entrevista dia especial - Junta de Missões Mundiais

Сomentários

Transcrição

entrevista dia especial - Junta de Missões Mundiais
R E V I S TA D E C O N E X Ã O M I S S I O N Á R I A D A J M M | A N O X I I - N ° 6 0 - J A N E I R O / F E V E R E I R O / M A R Ç O D E 2 015
ENTREVISTA
EXECUTIVO DE MISSÕES
MUNDIAIS ANTECIPA AÇÕES
PARA MOBILIZAR O BRASIL
A PARTICIPAR DA OBRA
MISSIONÁRIA EM 2015
DIA ESPECIAL
CONEXÃO COM OS
POVOS NÃO ALCANÇADOS
A Colheita REVISTA DE CONEX ÃO MISSIONÁRIA DA JMM
ANO XII - Nº 60 - JANEIRO/FEVEREIRO/MARÇO 2015
2 Palavra do Executivo
3 Entre Aspas
4 Amor por Missões
33 Com.Vocação
Chamados ao discipulado
GIRO JMM
6 Pelo Mundo
34 PIM
Fale com Deus
sobre missões
7 Povos não alcançados
Irã
35 PAM
Parceria para avançar
8 Diário de Bordo
Tempo de Colheita
36 PEM
PEM avança no ano
da Copa do Mundo
9 Curiosidades
Confiança, obediência e
amor pela obra missionária
15
Fique por dentro dos principais avanços
missionários no último ano.
15
Especial
A voz de Deus avança
pelas nações
25 Entrevista
Avaliar para avançar
Pr. João Marcos Barreto Soares
37 Radical
Treinamento Radical
10 Direto do Campo
38 PEPE
Levando esperança
ao coração da criança
SUPLEMENTO
39 Aconteceu
Vem ser voz
de Deus às nações
17 Diário de Oração
fevereiro a abril 2015
Destaques
32 Voluntários
Missões até nas férias
atualidades
27 Convívio
Como minha oferta no
Dia Especial ajuda a levar
o Evangelho aos não
alcançados
28 Turminha do
Idemundo
29 Perfil Missionário
Mobilizador
Alcides Neto
30 Promoção
Promotores voluntários:
força para mobilizar
40 Minha História
Voz de Deus
entre refugiados
Pr. Násser Mussa
Revista de Conexão Missionária da Junta de Missões
Mundiais da Convenção Batista Brasileira.
Reprodução permitida mediante citação da fonte.
ISSN 2317-5788
Diretor Executivo
Pr. João Marcos B. Soares
Gerente de Comunicação e Marketing/Editor
Pr. Davidson Freitas
Jornalista Responsável
Marcia Pinheiro (22582/DRT/RJ)
Redação e Revisão
Marcia Pinheiro
Willy Rangel
Projeto Gráfico
Ranieri Figueiredo
Equipe de Criação
Anna Letícia Torres
Anderson Oliveira
Ranieri Figueiredo
Fotos
Arquivo JMM
SHUTTERSTOCK.COM
Tiragem: 106.000 exemplares
Proibida a venda
Contato:
Rua José Higino, 416 - Casa 21 - Tijuca
Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20510-412
Tel: 21 2122-1900
Fax: 21 2122-1944
[email protected]
[email protected]
[email protected]
www.youtube.com/canaljmm
www.missoesmundiais.com.br
@missoesmundiais
facebook.com/missoesmundiais
Central de Atendimento
Palavra do
Executivo
Você tem um chamado
H
á um clamor vindo de todas as nações. O mundo clama por
paz, saúde, educação, justiça, amor. O mundo clama por
Cristo. Somente no Senhor Jesus é possível encontrar as respostas
aos questionamentos da humanidade. Deus chama todos os
alcançados pela sua boa nova a fazer com que a resposta chegue
aos lugares mais remotos, atingindo corações endurecidos por
falsas ideologias.
Até onde seus dons e talentos podem levar a voz de Deus? Talvez
não seja possível mensurar o alcance da mensagem do Evangelho
a partir do uso da sua vocação. O importante é saber que a partir
do momento em que você decide dedicar a sua vida para o Reino,
o Senhor a usará.
Nesta primeira edição de 2015 de A Colheita, você verá uma amostra
do avanço missionário no ano anterior, que nos permitiu chegar
à marca de mais de 1.500 missionários em cerca de 80 países.
E conhecerá ainda formas de usar a sua vocação, dons, talentos e
tempo ofertados por Deus para que, juntos, cheguemos a pessoas
que ainda não experimentaram da maravilhosa graça do Pai.
Conheça várias oportunidades de participar do avanço do
Evangelho pelo mundo, sendo voz de Deus às nações.
Somente com o seu apoio, honraremos, por exemplo, o compromisso
de enviar bíblias a um dos países mais fechados ao Evangelho.
Sabemos que o Senhor chamou todos nós, mas a cada um Ele
deu um projeto, um ministério. A partir desta descoberta da nossa
vocação, alcançaremos o resultado que Ele espera de nós. Vocação
não é coisa apenas de pastor. Vocação é de todo cristão.
Em 2015, use a sua vocação para cumprir o seu chamado. Inúmeras
vezes a Bíblia nos mostra que Deus nos vocacionou como um povo
para louvá-lo, mas principalmente para fazer a Sua mensagem
expandir entre as nações.
Você tem um chamado. Todos temos um chamado. Permita-se ser
usado por Deus. Na sua cidade, no seu estado, no seu país ou do
outro lado do mundo, não importa o local ou a circunstância.
Deus quer falar através de você, ser resposta àqueles que clamam.
A JMM está aqui para conectar a igreja de Cristo aos campos
missionários. A Colheita é um dos muitos canais facilitadores desta
conexão. Use-a para mobilizar mais pessoas nesta ação missionária.
Somos parceiros nesta missão. Contamos com você também
em 2015.
2122-1901
2730-6800
(cidades com DDD 21)
0800 709 1900
(demais localidades)
Pr. João Marcos Barreto Soares
Diretor Executivo de Missões Mundiais
ENTRE ASPAS
Compartilhamos aqui frases ditas em momentos específicos e que
mostram um pouco do envolvimento de quem está conectado com o
Pai, cumprindo o chamado para ser voz de Deus às nações.
O avanço da obra
missionária através da
JMM só tem sido possível
devido ao envolvimento dos
batistas brasileiros, que têm
despertado e redescoberto
sua vocação. Já estamos
colhendo frutos desse avanço
em todo o mundo.
Pr. Ruy Oliveira Jr., coordenador
de Missões Mundiais para as Américas
Neste momento em que
o mundo precisa de paz,
os missionários das igrejas
batistas brasileiras, através
de Missões Mundiais, levam
além das nossas fronteiras
a mensagem de Cristo que
renova a esperança e traz a
verdadeira paz.
Pr. Paulo Pagaciov, coordenador
de Missões Mundiais para a Europa
Dos 1.435 participantes
do 7º Congresso Brasileiro de
Missões, em outubro de 2014,
35% eram batistas. É o
resultado dos 107 anos da
JMM mobilizando os crentes
batistas e enviando cada vez
mais brasileiros ao mundo
carente de salvação.
Nosso alvo prioritário
será colocar os
missionários nos campos
considerados fechados.
Queremos chegar ao fim do
ano olhando para o mapa e
sabendo que estamos presentes
nesses países. Isso mostra o
foco da visão que Deus deu
para ampliar esse trabalho.
Pr. Alexandre Peixoto,
gerente de Missões da JMM
Pr. Hans Udo Fuchs, coordenador
de Missões Mundiais para a África
Uma senhora chamada
Glória, muçulmana
convertida ao Evangelho e
batizada por mim no Oriente
Médio, me disse: ‘Nunca
ninguém me tratou como
vocês me trataram. Eu nunca
me esquecerei de vocês e de
seus ensinamentos. Nunca
me afastarei de Jesus’. Se
não houvesse a presença de
Missões Mundiais lá, ela não
teria sido alcançada como foi.
Jessé, coordenador de Missões Mundiais
para o Oriente Médio e Norte da África
AMOR POR
MISSÕES
“A PIB Guaíra é uma igreja com
visão missionária e acredita no
sustento de missionários. Em 2014,
recebemos a visita de um casal
missionário que seguirá para o
Sudeste da Ásia. Eles relataram
seu amor pela obra missionária e
compartilharam suas expectativas.
Foi uma bênção para a igreja. Que o
Senhor Jesus traga o sustento material
e espiritual a esses missionários
e a todos os demais da JMM.”
Marcelo Bianconi, membro da PIB Guaíra/PR
Este espaço é seu! Escreva também
para Missões Mundiais através do
facebook.com/MissoesMundiais
ou do e-mail [email protected]
A Colheita é também um
momento de conversa.
4
“Em 2014, a Campanha da JMM em nossa
igreja mais uma vez teve muitos desafios.
O maior deles foi o aumento do alvo.
Apesar das dificuldades de alguns, várias
classes conseguiram até mesmo ultrapassar
seus alvos. Ao final da Campanha, pudemos
constatar que ultrapassamos o alvo da
igreja, chegando a quase dobrar o proposto
inicialmente. Juntos, agradecemos
a Deus por mais esta grande vitória.
Esperamos o pleno envolvimento da
igreja também nesta Campanha de 2015.”
Maria Bruno Gonçalves, promotora voluntária
de missões na IB da Reconciliação, Salvador/BA
AMOR POR MISSÕES
“Nossa igreja tem participado
ativamente das campanhas de Missões
Mundiais. Este ano não será diferente.
No ano passado, o maior destaque
foi a participação das crianças. Elas
montaram os cofrinhos do material
da Campanha e depois entregaram
suas ofertinhas. Os cofrinhos estavam
‘gordinhos’. Foi muito gratificante
ver a felicidade estampada no rosto
daquelas crianças e de seus familiares.”
Rute Viana B. Miguel, líder do ministério infantil
da TIB Conceição de Macabu/RJ
“Há relacionamentos estabelecidos durante a vida que são
valiosos e inesquecíveis. Os filhos de Deus são ligações
estabelecidas por Ele e através das quais o Seu santo nome
é honrado e glorificado. Foi algo assim que começou em
nossa igreja, há alguns anos, através da Parceria na Ação
Missionária (PAM) da JMM. No início, não imaginávamos que
tal relacionamento poderia nos trazer tamanha edificação
e motivação para um constante envolvimento com a obra
missionária. Fizemos nossa parceria com o Pr. Girlan Silva e sua
família, hoje coordenador do Centro de Capacitação Missionária
da JMM. Na época, em 1999, eles foram levar o Evangelho
ao continente africano. Desde então, orações constantes,
cartas, e-mails e outras formas de envolvimento nos unem
a pessoas que nem conhecíamos. Vale a pena viver missões
intensamente, em todas as suas dimensões. Acompanhar uma
família missionária em campo é uma excelente dica para
quem quer desfrutar desse privilégio. Agradecemos à JMM
que, usada por Deus, contribuiu para que pudéssemos estar
juntos (igreja e missionários) vivendo tão valiosa experiência.
Silvia Gonçalves Pires, promotora voluntária de
missões na PIB Colorado, em Contagem/MG
“Louvamos a Deus por mais uma
Campanha de Missões Mundiais em
nossa igreja. Todos têm participado,
mas destaco o grande apoio do
nosso pastor, Leandro Mendonça.
Frequentemente os alvos de todas as
classes de Escola Bíblica Dominical
têm sido ultrapassados. Somos
gratos ao Senhor por mais uma vez
podermos contribuir com o ide de
Jesus através da nossa oferta.”
Paulo Magalhães Saraiva,
promotor voluntário de missões na PIB Tianguá/CE
“Em quase todas as campanhas da JMM
temos cantinas missionárias. É lindo ver
as irmãs envolvidas. Elas trazem seus
quitutes para serem vendidos, e muitas
vezes são os próprios familiares que
compram só porque sabem que a oferta
vai para a obra missionária. Todos têm
entendido que missões é a razão da igreja.”
Cristiane Dutra, promotora voluntária
de missões na PIB Itupeva/SP
SE NA SUA CASA
CHEGA MAIS DE UM EXEMPLAR
DE A COLHEITA, ESSE RECADO
É PARA VOCÊ.
O envio de mais de um exemplar da sua revista de conexão
missionária para um mesmo endereço ocorre quando
nesse endereço há mais de um parceiro da JMM.
Vamos utilizar melhor nossos recursos.
PARA RECEBER APENAS UM EXEMPLAR,
ENTRE EM CONTATO COM A JMM.
[email protected]
2122-1901 ou 2730-6800 (cidades com DDD 21)
0800 709 1900 (demais localidades)
5
GIRO JMM pelo mundo
Pastor denuncia
perseguição religiosa em Cuba
“Cuba ainda persegue os cristãos.” A denúncia é
feita pelo pastor da Igreja Batista em Cuba, Mario
Felix Lleonart Barroso. Ele tem usado a internet
para denunciar a perseguição contra cristãos cubanos,
incluindo evangélicos e católicos.
Denúncias apontam que o Partido Comunista Cubano,
numa forma mais velada de perseguição religiosa,
tem buscado apoio político de líderes religiosos para
manutenção da ditadura. Porém, normalmente os
líderes não cedem a tais pressões e se posicionam
contra a opressão governamental. O resultado desta
recusa é a perseguição violenta a esses mesmos líderes e
igrejas. Embora não o façam abertamente devido a uma
moratória da Pena de Morte desde 2003, Mario Barroso
acredita que eles assassinam extrajudicialmente.
“As mortes de Juan Wilfredo Soto (maio de 2011), Laura
Pollan (outubro de 2011) e Oswaldo Paya ( julho de 2012)
são a prova disto”, relata o pastor.
Ele faz um apelo às igrejas do Brasil: “Em nome da igreja
de Cuba, que se encontra diante do enorme desafio
de não ser cúmplice de um regime que a cada dia é
desmascarado pela história, pedimos muita oração
pelos nossos irmãos”.
China: o maior
país cristão do futuro
Segundo notícias do jornal Religion, o Partido
Comunista Chinês tem imposto sérias restrições
aos cristãos e a outros grupos religiosos na
China. Embora, oficialmente, o governo diga
banir a discriminação baseada na religião, tentou
recentemente demolir uma igreja cristã.
É importante entender que há dois tipos de igreja
na China: uma que é reconhecida pelo governo, mas
que não pode denunciar os abusos das autoridades
e precisa submeter seus sermões ao aval do Estado.
