rep_0104 - CINTAL - Universidade do Algarve

Сomentários

Transcrição

rep_0104 - CINTAL - Universidade do Algarve
CINTAL - Centro de Investigação Tecnológica do Algarve
Universidade do Algarve
Relatório de Actividades e Contas
2003
S.M. Jesus
Rel 01/04 - CINTAL
18/Março/2004
Universidade do Algarve
Campus da Penha
8005-139 Faro
Portugal
tel: +351-289800131
fax: +351-289864258
[email protected]
www.ualg.pt/cintal
Laboratório onde foi
realizado o trabalho
Projectos
Tı́tulo
Autor
Data
Referência
Número de páginas
Resumo
Classificação
Lista de distribuição
Número de cópias total
CINTAL
Universidade do Algarve, Campus da Penha,
8005-139 Faro, Portugal
tel: +351-289800131, [email protected],
www.ualg.pt/cintal
CINTAL
Relatório de Actividades e Contas 2003
S.M.Jesus
18 de Março de 2004
01/04 - CINTAL
27 (vinte e sete)
Este relatório descreve as actividades desenvolvidas
e transcreve o relatório de contas do CINTAL
relativament ao ano de 2003.
NÃO CLASSIFICADO
UALG(1), INETI(1), ROLEAR(1), CINTAL(2)
5 (cinco)
Copyright [email protected]
Aprovado para publicação
E. Alte da Veiga
Presidente do Conselho de Administração
Índice
1 Introdução
5
2 Os projectos e as realizações
2.1 Bóia Acústica Oceanográfica - AOB e projectos em acústica
2.1.1 A AOB . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2.1.2 Os projectos AOB e HFi . . . . . . . . . . . . . . .
2.2 Conclusões do projecto MOVIDE . . . . . . . . . . . . . .
2.3 Introdução ao projecto EXOCET/D . . . . . . . . . . . . .
submarina
. . . . . .
. . . . . .
. . . . . .
. . . . . .
7
7
7
8
8
9
3 A imagem e o futuro do Cintal
3.1 A transferência de conhecimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2 Acções de divulgação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.3 Previsões para 2004 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
10
10
10
11
A Relatório de Contas
14
B Publicações do Cintal
18
B.1 Em revista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18
B.2 Em conferência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
B.3 Relatórios e teses . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
III
IV
ÍNDICE
(página em branco)
Capı́tulo 1
Introdução
De acordo com os mais recentes
ı́ndices e previsões a nı́vel europeu, o
ano de 2003 foi o ano de inı́cio da retoma económica e o ano de 2004 será
o ano da consolidação dessa mesma retoma. Em relação à Europa, Portugal
sofre do habitual atraso infraestrutural,
educacional e de desenvolvimento o que
se traduz na prática por uma chegada
em diferido da retoma do crescimento
económico que só deverá ser sensı́vel
durante 2004. A nı́vel de investimento
no desenvolvimento cientı́fico, 2002 e
2003 foram anos de estagnação. Durante estes dois anos práticamente não
foram iniciados novos projectos e novas
bolsas de formação avançada (doutoramento e pós-doutoramento) foram distribuı́das a conta-gotas tendo as bolsas
existentes sido mantidas com dificuldade. Os vários concursos para projectos e re-equipamento das instituições,
executados em 2002 ainda não foram
totalmente avaliados e muito menos
iniciados. Os laboratórios associados
foram colocados em espera. As instituições de ensino superior foram fortemente restringidas nos seus orçamentos
que, no novo ano de 2004, praticamente só chegam para os custos de pessoal. Neste contexto de forte contenção
orçamental, os centros de investigação
encontram-se na cauda de menor custo
social e por isso os primeiros a serem
cortados da lista de pagamentos.
maiores despesas fixas. Os que melhor
enfrentarem a crise foram aqueles que
possuiam algumas economias e/ou que
mantem ligações europeias, que essas
continuaram a fluir normalmente durante estes dois últimos anos.
