NOVO PORTO INTERLIGAR REVOLUÇÃO Um NOVO

Сomentários

Transcrição

NOVO PORTO INTERLIGAR REVOLUÇÃO Um NOVO
N º 5 1 : : M A R Ç O 2 0 12
Um NOVO PORTO para
a cidade está a caminho
Ônibus articulados vão
INTERLIGAR o Rio
Uma REVOLUÇÃO na
saúde e na educação
Alexandre Pinto, secretário
Municipal de Obras
FSB Design
A Andrade Gutierrez
está construindo
Angular Fotografias
o futuro
É impossível separar os caminhos da Andrade Gutierrez
e do Rio de Janeiro. Afinal, são mais de 30 anos de uma
parceria que já rendeu rodovias, metrôs, ferrovias, túneis,
refinarias, hidrelétricas e muito mais. Hoje, esta relação
segue mais forte do que nunca, em projetos marcantes
como o Corredor Transcarioca BRT, um complexo de
28 km que promete desafogar o trânsito da capital.
Ou como a reforma do Maracanã, que vai preparar o estádio
mais famoso do mundo para um momento importante
do futebol mundial, e a Usina Nuclear de Angra III, com
inovações tecnológicas aplaudidas e reverenciadas
internacionalmente. A Andrade Gutierrez fortalece
ainda mais a sua história com o Rio. E ajuda o Estado
a fazer história.
Projeto do Corredor Transcarioca BRT
Reforma do Complexo Maracanã
Usina Nuclear de Angra III
Foto: Aline Massuca
editorial
SMO PREPARA UMA NOVA CIDADE MARAVILHOSA
Em meio ao caos e aos transtornos que as obras
verdadeira revolução na cidade do Rio de Janeiro.
de infraestrutura provocam, não é possível para a
Nesse período a Secretaria Municipal de Obras (SMO),
população imaginar como ficará a cidade depois dos
com
serviços concluídos. Não se trata de ações atabalhoadas
Projeto, Coordenadoria Geral de Obras, Rio-Águas,
e desconcentradas. Tudo foi pensado e detalhado
RioUrbe e Geo-Rio, realizou mais de 600 licitações de
no Plano Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro
obras públicas, envolvendo investimentos superiores a
– 2009/2012. As grandes transformações urbanas
R$ 6 bilhões, sem contar os contratos de parceria
estão sendo acompanhadas também de melhorias
público-privada. Estes são números recordes na cidade
imprescindíveis nas áreas de saneamento, educação,
do Rio de Janeiro.
saúde, gestão e finanças públicas.
Os
problemas
subordinadas
Coordenadoria
Geral
de
Mais importante que licitar é, no entanto, fazer
ações
o acompanhamento até a conclusão das obras. Os
planejadas e as respectivas metas estabelecidas
prazos estão sendo cumpridos pelas construtoras e,
para
ao mesmo tempo, a Prefeitura vem pagando também
cada
um
foram
suas
dos
identificados,
setores
as
estratégicos.
Quem
quiser pode conferir no site da Prefeitura do Rio:
www0.rio.rj.gov.br/planoestrategico.
dentro do cronograma.
Regiões que estavam completamente degradadas,
Não há dúvida de que a elaboração de um plano é
como a Zona Portuária, a Zona Norte e a Zona
infinitamente mais fácil do que sua execução. Fazer com
Oeste, estão sendo preparadas para um crescimento
que os projetos saiam do papel e se transformem em
sustentável, com saneamento e transporte de massa,
realidade exige mais do que vontade política, exige uma
o que permitirá uma expansão imobiliária dentro dos
equipe competente e que consiga trabalhar entrosada.
padrões das cidades de países desenvolvidos, onde não
Por esse motivo, a AEERJ considerou indispensável
há construções ilegais e muito menos moradias em
homenagear o secretário Alexandre Pinto, por sua
áreas de risco. Isso está acontecendo e um dos grandes
capacidade de liderança e pela formação de uma
responsáveis na nossa Prefeitura é, sem dúvida, o
equipe que conseguiu realizar, em três anos, uma
secretário Alexandre Pinto.
Francis Bogossian,
presidente
01 Construir | Março 2012
índice
04 |
08 |
Palestras e eventos da AEERJ
Uma cidade
em transformação
11 |
Alexandre Pinto:
Por trás da reengenharia do Rio
16 |
Corredores expressos,
rumo ao futuro
24 |
Maracanã
visto por fora
26 |
Zona Oeste
como prioridade
30 |
Zona Portuária
reformulada
34 |
Saúde e educação
para todos
38 |
Prevenção de enchentes
na Praça da Bandeira
42 |
44 |
Depoimentos
Crônica
expediente
Diretoria 2011-2014: Presidente Francis Bogossian (Geomecânica); Vice-Presidente Eduardo Backheuser (Carioca); Diretor
Administrativo-Financeiro Carlos Alberto Brizzi Benevides (Dimensional); Diretoria Alberto Quintaes (Andrade Gutierrez); Antonio
Machado Evangelho (Vile Romi); Gustavo Souza (Queiroz Galvão); Jefferson Paes de Figueiredo Filho (Darwin); José Ary Lacombe
Moreira (FW); Moysés Spilberg (Spil); Reginaldo Assunção Silva (OAS); Ricardo Araujo Farah (Sanedraga) Conselho Fiscal Eduardo
Impellizieri Versiani (Enimont); João de Deus Vaz da Silva Neto (Arkhe); Leandro Azevedo (Odebrecht); Luiz Carlos de Carvalho
(Medeiros); Maciste Granha de Mello Filho (Macadame)
AEERJ - Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro | Av. Rio Branco, 124 - 7º andar | Rio de Janeiro - RJ
CEP 20040-001 | Tel.: 55 21 3970.3339 Fax: 55 21 3970.3375 | [email protected] | www.aeerj.com.br
A Revista Construir é uma publicação da AEERJ – Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro, produzida pela Banjo
Editora e Cria Caso Publicações Customizadas. Os artigos, fotografias e matérias assinadas são de responsabilidade dos respectivos
autores e não refletem necessariamente a opinião da AEERJ.
Editora Antonia Leite Barbosa | Diretora de Criação Mariana Nahoum | Repórteres Verônica Coutinho e Manuela Cesar Sento Sé
Copidesque Kathia Ferreira | Fotos AEERJ Tati Almeida | Foto Capa Anna Fischer
02 Construir | Março 2012
Spil, uma empresa construída com o Rio
A SPIL SE ORGULHA DE PARTICIPAR DO PROCESSO DE TORNAR
A CIDADE MARAVILHOSA, AINDA MAIS MARAVILHOSA
Rua Senador Dantas, 71 salas 1704 a 1706 Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (021) 2240-8437 Fax.: (021) 2240-9454
E-mail: [email protected]
palestras
ALEXANDRE PINTO E MÁRCIO MACHADO NA AEERJ
Em 14 de agosto de 2011, o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, veio à AEERJ para mostrar aos associados o programa de obras da Prefeitura do Rio que tem como meta revitalizar a cidade no período de quatro
anos. Em 5 de setembro, quem esteve na AEERJ foi o presidente da Geo-Rio, Márcio Machado, para apresentar uma
nova tecnologia para tratamento de solos moles empregada no Parque Olímpico da Cidade do Rock.
1
3
2
4
5
1- Alexandre Pinto e Francis Bogossian / 2- Divaldi (DAS) e Brizzi (Dimensional) / 3- Mauro Duarte (Rio-Águas)
4- João Américo (AEERJ) entre Cassia e Luciana (Carioca) / 5- Henrique (Entre os Rios) e André (Retrofit)
PETROBRAS EM 2011/2015
O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto
Costa (foto), em palestra na AEERJ no dia 28 de setembro
de 2011, disse que dos R$ 224,7 bilhões previstos no
plano de investimentos da Petrobras para 2011/2015
mais da metade, ou seja, 57% serão investidos em
exploração e produção de petróleo e gás.
6
04 Construir | Março 2012
eventos aeerj
NOVA CEDAE
O programa de despoluição
da Baía de Guanabara, a
nova sede e o plano de
investimentos da Cedae para
os próximos anos foram
os assuntos apresentados
pelo presidente da empresa,
Wagner Victer, aos associados da AEERJ no dia 11 de
outubro de 2011.
1
1- Francis (AEERJ), Victer e
Armando Costa (Nova Cedae) /
2- Moysés (Spil) e Paulo Duarte
(Delta) / 3- Gustavo (Queiroz
Galvão) e Darcylo (Sinicon)
2
3
ASFALTO BORRACHA
1
A pavimentação da RJ-122
com asfalto adicionado em
granulado de borracha “in
situ” foi o tema da palestra
do presidente do DER-RJ,
Henrique Ribeiro, na AEERJ,
no dia 14 de dezembro de
2011. O diretor de Obras do
DER-RJ, Angelo Monteiro
Pinto, descreveu os detalhes
da execução do serviço.
