais, aspecto estético desfavorável, afetar a fonação de algumas letras,
induzir a hábitos viciosos e interferir na escovagem dentária. A frenectomia é o
procedimento mais comum para liberar o frênulo lingual. A postura e a mobilidade da
língua, as funções orofaciais, a postura do lábioe a comunicação oral melhoraram em
diferentes graus após a frenectomia. Paciente LCL, sexo masculino, 12 anos de idade,
leucoderma, compareceu à clínica Inapós com a queixa principal de locomoção da língua,
dificuldade de higienização e trauma por contato nos dentes inferiores. O tratamento
proposto foi a frenectomia lingual. O objetivo do presente estudo foi descrever um
relato de caso, de frenectomia lingual, pela técnica convencional.
Palavras-chave: Frênulo da língua. Frenectomia lingual. Técnica convencional
Cárie Oculta e Técnica da Réplica Oclusal em um Paciente Odontopediátrico: Relato de
Caso
AUTOR
Stella Rodrigues dos Santos
Gabriella Fernandes
Bruna Caroline Tomé
CO AUTORES
Andréa Laudares Marques
Rodrigues
Barreto
ORIENTADOR Andréa Gonçalves Antonio
Cárie oculta ou lesão fechada de dentina acomete o tecido dentinário e preserva a
estrutura do esmalte hígida clinicamente. A técnica da réplica oclusal consiste na
reprodução da anatomia oclusal por meio de uma matriz previamente confeccionada. O
objetivo deste trabalho é relatar um caso de cárie oculta tratada pela técnica da réplica
oclusal. Paciente de 13 anos, gênero masculino, compareceu à clínica de Odontopediatria
da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro para consulta de
rotina. Ao exame clínico observou-se presença de sulco pigmentado em todos os
RESUMO
molares permanentes e após o exame radiográfico interproximal detectou-se presença
de cárie oculta no elemento 14. Foram realizadas a remoção do tecido cariado e a
restauração do elemento dentário com resina composta, através da técnica da réplica
oclusal. O diagnóstico de lesões ocultas pelo exame clínico é de difícil execução sendo
necessários exames complementares, como a radiografia interproximal. A técnica da
réplica oclusal é uma excelente escolha para crianças, pois possibilita a reconstrução da
morfologia oclusal, eliminando a etapa de ajuste clínico, além de ser de baixo custo e de
fácil execução.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 191 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Amelogênese Imperfeita: a Importância do Diagnóstico Precoce na Saúde e no
Desenvolvimento da Criança e do Adolescente. Relato de Caso.
Stephanie Evelyn Antunes Novaes
Priscila dos Santos Simões
Rudá França Moreira
Rossana Figueiredo
Mauro Sayão de Miranda
A amelogênese imperfeita (AI) é uma alteração do desenvolvimento do esmalte, de
caráter hereditário que afeta as dentições decídua e permanente. As causas destes
defeitos na formação do esmalte podem ser geralmente classificadas como: sistêmicas,
locais ou genéticas. A AI está também associada a problemas de socialização, função e
desconforto mas pode ser contornada com tratamento continuado durante toda a
infância e até à vida adulta. O objetivo do presente trabalho foi orientar, com o auxílio
de um caso clínico, sobre o diagnóstico precoce da AI, os possíveis danos psicológicos e
como reduzir a extrema sensibilidade dentária que acomete os pacientes. Paciente
adolescente, 12 anos, pardo, hiperativo, procurou atendimento odontológico na clínica
da disciplina de Saúde Oral do Adolescente da Universidade do Estado do Rio de Janeiro
acompanhado dos familiares. A mãe queixava-se da aparência dos dentes do filho,
alegando que eram amarelados e de tamanho alterado. A queixa principal era
sensibilidade nos dentes, principalmente com bebidas e alimentos gelados. Paciente foi
submetido a exame clínico e radiográfico, recebeu orientação de higiene bucal e
tratamento para a sensibilidade de imediato. O caso permanece em acompanhamento
clínico semestral tendo evidenciado sucesso até o presente momento.
Reconstrução de Cavidades Anoftálmicas Atresiadas – Relatos de Caso
Suely do Nascimento Aguiar
Jaciel Leandro de Melo
Lenise Dalma da Silva
Heydson Alcides de Lima
Freitas
Nascimento
Souza
Silvana Orestes Cardoso
O presente estudo teve por objetivo avaliar os resultados estético-funcionais de
cavidades anoftálmicas atresiadas reabilitadas através de próteses oculares
individualizadas com e sem utilização de enxerto autógeno. Trata-se de dois casos
clínicos de pacientes idosas que procuraram a Clínica de Prótese Buco-Maxilo-Facial da
UFPE. No primeiro caso, a paciente tinha se submetido a uma cirurgia corretiva com
utilização de enxerto autógeno para ampliação da cavidade anoftálmica deformada. No
segundo, a paciente apenas tinha utilizado próteses pré-fabricadas. Tendo em vista que
os procedimentos cirúrgico e protético, previamente realizados, não conseguiram
impedir a atresia da cavidade anoftálmica, optou-se pela confecção de próteses oculares
individualizadas cambiáveis, substituídas a cada 6 meses por um período de 2 anos,
objetivando-se a ampliação das cavidades deformadas. Considerando-se a controvérsia
que existe na literatura acerca das diferentes terapêuticas utilizadas para recuperação
de cavidades deformadas, os autores concluem que os resultados estético-funcionais
obtidos nos dois casos foram semelhantes e que o sucesso dos tratamentos
preconizados depende da técnica cirúrgica realizada, dos materiais utilizados, das
modalidades de prótese ocular e da colaboração do paciente no pós-operatório.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 192 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Cisto Odontogênico Glandular: Relato de Caso
Tagna de Oliveira Brandão
Elias Almeida dos Santos
João Nunes Nogueira Neto
Bráulio Carneiro Junior
Águida Cristina Gomes Henriques
O cisto odontogênico glandular (COG) é uma patologia rara do desenvolvimento que
acomete preferencialmente a região anterior da mandíbula. O tamanho do cisto varia de
pequenos e assintomáticos a grandes lesões destrutivas que causam expansão óssea,
podendo estar relacionada à dor, parestesia e com tendência à recidiva. O COG
compartilha características morfológicas com outros cistos odontogênicos e até com o
carcinoma mucoepidermóide de baixo grau, o que torna seu diagnóstico histopatológico
um desafio. O propósito desse trabalho é apresentar um caso de COG localizado em um
sítio atípico, descrevendo seu aspecto clínico e histopatológico, além dos possíveis
diagnósticos diferenciais. Paciente OGS, sexo masculino, 49 anos, apresentando
tumefação referente à recidiva de lesão em maxila direita. Os exames imaginológicos
mostraram área hipodensa com expansão significativa da cortical vestibular. Foi
realizada a biópsia excisional, sendo demonstrado no exame histopatológico,
características compatíveis com COG. Diante da natureza agressiva do COG, com
consideráveis chances de recidiva, os pacientes acometidos devem ser acompanhados
por tempo prolongado após a cirurgia. É importante o conhecimento de suas
características clínicopatológicas pelo cirurgião-dentista, uma vez que sua baixa
prevalência na literatura se deve, em parte, a controvérsias no seu diagnóstico.
Sarcoma de Kaposi em Paciente com Sida e Trombocitopenia Grave: Relato de Caso
Taiane de Santana Azevêdo Falcão
Renata Portela
Davi Silva Carvalho Curi
Patricia Leite Ribeiro
Viviane Almeida Sarmento
O Sarcoma de Kaposi (SK) é uma neoplasia maligna de origem vascular associada à
infecção por herpesvirus humano 8 (HHV-8), que acomete principalmente tecidos
mucocutâneos de pacientes com Síndrome da Imunodeficiência Humana (SIDA). A
patogênese do SK ainda não está completamente estabelecida e muitas questões ainda
precisam ser esclarecidas. O surgimento das lesões pode estar associado à interrupção
da terapia antirretroviral e à baixa imunidade. Este trabalho tem como objetivo relatar o
caso de um paciente diagnosticado com SIDA que apresentava diversas complicações
sistêmicas associadas à infecção por SIDA e um quadro de imunossupressão severa, com
a contagem de células CD4 de apenas 5 células/mm³ e trombocitopenia grave. Foi
observada lesão violácea em palato duro, que foi biopsiada e confirmou o diagnóstico de
SK. A doença teve um curso invasivo, disseminando-se para outras regiões da boca e
pele. O paciente foi submetido a quimioterapia com sucesso terapêutico. As lesões
bucais de SK são comuns e normalmente podem indicar os primeiros sinais de infecções
pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH) ou do insucesso da terapia antirretroviral,
por isso é importante o diagnóstico dessas lesões pelos cirurgiões-dentistas, a fim de
realizar um tratamento adequado o mais precoce possível.
Palavras chave: sarcoma de Kaposi, AIDS, SIDA, HIV.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 193 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Expansão Rápida da Maxila Assistida Cirurgicamente – Avaliação Radiográfica da Sutura
Palatina Mediana
Taiane dos Santos Lopes
Eugênio Braz Rodrigues
Ilana Ferreira de Oliveira
Cinthia de Oliveira Lisboa
Arantes
Christovam
Claudia Trindade Mattos
A expansão rápida da maxila assistida cirurgicamente é o tratamento mais indicado para
correção da atresia maxilar em adultos. A literatura é controversa quanto ao tempo
necessário de contenção, que considera a formação óssea na região da sutura palatina
mediana. Portanto, o objetivo do caso foi avaliar o tempo ideal de contenção até ocorrer
essa ossificação. Uma paciente de 29 anos, procurou retratamento ortodôntico, onde
sua queixa principal era o amplo corredor bucal. Na avaliação, observou-se uma
maloclusão de classe II de Angle subdivisão esquerda, linha média superior correta e
inferior desviada, maloclusão de classe I esquelética e atresia da arcada superior. A
disjunção cirúrgica foi feita e o parafuso disjuntor foi aberto progressivamente até que
as cúspides palatinas dos molares superiores estivessem no mesmo nível das cúspides
vestibulares dos inferiores. O disjuntor foi mantido por 7 meses e a neoformação óssea
foi acompanhada por radiografias oclusais. Ao final, a paciente apresentava estética e
função satisfatória e a queixa principal solucionada. A contenção deve ser feita
acompanhada de radiografias oclusais. A ossificação da sutura deve ser comprovada
antes da remoção do aparelho para evitar recidivas. Nesse caso, a ossificação só foi
comprovada 7 meses após o término da disjunção, que é um tempo maior do que a
maioria dos autores recomenda como contenção.
Reanatomização: Estética Minimamente Invasiva
Talita Rocha Breia
Ângela Maria do Couto Martins
Ângela Maria do Couto Martins
A valorização da estética tem contribuído para o desenvolvimento de materiais e
técnicas que promovam uma aparência mais harmoniosa do sorriso. Este trabalho teve
como objetivo relatar um caso clínico resolutivo de espaços interdentários (diastemas)
em dentes anteriores. A opção terapêutica escolhida foi uma técnica simples, utilizando
procedimentos adesivos, com um mínimo de remoção da estrutura dentária. Apesar das
diversas técnicas propostas para restabelecer um sorriso harmonioso, a reanatomização
com resina composta ainda parece ser uma das mais vantajosas, visto que, apresenta
preservação da estrutura dental, reduz o tempo clínico necessário, além de alcançar
resultados estéticos bastante satisfatórios. O sucesso do tratamento depende da análise
criteriosa da situação clínica, para assim planejar e selecionar os materiais e técnicas
operatórias mais adequadas para cada caso. A concepção do sorriso ideal deve ser feita
tendo como base critérios clínicos objetivos mensuráveis e critérios subjetivos inerente
ao paciente. O caso em questão foi concluído em duas sessões, sem a necessidade de
tratamento ortodôntico e resolvendo de maneira eficiente a queixa principal do
paciente. O tratamento resultou em uma transformação imediata do sorriso, utilizando
uma técnica minimamente invasiva e de baixo custo.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 194 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Instalação Implantes Curtos com Aumento Ósseo Vertical no Mesmo Tempo Cirúrgico, e
Acompanhamento Por 18 Meses.
Tamires Moura Gabetto
Eduardo Claudio Lopes de Chaves e Mello
Khalila Chequer Cotrim
Dias
O objetivo do presente painel científico é apresentar um caso clínico de instalação de
implantes curtos com aumento ósseo vertical concomitante. A paciente procurou o
consultório com ausência dos elementos 46 e 47. Foi realizada moldagem e
enceramento diagnóstico dos referidos elementos para confecção de guia tomográfico e
então solicitada tomografia computadorizada. O exame tomográfico evidenciou pouca
disponibilidade óssea em altura, com cerca de 4,6mm nestas regiões. Optou-se pela
instalação de implantes curtos com ROG no mesmo tempo cirúrgico. Para tal, foram
instalados implantes Nobel Biocare® MK III ShortyWP de (5,0mm de diâmetro) na região
do elemento 47 e MK III ShortyRP (4,0mm de diâmetro) na regiões do elemento 46.
Esses implantes apresentam altura intra-óssea de 5,5mm e foram instalados deixando
cerca de 1,5mm dos implantes acima do rebordo ósseo. Imediatamente após a
instalação, foi realizado procedimento de regeneração óssea guiada com osso autógeno
da área retro-molar e membrana de politetrafluoretileno expantido (Gore-Tex®). Após 8
meses os implantes foram reexpostos e coroas provisórias unidas aparafusadas foram
instaladas. Os implantes foram reabilitados com coroas metalocerâmicas três meses
após a instalação das coroas provisórias. O caso foi acompanhado por 18 meses, sem
complicações e evidenciando manutenção da altura da crista óssea.
TÍTULO
AUTOR
A Técnica Híbrida de Tagger
Tamires Silva de Souza
CO AUTORES
Elena Okada Hayasida
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Gabriele Santos Rocher
Karen Paço de Souza Bins
Monteiro
Lena
Guilherme Antonio Monteiro Miguel
A endodontia atual tem como objetivo a sanificação do sistema de canais radiculares
pela instrumentação e obturação. A obturação complementa as etapas para o êxito do
tratamento e tem como forma de obturação ideal aquela que sela tridimensionalmente
o sistema de canais radiculares, oferecendo repouso aos tecidos periapicais. A ausência
do preenchimento hermético do canal em sua extensão cria condições à penetração,
para o interior do canal, de fluidos orgânicos oriundos da região apical causando a
recontaminação. O material de obturação mais utilizado é a guta-percha por ser inerte,
dimensionalmente estável e biologicamente tolerável, associada ao cimento
endodôntico para preencher irregularidades. A técnica híbrida de Tagger reúne os
benefícios alcançados pela técnica da condensação lateral, e a homogeneidade e
compactação da guta-percha pela ação termomecânica do compactador. O presente
trabalho relata caso clínico da paciente A.N., 39 anos, que procurou a Clínica Integrada
da FOV para tratamento do elemento 46, relatando sensibilidade à percussão e a
estímulo térmico como frio e quente, sendo indicado tratamento endodôntico. Os canais
foram preparados com instrumentos rotatórios Prodesing Easy Endo e obturados com
cone único pela técnica híbrida de Tagger. A técnica híbrida de Tagger apresenta um
bom selamento dos canais radiculares promovendo um preenchimento hermético.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 195 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Ameloblastoma Desmoplásico: Relato de Caso e Seus Aspectos Clínicos, Microscópicos e
de Imagem
Tamires Thadeu Coelho
Décio dos Santos Pinto
Renata Tucci
Luciano Lauria Dib
Júnior
Adriele Ferreira Gouvêa
O ameloblastoma (AB) é um tumor odontogênico de comportamento invasivo local. Sua
etiologia é desconhecida, porém a desregulação de genes no desenvolvimento dos
dentes pode estar envolvida na sua histogênese. O AB possui quatro variantes
histopatológicas: ameloblastoma sólido/multicístico; ameloblastoma unicístico;
ameloblastoma periférico e o ameloblastoma desmoplásico (AD), que possui
características clínicas e radiográficas próprias. Relatamos caso de AD em paciente do
sexo feminino, 30 anos, em tratamento ortodôntico há aproximadamente um ano e
meio, que apresentou aumento de volume assintomático em região anterior de
mandíbula, entre os dentes 33 e 32, que apresentavam discreta mobilidade. A
radiografia panorâmica de mandíbula apresentou uma imagem radiolúcida entre as
raízes dos dentes envolvidos e na tomografia computadorizada observou-se imagem
mista hipo e hiperdensa, com destruição da cortical óssea vestibular. Com a hipótese
diagnóstica de lesão fibro-óssea, paciente foi submetida à biópsia incisional, que revelou
ilhas de epitélio odontogênico ameloblástico, comprimidas e entremeadas por estroma
desmoplásico. O diagnóstico final foi de AD e a paciente foi submetida à curetagem.
Após dois anos de acompanhamento, observou-se neoformação óssea sem sinais de
recidiva. O AB é uma neoplasia persistente, infiltrativa, que apresenta progressiva
disseminação.
Escleroterapia com Oleato de Monoetanolamina no Tratamento de Hemangioma Capilar
em Cavidade Oral
Tamiris Gomes Bergstrom
Thais Araujo Matos da Cunha Ruth Andia-Merlin
Elcio Magdalena Giovani
Ruth Andia-Merlin
O intuito desse relato clínico é evidenciar o diagnóstico e conduta terapêutica no
tratamento de hemangioma capilar de competência do Cirurgião-Dentista. Essa lesão é
representada clinicamente por bolhas de conteúdo sanguíneo ou por manchas de
coloração avermelhada de tonalidades claras, até o roxo escuro. As lesões surgem na
cavidade oral lenta e progressivamente pela proliferação benigna de vasos sanguíneos.
Paciente de 34 anos, leucoderma, gênero masculino, procurou a clínica de pacientes com
necessidades especiais da Universidade Paulista, para tratamento odontológico. Na
anamnese o paciente relatou ser portador de HIV. Ao exame clínico foi observada lesão
no lábio inferior, cujo diagnóstico foi hemangioma capilar. Foi aplicado oleato de
monoetanolamina (Ethamolin®) por meio de uma seringa e agulha com prévia assepsia
do campo com clorexidina a 0,12%. A agulha foi introduzida ao redor da lesão de forma
delicada para não provocar hemorragias, e lentamente injetado 0,5 a 2ml da solução
aquosa, evitando maior pressão do líquido, para que não houvesse embolia, ulcerações e
necroses dos tecidos. Foi observado involução da lesão e, após quatro aplicações, a
regressão total dela. É imperativo o conhecimento e prática do Cirurgião-Dentista para
essas resoluções, promovendo saúde e melhorias na qualidade de vida dos pacientes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 196 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
O Desafio Clínico do Tratamento Ortodôntico de Paciente com Doença Periodontal
Tarsila Martins Pellegrino Tavares
Barbara Nobrega Goyanes
Mayara Franco Corteletti
Carolina Considera Vogas
Andrade
Fagundes
ORIENTADOR Jonas Capelli Junior
RESUMO
Aos 50 anos, a paciente compareceu à Clínica de Ortodontia da UERJ apresentando
ausência de vários dentes (14, 17, 25, 26, 36, 45 e 46), perfil convexo, Classe I de
caninos, mordida cruzada anterior, sobremordida menor que 1/3 dos incisivos
superiores, linha média inferior desviada 1,5 mm para direita e espaço edêntulo de
33mm superior e 39mm inferior. Na análise cefalométrica observou-se: Classe I
esquelética (ANB= 2°, Wits= -1,5mm), com protrusão maxilar e mandibular (SNA= 90° e
SNB= 92°) e biprotrusão de Incisivos (1-NA= 30° e 10mm; 1-NB= 43° e 10mm;
IMPA=108°). Uma vez que a paciente apresentava doença periodontal, o tratamento
ortodôntico foi realizado concomitante ao tratamento periodontal. Devido à
complexidade do caso optou-se pelo tratamento corretivo com aparelho fixo através de
intrusão dos incisivos inferiores, retração do segmento antero-inferior apoiado em
implantes (36/46), fechamento de espaços e correção da linha média. O caso foi
finalizado atingindo-se os objetivos iniciais de melhora do perfil facial, descruzamento da
mordida, fechamento de espaços, além do alto grau de satisfação do paciente. Pode-se
concluir que o sucesso do tratamento deve-se ao exato diagnóstico da maloclusão, ao
tratamento multidisciplinar (Periodontia, Implantodontia e Ortodontia) e ao correto uso
e controle da terapia ortodôntica corretiva utilizada.
Laserterapia com o Arseneto de Gálio e Alumínio – Gaalas no Tratamento do Herpes
Simples em Pacientes Vivendo com Hiv/Aids
AUTOR
Thais Araujo Matos da Cunha
CO AUTORES Bergstrom Tg
Andia-merlin R
Giovani Em
ORIENTADOR Ruth Andia Melin
Por meio desse relato objetivamos evidenciar uma conduta terapêutica efetiva sem
efeitos colaterais para tratamento de herpes simples em pacientes HIV/AIDS. As
infecções herpéticas secundárias ou recorrentes são resultantes da reativação do vírus
herpes simples. Quanto a epidemiologia temos o herpes simples tipo 1(HSV-1) sendo o
mais prevalente, ligado a exposição solar, alimentação, stress, depressão, queda de
resistência, e o herpes simples tipo 2 (HSV-2) em função da atividade sexual e pela
multiplicidade de parceiro. Clinicamente, a doença caracteriza-se febre alta, mal estar,
irritabilidade, dor de cabeça, entre outras. A mucosa afetada é avermelhada e
RESUMO
edemaciada, com numerosas vesículas coalescentes que se rompem em 24 horas,
deixando úlceras pequenas, dolorosas, rasas, arredondadas, recobertas por uma
pseudomembrana e contornadas por um halo eritematoso. As úlceras podem coalescer,
formando ulcerações maiores e irregulares. Em pacientes com HIV/AIDS, essas
manifestações são comuns e mais exacerbadas e exuberantes. O diagnóstico geralmente
se baseia nas características clínicas. O tratamento a laser de baixa intensidade de
potência é recomendado como efetiva conduta terapêutica no tratamento das lesões de
herpes simples, em pacientes HIV/AIDS.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 197 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Intrusão na Dentição Decídua e sua Repercussão na Dentição Permanente: Relato de
Casos Clínicos
Thais Pinto Pimentel
Ana Clara de Almeida Silveira
Thereza Christina Lopes Coutinho
Thereza Christina Lopes Coutinho
As lesões traumáticas têm se tornado um problema de Saúde Pública podendo acometer
até 35% de pré-escolares. Os incisivos superiores são os mais afetados, sendo uma das
injúrias mais comuns, a luxação intrusiva, onde há maior risco de repercussão para o
dente permanente, como a dilaceração coronária e radicular e a parada na formação
radicular. A ocorrência e a extensão destes distúrbios estão associadas à intensidade do
traumatismo, ao estágio de formação do germe dentário, à força do impacto e ao tipo de
trauma do dente decíduo. O presente trabalho tem como objetivo apresentar o relato de
dois casos clínicos da disciplina de Odontopediatria da FO-UFF, de pacientes de 6 e 9
anos, do sexo feminino e masculino, respectivamente, que apresentaram lesão
traumática intrusiva na dentição decídua em tenra idade. A queixa principal dos
responsáveis era atraso na erupção dentária. Ao exame radiográfico, observou-se
dilaceração coronária e parada na rizogênese do incisivo superior permanente. Concluiuse que, a falta de informação dos responsáveis sobre a importância da prevenção e as
consequências que traumatismos dentários podem causar tanto nos dentes decíduos
como permanentes é responsável pela baixa procura no atendimento no momento do
trauma, sendo importante a realização de palestras aos responsáveis e crianças sobre
traumatismos e suas consequências para minimizar este problema.
Cisto do Ducto Nasopalatino: Considerações Sobre Diagnóstico e Tratamento
Thaís Soares da Silva
Amanda Royer Coutinho
Daniel Batista Caetano
Roberto Prado
Bianca Bravim
O cisto do ducto nasopalatino (CDNP) é o cisto não-odontogênico mais comum da
cavidade oral, ocorrendo em cerca de 1% da população. A teoria mais aceita para sua
origem é a partir da proliferação dos remanescentes epiteliais do ducto nasopalatino,
uma estrutura embrionária que liga a cavidade bucal a cavidade nasal no interior do
canal incisivo, e que sofre regressão após o nascimento. Outros fatores etiológicos têm
sido relatados tais como, trauma na região durante a mastigação ou por próteses mal
adaptadas e infecção bacteriana. O CDNP pode se desenvolver em qualquer idade,
sendo mais comum entre a 4ª e 6ª décadas de vida, com predileção pelo gênero
masculino. A maioria das lesões são assintomáticas, sendo identificadas em radiografias
de rotina, porém alguns sinais e sintomas comuns incluem tumefação na região anterior
do palato e dor. Radiograficamente se apresenta como uma lesão radiolúcida bem
delimitada, próxima ou na linha média da região anterior de maxila, entre o ápice dos
incisivos centrais. Na maioria dos casos o tratamento é a enucleação cirúrgica, e o
encaminhamento para exame histopatológico, uma etapa crucial para a obtenção do
diagnóstico. Este trabalho visa relatar um caso e revisar a literatura no que diz respeito à
apresentação clinica e radiográfica do CDNP, além de discutir a importância do
diagnóstico e a conduta terapêutica.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 198 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Microabrasão do Esmalte no Tratamento de Hipoplasia Dentária.
Thais Venturini de Oliveira
Ana Carolina Duarte Costa
Ana Raquel da Silva Pinto
Maycon Feliciano de Sena
Vivian Espirito Santo Massi Paschoalino
O sorriso é uma ferramenta essencial na busca pela estética. E as discrepâncias de cor
podem interferir de forma significativa na sua harmonia. O objetivo deste caso clínico é
proporcionar uma coloração homogênea em um sorriso com manchas brancas
ocasionadas por hipoplasia de esmalte, utilizando-se para isso a técnica de microabrasão.
Paciente W.V.M., sexo feminino, 22 anos, procurou a clínica da FESJF queixando-se da
presença de manchas brancas nos incisivos superiores. Na anamnese, a paciente relatou já
ter realizado clareamento caseiro, não obtendo sucesso com o mesmo. No exame clínico,
constatou-se a presença de manchas brancas, principalmente no elemento 11. Foi
proposta como tratamento a utilização do Whiteness RM (Whiteness, FGM, Joinville). Após
o isolamento absoluto, o produto foi aplicado nos elementos 11,12, 21 e 22 com uma
espátula sob fricção durante 10 segundos, alternando com o uso de taça de borracha. Em
seguida, foi removido com gaze e lavado abundantemente com água. Foi realizado o
polimento dos dentes com pasta de polimento e disco de feltro e utilizado um gel de
fluoreto de sódio a 2% neutro durante 2 minutos. Foram realizadas três sessões com cinco
trocas de produto. A microabrasão é um eficiente tratamento para manchas brancas por
hipoplasia. Tem boa aceitabilidade, são procedimentos simples, com resultados imediatos
e que preservam a estrutura dentária.
Formação Periosteal na Mandíbula de Paciente Usuária de Bisfosfonato Portadora de
Osteonecrose
Thaiza Gonçalves Rocha
Leonardo das Neves
Maria Augusta Portella
Fábio Ribeiro Guedes
Moreira Guimarães
Guedes Visconti
Andréa de Castro Domingos Vieira
Os bisfosfonatos são medicamentos considerados de eleição para o tratamento de
metátases ósseas por inibirem a reabsorção óssea. Seu uso constante associado a
determinados procedimentos odontológicos pode levar à osteonecrose dos maxilares.