Figura 1.1 Logotipos das instituições parceiras do Cintal no projecto High-Frequency
Initiative (HFi).
Neste panorama de fraco crescimento da I&D em Portugal, o Cintal continuou em 2003 os projectos existentes, maioritariamente financiados
pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), nomeadamente os projectos ATOMS, CERN e 3D Modelling
from Video. Terminaram entretanto os
vários projectos de pequena dimensão
no âmbito da Fundação das Universidades Portuguesas e Ministério da Defesa Nacional (FUP-MDN), assim como
o projecto MOVIDE e ACID que se
encontra na sua fase final de execu-
A nı́vel nacional os centros mais penalizados foram sem dúvida os mais
expostos, com maior investimento em
curso, com mais pessoal e/ou com
5
6
ção. Dois novos projectos foram entretanto aprovados: o projecto EXOCET/D a nı́vel europeu no 6PQ e
o NUACE na FCT, ambos com a
duração de três anos. O Cintal iniciou através do seu laboratório associado SiPLAB, duas parcerias internacionais (por enquanto não financiadas)
no âmbito da acústica submarina. Um
dos projectos, denominado AOB-JRP,
é um projecto conjunto (Joint Research
Project- JRP) com a Marinha Holandesa, Centro NATO em La Spezia
(Itália) e a Universidade de Bruxelas;
o outro é uma colaboração com cerca
de cinco grandes instituições nos Estados Unidos (SAIC, UDEL, SPAWAR,
Univ. Washington e NRL) e denominase High - Frequency Initiative (HFi).
Ambas colaborações têm uma duração
de 3 anos.
Durante o ano de 2003 o Cintal iniciou, de acordo com a opção tomada
no seu plano de actividades, uma fase
de reposicionamento da sua polı́tica de
financiamento da investigação, no sentido de explorar vias de comercialização
do know-how adquirido através de contractos de parceria com empresas nas
suas especialidades. Neste relatório vamos dar conta do resultado dos esforços feitos no sentido da aplicação de
técnias desenvolvidas em investigação
em comunicações acústicas submarinas
com a realização da bóia AOB (Acoustic Oceanographic Buoy) no âmbito do
projecto LOCAPASS (FUP-MDN) e
como ı́nicio dos novos projectos AOBJRP e HFi. Apresentaremos igualmente um pequeno resumo dos resultados obtidos no projecto MOVIDE,
terminado em Outubro 2003, e uma
introdução ao novo projecto EXOCET/D. A habitual rúbrica sobre a
imagem do Cintal e um breve relatório
de contas fecham este relatório de actividades relativo a 2003.
CAPÍTULO 1. INTRODUÇÃO
Capı́tulo 2
Os projectos e as realizações
ou de um meio aéreo, e uma interface
de software em tempo real com o utilizador situado num local remoto. A
AOB tem como objectivo principal o de
registar sinais acústicos e não acústicos
que são por um lado, gravados localmente no interior da bóia e por outro,
transmitidos via rádio para um local
remoto, podendo a partir da análise
desses sinais obter uma monitorização
em tempo real do meio ambiente na
qual a bóia se encontra. As caracterı́sticas fı́sicas da AOB devem tender para as de uma sonobuoy clássica
em termos de peso, dimensões e autonomia. Além dos sensores acústicos
e não acústicos colocados a profundidades moduláveis, a AOB encontra-se
equipada de um sistema GPS para localização exacta e sincronização temporal de alta precisão (ver figura 2.1).
Além do sistema de GPS a bóia possui
também um sistema de comunicaçãoes
wireless lan para transmissão de dados
e fácil inclusão numa rede de bóias, se
necessário. Os dados transmitidos via
wireless lan servem para o seguimento
e monitorização dos dados adquiridos,
assim como para o transferimento de
dados para monitorização ambiental.
