Manual G e C

Сomentários

Transcrição

Manual G e C
UMA NOVA DIMENSÃO
GE
Manual G
eC
A solução global para implantologia.
2
Agradecemos pela confiança
em escolher trabalhar com a nossa solução
de implantes A.
Para sua segurança e conforto, nossos produtos foram criados
exclusivamente a partir das mais recentes descobertas em ciência e
prática clínica.
A variedade A é o resultado de atenta colaboração de nosso comitê
de experientes especialistas em implantologia e nossa equipe de P&D. É
ao mesmo tempo simples de usar e possui um alto desempenho do ponto
de vista estético e biomecânico.
Este documento contém a maioria das informações necessárias para o uso
do implante A em protocolos cirúrgicos e restaurações protéticas
que são específicas ao sistema, com uma completa lista de componentes.
Algumas dicas importantes para o uso correto estão incluídos como
lembretes!
Favor ler este documento inteiro antes da colocação de qualquer
implante G e C.
Sucesso para você significa sucesso para nós. Nossa equipe de marketing
e especialistas está totalmente disponível para fornecer quaisquer
informações que possa precisar.
De toda a equipe Anthogyr.
Escopo
O sistema A foi exclusivamente planejado para substituir dentes faltantes. Possibilita o
posicionamento de uma ou mais raízes, sobre a qual próteses dentárias são fixadas e/ou estabilizadas.
O sistema permite que restaurações unitárias, múltiplas ou completas sejam realizadas.
3
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
Cuidados e recomendações
As instruções contidas neste documento descrevem as diferentes fases do procedimento cirúrgico e da restauração protética a serem seguidas para o
sistema A. Algumas características específicas para inserir os dispositivos implantáveis são relembradas com mais informações. Este documento
não é, de maneira alguma, uma publicação exaustiva sobre a prática protética e de implantação, ao que o leitor tem todo o direito de reclamar.
Treinamento:
Os componentes A somente devem ser implantados por especialistas treinados em implantação e/ou técnicas protéticas e equipados para este tipo
de procedimento, capazes de garantir um nível suficiente de higiene durante toda a duração do procedimento. O conhecimento correto de técnicas e
próteses cirúrgicas é necessário para o uso deste sistema. Treinamento específico é oferecido e disponibilizado na Empresa Anthogyr.
A técnica cirúrgica e protética para o sistema A é realizada exclusivamente em conjunção com os componentes e instrumentos originais, de acordo
com as recomendações do fabricante. A Anthogyr não pode se responsabilizar por uma implantação que não segue as recomendações deste manual
ou pelo uso de implantes, estruturas protéticas ou instrumentos de forma distinta à prevista no sistema.
As peças não são intercambiáveis com outros sistemas de implantes.
Em caso de incerteza, o usuário deve contatar a empresa Anthogyr antes do uso.
Equipamento:
O profissional que usa o sistema é responsável pelos procedimentos de acompanhamento e manutenção necessários para identificar e tratar quaisquer
complicações o mais cedo possível (e por assegurar o uso dos produtos de maneira correta e segura).
As referências e os números de lote de todos os componentes implantados, temporária e/ou definitivamente, devem ser registrados no arquivo médico
do paciente.
O acompanhamento e a manutenção são parte do conhecimento do especialista treinado na colocação de implantes dentários.
Os especialistas podem, por exemplo, consultar o relatório “implantologia oral” da Association Dentaire Française 2003.
A avaliação clínica do paciente e a escolha da solução de tratamento são de responsabilidade exclusiva do cirurgião dentista. Os pacientes também devem
ser informados de riscos potenciais associados à implantação deste tipo de dispositivo: edema, hematoma, hemorragia, complicações paradentárias,
danos permanentes ou temporários nos nervos, infecções ou inflamações locais ou sistêmicas, fraturas ósseas, afrouxamento ou fratura do implante,
deiscência, problemas estéticos, aspiração ou ingestão de dispositivos, trauma iatrogênico, etc.
O especialista também é responsável por definir as diferentes configurações para seu equipamento (velocidade de rotação do instrumento, taxa de fluxo
de irrigação, etc.), de acordo com cada caso clínico, e por confirmar se estão em boas condições antes de cada procedimento.
Os instrumentos reutilizáveis devem ser limpos, descontaminados e esterilizados antes de cada uso (mesmo o primeiro uso) de acordo com os protocolos
atuais em hospitais e clínicas. A organização da sala de operações, preparação dos funcionários envolvidos na cirurgia e do paciente (pré-medicação,
anestesia, etc.) devem seguir os procedimentos atuais e são de responsabilidade do especialista.
Este produto deve ser manuseado e utilizado pelo usuário sob a obrigação de garantir pessoalmente que o produto seja adequado para seu uso.
A Anthogyr não pode, sob circunstância alguma, ser responsabilizada por qualquer dano resultante do manuseio ou uso inadequado.
Para evitar a ingestão ou inalação de pequenos componentes, é recomendado que os mesmos sejam deixados em local seguro, fixando-os fora da boca
com um fio de sutura ou colocando uma compressa dentro da boca, que deve ser mantida no lugar com um fórceps durante a manipulação.
Sempre que um instrumento for trocado, confirmar se o contra-ângulo ou a chave estão corretamente fixados aplicando uma leve tração e garantindo
que cada peça esteja corretamente fixada no sistema de transferência fora da cavidade oral.
Conservação:
Na fabricação de nossos produtos, demos atenção especial e garantimos que o controle de fabricação foi realizado em todos os produtos disponíveis para
a venda. Para garantir sua integridade, é recomendável que sejam armazenados na embalagem original, a temperatura ambiente entre 15 e 30ºC, longe
de umidade e luz solar direta.
Proteger as embalagens contra poeira e não armazená-las nos mesmos lugares de solventes e/ou tintas contendo solventes ou produtos químicos.
Conforme prescrito na etiqueta de rastreabilidade, os produtos devem ser utilizados antes de sua data de vencimento.
Se a embalagem (blister/bolsa) estiver danificada ou apresentar um defeito aparente quando o produto for aberto, é vital que o não se utilize o produto e
que a natureza do defeito, números da peça e lote dos componentes envolvidos sejam informados ao distribuidor ou à Anthogyr.
As especificações técnicas contidas neste manual são fornecidas apenas para fins indicativos e não podem ser o objeto de uma reclamação.
As instruções de uso ora contidas somente podem ser reproduzidas ou disseminadas com a aprovação prévia da Anthogyr.
A Anthogyr reserva-se o direito de variar a característica técnica de seus produtos e/ou fazer mudanças ou melhorias no sistema A sem
notificação prévia.
Esta brochura invalida e substitui todas as versões prévias.
4
TABELA DE C ONTEÚDOS
1. A, uma nova dimensão
6
2. Protocolos Cirúrgicos
A/ GAMA DE IMPLANTES G E C
7
B/ KIT CIRÚRGICO COMUM G E
8
C/ PROTOCOLO CIRÚRGICO G
9
D/ PROTOCOLO CIRÚRGICO C
12
14
E/ POSICIONAMENTO DOS IMPLANTES G E C
15
F/ FECHAMENTO DO IMPLANTE
19
16
G/ KIT DE STOP AXIOM G E C
20
3. Protocolos protéicos
A/ “PERFIL DE EMERGÊNCIA CONSTANTE” DO IMPLANTE A
22
B/ FAMÍLIAS DOS COMPONENTES PROTÉTICOS
23
C/ PILARES TEMPORÁRIOS (ESTÉREIS)
24
D/ PILARES ESTÉTICOS DE TITÂNIO (NÃO ESTÉREIS)
26
E/ PILARES DE ZIRCÔNIA (NÃO ESTÉREIS)
28
F/ PILARES STANDARD DE TITÂNIO (ESTÉREIS)
30
G/ PILARES CALCINÁVEIS COM BASE DE OURO (NÃO ESTÉREIS)
32
H/ PILARES RETRABALHÁVEIS (NÃO ESTÉREIS)
34
I/ PILARES CÔNICOS (ESTÉREIS)
36
J/ SISTEMA pacific (NÃO ESTÉREIS)
40
K/ PILARES LOCATOR® (NÃO ESTÉREIS)
42
L/ KIT PROTÉTICO COMUM G E C
45
5
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
4. Limpeza e esterilização
A/ INFORMAÇÕES GERAIS
46
B/ PRODUTOS
47
C/ PROTOCOLOS
48
5. Desmontagem - Montagem
A/ KIT INSTRUMENTAL
50
B/ CATRACA DE INSERÇÃO DE IMPLANTE REVERSÍVEL REF IN CC
51
C/ TORQUÍMETRO REF. IN CCD
51
6. Retrabalhando uma implante G E C
52
7. Referências
A/ IMPLANTES G E C
54
B/ SURGICAL INSTRUMENTS
56
C/ PROSTHETIC COMPONENTS
60
D/ PROSTHETIC INSTRUMENTS
71
Explicações, símbolos e diagramas das etiquetas
Produto esterilizada
por irradiação gama
Não esterilizado em autoclave
Número do lote de
fabricação do Produto
Não reutilizar, produto de
uso único (descartável)
Numero de referência
comercial do Produto
Proteger da luz
Data de fabricação
do Produto
Não utilizar se a embalagem
estiver danificada
Data de vencimento
do Produto
Atenção: observar
instruções de uso
Armazenar à seco, em umidade
relativa entre 30 e 70%
30°C
Limite de temperatura de 15 a 30ºC
15°C
Produto não estéril
Fabricante
Esterilizado em autoclave
fora da embalagem
Produto médico Classe I ou
Classe IIa/IIb, em cumprimento
com a Diretiva Européia 93/42/EEC
6
1. A uma nova dimensão
A Filosofia do sistema A é baseada em um implante e
um design protético que permite uma excelente estabilidade
óssea e tecidual.
w Conexão estável e hermeticamente selada
w Estabilidade tecidual e preservação do espaço biológico
w « Plataforma Switching »
w Tratamento de superfície ósseocondutivo BCP®
G e C permitem restaurações parafusadas
ergonômicas:
w Solução adaptada a todas as situações clínicas
w Kit cirúrgico comum para os implantes GE com os
protocolos adaptados para cada tipo de implante.
w Gama protética comum para o GE
*A REGULAR
2. Protocolos Cirúrgicos
O sistema de implante A foi desenvolvido para aprimorar a integração funcional e estética de
restaurações com implantes. O design dos implantes, bem como dos pilares, permite preservar os
tecidos adjacentes ao implante. A interface implante-pilar é capaz de suportar cargas oclusais sem
qualquer risco de dano à restauração ou gerar picos de estresse perigosos ao nível da interface
protética.
7
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
A. GAMA DE IMPLANTES G E C
1. Indicações clínicas e densidades ósseas
Os implantes G podem ser utilizados numa ampla gama de indicações clínicas, independente da
densidade óssea.
Os implantes C são indicados para a colocação de implantes pós-extração e ossos de baixa densidade
(excluído ossos tipo D1).
E
IMPLANTS
DENSIDADE ÓSSEA
D1
D2-D3
D4
G
OK
OK
OK
C
CONTRA-INDICADO
OK
OK
2. Os implantes C E G são fabricados com Titânio Medicinal grau V, um material biocompatível e de
alta resistência (de acordo com a norma americana ASTM F136 e a norma ISO 5832-3). Possem também uma
superfície ósseo-condutora tratada com o jateamento de superfície BCP®.
3. Posicionamento subcrestal dos implantes G e C
Os designs dos impantes G e C (com conexão estável e selada, « Plataforma Switching »,
Tratamento de superfície BCP®) permite um posicionamento subcrestal, a chave para a preservação tecidual na
questão estética.
Os protocolos cirúrgicos do G e do C levam em conta um « posicionamento subcrestal de dos
implantes de 0,5mm ». Quando for notada uma pequena altura gengival ou em caso de significativas questões
estéticas com alturas ósseas suficientes, o usuário poderá aprofundar o implante sem comprometimento da
estabilidade óssea e tecidual. O gerenciamento da manutenção do tecido mole será facilitada.
4. CONEXÃO PROTÉTICA ÚNICA
Devido à sua conexão protética única (diâmetro: 2,7 mm) a gama protética A é compatível tanto com os
implants G e C, independentemente do pilar e do diâmetro do imlante escolhidos.
CONEXÃO ÚNICA
Ø 2.7
Ø 3.4
Ø 4.0
Ø 4.6
G
Ø 5.2
SIMPLICIDADE
Uma conexão, comum para os
imlantes G e
C. .
Ø 3.4
Ø 4.0
Ø 4.6
C
Ø 5.2
8
B. KIT CIRURGICO COMUM: G E C
NOVO!
Kit cirúrgico A comum e compacto
G e C = Simplicidade e Praticidade
Extensor de mandril,
Adaptador de mandril,
Chave protética para
contra-ângulo,
Chave manual
Guias de paralelismo
Guia medidor de fresagem
Chaves e mandris de
montagem do implante
Rosqueadores
Fresas curtas
Broca esférica,
Broca Lança
Catraca Cirúrgica
reversível
w Protocolos adaptados a cada implante
w Flexibilidade de uso: Escolha do tipo de implante dependerá da situação clínica.
Fresas longas
9
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
C. PROTOCOLO CIRÚRGICO DO IMPLANTE G
1. Fases cirúrgicas
1
MARCAÇÃO
2
3
PERFURAÇÃO
Broca esférica / Broca Lança
1 500 rpm
Fresa inicial Ø 2,0 mm
1 500 rpm
5
4
APERTO
Colocação do implante
25 rpm
CIRURGIA DE DOIS ESTÁGIOS
PERFURAÇÃO
Sequências de fresagem
1 000 rpm
É para ser estabelecido um
plano de tratamento antes
de cada colocação do implante.
Este plano deve incluir um
período de cicatrização que
pode ser reavaliado durante
o processo da cirurgia,
se necessário.
ROSQUEAMENTO
Rosqueamento final
20-25 rpm
CIRURGIA DE UMA ETAPA
CARGA IMEDIATA
Posicionamento do
parafuso de cicatrização
5-10 N.cm
Posicionamento do pilar
1. Posicionamento do
parafuso de cobertura
5-10 N.cm
ou
ou
2. Posicionamento do
parafuso de cicatrização
Temporário
5-10 N.cm
Standard
Pilar Cônico
2. Gama de implantes G
w Implantes curtos de 6.5 e 8.0 mm: ideais para utilização em cristas ósseas de altura limitada
w Rosca = 0.8 mm.
O diâmetro e altura dos implantes a serem utilizados devem ser determinados no planejamento da cirurgia pelo dentista,
dependendo da situação clínica. A colocação de implantes de 3,4 mm é contra-indicada em regiões de molar.
Ø 3.4 mm
(1)
8 mm
10 mm
12 mm
14 mm
16 mm (2)
18 mm (2)
Ø 4.0 mm
(1)
6.5 mm
8 mm
10 mm
12 mm
14 mm
16 mm (2)
18 mm (2)
Ø 4.6 mm
(1)
6.5 mm
8 mm
10 mm
12 mm
14 mm
Ø 5.2 mm
(1)
6.5 mm
6.5 mm 8 mm
8 mm10 mm
10 mm12 mm
12 mm14 mm
14 mm
(1) Identificação por código de
cores para tipos de implantes
repetidos nos instrumentos
auxiliares e embalagens.
(2) Alturas 16 mm e 18 mm
disponíveis em 2013.
10
3. Especificações técnicas
a. Código dos implantes
Referência
Código
do implante
OP
34
46
40
120
46
52
060
080
100
120
140
160
180
Comprimento
do implante
Ø implante
b. Profundidade de fresagem
O protocolo de colocação do G permite um « posicionamento subcrestal do implante ». Este posicionamento não
apenas permite um fase ósseo-integração livre de qualquer micro-movimentação, mas também uma preservação
estética do tecido mole.
