Ler artigo

Сomentários

Transcrição

Ler artigo
SOCIEDADE
SOFIA DA PALMA RODRIGUES
Q
uemjulgaque começouprimeiro a fazer dieta: o homem ou a
mulher? Respondeu à segunda
opção? É natural – mas está errado.William Banting, um inglês obeso que tinha dificuldade em subir
e descer escadas e atar os atacadores dos
sapatos, foi a primeira pessoa a seguir um
plano alimentar. Em 1850, depois de ter
tentado emagrecercombanhos turcos, diuréticos e um plano de exercício físico rigoroso, seguiu uma dieta pobre em hidratos
de carbono, açúcar e gorduras.
O plano alimentar obrigava a quatro refeições por dia e Banting apenas podia comer proteínas, vegetais verdes, fruta pouco doce e um copo de vinho. Com a ajuda
do médico britânico WilliamHarvey(o primeiro a descrever correctamente os detalhes do sistemacirculatório), o carpinteiro
perdeu23 quilos, comumamédiade meio
quilo por semana.
O primeiro livro sobre dietas surgiu 12
anos depois. EmLetteron Corpulence Addressed to the Public, Banting contou a sua históriae deu alguns conselhos. Apublicação
foi um sucesso, teve quatro edições e foi
traduzida em francês e em alemão.
Até ao fim do século XIX, as pessoas andavam mais preocupadas em não passar
fomedo queememagrecer, eporisso o culto por um corpo magro e sem gorduras só
atingiu o pico no século XX. ArevistaVogue
inaugurou o ano de 1900 com um editorial
emque sentenciava: “Deveriampensarque
éumcrimesergordo.” Vinteedois anos depois, amesmarevistalançouumslogan que
pegou: “Viva o modo de magreza.” O culto
do corpo começouaexpandir-seatodaaindústria da moda e da cosmética. Uma das
mais famosas empresárias no ramo, apolaca Helena Rubinstein, referia-se ao excesso
de gordura como “algo repugnante”.
As mulheres faziam de tudo para ficar
mais magras. Gurus e charlatães, amaioria
não especialistanamatéria, ganhavamfortunas com a sua obsessão. Sylvia de
Hollywood foi uma das primeiras gurus.
Recomendava a famosa dieta dos 18 dias,
baseada em toranja, laranja, torradas, verduras e ovos cozidos, que foi postaemcausa quando algumas pessoas começaram a
morrer – com fome. Sylvia aconselhou actrizes americanas como Jean Harlow, Norma Shearer, Gloria Swanson e Ina Claire.
Dizia-lhes que a gordura saía “pelos poros
como puré de batataatravés de umapeneira” e recomendava-lhes que comprassem
balanças de casa de banho para lançar “o
medo de Deus nelas próprias”.
A tirania da magreza chegou à publicidade. Em1918 foilançado o primeiro anún-
ALIMENTAÇÃO. HISTÓRIA DOS REGIMES
As nossas bisavós
Aprimeirapessoaafazerdietafoiumcarpinteiroinglês,em1850,massónosanos20doséculo
milhões.Aobsessãoporperderquilosfoialastrandoaopontodegeraraquiloquefoidescritocomo
88
7 ABRIL 2011
Sete datas essenciais
ENTRE A DIETA INAGURAL E A “NEUROSE” COLECTIVA PASSARAM POUCO MAIS DE 100 ANOS
1850 William Banting faz
a primeira dieta do mundo,
baseada em proteínas, vegetais
e fruta sem açúcar
cio a balanças de casa de banho. A Healtho-Meter e a The Continental propunham-se regular a gordura sempre que os “graciosos contornos da juventude se tornassem pesados e desagradáveis”. Vendiamse sabonetes, completamente inúteis, de
cânfora, bicarbonato de sódio, amido de
milho e perfume, paradissolver agordura,
que resultavam em mais de 20 mil dólares
anuais (16 mileuros) paraos cofres das empresas de cosmética. A sua venda acabou
porserproibidaquando as autoridades norte-americanas consideraram fraudulenta a
comercialização destes produtos.
1862 Banting escreve o primeiro livro sobre dietas, traduzido em
francês e alemão
O INSTRUTOR DE FITNESS Jack LaLanne
aproveitou a neurose colectiva e, nos anos
30, abriu um dos primeiros health clubs do
mundo, em Oakland. LaLanne estendeu o
projecto àpraiade SantaMónica, onde homens e mulheres podiam esculpir os músculos na plataforma de madeira montada
parao efeito. No fim dos anos 50, o Muscle
Beach fechou e LaLanne passou adar aulas
natelevisão paraas donas de casa“fazerem
exercício e sentirem-se bem”.
As dietas transformaram-se num negócio e as empresas actualizaram-se para satisfazeras novas necessidades dos clientes.
Começaram a comercializar-se pães especiais, laxantes em forma de gomas e comprimidos paradiminuiro desejo de consu-
1930 Estrelas de cinema como
1918 Sai o primeiro anúncio
Vendiam-se cadeiras, plataformas vibratórias e espartilhos para reduzir o tronco e
o estômago, cujo efeito prático era reter o
suornasuperfície do corpo, causando adesidratação da pele.
a balanças de casa de banho
1922 A revista Vogue lança o
slogan “Viva o modo de magreza”
1930 O instrutor Jack LaLanne abre,
em Oakland, um dos primeiros health
clubs do mundo
Jean Harlow rendem-se à dieta
dos 18 dias, que chegou a
matar pessoas
1959 O The New York Times
diz que os americanos sofrem de
“uma neurose da dieta”
mircarne animal. O consumo de tabaco era
incentivado porqueseconsideravaque“enganavaafome”. Os cigarros LuckyStrike tinham um slogan bem elucidativo: “Quando tentados por um alimento, fumem um
Luckye abstenham-se do consumo de coisas que provocam excesso de peso.”
PERDER PESO tornou-se verdadeiramente
perigoso quando tomarcomprimidos para
emagrecer passou a ser comum. Segundo
o jornalThe Independent, os precursores dos
famosos comprimidos Alli (considerados
perigosos pelo grupo Lose Weightporque,
paraevitaremaabsorção degorduras, fazem
com que estas sejam libertadas nas fezes,
causando problemas intestinais) garantiam
um emagrecimento rápido mas causavam
problemas de coração.
O jornal inglês avança ainda que as cápsulas Dinitrophenol,queprometiamefeitos
semelhantes, foram tomadas por mais de
100milamericanos. Muitos ficaramcegos e
perderam o paladar– o medicamento tinha
sido utilizado em explosivos durante a I
Guerra Mundial e era prejudicial à saúde.
A obsessão pelo corpo ficou tão incontrolável que em 1959 o jornal New York Times escrevia que os americanos sofriam de
uma “neurose da dieta”, com especial destaque paramulheres (72%). Contraditoriamente, mais de 50 anos depois o excesso de
peso é uma das principais causas de morte
no mundo. ós já faziam dieta
o passado nasceu uma verdadeira indústria do emagrecimento, que hoje movimenta
o uma neurose colectiva, criando pessoas tão obcecadas que chegaram a morrer–de fome
SÁBADO
89

Documentos relacionados