A monitorização ambiental é apenas
uma das aplicações possı́veis da AOB,
outras aplicações incluem a localização de alvos submersos, a navegação
de veı́culos submarinos no caso de se
dispôr de 3 ou mais AOB em rede ou
ainda a comunicação acústica de alta
velocidade com alvos submersos cooperantes.
Porventura uma das mais emblemáticas realizações do Cintal nos
últimos anos teve lugar na primeira
metade do ano de 2003, com a
realização e o teste no mar do
Bóia Acústica Oceanográfica Acoustic
Oceanographic Buoy - AOB. O sistema AOB foi realizado no âmbito do
projecto LOCAPASS financiado pela
FUP-MDN entre 2001 e 2003. A particularidade deste sistema é de, pela
primeira vez, uma realização do Cintal ter sido pontuada não só por estudo
teórico e simulado mas também pela realização fı́sica de um aparelho inovador
e de alto teor tecnológico. Um outro
trabalho que foi finalizado em 2003 foi
o projecto MOVIDE numa área menos
habitual para o Cintal que é a da modelização da detecção visual, ou seja,
a modelização da percepção que nós
temos dos objectos que nos rodeiam
através da visão. Finalmente, faremos
uma breve incursão nos objectivos de
um dos novos projectos do Cintal que
se inicia no ano de 2004: o projecto EXOCET/D.
2.1
2.1.1
Bóia Acústica Oceanográfica - AOB e projectos em
acústica submarina
A AOB
A AOB é um sistema integrado composto de um sistema flutuante para ser
lançado no mar, a partir de um navio
7
8
CAPÍTULO 2. OS PROJECTOS E AS REALIZAÇÕES
O primeiro protótipo da AOB foi
finalizado em Junho de 2003 e testado no mesmo mês durante uma campanha de aquisição de dados do NATO
Undersea Research Centre (NURC),
La Spezia, Itália, no âmbito do Maritime Rapid Environmental Assessment
(MREA) entre 18 e 26 de Junho, na
área a norte da Ilha de Elba, na costa
da Itália.
Este primeiro protótipo foi equipado
apenas com 4 hidrófones e sem sensores
não acústicos. Numa segunda versão,
actualmente em construção e a ser testada durante a campanha MREA’04, a
AOB será equipada com 8 hidrófones
e 16 sensores de temperatura. Resultados mais detalhados e uma lista
de publicações realizadas encontra-se
na página do projecto LOCAPASS
http://www.ualg.pt/siplab/proj/
locapass/locapass.html.
2.1.2
a alta frequência, na banda acima dos
3 kHz. As aplicações são hoje em dia
inúmeras, mas podemos desde já citar
as comunicações submarinas coerentes,
o side-scan sonar, o multibeam sonar,
a visão por laser (LIDAR), etc. O
objectivo geral a longo prazo é o de
tender para instrumentos que não só
possuem uma maior resolução como
também são muito mais pequenos,
leves e manejáveis, do que os instrumentos acústicos tradicionais a baixa
frequência.
Os projectos AOB e HFi
No
seguimento
da
experiência
adquirida, o SiPLAB, laboratório
associado do Cintal na área da
acústica submarina, foi convidado para
participar em dois grandes projectos
de projecção internacional que são o
AOB-JRP e o HFi-JRP. O AOB-JRP,
como o seu nome indica é um projecto
conjunto entre várias instituições (já
referidas acima) em torno da AOB
e com o objectivo de realizar uma
monitorização ambiental rápida em
águas pouco profundas. A monitorização ambiental é obtida a partir
da inversão de dados acústicos para
os perfis de temperatura na coluna
de água. Os perfis estimados são em
seguida incorporados em modelos de
circulação oceânica de alta resolução
para a obtenção de uma imagem
coerente da previsão da evolução do
meio ambiente no volume de água
considerado. O outro projecto, HFiJRP, tem como objectivo o estudo e a
compreensão da propagação submarina
Figura 2.1 Posição estimada através do GPS
da bóia AOB, durante a campanha MREA’03
a norte da Ilha de Elba, costa da Itália em
Junho de 2003.