Elas são difíceis de serem encontradas e, por isso,
alguns cristãos iniciam igrejas nos subsolos e em
lares. A outra é a igreja perseguida, que não se curva
diante das autoridades, denuncia a opressão e se reúne
em subsolos, em casas e de forma velada. Ambas
são oprimidas e não têm liberdade plena de culto.
O professor Fenffang Yang, diretor do Centro de
Religião e Sociedade Chinesa na Universidade Católica
da América, se refere a isso como o “mercado negro”
da religião. Um estudo de 2011 feito por ele estima que
há mais de 65 milhões de cristãos na China e que este
se tornará, em breve, o maior país cristão do mundo.
6
A relação entre cristãos e
muçulmanos no Iraque
Zainab Salbi, fundadora da Women for Women
International (Mulheres pelas Mulheres Internacional),
uma organização sem fins lucrativos dedicada ao apoio
a mulheres vítimas de guerra, pobreza e injustiça,
escreveu uma carta aberta sobre sua infância no Iraque
e de como era diferente a relação entre cristãos e
muçulmanos naquele país: “Éramos todos iraquianos,
e o Iraque se posicionava a favor da diversidade
de religião e variedade étnica entre seu povo”.
Segundo ela, vários cristãos iraquianos foram mortos
e sequestrados desde a invasão ao Iraque, em 2003.
Sacerdotes admoestavam os cristãos a permanecerem
no país, o qual possui a comunidade cristã mais antiga
do mundo. “Com a chegada do Estado Islâmico, porém,
tudo mudou”, diz Zainab. “É difícil pedir às pessoas
que sacrifiquem seu bem-estar e o de suas famílias
quando suas vidas estão em perigo”, acrescentou.
Ela alerta ainda que, embora haja muçulmanos a favor
da convivência pacífica e do respeito mútuo, tais vozes
estão abafadas pelo medo. Sunitas e xiitas têm pago
suas próprias milícias para se defenderem do Estado
Islâmico, e a luta agora, mais do que ideológica, é
por pura sobrevivência. Nesse sentido, o grupo em
maior desvantagem é com certeza o dos cristãos –
diminuídos a cada dia e sem ter com quem contar.
Igrejas impedidas de erguerem
templos na Indonésia
Em Bekasi, no distrito de Java Ocidental, na
Indonésia, igrejas têm sido cerceadas legalmente
pelo governo de terem templos próprios. Cedendo
à pressão de extremistas islâmicos, as autoridades
locais fecharam igrejas baseadas em um decreto
que afirma que o governo quer fazer de Bekasi
um distrito regido pela sharia (lei islâmica) e não
emitirá permissão de construção para igrejas.
Extremistas demoliram vários templos desde 2006.
A solução encontrada pelas igrejas têm sido se
reunirem em casas ou em áreas comerciais, em casas
alugadas em “stophouses” – prédios de 3 andares
comuns no Sul da Ásia, com casas construídas em
cima de lojas, confeitarias e outros estabelecimentos.
A pressão das autoridades locais é exercida
principalmente porque não querem perder os votos
dos muçulmanos, maioria absoluta no país.
GIRO JMM povos não alcançados
irã
Histórico
de perseguição
aos cristãos
U
m dos países mais influentes do mundo
muçulmano, o Irã é acusado pela comunidade
internacional de violar direitos humanos, como a
liberdade religiosa. O país é governado por um regime
baseado na religião islâmica desde 1979. Situado no
Oriente Médio, lidera um bloco xiita (do qual a Síria
também faz parte) que disputa a hegemonia regional
com a Arábia Saudita, de orientação sunita.
O Irã tem o petróleo como seu principal produto
de exportação, porém sanções aplicadas nos últimos
anos têm dificultado o comércio desse combustível
fóssil. O principal motivo dessas sanções é o polêmico
programa nuclear iraniano.
Não alcançados
Por causa de sua localização e religião majoritária,
muita gente chega a pensar que os iranianos são árabes.
Na verdade, eles pertencem ao grupo étnico persa (aliás,
o país se chamava Pérsia até 1935). O Irã está situado
na Janela 10/40 e é um dos países onde missionários
encontram muita dificuldade para entrar.
O islamismo rege praticamente todos os aspectos
da vida do cidadão iraniano, a começar pela política.
O nome oficial do país é República Islâmica do Irã, o que
sujeita o cidadão aos costumes muçulmanos, mesmo
que depois ele não venha (ou queira) seguir o islamismo.
O país tem um presidente inclinado à influência de
clérigos e subordinado ao líder religioso supremo,
o aiatolá.
Panorama
A vida de cristãos não é fácil no Irã. Segundo um relatório
da Comissão sobre Liberdade Religiosa Internacional
(USCIRF, em inglês), do Congresso americano, 400
cristãos foram presos desde 2010 por causa de
suas crenças e atividades, alguns sendo acusados
inclusive de ameaça à segurança nacional. O quadro
de perseguição é tão aterrador que até muçulmanos
sunitas, uma minoria no país, também são presos ou até
condenados à morte.
Um exemplo de iraniano preso por evangelismo
é o pastor Youcef Nadarkhani, condenado em 2010 à
pena de morte por apostasia (renúncia à fé islâmica).
Após muita pressão internacional sobre o Irã, a justiça
daquele país voltou atrás da decisão e em 2012 libertou
o pastor, que já tinha cumprido os três anos de pena.
Em 2014, um outro caso chamou a atenção de
Missões Mundiais: o pastor Farshid Fathi. Ele foi preso
em dezembro de 2010 e condenado em janeiro de 2012 a
seis anos por propaganda contra o sistema e subversão
da segurança nacional.
De acordo com um documento divulgado em
outubro de 2014 pelo relator especial da ONU sobre a
situação dos direitos humanos no Irã, Ahmed Shaheed,
pelo menos 49 cristãos protestantes estavam presos
naquele momento no país. Segundo Shaheed, nos
últimos três anos, autoridades iranianas têm fechado
igrejas antes autorizadas a funcionar e prendido
pastores. Ainda segundo Shaheed, os sites das igrejas
também são bloqueados pelas autoridades. Há relatos
de crentes convertidos que teriam sofrido abusos físicos
e psicológicos e recebido ameaças de morte enquanto
presos. O pastor Farshid Fathi é uma dessas vítimas.
Ele foi torturado e chegou a ser hospitalizado em abril
do ano passado.
– por Willy Rangel
Ore por proteção de Deus para os
crentes no Irã, pela conversão de
todos aqueles que ainda são contrários
à Palavra de Deus e para que haja
tolerância religiosa no país.
7
GIRO JMM DIÁRIO DE BORDO
Tempo de Colheita
V
ários eram os objetivos dessa viagem: visitar a missionária Rosângela
Teck, em Angola (atuo no cuidado dos missionários e os auxilio em
seus projetos); conhecer os quatro missionários locais parceiros da
JMM; fazer duas palestras num retiro de nossos missionários nacionais
e encaminhar a venda de um imóvel da JMM que não está mais em uso.
Fomos para abençoar e acabamos sendo abençoados. O trabalho que
realizamos há anos por lá tem hoje frutos bem maduros.
Estávamos eu, minha esposa (a missionária Ursula) e os missionários
Cléber e Gleici Balaniuc, da Igreja Portuguesa do Cabo, na África do
Sul. Decidimos ir de carro, porque Cléber e Gleici queriam visitar um
missionário angolano que a igreja apoia. Além disso, viajar de carro
seria mais barato que pagar quatro passagens aéreas, além de nos dar
maior mobilidade.
Cléber levou um retroprojetor e várias caixas com livretos e folhetos
evangelísticos. Eu levei 10 caixas com o livro Poligamia, escrito pelo
presidente da Convenção Batista de Angola, Pr. Mateus Chaves (falecido em
novembro de 2014), e que ajudei a imprimir na África do Sul.
Da Cidade do Cabo até Luanda, a capital angolana, são 3.700
quilômetros! É como se fôssemos de Curitiba a João Pessoa. Seriam quatro
dias de viagem, mas ficamos presos dois dias na fronteira de Angola por
causa de um “palavrão”: desalfandegamento! A regra de “criar dificuldades
para vender facilidades” continua em vigor. Foi uma luta tirar os livros do
Pr. Chaves da alfândega.
Para compensar, as estradas estavam boas. Fizemos os primeiros 400
quilômetros em Angola em quatro horas – eu nunca tinha feito o trecho em
menos de 10 horas, no tempo em que morei lá. E só uma vez tivemos de passar
a noite num hotel. Em todos os lugares tínhamos irmãos carinhosos que
insistiram em nos hospedar.
Fomos muito abençoados com a viagem. Cléber e Gleici ficaram
contentes com o ministério do seu missionário; Ursula e eu nos alegramos
com o ministério de literatura que implantamos em Angola na década
passada e que continua em pleno vigor na mão da equipe local. Quando um
missionário entrega um projeto na mão dos nacionais porque parece estar
“pronto”, sempre fica um pouco apreensivo: “Será que conseguirão?”. Nossa
equipe está de parabéns, fazendo um bom trabalho.
De parabéns também está a Convenção Batista de Angola. Em 1992,
havia 14 missionários da JMM no país, agora só temos a Rosângela, deã do
Seminário de Huambo. A CBA tem 26 missionários plantando igrejas no país
(participamos do primeiro retiro deles) e está encarando como seu campo
missionário os países em volta: Namíbia, São Tomé e Príncipe, a República
Democrática do Congo, Congo, Gabão, entre outros. De país recebedor,
Angola passou a ser um país enviador de missionários, parceiro da JMM.
Para terminar, mais duas bênçãos: a associação de cadeirantes onde
Ursula deu aulas de artesanato anos atrás se sustenta hoje em boa parte
com a venda dos artesanatos que produz, além de manter uma pré-escola e
cursos de inglês e informática. Aos domingos, o espaço da escolinha é usado
para cultos. A outra bênção foi descobrir que o guarda da casa em que nos
hospedamos em Lubango, no sul de Angola, está lendo o Novo Testamento O mais importante é o amor. Em 1991, durante nosso primeiro período em
Angola, levamos 25.000 exemplares desses Novos Testamentos para
distribuir entre o povo que não tinha onde adquirir bíblias. Foi maravilhoso
ver que, depois de tantos anos, eles ainda têm abençoado vidas.
– Hans Udo Fuchs
coordenador dos missionários da JMM na África
8
GIRO JMM CURIOSIDADES
Confiança,
obediência e
amor Pela obra
missionária
A
lgumas pessoas ainda me perguntam como
fui capaz de realizar a minha primeira
viagem missionária, em 2012, de quase três
meses, deixando no Brasil meu filho de apenas quatro
meses sob os cuidados da minha família. Quando
recebi o convite, meu primeiro pensamento foi de
recusa. Entretanto, minha primeira atitude foi orar e
compartilhar a notícia com a minha família. Depois me
aconselhei com os médicos e com a igreja. Senti uma
paz absoluta, e cada passo foi sendo confirmado por
Deus, nessa experiência que mudaria radicalmente a
minha vida.
Lembro sempre que minha oração era para que
Deus contasse comigo não importando como. Para
mim, era essencial me sentir operante e ser útil para o
Reino. Foram oito anos orando e pedindo para que Deus
me mostrasse um caminho. Houve momentos em que
eu achei que não encontraria uma atuação específica.
Enquanto buscava, eu me disponibilizava a qualquer
tipo de necessidade e trabalho – dentro ou fora da igreja
– que me aproximasse do Evangelho.
Levou tempo para eu entender que em todos esses
anos Deus estava me preparando e formando o meu
caráter. Passei por muitos altos e baixos tentando dar
uma “forcinha” para Deus. Embora eu sempre dissesse
“Senhor, estou aqui, cumpra em mim a Sua vontade”,
a minha ansiedade me cegava. Até que entendi o real
significado de confiar e entregar tudo o que era para Ele.
Quando fiz isso tudo começou a mudar em minha vida.
Ao longo da minha história, alguns sinais me
apontaram para o centro da vontade de Deus. Hoje
tenho muita clareza disso. Estudar jornalismo é
um dos principais. Lembro-me de estar no ônibus
indo para a inscrição do vestibular e ouvir uma voz
soprando ao meu ouvido me dizendo que eu escolhesse
comunicação. E assim fiz.
Depois de aprender a confiar, Deus estava me
ensinando a ser obediente. Não existe um dia em que
eu não agradeça por isso. Eu sinto um profundo amor
pela minha profissão. Realmente amo o que faço. Não
que seja fácil, mas a alegria que toma o meu coração a
cada trabalho finalizado e a expressão das pessoas ao
se emocionarem não têm comparação. Muitas pessoas
já se sensibilizaram assistindo a um vídeo e foram
despertadas para missões.
Por último, depois de confiança e obediência,
Deus me mostrou qual é o mais importante de todos
os mandamentos: o amor. Demonstrar afeto para
quem está próximo é natural, é bom e deve ser feito
com sinceridade, respeito e alegria. Mas amar o
desconhecido e tolerar as diferenças é compreender que
o homem foi criado à imagem e à semelhança de Deus,
e tudo e todos foram gerados para glória Dele.
Em 2015, estaremos trabalhando o tema “Meu
Chamado, Voz de Deus às Nações”. Não há dúvidas
sobre a soberania de Deus em cumprir as Suas
promessas. Certamente, Jesus não voltará até que
todos tenham ouvido falar sobre Ele. Entretanto, é
uma escolha nossa fazer parte do cumprimento dessa
promessa sendo cooperadores, tendo o privilégio de
participar do avanço da obra missionária.
Missões Mundiais tem trabalhado com as oito
metas da Declaração do Milênio da ONU, que foram
estabelecidas em 2002, por 189 países, para serem
atingidas até 2015. Alguns dos desafios são erradicar
a extrema pobreza, garantir a educação, promover a
igualdade de gênero, reduzir a mortalidade infantil e
melhorar a saúde materna. Os avanços são expressivos
nessa luta, mas existe muito a ser feito em todo
o mundo.
Não ignore o clamor, cada vez mais forte e urgente,
de pessoas que precisam do alimento físico e espiritual
em diferentes nações. Mais do que palavras, precisamos
de atitudes, de estilo de vida e compromisso. Sejamos
cooperadores de Cristo no cumprimento da Grande
Comissão. Que vejamos no outro a imagem de Deus,
que deu o Seu Filho para termos acesso à vida eterna.
– Raquel Lima
setor de audiovisual da JMM
9
GIRO JMM
DIRETO DO
CAMPO
por Marcia Pinheiro E WILLY RANGEL
C
ompartilhamos com você notícias sobre o
que está acontecendo nos campos de Missões
Mundiais. Você ficará por dentro do que o
Senhor tem feito no mundo através da vida de nossos
missionários. Tudo isso acontece porque você, entendendo
a missão de Deus, contribui, intercede e participa deste
plano de amor, para que cada vez mais pessoas sejam
alcançadas pela salvação em Jesus.