1- Henrique e Angelo (DER-RJ);
2- André (Geomecânica) e
Ricardo Oliveira (Coba Brasil);
3- Brizzi (Dimensional), Luiz
2
3
Carneiro e Geraldo André (Oriente)
05 Construir | Março 2012
confraternização
ESTABILIZAÇÃO DE SOLOS MOLES
Um novo processo para estabilização de solos moles, denominado “Consolidação Profunda Radical”
(CPR), foi apresentado pelo presidente da Geo-Rio, Márcio Machado, na AEERJ, no dia 5 de setembro de
2011. O CPR foi utilizado, com sucesso, no melhoramento do solo de fundação do Parque Olímpico da
Cidade do Rock.
COQUETEL DE CONFRATERNIZAÇÃO
Comemorando um ano de muitas realizações, mais de 150 associados participaram do coquetel de confraternização
de fim de ano da AEERJ no dia 15 de dezembro. A festa começou às cinco da tarde e só terminou às dez da noite,
em clima de alegria, descontração e votos de mais obras em 2012.
1
3
2
4
1 - André (Alzlima), Roberto e Álvaro (Total) / 2 - Cláudio (C. Ribeiro) / 3 - Geraldo (Arta), Eduardo (Autograf) e
Dante (Dimensional) / 4 - Nolasco (Nobilis), Jorge (Spins), Ary (FW), Brizzi (Dimensional), Flávio (FW) e Adalto
(Studio G) / 5 - Sérgio (Engesan) e Oscar Pina
06 Construir | Março 2012
5
eventos aeerj
1
6
2
3
4
5
8
7
1 - Luiz Edmundo (SECT), Ary (FW) Francis (AEERJ) / 2- Paulo Baptista (Volume) e Flávio (FW) / 3 - Vinicius,
Rodrigo e Machado (Vile Romi) / 4 - Marcos Cardia e Ioannif (Concrejato), Ary (FW) e Galhano (Galcon) / 5 - Marcio
(Imbeg), Bonfim (Carioca) e Nei / 6 - Fernando (Mascarenhas) e Marcos (União Norte) / 7- Nilcy, Vieira (AEERJ) e
Cristina (União Norte) / 8 - Feliciano (Civilport)
07 Construir | Março 2012
Balanço
UMA CIDADE EM TRANSFORMAÇÃO
SECRETARI A DE OBR AS IN V ESTE NA CONSTRUÇÃO
DE NOVOS HOSPITAIS, CRECHES E V I AS EXPRESSAS
Foto de divulgação
Viaduto e mergulhão do Cebolão
Cinco viadutos, quatro túneis, dois mergulhões, uma
ponte estaiada e novos prédios para abrigar museus e
quatro anos, o Rio de Janeiro será a capital esportiva do
planeta, sem deixar de lado o bem-estar do carioca.
complexos esportivos. Essas são algumas das grandes
A vocação empreendedora da cidade impressiona:
obras de engenharia que vão mudar a cara da cidade para
até 2020 R$ 150 bilhões devem ser investidos no
a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Porção
Rio de Janeiro, pela iniciativa privada e pela esfera
mais vistosa desse processo de transformação, tais obras
governamental. Tal cifra é reflexo do dinamismo dos
resultarão de investimentos da ordem de R$ 10 bilhões, dos
cariocas. Em pesquisa realizada em 2010 pela London
quais boa parte será bancada pela Prefeitura através de sua
School of Economics para medir o potencial de
Secretaria de Obras. Outras intervenções de menor porte,
recuperação das 150 maiores cidades do mundo após
mas não menos importantes, estão em curso na cidade,
a crise das bolsas em 2008, o Rio de Janeiro ficou em
como a construção de dezenas de Clínicas da Família e
décima posição, à frente de metrópoles como Nova York,
de Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDI). Assim, em
Paris e São Paulo. Portanto, é preciso aproveitar o bom
08 Construir | Março 2012
Zona Oeste e em comunidades ocupadas pelas Unidades
significam mais empregos.
de Polícia Pacificadora (UPPs), completam o pacote de
Tomando por base o caso de Barcelona, na Espanha,
remodelação que vai trazer novas perspectivas para o
que já sediou Copa do Mundo, o secretário municipal de
desenvolvimento urbano de uma cidade que, enfim, se
Obras, Alexandre Pinto, destaca a importância de se deixar
tornará, de fato, maravilhosa.
um legado para a população após os eventos esportivos.
“Estamos construindo um Rio de Janeiro preparado
A implantação dos corredores viários para a circulação
para os Jogos, um legado para a população. Totalmente
de ônibus articulados, como os existentes em Curitiba, no
recuperado, revitalizado, com cariocas orgulhosos da
Paraná, será um dos principais benefícios herdados pelos
cidade”, pontua Alexandre Pinto, acrescentando: “É
cariocas, que poderão percorrer, por exemplo, o trajeto
gratificante participar desse momento privilegiado,
entre o Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim e a
quando os investimentos estão concentrados para tornar
Barra da Tijuca em apenas 40 minutos.
a Cidade Maravilhosa ainda melhor, quebrando antigos
Problemas históricos, como as enchentes na Praça da
paradigmas, melhorando o transporte, implantando
Bandeira, finalmente serão resolvidos com a construção de
novos projetos, ampliando o sistema de saúde, a cultura
piscinões. Obras de saneamento básico, especialmente na
e a educação.”
Asfalto liso na Barra da Tijuca
Foto Eliane Carvalho
momento, sobretudo porque obras de infraestrutura
09 Construir | Março 2012
pingue-pongue
Foto Anna Fischer
Alexandre Pinto
ALEXANDRE PINTO
O HOMEM POR TRÁS DA REENGENHARIA DA CIDADE
11 Construir | Março 2012
pingue-pongue
Qual a importância do BRT para o projeto olímpico?
mil passageiros por dia, tem investimento de R$ 1,5 bilhão
A implantação do sistema de BRT é uma mudança de
em um financiamento do governo federal. A segunda fase
paradigma na cidade. É um investimento em transporte
das obras será iniciada ainda este semestre e toda a via
de alta capacidade. Até as Olimpíadas vamos construir
estará finalizada até o final de 2013.
quatro, todos interligando com os outros modais:
Transcarioca, Transoeste, Transolímpica e Transbrasil.
Este ano vamos iniciar a construção da Transolímpica.
Neste primeiro semestre entregamos o primeiro
Importante obra prevista no caderno de encargos para
corredor: a Transoeste, que vai ligar a Barra da Tijuca
os jogos, o corredor ligará a Vila dos Atletas e o Parque
a Campo Grande e Santa Cruz. São 56 quilômetros de
Olímpico do Rio, na Barra da Tijuca, ao Parque Radical do
um corredor totalmente segregado do tráfego, que
Rio (que vai sediar as provas de pentatlo moderno, esgrima,
reduz em 60% o tempo do trajeto. Nessa obra, com
tiro e mountain-bike), em Deodoro.
investimentos de R$ 900 milhões oriundos dos cofres
municipais, temos também a abertura do túnel da Grota
A Prefeitura também já apresentou ao governo federal o
Funda, uma antiga demanda da cidade. Será o mais
projeto da Transbrasil, que adapta a Avenida Brasil para
moderno do país e o primeiro túnel a ligar as Baixadas
receber o corredor expresso, desde Deodoro até o Aeroporto
de Jacarepaguá e Guaratiba.
Santos Dumont, no Centro. Com esses corredores, fechamos
o anel do transporte de BRTs da cidade.
Ano passado começamos a construir a Transcarioca. É a via
que vai ligar a Barra da Tijuca – onde temos grande rede
As UPPs são apenas a porta de entrada do poder público
hoteleira e a construção da Linha 4 do metrô – até o aeroporto
nas favelas. De que forma a Secretaria de Obras contribui
internacional. O turista que chega ao Rio vai poder ter uma
para aumentar a presença do Estado em tais comunidades?
opção de transporte público, como nas grandes cidades do
A Unidade de Polícia Pacificadora é um projeto fantástico
mundo. A Prefeitura já está executando três mergulhões e
do Estado. Logo que as comunidades são ocupadas, a
uma ponte estaiada. A obra, que vai transportar cerca de 600
Prefeitura entra oferecendo serviços básicos, executados
Foto de divulgação
Alexandre Pinto e Eduardo Paes acompanhando as obras do túnel da Grota Funda
12 Construir | Março 2012
Foto de divulgação
O engenheiro em ação
pela Secretaria Municipal de Conservação, como coleta de
lixo, manutenção da pavimentação e iluminação. A Secretaria
Municipal de Obras também tem papel fundamental nesse
processo e já concluiu um pacote de obras de revitalização
de áreas de lazer em comunidades pacificadas da Zona
Norte e na região da Leopoldina.
Ruas no entorno do Complexo do Alemão receberam
fresagem e recapeamento, através do programa Asfalto
ESTAMOS CONSTRUINDO
UM RIO DE JANEIRO
PREPARADO PARA
OS JOGOS, UM LEGADO
PARA A POPULAÇÃO.
Liso. O programa recuperou a Avenida Itaoca e as Estradas
do Itararé e Adhemar Bebiano. Para essas intervenções, o
investimento foi de R$ 7,8 milhões. Também no Complexo do
Os moradores do Batan também foram beneficiados.
