Caracterização Socioeconómica - Câmara Municipal de Penacova

Сomentários

Transcrição

Caracterização Socioeconómica - Câmara Municipal de Penacova
PLANO DIRETOR MUNICIPAL
PENACOVA
Caracterização Socioeconómica
abril 2015
município de penacova
lugar do plano, gestão do território e cultura
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Índice
A. Introdução ................................................................................................................................... 5
B. Caracterização Geral da População Ativa .................................................................................. 6
C. Fluxos de Emprego no Concelho ............................................................................................. 20
D. Análise das Atividades Económicas: tecido empresarial concelhio e pessoal ao serviço ... 23
D.1. Setor Primário .................................................................................................................... 30
D.2. Setor Secundário ............................................................................................................... 39
D.3. Setor Terciário ................................................................................................................... 46
E. Relatório Socioeconómica: Síntese ........................................................................................... 50
Índice de Tabelas
Tabela 1 – População residente com mais de 15 anos, com e sem atividade económica na região, sub-região e
concelho (nº abs. e %), 2011 ..................................................................................................................................6
Tabela 2 – População residente com mais de 15 anos, com atividade económica, segundo o grupo etário (nº abs. e
%), 2011 ..................................................................................................................................................................7
Tabela 3 – População residente economicamente ativa e empregada no concelho, segundo o setor de atividade
económica (nºs. absolutos, percentagem e taxa de crescimento), 1991, 2001 e 2011 .......................................8
Tabela 4 – População residente economicamente ativa e empregada, segundo o setor de atividade económica e Zona
Geográfica (nºs. absolutos, percentagem e taxa de crescimento), 2001 e 2011 ..................................................9
Tabela 5 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho e Freguesias, segundo o setor de
atividade económica (nºs. absolutos e percentagem em linha), 2011 ................................................................10
Tabela 6 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo o setor de atividade
económica e sexo (% e taxas de crescimento), 2001 e 2011 ..............................................................................11
Tabela 7 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho e Freguesias (nºs. absolutos e
percentagem em coluna), 2011 ............................................................................................................................12
Tabela 8 - População residente economicamente ativa, segundo a situação face ao emprego no Concelho e
Freguesias (nºs. absolutos e percentagem), 2011 ...............................................................................................13
Tabela 9 – Taxas de Atividade e de Desemprego na região, sub-região, concelho e freguesias, segundo o sexo, 2011
(%) ..........................................................................................................................................................................13
Tabela 10 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo a profissão (nº abs. e %),
2011 ......................................................................................................................................................................15
Tabela 11 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo o grupo de profissões
(% e taxa de crescimento), 2001 e 2011 ..............................................................................................................18
Tabela 12 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo a situação na profissão
(% e taxa de crescimento), 2001 e 2011 ..............................................................................................................19
Tabela 13 - Taxa de atração total e de repulsão interna (%) por Local de residência ...................................................20
Tabela 14 - Proporção da população residente que 5 anos antes residia fora do município (%) por Local de residência
..............................................................................................................................................................................21
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
2
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 15 - População residente, segundo as migrações (relativamente a 99/12/31), por concelho de residência
habitual em 2001/03/12 ......................................................................................................................................21
Tabela 16 - População residente imigrante, segundo o país de proveniência (relativamente a 99/12/31), por
concelho de residência habitual em 2001/03/12 ................................................................................................21
Tabela 17 - Proporção de população residente que trabalha ou estuda noutro município (%) por Local de residência,
2011 ......................................................................................................................................................................22
Tabela 18 – Empresas, segundo os setores de atividade económica (nº e %), 2011 .....................................................23
Tabela 19 – Empresas da Indústria Transformadora, segundo os subsetores de atividade económica (nº e %), 201124
Tabela 20 – Indicadores do tecido empresarial concelhio 2011 ...................................................................................25
Tabela 21 – Pessoal ao serviço nas empresas com sede no concelho segundo a CAE rev. 3, (nº e %), 2011 ...............26
Tabela 22 - Pessoal ao serviço nas sociedades da indústria transformadora com sede em Penacova (nº e ................26
Tabela 23 – Indicadores do mercado de trabalho concelhio, 2011 ...............................................................................27
Tabela 24 - Empresas com Sede no concelho segundo os setores de atividade (nºs absolutos, percentagens e taxa
de crescimento), 2001, 2004, 2007, 2009 e 2011 ..............................................................................................28
Tabela 25 – Pessoal ao serviço nas empresas com sede no concelho, segundo os setores de atividade (nºs absolutos,
percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004, 2009, 2010 e 2011 ............................................................29
Tabela 26 - Volume de vendas nas sociedades sedeadas, segundo os setores de atividade (nºs absolutos e
percentagens), 2006 .............................................................................................................................................29
Tabela 27 – Sociedades constituídas, segundo os setores de atividade (nºs absolutos e percentagens), 2011 ..........30
Tabela 28 - Empresas do setor primário com sede no concelho ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004, 2007 e
2011 ......................................................................................................................................................................30
Tabela 29 - Culturas temporárias mais importantes, segundo a área ocupada (ha), 2009 ..........................................33
Tabela 30 – Indicadores agrícolas (valor anual e taxa de crescimento), 1989, 1999 e 2009 .......................................38
Tabela 31 - Empresas do setor secundário com sede no concelho ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004, 2007
e 2011 ...................................................................................................................................................................40
Tabela 32 - Empresas do setor secundário com sede no concelho, segundo a divisão ( nºs absolutos, percentagens
e taxa de crescimento), 2001, 2004, 2007 e 2011 .............................................................................................40
Tabela 33 - Empresas da Indústria transformadora com sede no concelho, segundo o subsetor ( nºs absolutos,
percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004, 2007 e 2011 .......................................................................41
Tabela 34 – Pessoal ao serviço nas sociedades do setor secundário com sede no concelho, segundo a divisão ( nºs
absolutos, percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004 e 2007 ..............................................................42
Tabela 35 – Pessoal ao serviço nas sociedades da indústria transformadora com sede no concelho, segundo a
subdivisão ( nºs absolutos, percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004 e 2007 ....................................43
Tabela 36 – Volume de vendas das sociedades do setor secundário ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004 e
2006 ......................................................................................................................................................................44
Tabela 37 – Volume de vendas das sociedades do setor secundário – Indústria transformadora ( nºs absolutos e
percentagens), 2001, 2004 e 2006 .....................................................................................................................45
Tabela 38 - Empresas do setor terciário com sede no concelho ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004, 2007 e
2011 ......................................................................................................................................................................46
Tabela 39 - Empresas do setor terciário com sede no concelho, segundo a divisão ( nºs absolutos, percentagens e
taxa de crescimento), 2001, 2004, 2007 e 2011 ................................................................................................47
Tabela 40 – Pessoal ao serviço nas sociedades do setor terciário com sede no concelho, segundo a divisão ( nºs
absolutos, percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004 e 2007 ..............................................................48
Tabela 41 – Volume de vendas das sociedades do setor terciário ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004 e
2006 ......................................................................................................................................................................49
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
3
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Índice de Gráficos
Gráfico 1 – População residente, com 15 ou mais anos, segundo a condição perante a condição económica (%) 2011
................................................................................................................................................................................7
Gráfico 2 - População residente, com 15 ou mais anos, segundo a condição perante a condição económica, com
atividade económica (%) ..........................................................................................................................................7
Gráfico 3 - População residente, com 15 ou mais anos, segundo a condição perante a condição económica, sem
atividade económica (%), 2011 ...............................................................................................................................8
Gráfico 4 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo o setor de atividade
económica e sexo (%), 2011 .................................................................................................................................11
Gráfico 5 – Taxas de crescimento 2001/ 2004 e 2004/2007 .......................................................................................28
Gráfico 6 - Explorações com SAU, segundo a forma de exploração da SAL (nº), 2009 .................................................32
Gráfico 7 – Distribuição das explorações, segundo a organização da contabilidade das explorações (%), 2009 ........32
Gráfico 8 - Distribuição dos indivíduos da população familiar por tempo de atividade agrícola (%), 2009 .................34
Gráfico 9 - Distribuição dos indivíduos da população familiar, segundo a percentagem de tempo parcial dedicado à
atividade agrícola (%), 1999 ..................................................................................................................................34
Gráfico 10 - Distribuição da população familiar com atividade principal exterior, segundo o setor de atividade
económica desta (%), 1999 ...................................................................................................................................35
Gráfico 11 - Distribuição da população familiar com atividade principal exterior, segundo a situação na profissão
(%), 1999 ...............................................................................................................................................................36
Gráfico 12 - Nível de instrução da população familiar (%), 2009 ...................................................................................36
Gráfico 13 - Origem do rendimento do agregado doméstico do produtor singular (%), 2009 .....................................38
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
4
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
A. Introdução
O Concelho de Penacova situa-se na região centro do país, mais concretamente na zona Este do Distrito
de Coimbra, na sub-região do Baixo Mondego. Confronta a norte com os concelhos da Mealhada (distrito
de Aveiro), Mortágua e Santa Comba Dão (distrito de Viseu), a nascente com os concelhos de Tábua e
Arganil, a sul com o de Vila Nova de Poiares e a poente com o de Coimbra, sede do Distrito e do qual,
Penacova, dista aproximadamente 20 km.
O Rio Mondego atravessa o concelho, dividindo-o em duas partes iguais, tendo sido, desde sempre, de
extrema importância para o desenvolvimento de Penacova, quer ao nível das atividades agrícolas, quer ao
nível das atividades de turismo.
Se bem que localizado junto ao litoral e com boas acessibilidades intermunicipais (sendo fácil a deslocação
até este concelho, seja via IC2, A1 ou IP5/ A25 seguindo-se posteriormente pelo IP3), o concelho
apresenta características semelhantes às presentes em zonas do interior rural do país, caracterizando-se
por ter orografia montanhosa com irregularidades morfológicas, que dificultam, muitas vezes, o acesso a
algumas freguesias do mesmo, disperso numa vasta área territorial, dividido sensivelmente ao meio pelo
Rio Mondego.
De acordo com o Plano Municipal do Ordenamento do Território e respetivos usos do solo nele
identificados, o uso urbano é largamente predominante (95%). Os restantes 5% destinam-se a
equipamentos e parques urbanos (2,5%), ao turismo (2,2%) e ao uso industrial (0,6%).
Seguidamente proceder-se-á à análise socioeconómica do concelho, recorrendo maioritariamente para o
efeito à informação estatística disponibilizada pelo Instituto Nacional de Estatística, com especial destaque
para duas das suas publicações: o Recenseamento Geral da População (2001), Censos 2011 e o Anuário
Estatístico da Região Centro (2009, 2010 e 2011). Apesar do presente relatório pretender retratar a
realidade concelhia atual, apresentar-se-á, sempre que se considere oportuno e pertinente, a análise da
evolução recente. A caracterização do setor primário realizar-se-á igualmente recorrendo à informação
disponibilizada pelo Recenseamento Geral da Agricultura (INE) quer a dados reportados a 1999, quer a
alguns dados reportados a 2009, referentes ao Recenseamento Agrícola.
Como nota final refira-se que segundo a lei nº11-A/2013 de 28 de janeiro, que organiza
administrativamente as freguesias, através da criação de freguesias por agregação ou por alteração dos
limites territoriais, o concelho de Penacova passou a ser constituído pelas freguesias de Carvalho, Figueira
de Lorvão, Lorvão, Penacova, Sazes de Lorvão, União das freguesias de Friúmes e Paradela, União das
freguesias de Oliveira do Mondego e Travanca do Mondego e União das freguesias de S. Pedro de Alva e
S. Paio do Mondego. Optou-se, no entanto, por realizar parte da análise tendo por base a divisão
administrativa anterior, para comparar com anos anteriores e para um melhor entendimento da população
em geral.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
5
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
B. Caracterização Geral da População
Ativa
De acordo com os dados do INE (Censos, 2011), residem no concelho de Penacova 15.251 indivíduos,
dos quais 6.707 possuem atividade económica, o que representa 43,98% da população residente total. De
entre estes, destacam-se os elementos do sexo masculino, os quais representam 53,7% da população
residente com atividade económica, face aos 46,3% de mulheres. Esta distribuição, embora semelhante à
verificada na sub-região do Baixo Mondego e na região Centro, assume no concelho de Penacova maior
expressividade.
Consequente e inversamente, na população residente, com mais de 15 anos, sem atividade económica,
predominam os elementos do sexo feminino: de entre os 6670 indivíduos nesta situação,
aproximadamente 60% são mulheres, face aos 40% de homens. Se é verdade que, tradicionalmente, as
mulheres representam a maior fatia dos indivíduos com mais de 15 anos sem atividade económica,
também é verdade, e tal como o verificado com a distribuição segundo o sexo da população com atividade
económica, que neste concelho o fenómeno é mais vincado que o verificado nas restantes unidades
territoriais em análise:
Tabela 1 – População residente com mais de 15 anos, com e sem atividade económica na região, sub-região e
concelho (nº abs. e %), 2011
Zona Geográfica
Centro
Baixo Mondego
Penacova
População com Atividade
Económica
HM
H
M
População sem Atividade
Económica
HM
H
M
(nº absol.)
(%)
(%)
(nº absol.)
(%)
(%)
1056225
155298
6707
52,4
50,5
53,7
47,6
49,5
46,3
922272
134591
6670
41,4
41,9
40,4
58,6
58,1
59,6
Fonte: INE, Censos 2011
A população residente no concelho com atividade económica concentra-se na faixa etária dos 15 aos 65
anos, a qual concentra 95,1% da população com atividade económica no concelho, situação esta igual ou
bastante próxima do verificado nas restantes unidades territoriais. De facto, as diferenças existentes não
são visíveis quando considerados os valores totais, mas apenas quando desagregados segundo o sexo,
onde o peso dos indivíduos do sexo masculino, independentemente do grupo etário considerado, assume
neste concelho maior expressão:
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
6
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 2 – População residente com mais de 15 anos, com atividade económica, segundo o grupo etário (nº
abs. e %), 2011
População com Atividade Económica
Total
Zona
Geográfica
Centro
Baixo
Mondego
Penacova
HM
15 a 59 anos
HM
60 anos ou mais
H
M
HM
5,9
nº
abs.
36964
H
59,8
M
nº
%
abs.
24852 40,2
nº absol.
nº abs.
%
nº abs.
%
nº abs.
%
1056225
994409
94,1
516236
51,9
478173
48,1
nº
abs.
61816
155298
145967
94,0
73242
50,2
72725
49,8
9331
6,0
5213
55,9
4118
44,1
6707
6320
94,2
3370
53,3
2950
46,7
Fonte: INE, Censos 2011
387
5,8
231
59,7
156
40,3
%
%
De entre a população residente no concelho, com 15 ou mais anos e atividade económica, 91,2% estava
empregada
e
8,8%
desempregada.
Relativamente
à
população
sem
atividade
económica,
aproximadamente 62,5% encontrava-se reformada, aposentada ou na reserva, 13,5% era doméstica e
13,3% estudante. Os incapacitados para o trabalho ou outras situações assumiam um peso relativamente
residual, igual ou inferior a 4,4%, conforme sistematizado nos gráficos seguidamente apresentados:
Gráfico 1 – População residente, com 15 ou mais anos, segundo a condição perante a condição económica (%)
2011
Fonte: INE, Censos 2011
Gráfico 2 - População residente, com 15 ou mais anos, segundo a condição perante a condição económica,
com atividade económica (%)
Fonte: INE, Censos 2011
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
7
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Gráfico 3 - População residente, com 15 ou mais anos, segundo a condição perante a condição económica,
sem atividade económica (%), 2011
Fonte: INE, Censos 2011
Em 2011, aproximadamente 68% da população residente economicamente ativa e empregada exercia
atividade profissional no setor terciário. O setor primário ocupava 3,2% da população e o setor secundário,
28,5%. No último período intercensitário 2001-2011, e tal como o verificado no País, assistiu-se a um
decréscimo significativo do setor primário enquanto empregador da população residente, a par do
significativo crescimento do setor terciário. É igualmente de registar a diminuição verificada no setor
secundário, contrariamente ao anterior período 1991-2001, em que, apesar de pequeno, se registou um
aumento do emprego neste setor, ao que não foram certamente alheios os investimentos realizados, seja
ao nível das infraestruturas rodoviárias, seja ao das Zonas Industriais.
Tabela 3 – População residente economicamente ativa e empregada no concelho, segundo o setor de
atividade económica (nºs. absolutos, percentagem e taxa de crescimento), 1991, 2001 e 2011
Setores de Atividade
Económica
1991
2001
Nº
2011
%
Nº
%
Taxa de
crescimento1
(1991/ 2001)
-58,3
Taxa de
crescimento
(2001/ 2011)
-66,8
Nº
%
Setor Primário
1432
23,1
597
8,6
198
3,2
Setor Secundário
2495
40,2
2583
37,2
1740
28,5
3,5
-32,6
Setor Terciário
2281
36,7
3760
54,2
4179
68,3
64,8
11,1
Total
6208
100
6940
100
6117
Fonte: INE, Censos 2011
100,0
11,8
-11,9
O concelho de Penacova, embora seguindo as tendências evolutivas gerais registadas na região Centro e
na sub-região do Baixo Mondego, detém nesta matéria algumas especificidades, a saber:

Diminuição muito significativa do peso do setor primário enquanto empregador da população
residente no concelho de Penacova, a registar uma quebra no último período intercensitário
bastante superior à verificada nas outras duas zonas geográficas de análise;