O protocolo cirúrgico do G leva em conta uma sobrefresagem apical de 0,5mm.
O dentista poderá aprofundar mais o « posicionamento subcrestal » afim de otimizar a estética dos tecidos moles.
AVISO!
O tipo do(s) implante(s) deve ser pré-definido na planificação do tratamento.É entregue um filme transparente radiográfico de
calibração* para seleção do diâmetro e altura do implante de acrodo com a disponibilidade óssea.
*O filme também leva em consideração a profundidade da fresagem asociada.
Quando seleciona o implante, leve em consideração a profundidade da fresa +0,5 a 0,6 mm da ponta adicionada a 0,5 mm ao
posicionamento subcrestal. Estas profundidades adicionais estão indicadas nos filmes de calibração.
Devido ao formato auto rosqueante da região apical, as lascas de ossos podem ser retiradas, evitando uma supra compressão apical.
Precisão do filme de calibração: +/- 2%
Não utilize o filme de calibração se ele estiver danificado (impressão pobre, manchado...)
Profundidade
de fresagem (mm)
19.0
PROFUNDIDADE DE FRESAGEM =
TAMANHO DO IMPLANTE + 1 MM
17.0
15.0
0.5 mm
13.0
Borda teórica da crista óssea
Posição subcrestal
11.0
Ø 4.0 x 10 mm
9.0
7.5
0.5
0.0
Fresa
Medidor
Fresa
de profundidade
Fresa
Rosqueador
opcional
11
AU M A
ALT. 1 : TÉCNICA COM RETALHO
N O V A
D I M E N S Ã O
ALT. 2 : TÉCNICA SEM RETALHO
Permite ver o osso alveolar e os obstáculos
anatômicos.
Leitura direta das marcas dos perfuradores em
correlação com a borda da crista óssea.
Permite visualizar o posicionamento subcrestal
de 0,5 mm do implante.
Preservação periostal.
Avaliação radiográfica do volume ósseo e
medidas recomendadas.
Limite da crista óssea não é visível: necessidade
da pré-medição de espessura do tecido mole.
Informar a espessura do tecido mole no
instrumento de perfuração a fim de preparar a
adequação do local do implante.
4. Sequências de perfuração G
Antes do primeiro uso e após cada cirurgia, todos os componentes devem ser descontaminados e esterilizados de
forma meticulosa seguindo as recomendações do fabricante. Para um alto desempenho e resultados clínicos
excelentes, recomendamos que todos os instrumentos cortantes (fresas, rosqueadores, alargadores...) sejam
limitados a 20 usos. Eles devem ser utilizados sob irrigação externa.
Antes da cirurgia
Cada instrumento terminal específico a um diâmetro de implante pode ser identificado pelo código de cor.
Os instrumentos devem ser utilizados na ordem cronológica mostrada abaixo.
Todas as fresas e alargadores estão disponíveis em 2 comprimentos (S e L).
G
G
G
G
1
2
3
4
5
Fresa Ø 2.0
Fresa Ø 2.4 / 3.0
-
Fresa Ø 2.0
Fresa Ø 2.4 / 3.0
Fresa Ø 3.0 / 3.6
-
Fresa Ø 2.0
Fresa Ø 2.4 / 3.0
Fresa Ø 3.0 / 3.6
Fresa Ø 3.6 / 4.2
-
Fresa Ø 2.0
Fresa Ø 2.4 / 3.0
Fresa Ø 3.0 / 3.6
Fresa Ø 3.6 / 4.2
Fresa Ø 4.2 / 4.8
Opcional*
Rosqueador Ø 3.4
Rosqueador Ø 4.0
Rosqueador Ø 4.8
Rosqueador Ø 5.2
Passos
Ø 3.4 mm
Ø 4.0 mm
Ø 4.6 mm
Ø 5.2 mm
Utilização do rosqueador é opcional. Recomendado para ossos do tipo D1 ou por decisão do profissional.
12
D. Protocolo Cirúrgico C
O implante C foi desenvolvido para indicações de pós extrações e ossos de baixa densidade.
O implante C é Contra indicado para ossos do tipo D1.
O protocolo de coocação do C requere alto expertise em implantodontia.
1. Fases cirúrgicas
1
MARCAÇÃO
2
Round bur /Pointer drill
1 500 rpm
FRESAGEM
Fresa inicial 2 mm
1 500 rpm
4
3
FRESAGEM
Sequência de fresagem
1 000 rpm
APERTO
Colocação do implante
15 rpm
CIRURGIA EM 2 ETAPAS
1. Posicionamento do
parafuso de cobertura
5-10 N.cm
CIRURGIA EM UMA ETAPA
CARGA IMEDIATA
Posicionamento
do parafuso de cicatrização
5-10 N.cm
Posicionamento do pilar
or
or
2. Positioning the
healing screw
5-10 N.cm
Temporario
Deve ser estabelecido um plano de tratamento para cada
implante colocado. Este plano deverá incluir um período
de cicatrização, que poderá ser reavaliado durante o
processo cirúrgico se necessário.
Standard
Pilar Cônico
13
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
2. Gama de implantes C
w Implantes curtos de 6.5 e 8.0 mm: ideais para crista óssea limitada
w Rosca=2.0 mm
O diâmetro e tamanho do implante deverá ser determinado de antemão para o dentista, dependendo da situação clínica.
A colocação de implantes de 3.4 mm de diâmetro é contra indicada em região de molares.
Ø 3.4 mm
(1)
Ø 4.0 mm
8 mm
10 mm
12 mm
14 mm
16 mm
18 mm
(1)
Ø 4.6 mm
(1)
8 mm
10 mm
12 mm
14 mm
16 mm
18 mm
Ø 5.2 mm
(1)
6,5 mm
8 mm
10 mm
12 mm
14 mm
6,5 mm
6.5 mm 8 mm
8 mm10 mm
10 mm12 mm
12 mm
14 mm
(1) Os mesmos códigos de cor
dos tipos de implante se repetem
nos instrumentos e nas
embalagens
3. Especificações técnicas C
a. Código do implante
Referência
Código
do implante
PX
34
46
40
120
46
52
060
080
100
120
140
160
180
Tamanho
do implante
Ø implante
b. Profundidade de fresagem
O protocolo de colocação do C permite um « posicionamento subcrestal do implante ». Este posicionamento
não apenas permite um fase ósseo-integração livre de qualquer micro-movimentação, mas também uma preservação
estética do tecido mole.
O protocolo cirúrgico do C leva em conta uma sobrefresagem apical de 0,5mm.
O dentista poderá aprofundar mais o « posicionamento subcrestal » afim de otimizar a estética dos tecidos moles.
AVISO!
O tipo do(s) implante(s) deve ser pré-definido na planificação do tratamento.É entregue um filme transparente radiográfico de
calibração* para seleção do diâmetro e altura do implante de acrodo com a disponibilidade óssea.
*O filme também leva em consideração a profundidade da fresagem asociada.
Quando seleciona o implante, leve em consideração a profundidade da fresa +0,5 a 0,6 mm da ponta adicionada a 0,5 mm ao
posicionamento subcrestal. Estas profundidades adicionais estão indicadas nos filmes de calibração.
Devido ao formato auto rosqueante da região apical, as lascas de ossos podem ser retiradas, evitando uma supra compressão apical.
Precisão do filme de calibração: +/- 2%
Não utilize o filme de calibração se ele estiver danificado (impressão pobre, manchado...)
14
Profundidade
de fresagem (mm)
19.0
PROFUNDIDADE DA FRESAGEM=
TAMANHO DO IMPLANTE + 1 MM
17.0
15.0
0.5 mm
13.0
Borda teórica da crista
Posição sub cristal
11.0
Ø 4.0 x 10 mm
9.0
7.5
0.5
0.0
Fresa
Medidor
Fresa
de profundidade
4. Sequência de fresagem C
Antes do primeiro uso e após cada cirurgia, todos os componentes devem ser descontaminados e esterilizados
de forma meticulosa seguindo as recomendações do fabricante. Para um alto desempenho e resultados clínicos
excelentes, recomendamos que todos os instrumentos cortantes (fresas, rosqueadores, alargadores...) sejam
limitados a 20 usos. Eles devem ser utilizados sob irrigação externa.
Para a colocação do implante C em ossos de baixa e média densidade, nós recomendamos uma
sub-fresagem em diâmetro.
Cada instrumento final específico do diâmetro do C pode ser identificado pelo código de cor. Todas as
brocas e alargadores são fornecidos em 2 tamanhos (S e L).
Os instrumentos estão colocados em ordem cronológica.
O protocolo da sequência de fresagem é simplesmente uma recomendação da empresa para a maioria dos
casos encontrados. De acordo com a sua experiência profissional, o dentista pode ajustar a sequência de
fresagem, dependendo da situação clínica, mediante avaliação situacional na inserção do implante.
Passos
1
2
3
4
C
C
C
C
Fresa Ø 2.0
Fresa Ø 2.0 / 2.4
-
Fresa Ø 2.0
Fresa Ø 2.4 / 3.0
-
Fresa Ø 2.0
Fresa Ø 2.4 / 3.0
Fresa Ø 3.0 / 3.6
-
Fresa Ø 2.0
Fresa Ø 2.4 / 3.0
Fresa Ø 3.0 / 3.6
Fresa Ø 3.6 / 4.2
Ø 3.4 mm
Ø 4.0 mm
Ø 4.6 mm
Ø 5.2 mm
AVISO!
É contra indicada a colocação do implante C em ossos do tipo D1
Os rosqueadores não devem ser utilizados na colocação do implante C.
15
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
E. POSICIONAMENTO DO IMPLANTE G E C
Antes de abrir a embalagem, sempre confirmar as dimensões do implante desejado. Consultar a
etiqueta de identificação colorida na aba da caixa de papelão.
G
G
G
G
Ø 3.4 x 8 mm
Ø 4.0 x 10 mm
Ø 4.6 x 12 mm
Ø 5.2 x 14 mm
C
C
C
C
Ø 3.4 x 8 mm
Ø 4.0 x 10 mm
Ø 4.6 x 12 mm
Ø 5.2 x 12 mm
Duas etiquetas de rastreabilidade são fornecidas com a embalagem do implante, e devem ser inseridas no registro
médico do paciente.
1. Abertura da embalagem
O implante é embalado estéril em um tubo com fechamento, colocado estéril em um blister/bolsa.
A esterilização é feita por raios gama.
Nunca re-esterilizar um implante que foi aberto mas não foi usado.
Remover a embalagem blister
da caixa de papelão, longe do
campo estéril.
O disco vermelho no fechamento
é uma garantia da esterilização
da embalagem blister.
Abrir a embalagem com luvas,
sem tocar no interior estéril da
embalagem blister. Colocar o
tubo com fechamento
cuidadosamente no
campo estéril.
16
2. Transporte do implante até a boca
ATENÇÃO!
O manuseio do implante será realizado a fim de evitar qualquer contato direto com a superfície externa do
implante. Certificar-se de que o implante não caia na boca do paciente durante o transporte.
Afrouxar a tampa de fechamento.
Inserir e indexar o mandril do
implante ou a chave do implante
dentro do implante dentro do tubo.
Confirmar se está seguro
aplicando uma leve tração.
Remover o implante do tubo com
o instrumento adequado e soltar
as taças de suporte enquanto
mantém o tubo na outra mão.
3. Inserção do implante
ALT. 1 : COLOCAÇÃO COM O CONTRA-ÂNGULO
ALT. 2 : COLOCAÇÃO MANUAL
Definir a velocidade do contra-ângulo para 25 rpm.
Apertar o implante na profundidade desejada.
Pré-parafusar manualmente o implante na
cavidade do implante usando a chave de
parafusagem. Montar a chave de roquete cirúrgica
e inserir na profundidade desejada.
Velocidades recomendadas para a colocação
do implante:
G 25 rpm, C 15 rpm.
ATENÇÃO!
ATENÇÃO!
Verificar regularmente o torque de aperto
para não exceder 80 N.cm. Não hesitar
em desparafusar e parafusar novamente
durante a inserção do implante para
reduzir as forças de parafusamento.
Cuidado para não aplicar força excessiva
na conexão. Não hesitar em desparafusar
e parafusar novamente durante a inserção
do implante para reduzir as forças de
parafusamento.
17
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
4. Posicionamento subcristal do implante
O protocolo cirúrgico A permite um posicionamento médio ápico-coronal do implante 0,5 mm abaixo da crista.
O posicionamento pode ser levemente adaptado dependendo da demanda estética.
ATENÇÃO!
Profundidade = comprimento do implante + 1 mm
da perfuração
3 mm
2 mm
1 mm
0 mm
0,5 mm reserva apical
0,5 mm abaixo da crista
INDICADOR DE PROFUNDIDADE
POSICIONAMENTO DO IMPLANTE:
As chaves de aperto e mandris são regulados
a fim de facilitar o posicionamento vertical
do implante em caso de cirurgia sem retalhos.
O POSICIONAMENTO SUBCRISTAL DO IMPLANTE PODE SER AJUSTADO
AFIM DE OTIMIZAR A PRESERVAÇÃO DOS TECIDOS MOLES:
Em casos de presença de gengiva fina, o posicionamento do implante pode ser adaptado. É recomendável
aprofundar o implante para antecipar a nova formação do espaço biológico.
18
5. Orientação do implante
O sistema indicador de conexão de três lóbulos permite três posições para os componentes protéticos. O design diferenciado
permite reduzir o tempo de manuseio e o risco de confusão ao inserir os componentes protéticos durante as fases de restauração
protética. Ao mesmo tempo, a conexão de três lóbulos precisa de um posicionamento de orientação perfeita ao fim
da colocação do implante.
ATENÇÃO!
A orientação do implante é a fase principal. Pré-determina a orientação final dos componentes protéticos. Após a
Osseointegração e maturação óssea, a orientação da prótese é irreversível. É, portanto, essencial estabelecer o plano de
tratamento protético antes da cirurgia, principalmente quando forem utilizados os componentes protéticos angulados. A
orientação do imlante dependerá então da solução protética desejada e do tipo componente a ser utilizado.
ORIENTAÇÃO DO IMPLANTE
As chaves de inserção e os mandris possuem 3 faces, cada uma delas possui um
identificador visual (em formato esférico) correspondente ao indexador do implante.
Ao inserir ou retirar o implante, orientar um dos identificadores nas superfícies do
instrumento o mais próximo possível na direção apropriada, dependendo da
restauração protética desejada e da situação na boca.
O identificador escolhido definirá a principal orientação protética dos componentes.
ATENÇÃO!
Durante a orientação angular do implante, inserindo ou retirando, é importante
escolher o identificador localizado mais próximo à orientação final a fim de não
modificar excessivamente o posicionamento ápico-coronal.
A distância máxima do implante a partir da posição vertical entre 2 identificadores
consecutivos é de 0,14 mm.
NOTA: Pilares “try-in” esterilizáveis estão disponíveis e podem
ser utilizadosdurante a cirurgia para verificar e validar o
posicionamento final do implante.
SUPERFÍCIE DE ORIENTAÇÃO
DOS COMPONENTES PROTÉTICOS
19
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
F. FECHAMENTO DO IMPLANTE
1. Cirurgia de duas etapas
POSICIONAMENTO DO PARAFUSO DE COBERTURA E SUTURA
Parafusar manualmente
o parafuso de cobertura
sobre a cabeça do
implante, sem forçar,
usando a chave manual
de inserção de parafuso.
Remover o
parafuso de
cobertura da parte
interna da tampa
do blister com a
chave manual de
inserção de parafuso.
Suturar para colocar
o implante na posição
definida.