10
GIRO JMM DIRETO DO CAMPO
AVANÇO
MISSIONÁRIO
Estamos enviando os primeiros missionários
brasileiros para Cuba e mais obreiros para as
Filipinas, uma nova igreja está sendo plantada
na Itália, crianças estão sendo resgatadas
de gangues na Guatemala, e ações sociais
e humanitárias ajudam a compartilhar o
Evangelho em Moçambique.
ORIENTE MÉDIO
JMM enviará 300 mil
bíblias a um dos países
mais fechados
Apesar de ainda não ter missionários brasileiros em um dos países
do Oriente Médio mais fechados ao Evangelho, Missões Mundiais
tem participado da capacitação de obreiros de lá que saem do país
para receber treinamento e depois retornam para liderar igrejas
subterrâneas. Além disso, a JMM assumiu o compromisso de
enviar 300 mil bíblias em farsi, idioma falado nesse país, o qual não
citamos o nome por questões de segurança. Todos esses recursos
vêm das ofertas entregues no Dia Especial de Missões Mundiais.
Segundo o Pr. Jessé, coordenador do trabalho missionário da JMM
no Oriente Médio e Norte da África, Deus tem realizado uma obra
extraordinária entre esse povo. Hoje fala-se em cerca de mais de um
milhão de convertidos ao Evangelho do Senhor Jesus nesse país.
ORIENTE MÉDIO
Atuação entre
refugiados
SUDESTE DA ÁSIA
Missionários
ajudam na
produção
de material
evangelístico
O casal Samir e Fátima conta que
naquele campo a mais recente novidade
é a permissão de um irmão desenhista
brasileiro que cedeu os direitos autorais
para publicar, na Ásia, o seu material.
“Produzimos também desenhos de novos
materiais para alcançar as crianças.
Iniciamos o treinamento com oito
alunos. Serão dois meses de treinamento
com encontros semanais”, conta Samir.
“Importamos histórias com material
visual e lições bíblicas, e missionários
locais estão tendo acesso a esse conteúdo.
Deus é mesmo maravilhoso”, conclui.
Em meio a tantas lágrimas, destruição e guerra, a missionária Sâmia
tem sido voz de Deus a refugiados no Oriente Médio. Para Sâmia,
é um privilégio poder compartilhar a Palavra em um contexto tão
adverso, se dedicando para dar assistência às pessoas que ali vivem.
“Em oração em minha casa com outras irmãs, fiquei admirada ao ouvir
cada uma delas declarando ao Senhor que se sentem privilegiadas
por estarem aqui. Mesmo com ameaças de terroristas nos países
vizinhos, elas agradecem ao Senhor pelo privilégio de servi-Lo neste
lugar. Eu me senti privilegiada por conhecê-las”, conta a missionária.
Sâmia destaca que mesmo com tantas histórias tristes – com
mortes, crianças roubadas de seus pais para tráfico de órgãos
e casamentos forçados –, todas elas têm algo em comum.
“A gratidão pela presença dos cristãos no meio dos refugiados.
Garanto que ninguém está se dedicando mais a ajudar essas pessoas
do que os servos de Cristo! Alguns chegavam a dizer que odiavam os
cristãos, mas hoje admiram nosso amor para com eles”, conta Sâmia.
“Quando você ora, quando você abre o coração para dar
suporte financeiro ao nosso ministério, quando você mobiliza
outros, tudo isso chega aqui produzindo frutos”, conclui.
11
GIRO JMM DIRETO DO CAMPO
SUDESTE DA ÁSIA
Trabalho avança
entre os não
alcançados
O projeto Livros para Ásia entregou um
total de 53 mil bíblias em 2014 a povos
não alcançados do Sudeste da Ásia.
Um dos obreiros locais que apoia o projeto foi
expulso de uma vila em que estava plantando uma
igreja entre um povo não alcançado. O motivo:
ele havia dito às famílias que elas estavam sendo
discipuladas e que deveriam se desfazer de seus
ídolos. Quando os líderes da vila souberam, temeram
represálias espirituais dos ídolos e proibiram a
permanência desse nosso irmão em Cristo entre eles.
Deus abriu um novo trabalho, com outro povo não
alcançado, para esse irmão. Nossos missionários
brasileiros por lá se alegram em saber que Deus
tem trabalhado no coração dos obreiros locais
para que se engajem mais e mais no grande
desafio de alcançar os mais de 250 povos não
alcançados do maior país do Sudeste da Ásia.
FILIPINAS
Mais missionários
para o campo
Missões Mundiais tem investido no avanço do
Evangelho na Ásia. E as Filipinas, único país de maioria
cristã no continente, podem ser uma excelente porta de
entrada para brasileiros. Por isso, foram enviados sete
missionários para esse campo nos últimos meses.
“O envio de mais missionários para as Filipinas abre
portas na Ásia e para seus desafios. Significa também
que o campo é uma base para o avanço missionário
naquela região e um local de refúgio para obreiros
em situações contigenciais”, explica o Pr. Renato Reis,
coordenador do CIM (Cuidado Integral do Missionário).
Ele também destaca o papel dos evangélicos filipinos na
expansão da Palavra de Deus.
“A igreja evangélica filipina tem vigor e interesse
em investir na obra missionária. Como o visto para
brasileiros é fácil de conseguir, pensamos em organizar
um centro de estudos culturais na capital, Manila, onde
nossos missionários na Ásia poderiam se aprofundar na
cultura do continente”, explica o Pr. Renato.
Mas mesmo sendo de maioria cristã, as Filipinas
também têm seu desafio interno: Mindanao, no norte do
país, onde a maioria da população é muçulmana.
“Temos parceria com uma convenção batista local
que tem pedido nossa ajuda na ampliação da visão
missionária dentro e fora das Filipinas”, conclui.
12
MOÇAMBIQUE
Evangelho chega
através de
ações sociais e
humanitárias
Nossa equipe de missionários no país se empenha
dia após dia para que a população local possa
ouvir claramente a voz de Deus. Em Xai-Xai, a
missionária Otília da Silva está consolidando os
frutos da Tenda da Esperança e treinando líderes
para várias das igrejas plantadas pelo projeto.
Daniel e Gisele Soler estão em Beira. Daniel está
organizando o Instituto Bíblico Batista com cursos nas
áreas de música e informática. Ele também trabalha
nas instalações novas e na biblioteca, além de treinar
líderes diretamente em três congregações. Gisele serve
de capelã na universidade e atende como médica na
clínica do Dondo. O trabalho foi iniciado já há algum
tempo pela missionária Noêmia Cessito com o centro
para portadores de HIV e crianças subnutridas,
ao lado da igreja, da creche e de duas escolas.
O trabalho de Gisele é auxiliado pela
missionária Tatiane Batista, que tem um
ministério próprio com aulas de inglês.
Em Nampula, Antônio e Sirley Silva exercem um
ministério bem sucedido de evangelização e treinamento
de líderes em mais de 60 aldeias da região. A cidade conta
ainda com a missionária Odete Dossi. Ela trabalha para
implantar quatro unidades do PEPE em sua região.
Em Maputo, o casal Edvaldo e Adriana
Marcolino está há 17 anos na coliderança do
orfanato Arco-Íris; trata-se de um complexo com
escola, igreja e ministério de missão urbana.
GIRO JMM DIRETO DO CAMPO
CUBA
JMM trabalha para
enviar primeiros
missionários
brasileiros ao país
Avançamos com 208 obreiros da terra no país, que
conta com cerca de 900 igrejas em formato casatemplo. Oramos e trabalhamos para concretizar o envio
de um casal de missionários brasileiros. Eles deverão
lecionar nos seminários das Convenções Batistas
de Cuba Ocidental e Oriental a partir deste ano.
As igrejas evangélicas cada vez ganham mais espaço
em Cuba. Analistas religiosos dizem que o fim da
restrição aos cultos religiosos, no começo da década
de 1990, fez com que as igrejas evangélicas passassem
a dominar quase metade da ilha, ao mesmo tempo em
que o número de católicos segue cada vez mais escasso.
GUATEMALA
Crianças são
retiradas de
ruas dominadas
por gangues
Este é o mais novo campo da JMM nas Américas.
Nossos missionários no país, Rodrigo e Viviane
Pinheiro, têm trabalhado em regiões muito pobres
e violentas. Durante um evento na Igreja Batista
Elim, eles conheceram crianças menores de 12 anos
já envolvidas com gangues de extorsão e drogas.
Rodrigo e Viviane atuam em duas frentes de trabalho:
tratamento de pessoas com dependência química e
educação pré-escolar para crianças em situação de
risco por meio do PEPE (programa socioeducativo).
Recentemente, eles inauguraram uma unidade do PEPE
na zona 21, área dominada por grupos de extorsão.
Ali darão apoio às escolas bíblicas de duas igrejas que
servem alimento para 40 crianças. Rodrigo lembra
que na Guatemala, cinco de cada dez crianças sofrem
com a subnutrição, enquanto entre os indígenas
esse número chega a oito para cada dez. Outras 300
crianças também estão sendo alcançadas por esta ação.
Assim como todas as crianças atendidas pelo PEPE
na Guatemala, elas recebem um arroz fortificado para
combater a desnutrição.
“Recebemos de um grupo de irmãos dos Estados
Unidos 16 toneladas de arroz para essa finalidade.
Com isso, conseguimos tirar essas crianças das
ruas dominadas pelo tráfico ou por gangues.
Elas estão recebendo o Evangelho de Cristo
de maneira integral”, revela Rodrigo.
Confira notícias destes e de
outros campos missionários em
www.missoesmundiais.com.br
PORTUGAL
Firmes no propósito
Nossos missionários César e Eliane Corsete seguem
com o ministério nas cidades de Portimão, Lagos e
Silves, no extremo sul de Portugal, onde mais um jovem
recebeu a Cristo como Salvador. Aliás, a igreja em Lagos
tem experimentado um novo momento muito por causa
da participação dos irmãos de Portimão, principalmente
jovens e adolescentes, segundo o Pr. Corsete.
“A igreja recebeu assim uma injeção de ânimo, e
novas pessoas começaram a vir aos cultos, o que
é grande motivo de gratidão”, conta o missionário.
“Por outro lado, ainda precisamos muito de oração
pelo trabalho em Lagos. A dureza dos corações
e a indiferença com o Evangelho são grandes
obstáculos que enfrentamos. Sabemos que é o
Espírito Santo que convence, e por isso, ore para
que o Senhor quebre essas barreiras”, acrescenta.
Em Silves, onde foi iniciada uma nova frente
e onde já houve pelo menos seis conversões,
os missionários descrevem dificuldades na
integração dessas pessoas ao grupo local.
“Estamos no longo e árduo processo de
‘ensinar’ e discipular, para que sejam rompidas
muitas das ‘amarras’ da tradição religiosa e da
influência de parentes e amigos contrários à
fé cristã evangélica”, explica o Pr. Corsete.
Igreja em Lagos, Portugal.
13
GIRO JMM DIRETO DO CAMPO
ITÁLIA
SUÍÇA
Voz de Deus aos
imigrantes
Um novo campo aberto no último ano foi a Suíça, onde
nossos missionários Ricardo e Tatiana Arakaki têm
sido voz de Deus através do ministério na Igreja Batista
Brasileira em Basileia. A Suíça tem uma tradição de
acolher refugiados de países que vivem conflitos, como
Afeganistão e Síria, fato este que, para o Pr. Arakaki, é
uma excelente oportunidade de testemunho evangélico.
“Na escola de línguas, por exemplo, tive a
oportunidade de conviver com um jovem sírio
muçulmano. Em um dos nossos últimos encontros, ele
comentou comigo sobre a preocupação com a família
dele, que vive na Síria e sofre diretamente com a ameaça
dos extremistas islâmicos”, conta o missionário, que
perguntou ao rapaz se poderia fazer algo para ajudá-lo,
mas o jovem respondeu: “Ninguém pode, nem eu posso”.
Com amor, o missionário replicou: “Deus pode”.
“Sabendo que sou cristão, ele entendeu que eu me
referia ao Pai. Oro para que o Senhor tenha misericórdia
daquele jovem e me conceda sabedoria e oportunidade
para continuar testemunhando do Deus de amor,
revelado em Cristo Jesus”, relata o Pr. Arakaki.
À frente da Igreja Batista Brasileira em
Basileia, o casal missionário compartilha sobre a
realização de uma capacitação para líderes, com
alinhamento espiritual e recrutamento de novos
integrantes para os ministérios, além da promoção
da Campanha de Missões Mundiais. O pastor
conta ainda que, em breve, fará novos batismos.
Plantação de
nova igreja
Após se dedicar à revitalização da Igreja Batista
de Casorate Primo, na Itália, o casal missionário
Manoel e Raquel Florêncio está à frente de mais
um desafio: a plantação de mais uma igreja
em solo italiano, na cidade de Vigevano.
“Estamos iniciando a expansão missionária com
a plantação da primeira filha da nossa igreja, através
do projeto em Vigevano, que faz parte do objetivo de
implementar uma nova visão e modelo de igreja junto
à convenção italiana. Este é o nosso maior desafio nos
próximos anos”, explica o Pr. Manoel Florêncio, que
desde 1998 atua com plantação de igrejas na Itália.
Vigevano fica a 25 quilômetros de Casorate Primo
e, segundo o missionário, é um polo estratégico para
servir de berço à primeira de várias outras igrejas
batistas na microrregião de Lomelina. Um casal de
missionários da terra, Raffaele Scafuro e Filippa
Parasole, auxilia no projeto de plantação da nova igreja.
Quanto à igreja em Casorate Primo, ela conta
hoje com 125 membros em seu rol, dos quais 25%
são jovens e adolescentes, com um pastor dedicado
a eles, sustentado e filho da própria igreja. No
ano passado, nove pessoas foram batizadas.
“Louvado seja Deus. Isso talvez seja pouco,
comparado com a realidade no Brasil, mas
é uma grande bênção dentro do contexto
italiano”, conclui o Pr. Manoel Florêncio.
Igreja em Casorate Primo, Itália.
Confira notícias destes e de
outros campos missionários em
/MissoesMundiais
Igreja em Basileia, Suíça.
14
DESTAQUE NOTÍCIAS MISSIONÁRIAS
capa
A voz de
Deus avança
pelas nações
S
er voz de Deus é a missão da JMM. Os campos são palco do
avanço do Evangelho e as nações conhecem cada vez mais o amor
e o poder de Deus através da atuação de nossos cerca de 1.500
missionários espalhados por 84 países das Américas, Europa, África e Ásia.