Alemão três quadras de lazer foram inauguradas e receberam,
Em abril do ano passado a Prefeitura inaugurou as
juntas, investimentos de R$ 1,1 milhão. Na Penha estão
obras de urbanização na comunidade, através do
sendo construídos a Arena Carioca e o Plano Inclinado, que
programa Bairro Maravilha Oeste. Foram investidos
vai possibilitar a integração com a Vila Cruzeiro, permitindo
R$ 3,9 milhões nessas obras e a comunidade ainda
que o trajeto até a Igreja da Penha seja feito inteiramente por
recebeu uma Clínica da Família e uma nova escola.
meio desse equipamento. Nos complexos do Alemão, Penha
A Cidade de Deus está recebendo R$ 39 milhões do
e Vila Cruzeiro serão 13 EDIs até março. A Prefeitura também
mesmo programa para construir calçadas, meio-fios
construiu equipamentos de saúde nas comunidades: foram
e sarjetas, recuperar redes de drenagem e pavimentar
inauguradas três Clínicas da Família no Complexo do Alemão
182 vias da região. No local, foram inauguradas duas
e uma no Complexo da Vila da Penha.
EDIs e uma UPA já está em funcionamento.
13 Construir | Março 2012
pingue-pongue
No Morro dos Macacos, após a ocupação foi possível
revitalizar o entorno do Maracanã. É um investimento de
revitalizar o Parque do Trovador e concluir as obras da Vila
R$ 109,5 milhões, que inclui a construção de duas passarelas
Olímpica de Vila Isabel. O local hoje é uma grande área de
largas para facilitar o escoamento de pessoas em dias de
lazer da comunidade e de todos os moradores da região, que
jogo. O piso das travessias e das rampas de acesso será
voltaram a frequentar o parque.
em concreto estampado imitando pedra portuguesa, para
facilitar a manutenção. A área que será urbanizada abrange
Qual a sensação de estar participando direta e ativamente
a Radial Oeste, a Avenida Maracanã e as ruas Eurico Rabelo,
desse momento histórico na vida da cidade?
Mata Machado e Professor Manuel de Abreu, além de um
É uma satisfação muito grande, pessoal e profissional.
trecho da Rua Visconde de Niterói. A região vai ganhar
Estamos construindo um Rio de Janeiro preparado para os
ciclovia e uma de área de recreação, com mesa de jogos,
Jogos, um legado para a população. Totalmente recuperado,
bancos, bicicletário, prancha para abdominal, grampos e
revitalizado, com cariocas orgulhosos da cidade. É
frades, barras (paralelas, simples e duplas), 2 mil metros
gratificante participar desse momento privilegiado, quando
quadrados de pavimentação, 45 mil metros quadrados de
os investimentos estão concentrados para tornar a Cidade
paisagismo e nova iluminação pública em LED.
Maravilhosa ainda melhor, quebrando antigos paradigmas,
melhorando o transporte, implantando novos projetos,
Que investimentos estão sendo realizados em termos de
ampliando o sistema de saúde, a cultura e a educação.
saneamento básico?
Avançamos muito na questão do saneamento básico. A
A revitalização do Porto finalmente vai sair do papel. Quais
Prefeitura é responsável pelo saneamento na Área de
as principais intervenções previstas para a região?
Planejamento 5 da cidade – 48% de todo o município –,
A Secretaria Municipal de Obras é responsável pela
que corresponde a 21 bairros da Zona Oeste: Bangu, Barra
primeira fase do projeto de revitalização da Zona Portuária,
de Guaratiba, Pedra de Guaratiba, Campo dos Afonsos,
que consiste na reurbanização de 27 vias – nove na parte
Campo Grande, Cosmos, Deodoro, Gericinó, Guaratiba,
baixa dos bairros da Saúde e Gamboa e 18 no Morro da
Inhoaíba, Padre Miguel, Paciência, Realengo, Santa Cruz,
Conceição, num investimento de R$ 139 milhões. As obras
vão aumentar de dois para oito o número de saídas de água
80 centímetros de diâmetro, serão substituídas por outras
novas e 11 vezes maiores. A intervenção é fundamental
para solucionar os problemas decorrentes de enchentes e
alagamentos na área. A última obra de drenagem na Região
Portuária foi há 100 anos.
Além da macrodrenagem, as vias estão recebendo novas
redes de água, esgoto, telecomunicações e iluminação
pública, que fazem parte da primeira fase de obras do Porto
Maravilha. Cerca de 60% das obras já estão concluídas. O
trabalho começou em abril de 2010 e vem providenciando
pavimentação, calçadas, sistema de drenagem e redes
de abastecimento de água e coletora de esgoto, além da
implantação de fiação subterrânea para as vias mapeadas. A
previsão é de que todas as intervenções estejam finalizadas
neste primeiro semestre.
Na esfera municipal, que obras estão previstas para os
arredores do Maracanã?
A Prefeitura iniciou em janeiro as obras para urbanizar e
14 Construir | Março 2012
No Morro do Alemão
Foto de divulgação
na Baía de Guanabara. Além disso, as galerias, hoje com
Foto de divulgação
Obras do túnel da Grota Funda
Magalhães Bastos, Jardim Sulacap, Senador Camará, Senador
Entre as outras obras em curso ou previstas até as
Vasconcelos, Sepetiba, Santíssimo e Vila Militar.
Olimpíadas, qual o senhor destacaria? E por quê?
Creio que outro grande destaque para os Jogos é a obra que
A concessão dos serviços de tratamento, coleta e ampliação
controlará as enchentes da Praça da Bandeira, iniciada em
da rede de esgoto já foi assinada e vai beneficiar 1,7 milhão
janeiro deste ano. Com investimento de R$ 292 milhões, ela
de moradores da região. A Fundação Rio-Águas fará a
começou pela construção de um reservatório subterrâneo
regulação dos serviços da concessionária e fiscalizará o
na Praça – um dos quatro previstos no projeto – e pela
processo. O modelo de concessão inclui metas de qualidade,
canalização do Rio Trapicheiros, em um trecho de 361 metros
prestação de serviços e controle social por meio de um
entre as ruas Ceará e Francisco Eugênio. Os reservatórios
conselho consultivo. A expectativa é de que sejam investidos
servirão para amortecer o excedente das chuvas, acumulando
R$ 1,6 bilhão para quadriplicar as redes e construir 19
os volumes e impedindo o transbordamento dos rios. A água
estações de tratamento e 221 elevatórias. Além disso,
será liberada à medida que a rede de drenagem suportar,
com investimento de R$ 174 milhões, em uma parceria da
retardando a ida dos volumes para a parte baixa e impedindo
Prefeitura com o governo federal e a Caixa, o Saneando
os alagamentos.
Sepetiba está levando rede de esgoto a uma região que
abrange 60 mil moradores e três bairros: Sepetiba, Pedra
O reservatório da Praça da Bandeira terá capacidade
de Guaratiba e Praia da Brisa. As intervenções incluem
para receber 18 mil metros cúbicos de água, com uma
saneamento, pavimentação e urbanização da área.
profundidade de 12 metros, e servirá para absorver o
excedente da água da microdrenagem do entorno da Praça.
O programa Saneando Santa Cruz também está em andamento
Os demais reservatórios terão capacidade para acondicionar:
e contempla as sub-bacias de Paciência e Vala do Sangue,
70 mil metros cúbicos (próximo à Rua Heitor Beltrão, para
com investimentos de mais de R$ 279,5 milhões, levando
captar as águas do Rio Trapicheiros); 143 mil metros cúbicos
saneamento para cerca de 125.600 habitantes moradores da
(próximo ao Boulevard, captará o excedente das águas do
Zona Oeste. As obras já foram iniciadas nas duas localidades.
Rio Joana); e 50 mil metros cúbicos (no Alto Grajaú, para o
Em Paciência serão implantados 116 quilômetros de rede
Rio Jacó). Além dos “piscinões”, estão previstos no projeto
de esgoto, tendo 11 mil ligações domiciliares. Em Vala do
a implantação do desvio de parte da vazão do Rio Maracanã
Sangue, serão aproximadamente 30 quilômetros de rede
para o Rio Joana e o desvio deste para um deságue
coletora de esgoto. As obras na sub-bacia de Santa Cruz e a
independente na Baía de Guanabara, reduzindo em um terço
construção da ETE estão em licitação.
as vazões afluentes do Canal do Mangue.
15 Construir | Março 2012
Transportes
CORREDORES EXPRESSOS EM DIREÇÃO AO FUTURO
COM 150 QUILÔMETROS, AS V I AS DO SISTEM A DE ÔNIBUS
ARTICUL ADOS VÃO REDUZIR O TEMPO DE V I AGEM
Foto de divulgação
BRT articulado que vai circular na Transoeste
16 Construir | Março 2012
Grande estrela da implantação do BRT (Bus Rapid
1.100 metros de extensão ligarão a Barra da Tijuca a
Santa Cruz e fazem parte de um grande projeto de
integração viária da cidade que criará quatro corredores
Foto de divulgação
Transit), o túnel da Grota Funda está quase pronto. Seus
Obras do túnel da Grota Funda
expressos – Transolímpica, Transoeste, Transcarioca e
Transbrasil –, pensados para a circulação de ônibus
articulados com capacidade para até 200 passageiros.
Além do túnel, serão construídos quatro mergulhões
e uma ponte estaiada. Tudo isso reduzirá o tempo de
viagem, em alguns casos em até 60%, beneficiando
quase 2 milhões de habitantes. Ao todo serão 150
quilômetros de novas vias, o que representa um
investimento de pouco mais de R$ 5 bilhões.