Posicionamento do parafuso de cicatrização e sutura: consultar a cirurgia de um estágio.
2. Cirurgia de uma etapa
SELEÇÃO DO PARAFUSO DE CICATRIZAÇÃO / DIÂMETRO DA PRÓTESE / ALTURA DA GENGIVA
É possível selecionar o parafuso de cicatrização dentre 4 perfis de emergência (3,4/4,0/5,0/6,0) de acordo
com o tamanho do dente a ser restaurado.
Parafuso de cicatrização são fornecidos Q
(uso único)
Dente – Adequação de Emergência de Prótese
(altura da gengiva 0,75,1,5, 2,5, 3,5 e 4,5 mm)
Dente
.
Perfil de emergência (mm)
Dia Pescoço
Min.
Max.
Mandibular incisors
Mes-Dist
2.9
4.1
Central max. incisors
Mes-Dist
5.5
7.6
Lateral max incisors
Mes-Dist
4.1
5.2
Max. canine
Mes-Dist
5.3
6.4
Mand. canine
Mes-Dist
4.5
6
1st max. molar
Mes-Dist
7.5
9
1st max pre-molar
Mes-Dist
3.8
5.5
Ø 3.4
Ø 4.0
Ø 5.0
Ø 6.0
PERFIL DE EMERGÊNCIA ANATÔMICO
Os parafusos de cicatrização são
fornecidos em 2 alturas de sutura
e 5 alturas gengivais.
POSICIONAMENTO
DO PARAFUSO DE
CICATRIZAÇÃO
E SUTURA
O parafuso de
cicatrização deverá ser
colocado manualmente,
sem forçar, utilizando
para isto a chave
manual de inserção
de parafuso.
Porção de sutura
1mm ou 2mm
Altura gengival:
0,75, 1,5, 2,5, 3,5, 4,5 mm
Suturar ao redor
do parafuso de
cicatrização,
cobrindo o ombro
da prótese.
20
G. KIT DE STOP DE FRESAS A
1. Kit de stop de Fresas
O kit de stop de fresas contém 24 stops para fresas longas (L) e 12 stops para fresas curtas (S), total 36 stops.
DE
IBILIDA
DISPON FIRMADA
ON
A SER C
Stops para fresas curtas (S)
Stops para freas longas (L)
POSICIONAMENTO DOS STOPS NO KIT:
Confira a posição do stop no kit
(código de cor por o e altura)
Deslise o stop (com o encaixe para baixo)
pelo pino.
21
AU M A
2. Montando o stop nas fresas
N O V A
D I M E N S Ã O
DE
IBILIDA
DISPON FIRMADA
ON
A SER C
Todo stop é codificado por cor para uma fácil
identificação, correspondente ao diâmetro e altura que
correspondem à profundidade de fresagem. Stops
curtos (S) podem ser montados em fresas curtas. Stops
Longos (L) podem ser montados em fresas longas.
Stops Violetas devem ser utilizados nas fresas de:
o2,0mm, o2,4 mm e o3,0 mm.
Stops amarelos devem ser utilizados nas fresas
de o3,6 mm
Stops brancos devem ser utlizados nas fresas
de o4,2mm
Stops azuis devem ser utilizados nas fresas
de o4,8 mm
Confira a orientação do stop conforme a descrição da figura:
Deslise o stop sobre a fresa
Tenha certeza
que o stop está
devidamente
fixado na fresa.
Stop longo
Os stops para fresas curtas S (1) possuem um sulco na sua
circunferência. Eles não podem ser montados nas fresas
longas L.
Também os stops para fresas longas L (2) não possuem
o sulco na sua circunferência e não podem ser montados
nas fresas curtas S.
Stop curto
Sulco
8
S
10
1
10
Exemplo:
Colocação do implante A – altura 10mm.
Marcação À laser:
Marca de referência
Profundidade: 10mm de profundidade: 10 mm
Tamanho da fresa : L
Os stops longos dos kits IN MD OPB32 e IN MOD OPB20 não são compatíveis com fresas S.
L
2
22
3. Protocolos protéticos
A gama protética dos implantes G e C é comum.
Uma ampla variedade de próteses está disponível no sistema de implantologia dentária Axiom®. Isso possibilita
que sejam feitas próteses simples ou múltiplas, cimentadas ou parafusadas, além de próteses do tipo
overdentures.
Com uma conexão protética única (o2,7 mm), a gama protética A e compatível com todos os diâmetro s de
implante G e C.
Para otimizar a questão estética, os pilares estão disponíveis em vários diâmetros de perfis de emergência,
calibrados nos diâmetros dos parafusos de cicatrização.
A tabela anterior, “seleção do parafuso de cicatrização” (veja pag 19) prevê diretrizes para a seleção do diâmetro
adequado.
Alguns componentes protéticos como os pilares standard de titânio (prótese cimentada) e pilares cônicos (prótese
parafusada) são fornecidos estéreis para implantação imediata e final na boca. O manuseio reduzido ajuda não
somente a preservar o tecido peri-implantar, mas também diminui o tempo de tratamento.
A. “PERFIL DE EMERGÊNCIA CONSTANTE” da gama A
IDENTIFICAÇÃO DO PARAFUSO DE CICATRIZAÇÃO (DIA/ALTURAS DE REFERÊNCIA)
Ht. 0.75
Ht. 1.5
Ht. 2.5
Ht. 3.5
Ht. 4.5
O DE
RAFUS A 1 MM
A
P
O
V
NO
ALTUR
IZAÇÃO
CICATR
Ø 3.4
Ø 4.0
Ø 5.0
Ø 6.0
4
4
5
5
6
4
5
6
4
5
6
4
5
Porção de sutura
1mm ou 2 mm
Altura gengival;
0,75 / 1,5 / 2,5
3,5 / 4,5 mm
6
Perfil de emergência constante: ente os diversos
tipos de componentes protéticos desde o parafuso
de cicatrização ao pilar final.
23
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
B. FAMÍLIAS DE COMPONENTES PROTÉTICOS
COMPONENTES
Pilares temporários
(fornecidos estéreis)
DESCRIÇÃO
NOVON
DESIG
Simples
Multipla
Total
Cimentadas Parafusadas
u
v
INDICAÇÕES
Carga imediata
de implante
PÁGINA
24
Prótese temporária
Pilares estéticos
u
Pilares de
zircônia estéticos
u
Pilares standards
(fornecidos estéreis)
u
P
P
S
Restauração
cimentada única
ou múltipla
26
S
Restauração
cimentada única
ou múltipla
28
S
Todas as próteses
cimentadas
de cerâmica
30
Próteses múltiplas
retidas por parafusos
Pilar base de ouro
NOVO!
Pilar retrabalhável
Pilares cônicos
(fornecidos estéreis)
Sistema pacific
Pilares LOCATOR®
u
P
S
u
P
S
u
NOVO!
v
Restauração
cimentada única
ou múltipla
Restauração
cimentada única
ou múltipla
P
C
v
P
C
v
C
ATENÇÃO! Todos os componentes montados no implante são fixados definitivamente apertando a 25 N.cm,
exceto os parafusos de cicatrização e parafusos de cobertura.
Próteses múltiplas
retidas por parafusos
Barra e estruturas
retidas por parafuso
32
34
36
Proteses
parafusadas com
pilar cônico reto
40
Overdentures
(Proteses totais
removíveis)
42
24
OVO
C. PILARES TEMPORÁRIOS N
DESIGN
1. Indicações
Fornecidos
estéreis
Unitária ou múltipla
Carga imediata de implante
Prótese temporária
Ø 3.4
Ø 4.0
Ø 5.0
Ø 6.0
INSTRUÇÕES DE USO
Recomendado para uso como prótese parafusada.
A superfície coronária do pilar permite que a resina tenha aderência
para restauração temporária. A sustentação pode ser aumentada por leves
ranhuras transversais ou por lixamento.
O pilar temporário é fornecido descontaminado e estéril com seu
parafuso de fixação para a implantação direta na boca.
PERFIL DE EMERGÊNCIA
O torque de aperto recomendado para o parafuso de fixação do pilar
é 25 N.cm. O pilar é inserido no implante sem indexação para a rápida
conclusão e é travado com fricção apertando o parafuso.
2. Escolha do pilar
Selecionar o pilar a partir das 5 alturas disponíveis de gengiva (0,75, 1,5, 2,5, 3,5 e 4,5 mm)
e os 4 perfis de emergência (3,4 / 4,0 / 5,0 / 6,0 mm).
O pilar deve ser escolhido dependendo do perfil de emergência.
.
NOTA: Pilares “try-in” ou “de testes” também estão disponíveis para ajudar na escolha da altura da gengiva.
3. Protocolo do usuário
Equipamentos necessários
Mandris
hexagonais
Parafuso de fixação
Black Tite® M1.6
Chaves
hexagonais
1
CONEXÃO DO PILAR:
Remover o parafuso de cicatrização utilizando uma
chave hexagonal longa.
Conectar o pilar temporário ao implante com a chave
de laboratório curta M 1.6 e a chave hexagonal longa
(ajuste manual moderado).
Proceder à modificação do pilar.
Substituir o parafuso curto M 1.6 pelo parafuso de
laboratório M 1.6. Ajustar manualmente com a chave
hexagonal curta.
Parafuso de laboratório
25
AU M A
2
REALIZAÇÃO DA
RESTAURAÇÃO TEMPORÁRIA:
Preencher o molde plástico ou moldeira
termomoldável com resina acrílica.
Cobrir o pilar (deixando o parafuso de laboratório
emergindo através da moldeira termomoldável aberta).
Polimerizar a resina ou deixá-la endurecer.
3
REMOÇÃO DA RESTAURAÇÃO TEMPORÁRIA
E EXECUÇÃO DE AJUSTES:
Remover o parafuso de laboratório.
Remover o canal com a resina e o pilar temporário.
Separar a restauração temporária da
moldeira termomoldável.
Fazer os ajustes finais e polir.
4
CONNECTING THE TEMPORARY PROSTHESIS :
Reposicionar a prótese temporária com o parafuso
de fixação Black Tite® M1.6 (fornecido com o
pilar temporário).
Uma radiografia dentro-alveolar pode ajudar a
confirmar a completa conexão entre o implante e o
pilar provisório de titânio padrão.
Ajustar a 25 N.cm utilizando o torquímetro manual
e as chaves hexagonais ou o Torq Control® e
mandris hexagonais.
Fechar a(s) cavidade(s) de acesso com material
obturador após proteger a cabeça do parafuso
com um material tipo: silicone, algodão ou isopor.
ATENÇÃO! Quando o procedimento de carga imediata não
for planejado, é essencial posicionar a prótese temporária na
sub-oclusão que receberá a prótese final, a fim de garantir a
integridade do dispositivo.
.
N O V A
D I M E N S Ã O
26
D. PILARES DE TITÂNIO ESTÉTICOS
Fornecidos
não estéreis
1. Indicações
Restauração Unitárias cimentadas
Restauração múltiplas cimentadas
Ø 3.4
Ø 4.0
Ø 5.0
Ø 6.0
INSTRUÇÕES DE USO
O pilar de titânio estético é fornecido descontaminado e não
estéril com seu parafuso de fixação.
A moldagem é realizada diretamente no nível do implante
usando moldagem “pick-up” ou “pop-in”.
A prótese e qualquer retrabalho no pilar são realizados
em laboratório.
PERFIL DE EMERGÊNCIA
O torque de aperto recomendado para o parafuso de fixação
do pilar de titânio estético é 25 N.cm.
2. Seleção do pilar
Selecionar o pilar a partir das 5 alturas de gengiva (0,75,1,5, 2,5, 3,5 e 4,5 mm) e os 4 perfis de emergência de prótese
(3,4, 4,0, 5,0 e 6,0 mm) e angulação coronária (0°, 7°, 15° e 23°). Idealmente, o pilar é escolhido dependendo do parafuso
de cicatrização in situ, observando o conceito de preservação do perfil de emergência.
NOTE : AESTHETIC
NOTA: São fornecidos pilares w
de Gingival
teste para
facilitar
a escolha
docoronary
pilar.
height
of 4.5
mm and
height of 7 mm.
3. Protocolo do usuário
Mandris
hexagonais
w Gingival height of 2.5 mm and coronary height of 9 mm. In order to obtain this abutment with a co
height of 9 mm, the laboratory should rework the 2mm cylindrical part.
Equipamentos necessários
Chaves
hexagonais
Parafuso de fixação Parafuso de
Black Tite® M1.6 laboratório M1.6
Transferente
“pick-up”
Transferente
“pop-in”
Análogo
de implante
1
MOLDAGEM:
Remover o parafuso de cicatrização utilizando a
chave hexagonal longa.
POP-IN
Inserir o transferente “pick-up” ou “pop-in” no
implante e ajustar o parafuso de transferência
(aperto manual moderado).
OU
Fazer a moldagem utilizando uma moldeira
fechada (técnica “pop-in”) ou moldeira aberta
(técnica pick-up).
Substituir o parafuso de cicatrização in situ ou
moldar uma prótese temporária utilizando o pilar
temporário (veja.p 25).
PICK-UP
27
AU M A
2
TRANSFERÊNCIA DA MOLDAGEM
E EXECUÇÃO DO MODELO DE TRABALHO:
Preparar o modelo de trabalho.
Inserir o pilar de titânio estético totalmente no análogo
na orientação correta e apertá-lo com o parafuso de
fixação de laboratório M1.6.
Adaptar o pilar por perfuração e fazer aprótese definitiva.
PICK-UP
3
COLOCAÇÃO DO PILAR:
Inserir, indicando o pilar no implante na orientação
correta, e parafusar o parafuso de fixação
M1.6 Black Tite® fornecido.
Uma radiografia retro-alveolar pode ser realizada para
confirmar se o pilar está completamente conectado
ao implante.
. manual
Ajustar a 25 N.cm utilizando torquímetro
ou o Torq Control®.
4
RESTAURAÇÃO:
Fechar a(s) cavidade(s) de acesso com material
obturador após proteger a cabeça do parafuso
com um material tipo: silicone, algodão ou isopor.
Cimentar a coroa definitivamente no pilar na boca.
POP-IN
N O V A
D I M E N S Ã O
28
E. PILARES DE ZIRCÔNIA ESTÉTICOS
Fornecidos
não estéreis
1. Indicações
Restauração unitárias cimentadas na região de dentes
anteriores (incisivos, caninos e 1os pré-molares).
Ø 4.0
Ø 5.0
INSTRUÇÕES DE USO
O pilar falso de zircônia estético é fornecido descontaminado e não estéril com seu
parafuso de fixação específico. Pode ser esterilizado a frio com uma solução de
CLOREXIDINA (recomendado pela anthogyr).
A moldagem é realizada diretamente no nível do implante.
O pilar é retrabalhado e a prótese é feita somente em laboratório.
O torque de aperto recomendado para o parafuso de fixação do pilar de zircônia
estético é 25 N.cm.
ATENÇÃO!
PERFIL DE EMERGÊNCIA
Não esterilizar com radiação gama ou autoclave. Usar o ácido FLUORÍDRICO
é terminantemente proibido. Não usar para extensões de prótese únicas.
2. Seleção do pilar
Selecionar o pilar a partir das 2 alturas de gengiva (1,5 e 3,5 mm) e os 2 perfis de emergência de prótese (4,0 e 5,0 mm)
e angulação coronária (0º e 15º) disponíveis. Idealmente, o pilar é escolhido dependendo do parafuso de cicatrização in situ,
observando o conceito de preservação do perfil de emergência.
NOTA: Pilares de teste estão disponíveis para facilitar a escolha do pilar.