Este trabalho relata um caso de osteonecrose associada ao uso de bisfosfonato, no qual
foi identificada formação de osso periosteal ao redor da mandíbula. A paciente, que
apresentava assimetria facial, dor e exposição óssea, foi submetida à quimioterapia e
radioterapia, além de ter utilizado bisfosfonato endovenoso. A osteonecrose foi
desencadeada por algumas extrações dentárias. Na radiografia panorâmica foram vistos
inúmeros pontilhados radiolúcidos, na região anterior e no corpo da mandíbula do lado
esquerdo, correspondentes a algumas perfurações realizadas para melhorar a
vascularização da região. A tomografia computadorizada, por outro lado, revelou a
presença de significativa formação periosteal ao redor da mandíbula. A reação periosteal
ocorre devido à alteração na atividade osteoclástica, a qual leva ao acúmulo de
osteócitos mortos e trincas na matriz óssea, provocando o descolamento do periósteo
subjacente. Este fenômeno, por sua vez, estimula os osteoblastos localizados na lâmina
periosteal a produzirem uma nova camada de osso, o que explica a proliferação
periosteal em pacientes usuários de bisfosfonatos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 199 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Correção de Plano Oclusal com Sistema Cad-cam – Cerec.
Thamara Brito da Silva
Luis Felipe Diniz Barreto
Glaucia Carraro Ferreira
Luis Paulo Diniz Barreto
Vinicius Brigagão
O CAD-CAM cresce na Odontologia por associar resultados estéticos, funcionais e
duradouros com fácil execução e economia de tempo. Essa técnica utiliza três etapas
fundamentais: sistema de leitura o preparo dental, software de desenho da restauração
(CAD) e sistema de fresagem da prótese (CAM). O primeiro CAD-CAM a alcançar êxito
clínico e comercial, foi o Sistema CEREC. Seu diferencial consiste por seus equipamentos
e seu exclusivo software – o CEREC Biogeneric – que permite a reconstrução das
superfícies dentais muito próximas de um dente natural. O nível de evolução do CEREC
permite resultados precisos e mais rápidos que a técnica restauradora convencional.
Caso Clínico: Paciente do sexo feminino apresentava invasão do plano oclusal superior
devido à extrusão do elemento 46. Foram feitas moldagens de estudo e montagem dos
modelos em ASA. Foi realizado o enceramento diagnóstico dos elementos 16 e 46,
corrigindo o plano oclusal e devolvendo os contatos funcionais. Durante a consulta, o
elemento foi preparado para a confecção da restauração definitiva do tipo Table Top em
Cerâmica Feldspática Reforçada por Leucita. O escaneamento do preparo e do
enceramento diagnóstico foram feitos com o uso da metodologia de cópia biogenérica.
Após a fresagem, a restauração foi caracterizada com pigmentos e em seguida glazeada.
A cimentação foi feita com resina fotopolimerizável aquecida.
Tumor Extenso em Terço Médio de Face: Qual Acesso Cirúrgico Escolher? – Relato de
Caso
Thamyrys Prado Linhares
George Matos Ferreira
Jonas Ferreira Maciel
Diogo Henrique Ohse
Gomes Junior
Gusmão
Antônio Montalverne Lopes Filho
Parte do sucesso na cirurgia depende da escolha do acesso adequado e na exposição
suficiente da área em questão. Na escolha dos acessos facial temos como fatores
importantes a estética e a rica anatomia neuro-muscular, com a paralisia/parestesia
sendo um complicação estético funcional severa. Diante de tantos acessos possíveis ao
esqueleto facial, eleger o mais adequado pode ser um desafio. A proposição deste
trabalho é o de apresentar um caso onde foi utilizado o acesso Intra-oral, degloving de
maxila, para exposição da LCCG tratada com exérese. A paciente IRN, feminino, 33 anos,
normossistêmica, apresentou-se ao Serviço de CTBMF do Hospital Geral de Fortaleza,
queixando aumento em região maxilar, assimetria facial e nasal, dificuldade respiratória
e sintomatologia álgica em dentes maxilares a esq., evolução de 3 meses.Tendo como
diagnóstico histopatológico de biópsia incisional prévia LCCG. O tratamento foi
intervenção cirúrgica com a exérese da lesão, utilizando o acesso degloving de terço
médio de face, a lesão apresentava-se extensa em maxila e cavidade nasal, o acesso
proporcionou ampla visualização sem cicatrizes aparentes em face e lesões neurofuncionais. Está em acompanhamento clínico e radiográfico sem sinais e sintomas de
recidiva. A escolha do acesso e o adequado tratamento culminaram em resultado,
estético e funcional, proporcionando a completa resolução do caso.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 200 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Planejamento Estético Anterior: Facetas Diretas e Indiretas - Quando e como Usar.
Tharcila de Medeiros Jabor Ferreira
Leonardo Freitas Lemos
Vinícius Barçal Cavalcante da Silva
Andréa Damas Tedesco
As facetas estéticas oferecem uma solução restauradora que equilibra e harmoniza as
necessidades estéticas e funcionais na região anterior. A escolha pelo tipo de técnica
direta ou indireta varia conforme a necessidade clínica e a intenção do procedimento. A
utilização de facetas estéticas é um procedimento consolidado na literatura científica,
porém o correto e cuidadoso planejamento associado ao conhecimento dos materiais
são imprescindíveis para o sucesso desta modalidade restauradora. Este trabalho tem
como objetivo realizar uma breve revisão de literatura e descrição de um caso clínico
incluindo planejamento, importância da correlação Periodontia–DentÍstica e o protocolo
reabilitador utilizado, de modo a propiciar uma discussão sobre as situações clínicas
propícias ao facetamento, comparando as técnicas diretas e indiretas, demonstrando os
passos para execução de ambos os procedimentos. Atentando às vantagens e limitações
de cada técnica, expondo comparativos entre elas, esclarecendo as diferenças que
guardam entre si, discutindo a necessidade de troca de uma técnica pela a outra, e desta
forma explicitando que o conhecimento das particularidades de técnicas e materiais são
premissas para um tratamento de sucesso.
Mucocele em Localização Atípica: Relato de Caso
Thaylla Nuñez Amin Dick
Pedro Henrique Wentz
Maria Elisa Rangel Janini
Thamyres Campos Fonseca
Tretto
Taisa Domingues Bernardes Silva
A etiologia do mucocele está relacionada com um trauma mecânico ao ducto excretor de
uma glândula salivar acessória, que provoca sua ruptura levando ao extravasamento de
mucina para o interior do tecido conjuntivo circunjacente e provocando uma reação
inflamatória secundária. Clinicamente, se apresenta como lesão indolor, de superfície
regular com coloração ou translúcida, afetando mais crianças e adolescentes. A lesão
acomete mais comumente o lábio inferior, porém, a superfície ventral da língua, a
mucosa jugal e o assoalho podem ser afetados. No presente trabalho é relatado o caso
de um mucocele em região de rafe palatina no limite entre o palato duro e mole.
Paciente do gênero feminino, leucoderma foi encaminhada pelo seu dentista para Clínica
de Estomatologia da UFRJ devido a uma lesão elevada com centro translúcido em região
de rafe palatina. Segundo a paciente a lesão era a indolor e estava aumentando de
tamanho. Foi solicitada radiografia oclusal superior para confirmar o laudo provável de
Torus secundariamente traumatizado. O achado radiográfico foi de normalidade. A lesão
foi removida e o material foi para exame histopatológico cujo laudo foi de mucocele. A
paciente não apresentou nenhuma intercorrência pós-operatória recebendo alta
ambulatorial. A presença de um mucocele em rafe palatina é explicada por glândula
salivares ectópicas entre o palato mole e duro.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 201 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Regenaração de Defeito Alveolar na Região Estética: Relato de Caso Clínico
Thiago Spinelli Nobre
Oswaldo de Castro Costa
Carlos Eduardo Avellar da
Osmar de Agostinho Neto
Neto
Silva
José Augusto do Nascimento Silva Valente de Mattos
O trabalho tem a proposição de apresentar o caso clínico de uma paciente sexo
feminino, 43 anos, compareceu a clínica queixando-se da inclinação acentuada do
elemento 21 e de fratura do elemento 22. Ao exame clínico e imaginológico, evidenciouse fratura do remanescente radicular 22 e perda óssea pronunciada do elemento 21. O
tratamento escolhido foi a exodontia dos elementos 21 e 22 e instalação de uma prótese
parcial removível provisória. Após período de cicatrização do tecido mole realizou-se
uma segunda cirurgia quando foram instalados 02 implantes 3,75 x 11,5 mm, ancorados
5 a 6 mm em rebordo alveolar, mantendo-se 5 a 6 mm extra ósseo. O corpo dos
implantes expostos foram recobertos com biomaterial aloplásticos associado ao enxerto
autógeno da tuberosidade maxilar, recobertos com uma tela de titânio e está revestida
por membrana de colágeno. Após um prazo de 08 meses foi realizado a reabertura e
moldagem dos implantes seguida de instalação de 02 cicatrizadores 4,1 x 3,0 mm.
Posteriormente uma semana foram instalados as coroas aparafusadas provisórias sobre
os implantes, tendo como objetivo condicionar o tecido peri-implantar. O tratamento
buscou otimizar a regeneração do rebordo e a osseointegração em um único tempo,
diminuindo desta forma a morbidade pós-operatória e o tempo de tratamento.
Cimentação de Coroa Cerâmica Metal Free: uma Abordagem Alternativa.
Tiago Antonio Pinto Dantas
Lucas Francisco Xavier Leme de Oliveira
Marco Antonio Gallito
Paciente jovem, do sexo feminino, compareceu a Integração Clinica UFF relatando á
anamnese queixa de mobilidade do elemento dentário 21. Após exame clínico e
radiográfico foi possível verificar uma restauração protética temporária (RPT) mal
adaptada sobre um pino metálico rosqueável. O tratamento indicado foi manutenção do
pino metálico rosqueável e confecção de núcleo em resina composta seguido de preparo
para uma futura prótese unitária em cerâmica. Para início de tratamento o pino foi
devidamente tratado e sobre ele confeccionado um núcleo em resina composta em
seguida o dente foi preparado, moldado utilizando a técnica de 2 fios retratores e uma
nova RPT foi confeccionada a partir de um dente de estoque . Na consulta seguinte, já
com a prótese definitiva em mãos, foi realizada a remoção da RPT e junto a ela o pino
metálico rosqueável. Um novo planejamento foi necessário e consistiu em desobstrução
de 2/3 longitudinais do conduto radicular, prova de um pino de fibra de vidro,
condicionamento do novo pino e peça cerâmica, preenchimento de resina composta no
interior da peça cerâmica, instalação do pino na peça cerâmica e polimerização. Por
ultimo o conjunto pino + peça cerâmica foi cimentado com cimento resinoso. Este
tratamento demonstrou ser um procedimento odontológico conservador, efetivo e de
resultado clinicamente satisfatório.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 202 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Uso do Enceramento Diagnóstico e Matriz Palatina para Confecção de Restauração
Estética
Ursula Laura Almeida Romeiro
Anderson Leonardo Côrrea Gomes
Lidiane Isadora Carvalho Ribeiro
Adilis Kalina Alexandria
A odontologia estética encontra-se em contínuo avanço e a exigência estética tem sido
cada vez maior em virtude dos procedimentos adesivos e do desenvolvimento de
materiais restauradores que buscam a reprodução das características naturais das
estruturas dentais. O objetivo deste trabalho foi relatar um caso clínico do uso do
enceramento diagnóstico e matriz palatina para confecção de uma restauração estética
em dente anterior, enfatizando sua importância para otimização de restaurações diretas
em resina composta. A paciente possuía restauração deficiente e fratura no incisivo
central superior direito. O procedimento restaurador foi divido em três etapas, a saber:
1) Clinica, na qual foi realizada a moldagem da arcada superior da paciente com alginato;
2) Laboratorial com a confecção do modelo em gesso com posterior enceramento do
elemento 11, com subsequente moldagem com silicone sobre o modelo encerado para
confecção da matriz palatina; e 3) Clínica: Realização de isolamento absoluto,
posicionamento e adaptação da matriz palatina, restauração pela técnica incremental
policromática com inserção das resinas a partir da região palatina e em seguida pela
porção vestibular. Concluiu-se que a confecção prévia da matriz guia palatina tornou o
procedimento restaurador mais rápido, prático e preciso conferindo resultados estéticos
satisfatórios.
Osteoma Gigante em Maxila: Relato de Caso
Valentina Crugeira Barbieri
Ana Carolina Uchoa
Sandra Beatriz Chaves
Ana Paula Neutzling Gomes
Vasconcelos
Tarquinio
Isadora Luana Flores
Osteomas são tumores ósseos benignos raros correspondendo a 1% de todas as
neoplasias ósseas. Paciente do sexo masculino, leucoderma, 29 anos de idade foi
encaminhado ao Centro de Diagnóstico das Doenças da Boca com queixa de crescimento
assintomático em maxila esquerda que progrediu lentamente há 9 anos. Ao exame
extraoral foi observada discreta assimetria facial e ao exame intraoral observou-se
aumento de volume de consistência pétrea com expansão da tábua óssea vestibular e
palatina em região de hemiarco superior posterior esquerdo com deslocamento do
dente 27. Ao exame radiográfico panorâmico observou-se uma massa radiopaca extensa
bem delimitada envolvendo maxila posterior esquerda, seio maxilar esquerdo e assoalho
de órbita esquerda, além de reabsorção das raízes do elemento 27. Diante desse quadro
clínico, as principais hipóteses diagnósticas foram osteoma e displasia fibrosa. Biópsia
incisional seguida pelo exame histopatológico revelou a presença de tecido ósseo
maduro compacto com escasso tecido medular concluindo o diagnóstico de osteoma.
Tratamento cirúrgico conservador foi realizado na maxila esquerda com finalidade
estética e acompanhamento clínico/radiográfico foi estabelecido, mas o paciente
descontinuou no serviço. Osteomas maiores de 3 cm são considerados tumores gigantes
e podem causar grandes deformidades no esqueleto craniofacial.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 203 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Morfologia Incomum de Canal em C em Segundo Pré-molar Inferior: Relato de Caso.
Vanessa Anastácio de Oliveira
Fabio Almeidas Gomes
Claudio Maniglia Ferreira
Suyane Parente Leite
Humberto Ramah Menezes de Matos
O Canal em C (“C-Shaped canal”) é o um dos mais complexos formas e variação
anatômica encontradas na Endodontia, devendo ser corretamente avaliado clínica e
radiograficamente a fim de evitar insucesso no tratamento endodôntico. É mais comum
em segundo molar inferior, com incidência entre 8% e 31,5%. Caracteriza-se por o
assoalho da câmara pulpar oferece uma visão de um conduto em forma de faixa, com
180 graus de arco, começando na linha mesiolingual e estendendo-se ao redor da
vestibular até o final da porção distal da câmara pulpar. Nos molares, a interpretação da
imagem radiográfica é de raízes cônicas e convergentes, apresentando canais radiculares
atrésicos. O objetivo deste estudo é relatar um caso de segundo pré-molar inferior que
apresenta uma morfologia incomum, com baixa incidência de Canal em C. O presente
caso foi encaminhado ao Departamento de Endodontia da Universidade de Fortaleza
com suspeita de perfuração do segundo pré-molar inferior esquerdo, todavia, após
minucioso exame da anatomia foi diagnosticado a variação de Canal em C. Portanto, este
relato de caso clínico discute as recomendações e importância da criteriosa avaliação
clínico-radiográfico para o tratamento de uma variação de baixa incidência em segundo
pré-molar inferior.
TÍTULO
AUTOR
Extenso Lipoma em Região Sublingual: Retalo de Caso
Vanessa Maria Carvalho Lima
Carlos Higor Mendonça
CO AUTORES
Jader Satiro de Araujo
Girlene Peixoto Girão
Araujó
ORIENTADOR Assis Filipe Medeiros Albuquerque
Os Lipomas são neoplasias benignas de tecido mesenquimal, embora possuam uma
incidência maior em outras áreas do corpo, na cavidade oral, constituem-se como lesões
relativamente raras, correspondendo cerca de 2-5% dos tumores benignos da cavidade
oral. Representam lesões de crescimento lento e assintomático. As regiões na cavidade
bucal comumente envolvidas são mucosa bucal, lábio, língua e assoalho bucal. O
diagnóstico é geralmente clínico, tendo como diagnóstico diferencial principal o fibroma,
liposarcoma, mucocele, rânula, neurofibroma e fibroma. O diagnóstico final é obtido
através de biópsia incisional ou exci-sional e recidivas são raras. O presente trabalho tem
RESUMO
como objetivo descrever um caso de uma paciente do sexo feminino, 35 anos de idade,
encaminhada ao Serviço de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, alegando
apresentar uma lesão na cavidade oral em virtude da presença de um nódulo com
consistência amolecida e indolor em assoalho de língua, com tempo de evolução de
aproximadamente 12 meses. Após biópsia excisional, sob anestesia geral, o diagnóstico
histopatológico foi de lipoma. A paciente encontra-se com 18 meses de pós-operatório,
sob acompanhamento ambulatorial, sem queixas até o momento e ausência de sinais de
recidiva.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 204 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Fratura de Ângulo Mandibular Durante Prática de Artes Marciais: Relato de Caso
Vanessa Patrícia de Lima Lira
Ricardo José de Holanda
CO AUTORES Cássia Simone de Lima Lira
Gabriela Granja Porto
Vasconcellos
ORIENTADOR Emerson Filipe de Carvalho Nogueira
A finalidade primordial da prática esportiva é proporcionar o bem-estar físico, porém,
em certas ocasiões, a integridade física do atleta é colocada em risco. No caso das artes
marciais, o uso do protetor bucal auxilia na prevenção de contusões e fraturas faciais,
dissipando as forças do impacto recebido. Neste trabalho relatamos o caso de um
paciente do sexo masculino, 26 anos, atendido no Hospital Regional do Agreste,
Caruaru/PE, com queixa de “dor em mandíbula e alteração do encaixe dos dentes” após
trauma durante treinamento de artes marciais mistas (MMA). Ao exame físico facial,
RESUMO
observou-se aumento de volume em região de ângulo mandibular direito, discreta
alteração oclusal, dor durante abertura bucal, e crepitação em ângulo mandibular
direito. Os exames radiográficos demonstraram perda de continuidade óssea da basilar
mandibular, e presença de terceiro molar no traço da fratura. O diagnóstico do caso foi
de fratura de ângulo mandibular, o qual foi tratado com redução e fixação da fratura
com placas do sistema 2.0. Optou-se pela manutenção do terceiro molar envolvido, pois
o mesmo estava incluso e auxiliava na redução da fratura. No 40º dia de pós-operatório,
o paciente apresentava estabilidade oclusal, e boa função mandibular.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Reparo em Laminado Cerâmico Anterior Utilizando Compósito Resinoso
Vania Breve de Velasco
Thaíssa Silva Machado Cruz
Vinícius Esteves Salgado
A proposição do presente trabalho é relatar reparo em laminado cerâmico utilizando
compósito resinoso. Um paciente (sexo masculino, 30 anos) compareceu para
atendimento com queixa de fratura em dente anterior. Ao exame clínico foram
observadas restaurações cerâmicas entre os elementos 13-23 e lascamento do bordo
incisal no elemento 11. Através do prontuário, foi observado que as restaurações foram
confeccionadas com o sistema Vita VM7 (Vita Zahnfabrik), apresentando longevidade de
6 anos. A superfície foi asperizada com ponta diamantada (4138, KG Soresen), seguida
de condicionamento com ácido fluorídrico a 10% (Condac Porcelana, FGM) por 1 min.
Após a lavagem e secagem, foi aplicada uma camada de agente silano sobre a superfície
(RelyX ceramic primer, 3M ESPE) e, após evaporação do solvente, uma camada de
sistema adesivo (Adper Single Bond 2, 3M ESPE), com ativação por 30 s a 1200 mW/cm2
(Radii Cal, SDI). Foram inseridos incrementos (tons A2 e CE) do compósito resinoso
Estelite ∑ Quick (Tokuyama), fotoativados por 40 s (mesma irradiância anterior). O
acabamento/polimento foi realizado com broca multilaminada (FG 283, KG Soresen) e
sequência de pontas siliconadas (Jiff, Ultradent). Após um ano de acompanhamento, o
reparo se apresentou íntegro. Conclui-se que, para o presente caso, o reparo se mostrou
uma abordagem conservadora e evitou a substituição prematura da restauração.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 205 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis Clínicos
Sialólito da Glândula Salivar
Victor Cruz de Lemos
Edivanice Alice Gonçalves
Marcela Nascimento Sena
Nathalie Nascimento
Rafael Amorim Siqueira
Os sialolitos são patologias comuns das glândulas salivares que se caracterizam pela
obstrução da secreção salivar por um material mineral acometendo a glândula ou seu
ducto excretor. Sua causa é desconhecida, normalmente assintomático de evolução
lenta e caráter benigno. As glândulas mais afetadas são a submandibular, parótida e
sublingual. Possui predileção para o gênero masculino, sendo encontrada em adultos
acima da quarta década de vida. Paciente gênero masculino, 22 anos, queixava-se de um
aumento de volume abaixo da língua, assintomático, há aproximadamente 1 ano. Ao
exame físico intraoral e à palpação foi possível identificar um nódulo rígido nas
proximidades do ducto da glândula sublingual direita. A radiografia oclusal e a
tomografia computadorizada de feixe cônico evidenciaram uma imagem radiopaca bem
definida, localizada na região lingual da mandíbula compatível com diagnóstico de
sialólito. O tratamento proposto foi a remoção com acesso intrabucal. O bloqueio
anestésico do nervo lingual direito foi realizado e uma incisão no assoalho bucal sobre a
região da lesão. Após divulsão romba, o sialólito foi visualizado e removido. A sialolitíase
caracteriza-se como uma das patologias mais comuns que afetam as glândulas salivares.
O diagnostico precoce ajuda no tratamento, evitando meios invasivos, no caso das
cirurgias.
Palavra chave: Sialolitíase, Glândula, Patologia
Avaliação da Articulação Temporomandibular Por Meio do Programa Dental Slice
Converter: Caso Clínico e Descrição de Técnica
AUTOR
Vinicius da Silva Souza
Aurelino Machado Lima
CO AUTORES Giulianna Lima Pinheiro
Gabriela Neiva Bezerra
Guedes
ORIENTADOR Eduardo Murad Villoria
O presente trabalho tem por objetivo descrever, a partir de um caso clínico, a técnica de
avaliação da articulação temporomandibular por meio do programa Dental Slice
Converter. A paciente do gênero feminino foi encaminhada para a avaliação da articulação
temporomandibular por meio do exame de tomografia computadorizada de feixe cônico.
Primeiramente a paciente realizou o exame tomográfico em máxima intercuspidação
habitual (MIH), e em um segundo momento a aquisição da imagem foi realizada com a
paciente em máxima abertura de boca (MA). Os cortes tomográficos demonstram a
hiperexcursão condilar. Após o estudo das imagens de reconstruções multiplanares, os
RESUMO
arquivos DICOM das aquisições em MIH e MA foram exportados para o programa Dental
Slice Converter e convertidos em formato. BPT (Bioparts). Este programa de pósprocessamento da imagem tomográfica é geralmente utilizado para auxiliar em cirurgias
de colocação de implantes. Porém, no presente trabalho, foi realizada a segmentação das
imagens dos côndilos mandibulares, criando em seguida modelos virtuais 3D. Em
sequência, foi utilizada a ferramenta de alinhamento com o objetivo de criar a
sobreposição dos componentes ósseos da ATM em MIH e MA. As imagens obtidas por
meio deste programa, somadas ao estudo das imagens tomográficas, podem permitir ao
cirurgião-dentista a maior compreensão de casos de disfunção temporomandibular.
TÍTULO
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 206 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Papiloma Invertido do Tipo Schneideriano: Detecção Por Tomografia Computadorizada
de Feixe Cônico
AUTOR
Vinícius Dilly Almeida
CO AUTORES Gustavo Brandão Grossi
Jamilly Aparecido Sperandio Lays Kelmer Costa
ORIENTADOR Francielle Silvestre Verner
O papiloma invertido do tipo Schneideriano é uma rara condição que afeta a cavidade
nasal ou um seio paranasal, principalmente o seio maxilar. Apesar de ser
histologicamente benigno, apresenta alto potencial de destruição local, taxa de
recorrência elevada e possibilidade de transformação maligna em carcinoma de células
escamosas. Para determinação da extensão da lesão e possível comprometimento das
estruturas maxilofaciais adjacentes é necessário a realização de exames por imagem
acurados, como a Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico (TCFC). O presente
estudo tem como objetivo descrever o caso de um paciente do sexo masculino, 47 anos,
RESUMO
que relatava obstrução nasal do lado direito, sinais de comunicação bucossinusal e
assimetria facial. Pelo exame de TCFC notou-se extensa imagem de densidade mista, de
contornos irregulares comprometendo toda extensão do seio maxilar direito e cavidade
nasal direita. Com a associação entre os sinais e sintomas clínicos e aspectos
tomográficos da lesão, sugeriu-se a hipótese de papiloma invertido tipo Schneideriano, a
qual foi confirmada por exame histopatológico. A partir do relato de caso, pode-se
concluir que a TCFC é um excelente método para a detecção de alterações patológicas
que podem acometer os seios maxilares, devido à sua característica tridimensional que
permite uma visualização minuciosa das estruturas avaliadas.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
Aplicação Clínica de Faceta Pré Fabricada Componeer Brilliant em Fratura Coronária
Vinicius Gonzalez Rio-mayor da Silva
Eduardo Otero Amaral
CO AUTORES Andrea Damas Tedesco
Ariane Vicente Morais
Vargas
ORIENTADOR Andrea Damas Tedesco
Facetas dentárias são próteses que envolvem, em geral, a face vestibular, trazendo
vantagens estéticas e estabilidade de cor. Esse tratamento possui indicações específicas,
dentre elas dentes trincados, manchados, desgastados ou com espaçamento anormal.
Surgiu no mercado um novo material, que aborda três características essenciais: baixo
custo, redução de consultas e excelente resultado estético. São facetas pré
polimerizadas em resina denominadas Componeer Brilliant (Coltene), compostas de
compósito nano-híbrido radiopaco, com espessura extremamente fina, aproximadamente
0,3 mm, apresentando diversas formas e tamanhos, além de seleção de cores. Este
RESUMO
relato de caso clínico descreve a utilização do sistema Componer Brilliant na reabilitação
estética de um incisivo central inferior (31) trincado com perda da parede vestibular.