Corredor expresso que vai ligar a Barra da Tijuca ao
Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim, o (corredor)
BRT Transcarioca beneficiará também moradores do
subúrbio. Com 41 quilômetros de extensão, a via, que está
sendo construída por consórcios que incluem as associadas
Construtora Andrade Gutierrez, Delta Construções, Carioca
Christiani-Nielsen Engenharia e Construtora OAS, cruzará
bairros como Madureira, Vicente de Carvalho e Penha, depois
de cortar toda a região de Jacarepaguá. A expectativa é que
o tempo do trajeto seja reduzido em até 60%, favorecendo
cerca de 400 mil pessoas todos os dias.
A linha exclusiva pela qual passarão os ônibus
articulados – com capacidade para pelo menos 160
passageiros cada um – inaugura um novo conceito de
transporte público na cidade, integrando metrô, trens,
terminais rodoviários e ciclovias. Serão construídas 46
passando logo depois pelas avenidas Ayrton Senna
estações BRT, quatro mergulhões, dez viadutos e nove
e Embaixador Abelardo Bueno. Nesse trecho serão
pontes. Além de melhorar a qualidade do transporte, o
construídos dois mergulhões – um na altura do chamado
Transcarioca implicará, por onde passar, novas calçadas,
Cebolão e outro na altura do Shopping Via Parque – e
muretas, praças e iluminação pública, mudando a
uma ponte sobre a Lagoa de Jacarepaguá. Depois, a via
paisagem em seu entorno.
seguirá pela Estrada Coronel Pedro Correia, próxima ao
Integrado
ao
BRT
Transoeste,
o
Transcarioca
começará no Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca,
condomínio Rio 2, e continuará até o final da Estrada
dos Bandeirantes, em Curicica.
Depois do Largo da Taquara, o Transcarioca passará
pela Avenida Nelson Cardoso, ruas Cândido Benício e
Domingos Lopes, Rua Quaxima e Viaduto Negrão de Lima,
TUDO ISSO REDUZIRÁ
O TEMPO DE VIAGEM,
EM ALGUNS CASOS EM
ATÉ 60%, BENEFICIANDO
QUASE 2 MILHÕES
DE HABITANTES.
que terá um segmento novo, especialmente construído
para o BRT. Antes, um mergulhão vai ligar as ruas Cândido
Benício e Domingos Lopes, eliminando o cruzamento com
a Estrada Intendente Magalhães. As detonações para
abertura do mergulhão estão sendo executadas pela Fábio
Bruno Construções. De lá, a via seguirá até o Terminal da
Penha, passando pelas avenidas Ministro Edgard Romero,
Vicente de Carvalho e Brás de Pina.
O trecho final da viagem vai começar no Largo da
Penha, indo até o Aeroporto Internacional Antonio Carlos
17 Construir | Março 2012
Transportes
Jobim. O caminho passará pelas ruas Monsenhor Alves
Norberto Odebrecht e pela Sanerio Construtora, as obras
Rocha, Ibiapina, Uranos, Estrada Engenho da Pedra, Rua
do Transoeste incluem a abertura de um túnel na Serra da
Ismael Rocha, Rua Sargento Peixoto e Avenida Brigadeiro
Grota Funda, a restauração de 255 mil metros quadrados de
Trompowski. Na altura da Ilha do Fundão haverá um
asfalto, a implantação de outros 522 mil metros quadrados
binário pelas avenidas Um e Vinte e Quatro, seguindo pela
e a instalação de 3.650 novos pontos de luz. O número de
Avenida Vinte e Nove, Estrada do Galeão e Avenida 20 de
passageiros beneficiados por dia deve chegar a 220 mil.
Janeiro, até chegar ao terminal.
O Transoeste começará no Jardim Oceânico, na Barra
Nesse percurso, haverá um viaduto sobre a Avenida
da Tijuca – próximo à futura estação da Linha 4 do metrô –
Brigadeiro Trompowski, uma ponte sobre o Canal do
e seguirá até as estações da Supervia, em Campo Grande,
Fundão e a Linha Vermelha e uma ponte estaiada (suspensa
pela Avenida Cesário de Melo, e Santa Cruz, pela Rua
por cabos) sobre a Baía de Guanabara, ligando as ilhas do
Felipe Cardoso. Além dos ônibus articulados, com linhas
Fundão e do Governador. Depois, o trajeto contará com
expressas e paradoras, seu corredor central contará com
um viaduto sobre a ponte nova do Aeroporto e outros dois:
linhas complementares, operadas com ônibus menores
sobre a Estrada do Galeão e sobre a Avenida 20 de Janeiro.
nos bairros periféricos. O Transoeste estará dividido em
A previsão é de que as obras estejam concluídas em 2014.
cinco percursos. No denominado trecho zero da obra, o
Já o Transoeste terá 56 quilômetros de extensão e 53
corredor vai se estender por seis quilômetros do Jardim
estações de BRT que interligarão a Barra da Tijuca a Campo
Oceânico – onde fará integração com o metrô – até o
Grande e Santa Cruz. A expectativa é que a via reduza pela
Terminal Alvorada.
metade o tempo médio de viagem entre os bairros, todos
Os ônibus articulados circularão pelas faixas centrais
na Zona Oeste. Comandadas pela associada Construtora
da Avenida das Américas e farão parada nas estações
Foto de divulgação
Ampliação do Viaduto Negrão de Lima, em Madureira, para as obras da Transcarioca
18 Construir | Março 2012
CONSIDERADA A MAIOR OBRA
DA CIDADE NOS ÚLTIMOS 30
ANOS, O TRANSOLÍMPICA
CRIARÁ NOVAS VIAS E
CORTARÁ VÁRIOS BAIRROS.
Foto de divulgação
Campinho
instaladas sobre o canteiro central. O trecho 1 seguirá
pela Avenida das Américas, entre o Terminal Alvorada e a
Estrada Benvindo de Novaes, onde parte da via está sendo
ampliada para se igualar à existente na Barra da Tijuca.
Haverá mudanças na sinalização e construção de dois
viadutos – um no cruzamento das avenidas das Américas
e Salvador Allende, já concluído, e outro na altura da
Benvindo de Novaes.
O trecho seguinte, o 2, terá início no cruzamento
com a Estrada Benvindo de Novaes, seguindo pela
Avenida das Américas até a Estrada da Matriz, em
Guaratiba. Nesse percurso também está sendo feita
a implantação das pistas de serviço, até a altura do
Canal de Sernambetiba. Também haverá duplicação da
para carros, sem cruzamentos ou sinais, como na Linha
ponte sobre o canal e a duplicação da pista da Avenida
Amarela. O projeto, que está entre os compromissos
das Américas entre a Avenida Alceu de Carvalho até a
assumidos pela Prefeitura do Rio com o Comitê Olímpico
Estrada do Pontal, a partir de onde está sendo aberto
Internacional (COI), prevê a duplicação de importantes
o túnel da Grota Funda. O trecho 3 do Transoeste
vias, como a Avenida Salvador Allende e as estradas de
continuará pela Avenida das Américas, entre a Estrada
Curicica e do Guerenguê, em Jacarepaguá, bem como a
da Matriz, em Guaratiba, até a Estrada da Pedra, em
abertura de novos caminhos pelo Maciço da Pedra Branca,
Santa Cruz. Nessa região haverá a duplicação total da
com a construção de quatro túneis e novas ruas.
via, que passará a contar com três faixas por sentido,
uma delas destinada aos ônibus articulados.
O BRT Transolímpica será integrado ainda aos trens da
Supervia em Deodoro e Magalhães Bastos, criando uma
Com a adequação e ampliação do projeto, o Transoeste
opção hoje inexistente entre esses meios de transporte.
ganhou um trecho de número 4, que a ligará aos bairros
Outro ponto de integração será no trevo entre a Estrada
de Santa Cruz e Campo Grande. Por conta da alteração, a
dos Bandeirantes e a Avenida Salvador Allende, por onde
via vai se prolongar, a partir da Estrada da Pedra, por mais
passará o BRT Transcarioca. No Recreio dos Bandeirantes,
sete quilômetros pela Rua Felipe Cardoso, até a estação
o corredor também será interligado ao BRT Transoeste.
de trem de Santa Cruz. Na outra alça, uma via de 11
Considerada a maior obra da cidade nos últimos 30
quilômetros será construída na Avenida Cesário de Melo
anos, o Transolímpica criará novas vias e cortará os bairros
até a estação de Campo Grande. O corredor do Transoeste
da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Camorim,
deverá ser inaugurado em 2012.