Quebra significativa do setor secundário, apresentando, em 2011, um peso ligeiramente
superior face ao registado nas restantes unidades territoriais em análise.
1
Taxa de Crescimento: (valor do ano mais recente – valor do ano menos recente) / valor do ano menos recente x 100
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
8
plano diretor municipal
penacova

caracterização socioeconómica
Apesar de dominante e de registar uma taxa de crescimento significativa, o peso do setor
terciário no concelho é menos significativo que o registado na região Centro, encontrando-se,
no entanto, bastante acima do verificado na sub-região; sendo aliás de salientar que o
comportamento do concelho neste domínio apresenta maiores similitudes com a região Centro
na globalidade que com a sub-região onde se integra, como se encontra sistematizado na
tabela seguidamente apresentada:
Tabela 4 – População residente economicamente ativa e empregada, segundo o setor de atividade económica
e Zona Geográfica (nºs. absolutos, percentagem e taxa de crescimento), 2001 e 2011
Zona Geográfica/
Setor de Atividade
Total
nº abs.
2001
2011
Taxa de Crescimento 2001/ 2011
Centro
Baixo
Mondego
Penacova
Centro
Baixo
Mondego
Penacova
Centro
Baixo
Mondego
Penacova
1 006 373
149 108
6 940
940 211
139 188
6 117
-6,6
-6,7
-11,9
68 479
6 948
597
35 018
3 601
198
-48,9
-48,2
--66,8
6,8
4,7
8,6
3,7
2,6
3,2
383 536
42 543
2 583
282 800
30 724
1 740
-26,3
-27,8
-32,6
38,1
28,5
37,2
30,1
22,1
28,5
554 358
99 617
3 760
622 393
104 863
4 179
12,3
5,3
11,1
55,1
66,8
54,2
66,2
75,3
68,3
Primário
%
nº abs.
Secundário
%
nº abs.
Terciário
%
Fonte: INE, 2001: Recenseamento Geral da População e Censos 2011
Se em termos concelhios, e como anteriormente analisado, a população residente, economicamente ativa
e empregada, em 2011, se concentra maioritariamente no setor terciário, assumindo o setor primário um
peso relativamente residual enquanto empregador da população, a situação difere significativamente, em
cada uma das onze Freguesias, como seguidamente se sistematiza. As diferenças registadas ao nível das
freguesias traduzem as suas especificidades, sendo possível distinguir as freguesias mais rurais, das mais
industrializadas ou urbanas bem como, e consequentemente, aquelas que se afastam, ou aproximam,
mais da situação média concelhia.
O setor primário é particularmente importante na Freguesia de Oliveira do Mondego, onde é responsável
pelo emprego de aproximadamente 36% da população ativa, assumindo igualmente um peso significativo
na Freguesia de Carvalho (13%). No extremo oposto, sobressaem quatro freguesias onde o seu peso
relativo no emprego é igual ou inferior a 5%, a saber: Figueira de Lorvão e Penacova (ambas com 2,1%),
Lorvão (1,3%) e Sazes do Lorvão (2,3%).
O setor secundário é particularmente importante no emprego da população residente em cinco freguesias,
com valores iguais ou superiores a 30% da população (Carvalho, Oliveira do Mondego, Paradela, Sazes do
Lorvão e Travanca do Mondego). Apesar da importância que este setor desempenha nas cinco freguesias
referenciadas, importa assinalar que o peso relativo deste setor é relativamente semelhante em cada uma
das onze freguesias do concelho, estando o seu peso relativo aproximado compreendido entre os 19,7% e
os 38,8%, pelo que as suas especificidades se encontram particularmente associadas aos pesos
diferenciados que o setor primário e terciário registam.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
9
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Com exceção da Freguesia do Carvalho, onde o setor terciário é responsável pelo emprego de apenas
48,3% da população empregada, em todas as restantes freguesias este setor regista valores iguais ou
superiores a 61,5%, sendo de destacar o peso que o mesmo detém em três freguesias, onde é
responsável pelo emprego de 55% ou mais da população empregada: Figueira de Lorvão (70,7%, Lorvão
(71,8%) e Penacova (69,7%).
Na tabela seguinte sistematiza-se a distribuição da população residente empregada por Freguesia,
segundo os setores de atividade económica:
Tabela 5 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho e Freguesias, segundo o
setor de atividade económica (nºs. absolutos e percentagem em linha2), 2011
Primário
Zona Geográfica
Total
Secundário
Terciário
nº abs.
% em
linha
nº abs.
% em
linha
nº abs.
% em
linha
6117
198
3.2
1740
28,5
4179
68,3
Carvalho
271
35
12.9
105
38,8
131
48,3
Figueira de Lorvão
1175
25
2.1
319
27,2
831
70,7
Friúmes
231
23
10
59
25,5
149
64,5
Lorvão
1711
22
1.3
461
26,9
1228
71,8
Oliveira do Mondego
220
8
36,0
75
34,1
137
62,3
Paradela
83
7
8,4
25
30,1
51
61,5
Penacova
Penacova - Concelho
1328
28
2,1
374
28,2
926
69,7
São Paio de Mondego
76
7
9,2
15
19,7
51
67,1
São Pedro de Alva
561
30
5,4
160
28,5
371
66,1
Sazes do Lorvão
300
7
2,3
93
31
200
66,7
Travanca do Mondego
161
33,5
101
62,7
6
3,7
54
Fonte: INE, Censos 2011
No que concerne à população empregada segundo o setor de atividade e o sexo, importa assinalar que,
com exceção do setor terciário, onde a mão-de-obra feminina é maioritária, nos dois restantes setores de
atividade, e como sistematizado no gráfico seguidamente apresentado, os homens são maioritários, sendo
a distribuição da população ativa empregada segundo o sexo particularmente desequilibrada no setor
secundário, onde cerca de 83,6% da mão-de-obra empregada é do sexo masculino, face aos 16,4% de
mulheres empregadas no setor:
2
Distribuição percentual da população ativa empregada no Concelho ou em cada uma das Freguesias pelos três setores de
atividade.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
10
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Gráfico 4 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo o setor de
atividade económica e sexo (%), 2011
Fonte: INE, Censos 2011
No último período intercensitário e como anteriormente referenciado, o setor primário viu a sua importância
em termos de emprego diminuir significativamente, tal como o secundário, ao contrário do verificado no
setor terciário. Este crescimento total esconde contudo comportamentos diferenciados, segundo o sexo da
população empregada em cada um dos três setores de atividade, como se encontra sistematizado na
tabela seguidamente apresentada:
Tabela 6 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo o setor de
atividade económica e sexo (% e taxas de crescimento), 2001 e 2011
2001
Primário
Secundário
Terciário
H
M
H
M
H
M
65,2
34,8
81,3
18,7
46,0
54,0
2011
Primário
Secundário
Terciário
H
M
H
M
H
M
75,8
24,2
83,6
16,4
40,6
59,4
Taxa de crescimento 1991/2001
Primário
H
Secundário
M
H
M
Terciário
H
M
16,3
-30,5
2,8
-12,3
-11,7
10
Fonte: INE, 2001: Recenseamento Geral da População e Censos 2011
De facto tanto no setor primário como no secundário, a quebra verificada registou-se apenas à custa da
diminuição da população feminina empregada, tendo a população masculina empregada registado até um
aumento. No setor terciário, pelo contrário, o crescimento total registado ficou-se a dever maioritariamente
ao emprego feminino, que registou um crescimento de 10%, face aos -11,7% registado no emprego
masculino.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
11
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Quanto à distribuição geográfica da população residente empregada, aproximadamente 69% da população
ativa empregada no concelho reside em três das onze freguesia do concelho, a saber: Lorvão, Penacova e
Figueira de Lorvão. No extremo oposto, as Freguesias de Paradela, São Paio do Mondego e Travanca do
Mondego possuem um peso relativo residual, contribuindo com uma percentagem igual ou inferior a 3%.
Esta contribuição diferenciada de cada uma das Freguesias encontra-se diretamente relacionada com a
população residente em cada uma das onze Freguesias, sendo pois as freguesias mais populosas que
concentram a maior parte da população ativa empregada, pelo que a contribuição relativa de cada uma,
seja na população concelhia, seja na população ativa empregada, é muito semelhante, como sistematizado
na tabela seguidamente apresentada:
Tabela 7 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho e Freguesias (nºs. absolutos
e percentagem em coluna3), 2011
Zona Geográfica
Penacova - Concelho
População Residente
– total
% em
nº abs.
coluna
População ativa
empregada
% em
nº abs.
coluna
15 251
100,0
6117
100,0
846
5,5
271
4,4
2 737
17,9
1175
19,2
Friúmes
645
4,2
231
3,8
Lorvão
3 898
25,6
1711
28,0
Oliveira do Mondego
658
4,3
220
3,6
Paradela
225
1,5
83
1,4
Penacova
3 254
21,3
1328
21,7
211
1,4
76
1,2
1 607
10,5
561
9,2
Sazes do Lorvão
749
4,9
300
4,9
Travanca do Mondego
421
2,8
161
2,6
Carvalho
Figueira de Lorvão
São Paio de Mondego
São Pedro de Alva
Fonte: INE, Censos 2011
Por outro lado, a distribuição na generalidade das freguesias da população ativa segundo a situação face
ao emprego é muito semelhante ao registado para o conjunto do concelho, onde 91% da população ativa
se encontra empregada, contra os 9% que se encontra desempregada (valores aproximados), como
sistematizado na tabela seguinte:
3
Distribuição percentual do valor total concelhio, segundo as Freguesias.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
12
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 8 - População residente economicamente ativa, segundo a situação face ao emprego no Concelho e
Freguesias (nºs. absolutos e percentagem), 2011
População com Atividade Económica
Total
Zona Geográfica
Empregada
nº abs.
% em
coluna
Penacova - Concelho
6707
Carvalho
301
Figueira de Lorvão
Desempregada
nº abs.
% em
linha
nº abs.
100,0
6117
91,2
590
8,8
4,5
271
90,0
30
10,0
1296
19,3
1175
90,7
121
9,3
Friúmes
248
3,7
231
93,1
17
6,9
Lorvão
1852
27,6
1711
92,4
141
7,6
Oliveira do Mondego
255
3,8
220
86,3
35
13,7
Paradela
90
1,3
83
92,2
7
7,8
Penacova
1453
21,7
1328
91,4
125
8,6
São Paio de Mondego
80
1,2
76
95,0
4
5,0
São Pedro de Alva
622
9,3
561
90,2
61
9,8
Sazes do Lorvão
327
4,9
300
91,7
27
8,3
Travanca do Mondego
183
88,0
22
12,0
2,7
161
Fonte: INE, Censos 2011
% em
linha
Apesar das similitudes existentes, de entre as onze freguesias sobressaem, pela maior percentagem de
população desempregada, as freguesias de Carvalho, Oliveira do Mondego e Travanca do Mondego, a
registarem valores iguais ou acima dos 10%. No extremo oposto, as freguesias de São Paio de Mondego e
Friúmes possuem um peso de desempregados inferior ao registado para o conjunto do concelho, situações
estas que traduzem as diferentes dinâmicas socioeconómicas, igualmente refletidas nas taxas de atividade
registadas nas onze freguesias do concelho:
Tabela 9 – Taxas de Atividade e de Desemprego na região, sub-região, concelho e freguesias, segundo o sexo,
2011 (%)
H
M
P.P. Tx
Desemp.
(H-M)
10,98
9,99
12,08
-2,09
10,37
10,18
10,58
-0,40
11,34
8,80
8,30
9,37
-1,07
18,99
9,97
6,04
15,97
-9,93
41,26
12,76
9,34
10,34
8,14
2,20
42,90
34,50
8,40
6,85
7,69
5,93
1,76
47,51
49,81
45,43
4,38
7,61
7,81
7,42
0,39
38,75
50,99
28,25
22,74
13,73
10,97
18,00
-7,03
Paradela
40,00
54,63
26,50
28,13
7,78
5,08
12,90
-7,82
Penacova
44,65
50,33
39,61
10,72
8,60
8,30
8,94
-0,64
São Paio de Mondego
37,91
44,57
32,77
11,80
5,00
4,88
5,13
-0,25
São Pedro de Alva
38,71
47,06
31,43
15,63
9,81
6,82
13,70
-6,88
Sazes do Lorvão
43,66
50,41
37,24
13,17
8,26
8,70
7,69
1,01
Travanca do Mondego
43,47
49,75
37,84
11,91
12,02
7,07
17,86
-10,79
Taxa de Atividade (%)
Total
H
M
P.P. Tx Act
(H-M)
Centro
45,38
49,78
41,35
8,43
Baixo Mondego
46,73
50,10
43,73
6,37
Penacova - Concelho
43,98
49,96
38,62
Carvalho
35,58
45,61
26,62
Figueira de Lorvão
47,35
54,02
Friúmes
38,45
Lorvão
Oliveira do Mondego
Zona Geográfica
Taxa de Desemprego (%)
Total
Fonte: INE, Censos 2011
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
13
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Como sistematizado na tabela anteriormente apresentada, a população residente no concelho de
Penacova apresenta uma taxa de atividade relativamente inferior à registada na sub-região e região,
situação esta particularmente significativa na população feminina, a qual detém uma taxa de atividade
inferior à registada pelas mulheres nas restantes zonas geográficas em análise, o que se traduz numa
diferença maior entre os valores registados nas taxas de atividade masculinas e femininas neste concelho.
De facto, se na região Centro a diferença entre ambos os sexos é de 8,43 p.p. (valor este superior aos 6,37
p.p. registados no Baixo Mondego), a mesma atinge os 11,34 p.p. no concelho.
Nesta matéria importa sublinhar as realidades diferenciadas registadas ao nível de cada uma das
freguesias, com taxas de atividade totais compreendidas entre os 35,58% (caso da freguesia de Carvalho)
e os 47,51% (registados na freguesia do Lorvão) e com diferenças entre ambos os sexos compreendidas
entre os 8,40 p.p. registados em Friúmes e os 28,13 p.p. registados na freguesia de Paradela.
No que concerne à taxa de desemprego, o concelho apresenta, no seu conjunto, uma situação próxima da
registada nas restantes zonas geográficas, embora ligeiramente mais favorável, com uma taxa total de
8,8% face aos 5,8% registados na região Centro e aos 6,4% registados na sub-região do Baixo Mondego.
Também nesta matéria, a situação das mulheres se apresenta mais desfavorável, com taxas de
desemprego superiores às registadas pelos homens (+ 1,07 p.p.).
Também a realidade do desemprego assume especificidades segundo as freguesias, sendo algumas mais
afetadas que outras, por um lado, e, por outro lado, com umas a registarem maiores diferenças no que
concerne à situação de cada um dos sexos, como sistematizado na tabela anteriormente apresentada. O
desemprego é particularmente significativo nas freguesias de Oliveira do Mondego e de Travanca do
Mondego, com taxas iguais ou superiores a 12%, bem como nas freguesias de São Pedro de Alva e de
Carvalho, onde o desemprego atinge uma taxa aproximada de 10%. No extremo oposto, sobressaem as
freguesias de Friúmes e S. Paio de Mondego, onde a taxa de desemprego regista valores inferiores a 7%.
No que concerne à situação de cada um dos sexos, em quatro das freguesias, a saber, Friúmes, Figueira
de Lorvão, Lorvão e Sazes do Lorvão, a taxa de desemprego masculina é ligeiramente superior à feminina
(+0,39 p.p. a +2,20 p.p.), sendo que, em todas as restantes, e de uma forma mais, ou menos, expressiva, o
desemprego feminino é superior ao masculino. Esta diferença é particularmente significativa na freguesia
de Travanca do Mondego (+ 10,79 p.p.), bem como na freguesia de Figueira de Lorvão com mais 9,93 p.p.
Considerando as profissões da população residente economicamente ativa e empregada no concelho, e
apesar da dispersão por inúmeras profissões, assumem especial destaque, pelos efetivos que concentram,
as seguintes profissões:
- Trabalhadores de limpeza em casas particulares, hotéis e escritórios - 668 indivíduos
- Trabalhadores qualificados da construção das estruturas básicas e similares - 488 indivíduos