Paciente P.N., sexo feminino, 50 anos, compareceu à Clínica Integrada da UFRJ para
tratamento com faceta convencional cerâmica. Após confirmação da vitalidade do
elemento, foi feita seleção do tamanho e cor do componeer. A faceta selecionada foi
ajustada até a perfeita adaptação no elemento. A cimentação foi realizada com resina
indicada pelo fabricante, seguida de acabamento e polimento. Concluiu-se que o sistema
Componeer Brilliant (Coltene) apresenta uma excelente alternativa para recuperação
estética em substituição às facetas cerâmicas convencionais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 207 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
Correção da Classe II Esquelética e Dentária Através do Uso do Propulsor Mandibular
Assimétrico
AUTOR
Vitória de Oliveira Chami
CO AUTORES Flavia Artese
Flavio Carvalho
Mayara Corteletti
ORIENTADOR Juliana Mussa Cury
Aos 14 anos e 8 meses, o paciente MRSG compareceu à Clínica de Ortodontia da UERJ
apresentando: perfil convexo; ausência de selamento labial; relação Classe II de Angle 1ª divisão - subdivisão direita; overjet de 9mm; overbite total dos incisivos inferiores;
linha média inferior desviada 2mm para direita e curva de Spee acentuada. Na análise
cefalométrica, observou-se: Classe II esquelética (ANB=6º; Wits=7mm); incisivos
superiores projetados (1-NA=36º e 9mm) e incisivos inferiores bem posicionados (1NB=25º e 6mm; IMPA=91º). Uma vez que o paciente se encontrava no início da curva
descendente de crescimento puberal, optou-se pelo tratamento corretivo com aparelho
RESUMO
fixo e instalação de propulsor mandibular Flex Developer assimétrico, ativo do lado
direito. O propulsor foi utilizado por 6 meses. Depois, foi introduzida mecânica de
elástico de Classe II como contenção e foram realizadas as dobras de finalização. Obtevese um bom resultado com melhora do perfil facial, selamento labial passivo, correção
dos problemas no sentido ânteroposterior e vertical, recolocação dos incisivos
superiores (1-NA=25º e 5mm) e alto grau de satisfação do paciente. Pôde-se concluir que
o sucesso do tratamento deve ser relacionado ao exato diagnóstico da maloclusão, o
grau de envolvimento ósseo e o correto uso e controle do dispositivo utilizado.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Restauração Estética de Dentes Anteriores com Laminados Cerâmicos.
Walleska Feijó Liberato
Rodrigo Tiossi
Welson Pimentel
Os laminados cerâmicos são restaurações altamente estéticas com resultados previsíveis
quando corretamente indicadas e, quando associadas ao planejamento digital com
restaurações provisórias (diagnóstico mock-ups), diminui consideralvelmente a barreira
de comunicação entre clínico e paciente. Diversas formas de preparo dos elementos
dentários foram propostas e são diretamente influenciados pelas propriedades do
material cerâmico, da cor da estrutura dental remanescente, da necessidade de
alteração de sua forma, das técnicas laboratoriais de fabricação e da relação interoclusal.
O preparo realizado sem planejamento adequado pode levar à exposição excessiva de
dentina com consequente redução de sua longevidade clínica. Este trabalho irá relatar
um caso clínico que apresenta os passos para o planejamento e preparo dentário
minimamente invasivo de quatro incisivos superiores preparados para restauração com
laminados cerâmicos. O ensaio estético foi utilizado para visualização prévia do
tratamento restaurador proposto pelo clínico e pelo paciente, além de ser utilizado para
o preparo dos dentes. Pôde-se concluir desta forma, que o preparo utilizando a
restauração provisória, assim como o cálculo correto do desgaste e espessura dos
laminados cerâmicos, produzem resultados previsíveis nas restaurações estéticas dos
dentes anteriores.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 208 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Diagnóstico Precoce e Tratamento da Pseudo Classe Iii: Relato de Caso
Wesley Felisberto Vasques
Luísa Schubach da Costa
CO AUTORES Leandra Matos Azevedo
Karol de Oliveira Martins
Barreto
ORIENTADOR Monica Almeida Tostes
A Classe III é uma má oclusão que envolve prognatismo mandibular, retrognatismo
maxilar ou uma combinação de ambas as condições. Contudo, em alguns casos, ao invés
de uma displasia esquelética real, na verdade há um reflexo funcional de protração
mandibular. A esta situação denomina-se pseudo Classe III, ou seja, um reflexo muscular
adquirido que simula uma condição de mesioclusão. O diagnóstico diferencial entre
estas duas condições baseia-se em uma avaliação facial e radiográfica, além da
observação da relação molar em posição de máxima intercuspidação habitual (MIH) e de
RESUMO
relação cêntrica (RC). Na pseudo-classe III, quando o paciente é manipulado em RC, os
molares assumem uma relação normal, enquanto que na Classe III verdadeira a relação
de mesioclusão se mantém em ambas as posições. O presente trabalho apresenta um
caso clínico de um paciente do gênero masculino, 5 anos de idade, apresentando pseudo
classe I
-se, desta maneira, a cirurgia
ortog
TÍTULO
AUTOR
Tratamento Não-cirúrgico de Extensas Lesões Periapicais. Relato de Dois Casos Clínicos.
Wlhadya Kaenny de Freitas Costa
Luiz Carlos Trevia Morais
CO AUTORES
Isabelly de Carvalho Leal
Suyane Parente Leite
Correia Viana
ORIENTADOR Aldo Angelim Dias
Alterações periapicais extensas são tratadas com terapia endodôntica e posterior
cirurgia paraendodôntica. Porém devido a alguns fatores a cirurgia paraendodôntica
pode ser adiada ou até mesmo desnecessária. O objetivo desse trabalho é relatar 2 casos
clínicos no qual a terapia endodôntica convencional resultou em sucesso clínico. Caso 1:
Paciente de 21, normossistêmico com radiografia panorâmica mostrando uma grande
área radiolúcida na região periapical das unidades 12, 11, 21, 22 e 23. O tratamento
consistiu na pulpectomia, esvaziamento do conteúdo séptico, preparo biomecânico e
medicação intracanal, e em uma segunda sessão a obturação dos 5 dentes. O controle
RESUMO
radiográfico após 2 e 5 anos mostrou eliminação completa da área radiolúcida e áreas de
neoformação óssea. Caso 2: Paciente de 84 anos, diabético. No exame intra-oral foi
constatada expansão da cortical vestibular na região ântero-inferior. Na tomada
radiográfica panorâmica foi visualizada extensa área radiolúcida nos dentes 32, 31, 41,
42 e 43. O tratamento consistiu em tratamento endodôntico conservador. O controle
radiográfico de um ano mostra diminuição da área radiolúcida e cicatrização óssea.
Conclui-se que nem sempre a cirurgia paraendodôntica está recomendada para os casos
de grandes lesões periapicais e que o acompanhamento clínico e radiográfico é de suma
importância para o tratamento.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 209 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis Clínicos
TÍTULO
AUTOR
Paracoccidioidomicose no Hospital Municipal Salgado Filho: um Estudo de Caso
Yhasmim Jotha Messias
Camila Rodrigues de Paiva
CO AUTORES Taiara de Oliveira Costa
Luis Fernando Rodrigues
Correia
ORIENTADOR Sergio Pinto Chaves Junior
O objetivo deste trabalho é enfatizar a importância da anamnese e de exames clínico e
laboratoriais adequados para o tratamento e a cura do paciente. O paciente A.G.R., 69
anos, de hábitos rurais, foi atendido na emergência, no setor de buco maxilo, do Hospital
Municipal Salgado Filho (HMSF), no município do Rio de Janeiro, em maio de 2015,
relatando dormência na boca, disfagia, dispnéia e tosse frequente, há cerca de um ano,
com diagnóstico anterior de pneumonia. Relatou perda significativa de peso e o
surgimento de lesões orais. Ao exame clínico, verificou-se que as lesões orais tinham
aspecto ulcerado, eritematosa, dolorosa, e que o paciente não apresentava febre ou
RESUMO
sudorese noturna. Ao exame radiográfico, foi notado um infiltrado reticulonodular
bilateral e assimétrico, sugestivo para Paracoccidioidomicose. Foi feita a biópsia e o
laudo confirmou o diagnóstico de Paracoccidioidomicose. O tratamento estipulado foi de
itraconazol 200 mg após uma das refeições principais por um período de 6 a 18 meses.
Após um mês de tratamento, observou-se melhora do quadro clínico e regressão das
lesões orais, além dos sinais e sintomas sistêmicos. O paciente assinou termo de
consentimento autorizando o relato de caso. Conclui-se que é de suma importância o
diagnóstico correto, por uma boa anamnese e exames clínico e laboratoriais, para o
tratamento adequado e cura do paciente.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Preparo de Paciente com MÁ Oclusão de Classe III de Angle para Cirurgia Ortognática:
Relato de Caso Clínico
Zelandia Deps Cardoso Ataide
Paulo Roberto Aranha Nouer
Paciente com 26 anos, sexo feminino, apresentou-se na clínica para tratamento
ortodôntico com queixa principal de mandíbula grande. Nos exames, apresentou perfil
côncavo, assimetria facial, padrão dolicofacial, mordida aberta anterior e mordida
posterior cruzada. A telerradiografia e o traçado cefalométrico confirmaram maxila
retroposicionada (79,55:) e a mandíbula protruída (81,82:). Na radiografia panorâmica
notou-se ausência dos elementos 16 e 46. O objetivo do tratamento ortodôntico
consistiu em preparar os arcos superior e inferior para correção com a cirurgia
ortognática. Foi feita a montagem do aparelho fixo superior e inferior e a colocação de
um botão de Nance para ancoragem. Os primeiros pré-molares superiores foram
removidos para retração dos dentes anteriores. Foi feita a retração dos caninos
superiores com elástico em cadeia e arco de aço (.016”). Ao final da retração foi
colocada alça de Bull arco (.017”X.025”) para a retração dos incisivos anteriores. No
espaço entre o segundo pré-molar e o segundo molar superior esquerdo foi colocado um
tubo telescópico para manter o espaço para colocação de implante Alcançados os
objetivos a paciente foi encaminhada para cirurgia ortognática com arcos (.017”X.025”),
amarrilho conjugado .030” e ganchos longos nas proximais dos elementos. Após a
cirurgia foi realizado o alinhamento, nivelamento, intercuspidação e contenção.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 210 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
É Possível Manter a Estabilidade da União Adesiva?
Adriane Romeiro Bispo
Ranna Jacielly Lopes da
Andressa Lissandra Bispo
Mayara Ricardo Moraes
Rocha Lins
Melo
Dulce Maria Santos Simões
O aperfeiçoamento das técnicas e dos sistemas adesivos, aliados a outros
procedimentos, tornam os preparos cada vez mais conservadores, limitando-os apenas a
remoção dos tecidos irreversivelmente afetados, objetivando preparos minimante
invasivos. A união dos adesivos ao esmalte e dentina difere já que os mesmos possuem
composição, estrutura, e concentração de água distinta, pois a dentina é considerada um
tecido com maior umidade e heterogeneidade. Dessa forma, estudos têm demonstrado
que a longevidade da união entre adesivo e dentina depende da estabilidade química e
mecânica de ambos. Assim, estabelecer uma união adesiva onde não ocorra a
degradação proteolítica das fibras colágenas nem tão pouca a degradação hidrolítica dos
sistemas adesivos é o que se busca para que essa união seja estável e duradoura. Logo,
aparecem propostas para conter tais processos, como o uso da clorexidina e o etanol.
Desta forma, a presente revisão de literatura teve por objetivo estudar as diversas
substâncias utilizadas para esta finalidade. Contudo, concluiu-se que apesar das diversas
pesquisas ainda não existem técnicas e/ou materiais capazes de eliminar definitivamente
essas limitações dos sistemas adesivos, sendo necessários novos trabalhos relativos ao
tema, para desta forma esclarecer as dúvidas, corroborando para um melhor
entendimento teórico e consequentemente resultados clínicos.
Bifosfonatos em Odontologia: o que o C.D. Precisa Saber?
Adriano Rocha Campos
Tayane Pierrout
Marcello Gil
Rosangela Varella
Rodrigo Resende
O objetivo deste trabalho é realizar uma revisão da literatura sobre a importância do
cirurgião-dentista na prevenção, no diagnóstico e no tratamento de complicação
advindas da utilização dos bifosfonatos. Os bifosfonatos são utilizados no tratamento de
neoplasias malignas ósseas, doença de Paget, osteoporose, entre outros. Esse grupo de
medicamentos possui atuação sobre os osteoclastos e osteoblastos, o que resulta na
diminuição da remodelação óssea, além de apresentar efeitos inibitórios sobre
mediadores da inflamação, podendo influenciar o processo de reparo de lesões ósseas.
Os bifosfonatos têm sido associados à melhora da qualidade de vida dos pacientes,
porém foram observados alguns efeitos colaterais, sendo identificados através de uma
manifestação bucal classificada como Osteonecrose Associada aos Bifosfonatos (OAB). O
tipo de bifosfonato, a via de administração, bem como a duração do tratamento parece
ter relação direta com a incidência da OAB. Ainda são necessários mais estudos para
entendermos os mecanismos de ação dos bifosfonatos, porém podemos concluir que o
constante contato entre médico e cirurgião-dentista é muito importante e que
abordagens preventivas e não invasivas devem ser preconizadas.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 211 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
A Importância do Uso do Pino de Fibra de Vidro em Prótese Parcial Fixa
Alana Del Arco Barboza
Rafaela Castelo Branco
Marcio Vieira Lisboa
Na última década, novos materiais e técnicas para reconstruir dentes tratados
endodonticamente têm sido propostos e a procura de materiais não-metálicos mais
estéticos tem encorajado os pesquisadores. Entre estes, os pinos de fibra de vidro, em
associação com compósito de preenchimento, têm-se tornado numa opção promissora e
que vem ganhando muitos adeptos. O uso do sistema de pinos fundidos vem diminuindo
progressivamente, devido aos estudos que comprovam o sucesso clínico dos pinos
estéticos. Além disso, o fator estético hoje é requisito de grande importância na
Odontologia, devido ao aumento de emprego de próteses tipo metal free e preferência
pelos pacientes. Os pinos de fibra de vidro são cada vez mais utilizados como retentores
intrarradiculares na reabilitação de dentes tratados endodonticamente. Quando se trata
de canais amplos ou fragilizados, estes são, na maioria das vezes, a primeira escolha,
devido ao módulo de elasticidade próximo da estrutura dental. O objetivo deste trabalho
é revisar a literatura sobre a relevância do uso de pino de fibra de vidro em prótese fixa.
Palavras-Chaves: Pinos de fibra de vidro; dentes tratados endodonticamente; pino préfabricado; compósito de preenchimento.
Exames Por Imagem da Articulação Temporomandibular (Atm) - Visão Atualizada
Alana Vianna de Menezes
William Santos Carvalho
Regina Lucia Seixas Pinto
O estudo da ATM requer, além da anamnese e exame clínico, a realização de exames
complementares, no escopo de adicionar informações de uma condição subclínica para
um diagnóstico conclusivo. A proposta deste estudo foi realizar uma revisão da literatura
sobre as modalidades de exames por imagem usados no estudo da ATM, performance e
acurácia na visualização dos tecidos moles e duros. Foram pesquisados artigos nas bases
de dados Bireme, Scielo e PubMed, utilizando os descritores: ATM, diagnóstico por
imagem, acurácia, e a combinação entre eles. A seleção foi realizada mediante resumos
e textos completos dos artigos que atendiam aos objetivos desta revisão. Os resultados
demonstraram que, alterações ósseas na ATM podem ser observadas em radiografias
convencionais bidimensionais como a panorâmica, porém, são mais evidentes em
imagens de Tomografia Computadorizada Cone-Beam (TCFC), sendo o exame eleito para
avaliação dos componentes ósseos da ATM. A Tomografia Computadorizada com
Multidetectores possui as mesmas informações da Cone-Beam, permite alguma
observação de tecidos moles, mas o disco articular não é visualizado adequadamente e
expõe o paciente a doses mais elevadas. Imagem por Ressonância Magnética é a
modalidade de escolha para avaliar o disco articular e outros tecidos moles da ATM.
Mostram estruturas ósseas, mas não em detalhes comparáveis às imagens de TCFC.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 212 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Osteonecrose dos Maxilares Associada com Bisfosfonatos e sua Influência na
Implantodontia – Revisão Sistemática
Alessandra da Silva Freitas
Thaís Miranda Xavier de
Elson Braga de Mello
Osmar de Agostinho Neto
Almeida
Jeter Bochnia
O objetivo desse estudo foi identificar a ocorrência de osteonecrose dos maxilares
associada ao uso de bisfosfonato (BF) associado com implante dentário (ONMBFID). Foi
realizada uma revisão sistemática de estudos indexados na base de dados Pubmed/
Medline entre os anos 2005–2015 com o uso das palavras-chaves: “bisphosphonates” AND
“osteonecrosisjaw” AND “dental implant”. Foram considerados critérios de inclusão:
estudoclínicos observacionais, descritivos, escritos em inglês/português/espanhol,
disponíveis na forma de texto completo. Foram excluídos os estudos experimentais, com
fuga ao tema e repetidos. Foram selecionados 29 artigos, sendo 23 relatos e seis revisões
de literatura. Foram estudados um total de 2, 546 pacientes com media de 62 anos que
usaram BF, sendo a maioria para o tratamento de doenças ósseas, e realizaram
procedimento de colocação de implante.Os implantes mais utilizados foram os parafusos
convencionais sem modificações e a ONMBID esteve presente 80% e sendo acometida a
maxila 16% e a mandíbula 46%%. A via de administração, a dose, a duração e o tipo de BF
podem influenciar na taxa de sucesso do procedimento, visto que, observou se uma taxa
maior de ONMBFID em pacientes que fizeram uso de BF endovenoso do que os que
fizeram uso de BF oral em uma mesma relação de dose-duração e o tempo de reavaliação
deve ser levado em consideração antes da conclusão de sucesso do procedimento.
Aplicações Clínicas da Tomografia Por Coerência Óptica na Clínica Odontológica
Alex Ferreira de Souza
Patrícia Lins Azevedo do
Douglas Victor Lira Alves
Wamberto Vieira Maciel
Nascimento
Cláudia Cristina Brainer de Oliveira Mota
A Tomografia por Coerência Óptica (OCT) é uma técnica de obtenção de imagens em alta
resolução de estruturas internas de sistemas biológicos e materiais. O objetivo do estudo
é discutir as aplicações do OCT na clínica odontológica, indicando os seus aspectos
positivos e limitações. Trata-se de um estudo de revisão de artigos publicados a partir de
2006, disponíveis nas bases de dados SciELO e PubMed. No OCT os princípios de
interferometria são combinados com fonte de luz de baixa coerência temporal. Esta
técnica possui o mesmo objetivo da tomografia computadorizada, geração de imagens
de forma não invasiva. Todavia OCT utiliza um feixe de luz ao invés de um campo
magnético ou raios-X, caracterizando o seu caráter inócuo não ionizante. Os métodos
ópticos de imagem em odontologia estão em evolução contínua, contribuindo bastante
na Dentística, Materiais Dentários, Prótese, Endodontia, no monitoramento de terapias
de remineralização de lesões cariosas e, mais recentemente, na Periodontia. Entretanto
a técnica ainda apresenta-se limitada pela sua baixa profundidade de penetração nas
amostras, em geral até 2 mm. Pode-se concluir que esse método vem conquistando um
espaço cada vez maior no diagnóstico, principalmente pelo seu caráter inócuo, todavia o
custo elevado ainda se coloca como um fator limitante, que deve ser resolvido à medida
que a técnica se torne mais difundida.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 213 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Indicações do Tratamento Restaurador Atraumático em Saúde Coletiva.
Alexander Almeida dos Santos Filho
Iza Peixoto; Patrícia Suguri
Ágne Magalhães Santos
Tatiana Frederico
Introdução: O Tratamento Restaurador Atraumático (ART) surgiu a partir da necessidade
de controle da cárie de forma mais simples e conservadora, em populações com pouco
acesso à assistência odontológica. O ART pode sofrer modificações em sua técnica para
adaptar-se ao local em que poderá ser aplicado. Essa técnica é conhecida como ART
modificada. Na população brasileira de baixo nível socioeconômico, e com dificuldade de
acesso ao tratamento odontológico, o ART passou a ser utilizado amplamente. Objetivo:
realizar uma revisão de literatura sobre as utilizações do ART no serviço público e
analisar as modificações nos índices da cárie, após a implantação da técnica.
Metodologia: foi realizada uma revisão de literatura utilizando os termos: ART, cárie e
saúde coletiva nas bases de dados Scielo, Lilacs e BBO. Resultados: A utilização deste
procedimento tem demonstrado efetividade na clínica odontológica e em saúde pública
no controle da cárie dentária. A literatura revela que essa técnica tem indicações e
protocolos que devem ser seguidos para a garantia do seu sucesso. Conclusão: A
simplicidade e efetividade do ART são características que contribuem para o uso cada
vez mais frequente desta técnica em saúde pública, para contribuição do controle da
doença cárie na população brasileira.
A Ocorrência de Osteíte Alveolar Pós Exodontia: a Abordagem da Odontologia
Aline Cristina da Silva
Sheila Ferreira Maria
Carlos Fernando Mourão
Roberta Queiroz
Campos
Jonathan Ribeiro
A Osteíte Alveolar, também denominada como "Alveolite Seca", permanece entre as
complicações mais comumente encontradas após a extração de dentes. Essa condição
que acomete o paciente ocorre após exodontia, mais precisamente entre o primeiro e
terceiro dia da remoção cirúrgica do dente, acompanhada por um coágulo de sangue
desintegrado de forma total ou parcial dentro do alvéolo, e permanece durante o
quadro clínico de pós operatório. Dentre os possíveis fatores de riscos, destacam-se: a
ação de micro-organismos orais, o trauma durante o ato cirúrgico, raízes ou fragmentos
de ossos remanescentes, deslocamento físico do coágulo, diminuição da perfusão
sanguínea local, e uso de cigarro e contraceptivos orais. Conclui-se com os resultados da
revisão da literatura que tais fatores estão diretamente associados ao tema em questão.
O objetivo do presente trabalho é realizar uma revisão da literatura disponível
abordando a característica, etiologia, e a fisiopatologia da Osteíte Alveolar, assim como
apresentar os resultados conclusivos pelos autores. Bibliografia: Antonia Kolokythas,
Eliza Olech, and Michael Miloro. Department of Oral and Maxillofacial Surgery, College of
Dentistry, University of Illinois at Chicago, 801 South Paulina Street, MC 835, Chicago, IL
60016, USA. 2010.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 214 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
O Cirurgião-dentista e as Doenças Ocupacionais Ósteo Musculares
Aline Lopes do Rêgo Barros
Keylla Marinho
Amanda Almeida Leite
Janile Lacerda de Carvalho
Albuquerque Barros
Elizabeth Arruda Carneiro Ponzi
A prática profissional odontológica apresenta como uma de suas características o risco
ocupacional, em virtudes de hábitos, postura e patologias advindas da profissão. Neste
contexto, a ergonomia vem contribuindo cada vez mais para a melhoria das condições
de trabalho e na qualidade de vida do cirurgião-dentista, pois, quando bem aplicada, é
fator decisivo na prevenção de lesões músculo esqueléticas causadas por movimentos
repetitivos e problemas posturais. O presente trabalho tem como objetivo relacionar,
por meio de uma revisão de literatura, as principais doenças ósteo musculares que mais
acometem o cirurgião-dentista, bem como a adoção de medidas preventivas evitando
assim a aquisição de problemas ocupacionais relacionados à postura incorreta e a falta
de aplicabilidade da ergonomia, prolongando com qualidade a sua vida útil. Conclui-se
que o cirurgião-dentista é um profissional com risco potencial a ser acometido por
doenças ocupacionais, portanto o mesmo deve utilizar na prática diária a padronização
do atendimento odontológico, inovações tecnológicas, técnicas e métodos ergonômicos
de proteção, para que ocorra a diminuição do risco profissional e a prevenção e
promoção da saúde desses profissionais.
Diagnóstico e Tratamento da Mordida Aberta Anterior: Abordagem Ortodôntica e
Fonoaudiológica
Aline Manuela da Cunha Ramos
Thainara Ferreira do
Sara Gabrielle Silva Santos
Diego Rodrigues da Silva
Rosário Santos
Fernanda Catharino M.Gomes
A ausência do contato entre os incisivos em relação centrica é conhecida como mordida
aberta anterior (MAA), frequente entre os pacientes ortodônticos e, relacionada à
recidiva após tratamento. Fatores etiológicos ligados à função bucal são associados à
MAA, como: os hábitos de sucção, respiração bucal, fonação e deglutição atípicas e
postura anterior da língua em repouso. Sabe-se que a interposição da língua entre os
incisivos é um fator mecânico capaz de impedir a completa irrupção das unidades, nas
arcadas. Durante o repouso, a língua pode se posicionar de forma mais alta ou mais
baixa, gerando mordidas abertas com diferentes características morfológicas e
severidades. O objetivo do trabalho será enfatizar aspectos do diagnóstico da MAA
relacionados com os possíveis posicionamentos da língua, abordando seus tratamentos,
com enfoque ortodôntico e fonoaudiológico. O painel será composto por conteúdos
teóricos e visuais, demonstrando as diferenças entre o padrão de normalidade e a má
oclusão, o posicionamento da língua nas diferentes condições, como os aparelhos
ortodônticos utilizados para o tratamento da MAA e os aparelhos para exercícios
fonoaudiológicos. Dessa maneira pretende-se enfatizar a importância do diagnóstico e
da abordagem multidisciplinar, com intuito de proporcionar tratamento integral
devolvendo padrões de normalidades dentofaciais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 215 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Alterações da Normalidade e a Importância do Seu Diagnostico na Clinica Odontologica
Aline Tavares Lima Holanda
Mônica Meneses Lima
Malena Ferreira Marques
Israel Leal Cavalcante
Renata Cordeiro Texeira Medeiros
Na Odontologia, o reconhecimento das alterações bucais é peça fundamental na prática
profissional. O exame clínico sistemático da cavidade bucal é de responsabilidade do
cirurgião dentista, independente da especialidade a que se dedica. Portanto, o presente
estudo tem como objetivo apresentar as alterações bucais dentro do padrão de
normalidade e o perfil epidemiológico dos pacientes acometidos por tais alterações. Em
toda literatura pesquisada, notou-se que os autores não se preocuparam em separar as
lesões das alterações dentro do padrão de normalidade. Como essas últimas são, na
maioria das vezes, apenas variações da normalidade ou lesões de pouca significação
clínica, os profissionais cirurgiões-dentistas não dão a devida importância no estudo de
tais alterações. Muitas alterações carecem de sinais e sintomas esclarecedores,
induzindo a erros na elaboração do diagnóstico e dedução do prognóstico,
comprometendo até mesmo profissionais experientes. Conclui-se que muitas alterações
ou anormalidades bucais não se traduzem necessariamente por doença, tratando-se
muitas vezes de "desvio de normalidade" sem apresentar alterações patológicas
significativas. Assim, todo cirurgião dentista deve estar apto a reconhecer as alterações
da normalidade como processos não patológicos, no intuito de estabelecerem um
correto diagnóstico e esclarecimento do quadro perante seus pacientes.
