Grupo Visabeira - Presentation [Mode de compatibilité]

Сomentários

Transcrição

Grupo Visabeira - Presentation [Mode de compatibilité]
1
VISABEIRA GLOBAL
> Telecomunicações | Energia | Tecnologia |Construção
VISABEIRA INDÚSTRIA
> Cerâmica e Cristal | Cozinhas | Recursos Naturais
VISABEIRA TURISMO
> Hotelaria | Entretenimento & Lazer | Restauração
VISABEIRA IMOBILIÁRIA
> Comércio | Residencial | Gestão e Serviços
VISABEIRA PARTICIPAÇÕES
> Trading | Saúde | Serviços e Investimentos
Devido à sua dimensão e variedade dos campos de actuação,
o Grupo Visabeira estruturou um universo de mais de 70
empresas em cinco sub-holdings
Com competências comprovadas em diversos domínios
e uma oferta alargada de marcas e produtos, o Grupo
prossegue a sua expansão, apostando na qualidade,
na inovação como factores de competitividade.
Visabeira Global SGPS, SA
Visabeira Indústria SGPS, SA
/ Mais de 7.000 colaboradores
Visabeira Turismo SGPS, SA
Visabeira Imobiliária SGPS, SA
Visabeira Participações SGPS, SA
/ Produtos vendidos em mais de 50 países, em
todos os continentes
3
Números
12%
21%
523
61
510
66
54
465
2009
2010
milhões de euros
Volume de negócios por Sub-holding
2011
VN
2009
2010
2011
EBITDA
milhões de euros
Volume de negócios por país
4
A Internacionalização no Grupo Visabeira
Importância
► A internacionalização do Grupo Visabeira, quer pela sua vertente exportadora quer
pela presença activa e consolidada nos mercados externos, tem permitido à empresa
crescer e aumentar a sua rentabilidade.
Crescimento
► Em 2006 o volume de negócios da área internacional representou 19% do total. Em
2011 este valor chegou quase aos 40%.
Rentabilidade
► Em 2006 os mercados externos representavam 25% do EBITDA do Grupo Visabeira.
Em 2011, este valor chegou quase aos 45%.
Caracterização
► Do Volume de Negócios proveniente da internacionalização cerca de 2/3
correspondem à facturação das subsidiárias do Grupo Visabeira no exterior e 1/3 à
actividade de exportação.
► As exportações do GV incorporam cerca de 90% de factores de produção nacionais.
5
A Internacionalização como Factor de Competitividade
Crescimento no mercado doméstico muito limitado:
► Procurar oportunidades em economias de forte crescimento. É o caso de
Moçambique e Angola que actualmente representam 10% e 8% do volume de
negócios do grupo.
► Procurar mercados em que há sectores que crescem mais do que a
economia: Caso das telecomunicações em França e Bélgica que já
representam 12% das vendas
Diversificação:
► Estar presente em várias geografias: Diminuição do risco do negócio uma
vez que os diferentes estádios das economias permitem um fluxo de cash flow
continuo, ou seja, os cash flows dos negócios em crescimento compensam os
cash flows dos negócios com menos crescimento.
► No caso do GV a diversificação faz-se também pelo negócio.
6
Motivos para a Internacionalização
Factores Económicos
Factores Empresa
•
Estagnação da
economia
•
Excesso de capacidade
produtiva
•
Falta de liquidez para
financiamento
•
Disponibilidade de RH
qualificados
•
Aumento dos
indirectos custos de
produção
(electricidade, gás,
transportes)
•
Focalização na rentabilidade
•
Custos de contexto
(Burocracia,
morosidade na decisão
das autoridades
governamentais)
Mercados Externos
•
Crescimento económico
•
Vantagem competitiva do
negócio
•
Disponibilidade de
financiamento local
EXPORTAR
INTERNACIONALIZAR
7
Principais Obstáculos ao Processo de
Internacionalização
► Pequena escala das nossas empresas quando competem no mundo global
► Dificuldade das empresas portuguesas trabalharem de forma concertada nos
mercados internacionais
► Marca "Portugal" desvalorizada no momento actual
► Inexistência de linhas de crédito públicas que suportem arranque de projectos