- Vendedores em lojas – 393 indivíduos
- Motoristas de veículos pesados e de autocarros – 375 indivíduos
- Empregado de escritório em geral – 287 indivíduos
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
14
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
- Trabalhadores de cuidados pessoais nos serviços de saúde – 241 indivíduos
- Outras profissões elementares – 164 indivíduos
- Pessoal dos serviços de proteção e segurança – 150 indivíduos
- Trabalhadores não qualificados da indústria transformadora – 147 indivíduos
- Cozinheiro – 127 indivíduos.
Tabela 10 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo a profissão (nº
abs. e %), 2011
nº
abs.
%
6117
100,0
Oficiais das Forças Armadas
1
0,02
Sargentos das Forças Armadas
6
0,10
Outro pessoal das Forças Armadas
22
0,36
1
0,02
Diretor geral e gestor executivo, de empresas
47
0,77
Diretores de serviços de negócios e de administração
11
0,18
Diretores de vendas, marketing e de desenvolvimento de negócios
6
0,10
Diretores de produção na agricultura, produção animal, floresta e pesca
12
0,20
Diretores das indústrias transformadoras, extrativas, da construção, transportes e distribuição
103
1,68
Diretores dos serviços das tecnologias da informação e comunicação (TIC)
0
0,00
Diretores de serviços especializados
8
0,13
Diretores e gerentes, de hotelaria e restauração
46
0,75
Diretores e gerentes, do comércio a retalho e por grosso
Profissões
Penacova – Concelho
Representantes do poder legislativo e de órgãos executivos, dirigentes superiores da Administração
Pública e de organizações especializadas
112
1,83
Diretores e gerentes de outros serviços
3
0,05
Físicos, químicos e especialistas relacionados
1
0,02
Matemáticos, atuários, estaticistas e demógrafos
0
0,00
Especialistas em ciências da vida
4
0,07
Especialistas em engenharia (exceto eletrotecnologia)
37
0,60
Engenheiros de electrotecnologia
12
0,20
Arquitetos, urbanistas, agrimensores e designers
19
0,31
Médicos
11
0,18
Profissionais de enfermagem
93
1,52
Especialista em medicina tradicional e alternativa
2
0,03
Profissional paramédico
0
0,00
Veterinário
2
0,03
Outros profissionais de saúde
19
0,31
Professor dos ensinos universitário e superior
22
0,36
Professor dos ensinos, tecnológico, artístico e profissional
0
0,00
Professor dos ensinos básico (2º e 3º ciclos) e secundário
94
1,54
Professores dos ensinos básico (1º ciclo) e educadores de infância
51
0,83
Outros especialistas do ensino
18
0,29
Especialistas em finanças e contabilidade
8
0,13
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
15
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
nº
abs.
%
Especialistas em organização administrativa
2
0,03
Especialistas em vendas, marketing e relações públicas
12
0,20
Analistas e programadores, de software, Web e de aplicações
11
0,18
Especialistas em base de dados e redes
4
0,07
Especialistas em assuntos jurídicos
17
0,28
Bibliotecários, arquivistas e curadores de museus e similares
2
0,03
Especialistas em ciências sociais e religiosas
26
0,43
Autores, jornalistas e linguistas
8
0,13
Artistas criativos e das artes do espetáculo
6
0,10
Técnicos das ciências físicas e de engenharia
40
0,65
Encarregados das indústrias extrativa, transformadora e construção
65
1,06
Técnicos de operação e controlo de processos industriais
10
0,16
Técnicos e profissões afins das ciências da vida, de nível intermédio
1
0,02
Técnicos operacionais e controladores, dos transportes marítimo e aéreo
0
0,00
Técnicos da medicina e farmácia
18
0,29
Auxiliares de enfermagem e parteiras
2
0,03
Profissionais de nível intermédio da medicina tradicional e complementar
0
0,00
Técnico e assistente de veterinários
0
0,00
Outros profissionais de nível intermédio da saúde
19
0,31
Técnicos de nível intermédio da área financeira e matemática
88
1,44
Agentes de compras, de vendas e corretores comerciais
28
0,46
Agentes de negócios
11
0,18
Administrativos e secretários especializados
65
1,06
Agentes de nível intermédio da Administração Pública, para aplicação da lei e similares
11
0,18
Técnicos de nível intermédio dos serviços jurídicos, sociais e religiosos
18
0,29
Técnicos de atividade física e de desporto
2
0,03
Técnicos de nível intermédio das atividades culturais, artísticas e culinárias
21
0,34
Técnicos operadores das tecnologias de informação e comunicação e de apoio aos utilizadores
7
0,11
Técnicos das telecomunicações e da radiodifusão
9
0,15
287
4,69
Técnico de secretariado
1
0,02
Operadores de processamento de texto e dados
0
0,00
Caixas, penhoristas e similares
2
0,03
Pessoal de receção e de informação a clientes
59
0,96
Operadores de dados, de contabilidade, estatística e serviços financeiros
5
0,08
Empregados de aprovisionamento, armazém, de serviços de apoio à produção e transportes
44
0,72
Outro pessoal de apoio de tipo administrativo
19
0,31
Assistentes de viagem, cobradores e guias intérpretes
8
0,13
Cozinheiro
127
2,08
Empregados de mesa e bar
90
1,47
Cabeleireiros, esteticistas e similares
63
1,03
Governante doméstico e encarregados de limpeza e de trabalhos domésticos
7
0,11
Profissões
Empregado de escritório em geral
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
16
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Profissões
Outros trabalhadores dos serviços pessoais
Vendedores ambulantes e em mercados
nº
abs.
%
5
0,08
4
0,07
Vendedores em lojas
393
6,42
Operadores de caixa e venda de bilhetes
16
0,26
Outros trabalhadores relacionados com vendas
51
0,83
Auxiliares de educadores de infância e de professores
80
1,31
Trabalhadores de cuidados pessoais nos serviços de saúde
241
3,94
Pessoal dos serviços de proteção e segurança
150
2,45
Agricultores e trabalhadores qualificados de culturas agrícolas de mercado
31
0,51
Produtores e trabalhadores qualificados na criação animal
2
0,03
42
0,69
Trabalhadores qualificados da floresta e similares
85
1,39
Trabalhadores qualificados da aquicultura e das pescas; caçador (inclui com armadilha)
1
0,02
Agricultor de subsistência
29
0,47
Criador de animais de subsistência
1
0,02
Agricultor e criador de animais de produção combinada, de subsistência
5
0,08
Agricultor e trabalhador qualificado da agricultura e produção animal combinadas, orientados para o
mercado
Pescador, caçador e coletor, de subsistência
0
0,00
Trabalhadores qualificados da construção das estruturas básicas e similares
488
7,98
Trabalhadores qualificados em acabamentos da construção e similares
65
1,06
Pintores, limpadores de fachadas e similares
89
1,45
88
1,44
Forjadores, serralheiros mecânicos e similares
23
0,38
Mecânicos e reparadores, de máquinas e de veículos
109
1,78
Trabalhadores qualificados do fabrico de instrumentos de precisão, joalheiros, artesãos e similares
42
0,69
Trabalhadores da impressão
15
0,25
Instaladores e reparadores de equipamento elétrico
88
1,44
Instaladores e reparadores, de equipamentos eletrónicos e de telecomunicações
30
0,49
Trabalhadores qualificados da transformação de alimentos
58
0,95
Trabalhadores do tratamento da madeira e cortiça, marceneiros e similares
42
0,69
Trabalhadores da confeção de vestuário, curtidores de peles, sapateiros e similares
58
0,95
Trabalhadores de outros ofícios
1
0,02
Operadores de instalações, da extração mineira e de processamento de minerais
6
0,10
Operadores de instalações de transformação e acabamento, de metais
1
0,02
Operadores de instalações e máquinas, do fabrico de produtos químicos e fotográficos
0
0,00
Operadores de máquinas para o fabrico de produtos de borracha, plástico e papel
2
0,03
Operadores de máquinas para o fabrico de produtos têxteis, de pele com pelo e couro
14
0,23
Operadores de máquinas do fabrico de produtos alimentares e similares
1
0,02
Operadores de instalações para o fabrico de papel, para o trabalho da madeira e cortiça
17
0,28
Outros operadores de instalações fixas e máquinas
15
0,25
Trabalhadores da montagem
1
0,02
Maquinistas de locomotivas e similares
0
0,00
Trabalhadores de chapas metálicas, preparadores e montadores de estruturas metálicas, moldadores
de metal, soldadores e trabalhadores similares
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
17
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
nº
abs.
%
Motoristas de automóveis ligeiros, de carrinhas e condutores de motociclos
35
0,57
Motoristas de veículos pesados e de autocarros
375
6,13
Operadores de equipamentos móveis
111
1,81
0
0,00
Trabalhadores de limpeza em casas particulares, hotéis e escritórios
668
10,92
Trabalhadores de limpeza de veículos, janelas, roupa e de outra limpeza manual
28
0,46
Trabalhadores não qualificados da agricultura, produção animal, pesca e floresta
16
0,26
Trabalhadores não qualificados da indústria extrativa e construção
86
1,41
Trabalhadores não qualificados da indústria transformadora
147
2,40
Trabalhadores não qualificados de apoio, aos transportes e armazenagem
30
0,49
Assistentes na preparação de refeições
17
0,28
Prestador de serviços na rua
0
0,00
Vendedor ambulante (exceto de alimentos)
23
0,38
Trabalhadores da recuperação de resíduos
42
0,69
Outras profissões elementares
164
2,68
Profissões
Tripulação de convés de navios e similares
Fonte: INE, Censos 2011
Agregando as profissões segundo os respetivos grupos, e como sistematizado na tabela seguidamente
apresentada, aproximadamente 60% da população residente economicamente ativa concentra-se em três
grupos de profissões, a saber: Grupo 5 - Pessoal dos Serviços e Vendedores, Grupo 7 - Operários,
Artífices e Trabalhadores Similares e Grupo 9 - Trabalhadores Não Qualificados, situação esta que se
manteve relativamente estável no último período intercensitário. O Grupo 8 - Operadores de Instalações e
Máquinas e Trabalhadores da Montagem assume também uma importância significativa, com uma
percentagem de 9,4%:
Tabela 11 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo o grupo de
profissões (% e taxa de crescimento), 2001 e 2011
2001
2011
nº abs.
%
nº abs.
%
Taxa de
crescimento 20012011
Grupo 1 - Quadros Superiores da Adm. Púb., Dirig. e
Quad. Sup. de Empresas
172
2,8
349
5,7
102,9
Grupo 2 - Especialistas das Profissões Intelectuais e
Científicas
69
1,1
481
7,9
597,10
Grupo 3 - Técnicos e Profissionais de Nível Intermédio
185
3,0
415
6,8
124,3
Grupo 4 - Pessoal Administrativo e Similares
278
4,5
417
6,8
50,0
Grupo 5 - Pessoal dos Serviços e Vendedores
658
10,6
1235
20,2
87,7
Grupo 6 - Agricultores e Trab. Qualif. da Agric. e
Pescas
1298
20,9
196
3,2
-84,9
Grupo 7 - Operários, Artífices e Trab. Similares
1559
25,1
1196
19,6
-23,3
Grupo de profissões
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
18
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
2001
2011
nº abs.
%
nº abs.
%
Taxa de
crescimento 20012011
Grupo 8 - Operadores de Inst. e Máquinas e Trab. da
Montagem
674
10,9
578
9,4
-14,2
Grupo 9 - Trab. Não Qualificados
1285
20,7
1221
20,0
-5,0
30
0,5
29
0,5
-3,3
6208
100,0
6117
100,0
-1,5
Grupo de profissões
Grupo 0 - Forças Armadas
Penacova - concelho
Fonte: INE, Censos 2011
No último período intercensitário e fruto das alterações registadas, nomeadamente ao nível do tecido
económico, e que a evolução registada no emprego da população residente economicamente ativa e
empregada por setor de atividade reflete, registam-se evoluções diferenciadas dos efetivos segundo os
grupos de profissões, sendo particularmente significativas as quebras registadas nas profissões do Grupo
6 - Agricultores e Trabalhadores Qualificados da Agricultura e Pescas (- 84,9%) e o crescimento muito
acentuado registado no Grupo 2 - Especialistas das Profissões Intelectuais e Científicas (+597,1%) bem
como no Grupo 3 - Técnicos e Profissionais de Nível Intermédio (+124,3%).
Relativamente à situação na profissão, aproximadamente 77% da população residente no concelho
trabalha por conta de outrem. O peso dos empregadores e dos trabalhadores por conta própria é
semelhante, concentrando ambas as situações aproximadamente 21% da população residente.
No último período intercensitário, assistiu-se a uma diminuição generalizada do número de pessoas
residentes e economicamente ativas em todas as situações, excetuando a categoria Outra Situação que
registou uma taxa de crescimento de 23,1%,como se sistematiza na tabela seguidamente apresentada:
Tabela 12 - População residente economicamente ativa e empregada no Concelho, segundo a situação na
profissão (% e taxa de crescimento), 2001 e 2011
2001
2011
nº abs.
%
nº abs.
%
Taxa de
crescimento
2001-2011
Empregador
740
10,7
706
11,5
-4,6
Trabalhador por conta própria
762
11,0
590
9,6
-22,6
87
1,3
50
0,8
-42,5
5311
76,5
4723
77,2
-11,1
Membro ativo de cooperativa
1
0,01
0
0,0
-100,0
Outra situação
39
0,6
48
0,8
23,1
6940
100,0
6117
100,0
-11,9
Situação na Profissão
Trabalhador familiar não
remunerado
Trabalhador por conta de
outrem
Penacova - concelho
Fonte: INE, Censos 2011
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
19
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
C. Fluxos de Emprego no Concelho
Considerando a evolução registada na população residente no concelho de Penacova no último período
intercensitário (2001 – 2011), conclui-se que paralelamente ao decréscimo (-8,8%) da população
residente4, se assistiu também a uma diminuição da população residente economicamente ativa e
empregada (- 11,9%). Em termos de setores de atividade, neste período intercensitário, apenas se registou
um aumento da população ativa empregada no setor terciário (+11,1%), sendo que se registou uma
acentuada quebra da população empregada no setor primário (-66,8%), bem como, apesar de em menor
número, no setor secundário, com -32,6% de indivíduos neste setor. Embora estas evoluções
diferenciadas não reproduzam fielmente os fluxos de emprego registados no concelho, refletem-nos de
forma aproximada, traduzindo a saída de efetivos empregados dos setores primários e secundários e a sua
entrada no setor terciário, assumindo este particular importância na atração de mão de obra.
Neste domínio importa igualmente analisar as taxas de atração5 e de repulsão interna6 concelhias, sendo
que, no entanto, os dados disponíveis se referem ao Recenseamento Geral da População de 2001. À data,
estas taxas surgem como causas e consequências das dinâmicas sócio económicas registadas no
concelho e justificam a evolução positiva registada na altura ao nível do saldo migratório e da população
residente economicamente ativa e empregada:
Tabela 13 - Taxa de atração total e de repulsão interna (%) por Local de residência
Local de
residência
Taxa de atração
total
Taxa de repulsão
interna
Centro
4,80
1,70
Baixo Mondego
4,90
4,20
Penacova
7
Fonte: INE, Censos 2001
3,40
Da tabela apresentada conclui-se que o concelho de Penacova apresentava em 2001 uma taxa de atração
significativamente positiva (7%), face ao registado na sub-região do Baixo Mondego e na região Centro
(5%, valor aproximado). Também a taxa de repulsão interna era relativamente favorável, com um valor
aproximado de 3% face aos 4% registados no Baixo Mondego.
