Estado de São Paulo: player global - São Paulo Global

Сomentários

Transcrição

Estado de São Paulo: player global - São Paulo Global
Estado de São Paulo:
player global
Portfólio de Ações 2011-2014
2
Prefácio
04
Panorama
06
Institucionalização
12
Internacionalização
16
Cooperação Internacional
Investe São Paulo
FAPESP
Made in São Paulo
Reconhecimento
Mapa de parceiros
Redes internacionais
Eventos
Missões no exterior
Visitas oficiais
Em gráficos
Informação
18
32
34
38
42
48
50
52
58
62
66
68
3
“Contracto
de Introducção
de Immigrantes
Japonezes”, primeiro
acordo internacional
assinado pelo Governo do
Estado de São Paulo (Secretaria
de Agricultura) em 12 de setembro
de 1907. Acordo dá início à imigração
japonesa no Brasil. Atualmente, São
Paulo acolhe a maior diáspora
japonesa do mundo (Acervo do
Arquivo Público do Estado de
São Paulo)
4
Um mundo chamado
São Paulo
Quatro anos em
quatro parágrafos
As Relações Internacionais têm que ser vistas como um instrumento
O governo de São Paulo e os paulistas sempre foram muito cientes da
ao serviço do desenvolvimento do estado. Não podem ser interpretadas como um fim
em si mesmo, mas como um meio para tornar o nosso estado mais próspero, sustentável
e seguro. Com esta premissa em mente, entre 2011 e 2014, o governo de São Paulo adotou
uma vigorosa e inovadora política internacional. Sendo a economia regional mais pujante
de todo o Hemisfério Sul, São Paulo abriu as suas portas ao mundo para trazer para o
nosso estado o melhor que o mundo tem a oferecer. Ao longo de quatro anos, assinamos
mais de 200 acordos internacionais e desenvolvemos largas dezenas de programas e
projetos de cooperação internacional, nas áreas da educação, pesquisa e inovação, saúde,
infraestrutura ou segurança pública, que trouxeram resultados práticos e positivos
para os brasileiros de São Paulo. Ao adotar uma política internacional com enfoque em
resultados e nas pessoas, humanizamos ainda mais as relações internacionais injetandolhes dignidade, relevância e legitimidade.
desenvoltura econômica do seu Estado. São Paulo é a 19ª maior economia do mundo.
Estava na hora de o governo paulista, sob a liderança do Governador Geraldo Alckmin,
dar um passo maior na sua atuação internacional.
Foram quatro anos intensos mas espirituosos. Logo no início, analisamos minuciosamente
quais as principais tendências mundiais na área da paradiplomacia (ou diplomacia
subnacional). Percebemos que todos os principais estados na Europa, Ásia, América do
Norte e América Latina já estavam devidamente internacionalizados. A globalização
dos governos subnacionais não era algo do futuro, mas ostensivamente do presente.
Sem estar na dianteira, São Paulo teria que percorrer um longo caminho para conseguir
competir globalmente pelos seus interesses. Não havia tempo a perder.
Institucionalização, internacionalização e informação: estes são os três pilares da
política que criamos logo no início do mandato, guiada por dois objetivos centrais:
tornar São Paulo um player global reconhecido pelos seus pares e assegurar que a ação
internacional impacte diretamente a população. Esta política é hoje conhecida como
“modelo internacional de São Paulo.” A maior munição da equipe ambiciosa e competitiva
que tive orgulho de liderar foi a nossa gestão empresarial, motivada por metas
individuais, e o nosso forte espírito coletivo. Sucessos e erros foram partilhados. A cada
seis meses trocamos o Palácio dos Bandeirantes por retiros fora da cidade, com o intuito
de analisarmos pedagogicamente o nosso desempenho como equipe e corrigirmos os
nossos desvios de produtividade.
No mundo globalizado em que vivemos, o exercício de governar tem poucas fronteiras.
Os desafios enfrentados por São Paulo podem-se assemelhar aos desafios enfrentados
por outros estados na América Latina, na Europa ou na Ásia. Governar significa, por isso,
estar conectado com o exterior, permitindo que governos, empresas e povos aprendam,
cooperem e concorram entre si. Isolamento é sinônimo de perda de competitividade.
Geraldo Alckmin
5
Esta publicação faz uma radiografia das ações paulistas na área de relações internacionais,
desde a concepção da nova estratégia em 2011, passando por sua implementação nos anos
seguintes. Reflete também o espírito de cooperação e equipe de todos os responsáveis
pela internacionalização de São Paulo, sob liderança da Assessoria Especial para
Assuntos Internacionais, mas que incluiu também as secretarias estaduais, empresas,
autarquias e fundações públicas. Boa leitura!
Passados quatro anos, o estado de São Paulo é visto como um dos governos subnacionais
mais ativos, exitosos e reconhecidos em nível mundial. Em apenas alguns anos, São Paulo
se tornou um verdadeiro player global e conseguiu colocar a política internacional ao
serviço da população. Esta publicação não retrata todas as nossas ações – da Assessoria
Especial para Assuntos Internacionais, secretarias estaduais, empresas, autarquias e
fundações públicas – mas destaca algumas delas. Bem-vindos a um mundo chamado São
Paulo.
Governador do Estado de São Paulo
www.saopauloglobal.sp.gov.br
Rodrigo Tavares
Chefe da Assessoria Especial para
Assuntos Internacionais (2011-2014)
Pa
l
ác
io
an
de
sB
do
nt
e
ira
s
6
7
7
Panorama
8
9
Estrutura
Estas metas estão
presentes em três pilares:
Sob coordenação da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais,
órgão lotado no gabinete do governador, as relações internacionais do governo de
São Paulo são executadas em rede por vários órgãos e entidades governamentais
– secretarias estaduais, empresas, autarquias e fundações públicas – com a missão
comum de tornar São Paulo um ator preponderante no cenário global.
Institucionalização:
Têm destaque nesta estrutura, em primeiro lugar, todas as secretarias de estado.
São elas as executoras e financiadoras da cooperação internacional do governo.
Com o crescimento da demanda, várias secretarias acabaram criando as suas
próprias assessorias internacionais de forma a impulsionar a sua cooperação com
parceiros no exterior. Depois merece atenção a Agência Paulista de Promoção de
Investimentos e Competitividade – Investe SP, que liderou, com sucesso, a estratégia
de atração de investimentos do exterior. Finalmente, cabe mencionar a Fundação
de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP, uma instituição pública de
fomento à pesquisa acadêmica que adotou, nos últimos anos, uma robusta política de
globalização da ciência produzida em São Paulo.
Adoção de instrumentos jurídicos e organizacionais e identificação de
recursos humanos e orçamentários, que permitam a execução de uma
política de estado de relações internacionais com metas a longo prazo,
conduzida por todas as secretarias estaduais.