internacionais
► Inexistência de incentivos fiscais ou outros dedicados a empresas exportadores
(de serviços ou produtos)
8
Internacionalização: Estratégia
Exportação do modelo de
negócios doméstico com
uma postura multinacional
através da criação de
empresas no exterior
Estabelecimento de parcerias
com empresas locais adoptando
o modelo de negócio à cultura
local.
Criar massa crítica para ter um
posicionamento global no
mercado através de crescimento
orgânico
e de aquisições selectivas.
Transferência de tecnologia
e know-how.
9
Estratégia de Internacionalização: Implementação
Passo 1
Passo 2
Passo 3
Visita
Abordagem do mercado
Primeiros contactos
Negócio ocasional
Antena
Primeiros negócios
Teste do mercado
Agente
Presença regular no
mercado
Passo 4
Filial Própria
Passo 5
Estabelecimento
Local
Autónomo
É viável estabelecer
outras unidades de
negócio?
Presença consolidada
no mercado
Quota de mercado
apreciável
Produção local
10
Aspectos a ter em conta numa estratégia de
internacionalização (1/2)
► Económico e Financeiros:
Recolher informação sobre a economia do país e sector onde se vai operar: através
dos bancos com que se trabalha, AICEP, outras empresas já implantadas no mercado
Elaborar um plano de negócios: É essencial haver um planeamento eficaz da actividade.
É necessário que seja realista. As empresas devem estar preparadas, tanto
financeiramente como em termos de recursos humanos para esperar 2-3 anos até obter
resultados positivos;
► Operacionais:
Recursos Humanos: É preciso que se enviem quadros técnicos qualificados, que se
adaptem ás características dos países e ao seu modo de trabalhar;
Estrutura de Apoio: estrutura em Portugal deverá dar todo o apoio á estrutura
internacional. As pessoas que estão lá fora, têm de se focar no que é principal da sua
actividade;
11
Aspectos a ter em conta numa estratégia de
internacionalização (2/2)
► Legais:
Legislação laboral: Restrições existentes à contratação de pessoal estrangeiro existentes
no País; Procedimentos para a legalização da contratação de pessoal estrangeiro; Direitos
laborais (salário mínimo nacional; férias, etc);
Legislação sobre investimento estrangeiro e benefícios associados: Termos da
estruturação do investimento estrangeiro no país alvo e procedimentos da sua aprovação;
Termos de elegibilidade do investimento estrangeiro a benefícios fiscais, cambiais e de
outra natureza.
► Fiscais:
Regime contributivos (Segurança Social): Contribuições obrigatórias entidade
empregadora/trabalhador para sistemas de segurança social que possam existir no país;
Enquadramento dos trabalhadores estrangeiros em face de tal regime (obrigatoriedade, ou
não, de haver contribuições);
Transferência de capitais: Restrições à transferência de fundos para o exterior;
Procedimentos existentes que possam legitimar tal transferência (seja ao nível de
dividendos, suprimentos, assistência técnica,…);
Regime aduaneiro: Procedimentos e custos inerentes à entrada e saída de bens no país
objecto do investimento.
12
Case Study de Internacionalização: Moçambique
1990:
Entrada no mercado através da Televisa, empresa de engenharia de redes de telecomunicações
em parceria com a TDM;
1992:
Presença no mercado de construção civil e obras públicas através da Sogitel
1994:
Entrada no negócio do turismo através da Turvisa
1994:
Criação da Imovisa, empresa especializada na gestão imobiliária
1996:
Constituição do 1º operador de TVCABO em África numa joint venture com a TDM
1998:
Aquisição ao Estado da maioria do capital da EMOCAT, no negócio distribuição automóvel, actual
AUTOVISA
2000:
Aquisição ao estado da maioria do capital da HIDROMOC, actua na área da construção e
manutenção sistemas hidráulicos, actualmente Hidroáfrica