Utilização da Toxina Botulínica no Tratamento do Bruxismo dos Pacientes Portadores de
Paralisia Cerebral
Amanda Domingos Tavares
Bruna Lavinas Sayed
Bruna Michalski dos Santos Luciana Freitas Bastos
Picciani
Geraldo Oliveira Silva-Junior
A paralisia cerebral é uma condição clínica caracterizada por alterações neuromotoras
não progressivas. A etiologia envolve uma lesão encefálica que ocorre durante o
desenvolvimento da criança podendo envolver diferentes áreas do cérebro. Dentre as
condições bucais, o bruxismo é frequentemente encontrado e sua incidência nos
indivíduos com paralisia cerebral ainda é desconhecida. A etiologia desta atividade
parafuncional é multifatorial, como espasticidade, distúrbios miofuncionais orais,
disfunção da coluna vertebral com a cabeça projetada para frente, a falta de controle da
postura mandibular, distúrbios do sono, o uso de neurolépticos e má oclusão. As forças
excessivas aplicadas nos músculos podem causar disfunção da articulação têmporomandibular, dores de cabeça, alargamento ou espessamento do ligamento periodontal e
facetas de desgaste nos dentes. Várias modalidades de tratamento têm sido
investigadas. A toxina botulínica do tipo A é reconhecida cientificamente como sendo a
de maior potência e de efeito mais duradouro, sendo convencionalmente comercializada
com finalidade terapêutica e tem sido utilizada para o tratamento do bruxismo nos
pacientes com paralisia cerebral. O tratamento mostrou melhora significativa dessa
condição, reduzindo a espasticidade muscular, o traumatismo do lábio inferior, melhora
da abertura de boca facilitando a higienização oral.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 216 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Avaliação Clínica e Laboratorial da Associação do Cimento de Ionômero de Vidro com
Antimicrobianos Bioativos - uma Revisão de Literatura
Amanda Marcia Maia Souza
Caroline Martins
Maydson Marques
Thátyla Silva Linhares
Nascimento
Meneses Araujo
Rosana Costa Casanovas de Carvalho
Os cimentos de ionômero de vidro têm sido utilizados nas diversas especialidades
odontológicas por sua biocompatibilidade, adesividade à estrutura dental e capacidade
de liberar flúor. Este material vem sendo associado a substâncias como própolis,
antibióticos, clorexidina e biovidros como forma de potencializar suas propriedades
antimicrobianas e mecânicas. Assim, o objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão
crítica da literatura acerca da associação do cimento de ionômero de vidro com
clorexidina, antibióticos, própolis e biovidros. Busca realizada utilizando base de dados e
seleção de estudos através de pesquisa manual por listas de referências através dos
unitermos “glass ionomer and antibiotic”, “glass ionomer and propolis”, “glass ionomer
and chlorhexidine” e “glass ionomer and bioglass”. Após a aplicação dos critérios de
inclusão/exclusão, 11 trabalhos foram selecionados. Diante das limitações presentes
neste estudo, é possível afirmar, que em geral a associação do cimento de ionômero de
vidro com agentes antimicrobianos bioativos, parece potencializar a ação antibacteriana
do material e auxiliam na remineralização da dentina. Entretanto, os estudos ainda
mostram-se controversos quando se trata dessas associações e comprometimento das
propriedades físicas e mecânicas do ionômero.
Movimento Mecanizado Reciprocante na Endodontia, Cinco Anos de Estudos: Revisão de
Literatura
Ana Gabriela Gurgel Dourado
Aldo Angelim Dias
Fábio Almeida Gomes
Bianca Gadelha de Freitas
Humerto Ramah Menezes de Matos
A instrumentação mecanizada foi proposta na Endodontia com o intuito de tornar o
preparo biomecânico mais ágil e eficiente. Porém fraturas por torção e fadiga cíclica são
comuns com a utilização destas limas rotatórias. Logo assim, devido os altos índices de
fraturas das limas com cinemática de rotação contínua, uma nova técnica de cinemática
mecanizada vem sendo empregada e pesquisada, o movimento reciprocante.
Inicialmente foram comercializadas duas limas rotatórias com cinemática reciprocante,
Reciproc (VDW, Munique, Alemanha) e WaveOne (Dentsply, Ballangues, Suiça). O
objetivo deste trabalho é através de uma revisão de literatura ressaltar que dentre os
instrumentos mecanizados, aqueles que utilizam cinemática reciprocante apresentam
maiores vantagens do que os que utilizam movimento rotação contínua. Foi realizado
uma busca de manuscritos nas bases de dados PubMed e Medline, usando as palavraschaves Fratura Cíclica, Movimento Reciprocante, Reciproc, Endodontia e Limas de
Níquel-Titanio, selecionando os publicados nos últimos quatro anos. Através desta
revisão na literatura pode-se concluir que o uso de limas mecanizadas com movimento
reciprocante possui menor fadiga cíclica que comparando com as limas de rotação
contínua, evitando a fratura, ganho de tempo clínico, sem perda de eficiência no
tratamento.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 217 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Fatores Agravantes ao Atendimento Primário à Vítima de Trauma Buco Maxilo Facial:
uma Revisão de Literatura
André Luiz Guimarães da Silva
Adriano Serafim dos Santos Rodrigo Henrique Mello
Marcela Côrte Real
França
Varela Ayres de Melo
Fernandes
Ricardo Eugenio Varela Ayres de Melo
O Trauma Buco Maxilo Facial é uma modalidade de trauma que apresenta diversos tipos
de agravantes no que diz respeito à apresentação clínica, manejo e tratamento. Este tipo
de trauma afeta tanto tecidos moles quanto estruturas ósseas, sendo sua reabilitação
um processo demorado e custoso. O presente estudo visa, a partir de uma revisão da
literatura, identificar principais agravos do trauma facial que se caracterizam como
fatores que dificultam ou impossibilitam à instituição de procedimentos de atendimento
primário e suporte básico à vida como alguns dos métodos do Advanced Trauma Life
Support (ATLS). Na avaliação primária da vítima é preconizado o uso do padrão ABCDE.
Sendo o acesso e manutenção das vias aéreas com proteção da coluna cervical, ou “A”, o
maior obstáculo. Há obstáculos ainda na instituição dos procedimentos das etapas de
respiração e ventilação, ou “B”; em “C” é prioritário o controle hemorrágico; “D” avalia o
nível de consciência do paciente e “E” representa expor o paciente, ou seja, despi-lo e
controlar o ambiente prevenindo a hipotermia. Além disso, encontra-se dificuldade na
criação de uma via aérea temporária. Conclui-se que a vítima de trauma facial apresenta
vários fatores agravantes que devem ser conhecidos pelo socorrista e profissional
responsável pelo tratamento, a fim de melhorar o quadro e evolução do paciente além
de evitar danos secundários.
Fibromatose Gengival Hereditária: Revisão de Literatura
Andressa Bezerra de Almeida
Maria Catarina da Costa
Luiz Arthur Ferreira
Thalles Moreira Suassuna
Neta
Belarmino
Marcelo Farias de Medeiros
A Fibromatose Gengival Hereditária (FGH) é descrita como uma condição bucal rara,
clinicamente manifestada por um crescimento lento, progressivo, difuso e benigno dos
tecidos gengivais e pode ser observado tanto o padrão autossômico dominante, quanto
o recessivo. O objetivo desse trabalho é, através de uma revisão da literatura, elucidar
todas as suas características, facilitando sua identificação e tratamento. A FGH pode se
manifestar, de um modo geral, de forma isolada ou em associação a outras patologias
sistêmicas. A expressão da FGH pode variar de leve a grave e a presença de dentes é
essencial para que esta condição aconteça, principalmente porque o aumento gengival
geralmente inicia-se no tempo da erupção da dentição e raramente está presente ao
nascimento. Como tratamento, alguns autores indicam a intervenção cirúrgica
combinada com a extração de todos os dentes envolvidos em casos crônicos da doença.
Outros métodos de remoção de grandes quantidades de tecido gengival também podem
ser utilizados, tais como laser de dióxido de carbono e eletrocautério. Em resumo,
podemos concluir que em decorrência da heterogeneidade clínica da FGH, das diferentes
formas de apresentação e da possível relação com outras anormalidades e síndromes,
destaca-se a sua importância diagnóstica, para que o tratamento adequado seja
executado.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 218 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis de Revisão
TÍTULO
AUTOR
Resina Bulk-fill: Otimizando Resultados.
Andressa Lissandra Bispo Melo
CO AUTORES
Adriane Romeiro Bispo
ORIENTADOR
Dulce Maria Santos Simões
A evolução das técnicas adesivas e dos materiais à base de resina composta forneceu
alternativas para restaurações de dentes posteriores, admitindo que a odontologia
restauradora atue de acordo com as necessidades estéticas exigidas pela sociedade
moderna. Contudo, as resinas compostas ainda apresentam, apesar de toda evolução,
contração o e estresse de polimerização, que podem levar às trincas em esmalte e
dentina, tensão em cúspides, sensibilidade pós-operatória, microinfiltrações e cáries
secundárias. Com o objetivo de minimizar esses efeitos adversos, a técnica restauradora
é feita de forma incremental que, comumente, consome tempo, possuindo ainda risco
de incorporação de bolhas de ar e contaminação entre as camadas. Um novo grupo de
resinas, denominado “bulk-fill”, propõe a aplicação de uma só camada de até 4 mm de
espessura que, além de simplificar o procedimento, possui uma baixa contração de
polimerização e apresenta uma baixa tensão de contração. Contudo, existe um impasse
em se obter a anatomia de dentes posteriores, sendo necessária a cobertura com
incrementos de 2 mm de resina composta, que substituirá o esmalte, restituindo a
anatomia e a estética do dente. O trabalho objetiva fazer uma revisão de literatura,
destacando as vantagens e desvantagens do uso dessa nova classe de resinas para
restauração posterior (Bulk-Fill).
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Mayara Ricardo Moraes
Mirelly Raianne de Lira
Torres
Efeitos da Ativação a Laser em Clareamento Vital em Consultório: Revisão de Literatura.
Andrezza do Amaral Costa
Lorrane Salvador de Mello
Maria José Alencar
O clareamento dentário em dentes vitais realizado em consultório é um tratamento
estético bastante solicitado na prática clínica e pode ser feito utilizando a ativação a
laser. O objetivo dessa revisão de literatura é explicitar as vantagens e desvantagens da
ativação a laser no clareamento vital realizado em consultório. Para tanto, realizaram-se
buscas bibliográficas dos 10 últimos anos até abril de 2015 na base de dados PUBMED
utilizando-se as palavras-chave: “tooth”, “whitening”, “bleaching”, “laser activation” e
“light activation”. Do total de 260 artigos encontrados, 21 foram selecionados e incluídos
após a leitura completa. O protocolo consiste na aplicação nos dentes do gel clareador
de peróxido de hidrogênio ou carbamida em altas concentrações após a colocação de
uma barreira de proteção da gengiva. O uso do laser aumentou a temperatura
intrapulpar durante o tratamento podendo causar danos pulpares e a sensibilidade
dentária após o mesmo acarretando grande desconforto ao paciente. Não houve
diferença significativa de eficácia após a estabilização da cor obtida. Concluiu-se que o
uso do laser pode ser utilizado como um método auxiliar de atrair a atenção do paciente
para o tratamento, porém o clareamento dentário é dependente principalmente da
concentração do gel empregado.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 219 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis de Revisão
TÍTULO
AUTOR
Teleodontologia no Brasil: Aplicações e Projetos Nacionais.
Barbara Monteiro Grisolia
CO AUTORES
Aline de Almeida Neves
ORIENTADOR
Ana Estela Haddad
A teleodontologia é definida como a oferta de serviços ligados aos cuidados com a saúde
bucal, quando a distância é um fator crítico. Tais serviços podem ser ofertados por
teleconsultoria, telediagnóstico ou tele-educação. O objetivo deste trabalho é
apresentar dois projetos nacionais em teleodontologia. A Rede Universitária de
Telemedicina (RUTE) conecta por teleconferência, universidades com outros centros
para intercâmbio de experiências, segunda-opinião e pesquisa colaborativa entre grupos
especiais de interesse (SIGs). Dos 68 SIGs, quatro são em odontologia: 1) Diagnóstico
bucal (casos/segunda opinião de doenças bucomaxilofaciais); 2) Saúde bucal coletiva
(estratégias para a odontologia no âmbito da epidemiologia); 3) Teleodontologia (integra
tecnologias de informação e comunicação em Odontologia) e 4) Residência
Multiprofissional em Área Profissional da Saúde (promove um espaço colaborativo, para
troca de experiência e trabalho em rede). O Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes
conecta os Núcleos com os Pontos de Telessaúde localizados em Centros ou Unidades
remotas, para prover cursos, aulas e seminários à distância, teleconsultoria e
telediagnóstico. A teleodontologia tem eliminado barreiras geográficas e vem facilitando
o atendimento à população pela qualificação profissional através da oferta de teleeducação ou pelo suporte na teleconsultoria e telediagnóstico.
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Luciana Pomarico Ribeiro
Mary Caroline Skelton
Macedo
A Inter-relação Entre a Doença de Crohn e a Doença Periodontal
Beatriz de Assis Rego Nogueira
César Augusto Abreu
Mariana Alves Fernandes
Silas Alves Costa
Pereira
Ribeiro
Liana Linhares Lima Serra
A doença periodontal é reconhecida como uma inflamação que acomete os tecidos de
proteção e sustentação dos dentes sendo causada pelo acúmulo de biofilme
supragengival ou subgengival e, dependente da resposta do hospedeiro. O objetivo
desta revisão é avaliar uma possível relação entre a doença periodontal e a doença de
Crohn, que é um tipo de doença inflamatória inespecífica crônica do trato digestivo (DII).
Teorias têm sido postuladas a fim de explicar a progressão da gengivite para a
periodontite no contexto do paradigma Th1/Th2. Foram buscados, avaliados e
selecionados 20 artigos científicos recentes nas bases Medline/Pubmed dos anos de
2006 a 2012 que confrontavam as duas doenças dando ênfase ao perfil imunológico
similar do Th1 e de mediadores inflamatórios. Fica notório em todos os artigos
pesquisados que possa existir uma associação entre a doença de Crohn e a doença
periodontal devido à similaridade da sua etiopatologia e de seus fatores de risco – com o
mesmo perfil linfocitário. Concluímos que é necessário mais pesquisas para que seja
possível afirmar um vínculo concreto entre as duas doenças em questão apesar da
possibilidade de maior prevalência de periodontite nos portadores da doença de Crohn.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 220 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
A Importância da Radiografia Panorâmica e Tomografia Computadorizada de Feixe
Cônico no Diagnóstico de Osteoporose – Revisão de Literatura
Beatriz Farias do Nascimento
Aurelino Machado Lima
Estevão Antero Santos
Alexandre Perez Marques
Guedes
Eduardo Murad Villoria
O objetivo do presente trabalho consiste em realizar uma revisão de literatura sobre a
importância dos exames imaginológicos como auxiliares no diagnóstico de osteoporose.
Segundo a OMS, a osteoporose é uma doença degenerativa caracterizada pela perda de
matriz dos tecidos ósseos com consequente diminuição da sua densidade tendo maior
prevalência em mulheres idosas após a menopausa. Os locais em que ocorrem os
primeiros sinais da osteoporose são a região de fêmur, vértebra lombar e punho. Para os
cirurgiões dentistas o conhecimento dessa doença, junto aos medicamentos utilizados
para seu tratamento, são fatores importantes na escolha de determinados tratamentos,
devido ao risco de ocorrência de efeitos colaterais. Exames como Radiografia
Panorâmica e Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico são utilizados com
frequência por cirurgiões-dentistas. Com isso, diversos estudos observaram uma
correlação substancial entre a osteoporose e a diminuição da espessura da cortical óssea
da base mandibular, sendo essa avaliada por um índice qualitativo e outro quantitativo,
denominados índice mandibular cortical (IMC) e índice mentual (IM), respectivamente.
Dessa forma, concluímos que esses exames podem propiciar o diagnóstico inicial da
doença possibilitando sua confirmação através da densitometria óssea e garantindo o
tratamento precoce dos pacientes.
Importância da Interface Multiprofissional Odontologia e Fonoaudiologia em Pacientes
com Disfagia
Brennda Nazareth Knust
Francelise Pivetta Roque
Angela Scarparo
A disfagia orofaríngea é uma alteração na fase oral e/ou faríngea da deglutição, que
oferece risco de prejuízo às condições pulmonares, à nutrição e hidratação, afetando,
ainda, a socialização e a autoimagem, com impacto negativo na qualidade de vida. É
mais frequente em idosos; sendo decorrente de causa neurológica, a exemplo de
acidente vascular encefálico e demência mecânica, como câncer de cabeça e pescoço, e
psicogênica. Esse trabalho tem por objetivo descrever, ressaltando a importância, as
indicações e os benefícios da interface multiprofissional Odontologia e Fonoaudiologia
no cuidado ao paciente disfágico. Foi realizada pesquisa bibliográfica do tipo revisão
narrativa da literatura, nas bases de dados PubMed e Scielo utilizando termos como
“oral health” e "dysphagia". Concluiu-se que o trabalho em equipe multidisciplinar
garante a manutenção da deglutição com mais segurança, e melhor qualidade de vida. O
fonoaudiólogo é o responsável pelo diagnóstico e gerenciamento da disfagia, de forma a
permitir a manutenção da funcionalidade da deglutição, não só de alimento, mas de
secreção. Existem poucos estudos referentes à atuação odontogeriátrica na disfagia;
contudo, dentre os trabalhos existentes, a realização de higiene bucal adequada,
favorece uma melhor alimentação e diminui o risco de broncoaspiração de bactérias
orofaríngeas, que auxiliam a fonoaudiologia.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 221 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Complicações Pós-operatórias e Taxas de Sobrevida de Próteses Auriculares
Implantossuportadas
Brenner Alves Coppola
Leandro Nascimento Rodrigues dos Santos
Aline Úrsula Rocha Fernandes
Os implantes osseointegrados no processo mastóide foram desenvolvidos com o intuito
de proporcionar melhor qualidade de vida aos pacientes portadores de próteses
auriculares, ao garantirem maior estabilidade protética, melhores resultados estéticos e
técnica menos exigente e invasiva do que a cirurgia reconstrutiva autógena, com menor
tempo requerido e complicações. O presente trabalho apresenta uma revisão de
literatura acerca das complicações relacionadas a essa técnica, bem como as taxas de
sobrevida. Foram avaliados 22 artigos científicos publicados de 2004 a 2015, cujo objeto
de estudo envolvia as complicações pós-operatórias e taxas de sobrevida em pacientes
reabilitados por próteses auriculares. Quinze deles eram artigos de pesquisa científica,
quatro de revisão de literatura e três de relato de caso. As complicações pós-operatórias
mais citadas foram: perda de implantes e reações de pele/mucosa. As taxas de sobrevida
variaram de estudo para estudo, mas giraram em torno de 90-100% de sucesso na
maioria deles, a depender de diversos fatores como o local de colocação do implante,
experiência prévia de radiação, dentre outros. A retenção por implantes é considerada
confiável e segura para a reconstrução protética craniofacial, porém não é livre de
complicações. Para minimizá-las, são importantes higiene cuidadosa, cuidados
posteriores e manutenções regulares.
Autopercepção de Saúde Bucal em Idosos: Revisão Sistemática
Camila Caroline da Silva
Antônio Carlos de Albuquerque Moura
Rogério Dubosselard Zimmermann
Carla Cabral dos Santos Accioly Lins
Com um número crescente de problemas bucais diagnosticados em idosos no mundo,
surge a necessidade de se buscar um cuidado integral a essas pessoas, não só levando-se
em conta a visão clínica, mas também a autopercepção, na qual o próprio indivíduo
identifica suas condições de saúde bucal e as necessidades de tratamento. O objetivo
deste trabalho foi fazer uma revisão sistemática da literatura, a respeito da saúde bucal
autoreferida em idosos. A pesquisa foi realizada utilizando-se a busca de artigos
publicados nas bases de dados eletrônicas: PubMed/Medline e Lilacs/Bireme, entre 2010
e 2015, com os descritores: Oral Health, Eldery e Self-perception. Foram considerados
como critérios de inclusão: estudo com pessoas com mais de 60 anos, ser de língua
inglesa, e que abordavam a autorreferência do idoso sobre sua condição bucal; e
excluídos: estudos em Instituições de Longa Permanência ou Hospitais, e que
abordassem outros aspectos do cuidado. Foram identificados inicialmente 257 artigos,
que após análise metodológica, foram incluídos 14. Verificou-se, que os programas de
assistenciais devem ficar atentos à autopercepção da saúde bucal pelo idoso, como
forma de ajudá-lo a manter sua boca saudável, contribuindo para um planejamento
clínico que pretendam suprir as suas necessidades.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 222 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Relação Entre Doença Periodontal e Doença Cardiovascular Aterosclerótica – Revisão de
Literatura
Camila Gama Zuniga
Bernardo Oliveira de
Andressa Pereira Fernandes Natane de Souza Jerônimo
Campos
Gustavo Vicentis de Oliveira Fernandes
A doença periodontal é uma doença inflamatória crônica multifatorial estabelecida em
resposta a antígenos periodontopatogênicos. A doença arterial coronariana responde
pela maior parte dos óbitos dentre as doenças cardiovasculares, sendo a aterosclerose a
principal responsável por seu desenvolvimento. A associação entre doença periodontal e
doença cardiovascular aterosclerótica tem recebido considerável atenção. Assim, o
objetivo deste trabalho foi revisar a literatura a fim de esclarecer a relação entre
doenças periodontal e coronariana. Estudos relatam que a infecção periodontal pode
causar infecção do endotélio vascular e contribuir para a ocorrência da aterosclerose, o
que aumenta o risco de isquemia do miocárdio e infarto, sempre precedidos de eventos
tromboembolíticos. Outros estudos têm mostrado correlação significativa entre a
gravidade da doença dentária e o grau de ateromatose coronariana, sendo que a
infecção dentária foi o único fator, excluindo os fatores de risco clássicos, que tem
relação com a gravidade da aterosclerose coronariana. Portanto, concluímos que as
doenças periodontais possuem forte associação com cardiopatias/ateroscleroses, e que
há ainda necessidade de estudos mais específicos por períodos prolongados.
Estudo Sobre os Efeitos na Odontogênese e na Formação Craniofacial Devido a Ingestão
de Bebidas Alcoólicas Durante a Gestação para Promoção da Saúde Preventiva
Camila Martins Antonio Antunes
Mildred Ferreira Medeiros
O alcoolismo vem-se tornando uma das maiores preocupações em saúde pública
mundialmente. O consumo de bebidas alcoólicas entre as mulheres cresce de modo
expressivo, incluindo as gestantes, aumentando o número de crianças com anomalias,
resultado da ingestão moderada ou abusiva no período gestacional. O presente estudo
teve como objetivos: identificar os malefícios da ingestão de bebidas alcoólicas durante
o período gestacional, identificar os efeitos sobre a odontogênese e o desenvolvimento
craniofacial fetal e identificar que tipos de prejuízos funcionais a criança com tais
malformações apresentará. Entre os diversos danos ao desenvolvimento embrionário e
fetal está: a diminuição da circulação sanguínea placentária, o baixo peso ao nascer,
alterações no metabolismo fetal ou aborto, sinais craniofaciais e diversos níveis de
retardo mental. As maiores dificuldades citadas nas publicações foram a falta de
informação das gestantes sobre os malefícios do consumo de álcool no período
gestacional e o despreparo dos profissionais de saúde que as acompanham para
abordagem sobre o hábito em questão. Conclui-se que a solução para reduzir os riscos
passa pela compreensão dos fatores que levam as gestantes ao consumo de bebidas
alcoólicas, de forma a orientar a formulação de políticas públicas comprometidas com a
promoção, prevenção e tratamento, conforme preconiza o Ministério da Saúde.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 223 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Displasia Cleidocraniana: uma Síndrome Rara que Atinge Diversos Ossos e Articulações
do Corpo
Carlos Higor Mendonça Araujo
Vanessa Maria Carvalho
Girlene Peixoto Girao
Jader Satiro de Araujo
Lima
Diego Felipe Silveira Esses
A Displasia Cleidocraniana é uma rara displasia esquelética de herança autossômica
dominante sendo caracterizada por anomalias do crânio, dentes, maxilares, bem como
parada ocasional do crescimento dos ossos longos. Este estudo teve como finalidade
apresentar uma revisão da literatura pertinente às manifestações sistêmicas e orais mais
frequentes nos pacientes portadores desta síndrome e ratificar a importância de um
diagnostico precoce, bem como do tratamento multidisciplinar nesses pacientes. O
material coletado teve como base, publicações de livros e artigos nacionais e
internacionais, produzidos nos últimos 10 anos, utilizando as bases de dados Scielo,
LILACS e PubMed, a partir da combinação entre os seguintes descritores: Displasia
Cleidocraniana; Manifestações Orais e Tratamento. A literatura mostra que as principais
manifestações que acometem os pacientes são a baixa estatura, hipermobilidade dos
ombros devido à aplasia ou hipoplasia clavicular, retenção dos dentes decíduos e retardo
na erupção dos dentes permanentes, associado a múltiplos supranumerários. Podemos
concluir que o conhecimento dos distúrbios de desenvolvimento que envolve as
estruturas crânio-dento-faciais presentes nos pacientes com displasia cleidocraniana é
de suma importância para o profissional de odontologia.
Uso da Ultrassonografia na Clínica Odontológica: Revisão de Literatura
Carlos Matheus da Silva Araujo
Juliana Oliveira
Marcelo Uzeda
Rodrigo Resende
Paulo Ribeiro
O processo de diagnóstico abrange uma série de dados obtidos durante a anamnese e o
exame físico do paciente. Entretanto, quando não for possível definir o mesmo através
do exame clínico, torna-se imprescindível a solicitação de exames complementares para
estabelecer o diagnóstico conclusivo. A ultrassonografia é um recurso imaginológico, que
foi desenvolvido, primeiramente, para utilização submarina e só depois fundamental na
área da saúde. Esse sistema se utiliza de ondas ultra-sônicas, que são produzidas por um
translutor, responsável também por enviá-las ao tecido que se deseja avaliar e por
receber os ecos sonoros que são refletidos pelas estruturas que possuem diferentes
impedâncias acústicas, obtendo-se os resultados. A ultrassonografia é considerado um
exame seguro, indolor, sem efeitos deletérios conhecidos ate os dias atuais ao paciente
e de baixo custo. É um exame imanológico com alta especificidade para tecidos moles; é
um recurso capaz de detectar, delimitar e avaliar o conteúdo interno, tanto na
normalidade quanto nas alterações do complexo dento-maxilo-cervico-facial; a
interpretação pode ser feita em tempo real, sendo passível de repetição, sempre que
necessário. Contudo, não parece ser um exame solicitado rotineiramente pelo cirurgiãodentista, muitas vezes por desconhecimento do profissional em relação as suas
indicações de uso e vantagens.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 224 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Atendimento Odontológico à Pacientes Especiais: uma Revisão de Literatura.
Carlos Sampaio de Santana Neto
Silvia Leticia Sena Ferreira
Carlos Sampaio de Santana Neto
Dayliz Quinto Pereira
Em 2012 o Brasil possuía uma população de aproximadamente 14,5% com alguma
necessidade especial, o que implica em um acompanhamento multiprofissional. Diante
disso o atendimento odontológico deve integrar e assegurar uma boa saúde bucal a
essas pessoas, pois a promoção da saúde bucal a esses indivíduos irá gerar uma melhor
qualidade de vida. Durante o atendimento pelo cirurgião-dentista os procedimentos
odontológicos devem priorizar a prevenção das doenças bucais, para isso o profissional
deve ter um conhecimento amplo e entender das doenças mais prevalentes e suas
causas nesta população, suprindo as necessidades especiais destes pacientes. Contudo,
poucas Universidades no curso de Odontologia oferecem em suas grades curriculares a
matéria Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais e por isso muitos
cirurgiões-dentistas não sabem como proceder durante o atendimento. O presente
trabalho propõe revisar e discutir os artigos científicos sobre este assunto durante os
anos de 1999 a 2015 nas bases de dados acadêmicos: BVS, Scielo, Google Acadêmico e
periódicos CAPES, e dessa forma entender sobre a importância do atendimento
odontológico às pessoas especiais, as doenças mais prevalentes nesta população e os
cuidados durante o atendimento.
Descritores: Odontologia, Saúde Bucal, Assistência Odontológica para Pessoas com
Deficiências.
Principais Calcificações em Tecido Mole Visualizadas em Radiografia Panorâmica e
Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico.