Paralelamente, e como sistematizado na tabela seguidamente apresentada, aproximadamente 7% da
população residente no concelho à data do recenseamento geral da população de 2011 não residia nele
cinco anos antes, o que traduz a sua capacidade de atração e justifica a taxa de atração registada:
4
O decréscimo populacional verificado no concelho (- 0,1%) foi, no entanto, atenuado pela capacidade de atração de
população que o mesmo demonstrou neste período. De facto, decompondo o crescimento populacional efetivo, verifica-se a
existência de um saldo natural negativo e de um saldo migratório positivo que atenuou o decréscimo populacional verificado
pelo número de mortes ter sido superior ao de nascimentos.
5 Relação entre a população residente que 5 anos antes residia noutra unidade territorial ou noutro país e a população
residente na unidade territorial, expressa em percentagem.
6 Relação entre a população residente que 5 anos antes residia na unidade territorial e já não reside e a população residente
na unidade territorial, expressa em percentagem.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
20
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 14 - Proporção da população residente que 5 anos antes residia fora do município (%) por Local de
residência
Local de residência
%
Centro
7,74
Baixo Mondego
6,78
Penacova
7,07
Fonte: INE, 2001: Recenseamento Geral da População
Esta capacidade de atração do concelho também é passível de ser comprovada com a análise das
migrações, sistematizadas na tabela seguidamente apresentada:
Tabela 15 - População residente, segundo as migrações (relativamente a 99/12/31), por concelho de
residência habitual em 2001/03/12
Zona geográfica
População
em 2001
Habitual em 2001/03/12
nº abs.
Penacova
%
Emigrantes
do Concelho
que não
Residente
Concelho de residência
Imigrantes no Concelho
População
mudou de
Provenientes de
concelho
outro concelho
Total
A
para outro
Provenientes
Saldo das
Migrações
Internas
concelho
A-B
do Estrangeiro
B
16725
16059
483
266
217
100,0
96,0
2,9
55,1
44,9
222
44
Fonte: INE, 1991 e 2001: Recenseamento Geral da População
Da sua análise conclui-se que 96% da população residente no concelho em 2001 não mudou de concelho
nos últimos dois anos. Por outro lado, de entre os 483 imigrantes no concelho, aproximadamente 55% são
provenientes de outros concelhos e 45% do estrangeiro, sendo que, de entre estes, assumem particular
importância, e como sistematizado na tabela seguinte, os provenientes de França. O saldo das migrações
internas, e na sequência do anteriormente analisado, é positivo, traduzindo-se + 44 indivíduos.
Tabela 16 - População residente imigrante, segundo o país de proveniência (relativamente a 99/12/31), por
concelho de residência habitual em 2001/03/12
Zona geográfica,
Proveniente de outros países
Concelhos de
residência habitual em
Total
Alemanha
França
EUA
Palops
Venezuela
Brasil
Outros
217
10
123
9
1
4
22
48
100,0
4,6
56,7
4,1
0,5
1,8
10,1
22,1
2001/03/12
Penacova Concelho
nº abs.
%
Fonte: INE, 1991 e 2001: Recenseamento Geral da População
No entanto e apesar da capacidade de atração do concelho, importa sublinhar que uma percentagem
muito significativa da população residente trabalha ou estuda noutro concelho, como se sistematiza na
tabela seguidamente apresentada:
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
21
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 17 - Proporção de população residente que trabalha ou estuda noutro município (%) por Local de
residência, 2011
Local de residência
%
Centro
20,25
Baixo Mondego
21,04
Penacova
44,11
Fonte: INE, Censos 2011
Ora, a capacidade de atração registada pelo concelho associada à significativa proporção da população
residente que estuda ou trabalha noutro concelho traduz a utilização do concelho como dormitório,
potenciados e/ ou justificados pelos investimentos registados ao nível das infraestruturas rodoviárias
interconcelhias e os menores custos associados à habitação neste concelho. Assim sendo, importa apostar
na criação de condições favoráveis à fixação de empresas no concelho, criando mais emprego e
potenciando assim, internamente, os dividendos socioeconómicos da capacidade de atração da população
residente.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
22
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
D. Análise das Atividades Económicas:
tecido empresarial concelhio e
pessoal ao serviço
Tendo-se apresentado a caracterização geral da população ativa, seguidamente analisar-se-á o tecido
empresarial concelhio e o pessoal ao serviço nas empresas que o constituem. Primeiramente serão
analisados o tecido empresarial e as pessoas ao serviço na generalidade para, posteriormente, proceder a
esta análise, segundo os três setores de atividade.
De acordo com a informação estatística disponibilizada pelo INE, existiam, em 2011, 1552 empresas com
sede no concelho, das quais 405 são Sociedades (26%).
Considerando as Empresas na sua totalidade, sobressaem dois subsetores, responsáveis por
aproximadamente 49% das empresas com sede no concelho, a saber: a Construção e o Comércio por
grosso e a retalho. As empresas destes dois setores, juntamente com as Atividades administrativas e dos
serviços de apoio e as Atividades de consultoria, científicas, técnicas e similares perfazem cerca de 64%
das empresas concelhias, como se encontra sistematizado na tabela seguidamente apresentada:
Tabela 18 – Empresas, segundo os setores de atividade económica (nº e %), 2011
Empresas
Setores de Atividade (CAE rev.3)
Sociedades
Totais
nº absol.
%
nº absol.
%
A – Agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca
71
4,6
16
4,0
B – Indústrias Extrativas
3
0,2
3
0,7
C – Indústrias transformadoras
82
5,3
31
7,7
D – Eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio
0
0,0
0
0,0
E – Captação, tratamento e distribuição de água; saneamento,
gestão de resíduos e despoluição
4
0,3
4
1,0
F – Construção
396
25,5
89
22,0
G – Comércio por grosso e a retalho; reparação de veículos
automóveis e motociclos
358
23,1
113
27,9
H – Transportes e armazenagem
78
5,0
58
14,3
I – Alojamento, restauração e similares
106
6,8
27
6,7
J – Atividades de informação e de comunicação
2
0,1
0
0,0
L – Atividades imobiliárias
11
0,7
9
2,2
M – Atividades de consultoria, científicas, técnicas e similares
103
6,6
29
7,2
N – Atividades administrativas e dos serviços de apoio
139
9,0
6
1,5
P a S – Educação; Atividades de saúde humana e apoio social;
Atividades artísticas, de espetáculos, desportivas e recreativas;
Outras atividades de serviços
199
12,8
20
4,9
1552
100
405
26,1
Total
Fonte: INE, 2014: Anuário Estatístico da Região Centro – 2012
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
23
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Decompondo as empresas segundo a sua natureza (empresários em nome individual ou sociedades),e
com base em dados de 2011 (Anuário Estatístico da Região Centro), não se verificam diferenças muito
significativas quanto aos setores de atividade mais representativos que, como o verificado para a totalidade
das empresas, são, em ambas as situações, a Construção bem como o Comércio por grosso e a retalho.
Nesta matéria, há contudo a registar que, e devido à sua natureza diferenciada, nas sociedades assumem
igualmente um peso significativo os setores do Comércio por grosso e a retalho (27,9%), a Construção
(225) e os Transportes e armazenagem (14,3 %) das sociedades.
Se em termos de número de empresas a indústria transformadora é pouco significativa, a mesma assume
grande importância enquanto empregadora, justificando pois uma análise dos subsetores existentes no
concelho. Neste domínio importa referir que cerca de 61% das empresas se concentram em três
subsetores, como se sistematiza no quadro seguidamente apresentado, a saber: Fabricação de produtos
metálicos, exceto máquinas e equipamentos (31,8%); Indústrias alimentares (13,3%); Indústria do
vestuário (12%).
Tabela 19 – Empresas da Indústria Transformadora, segundo os subsetores de atividade económica (nº e %),
2011
Subsetores
nº absoluto
%
10 – Indústrias alimentares
14
16,5
11 – Indústria das bebidas
4
4,7
13 – Fabricação de têxteis
3
3,5
14 – Indústria do vestuário
11
12,9
16 – Indústrias da madeira e da cortiça e suas obras, exceto mobiliário;
fabricação de obras de cestaria e de espartaria
4
4,7
18 – Impressão e reprodução de suportes gravados
5
5,9
23 – Fabricação de outros produtos minerais não metálicos
5
5,9
25 – Fabricação de produtos metálicos, exceto máquinas e equipamentos
27
31,8
26 – Fabricação de equipamentos informáticos, equipamento para
comunicações e produtos eletrónicos e óticos
1
1,2
27 – Fabricação de equipamento elétrico
1
1,2
28 - Fabricação de Máquinas e de Equipamentos n.e.
1
1,2
31 – Fabricação de mobiliário e de colchões
6
7,1
32 – Outras indústrias transformadoras
2
2,4
33 – Reparação, manutenção e instalação de máquinas e equipamentos
1
1,2
Total
85
100
Fonte: INE, 2014: Anuário Estatístico da Região Centro - 2012
Seguidamente apresentam-se alguns indicadores das empresas no concelho:
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
24
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 20 – Indicadores do tecido empresarial concelhio 2011
Densidade
de
empresas
Proporção
de
empresas
individuais
Proporção
de
empresas
com
menos de
250
pessoas ao
serviço
Empresas
com
menos de 10
pessoas ao
serviço
Pessoal ao
serviço
por
empresa
Volume de
negócios
por
empresa
Indicador de
concentração do
volume de
negócios das 4
maiores empresas
Continente
12
67,37
99,9
95,9
3,4
milhares
de euros
316,2
Centro
Baixo
Mondego
Penacova
8,6
69,80
99,9
96,1
2,9
229,6
4,08
18,3
73,51
99,9
97,1
2,6
204,7
18,58
7,2
73,90
100
97,7
2,0
102,9
17,26
N.º/km2
%
N.º
%
5,86
Fonte: INE, 2014: Anuário Estatístico da Região Centro - 2012
Da sua análise conclui-se que o concelho de Penacova regista um número de empresas por km2 inferior ao
das restantes unidades territoriais, especialmente face ao registado no Baixo Mondego. Relativamente à
dimensão das empresas no concelho, importa destacar o facto de todas as empresas do Concelho terem
menos de 250 pessoas ao serviço, e de entre estas 97,7% terem menos de 10 pessoas. Coerentemente
com a reduzida dimensão das empresas, é baixo o número de pessoas ao serviço por empresa: 2
pessoas. O volume de negócios por empresa também é relativamente baixo, face ao registado nas outras
unidades territoriais, reflexo do tecido empresarial concelhio. Por outro lado, as quatro maiores empresas
do concelho detêm cerca de 17% do volume de negócios, valor significativamente mais elevado que o
registado no Continente e na região Centro, próximo contudo do registado na sub-região Baixo Mondego.
No que concerne ao pessoal ao serviço, de acordo com a informação disponibilizada pelo INE,
encontravam-se ao serviço nas 1598 empresas com sede no concelho 3091 pessoas. Como podemos
observar nos quadros seguidamente apresentados, é claramente no setor terciário que se concentra o
maior volume de pessoas ao serviço, seguido do secundário, concentrando as empresas do setor primário
apenas 3,9% das pessoas ao serviço.
Uma análise mais detalhada revela que os subsetores mais significativos neste domínio são os setores da
Construção (27,5%), o Comércio por grosso e a retalho (23,5%) e a Educação, Atividades de saúde
humana e apoio social, Atividades artísticas, de espetáculos, desportivas e recreativas e Outras atividades
de serviços, os quais, no seu conjunto totalizam 83% da totalidade das pessoas ao serviço nas empresas
com sede no concelho. Neste domínio destacamos o setor da Construção que sendo um dos mais
representativos em termos de peso relativo na totalidade das sociedades do concelho, representando
21,69% das empresas, surge também como o subsetor de maior peso relativamente ao volume de
emprego, com 27,5% das pessoas ao serviço.
No que concerne às empresas da Indústria transformadora, representando apenas 5,2% das empresas
com sede no concelho, empregam 2,7% das pessoas ao serviço (valores aproximados), assumindo
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
25
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
especial destaque os subsetores da Indústria alimentar, Indústria das bebidas bem como o de Fabricação
de produtos metálicos, exceto máquinas e equipamentos:
Tabela 21 – Pessoal ao serviço nas empresas com sede no concelho segundo a CAE rev. 3, (nº e %), 2011
Setores de atividade
nº absoluto
%
119
3,9
--
--
304
9,8
D – Eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio
0
0
E – Captação, tratamento e distribuição de água; saneamento, gestão de resíduos
30
10
F – Construção
851
27,5
G – Comércio por grosso e a retalho; reparação de veículos automóveis e
725
23,5
254
8,3
I – Alojamento, restauração e similares
0
0
J – Atividades de informação e de comunicação
4
0,1
L – Atividades imobiliárias
28
0,9
M – Atividades de consultoria, científicas, técnicas e similares
162
5,2
N – Atividades administrativas e dos serviços de apoio
145
4,7
P a S – Educação; Atividades de saúde humana e apoio social; Atividades
254
83
3091
100
A – Agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca
B – Indústrias Extrativas
C – Indústrias transformadoras
e despoluição
motociclos
H – Transportes e armazenagem
artísticas, de espetáculos, desportivas e recreativas; Outras atividades de serviços
Total
Fonte: INE, 2012: Anuário Estatístico da Região Centro - 2011
Tabela 22 - Pessoal ao serviço nas sociedades da indústria transformadora com sede em Penacova (nº e
%), 2010
Subsetor
nº absoluto
%
10 – Indústrias alimentares
11
13,3
11 – Indústria das bebidas
5
6
13 – Fabricação de têxteis
3
3,6
14 – Indústria do vestuário
10
12
16 – Indústrias da madeira e da cortiça e suas obras, exceto mobiliário; fabricação
de obras de cestaria e de espartaria
5
6
18 – Impressão e reprodução de suportes gravados
4
4,8
20 – Fabricação de produtos químicos e de fibras sintéticas ou artificiais, exceto
produtos farmacêuticos
1
1,2
23 – Fabricação de outros produtos minerais não metálicos
5
6
25 – Fabricação de produtos metálicos, exceto máquinas e equipamentos
27
32,5
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
26
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Subsetor
nº absoluto
%
26 – Fabricação de equipamentos informáticos, equipamento para comunicações e
produtos eletrónicos e óticos
1
1,2
27 – Fabricação de equipamento elétrico
1
1,2
28 - Fabricação de Máquinas e de Equipamentos n.e.
1
1,2
31 – Fabricação de mobiliário e de colchões
6
7,2
32 – Outras indústrias transformadoras
2
2,4
33 – Reparação, manutenção e instalação de máquinas e equipamentos
1
1,2
Total
83
100
Fonte: INE, 2011: Anuário Estatístico da Região Centro - 2012
Seguidamente apresentam-se alguns indicadores do mercado de trabalho concelhio:
Tabela 23 – Indicadores do mercado de trabalho concelhio, 2011
Taxa de TCO7 em
estabelecimento
s com < 10
trabalhadores