2007:
Fundação da Eletroctec, em parceria com a Intelec, empresa especializada em engenharia de
infra-estruturas eléctricas.
2010:
Banco Único, entrada no sector bancário
2011:
Criação da Visaqua, empresa dedicada ao tratamento e abastecimento de água em Maputo
2012:
EDIVISA (Moçambique) inicia actividade na construção e reabilitação de linhas de caminho de
ferro
13
Case Study de Internacionalização: TVCabo
Moçambique
1996:
Constituição do 1º operador de TVCABO em África numa joint venture com a TDM.
1999:
Início da operação comercial com a ligação dos primeiros Clientes.
2005:
Migração para Televisão Digital. Esta atualização tecnológica aconteceu mais cedo do
que nos principais países Europeus.
2006:
Lançamento do primeiro Serviço de Acesso à Internet com 2Mbps em Moçambique.
2007:
Início da oferta de Serviços Empresariais.
2009:
Acesso à Internet para Clientes Residenciais com débitos até 8Mbps
2010:
Acessos à Internet para Clientes Empresariais com débitos de 10Mbps.
2011:
Início da construção de rede exclusivamente em Fibra Óptica (GPON/FTTH). Expansão
para a cidade da Beira
2012:
Expansão para Nampula, Pemba e Tete
14
Factores Críticos de Sucesso da TVCabo (1/2)
► Visão:
Serviço Premium: A visão da Visabeira, em conjunto com a TDM, de que havia mercado
para um Serviço Premium de TV por assinatura e de Internet de Banda Larga;
► Conhecimentos Técnicos:
Importação de Conhecimento: Replicar em Moçambique o que de melhor se faz nos
outros países;
Salto Tecnológico: Implementação, de raíz, de uma rede de nova geração, sem passar
pelas habituais etapas tecnológicas que geralmente atrasam o processo;
Sinergias: O estabelecimento de parcerias estratégicas com a TDM e a Televisa
► Produtos Oferecidos:
Televisão por Assinatura: Disponibilização, desde o início, de um pacote de conteúdos
atraente para todas as faixas etárias e estratos sociais;
Conteúdos Digitais: Disponibilização de conteúdos digitais, incluindo em Alta Definição
(HD), ainda antes que nos principais países Europeus de referência. A oferta atual inclui
mais de 200 canais de todo o mundo;
Internet de Banda Larga: Massificação do serviço de acesso à Internet, usando tecnologia
de ponta, de forma acessível. Na oferta atual encontram-se produtos desde os 512Kbps até
15
aos 20Mbps, incluindo serviços simétricos dedicados para Empresas.
Factores Críticos de Sucesso da TVCabo (2/2)
► Incentivos ao Investimento estrangeiro (CPI):
Benefícios Aduaneiros e Fiscais: Isenção de direitos aduaneiros na importação de
equipamentos para o projeto de investimento;
Benefícios Fiscais: Redução da taxa de Imposto sobre os rendimentos, dedução à
matéria colectável através dos gastos com formação de quadros nacionais, Isenção de
imposto sobre capitais próprios ou empréstimos e juros associados ao projeto de
investimento.
Transferência de capitais: facilidade na exportação de divisas.
16
17
Moçambique em Números
29%
48
68%
49
51
11
11
2009
2010
10
40
6
2008
2009
2010
2011
VN
milhões de euros
2008
2011
EBITDA
milhões de euros
Volume de negócios por área de negócio
18
Maio 2012
19

Documentos relacionados

Apresentação Visabeira

Apresentação Visabeira Crescimento das primeiras empresas / unidades de negócios • Prestação de serviços complementares ao core business Projecto e desenvolvimento de redes e sistemas

Leia mais

Grupo Visabeira

Grupo Visabeira Turismo Montebelo – Hotelaria e golfe Movida – Desporto, lazer e bem-estar Ródia – Restauração e animação

Leia mais

Grupo Visabeira

Grupo Visabeira A GRUPO VISABEIRA SGPS tem sede em Viseu, Portugal, e foi constituída em 1989, após nove anos de expansão da actividade do Grupo. O Grupo Visabeira iniciou a actividade na área da prestação de serv...

Leia mais