Carolina Costa Borges
Mariana Pires da Costa
Eduardo Murad Villoria
Kyria Spyro Spyrides
Alexandre Perez Marques
A radiografia panorâmica e tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) são
exames utilizados corriqueiramente na odontologia. Esses exames permitem a
visualização de estruturas dento-alveolares e acidentes anatômicos das regiões de
cabeça e pescoço. Muitas vezes imagens radiopacas/hiperdensas sugestivas de
calcificações em tecido mole podem ser visualizadas por meio desses exames de
diagnóstico por imagem utilizados na odontologia. O presente trabalho tem por objetivo
realizar uma revisão de literatura enfatizando as características radiográficas e
tomográficas do sialolito (calcificação em glândula salivar), tonsilolito (calcificação em
tonsila palatina), flebólito (calcificação em veias), placa de ateroma em bifurcação de
artéria carótida e linfonodo cervical calcificado. As calcificações, muitas vezes, são
assintomáticas e a radiografia panorâmica e TCFC podem possibilitar o diagnóstico
precoce dessas alterações. Essas imagens podem sugerir calcificações que não oferecem
riscos ao paciente, como por exemplo, o tonsilolito, ou podem revelar imagens que
mereçam avaliação médica, como no caso do ateroma em bifurcação de carótida.
Devido ao fato de algumas dessas calcificações serem de difícil diferenciação, é
extremamente importante que o cirurgião-dentista tenha conhecimento das suas
características radiográficas para permitir a correta conduta terapêutica ao paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 225 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
A Toxicidade do Amálgama Dental e sua Aplicação à Realidade Brasileira
Caroline Águeda Corrêa
Ana Luiza Sarmento dos
Caroline Luizi da Silveira
Natália Araújo Silva Prado
Santos
Quintanilha
Rudá França Moreira
O objetivo desse trabalho é analisar o impacto do amálgama no organismo humano e no
ambiente em contraste ao sucesso de sua aplicação à realidade brasileira. O amálgama é
um material amplamente utilizado na odontologia devido a sua alta resistência ao
desgaste, auto-selamento e baixo custo. Sua limitação é a presença do mercúrio, um
metal altamente volátil, inalado de forma imperceptível e de efeito acumulativo, sendo
prejudicial ao organismo e ao meio ambiente. Contudo, pesquisas indicam que
consumidores semanais de frutos do mar podem ter aproximadamente sete vezes mais
mercúrio no nível sanguíneo que indivíduos com restaurações amálgama. Isso
demonstra que a maior exposição ao mercúrio se dá pela contaminação dos recursos
hídricos e não da utilização de restaurações dessa liga. A odontologia deve contribuir
para diminuição dos níveis de mercúrio fazendo o descarte apropriado do amálgama,
além da diminuição gradual de restaurações realizadas com essa liga. Contudo, no Brasil,
o desuso do amálgama é inviável, já que não há outro material restaurador que consiga
combinar alta resistência ao baixo custo. Isto faz com que o amálgama seja a primeira
opção do serviço público e sua extinção traria, principalmente, a perda do controle da
saúde bucal da população brasileira.
Levantamento de Seio Maxilar para Instalação de Implantes: Revisão de Literatura
Caroline Brum Gonzalez
Brunna Aguiar da Silva
Jeter Bochnia
Osmar de Agostinho Neto
Elson Braga de Mello
O seio maxilar é uma cavidade localizada na maxila, com forma piramidal, reforçada por
septos intrassinusais. O levantamento do seio maxilar, também denominada sinus lift, é
uma técnica cirúrgica simples e previsível, desenhada com a finalidade de reabilitar áreas
edêntulas da maxila para fins protéticos. O objetivo é demonstrar, através de revisão de
literatura, as indicações, contra-indicações, técnicas cirúrgicas e os tipos de enxerto
utilizados no tratamento. Um exame clínico minucioso é essencial para filtrar o paciente
que é apto a fazer o sinus lift, que tem como indicação indivíduos com perda total dos
dentes, com pneumatização uni ou bilateral do seio maxilar, perda parcial dos dentes
com pequena altura do processo alveolar remanescente e distância interoclusal
preservada. As técnicas cirúrgicas utilizadas são: Tecnica da abertura lateral (traumática)
e de Elevação atraumática de Summers. Os enxertos utilizados atualmente para o
levantamento de seio maxilar são os enxertos: aloplásticos, alógenos, xenógenos e
autógenos. Conclui-se que o sinus lift é uma técnica viável, desde que haja uma
avaliação prévia do paciente e um planejamento conjunto entre o protesista e o
cirurgião bucomaxilofacial.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 226 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Manchas Brancas em Esmalte Dentário: Cárie Dentária, Hipoplasia ou Fluorose? Uma
Abordagem Crítica.
Caroline Martins Nascimento
Maydson Marques
Gisele Quariguase Tobias
Amanda Márcia Maia Souza
Meneses Araújo
Lima
Mayara Abas Frazão
As manchas brancas sobre o esmalte dentário constituem opacidades que determinam
alterações no aspecto de normalidade desse tecido. Vários fatores podem determinar o
seu surgimento, dentre eles a cárie dentária, a fluorose e a hipoplasia, as quais são
caracterizadas pela diminuição ou perda local da translucidez, e motivadas por fatores
ambientais, idiopáticos ou hereditários. Em virtude da etiologia variada e das
semelhanças no aspecto clínico, considera-se importante o diagnóstico diferencial
dessas lesões para a determinação do sucesso no seu tratamento. O propósito deste
trabalho foi realizar uma revisão crítica sobre as lesões de mancha branca sobre a
superfície do esmalte dentário, levando em consideração a dificuldade no
reconhecimento e diagnóstico destas lesões. Uma anamnese detalhada, o conhecimento
das características e fatores etiológicos destes defeitos/alterações associados a um
exame clínico minucioso auxiliarão o profissional a identificá-los de forma correta.
Diante do exposto, foi possível concluir que se fazem necessários exames criteriosos,
bem elaborados e executados que possam refletir em diagnósticos precisos,
adequadamente diferenciados das lesões para a realização do correto tratamento a ser
efetivado.
Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico na Endodontia
Caroline Nascimento Caroli Loureiro
Michele Tameirão
Natasha Féo
Letícia Pontes
Sabrina Brasil
A tomografia computadorizada de feixe cônico é uma ferramenta de diagnóstico que
produz imagens tridimensionais da região maxilofacial, com menor quantidade de
radiação quando comparada com a tomografia convencional. O objetivo deste trabalho é
revisar na literatura atual as aplicações e as limitações da tomografia computadorizada
de feixe cônico na Endodontia, e esclarecer as recomendações quanto a sua utilização.
Quando comparado com as radiografias tradicionais, a tomografia computadorizada de
feixe cônico oferece a possibilidade de visualização do dente de forma individual ou
diversos dentes em diferentes vistas. Na Endodontia, o método pode ser considerado
uma ferramenta de grande importância no diagnóstico e acompanhamento de fraturas
verticais e dento-alveolares, variações anatômicas, reabsorções, e planejamento de
microcirurgias. É válido ressaltar que o conhecimento das indicações deve ser eminente,
e que coroas metálicas, retentores intra-radiculares e canais obturados causam artefatos
na reconstrução das imagens. O diagnóstico endodôntico deve ser considerado de forma
individual. A indicação da tomografia computadorizada de feixe cônico deve ocorrer
apenas em situações em que as informações obtidas através de outros métodos de
diagnóstico por imagem não forem suficientes para o manejo do caso e que os
benefícios da indicação superem os riscos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 227 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
O Uso da Medicação Intracanal na Endodontia
Caroline Santos de Menezes Alves
Sheila Ferreira Maria
Aline Cristina da Silva
Sílvia Cristina Lima
Campos
Aurimar Andrade
O emprego da medicação intracanal com propriedades antimicrobianas entre as sessões
de tratamento tem por objetivo, considerando-se como fator determinante, a redução
significativa de micro-organismos que ainda sobreviveram após o preparo químicomecânico, que se pode associar ao “não sucesso” da instrumentação de dentes com
necrose pulpar infecciosa. Os fármacos contribuem de forma relevante para a
desinfecção dos canais radiculares, com consequente reparação das estruturas
perirradiculares, sendo de extrema importância nos procedimentos que visam a
aplicação de medicamentos. Destaca-se como resultados desejáveis que a medicação
tenha a capacidade de impedir a proliferação dos micro-organismos, atuar como barreira
fisico-química contra a infecção ou reinfecção por microrganismos da saliva, reduzir
inflamação perirradicular, solubilizar matéria orgânica neutralizar produtos tóxicos,
controlar exsudação persistente, controlar reabsorção dentária externa inflamatória e
estimular a reparação por tecido mineralizado. O objetivo desse trabalho é, através da
revisão bibliográfica, apresentar a importância do medicamento aplicado nos
tratamentos endodônticos e discutir as situações clínicas nas quais a medicação
intracanal é indicada.
Características e Particularidades do Plasma Rico em Fibrina na Regeneração Óssea
Cássia Simone de Lima Lira
Vanessa Patrícia de Lima
Sandra Carolina Marques
Gabriela Gomes Botelho
Lira
Fernandes da Silva
Daniela Siqueira Lopes
O Plasma Rico em Fibrina (PRF) é uma matriz de fibrina autógena com plaquetas,
leucócitos, células tronco e fatores de crescimento, obtido a partir da centrifugação
controlada do plasma sanguíneo. Utilizado para aumentar a regeneração de tecidos
moles e ósseos, liberando de forma gradativa citocinas e fatores de crescimento. Auxilia
o sistema imunológico, facilitando a formação de vasos sanguíneos, acelerando a
cicatrização (Jaime. S.; 2014). O objetivo deste trabalho é revisar a literatura pertinente
sobre a eficiência e a praticidade de obtenção do PRF para utilização nos enxertos
ósseos, levantamento de seio maxilar, entre outros. Foram coletados e abordados
documentos científicos acessados nas seguintes fontes de dados PUBMED e BIREME no
período entre 2012 a 2014, através dos seguintes descritores: Choukroun, Fatores de
crescimento, plasma rico em fibrina. Para a obtenção do L-PRF é realizada uma coleta de
sangue tradicional no momento da cirurgia, esse sangue é processado em uma
centrífuga, e separado do produto coletado, que é compactado para ser utilizado como
enxerto. Esta técnica desenvolvida por Choukroun et al. (2001), acelera o tempo de
cicatrização e torna a cirurgia menos invasiva. Diante do exposto pode-se concluir que a
técnica do PRF vem sendo uma alternativa de grande positividade para Odontologia
devido a eficácia de regeneração óssea e de tecidos moles.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 228 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Estudo do Nível de Conhecimento dos Médicos Ginecologistas/ Obstetras Sobre Saúde
Bucal de Gestantes.
Célia Cristina Vieira Carvalho
Mariana Vieira do Nascimento
Proposição: Este trabalho objetiva divulgar a importância sobre saúde oral durante a
gestação e a assistência integral adequada à gestante, bem como, a preocupação com a
capacitação adequada dos profissionais da medicina, desde sua formação acadêmica.
Revisão de literatura: Com vistas em uma assistência integral à gestante, é necessária a
integração do cirurgião dentista à equipe de profissionais que assistem às mesmas,
favorecendo o aumento da qualidade de vida do binômio mãe-concepto. As grávidas são
mais suscetíveis em adquirir uma doença oral, devido às alterações morfofisiológicas
típicas do período, justificando, a importância da boa formação do profissional da
medicina no que se refere à saúde bucal da gestante e da necessidade do entrosamento
entre ginecologista obstetra e o cirurgião dentista. Assim, durante o pré-natal é
recomendável à orientação de saúde oral pelo médico e o encaminhamento ao dentista
para consultas de avaliação e esclarecimentos sobre saúde oral. Logo, é essencial que na
graduação, na residência e especialização de ginecologia e obstetrícia a saúde oral seja
parte do conteúdo programático curricular. Conclusão: Ainda é deficiente e equivocada a
orientação dada às gestantes sobre saúde oral e rara a atuação interdisciplinar entre
dentistas e médicos, que garanta promoção de saúde integral à gestante e ao concepto.
O Ensino da Odontologia e a Utilização de Metodologias Ativas de Ensino
Celina Aparecida David Henriques
Gabriel Inácio Melandes da Silva
Angela Scarparo Caldo-Teixeira
O ensino na Odontologia abrange questões teórico-práticas de suma importância para o
ensino-aprendizagem do estudante. Considerando a relação que as duas vertentes
compartilham, tem sido de grande relevância avaliar a metodologia de ensino utilizada
pelos docentes na formação curricular, tendo em vista seu reflexo a curto e longo prazo
no ambiente acadêmico, como na vida profissional dos mesmos. O presente trabalho
tem por objetivo realizar uma revisão de literatura sobre metodologias ativas de ensino
na área da Odontologia, realizando análise explicativa a respeito de algumas, assim
expondo vantagens, desvantagens e aplicabilidade no ensino superior. Pode-se observar
a existência de diferentes metodologias de ensino, tais como: construção de portfólio,
aprendizagem baseada em problemas e o trabalho de campo como dispositivos de
grande relevância no ensino, pesquisa e extensão. Concluiu-se que diversos entraves são
encontrados para que ocorra a mudança do ensino pedagógico tradicional, para aquele
que utiliza como padrão as metodologias ativas; um dos principais é a aceitação dos
discentes e docentes, em receio a enfrentar uma mudança. Sendo assim, é necessário
enfatizar que é de grande relevância a aplicação de tais metodologias, visto que através
delas ocorrerá a formação de um profissional com autonomia, crítico, reflexivo e
inserido na realidade que condiz à área exercida.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 229 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Avaliação do Armazenamento e da Contaminação de Escovas Dentais: Revisão de
Literatura.
César Augusto Abreu Pereira
Beatriz de Assis Rêgo
Erika Martins Pereira
Melaine de Almeida Lawall
Nogueira
Silas Alves Costa
A escova dental é um importante meio de remoção do biofilme bacteriano, mas pode
abrigar agentes microbiológicos nocivos à saúde. O modo de armazenamento e de
higiene da escova é o principal meio de combate a esses agentes, todavia, percebe-se
que essas atitudes antissépticas não são realizadas no dia-a-dia, principalmente por falta
de conhecimento. Objetiva-se analisar, através de uma revisão de literatura, física,
comportamental e microbiologicamente as escovas dentais, relacionando esses fatores.
Verificou-se onde as escovas são armazenadas e o modo como são higienizadas estão
relacionados com o acúmulo de micro-organismos em sua estrutura, podendo causar
doenças infectocontagiosas. Nas análises microbiológicas, estudos encontraram a
presença de streptococcus, lactobacilus e candida albicans, nocivos à saúde e que
transmitem doenças locais ou sistêmicas, principalmente em crianças ou adultos
imunocomprometidos. A falta de higienização e acometimento correto das escovas está
relacionada à falta de conhecimento, pois a população não é instruída sobre o assunto,
muitas vezes nem pelo cirurgião-dentista. A análise dos fatores comportamentais e dos
microorganimos biológicos presentes nas cerdas das escovas permitem maior
conhecimento de infecções causadas por essa via, verificando sua real interação com o
meio bucal e contribuindo para a promoção de saúde bucal da população.
Erosão Dentária Ocupacional: uma Revisão de Literatura
Cristiane Velasco Carvalho da Silva
Adriana Miranda de Oliveira
Inger Teixeira de Campos Tuñas
A erosão dentária ocupacional é definida como a perda patológica crônica de estrutura
dentária dura, devido à ação de ácidos no ambiente laboral, sem o envolvimento de
bactérias. Os ácidos causam desmineralização e amolecimento da superfície dentária,
podendo haver desde sensibilidade dentária em casos mais leves até exposição pulpar,
destruição completa e perda dentária. Este trabalho objetivou fazer uma revisão de
literatura sobre erosão dentária ocupacional. Realizou-se uma pesquisa nas bases de
dados Pubmed/Medline, Portal Capes e SciELO, os critérios de inclusão foram artigos em
português ou inglês, completos, publicados de 2005 em diante, que tratassem do tema.
A maioria dos estudos encontrados relatam casos de erosão dentária ocupacional em
trabalhadores de fábricas, esportistas e provadores de vinho. A erosão ácida é um risco
ocupacional sério que requerer ações preventivas como: uso de equipamentos de
proteção individual, alcalinização da dieta, reforço à higienização oral correta, visitas
regulares ao dentista, entre outros. O tratamento das sequelas pode ser feito com
fluorterapia, e em perdas mais severas pode realizar-se restaurações com resina
composta ou cimento ionomérico. Portanto, é importante que haja uma conscientização
por meio dos cirurgiões-dentistas para que seja possível detectar a causa da erosão
dentária, instruir e tratar corretamente o paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 230 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Peri-implantite: como Podemos Evitar? - Revisão da Literatura
Cynthia Fernandes Villar Baptista
Camila Terra
Luiza Prata
Rodrigo Resende
Rosangela Varella
O tratamento por implantes osseointegrados se tornou o mais procurado por pacientes
edêntulos ou parcialmente edêntulos nos últimos anos, e sua procura aumenta
constantemente. Após a instalação dos implantes e de suas próteses, algumas patologias
nos tecidos peri-implantares começaram a surgir, e assim as doenças periimplantares,
que podem pôr a osseointegração do implante em risco. Dentre as doenças periimplantares, a mucosite pode ser considerada análoga a gengivite nos dentes naturais,
assim como a peri-implantite pode ser considerada análoga a periodontite, também em
dentes naturais. Desenvolver peri-implantite está associado a fatores específicos do
paciente, dentre eles seu padrão de higiene oral inadequado e doença periodontal
preexistente. A incidência de peri-implantite em pacientes que foram diagnosticados
com periodontite é maior do que em pacientes que não foram diagnosticados com a
doença antes da instalação dos implantes, havendo uma maior probabilidade para os
casos de periodontite agressiva, ocasionando na maioria dos casos a perda do implante.
O objetivo deste trabalho é realizar uma revisão da literatura sobre os fatores associados
a peri-implantite e como os cirurgiões-dentistas que atuam na área de implantodontia
oral podem evitar esse tipo de complicação.
Cirurgia Guiada para Implantes Osseointegrados
Daniel de Mattos Salim
Natália Dutra Curado
Waldimir Carvalho
Gilson Coutinho Tristao
Tessaroli
Cresus Vinicius Depes de Gouvêa
Cirurgia guiada consiste no planejamento virtual tridimensional a partir da tomografia
computadorizada, obtida com um guia tomográfico resultante da duplicação de uma
montagem de dentes, possibilitando o controle da posição dos implantes. O objetivo
desse estudo foi ressaltar os aspectos da cirurgia guiada para implantodontia. O
desenvolvimento de softwares específicos possibilita uma análise detalhada dos ossos
gnáticos, evidenciando a porção cortical e alveolar assim como suas relações com outras
estruturas anatômicas. As informações obtidas nas reconstruções tridimensionais, além
de determinarem a quantidade e qualidade do osso disponível, permitem a simulação da
instalação dos implantes em um ambiente virtual em 3D, com a vantagem de um
planejamento cirúrgico em uma situação fidedigna, possibilitando a previsibilidade de
técnicas e dificuldades que possam ser encontradas durante a intervenção. Assim
podemos citar os planejamentos e procedimentos prévios ou reversos que preparam o
paciente para passar pelo procedimento cirúrgico. Ressaltamos a busca dos
implantodontistas por cirurgias mais rápidas e precisas, oferecendo melhores pósoperatórios. Podemos concluir que o tratamento utilizando técnica guiada sem
descolamento de retalho é um recurso confiável, com menor morbidade, menor tempo
cirúrgico, maior previsibilidade e facilidade na realização do procedimento cirúrgico.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 231 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Revascularização Pulpar: uma Realidade na Clínica Endodôntica
Daniel de Oliveira Brandão Neto
Rafaella Caldeira Soares
Sandro Junio de Oliveira
Larissa Christina Costa Pinto
Viana
Tavares
Cinthya Cristina Gomes
Apesar do relatado sucesso clínico dos dentes tratados endodonticamente de forma
convencional, estes se tornam mais frágeis e susceptíveis a fraturas ou outras
complicações pós-operatórias, como infecções devido a infiltração coronária ou
microinfiltração. Com isso, a revascularização pulpar passa a ser uma alternativa
promissora no tratamento endodôntico de dentes que apresentam rizogênese
incompleta e necrose pulpar, visando assim proporcionar tanto o término do
desenvolvimento radicular quanto o fechamento apical, além da possibilidade de
restabelecer a vitalidade de dentes não vitais e permitir o reparo e regeneração tecidual.
A proposta deste trabalho é apresentar uma revisão de literatura sobre as técnicas de
revascularização pulpar, suas indicações e resultados. Tal procedimento se baseia no
principio de que se uma matriz tecidual estéril estiver presente onde células possam
crescer, a estrutura pulpar pode ser restabelecida, tendo uma invaginação de células
indiferenciadas na região apical. Há na literatura algumas sugestões a respeito do
mecanismo de ação da revascularização, porém ainda não se definiu a origem e o
mecanismo pelo qual tal processo ocorre. Desta maneira pode-se afirmar que a
revascularizacao é uma proposta viável para a realidade da clinica endodôntica.
Estágio Atual das Cirurgias Virtuais Guiadas
Daniel Otero Amaral Vargas
Carolina Barbosa de
Jetter Bochnia
Osmar de Agostinho Neto
Andrade
Elson Braga de Mello
A reabilitação oral por meio da implantodontia vem evoluindo com o desenvolvimento e
avanço de novas tecnicas protéticas, cirurgicas e imaginológicas. Estamos em uma nova
era: a das cirurgias virtuais guiadas e o objetivo desse trabalho será fazer uma revisão de
literatura sobre os estágios atuais dessa técnica. O planejamento é feito através da
conversão de imagens obtidas por tomografia computadorizada (TC) dentro de
determinados softwares que reconstroem uma imagem tridimensional, e, a partir disso,
realiza-se um planejamento sobre um modelo fiel das estruturas ósseas, reduzindo o
tempo cirurgico e possiveis erros. O planejamento virtual tem grande valor, já que é
possivel ter a dimensão real de tecido ósseo (espessura e volume ósseo) e de estruturas
nobres adjacentes. O guia cirurgico (GS) também é gerado a partir da TC e é o elo entre o
planejamento e a cirurgia, transferindo-o exatamente para a prática. São feitos
baseando-se no planejamento virtual: quandoplaneja-se a quantidade e posição dos
implantes realiza-se a confecção do GS. A prototipagem proporciona uma cirurgia
minimamente invasiva. Quanto à carga imediata, estudos afirmam que é possivel ter
segurança e previsibilidade. Essa técnica é mais segura e previsivel, melhora o
planejamento do implante, reduz erros e proporciona uma cirurgia minimamente
invasiva e pouco traumática.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 232 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
A Importância da Pasta de Prova Try-in no Resultado Estético dos Laminados Cerâmicos:
uma Revisão de Literatura
Danielle Costa Ribeiro
Éricka Evelyn Neves Duarte
Eriana Uchôa Viana Silva
Sandro Loretto
Entre as opções estéticas que a Odontologia Contemporânea oferece nos dias atuais, os
laminados cerâmicos têm ganhado destaque por suas excelentes propriedades ópticas e
por sua longevidade. Entretanto, durante as etapas de confecção, o profissional deve
estar atento a alguns detalhes que fazem diferença no resultado estético. As
propriedades ópticas das cerâmicas são determinadas pela combinação da cor do
substrato dentário, da espessura do laminado cerâmico, e da cor do cimento resinoso. A
escolha errônea de algum desses fatores, podem gerar uma insatisfação no resultado
final do tratamento. Sendo assim, técnicas são adotadas para trazer previsibilidade
clínica ao cirurgião-dentista, e, desta forma, superar positivamente as expectativas do
profissional e do paciente no resultado final. Este trabalho tem como objetivo revisar os
achados da literatura sobre a importância da utilização da pasta de prova (Try-in) no
processo prévio a cimentação dos laminados cerâmicos, caracterizando como um
método fundamental para minimização de erros e definição de previsibilidade clínica
quanto à cor final. Concluiu-se que o uso da pasta de prova (Try-in) é uma fase essencial
durante o processo de reabilitação com laminados cerâmicos.
Perda Precoce de Espaço e o Impacto na Dentição Permamente – Revisão da Literatura
Danielle Silva Nunes
Rodrigo Sant´ana Nunes
Neliane Ferreira Oliveira
Angela Scarparo
A perda precoce de dentes decíduos pode ocasionar movimentos indesejáveis tanto dos
demais dentes decíduos quanto dos permanentes presentes, que por consequência
pode haver uma diminuição no perímetro do arco dentário. Tal fato, por sua vez, causará
um impacto na dentição permanente. Sendo assim, este trabalho tem por objetivo
realizar uma revisão da literatura no que diz respeito às causas mais comuns que levam à
perda precoce de espaço, bem como quais medidas preventivas podem ser
implementadas durante o desenvolvimento da oclusão permanentes. Observou-se que
as causas mais comuns foram: lesão cariosa interproximal, perda precoce do dente
decíduo sem manutenção do espaço, reabsorção anormal das raízes dos molares
decíduos, erupção prematura ou tardia de dentes permanentes, erupção ectópica,
alteração da sequencia de erupção, anquilose de molar decíduo. Da mesma forma,
apesar de haver uma falta de consenso em relação à frequência com que ocorre o
fechamento de espaço para irrupção dos permanentes, fatores de ordem geral que
podem influenciar neste problema são: alterações na musculatura bucal, presença de
hábitos bucais, existência de maloclusão e estágio de desenvolvimento dos dentes.
Dentre todos as causas citadas, é importante ressaltar que a doença cárie é apontada
como o principal fator etiológico de maloclusão. Palavras-chave: perda de espaço,
dentes decíduos, dentes permanentes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 233 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis de Revisão
Efetividade Clínica de Agentes Clareadores “over-the-counter”: uma Revisão de
Literatura
AUTOR
Dawylla Kelly Queiroga de Lima
Ricardo Liberalino Ferreira
Fabrícia Mickele Rodrigues
Isabela Alves de Almeida
CO AUTORES
de Souza
Nunes
Araruna
ORIENTADOR Ana Cláudia de Araújo Ferreira
O clareamento dental tem sido um procedimento muito requisitado na estética atual.
Além da técnica caseira e de consultório, existem produtos disponíveis diretamente ao
consumidor (over - the - counter - OTC), vendidos sem acompanhamento profissional,
em diversas formas de apresentação: dentifrícios, enxaguatórios, fitas clareadoras, entre
outros. Objetivou-se avaliar, por meio de uma revisão da literatura, a eficácia de agentes
clareadores “OTC”. Apesar dos componentes ativos encontrados nestes produtos serem
o peróxido de carbamida (PC) e peróxido de hidrogênio (PH) em baixas concentrações, a
literatura aponta baixa efetividade quando comparados aos sistemas tradicionais.
