A Rotam Confere Nova Dimensão aos Genéricos

Сomentários

Transcrição

A Rotam Confere Nova Dimensão aos Genéricos
"A Rotam Confere
Nova Dimensão aos
Genéricos"
"É possível que uma empresa de genéricos
inove uma molécula cuja patente já
expirou? James Bristow, Gerente Geral
da Divisão Internacional de Produtos
Agroquímicos da Rotam, expõe seu ponto
de vista ao repórter Sanjiv Rana."
Matéria publicada na revista
AGROW - N° 545 - 13 DE JUNHO DE 2008
Se há algo que James Bristow, Gerente Geral da
Divisão Internacional de Produtos Agroquímicos
da Rotam, tem convicção é de que nem todas as
empresas que utilizam componentes ativos com
patentes expiradas devem ser agrupadas como
“empresas de genéricos”.
James Bristow acredita que “o fato da patente
de um produto haver expirado não significa
necessariamente o fim de seu ciclo evolutivo”.
Ele acredita que a expiração das patentes dos
componentes ativos originais cria enormes
oportunidades nas áreas de pesquisa e
desenvolvimento. Em sua opinião, isso conduz ao
aprimoramento dos produtos, o que gera resultados
surpreendentes. Com sua experiência em bioquímica
e em química ambiental ele sabe o que está falando.
www.rotam.com
PÁGINA 1
Ele prefere descrever a Rotam como
uma empresa de “produtos proprietários
inovadores com patentes expiradas” já
que ela é responsável por “muito mais do
que simplesmente a produção em massa
de moléculas cujas patentes já expiraram”.
Ao comentar sobre a indústria mundial de
produtos agroquímicos, James Bristow afirma
que aproximadamente 25% do mercado
consistem de produtos patenteados, 35%
de produtos genéricos e 40% de produtos
proprietários com patentes expiradas.
“Trabalhamos principalmente no terceiro
setor do mercado”, ele afirma. Ele explica que
embora a área de produtos proprietários
com patentes expiradas seja dominada pelas
empresas criadoras de tais produtos, a Rotam
concentra-se em garantir sua participação no
mercado nessa área através de marketing e de
valor agregado.
James Bristow revela que a Rotam possui uma
grande divisão que trabalha com propriedade
intelectual e de patentes. “Rastreamos
patentes em todo o mundo e, em seguida,
estudamos a possibilidade de inovar produtos
cujas patentes estão prestes a expirar”. E ele
não se refere a pequenas cifras. A avaliação de
mercado da Rotam mostra que no período de
2006 a 2014, inseticidas totalizando US$ 2
bilhões, herbicidas totalizando US$ 1,75
bilhões e fungicidas totalizando US$ 1,8
bilhões terão suas patentes expiradas.
A Rotam inova um componente ativo
com patente expirada de várias maneiras.
“Podemos oferecer um sistema de entrega
diferenciado,
desenvolver
uma
nova
combinação de produtos, utilizar agentes
anti-cristalizantes mais modernos ou
inovar no sistema surfactante. Podemos
até mesmo analisar a possibilidade de
estabilização de estruturas através do
aprimoramento de seus componentes ativos.
Temos pouco interesse por um produto
que seja ‘lugar-comum’ a menos que seja
uma
composição
química
complexa”.
“No período de 2006 a 2014, inseticidas
totalizando $2 bilhões, herbicidas totalizando
$1,75 bilhões e fungicidas totalizando 1,8
bilhões terão suas patentes expiradas.”
James
Bristow
exemplifica
que
os
herbicidas de sulfoniluréia consistem em
um grupo de produtos que não podem
ser rotulados como commodities uma vez
que é necessário tomar muitos cuidados
de isolamento ao manuseá-los. No caso
do inseticida abamectina, ele afirma que a
Rotam começou a manufaturar tal produto
bem antes da Syngenta comprá-lo da Merck.