Em 2014 o “ide” de Jesus foi cumprido com a plantação de 33
novas igrejas e 784 batismos, frutos de mais de 10 mil decisões por
Cristo alcançadas pelo trabalho missionário do qual você também é
parte integrante.
O seu envolvimento com Missões Mundiais também será imprescindível
para que nossos missionários continuem sendo voz de Deus às nações.
“Louvamos ao Senhor de missões por esses números, que refletem
o trabalho de todos aqueles que amam cumprir o chamado do Pai. É
gratificante ver o resultado do envolvimento de cada um, traduzido em vidas
salvas pelo poder de Deus”, declara o diretor executivo da JMM, Pr. João
Marcos Barreto Soares (confira entrevista na página 25).
15
DESTAQUE NOTÍCIAS MISSIONÁRIAS
Evangelho além
das fronteiras
O envio de mais missionários para o campo permitiu a abertura de novos
campos nos continentes com presença de Missões Mundiais. Nas Américas,
o PEPE (programa socioeducativo) chegou a lugares como Nicarágua,
México e Guatemala.
O Haiti, país mais pobre das Américas, tem recebido atenção especial.
Uma turma do programa Radical Haiti voltou ao Brasil em 2014, e jovens
de uma nova turma embarcarão em breve para lá. Um novo grupo de
missionários efetivos está a caminho desse campo ainda este ano. Além
disso, voluntários do Tour of Hope levam doações e a mensagem de
esperança nas caravanas que seguem periodicamente ao país.
Na Europa, campos como Alemanha e Suíça foram abertos
recentemente. Neles, nossos missionários trabalham na revitalização de
igrejas e com pessoas de etnias não alcançadas, ou seja, imigrantes. Mais
um país de maioria islâmica no Velho Continente também recebeu um casal
de missionários. A atuação de voluntários, principalmente em caravanas,
tem colaborado com o ministério de revitalização de igrejas liderado por
nossos missionários.
Os jovens da décima turma do Radical África já estão em campo no
Senegal, e a décima primeira turma do projeto se prepara para manifestar
o amor do Pai aos africanos. Ainda sobre a África, vale destacar a proteção
de Deus durante a epidemia do vírus ebola, mesmo com o surto atingindo
países onde há presença missionária, como a Guiné.
Na Ásia, o conturbado Oriente Médio foi mais uma vez cenário de
barbaridades, com a ascensão do grupo extremista Estado Islâmico e
também de mais uma guerra envolvendo israelenses e palestinos. A situação
dos crentes que sofrem perseguição religiosa nessa região do mundo
é delicada.
Por outro lado, nossos projetos no Sul da Ásia, como o Meninas da
Índia e Lar da Paz, agora têm quatro casas-lares abrigando 70 crianças.
Esses projetos acolhem crianças em situação de vulnerabilidade social e
oferece a elas a oportunidade de viverem a realidade de uma família cristã,
com direito a todos os cuidados que uma criança merece e tem direito.
Com nossos missionários representando a figura de seus novos pais, esses
pequeninos aprendem valores bíblicos que levarão por toda a vida.
“Hoje, ajudamos a mais de 13 mil crianças agindo para erradicar a
fome, o analfabetismo e combatendo o tráfico de pessoas, especialmente
de crianças exploradas pela gigantesca rede de prostituição infantil que
sequestra a inocência de crianças que descobrem muito cedo o quão duro
e cruel é o mundo composto por pessoas que não têm o temor de Deus”,
explica o Pr. Davidson Freitas, gerente de Comunicação e Marketing
da JMM.
Seja um parceiro
na ação missionária
Vamos, juntos, fazer a voz de Deus falar mais alto às nações. Precisamos
que continue conosco intercedendo, mobilizando, indo e/ou ofertando.
Conecte outras pessoas a esta Parceria na Ação Missionária (PAM).
Elas podem entrar em contato com nossa Central de Atendimento pelos
telefones 2122-1901/2730-6800 (cidades com DDD 21) ou 0800-709-1900
(demais localidades).
16
O avanço
missionário
no mundo
1.560
missionários em
84 países
33 novas igrejas
784 pessoas
foram batizadas
10.000 decisões
fonte: Relatório Anual JMM
outubro/2013 a setembro/2014
Seja combatendo o tráfico de
seres humanos, seja fornecendo
bíblias ou ajudando a plantar
igrejas, você está usando seu
chamado para alcançar pessoas
com o amor de Cristo, sendo voz de
Deus às nações.
– por WILLY RANGEL
DIÁRIO dE
ORAÇÃO
fev/2015 a abr/2015
17
DIÁRIO dE ORAÇÃO
FEVEREIRO/2015
yy
01/02: ESPANHA – Os missionários Adoniram e Marestella Pires pedem oração pelo crescimento espiritual dos novos convertidos, pelos líderes da igreja e
pelos desafios de abrir novas frentes missionárias em
duas cidades vizinhas à Madri, onde se encontram.
(Andréia da Silva – Treinamento; Lúcia Martiniano –
África do Sul). Lv 4-6
yy
02/02: GUINÉ-BISSAU – A missionária Adriana Justino pede oração pelo programa que ela tem desenvolvido na rádio “Voz de Menino”, para que os ouvintes sejam salvos através das mensagens pregadas.
Ore também pela implantação de novas unidades do
PEPE (programa socioeducativo) em Guiné-Bissau e
por um coordenador nacional para este projeto. (Maria Aparecida França – Aposentada; Marcos Vinicius
de Araújo – Espanha). Lv 7-9
seja de crianças desse país. Coloque diante de Deus
o trabalho realizado por nossos missionários no Sul
da Ásia para que eles sejam instrumentos de Deus
para transformação de vidas. (Elaine Zuliani – Itália).
Lv 23-25
yy
08/02: BURKINA FASSO – Os missionários Thiago e
Alline Rosendo pedem que continuemos em oração
pelo processo de aprendizado da língua marka e pelas
constantes visitas que precisam realizar às aldeias.
Ore para que o Senhor os continue conduzindo em
tudo. (Clélia de Oliveira – Uruguai). Lv 26-27
yy
09/02: FRANÇA – Ore pelo desenvolvimento no aprendizado da língua francesa do casal Thiago e Daiane
Cardoso, bem como pelo grupo de estudos bíblicos
que eles estão dirigindo, pela estruturação dos trabalhos com crianças, jovens e de evangelismo na igreja
de Marselha. Nm 1-3
yy
yy
yy
yy
yy
yy
yy
yy
yy
yy
03/02: SUDESTE DA ÁSIA – Um missionário da terra
pede oração pela instalação de uma unidade de purificação de água em uma vila localizada a duas horas
da cidade onde reside, bem como pelo início de um
programa de cuidado da água e da saúde. Um dos objetivos é, através desta ação, contar histórias bíblicas
que possam fortalecer a fé de nossos irmãos naquela
região. (Rute – Sudeste da Ásia). Lv 10-12
04/02: PARAGUAI – A missionária Vládia Soares pede
oração pela expansão do Evangelho no país, crescimento da Escola Batista de Itauguá e pela evangelização dos pais, alunos e funcionários. Ore também pelas famílias dos irmãos e líderes da igreja e congregações, bem como pelo crescimento da EBD e maturidade cristã dos irmãos. (Izabel – Sudeste da Ásia)
Lv 13-16
05/02: NORTE DA ÁFRICA – Ore pelo ministério que
as missionárias Paula e Débora de Oliveira desenvolvem em um dos países fechados do Norte da África,
bem como pela segurança delas. (Alex Almeida – Escritório; Viviane Pinheiro – Guatemala; Estela Afonso
– Sul da Ásia) Lv 17-19
06/02: ENFERMOS – Interceda pelos missionários,
ativos e aposentados, que estão enfermos, para que
Deus lhes dê total recuperação. Ore também pelos familiares de alguns de nossos missionários que se encontram enfermos. (Jorge Luis Nascimento – Malásia) Lv 20-22
07/02: SUL DA ÁSIA – As autoridades de um país
no Sul da Ásia calculam que cerca de 1,2 milhão de
crianças estejam envolvidas na prostituição, e estima-se que cerca de 40% de todo o tráfico sexual
10/02: ORIENTE MÉDIO – Ore pela paz no Oriente Médio, para que Deus dê forças aos nossos missionários para superarem esse momento difícil que a região está passando e para que Deus lhes dê estratégias para abençoar esse povo. (Vanete Teixeira – Timor-Leste; Martinho – Sul da Ásia). Nm 4-6
11/02: IRAQUE E SÍRIA – O Estado Islâmico anunciou a criação de um califado nesses países e criaram
a sua própria interpretação da lei muçulmana com
uma postura cada vez mais agressiva e cruel. Quem
for contra essa lei será morto. Muçulmanos e cristãos
estão fugindo ou morrendo. Ore pelo povo e por nossos missionários no Oriente Médio. (Ione Pasi – Itália;
Mikhael Greenwald – Oriente Médio) Nm 7-9
12/02: GUATEMALA – O missionário Rodrigo Pinheiro pede que oremos pelas aulas de Ética e História do
Cristianismo que ele tem lecionado no Seminário Batista de Chiquimula, com o objetivo de preparar os
obreiros nacionais, e também pelo processo de implantação do PEPE no país. (Ida Venturini – Portugal). Nm 10-12
13/02: SUL DA ÁSIA – Louve a Deus pelo projeto Meninas da Índia que completou um ano de funcionamento e pela abertura da segunda casa do projeto,
que hoje atende 26 meninas que foram resgatadas da
zona de prostituição. Ore para que possamos aumentar o número de obreiros e, assim, abrir a próxima
casa. (Ana Lúcia Pereira – Guiné). Nm 13-15
14/02: SUÍÇA – Ore pela edificação da igreja de Cristo na cidade de Basileia, pela consolidação da fé de
cada um dos quatro irmãos batizados recentemente
e para que nossos missionários tenham discernimento de estratégias evangelísticas para o contexto cultural onde estão inseridos. (Diana Souza – Escritório;
Rawderson Rangel – Chile; Gilberto Campos – África
do Sul; Jaysa da Silva – Radical África 9; João Cunha
Neto – Radical Haiti 1) Nm 16-18
yy
15/02: ORIENTE MÉDIO – Os missionários Said e Fairuz pedem oração pelo desenvolvimento e adaptação
de sua filha, Amani, na escola, pelo constante estudo
do idioma local e pelo trabalho que eles têm desenvolvido na escola de futebol. Ore também por direção
de Deus na elaboração de projetos que visem o alcance dos refugiados que estão chegando ao país. (Luiz
Carlos dos Santos Junior – Treinamento; Walter Freire – Senegal) Nm 19-21
yy
pelo trabalho que nossos missionários desenvolvem
no aeroporto internacional do país onde se encontram. (Denise Mayllard – Escritório). Dt 1-3
yy
22/02: SUDESTE DA ÁSIA – Ore pela conversão da família de nossa missionária da terra Mariam, cujos familiares seguem a fé islâmica, em especial por sua
mãe que passo a passo está entendendo o Evangelho
de Deus, porém ainda não tomou a decisão de seguir
a Cristo. Ore também por seu ministério de discipulado com cristãos ex-muçulmanos. (Deise Queiroz –
Chile) Dt 4-6
yy
23/02: ESPANHA – Ore pela expansão da obra de
evangelização em La Luz, Málaga. Nossos missionários Marcos Vinícius e Sylvia Araujo estão realizando visitas aos bairros ao redor da região, sondando a
terra e pedindo a Deus por discernimento para saber
qual a melhor estratégia para alcançá-los. (Fernando
dos Santos – Escritório; Leandro Ferreira dos Santos
– Escritório; Verônica Bahia – Haiti) Dt 7-9
16/02: URUGUAI – O casal Oséias e Jane Penido pede
que oremos pelo povo do Uruguai, pois cresce cada
vez mais o número de agnósticos que professam que
creem em Deus, mas não têm nenhuma religião ou
qualquer compromisso com o Pai. Ore por aqueles
que estão assistindo aos estudos bíblicos e para que o
Senhor abra as portas para a implantação de um trabalho em um bairro carente de Montevidéu. (Anatoliy
Shmilikhovskyy – Ucrânia; Manoel Marinho – Escritório) Nm 22-24
yy
17/02: PORTUGAL – Ore pela vida de duas irmãs que
foram batizadas recentemente na cidade de Faro, intercedendo para que permaneçam sendo sal e luz entre as pessoas do seu relacionamento. Ore também
para que nossos missionários iniciem pequenos grupos nas cidades de Almancil e Quarteira. (Sandra Moreira – Itália). Nm 25-27
yy
yy
yy
18/02: EQUADOR – Ore pela aquisição de uma casa em
San Vicente, para o funcionamento da Missão Batista
em processo de reabertura nesta cidade, que é muito
idólatra e pobre. Ore também pelas pessoas que estão se preparando através das clínicas, para que sejam capacitadas a abrirem novas igrejas. (Fernanda
Costa – Escritório). Nm 28-30
yy
19/02: CHILE – A missionária Marlene Tiede pede oração pelos novos convertidos, em especial pelos que
ainda não aceitaram ser discipulados, e também pelos projetos que tem desenvolvido com o objetivo de
alcançar outras pessoas. (Elisabete Rodrigues – Radical Haiti 1). Nm 31-33
yy
20/02: PARAGUAI – Clame a Deus pela expansão do
Reino de Deus na cidade de Itauguá e também pelo
crescimento da Escola Batista Meu Pastorzinho, para
que os pais, alunos e funcionários aceitem a Cristo
como Salvador e Senhor de suas vidas. (Prena – Sul
da Ásia). Nm 34-36
yy
21/02: ORIENTE MÉDIO – Ore pela paz no Oriente Médio, onde se encontram nossos missionários Mikhael e Rute Greenwald. Já é possível ver as bandeiras do
Estado Islâmico hasteadas em alguns lugares, o que
tem deixado a população em pânico. Ore também
24/02: ESPANHA – Agradeça a Deus pela conclusão
da primeira fase do projeto implantado na cidade
de Málaga, que ultrapassou sua meta, chegando a 12
convertidos, o que é uma grande conquista para a realidade europeia. Ore pelos que estão fazendo discipulado, para que fiquem firmes e sejam livres dos ataques do inimigo. (Ronaldo Lourenço – Treinamento;
Raquel Lima – Escritório) Dt 10-12
25/02: PORTUGAL – Ore pela vida de seis pessoas que
se converteram na cidade de Vila Real, para que Deus
fortifique cada um na sua fé e para que Deus use a vida
de nosso missionário da terra Fernando Jorge para
ajudá-los em seu crescimento espiritual. Ore também
pelos ministérios desenvolvidos ali, para que Deus aja
na vida de pessoas que buscam o Evangelho. (Bruno
Ferraz – Treinamento; Kely Pacheco – Níger). Dt 13-15
yy
26/02: ITÁLIA – O casal missionário Pr. Manoel e Raquel Florêncio pede oração por direção do Senhor
para seu ministério junto à Igreja Batista de Casorate
Primo e pela renovação das forças físicas, emocionais
e espirituais da família missionária. (Larissa Borges –
África do Sul). Dt 16-18
yy
27/02: UCRÂNIA – O missionário Lyubomyr Matveyev
pede oração pela paz em seu país. Ore em especial pela
vida de nosso irmão Denis Kuzmenko, que precisou
fugir do país depois de ter tido sua igreja atacada por
terroristas. (Eliana dos Santos – Chile; Erenita de Oliveira – Senegal; Tatiane Cunha – Escritório; Amira –
Oriente Médio; Jarbas Ferreira – Escritório). Dt 19-21
yy
28/02: SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE – O missionário Levi
Godinho pede oração pela liberação do título do terreno e construção do Terceiro Templo Batista Nova
Jerusalém, em São Tomé, bem como pelo início da
construção. Clame a Deus por sabedoria e unção para
que nossos missionários continuem testemunhando
de Jesus naquele país. (Iryna Shmilikhovsk – Ucrânia; Lúcia Godinho – São Tomé e Príncipe). Dt 22-23
DIÁRIO dE ORAÇÃO
MARÇO/2015
yy
01/03: ESPANHA – Louve a Deus pelo batismo de Gabriela, filha de nossos missionários Leno Lúcio e Raquel Franco, bem como pelos 18 novos irmãos em
Cristo que passaram pelas águas do batismo na cidade de Huelva. Ore para que permaneçam firmes
no caminho do Senhor e pelos muitos que ouviram
a mensagem de salvação na ocasião desses batismos.