RESUMO
Dentre os métodos “OTC”, os dentifrícios clareadores são efetivos na remoção de
manchas superficiais, por possuírem partículas abrasivas. Os enxaguatórios, além de não
demostrarem o efeito esperado, possuem pH ácido, provocando erosão. Por outro lado,
um estudo de metanálise apontou que a fita clareadora obteve efeito clareador visível,
em regime específico de utilização. Devido à facilidade de acesso e aplicabilidade, estes
métodos alternativos causam preocupações quanto aos possíveis efeitos adversos
decorrentes do uso indiscriminado. Conclui-se, com base na literatura consultada que,
com exceção da fita clareadora, os produtos usados para clareamento “OTC” não
apresentam efetividade clínica satisfatória.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Protetores Bucais na Prática Esportiva X Traumatismos Dentoalveolares
Dayanne Gabrielle Gomes da Silva
Lenise Dalma da Silva
Thamirys de Carvalho
Mariana Pereira Marques
Nascimento
Vasconcelos
Elizabeth de Arruda Carneiro Ponzi
As lesões faciais estão presentes em uma grande parcela de vítimas de traumatismos
diversos, levando a graves consequências emocionais e funcionais. Dentre os traumas
faciais, os traumatismos dentários assumem um papel importante dentro da sociedade,
impactando na qualidade de vida das pessoas. A prática de esportes promove grandes
benefícios à saúde humana, porém é um dos principais fatores etiológicos de injúrias
faciais e dentárias. O presente estudo, através de uma revisão de literatura, pretende
fornecer informações sobre traumatismo dentário, quanto à ocorrência destes traumas
decorrentes da prática esportiva, o uso de protetores bucais adequados como medida
efetiva para prevenção e/ou redução da ocorrência dos traumas dentários. Ficou
evidenciado que é fundamental fazer uso de protetores bucais nas práticas esportivas
com intuito de proteger a cavidade oral, absorvendo o impacto durante as atividades,
minimizando as chances de danificar parcial ou totalmente o sistema estomatológico,
evitando a laceração de lábios, bochechas, língua e perdas de elementos dentários.
Maiores esclarecimentos em relação a este tipo de trauma são necessários, a fim de
estimular os atletas ao uso dos protetores bucais como medida para redução das
estatísticas de ocorrências envolvendo acidentes traumáticos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 234 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Utilização das Células-tronco como Alternativa na Regeneração Tecidual Oral
Djalma Saturno Barboza Junior
Keylla Marinho
Cesario Lins de
Gabriela de Melo Barbosa
Albuquerque Barros
Albuquerque Neto
Elizabeth Arruda Carneiro Ponzi
As células-tronco constituem uma pequena população celular que podem ser expandidas
com eficiência e induzidas a se diferenciarem em múltiplas linhagens celulares em
condições de cultura definidas. Estudos demonstram a presença de células-tronco em
tecidos orais, principalmente no ligamento periodontal, na polpa dentária e na papila
apical. A identificação dessa população celular nos tecidos dentais e periodontais têm
estimulado o interesse no potencial regenerativo e na sua aplicabilidade na engenharia
tecidual. A importância das células-tronco dentárias utilizadas em processos de
recuperação óssea está na sua capacidade de recrutar fatores de crescimento ao foco da
fratura, no ligamento periodontal do dente formado. A regeneração tecidual após
aplicação de células-tronco deve-se a liberação de citocinas e fatores tróficos no local da
lesão. A maioria das células-tronco apresenta a capacidade de identificar e migrar até o
local lesionado, demonstrando o seu potencial de responder a fatores quimiotáticos
liberados pelo tecido lesionado. Recentemente, foi descoberto que células da glia dos
nervos em tecidos gengivais migraram para dentro dos dentes tornando-se célulastronco mesenquimatosas. Este trabalho tem como objetivo relatar os últimos avanços
nas pesquisas sobre a utilização das células-tronco na regeneração tecidual oral.
Riscos Apresentados Pela Doença Periodontal na Gestação: uma Revisão
Douglas Victor Lira Alve
Renato Cabral de Oliveira
Alex Ferreira de Souza
Leógenes Maia Santiago
Filho
Rossana Barbosa Leal
A doença periodontal (DP) é uma patologia inflamatória de causa multifatorial,
resultante da interação entre o biofilme dental e os tecidos periodontais através da
resposta imunológica, podendo levar a perda do elemento dentário e destruição do
periodonto de forma irreversível. Sua evolução depende dos mediadores inflamatórios
liberados pelo hospedeiro. A DP tem apresentado evidências de ser um dos fatores de
complicações gestacionais, como: parto prematuro, nascimento de recém-nascido de
baixo peso e pré-eclâmpsia. O objetivo do estudo é identificar os riscos que a DP pode
apresentar na gestação. A metodologia utilizada foi do tipo revisão de literatura
narrativa, usando pesquisa com 15 artigos na base de dados SciELO, em português e
inglês num intervalo de 2003 à 2014. Os descritores utilizados foram: bacteriemia, parto
prematuro e periodontite. A prematuridade é um problema enfrentado pela saúde
pública, aproximadamente 60% da mortalidade neonatal. Indiretamente os tecidos
periodontais inflamados atuam como reservatórios de bactérias, que via corrente
sanguínea migram até a unidade feto-placentária. Conclui-se que a terapêutica
periodontal reduz o risco de complicações gestacionais. Assim, é importante que os
programas elaborados para promover saúde à gestante incluam a avaliação periodontal,
na realização de um pré-natal eficiente no controle da prematuridade no parto.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 235 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Hidróxido de Cálcio no Tratamento Endodôntico
Eduardo Cesar Santos
Caroline Santos de
Sheila Ferreira Maria
Aline Cristina da Silva
Menezes Alves
Campos
Aurimar de Oliveira Andrade
Tem-se conhecimento de que os fármacos contribuem na desinfecção dos canais
radiculares, com consequente reparação das estruturas perirradiculares, sendo de
extrema importância nos procedimentos que visam a aplicação de medicação intracanal.
Nesta abordagem, pretende-se obter resultados que visam: eliminar micro-organismos
que sobreviveram ao tratamento, impedir a proliferação dos micro-organismos, atuar
como barreira fisico-química contra a infecção ou reinfecção por microrganismos da
saliva, controlar reabsorção dentária externa inflamatória e estimular a reparação por
tecido mineralizado. Dentre as classificações dos medicamentos para o tratamento
Endodôntico, destaca-se o Hidróxido de Cálcio, que apresenta o pH altamente alcalino.
Os estudos revelam que esse medicamento promove fatores favoráveis significativos.
Este trabalho tem por objetivo, através da revisão da literatura, evidenciar as principais
características do hidróxido de sódio como recurso na Odontologia, assim como seu
emprego como medicamento intracanal. Bibliografia: LOPES, Hélio Pereira. Endodontia:
Biologia e Técnica, 3ª edição. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2011. LORENZO, JL.
Microbiologia, Ecologia e Imunologia aplicadas à Clínica Odontológica–São Paulo, Editora
Atheneu, 2010. JORGE, AOC. Microbiologia e Imunologia Oral - Rio de Janeiro, Editora
Elsevier, 2012.
Uso da Tomografia Cone- Beam na Clinica Odontológica - Revisão da Literatura
Elaine Carvalho do Nascimento
Paulo Ribeiro
Rodrigo Resende
Marcelo Uzeda
A tomografia computadorizada é uma ferramenta de diagnóstico indispensável que
proporciona imagens com alto padrão de qualidade e sem sobreposição de estruturas e
distorções, porém sua utilização tem sido limitada, principalmente devido ao alto custo e
a alta dose de radiação ao paciente. Um novo tipo de tomografia computadorizada, que
utiliza o princípio do feixe cônico, foi desenvolvido para obtenção de imagens
bidimensionais com alto padrão de qualidade, menor dose de radiação, menor custo e
aplicação na Odontologia, uma vez que obtém imagens de áreas pequenas. Nesta
técnica, o conjunto fonte de raios-X e receptor de imagens gira 360º uma única vez em
torno da região de interesse, compondo a matriz da imagem em 3D. Existem inúmeras
vantagens como: excelente qualidade de imagem, imagens tomográficas sem distorção
ou ampliação, reduzida quantidade de artefatos provenientes de restaurações e
próteses metálicas, rapidez na execução do exame e conforto para o paciente. O
objetivo desse trabalho é destacar as indicações na prática clínica da Tomografia Conebean. Concluímos que o sistema de Tomografia Computadorizada Cone-beam é de
relevante importância para o diagnóstico, localização e reconstrução de imagens
tomográficas com excelente precisão, auxiliando os profissionais da área da saúde no
planejamento e tratamento dos pacientes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 236 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis de Revisão
Transmissibilidade de Micro-organismos Cariogênicos na Infância: Estudo de Revisão de
Literatura
AUTOR
Elisa Lopes Pinheiro
CO AUTORES Rosangela Almeida Ribeiro
Andreia Oliveira de Paula
Lara Passos Alvim
ORIENTADOR Rafael Cunha de Bittencourt
O presente estudo teve como objetivo revisar a literatura sobre a transmissibilidade de
micro-organismos cariogênicos na infância, a fim de fundamentar teoricamente a
transmissibilidade de micro-organismos cariogênicos e de identificar fatores de risco
associados à transmissão, com vista a um melhor atendimento baseado na evidência
científica. Foram incluidos estudos publicados nas bases Pubmed, Bireme, Google
acadêmico, nos idiomas inglês, espanhol e português, com as palavras-chaves
transmission e dental carie. A janela de infectividade é definida como um período em
RESUMO
que há uma maior susceptibilidade da criança em ser infectada por estes e coincide com
a erupção dos primeiros molares decíduos (primeira janela) e primeiros molares
permanentes (segunda janela). Quanto mais infectada estiver a mãe durante este
período, maior o risco de infecção do bebê. A transmissão pode ocorrer por contato
direto, através do beijo, que possibilita o contato da saliva da mãe com a criança, ou por
contato indireto, através do compartilhamento de objetos, como escovas de dente e
brinquedos. Os estudos revisados mostraram que a adoção de medidas preventivas
direcionadas às mães é a melhor forma de controle da transmissão.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Biocompatibilidade do Cimento de Ionômero de Vidro
Erika Dionisio de Alcantara
Alexandre Batista Lopes do Nascimento
Hilcia Mezzalira Teixeira
O cimento de ionômero de vidro (CIV) pode ser usado para cimentação, restauração e
forramentotendo como vantagens a liberação de flúor, o coeficiente de expansão
térmica e um módulo de elasticidade semelhante à dentina, unindo-se tanto ao esmalte
e dentina e, biocompatibilidade. Este trabalho objetiva avaliar a biocompatibilidade do
CIV através de uma revisão de literatura. No estágio inicial, o CIV exibe certo efeito
tóxico, provavelmente devido ao baixo pH quando recentemente preparado, que acaba
diminuindo com o tempo. Ao ser testado no capeamento pulpar causa uma moderada
resposta pulpar inflamatória com uma grande zona necrótica, que parecem estar
associadas com uma falta de formação de ponte de dentina. Os cimentos de ionômero
de vidro modificados por resina (CIVMR) podem não polimerizar completamente, assim
os monômeros não reagidos difundem-se pelos túbulos dentinários e, podem causar a
ruptura dos odontoblastos, atingindo a polpa dentária. As células de linhagem
odontoblástica, apresentaram baixo efeito citotóxico, quando expostas aos produtos
liberados pelos materiais de forma convencional e modificados por resina. O CIV
demonstrou ser menos citotóxico que o CIVMR que é citopático. Pode-se concluir que o
CIV não é um material adequado para entrar em contato direto com a polpa.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 237 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis de Revisão
Apicificação de Dentes Permanentes Imaturos e Não-vitais: Revisão da Literatura
Fabianna da Conceição Dantas de Medeiros
Isabela Pinheiro Cavalcanti Lima
O estudo propôs realizar uma revisão da literatura sobre a indução da apicificação em
dentes permanentes não-vitais e com rizogênese incompleta, mediante alguns materiais
de eficácia comprovada. Foram selecionados estudos relevantes publicados até junho de
2015, através de pesquisas nas bases de dados - Pubmed, Scopus e Bireme, na busca
principalmente por ensaios clínicos randomizados, revisões sistemáticas e meta-análises.
Quando os dentes com formação radicular incompleta são confrontados a qualquer tipo
de dano, o tratamento endodôntico constitui um desafio significativo para o cirurgiãodentista. Nesses casos, a apicificação permite a formação de uma barreira apical
mineralizada através da ação de alguns materiais, antes da obturação do canal radicular.
A maioria dos estudos compara a eficiência do Hidróxido de Cálcio (HC) com o Agregado
Trióxido Mineral (MTA) na formação da barreira apical. Além disso, indicam-se pastas à
base de antibióticos e mais recentemente, surge a Calcitonina como alternativa
promissora em casos de apicificações. De acordo com a revisão, os resultados
demonstram que tanto o MTA ou o HC são indicados para a técnica de apicificação em
dentes permanentes imaturos e necrosados, embora o MTA apresente algumas
vantagens clínicas.
Bandas de Hunter-schreger: uma Biometria Alternativa
Fábio Luiz Gonçalves Cesário
Luiz Felipe Salles Gonçalves
O objetivo do presente trabalho é revisar a literatura sobre a importância das bandas de
Hunter-Schreger na identificação humana em perícias odontológicas. As bandas de
Hunter-Schreger são um conjunto de faixas presentes no esmalte dentário da maioria
dos mamíferos, que quando vistas sob uma luz lateral intercalam entre tons claros e
escuros. Essas faixas na verdade, são formadas por camadas de prismas regularmente
dispostas que ao serem observadas com aparelhagem adequada apresentam
similaridades com a impressão digital, sendo assim, únicas para cada individuo. O estudo
desse material se faz de grande utilidade na identificação de pessoas mortas em
situações brutais, quando quase a totalidade de seus corpos encontra-se deteriorada,
cenário atualmente muito comum de ser encontrado em ataques terroristas e em
quedas de aviões, pois o esmalte dentário é a substancia mais rígida do corpo humano,
resistindo a temperaturas próximas a 500 graus°C. As bandas de Hunter-Schreger têm o
potencial de complementar os métodos biométricos usados hoje, visto que, é
relativamente mais barata a sua analise, podendo ser coletada em qualquer consultório
dentário, e de mais rápido resultado em comparação com as analises de DNA. Com o
avanço desse estudo e a formação de um banco de dados com nossas impressões
dentais as perícias odontológicas podem se tornar mais dinâmicas e eficazes.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 238 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
Painéis de Revisão
Asma e Doença Periodontal: Revisão de Literatura
Fabio Luiz Silva Pereira
Janaina Barbosa de Oliveira
José Sebastião Galvão dos Santos
Adriano Maia Corrêa
A asma brônquica é uma das doenças crônicas mais comuns e afetas todas as idades.
Estima-se que uns adicionais de 100 milhões de pessoas podem ser diagnosticados com
asma em 2025. Assim sendo, a doença periodontal por se tratar de uma doença
infecciosa com características imunoinflamatórias, a mesma parece contribuir para o
estabelecimento de infecções do trato respiratório. O presente estudo se propôs a fazer
uma revisão de literatura a respeito da possível relação entre a presença de asma e o
desenvolvimento da doença periodontal. Desta forma, o objetivo deste trabalho é
informar ao cirurgião-dentista a cerca da possível contribuição da asma no
estabelecimento e/ou progressão da doença periodontal, seja através das alterações
inflamatórias que podem ser induzidas, ou por aspiração de patógenos e sua adesão ao
epitélio respiratório. A infecção periodontal pode influenciar na hiper-resposta
inflamatória em pacientes com asma, através de alterações imunológicas, além de
servirem como fontes de microrganismos para o desenvolvimento de infecções
pulmonares. Medicações para o controle da asma como os corticosteróides, podem
alterar a capacidade de defesa do organismo, diminuir o fluxo salivar com diminuição do
PH da saliva além de contribuir para o aumento do metabolismo ósseo, o que pode
favorecer o aparecimento ou agravamento da doença periodontal.
Qual a Melhor Evidência Disponível Sobre o Efeito Estético do Tratamento com
Diaminofluoreto de Prata para o Controle da Cárie em Crianças?
Fernanda Santos de Oliveira
Fernanda Barja-Fidalgo
Ana Paula Pires dos Santos
Branca Heloísa de Oliveira
Esta revisão da literatura teve por objetivo identificar, segundo a percepção dos pais, os
possíveis efeitos estéticos negativos do tratamento de lesões de cárie em crianças com
diaminofluoreto de prata (DFP). Foi realizada uma busca por ensaios clínicos (EC),
revisões sistemáticas (RS) e comentários sobre EC e RS, publicados em português, inglês
ou espanhol, nas bases de dados LILACS, MEDLINE via PubMed usando a ferramenta
Clinical Queries/Broad Scope e Cochrane, e nos periódicos Evidence-Based Dentistry e
Journal of Evidence-Based Dentistry. Foram identificados 20 artigos potencialmente
relevantes. Desses, apenas três forneceram informações sobre o desfecho pesquisado. A
frequência relatada de dentes escurecidos após o uso de DFP em crianças variou de 97%
a 100%. Um estudo concluiu que o efeito antiestético não é um obstáculo ao
tratamento; outro relatou que as manchas só foram mencionadas por 7% dos pais e
encontrou ausência de associação entre o uso de DFP em dentes anteriores e
insatisfação dos pais com a aparência dos dentes das crianças e outro observou que 45%
dos pais estavam satisfeitos com a aparência dentária dos filhos tratados com DFP.
Concluiu-se que não existe evidência forte sobre o efeito estético do tratamento com
diaminofluoreto de prata para o controle da cárie em crianças e que há necessidade
desse desfecho ser investigado em ensaios clínicos controlados.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 239 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Perda da Consciência: Sinais, Sintomas, Diagnóstico e Tratamento
Fernanda Silva Padilha
Larissa Araujo Queiroz
Lilia Paula de Souza Santos
Thiago Marcelio Sodré
Samily Silva Miranda
Emergências médicas são condições ou situações em que existe risco de morte. Embora
possa ocorrer com qualquer pessoa, a qualquer hora e lugar, o consultório odontológico
propicia situações inesperadas, por ser um espaço onde ainda se presencia medo,
ansiedade e estresse. Sendo assim, o objetivo deste presente estudo é abordar os sinais,
sintomas, diagnósticos e tratamento nas situações de perda da consciência de pacientes
nesses ambientes. Os trabalhos consultados destacam como situações de perda da
consciência ou que podem desencadear este evento: a síncope vasovagal (redução ou
interrupção da circulação cerebral); a hipoglicemia (taxas de glicose inferiores a
50mg/dl); a convulsão (perda da consciência, geralmente (com atividade muscular
involuntária associada); e a parada cardiorrespiratória (ausência de pulso e/ou apneia).
Conclui-se que os procedimentos odontológicos, devido à espera, longa duração e/ou
utilização de fármacos, podem gerar ansiedade que, associado à história clínica e ao
comportamento/percepção que cada paciente apresenta frente ao dentista, levam a
quadros de perda de consciência. Assim, cabe ao Cirurgião Dentista atentar para a
prevenção das emergências, deterem conhecimentos de Suporte Básico de Vida e
manter no consultório recursos materiais para atuação em emergências, estando
implícito o conhecimento para o correto diagnóstico e tratamento.
TÍTULO
AUTOR
Odontologia Sustentável e o Mercúrio
Francisco Daniel Lima Sampaio
Carolina da Costa Lima
CO AUTORES
Fernanda Volpe de Abreu
Claudio Pinheiro Fernandes
Sampaio
ORIENTADOR Fernanda Volpe de Abreu
A contaminação por poluentes como metais pesados tem merecido especial atenção
pelos cientistas em todo o mundo em função das consequências graves à saúde humana
e aos ecossistemas. O mercúrio é altamente tóxico à saúde humana e o amálgama é uma
liga composta de vários metais onde o mercúrio, que corresponde a cerca de 43% da
composição, está em estado líquido. Os profissionais que manipulam amálgama e os
demais membros das equipes de saúde bucal correm grande risco de exposição ao
mercúrio. Já existem esforços para a aquisição pelos cirurgiões dentistas de
equipamentos específicos para separar resíduos de amálgama para que não se
RESUMO
dispersem em tubulações nos consultórios. A Faculdade de Odontologia da UFF/ Nova
Friburgo, procurando estar alinhada com a Odontologia Sustentável, firmou parceria
com instituições internacionais ancoradas no segmento de desenvolvimento sustentável
na Odontologia, como a International Academy of Oral Medicine & Toxicology– IAOMT e
a Dental Recycling International – DRI. Esta parceria possibilitou a atitude pioneira da
FO-UFF/Nova Friburgo de instalação de um sistema de captura e reciclagem do mercúrio
contido nas restaurações de amálgama utilizando um sistema de filtros instalados em
todos os seus consultórios. Este trabalho visa, através de uma revisão de literatura,
abordar esse tema tão discutido dentro do paradigma da Odontologia Sustentável.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 240 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis de Revisão
Indicações, Preparos Dentários e Etapas Laboratoriais de Lentes de Contato: uma
Revisão de Literatura.
AUTOR
Francisco Leite de Moura
Marina Ramos Leitão de
CO AUTORES
Isabela Alves de Almeida
Carolina Pereira Tavares
Oliveira
ORIENTADOR Poliana de Oliveira França
A busca por um sorriso harmônico e saudável tem feito com que a odontologia avance
cada vez mais no desenvolvimento de tecnologias para reabilitação oral, impulsionando
pesquisadores e fabricantes na busca pelo aprimoramento de técnicas e materiais
dentários. Nesse sentido, Lentes de contato têm sido opções de tratamento muito
requisitadas pelos pacientes, por proporcionarem restaurações mais próximas do natural
e esteticamente favoráveis, garantindo longevidade e qualidade com o mínimo de
desgaste de estrutura dentária. As indicações para o uso de lentes de contato, os
preparos dentários e as etapas laboratoriais, estabelecem um protocolo minucioso de
RESUMO
execução. Estudos mostram que apesar das lentes de contato ser extremamente finas,
possui a capacidade de corrigir posições, forma, contorno, diastemas e uniformização da
cor dos dentes. A perfeita comunicação entre cirurgião-dentista e TPD é possível através
de instrumentos de trabalho como fotografias, modelos de estudo, enceramento, “mock
ups” e conhecimento das etapas laboratoriais por parte dos mesmos. Concluiu-se que a
importância da comunicação harmônica entre o CD e TPD, através do conhecimento das
etapas laboratoriais, bem como, dos critérios científicos de planejamento e preparos
dentários, são fundamentais para o sucesso das reabilitações, garantindo-lhes maior
longevidade estética e funcional.
TÍTULO
TÍTULO
AUTOR
Avaliação Clínica do Uso de Biomateriais no Levantamento de Seio Maxilar
Gabriela de Melo Barbosa
Djalma Saturno Barboza
Jhones Suelone Pontes
CO AUTORES
Gabriel Marques Bezerra
Junior
Nogueira
ORIENTADOR Paulo Fonseca Menezes Filho
O presente estudo objetiva realizar uma revisão bibliográfica, através de consultas a
bases de dados eletrônicas (SciELO, Pubmed, Lilacs), para elaborar uma avaliação do uso
de biomateriais no levantamento do seio maxilar. Os Biomateriais podem ser
caracterizados como todo material desenvolvido para interagir com sistemas biológicos.
A implatodontia traz desafios próprios ao campo dos Biomateriais e exige deles
previsibilidade, número mínimo de sequelas, possibilidade de o paciente aderir ao
tratamento. O princípio básico dessa interação é a resposta imunológica gerada no
receptor ao entrar em contato com o Material. O uso de Biomateriais para enxertos
RESUMO
apresentam qualidades próprias, além disso, evitam a morbidade causada pela extração
do osso autógeno dos sítios doadores assim como limitações na quantidade de material
disponível. Alguns autores afirmam que o osso autógeno ainda é o material de primeira
escolha no caso da necessidade de enxertos, sejam por sua biocompatibilidade ou por
evitar a transmissão de doenças ao doador. Entretanto não há evidencias que impeçam
as associações entre múltiplos tipos de enxerto. Os Biomateriais podem ser utilizados
sozinhos ou em associação com enxertos autógenos, de forma a obter arcabouço
fornecido pelos primeiros e propriedades osteoindutivas do segundo.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 241 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Odontectomia Parcial Intencional, Quando Indicar?
Gabriela Marchi Diniz
Lucinanda Muiler Vieira
Marcelo Uzeda
Paulo Ribeiro
Rodrigo Resende
Marcelo Uzeda
Paulo Ribeiro
A Odontectomia Parcial Intencional ou também conhecida como sepultamento
intencional é uma técnica cirúrgica que visa a remoção parcial de um elemento dentário
incluso, evitando assim que possa ocorrer complicações e riscos desnecessários durante,
ou mesmo após a realização do ato operatório. Essa técnica se torna um recurso
cirúrgico válido, que visa minimizar o risco de lesão ao nervo alveolar inferior,
diminuindo assim a ocorrência de parestesia e nos casos em que há risco de fraturas
mandibulares pela proximidade do elemento dentário e região basilar da mandíbula. O
objetivo deste trabalho é realizar uma revisão da literatura sobre as indicações, contraindicações, vantagens e desvantagem para a realização desta técnica cirúrgica pelo
cirurgião dentista. Concluímos que é necessário que o cirurgião siga corretamente todas
as indicações da técnica, e um correto planejamento cirúrgico, pois esses fatores estão
diretamente relacionados com o sucesso da técnica. O paciente deve estar de acordo
com as condições deste procedimento, além de ser acompanhado através de exame por
imagem durante o período pós-operatório, por poder apresentar complicações que
necessitem novo procedimento cirúrgico.
Aspectos Importantes no Diagnóstico Diferencial Entre Síndrome de Eagle e as
Disfunções Temporo-Mandibulares
Gabriela Ribeiro Vasconcelos
Jurandi Santos de Albuquerque
Laís Lemos Cabral
A disfunção temporomandibular é uma patologia complexa que atinge diversas
estruturas da face relacionadas ao conjunto maxilo-mandibular, as articulações
temporomandibulares e aos músculos da mastigação. Proporciona inúmeras
sintomatologias como dores de cabeça e ouvido, ruídos articulares, dores na região da
ATM e movimentos mandibulares limitados. A Síndrome de Eagle caracteriza-se por
apresentar um alongamento do processo estilóide ou calcificação do ligamento estilohioide e que pode provocar enxaquecas, dor miofascial, dor no nervo trigêmio e
nevralgias, além dos sintomas descritos da DTM. A literatura demonstra que a Síndrome
de Eagle pode ser confundida facilmente com a DTM, pois induz a sensação persistente
de dor referida para a região articular, e dessa forma obter tratamentos errôneos. O
diagnóstico da Síndrome de Eagle é clinicamente confirmado pela palpação da fossa
tonsilar, teste de infiltração de lidocaína e por exames radiográficos, através da
radiografia panorâmica e tomografia computadorizada. O objetivo do presente trabalho
é analisar a inter-relação da Síndrome de Eagle com a DTM com destaque no diagnóstico
diferencial de tais patologias, pois poucos são os cirurgiões-dentistas que estão
capacitados em diagnosticar e tratar corretamente as sintomatologias desta síndrome.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 242 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis de Revisão
TÍTULO
AUTOR
Patência Foraminal X Ampliação do Forame – Reflexões de Ordem Clínica e Biológica
Gaya Carolina Silva Vieira
Marilia Fagury Videira
CO AUTORES Luis Felipe C. de Toledo
Sabrina Castro Brasil
Marceliano-Alves
ORIENTADOR Flávio Rodrigues Ferreira Alves
A desinfecção dos canais radiculares é o principal objetivo da terapia endodôntica. Para
isso, conta-se com a ação mecânica dos instrumentos junto às paredes do canal, e ação
químicas das soluções auxiliares. Adicionalmente, foi enfatizada a necessidade da
realização da patência foraminal, que consiste na introdução de um instrumento manual
de pequeno calibre até a região de forame apical, como forma de promover a remoção
de detritos impactados na região oriundos do preparo. A literatura afirma que tal
manobra leva à penetração e renovação da solução química em toda a extensão apical,
bem como evita desvios ou perda do comprimento de trabalho. Por outro lado, outros
RESUMO
autores consideram que a patência isolada não é capaz de promover a limpeza e que há
a necessidade de ampliação do forame. Como o tema é divergente, o objetivo do
presente trabalho foi uma revisão crítica da literatura, como forma de realizar o
contraponto entre os conceitos e elucidar o de maior vantagem clínica. Por fim, concluise que a limpeza do forame ou patência é um passo biológico importante do preparo e
que na técnica da ampliação não há como garantir o toque do instrumento em todo o
perímetro do canal cementário, além de haver o risco de sobreobturação devido à perda
a constrição apical.