2.2
Conclusões
MOVIDE
do
projecto
O objectivo principal do projecto MOVIDE foi o desenvolvimento e a comparação quantitativa de modelos de
detecção visual, i.e., a detecção de
padrões espaciais com contraste muito
baixo. Depois de estudar modelos
corticais com filtros do tipo Gabor
(células “simple” no cortex primário),
com resultados razoáveis, na última
fase foram considerados modelos retinais com filtros isotrópicos passa-banda
(“retinal ganglion cells”).
Considerámos um dos modelos mais
2.3. INTRODUÇÃO AO PROJECTO EXOCET/D
simples, um modelo retinal baseado na
adição não-linear sobre o espaço (xy)
e sobre canais com frequências diferentes. Em todos os casos o modelo é calibrado usando um conjunto de dados,
e em seguida o modelo calibrado é utilizado para calcular previsões independentes para outros conjuntos de dados.
A qualidade das previsões do contraste de muitos padrões diferentes, entre outros os da iniciativa Modelfest,
discos, grelhas e CIFs (“Contrast Interrelation Functions”) usando funções
Bessel e grelhas truncadas, variou entre
excelente e muito razoável. Um exemplo é mostrado na Figura 2.2: uma CIF
(dados medidos: os pontos +) e a previsão (curva a cheio -).
pred
1
4.35
0.5
0
-0.5
-1
-1.5
-1
-0.5
0
0.5
1
1.5
Figura 2.2 CIF normalizada no caso da sobreposição de duas funções seno, com uma
largura de 1.6◦ , e frequências de 5 e 4.35 cpd
(ciclos por grau – o ângulo visual).
2.3
Introdução ao
EXOCET/D
projecto
O novo projecto EXOCET/D (EXtreme ecosystem studies in the deep
OCEan: Technological Developments),
com inı́cio em 2004 e uma duração de
três anos, tem como objectivo principal o desenvolvimento da tecnologia necessária para estudar e monitorizar a biodiversidade no oceano
9
profundo. Trata-se de um projecto
Europeu, com o Ifremer em França
como instituição coordenadora, mais
12 parceiros: Instituto Alfred Wegener
(Alemanha), IMAR e IST (Portugal),
CNRS (Frana̧), CINTAL (Faro), SYSTEA (Itália), SeeByte (RU), CAPSUM
(Alemanha), e as seguintes Universidades: Pierre et Marie Curie (França),
Wales e Heriot-Watt (RU), e Bremen
(Alemanha).
Durante o projecto veı́culos do tipo
AUV (autonomous underwater vehicles) serão equipados com câmaras e
sonar. As imagens ópticas e os dados
acústicos serão utilizados para primeiro
construir um mapa digital do terreno
(DTM ou Digital Terrain Map), e depois analizar os dados para extrair o
tipo de habitat (vegetação e p.ex. tipo
de ameijoas, etc). O projecto EXOCET/D tem um um orçamento total
de 2 Meuro, dos quais 100 Keuro representam a participação do CINTAL,
no processamento dos dados acústicos
recolhidos pelo(s) AUV(s).
Capı́tulo 3
A imagem e o futuro do Cintal
3.1
boa. Encontram-se em curso várias
publicações em revistas da especialidade [2, 4] e em jornais técnicos[5].