(Geisy Gonçalves – Treinamento; Luiz Cláudio Marteletto – Itália) Dt 24-26
yy
02/03: SUDESTE DA ÁSIA – Ore pedindo a Deus por
obreiros para atuarem entre as minorias tibetanas no interior da Ásia. Há entre este povo muitas pessoas sedentas da Palavra, porém não há obreiros para suprir esta
necessidade. (José Godoi – Sudeste da Ásia) Dt 27-29
yy
03/03: NÍGER – Ore pela vida de Hadisa, uma jovem
que após ouvir a pregação na Igreja de Goudel, onde
atuam nossos missionários Josué e Kely Pacheco,
compareceu ao gabinete para falar de seu desejo de
confirmar sua fé em Jesus como seu Salvador. Seus
pais são muçulmanos e não sabem que ela frequenta
a igreja, porém ela já se decidiu por Cristo. Dt 30-32
yy
yy
04/03: PAÍSES EM CONFLITO – Ore pela segurança
dos nossos obreiros que atuam em países que estão
em conflito no Oriente Médio e Norte da África. (Jaqueline Campos – África do Sul). Dt 33-34
05/03: Oriente Médio – Em um país no Oriente Médio, um verdadeiro avivamento tem acontecido entre os refugiados. Um grupo de cerca de 50 mulheres
se converteu ao Senhor em uma reunião de oração.
Louve a Deus por estas vidas e ore por sua segurança.
(Ibrahim Baligh – Oriente Médio; Humberto Chagas
– Senegal) Js 1-3
mar Rocha – Bolívia; Hans Udo Fuchs – Coordenação
JMM; Vinícius de Almeida – Treinamento). Js 10-12
yy
09/03: EBOLA – Contamos com sua intercessão pedindo a Deus pela vida das pessoas já contaminadas
ou com suspeitas de contaminação pelo vírus ebola. Ore também pelas equipes de saúde que estão em
cada local afetado, pelos países já infectados e pelas
famílias que perderam entes queridos, vítima da contaminação. (José Pereira Carvalho Filho – Espanha;
Rebeca Rocha – Radical Ásia 1). Js 13-15
yy
10/03: SENEGAL – Interceda por nossa missionária
Elizângela Chagas que está realizando um curso de
Psicologia à distância para um melhor preparo no
cuidado dos filhos de missionários, os FMs. Esta formação é em inglês, o que exige dela e de toda a família
novas adaptações. (Gustavo Barcelos – Radical África 9; Dawei – Sudeste da Ásia; Deivid Raasch – Radical África 8; Andreia Moraes – África do Sul). Js 16-18
yy
11/03: ALBÂNIA – Nossos missionários Hugo e Talvania Bertolot pedem oração pela salvação dos albaneses, para a que a mensagem do Evangelho chegue com clareza aos seus corações, quebrando as cadeias da falsa convicção. Ore também pelos que têm
se mostrado convictos de sua fé em Jesus, desejando
de todo o coração e coragem o batismo. (Mireli Montes – Radical África 9). Js 19-21
yy
12/03: PORTUGAL – Os missionários Henrique e Juliana Ramiro pedem oração pelo grupo de jovens que
está recebendo o discipulado “Conhecendo Deus e
Fazendo Sua Vontade”. Ore para que este estudo sirva
de conhecimento, libertação e crescimento espiritual
na vida desses jovens. Js 22-24
yy
yy
yy
yy
06/03: Norte da África – A situação política num
dos países do Norte da África ainda é extremamente
delicada, mas nossos missionários da terra continuam trabalhando e alcançando vidas para Cristo. Um
de nossos obreiros que atua como evangelista conta
que toda semana alguém se rende ao Senhor. Continue
intercedendo pela obra missionária nesse país. Js 4-6
07/03: SENEGAL – O projeto Fábrica da Esperança
continua sendo um verdadeiro oásis para a população carente em Dacar. Ore pelas centenas de pessoas
atendidas semanalmente nos consultórios dos missionários, que também são profissionais da área de
saúde. O Senegal é um país laico, mas quase a totalidade da população é muçulmana, e muitos têm tido
o conhecimento da Palavra da Verdade através dos
nossos missionários. (Ana Godoi – Sudeste da Ásia;
Elizângela Chagas – Senegal). Js 7-9
yy
08/03: PORTUGAL – Ore pelo ministério do casal Jorge Max e Dalimar, que atua na revitalização da Igreja
Batista Viana do Castelo. Essa igreja esteve sem pastor
por 14 anos consecutivos. Peça a Deus que lhes dê sabedoria e estratégias necessárias para levar esta igreja ao crescimento e amadurecimento espiritual. (Tere-
13/03: ANGOLA – Nossa missionária Rosângela Teck
atua como deã interina do Seminário Batista de Huambo, e também como bibliotecária e professora e coordenadora de um ministério de surdos que desenvolve
projetos evangelísticos em várias cidades. Ore por sua
vida, sua saúde e por seu esposo, que é diretor do seminário e pastor. (Tatiane Batista – Moçambique). Jz 1-3
14/03: PEPE – Continue orando por esse programa
socioeducativo implantado em mais de 20 países e
que atende cerca de 8 mil crianças. Ore especialmente pela vida das crianças e missionários-educadores
que atuam em áreas de risco, onde é proibido falar de
Cristo. (Ruy Oliveira – Coordenação JMM; Marco Antônio Silva – Guiné Equatorial). Jz 4-6
yy
15/03: DECISÕES POR CRISTO – Louve a Deus pelas
10.697 almas que se renderam aos pés de Cristo durante o último ano convencional, de outubro 2013 a setembro de 2014. Ore pelos missionários que estão responsáveis pelo discipulado de cada uma dessas pessoas.
(Abraham – Oriente Médio; Solange dos Reis Pipinel –
Treinamento; Décia Barbosa – Aposentada). Jz 7-9
yy
16/03: MOTIVO DE LOUVOR – Agradeça a Deus pelos
784 batismos realizados no período de outubro 2013 a
setembro de 2014, nos variados campos missionários
atendidos pela JMM, bem como pelas 17 frentes que
foram iniciadas, as 33 igrejas organizadas e pelos novos campos que foram abertos: Panamá, Congo, Nicarágua e México. (Yohanes – Sudeste da Ásia). Jz 10-12
yy
17/03: MISSIONÁRIOS DA JMM – Ore pela vida de
cada um de nossos 1.560 missionários que estão desenvolvendo seus ministérios em 84 países, apoiados e sustentados pela igreja brasileira. Clame a Deus
para que Ele continue nos enviando mais obreiros,
para que possamos cumprir a tarefa de tornar Seu
nome conhecido em todos os cantos da Terra. (Davidson Freitas – Gerente de Comunicação e Marketing; Ael Oliveira – Sudeste da Ásia) Jz 13-15
yy
24/03: BURKINA FASSO – Louvemos a Deus pela
inauguração do templo na aldeia de Nana, onde nossa missionária Cristiane Oliveira implantou cinco
cooperativas de fabricação de sabão para ajudar as
mulheres cristãs a ganhar seu pão, sem precisar fabricar aguardente, como antes. (Mei Li – Sudeste da
Ásia; Cristina Nascimento – Malásia). 1Sm 10-12
yy
25/03: GUINÉ-BISSAU – Ore por nossa missionária Rosenilda Assis, que trabalha na implantação de
uma igreja em uma aldeia, onde começou um curso
bíblico para formar líderes nacionais. Ore também
pelo ministério de nossa missionária Adriana Justino, que coordena 18 unidades do projeto PEPE e atua
na formação de líderes para os vários ministérios das
igrejas. 1Sm 13-15
yy
yy
yy
yy
18/03: PERU – Em Arequipa, através do projeto Quero
Viver, mais de 20 homens estão sendo acompanhados no processo contra a dependência química e reabilitação social. Através da equipe coordenada pelo
Dr. Victor Tovar Castillo, psicólogo e nosso missionário da terra, temos evangelizado e discipulado os
internos participantes do projeto. Ore por estas vidas, para que sejam libertas e salvas. (Jessé – Oriente
Médio; Paulo Gonzaga – Mobilizador JMM). Jz 16-18
19/03: GUATEMALA – Interceda pela vida e ministério de nossos missionários Rodrigo e Viviane Pinheiro, que estão atuando com uma igreja que necessita de revitalização. Ela fica em uma das regiões
mais carentes e violentas da capital guatemalteca.
Ali é um solo fértil para a implantação de unidade do
PEPE. Nove unidades já foram criadas no país, sendo oito entre os indígenas queqchis. (Cláudia Azedias
– Escritório; Willian Viel – Mobilizador JMM; Jairo
Muñoz – Colômbia) Jz 19-21
yy
20/03: EQUADOR – Ore por nossas missionárias Joseane Lima e Marta do Carmo, que estão iniciando
um trabalho para a revitalização de uma igreja que
há cinco anos esteve fechada e hoje já está com suas
atividades de culto e escola bíblica regulares. (Maria
Rejane do Nascimento – Paraguai; Anne Nicodemo –
Itália). Rt 1-4
26/03: SERRA LEOA – A JMM apoia três obreiros
da terra, plantadores de igrejas, e duas unidades do
PEPE neste país que, assim como a Libéria, está totalmente à deriva por causa da epidemia do vírus
ebola. Clame por esse campo, para que possamos
socorrê-lo e, em seguida, trabalhar por sua reconstrução. (Thiago Rosendo – Burkina Fasso). 1Sm 16-18
27/03: ÁGUA PARA OS SEDENTOS – Louve a Deus
pela finalização da construção de três cisternas em
uma vila da Ásia onde, pela primeira vez na história, aquele povo teve acesso à água encanada em
suas casas. Ore para que este seja um canal para levar também a salvação àquele povo. (Ana Maria da
Costa – Paraguai). 1Sm 19-21
yy
28/03: CHILE – Ore pelo ministério dos missionários
Aleksei e Ana Paula Faria, que estão trabalhando na
plantação de uma igreja em Antofagasta através de
atividades evangelísticas. Quatorze pessoas já foram
discipuladas e preparadas para o batismo, e cinco
eventos esportivos foram realizados, nos quais cerca de 70 pessoas participaram e ouviram do Evangelho. Coloque estas vidas diante de Deus em oração.
(Ishak – Sudeste da Ásia) 1Sm 22-24
yy
yy
yy
yy
yy
yy
21/03: BÓSNIA-HERZEGOVINA – Interceda pelo ministério de nossa missionária Adriana Noeme, que
está colaborando com a Igreja Batista em Sarajevo,
com reuniões semanais de oração e estudos bíblicos
através de visitas. Ore pelo trabalho que tem sido realizado com mulheres e treinamento de liderança,
duas grandes prioridades. 1Sm 1-3
22/03: GUINÉ EQUATORIAL – Louve a Deus pela inauguração das instalações da igreja plantada por nossas
missionárias Maria Lucinalva e Nely Soares. Ore pelo
novo desafio das missionárias, que estão empenhadas agora na construção de uma escola fundamental
e um posto de saúde. (Suresh – Sudeste da Ásia; Joed
Venturini – Portugal; Paula Coutinho Souza – Radical
África 10; Willy Rangel – Escritório) 1Sm 4-6
23/03: MOÇAMBIQUE – Ore pelo missionário Daniel
Soler, que está organizando o Instituto Bíblico Batista e trabalhando nas instalações novas e biblioteca,
além de treinar líderes em três congregações. Interceda também pela missionária Gisele Soler, que está
servindo como capelã na universidade e atendendo
como médica na clínica do Dondo e no centro para
portadores do HIV/Aids e crianças subnutridas. (Hoang – Sudeste da Ásia). 1Sm 7-9
29/03: HAITI – Ore pelos missionários Eliel e Haydee
Gonçalves, que seguiram para o país para iniciar o
projeto Casa Lar Haiti, de apoio a crianças órfãs. Ore
também pela missionária Rosimeri Francisco, que
seguiu para o mesmo campo com o objetivo de ampliar nossas ações na área da educação às crianças
desfavorecidas, através da expansão do PEPE. (Juliana Menecucci – Radical África 8; Esther Amorim
– Portugal). 1Sm 25-27
30/03: CUBA – Louve a Deus pela vida dos 203 missionários da terra que temos no país e também pelas
quase 900 igrejas batistas, praticamente todas em forma de casa-culto, funcionando na residência de nossos obreiros. Coloque diante de Deus o desejo da JMM
de preparar um casal de obreiros para seguir ao país
para atuar no treinamento e desenvolvimento de líderes. (Analzira Nascimento – Com.Vocação). 1Sm 28-31
31/03: GUINÉ-BISSAU – A missionária Elaine Ovando
foi convidada para ministrar aulas de Língua Portuguesa no curso de Teologia Básica, iniciado em Bafatá, e o missionário Freddy Ovando recebeu o convite
de ministrar aulas de Teologia para a primeira turma
do curso básico em Teologia da Missão Batista da cidade. Ore por este desafio. (Anna Letícia Torres – Escritório). 2Sm 1-3
DIÁRIO dE ORAÇÃO
abril/2015
yy
01/04: EQUIPE JMM – Continue orando por toda a
equipe de colaboradores que trabalha nas diversas
áreas que compõem a Junta de Missões Mundiais.