Taxa de TCO em
estabelecimento
s com > 250
trabalhadores
Centro
Baixo
Mondego
Penacova
Disparidade
no ganho
médio
mensal por
sexo
€
%
Continente
Ganho
médio
mensal
Disparidade Disparidade Disparidade
no ganho
no ganho
no ganho
médio
médio
médio
mensal por mensal por mensal por
escalão de
setor de
nível de
empresa
atividade
habilitações
%
23
27,4
1084,55
11,4
21,6
6,8
38,1
25,7
21
931,09
11,7
17,2
3,5
27
22,9
28,4
1 013,72
13
18,2
3,4
29
47
6,1
812,17
11,4
28
5,6
17,6
Fonte: INE, 2014: Anuário Estatístico da Região Centro - 2011
Da análise da tabela anteriormente apresentada e na sequência do anteriormente referenciado quanto à
reduzida dimensão das empresas quanto ao número de pessoas ao serviço, aproximadamente 47% dos
trabalhadores por conta de outrem exercem a sua atividade profissional em estabelecimentos com menos
de 10 trabalhadores, valor bastante acima do registado nas restantes unidades territoriais em análise;
sendo que apenas 6,1% o fazem em estabelecimentos com mais de 250. Também o ganho médio mensal
é significativamente inferior no concelho, face ao verificado nas restantes unidades. Contudo e apesar do
inferior ganho médio mensal, é de registar, no concelho, a menor disparidade no ganho médio mensal
segundo o sexo, bem como segundo o setor de atividade e o nível de habilitações.
Nos últimos anos o tecido empresarial concelhio sofreu algumas alterações, sendo de destacar, entre
outros aspetos, a diminuição progressiva do número de empresas com sede, passando de 1966 empresas,
em 2001, para 1552, em 2011, o que traduz uma taxa de crescimento negativa de cerca de 21%.
7
TCO – Trabalhador por conta de outrem
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
27
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Esta quebra total esconde, contudo, evoluções diferenciadas de cada um dos três setores de atividade. De
facto, uma análise sectorial permite concluir que a diminuição foi particularmente significativa nas
empresas do setor primário, tendo registado uma taxa de crescimento negativa, entre 2001 e 2011, de –
71,6%, enquanto o setor secundário sofreu uma quebra de aproximadamente de 43,4%, face a 2001. De
entre os três setores, o setor terciário destaca-se, neste período, pelo registo de crescimento de cerca de
16%. Paralelamente a esta evolução, importa assinalar a progressiva terciarização do tecido empresarial
concelhio, com as empresas deste setor a assumirem pesos relativos crescentes no conjunto das
empresas com sede no concelho: se em 2001, representavam 43,7% do total das empresas, em 2004
representavam 47%, em 2007, 51,4%, em 2009, 66,1% e em 2011, 64,2%, aspetos estes sistematizados
na tabela e gráfico seguidamente apresentados:
Tabela 24 - Empresas com Sede no concelho segundo os setores de atividade8 (nºs absolutos, percentagens e taxa
de crescimento), 2001, 2004, 2007, 2009 e 2011
2001
Total
2004
2007
2009
2011
nº absol.
%
nº absol.
%
nº absol.
%
nº absol.
%
nº
absol.
%
Taxa de
crescimento
2001/ 2011
1 966
100
1 889
100
1 624
100
1 509
100
1 552
100
-21,1
Setor
primário
250
12,7
153
8,1
115
7,1
1
0,1
71
5
-71,6
Setor
secundário
857
43,6
849
44,9
675
41,6
510
33,8
485
31,3
-43,4
Setor
terciário
859
43,7
887
47
834
51,4
998
66,1
996
64,2
15,9
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005, 2010 e 2012, para o ano de 2007, Serviço de
Infraestrutura Informacional
Gráfico 5 – Taxas de crescimento 2001/ 2004 e 2004/2007
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e 2007 e, para o ano de 2007, Serviço de
Infraestrutura Informacional
8
O setor primário integra as empresas da CAE da Divisão 0; o setor secundário da Divisão 1 a 4 e o setor terciário da Divisão
5 a 9.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
28
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Relativamente à análise do pessoal ao serviço nas sociedades com sede no concelho, importa
primeiramente referenciar que os dados apresentados traduzem, eventualmente, algumas lacunas pelo
desfasamento existente de, pelo menos, dois anos entre o registo de uma nova unidade legal no Ficheiro
de Unidades Estatísticas do INE e o carregamento de dados de natureza económica, o que pode originar o
aparecimento de Sociedades com valores nulos nos campos relativos ao Número de Pessoas ao Serviço,
enviesando a análise seguidamente realizada. De acordo com a informação disponibilizada, registou-se no
período de 2001 a 2010, um crescimento no número total de efetivos ao serviço nas empresas com sede
no concelho (282,6%), justificado sobretudo pelo expressivo crescimento registado nas sociedades do
setor terciário (183,5%). O setor secundário registou também um aumento considerável neste período
(88,7%). A não disponibilização de dados para o setor primário, impede a presente análise. Na tabela e
gráfico seguidamente apresentados sistematizam-se as evoluções registadas nesta matéria:
Tabela 25 – Pessoal ao serviço nas empresas com sede no concelho, segundo os setores de atividade (nºs
absolutos, percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004, 2009, 2010 e 2011
Setores de
atividade
Setor
primário
Setor
secundário
Setor
terciário
Total
2001
2004
2009
2010
2011
nº
absol.
%
nº
absol.
%
nº
absol.
%
nº
absol.
%
nº
absol.
%
Taxa de
crescimento
2001/ 2011
…
…
70
3,5
…
…
119
4,1
198
3,2
…
922
57,7
1 023
51,5
1 305
43,5
1185
41,2
1740
28,4
88,7
600
37,5
874
44,0
1 701
56,6
1572
54,7
4179
68,3
596,5
1 599
a)
100,0
1 987
a)
100,0
3 006
a)
100,0
2876
100,0
6117
100,0
282,6
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005, 2010 e 2012; Censos 2011
a) O total apresentado não corresponde à soma das parcelas, pelo facto de alguns dados relativos às sociedades não serem
disponibilizados por setor de atividade.
No que concerne ao volume de vendas e diretamente relacionado com o número de empresas existentes,
destaca-se a contribuição das empresas do setor terciário no volume de vendas total das empresas
sedeadas no concelho, sendo que os dados disponíveis se referem a 2006:
Tabela 26 - Volume de vendas nas sociedades sedeadas, segundo os setores de atividade (nºs absolutos e
percentagens), 2006
Setor de atividade
Nº absol.
%
Setor primário
6 439
6,2
Setor secundário
35.003
33,6
Setor terciário
60.091
57,7
104.151 a)
100,0
(unid: milhares de euros)
Total
Fonte: INE, Serviço de Infraestrutura Informacional
a) O total apresentado não corresponde à soma das parcelas, pelo facto de alguns dados não serem disponibilizados por setor
de atividade.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
29
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
No concelho de Penacova e de acordo com os dados relativos à constituição e dissolução de sociedades
assiste-se a algum dinamismo do tecido empresarial, tendo-se constituído, em 2011, 2 novas sociedades,
distribuindo-se da seguinte forma segundo os setores de atividade:
Tabela 27 – Sociedades constituídas, segundo os setores de atividade (nºs absolutos e percentagens), 2011
Setor de atividade
Nº absol.
%
Setor primário
1
50,0
Setor secundário
0
0,0
Setor terciário
1
0,0
Total
2
100,0
Fonte: INE, Dados Estatísticos
Neste mesmo ano o saldo entre as sociedades constituídas e dissolvidas, é positivo, ao registarem-se 2
novas constituições, face à inexistência de dissoluções.
Seguidamente proceder-se-á à análise do tecido empresarial concelhio e das pessoas ao serviço que o
mesmo absorve, segundo os setores de atividade, sendo que para o setor primário recorreremos para
além da informação disponibilizada nos Anuários Estatísticos da Região Centro, à disponibilizada no
Recenseamento Geral da Agricultura.
D.1. Setor Primário
De acordo com a informação disponibilizada pelo INE, estavam sedeadas, em 2011, no concelho de
Penacova 71 empresas do setor primário, as quais representavam 4,5% das empresas totais existentes.
Apesar da diminuição progressiva e sistemática registada no número de empresas sedeadas no concelho,
passando de 250, em 2001, para 153, em 2004, para 115, em 2007,e para 71, em 2011, importa
referenciar que a quebra verificada se ficou a dever maioritariamente à diminuição do número de
empresários em nome individual:
Tabela 28 - Empresas do setor primário com sede no concelho ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004, 2007 e
2011
Empresas - Nº Total
2001
Ano
2001
Nº absol.
250
2004
153
2007
115
% no total das empresas do setor
2011
71
Emp.
em
nome
ind.
2004
Socie
dades
Emp.
em
nome
ind.
2007
Socie
dades
Emp.
em
nome
ind.
2011
Socie
dades
Emp.
em
nome
ind.
Socie
dades
231
19
133
20
85
30
55
16
92,4
7,6
86,9
13,1
73,9
26,1
77,5
22,5
100
100
100
100
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e 2011 e, para o ano de 2007, Serviço
Infraestrutura Informacional
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
30
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
As empresas sedeadas no concelho, em 2011, tinham ao seu serviço 126 pessoas, as quais
representavam aproximadamente 4% das pessoas ao serviço.
Relativamente ao volume de vendas, a informação disponível revela um decréscimo, em termos absolutos,
entre 2006 e 2011. Neste último ano, as empresas do setor primário registaram um volume de vendas de
5371 milhares de euros, valor que representa 3,4% do volume registado pela totalidade das empresas.
No que concerne às explorações, de acordo com a informação disponibilizada pelo último Recenseamento
Geral Agrícola (Instituto Nacional de Estatística, 1999) e pelos dados do Recenseamento Agrícola 2009,
existem 616 explorações agrícolas no concelho da Penacova, correspondendo a cerca de 6% das
explorações totais existentes na sub-região do Baixo Mondego.
Em termos de área, as 616 explorações agrícolas correspondem a 2830 hectares (ha), sendo a área das
explorações com superfície agrícola utilizada (SAU9) de 793 hectares, equivalente a 28% da área total das
explorações deste concelho.
O valor médio de SAU por exploração é de 1,3 há, enquanto a área média das explorações é de
aproximadamente 4,6 ha. Este valor, embora relativamente próximo ao registado na sub-região do Baixo
Mondego (4,9 ha), é inferior a este sendo também inferior quer ao valor médio das explorações da região
centro (8,4 ha) quer, e especialmente, ao registado em Portugal Continental, que se situa na ordem dos
16,4 ha. O predomínio da pequena propriedade é reflexo, e simultaneamente, condiciona, o tipo de
agricultura praticada, nomeadamente no que concerne à capacidade produtiva e rentabilidade das
explorações.
De entre as 616 explorações registadas, 615 (ie, 99,8%) possuem superfície agrícola utilizada (SAU).
Quanto à natureza jurídica do produtor, 782 das explorações são geridas por produtor singular, contandose neste concelho a existência de apenas quatro explorações cuja gestão é realizada por sociedades. No
que concerne à forma de exploração da SAU, predomina a exploração por conta própria: de entre as 793
explorações com SAU, 782 são exploradas por conta própria, sendo de registar a existência de 1
exploração com SAU arrendadas e de 10 exploradas segundo outras formas não especificadas :
9
A superfície agrícola utilizada corresponde à área ocupada por terras aráveis (limpa e sob coberto de matas e florestas),
culturas e pastagens permanentes.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
31
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Gráfico 6 - Explorações com SAU, segundo a forma de exploração da SAL (nº), 2009
Fonte: INE, 2009: Recenseamento Agrícola 2009
Em termos de área, aproximadamente 97,4% da área da superfície agrícola utilizada é explorada por conta
própria, a saber: 1285 ha, face aos 1320 ha de SAU existentes no concelho.
Paralelamente ao claro predomínio dos produtores singulares e da exploração por conta própria, na grande
maioria das explorações agrícolas não existe contabilidade organizada, nem o registo das receitas e das
despesas, como se sistematiza no gráfico seguidamente apresentado:
Gráfico 7 – Distribuição das explorações, segundo a organização da contabilidade das explorações (%), 2009
Fonte: INE, 2009: Recenseamento Agrícola 2009
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
32
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
No ano 2009, cerca de 21% da área de explorações total do concelho da Penacova foi ocupada por
culturas temporárias e 19% por culturas permanentes (o que corresponde a 595 e 548ha, respetivamente).
No mesmo ano, as culturas temporárias mais importantes em termos de área ocupada foram as seguintes
(por ordem decrescente):
Tabela 29 - Culturas temporárias mais importantes, segundo a área ocupada (ha), 2009
Culturas temporárias
ha
Cereais para grão
486
Culturas forrageiras Total
505
Batata
398
Fonte: INE, 2009: Recenseamento Agricultura 2009
Quanto à ocupação do terreno por culturas permanentes, no mesmo ano, verifica-se que a cultura
dominante em termos de área é a vinha, ocupando 509 ha, seguida em ordem decrescente por olival
(361ha) e frutos frescos (57ha).
Em relação à rega, verifica-se que 72% das explorações deste concelho têm disponibilidade de rega, valor
inferior aos valores médios das explorações do Baixo Mondego, mas superior aos valores médios das
explorações do continente (onde apenas 58% das explorações apresentam estas condições).
Por outro lado e partindo de uma média no continente de 48% de explorações com trator, o concelho de
Penacova apresenta um valor superior, com 77% das suas explorações a registarem a existência deste
recurso.
De acordo com o Recenseamento Agrícola 2009, a mão-de-obra agrícola permanente é composta por
1716 indivíduos, dos quais 99% são mão-de-obra agrícola familiar e os restantes 1% correspondem a 14
trabalhadores agrícolas permanentes que não pertencem ao agregado familiar do produtor.
No concelho da Penacova, a população familiar agrícola10 é composta por 1891 indivíduos, dos quais 1877
são trabalhadores agrícolas da exploração (correspondendo a 99% da população familiar), e dentro destes,
612 (32% do total da população familiar) são os responsáveis jurídicos e económicos da exploração
(produtores singulares), sendo de sublinhar, neste Concelho, o significativo envolvimento da população
familiar agrícola nas atividades agrícolas.
Conforme se pode verificar no gráfico seguinte, onde se encontra o tempo de atividade agrícola 11 da
população familiar, 22% da população familiar trabalha a tempo completo na exploração, 9% não participa
nos trabalhos agrícolas e a maioria (68% dos indivíduos) trabalha a tempo parcial na exploração agrícola.
10
Por população familiar agrícola entende-se o conjunto das pessoas que, no dia de passagem do entrevistador do INE, fazem
parte do agregado doméstico do produtor, quer trabalhem ou não na exploração e ainda os outros membros da família do
produtor que, não pertencendo ao seu agregado doméstico, participam regularmente nos trabalhos agrícolas da exploração,
quer sejam remunerados ou não.
11
Considera-se que o tempo parcial está dividido nas seguintes 4 parcelas:

0 - <25%: Menos de 10 horas por semana, ou menos de 55 dias por ano, ou menos de 3 meses por ano.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
33
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Gráfico 8 - Distribuição dos indivíduos da população familiar por tempo de atividade agrícola (%), 2009
Fonte: INE, 2009: Recenseamento Agrícola 2009
De entre os que desenvolvem a sua atividade agrícola a tempo parcial, em 1999 12, (83% da população
agrícola familiar), aproximadamente 63% desenvolve-a a menos de meio tempo:
Gráfico 9 - Distribuição dos indivíduos da população familiar, segundo a percentagem de tempo parcial dedicado à
atividade agrícola (%), 1999
Fonte: INE, 1999: Recenseamento Geral da Agricultura

25 - <50%: De 10 a menos de 20 horas por semana, ou de 50 a menos de 110 dias por ano, ou de 3 meses a menos
de 6 meses por ano.

50 - <75%: De 20 a menos de 30 horas por semana, ou de 110 a menos de 165 dias por ano, ou de 6 meses a
menos de 9 meses por ano.

75 - <100%: De 30 a menos de 40 horas por semana, ou de 165 a menos de 220 dias por ano, ou de 9 meses a
menos de 12 meses por ano.
Tempo completo equivale a 40 ou mais horas por semana, ou de 220 dias ou mais por ano, ou 12 meses por ano incluindo
um mês de férias.
12
Não existem dados posteriores a 1999 disponíveis.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
34
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Neste contexto, cerca de 33% da população familiar exerce atividades remuneradas exteriores à
exploração agrícola, assumindo-se esta atividade exterior, regra geral, como atividade principal.
Em 1999
12
, a maior parte das atividades remuneradas exteriores à exploração agrícola, eram
desenvolvidas no setor terciário:
Gráfico 10 - Distribuição da população familiar com atividade principal exterior, segundo o setor de atividade
económica desta (%), 1999
Fonte: INE, 1999: Recenseamento Geral da Agricultura
Por outro lado, na generalidade, a população agrícola com atividade exterior, principal ou secundária
13
,
desenvolve a sua atividade por conta de outrem, concentrando esta situação 72% dos indivíduos. Os
trabalhadores por conta própria, representam 17% desta população, enquanto os patrões/ empregadores
representam 9%:
13
Não existem dados posteriores a 1999 disponíveis
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
35
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Gráfico 11 - Distribuição da população familiar com atividade principal exterior, segundo a situação na profissão
(%), 1999
1%
9%
17%
73%
outra situação
patrão/ empregador
trab. por conta própria
trab. por conta de outrem
Fonte: INE, 1999: Recenseamento Geral da Agricultura
Conforme se pode verificar no gráfico seguinte, a população familiar agrícola detém baixas habilitações
escolares, sendo ainda significativa a percentagem de indivíduos analfabetos (8%), bem como daqueles
que, sabendo ler e escrever, não possuem qualquer nível de ensino (14%), pelo que aproximadamente
67% desta população possui habilitações iguais ou inferiores ao 1º ciclo do ensino básico (antiga 4ª
classe), ao que não será alheia a idade da mesma e o pouco investimento desta população na sua
formação profissional:
Gráfico 12 - Nível de instrução da população familiar (%), 2009
Fonte: INE, 2009: Recenseamento Agrícola
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
36
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Quanto à formação profissional agrícola, verifica-se que em Penacova cerca de 90% da população familiar
tem apenas formação exclusivamente prática, sendo este valor superior ao da média do continente (79%).
No mesmo ano (2009), apenas 5 indivíduos apresentavam formação completa (curso secundário ou
superior agrícola).
Os 827 produtores singulares existentes no concelho
14
representam 32% da mão de obra agrícola familiar
e possuem, na generalidade, as mesmas características, embora em alguns casos, ainda mais
acentuadas. Assim sendo, 90% dos produtores desempenham a sua atividade na exploração agrícola a
tempo parcial, sendo que de entre estes aqueles que a desempenham até 50% do tempo representam
aproximadamente metade dos que desenvolvem a sua atividade a tempo parcial. Por outro lado,
aproximadamente 37% dos produtores singulares exercem uma atividade remunerada exterior à
exploração, sendo que esta se assume, grosso modo, como principal: de entre os 305 que desenvolvem
uma atividade exterior, 304 definem-na como principal (99,7%), verificando-se apenas a existência de um
produtor singular cuja atividade exterior é complementar à da exploração. O setor terciário e secundário
são os setores onde a grande maioria destes produtores desenvolvem a sua atividade exterior,
responsáveis, respetivamente, pelo emprego de 39% e 38% (valores aproximados) dos produtores com
atividade exterior remunerada, concentrando o setor primário cerca 23%. Na sua maioria, estes
desenvolvem a sua atividade como trabalhadores por conta de outrem, situação que concentra 57% dos
produtores, face aos 26% de trabalhadores por conta própria e os 15% de empregadores.
As habilitações escolares dos produtores singulares são baixas, sendo que 85% possuem habilitações
iguais ou inferiores ao 1º ciclo do ensino básico, sendo ainda significativa a percentagem dos que, embora
sabendo ler, não possuem qualquer nível de ensino (15%) e dos analfabetos (4%). Por outro lado, 99%
dos produtores possuem apenas formação prática, registando-se apenas a existência de seis produtores
com formação profissional relacionada com a atividade agrícola e um produtor com formação completa
(curso secundário ou superior agrícola).
Coerentemente com o exercício da atividade a tempo parcial, bem como com o exercício de atividades
exteriores remuneradas, seja por parte da população familiar agrícola, seja por parte dos produtores
agrícolas, o rendimento do agregado familiar do produtor singular advém para a maioria daqueles do
exterior à atividade da exploração, como sistematizado no gráfico seguinte, sendo residuais os agregados
cujo rendimento advém exclusivamente da atividade da exploração:
14
Não existem dados posteriores a 1999 disponíveis.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
37
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Gráfico 13 - Origem do rendimento do agregado doméstico do produtor singular (%), 2009
Fonte: INE, 2009: Recenseamento da Agricultura 2009
Nos períodos intercensitários 1989-1999 e 1999-2009, o concelho registou algumas transformações neste
setor, as quais se traduzem numa significativa diminuição no número de explorações (-55,4%), passando
de 1381 explorações, em 1989, para 830, em 1999 e para 616, em 2009. Esta diminuição foi
acompanhada pelo crescimento da área explorada, que decresceu igualmente cerca de 53%, que apesar
disso se traduziu num ligeiro crescimento da área média das explorações agrícolas neste período,
passando de 4,4 ha, em 1989, para 4,6 ha, em 2009. De entre as explorações agrícolas existentes no
concelho, mais de 99,8% possuem superfície agrícola, situação que permaneceu relativamente estável
entre 1989 e 2009, tal como o verificado com a forma de exploração, onde continua a predominar a
exploração por conta própria, aspetos sistematizados na tabela seguidamente apresentada:
Tabela 30 – Indicadores agrícolas (valor anual e taxa de crescimento), 1989, 1999 e 2009
1989
1999
2009
Taxa de
Taxa de
Taxa de
crescimento crescimento crescimento
1989 - 1999
1999-2009
1989-2009
Explorações agrícolas (nº)
1381
830
616
-39,9
-25,8
-55,4
Explorações agrícolas com SAU (nº)
1378
827
615
-40
-25,6
-55,4
% das explorações agrícolas com SAU
sobre a totalidade das explorações
agrícolas
99,8
99,6
99,8
-0,1
0,2
0
Área das explorações (ha)
6020
4628
2830
-23,1
-38,9
-53
Área da SAU (ha)
1919
1320
793
-31,2
-39,9
-58,7
Área média das explorações (ha)
4,4
5,6
4,6
27,9
-18
4,4
Valor médio de SAU por exploração (ha)
1,4
1,6
1,3
14,6
-19,4
-7,9
1370
826
614
-39,7
-25,7
-55,2
Explorações agrícolas com SAU
exploradas em conta própria (nº)
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
38
plano diretor municipal
penacova
1989
% das explorações agrícolas com SAU
exploradas em conta própria
caracterização socioeconómica
1999
2009
Taxa de
Taxa de
Taxa de
crescimento crescimento crescimento
1989 - 1999
1999-2009
1989-2009
99,4
99,9
99,8
-
-
-
Área das explorações agrícolas com SAU
exploradas em conta própria (ha)
1783,05
1285
782
-27,9
-39,1
-56,1
% da área das explorações agrícolas com
SAU exploradas em conta própria
92,9
97,3
98,6
-
-
-
Fonte: INE, 1989 e 1999: Recenseamento Geral da Agricultura; Anuário Estatístico da Região Centro 2010
Em suma, a agricultura é praticada, no concelho, em pequenas explorações e a tempo parcial, assumindose maioritariamente como uma fonte de rendimento complementar. Nesta matéria, há igualmente a
destacar que os solos do concelho são pouco férteis devido à sua acidez, com exceção das ínsuas do rio
Mondego e Alva. Por outro lado, aproximadamente 70% do concelho é constituído por zona florestal,
sendo que os restantes solos produzem cereais, batatas, legumes e fruta. As culturas da vinha e da
oliveira têm também algum significado económico. A pecuária, em termos de produção caseira, assume
algum significado sobretudo para o mercado local, para além de constituir uma fonte de rendimento
adicional para o agregado familiar agrícola. Neste setor, assume particular importância a silvicultura,
constituindo-se como uma das principais fontes de riqueza do concelho. De facto, a floresta é uma fonte de
matéria-prima para diferentes atividades industriais, constituindo-se, simultaneamente, como um
importante recurso económico. Dada a predominância da floresta, existem no concelho unidades
industriais ligadas à exploração de madeiras, nomeadamente serrações, carpintarias, fábrica de móveis e
fábrica de colmeias (cf. www.cm-penacova.pt).
D.2. Setor Secundário
No setor secundário15, e de acordo com a informação disponibilizada pelo INE, estavam sedeadas, em
2011, no concelho de Penacova 485 empresas, as quais representavam 31% das empresas totais
existentes. De entre as 485 empresas, aproximadamente 74% são empresários em nome individual, face
aos 26% de sociedades.
Apesar da diminuição progressiva e sistemática registada no número de empresas sedeadas no concelho
neste setor, passando de 857, em 2001, para 849, em 2004, para 675, em 2007, para 585, em 2010,
importa referenciar que, por um lado, o seu peso relativo no total das empresas, segundo o ano, se
mantém relativamente estável, variando entre o valor máximo de 44,9% (registado em 2004) e o valor
mínimo de 31% (registado em 2011). Por outro lado, a quebra verificada foi particularmente significativa no
15
No setor secundário integram-se a empresas das divisões B a F (CAE rev. 3), respetivamente as Indústrias Extrativa e
Transformadora, a Eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio, a Captação, tratamento e distribuição de água;
saneamento, gestão de resíduos e despoluição e a Construção.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
39
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
número de empresários em nome individual, dado que o número de sociedades no período em apreço se
manteve mais ou menos estável, tendo até crescido face a 2001.
Tabela 31 - Empresas do setor secundário com sede no concelho ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004,
2007 e 2011
Empresas - Nº Total
2001
Ano
Nº
absol.
2001
2004
2007
2011
857
849
675
485
2004
2007
2011
Emp.
Emp.
Emp.
Emp.
em
em
em
em
Sociedades
Sociedades
Sociedades
Sociedades
nome
nome
nome
nome
ind.
ind.
ind.
ind.
736
121
705
144
517
158
358
127
86
14
83
17
77
23
74
26
% no total das empresas do setor
100
100
100
100
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e 2010 e, para o ano de 2007, Serviço de
Infraestrutura Informacional
De entre as 485 empresas sedeadas, em 2011, no concelho no setor secundário, assumem especial
importância as dedicadas à construção civil, ao representarem aproximadamente 82% das empresas deste
setor. Com um peso menor mas ainda significativo (16,9%), surgem as empresas da indústria
transformadora. De salientar também a que as empresas da indústria extrativa sedeadas no concelho são
as Pedreiras licenciadas no concelho, Cerquedo e Serra da Atalhada, nas freguesias de Carvalho e
Penacova respetivamente.
Tabela 32 - Empresas do setor secundário com sede no concelho, segundo a divisão ( nºs absolutos, percentagens
e taxa de crescimento), 2001, 2004, 2007 e 2011
Nº de
empresas Total
B – Indústrias
Extrativas
C – Indústrias
transformadoras
D–
Eletricidade,
gás, vapor,
água quente e
fria e ar frio
E – Captação,
tratamento e
distribuição de
água;
saneamento,
gestão de
resíduos e
despoluição
2001
2004
2007
2011
Taxa de
nº
nº
nº
nº
crescimento
%
s/
%
s/
%
s/
%
s/
%
s/
%
s/
%
s/
%
s/
absol.
absol.
absol.
absol.
total subtotal
total subtotal
total subtotal
total subtotal 2001/ 2009
1966
1889
1624
1552
2
0,1
0,2
1
0,1
0,1
2
0,1
0,3
3
0,2
0,6
50
119
6,1
13,9
116
6,1
13,7
104
6,4
15,4
82
5,3
16,9
-31,1
0
…
…
0
…
…
1
0,1
0,1
0
0
0
0
…
…
…
…
…
…
…
…
…
4
0,3
0,8
…
F – Construção
736
37,4
85,9
732
38,8
86,2
568
35
84,1
396
25,5
81,6
-46,2
Subtotal –
empresas do
setor
secundário
857
43,6
100
849
44,9
100
675
41,6
100
485
31,3
100
-43,4
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e 2011 e, para o ano de 2007, Serviço de
Infraestrutura Informacional
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
40
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
De entre as empresas da indústria transformadora, os subsetores mais importantes no concelho em termos
de número de empresas são as Indústrias Metalúrgicas de Base e Fabricação de Produtos Metálicos
exceto máquinas e equipamentos, com 27 empresas, correspondente a 32,9% das 82 empresas sedeadas
no concelho, seguindo-se as Industrias alimentares, das bebidas e do tabaco (19,5%), e Fabricação de
têxteis e indústria do vestuário (17,1%), como sistematizado na tabela seguidamente apresentada:
Tabela 33 - Empresas da Indústria transformadora com sede no concelho, segundo o subsetor ( nºs absolutos,
percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004, 2007 e 2011
2001
Total - Ind. Transformadora
Total
10 – Indústrias alimentares ; 11 Indústria das bebidas; 12 - Indústria do
tabaco;
13 – Fabricação de têxteis; 14 – Indústria
do vestuário;
15 - Indústria do couro e dos produtos do
couro;
16 - Indústria da madeira e da cortiça e
suas obras, exceto mobiliário; Fabricação
de obras de cestaria e de espartaria;
17 - Fabricação de pasta, de papel, de
cartão e seus artigos; 18 – Impressão e
reprodução de suportes gravados;
19- Fab. de coque, produtos petrolíferos
refinados e de aglomerados de
combustíveis; 20 – Fab. de produtos
químicos e de fibras sintéticas ou
artificiais, exceto produtos farmacêuticos;
21 – Fab.de prod. farmacêuticos de base
e de preparações farmacêuticas;
22 - Fabricação de artigos de borracha e
de matérias plásticas;
23 – Fabricação de outros produtos
minerais não metálicos
24 - Indústrias metalúrgicas de base; 25 –
Fabricação de produtos metálicos, exceto
máquinas e equipamentos;
26 – Fab. de eq. informáticos,
equipamento para comunicações e
produtos eletrónicos e óticos; 27 – Fab.
de eq. elétrico; 28 – Fab. Máquinas e de
equipamento
31 – Fab.de mobiliário e de colchões; 32
– Outras indústrias transf.;33 –
Reparação, manutenção e instalação de
máq. e eq.;
2004
2007
2011
%
Taxa de
crescimento 2001/
2011
100
nº
absol
.
82
100
-31,1
19
18,3
16
19,5
-36
17,2
16
15,4
14
17,1
-36,4
-
0
-
0
0
0,0
-100
12,6
13
11,2
10
9,6
4
4,9
-73,3
6
5
6
5,2
4
3,8
4
4,9
-33,3
1
0,8
2
1,7
3
2,9
0
0
100
1
0,8
1
0,9
1
1
0
0
-100
4
3,4
5
4,3
4
3,8
5
6,1
25
36
30,3
41
35,3
34
32,7
27
32,9
-25
1
0,8
3
2,6
3
2,9
3
3,7
200
7
5,9
6
5,2
10
9,6
9
11
28,6
nº
absol
.
119
100
nº
absol
.
116
100
nº
absol
.
104
25
21
19
16,4
22
18,5
20
1
0,8
15
%
%
%
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e 2011 e, para o ano de 2007, Serviço de
Infraestrutura Informacional
O decréscimo no número total de empresas da indústria transformadora, esconde contudo evoluções
diferenciadas consoante o subsetor considerado, pese embora o crescimento registado em alguns, não
anula as quebras registadas noutros, conforme sistematizado na tabela anteriormente apresentada. De
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
41
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
facto, com exceção de dois subsetores, onde o número de empresas cresceu entre 2001 e 2011, em todos
os restantes se registaram quebras significativas no número total de empresas.
As sociedades do setor secundário sedeadas no concelho, em 2007, tinham ao seu serviço 883 pessoas,
as quais representavam aproximadamente 47,4% das pessoas ao serviço no conjunto das sociedades
sedeadas no concelho. O subsetor mais importante no emprego é o da construção, que concentra, nesse
ano, 32% das pessoas ao serviço na totalidade das sociedades e 67% das sociedades do setor
secundário. Nos últimos anos, o emprego na construção cresceu, pese embora as oscilações verificadas, o
que contribuiu para atenuar a quebra registada na totalidade do emprego registado no setor secundário,
motivada pela significativa diminuição do emprego na indústria transformadora, aspetos sistematizados na
tabela seguidamente apresentada:
Tabela 34 – Pessoal ao serviço nas sociedades do setor secundário com sede no concelho, segundo a divisão ( nºs
absolutos, percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004 e 2007