Internacionalização:
o
Elevação da participação e do reconhecimento de São Paulo no cenário
internacional por intermédio da adoção de um número crescente de
programas e projetos de cooperação internacional e da organização
de missões ao exterior, contribuindo, dessa forma, para a projeção
internacional do Brasil.
an
g
m
co
k.
oc
st
Va
l
er
utt
ed
Sh
oA
a/
nh
m
si
ga
metas: em primeiro lugar, tornar o estado de São Paulo um player global reconhecido
pelos seus pares e, em segundo lugar, assegurar que a ação internacional impacte
diretamente a população. Setores como saúde, transportes, segurança, educação
têm que ser geridos com um braço no exterior, atraindo recursos e boas práticas. É
uma diplomacia de pé no chão, pragmática, direcionada. São ações internacionais com
impacto local. Neste sentido, São Paulo segue o princípio “in foro interno foro externo”,
ou seja, o governo tem capacidade de atuação no exterior nas áreas em que detém
competências internas.
Na
A estratégia paulista de relações internacionais tem duas grandes
ab
aú
,c
en
tr
od
eS
ão
Pa
ul
O Modelo Internacional
de São Paulo
@globalsaopaulo
Informação:
Democratização do acesso no exterior a informações sobre o Estado de
São Paulo através de várias ferramentas de comunicação.
1962
11
11
T inh
e
m a
p do
o
10
Promulgação da Constituição do
Estado de São Paulo (estabelecendo as
competências do governo do Estado)
L
1989
Fundação da FAPESP
1996
Extinção da Assessoria Especial
2010
Criação da Investe São Paulo
2012
Instituição do Plano de Relações
Internacionais 2011 - 2014 do Governo
do Estado de São Paulo (“São Paulo no
Mundo”) pelo Decreto 57.932
Acordo com EUA, Reino Unido e França
estabelecendo relações bilaterais
diretas
1907
Acordo entre São Paulo e Japão
na área de imigração (1º acordo
internacional firmado por São Paulo)
1973
1º acordo de irmanamento (assinado
com província japonesa de Mie)
2013
1991
Criação da Assessoria Especial de
Assuntos Internacionais
2005
Reestabelecimento da Assessoria
Especial para Assuntos Internacionais
2011
Refundação do modelo organizacional
e estratégico das relações
internacionais de São Paulo
2013
Inauguração do Escritório da ONU em
São Paulo
2014
Acordo com Canadá estabelecendo
relações bilaterais diretas
www.saopauloglobal.sp.gov.br
12
13
13
Institucionalização
EH
IT
/S
Ar
SN
ra
nh
as
-
cé
us
na
re
gi
ão
ce
nt
ra
l
de
Sã
oP
au
l
o
Adoção de instrumentos jurídicos e organizacionais e identificação de recursos humanos e
orçamentários, que permitam a execução de uma política de estado de relações internacionais
com metas a longo prazo, conduzida por todas as secretarias estaduais.
hu
tte
rs
to
ck
.co
m
14
15
Eficiência e Eficácia
Adotado em abril de 2012, o programa de governo “São Paulo no Mundo: Plano de Relações
Internacionais 2011-2014” estabelece uma inserção internacional organizada e com
objetivos de longo prazo. O plano institui três objetivos gerais, 16 prioridades setoriais e
54 metas específicas. O programa foi instituído pelo decreto nº 57.932. São Paulo é um
dos poucos governos subnacionais no mundo a adotar um programa de governo nesta
área.
Em 2014, o governo de São Paulo e o The Boston Consulting Group (BCG) trabalharam
de forma próxima com o objetivo de avaliar a qualidade e maturidade dos projetos de
cooperação internacional e estabelecer novos eixos de orientação. Atualmente, cada
projeto de cooperação dispõe de ferramentas de análise de risco, de execução e de
monitoramento.
Nova estrutura
Formação e Capacitação
A Assessoria Especial foi recriada em 2011 e é atualmente composta por 5 coordenadorias:
Cooperação Internacional (subdividida em Cooperação Multilateral; Desenvolvimento
Humano, Social e Sustentável I; Desenvolvimento Humano, Social e Sustentável II;
Desenvolvimento Urbano e Metropolitano; Desenvolvimento Econômico, Infraestrutura
e Governança), Protocolo, Eventos, Pesquisa e Comunicação Internacional. Esta
estrutura é liderada pelo Assessor Especial para Assuntos Internacionais.
Com o objetivo de aperfeiçoar o desempenho individual, cerca de 90% dos funcionários
da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais participaram em cursos e
treinamentos em comunicação, administração pública, línguas estrangeiras ou gestão
de projetos. Parcerias com o governo italiano, francês e britânico permitiram que
funcionários do governo paulista recebessem capacitação extraordinária nos idiomas
italiano, francês e inglês. Além disso, cerca de 30% do staff participou também de
intercâmbios em ministérios de relações exteriores ou em representações diplomáticas
de parceiros estrangeiros, permitindo uma frutífera troca de conhecimentos e de
práticas. Em 2014, a Assessoria Especial acolheu Bruno Sarra-Bournet, representante
do governo do Québec, como primeiro participante de um programa regular de
intercâmbio de funcionários de São Paulo e da província canadense. No mesmo ano, a
coordenadora de cooperação internacional da Assessoria Especial, Helena Monteiro,
esteve temporariamente lotada no Ministério das Relações Internacionais do Québec.
id
go
ia
Av
en
Th
Registro diplomático
aP
au
lis
ta
:c
en
t
ro
fin
an
ce
iro
Plano de Governo
ite
Le
/S
m
co
k.
oc
st
er
tt
hu
Para garantir a coerência na ação governativa, todas as ações internacionais passaram
a ser devidamente registradas. Para cada um dos 116 países com quem São Paulo tem
um relacionamento, existe um documento que sintetiza todos as atividades realizadas e
previstas (acordos de cooperação, visitas de delegações, missões ao exterior, projetos
de cooperação etc.). Estas informações, em registro digital, estão acessíveis a todos os
funcionários do governo que exercem atividades internacionais.
@globalsp
16
17
17
Internacionalização
ni
ar
g
ia
/S
M
ziv
in
al
P
in
he
iro
s,
na
zo
n
aS
ul
de
Sã
oP
au
l
o
Elevação da participação e do reconhecimento de São Paulo no cenário internacional por
intermédio da adoção de um número crescente de programas e projetos de cooperação
internacional e da organização de missões ao exterior, contribuindo, dessa forma, para a
projeção internacional do Brasil.
hu
tte
rs
to
ck
.co
m
18
19
19
Linha direta
São Paulo formaliza relações bilaterais com EUA, Reino Unido, França e Canadá.
Cooperação
Internacional
Ao longo de quatro anos
o Governo firmou 234 acordos
internacionais e negociou e adotou dezenas de ações, projetos e programas
de cooperação com parceiros no exterior, com o objetivo de promover
o Estado no cenário mundial, fomentar o desenvolvimento econômico e
sustentável de São Paulo e compartilhar as melhores práticas e soluções.
Em um passo inovador em nível global, o estado de São Paulo estabeleceu relações
formais, bilaterais e diretas com os Estados Unidos, Reino Unido, França e Canadá, por
intermédio da criação de comissões bilaterais com cada um destes países. Atualmente,
40 projetos de cooperação, em áreas que beneficiam diretamente a população, como
infraestrutura, segurança, habitação, meio ambiente, educação, inovação, saúde, entre
outras, estão sendo implementados em parceria com estes quatro países. Adotada pelo
governador Geraldo Alckmin, a pioneira estratégia internacional paulista materializouse a partir de maio de 2013, quando São Paulo tornou-se o primeiro governo subnacional
do mundo com quem os EUA formalizaram suas relações diretas.