“Temos mais de dez anos de experiência
trabalhando com esse produto e possuímos
um mercado significativamente maior do
que a Syngenta em sua comercialização”,
ele afirma. A Rotam declara possuir 20-35%
de participação nos 35 mercados em que
negocia a abamectina. James Bristow afirma
que a experiência da Rotam com produtos
farmacêuticos garante-lhe expertise técnica.
A empresa começou a operar no ramo
de prdutos farmacêuticos na China , mas
transferiu sua base para Taiwan. Durante
a década de 1980, percebeu-se que a
China oferecia muitas vantagens como
base de produção. No ramo de produtos
agroquímicos a empresa optou por não
realizar parceiras como havia feito com
os produtos farmacêuticos. “Vimos que
as empresas mundiais de produtos com
patentes expiradas não estavam tão
evoluídas quanto as empresas farmacêuticas.
Havia uma porta se fechando – mas havia
uma chance de crescermos e de nos
tornamos a última das empresas mundiais
de produtos com patentes expiradas”.
Em 1990, a Rotam instalou a primeira unidade
de produção do inseticida metomil na
China que se expandiu em cinco fábricas
de manufatura na China, e uma na Índia..
Em 2007 as vendas mundiais de produtos
agroquímicos
da
Rotam
totalizaram
aproximadamente US$ 180 milhões.
O Mercado Chinês
James Bristow acredita que a China seja
uma base extremamente importante
para quem trabalha com produtos
agroquímicos uma vez que a maioria das
matérias-primas encontra-se disponíveis
no local. “Cerca de 70% das matérias-primas
de
que
necessitamos
encontram-se
disponíveis na China. Mesmo em nossa
fábrica na Índia, onde muitos produtos
químicos
podem
ser
encontrados,
PÁGINA 2
sempre será necessário algum tipo
de integração com algumas etapas
intermediárias desenvolvidas na China”.
Há mais de uma década a Rotam trabalha
para promover seu fortalecimento na China.
James Bristow julga que a compreensão
do mercado chinês possa ser um entrave.
Ele se refere às grandes variações nos
dados estatísticos disponíveis devido à
complexidade do mercado distribuído em
áreas de cultivo de pequena extensão que
elevam consideravelmente a quantidade
de pontos de dados. As estimativas sobre
o tamanho do mercado podem variar
bastante, mas as estimativas da Rotam para
o mercado distribuidor em 2007 são de US$
2,5 Bilhões. Os inseticidas são responsáveis
por 42% do mercado (abaixo dos 45%
em 2006), os herbicidas por 30% (igual a
2006) e os fungicidas por 27% (acima dos
23% de 2006). De um modo geral, a Rotam
divide o mercado em dois segmentos:
1. Vendas realizadas por empresas de
marca totalizando US$ 600 milhões, com
taxa de crescimento de 14% ao ano.
2. Vendas
realizadas
por
empresas
chinesas totalizando US$ 1,9 Bilhões,
com taxa de crescimento de 13% ao ano.
A Rotam trabalha no primeiro segmento
do mercado e, com as vendas realizadas na
China totalizando US$ 73 milhões, ela é a
terceira maior empresa nesse setor, sendo
precedida apenas pela Syngenta e pela
Bayer CropScience. Além de suas próprias
marcas, a Rotam também trabalha com
marcas de empresas como BASF, Nippon
Soda, Makhteshim-Agan Industries e Nihon
Nohyaku.
James Bristow acredita que devido à
proliferação de empresas de genéricos
secundárias, a China é provavelmente
o mercado mais difícil para se agregar
valor. Isso cria dificuldades visto que para
se obterem margens aceitáveis nesse
mercado é imprescindível agregar valor.
Espera-se que as modificações nas leis
colocadas em vigor pelo governo chinês no
final de 2007 propiciem o fortalecimento do
mercado. “Houve uma enchente de marcas
no mercado, o que gerou uma situação muito
confusa para os agricultores. A exigência para
que todas as empresas declarem o nome
genérico no rótulo é um passo na direção
correta já que acabará com a confusão”,
afirma James Bristow. Ele acredita que o
mercado esteja se encaminhando para
um ponto em que a marca corporativa do
produto torna-se cada vez mais importante.