3. Protocolo do usuário
Mandris
hexagonais
Chaves
hexagonais
Equipamentos necessários
* Parafuso de fixação * Parafuso
de zircônia
de laboratório Transferência
“pick-up”
Black Tite® M1.6 de zircônia M1.6
1
Transferência
“pop-in”
Análogo
de implante
* Cuidado
Usar o comprimento de parafuso adequado.
MOLDAGEM:
Remover o parafuso de cicatrização utilizando a chave
hexagonal longa.
Inserir o transferente “pick-up” ou “pop-in” no implante
e ajustar o parafuso de transferência (aperto manual
moderado).
Fazer a moldagem utilizando uma moldeira comercial
(técnica “pop-in”) ou moldeira aberta (técnica pick-up).
OU
Substituir o parafuso de cicatrização in situ ou moldar uma
prótese temporária utilizando o pilar temporário (Cf.p.18).
PICK-UP
POP-IN
29
AU M A
2
TRANSFERÊNCIA DA MOLDAGEM
E EXECUÇÃO DO MODELO DE TRABALHO:
Preparar o modelo de trabalho.
Inserir, indicando o pilar de zircônia estético
selecionado no análogo, orientando-o corretamente
e parafusando o parafuso de zircônia de laboratório M1.6.
Ajustar o volume do pilar por perfuração (ponta fina
diamantada de 30 µm, broca de perfuração ou
contra-ângulo multiplicador a 150.000-200.000 rpm
com irrigação) e fazer a prótese definitiva (direção mínima
0,5 mm de discrepância).
PICK-UP
ATENÇÃO! Dois comprimentos de parafuso: curto (alturada
gengiva = 1 mm) e longo (altura da gengiva = 3 mm).
3
COLOCAÇÃO DO PILAR:
Inserir, indicando o pilar no implante na orientação
correta, e parafusar o parafuso de fixação
Black Tite® M1.6 fornecido.
Uma radiografia retro-alveolar pode ser realizada para
confirmar se o pilar está completamente conectado
ao implante.
Ajustar a 25 N.cm utilizando o torquímetro manual
ou o Torq Control®.
4
RESTAURAÇÃO:
Fechar a(s) cavidade(s) de acesso com material
obturador após proteger a cabeça do parafuso com
um material tipo: silicone, algodão ou isopor.
Cimentar a coroa definitivamente no pilar na boca.
POP-IN
N O V A
D I M E N S Ã O
30
F. PILARES STANDARD DE TITÂNIO
Fornecidos
não estéreis
1. Indicações
Restauração cimentada de unidade única
Implantes paralelos de restauração cimentada
de unidades múltiplas
Ø 3.4
Ø 4.0
Ø 5.0
Ø 6.0
INSTRUÇÕES DE USO
O pilar standard de titânio é fornecido descontaminado e esterilizado,
com o parafuso de fixação para a colocação direta e imediata na boca.
A moldagem é feita diretamente sobre o pilar, com o intuito de reduzir
as manipulações.
O torque de aperto recomendado para o parafuso de fixação do pilar de
titânio padrão é 25 N.cm.
ATENÇÃO! Recomenda-se não retrabalhar o pilar. Se o retrabalho for
realizado, fazer moldagem convencional diretamente sobre o implante.
PERFIL DE EMERGÊNCIA
2. Seleção do pilar
Selecionar o pilar a partir das 3 alturas disponíveis de gengiva (1,5, 2,5 e 3,5 mm), 2 alturas coronárias (4 e 6 mm) e angulações
(0°, 15° e 23°) disponíveis.
O pilar é idealmente escolhido dependendo do parafuso de cicatrização in situ e observando o conceito de preservação do perfil
de emergência. Selecionar o pilar para que não seja necessário retrabalho.
NOTA: Pilares “try-in” ou “de teste” também estão disponíveis para facilitar a escolha do pilar de definição.
3. Protocolo do usuário
Mandris
hexagonais
Chaves
hexagonais
Parafuso de fixação Transferência
Black Tite® M1.6
de moldagem
1
CONEXÃO DO PILAR:
Remover o parafuso de cicatrização utilizando uma
chave hexagonal longa.
Inserir o pilar standard de titânio selecionado
inteiramente no implante e ajustar o parafuso de
fixação Black Tite® M1.6 fornecido.
Uma radiografia retro-alveolar pode ser realizada para
confirmar se o pilar está completamente conectado
ao implante.
Ajustar a 25 N.cm utilizando o torquímetro manual e as
chaves hexagonais ou os mandris hexagonais
e TorQ Control®.
Coping protetor
Equipamentos necessários
Copings calcináveis
rotacionais e anti-rotacionais
Análogo
do pilar
31
AU M A
N O V A
2
IMPRESSÃO DIRETA SOBRE O PILAR STANDARD :
Colocar o transfer de moldagem sobre o pilar standard
de titânio.
Manter uma leve pressão, aplicando rotação para
indicar a transferência com o pilar.
Uma vez que o indicador estiver no lugar, pressionar a
transferência no pilar não retrabalhado até ouvir um
clique.
« Click ! »
Tirar uma moldagem convencional utilizando uma
moldeira termomoldável comercial.
Uma vez feita a moldagem, fechar a cavidade de
acesso com material obturador após proteger a
cabeça do parafuso com um cotonete.
3
PROTEÇÃO DO PILAR E
PRÓTESE TEMPORÁRIA
Limpar o pilar completamente.
Vedar a cobertura de proteção. Isso também pode
ser feito para confeccionar um dente temporário.
4
MODELO DE TRABALHO E PRÓTESE
Inserir o pilar análogo da transferência "no orifício" da
moldagem (até ouvir um clique) após visualizar a
posição relativa do análogo na impressão.
Verificar se o análogo está fixado corretamente na
moldagem (se necessário, repetir o procedimento) e
despejar o modelo de trabalho.
Cobrir a coroa do análogo com espaçador (necessário
para estabilizar o coping calcinável). Moldar a estrutura
de metal usando o coping calcinável.
Preparar a prótese final de acordo com os protocolos
atuais de restauração.
Na boca: fechar a(s) cavidade(s) de acesso com um
material obturador após proteger a cabeça do parafuso
com um material tipo: silicone, algodão ou isopor. Cimentar
a coroa com cimento temporário no pilar na boca.
NOTA: Copings calcináveis rotacionais e anti-rotacionais
estão disponíveis dependendo da prótese cimentada
(para procedimentos unitários ou múltiplos, respectivamente).
« Click ! »
D I M E N S Ã O
32
G. PILAR CALCINÁVEL COM BASE EM OURO
Fornecidos
não estéreis
1. Indicações
Ø 4.0
Próteses unitárias parafusadas.
Restauração cimentada unitárias ou múltiplas.
h:1.5
INSTRUÇÕES DE USO
O pilar “calcinável” é fornecido com seu parafuso de fixação
Um perfil de emergência único disponível com o pilar “calcinável” (4,0mm).
CARACTERÍSTICAS DO PILAR “CALCINÁVEL” CERAMICOR (REF OPOG110):
- composição CERAMICOR: Au 60% / Pb 20% / Pt 19% / Ir 1%.
- intervalo de fusão: 1285ºC - 1355ºC.
Contato: Cendres + Metaux SA – Fone +41 58 360 20 00 – Fax +41 58 360 20 10
CARACTERÍSTICAS DO PILAR “CALCINÁVEL” PIVOSYL:
- composição PIVOZYL: Au 8% / Ag 37% / Pt 25% / Pd 30%.
- intervalo de fusão: 1285ºC - 1355ºC.
Contato: Cookson-CLau – Fone +33(0)1 44 61 1091 – Fax +33(0) 1 44 61 10 89
Email: [email protected]
A moldagem é realizada diretamente no nível do implante.
O pilar é retrabalhado e a prótese é feita somente em laboratório.
O torque de aperto recomendado para parafuso de fixação do pilar “calcinável” é 25 N.cm.
2. Protocolo do usuário
Mandris
hexagonais
Chaves
hexagonais
Parafuso de fixação
de zircônia
Black Tite® M1.6
*
PERFIL DE EMERGÊNCIA
* O pilar calcinável com base em
ouro é disponível também em
Pivosyl sob a Ref. OPOG100 (sujeito à
disponibilidade de estoque).
O protocolo do usuário e indicações
são idênticos ao pilar calcinável com
base em ouro na Ref. OPOG110.
Equipamentos necessários
Parafuso
de laboratório
de zircônia M1.6
Chave longa
de laboratório
Transferência
“pick-up”
Transferência
“pop-in”
1
MOLDAGEM :
Remover o parafuso de cicatrização utilizando a chave
hexagonal longa.
Inserir a transferência “pick-up” ou “pop-in” no implante
e ajustar o parafuso de transferência (aperto manual
moderado).
Fazer a moldagem utilizando uma moldeira comercial
(técnica “pop-in”) ou moldeira aberta (técnica pick-up).
OU
Substituir o parafuso de cicatrização in situ ou moldar
uma prótese temporária utilizando o pilar temporário
(veja.p.25).
PICK-UP
ATENÇÃO! O pilar “calcinável” de base em ouro possui
um tamanho único, portanto possui uma dimensão única
de parafuso de cicatrização. Observar o conceito de
preservação do perfil de emergência.
POP-IN
Análogo
de implante
33
AU M A
2
TRANSFERÊNCIA DA MOLDAGEM E
EXECUÇÃO DO MODELO DE TRABALHO:
Preparar o modelo de trabalho.
Inserir o pilar “calcinável” de base ouro no análogo e
ajustar o parafuso de fixação de laboratório M1.6.
Ajustar o pilar “calcinável” de base ouro para recriar um
pilar feito sob medida por perfuração e/ou adicionando
resina calcinável (cera).
NOTA: usar o parafuso longo de laboratório M1.6 para
preservar as espirais do parafuso ao adicionar resina.
PICK-UP
3
CONFECÇÃO DO PILAR E
COROA DEFINITIVA:
Remover cuidadosamente o pilar “calcinável” de base
ouro personalizado do modelo de trabalho.
Moldar o pilar seguindo as recomendações do fabricante do
material e utilizando o procedimento atual de cobertura.
Substituir o pilar no modelo de trabalho com o parafuso
de fixação M1.6 na orientação correta e confeccionar a
prótese definitiva.
4
COLOCAÇÃO DO PILAR:
Inserir, indicando o pilar “calcinável” de base ouro no
implante na orientação correta, e parafusar o parafuso
de fixação Black Tite® M1.6 fornecido.
Uma radiografia retro-alveolar pode ser realizada para
confirmar se o pilar está completamente conectado ao
implante.
Ajustar a 25 N.cm utilizando a torquímetro manual ou
o TorQ Control®.
5
RESTAURAÇÃO:
Fechar a(s) cavidade(s) de acesso com material obturador
após proteger a cabeça do parafuso com um material
tipo: silicone, algodão ou isopor.
Cimentar a coroa definitivamente no pilar na boca.
POP-IN
N O V A
D I M E N S Ã O
34
H. PILAR USINÁVEL
Fornecidos
não estéreis
1. Indicações
Restauração cimentada múltipla ou unitária
Ø 4.0
h:1.5
INSTRUÇÕES DE USO
O pilar retrabalhável é fornecido descontaminado e não estéril, com seu parafuso de fixação.
A moldagem é realizada no nível do implante.
PERFIL DE EMERGÊNCIA
O pilar é retrabalhado e a prótese é feita somente em laboratório. (espessura
residual mínima recomendada: 0,5 mm).
O torque de aperto recomendado para o parafuso de fixação do pilar estético de zircônia é 25 N.cm.
2. Protocolo do usuário
Equipamentos necessários
Mandris
hexagonais
Chaves
hexagonais
Parafuso de fixação
Parafuso
de zircônia
de laboratório
Black Tite® M1.6 de zircônia M1.6
Transferência
“pick-up”
Transferência
“pop-in”
Análogo
de implante
1
MOLDAGEM:
Remover o parafuso de cicatrização utilizando a chave
hexagonal longa.
Inserir o transferente “pick-up” ou “pop-in” no implante
e ajustar o parafuso de transferência (aperto manual
moderado).
Fazer a moldagem utilizando uma moldeira comercial
(técnica “pop-in”) ou moldeira aberta (técnica pick-up).
OU
Substituir o parafuso de cicatrização in situ ou moldar
uma prótese temporária utilizando o pilar temporário
(Cf.p.18).
PICK-UP
AVISO! O pilar retrabalhável possui um tamanho único,
portanto possui uma dimensão única de parafuso de
cicatrização. Observar o conceito de preservação do perfil
de emergência.
POP-IN
AU M A
TRANSFERÊNCIA DA MOLDAGEM E
EXECUÇÃO DO MODELO DE TRABALHO:
Preparar o modelo de trabalho
Inserir o pilar retrabalhável no análogo
orientando-o corretamente, e ajustar o parafuso de
fixação de laboratório M1.6.
Ajustar o tamanho do pilar retrabalhável por perfuração
(ponta fina diamantada de 30 µm, broca de perfuração
no contra-ângulo multiplicador a 150.000 - 200.000 rpm
sob irrigação) diretamente no modelo de trabalho
(direção mínima 0,5 mm de discrepância).
Fazer a prótese definitva.
POP-IN
COLOCAÇÃO DO PILAR:
Inserir, indicando o pilar retrabalhável no
implante na orientação correta, e parafusar o
parafuso de fixação Black Tite® M1.6 fornecido.
Uma radiografia retro-alveolar pode ser realizada para confirmar se o pilar está completamente
conectado ao implante.
Ajustar a 25 N.cm utilizando a torquímetro
manual ou o Torq Control®.
RESTAURAÇÃO:
Fechar a(s) cavidade(s) de acesso com material obturador
após proteger a cabeça do parafuso com um material tipo:
silicone, algodão ou isopor.
Cimentar a coroa definitivamente no pilar na boca.
N O V A
D I M E N S Ã O
PILARES CÔNICOS
Pilar reto
Pilar
angulado
Fornecido
estéril
Fornecido
estéril
Indicações
Prótese parafusada
múltipla
Ponte e barra parafusada
INSTRUÇÕES DE USO
Os pilares cônicos (retos e angulados) e suas coberturas de
proteção são fornecidos descontaminados e estéreis, para a
colocação direta durante a cirurgia. O parafuso de fixação é
incluído com a embalagem para pilares cônicos angulados.
Versão disponível
indexada ou não indexada
O torque de aperto recomendado para os parafusos de fixação
para os pilares cônicos angulados é de 25 N.cm, e o torque
recomendado para os componentes secundários de 15 N.cm.
Para uma restauração protética completa
PERFIL DE EMERGÊNCIA
É possível considerar um protocolo durante a colocação
dos implantes graças à «Tudo em quatro» do sistema.
Seleção do pilar cônico
A variedade de pilares cônicos consiste de 2 versões diferentes: reto e angulado.
Pilar cônico reto
Selecionar o pilar a partir das 3 alturas disponíveis de gengiva (1,5, 2,5 e 3,5 mm) para 1 único diâmetro de emergência de
prótese (Ø 4,0mm) disponível. O pilar cônico reto deve ser selecionado idealmente dependendo do parafuso de cicatrização
utilizado, observando o conceito de preservação do perfil de emergência. A fase de cicatrização também pode ser realizada
utilizando diretamente o pilar cônico reto com sua cobertura de proteção por cima.
Pilar cônico reto angulado
Selecionar o pilar a partir das 2 alturas disponíveis de gengiva (2 e 3 mm) e 2 angulações coronárias (18º e 30º), indexado e não
indexado. O pilar cônico angulado é selecionado independentemente dos outros componentes na variedade. A fase de cicatrização
também pode ser realizada utilizando diretamente o pilar cônico angulado com sua cobertura de proteção por cima.