2001
Nº de pessoas ao
serviço - Total
nº
absol.
2004
% s/
total
% s/
subtotal
-
0,0
0,0
D - Ind.Transformadoras
336
21,0
E – Prod. e Dist. de Elet.,
de Gás e de Água
-
F - Construção
Subtotal – pessoas ao
serviço no setor
secundário
C - Ind. Extrativas
nº
absol.
2007
% s/
total
% s/
subtotal
-
0,0
0,0
36,4
292
14,7
0,0
0,0
-
586
36,6
63,6
922
57,7
100,0
1.599
nº
absol.
Taxa de
crescimento
2001/ 2007
% s/
total
% s/
subtotal
-
0,0
0,0
-
28,5
289
15,5
32,7
-13,9
0,0
0,0
…
…
…
731
36,8
71,5
594
31,9
67,3
1,4
1.023
51,5
100,0
883
47,4
100,0
-4,2
1.987
1.864
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e, para o ano de 2007, Serviço de Infraestrutura
Informacional
De facto, no período considerado a indústria transformadora viu a sua importância, em termos de emprego
diminuir aproximadamente 14%, passando de 336 pessoas ao serviço, em 2001, para 289, em 2007,
situação esta particularmente significativa em alguns subsetores, como o da Fabricação de produtos
minerais não metálicos (-35,9%) e o da Indústria de madeira e da cortiça (- 28,3%), como sistematizado na
tabela seguidamente apresentada. Paralelamente à quebra no emprego registado nestes subsetores, é de
registar o crescimento verificado na indústria metalúrgica de base e de produtos metálicos (+ 35,7%);
Indústria alimentar, bebidas e tabaco (+ 33,3%), pese embora não tenha sido suficiente para anular as
quebras registadas nos restantes subsetores da indústria transformadora:
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
42
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 35 – Pessoal ao serviço nas sociedades da indústria transformadora com sede no concelho, segundo a
subdivisão ( nºs absolutos, percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004 e 2007
2001
DA - Ind. alim., bebidas e tabaco
2004
nº absol.
%
84
25,0
nº
absol.
85
2007
%
Taxa de
crescimento
2001/ 2007
29,1
nº
absol.
112
38,8
33,3
%
…
DB - Ind. têxtil
DC – Ind. do Couro e dos Prod. do Couro
DD - Ind. de madeira e da cortiça
DE - Ind. de pasta, papel e cartão; edição e
impressão
DF+DG - Fab. de coque, produtos
petrolíferos + Fab. de produtos químicos e
de fibras sintéticas ou artificiais
DH - Fab. De art. de borracha e de mat.
plásticas
DI - Fab.de prod. minerais não metálicos
DJ - Ind. metalúrg. de base e de prod.
metálicos
DK- Fab. de Máquinas e de Equip., N.E.
46
13,7
37
12,7
33
11,4
-28,3
11
3,3
9
3,1
9
3,1
-18,2
DL - Fab. de equip. elétrico e de ótica
...
…
...
63
336 a)
292 a)
…
...
78
23,2
64
21,9
50
17,3
-35,9
14
4,2
18
6,2
19
6,6
35,7
21,6
55
19,0
DM- Fabricação de Material de Transporte
DN- Indústrias Transformadoras, N.E.
Total
289 a)
-13,9
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e, para o ano de 2007, Serviço de Infraestrutura
Informacional
a) O total apresentado não corresponde à soma das parcelas, pelo facto de alguns dados não serem
disponibilizados por setor de atividade.
Relativamente ao volume de vendas, há a assinalar, no período de 2001 a 2006, e não considerando o
efeito da inflação, a quebra significativa registada no volume de vendas das sociedades sedeadas no
concelho, passando de 274.761 milhares de euros (o que representava 86,6% do volume do conjunto das
sociedades sedeadas), em 2001, para, em 2006, 35.003 milhares de euros (33,6% do volume total).
Neste período, as sociedades do setor secundário sedeadas no concelho registam pois uma quebra
significativa no seu volume de vendas, ao mesmo tempo que vêm diminuir o seu peso relativo no volume
de vendas total registado pelo conjunto das sociedades. Nesta matéria importa salientar os
comportamentos diferenciados que as sociedades da indústria transformadora e as da construção
registam, com uma taxa de crescimento positiva registada pelas sociedades da indústria transformadora (+
9,8%) e a negativa registada pelas sociedades do setor da construção (-92,5%):
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
43
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 36 – Volume de vendas das sociedades do setor secundário ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004 e
2006
2001
nº
absol.
% s/
total
317.222
100
Subtotal - volume
de vendas no setor 274.761
secundário
86,6
Volume de vendas
- Total
2004
nº
absol.
% s/
total
107
681
100
100
43 569
40,5
% s/
total
do
setor
2006
nº
absol.
% s/
total
104151
100
100
35.003
33,6
100
% s/
total
do
setor
% s/
total
do
setor
C - Ind. Extrativas
...
-
-
…
-
-
,,,
-
-
D - Ind.Transform.
13.949
4,4
5,1
16 791
15,6
38,5
15.314
14,7
43,8
E – Prod. e Dist. de
Elet., de Gás e de
Água
0
-
-
0
-
-
,,,
-
-
260.812
82,2
94,9
26 778
24,9
61,5
19.689
18,9
56,2
F - Construção
Taxa de
crescimento
2001/ 2006
-67,2
-87,3
9,8
-92,5
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002 e 2005 e, para o ano de 2006, Serviço de Infraestrutura
Informacional
Na indústria transformadora, com exceção do verificado na Indústria de madeira e da cortiça bem como da
Fabricação de produtos minerais não metálicos, onde as quebras entre 2001 e 2006 no volume de vendas
foram, respetivamente, de -68% e -19% (valores aproximados), em todas as restantes sociedades dos
subsetores da indústria transformadora se registou um crescimento no volume de vendas, sendo este
particularmente significativo nas sociedades da Indústria metalúrgica de base e de produtos metálicos
(+153%), bem como nas da Indústria alimentar, bebidas e tabaco (+87,1%):
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
44
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 37 – Volume de vendas das sociedades do setor secundário – Indústria transformadora ( nºs absolutos e
percentagens), 2001, 2004 e 2006
2001
nº
absol.
% s/
total
setor
2004
2006
Taxa de
crescimento
2001/ 2006
Total do setor secundário
274.761
100
43.569
100
% s/
nº
% s/
total absol. total
do
setor 35.003 100
Total _ Ind. Transformadora
13.949
5,1
100
6.791
38,5
100
15.314 43,8
100,0
9,8
DA - Ind. alim., bebidas e tabaco
4.677
1,7
33,5
6 849
15,7
40,8
8 753 25,0
57,2
87,1
0,0
0,0
0,0
0,0
% s/
total do
subsetor
nº
absol.
% s/
total
…
DB - Ind. têxtil
DC – Ind. do Couro e dos Prod. do
Couro
% s/
total do
setor
-87,3
DD - Ind. de madeira e da cortiça
2.934
1,1
21
2 996
6,9
17,8
944
2,7
6,2
-67,8
DE - Ind. de pasta, papel e cartão;
edição e impressão
212
0,1
1,5
219
0,5
1,3
214
0,6
1,4
1,2
DF+DG - Fab. de coque, produtos
petrolíferos + Fab. de produtos
químicos e de fibras sintéticas ou
artificiais
...
0,0
0,0
0
0,0
0,0
2 727
7,8
17,8
-19,3
690
2,0
4,5
153,0
0,0
0,0
0,0
0,0
0,0
0,0
4,4
10,0
…
DH - Fab. De art. de borracha e de
mat. plásticas
DI - Fab.de prod. minerais não
metálicos
DJ - Ind. metalúrg. de base e de
prod. metálicos
3.380
1,2
24,2
4 001
9,2
23,8
273
0,1
2
673
1,5
4
DK- Fab. de Máquinas e de Equip.,
N.E.
DL - Fab. de equip. elétrico e de
ótica
…
...
DM- Fabricação de Material de
Transporte
DN- Indústrias Transformadoras,
N.E.
...
1 611
3,7
9,6
1 530
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002 e 2005 e, para o ano de 2006, Serviço de Infraestrutura
Informacional
Relativamente à constituição das sociedades no setor secundário, há a registar a criação de 7 novas
sociedades, no ano de 2006, quatro na indústria transformadora e três na construção.
Em suma, no setor secundário predominam as empresas da construção e obras públicas, que empregam
uma importante faixa da população, pese embora seja de registar igualmente a existência de atividades
artesanais e tradicionais, que a informação estatística não reflete. No que concerne ao seu tecido
empresarial há a destacar a Cerâmica Estrela de Alva, fundada em 1904, e que constitui um importante
polo empregador, bem como a unidade industrial de engarrafamento de água mineral natural "Caldas de
Penacova", a qual para além de se constituir como um importante empregador, promove através do seu
produto, o nome do concelho no país e no estrangeiro, sendo aliás uma das maiores empresas
exportadoras do setor. No concelho destaca-se igualmente, na freguesia de Lorvão, o fabrico,
embalamento e comercialização de palitos (cf. www.cm-penacova.pt).
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
45
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
D.3. Setor Terciário
No setor terciário16, e de acordo com a informação disponibilizada pelo INE, estavam sedeadas, em 2011,
no concelho de Penacova 996 empresas, as quais representavam 64,2% das empresas totais existentes.
De entre as 996 empresas, aproximadamente 73,7 % são empresários em nome individual, face aos
26,3% de sociedades.
Entre 2001 e 2011, o número de empresas do setor terciário sedeadas no concelho aumenta cerca de
16%, da mesma forma o peso relativo das empresas deste setor no total das empresas cresceu, passando
de 43,7%, em 2001, para 47%, em 2004, 51,4%, em 2007, 64%, em 2011, a quebra registada no número
de empresas dos restantes dois setores de atividade, como anteriormente referenciado, aumentando assim
o peso relativo das empresas deste setor no conjunto das empresas sedeadas no concelho.
O aumento registado no número de empresas ficou-se a dever-se quer aumento do número de
empresários em nome individual, quer ao aumento do número de sociedades tendo-se aliás registado,
neste setor no período em apreço, um crescimento significativo no número de sociedades, passando de
181, em 2001, para 262, em 2011.
Tabela 38 - Empresas do setor terciário com sede no concelho ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004, 2007 e
2011
Empresas - Nº Total
Ano
2001
2004
2007
2011
Nº absol.
859
887
834
996
% no total das empresas do setor
2001
Emp. em
Socie
nome ind.
dades
678
181
78,9
2004
Emp. em
Socie
nome ind.
dades
665
222
21,1
74,9
100,0
25,1
100,0
2007
Emp. em
Socie
nome ind. dades
569
265
68,2
100,0
31,8
2011
Emp. em
Socie
nome ind. dades
734
262
73,7
26,3
100,0
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e 2011 e, para o ano de 2007, Serviço de
Infraestrutura Informacional
De entre as 996 empresas do setor terciário sedeadas, em 2011, no concelho, assumem especial
importância as dedicadas ao comércio, as quais representam aproximadamente 35,9% das empresas do
setor e 23,1% do total das empresas do concelho, pese embora a evolução negativa registada no número
de empresas do comércio, no período em análise (-30,8%).
16
No setor terciário integram-se a empresas das divisões 5 a 9 (CAE rev. 2), respetivamente o Comércio por Grosso e a
Retalho, Reparação de Veículos Automóveis, Motociclos e de Bens de Uso Pessoal e Doméstico; o Alojamento e Restauração
(Restaurantes e Similares); os Transportes, Armazenagem e Comunicações; as Atividades Financeiras; as Atividades
Imobiliárias, Alugueres e Serviços Prestados às Empresas; a Administração Pública, Defesa e Segurança Social Obrigatória; a
Educação; a Saúde e Ação Social; as Outras Atividades de Serviços Coletivos, Sociais e Pessoais; as Famílias com
Empregados Domésticos; e os Organismos Internacionais e outras Instituições Extraterritoriais.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
46
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 39 - Empresas do setor terciário com sede no concelho, segundo a divisão ( nºs absolutos, percentagens e
taxa de crescimento), 2001, 2004, 2007 e 2011
Total
2001
2004
% s/
total
nº
% s/
% s/
subt absol.
total
otal 1889
nº
nº
% s/
% s/
% s/
% s/
% s/
subt absol.
subto absol.
subt
total
total
otal 1624
tal
otal
1552
518
26,3
60,3
514
27,2
57,9
449
27,6
53,8
358
23,1 35,9
93
4,7
10,8
123
6,5
13,9
119
7,3
14,3
106
6,8
10,6
14
89
4,5
10,4
89
4,7
10
89
5,5
10,7
78
5,0
7,8
-12,4
26
1,3
3
19
1
2,1
18
1,1
2,2
-
-
-
-
69
3,5
8
71
3,8
8
79
4,9
9,5
116
7,5
11,6
68,1
139
9,0
14
-
nº
absol.
1966
G – Comércio por grosso e a
retalho; reparação de veículos
automóveis e motociclos;
I – Alojamento, restauração e
similares
H – Transportes e armazenagem
K – Atividades financeiras e de
seguros
J – Atividades de informação e de
comunicação; L – Atividades
imobiliárias; M – Atividades de
consultoria, científicas, técnicas e
similares;
N – Atividades administrativas e
dos serviços de apoio
P a S – Educação; Atividades de
saúde humana e apoio social;
Atividades artísticas, de
espetáculos, desportivas e
recreativas; Outras atividades de
serviços
Subtotal - terciário
2007
2011
Taxa de
cresciment
o 2001/
2011
-30,9
64
3,3
7,5
71
3,8
8
80
4,9
9,6
199
12,8
20
210,9
859
43,7
100
887
47
100
834
51,4
100
996
64,1
100
15,9
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e 2011 e, para o ano de 2007, Serviço de
Infraestrutura Informacional
As sociedades do setor terciário sedeadas no concelho, em 2007, tinham ao seu serviço 879 pessoas, as
quais representavam aproximadamente 47% das pessoas ao serviço no conjunto das sociedades
sedeadas no concelho. O subsetor mais importante no emprego é o do comércio, que concentra, nesse
ano, 20% das pessoas ao serviço na totalidade das sociedades e 43% das sociedades do setor terciário
(valores aproximados).
Entre 2001 e 2007, o emprego no comércio cresceu significativamente (39,5%), pese embora a ligeira
quebra registada entre 2004 e 2007. A par do comércio, também as sociedades dedicadas ao Transporte,
armazenagem e comunicações desempenham um papel importante, e crescente, no emprego,
concentrando, em 2007, 15% das pessoas ao serviço nas sociedades do concelho e 31% das do setor
terciário, aspetos sistematizados na tabela seguidamente apresentada:
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
47
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 40 – Pessoal ao serviço nas sociedades do setor terciário com sede no concelho, segundo a divisão ( nºs
absolutos, percentagens e taxa de crescimento), 2001, 2004 e 2007
2001
Total
nº
absol.
% s/
total
% s/
subtotal
271
16,9
45,2
28
1,8
200
12,5
1.599
G – Comércio por grosso e
a retalho
H – Alojamento e
restauração
I – Transp., armaz. e
comunicações
J – Atividades financeiras
K – Ativ. imobiliárias, alug. e
serv. às empresas
M a O – Educ; Saúde e ac.
social; Outras ativ. de serv.
colect., sociais e pessoais17
Subtotal - terciário
2004
nº
absol.
2007
% s/
total
% s/
subtotal
410
20,6
46,9
4,7
73
3,7
33,3
288
14,5
-
1.987
nº
absol.
Taxa de
crescimento
2001/ 2007
% s/
total
% s/
subtotal
378
20,3
43,0
39,5
8,4
86
4,6
9,8
207,1
33,0
274
14,7
31,2
37,0
8
0,4
0,9
-
1.864
54
3,4
9,0
58
2,9
6,6
91
4,9
10,4
68,5
47
2,9
7,8
45
2,3
5,1
42
2,3
4,8
-10,6
600
37,5
100,0
874
44,0
100,0
879
47,2
100,0
46,5
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002, 2005 e, para o ano de 2007, Serviço de Infraestrutura
Informacional
Embora no que concerne às pessoas ao serviço nas sociedades deste setor se tenha registado um
crescimento em todas as secções de atividade para as quais existe informação disponível, com exceção
das secções M a O (relativa à Educação; Saúde e ação social; e Outras atividades de serviços coletivos,
sociais e pessoais), assume especial destaque o crescimento registado na do Alojamento e restauração (+
207%), passando de 28 pessoas ao serviço em 2001, para 86, em 2007.
Relativamente ao volume de vendas, entre os anos de 2001 e 2006, regista-se um crescimento
significativo do volume de vendas das sociedades deste setor, passando de 36.978 milhares de euros, em
2001, para, em 2006, 60.091 milhares de euros. Neste período, as sociedades do setor terciário sedeadas
no concelho registam pois um crescimento significativo no seu volume de vendas, ao mesmo tempo que
veem aumentar, de 11,7% para 57,7%, o seu peso relativo no volume de vendas registado pelo conjunto
das sociedades. Nesta matéria importa salientar que este crescimento se regista nas sociedades de todas
as divisões, assumindo contudo particular importância o registado nas Atividades imobiliárias, alugueres e
serviços às empresas (+417,8%) e no Alojamento e restauração (+ 294,7%):
17
No ano de 2001, os valores apresentados reportam às divisões L a Q, o que se traduz, relativamente aos anos seguintes, na
inclusão da Administração Pública, Defesa e Segurança Social Obrigatória (secção L) e a dos Organismos Internacionais e
outras Instituições Extraterritoriais (secção Q), as quais nos anos seguintes deixaram de ser contemplados.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
48
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Tabela 41 – Volume de vendas das sociedades do setor terciário ( nºs absolutos e percentagens), 2001, 2004 e
2006
2001
nº absol.
% s/
total
Total
317.222
100,0
Subsetor terciário
G – Comércio por grosso
e a retalho
H – Alojamento e
restauração
I – Transp., armaz. e
comunicações
J – Atividades financeiras
K – Ativ. imobiliárias,
alug. e serv. às empresas
M a O – Educ; Saúde e
ac. social; Outras ativ. de
serv. colet., sociais e
pessoais18
36.978
2004
nº absol.
% s/
total
107 681
100,0
11,7
% s/
total
do
setor
100,0
57 896
24.553
7,7
66,4
693
0,2
10.271
3,2
2006
Taxa de
crescimento
2001/ 2006
nº absol.
% s/
total
104.151
100,0
% s/
total do
setor
53,8
% s/
total
do
setor
100,0
60.091
57,7
100,0
62,5
37 771
35,1
65,2
37.559
36,1
62,5
53,0
1,9
2 328
2,2
4,0
2.735
2,6
4,6
294,7
27,8
15 714
14,6
27,1
14.615
14,0
24,3
42,3
0,0
…
192
0,2
0,3
-67,2
738
0,2
2,0
1 043
1,0
1,8
3.824
3,7
6,4
417,8
723
0,2
2,0
1 040
1,0
1,8
1.165
1,1
1,9
61,0
Fonte: INE, Anuários Estatísticos da Região Centro – 2002 e 2005 e, para o ano de 2006, Serviço de Infraestrutura
Informacional
Relativamente à constituição das sociedades no setor terciário, há a registar a criação de 20 novas
sociedades, no ano de 2006, o que, em relação a 2004, representa um crescimento significativo nesta
matéria (+ 9 sociedades criadas). As 20 sociedades distribuem-se da seguinte forma pelas secções:

Comércio por grosso e a retalho: 6 sociedades;

Alojamento e restauração: 6 sociedades,

Transportes, armazenagem e comunicações: 3 sociedades,

Atividades imobiliárias, aluguer e serviços às empresas: 4 sociedades, e

Educação; Saúde e ação social; Outras atividades de serviços coletivos, sociais e pessoais: 1
sociedade.
Em suma, no setor terciário assumem especial importância as empresas dedicadas ao comércio,
nomeadamente nas vilas de Penacova, Lorvão e S. Pedro de Alva, onde têm registado uma evolução
crescente, quer no número de estabelecimentos, quer na diversidade dos produtos oferecidos, sendo que,
ao nível de estabelecimentos, estão representados todos os setores de comércio por grosso e a retalho (cf.
www.cm-penacova.pt)
18
No ano de 2001, os valores apresentados reportam às divisões L a Q, o que se traduz, relativamente aos anos seguintes, na
inclusão da Administração Pública, Defesa e Segurança Social Obrigatória (secção L) e a dos Organismos Internacionais e
outras Instituições Extraterritoriais (secção Q), as quais nos anos seguintes deixaram de ser contemplados.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
49
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
E. Relatório Socioeconómica: Síntese
No concelho de Penacova residiam, em 2011, 15 251 indivíduos, dos quais 6 707 possuem atividade
económica (43,98%). De entre estes, destacam-se os elementos do sexo masculino (53,7%, face aos
46,3% de mulheres). Inversamente, de entre os 6670 indivíduos sem atividade económica,
aproximadamente 60% são mulheres, face aos 40% de homens. Neste ano, aproximadamente 68% da
população residente economicamente ativa e empregada exercia a sua atividade profissional no setor
terciário. O setor primário ocupava 3,2% da população e o setor secundário, 28,5%. No que concerne à
população empregada segundo o setor de atividade e o sexo, importa assinalar que, com exceção do setor
terciário, onde a mão de obra feminina é maioritária, nos dois restantes setores de atividade a mão de obra
masculina é maioritária.
No último período intercensitário 2001-2011, e tal como o verificado no País, assistiu-se a um decréscimo
significativo da população empregada no setor primário, a par do significativo crescimento registado no
setor terciário. O emprego da população residente no setor secundário registou também uma diminuição
neste período, contrariamente ao anterior período 1991-2001, a que não serão alheios os investimentos
realizados, seja ao nível das infraestruturas rodoviárias, seja ao das Zonas Industriais.
De facto, no intuito de promover o desenvolvimento industrial do concelho, a Câmara municipal19 tem vindo
a apostar na construção de acessos rodoviários, destacando-se a construção do IP3 com ligação à A1
(Lisboa/Porto), ao IC2 (Coimbra), à A14 (Figueira da Foz), ao IP5 (Viseu/Vilar Formoso), ao IC6 (ligação ao
interior via EN 17), e o melhoramento da ex-EN 235 (Penacova/Mealhada) e da EN 110
(Penacova/Coimbra), tornando assim a localização geográfica de Penacova privilegiada para que as
empresas tenham acesso fácil às matérias-primas e ao escoamento dos seus produtos, fatores estes
determinantes para a escolha da sua localização.
Paralelamente, a autarquia investiu na construção dos Pavilhões para a instalação de Indústrias, Comércio
e Serviços, no Parque Industrial da Espinheira. Este parque tem uma área coberta de cerca de 3000 m2 e
comporta doze armazéns, sendo quatro de 363 m2, quatro de 246 m2 e outros quatro de 121 m2, zona de
serviços comuns de apoio, casa de guarda, bar, refeitório, instalações sanitárias e ainda um edifício
administrativo onde se encontram dez salas de 21 m2 e duas de 42 m2. Esta infraestrutura tem a missão de
captar empresas que no futuro possam instalar-se definitivamente no Município de Penacova. Por outro
lado, junto ao nó do IP3, na Espinheira, a autarquia procedeu ao loteamento e hasta pública de terrenos
onde se têm instalado várias empresas de setores de atividades diferenciadas sendo que algumas das que
se instalaram, iniciaram a sua atividade nos Pavilhões para a Instalação de Indústrias, Comércio e
Serviços, que funcionam numa perspetiva de incubadora de empresas.
Em fase final de projeto, estão igualmente, de acordo com o PDM (Plano Diretor Municipal), duas zonas
industriais: A Zona Industrial da Alagoa e a Zona Industrial dos Covais.
19
Cf. www.cm-penacova.pt
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
50
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
A Zona Industrial da Alagoa, situada na freguesia de Figueira de Lorvão em terrenos junto ao IP3, entre os
nós de Lorvão e da Espinheira, possui uma área total de 104.000 m2, sendo a área para implantação de
lotes para unidades industriais de 39.729 m2. A Zona Industrial dos Covais, está situada na freguesia de
Travanca do Mondego, junto à EM 532, com ligação ao IP3, na Barragem da Aguieira e ao IC6 no
Silveirinho. A operação urbanística do loteamento industrial integra uma área de 48.784,69 m 2, dos quais
15.544,20 m2 são para a implantação de lotes de unidades industriais, ficando uma área sobrante de
82.295,31 m2 para a futura expansão da Zona Industrial. Foi estruturada como a anterior, estando previstos
onze lotes com uma superfície mínima de 1.225 m2, cuja dimensão de frente será superior ou igual a 35 m.
Está também previsto estruturá-la com dois arruamentos que intercetam a EN532 no entroncamento
existente.
Assim, o emprego da população residente no concelho de Penacova, embora seguindo as tendências
evolutivas gerais registadas na região Centro e na sub-região do Baixo Mondego, revela algumas
especificidades, como seja, a diminuição muito significativa do peso do setor primário enquanto
empregador da população residente no concelho de Penacova, a registar uma quebra no último período
intercensitário bastante superior à verificada nas outras duas zonas geográficas de análise; a quebra
significativa do setor secundário, apresentando, em 2011, um peso ligeiramente superior face ao registado
nas restantes unidades territoriais em análise e apesar de dominante e de registar uma taxa de
crescimento significativa, o peso do setor terciário no concelho é menos significativo que o registado na
região Centro, encontrando-se, no entanto, bastante acima do verificado na sub-região; sendo aliás de
salientar que o comportamento do concelho neste domínio apresenta maiores similitudes com a região
Centro na globalidade que com a sub-região onde se integra.
Tomando concelho como referência, a situação difere significativamente em cada uma das onze
Freguesias, traduzindo as suas especificidades, sendo possível distinguir as freguesias mais rurais, das
mais industrializadas ou urbanas. O setor primário é particularmente importante na Freguesia de Oliveira
do Mondego, sendo responsável pelo emprego de aproximada e respetivamente 36% da população ativa.
O setor secundário é particularmente importante em cinco freguesias (Carvalho, Oliveira do Mondego,
Paradela, Sazes do Lorvão e Travanca do Mondego), assumindo nelas valores iguais ou superiores a 30%
da população. O setor terciário, sendo responsável pelo emprego de pelo menos 61,5% da população
residente em todas as freguesias (com exceção do registado na freguesia do Carvalho, onde emprega
apenas 48,3% da população), é particularmente importante nas freguesias de Lorvão (71,8%), Penacova
(69,7%) e Figueira de Lorvão (70,7%).
Por outro lado, aproximadamente 69% da população ativa empregada no concelho, em 2011, reside em
três das onze freguesia do concelho, a saber: Lorvão, Penacova e Figueira de Lorvão. Esta contribuição
diferenciada de cada uma das Freguesias encontra-se diretamente relacionada com a população residente
em cada uma das onze Freguesias, sendo pois as freguesias mais populosas que concentram a maior
parte da população ativa empregada, pelo que a contribuição relativa de cada uma, seja na população
concelhia, seja na população ativa empregada, é muito semelhante.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
51
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Agregando as profissões segundo os respetivos grupos, aproximadamente 60% da população residente
economicamente ativa concentra-se em três grupos de profissões, a saber: Grupo 5 – Pessoal dos
Serviços e Vendedores, Grupo 7 - Operários, Artífices e Trabalhadores Similares e Grupo 9 Trabalhadores Não Qualificados, situação esta que se manteve relativamente estável no último período
intercensitário 1991-2001. O Grupo 8 - Operadores de Instalações e Máquinas e Trabalhadores da
Montagem também assume uma importância significativa, com uma percentagem de 9,4%. No último
período intercensitário, registam-se evoluções diferenciadas dos efetivos segundo os grupos de profissões,
sendo particularmente significativas as quebras registadas nas profissões do Grupo 6 - Agricultores e
Trabalhadores Qualificados da Agricultura e Pescas (- 84,9%) e o crescimento muito acentuado registado
no Grupo 3 – Técnicos e Profissões de Nível Intermédio (+124,3%).
Relativamente à situação na profissão, aproximadamente 77% da população residente no concelho
trabalha por conta de outrem, em 2011. O peso dos empregadores e dos trabalhadores por conta própria é
semelhante, concentrando ambas as situações aproximadamente 21% da população residente. No último
período intercensitário, assistiu-se a uma diminuição generalizada do número de pessoas residentes e
economicamente ativas em todas as situações, excetuando a categoria Outra Situação que registou uma
taxa de crescimento de 23,1%.
Considerando a evolução registada na população residente no concelho de Penacova no último período
intercensitário (2001 – 2011), conclui-se que paralelamente ao ligeiro decréscimo (-8,8%) da população
residente, se assistiu também a uma diminuição da população residente economicamente ativa e
empregada (- 11,9%). Em termos de setores de atividade, neste período intercensitário, apenas se registou
um aumento da população ativa empregada no setor terciário (+11,1%), sendo que se registou uma
acentuada quebra de população empregada no setor primário (-66,8%), bem como, apesar de em menor
número, no setor secundário, com -32,6% de indivíduos neste setor. Embora estas evoluções
diferenciadas não reproduzam fielmente os fluxos de emprego registados no concelho, refletem-nos de
forma aproximada, traduzindo a saída de efetivos empregados do setor primário e a sua entrada nos
setores secundário e terciário, assumindo este particular importância na atração de mão de obra.
Com base em dados do Recenseamento Geral da População de 2001, uma vez que os dos últimos
Censos ainda não se encontram disponíveis, o concelho de Penacova apresenta uma taxa de atração
significativamente positiva (7%), face ao registado na sub-região do Baixo Mondego e na região Centro
(5%, valor aproximado). Também a taxa de repulsão interna é relativamente favorável, com um valor
aproximado de 3% face aos 4% registados no Baixo Mondego. Paralelamente, aproximadamente 7% da
população residente no concelho à data do último recenseamento geral da população não residia nele
cinco anos antes, o que traduz a sua capacidade de atração e justifica a taxa de atração registada. No
entanto e apesar da capacidade de atração do concelho, importa sublinhar que uma percentagem muito
significativa da população residente trabalha ou estuda noutro concelho (40%).
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
52
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
No concelho, de acordo com a informação estatística disponibilizada pelo INE, existiam, em 2011, 1552
empresas com sede no concelho, das quais 405 são Sociedades.
Apenas dois subsetores são responsáveis por aproximadamente 49% das empresas com sede no
concelho, a saber: a Construção e o Comércio por grosso e a retalho. As empresas destes dois setores,
juntamente com as das Atividades administrativas e dos serviços de apoio e as Atividades de consultoria,
científicas, técnicas e similares perfazem cerca de 64,2% das empresas concelhias.
Na indústria transformadora, os subsetores mais importantes no concelho em termos de número de
empresas são as Indústrias Metalúrgicas de Base e Fabricação de Produtos Metálicos exceto máquinas e
equipamentos, com 27 empresas, correspondente a 32,9% das 82 empresas sedeadas no concelho,
seguindo-se as Industrias alimentares, das bebidas e do tabaco (19,5%), e Fabricação de têxteis e
industria do vestuário (17,1%).
No que concerne ao pessoal ao serviço, encontravam-se ao serviço, em 2011, nas 1552 empresas com
sede no concelho, 3038 pessoas, sendo claramente no setor terciário que se concentra o maior volume de
pessoas ao serviço, seguido do secundário, concentrando as empresas do setor primário apenas 4,1% das
pessoas ao serviço.
Os subsetores mais significativos neste domínio são os da Construção, bem como o do Comércio por
grosso e a retalho, os quais representam aproximadamente 51% da totalidade das pessoas ao serviço nas
empresas com sede no concelho. No que concerne às sociedades da Indústria transformadora,
representando apenas 5,2% das empresas com sede no concelho, empregam 2,7% das pessoas ao
serviço (valores aproximados), assumindo especial destaque os subsetores da Indústria alimentar e da
Fabricação de produtos metálicos, exceto máquinas e equipamentos.
Nos últimos anos o tecido empresarial concelhio sofreu algumas alterações, sendo de destacar, entre
outros aspetos, a diminuição progressiva do número de empresas com sede, passando de 1966 empresas,
em 2001, para 1552, em 2011, o que traduz uma taxa de crescimento negativa de 21%. Esta quebra total
esconde, contudo, evoluções diferenciadas de cada um dos três setores de atividade. Esta diminuição foi
particularmente significativa nas empresas do setor primário (-71,6%, entre 2001 e 2011), o setor
secundário sofreu uma quebra de aproximadamente 43,4%, face a 2001. De entre os três setores, o setor
terciário destaca-se, neste período, pelo registo de um crescimento significativo (16%). Paralelamente a
esta evolução, importa assinalar a progressiva terciarização do tecido empresarial concelhio, com as
empresas deste setor a assumirem pesos relativos crescentes no conjunto das empresas com sede no
concelho: se em 2001, representavam 43,7% do total das empresas, em 2011 já representavam 64,1%.
No que concerne ao pessoal ao serviço nas sociedades com sede no concelho, registou-se no período de
2001 a 2009, um crescimento no número total de efetivos ao serviço nas empresas com sede no concelho,
particularmente expressivo nas sociedades do setor terciário (+183,5%). O setor secundário registou
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
53
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
também um aumento no número de efetivos neste período (41,5%). A não disponibilização de dados para
o setor primário, impede a presente análise.
No que concerne ao volume de vendas e diretamente relacionado com o número de sociedades existentes,
destaca-se a contribuição das sociedades do setor terciário no volume de vendas total das sociedades
sedeadas no concelho (57,7%).
No concelho de Penacova e de acordo com os dados relativos à constituição e dissolução de sociedades
assiste-se a algum dinamismo do tecido empresarial, tendo-se constituído, em 2006, 30 novas sociedades,
assumindo as do setor terciário particular importância. Neste mesmo ano o saldo entre as sociedades
constituídas e dissolvidas, é positivo, ao registarem-se 30 novas constituições, face às 10 dissoluções.
No que concerne ao setor primário, estavam sedeadas, em 2011, no concelho de Penacova 71 empresa,
as quais representavam 4,5% das empresas totais existentes. Apesar da diminuição progressiva e
sistemática do número de empresas sedeadas no concelho, importa referenciar que a quebra verificada se
ficou a dever maioritariamente à diminuição do número de empresários em nome individual.
As empresas sedeadas no concelho, em 2011, tinham ao seu serviço 126 pessoas, as quais
representavam aproximadamente 4% das pessoas ao serviço. Relativamente ao volume de vendas, a
informação disponível revela um decréscimo, em termos absolutos, entre 2006 e 2011. Neste último ano,
as empresas do setor primário registaram um volume de vendas de 5371 milhares de euros, valor que
representa 3,4% do volume registado pela totalidade das empresas.
No que concerne às explorações, de acordo com a informação disponibilizada pelo último Recenseamento
Geral Agrícola existem 616 explorações agrícolas no concelho da Penacova. Em termos de área, as 616
explorações agrícolas correspondem a 2830 hectares (ha), sendo a área das explorações com superfície
agrícola utilizada (SAU) de 793 hectares, equivalente a 28,0% da área total das explorações deste
concelho.
O valor médio de SAU por exploração é de 1,3 ha enquanto a área média das explorações é de
aproximadamente 4,6 ha. O predomínio da pequena propriedade é reflexo, e simultaneamente, condiciona,
o tipo de agricultura praticada, nomeadamente no que concerne à capacidade produtiva e rentabilidade
das explorações.
Quanto à natureza jurídica do produtor, 782 explorações são geridas por produtor singular, contando-se a
existência de apenas quatro explorações cuja gestão é realizada por sociedades. No que concerne à forma
de exploração da SAU, predomina a exploração por conta própria. Paralelamente ao claro predomínio dos
produtores singulares e da exploração por conta própria, na grande maioria das explorações agrícolas não
existe contabilidade organizada, nem o registo das receitas e das despesas.
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
54
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
A mão de obra agrícola permanente é composta por 1716 indivíduos (RA, 2009), dos quais 99% são mão
de obra agrícola familiar e os restantes 1% correspondem a trabalhadores agrícolas permanentes que não
pertencem ao agregado familiar do produtor.
No concelho da Penacova, a população familiar agrícola é composta por 1891 indivíduos, dos quais 1877
são trabalhadores agrícolas da exploração (correspondendo a 99% da população familiar), e dentro destes,
612 (32% do total da população familiar) são os responsáveis jurídicos e económicos da exploração
(produtores singulares), sendo de sublinhar, neste Concelho, o significativo envolvimento da população
familiar agrícola nas atividades agrícolas. Contudo, apenas 5% da população familiar trabalha a tempo
completo na exploração, 9% não participam nos trabalhos agrícolas e a maioria (68% dos indivíduos)
trabalha a tempo parcial na exploração agrícola
20
. Neste contexto, cerca de 32% da população familiar
exerce atividades remuneradas exteriores à exploração agrícola, assumindo-se esta atividade exterior,
regra geral, como atividade principal
21
. Por outro lado, na generalidade, a população agrícola com
atividade exterior, principal ou secundária, desenvolve a sua atividade por conta de outrem, concentrando
esta situação 72% dos indivíduos 22.
A população familiar agrícola detém baixas habilitações escolares, sendo ainda significativa a percentagem
de indivíduos analfabetos (aproximadamente 8%), bem como daqueles que, sabendo ler e escrever, não
possuem qualquer nível de ensino (14%), pelo que aproximadamente 67% desta população possui
habilitações iguais ou inferiores ao 1º ciclo do ensino básico (antiga 4ª classe), ao que não será alheia a
idade da mesma e o pouco investimento desta população na sua formação profissional:
Coerentemente com o exercício da atividade a tempo parcial, bem como com o exercício de atividades
exteriores remuneradas, o rendimento do agregado familiar do produtor singular advém para a maioria
daqueles do exterior à atividade da exploração, sendo residuais os agregados cujo rendimento advém
exclusivamente da atividade da exploração.
No setor secundário estavam sedeadas, em 2011, no concelho de Penacova 485 empresas, as quais
representavam 31% das empresas totais existentes. De entre as 485 empresas, aproximadamente 74%
são empresários em nome individual, face aos 26% de sociedades.
Apesar da diminuição progressiva e sistemática registada no número de empresas sedeadas no concelho
neste setor, importa referenciar que, por um lado, o seu peso relativo no total das empresas, segundo o
ano, se mantém relativamente estável e que, por outro lado, a quebra verificada foi particularmente
significativa no número de empresários em nome individual, dado que o número de sociedades no período
em apreço cresceu.
20
Dados 2009
Não existem dados posteriores a 1999 disponíveis.
22
Não existem dados posteriores a 1999 disponíveis.
21
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
55
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
De entre empresas sedeadas, em 2011, no concelho no setor secundário, assumem especial importância
as dedicadas à construção civil, ao representarem aproximadamente 82% das empresas deste setor. Com
um peso menor mas ainda significativo (17%), surgem as empresas da indústria transformadora.
As empresas do setor secundário sedeadas no concelho, em 2011, empregam 830 pessoas, as quais
representavam aproximadamente 27% das pessoas ao serviço no conjunto das empresas sedeadas no
concelho. O subsetor mais importante no emprego é o da construção, que concentra, nesse ano, 26,3%
das pessoas ao serviço na totalidade das empresas.
No período 2001 a 2006, as sociedades do setor secundário sedeadas no concelho registam uma quebra
significativa no seu volume de vendas, ao mesmo tempo que veem diminuir o seu peso relativo no volume
de vendas total registado pelo conjunto das sociedades.
No concelho de Penacova estavam sedeadas, em 2011, 996 empresas do setor terciário, as quais
representavam 64% das empresas totais existentes. De entre as 996 empresas, aproximadamente 73,7%
são empresários em nome individual, face aos 26,3% de sociedades.
Entre 2001 e 2011, o número de empresas do setor terciário sedeadas no concelho aumenta cerca de
16%, da mesma forma o peso relativo das empresas deste setor no total das empresas cresceu, passando
de 43,7%, em 2001, para 47%, em 2004, 51,4%, em 2007 e 64%, em 2011, o que reflete, num contexto de
aumento do número de empresas do setor terciário entre 2001 e 2011, a quebra registada no número de
empresas dos restantes dois setores de atividade, como anteriormente referenciado, aumentando assim o
peso relativo das empresas deste setor no conjunto das empresas sedeadas no concelho.
De entre as 996 empresas do setor terciário sedeadas, em 2011, no concelho, assumem especial
importância as dedicadas ao comércio, as quais representam aproximadamente 35,9% das empresas do
setor e 23,1% do total das empresas do concelho, pese embora a evolução negativa registada no número
de empresas do comércio, no período em análise.
As empresas do setor terciário sedeadas no concelho, em 2011, tinham ao seu serviço 1778 pessoas, as
quais representavam aproximadamente 59% das pessoas ao serviço no conjunto das empresas sedeadas
no concelho, sendo o subsetor mais importante nesta matéria o do comércio.
No que concerne ao volume de vendas, as sociedades do setor terciário registam um crescimento
significativo entre 2001 e 2006, ao mesmo tempo que veem aumentar, de 11,7% para 57,7%, o seu peso
relativo no volume de vendas registado pelo conjunto das sociedades.
Relativamente à constituição das sociedades no setor terciário, há a registar a criação de 20 novas
sociedades, no ano de 2006, o que, em relação a 2004, representa um crescimento significativo nesta
matéria (+ 9 sociedades criadas).
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
56
plano diretor municipal
penacova
caracterização socioeconómica
Por último e ainda com relação à atividade económica concelhia importa destacar o papel que os recursos
energéticos e geológicos existentes poderão representar, desde que potenciados, de acordo aliás com o
parecer emitido pela Direção Geral de Energia e Geologia no âmbito das reuniões da Comissão de
Acompanhamento da Revisão do Plano Diretor Municipal de Penacova.
Nesta matéria, no que concerne aos recursos geológicos estão identificados, no concelho, pela DGEG
depósitos minerais e águas minerais naturais, bem como elementos relacionados com a energia, como a
eletricidade e combustíveis, sendo que estes recursos deverão ser tidos em consideração na definição da
estratégia de desenvolvimento económico concelhio. De facto, os recursos energéticos e geológicos
poderão contribuir para o desenvolvimento económico local e regional, sustentado, visto a sua exploração
económica, além de possível e viável, ser compatível com os usos dominantes definidos no plano para os
diferentes espaços, como seja o solo rural. A título de exemplo, pode-se destacar a produção de energia a
partir de fontes renováveis, como os parques eólicos, aproveitamentos hidrelétricos, centrais
termo/fotovoltaicas, biomassa, centrais geotérmicas, entre outras possibilidades.
Seguidamente, e de acordo com a informação disponibilizada pela DGEG, elencam-se os elementos
concelhios no que concerne à matéria de energia e de recursos geológicos:

Depósitos Minerais: existem no concelho áreas de exploração potencial de chumbo e Ferro, a par
de área de exploração consolidada para urânio, designada por Arrassário, pese embora estes
recursos minerais, com base nos conhecimentos atuais, sejam escassos e pouco significativos,
traduzindo-se numa reduzida relevância económica 23.

Aguas Minerais Naturais: no concelho há a destacar a zona alargada do perímetro de proteção da
Água Mineral Natural, designada por LUSO; as concessões de direitos de exploração de água
mineral natural com a denominação de Corgas – Buçaco e a de Caldas de Penacova; a fixação do
perímetro de proteção correspondente à exploração do recurso hidrogeológico que ocorre nas
Caldas de Penacova.

Energia Elétrica: apurada no concelho a existência de duas centrais hidroelétricas (a Central de
Raiva e a Central da Aguieira).
23
No que concerne a mineralizações de ferro são conhecidas duas ocorrências minerais, ambas com relevância económica
muito limitada: 1. ocorrência de ferro de Louredo, situada nas freguesias de Sazes do Lorvão e Carvalho e 2. Ocorrência de
ferro de Fontã, Santa Catarina, Casseres e Vale de Mouro, situada nas freguesias de Sazes do Lorvão, Vacariça e Luso (estas
duas últimas pertencentes ao concelho da Mealhada). Relativamente a mineralizações de chumbo, é conhecida a ocorrência
de Sanguinheiro, situada na freguesia de Figueira de Lorvão, com interesse económico também muito limitado. A respeito de
ouro, é conhecida a ocorrência de Oliveira do Mondego, situada na freguesia com o mesmo nome e nunca foi objeto de
concessão, ao contrário do verificado com as mineralizações anteriormente referenciadas, pese embora atualmente se
encontrem abandonadas, nem de cálculo de recursos. Tal como o verificado com o ouro, também a mineralização de Urânio,
situada na freguesia de S. Paio de Mondego, não foi objeto de exploração mineira, nem teve cálculo de recursos, pelo que a
sua relevância atual também é muito limitada. (cf. Parecer do LNEC, no âmbito da cooperação com a DGEG)
lugar do plano, gestão do território e cultura | município de Penacova
57