Curicica, Taquara, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos,
Outro corredor de 26 quilômetros ligará Deodoro à
Vila Militar e Deodoro, beneficiando diretamente mais de
Barra da Tijuca. A Transolímpica do BRT fará mais do que
400 mil moradores e se consolidando como uma opção à
encurtar o tempo de deslocamento dos atletas entre as
Linha Amarela para quem vive na Baixada Fluminense e
instalações dos Jogos de 2016. Diferente dos outros dois
nas regiões próximas à Avenida Brasil.
corredores em construção – Transoeste e Transcarioca
Os ônibus articulados, com capacidade para 160
–, o da Transolímpica servirá de via expressa também
passageiros ou mais cada um, serão divididos em expresso
19 Construir | Março 2012
Transportes
e parador, de acordo com a quantidade de estações no
expectativa da Prefeitura é de que todas as obras fiquem
percurso. Todos os veículos – cerca de 60 – contarão com
prontas em 2015.
ar-condicionado, portas no lado esquerdo e piso elevado
Com menos necessidade de desapropriações, a
a 90 centímetros do solo, alinhado com as estações, que
Transbrasil encerra um anel de corredores expressos, mas
serão 17 entre a Barra da Tijuca e Deodoro.
nesse caso trata-se da transformação de uma das pistas
Por onde passar, o BRT Transolímpica promoverá
da Avenida Brasil num corredor para BRT com ônibus
também a urbanização do entorno. Serão construídas
articulados. Estudos iniciais estimam que o corredor terá
pistas em nível, nove quilômetros de ruas marginais,
cerca de 30 quilômetros, com pelo menos 26 estações e
calçadas largas e travessia prioritária de pedestres,
cinco terminais. A expectativa é que as obras comecem no
além de ciclovias e bicicletários nas estações. A
máximo em 2013.
Foto de divulgação
Estação da BRT em construção
RECUPERAR É PRECISO
A SMO não se restringiu a construir novas vias
esquecida. No Elevado das Bandeiras, mais conhecido como
expressas. A manutenção e a ampliação de vias já
Elevado do Joá, a Geomecânica Engenharia integra o consórcio
existentes mereceram igual atenção da Secretaria.
que executa as obras de recuperação estrutural da via.
Bairros como Campo Grande, Bangu e Jacarepaguá
A pacificação dos morros da Zona Norte beneficiou
ganharam ciclovias e duplicação das principais vias
também o bairro da Penha, que, além das obras de
de acesso. Novos viadutos e passarelas estão sendo
infraestrutura urbana, vai ganhar, com a Seel Serviços
construídos e recuperados em toda a cidade.
Especiais de Engenharia, um novo plano inclinado
A ligação entre a Zona Sul e a Barra da Tijuca não foi
20 Construir | Março 2012
para a Igreja da Penha.
www.odebrecht.com
O Rio está tomando
novos rumos
e nós ajudamos a construir
os caminhos.
Estádio OlÍmpico João Havelange
Corredor Transoeste
Porto Maravilha
Malha Viária
Morro da Providência
O Rio de Janeiro está se preparando para receber os eventos esportivos mais importantes
do mundo. E a Odebrecht Infraestrutura se orgulha de poder contribuir com esse
momento tão importante. São projetos de grande impacto social e econômico, que
contribuem para o desenvolvimento sustentável da cidade.
Copa do Mundo
A BOLA TAMBÉM VAI ROLAR FORA DO MARACANÃ
PASSAREL A-PARQUE MUDA A PAISAGEM E MELHOR A O ACESSO AO
ESTÁDIO QUE SER Á UM DOS M AIS MODERNOS DO MUNDO
Foto de divulgação
Maracanã
Não são apenas os gramados e as arquibancadas do
parte dos estacionamentos. A área de recreação terá mesa
Maracanã que serão completamente renovados. O entorno do
de jogos, bicicletário e equipamentos para exercícios. Ao
estádio mais famoso do mundo passará por uma completa
todo serão 2 mil metros quadrados de nova pavimentação
reestruturação a fim de tornar mais confortável e agradável
cujo grafismo remeterá a outro cartão-postal carioca: os
o acesso dos torcedores durante a Copa e depois dela. É a
calçadões da Praia de Copacabana. A iluminação de LED
Construtora Norberto Odebrecht que vai tirar do papel
vai garantir beleza e economia de energia.
o projeto, de autoria do escritório de paisagismo Roberto
Além do embelezamento da área, a reurbanização vai
Burle Marx, que prevê a construção de calçadões, ciclovias
promover a integração com o trem e o metrô. “Não vamos
e passarelas-parque, assim chamadas porque terão oito
ficar devendo a nenhuma grande arena europeia”, afirma
metros de largura e interligarão os dois lados da linha férrea.
o secretário Alexandre Pinto. Com custo de R$ 109,5
A revitalização do entorno do Maracanã, palco da final
milhões e previsão de 14 meses de duração, as obras ao
da Copa do Mundo de 2014 e da abertura das Olimpíadas de
redor do estádio vão beneficiar as ruas Eurico Rabelo,
2016, inclui a construção de duas amplas passarelas, que
Professor Manuel de Abreu, Mata Machado e Visconde de
deverão facilitar o escoamento de torcedores e o acesso
Niterói, além das avenidas Maracanã e Radial Oeste – todas
às áreas próximas à Quinta da Boa Vista, onde ficará boa
importantes vias da Zona Norte.
24 Construir | Março 2012
Infraestrutura
Foto de divulgação
Bairro Maravilha Novo Camarão, em Santa Cruz
A ZONA OESTE NA ORDEM DO DIA
REGI ÃO VAI GANH AR COLETA E TR ATAMENTO DE
ESGOTO ADEQUADOS DEPOIS DE DÉCADAS DE DESCASO
Quando se fala na Zona Oeste do Rio de Janeiro,
antigos quanto o patrimônio da Zona Oeste são os seus
a imagem que costuma vir à mente é a de uma área
desafios, decorrentes de longo período de descaso por
de crescimento recente. Mas não é bem assim. A
parte dos órgãos púbicos. A região da cidade que mais
última fronteira de desenvolvimento urbano da cidade
deve crescer nos próximos anos agora é prioridade da
é uma de suas mais antigas regiões. Prova disso é a
Prefeitura. E os investimentos, através da Secretaria de
existência da Igreja de Nossa Senhora do Desterro,
Obras, são da ordem de R$ 2 bilhões, cuja maior parte
em Campo Grande, a terceira mais antiga da cidade,
é direcionada para saneamento básico e reurbanização.
erguida em 1673 e modificada no século 18, e a da
A grande maioria dos bairros beneficiados pelo
Ponte dos Jesuítas, em Santa Cruz, de 1752. Tão
programa Bairro Maravilha, que abrange obras de
26 Construir | Março 2012
pavimentação e drenagem, fica nessa parte da cidade.
2016, 65% do esgoto seja coletado e 40%, tratado. E que,
Mais de 20 bairros, entre eles Bangu, Santa Cruz,
ao fim da concessão, em 15 anos, 90% do esgotamento
Campo Grande e Guaratiba, sofrerão intervenções de 24
sanitário esteja recebendo tratamento adequado. Os
associadas da AEERJ. Com 2 milhões de habitantes, a
primeiros bairros contemplados serão Bangu, Santa Cruz
Zona Oeste, sem contar a Barra da Tijuca, tem, no entanto,
e Campo Grande. Para a construção de 19 estações de
índices pífios quando o tema é coleta e tratamento de
tratamento, 221 elevatórias e 2.500 quilômetros de rede
esgoto – apenas 50% é coletado e, destes, apenas 5% é
de esgoto, serão investidos R$ 1,67 bilhão. A concessão
tratado. Ainda hoje as valas negras são uma realidade.
será fiscalizada pela Rio-Águas e o fornecimento de
Além de causar doenças, elas representam uma tragédia
água continuará sob a responsabilidade da Nova Cedae.
para a Baía de Sepetiba.
Em julho de 2007, a Prefeitura assumiu o saneamento
Essa realidade começou a mudar no ano passado,
básico da região e agora concede o serviço por 15 anos a
quando a Prefeitura anunciou os vencedores da licitação
empresas capacitadas e com experiências bem-sucedidas
que concede os serviços de coleta e tratamento de
no setor. Entre os casos emblemáticos estão o de Niterói e
esgoto a dois consórcios: Foz do Brasil e Águas do Brasil,
de Petrópolis, que já adotaram o modelo e atingiram índices
integrados, entre outras empresas de engenharia, por
de coleta e tratamento de esgoto acima de 90% do total.
Carioca Christiani-Nielsen Engenharia, Construtora
Entre os principais benefícios alcançados para a população
Queiroz Galvão,
está a recuperação da balneabilidade de algumas praias da
EIT Engenharia, Construtora Cowan
e Construtora Norberto Odebrecht. A ideia é que, até
Baía de Guanabara, como Icaraí, em Niterói.
Índices de esgoto coletado e tratado
80
50
80
60
50
30
tratado
100
70
40
coletado
60
40
20
20
10
0
40
30
20
10
2012
0
2016
0
2027
Foto de divulgação
Bairro Maravilha Parque Tiradentes, em Anchieta
27 Construir | Março 2012
Infraestrutura
Uma das causas da poluição da Baía de Sepetiba é o
cachoeiras de Mazomba, Itimirim e Bicão.
lançamento de esgoto sem tratamento em suas águas.