“O acordo que acabamos de assinar
aqui (...) é excepcional, porque
permite uma relação direta entre a
França e o estado de São Paulo” (...)
“Vai ampliar ainda mais tudo que
podemos fazer com o Brasil em geral,
e com São Paulo em particular, com
mais liberdade, mais rapidez e mais
facilidade”
Trecho do discurso do Presidente da República Francesa, François Hollande,
em dezembro de 2013
sz
ef
ei
/S
hu
tte
rs
to
ck
.co
m
20
21
21
Transparência
São Paulo | Île-de-France
Parceria com Reino Unido garante a paulistas ferramentas
inovadoras no combate à corrupção
Os motores econômicos da América Latina e da Europa unidos
pelo desenvolvimento urbano sustentável
Como consequência da formalização das relações com o Reino Unido, ocorrida em
outubro de 2013, o estado de São Paulo firmou um acordo com o governo britânico
para incrementar seu ambiente de negócios por meio da ampliação da transparência
pública, maior oferta de dados abertos e aperfeiçoamento das políticas de prevenção
e combate à corrupção. Foi investido R$ 1,65 milhão na melhoria dos portais
Transparência SP e Governo Aberto SP e na capacitação de servidores estaduais com
vistas à aplicação da legislação anticorrupção que pune as empresas privadas por atos
de corrupção contra a administração pública.
O Estado de São Paulo e a região Île-de-France estabeleceram um acordo inédito para
troca de experiências na área de sustentabilidade e desenvolvimento urbano durante o
ano de 2014. A cooperação assinada entre as duas regiões envolve mais de 15 iniciativas
conjuntas, entre elas contribuir com o programa de despoluição do rio Tietê por meio
da aplicação de tecnologias usadas na recuperação do rio Sena, em Paris. A parceria
com os franceses também engloba a aplicação de tecnologias verdes inovadoras, como
reutilização de água, energias sustentáveis, gestão de lixo e novas técnicas de construção
nas habitações populares erguidas em um dos núcleos do Programa de Recuperação
Socioambiental da Serra do Mar, em Cubatão, programa liderado pela Companhia de
Desenvolvimento Habitacional e Urbano – CDHU. Além disso, o STIF, autoridade que
controla a rede transportes públicos em Île-de-France, e a secretaria de Transportes
Metropolitanos de São Paulo desenvolvem um projeto de cooperação técnica para a
gestão integrada dos transportes metropolitanos.
“Um governo de melhor qualidade é
o que a transparência traz. Estamos
muito entusiasmados com o trabalho
conjunto de nossos governos”.
(Ministro da Justiça do Reino Unido, Chris Grayling)
Th
ia
go
Le
ite
/S
hu
te
tte
rs
to
n
Po
ck
a
st
ia
E
.co
m
www.saopauloglobal.sp.gov.br
,
da
ar
M
al
n
gi
Pi
s
iro
e
nh
“O desenvolvimento de acordos de
cooperação entre governos subnacionais
é uma abordagem realista e pragmática
para enfrentar desafios territoriais e
urbanos cada vez mais globalizados”.
(Anthony Taieb, representante da região de Île-de-France junto ao Estado de SP)
22
23
23
Programa de intercâmbio
SP contra o crime
Alunos da rede estadual fazem intercâmbio gratuito no exterior
para estudar inglês, francês ou espanhol
Sistema de inteligência policial de Nova York garante mais segurança
A busca das melhores e mais inovadoras soluções disponíveis ao redor do mundo para
enfrentar os desafios domésticos fez o estado de São Paulo importar o sistema de
monitoramento inteligente usado pela polícia de Nova York. Esta tecnologia de ponta
integra a nova etapa do Detecta, o sistema paulista de monitoramento de crimes.
Desenhado pela Microsoft e pela primeira vez usado fora de Nova York, o novo software
faz a integração de milhares de câmeras de vigilância e bancos de dados do Estado,
como o do 190, ajudando no patrulhamento ostensivo, identificação de criminosos,
investigação e planejamento das ações policiais. Com a ampliação do Detecta, o Centro
Integrado de Comando e Controle da polícia passa a analisar alertas automáticos para
10 mil padrões de situações suspeitas e delitos, dando mais eficiência e rapidez no
atendimento à ocorrência.
O programa de intercâmbio do governo paulista oferece aos alunos da rede de ensino
estadual, incluindo ETECs e FATECs, a oportunidade de aprofundar os conhecimentos
de uma língua estrangeira, com todas as despesas pagas. Além de frequentar as aulas,
os estudantes também fazem passeios culturais monitorados, tornando o intercâmbio
uma experiência ainda mais enriquecedora. Aproximadamente 3.000 alunos já passaram
pelo programa, que oferece aos bolsistas as opções de frequentar cursos de inglês,
francês ou espanhol nos seguintes países: Estados Unidos, Nova Zelândia, Reino Unido,
Espanha, Chile, Argentina e França. Os candidatos selecionados são os que têm melhor
desempenho acadêmico em suas unidades de ensino. O programa oferece bolsas de
intercâmbio também para professores da rede.
n
bo
r
ou
eB
“O contato com outra cultura e a
oportunidade de conversar com nativos
da língua são experiências únicas para
qualquer estudante de idiomas”.
i
úr
i
m
ck
Al
(Secretário da Educação, professor Herman Voorwald)
@globalsp
o
ne
en
o
tã
pr
ín
e
cip
s
da
t
As
,
as
l
Fe
i
d
pe
“A polícia do Estado de São Paulo é a primeira
no Brasil que associa automaticamente os
seus bancos de dados de forma inteligente e
em tempo real.”
(Secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira)
24
25
25
Vacina HPV
“Poupatempo” do Imigrante
Laboratório norte-americano transfere tecnologia para o Instituto Butantan
O Centro Integrado da Cidadania do Imigrante (CIC), a ser inaugurado até ao final de 2014,
é um espaço, localizado na Rua Barra Funda, 1002, na capital, onde o imigrante poderá
buscar informações e conseguir, no mesmo local, toda a documentação necessária para
a sua integração e legalização no Brasil. Trata-se de um espaço de acolhimento, apoio e
informação com um atendimento humano e eficiente. Desenvolvido pela secretaria da
Justiça em parceria com as esferas municipal e federal, o CIC do Imigrante é um marco
inovador nas políticas públicas para imigrantes no Brasil.
O Instituto Butantan, um dos maiores centros mundiais de pesquisa biomédica do
mundo, passa a ser o responsável pela produção nacional da vacina contra o vírus HPV
em decorrência de um acordo inédito e exclusivo firmando em 2014 com o laboratório
norte-americano Merck Sharp & Dohme, atual fabricante da vacina. O processo de
transferência da tecnologia usada na fabricação do medicamento para o laboratório
paulista terá duração total de cinco anos e já foi iniciado. Aplicada gratuitamente pela
rede pública de saúde na população de pré-adolescentes, a vacina previne o câncer do
cólo de útero, o segundo tipo de tumor que mais atinge as mulheres brasileira, superado
apenas pelo câncer de mama. O Instituto Butantan, vinculado à secretaria estadual da
Saúde, irá construir um novo laboratório para comportar a produção da vacina.
)
lo
“Acreditamos que, em cinco anos,
consigamos dominar o processo”.