Protocolo do usuário
Materiais necessários: pilar cônico reto
screw
Mandris
hexagonais
Chaves
hexagonais
Coping
Coping
Mandril de
“calcinável” de “calcinável” de
Coping
Coping
pilar cônico Chave de pilar Transferente Transferente Análogo Cobertura de Parafuso de fixação
base ouro
base ouro
cônico reto
“pick-up”
“pop-in” do pilar
proteção
Black Tite® M1.4 Temporário calcinável
reto
OPSC410
OPSC400
Materiais necessários: pilar cônico angulado
Mandris
hexagonais
Chaves
hexagonais
Parafuso de
fixação Black Transferente Transferente Análogo
“pop-in”
do pilar
Tite® M1.6 “pick-up”
Cobertura de
proteção
Black Tite® Parafuso de
Coping
fixação Black Coping
screw
Tite®M1.4 Temporário calcinável
Fornecido estéril
Fornecido com o enfrentamento
Coping
Coping
“calcinável” de “calcinável” de
base ouro
base ouro
OPSC400
OPSC410
Sujeito a disponibilidade de estoque
AU M A
COLOCAÇÃO DO
PILAR CÔNICO:
Pilar Cônico Reto
Parafusar o pilar cônico reto no
implante utilizando a chave de pilar
cônico reto.
Ajustar a 25 N.cm utilizando a torquímetro manual e a chave de pilar cônico
reto ou o Torq Control® e o mandril
de pilar cônico reto.
Pilar Cônico Angulado
Inserir e indicar o pilar cônico angulado na orientação correta e parafusar o
parafuso de fixação Black Tite® M1.6
utilizando a chave hexagonal longa.
Ajustar a 25 N.cm utilizando a torquímetro manual e a chave de pilar cônico
reto ou o Torq Control® e
mandril hexagonal.
MOLDAGEM E
TEMPORIZAÇÃO:
Montar cada transferente “pick-up” ou
“pop-in” respectivamente em cada pilar
cônico e parafusar o parafuso de
transferência (aperto manual moderado).
Moldar usando uma moldeira comercial
(técnica pop-in) ou moldeira aberta
(técnica pick-up).
Substituir as coberturas de proteção com
aperto temporário manual ou moldar
uma prótese temporária com os copings
apropriados (Cf.4).
LABORATORIO:
Moldar o modelo de trabalho
PILAR CÔNICO RETO
N O V A
D I M E N S Ã O
PILAR CÔNICO ANGULADO
4
PRÓTESE TEMPORÁRIA
(DEPOIS DA MOLDAGEM):
Conexão de copings temporários.
Conectar os copings temporários na boca aos
pilares cônicos angulados ou retos usando os
parafusos de fixação M1.4 ou parafusos de
transferência pick-up longos correspondentes
(aperto manual moderado < 15 N.cm). Usar a
chave hexagonal.
Ajustar a altura do coping temporário, se
necessário.
Realização da restauração temporária
Cobrir os copings temporários de novo tamanho
(deixar os parafusos “pick-up” de transferência
longos emergirem pelo modelo aberto).
Polimerizar a resina ou deixá-la endurecer.
Remoção da restauração temporária e
ajustes
Remover o parafuso de laboratório.
Remover o modelo com a resina e pilar
temporário.
Desconectar a restauração temporária do
modelo.
Fazer os ajustes finais e polir.
Conexão da prótese temporária
Reposicionar a prótese temporária com o
parafuso de fixação Black Tite® M1.4
apropriado usando a chave hexagonal longa.
Uma radiografia dentro-alveolar pode ser
tirada para ajudar a confirmar a completa
conexão entre o pilar e o implante.
Ajustar a 15 N.cm utilizando a torquímetro
manual ou o Torque Control®.
ATENÇÃO! Se a carga imediata não for planejada, é
recomendável que a prótese temporária seja posicionada
na sub-oclusão que receberá a prótese definitiva a fim de
garantir a integridade do dispositivo.
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
5
PRÓTESE DEFINITIVA
(BARRA OU PONTE):
Conexão das coberturas personalizadas
Conectar os copings calcináveis ou “calcinável”
de base ouro aos análogos de pilar cônico ao
modelo de trabalho usando os parafusos de
fixação M1.4 ou parafusos de transferência
“pick-up” longos correspondentes (aperto
manual moderado < 15 N.cm).
Ajustar os copings calcináveis a fim de recriar
uma estrutura homotética (ou uma barra) perfurando e/ou adicionando resina calcinável.
NOTA: usar o parafuso de fixação de laboratório
longo M1.4 para preservar as cavidades parafusadas ao adicionar resina.
Realização da prótese definitiva
Fundir a estrutura seguindo as recomendações
do fabricante do material.
Para o ouro fundido em coifas, por favor, consulte
o capítulo 3G 1 (página 32)
PONTE: substituir a estrutura fundida no modelo
de trabalho pelo parafuso de fixação M1.4 (aperto
manual moderado < 15 N.cm), orientando corretamente e reduzindo a opacificação cerâmica
definitiva.
BARRA: remover as coberturas de proteção ou
prótese temporária e tentar a estrutura fundida
na boca do paciente, verificando o encaixe com os
pilares cônicos.
Tirar uma segunda moldagem com a barra no
lugar fixada usando os parafusos de transferência “pick-up” e uma moldeira aberta.
Moldar a prótese definitiva (incluindo “guias”) no
laboratório seguindo o princípio de prótese total.
Colocação da prótese
Posicionar a estrutura protética nos pilares
cônicos, orientando corretamente, e parafusar os
parafusos de fixação Black Tite® M1.4 fornecidos.
Ajustar a 15 N.cm utilizando a torquímetro
manual ou o Torq Control®.
PONTE: fechar a(s) cavidade(s) de acesso com
material obturador após proteger a cabeça do parafuso com um cotonete e terminar o ajuste de oclusão.
BARRA: fazer os ajustes de tecido e oclusão na
prótese total antes do parafusamento final. Fechar
a(s) cavidade(s) de acesso com um material obturador
após proteger a cabeça do parafuso com um material
tipo: silicone, algodão ou isopor. Informar o paciente
sobre os procedimentos de uso e manutenção.
PONTE
BARRA
pacific (NÃO ESTÉREIS)
Fornecido
não
estéril
NOVO!
O pacific é um sistema adicional exclusivamente feito para próteses
múltiplas ou totais parafusadas sobre os pilares cônicos
retos.Introduzindo um anel que é colado entre o pilar cônico reto e a
barra de metal calcinada pelo laboratório, o sistema pacific garante
a obtenção do ajuste passivo durante o parafusamento definitivo da
prótese na boca.
INSTRUÇÕES DE USO
O anel de colagem é forencido junto com o parafuso de fixação M1.4 Black Tite ®.
O torque de fixação do parafuso recomendado é de 15 N.cm.
O anel de colagem pode ser utilizado apenas com o pilar cônico Reto.
Protocolo de uso
pacific sistema em retas pilares cônicos
Parafuso de
laboratório M 1.4
Mandris
hexagonais
Chaves
hexagonais
(Curto)
(Curto)
(Longo)
(Longo)
Parafuso de fixação
Black Tite®M1.4
Analógo Coping
pacific Calcinável
Anel de
Colagem
Parafuso curto
do transfer de
pilar cônico reto
Parafuso longo do
transfer de pilar
cônico reto
OPAC502
COLOCAÇÃO DO PILAR CÔNICO E TOMADA DE IMPRESSÃO
Repetir os passos 1 a 4 descritos no parágrafo “Pilares Cônicos” – (veja p. 39)
a
FAZENDO A PRÓTESE
DEFINITVA:
Conecte o análogo do pacific (Ref OPSC910) nos pilares
cônicos utilizando o parafuso de labratório M 1.4 (Ref
OPAC141) (aperto manual moderado).
Utilize a chave hexagonal.
Posicione os copings (Ref OPSC901) calcináveis nos análogos
do pacific, ajustá-los até que se recrie uma medida homoética
na barra por usinagem ou adição de resina calcinável através
da conexão dos copings.
b
41
AU M A
FAZENDO A PRÓTESE
DEFINITIVA (CONTINUAÇÃO)
N O V A
D I M E N S Ã O
c
Executar a moldagem de acordo com a recomendação do
fabricante do material. Prosseguir com a montagem e a
queima do material cerâmico sobre a barra. Realizar o
acabamento. Polir e limpar a superfície basal da prótese.
d
CHECANDO A PASSIVIDADE :
Desparafuse os análogos do pacific do modelo.
Coloque o anel de colagem (Ref. OPSC800) em
cada cavidade da barra.
e
Posicione e parafuse todo a estrutura no modelo, utilizando
os parafusos curtos ou longos do transfer de moldeira aberta
(Ref. OPAC501 ou OPAC502).
Se restar alguma tensão, corrija a superfície basal da prótese.
Remova.
4
f
COLANDO OS ANÉIS DO pacific :
Coloque o adesivo nos sulcos do anel de colagem (Ref.
OPSC800) e na superfície basal da barra.
Coloque cada anel na cavidade da barra
Reposicione e parafuse todo a estrutura no modelo, utilizando
os parafusos curtos ou longos do transfer de moldeira aberta
(Ref. OPAC501 ou OPAC502).
g
Deixe secar de acordo com o tempo de secagem informado pelo
fabricante do adesivo.
COLOCAÇÃO DA PRÓTESE :
Parafuse toda a estrutura da barra na boca utilizando o novo
parafuso M1.4 Black Tite que vem junto com o Anel de Colagem
pacific.
Aperte até 15N.cm utilizando o torquímetro manual e as chaves
hexagonais ou o Torq Control®e os mandris hexagonais.
h
K. SISTEMA DE ENCAIXE LOCATOR®
1. Indicações
Perfil de
emergência
Overdentures estabilização em 2 a 4 implantes
com o máximo de divergência de 20°.
INSTRUÇÕES DE USO
Os pilares LOCATOR® são fornecidos descontaminados e estéreis.
Portanto podem ser colocados durante a cirurgia.
ATENÇÃO! O torque de aperto recomendado para os pilares LOCATOR® é
25 N.cm.
2. Seleção dos encaixes LOCATOR®
Selecionar o encaixe LOCATOR® a partir das 3 alturas de gengiva (1,5, 2,5 e 3,5
mm) disponíveis para o único diâmetro de emergência de prótese (Ø4,0mm).
O encaixe LOCATOR® é idealmente selecionado dependendo do parafuso
de cicatrização utilizado e respeitando o conceito de preservação do perfil
de emergência. A fase de cicatrização também pode ser realizada diretamente com o encaixe LOCATOR®.
PERFIL DE EMERGÊNCIA
3. Protocolo do usuário
3.1 TÉCNICA INDIRETA
Colocação do pilar LOCATOR®
Parafuse o pilar LOCATOR®no implante utilizando a chave LOCATOR® com o
torquímetro manual ou o mandril
.
LOCATOR® com
o Torq Control.
Material necessário
LOCATOR®
mandril
LOCATOR®
chave inglesa
Torque de aperto :
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
Material necessário
MOLDAGEM
Coloque o transfer de moldagem LOCATOR® sobre os
pilares LOCATOR®
Faça a moldagem. O transfer permanecerá
na moldagem.
Transfer
LOCATOR®
+ Nylon preto
Análogo
LOCATOR®
Coloque os análogos na moldagem e vase o modelo.
PROCEDIMENTO DE RESTAURAÇÃO
Material necessário
RETENÇÃO TEMPORÁRIA
Pode ser utilizado durante o
procedimento de restauração
RETENÇÃO
PADRÃO
RETENÇÃO
MÉDIA
BAIXA
RETENÇÃO
Encaixe com o “macho”
preto de baixa densidade
Macho de
retenção
Macho de
retenção leve
Macho de retenção
extra leve
Anel espaçador
CHAVE 3 EM 1
LOCATOR®
Ferramenta de remoção
do macho
Ferramenta de colocação
do macho
Guia do pilar
3
PROCEDIMENTO DE RESTAURAÇÃO
(CONTINUAÇÃO)
No modelo, coloque o macho de retenção
LOCATOR® com a borracha preta sobre
os análogos, depois faça um modelo da
prótese removível.
Depois que o modelo foi feito, remova
os machos de retenção do modelo e
coloque o anel de espaçamento em
cada análogo, então certifique-se que a
prótese final estará corretamente
posicionada.
Quando a prótese final estiver pronta,
remova os anéis de espaçamento e faça
o polimento basal da superfície da
prótese. Então, recoloque os encaixes
com a borracha de baixa densidade
preta. Utilize a ferramenta LOCATOR®
para capturar os machos pretos e
removê-los.
Utilize a segunda parte da ferramenta
LOCATOR® para capturar os machos
definitivos (branco, rosa ou azul). Se 3 ou
mais attachments forem posicionados no
mesmo arco, sempre inicie com a borracha de retenção mais baixa (rosa ou azul).
Tente provar a prótese no modelo antes
de levar à boca do paciente.
3.2 TÉCNICA DIRETA (CONSULTÓRIO)
ESTA TÉCNICA É RECOMENDADA PARA A ESTABILIZAÇÃO DE UMA OVERDENTURE JÁ EXISTENTE
Coloque os anéis de espaçamento nos pilares LOCATOR® na boca do paciente (utilize isolamento)
Fixe os machos de retenção LOCATOR® nos pilares (selo preto voltado para procedimento de restauração).
Escave as áreas onde será reposto os machos de retenção das próteses (sem interferência entre as ápsulas da matriz e a prótese)
Cubra os machos de retenção LOCATOR® com resina e preencha os orifícios de ligação na superfície basal da prótese.
Coloque a prótese diretamente na boca do paciente e polimerize a resina
Quando a resina estive endurecida, remova a prótese da boca do paciente. Remova os anéis de espaçamento antes de repor os machos
definitivos pretos. Coloque a prótese definitiva na boca do paciente.
U M A
N O V A
D I M E N S Ã O
GE KIT PROTÉTICO COMUM
ATENÇÃO!
Antes do primeiro e após cada procedimento subsequente, todos os instrumentos e suportes de instrumentos
devem ser pré-desinfetados, limpos, descontaminados e esterilizados seguindo um procedimento específico.
O kit de prótese consiste de 2 moldeiras distinguindo entre os mandris para manipulação em um contra-ângulo ou
)ea
Torq Control para os realizados manualmente com chaves (hexagonal, pilar cônico reto,
torquímetro manual.
Torquímetro
manual
Chave 3 in 1
Chaves hexagonais
Mandris
hexagonais
Chave de pilar
cônico reto
Mandril para o
pilar cônico reto
Mandril
Torquímetro manual: Valores de torque (N.cm) 15/25/35. Precisão (N.cm) +/- 2. Instruções
de uso estão disponíveis se solicitadoas.
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
O kit é feito usando materiais de uso medicinal, o que possibilita sua tolerância à desinfecção
a calor e esterilização em autoclave.
As coberturas de proteção direcionáveis fornecem flexibilidade ao posicionar o kit a fim de
otimizar a acessibilidade do instrumento.
Chave
Limpeza e esterilização
ATENÇÃO !
Todos os produtos reutilizáveis (instrumentos e kits) devem ser pré-desinfectados, esterilizados, limpos, desinfetados e
esterilizados antes do primeiro e após cada cirurgia subsequente.
Todos os produtos descartáveis fornecidos não estéreis devem ser limpos, desinfetados e esterilizados antes de entrarem
na boca. Eles podem ser desinfetados ou esterilizados usando um desinfectador a calor e uma autoclave com o produto
colocado fora de sua embalagem original em uma envólucro adequado para o procedimento. Em caso de restrições de
algum componente específico, sempre desinfetar e esterilizar a frio com CLOREXIDINA (ver etiqueta).
Nenhum produto fornecido estéril (esterilizado por irradiação gama) deve ser re-esterilizado. Observar as peças estéreis
dentro das bolsas ou blisters/embalagens ao desembalar, colocando o conteúdo em uma superfície estéril. Observar a
data de vencimento do produto.