TÍTULO
AUTOR
Lesões Bucais Potencialmente Malignas
Giele Tenisi Braga
CO AUTORES
Gizelle Costa Roque
RESUMO
Flávia Caló de Aquino
Xavier
O câncer bucal é uma neoplasia de alta prevalência e pode ser antecedido por algumas
lesões, dentre elas: leucoplasia, eritroplasia, queilite actínica e líquen plano. O objetivo
deste trabalho é revisar a literatura acerca do tema e trazer à tona a importância do
diagnóstico precoce destas lesões. A leucoplasia aparece em 60% dos pacientes com
carcinoma escamocelular, se apresentam como manchas/placas brancas, de coloração
homogênea ou não, únicas ou múltiplas e com prevalência de 1% a 4%. A eritroplasia é
uma lesão em mácula/placa vermelha, para a qual não pode ser estabelecido um
diagnóstico clínico específico é a principal lesão com potencial de transformação maligna
da cavidade bucal, pois exibem padrões histológicos de intensa atipia epitelial, com
grande potencial de degeneração, sendo que 90% dos casos já representam um
carcinoma in situ ou micro-invasivo. A queilite actínica é uma reação inflamatória com
potencial de malignização, causada pela exposição crônica aos raios solares. O líquen
plano, apesar de ser considerado uma doença inflamatória crônica, mucocutânea e de
caráter imunológico, tem causa desconhecida e por isso, existem controvérsias sobre seu
potencial de malignização. O papel do cirurgião-dentista neste âmbito é fundamental
para que, caso haja a malignização das lesões, o diagnóstico seja precoce e proporcione
ao paciente o melhor prognóstico possível.
Leonardo de Araújo Melo
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 243 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Regeneração Óssea com Rhbmp-2 em Implantodontia: uma Revisão Sistemática da
Literatura.
Girlene Peixoto Girão
Vanessa Maria Carvalho
Jannice de Queioz
Valthierre Nunes de Lima
Lima
Fernandes
Sormani Bento Fernandes de Queiroz
A engenharia tecidual é um campo emergente da odontologia e da medicina, que
combina a resposta biológica natural do corpo à injúria tecidual, com os princípios de
engenharia. O objetivo dessa estratégia é replicar ou reconstruir a forma e função
natural dos órgãos ou tecidos perdidos. Em 1965, Marshal Urist observou a formação de
tecido ósseo após a implantação da matriz óssea desmineralizada no tecido muscular de
ratos. Ele chamou esse processo de osseoindução, e posteriormente essa matriz óssea
foi chamada de Proteína Morfogenética óssea, sendo conhecida pela sigla BMP, do
inglês Bone Morphogenetic Proteinas. O objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão
sistemática da literatura sobre as aplicações clínicas de rhBMP-2 em reconstruções
ósseas antes da colocação de implantes dentários. 9 ensaios clínicos foram selecionados
após uma busca no PUBMED e outras fontes de pesquisa sobre a assunto e de acordo
com rígidos critérios de inclusão. As taxas gerais de sucesso da regeneração óssea com
rhBMP-2 foi 81,4% e o sucesso dos implantes colocados no osso regenerado com rhBMP2 foi de 87,4%. Os eventos adversos mais frequentes foram dor, edema e eritema.
Concluiu-se que o tratamento com rhBMP-2 foi satisfatório na maioria dos casos e a
colocação de dentários implantes no osso regenerado com rhBMP-2 é viável.
Aspectos Clínicos e Anatômicos da Progressão da Doença Cárie
Grace Kelly Santos Sacramento
Soraia Veloso
A cárie dentária é uma doença crônica e infecciosa que pode levar a destruição dos
tecidos dentários. As lesões de cárie podem se manifestar clinicamente em estágios
iniciais ou em estágios mais avançados. As considerações e o conhecimento sobre a
formação, progressão e definição da lesão de cárie devem ser aprofundados, para se
estabelecer critérios no tratamento e prevenção da cárie. Diversos métodos de
diagnóstico são usados servindo ao propósito de determinar a presença da doença e a
sua extensão em um indivíduo suspeito, permitir a escolha da alternativa de intervenção
mais indicada, monitorar o curso da doença, avaliar a eficiência do tratamento e
determinar a presença de fatores que possam favorecer o estabelecimento e a
progressão da cárie. O objetivo desse trabalho é expor através de um painel os aspectos
das fases de progressão da cárie dentária. De acordo com os preceitos de Promoção de
Saúde, o tratamento da doença cárie visa restabelecer o equilíbrio e a saúde bucal do
paciente por meio do controle dos fatores etiológicos, como remoção do biofilme,
educação e instrução de higiene e dieta, além da aplicação de fluoretos. Com isso é
importante que o cirurgião dentista tenha conhecimento dos diferentes estágios da
doença cárie para que o tratamento adequado seja instituído em cada um deles, assim
como uma correta orientação ao paciente e ou responsável.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 244 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Eficiência da Ressonância Magnética no Diagnóstico das Disfunções da Articulação
Temporomandibular
Grayce Kelli do Nascimento Raymundo
Bianca Cristina Moreira e
Lais de Krejci de Souza
Raphaela Fernandes Freitas
Silva
Graciosa
Arlindo Rosa de Azevedo
A disfunção temporomandibular (DTM) é uma patologia que engloba problemas clínicos
e articulares na área orofacial, abrange alterações das estruturas e funções do sistema
estomatognático, entre elas dos músculos da mastigação e do complexo condilodisco. A
obtenção do diagnóstico das disfunções temporomandibulares (DTMs) se faz através de
uma anamnese acurada e do uso de exames de imagem complementares. Para o
diagnóstico de alterações na ATM não existe um método padronizado e confiável,
portanto a indicação de um exame por imagem depende, principalmente, de que sejam
seguidos critérios de seleção baseados nos sinais e sintomas apresentados pelo paciente,
que tenham o riscos reduzido para os mesmos e ainda contribuam para o diagnóstico e
tratamento desta disfunção. Neste trabalho foram revisados os meios diagnósticos que
podem ser auxiliares na determinação da DTM. A ressonância magnética (RM) veio
revolucionar o diagnóstico e, consequentemente, o tratamento das disfunções
temporomandibulares por proporcionar imagens multiplanares de alta precisão dos
tecidos duros e moles da ATM. Concluiu-se que a (RM) tem sido o exame de imagem de
primeira escolha para o diagnóstico das anormalidades de tecidos moles da ATM e
apresenta alta acurácia na determinação da posição do disco articular.
O Uso de Isolamento Absoluto em Tratamento Endodôntico: uma Revisão de Literatura
Gustavo Marques Meirelles
Ailton Lopes de Menezes
Isabella Gonçalves
Flávia Chaves Vieira
Júnior
Rodrigues
Mônica Endo
O isolamento absoluto é uma etapa operatória fundamental para a realização da terapia
endodôntica que pode influenciar diretamente no sucesso do tratamento. Seu uso tem
sido recomentado universalmente por conferir vantagens como o controle de infecção
cruzada, proteção contra ingestão de instrumentos, campo operatório livre de umidade
e por proteger os tecidos da solução irrigadora. Por outro lado, apesar das suas
vantagens, muitos profissionais relatam não utilizar o isolamento durante a execução do
tratamento endodôntico. O objetivo do presente trabalho é mostrar a prevalência de
profissionais que utilizam o isolamento absoluto para realização do tratamento
endodôntico e os motivos pelos quais alguns relatam não utilizá-lo, através de uma
revisão da literatura. Houve uma ampla divergência na prevalência de profissionais que
utilizam o isolamento absoluto no tratamento endodôntico (3,8% a 94%). Os principais
fatores apontados para a não aderência ao uso do isolamento na realização dos
tratamentos são: falta de treinamento e hábito; tempo requerido para sua aplicação;
dificuldade de realização de tomadas radiográficas; ou por algum complicador que
dificulte a realização do procedimento.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 245 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Estruturas Estéticas em Prótese Fixa: Zircônia, Indicações e Benefícios.
Igor Ribeiro Rola
Luis Carlos Ferreira Uchôa
Mônica Meneses Lima
Hugo Louzada Rios
Antero Jose Soares Rola
Esse trabalho tem como objetivo mostrar que a zircônia pode substituir estruturas
metálicas em próteses fixas. Com o avanço dos materiais e das técnicas laboratoriais, a
utilização de materiais mais estéticos como o Dióxido de Zircônio (Zircônia), está, em
muitos casos substituindo as ligas metálicas em estruturas de próteses fixas,
especialmente por sua biocompatibilidade, pois não interagem local ou sistematicamente
com o corpo humano por ser quimicamente inerte, resistência, pois se aproxima das
ligas metálicas, estabilidade, pois não sofrem deformações quando sujeitas a altas e
baixas temperaturas e estética por serem de uma cor semelhante a do dente. Segundo
(Chevallier J. et al. 2005) a Zircônia está sendo empregada para substituir a estrutura
metálica em próteses fixas, pois a resistência flexural, cerca de 1200MPa é muito
próxima das ligas metálicas, quando estabilizadas por Ítrio (Y2O3), e em estudos
recentes no Japão estão desenvolvendo uma formulação de Dióxido de Zircônio
estabilizado por Cério com adição de monocristais de Alumina, que aumenta a resitência
flexural para 1500MPa, muito próximo das ligas metálicas, que é de 2000MPa. Diante
disso, as atuais cerâmicas a base de Zircônia tem apresentado propriedades favoráveis,
que apontam para uma alternativa como substituto estético das estruturas metálicas
utilizadas em próteses fixas.
Rânula: como Chegar ao Seu Diagnóstico?
Illiana Maria Neves Voltan
Marcus Heleno
Paulo Ribeiro
Marcelo Uzeda
Rodrigo Resende
As glândulas salivares podem ser acometidas por diversos processos patológicos, entre
as lesões benignas estão os fenômenos de retenção salivar. Rânula é um termo usado
para as mucoceles que ocorrem no soalho bucal. Embora a fonte do extravasamento de
mucina seja usualmente a glândula sublingual, elas também podem originar-se do ducto
submandibular ou, possivelmente, das glândulas salivares menores localizadas no soalho
de boca. Sua etiologia se deve a possíveis traumas ao ducto sublingual, resultando em
obstrução e concentração de saliva no mesmo. Clinicamente apresentar-se como uma
tumefação azulada, flutuante, com a forma de cúpula abaixo da língua. Por sua vez
tendem ser maiores do que os mucoceles, podendo atingir muitos centímetros de
diâmetro, geralmente encontrando-se lateralmente à linha média. Seus tratamento é
cirúrgico, podendo ser realizada sobre anestesia local em ambiente ambulatorial,
podendo variar de marsupialização, ou mesmo a remoção definitiva de lesão. O objetivo
deste trabalho é realizar uma revisão da literatura sobre os métodos necessários para
que se possa chegar ao diagnóstico da rânula e citando as vantagens e desvantagens de
seus métodos de tratamento.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 246 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis de Revisão
TÍTULO
AUTOR
Hipersensibilidade Dentinária: Diagnóstico e Tratamentos
Imara Juliane Nunes de Queiroz Silva
CO AUTORES
Nilmara Dias Santos
ORIENTADOR
Ana Cristina Vasconcelos
A hipersensibilidade dentinária atinge grande parte da população mundial e é
caracterizada por uma dor aguda, de curta duração, bem localizada, resultante de
exposição dentinária após desgaste da camada de esmalte ou cemento, em resposta a
estímulos térmicos, evaporativos, mecânicos, osmóticos ou químicos. Segundo a Teoria
Hidrodinâmica de Brännstorm, a exposição dos túbulos dentinários e das terminações
nervosas dos odontoblastos, aumentam a condutividade hidráulica da dentina afetada e
sua resposta aos vários estímulos gerando dor. Força excessiva na escovação, recessão
gengival, forças oclusais excessivas, contato prematuro, cárie, lesões cervicais não
cariosas são fatores etiológicos que podem levar à exposição dentinária. O objetivo
deste trabalho é revisar a literatura a respeito da hipersensibilidade dentinária na busca
de atualidades que facilitem a escolha da terapia adequada de acordo com cada caso. A
primeira ação no tratamento da hipersensibilidade dentinária é a remoção do fator
etiológico associado. Além disso, o tratamento pode ser feito com dessensibilizantes,
flúor, adesivos dentários, laserterapia, restaurações, cirurgias muco-gengivais e
tratamento endôdontico. O cirurgião dentista deve fazer o diagnóstico correto e
escolher o melhor tratamento e para isto é indispensável conhecer a etiologia e os
tratamentos disponíveis da hipersensibilidade dentinária.
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Amanda Silva Santos
Thayz Mota de Souza
Cunha
Aspectos Atuais da Espectroscopia Raman para o Diagnóstico Rápido do Câncer Bucal
Inajara Portela de Oliveira
Airton Abrahao Martin
Luis Felipe das Chagas e Silva de Carvalho
O câncer bucal é uma doença potencialmente fatal e com alta taxa de incidência global.
E um dos maiores agravantes do câncer bucal, é a fase na qual é concluído o diagnóstico,
sendo assim, o diagnóstico precoce é crucial para a sobrevida do paciente. A
espectroscopia Raman (ER) é uma técnica analítica não invasiva com enorme potencial
para agilizar o processo diagnóstico, uma vez que a mesma fornece em detalhes,
informações bioquímicas da amostra avaliada. Neste trabalho foi realizada uma revisão
de literatura sobre a evolução da aplicação da técnica de ER in vitro, ex vivo e in vivo em
processos patológicos, em especial os relacionados a lesões malignas da cavidade bucal.
Foram levantados artigos entre 2006 a 2015 utilizando como palavras-chave
espectroscopia Raman, câncer bucal e biópsia óptica. Bases de dados como PUBMED e
Scielo serviram de consulta. Em todos os experimentos estudados foi possível observar
diferença entre tecido patológico e tecido saudável; os experimentos in vivo viabilizaram
uma distinção mais detalhada entre lesão potencialmente cancerizável, lesão maligna e
tecido normal. A técnica de ER pode ser considerada uma nova ferramenta capaz de
acelerar o método diagnóstico, a rápida obtenção dos dados e grande eficiência analítica
enaltecem o uso desta técnica para o diagnóstico precoce.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 247 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Perfil dos Pacientes Atendidos em uma Clínica Escola de Cirurgia
Isabela Alves de Almeida Araruna
Dawylla Kelly Queiroga de
Jéssica Lucena Ramalho
Francisco Leite Moura
Lima
Elizandra Silva da Penha
Embora a odontologia preventiva tenha avançado nos últimos anos, ainda é grande o
número de pacientes com elementos indicados para exodontia. Este estudo objetivou
identificar o perfil dos pacientes (n=100) atendidos na Clínica Escola de Cirurgia de um
Curso de Odontologia e foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (FR – 366456 em
05.10.2010). O estudo foi do tipo exploratório, descritivo, com abordagem quantitativa.
O primeiro momento foi previamente ao atendimento, e o segundo quando o paciente
retornava do atendimento cirúrgico. Os resultados mostraram que 45% dos pacientes
estavam entre 18 e 30 anos, sendo 68% do gênero feminino, 78% cor parda e 98%
alfabetizados. Dos entrevistados, 66% afirmaram que já tinham procurado outro serviço
e 98% dos participantes informaram que o motivo que os levaram a procurar a clínica
escola foi a necessidade de exodontias. Dos dentes submetidos à exodontias, 72% eram
molares e 57% das perdas foram decorrentes de cárie dentária. Em se tratando do
atendimento realizado na clínica de cirurgia da Instituição, 97% dos entrevistados foram
bem atendidos, 56% avaliaram o atendimento como ótimo e 96% afirmaram que
receberam orientações no pós-cirúrgico. Dessa forma foi possível conhecer o perfil do
paciente atendido na clínica supracitada, assim como verificar que a forma de
atendimento foi voltada para a necessidade da população assistida.
Atuação do Cirurgião-dentista em Âmbito Hospitalar
Isabela Coelho Ribeiro
Larissa Vaz dos Santos Sousa Nolma Barradas Silva
Josianne da Silva Oliveira
Adriana de Fátima Vasconcelos Pereira
A Odontologia hospitalar vem adquirindo importância no cenário da equipe
multidisciplinar de saúde para manter a qualidade de vida dos pacientes. Contudo, a
atuação do cirurgião-dentista nos hospitais possui certa deficiência, mesmo sabendo que
é imprescindível a higiene bucal para excluir doenças e manter a normalidade na
cavidade bucal. O objetivo do estudo foi realizar uma revisão de literatura sobre o papel
do cirurgião-dentista no atendimento hospitalar desde a dificuldade enfrentada para sua
inserção nos hospitais até a utilização de procedimentos adequados durante a
internação do paciente. Foram consultadas as bases de dados Scielo, Pubmed, Medline e
LILACS, por meio das palavras–chave em português e em inglês: unidade hospitalar de
Odontologia, higiene bucal e equipe hospitalar de Odontologia, no período de 2000 a
2014. Foram obtidos 29 artigos, cujos achados foram divididos em: atuação do cirurgiãodentista no âmbito hospitalar e procedimentos de descontaminação da cavidade bucal
em hospitais. Em conclusão, é necessário maior reconhecimento da importância do
cirurgião-dentista no ambiente hospitalar para realização de medidas preventivas bucais
e na melhoria do quadro clínico do paciente.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 248 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Síndrome da Ardência Bucal: uma Revisão Sobre Etiologia, Diagnóstico e Tratamento
Isabela Sampaio de Cerqueira
Ana Paula Eufrázio do
Maria Carolina Silva Leite
Márcio Campos Oliveira
Nascimento Andrade
Michelle Miranda Lopes Falcão
Caracterizada pela tríade sintomatológica: dor do tipo queimação na boca, disgeusia e
xerostomia, sem presença de lesão na cavidade oral, a Síndrome da Ardência Bucal (SAB)
tem maior prevalência em mulheres entre 40 a 60 anos de idade, variando de 0,7% a
4,6% e etiologia e tratamento pouco elucidados. O objetivo foi revisar a literatura sobre
a etiologia, diagnóstico e tratamento da SAB. Realizou-se busca avançada nas bases
BIREME, utilizando-se os termos: “SAB”, “Etiologia” e “Tratamento” e publicações na
língua inglesa, portuguesa ou espanhola, na forma de artigo disponível na íntegra,
resultando em 21 artigos. Dois deles repetidos, portanto, restaram 20 artigos. A
literatura sugere diversos fatores etiológicos da SAB: psicogênicos, sistêmicos e locais. O
diagnóstico é obtido por meio de exame clínico, após exclusão de outros possíveis
problemas bucais, auxiliado por exames complementares de sialometria, hematolologia
e avaliação psicológica. Apesar de não existir um protocolo terapêutico padrão, o
cloridrato de benzidamina, extrato de capsaicina tópico ou sistêmico, clonazepam tópico
ou ácido alfa-lipóico, laserterapia, acupuntura e a estimulação mecânica da saliva tem
sido utilizados. A etiologia, diagnóstico e tratamento da SAB permanecem pouco
elucidados requerendo a realização de estudos de fatores associados.
Vantagens e Desvantagens da Técnica de Inserção Única Utilizando a Resina Bulk-fill:
Revisão de Literatura
Isabelly de Carvalho Leal
Wlhadya Kaenny de Freitas Aline de Oliveira Lima
Ylana Rosa Matos
Costa
Nunes
Vanara Florêncio Passos
Recentemente, um novo material foi lançado no mercado – a resina “bulk-fill” – com a
particularidade de ser usada com um único incremento ao invés da técnica incremental.
Esse trabalho tem por objetivo, através de uma revisão de literatura, avaliar as
propriedades mecânicas da resina “Bulk-fill” e os seus benefícios em restaurações
diretas. Por meio dos descritores “bulk” e “resina” em português e em inglês, separados
e em combinação, nas bases de dados BIREME e PUBMED foram obtidos artigos datados
entre 2012 e 2015. Dessa forma, observou-se que essa resina desperta grande interesse
por ser usada como incremento único e, ainda assim, demonstrar menos problemas em
relação a contração de polimerização e a infiltração marginal, quando comparada às
resinas convencionais. Apesar disso, a resina “bulk-fill” quando utilizada com espessura
maior que 4 milímetros apresenta menor microdureza, o que contra-indica o seu uso
para cavidades amplas e, além disso, para que o material apresente adequadamente
suas propriedades físico-mecânicas, deve ser polimerizado por 20 segundos. Portanto,
conclui-se que o uso das resinas “bulk–fill” torna-se vantajoso, já que proporciona maior
facilidade da técnica e redução do tempo de trabalho, permitindo restabelecer a estética
sem comprometer suas propriedades físico-mecânicas e mantendo uma contração de
polimerização semelhante às resinas tradicionais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 249 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Perdas Dentárias na População Brasileira nos Diferentes Ciclos de Vida - Revisão de
Literatura
Isadora Follak de Souza
Carla Cioato Piardi
Liciana Marcon Barbosa
Eliane Lúcia Colussi
Paulo Roberto Grafitti Colussi
Uma das consequências finais das doenças bucais crônicas, como cárie e doenças
periodontais, são as perdas dentárias, que podem ter impacto na qualidade de vida. O
objetivo deste estudo foi avaliar as perdas dentárias nos diferentes ciclos de vida da
população brasileira, com uma revisão de literatura que incluiu estudos transversais
publicadas em inglês e português disponíveis nas bases de dados existentes. Os
resultados dos últimos 10 anos demonstram uma média de perdas dentárias em torno
de 0,5 nos adolescentes entre 15-19 anos, que sobe para 5,5 a 7,5, entre os 35-44 anos.
A média de perdas dentárias fica acima de 20 dentes após os 60 anos. A prevalência de
pelo menos uma perda dentária sobe de cerca de 20% dos adolescentes para mais de
90% na população acima de 60 anos. A cárie dentária e as doenças periodontais são
fortemente associadas com a idade, pois existe, frequentemente, um aumento na
severidade e extensão à medida que o indivíduo envelhece. Além disso, estudos
demonstram que quanto maior a média de perdas dentárias, maior é o impacto na
qualidade de vida dos indivíduos. Conclui-se que apesar da melhoria observada na saúde
bucal dos adolescentes brasileiros, a mesma não é observada nos outros ciclos da vida,
com um expressivo aumento na taxa de perdas dentárias na população adulta e idosa.
Terapia Periodontal Básica: Instrumentos Manuais e Ultrassônicos
Izabel Cristina Bastos dos Santos
Elidia Montes Carneiro
Elisa Montes Carneiro
Gustavo Vicentis de Oliveira Fernandes
O objetivo desta revisão foi relatar métodos de terapia periodontal básica e sua eficácia.
O tratamento periodontal tem como objetivo a eliminação da infecção e manutenção do
periodonto saudável. Isso é conseguido pela remoção do biofilme e do cálculo dental
supra e subgengival. Inicialmente, a raspagem e o alisamento radicular eram feitos
exclusivamente por instrumentos manuais e esse procedimento se tornou o padrão da
terapia periodontal. A partir da década de 50, os aparelhos ultrassônicos foram
introduzidos e consolidados como instrumentos capazes de promover a
descontaminação da superfície radicular. Isso ocorreu quando as pontas foram
modificadas, de maneira a terem menor diâmetro e maior haste, permitindo melhor
acesso às bolsas periodontais. A utilização do aparelho ultrassônico em conjunto com os
raspadores manuais convencionais na periodontia clínica, são usados para remoção de
placa e cálculo na superfície radicular. Os estudos clínicos que avaliaram a
instrumentação manual e ultrassônica não mostraram superioridade desde que atendam
as especificidades de habilidade do profissional e adequação do material. Portanto,
concluímos que em dentes unirradiculares, a eficácia da raspagem manual e ultrassônica
é semelhante, desde que executada por profissionais treinados e em dentes
multiradiculares e na região de furca, os resultados são menos homogêneos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 250 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Fissuras Labiopalatais: uma Anomalia Craniofacial Congênita
Izana Santos Borges Nascimento
Monique Stefane Cordeiro
Raphael Lobo de Souza
Bruno Oliveira Queiroz
de Souza
Michelle Miranda Lopes Falcão
As fissuras labiopalatais apresentam-se como uma fenda, total ou parcial, na região
óssea ou mucosa da abóbada palatina, as quais ocorrem durante o desenvolvimento da
face, por volta da 4ª a 12ª semana de gestação. São deformidades craniofaciais mais
comuns e acomete cerca de um a cada 700 recém-nascidos vivos, apesar deste fato,
ainda existe um precário conhecimento acerca desta condição pelos pais e familiares das
crianças fissuradas. As fissuras labiopalatais possuem múltiplas etiologias, tais como os
fatores genéticos, relacionados a mutações, alterações cromossômicas e herança
multifatorial e fatores ambientais, como o alcoolismo, uso de drogas, tabagismo, dieta,
estresse e exposição a agentes tóxicos. O tratamento é cirúrgico e não-cirúrgico,
envolvendo várias especialidades. Dessa forma, deve haver uma equipe contínua e
multiprofissional acompanhando o paciente e a família desde o momento pré natal até a
conclusão da reabilitação do indivíduo portador de fissura. Esta equipe é composta por
médicos, enfermeiros, cirurgião-dentista, psicólogo e fonoaudiólogo. O objetivo desse
trabalho é revisar a literatura sobre os fatores das fissuras labiopalatais e os cuidados
necessários ao indivíduo portador dessa deformidade. A desconstrução da imagem
negativa e fatos associados às fendas labiopalatais são imprescindíveis ao
enfrentamento desse problema de saúde pública.
Política Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência
Jaciel Leandro de Melo Freitas
Lenise Dalma da Silva
Reydson Alcides de Lima
Suley do Nascimento Aguiar
Nascimento
Souza
Silvana Maria Orestes Cardoso
O objetivo deste estudo consistiu em analisar a Política Nacional para Integração da
Pessoa Portadora de Deficiência, enfatizando-se a questão da inclusão social no âmbito
do sistema de saúde brasileiro. Como metodologia foi realizada uma revisão
bibliográfica, tendo sido selecionados artigos nas bases de dados eletrônicos: Bireme,
SciELO e Lilacs. No Brasil existem 24,5 milhões de pessoas com deficiência. Desde a
década de 1990, o conceito de sociedade inclusiva vem sendo debatido, tendo
culminado com a Convenção de Guatemala, que defende os direitos das pessoas com
deficiência. A Constituição de 1988 prevê medidas contra preconceito e discriminações.