(Diretor do Instituto Butantan, Jorge Kalil)
Th
ia
go
Le
ite
/S
hu
tte
rs
to
ck
.co
m
www.saopauloglobal.sp.gov.br
t
Ar
S
“Será um local de referência na América
Latina”
e
us
M
e
ud
e
ed
u
Pa
ão
P
AS
(M
Secretária de Justiça e Defesa da Cidadania, Eloisa Arruda
26
27
27
Financiamentos externos
Conservação marinha
A região francesa Provence-Alpes-Côte d’Azur – PACA e o Estado de São Paulo mantêm
um acordo de cooperação para preservação de áreas costeiras marinhas. Como
resultado deste trabalho, foi publicado o livro “Conservação de áreas costeiras marinhas:
Intercâmbio São Paulo/Brasil-PACA/França”, que retrata todos os ensinamentos dos
aportes desta parceria e permite sua difusão.
Desde 2011, o estado de SP contratou R$ 8,8 bilhões em financiamentos externos com
os organismos internacionais: Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, Banco
Mundial, Japan International Cooperation Agency – JICA, Corporación Andina de Fomento
– CAF e Agência Francesa de Desenvolvimento – AFD. Os investimentos estão sendo
aplicados nos projetos: Várzeas do Tietê, Rodoanel Mário Covas, Trem para Guarulhos,
Gestão da Saúde, Programa de Redução de Perdas e Eficiência Energética da SABESP,
Macrodrenagem e Modernização das Rodovias. Os financiamentos externos são geridos
pela secretaria da Fazenda.
01
m
ae
o
çã
da
L
,
uz
g
au
in
ad
ur
19
ta
Es
Treinamento Policial
Em parceria com o Federal Bureau of Investigation (FBI) e outras agências dos EUA,
cerca de 350 policiais civis e militares participaram de 8 programas de treinamento em
gerenciamento policial, garantindo o constante aprimoramento da força de segurança
paulista.
Th
ia
go
Pacto Global
Le
ite
/S
hu
tte
rs
to
ck
Em 2014, o estado de São Paulo aderiu ao Pacto Global, iniciativa da ONU para encorajar
empresas e entidades públicas a adotar políticas de responsabilidade social corporativa
e sustentabilidade. Os membros do Pacto estabelecem o compromisso de seguir
dez princípios nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e combate à
corrupção.
.co
m
@globalsp
28
29
29
Rede de energia
Biodiversidade
O Museum national d’Histoire Naturelle de Paris e o Instituto de Botânica, órgão público
vinculado à secretaria do Meio Ambiente, acordaram em recriar a expedição ao Brasil do
naturalista francês Auguste de Saint-Hilaire (século XIX). O projeto tem como objetivo
medir, por meio da criação de um herbário, a evolução da biodiversidade do Estado de
São Paulo, relacionando-a com o desenvolvimento da atividade humana. É a primeira vez
que uma comparação de dados históricos e dados atuais é feita em tamanha escala.
Criada em 2013 por cientistas e instituições dos sete governos subnacionais membros
do Regional Leaders Summit, a Rede de Energia tem por objetivo desenvolver novos
projetos e produtos comuns em energias renováveis e eficiência energética, além de
disseminar tecnologias sustentáveis. A coordenação científica deste grupo está a cargo
da FAPESP. Compõem a rede 250 cientistas.
ta
lis
au
aP
id
am
uz
Cultura
A secretaria de Cultura e o British Council mantêm,
desde 2013, um programa de cooperação para
desenvolver ações conjuntas nas áreas de artes,
acessibilidade, educação musical e patrimônio
cultural. Esse acordo viabilizou a vinda de artistas
com deficiência para a Mostra +Sentidos. A
Pinacoteca e o Projeto Guri também desenvolvem
parcerias com instituições culturais britânicas.
Fi
lip
/S
hu
tte
rs
to
Expo 2020
O governo de São Paulo, juntamente com o governo federal e a prefeitura de São
Paulo, uniram esforços para preparar e defender a candidatura da cidade de São Paulo
à Exposição Universal 2020. O desenvolvimento da candidatura e a participação e
organização de inúmeros eventos paralelos constitui-se como um valioso legado para a
cidade e o estado.
eF
ra
za
o
r
sc
re
st
de
Pe
n
ve
aA
ck
.co
m
www.saopauloglobal.sp.gov.br
30
31
31
Iniciativa Metropolis
Diálogo virtual
Inédito no país, projeto piloto “Diálogo Virtual” é um convênio entre a secretaria da
Administração Penitenciária e o governo do Reino Unido que permite a cidadãos
britânicos que cumprem pena em presídios paulistas comunicarem-se via Skype com
suas famílias no Reino Unido.
A atuação do governo paulista na rede mundial de cidades Metropolis mobilizou
19 regiões metropolitanas em 7 diferentes países, com o objetivo de disseminar as
melhores práticas na área de governança e alternativa de financiamento de projetos
metropolitanos. O resultado desse trabalho foi sintetizado em um Estudo Comparativo
(Eng/Pt) elaborado pela Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano – Emplasa.
s
ra
ei
e
m
u
on
M
às
B
Planejamento Metropolitano
Acordo assinado em 2013 entre a Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano –
EMPLASA e o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos – ONUHabitat levou à implementação de instrumentos capazes de garantir o fortalecimento
da governabilidade no âmbito do Plano de Ação da Macro Metrópole Paulista – PAM.
Foram realizados 13 workshops com atores públicos e sociedade civil em diferentes
regiões metropolitanas do Estado.
Pesquisa aplicada
O Instituto de Tecnologia de Alimentos – ITAL, da secretaria de Agricultura e o reconhecido
Instituto Fraunhofer, da Alemanha, firmaram parceria para desenvolver pesquisas
conjuntas, com o objetivo de aumentar o valor agregado das cadeias agroindustriais em
produção de alimentos e embalagens, biomateriais e bioenergia. Um Centro de Projetos
Fraunhofer já está em operação no ITAL.
o
nt
d
an
AC
S
ilv
a
@globalsp
32
33
33
Missões estrangeiras e delegações
atendidas pela Investe SP
197
236
266
2011
2012
2013
193
2014
(until september/2014)
Investe
São Paulo
ss
ua
ph
ot
os
/S
hu
tte
rs
to
ck
Responsável pela
atração de investimentos
externos, a Investe São
Paulo é a porta de entrada
das empresas que pretendem se
instalar no Estado ou expandir seus
empreendimentos. Entre janeiro de
2011 e outubro de 2014, 82 empresas
anunciaram investimentos no
Estado com o apoio da Agência,
gerando 38.747 empregos
diretos e R$ 20 bilhões em
investimentos.
Como reflexo do interesse despertado pelo Brasil e pelo Estado de São Paulo, em
particular, no cenário mundial, a Investe SP recebeu neste período 869 delegações
estrangeiras, assinou 27 protocolos de cooperação com instituições de diversos países
e realizou 38 missões ao exterior.
Contatou 3.331 diferentes empresas, das quais 1.232 (37%) foram identificadas como
potenciais investidoras e 280 (8%) se tornaram projetos de investimento.
Fez 988 atendimentos às prefeituras com o objetivo de assessorar e capacitar
representantes municipais sobre boas práticas para atração de investimentos.