A transferência de conhecimento
A transferência de conhecimento é um
dos objectivos citados nos Estatutos
do Cintal como uma das suas principais missões. Neste sentido, durante
2003, o Cintal orientou parte dos seus
esforços na concretização prática de
investigação fundamental desenvolvida
anteriormente, levando à realização de
protótipos que constituem avanços tecnológicos de forte cariz inovador e de
nı́vel internacional. Em 2003, o facto
mais proeminente na aplicação prática
de ideias inovadoras foi o desenvolvimento e teste, ao abrigo de um projecto
financiado pelo Ministério da Defesa
Nacional, de um protótipo de sistema
de aquisição de dados acústicos submarinos para monitorização ambiental,
localização de alvos submarinos e comunicações submarinas. Este sistema
representa efectivamente um passo importante em tecnologias marinhas reconhecido internacionalmente durante
a campanha Maritime Rapid Environmental Assessment 2003, em Itália, organizada pelo Undersea Research Centre centro de investigação da NATO, e
no qual participaram equipas de cerca
oito paı́ses (Itália, Bélgica, Estados
Unidos, Grã-Bretanha, Holanda, Portugal, Noruega e França). Está, desde
já, programada uma continuação desta
campanha no âmbito de um projecto de
investigação conjunto (Joint Research
Project), do qual o Cintal faz parte,
em Abril de 2004 ao largo de Lis-
Figura 3.1 O trabalho de equipa: bóia AOB a
bordo do R/V Alliance, durante a campanha
MREA’03 a norte da Ilha de Elba, costa da
Itália em Junho de 2003.
3.2
Acções de divulgação
É um facto reconhecido que um projecto só se encontra terminado quando
os resultados obtidos são reconhecidos pela comunidade cientı́fica internacional. É assim que o Cintal tem
realizado um grande número de publicações cientı́ficas durante os últimos
anos a um ritmo que excede uma média
de 30 a 40 publicações anuais. Esta
constitui uma das principais acções de
divulgação das actividades do Cintal
que contribui para a consolidação da
10
3.3. PREVISÕES PARA 2004
imagem de um centro de investigação
de excelência nas suas áreas de saber.
Durante o ano de 2003, continuaram
as publicações cientı́ficas como anteriormente, sendo no entanto intenção
do Cintal de desviar parte do seu esforço para revistas de divulgação tecnológica e com menor carácter cientı́fico
(ver [3, 5]).
Em particular revistas como “Sea Technology”, “International Ocean Systems” e “Hydro International” que são lidas essencialmente
por responsáveis empresariais e uma
comunidade de potenciais interessados
em adquirir equipamentos na área das
Tecnologias Marinhas.
Figura 3.2 parte do trabalho desenvolvido no
laboratório VisLab encontra-se relacionado
com a identificação de Diatomáceas.
3.3
Previsões para 2004
De acordo com o plano de actividades
para 2003 [1], o Cintal encontra-se
numa fase de aumento da divulgação
dos resultados da sua investigação
junto do meio empresarial. Esperase durante 2004, que essa divulgação
comece a dar frutos através de contratos de parceria e/ou realização de estudos sob forma de contratos de consultadoria. Em particular na área das tecnologias marinhas, na qual o Cintal tem
neste momento um item de grande interesse prático, e que se espera consiga
11
vender no mercado da inovação a nı́vel
internacional. Portanto, prevê-se que
as actividades do Cintal continuarão
e acentuarão a viragem iniciada durante 2003, no sentido de proporcionar
uma maior ligação com o mercado empresarial. Em paralelo, as actividades
de investigação fundamental seguirão
o seu curso, com o inı́cio de novos
projectos a nı́vel nacional e europeu.
Agora que são conhecidas as previsões
do Orçamento do Estado (OE) para
2004 no qual, de acordo com a comunicação social, se encontra inscrito um
aumento significativo das dotações do
Ministério da Ciência e do Ensino Superior e da investigação em ciência e
tecnologia, espera-se um aumento das
actividades em I&D a nı́vel nacional.
A concretização desta polı́tica de reinvestimento poderá trazer algumas vantagens para o Cintal em 2004 ou porventura, de forma mais efectiva, apenas
em 2005.
As acções de maior visibilidade na
promoção da investigação do Cintal
terão lugar durante as campanhas de
aquisição de dados acústicos submarinos para monitorização ambiental em
Março/Abril ao largo de Tróia e em
Julho, numa iniciativa nacional liderada pelo Cintal no âmbito do projecto
ATOMS, ao largo do Cabo de Sagres.