Um importante passo para a inclusão foi dado pela Lei n. 7.853/89, que aborda questões
relativas à saúde, educação e trabalho em relação às pessoas com deficiência,
criminalizando o preconceito. Esta Lei criou a Corde, responsável pela Política Nacional
para a Integração dessas pessoas na educação, saúde, trabalho, cultura, lazer,
acessibilidade e reabilitação. Os autores concluem que as políticas de integracão devem
garantir ingresso e permanência nos diferentes espaços sociais a essa população,
enfatizando a importância do acesso ao sistema de saúde, e que cabe ao Estado
promover estas políticas, para que programas de ações afirmativas sejam orientados
para oferta de tratamentos diferenciados para os deficientes físicos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 251 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Perspectivas da Utilização das Células Tronco em Odontologia
Jáder Sátiro de Araújo
Carlos Higor Mendonça
Felipe Evangelista
Vanessa Maria Carvalho
Araujo
Verissimo
Lima
Diego Felipe Silveira Esses
Células-tronco (CTs) é um assunto de grande destaque atual nas pesquisas científicas. A
Odontologia vem investindo em pesquisas promissoras tentando extrair o benefício que
estas células podem oferecer nas áreas de implantodontia, periodontia, cirurgia
bucomaxilofacial, na reconstrução de tecidos dentais sadios, mas que podem ser
utilizados posteriormente na endodontia e dentística, ou quem sabe, a erupção de um
novo dente revolucionando a área da prótese em um futuro não muito distante. O
Objetivo deste trabalho é fazer uma breve revisão da literatura e das pesquisas mais
recentes sobre a utilização de células-tronco em odontologia. Foram utilizadas as bases
de dados da Biblioteca Virtual de Saúde (MEDLINE, LILACS e BBO). São várias as
pesquisas envolvendo estas células na odontologia, sendo assim, foram então escolhidas
somente algumas delas e discutidas: aplicação de CTs na implantodontia e periodontia;
obtenção de CTs a partir de dentes decíduos desenvolvidas pelo Instituto Butantan;
recriação de dentes por chineses através de CTS obtidas de urina; além de algumas
pesquisas envolvendo a recriação de novos dentes. Foi possível notar que vários são
animadores quanto ao uso destas potentes células nas diferentes áreas odontológicas,
atualizando o leitor sobre o tema.
Saúde Bucal Associado às Infecções Respiratórias em Pacientes Internados em Unidade
de Terapia Intensiva
Jadson Lisboa da Silva
Janderson Ítalo Meireles de
Silvio Rafael Amaral Pereira
Luana Carneiro Diniz Souza
Oliveira
Vandilson Pinheiro Rodrigues
A condição da higiene bucal esta relacionada com o número de espécies de bactérias
presentes na boca e os pacientes debilitados que não apresentam uma boa higiene
bucal, associado a outros fatores e o próprio ambiente hospitalar, tem favorecido as
doenças respiratórias. As infecções respiratórias são causadas por bactérias, vírus ou
fungos gerando doenças como faringite, sinusite, pneumonia e bronquite. Dentre estas,
a pneumonia nosocomial é a mais frequente no hospital e ocorre após 48h da internação
do paciente na UTI. Ela é a segunda causa de infecções hospitalares e a responsável por
taxas significativas de morbidade e mortalidade em pacientes internados em UTI,
aumentando os dias de internação e os custos hospitalares. Pacientes que apresentam
uma higienização bucal deficiente favorecem o aumento de microorganismos
patogênicos, pois a boca sofre contínua colonização, e o biofilme pode servir de
reservatório permanente a estes, ocasionando a periodontite e infecções à distância,
como as respiratórias. O objetivo desse trabalho foi buscar na literatura a relação da
saúde bucal no estabelecimento de infecções respiratórias em pacientes internados em
UTI. Apesar de estudos relatarem esta relação, é preciso buscar mais evidências e
pesquisas, e a necessidade de incorporar odontologia no cuidado global de pacientes
internados em UTI.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 252 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Considerações Clinicamente Relevantes Sobre a Cimentação Adesiva Utilizando
Cimentos Resinosos Versus Resina Composta Preaquecida.
Janaina Adriano Guerci Nunes
Johanna Rubem Teixeira Miranda Zuchitor
Tayane Holz Resende
Ignez
Tayane Holz Resende
Esta revisão objetiva comparar a cimentação adesiva utilizando cimentos resinosos (CR)
e resina composta preaquecida (RCP), abordando técnicas, indicações, vantagens e
desvantagens embasando a seleção do cimento adequado às situações clínicas. Os CR
inovaram a odontologia restauradora por sua capacidade de aderir ao dente e à
restauração. A técnica de cimentação com CR se assemelha à dos cimentos
convencionais já a RCP possui uma etapa de preaquecimento, que pode ser feita em
dispositivos próprios ou em forno microondas. Os CR e RCP são resinas compostas,
entretanto os CR possuem baixa quantidade de carga e maior fluidez. Ambos têm
vantagens como: Adesão, insolubilidade aos fluidos orais, estética, viscosidade
adequada, bom tempo de trabalho. Os CR possuem versões duais e autoativadas, de
menor custo e técnica menos sensível, porem possuem maior contração de
polimerização e menor resistência. Já as RCP possuem melhor adaptação às paredes
dentárias e maior estabilidade dimensional. Ambos são indicados para restaurações
metálicas, metalocerâmicas, cerâmicas e de resina composta indireta. No entanto, os CR
químicos ou duais são mais indicados para restaurações espessas e pinos intracanais, e
as RCP são mais indicadas para restaurações de dentes que recebem maior carga oclusal.
Ambos podem ser utilizados em situações clínicas semelhantes, sendo melhores
indicados em casos específicos.
Análise do Preparo do Cirurgião Dentista Frente Aos Casos de Emergências Médicas
Dentro do Consultório Odontológico: uma Revisão da Literatura
Janile Lacerda de Carvalho
Karoline Maria dos Santos
Marcela Côrte Real
Rodrigo Henrique Mello
Oliveira
Fernandes
Varela Ayres de Melo
Ricardo Eugenio Varela Ayres de Melo
Na prática odontológica todo profissional está susceptível a vivenciar situações ditas
como emergenciais durante sua ação no cotidiano. O presente estudo visa, através de
uma revisão de literatura, expor a relação entre primeiros socorros e a prática do
cirurgião dentista (CD) listando algumas modalidades de emergências mais recorrentes e
suas causas, informando os medicamentos básicos para os casos relatados. É observado
que tais situações podem ocorrer antes, durante ou até mesmo após o procedimento
clínico. As emergências relatadas com maior frequência incluem lipotímia, hipoglicemia,
hipertensão, reações alérgicas e obstrução das vias aéreas. Pode ser observado que
grande parcela dos CDs encontra-se despreparados para realizar manobras de suporte
básico à vida, devido ao déficit de ensino e baixa valorização dada à disciplina de
primeiros socorros, sendo poucos os perfis curriculares que incluem a disciplina como
componente obrigatório. Portanto é considerado de fundamental importância o
conhecimento do profissional para a realização de uma pré-avaliação da saúde geral do
paciente antes do atendimento odontológico, a cada consulta e saber executar os
procedimentos básicos de primeiros socorros, a fim de oferecer um atendimento rápido
e eficaz em casos emergenciais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 253 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Qual a Importância do Cirurgião – Dentista no Diagnóstico Paracoccidioidomicose?
Jéssica da Silva Bahiense
Jéssica Bahiense
Claudia Faria
Paula Faria
Rodrigo Resende
A Paracoccidioidomicose, também conhecida como Blastomicose Sul-americana é uma
doença sistêmica, endêmica, causada pelo fungo dimórfico Paracoccidioides brasiliensis.
Sua via primária de infecção é pulmonar, porém vários sítios anatômicos podem ser
acometidos pela disseminação linfoematogênica, inclusive a mucosa oral como lábios,
bochechas, soalho de boca, língua e faringe. As lesões bucais têm o aspecto granular,
eritematoso e ulcerado. A maioria dos casos ocorre em indivíduos do sexo masculino,
fumantes e trabalhadores rurais. Nas áreas endêmicas, a infecção primária ocorre
durante a infância e envolve o sistema imunológico. A forma crônica do adulto mais
frequente é de disseminação multifocal, com envolvimento dos pulmões, linfonodos,
pele e mucosas. Essa forma tem evolução crônica com diagnóstico tardio. Tosse,
dispneia e perda de peso associada a lesões cutâneas e das mucosas são evidentes e
constituem as queixas principais da doença. A doença pode apresentar seqüelas graves
ou evoluir a óbito caso o diagnóstico seja retardado ou tratamento mal conduzido,
portanto, a identificação das manifestações bucais é importante e facilita o diagnóstico
da infecção. O objetivo deste trabalho é realizar uma revisão da literatura sobre a
importância do cirurgião–dentista na avaliação e no diagnóstico deste tipo de lesão.
Tratamento da Osteonecrose dos Maxilares Associada Aos Bifosfonatos: Revisão da
Literatura
Jessica dos Santos Nunes
Roberto Santos
Rafael Meira
Jonathan Ribeiro
Carlos Fernando Mourão
A osteonecrose dos maxilares associada aos bifosfonatos é uma condição que afeta
pacientes que receberam tratamento com estes medicamentos. Sendo principalmente
utilizados no tratamento de neoplasias malignas ósseas, doença de Paget e mais
comumente nos casos de osteoporose pós menopausa. O mecanismo pelo qual os
bifosfonatos promovem tal fenômeno ainda é desconhecido. O tipo de bifosfonato, a via
de administração, bem como a duração do tratamento com essas drogas parece ter
relação direta com a incidência de OAB. O objetivo deste trabalho é revisar alguns
aspectos importantes desta condição reforçando sua abordagem terapêutica. Ao final do
estudo pode-se concluir que, não há um consenso unânime, foi observado que a
utilização da antibioticoterapia, seja esta adjuvante ou não, faz parte do protocolo de
tratamento. Em casos onde o paciente apresenta exposição do tecido ósseo associado à
dor, é necessária parcimônia do cirurgião quanto a necessidade do debridamento
cirúrgico e fechamento primário da ferida. E nos que não apresentam dor, o mais
indicado é instrução de higiene local e o acompanhamento periódico. Logo, seja qual for
o caso, a melhora na qualidade de vida do paciente deve ser a prioridade.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 254 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
A Relação dos Antiinflamatórios e o Uso em Idosos. O que Diz a Legislação Brasileira
Jessica Silva Brito
Maria Emilia Santos Pereira
Camila da Silva Rodrigues
Tercio Carneiro Ramos
Ramos
Maria Emilia Santos Pereira Ramos
Entre as características clínicas da população idosa destaca-se a utilização de vários
medicamentos, entre eles o uso de antiinflamatórios não esteroides (AINES). A
frequência e o uso indiscriminado dessa classe de fármacos trazem consequências
importantes para a saúde do idoso relacionado principalmente a alterações
gastrointestinais, sanguíneas e renais. O presente estudo fez uma revisão integrativa
objetivando entender o posicionamento dos órgãos regulatórios brasileiros quanto a
prescrição e uso de AINES pela população idosa e os efeitos renais. Foram utilizados
como banco de dados o PUBMED, LILACS, SciELO, BIREME e MEDLINE utilizando-se no
final 30 artigos para construção do estudo. Identificou-se que países de primeiro mundo
ja possuem criterios para usos de fármacos que possam comprometer a saúde do idoso
destacando-se os Estados Unidos e Canadá; porém no Brasil ainda não há um cuidado
específico baseado nas evidências científicas que controle tanto a prescrição quanto ao
acesso a medicamentos como os AINES pela população idosa. Conclui-se que os AINES
podem ser utilizados normalmente por pacientes que não apresentam
comprometimentos renais, com critérios de uso inerentes a classe farmacologia. E que
no Brasil existe a necessidade de se estabelecer critérios rigorosos, em lei, quanto ao uso
e prescrição dos AINES pela população idosa.
Estratégias Preventivas e Terapêuticas Adotadas Pelo Cirurgião Dentista em Pacientes
Sob Tratamento Radioterápico
Joao Carlos Caldas de Souza da Silva
Mariana Carnevalli
Mariana Ricardo Costa
Lilian Vieira
O câncer Bucal é uma doença crônica, resultando em alta mortalidade e morbidade. No
Brasil é considerado pelo INCA em parceria com Ministério da Saúde um problema de
Saúde Pública. O trabalho tem como objetivo, realizar uma revisão de literatura sobre o
tema. Com avanço científico e tecnológico, o tratamento do Câncer é a radioterapia
(consiste destruiçao rápida de células em divisão utilizando radiação ionizante, emitida
por aparelho ou radioisótopos naturais produzindo efeitos biológicos como, aumento
atividade mitótica do local). É certo que os efeitos de radiação ionizante no tratamento
Câncer Cabeça e Pescoço sejam efetivos, só que os tecidos mucosa bucal, vasos
sanguineos, glândulas salivares, músculos e articulações são danificados, os efeitos
podem ser agudo ou tardios. Os agudos são comumente relatados como xerostomia,
disfagia, mucosite, algia e trismo e os Tardios como cárie de radiação,
Osteorradionecrose e quando infectados a osteomielite. O Cirurgião-Dentista tem papel
fundamental no diagnóstico precoce e preventivo é responsável sobre prevenção e
tratamento dos efeitos adversos, possibilitando uma melhor qualidade de vida aos
pacientes, com esse intuito o Dentista de trabalhar de forma integrada, intervindo no
período Pré, Trans e Pós-tratamento radioterápico com finalidade preventiva e
terapêutica, reduzindo as severidades das complicações bucais.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 255 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
Painéis de Revisão
TÍTULO
AUTOR
Toxina Botulínica Tipo a na Terapêutica Odontológica
João Paulo Dutra Lobo Sousa
Mariana Vierira do
CO AUTORES Jhowcy Rodrigues
Mônica Beatriz Portela
Nascimento
ORIENTADOR Rosana Costa Casanovas de Carvalho
A neurotoxina botulínica é a mais potente toxina biológica conhecida pelo homem e vem
sendo amplamente estudada na terapêutica odontológica. Essa revisão de literatura
pretende abordar os mecanismos de ação da neurotoxina botulínica tipo A sobre os
efeitos terapêuticos, ponderando as causas, as prevalências e a correta indicação do
profissional cirurgião dentista como medida terapêutica no tratamento da
sintomatologia da dor na disfunção têmporomandibular, cefaleia tensional e na
neuralgia do trigêmeo, bem como uma proposta menos invasiva no tratamento do
sorriso gengival. Por apresentar como característica de ação a inibição da secreção
RESUMO
exocitótica da acetilcolina ao nível dos terminais nervosos motores, a neurotoxina
botulínica tipo A (NTBo-A), possui propriedade útil no tratamento de muitas condições
patológicas que envolvem uma excessiva contração muscular, bem como efeito sobre a
dor aguda (efeito profilático) e dor crônica (efeito analgésico). Assim os resultados
demonstram que a NTBo-A apresenta um potencial de emprego na área de atuação do
cirurgião-dentista, viabilizando o tratamento e controle da dor, além de restabelecer
relações estéticas do sorriso.
Palavras chaves: Toxina Botulínica, Controle da Dor, Sorriso Gengival.
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
O Tratamento Restaurador Atraumático nos Programas de Promoção de Saúde
Jonh Elton Reis Ramos
Thátyla Silva Linhares
Mayara Cristina Abas
Isabela Coelho Ribeiro
Rosana Costa Casanovas de Carvalho
O Tratamento Restaurador Atraumático (ART) envolve restaurações atraumáticas e
procedimentos educativos e preventivos. É uma forma simplificada de atendimento, que
dispensa o uso de anestesia e isolamento absoluto, permitindo sua aplicação em locais
desprovidos de equipamentos odontológicos. O presente trabalho tem como objetivo
fazer uma revisão da literatura sobre benefícios que o ART determina quando aplicados
nos serviços de atendimento de saúde pública no Brasil, através de Programas de
Promoção de Saúde Bucal. Atualmente, a manutenção da vitalidade pulpar e à
preservação da estrutura dental tem sido considerada como a terapia de escolha no
tratamento de lesões de cárie. Quando comparado ao método convencional, verificaram
que o ART era superior no que se diz respeito ao conforto do paciente e conservação do
tecido dentário. A relação custo benefício é mais favorável que o tratamento
convencional, já que o ART requer tecnologia simplificada. Diante dos resultados, podese afirmar que o ART devido sua simplicidade; fácil execução da técnica sem uso de
anestésico; mínima intervenção e máxima conservação de estrutura dental;
atendimento humanizado e possibilidade de acesso às áreas rurais e suburbanas, pode
ser utilizado em saúde pública, e deve ser introduzido no currículo das escolas de
Odontologia e nos Programas de Promoção de Saúde aliado a programas preventivos.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 256 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Odontalgias de Origem não Odontogênica: Revisão da Literatura
José Erivaldo da Silva Mendes
Maria Eduarda Pérez de
Amanda Almeida Leite
Danielly Canto da Silva
Oliveira
Danyel Elias da Cruz Perez
As odontalgias são queixas frequentes na Clínica Odontológica. Na maioria dos casos sua
origem é pulpar ou periodontal. Entretanto, diferentes doenças não-odontogênicas
podem mimetizar uma odontalgia. Estas podem levar a erros no diagnóstico e
consequentemente a tratamentos odontológicos desnecessários. Alguns indícios de
odontalgia de origem não-odontogênica são dor persistente e recorrente durante meses
ou anos; dor do tipo estimulante, queimação, não-pulsátil; dor espontânea em vários
dentes; dor não eliminada sob bloqueio anestésico local e falta de resposta à terapia
odontológica. Assim, o objetivo deste estudo foi realizar uma revisão das possíveis
doenças que podem apresentar tais características e mimetizar uma dor de origem
dentária. A revisão da literatura foi realizada utilizando a base de dados PubMed
Medline, selecionando relatos de caso ou séries de casos mais pertinentes de
odontalgias de origem não-odontogênica. Aqueles estudos com informações
redundantes foram excluídos. Entre as condições identificadas estão a herpes zoster,
neuralgia trigeminal, dor miofascial, dor facial de origem cardíaca e neoplasias. As
características clínicas e o tratamento de cada condição também foram discutidos. Em
suma, as odontalgias não-odontogênicas são um desafio para o cirurgião-dentista, o qual
precisa realizar um exame detalhado para identificar a correta natureza da dor.
Diagnóstico e Alternativas para o Tratamento da Cárie Oculta
José Sebastião Galvão dos Santos
Alexandre Batista Lopes do Lucia Carneiro de Souza
Fábio Luiz Silva Pereira
Nascimento
Beatrice
Hilcia Mezzalira Teixeira
O objetivo desta revisão de literatura foi discutir a etiologia, o diagnóstico e o
tratamento das cáries ocultas. A cárie é uma doença infecto-contagiosa, multifatorial
responsável pela desmineralização do esmalte e que atinge a humanidade desde sua
fase pré-histórica. As dificuldades no diagnóstico de cárie em fissuras oclusais têm sido
relatadas por diversos estudos e têm tido grande destaque na literatura odontológica.
Mesmo sem defeito visível no esmalte, uma cárie pode estar presente na dentina. Deste
modo, o diagnóstico da cárie oclusal tem sido mais difícil, pois nem sempre existe uma
cavidade característica de cárie no esmalte. Para estas lesões têm-se utilizado o termo
“cárie oculta”, que são lesões em dentina presente sob um esmalte aparentemente
hígido, não detectadas clinicamente ao exame visual. Recentemente, vários estudos têm
relatado um grande aumento na prevalência destes tipos de lesões, denominadas de
cárie ocultas. A cárie oculta, escondida ou síndrome do fluoreto são sinônimos
correspondentes a uma lesão de cárie de difícil diagnóstico. Essa dificuldade possibilita a
progressão da doença, podendo alcançar a mortalidade do órgão dentário. Conclui-se,
portanto, que exames complementares são essenciais na odontologia para detecção de
inúmeras lesões que não são visíveis clinicamente.
Descritores: Cárie Oculta; Diagnóstico; Etiologia.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 257 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Laminados Cerâmicos: Preparar ou não Preparar? – Revisão de Literatura.
Josislane Silva de Freitas
Fernanda Amorim
Maiara Reis Pinto
Taline Reis de Jesus Santos
Helfenstein
Adriana Oliveira Carvalho
O objetivo deste trabalho é avaliar o resultado estético e funcional dos preparos para
laminados cerâmicos com o mínimo de desgaste ou ainda sem desgaste algum, através
de uma revisão de literatura. A atual tendência nas alterações do sorriso tornando-o
mais harmonioso é almejada com o mínimo de desgaste de estrutura dental possível. A
evolução das técnicas e dos materiais restauradores possibilitou a confecção de peças
protéticas com reduzida espessuras e com desenho de preparo diferente dos métodos
clássicos e convencionais. Os laminados cerâmicos estão assumindo um importante
espaço na odontologia para resolução de problemas estéticos, sendo sua atratividade
consequência da boa estética, biocompatibilidade e propriedades físicas e mecânicas
apropriadas. Os preparos podem ser sem desgaste de estrutura dental, podem limitar-se
apenas ao desgaste da superfície vestibular; envolver a parte vestibular e se estender até
a borda incisal reduzindo-a ou envolver a parte vestibular, a borda incisal e superfície
palatal com chanfro. Pôde-se concluir que o tipo de preparo ideal dependerá de cada
caso e que a quantidade de desgaste tem por finalidade estabelecer o equilíbrio entre
boa adaptação da peça e translucidez no resultado estético.
Manejo Odontológico do Paciente Portador de Alzheimer: uma Revisão da Literatura
Jucilene de Jesus de Aragao
Rafael Rodrigues dos Santos
Rosângela Góes Rabelo
A longevidade é uma das grandes conquistas da humanidade. Contudo, este cenário
tornou-se favorável as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) como um legado do
processo de envelhecer. O Brasil acompanha o cenário mundial em relação à transição
demográfica e a modificação do perfil epidemiológico e as doenças neurológicas como as
Demências apresentam prevalência relevante, chegando a atingir 20% dos indivíduos
com idade superior a 80 anos. Dentre as demências, a doença de Alzheimer (DA) é a
mais conhecida, sendo caracterizada por uma desarrumação neurovegetativa, de
evolução gradativa, que se apresenta por fases distintas; comprometendo a cognição, a
funcionalidade, afetando atividades da vida diária e o comportamento. Considerando os
efeitos do processo de envelhecimento, os problemas bucais se tornam presentes,
principalmente relacionados a carie, gengivite, periodontite e as lesões de mucosa por
uso de próteses mal adaptadas. O objetivo deste trabalho é revisar a literatura sobre o
tema, considerando o envelhecimento da população brasileira e o impacto da DA para a
sociedade, buscando conscientizar e subsidiar o Cirurgião Dentista quanto à importância
do acolhimento odontológico do paciente para a prevenção e ou redução de danos.
Além do treinamento dos familiares e de cuidadores para execução do cuidado.
Palavras chave: demência, doença de Alzheimer, saúde bucal.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 258 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Educação em Saúde para Crianças e Interdisciplinaridade: Experiência de Atores do
Provab
Juliana Araujo Lima da Silva
Marcela Beatriz Aguiar
Raimunda Sheyla Carneiro
Valéria Souza Freitas
Moreira
Dias
A literatura aponta a interdisciplinaridade na saúde coletiva como um elo entre os
diferentes saberes científicos, permitindo uma ação integral na atenção á saúde. Porém,
tem-se visto a ação de práticas isoladas onde a ação uniprofissional prevalece.
Considera-se um espaço privilegiado de vivência interdisciplinar o Programa de
Valorização do Profissional da Atenção Básica (PROVAB) que tem como pressupostos a
consolidação da integração ensino-serviço-comunidade e a educação pelo trabalho no
âmbito da Atenção Básica. Este trabalho trata-se de uma revisão de literatura e um
relato da experiência vivida por integrantes desse programa no desenvolvimento de
atividades abrangendo a promoção da saúde infantil. As ações foram articuladas tendo
como público alvo crianças das escolas adstritas às Unidades de Saúde da Família foram
abordados temas referentes à saúde bucal, à prática de hábitos de higiene pessoal e à
importância da alimentação saudável. Foram usados como recursos: brincadeiras, filmes
educativos e escovação supervisionada. A presença de uma equipe multiprofissional,
formada por médicos, enfermeiros, cirurgiões-dentistas e agentes comunitários de
saúde, desencadeou uma inter-relação entre os seus saberes, demonstrando como os
diferentes profissionais da saúde podem construir conhecimentos e práticas educativas
satisfatórias no âmbito da Atenção Básica.
Emprego da Cintilografia em Odontologia: um Exame Auxiliar no Diagnóstico de
Sialodenites
Juliana Cipriano de Carvalho
Márcia Naciele Oliveira
Kênya Jerônumo Silva
Thais Marques Mafra
Leite de Castro
Elaine Judite de Amorim Carvalho
A cintilografia de glândulas salivares é um exame da medicina nuclear que tem a
finalidade de avaliar a função das glândulas e detectar possíveis obstruções dos canais
salivares. Esta técnica vem sendo de grande importância como exame complementar
para o diagnóstico de sialodenite, uma alteração caracterizada pela inflamação das
glândulas salivares cuja origem pode ser infecciosa ou não infeciosa, tais como doenças
auto- imunes, que causam a diminuição de sua função e secura na boca pela diminuição
da produção de saliva ou pela obstrução dos canais que transportam a saliva. É um
exame de simples aplicação, indolor, não invasivo, com duração de 20 (vinte) a 30
(trinta) minutos, com ausência de reação alérgica, permitindo o estudo da fisiologia da
glândula e a possibilidade de diagnóstico precoce. O procedimento consiste na
administração injetável de uma pequena quantidade de traçador radioativo em que o
radiofármaco injetado é primeiro, concentrado e depois eliminado pelas glândulas
salivares, o que permite avaliar a função e excreção do radiotraçador pelas glândulas
salivares. Pode-se concluir que a cintilografia, apesar de não ser um método usado na
rotina da odontologia, sua aplicação vem se tornando mais frequente na área de
diagnóstico bucal, sendo bem empregadas no caso de sialodenites.
Anais do Concurso de Painéis Científicos do 22º CIORJ
Página 259 de 431
ANAIS 22º CIORJ
ANAIS 22º CIORJ
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
TÍTULO
AUTOR
CO AUTORES
ORIENTADOR
RESUMO
Painéis de Revisão
Sensibilidade Dentinária
Juliana Cristina Peixoto Conceição
Gabriela Mendonça de
Rafael Antônio de Oliveira
Luciana Silva Regueira
Luna
Ribeiro
Liriane Baratella Evêncio
A sensibilidade dentinaria consiste na capacidade da dentina responder a estímulos
térmicos, mecânicos, químicos e biológicos mediante a sensação dolorosa. Entretanto,
pouco se sabe sobre o mecanismo como estas sensações acontecem. Hipóteses acerca
da percepção desses estímulos têm sido sugeridas na literatura como: presença de
terminações nervosas; propagação de impulsos nervosos pelos odontoblastos e
movimento de fluido no interior dos túbulos dentinarios. A presença de canais TRP
termo sensíveis nos odontoblastos é uma nova fonte de resposta para a sensibilidade
dentinaria em que estas células funcionariam como receptores sensoriais. Subtipos
dessa família de canais estão relacionados de forma específica com cada variante de
estímulo a que é submetida a dentina. Assim sendo, o objetivo deste trabalho foi
descrever os mecanismos biológicos pelos quais a dentina percebe e responde às
diferentes influências do meio para compreensão da sensibilidade dentinária através de
revisão de literatura em artigos publicados nos últimos 10 anos. Concluiu-se que apenas
um mecanismo não é suficiente para explicar a sensibilidade da dentina como um todo,
mas sim uma associação entre vários fatores e teorias já propostas em estudos
precedentes.
Análise de Diferentes Técnicas Utilizadas para Reconstrução de Maxila Atrófica: Revisão
de Literatura
Juliana das Neves Marques
Elson Braga de Mello
Osmar de Agostinho Neto
Jeter Bochnia
A reabilitação oral de pacientes que possuem maxila atrófica vem sendo bastante
abordada na literatura ao longo dos anos. Diferentes materiais e técnicas são utilizados
atualmente visando à recuperação do tecido ósseo para a instalação de implantes
ósseointegrados, tais como: enxertos ósseos autógenos (quando são do próprio
indivíduo), homólogos (geneti