Além de sua importância ecológica, a Baía de Sepetiba
Delimitada pelas serras do Mar e de Madureira, pelo
foi palco de alguns acontecimentos históricos. Aliados
Maciço da Pedra Branca e pela Restinga da Marambaia, a
dos franceses na luta pela conquista do Rio de Janeiro,
baía possui 305 quilômetros quadrados de uma natureza
os índios tamoios se refugiaram na região após terem
que ainda dá mostras de exuberância, apesar de décadas
sido derrotados pelos portugueses, em 1567. No século
de maus-tratos. Ainda podem ser vistos botos cinza
seguinte, a região passou a integrar a rota do ouro. Parte do
em suas águas e parte do mangue ainda sobrevive. Em
metal precioso extraído em Minas Gerais era enviado para
comparação com a situação da Baía de Guanabara, o nível
Lisboa através do Porto da Baía de Sepetiba. Com a vinda
de poluição é considerado intermediário, mas é preciso
da família real portuguesa, em 1808, D. João VI mandou
tomar providências para que a situação não se agrave.
construir duas fortificações: o Forte de São Pedro, no Morro
Existem 12 praias em suas ilhas (Itacuruçá, Jaguanum,
de Sepetiba, onde hoje fica o radar da base aérea de Santa
Marambaia, Bonita e do Jardim). Outras atrações são as
Cruz, e o Forte São Leopoldo, no Morro do Ipiranga.
Bairro Maravilha Covanca, em Guaratiba
Foto de divulgação
Foto de divulgação
Antes do Bairro Maravilha
ASSOCIADAS QUE EXECUTAM AS OBRAS DO PROGRAMA BAIRRO MARAVILHA
Camter Construções e Empreendimentos / Chison Empreendimentos Imobiliários / Construtora Colares Linhares
Construtora Metropolitana / Construtora Monjardim Marques / DAS Engenharia / Delta Construções / EIT Engenharia
Enimont Empresa Nacional de Instalações e Montagens / Erwil Construções / Focus Construções / Globo Construções
e Terraplanagem / Hydra Engenharia e Saneamento / Irmãos Haddad Construtora / LBQ Engenharia / Mascarenhas
Barbosa Roscoe Construções / Nova Santa Luzia Engenharia / RC Vieira Engenharia / RGI Empreendimentos
Rodoplex Engenharia / Silo Engenharia / Spil-Serviços Técnicos de Engenharia / Terrapleno Terraplenagem e Construção
União Norte Fluminense Engenharia e Comércio
28 Construir | Março 2012
Sabemos que o Rio é uma cidade maravilhosa,
que tal torná-la mais acessível?
A Seel, junto com a Prefeitura do Rio de Janeiro,
está trabalhando em alta velocidade para garantir
a população acesso mais confortável à Igreja da
Penha, através da construção de dois dos planos
inclinados sobre trilhos, com cabine panorâmica.
O projeto prevê plena integração com a natureza
garantindo o menor impacto ambiental possível.
SEEL e Prefeitura do Rio de Janeiro,
trabalhando juntas para tornar nossa Cidade ainda melhor.
Serviços Especiais de Engenharia Ltda.
Av. Presidente Vargas, 583 salas 1111 a 1115
Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20.071-003
Tel/Fax: (0**21) 2242-9606
Zona Portuária
VEJA ESTA MARAVILHA DE CENÁRIO
REV ITALIZAÇÃO DO PORTO CONTEMPL A MELHOR A DA
INFR AESTRUTUR A E IMPL ANTAÇÃO DE BONDE MODERNO
Foto de divulgação
A maquete do Porto Maravilha
Imaginar a paisagem do Centro sem o Elevado da
um centro de convenções, um hotel cinco estrelas e
Perimetral é quase um exercício de ficção científica.
museus. Certamente, nenhum deles abrigará obra tão
Com ruas e avenidas densamente povoadas por carros e
impressionante quanto a de engenharia que permitirá a
ônibus, como seria possível demolir o viaduto que margeia
demolição do viaduto sem acarretar nó no trânsito.
a Baía de Guanabara? Pois esse é um dos grandes
As mudanças não afetarão apenas o tráfego de
desafios do projeto Porto Maravilha, que, até 2015, terá
veículos. Para o projeto deslanchar, alterou-se o gabarito
mudado as feições da Zona Portuária por meio de um
dos prédios, gerando um mundo de oportunidades para
consórcio integrado por Construtora OAS, EIT Engenharia
as empresas de engenharia interessadas em investir
e Norberto Odebrecht.
na área. A nova legislação permite construções de
Com quase 5 milhões de metros quadrados, a
até 50 andares em alguns trechos nas margens da
região terá papel importante durante as Olimpíadas,
Avenida Francisco Bicalho, e de 30 andares na parte da
pois abrigará a imprensa internacional e os árbitros
Avenida Rodrigues Alves próxima da Rodoviária Novo
das várias modalidades esportivas em duas vilas, cada
Rio. Novas construções, de uso comercial e residencial,
uma com 11 mil quartos. Serão construídos ainda
vão conferir maior dinamismo à região e a expectativa
30 Construir | Março 2012
Escola Municipal Baltazar Lisboa
Há 15 anos fazendo a diferença.
Estamos construindo com a Prefeitura
do Rio de Janeiro o futuro dos Cariocas
Espaço de Desenvolvimento Infantil Joel Luiz Azevedo Bastos
Rua Guatemala, 136 - Parte - Penha - Rio de Janeiro - RJ - Tel.: 21 2561-2284 - Email: [email protected]
é de que a população local passe dos atuais 20 mil
Engenharia e Odebrecht trabalham no reforço estrutural do
habitantes para 100 mil.
Píer Mauá, onde o prédio de linhas arrojadas será erguido, e
De ocupação centenária, a Zona Portuária sofria com
na execução das fundações. Será a primeira obra de Calatrava
carência de infraestrutura urbana. Iniciadas em 2010, as
na cidade. Nos países pelos quais o arquiteto passou, as áreas
reformas devem ficar prontas ainda este ano, dando novo
em que deixou sua marca se tornaram concorridos pontos
visual à área, que terá calçadas renovadas, ciclovia e
turísticos. São de sua autoria a Torre Montjuic, em Barcelona,
arborização exuberante, com o plantio de 15 mil árvores.
a Estação do Oriente, em Lisboa, o Complexo Olímpico de
Sob as ruas, as galerias de abastecimento de água,
Atenas e a Cidade das Artes e das Ciências, em Valência, na
coleta de esgoto, drenagem e energia elétrica serão
Espanha. Com área de exposição de 5 mil metros quadrados, o
reformadas, perfazendo um total de 700 quilômetros de
museu, cujo tema será a sustentabilidade e o futuro ecológico
dutos. Posteriormente, serão construídos três túneis: um
do planeta em 2061, deve seguir o modelo altamente interativo
cortando o Morro da Saúde e outros dois cortando o Morro
implantado nos museus paulistanos da Língua Portuguesa e
de São Bento, a fim de criar uma ligação direta com a
do Futebol.
Avenida Primeiro de Março, no Centro. Até agora batizada
Dessa forma, a modernidade vai conviver em harmonia
como Binário do Porto, a via percorrerá 70 quilômetros e
com a parte mais antiga da cidade. Ali fica a Pedra do
receberá o fluxo de carros após a implosão da Perimetral.
Sal, ponto de encontro da população negra na época do
Nos moldes dos bondes que circulam nas grandes
Brasil Colônia e onde, mais tarde, importantes capítulos
capitais europeias, o VLT (veículo leve sobre trilhos) integrará
dos primórdios do samba foram escritos por uma turma
a Zona Portuária ao resto do Centro. Com capacidade para
de bambas da mais alta linhagem, entre eles João da
450 passageiros e equipados com ar-condicionado, os bondes
Baiana, Donga, Pixinguinha e Heitor dos Prazeres. Depois
modernos devem contribuir para a diminuição do fluxo
de décadas, o lugar foi redescoberto por uma nova geração
de veículos. Serão seis linhas percorrendo um total de 52
de sambistas que comanda uma animada roda de samba
quilômetros, metade delas saindo da Rodoviária Novo Rio e
às segundas-feiras.
a outra metade da Estação Central do Brasil. Espera-se que
Parte desse passado veio literalmente à tona num
em 2014 duas linhas estejam prontas. Até 2015, quando se
canteiro de obra da Avenida Barão de Tefé, em que foram
comemoram os 450 anos da fundação da cidade, outras duas
encontrados os vestígios do antigo Cais da Imperatriz,
devem ser entregues e, em 2016, todas estarão funcionando.
projetado pelo arquiteto francês Grandjean de Montigny, em
Outro projeto aguardado com expectativa é o Museu
1843, e construído para receber a imperatriz Tereza Cristina.
do Amanhã, que leva a assinatura do consagrado arquiteto
Garrafas, porcelanas, pulseiras e cordas de amarração estão
espanhol Santiago Calatrava. As construtoras Carioca
sendo catalogados por uma equipe de arqueólogos.