Terão inı́cio em Janeiro de 2004 dois
novos projectos de investigação do Cintal: um europeu no âmbito do 6o Programa Quadro (FP6) na área do processamento de imagem sonar; outro, a
nı́vel nacional financiado pela FCT no
âmbito do POSI, na área da engenharia
electrotécnica aplicada à acústica submarina. Continuarão os projectos existentes nas áreas da fı́sica teórica.
O desenvolvimento da nova estratégia de transferência de conhecimento ocupará uma parte dos recursos do Cintal durante 2004, com maior
insistência nas áreas da realização de
soluções de comunicações submarinas
para a Defesa Nacional, de equipa-
12
CAPÍTULO 3. A IMAGEM E O FUTURO DO CINTAL
mentos e métodos para exploração
oceânica, de software de deteção visual por computador e de manipulação de sistemas de informação geográfica (GIS). Neste capı́tulo, o Cintal conta iniciar a divulgação das suas
actividades mais ligadas à indústria e
com potencial para uma fase de précomercialização junto de agências governamentais, como por exemplo a AdI,
o OCES, e o Ministério da Defesa
e junto de empresas potenciais interessadas. São de particular interesse as empresas de electrónica, comunicações e de desenvolvimento de software. Como exemplos poderemos citar
a Edinfor, a PT- Prime e a EID - Comunicações Electrónica. No nosso entender, a abordagem passa por um contacto directo com exemplificação das
capacidades do Cintal nas várias áreas
e demonstração de protótipos.
Referências
[1] JESUS S.M. “Relatório de Actividades 2002”, Rel. 01/03 Cintal,
Fevereiro 2003.
[2] JESUS S.M., SOARES C. e SILVA
A.J., “Acoustic Oceanographic
Buoy testing during the Maritime Rapid Environmental Assessment 2003 sea trial”, Rep. 04/03,
SiPLAB, Universidade do Algarve,
Outubro 2003.
[3] SILVA A., SOARES C. and JESUS S., ‘”Acoustic Oceanographic
Buoy: a versatile toll for ocean
exploration”, a submeter a Sea
Techonology, Abril 2004.
[4] JESUS S.M., SOARES C., SILVA
A.J. and E. COELHO, “Acoustic
Oceanographic Buoy testing during the Maritime Rapid Environmental Assessment 2003 sea trial”,
aceite em ECUA’04, Delft, The
Netherlands, Julho 2004.
[5] FELISBERTO P., LOPES C.,
CARMO A., JESUS S.M. e
BARBAGELATA A., ”An autonomous system for ocean acoustic tomography”, aceite para publicação em Sea Technology, Abril
2004.
13
Anexo A
Relatório de Contas
As páginas seguintes apresentam os
relatórios de contas relativos ao ano
de 2003, elaborados pela firma Calçada
Correia Lda, na qualidade de empresa
responsável pela contabilidade do Cintal.
Este relatórios encontram-se distribuı́dos em três conjuntos que são:
demonstração de resultados, balanço de
contas e o anexo ao balanço e demonstração de resultados, todos relativos
ao ano de 2003.
14
15
16
ANEXO A. RELATÓRIO DE CONTAS
17
18
ANEXO A. RELATÓRIO DE CONTAS
19
20
ANEXO A. RELATÓRIO DE CONTAS
21
22
ANEXO A. RELATÓRIO DE CONTAS
23
24
ANEXO A. RELATÓRIO DE CONTAS
Anexo B
Publicações do Cintal
Publicações feitas no âmbito de projectos financiados pelo CINTAL durante o ano de 2003.
B.1
ubmitted to: Pattern Recognition, (2nd
version), 2003
8 LOKE, R.E., DU BUF, J.M.H., BAYER,
M.M. and MANN, D.G. “Diatom classification in ecological applications”, accepted in Pattern Recognition, 2003.