Programa de intercâmbio de funcionários
Desde 2012, a Investe São Paulo seleciona funcionários para participar de intercâmbios
em agências de promoção de investimentos de outros países, com o objetivo de
compartilhar experiências e boas práticas e visitar clientes com interesse de investir no
Brasil. Já foram realizados intercâmbios com as agências Jetro (Japão), Kotra (Coreia do
Sul), UKTI (Reino Unido) e AICEP (Portugal).
.co
m
www.saopauloglobal.sp.gov.br
Fábrica da Chery Brasil inaugurada em Jacareí
34
35
35
Produção Científica
Responsável por 50% do conhecimento criado no Brasil, o Estado de São Paulo é
reconhecido como um pólo mundial de produção científica. Neste contexto, a FAPESP
emerge como uma das principais agências de fomento de pesquisa e inovação da
América Latina. Exemplos de atuação da FAPESP podem ser encontrados em milhares de
pesquisas, entre as quais as que envolvem vacinas contra Aids, tratamento para o câncer,
produtividade da cana de açúcar, materiais para indústria aeronáutica e automobilística
e qualidade de vida nas metrópoles.
FAPESP
Agência paulista de fomento à
pesquisa científica amplia sua presença
no cenário mundial
No período de 2011 a outubro de 2014, a FAPESP assinou 80 acordos de cooperação
internacional com instituições de 16 países, ampliando ainda mais sua presença no
cenário mundial de fomento à pesquisa e investigação científica. Neste período, foram
selecionados e apoiados 364 projetos desenvolvidos em cooperação com pesquisadores
dos seguintes países: Alemanha (14 projetos); Argentina (39); Austrália (3); Canadá (28);
Chile (3); Dinamarca (7); Espanha (10); EUA (114); Finlândia (5); França (47); Holanda (14);
Israel (5); Portugal (1); Reino Unido (74).
Desde 2011, a FAPESP também tem realizado uma série de simpósios internacionais
denominados FAPESP Week, com o objetivo de promover o intercâmbio científico
entre cientistas e aproximar as instituições de pesquisa paulistas com as locais. Foram
organizadas FAPESP Week em Washington (2011), Cambridge/Toronto, Madri/Salamanca
(2012), Tóquio, Londres e Carolina do Norte (2013), Beijing, Munique e Califórnia (2014).
R$ 3,9 bilhões
é a receita da FAPESP *
*período de 2011 até setembro de 2014
Iva
nP
av
lo
v/
Sh
utt
er
st
oc
k.c
om
Com apoio da FAPESP no Programa BIOTA-FAPESP, de pesquisas sobre a biodiversidade, e da National Science
Foundation (NSF), agência federal norte-americana de fomento à pesquisa, cientistas da Universidade de São Paulo
@globalsaopaulo
e da City University of New York e do Bothanical Garden of New York desenvolvem modelos que permitem prever
como as espécies da Mata Atlântica vão reagir às mudanças no clima e no uso do solo.
37
37
M
F a
A p
P a
E
S
P
36
www.saopauloglobal.sp.gov.br
38
39
39
Nota fiscal paulista
O programa da Nota Fiscal Paulista, criado em 2007 pela secretaria estadual da Fazenda
para incentivar a população a exigir a emissão do cupom fiscal ao fazer suas compras
e assim combater a sonegação do ICMS, serviu de inspiração para Portugal implantar
a “Fatura da Sorte”, um projeto que visa aumentar a arrecadação do principal tributo
português, o Imposto sobre Valor Agregado (IVA). Aqui como lá, os programas se utilizam
de sorteios para sensibilizar os consumidores a pedir nota fiscal usando o CPF.
Made in SP
As políticas públicas desenvolvidas pelo
Estado de São Paulo têm despertado um
forte interesse da comunidade internacional
e várias delas passaram a ser compartilhadas por
muitos países, tornando-se verdadeiros produtos
paulistas de exportação.
Veja alguns exemplos.
Cana de Açúcar
Th
ia
A cooperação do Instituto Agronômico de Campinas – IAC, vinculado à secretaria
de Agricultura, com o México continua gerando novos frutos. Para enfrentar a baixa
produtividade e a ocorrência de doenças nos canaviais daquele país, a expertise do órgão
paulista foi requisitada para desenvolver novas variedades de mudas de cana de açúcar.
Elas estão sendo exportadas para o estado de Veracruz juntamente com inovadoras
tecnologias para alavancar a produtividade dos canaviais mexicanos e orientar a
expansão do seu cultivo. Esta parceria se aprofundou em 2013, quando pesquisadores
do IAC receberam a visita de Associação de Produtores de Veracruz.
go
Le
ite
/S
hu
tte
rs
to
ck
.co
m
A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP dá consultoria em uso racional da água, planejamento e gestão ambiental e operacional no Panamá e presta assistência técnica para modernização do sistema de água e esgoto, em Honduras.
40
Gestão Pública
41
41
Saúde infantil
Uma missão de técnicos da Fundação do Desenvolvimento
Administrativo – FUNDAP promoveu a capacitação de 36
servidores públicos e diretores de planejamento, orçamento
e recursos humanos do governo de Cabo Verde com foco em
gestão para resultados.
Com o objetivo de reduzir casos de má nutrição e nanismo,
a Armênia quer adotar programas paulistas de saúde
materno-infantil, com foco no atendimento à gestante e
recém-nascidos. A UNICEF apoia a parceria.
Água
Gestão de Resíduos
A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São
Paulo - SABESP dá consultoria em uso racional da água,
planejamento e gestão ambiental e operacional no Panamá
e presta assistência técnica para modernização do sistema
de água e esgoto, em Honduras.
A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental
– CETESB, ligada à secretaria do Meio Ambiente, presta
assistência técnica na gestão de resíduos perigosos e de
áreas contaminadas a países africanos que desenvolvem
políticas para eliminação de Poluentes Orgânicos
Persistentes (POPs).
Habitação
Sanidade animal
O governo de Angola recebeu orientação técnica da
Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano –
CDHU para recuperação urbana do município de Cazenga
e dos distritos de Sambizanga e Rangel, áreas situadas no
anel periférico de Luanda, a capital do país.
Cinco laboratórios móveis de sanidade animal da secretaria
de Agricultura foram enviados para a Guiné Equatorial para
alavancar a criação de bovinos e caprinos. Veterinários
paulistas também capacitaram técnicos locais.
@globalsaopaulo
42
43
43
Acessa São Paulo
O Acessa São Paulo, programa de inclusão digital do governo paulista, foi o vencedor
da 14ª edição do prêmio “Acesso ao Conhecimento”, considerado o Nobel da inclusão
digital e outorgado anualmente pela Fundação Bill & Melinda Gates. O Acessa SP, que
concorreu com outras 300 candidaturas de 56 países, levou em 2013 o prêmio de US$
1 milhão para investir diretamente no programa, além de US$ 8 milhões em softwares,
doados pela Microsoft, parceira da fundação Gates. Essa premiação, ocorrida em
Cingapura, reconheceu o esforço inovador do Acessa SP de conectar o usuário à
internet gratuitamente, abrindo oportunidades de bem-estar social e econômico para a
população.
lo
3
a2
de
o,
M
ai
Sã
u
as
on
az
e
ld
au
oP
n
id
en
Av
Reconhecimento
Ao se abrir para o mundo, os
programas e ações do governo
paulista passaram a ser objeto de
análise e interesse internacionais.