Peça a Deus que revista cada um com sabedoria para
o bom desenvolvimento de suas funções. (Otília da
Silva – Moçambique) 2Sm 4-6
yy
02/04: SUDESTE DA ÁSIA – Nossos missionários Aaron e Paula pedem oração pedindo a Deus que lhes
dê estratégias e oportunidades de compartilhar Sua
Verdade a todos quantos tiverem acesso, pedindo
também que o Espírito Santo os proteja e revista com
ousadia e discernimento para o desenvolvimento do
ministério. (Adriana Marcolino – Moçambique; Henriqueta Davanso – Albânia; Elton Rangel Jr. – Cabo
Verde) 2Sm 7-9
yy
03/04: ITÁLIA – Ore pelo ministério pioneiro dos missionários Edilberto e Pricila Busto, na cidade de Rimini, onde atuam com plantação de igrejas através de
ações evangelísticas realizadas na universidade da cidade, que conta com mais de 6 mil estudantes. Ore
também pelos projetos sociais que desejam iniciar na
cidade, a fim de sinalizar o Reino de Deus. 2Sm 10-12
yy
04/04: ORIENTE MÉDIO – Ore pela vida da missionária Sâmia, que atua em um país do Oriente Médio
onde o islamismo tem escravizado muitos, impedindo-os de ouvir e entender o Evangelho. Ore especificamente por seus estudos da língua árabe, que tem
sido um de seus maiores desafios. (Renato Santos –
Escritório). 2Sm 13-16
yy
sionários Claudinei e Priscila Godoi. Peça a Deus por
sabedoria e disciplina no uso do tempo, receptividade à voz do Espírito, bem como pelos adolescentes e
crianças do Vale de Lluta, para que suas vidas sejam
edificadas e que, através delas, também seus pais venham a conhecer a Cristo. (Quésia – Oriente Médio;
Eliane Corsete – Portugal) 1Rs 4-6
yy
09/04: GUINÉ-BISSAU – Louve a Deus pela doação
de um terreno e continue orando pela construção do
templo na aldeia Ponta Vicente, onde os cultos acontecem debaixo de uma mangueira e muitas vezes precisam ser interrompidos por causa da chuva. (Marcely Navio – Escritório) 1Rs 7-9
yy
10/04: PORTUGAL – Os missionários César e Eliane
Corsete pedem oração pelo trabalho que têm realizado na cidade de Silves, onde estão iniciando uma
nova igreja. A missão ali tem passado por dificuldades, pois as pessoas já alcançadas não têm comparecido às reuniões de estudos bíblicos e oração. Interceda por elas, para que continuem firmes no Senhor
e logo possam estar reunidas novamente. (Ronaldo
Emiliano Atanázio – Escritório) 1Rs 10-12
yy
11/04: COLÔMBIA – Tem crescido a onda de violência
em Castilla, bairro que abriga a igreja onde atua nossa missionária Carmen Lígia. A cada semana, jovens
são assassinados por gangues criminosas que, muitas vezes, matam entre si e, outras vezes, matam pessoas inocentes. A igreja tem realizado atividades para
mostrar a todos que Jesus Cristo é o único caminho
de paz. Ore para que esses corações sejam alcançados e para que nossa missionária não desanime diante das dificuldades. (Narciso Braga – Portugal; Denise
Marteletto – Itália) 1Rs 13-15
05/04: URUGUAI – Os missionários Daniel e Clélia Oliveira pedem oração pelo trabalho de evangelismo que
iniciaram no bairro Vista Linda, para que tenham sabedoria, discernimento e estratégias contextualizadas.
Ore também pelo ministério da irmã Clélia, que voltou
a atender a “linha de crise”, trabalhando com a prevenção de suicídios. Peça ao Senhor para que a use na bênção de vidas em desespero. 2Sm 17-20
yy
06/04: BURKINA FASSO – A missionária Cristiane
Oliveira pede nossas orações pelo trabalho que tem
realizado no Centro de Mulheres Esther, projeto que
surgiu da necessidade de um local para acolher mulheres em situação de risco. O alvo do projeto são moças e mulheres que têm sofrido com abusos, gravidez antes do casamento, perseguição religiosa e HIV/
Aids. (Hugo La Banca – Chile). 2Sm 21-24
yy
yy
yy
07/04: ÁFRICA DO SUL – O missionário Cleber Balaniuc pede oração pelo projeto de construção de uma
quadra de esportes na Cidade do Cabo, com o objetivo de alcançar jovens e adolescentes através do esporte. Ele pede também pelas pessoas que já ouviram
a Palavra de Deus, para que a semente plantada possa
germinar em seus corações e produzir frutos. 1Rs 1-3
yy
08/04: CHILE – É alto o índice de suicídios nos povoados do deserto do Atacama, onde atuam nossos mis-
12/04: NORTE DA ÁFRICA – Interceda pelo restabelecimento emocional da missionária Ludmila Gaspar,
expulsa de um país no Norte da África, e também pelas viagens que ela fará a dois países da região com o
objetivo de definir seu novo campo de trabalho. Ore
também por nossos irmãos do país que foi fechado para entrada de missionários. (Lee – Sul da Ásia)
1Rs 16-18
13/04: MOÇAMBIQUE – Louve a Deus pelo batismo de
68 novos irmãos que, em meio a músicas e danças,
professavam publicamente sua fé em Jesus Cristo na
cidade de Nampula, e também pela distribuição de bíblias nos distritos de Mecuburi e Murrupula. Para a
glória de Deus, 21 irmãos receberam sua primeira Bíblia na língua macua. Ore pelo crescimento espiritual
de cada um desses irmãos. (Leonardo Ayres – Escritório) 1Rs 19-22
yy
14/04: SENEGAL – A missionária Andréia Chrysóstomo pede oração por seu desejo de ampliar a pré-escola implantada em Dacar, visto que boa parte dos alunos que se forma não pode dar continuidade aos seus
estudos por falta de recursos financeiros. Peça a Deus
por orientação e direção quanto à ampliação deste
projeto. (Noemi Andrade – Mobilizadora). 2Rs 1-4
yy
15/04: PARAGUAI – A missionária Ana Lúcia Ferreira pede oração pela vida das 42 pessoas que confessaram a Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas, para que permaneçam firmes em sua decisão e
para que as igrejas possam dar o acompanhamento
necessário aos que necessitam de crescimento espiritual. (Rute – Sudeste da Ásia; Leila Lóta – Canadá;
Carla Barros – Colômbia). 2Rs 5-7
yy
16/04: FRANÇA – Continue orando pela vida e ministério de nossos missionários Alexandre e Anna Dias,
na França, pois este é um campo onde a pregação do
Evangelho não é algo fácil. A terra é dura, e nossos
missionários precisam de muita sabedoria e discernimento de Deus para prepará-la para o lançamento
da semente do Evangelho. (Vivian Silva – Escritório;
Severina Cordeiro – Escritório; José Calixto – Portugal) 2Rs 9-10
yy
17/04: GUINÉ-BISSAU – Louve a Deus pela construção do templo em Gabu, que está avançando junto
com as programações na rádio, e ore pelas visitas
que nosso missionário Adulai Baldé tem feito a muitas aldeias fulas, selecionando as mais abertas para
iniciar um futuro trabalho de implantação de igreja entre este povo. (Ester – Norte da África; Hadassa
Lewis – Sudeste da Ásia) 2Rs 11-13
yy
18/04: SUL DA ÁSIA – Continue orando pelo trabalho
missionário em um país específico do Sul da Ásia, em
especial pelo novo governo que foi estabelecido. Seus
aliados são fundamentalistas, e há notícias de que
várias instituições cristãs que trabalham com crianças estão sendo fechadas, devido ao estabelecimento de novas leis, principalmente contra a conversão
infantil. (Freddy Ovando – Guiné-Bissau). 2Rs 14-16
yy
19/04: BARREIRA NO CAMPO – Continue em oração, pedindo a Deus por sabedoria e ânimo aos nossos missionários que estão na fase de aprendizado da
língua, para que consigam vencer essa grande barreira. (Marcos Queiroz – Peru). 2Rs 17-19
yy
20/04: PROJETOS MISSIONÁRIOS – Continue intercedendo pelos projetos missionários da JMM que levam
Cristo a todo o mundo através da educação, saúde, esporte, artesanato, estética, etc. Peça a Deus por estratégias de evangelização, para que os missionários
continuem alcançando muitos para Cristo. 2Rs 20-22
yy
23/04: SAÚDE DOS MISSIONÁRIOS – Continue intercedendo em favor da saúde de nossos missionários,
para que Deus cuide de cada um, dando-lhes livramento e cura. Peça também pela saúde de seus familiares no Brasil. (Ionara Rodrigues - Paraguai) 1Cr 5-7
yy
24/04: ÁFRICA – Ore pela reabertura de dois países
na África, no norte e na região central desse continente, de onde tivemos que retirar nossos missionários devido a pressões políticas. Coloque diante de
Deus a vida dos cristãos nacionais que ficaram nestes países, pedindo também para que permaneçam
firmes na fé. (Jorge Max da Silva – Portugal). 1Cr 8-10
yy
25/04: PROJETO DE ALFABETIZAÇÃO – Coloque
diante de Deus a vida das muitas pessoas que estão
sendo alcançadas por este projeto, que tem sido dirigido por professores nacionais em oito setores de um
país do Sul da Ásia. Muitos estão sendo alfabetizados através deste ministério e nossos obreiros estão
tendo o privilégio de também evangelizar este grupo.
(Helena Oliver – China). 1Cr 11-13
yy
26/04: MISSIONÁRIOS PARCEIROS – Louve a Deus
pela vida de cada irmão que tem sustentado a obra
missionária através de suas orações e ofertas, pedindo que Deus abençoe a vida de cada um. Ore também
para que Deus continue desafiando o Seu povo para
que novos irmãos se juntem a nós na urgente obra
de evangelização mundial. (Eliel Pinho Gonçalves –
Haiti). 1Cr 14-16
yy
27/04: parceiros JMM – Agradeça a Deus pela fidelidade de cada parceiro e intercessor da obra missionária mundial e ore para que Deus abençoe a vida de
cada um, mantendo sempre em seus corações o desejo de participarem desta tão grande tarefa que nos
foi confiada. (Margarete Pereira – Guiné Equatorial).
1Cr 17-19
yy
28/04: MOÇAMBIQUE – Peça a Deus por firmeza espiritual para as 250 mulheres que participaram de
um congresso feminino que aconteceu em Maputo.
Muitas delas, embora frequentando a igreja, ainda
tinham algum tipo de superstição ou envolvimento
com feitiçaria. Arrependidas, elas confessaram e jogaram fora seus amuletos, entendendo que somente Jesus Cristo pode protegê-las e salvá-las da perdição. (Alzira Freire – Senegal; Said – Oriente Médio).
1Cr 20-22
yy
yy
yy
yy
21/04: LAR DA PAZ – Continue orando por este projeto que atende crianças carentes no Sul da Ásia, com
o objetivo de resgatá-las do abandono, drogas, prostituição, analfabetismo, crime, estupro, violência,
fome e rejeição familiar. Ore para que essas crianças
conheçam a Cristo e obtenham sucesso em sua vida
acadêmica e profissional. 2Rs 23-25
22/04: PAÍSES FECHADOS – Ore pela proteção de
Deus sobre nossos missionários que atuam em países fechados à pregação do Evangelho, pedindo que
Deus lhes dê sabedoria e estratégias para transmitir a Verdade aos perdidos, sem trazer riscos a suas
vidas, bem como à permanência de missionários
nesses países. (Eduardo Sousa – Escritório; Narrimãn Núñez – Chile; Thiago Cardoso – França; Raquel
Souza – Escritório). 1Cr 1-4
29/04: CABO VERDE – Ore pelo grupo de mulheres
que tem participado das aulas de artesanato em Benexa, um povoado muito pobre com cerca de 150 moradores. Nossos missionários Elton Jr. e Kellen Rangel têm se reunido com o grupo para ministrar estudos bíblicos e ensinar as mulheres a fazerem bolsas
e enfeites de cabelo. Ore para que haja salvação através deste projeto. 1Cr 23-25
30/04: ITÁLIA – Nossos missionários Fabiano e Anne
Nicodemo pedem oração pelo instituto bíblico que
funciona na igreja de Cesena, que visa a formação de
novos líderes que possam se tornar evangelistas, diáconos e futuros pastores e missionários italianos.
Ore também pela cidade de Rimini, onde o casal espera, em breve, começar a plantação de uma nova
igreja. 1Cr 26-29
destaque entrev ista
Avaliar
para
avançar
Em entrevista para A Colheita, nosso diretor
executivo, Pr. João Marcos Barreto Soares, faz um
balanço da contribuição que a JMM, em parceria
com milhares de cristãos, tem feito para o avanço
do Evangelho pelo mundo e também fala sobre
chamado, vocação e a Campanha de mobilização
2015, “Meu Chamado, Voz de Deus às Nações”.
25
destaque entrev ista
Fale um pouco sobre os
avanços da JMM em 2014.
Pr. João Marcos: Graças a Deus
o trabalho tem sempre crescido
anualmente. Em 2014, tivemos a
vitória de entrar em países onde
ainda não tínhamos presença.
Em primeiro lugar, atribuo o
avanço às ações misericordiosas
de Deus para com as pessoas
que não O conhecem e também
misericordiosas conosco, porque
tivemos condições de fazer isso.
Também atribuo o avanço à
fidelidade das pessoas e igrejas que
contribuem com a obra missionária
e também ao compromisso daqueles
que se dispõem a ir.
O que representa para
a JMM chegar a países
como Suíça, Alemanha e
também outro de maioria
muçulmana na Europa?
As pessoas podem achar estranho
a JMM enviar missionários para
países como Suíça e Alemanha.