“É quando o valor agregado por grandes
empresas se tornará mais do que apenas
um fator de diferenciação”, ele comenta.
James Bristow afirma que a proliferação de
empresas secundárias no mercado ocorreu
devido à leniência dos sistemas reguladores
assim como das normas ambientais. Há
algum tempo ele já tinha antevisto as
modificações atuais e preparou sua empresa
com antecedência. “Estamos na dianteira
em termos de rezoneamento e de outras
competências”, ele explica.
Os Jogos Olímpicos
catalisadores
como
agentes
A proximidade dos Jogos Olímpicos em
Beijing serviu como agente catalisador de
muitas mudanças. O governo realizou várias
modificações na legislação em vigor desde o
final de 2007. Passaram a vigorar novas normas
ambientais que ocasionaram o “rezoneamento”
das indústrias. Diversas empresas foram
forçadas a transferir suas áreas de produção
para outras zonas.
“Ele acredita que uma promessa seja os
fungicidas a base de estrobilurina, cuja maioria
das patentes começarão a expirar em 2009.”
Com a aproximação dos Jogos Olímpicos,
há também a moratória de novas licenças.
Mesmo a ampliação do volume de produção
para licenças de manufatura já existentes foi
temporariamente suspensa. James Bristow
afirma que esse é um dos principais motivos
para o aumento de preço do mais importante
herbicida no mundo, o glifosato. “A principal
alavanca é que o ciclo normal de ampliação do
volume de produção das plantas de glifosato
na China para acompanhar a demanda foi
paralisada porque não é permitido o aumento
da produção em conformidade com licenças”,
explica James Bristow.
PÁGINA 3
“Você pode ter uma licença embora possa ser
ordenada sua suspensão. Assim novos
licenciamentos para qualquer produto
químico foram suspensos”. Isso afetou
diretamente os produtos agroquímicos. Ele
diz que o preço do glifosato começou a
aumentar em agosto do ano passado, o que
ele relaciona com os Jogos Olímpicos uma vez
que “foi apenas na segunda metade de 2007
que a ação catalisadora dos Jogos Olímpicos
começou realmente a oprimir a China”.
James Bristow acredita que é um momento
interessante para atuar na China já que o custo
operacional real no país está sendo percebido.
Diversos produtores na China não estão
seguindo corretamente padrões ambientais,
controles de qualidade e procedimentos de
segurança. “Tudo isso custa dinheiro. Com
o cumprimento das leis, o custo real dos
produtos químicos irá se tornar visível”, diz
James Bristow.
A Fórmula 3D da Rotam
A fórmula tridimensional da Rotam para seu
sucesso no mercado chinês consistiu não
apenas da construção de instalações de
manufatura e de uma rede de distribuição,
mas também daquilo que James Bristow
denomina “complexo
industrial
leve”
compreendendo produção de embalagens,
sistemas de surfactantes, sistemas de entrega
e equipamentos. “A formulação, a embalagem
e os sistemas surfactantes podem destruir um
produto em termos de qualidade e de custos
tão facilmente como os componentes ativos”,
ele afirma.
Com essa filosofia, a empresa investiu não
apenas em integração reversa (síntese
de componentes ativos), mas também
em integração horizontal (manufatura
de embalagens de barreira especiais,
surfactantes e equipamentos industriais). O
ramo de embalagens da empresa totalizou
US$ 14 milhões em vendas no ano passado e a
previsão é de que cresça 25% ao ano. “80% de
todos os pesticidas líquidos exportados pela
China utilizam nossas embalagens”, declara
James Bristow.
Rumo ao Futuro
James Bristow demonstra estar bastante
confiante no ponto fundamental da estratégia
de crescimento da Rotam. “Todas as empresas
são dotadas de diferentes ciclos de evolução.
A Rotam apresenta em um crescimento
orgânico planejado com um grande ciclo de
investimento”.