INFORMAÇÕES GERAIS
PRELIMINARES
Todos os protocolos de limpeza-desinfecção e esterilização devem ser seguidos por funcionários protegidos e
treinados corretamente de acordo com os regulamentos em vigor. Para evitar qualquer risco de infecção ou
dano, é essencial que roupas adequadas sejam usadas (máscara de proteção, luvas e óculos).

Ao seguir o protocolo, é obrigatório seguir os regulamentos em vigor, consultando as recomendações do
“Boa Prática Farmacêutica Hospitalar”, o guia “Boa Prática de Desinfecção”, o Guia “Boa Prática de
Esterilização” e o guia para a “execução correta de tratamentos aplicando os dispositivos médicos
reutilizáveis” em referência FD S98-135 de abril de 2005.
Todos os protocolos de limpeza-desinfecção e esterilização devem ser adequados para o risco de infecção. O
usuário ou a equipe médica deve garantir que o protocolo utilizado alcance o objetivo de esterilidade. O protocolo
deve permitir que todos os resíduos químicos e orgânicos no dispositivo tratado sejam removidos (principalmente
garantir que os produtos utilizados sejam lavados corretamente).
COMPATIBILIDADE COM MATERIAIS
Para não deteriorar ou danificar os componentes, é obrigatório que sejam utilizados somente produtos de
limpeza e descontaminação compatíveis com as diferentes combinações de materiais tratados.
Soluções detergentes e desinfetantes devem ser de pH neutro ou levemente alcalinas.
ATENÇÃO!! Para ligas de alumínio, o uso de solução de hidróxido de sódio é estritamente proibido. Para aços
ATENÇÃO
inoxidáveis, o uso de hipoclorito de sódio (alvejante) é estritamente proibido: alto risco de corrosão.
0 , pois
Componentes finalizados em
nunca devem ser limpos com peróxido de hidrogênio
2 2
há risco de decapagem química.

A composição material de cada componente e a lista completa dos números das peças podem ser
encontradas no fim deste documento.
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
PRODUTOS
PRODUTOS DETERGENTES-DESINFETANTES
Para garantir a descontaminação suficiente antes da esterilização, os detergentes e desinfetantes devem ser
escolhidos de acordo com o risco de infecção dependendo de seu campo de atividade: atividade microbial padrão
(bactericida, fungicida, virucida...) e sua capacidade de limpeza.
Os detergentes e desinfetantes utilizados devem ser consistentes com o método de limpeza utilizado.
O usuário deve consultar as instruções do fabricante para cada produto de limpeza e desinfecção.
Observar as concentrações, temperaturas e tempos de exposição.
Observar a substituição de soluções e vida útil dos produtos.
Observar as instruções de descarte de produtos usados.
Nunca misturar produtos.
ATENÇÃO ! Não usar substâncias que possam fixar proteínas (álcool, aldeídos, etc.).

Para mais informações, o usuário pode consultar o guia FD S98-135, o “Guia para a prevenção de infecções
relacionadas à saúde em cirurgia dental e estomatologia” de julho de 2006 e a lista positiva de desinfetantes dentais de 2005-2006 publicada pela SFHH e a ADF.
QUALIDADE DA ÁGUA
A água utilizada para pré-desinfecção, limpeza, descontaminação, lavagem e esterilização deve seguir os regulamentos em vigor. O usuário pode consultar o documento FD S 98-135, § 9.4.
A qualidade da água deve ser compatível com o objetivo de esterilidade e com o equipamento utilizado.
É importante que a condutividade, pH, dureza da água, íon e concentração de impurezas e poluição microbiológica
sejam monitorados.
3. PRECAUÇÕES DE USO
O usuário deve prestar atenção especial à limpeza de resíduos de sujeira e depósitos de todas as peças dos instrumentos
(orifícios entre as peças, etc.).
É importante durante os diferentes estágios do procedimento garantir que os instrumentos de corte não batam, pois isso
apresenta o risco de reduzir suas qualidades cortantes. Esses instrumentos devem ser substituídos em média após 10
usos.
Um controle visual deve ser feito em cada instrumento antes da esterilização. Todos os instrumentos gastos, corroídos ou
danificados devem ser tratados separadamente e removidos.
Dejetos médicos devem ser descartados de acordo com a legislação em vigor sobre a administração de dejetos médicos.
ATENÇÃO ! Qualquer componente usado que deva ser devolvido ao serviço de pós-vendas deve ser
enviado estéril após a pré-desinfecção, limpeza e descontaminação, de acordo com a legislação em vigor,
com prova de esterilidade.
48
C. PROTOCOLOS
PRÉ-DESINFECÇÃO
A desinfecção por calor somente deve ser utilizada para componentes reutilizáveis montados ou um kit completo,
colocado reto com a cobertura aberta. (Ver instruções para desmontagem e montagem p. 40):
Pré-desinfetar separadamente, destacando sistematicamente sempre que possível de todos os
dispositivos montados.
Imergir completamente na solução pré-desinfecção.
Lavar com água desmineralizada e tratada por osmose para evitar quaisquer depósitos.
Secar cuidadosamente com tecidos macios e estéreis (combinados com ar comprimido de grau médico).
LIMPEZA – DESINFECÇÃO
Os componentes desmontados devem ser limpos separadamente (kits e chaves de roquetes desmontáveis).
(Ver “Instruções de Desmontagem e Montagem”, p. 50).
Limpeza por escovação
Escovar meticulosamente com uma escova macia (por exemplo, de nylon).
Imergir completamente em uma solução desinfetante seguindo as instruções do fabricante.
Lavar com água desmineralizada e tratada por osmose para evitar quaisquer depósitos.
Secar cuidadosamente com tecidos macios, estéreis e sem felpas (combinados com ar comprimido
de grau médico).
Verificar o resultado e repetir o procedimento de limpeza, se necessário.
Limpeza por ultrassom (somente para produtos reutilizáveis)
Colocar os componentes em um tanque de ultrassom de baixa frequência (25 a 50 kHz).
Encher com solução desinfetante detergente compatível com o procedimento.
Limpar os componentes por ultrassom seguindo as recomendações do fabricante.
Lavar com água desmineralizada e tratada por osmose para evitar quaisquer depósitos.
Secar cuidadosamente com tecidos macios, estéreis e sem felpas (combinados com ar comprimido
de grau médico).
Verificar o resultado e repetir o procedimento de limpeza, se necessário.
ATENÇÃO ! Não colocar instrumentos cortantes em contato durante a limpeza por ultrassom.
Raspar uma peça na outra ou contra o tanque pode causar defeito na aparência.
3. LIMPEZA POR CALOR (SOMENTE PRODUTOS REUTILIZÁVEIS)
A desinfecção por calor somente deve ser utilizada para componentes reutilizáveis montados ou
um kit completo, colocado reto com a cobertura aberta.
Realizar um ciclo de desinfecção a calor de 10 minutos a 95ºC (203ºF).
Realizar um ciclo de secagem. Não exceder 140ºC (284ºF).
Secar cuidadosamente com tecidos macios, estéreis e sem felpas (combinados com ar comprimido
de grau médico).
Verificar o resultado e repetir a desinfecção por calor, se necessário.
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
4. ESTERILIZAÇÃO
Nenhum componente pode ser esterilizado sem uma prévia limpeza desinfecção e secagem
(+ pré-desinfecção para componentes reutilizáveis).
Esterilização em autoclave (produtos reutilizáveis e componente permitido descartável)
Colocar cada componente separadamente em uma bolsa de esterilização vedada de acordo com a norma NF EN ISO 11607
e consistente com o método de esterilização (kit completo colocado em uma bolsa reta com as coberturas fechadas).
Realizar o ciclo de autoclave a vapor a 135ºC (275ºF) a 2,13 bares (30,88 psi) por um mínimo de 20 minutos.
Inserir as datas de esterilização e data de vencimento nas bolsas, consistentes com os limites de tempo de esterilidade
definidos dependendo do tipo de embalagem e condições de armazenamento (máximo 1 mês).
ATENÇÃO ! Não utilizar qualquer outro método de esterilização para instrumentos e acessórios.
A anthogyrrecomenda que autoclaves classe B sejam utilizadas.
Seguir as recomendações do fabricante e instruções de uso e manutenção da autoclave.
Observar o espaço entre as bolsas e autoclave.
Observar as condições de armazenagem para os componentes estéreis de acordo com as
recomendações do fabricante das bolsas.

Circular francesa DGS/5C/DHO/E2 nº 2001-138 de 14 de março de 2001.
Esterilização a frio
Se a esterilização em autoclave não for permitida, desinfetar e esterilizar a frio por imersão em uma
solução de CLOREXIDINA
Desmontagem e Montagem
KITS DE INSTRUMENTOS
Abrir as coberturas
insert
Desencaixar os pinos localizados
na parte de trás do kit.
Remover os dispositivos de ¼ e ¾
do corpo do kit principal.
Cuidadosamente remover os braços laterais do corpo principal.
Destacar os pinos principais da cobertura transparente.
Remover as coberturas.
Remover as coberturas laterais do corpo principal.
Destacar as coberturas laterais da lateral do kit.
Remover as extremidades da cobertura lateral ao redor das
placas de aço inoxidável.
Destacar as placas de cobertura de silicone.
Repetir cada estágio em ordem reversa para montar.
AU M A
CATRACA REVERSÍVEL REF. IN CC
N O V A
D I M E N S Ã O
NOVO!
Desmontagem / Montagem
Desparafusar a cabeça 1 e removê-la do corpo principal 2.
Remover o conjunto «roquete 3 + haste 4» a partir do corpo, empurrando
levemente uma contra a outra a roda traseira da haste 4 e a
catraca 3 simultâneo giro da catraca 3 ¼ de volta no sentido contrário
a fim de desbloquear a baioneta.
Repita a operação de desmontagem acima na ordem inversa.
Inserir o conjunto «haste de mola 4 + 5» através da parte de trás do corpo
2. Ajustar a mola 6 em torno da haste 4 com a parte da frente do
corpo 2. Montar o 3 roquete, empurrando-o na haste 4 e
o ¼ de volta no sentido horário para travar a baioneta.
Aparafuse o cabeça 1 no corpo 2.
Remover o parafuso de retenção na parte de trás da chave.
TORQUÍMETRO MANUAL REF. IN CCD
Desmontagem / Montagem
Remover a cabeça do
corpo principal aplicando
uma leve tração.
Remover o corpo principal.
Remover o conjunto
“roquete + mola” da
cabeça.
Repetir cada estágio em ordem reversa para montar, verificando se o roquete está corretamente orientado no corpo da chave,
fazendo marcações em LASER.
Retrabalho do Implante
DESCRIÇÃO
O kit de retrabalho A é um dispositivo específico fornecido como uma solução para situações extremas que
deixam dúvidas sobre a integridade da conexão.
Guia específico de perfuração.
Broca de perfuração helicoidal esquerda para contra-ângulo.
Dispositivo para rosqueamento manual.
INDICAÇÕES E CONTRA-INDICAÇÕES
Reabilitar a rosca do implante M1.6 A após deterioração em um implante osseointegrado e/ou estabilizado
(fratura de um parafuso ou parafusamento comprometida de um parafuso).
É essencial avaliar e remover a origem do problema sempre que possível (taxa de benefício/risco menor que 1).
RECOMENDAÇÕES
Isolar o implante para evitar qualquer risco de ingestão ou projeção de fragmentos.
Tirar uma radiografia dentro-alveolar para avaliar a situação (fragmento, nível de
fratura, etc.).
Se necessário, liberar a gengiva peri-implante para obter bom acesso ao implante.
Limpar a cabeça e conicidade visível do implante pulverizando água e ar várias vezes
espalhado com álcool desengordurante.
Lubrificar a rosca interna (se possível) com um lubrificante biocompatível.
PROTOCOLO DO USUÁRIO
Situação nº 1: rosca interna do implante danificada
Parafusar o dispositivo de rosqueamento manualmente 2/10 ou 3/10 de um milímetro
ao longo do eixo do implante, seguindo a conicidade do implante e nunca forçando.
Remover cuidadosamente o dispositivo de rosqueamento manualmente.
Limpar o filamento interno e remover quaisquer fragmentos que se formaram.
Repetir esses procedimentos até o fim da conicidade.
Re-testar um parafuso.
Parafuso
Implante
Situação nº 2: parafuso fraturado
Cenário nº 1: fragmento(s) livres de parafuso e rotação
Usar uma sonda reta ou broca de perfuração com ponta diamantada em um contra-ângulo
manual.
Travar a ponta do instrumento em um dos pontos ásperos na superfície visível do fragmento.
Aplicar força lateral de rotação em sentido anti-horário para desparafusar o(s) fragmento(s).
Remover o(s) fragmento(s) e lascas formados.
Completar o procedimento consultando a situação nº 1.
Ferramenta
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
Cenário nº 2: parafusar fragmento(s) travado(s) em rotação
Solução nº 1: sonda de ultrassom:
Destravar o(s) fragmento(s) por ultrassom mantendo o dispositivo da sonda de ultrassom no centro do fragmento fraturado.
Terminar o procedimento (uma vez que os fragmentos forem liberados) consultando o Cenário nº 1.
ATENÇÃO ! O objetivo é liberar o fragmento fraturado das espirais internas do implante. O uso do ultrassom pode ser perigoso, uma vez que pode danificar a espiral e aumentar as dificuldades. Acima de tudo,
não tentar desparafusar o fragmento por ultrassom.
Solução nº 2: kit de retrabalho A
Colocar o guia de perfuração no implante.
Montar a broca no contra-ângulo.
Ajustar o motor em reverso a uma velocidade de instrumento de 150 a 200 rpm.
Usar a função spray e o movimento para frente e para trás para resfriar a broca.
Pressione a broca para destravar/desparafusar o fragmento.
Remover o guia e a broca.
Completar o procedimento consultando o Cenário nº 1.
Situação nº 3: fragmento(s) parafusa(m), mas não desparafusa(m).
Parafusar o(s) fragmento(s) completamente (um novo parafuso pode ser
introduzido sem qualquer interferência se o(s) fragmento(s) é(são) curto(s).
Usar o dispositivo de rosqueamento do kit M1.6 de retrabalho para reformar as
roscas na parte superior da conicidade.
Desparafusar o(s) fragmento(s) consultando o Cenário nº 1.
Caso contrário:
Consultar a solução nº 2 e furar o centro do fragmento. Completar o
procedimento consultando a situação nº 1.
Após remover cuidadosamente os fragmentos de metal do interior do
implante, remontar a peça protética com um novo parafuso. Não esquecer
de tratar a causa do parafuso fraturado (forças de oclusão, outros.).
54
Números de referência das peças
A. IMPLANTES G E C
REFERÊNCIA
DA PEÇA
IMPLANTES
G
Ø Implante 3.4 mm
Ø Interface protética 2.7 mm
Parafuso de fechamento incluído
Titânio grau V
G Ø 3.4 x 8 mm
G Ø 3.4 x 10 mm
G Ø 3.4 x 12 mm
G Ø 3.4 x 14 mm
G Ø 3.4 x 16 mm
G Ø 3.4 x 18 mm
ESTÉRIL
MAR
CONFIR ADE
ID
IL
IB
N
DIPO
G
ESTÉRIL
G
ESTÉRIL
G
ESTÉRIL
Ø Implante 4.0 mm
Ø Interface protética 2.7 mm
Parafuso de fechamento incluído
Titânio grau V
G Ø 4.0 x 6.5 mm
G Ø 4.0 x 8 mm
G Ø 4.0 x 10 mm
G Ø 4.0 x 12 mm
G Ø 4.0 x 14 mm
MAR
G Ø 4.0 x 16 mm
CONFIR ADE
ILID
IB
N
O
DIP
G Ø 4.0 x 18 mm
Ø Implante 4.6 mm
Ø Interface protética 2.7 mm
Parafuso de fechamento incluído
Titânio grau V
G Ø 4.6 x 6.5 mm
G Ø 4.6 x 8 mm
G Ø 4.6 x 10 mm
G Ø 4.6 x 12 mm
G Ø 4.6 x 14 mm
Ø Implante 5.2 mm
Ø Interface protética 2.7 mm
Parafuso de fechamento incluído
Titânio grau V
G Ø 5.2 x 6.5 mm
G Ø 5.2 x 8 mm
G Ø 5.2 x 10 mm
G Ø 5.2 x 12 mm
G Ø 5.2 x 14 mm
55
AU M A
IMPLANTES
C
NOVO!