Em revista
9 MANN, D.G., MCDONALD, S.M.,
BAYER, M.M.,
DROPP, S.J.M.,
CHERPURNOV, V.A., LOKE, R.E.,
CIOBANU, A. and DU BUF, J.M.H.
“The Sellaphora pupula model species
complex (Bacillariophyceae): morphometric analysis, ultrastructure and
mating data provide evidence for five
new species”. submitted to: Phycologia,
2003.
1 FELISBERTO P., LOPES C., CARMO
A. and JESUS S.M., ”Um sistema autnomo para tomografia acstica ocenica”,
submetido a Tecno Viso, EST, Universidade do Algarve, Novembro 2003.
2 FELISBERTO P., LOPES C., CARMO
A., JESUS S.M. and BARBAGELATA
A., ”An autonomous system for ocean
acoustic tomography”, aceita para publicação em Sea Technology, Abril 2004.
10 KRASNITZ A., NARA Y. and VENUGOPALAN R.,“Classical gluodynamics
of high energy nuclear collisions: An erratum and an update,” Nucl. Phys. A
727 427, 2003.
3 CORRÉ V. and JESUS S.M., ”Tracking of cold water upwelling filaments in
the ocean using matched field inversion”,
ACTA ACUSTICA united with ACUSTICA, Vol.89, pp. 604-613, Agosto 2004.
11 KRASNITZ A., NARA Y. and VENUGOPALAN R., “Gluon production in
the color glass condensate model of collisions of ultrarelativistic finite nuclei,”
Nucl. Phys. A 717 268, 2003.
4 SOARES C. and JESUS S., “Broadband Matched-Field Processing: coherent vs. incoherent approaches”, Journal
of Acoust. Soc. Am., vol. 113(5), pp.
2587-2598, Maio 2003.
12 KRASNITZ A., NARA Y. and VENUGOPALAN R., “Elliptic flow of colored
glass in high energy heavy ion collisions,”
Phys. Lett. B 554 21, 2003.
5 JESUS S.M., ””Model-based correlators:
interesting cases in shallow water acoustics.”, New Acoustics Selected Topics,
Ed. Ranz-Guerra and Gallego-Juarez,
CSIC, Madrid, Março 2003.
13 BERTOLAMI O., LEHNERT R., POTTING R. and RIBEIRO A., “Cosmological acceleration, varying couplings, and
Lorentz breaking,” astro-ph/0310344,
accepted for publication in Phys. Rev.
D.
6 LOKE, R.E. and DU BUF, J.M.H.
“Quadtree-guided 3D interpolation of irregular sonar data sets”. accepted in
IEEE J. of Oceanic Engineering, 2003.
14 BERTOLAMI O. and GUISADO L., “
Noncommutative Scalar Field Coupled
to Gravity”, Phys. Rev. D 67, 025001,
2003.
7 LOKE, R.E. and DU BUF, J.M.H. “3D
data segmentation by means of adaptive boundary refinement in an octree”.
18
B.3. RELATÓRIOS E TESES
15 BERTOLAMI O. and GUISADO L.,
“Noncommutative field theory and violation of translation invariance,” JHEP
0312, 013, 2003.
16 BENTO M.C., BERTOLAMI O. and
SEN A.A., “Supergravity Inflation on
the Brane”, Phys. Rev. D 67, 023504,
2003.
17 MONIZ P., “Frw Minisuperspace With
Local N=4 Supersymmetry And Selfinteracting Scalar Field,” Annalen Phys.
12, 174, 2003.
18 GUNTHER U., MONIZ P. and ZHUK
A., “Nonlinear multidimensional cosmological models with form fields: Stabilization of extra dimensions and the cosmological constant problem,” Phys. Rev.
D 68, 044010, 2003.
19 MACKAAY M., “A note on the holonomy of connections in twisted bundles”,
Cah. Top. Geom. Diff. Cat. 44, pp.