Ele acredita que os fungicidas a base de
estrobilurina sejam promissores, cuja maioria
das patentes começarão a expirar em 2009.
A Rotam estima que em 2009 as vendas
de azoxistrobina girem em torno de US$
630 milhões. Segundo ele, devido a sérias
questões referentes à resistência a doenças,
a azoxistrobina consiste em uma classe de
produtos que poderia gerar problemas caso
se tornasse uma commodity. “Foi necessário
investir em muita P&D nos produtos com
patentes já expiradas para oferecermos
opções adequadas de composições com
outros fungicidas”, ele afirma.
As patentes dos inseticidas tiametoxam e
fipronil também irão expirar no período
entre 2009 e 2013. A Rotam estima que a
venda desses componentes ativos em 2009
seja de US$ 425 milhões e US$ 365 milhões,
respectivamente. James Bristow antecipa
que diversas empresas de genéricos irão se
arriscar em trabalhar com esses componentes
ativos sem levarem em consideração algumas
dificuldades relevantes existentes. Ele adianta
que “a idéia de entrada fácil no ramo dos
genéricos onde as empresas cresceriam
rapidamente operando em larga escala
apenas com algumas composições químicas
é coisa do passado”. Ele alerta que à parte as
questões referentes à resistência e segurança,
existe uma teia de patentes subsidiárias para
todos os componentes ativos. Assim, embora
as patentes de importantes componentes
ativos estejam expirando, apenas as empresas
com P&D de alto padrão e que possuam
expertise legal e com patentes irão se
beneficiar.
O executivo está otimista com relação às
operações da empresa na América Latina. Ele
prevê a construção de estruturas 3D no Brasil e
na Índia visto que a empresa está atingindo
uma determinada massa crítica nesses países.
Ele também está otimista com relação às
operações da empresa iniciadas na Europa em
maio de 2008.
Há três anos a Rotam planeja a base de
registros na Europa e já investiu cerca de:
PÁGINA 4
MATÉRIA PUBLICADA NA REVISTA AGROW - N° 545 - 13 DE JUNHO DE 2008
€: 10 milhões (US$ 15,5 milhões) no processo.
“Na Europa muitas vezes o período para a
obtenção de registros [de genéricos] varia de 3
a 5 anos. Por isso, estamos trabalhando naquela
região há muito mais tempo”, explica James
Bristow. Ele prevê a efetivação de registros
baseados em 5 componentes ativos principais
em 45 países da UE nos próximos 18 meses.
Sua confiança não é afetada pela perspectiva
da redução do número de componentes ativos
devido à revisão da Diretiva 91/414 referente
ao registro de produtos agroquímicos na
UE. Ele acredita que tal revisão resultará no
aumento do número de componentes ativos
que a Rotam introduzirá no mercado europeu.
“Embora o mercado em geral não apresente
um crescimento significativo, o reagrupamento de moléculas oferecerá muitas oportunidades para produtos químicos selecionados” ele
afirma.
A confiança e o entusiasmo de James Bristow
são contagiantes. O futuro pode realmente ser
tão promissor quanto ele imagina.
Grupo Rotam: 40 companhias estabelecidas em 52 paises atuando nas seguintes áreas de atuações:
Grupo ROTAM - Vancouver Canada
Divisão
Agroquímica
Divisão
Farmaceutica
Divisão
Embalagens
HDPE
Divisão vendas
industriais
Agrícola
Divisão Vendas
e distribuição
atacadista de
Alimentos
Divisão
Hipermercados T&T
Divisão
Veterinária
Life Sciences
A ROTAM AGROQUÍMICA NO BRASIL
Iniciou suas atividades em 2003 e tem se dedicado a gerar todos os estudos científicos locais
necessários para a obtenção dos registros junto às autoridades regulatórias.
PRIMEIROS PRODUTOS REGISTRADOS
Acaricida / Inseticida - Abamectina
Acaricida / Inseticida - Abamectina
Fungicida - Tebuconazole
Fungicida - Carbendazim
Acaricida - inseticida
PÁGINA 5