No caso suíço, fomos socorrer uma
igreja que estava em uma grande
crise. É uma igreja de brasileiros
com pessoas também de outras
nacionalidades. Estamos felizes em
ver os resultados. Na Alemanha,
trabalhamos com pessoas de etnias
consideradas não alcançadas; o
país abriga um grande número de
imigrantes. Nesse país europeu
de maioria muçulmana, o desafio
é ainda maior. Pelas informações
que tive na reunião do conselho da
Aliança Batista Mundial, existem
apenas 150 batistas em três igrejas
nessa nação.
A JMM também está
enviando o primeiro
casal de missionários
brasileiros a Cuba, não
é mesmo?
Isso! Cuba é uma das esperanças
de missões no mundo. No entanto,
entendo que não precisamos mais
enviar missionários plantadores
de igrejas para lá. O casal que
está seguindo para Cuba vai para
trabalhar com treinamento de
26
missões, dar aulas nos seminários
para fazer com que os cubanos
entendam que não é apenas a
evangelização de Cuba que deve
estar na mente das pessoas, mas
a evangelização de todos os seres
humanos, de todos os povos.
Nosso maior desafio é
na área de intercessão.
Precisamos de
intercessores pela
segurança dos nossos
missionários, por
sabedoria
nas atividades deles,
por efetividade
nas ações.
O que é o projeto
“DNA Missionário”?
Conversando aqui na JMM,
identificamos que vários dos nossos
missionários fizeram excelentes
trabalhos na América Latina, porém
quando saíram, o trabalho acabou
por não prosperar. Em alguns
casos, nós tivemos que voltar e
retomar. Identificamos algumas
dificuldades e percebemos que
uma das questões foi que nós não
conseguimos passar o nosso “DNA
missionário”. Os obreiros fizeram
excelentes trabalhos, mas as pessoas
não foram contagiadas por esse
ideal. Queremos enviar pessoas para
ajudar no fomento da criação de
agências missionárias batistas em
cada país para que as igrejas possam
mandar missionários. O mundo
está hoje muito aberto aos sulamericanos. Pretendemos aproveitar
as oportunidades para ampliarmos
nossas ações na Ásia (lugar de maior
necessidade). Temos experiência
para isso.
Falando em avanço,
temos agora mais uma
campanha de mobilização
de igrejas que permitirá
à JMM ampliar o seu
trabalho. Como foi a
escolha do tema da
atual Campanha?
Muitas pessoas dizem que há uma
crise de vocação, mas eu não creio
que ela exista. Uma das grandes
dificuldades que nós temos é que
não se fala mais sobre vocação como
se falava muito tempo atrás. Não sei
exatamente quais são as razões, mas
não se fala também da oportunidade
que é servir a Deus com o uso da
sua profissão, da sua vida como um
todo. Vocação ficou uma coisa muito
de pastor, ministros, quando na
verdade a vocação é de todo cristão.
O nosso ideal foi continuar falando
que todos somos vocacionados,
Deus chamou a todos. A sua vocação
não concorre com a minha. Muitas
vezes, o problema acontece quando
eu quero viver a sua vocação e você
quer viver a minha vocação. Deus
tem uma vocação para cada um, e
vocação é o chamado de Deus.
Quais são as principais
metas a serem
alcançadas em 2015?
Nosso maior desafio é na área
de intercessão. Precisamos de
intercessores pela segurança
dos nossos missionários, por
sabedoria nas atividades deles, por
efetividade nas ações. Precisamos
de intercessores que orem pela
saúde emocional, espiritual e mesmo
física dos nossos missionários.
Precisamos de intercessores que
orem por nós aqui na sede, que
temos a responsabilidade de
pensar estrategicamente.
– por WILLY RANGEL
Confira a agenda de
eventos 2015 da JMM em
www.missoesmundiais.com.br
ou acesse www.facebook.com/
MissoesMundiais
entre nós con v ív io
Como minha
oferta no
Dia Especial
ajuda a levar o
Evangelho aos
não alcançados
C
omo é agradável poder participar da obra que
Deus está realizando no mundo. Sempre entendi
a obra missionária como uma engrenagem que
precisa estar funcionando muito bem, com cada parte
cumprindo a sua função.
Quando eu ainda estava no Brasil cumprindo o meu
chamado na igreja que o Senhor havia me colocado
para pastorear, eu queria fazer bem a minha parte.
Testemunhava e pregava aos que estavam ao alcance da
minha voz, e orava e ofertava para fazer a minha voz soar
através daqueles que tinham ido aos campos, para onde
até então eu não havia sido convocado.
Mais tarde, o Senhor também me chamou para ir.
Hoje, eu e minha família servimos a Ele no Oriente
Médio, fazendo da nossa vocação a voz Dele para
as nações.
Em minhas visitas às igrejas no período de
promoção missionária, uma das perguntas que eu mais
respondia era: “Por que tenho que contribuir para o Dia
Especial de Missões se já participo da Parceria na Ação
Missionária (PAM)?
Existem várias razões para contribuirmos para o
Dia Especial, mas vou me ater a um aspecto apenas: a
presença e a necessidade de obreiros da terra no campo.
O obreiro da terra, ou autóctone, é o missionário
nativo do país ou da região onde o trabalho está
sendo realizado. Nas regiões onde hoje coordeno
missionários, Oriente Médio e Norte da África, temos
aproximadamente 17 obreiros da terra. É uma realidade
muito modesta para a necessidade que temos.
Podemos dizer que Missões Mundiais é hoje
referencial no trabalho com autóctones no mundo;
no entanto, ainda estamos muito longe do ideal no
trabalho com esse tipo de missionário. A atuação deles é
fundamental para o desenvolvimento da obra em campos
fechados ao Evangelho e principalmente em locais onde
há povos não alcançados.
Um missionário brasileiro nestas regiões leva em
média de três a cinco anos para conseguir se comunicar
adequadamente no idioma local e se aculturar. Neste
período, os ciclos de relacionamentos que ele terá com
possibilidade de compartilhar a mensagem do Evangelho
será muito pequeno. Além disso, devemos considerar
que, dependendo do país, terá dificuldades para
conseguir o visto de residência.
Precisamos da presença desses dois missionários no
campo. A parceria entre o obreiro da terra e o missionário
enviado resulta em muitos frutos para o Reino.
Um missionário brasileiro, antes de seguir para
o campo missionário, tem a possibilidade de visitar
igrejas, levantar parcerias para o seu sustento através da
Parceria na Ação Missionária. Mesmo que seu sustento
não esteja completo, ele segue para o campo, pois o seu
sustento é complementado pelas ofertas do Dia Especial.
Já o obreiro da terra não tem esse “privilégio”; alguns
conseguem ter alguns parceiros através de indicação de
alguém, mas a maioria deles e seus projetos dependem
exclusivamente das ofertas que vêm do Dia Especial.
Trabalhamos para avançar na obra missionária,
chegando às nações onde ainda não há presença da JMM.
Certamente a maior parte dessa missão será realizada
pelos obreiros da terra, os autóctones.
Não podemos pensar em parar de contribuir no Dia
Especial. Ainda há muito o que fazer, e há autóctones
preparados em novos campos. Podemos avançar muito
mais se cada crente e cada igreja se dedicar ainda mais
em suas ofertas, fazendo do Dia Especial uma grande
celebração e uma demonstração do quanto somos
apaixonados e generosos na contribuição por missões,
vocação dos batistas brasileiros, voz de Deus para
as nações.
– Jessé
coordenador de missionários no
Norte da África e Oriente Médio
27
ATUALIDADES turminha idemundo
Atividade
Ajude o Idemundo a chegar a lugares onde
a Palavra de Deus é pouco conhecida.
Veja o que os filhos de
missionários têm para nos contar
somos missionários. Ajudamos
nossos pais sempre que
podemos e também pregamos a
Palavra de Deus. Eu ajudo mais no
louvor tocando violão e percussão. É muito importante
estar pronto para tudo, pois não sabemos o que pode
acontecer no dia de amanhã. Isso que é ser filho
de missionário.”
no Uruguai há dois anos.
Digo ‘somos’ porque não me
considero apenas FM, mas sim
um missionário. Quando o Senhor
chama, Ele chama a família. O começo
foi bem difícil. As amizades aqui são mais distantes do
que no Brasil, mas como Deus cuida de tudo, pude
contar com a ajuda de dois jovens na escola, com
quem tive a chance de compartilhar o amor de Jesus.
Hoje domino melhor o Espanhol e já consegui participar
de um encontro de jovens. No curso de eletromecânica,
também compartilho a Palavra de Deus.”
Luiz Gustavo, 14 anos, irmão do André Luiz,
FM de Levi e Lúcia Godinho (São Tomé e Príncipe)
Daniel Penido, 18 anos, irmão da Rebeca,
FM de Oséias e Jane Penido (Uruguai)
“Ser filho de missionário é
uma missão. Nós também
28
“Somos missionários
ATUALIDADES PERFIL MISSIONÁRIO MOBILIZADOR
Testemunha do
avanço missionário
Pr. Alcides Neto, missionário
mobilizador em Alagoas, Sergipe
e extremo norte da Bahia.
M
“O desafio que tenho
levado às igrejas é
que nenhuma ação
missionária pode
prescindir do preparo
espiritual, isto é, de
oração, e do apoio
incondicional da
igreja de Cristo.”
inha maior alegria
tem sido testemunhar
o envolvimento das
igrejas no sustento de missões através
das orações, do envio e das ofertas
desafiadoras que têm sido levantadas
para o avanço da pregação do
Evangelho de Cristo pelo mundo”. Esta
é a frase que resume a missão de Alcides
Neto, 41 anos, missionário mobilizador
que atende Alagoas, Sergipe e a região
do extremo norte da Bahia. “O desafio
que tenho levado às igrejas é que
nenhuma ação missionária pode
prescindir do preparo espiritual, isto é,
de oração, e do apoio incondicional da
igreja de Cristo”, completa.
Integrante do time de mobilização
da JMM desde fevereiro de 2014,
sua relação com missões começou
desde muito cedo, participando dos
Embaixadores do Rei na igreja em
Recife, onde começou sua caminhada
com Jesus.
Na vida ministerial, foi pastor de
jovens da Primeira Igreja Batista de
Maceió/AL e da Igreja Batista Cinco
de Maio, também na capital alagoana,
até novembro de 2012. Atualmente,
é membro da Igreja Batista Betel
em Maceió.
A aproximação com Missões
Mundiais aconteceu mais efetivamente
a partir de seu envolvimento com
outros mobilizadores, como Riedson
Filho que desenvolvia seu trabalho
em Alagoas enquanto o Pr. Alcides
presidia a Convenção Batista Alagoana
e a Ordem dos Pastores do estado.
“Foi a partir dessa convivência
que pude me dedicar, apoiando de
perto a mobilização missionária em
Alagoas, me envolvendo na recepção
dos missionários e participação
dos eventos realizados pela JMM,
como o Conexão e o Acampamento
de Promotores de Missões. Isso me
fez conhecer e viver mais de perto
a experiência missionária”, conta o
Pr. Alcides.
Pouco tempo depois, recebeu
do mobilizador Riedson Filho a
informação de que a JMM estava
em busca de um mobilizador para
Alagoas e Sergipe e, pela localização
geográfica, também para o extremo
norte da Bahia.
“Orei, e em janeiro de 2014 fui
desafiado para ocupar essa posição,
que é um privilégio dado por
Deus”, diz.
Casado com Ana Mônica e pai
de dois filhos, Pedro Igor (14 anos)
e Paulo André (9 anos), Pr. Alcides
recebeu apoio da família em todos
os momentos, “principalmente
nas viagens, quando preciso ficar
um tempo fora de casa”, segundo
o mobilizador.
Para os promotores voluntários
de missões, o Pr. Alcides deixa uma
mensagem: “Entenda que a obra
missionária da igreja local tem que
ser fruto de um sentimento de paixão
pelas pessoas. Esse é um desafio
urgente que precisa ser produzido
no coração da igreja de Cristo e deve
ser ampliado por uma visão capaz de
alcançar todas as fronteiras com a
pregação do Evangelho”.
– por WILLY RANGEL
29
ATUALIDADES promoção
Promotores
voluntários:
força para
mobilizar
30
ATUALIDADES promoção
“Precisamos ser mais unidos e
focados em prol de missões dentro
das igrejas locais, de modo que esses
voluntários que amam missões sejam
fomentadores do ideal missionário,
juntamente com as lideranças locais.“
A
parceria com as igrejas é fundamental para o avanço
missionário nos campos. O envolvimento de cada uma que
ora, oferta, mobiliza e/ou envia vocacionados permite que
a JMM alcance suas próprias metas, levando a voz de Deus às nações.
É na ligação entre Missões Mundiais e as igrejas que atua o promotor
voluntário de missões.
Atualmente, a JMM conta com 5.457 promotores espalhados por
todo o Brasil, segundo o Pr. Fernando Leiros, coordenador nacional de
Eventos e Mobilização. Ele espera uma aproximação maior entre os
promotores e a JMM por meio dos missionários mobilizadores.
“Precisamos ser mais unidos e focados em prol de missões dentro
das igrejas locais, de modo que esses voluntários que amam missões
sejam fomentadores do ideal missionário, juntamente com as lideranças
locais. Com esta atitude e pensamento, o Reino de Deus em todo o
mundo, a começar na igreja local, crescerá, e vidas se renderão ao
Senhor Jesus”, comenta Fernando Leiros.
Para gerar essa maior aproximação, a JMM quer aumentar o
número de encontros com os promotores. A ideia é estreitar, valorizar e
aumentar a relação com esses agentes de mobilização de missões.
Nesses encontros os promotores ficam por dentro da ideia da
campanha de mobilização; aprendem a usar cada peça publicitária e
informativa, melhorando e dinamizando o potencial de comunicação de
cada item.
“Nesses eventos, os promotores voluntários ouvem uma palavra
inspiradora que mexe com seu coração e incendeia a alma, para que
cada vez mais se engajem nesta tão bela missão”, conta o Pr. Fernando.
Leiros espera que em 2015 a JMM realize 25 encontros missionários
por todo o Brasil e 40 congressos Conexão. Além disso, a mobilização
missionária deverá contar ainda com diversos congressos nas igrejas
locais, que serão auxiliadas por nossos missionários mobilizadores.
FaÇa parte desta
histÓria vocÊ tambÉm.
Confira a agenda de eventos 2015
da JMM em www.jmm.org.br ou acesse
www.facebook.com/MissoesMundiais
Promova missões
o ano inteiro
É possível viver e promover missão
transcultural o ano todo através de
nossos informativos impressos ou
disponíveis na internet. Temos uma
grande quantidade de materiais
informativos e publicitários que permitem
ao promotor uma atualização sobre o
que de mais importante acontece em
nossos campos missionários.