Ø Implante 3.4 mm
Ø Interface protética 2.7 mm
Parafuso de fechamento incluído
Titânio grau V
C Ø 3.4 x 8 mm
C Ø 3.4 x 10 mm
C Ø 3.4 x 12 mm
C Ø 3.4 x 14 mm
C Ø 3.4 x 16 mm
C Ø 3.4 x 18 mm
C
N O V A
D I M E N S Ã O
REFERÊNCIA
DA PEÇA
ESTÉRIL
PX34080
PX34100
PX34120
PX34140
PX34160
PX34180
ESTÉRIL
Ø Implante 4.0 mm
Ø Interface protética 2.7 mm
Parafuso de fechamento incluído
NOVO!
Titânio grau V
C Ø 4.0 x 8 mm
C Ø 4.0 x 10 mm
C Ø 4.0 x 12 mm
C Ø 4.0 x 14 mm
C Ø 4.0 x 16 mm
C Ø 4.0 x 18 mm
PX40080
PX40100
PX40120
PX40140
PX40160
PX40180
C
ESTÉRIL
Titânio grau V
C Ø 4.6 x 6.5 mm
C Ø 4.6 x 8 mm
C Ø 4.6 x 10 mm
C Ø 4.6 x 12 mm
C Ø 4.6 x 14 mm
PX46060
PX46080
PX46100
PX46120
PX46140
C
ESTÉRIL
Ø Implante 4.6 mm
Ø Interface protética 2.7 mm
Parafuso de fechamento incluído
NOVO!
NOVO!
Ø Implante 5.2 mm
Ø Interface protética 2.7 mm
Parafuso de fechamento incluído
Titânio grau V
C Ø 5.2 x 6.5 mm
C Ø 5.2 x 8 mm
C Ø 5.2 x 10 mm
C Ø 5.2 x 12 mm
PX52060
PX52080
PX52100
PX52120
56
B. INSTRUMENTOS CIRÚRGICOS
REFERÊNCIA
DA PEÇA
BROCAS E DISPOSITIVOS DE PERFURAÇÃO
Aço inoxidável grau médico
Broca esférica
Aço inoxidável grau médico
Broca ponteira
Brocas helicoidais iniciais
Aço inoxidável grau médico
Broca helicoidal Ø2.0 S
Broca helicoidal Ø2.0 L
NOVO!
Broca helicoidal escalonada
Aço inoxidável grau médico
Broca S
Broca helicoidal escalonada Ø 2.0/ 2.4 S
Broca helicoidal escalonada Ø 2.4/ 3.0 S
Broca helicoidal escalonada Ø 3.0/ 3.6 S
Broca helicoidal escalonada Ø 3.6/ 4.2 S
Broca helicoidal escalonada Ø 4.2/ 4.8 S
NOVO!
Broca L
Broca helicoidal escalonada Ø 2.0/ 2.4 L
Broca helicoidal escalonada Ø 2.4/ 3.0 L
Broca helicoidal escalonada Ø 3.0/ 3.6 L
Broca helicoidal escalonada Ø 3.6/ 4.2 L
Broca helicoidal escalonada Ø 4.2/ 4.8 L
Dispositivos de rosqueamento G
Aço inoxidável de uso medicinal.
Dispositivo de rosqueamento para implante
G Dispositivo de rosqueamento
Ø 3.4 mm
Ø 3.4 x 15 mm
Dispositivo de rosqueamento para implante
G Dispositivo de rosqueamento
Ø 4.0 mm
Ø 4.0 x 15 mm
Dispositivo de rosqueamento para implante
G Dispositivo de rosqueamento
Ø 4.6 mm
Ø 4.6 x 15 mm
Dispositivo de rosqueamento para implante
G Dispositivo de rosqueamento
Ø 5.2 mm
Ø 5.2 x 15 mm
57
AU M A
MANDRIS E CHAVES
N O V A
D I M E N S Ã O
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Mandris de parafusamento de implante
Aço inoxidável grau médico
Mandril curto para implante 18 mm
Mandril longo para implante 25 mm
OPMv180
OPMv250
Chaves de parafusamento de implante
Aço inoxidável grau médico
10 mm
Chave curta para implante
Chave longa para implante
20 mm
OPCv060
OPCv160
Mandril cirúrgico para prótese
Aço inoxidável grau médico
Mandril longo hexagonal
IN MHELv
Chave cirúrgica
Aço inoxidável grau médico
Chave cirúrgica manual
OPCS100
Extensão de mandril
Aço inoxidável grau médico
Extensão de mandril
IN EXM
Chave de suporte de mandril
Aço inoxidável grau médico
Chave de suporte de mandril
NOVO!
IN CPM
Chave de roquete manual
Aço inoxidável grau médico
Chave de roquete manual
IN CC
58
ACESSÓRIOS CIRÚRGICOS
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Medidor de profundidade
Titânio Grau V
Medidor de profundidade Ø 2 mm
Medidor de profundidade Ø 2.4 mm
Medidor de profundidade Ø 3 mm
Medidor de profundidade Ø 3.6 mm
Medidor de profundidade Ø 4.2 mm
Medidor de profundidade Ø 4.8 mm
NOVO!
OPJD020
OPJD024
OPJD030
OPJD036
OPJD042
OPJD048
Guia de perfuração
Aço inoxidável grau médico
Guia de perfuração de paralelismo
KITS CIRÚRGICOS
IN GPPA
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Kit cirúrgico completo
Brocas e dispositivos de perfuração
Mandris e chaves
Acessórios cirúrgicos
Filmes de calibração A incluídos
NOVO!
IN MOD OPS2
Kit de atualização para brocas longas
-
Incluso brocas 6 L + 1 broca verde S
+ inserções cinza
k T DRILL OPS2
-
Kit cirúrgico vazio
IN MOD OPS2v
Filme de calibração A
NOT OPFC
NOT PXFC
59
AU M A
MAR
CONFIR ADE
IBILID
N
O
IP
D
Freio para brocas
N O V A
D I M E N S Ã O
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Freio para brocas S e L
TA6v Grade v
MAR
CONFIR ADE
IBILID
N
O
IP
D
Freio para brocas S Ø 2.0 / Ø 2.4 / Ø 3.0 mm
Lg 6.5 mm
Lg 8 mm
Lg 10 mm
OPB3006C
OPB3008C
OPB3010C
Freio para brocas L Ø 2.0 / Ø 2.4 / Ø 3.0 mm
Lg 6.5 mm
Lg 8 mm
Lg 10 mm
Lg 12 mm
Lg 14 mm
Lg 16 mm
Lg 18 mm
OPB3006L
OPB3008L
OPB3010L
OPB3012L
OPB3014L
OPB3016L
OPB3018L
Ø 3.6 mm
Lg 6.5 mm
Lg 8 mm
Lg 10 mm
OPB3606C
OPB3608C
OPB3610C
Freio para brocas L Ø 3.6 mm
Lg 6.5 mm
Lg 8 mm
Lg 10 mm
Lg 12 mm
Lg 14 mm
Lg 16 mm
Lg 18 mm
OPB3606L
OPB3608L
OPB3610L
OPB3612L
OPB3614L
OPB3616L
OPB3618L
Freio para brocas S Ø 4.2 mm
Lg 6.5 mm
Lg 8 mm
Lg 10 mm
OPB4206C
OPB4208C
OPB4210C
Freio para brocas L Ø 4.2 mm
Lg 6.5 mm
Lg 8 mm
Lg 10 mm
Lg 12 mm
Lg 14 mm
OPB4206L
OPB4208L
OPB4210L
OPB4212L
OPB4214L
Freio para brocas S Ø 4.8 mm
Lg 6.5 mm
Lg 8 mm
Lg 10 mm
OPB4806C
OPB4808C
OPB4810C
Freio para brocas L Ø 4.8 mm
Lg 6.5 mm
Lg 8 mm
Lg 10 mm
Lg 12 mm
Lg 14 mm
OPB4806L
OPB4808L
OPB4810L
OPB4812L
OPB4814L
KIT DE FREIOS
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Kit de freios para brocas
36 stop kit for S and L drills
IN MOD OPBSL
C. COMPONENTES PROTÉTICOS
Componentes da prótese são fornecidos não estéreis, a menos que indicado de outra forma.
PARAFUSOS PROTÉTICOS
Parafuso de fechamento (ESTÉRIL)
Titânio grau V
Parafuso de fechamento
Parafusos de cicatrização (ESTÉRIL)
Titânio grau V
Diâmetro base
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Diâmetro base
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Diâmetro base
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Diâmetro base
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
Parafuso de cicatrização
NOVO!
Diâmetro base
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
NOVO!
Diâmetro base
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
NOVO!
Diâmetro base
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
NOVO!
Diâmetro base
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
Parafuso de cicatrização curto
REFERÊNCIA
DA PEÇA
AUMA
N O V A
PARAFUSOS PROTÉTICOS
D I M E N S Ã O
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Parafusos protéticos padrão M1.6
Titânio grau V
Parafuso protético Black Tite® M1.6
Parafuso protético de titânio M1.6
Parafuso de laboratório M1.6
Parafuso curto “pick-up”
Parafuso longo “pick-up”
OPTS160
OPTS161
OPTS162
OPPu101
OPPu102
Parafusos protéticos padrão M1.6
Titânio grau V
Parafuso de zircônia curto Black Tite® M1.6
Parafuso de zircônia curto M1.6
Parafuso de zircônia longo Black Tite®
Parafuso de zircônia longo M1.6
OPAz010
OPAz011
OPAz030
OPAz031
Parafusos protéticos M1.4
Titânio grau V
Parafuso de pilar cônico angulado Black Tite® M1.4
Parafuso de pilar cônico angulado Titânio 1.4
Parafuso “pick-up” de pilar cônico angulado curto
Parafuso “pick-up” de pilar cônico angulado longo
OPAC140
OPAC141
OPAC501
OPAC502
Parafuso a ser utilizado preferivelmente para restaurações protéticas em de laboratório.
TRANSFERÊNCIAS E ANÁLOGOS
NOVON
DESIG
NOVON
DESIG
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Transferência “pick-up”
Moldagem diretamente do implante
Parafusos “pick-up” curtos e longos incluídos
Titânio grau V
Análogo de implante (unitário)
Análogo de implante (por 4)
OPPu100
OPPu100-4
Transferência “pop-in”
Moldagem diretamente do implante
Parafusos “pop-in” incluídos
Titânio grau V
Análogo de implante (unitário)
Análogo de implante (por 4)
OPPI100
OPPI100-4
Análogo de implante
Parafuso protético de titânio M1.6 incluído
Titânio grau V
Análogo de implante (unitário)
Análogo de implante (por 4)
OPIA100
OPIA100-4
PILARES TEMPORÁRIOS
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Pilares temporários
(ESTÉRIL)
Parafuso protético Black Tite® M1.6 incluído
Titânio grau V
Diâmetro base Ø 3,4 mm
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
NOVON
DESIG
Diâmetro base Ø 4,0 mm
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
Diâmetro base Ø 5,0 mm
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
Diâmetro base Ø 6,0 mm
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
Pilar temporário
PILARES PERSONALIZADOS
NOVO
OPTP310
OPTP320
OPTP330
OPTP340
OPTP400
OPTP410
OPTP420
OPTP430
OPTP440
OPTP500
OPTP510
OPTP520
OPTP530
OPTP540
OPTP610
OPTP620
OPTP630
OPTP640
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Pilar “calcinável” de base ouro
Parafuso protético Black Tite® M1.6 incluído
CERAMICOR & PMMA
Pilar “calcinável” de base ouro
OPOG110
Gold cast-on abutment PIvOSYL**
Parafuso protético Black Tite® M1.6 incluído
PIvOzYL & PMMA
Pilar “calcinável” de base ouro
OPOG100
Pilar para ajuste de tamanho
Parafuso protético Black Tite® M1.6 incluído
Titânio grau 5
Pilar para ajuste de tamanho
OPFS100
** Sujeito a disponibilidade de estoque.
63
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
REFERÊNCIA
DA PEÇA
PILARES ESTÉTICOS DE TITÂNIO
Pilares estéticos de titânio (EST)
Parafuso protético Black Tite® M1.6 incluído
Titânio grau V
Diâmetro base Ø 3,4 mm
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
7°
7°
7°
7°
15°
15°
15°
15°
Diâmetro base Ø 4.0 mm
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
0°
0°
0°
0°
0°
7°
7°
7°
7°
7°
15°
15°
15°
15°
15°
23°
23°
23°
23°
23°
Diâmetro base Ø 5.0 mm
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Pilar de titânio EST
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
0°
0°
0°
0°
0°
7°
7°
7°
7°
7°
15°
15°
15°
15°
15°
23°
23°
23°
23°
23°
NOVO
NOVO
NOVO
NOVO
NOVO
NOVO
NOVO
NOVO
NOVO
NOVO
OPAT31-7
OPAT32-7
OPAT33-7
OPAT34-7
OPAT311
OPAT321
OPAT331
OPAT341
OPAT400
OPAT410
OPAT420
OPAT430
OPAT440
OPAT40-7
OPAT41-7
OPAT42-7
OPAT43-7
OPAT44-7
OPAT401
OPAT411
OPAT421
OPAT431
OPAT441
OPAT402
OPAT412
OPAT422
OPAT432
OPAT442
OPAT500
OPAT510
OPAT520
OPAT530
OPAT540
OPAT50-7
OPAT51-7
OPAT52-7
OPAT53-7
OPAT54-7
OPAT501
OPAT511
OPAT521
OPAT531
OPAT541
OPAT502
OPAT512
OPAT522
OPAT532
OPAT542
64
REFERÊNCIA
DA PEÇA
PILARES ESTÉTICOS DE TITÂNIO
Pilares estéticos de titânio (EST)
Parafuso protético Black Tite® M1.6 incluído
Diâmetro base Ø 6.0 mm
Pilar de titânio EST
Ø 6.0 H1.5
Pilar de titânio EST
Ø 6.0 H2.5
Pilar de titânio EST
Ø 6.0 H3.5
Pilar de titânio EST
Ø 6.0 H4.5
Pilar de titânio EST
Ø 6.0 H1.5
Pilar de titânio EST
Ø 6.0 H2.5
Pilar de titânio EST
Ø 6.0 H3.5
Pilar de titânio EST
Ø 6.0 H4.5
0°
0°
0°
0°
15°
15°
15°
15°
PILAR ESTÉTICO DE ZIRCONIA
NOVO
NOVO
OPAT610
OPAT620
OPAT630
OPAT640
OPAT611
OPAT621
OPAT631
OPAT641
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Pilares Estéticos de zirconia.