39-62, 2003.
20 FLORENTINO C., MOURÃO J. and
NUNES J.P., “Coherent State Transforms and Vector Bundles on Elliptic
Curves”, J. Functional Analysis 204,
355-398, 2003.
B.2
Em conferência
1 FELISBERTO P.,
JESUS S.M.,
STEPHAN Y. and DEMOULIN X.,
”Shallow water tomography with a
sparse array during the INTIMATE’98
sea trial”, Proc.
of MTS/IEEE
Oceans’2003,
San Diego (USA),
Setembro 2003.
2 JESUS S.M. and SOARES C., ”Blind
Ocean Acoustic Tomography with
Source Spectrum Estimation”, Int.
Conf.
on Theoretical and Computational Acoustics, Honolulu, Hawaii
(USA), Agosto 2003.
3 DE MARINIS E., CRISE A., GASPARINI O., JESUS S., PICCO P. and
SALON S., ”Passive Ocean Acoustic
Tomography: results from the INTIMATE’00 and TOMPACO projects”,
EGS-AGU-EUG Joint Assembly, Geophysical Research Abstracts, vol. 5,
01211, European Geophysical Society,
Nice, France, Abril 2003.
19
4 LOKE, R.E. and DU BUF, J.M.H.
“Segmentation of range images in a
quadtree”, 1st Iberian Conf. on Pattern
Recogn. and Image Analysis (IbPRIA),
Mallorca, Spain. Springer LNCS Vol
2652, pp 428-436, 2003.
5 OLIVEIRA, P. and DU BUF, H. “SPMD
image processing on Beowulf clusters:
directives and libraries”, Workshop on
parallel and distributed image processing, video processing, and multimedia
(PDIVM’03); IEEE Int. Parallel and
Distributed Processing Symp (IPDPS),
Nice, France, April 22-26, 2003.
6 DU BUF, H. “High-cost cortical image
processing on low-cost clusters”, Proc.
Symp. on Biologically-inspired machine
vision, AISB (Artificial Intelligence and
Stimulation of Behaviour) Convention,
Univ. of Wales, Aberystwyth, April 711, pp 114-127, 2003.
7 LOKE, R.E. and DU BUF, “H. Interactively visualizing 18-connected object
boundaries in huge data volumes”, 11th
Int. Conf. Discrete Geometry for Computer Imagery, Naples. Springer LNCS
Vol. 2886, pp 544-553, 2003.
8 CANDEIAS T., TOMAZ F. and
SHABAZKIA H., “Off the shelf methods for robust portuguese cadastral map
analysis”, CIARP 2003, Havana, Cuba,
2003.
9 SHABAZKIA H., CANDEIAS T.,
TOMAZ F. and OLIVEIRA R., “Advances in Portuguese Geographical
Documents Analysis”, ECIT 2002 Iasi,
Romania, 2003.
B.3
Relatórios e teses
1 SOARES C. and JESUS S.M., “Rangedependent acoustic tomography: modeling an upwelling filament using an
asymmetric Gaussian function”, 05/03SiPLAB Report, University of Algarve,
Novembro 2003.
2 JESUS S.M., SOARES C. and SILVA
A.J., “Acoustic Oceanographic Buoy
testing during the Maritime Rapid Environmental Assessment 2003 sea trial”,
Rep. 04/03, SiPLAB Report, University
of Algarve, Outubro 2003.
20
ANEXO B. PUBLICAÇÕES DO CINTAL
3 FELISBERTO P., LOPES C. and
CARMO A., ”Ultra Light Vertical Array / Remote Data Acquisition System”,
Rep. 03/03, SiPLAB Report, University
of Algarve, Abril 2003.
4 JESUS S.M. and SOARES C., ”Tomografia Passiva Costiera (TOMPACO) Inversion results with passive data Phase 3”, Rep. 02/03, SiPLAB Report,
University of Algarve, Março 2003.

Documentos relacionados