MUDANÇA NA LEGISLAÇÃO URBANA FOI FUNDAMENTAL
A engenharia financeira que deu origem à Operação
Urbana Porto Maravilha utilizou um instrumento ainda
viárias e até a demolição do Elevado da Perimetral – sem
comprometer o orçamento da Prefeitura do Rio.
pouco explorado no país: os recursos dos Certificados de
O Cepac dá direito de construir além do coeficiente
Potencial Adicional de Construção (Cepacs), que estão
de aproveitamento básico, que, nessa região, equivale
sendo usados para arcar com a requalificação de 5 milhões
a uma vez a área do terreno. Exemplificando: sobre um
de metros quadrados de terreno.
terreno de 200 metros quadrados podem-se edificar 200
Os recursos vêm da iniciativa privada, a partir da venda
metros quadrados de área construída sem a necessidade
dos Cepacs, exigidos para se desenvolver empreendimentos
de adquirir Cepacs. Acima disso é necessário adquirir
imobiliários na região que consumam potencial construtivo
os títulos, que são convertidos em direito de construir
existente. Ao se entender a mecânica dessa estrutura,
metros quadrados adicionais, seja para empreendimentos
compreende-se como é possível reurbanizar a Região
residenciais ou não. Todos os recursos arrecadados com a
Portuária – incluindo-se aí grandes obras de infraestrutura,
venda dos Cepacs só podem ser utilizados no pagamento
manutenção dos serviços públicos por 15 anos, mudanças
das intervenções naquela região.
32 Construir | Março 2012
Qualidade de Vida
SAÚDE E EDUCAÇÃO PARA TODOS
NOVOS HOSPITA IS, CRECHES E POSTOS DE SAÚDE ESTÃO
RE VOLUCIONA NDO O ATENDIMENTO À POPUL AÇ ÃO
Foto de divulgação
EDI Samira Pires Ribeiro
Na década de 30, o Rio vivia um momento de pujança
Desenvolvimento Infantil (EDIs), que somam 149, entre
econômica. Da sede do Distrito Federal, no Catete,
novos e adaptados. As obras foram tocadas por cerca de
partiram as medidas de reestruturação da economia
23 empresas associadas da AEERJ.
cafeeira de São Paulo. Os cassinos eram o centro da
Inovadores, os dois projetos apostam na saúde e na
diversão noturna e uma lei obrigava o investimento em
educação, setores até então carentes de assistência.
saúde e educação de parte dos impostos arrecadados
As Clínicas da Família, por exemplo, pretendem atuar
com o jogo. Com o médico Pedro Ernesto no posto de
na prevenção através do modelo do médico de família.
alcaide municipal, a cidade viu surgirem hospitais e
Apenas famílias cadastradas e de uma determinada
escolas em profusão. Algo semelhante acontece nos
área de abrangência são atendidas. Com isso, a
dias de hoje com a construção das Clínicas da Família
marcação de consultas é bem mais simples do que
– até agora já foram entregues 50 – e dos Espaços de
nos postos de saúde convencionais. Administrados
34 Construir | Março 2012
por organizações sociais, os locais prestam até
energia. Outra medida adotada visando poupar o meio
atendimento odontológico. Na Zona Oeste, onde foi
ambiente é a instalação de um moderno sistema de
implantado o maior número de unidades, os resultados
reaproveitamento de água.
são expressivos. Com 80% de cobertura pelo novo
As
duas
iniciativas
englobam
o
pacote
de
sistema, Santa Cruz, Sepetiba e Paciência registraram
intervenções sociais capitaneadas pela Prefeitura em
queda de 35% para 2% nas internações de pacientes
comunidades pacificadas. Apenas no Complexo do
com doenças hipertensivas.
Alemão serão montados cinco EDIs. Outros oitos estão
Já os EDIs seguem um modelo de assistência
previstos para a Penha e a Vila Cruzeiro. Quanto às
integral para crianças entre seis meses e cinco anos e
Clínicas da Família, serão construídas quatro unidades.
11 meses, ou seja, da creche à pré-escola. Desde sua
“A Secretaria Municipal de Obras também tem papel
implementação, em 2009, foram criadas 15 mil vagas.
fundamental nesse processo, já tendo concluído um
Os espaços são equipados com berçários, mobiliários
pacote de obras de revitalização de áreas de lazer em
apropriados e playground. Os investimentos nos dois
comunidades pacificadas da Zona Norte e na região
setores incluem a construção de novas escolas e a
da Leopoldina”, destaca o secretário Alexandre Pinto.
conservação das já existentes. Seguindo a tendência
Doze das novas unidades de educação homenagearam
dos prédios “verdes”, as construções foram erguidas
vítimas do massacre da Escola Municipal Tasso da
a partir de material reciclado e projetadas de forma a
Silveira, em Realengo, ocorrido em 2011. O próprio
aproveitar ao máximo a luz solar, a fim de economizar
colégio ganhou um EDI.
Foto de divulgação
EDI inaugurada recentemente no Complexo da Penha, Morro da Fé
35 Construir | Março 2012
Qualidade de Vida
A cidade vai ganhar quatro novos hospitais, dois na Zona
Oeste: o Hospital da Mulher, que a Andrade Gutierrez está
construindo em Bangu, e o Hospital Pedro II, em Santa Cruz,
Foto de divulgação
Clínica da Família
Hospitais de cara nova
cujas obras foram entregues em fevereiro pela Queiroz
Galvão. Essa unidade teve de ser totalmente reconstruída
depois que um incêndio destruiu o prédio. A reconstrução
durou pouco mais de um ano e a capacidade de atendimento
aumentou de 260 para 400 leitos. Um dos andares será
destinado exclusivamente ao tratamento de vítimas de fogo,
e outros três ao atendimento a crianças, incluindo uma
serão responsáveis por parte da energia usada no aquecimento
maternidade (até então, os partos eram realizados no setor
da água do hospital e um moderno sistema de detecção de
de Emergência do hospital). Placas que captam energia solar
fumaça foi instalado para evitar novos acidentes.
ASSOCIADAS QUE CONSTROEM CLÍNICAS DA FAMÍLIA
Construtora Andrade Gutierrez / Construtora Entre os Rios / Enge Prat Engenharia e Serviços / Engetécnica
Hécio Gomes Engenharia e Comércio / MeP Construções e Participações / RL 2 Engenharia / Volume Construções e
Participações
ASSOCIADAS QUE CONSTROEM EDIS
Amapá Construções e Reformas / CLM Exatta Construções / Construtora Andrade Gutierrez / Construtora Entre os Rios
Construtora Nova Arcos / Engeobras Construções / Fenix Construtora / FW Empreendimentos Imobiliários e Construções
Gianel Construtora / Inovattec Serviços de Engenharia e Construções / Irmãos Haddad Construtora / Mega Engenharia
MJRE Construtora / Phoenix Construção e Reformas / RC Vieira Engenharia / Retrofit Engenharia de Serviços / Rizoma
Engenharia, Paisagismo e Serviços / Rodrigues e Lucena Construtora / Senic-Serviços de Engenharia Indústria e Comércio
Spins Engenharia e Empreendimentos Imobiliários / WL Engenharia, Planejamento / York Engenharia e Comércio / Zart Engenharia
Fotos de divulgação
EDI Professora Zena Elian, em Realengo
36 Construir | Março 2012
Clinica da familia
Prevenção
Fotos de divulgação
Rio Itanhangá
QUE VENHAM AS ÁGUAS DE MARÇO
COMEÇ A R A M AS INTERV ENÇÕES QUE VÃO AC A BA R
COM AS ENCHENTES NA PR AÇ A DA BA NDEIR A
38 Construir | Março 2012
Prevenção
Inspirações para o maestro Tom Jobim, as chuvas
Papa-Couve, do Comprido, do Maracanã e do Joana.
de verão são um problema histórico no Rio de Janeiro.
A partir dali elas seguem pelo Canal do Mangue até a
Cortada por rios que tiveram seus cursos alterados
Baía de Guanabara. Com a extinção das áreas verdes
ao longo do tempo, a cidade ainda paga um alto preço
em suas margens, a capacidade de absorção do solo
por isso e enchentes e deslizamento de encostas já
foi praticamente anulada e, por isso, a região alaga
fizeram milhares de vítimas. Na atual administração, a
com tanta frequência. É aí que entram em cena os
Secretaria de Obras, através da Rio-Águas, desenvolve
reservatórios. No momento dos temporais, eles captam
intervenções que podem diminuir consideravelmente os
o excedente de água e só liberam o volume que a rede
estragos na região que virou sinônimo de ruas alagadas:
é capaz de drenar.
a Praça da Bandeira.
Entre as medidas que serão adotadas estão o desvio,
Orçada em R$ 160 milhões e executada pela OAS,
na altura da Rua Varnhagen, de parte da vazão do Rio
a primeira etapa do Controle de Enchentes da Bacia
Maracanã para o Rio Joana. Este, por sua vez, terá parte
do Canal do Mangue prevê a canalização de um trecho
de seu trajeto desviado. Em vez de seguir para a Praça
do Rio Trapicheiros e a construção de um reservatório
da Bandeira, vai cruzar a linha férrea por um túnel
subterrâneo com capacidade para reter 18 mil metros
subterrâneo e seguir sob o Morro de São Cristóvão e
cúbicos de água. É o menor dos quatro piscinões
da Rua Fonseca Teles. Daí a água vai alcançar a Baía
previstos no projeto, que deve ficar pronto em 2014
de Guanabara, através de uma tubulação sob a Rua São
e conta com verbas do Programa de Aceleração do
Cristóvão.
Crescimento (PAC).
O custo total do projeto é de R$ 292 milhões. Os
Resolver o problema na Praça da Bandeira é de
demais reservatórios serão construídos próximos à Rua
fundamental importância para a Copa do Mundo.