Reto 0° e 15° pilares angulados
Titânio grau V
Diâmetro base Ø 4.0 mm
OPAZ010 e OPAZ011 parafusos incluídos
Pilar de zirconia
Ø 4.0 H1.5 - 0°
Pilar de zirconia
Ø 4.0 H1.5 - 15°
OPAz410
OPAz411
OPAZ030 e OPAZ031 parafusos incluídos
Pilar de zirconia
Ø 4.0 H3.5 - 0°
Pilar de zirconia
Ø 4.0 H3.5 - 15°
OPAz430
OPAz431
Diâmetro base Ø 5.0 mm
OPAZ010 e OPAZ011 parafusos incluídos
Pilar de zirconia
Ø 5.0 H1.5 - 0°
Pilar de zirconia
Ø 5.0 H1.5 - 15°
OPAz510
OPAz511
OPAZ030 e OPAZ031 parafusos incluídos
Pilar de zirconia
Ø 5.0 H3.5 - 0°
Pilar de zirconia
Ø 5.0 H3.5 - 15°
OPAz530
OPAz531
65
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
REFERÊNCIA
DA PEÇA
PILARES DE TITÂNIO STANDARD
Pilares de titânio standard (STD) ESTÉRIL
Parafuso protético Black Tite® M1.6 incluído
Titânio grau V
Pilar padrão 0°
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Pilar de titânio STD
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 3.4
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 4.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 5.0
Ø 6.0
Ø 6.0
Ø 6.0
Ø 6.0
Ø 6.0
Ø 6.0
H1.5/H4
H2.5/H4
H3.5/H4
H1.5/H6
H2.5/H6
H3.5/H6
H1.5/H4
H2.5/H4
H3.5/H4
H1.5/H6
H2.5/H6
H3.5/H6
H1.5/H4
H2.5/H4
H3.5/H4
H1.5/H6
H2.5/H6
H3.5/H6
H1.5/H4
H2.5/H4
H3.5/H4
H1.5/H6
H2.5/H6
H3.5/H6
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
0°
OPST314
OPST324
OPST334
OPST316
OPST326
OPST336
OPST414
OPST424
OPST434
OPST416
OPST426
OPST436
OPST514
OPST524
OPST534
OPST516
OPST526
OPST536
OPST614
OPST624
OPST634
OPST616
OPST626
OPST636
Pilar padrão 15° (360° rotation)
Pilar de titânio STD
Ø 4.0 H1.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 4.0 H2.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 4.0 H3.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 5.0 H1.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 5.0 H2.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 5.0 H3.5/H6
15°
15°
15°
15°
15°
15°
OPST416_15
OPST426_15
OPST436_15
OPST516_15
OPST526_15
OPST536_15
Pilar padrão 23° (360° rotation)
Pilar de titânio STD
Ø 4.0 H1.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 4.0 H2.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 4.0 H3.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 5.0 H1.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 5.0 H2.5/H6
Pilar de titânio STD
Ø 5.0 H3.5/H6
23°
23°
23°
23°
23°
23°
OPST416_23
OPST426_23
OPST436_23
OPST516_23
OPST526_23
OPST536_23
ANÁLOGO DE PILAR STANDARD
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Análogo de pilar standard (STD)
Titânio grau V
Diâmetro base Ø 3,4 mm
Altura da coroa 4 mm e 6 mm
Análogo de pilar STD
Análogo de pilar STD
OPSA304
OPSA306
Diâmetro base Ø 4,0 mm
Altura da coroa 4 mm e 6 mm
Análogo de pilar STD
Análogo de pilar STD
OPSA404
OPSA406
Diâmetro base Ø 5,0 mm
Altura da coroa 4 mm e 6 mm
Análogo de pilar STD
Análogo de pilar STD
OPSA504
OPSA506
Diâmetro base Ø 6,0 mm
Altura da coroa 4 mm e 6 mm
Análogo de pilar STD
Análogo de pilar STD
OPSA604
OPSA606
TRANSFERENTE DO PILAR STANDARD
NOVON*
DESIG
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Transferente do pilar sstandard (STD)
Plástico grau médico
Transferência de pilar (unitário)
Transferência de pilar (por 5)
CAPAS DE PROTEÇÃO DO PILAR STANDARD.
OPTT100
OPTT100-5
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Capas de proteção do pilar standard (STD)
PEEK grau médico
Diâmetro base Ø 3,4 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Cobertura protetora
Cobertura protetora
OPPC304
OPPC306
Diâmetro base Ø 4,0 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Cobertura protetora
Cobertura protetora
OPPC404
OPPC406
Diâmetro base Ø 5,0 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Cobertura protetora
Cobertura protetora
OPPC504
OPPC506
Diâmetro base Ø 6,0 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Cobertura protetora
Cobertura protetora
OPPC604
OPPC606
* Disponibilidade para ser confirmada.
67
AU M A
COPINGS CALCINÁVEIS UNITÁRIOS
N O V A
D I M E N S Ã O
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Copings para prótese unitária
Copings para prótese única (SING)
PMMA grau médico
Diâmetro base Ø 3,4 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Coping calcinável
Ø 3.4 H4
Coping calcinável
Ø 3.4 H6
OPCA304
OPCA306
Diâmetro base Ø 4,0 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Coping calcinável SING
Ø 4.0 H4
Coping calcinável SING
Ø 4.0 H6
OPCA404
OPCA406
Diâmetro base Ø 5,0 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Coping calcinável SING
Ø 5.0 H4
Coping calcinável SING
Ø 5.0 H6
OPCA504
OPCA506
Diâmetro base Ø 6,0 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Coping calcinável SING
Ø 6.0 H4
Coping calcinável SING
Ø 6.0 H6
OPCA604
OPCA606
COPINGS CALCINÁVEIS MÚLTIPLOS
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Copings calcináveis rotacionais
Copings para prótese múltipla (MULT)
PMMA grau médico
Diâmetro base Ø 3,4 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Coping calcinável MULT
Coping calcinável MULT
Ø 3.4 H4
Ø 3.4 H6
OPCR304
OPCR306
Diâmetro base Ø 4,0 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Coping calcinável MULT
Coping calcinável MULT
Ø 4.0 H4
Ø 4.0 H6
OPCR404
OPCR406
Diâmetro base Ø 5,0 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Coping calcinável MULT
Coping calcinável MULT
Ø 5.0 H4
Ø 5.0 H6
OPCR504
OPCR506
Diâmetro base Ø 6,0 mm
Altura da coroa 4 e 6 mm
Coping calcinável MULT
Coping calcinável MULT
Ø 6.0 H4
Ø 6.0 H6
OPCR604
OPCR606
REFERÊNCIA
DA PEÇA
PILARES CÔNICOS RETOS
Pilares cônicos retos
Diâmetro base Ø 4,8 mm
(ESTÉRIL))
Titânio grau V
Pilar cônico
Pilar cônico
Pilar cônico
OPSC010
OPSC020
OPSC030
Peças secundárias
PMMA
Coping calcinável
Parafuso do pilar cônico Black Tite® M1.4 incluído
OPSC100
NOVON
Titânio grau V
Coping temporário
(ESTÉRIL)
Parafuso do pilar cônico de titânio M1.4 incluído
OPSC200
NOVON
Titânio grau V
Tampa protetora
DESIG
DESIG
NOVO
NOVO
DESIGN
NOVON*
DESIG
OPSC300
(ESTÉRIL)
CERAMICOR & PMMA
Coping “calcinável” de base ouro
Parafuso do pilar cônico de titânio M1.4 incluído
OPSC410
PMMAI & PIVOZYL grau médico
Coping “calcinável” de base ouro
Parafuso do pilar cônico Black Tite® M1.4 incluído
OPSC400
Titânio grau V
Transferência de pilar “pick-up” (unitário)
Transferência de pilar “pick-up” (por 4)
Parafusos “pick-up” de pilar cônico longo e curto incluídos
Titânio grau V
Transferência de pilar “pop-in” (unitário)
Transferência de pilar “pop-in” (por 4)
OPSC600
OPSC600-4
Titânio grau V
Análogo de pilar cônico Ø 4,0 (unitário)
Análogo de pilar cônico Ø 4,0 (por 4)
M1.4 parafuso de titânio do pilar cônico incluído
OPSC700
OPSC700-4
REFERÊNCIA
DA PEÇA
SISTEMA pacific
NOVO
Kit completo para pacific sistema
Anel de ligação Ø 4,0 mm
Black Tite® M1.4 parafuso do pilar cônico incluído
pacific analógico
M1.4 parafuso laboratório e curto pick-up parafuso incluído.
castable lidar
* Disponibilidade para ser confirmada.
OPSC500
OPSC500-4
k IT OPSC800
OPSC800
OPSC910
OPSC901
** Sujeito a disponibilidade de estoque.
AU M A
N O V A
REFERÊNCIA
DA PEÇA
PILARES CÔNICOS ANGULADOS
Pilares cônicos angulados
Diâmetro base Ø 4,8 mm
D I M E N S Ã O
(ESTÉRIL)
Titânio grau V
Parafuso protético Black Tite® M1.6 incluído
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
Pilar cônico angulado
OPAC022
OPACR22
OPAC023
OPACR23
OPAC032
OPACR32
OPAC033
OPACR33
OPAC042
OPACR42
OPAC043
OPACR43
Peças secundárias
NOVON
DESIG
NOVO
NOVON
DESIG
PMMA
Coping calcinável
Parafuso do pilar cônico Black Tite® M1.4 incluído
OPAC100
Titânio grau V
Coping temporário
Parafuso do pilar cônico de titânio M1.4 incluído
OPAC200
Titânio grau V
Tampa protetora
OPAC300
CERAMICOR & PMMA
Coping “calcinável” de base ouro
Parafuso do pilar cônico de titânio M1.4 incluído
OPAC410
PMMAI & PIVOZYL grau médico
Coping “calcinável” de base ouro
Parafuso do pilar cônico Black Tite® M1.4 incluído
OPAC400
Titânio grau V
Transferência de pilar “pick-up” (unitário)
Transferência de pilar “pick-up” (por 4)
Parafusos “pick-up” de pilar cônico longo e curto incluídos
Titânio grau V
Transferência de pilar “pop-in” (unitário)
Transferência de pilar “pop-in” (por 4)
Titânio grau V
Análogo de pilar cônico Ø 4,8 (unitário)
Análogo de pilar cônico Ø 4,8 (por 4)
M1.4 parafuso de titânio do pilar cônico incluído
OPAC500
OPAC500-4
OPAC600
OPAC600-4
OPAC700
OPAC700-4
** Sujeito à disponibilidade de estoque.
70
REFERÊNCIA
DA PEÇA
PILARES LOCATOR®
NÃO ESTÉRIL
Pilares LOCATOR
u
Diâmetro base Ø 4,0 mm
Titânio grau V
Pilar LOCATOR
Pilar LOCATOR
Pilar LOCATOR
H1.5
H2.5
H3.5
OPLA010
OPLA020
OPLA030
Peças secundárias
Titânio, Polietileno e nylon de grau médico
LOCATOR macho
Ref. 8519
OPLA100
Nylon grau médico
Dispositivo “transparente” STD
Por 4
Ref. 8524
OPLA200
Nylon grau médico
Dispositivo “rosa” claro
Por 4
Ref. 8527
OPLA300
Nylon grau médico
Dispositivo “azul” extra claro
Por 4
Ref. 8529
OPLA400
Alumínio grau médico
Transferência LOCATOR
Por 4
Ref. 8505
OPLA500
Alumínio grau médico
Análogo LOCATOR 4 mm
Por 4
Ref. 8530
OPLA600
71
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
D. INSTRUMENTOS PARA PRÓTESE
CHAVES E MANDRIS
Mandris protéticos para prótese
Aço inoxidável grau médico
Mandril hexagonal curto
Mandril hexagonal longo
Chaves protéticas para prótese
Aço inoxidável grau médico
Chave hexagonal curta
Chave hexagonal longa
Mandril pilar cônico reto
Aço inoxidável grau médico
Mandril pilar cônico
Chave pilar cônico reto
Aço inoxidável grau médico
Chave pilar cônico
Mandril pilar LOCATOR
Aço inoxidável grau médico
Mandril LOCATOR Ref. 8913
Chave pilar LOCATOR
Aço inoxidável grau médico
Chave LOCATOR Ref. 8260
Chave pilar LOCATOR
Aço inoxidável grau médico
Chave LOCATOR 3 em 1 Ref. 8993
Vendida individualmente
Torquímetro manual
Aço inoxidável grau médico
Torquímetro manual
Ferramentas de Aperto
REFERÊNCIA
DA PEÇA
72
KITS PARA PRÓTESES
-
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Kit protético completo
Mandris e chaves
IN MOD OPP
Kit protético vazio
IN MOD OPPv
KITS PARA RETRABALHO
REFERÊNCIA
DA PEÇA
Kit para retrabalho implante A
Broca helicoidal esquerda Ø 1,2 TIN
Guia broca A
Dispositivo rosqueamento M1,6 x 0,35
OP RETOuCHE
Broca helicoidal esquerda Ø 1,2 TIN
OPFM12
Dispositivo rosqueamento M1,6 x 0,35
OPTAM16
73
AU M A
N O V A
D I M E N S Ã O
REFERÊNCIA
DA PEÇA
KIT DE PILARES DE TESTE
Titânio grau V
Pilar reto “try-in”
Pilar reto “try-in”
Pilar reto “try-in”
Pilar reto “try-in”
Pilar reto “try-in”
Pilar reto “try-in”
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
0°
0°
0°
0°
0°
OPSF006
OPSF016
OPSF026
OPSF036
OPSF046
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
Pilar angulado “try-in
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
H0.75
H1.5
H2.5
H3.5
H4.5
7°
7°
7°
7°
7°
15°
15°
15°
15°
15°
23°
23°
23°
23°
23°
OPAF00-7
OPAF01-7
OPAF02-7
OPAF03-7
OPAF04-7
OPAF001
OPAF011
OPAF021
OPAF031
OPAF041
OPAF002
OPAF012
OPAF022
OPAF032
OPAF042
Titânio grau V
Pilar angulado conico “try-in”18°
Pilar angulado conico “try-in” R
Pilar angulado conico “try-in” R
Pilar angulado conico “try-in” R
Pilar angulado conico “try-in” AR
Pilar angulado conico “try-in” AR
Pilar angulado conico “try-in” AR
H2.5
H3.5
H4.5
H2.5
H3.5
H4.5
18°
18°
18°
18°
18°
18°
OPCFR22
OPCFR32
OPCFR42
OPCF022
OPCF032
OPCF042
Pilar angulado conico “try-in” 30°
Pilar angulado conico “try-in” R
Pilar angulado conico “try-in” R
Pilar angulado conico “try-in” R
Pilar angulado conico “try-in” AR
Pilar angulado conico “try-in” AR
Pilar angulado conico “try-in” AR
H2.5
H3.5
H4.5
H2.5
H3.5
H4.5
30°
30°
30°
30°
30°
30°
OPCFR23
OPCFR33
OPCFR43
OPCF023
OPCF033
OPCF043
DE
IBILIDA
DISPON SER
PARA
MADO
CONFIR
74
Notas
75
A
!
E!
PLANT VO IMPLANT
NO
ue and innovative A concept :
NGLE morse tapered connection !
mmon prosthetic range.
G E surgical kit.
A REGULAR
dré Lasquin - 74700 Sallanches - FRANCE
0 58 02 37 - Fax +33 (0)4 50 93 78 60
yr.com
Promessa de
Promise of eXpertise
especialização
C an ideal complement :
w Indications of immediate post-extraction
implant placement and low-density bone.
w Conical design, self-drilling and
self-tapping thread.
A
A nova dimensão
C
B
Ref. NOT AXIOM R-PX1 - 2012-05
G
A global solution for dental implantology
Rua Cubatão, 86, sala 404 - São Paulo/SP - Fone. (11) 3284-1804 - www.anthogyr.com

Documentos relacionados