Conheça várias destas políticas e
projetos que acabaram consagrados
no exterior por meio de
premiações e certificações
Sustentabilidade
Fi
lip
Em junho de 2013, a liderança do governador Geraldo Alckmin nas áreas de meio
ambiente, desenvolvimento sustentável e mudanças climáticas obteve reconhecimento
internacional. Ele venceu a edição 2012 do prestigioso South Australian International
Climate Change Leadership Award, prêmio criado em 2009 pela Austrália do Sul (estado
australiano). Como vencedor, Alckmin teve uma área do Parque Nacional Onkaparinga,
na cidade de Adelaide, na Austrália, batizada com seu nome. Em outros anos, o Prêmio
reconheceu o Governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, o Premiê do Quebéc,
Jean Charest, o Primeiro Ministro (First Minister) da Escócia, Alex Salmond e o
Governador de Nova York, Andrew Cuomo.
eF
ra
za
o
/S
hu
tte
rs
to
ck
.co
m
44
45
45
Programa
Serra do mar
Investimentos
São Paulo conquistou o 1º lugar no ranking dos “South
American States of the Future (2014/2015)” publicado
pela FDI Magazine, uma revista do grupo Financial Times.
Foram analisados dados econômicos e sociais de 237
estados e províncias da América do Sul em cinco categorias
quantitativas: potencial econômico, custo-benefício,
infraestrutura, capital humano e ambiente de negócios
amigável. São Paulo atingiu o 2º lugar em capital humano e
ambiente de negócios, e o 1º lugar em potencial econômico
e no ranking geral.
Sustainable Social Housting Initiative (Sushi) - 2012:
Condomínio Rubens Lara eleito pela ONU como referência
internacional em práticas ambientais.
Defesa civil
Igualdade
de gênero
Certificação de Estado Resiliente - 2013: Estado de SP é
reconhecido pela ONU (UNISDR) por auxiliar os municípios
na redução de desastres naturais.
Prêmio Banco Mundial – 2014: O “Programa Bem-meQuer”, mantido pelas secretarias da Saúde e Justiça, venceu
concurso do Banco Mundial de iniciativas regionais para
promover a igualdade de gênero na América Latina e no
Caribe, na categoria “violência de gênero”. Criado em 2001, o
“Bem-me-Quer” é gerido pelo Hospital Pérola Byington e já
realizou cerca de 30 mil atendimentos.
Monotrilho
União Internacional dos Transportes Públicos - 2013:
Entidade premiou o estado de SP pelo projeto da Linha 15
do Metrô na categoria inovação.
www.saopauloglobal.sp.gov.br
Symantec Visionary Awards - 2013: Centro Paula Souza premiado pelo projeto de segurança da informação e
unificação da comunicação.
46
Investe SP
47
47
Turismo
IPA Innovation Awards - 2013: Investe SP ganha na categoria
“melhor prática/troca de experiências” da revista britânica
FDI Magazine.
Valor da Gastronomia Regional - 2013: São Paulo recebe
premiação da Associação para a Promoção da Gastronomia
e Vinhos, Produtos Regionais e Biodiversidade (AGAVI), em
Portugal, por promover o turismo gastronômico no estado.
SABESP
Linha 4
Prêmio Ouro de Gestão de Qualidade 2013: A SABESP é
a primeira empresa do setor a receber essa premiação da
Secretaria Geral Ibero-Americana.
Gold Recognition - 2013: A Linha 4 do Metrô foi eleita pelo
Banco Mundial a melhor PPP da América Latina e Caribe.
Primeiríssima
Infância
Paula Souza
Symantec Visionary Awards - 2013: Investe São Paulo
ganha na categoria “Melhor prática/Troca de experiências”
da revista britânica FDI Magazine.
Prêmio Alas - BID - 2014: O Programa “Primeiríssima
Infância”, da secretaria da Saúde, venceu na categoria “Best
Innovation Award”.
@globalsp
49
49
M
p a
ar p
a
c
e de
ir
o
s
48
Arábia Saudita
Armênia
Azerbaijão
Bangladesh
Catar
China
Cingapura
Coréia do Sul
Emirados Árabes
Filipinas
Índia
Indonésia
Iraque
@globalsaopaulo
Israel
Japão
Líbano
Mongólia
Myanmar
Nepal
Omã
Paquistão
Rússia
Síria
Tailândia
Timor Leste
Vietnam
O Estado de São Paulo tem
relações com 116 países,
materializadas na adoção de
programas, projetos e ações
de cooperação, ou em visitas
técnicas e diplomáticas.
50
51
51
o
ai
da
o
V
ã
is
na
no
r
tu
ni
ve
aA
23
M
de
SP participa de 14 redes
d
1. ALAMYS (Associação Latino-Americana de Metrôs e Subterrâneos)
Redes
internacionais
2. CIDEU (Centro Ibero-americano para o Desenvolvimento Estratégico Urbano)
Redes e fóruns são estruturas
de cooperação multilateral nas
quais participam governos locais
(cidades e estados). São Paulo é o
governo subnacional no mundo
que participa em mais redes de
governos subnacionais.
3. CoMET (Comitê de Metrôs)
4. Fórum Mundial de Regiões
5. ICLEI (Governos Locais pela Sustentabilidade)
6. Mercocidades
7. Metropolis
8. nrg4SD (Rede de Governos Locais para o Desenvolvimento Sustentável)
9. ORU-FOGAR (Organização das Regiões Unidas)
10.R20 (Regiões de Ação Climática)
11. Regional Leaders Summit (Cúpula de Líderes Regionais)
12.The Climate Group
13.UITP (Associação Internacional do Transporte Público)
14.Urban Age
AF
NR
/S
hu
tte
rs
to
ck
.co
m
www.saopauloglobal.sp.gov.br
52
53
53
Regional Leaders
a
er
pu
ira
b
oI
Em abril de 2012, o Palácio dos Bandeirantes sediou a VI Cúpula de Líderes Regionais, que
reuniu representantes de sete governos subnacionais para debater energia sustentável
baseada na inovação e pesquisa. Os participantes foram Baviera (Alemanha), Alta Áustria
(Áustria), Québec (Canadá), São Paulo (Brasil), Shandong (República Popular da China),
Geórgia (EUA) e Província do Cabo Ocidental (África do Sul). No encontro, o governador
Geraldo Alckmin lançou o Programa Paulista de Biocombustíveis para incentivar e
ampliar a participação de combustíveis renováveis em órgãos, autarquias e fundações
estaduais.
d
ue
q
go
La
r
Pa
do
Eventos
O Governo de São Paulo
e todas suas 26 secretarias
estaduais organizaram ou
participaram de 104 eventos no Brasil
e no exterior desde 2011, refletindo
o dinamismo que tomou conta
da agenda internacional da
administração paulista neste
período.
Fórum Urbano Mundial
O Estado de São Paulo liderou o debate sobre planejamento metropolitano no 7º Fórum
Urbano Mundial (WUF), ocorrido em abril de 2014, em Medellin na Colômbia. O evento,
promovido a cada dois anos pela ONU-Habitat, contou com a participação de 150 países.
A mesa coordenada pela Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano – Emplasa,
órgão vinculado à Casa Civil, reuniu especialistas do Brasil, EUA, Canadá e Colômbia.