Heitor Beltrão, para captar as águas do Rio Trapicheiros
Principal ponto de ligação entre as Zonas Norte, Sul e
(com capacidade para 70 mil metros cúbicos); ao
Centro, a região fica a poucos quilômetros do palco da
Boulevard, para direcionar o excedente das águas do Rio
final da competição e, por isso, foi incluída no caderno
Joana (143 mil metros cúbicos); e no Alto Grajaú, para
de encargos sociais de preparação para o evento.
o Rio Jacó (50 mil metros cúbicos). Este último será
Ponto de encontro de outros quatro rios, além do
Trapicheiros, a Praça da Bandeira recebe as águas do
construído dentro da rocha, no Grajaú, para acumular o
excesso de água proveniente da Serra do Andaraí.
Foto de divulgação
Praça da Bandeira
40 Construir | Março 2012
A OAS faz parte dessas
construções e parabeniza
esse desenvolvimento.
www.oas.com
Estádio
Está
Es
tádi
dio Olímpico
Olím
Ol
ímpi
pico
João Avelange
Porto
Port
Po
rto Maravilha
Maravi
Ma
vilh
vilha
vi
lhaa
lh
Operação
Op
Asfalto
Asf
A
sfal
alto
al
to Liso
LLis
isoo
is
A Prefeitura da Cidade
do Rio de Janeiro investe
cada vez mais em obras de
infraestrutura urbana que
ajudarão a cidade a ser palco
da Copa do Mundo de 2014
e das Olimpíadas de 2016,
além de implementar
melhorias significativas para
o dia a dia do município.
LInha
LInh
LI
nhaa Amarela
nh
Amar
Am
arela
arel
ar
elaa
el
DESENVOLVIMENTO
Transcarioca
Tran
Tr
Transcar
ansc
scar
scar
ario
ioca
io
ca Etapa
EEta
tapa
ta
pa 2
CONSTRUÇÃO E
Fotos de divulgação
depoimentos
“Alexandre Pinto, com seu estilo low profile e profundo conhecimento da Prefeitura
e seus projetos, comanda a SMO com extrema competência, o que lhe propicia
exercer a autoriadade em toda a sua plenitude e sem um pingo de autoritarismo.
As obras de contenção de encosta da GEO-RIO, têm por finalidade a mitigação do
risco geotécnico, levando segurança aos moradores de áreas de risco. O legado
que essas obras deixam para a cidade é o aumento da capacidade de resistir a
chuvas severas. A cidade hoje resiste bem a chuvas cuja intensidade no passado
causaria grandes transtornos.”
MÁRCIO MACHADO, presidente da Geo-Rio
“Alexandre Pinto, além de um excelente secretário, é acima de tudo um engenheiro
da casa, e conhece todos os desafios e dificuldades que enfrentamos. Nossa equipe
é, na verdade, uma grande parceria, em que temos sempre seu auxílio. Ele tem
uma memória incrível, além de ser um profissional incansável. Hoje, estamos com
um expressivo pacote de obras que há muitos anos a cidade não tinha. Na verdade,
estamos revolucionando o sistema de transporte com todas as TRANS (corredores
expressos de BRT). É a maior mudança que a Prefeitura do Rio de Janeiro já executou
de uma só vez, um marco na história da cidade.”
EDUARDO FAGUNDES, gerente de obras viárias
“O gerenciamento executivo do secretário Alexandre Pinto é determinante para
as atividades administrativas e técnicas da Secretaria Municipal de Obras. Ele é
responsável por organizar métodos e traçar todas as diretrizes, mostrando com isso
os compromissos assumidos pela administração pública. Parte integrante da estrutura
da SMO, a RioUrbe, através do gerenciamento de projetos e obras de arquitetura e
engenharia de construção de equipamentos, tem contribuído para a melhoria da saúde
e da educação pública, além de melhorar o IDH do município.”
ARMANDO QUEIROGA, presidente da RioUrbe
“A gestão do secretário Alexandre Pinto é marcada pela realização de grandes obras
que há anos a cidade aguardava. Algumas delas de esgotamento sanitário e drenagem,
que contaram em sua fase de projeto com o envolvimento direto do secretário, quando
era presidente da Rio-Águas. Posso citar as obras de macrodrenagem de Jacarepaguá,
o Programa Saneando Sepetiba e obras de controle de enchentes da Bacia do Canal do
Mangue. Acredito que essas obras são o grande legado da Rio-Águas para a cidade, já
que são a resposta da Prefeitura para enchentes históricas, como as de Jacarepaguá
e as da Praça da Bandeira.”
MAURO DUARTE, Presidente da Fundação Rio-Águas
42 Construir | Março 2012
“Desde que o prefeito Eduardo Paes determinou as diretrizes de preparação da
cidade para a Copa do Mundo e as Olimpíadas, coube ao engenheiro Alexandre
Pinto a tarefa de reorganizar os mecanismos de execução e controle da Secretaria
de Obras e comandar o processo de capacitação dos profissionais. Missão que ele
conduz com muita competência. O projeto Porto Maravilha e a revitalização do
bairro da Lapa ganharam o reforço do Programa Bairro Maravilha Norte, que prima
pela urbanização de centenas de ruas, e da Operação Asfalto Liso, de pavimentação
das vias da cidade. Hoje, as obras em nossa gerência contemplam 616 ruas e uma
área de 366 mil metros de extensão. São mudanças importantes para o Rio.”
ROBERTO RODRIGUES, gerente de obras do Porto Maravilha
“O engenheiro Alexandre Pinto sempre se destacou profissionalmente. A grande
capacidade de gerenciar obras e a incansável busca de novas tecnologias são
marcas da sua trajetória. Poucos sabem, mas foi Alexandre Pinto quem introduziu
no Rio de Janeiro a reciclagem com espuma de asfalto, executada na Avenida das
Américas, na Barra da Tijuca. Ao longo destes três anos de gestão, o Rio de Janeiro
se transformou em um verdadeiro canteiro de obras. Entre os projetos, destaco a
Operação Asfalto Liso, com mais de 700 quilômetros de vias restauradas, além do
Bairro Maravilha, da Transoeste, Transcarioca, Porto Maravilha e Parque Madureira.
Creio que os engenheiros da SMO estão bastante motivados, unidos e honrados por
ter um secretário de carreira, excelente administrador, agregador e com elevado
conhecimento profissional.”
CELSO RAMOS, gerente do programa Asfalto Liso
“Com a construção dos EDIs, a rede de atendimento à educação infantil tem passado
por um processo de ampliação das suas unidades, iniciado em 2009 e marcado pela
construção de um novo modelo de espaço escolar para o segmento de creche e préescola. Até hoje foram entregues 48 unidades, o que possibilitou um aumento da rede
em aproximadamente 8 mil vagas em horário integral. Até o fim de 2012, totalizaremos
89 novas unidades que corresponderão a aproximadamente 15 mil novas vagas. As
Clínicas da Família também fazem parte de um projeto de extrema importância para
o município. O projeto tem como diretriz a eficiência energética e a sustentabilidade.
As edificações têm sistema de reaproveitamento da água da chuva, usam técnicas de
ventilação cruzada e privilegiam a luz natural. Já foram inauguradas 43 unidades em
diversos bairros do Rio de Janeiro.“
LUIZ PAULO HEDI, diretor de Obras Prediais da RioUrbe
43 Construir | Março 2012
fim
paulo cesar
corrêa lopes,
engenheiro
É HORA DE CHUTES CERTEIROS
No século passado, os velhos clichês brasileiros, como
Na primeira década deste século, com as crises
“país do futuro” e “potência emergente”, cá entre nós,
internacionais dos países ricos, os BRICS passaram a ser
eram confortáveis, apesar de cansativos e desgastados. O
vistos como alavancadores econômicos do planeta, livres
futuro não tinha compromissos de prazo e a emergência
daquela imagem que compartilhávamos, cada um a seu
não era temporal, mas derivada de emergir. Vivíamos,
modo, de pobres e/ou improdutivos.
assim, desatrelados de limites de tempo para chegar à
O sucesso agora ronda o Brasil e não podemos evitar
tona. E o povo se mantinha acomodado em seu complexo
que nos esmiúcem as vísceras, palpitem sobre nossas
de vira-lata.
diretrizes e, é claro, que invistam no Brasil. Só não
Nos anos JK e mais adiante, nos idos da ditadura,
chegou-se
a
propalar
milagres
brasileiros,
ambos
inconsistentes, que não sobreviveram à inflação.
O Plano Real e uma política econômica inteligente alteraram
devidamente os rumos da nação ao promoverem crescimento
podem usar a “Lei de Gerson” contra nós. Ainda bem que
de esperteza entendemos a fundo e a iniciativa privada
tupiniquim sabe bem se defender da ganância estrangeira.
Os empresários daqui não me preocupam, conhecem sua
força e querem ganhar dinheiro.
com moeda estável. Colocou-se fermento no PIB e os projetos
A bola deste sucesso, entretanto, precisa receber
de redução da pobreza, da mesma safra e depois amplificados,
chutes certeiros do poder constituído para converter
nos fizeram acreditar que emergir era possibilidade viável, já
os necessários gols da hora. Redução do custo Brasil e
não tão remota. Estaria finalmente chegando a nossa hora?
educação pública de qualidade.
44 Construir | Março 2012