Em 2012, São Paulo coordenou uma mesa no 6º WUF, na Itália, onde compartilhou as
experiências de PPPs. A mesa contou com especialistas da Espanha, África do Sul,
México e Reino Unido.
Fi
lip
eF
ra
za
o
/S
hu
tte
rs
to
ck
.co
m
54
55
55
Atlântico
RIO+20
Em 2012, o Palácio dos Bandeirantes foi palco para o
lançamento mundial da Atlantic Basin Initiative (Iniciativa
da Bacia do Atlântico), que reuniu líderes políticos
europeus, africanos, latinoamericanos e norteamericanos
para analisar a dinâmica própria do Oceano Atlântico em
termos econômicos, sociais e políticos. O Grupo de Pessoas
Eminentes é liderado pelo ex-Primeiro Ministro da Espanha,
José Maria Aznar.
Em junho de 2012, o governador Alckmin participou da
Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento
Sustentável (Rio +20). Na ocasião, apresentou a estratégia
paulista nesta área até 2020.
Universidades
Palcos internacionais
A nova política de relações internacionais do estado de São
Paulo foi apresentada em diversos fóruns internacionais,
incluindo no World Economic Forum Latin America, no
Panamá (2014) e no Brazil Business Summit, evento
organizado pela revista The Economist, em Paris (2014).
Entre 2011 e 2014, o Assessor Especial Rodrigo Tavares deu
palestras em várias universidades e centros de ensino no
estado de São Paulo (FGV, USP, Senac, Santa Marcelina,
USC-Bauru, PUC-SP, ESPM) para apresentar as relações
internacionais do Estado de São Paulo.
Fórum de Cooperação
Internacional
Anos da Itália, Portugal,
Alemanha e Qatar
O Fórum corresponde a uma série de eventos, que foram
realizados pela Assessoria Especial para Assuntos
Internacionais em conjunto com secretarias de estado,
com o objetivo de divulgar e promover internacionalmente
as atividades do governo paulista. O tema escolhido para
o primeiro fórum foi “Investimentos” (em 2011), enquanto
a segunda edição foi focada em “Meio Ambiente e
Sustentabilidade” (2012). Os Fóruns contaram com ampla
participação da comunidade diplomática residente em SP.
Para celebrar os anos da Itália (2011-2012), Portugal (20122013), Alemanha (2013-2014) e Qatar (2014) no Brasil, o
Governo de SP organizou extensas programações culturais
e econômicas compostas de largas dezenas de ações
realizadas na capital e no interior de São Paulo.
www.saopauloglobal.sp.gov.br
56
57
57
Tour Consular
Caminhos da água
Em 2014, o Governo ofereceu ao corpo consular residente no estado
um tour exclusivo e customizado para apresentar equipamentos e
programas do Governo de excelência mundial, que incluíram o Museu
da Imigração, o Instituto Butantan, o Centro de Operações da Polícia
Militar – COPOM e o monotrilho (linha 15-Prata).
O seminário “Desenvolvimento Sustentável: Qualidade
e Caminhos da Água”, ocorrido em 2014, gerou troca de
experiências entre São Paulo e Île-de-France.
Aula SP
Desde 2012, a convite da secretaria de Desenvolvimento Metropolitano,
São Paulo tem recebido a visita de especialistas em desenvolvimento
urbano de renome internacional, que apresentam boas práticas
mundiais em planejamento urbano e governança metropolitana,
experiências que podem ser aplicadas no contexto das regiões
metropolitanas do Estado de São Paulo. Foram organizadas Aulas,
por exemplo, com Randy Blankenhorn, diretor executivo da Agência
de Planejamento Metropolitano de Chicago e Alexandros Washburn,
diretor de Design da Prefeitura de Nova Iorque.
Empregabilidade
O Governo de SP lançou, em um evento organizado em 2013,
em parceria com a PwC Brasil, um estudo sobre mercado de
trabalho de pessoas com deficiência para estimular o setor
privado a contratar essa mão de obra.
Crimes
Transnacionais
Em setembro de 2014 foi organizado o Seminário Internacional de
Cooperação Contra Crimes Transnacionais, a partir de uma parceria
entre a secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, o ConsuladoGeral dos EUA e a Assessoria Especial para Assuntos Internacionais.
Por meio da troca de experiências em atuações de sucessos, o
seminário debateu as possibilidades de enfretamento aos crimes
que envolvem outras nações além do Brasil. Participaram das mesas
profissionais envolvidos em investigações transnacionais.
Intercâmbio
Universitário
Pesquisadores e estudantes da Universidade do Sul da
Califórnia (EUA) visitaram, em 2014, experiências paulistas
exitosas na área de desenvolvimento metropolitano. Foram
organizados vários eventos de debate e apresentações.
Paradiplomacia
O I Fórum Universitário de Paradiplomacia do Brasil reuniu mais de 200
estudantes de Relações Internacionais durante dois dias no Palácio
dos Bandeirantes, em 2014.
@globalsp
58
59
59
Rodoanel Norte
Em 2012, o governador Alckmin esteve em Washington para assinatura do contrato de
financiamento do Rodoanel Norte com o BID. Também participou, como convidado de
honra, de um seminário comercial na Câmara de Comércio Americana (U.S. Chamber),
onde concedeu palestra para cerca de 100 das maiores empresas dos EUA sobre
oportunidades de investimentos no Estado de SP.
Missões no
exterior
Como reflexo de sua pioneira
política de internacionalização, o
governo de São Paulo organizou 230
missões ao exterior nos últimos 4 anos,
contribuindo com a inserção do estado
no cenário global e extraindo boas
práticas mundiais que beneficiem
a população.
Road Show
Liderada pelo vice-governador Guilherme Afif Domingos, delegação paulista apresentou,
em 2013, um portfólio de oito projetos de PPP (Parcerias Público-Privadas) no valor
de US$ 20 bilhões para potenciais investidores na City of London, o centro financeiro
londrino. O evento constou da agenda oficial do governo britânico, um dos parceiros da
missão, e atraiu cerca de 40 representantes de empresas, bancos, consultorias e fundos
britânicos ou com representação na capital inglesa. A comitiva de São Paulo foi recebida
em audiência pelo ministro britânico de Comércio e Investimentos do Reino Unido, Lord
Green of Hurstpierpoint.
Tu
p
un
ga
to
/S
hu
tte
rs
to
ck
.co
m
60
Deficiência
61
61
Logística
A secretaria de Direitos da Pessoa com Deficiência
esteve no Japão para conhecer as aplicações e pesquisas
na área da robótica de reabilitação, além de explorar as
possibilidades de importação de robô para recuperação de
pacientes com paraplegia.
O presidente da Companhia Docas de São Sebastião, Tércio
Carvalho, participou de treinamento no Porto de Antuérpia
(Bélgica), em novas tecnologias de gestão portuária,
integrando missão da secretaria de Portos da União.
Habitação
Saneamento
Em 2013, Silvio Torres, então secretário de Habitação,
apresentou o projeto paulista de financiamento de moradia
popular no centro paulista no World Mayors Forum, em
Bilbao, e para pesquisadores, em Washington, no Brazil
Institute do Woodrow Wilson Center.
A secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos
apresentou, no 6º Fórum Mundial de Água, em Marselha
(França), os programas do estado de São Paulo na área
ambiental, como o “Se liga na Rede”, que faz a ligação
gratuita de esgoto para famílias de baixa renda.
Segurança
Missão das secretarias de Segurança Pública e Planejamento
e da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais
visitou os centros de segurança e controle do departamento
de Polícia de Nova York (NYPD), da britânica Scotland Yard,
em Londres, e do Serviço Europeu de Polícia – Europol e do
General Intelligence and Security Service (AIVD), ambos na
Haia, na Holanda. A missão foi realizada em 2013 e levou à
adoção, em 2014, de um novo sistema de inteligência policial
pela secretaria de Segurança Pública de São Paulo.
Energia
Técnicos da secretaria de Energia estiveram em Île-deFrance para conhecer experiências francesas nas áreas de
eficiência e gestão energética, bem como desenvolvimento
de energia térmica e fotovoltaica, utilizando-se de
tecnologias de ponta.
www.saopauloglobal.sp.gov.br
62
63
63
Visitas
oficiais
O governador Geraldo Alckmin manteve audiências com 22 Chefes de Estado e de
Governo, tornando-se um dos líderes latino-americanos que mais recepcionaram altas
autoridades. Outros três ex-Chefes de Estado e de Governo foram recebidos pelo
governo paulista. No total, entre 2011 e 2014, o governo de São Paulo recebeu 1595
delegações estrangeiras.
ch
un
gk
in
g/
Sh
utt
er
st
oc
k.c
om
64
José
Mujica
Presidente do Uruguai
2011
François
Fillon
Primeiro-Ministro
da França
Stephen
Harper
Primeiro Ministro
do Canadá
2012
Viktor
Yanukovych
Presidente da Ucrânia
Xanana
Gusmão
Primeiro-Ministro
do Timor Leste
Christian
Wulff
Presidente da
Alemanha
65
65
2013
Fredrik
Reinfeldt
Jorge
Carlos
Fonseca
Primeiro Ministro
da Suécia
Valdis
Dombrovskis
Primeiro Ministro
da Letônia
2014
Presidente de
Cabo Verde
Enrique
Peña Nieto
Anibal
Cavaco Silva
Presidente de Portugal
Presidente do México
Albert II
Príncipe de Mônaco
Michael D.
Higgins
Jyrki
Katainen
Presidente da Irlanda
Primeiro Ministro
da Finlândia
Nika Gilaur
David
Johnston
Governador Geral do
Canadá
Primeiro Ministro
da Geórgia
David
Cameron
Primeiro Ministro
do Reino Unido
François
Hollande
Willem Alexander*
Presidente da França
Príncipe Herdeiro
da Holanda
Shinzo Abe
*assumiu o trono em abril/2013
Primeiro Ministro do Japão
Nikola
Gruevski
Primeiro Ministro
da Macedônia
@globalsaopaulo
Felipe de
Bourbon*
Príncipe das Astúrias
*assumiu o trono em junho/2014
67
67
E
g m
rá
fi
c
o
s
66
2011_________________402
Audiências internacionais
2012_________________392
2013 _________________486
2014_________________315
2011_________________44
Missões internacionais
Total
2012_________________99
1595
2013 _________________63
2014_________________24
Total
230
2011_________________21
Eventos internacionais
2012_________________17
Total
104
2013 _________________34
2014_________________32
Total
234
2011_________________62
Acordos internacionais
2012_________________73
2013 _________________57
2014_________________42
@globalsp
Dados de Janeiro de 2011
a outubro de 2014.
68
69
69
Informação
Democratização do acesso no exterior a informações sobre o Estado de
São Paulo através de várias ferramentas de comunicação.
le
un
gc
ho
pa
n/
Sh
utt
er
st
oc
k.
co
m
@globalsp
70
71
71
Conectando
São Paulo
Para divulgar as atividades do governo paulista no campo das relações externas,
foram criados canais específicos de comunicação, como o site internacional em cinco línguas
(português, inglês, francês, alemão e espanhol), a Newsletter das Relações Internacionais e
um perfil no Twitter. Os esforços para projetar São Paulo incluíram ainda a edição do folder
“Um Mundo Chamado São Paulo”, que traz informações relevantes do estado sobre indústria,
turismo, negócios, cultura, energia e meio ambiente. Também foram lançadas duas coleções
com os programas que mostram a liderança de São Paulo.
Ca
p
as
d
ea
lg
um
as
pu
bl
ica
çõ
es
da
As
se
s
so
ria
Es
pe
cia
l
A publicação de artigos em veículos internacionais e a organização de “press trips” com
correspondentes estrangeiros igualmente contribuíram com a estratégia de expor ao mundo
as boas práticas do governo paulista e sua forte atuação na área da paradiplomacia.
Portal Internacional do Governo do Estado de SP
www.saopauloglobal.sp.gov.br
Twitter oficial @globalsp
www.saopauloglobal.sp.gov.br
Coleção de folders das ações do governo
de SP em diversas áreas
73
Thiago Leite / Shutterstock.com
Av. 23 de maio - São Paulo
72
Entre 2011 e 2014 trabalharam na Assessoria Especial para Assuntos Internacionais
(incluindo estagiários e staff administrativo):
Aline Domingos, Ana Carolina Conde, Ana Paula Rangel, André Reis, Andrey Brito,
Beatriz Sandoval, Carolina Blandino, Claudia Aparecida, Danielle Cunha, Elisabeth Costa,
Fernanda Cassiano, Fernanda Leite, Gala Dahlet, Helena Monteiro, Liliane Pereira, Lucas
Sobral, Luiza Munhós, Marcela Garcia Fonseca, Marcelo David Pawel, Mariana Pace,
Marly Soares, Rafael Pinheiro, Raphael Camargo, Rodrigo Tavares, Sabrina Batel, Sérgio
Pardubsky, Stella Monlevade, Sulimara Takahashi e Viviane Sá.
Portfólio de Ações 2011-2014
Coordenador Geral:
Marcelo David Pawel (Assessoria Especial para Assuntos Internacionais)
Coordenadora de Marketing:
Mariana Montoro Jens (Subsecretaria de Comunicação)
Arte e Projeto Gráfico
Fotos: Adriana Mattoso, Antonio Carriero, Camilla Carvalho, Cris Castello Branco, Célio
Haddad (Departamento de Biociências – Unesp Rio Claro), Diogo Moreira, Edson Lopes
Jr, Eliana Rodrigues, Francisco Rosa, José Luiz da Conceição e Tamires Santos.
Fotos/Divulgação: A2 Fotografia, Acadepol, CDHU, Centro Paula Souza, Digna Imagem,
FAAP, FAPESP, Governo Qatar, Governo Britânico, Hospital Perola Byington, Instituto de
Botânica, Investe São Paulo, Museu da Imigração, Sabesp, SAP, Secretaria da Agricultura
e Secretaria da Cultura.
Fotos complementares: editoriais da Shutterstock.com
Viviane Goulart
Assistente de Comunicação e Designer
Carolina Blandino
Assistente Editorial
Andrey Brito
Novembro 2014 – 1ª edição
Palácio dos Bandeirantes
Av. Morumbi, 4500 - Morumbi - São Paulo - SP - Brasil
www.saopauloglobal.sp.gov.br