O que a JMM espera
de seus promotores
Oração, amor pelas vidas,
evangelização, comunhão com o
próximo, vida de santidade e dedicação
à obra. O melhor de um bom cristão.
É isso que a JMM espera de seus
promotores. É preciso viver missões,
segundo o Pr. Fernando Leiros.
Quem pode ser
promotor
voluntário de
missões
“Todo membro de igreja local
devidamente envolvido com missões
e que seja um apaixonado pela
obra missionária e que tenha o
reconhecimento do seu líder local
pode ser um promotor”, garante
Fernando Leiros.
Recado para
quem deseja ser
um promotor
voluntário de
missões
“Peça a Deus que lhe dê forças para
esta tão linda missão. Em seguida,
tome uma atitude. Comece a procurar
informações do que acontece nos
campos pelo mundo afora através da
revista A Colheita, no portal e na página
da JMM no Facebook, nas cartas de
nossos missionários. Enfim, fale com
seu líder, compartilhe com outros o seu
desejo de viver mais a obra missionária.
Você poderá se surpreender ao
ver que existem outras pessoas
como você. Dê o primeiro passo.
Os demais acontecerão naturalmente”,
afirma Leiros.
– por marcia pinheiro
31
ATUALIDADES Voluntários
Missões até
nas férias
U
ma mochila nas costas e o coração cheio de
vontade de compartilhar o amor de Deus.
Este é o perfil dos voluntários que seguem em janeiro
para o Chile. Eles ficarão na cidade de Iquique, no
norte do país, onde de 18 a 30 de janeiro apoiarão as
atividades desenvolvidas pelo casal missionário César
e Deise Queiroz.
A cidade de Iquique possui uma bela costa e recebe
milhares de turistas durante o verão. Nossos jovens
voluntários terão a oportunidade de falar de Cristo a
chilenos e turistas que estão por lá passando férias.
Como nesta época do ano a cidade respira praia,
esportes e muita música, o programa Voluntários Sem
Fronteiras selecionou jovens que pudessem atuar com
esportes, música, evangelismo, artes, entre outras
atividades. Todos comprometidos em amar não apenas
com palavras, mas também com ações, conforme
1João 3.18.
Quem ainda não sabe o que é viver o amor de Deus
junto a outros povos, deve ficar ligado na agenda de
caravanas 2015. Certamente há alguma precisando
de pessoas com o seu perfil. Escolha a sua e entre em
contato com o Voluntários Sem Fronteiras. Escreva
para: [email protected]
– por marcia pinheiro
VOLUNTÁRIOS 2015
32
PERÍODO
CAMPO
ATUAÇÃO
17 a 31/1
Janeiro e fevereiro
Maio
Julho
Julho
Setembro
Setembro
Outubro
Outubro e novembro
Novembro
Chile
Haiti
Cuba
Albânia
Canadá
Filipinas
Uruguai
Cuba
Haiti
África
Esportes, artes e crianças
Evangelismo, saúde, esportes e crianças
Pregação e ensino teológico
Esporte, pregação, beleza, crianças
Jogos Pan-Americanos
Saúde
Crianças, mulheres, artesanato
Pregação e ensino teológico
Saúde, esportes e crianças
Saúde, crianças, esportes, ensino teológico, etc.
ATUALIDADES Com.Vocação
Chamados ao
discipulado
“Se desejamos chegar
ao produto final da
Grande Comissão, fazer
discípulos, devemos
investir em nossa
maturidade espiritual,
ensinando e aprendendo
sobre o Evangelho
de Cristo.”
A
comunhão com Cristo é uma necessidade de
cada ser humano que deseja usar tudo o que
é, sabe e tem para fazer a voz de Deus chegar àqueles
que ainda não experimentaram do Seu incondicional
amor. Essa comunhão é diária e depende do desejo de
cada um em querer caminhar lado a lado com o Pai.
Ela acontece principalmente através do discipulado.
Na Grande Comissão dada por Cristo, em Mateus
28.18-20, há quatro verbos: ir, fazer [discípulos],
batizar e ensinar. Destes, apenas um é imperativo:
“Fazei discípulos”. Se desejamos chegar ao produto
final da Grande Comissão, fazer discípulos, devemos
investir em nossa maturidade espiritual, ensinando e
aprendendo sobre o Evangelho de Cristo.
Assim o Com.Vocação JMM tem atuado, realizando
reuniões de Pequenos Grupos de Discipulado
Vocacional e eventos em todo o Brasil para que todos os
vocacionados possam cumprir o seu chamado de forma
consciente. Não importa até onde eles chegarão com
a mensagem de Cristo. Importa que esta mensagem
firmada na Palavra permaneça em seus corações e
dê frutos.
O Com.Vocação tem realizado diferentes
programas desenvolvidos com o propósito de refletir
sobre vocação, missão e Reino de Deus. Um deles é
o Expresso, criado há mais de dois anos e que tem
sido aprimorado dia a dia para responder de maneira
mais contemporânea e completa às perguntas e
questionamentos de tantas pessoas que têm dúvidas a
respeito da sua carreira, profissão ou chamado.
Nos Pequenos Grupos, o Com.Vocação trabalha
a vida dos jovens participantes de maneira integral,
tratando desde aspectos pessoais tais como família
e relacionamentos até vida profissional, atuação
ministerial e decisões de vida. Há um acompanhamento
coletivo e também individual.
Em 2014, além das igrejas, o Com.Vocação esteve
presente ainda em vários eventos organizados por
faculdades e seminários no Brasil. Foram mais de 30!
– por marcia pinheiro
Fique atento à agenda do Com.Vocação
frequentemente atualizada na página
www.facebook.com/Com.VocacaoJMM.
33
ATUALIDADES PIM
Fale com
Deus sobre
Missões
T
8 de março
Dia de Oração
por Missões
Historicamente, os batistas brasileiros comemoram
no segundo domingo de março o Dia de Missões
Mundiais. A partir deste ano, nesta data também
celebraremos o Dia de Oração por Missões
Mundiais. Reserve, portanto, o dia 8 de março
para interceder pela obra missionária mundial.
Nessas 24 horas, a igreja deve dividir horários
para que haja, pelo menos, um membro orando
por Missões Mundiais. Cada dia tem 1.440 minutos,
sendo assim, se houver 144 orações de 10 minutos,
cobriremos os missionários com nossas orações
por um dia inteiro.
Culto especial, vigília, reunião de pequeno
grupo, culto doméstico, reunião de oração…
Escolha a melhor forma de participação.
O importante é não ficar de fora desta
grande mobilização.
Você também pode promover o Dia de Oração
por Missões Mundiais compartilhando os
pedidos publicados em nossa página no Facebook
(www.facebook.com/missoesmundiais). Será
um domingo de clamor pelos campos missionários.
odo dia é dia de orar. “Orai sem cessar”
(1Ts 5.17). Isso significa que nossa vida deve
ser em si mesma uma grande oração – iniciada no
momento em que clamamos a Jesus pela salvação
de nossas almas e finalizada (da perspectiva terrena)
na morte, quando formos viver o “AMÉM” tangível,
concreto, em brados de glorificação ao Autor da nossa
fé em Sua presença por toda a eternidade – desejo da
oração terrena em plena realização no céu.
Quando unimos nossas vozes pedindo a mesma
coisa a Deus, movidos no mais profundo da alma,
Ele mesmo se comove. Ele ouviu os clamores do povo
de Israel que estava em escravidão no Egito e promete
ouvir o clamor coletivo (Ex 3.7; 2Cr 7.14). Assim surgiu a
necessidade de separarmos um dia representativo para
intercedermos por Missões Mundiais, e clamarmos
juntos pela vinda do Reino de Deus. A data escolhida
é o segundo domingo de março, que seguindo o
calendário da Convenção Batista Brasileira, é o Dia de
Missões Mundiais.
A oração é o que de mais íntimo e de mais coletivo
existe no nosso relacionamento com Deus. Ela pode
ser audível, recitada ou cantada na congregação ou
pode ser silenciosa, feita no quarto; gritada em alta
voz. Ela pode ser também uma oração em “estado
líquido” – lágrimas, gemidos inexprimíveis da
intercessão do Espírito em nós (Rm 8.26) que o Senhor
sabe muito bem interpretar. A resposta? A voz Dele
é ouvida nos campos missionários por pessoas que
precisam de salvação e nós, os já salvos, também somos
transformados, fortalecidos em nossa fé.
Faça parte dessa grande rede de oração que faz
acontecer o Reino de Deus sobre o mundo. Missões
Mundiais está presente em mais de 80 países com cerca
de 1.500 missionários. Mesmo assim, ainda há muito a
ser feito. Existem cerca de 3.800 povos não alcançados
pelo Evangelho. Muitos são os desafios. Sem Cristo,
sem nosso relacionamento com o Pai através da oração,
nada podemos fazer. Esteja disposto a ouvir a resposta
do Pai. Afinal, oração é diálogo – o que certamente
exigirá de nós uma atitude (leia o capítulo 6 de Isaías
para entender melhor). A oração não é feita de palavras
vazias, mas de ações e respostas.
– Evilin Santos
publicitária e teóloga
34
ATUALIDADES pam
Parceria
para avançar
Um parceiro é alguém que participa na vida daquela
frente missionária, intercedendo e se interessando
pelo que tem acontecido no dia a dia. É uma mudança
de conceito que não muda em nada a operação do
programa PAM. Esperamos estimular nossos parceiros
a participarem mais ativamente da vida do missionário
que está no campo.
Para 2015, quais as novidades do
relacionamento da JMM com
seus parceiros?
O
programa que permite você apoiar a obra
missionária através das suas ofertas agora
se chama programa Parceria na Ação Missionária.
Em entrevista, o Pr. Davidson Freitas, gerente de
Comunicação e Marketing da JMM e responsável
pelo programa PAM, explica a mudança de conceito
dessa ação, destacando a importância para o avanço
missionário no mundo, e antecipa novidades para
nossos parceiros este ano.
O público da JMM se mantém fiel ao
longo dos anos com suas contribuições
para o PAM, que agora passa a se chamar
Parceria na Ação Missionária. O que
motivou essa mudança?
Pr. Davidson Freitas: Na verdade, a motivação é um
alinhamento entre o nome e a realidade do que já
acontece hoje. Quando fazemos uma análise do termo
“Programa de Adoção Missionária” (antigo nome),
encontramos uma inconsistência com a realidade. Um
programa de adoção é normalmente para alguém que
está desamparado, precisando de socorro ou assistência
imediata. E essa não é a realidade dos missionários
da JMM. Ao contrário, eles têm todo um apoio da
JMM não somente na questão do sustento mensal e
da infraestrutura do ministério dele no campo, mas
também todo um trabalho de cuidado, acompanhamento
da sua saúde no campo e da sua estrutura emocional.
No ano passado, investimos um tempo precioso no
saneamento do nosso banco de dados, e de fato, ainda
há uma missão muito longa pela frente, mas começamos
a construir uma base que possibilitará à JMM ter um
relacionamento mais próximo com o nosso mantenedor.
A Colheita, por exemplo, é uma revista trimestral, mas
todo dia você pode entrar no nosso novo portal para
ter acesso a informações atualizadas de tudo o que
está acontecendo no campo, os desafios, os motivos de
oração pelos quais temos atuado. Essas são maneiras de
encurtar a distância entre o mantenedor e o missionário,
e a JMM propriamente dita. Em 2015, vamos perceber
muitos resultados de todo esse trabalho de base que
tem sido feito.
Qual a importância DO PROGRAMA PAM
para o avanço missionário?
Ele é hoje a principal fonte de entrada para a JMM,
superando 50% dos recursos financeiros aplicados
no avanço missionário. Quando você se compromete
com o sustento financeiro de cada projeto, você
viabiliza a abertura de novas frentes missionárias,
e não só a abertura, mas a manutenção delas
no campo. Nossa meta é assegurar que nossos
missionários estejam atuando para serem relevantes
e levarem a mensagem de esperança de Jesus Cristo.
O programa é imprescindível para que esse avanço
continue acontecendo. Agradecemos a todos que se
comprometem com Missões Mundiais. Queremos
mobilizar mais pessoas que também aceitem o desafio
de participar ativamente para o avanço missionário
através do PAM.
– por WILLY RANGEL
35
ATUALIDADES PEM
PEM avança
no ano da Copa
do Mundo
O
trabalho de Missões Mundiais com futebol
superou o fracasso da Seleção Brasileira na Copa
do Mundo 2014. O ministério esportivo da JMM nos
campos ao redor do mundo segue em alta. Em recente
viagem pela Ásia com uma equipe de futebol, pude
constatar que o carinho e respeito pelo nosso futebol
continuam o mesmo. Isso mantém abertas as portas dos
países para todos aqueles que falam do amor de Cristo
através do esporte.
Além dos campos já ocupados por obreiros do
Programa Esportivo Missionário (PEM), outros locais
aguardam ansiosamente pela chegada de novos
professores e treinadores de esportes, sobretudo o
futebol. E o mais importante, estes locais estão entre
os países mais resistentes ao Evangelho e ainda sem a
presença de missionários. Desta forma, o PEM cumpre
com a missão que lhe foi confiada desde sua criação:
abrir as portas para um ministério relevante e de alto
interesse em campos fechados à Palavra de Deus.
Um dos maiores entraves para o envio de
missionários aos campos fechados é encontrar a
estratégia e plataforma corretas para estabelecê-los
nestes locais. Qual será o argumento para o visto de
36
permanência? Como se identificar com os nacionais de
forma a ser relevante para aquela comunidade, e não
apenas mais um estrangeiro vivendo no país? Tudo
isso é explicado por uma metáfora simples e muito
curiosa, contada por alguns africanos. Eles dizem:
“Vocês, estrangeiros, gostam de coçar no lugar onde
não estamos sentindo cócegas”. Entrar, permanecer, e
ser relevante para a comunidade são as três condições
para se estabelecer um ministério bem-sucedido.
É exatamente isso que o futebol tem feito. Cabe a nós
aproveitarmos nossa condição de um país respeitado
e admirado por nossa hegemonia neste fenômeno
sociocultural mundial.
Para este ano de 2015, novas oportunidades já se
apresentam. Enquanto no Rio de Janeiro a JMM recebe
vários novos missionários do PEM em seu Centro de
Capacitação Missionária, mais dois missionários deste
programa seguem para a Ásia. Louvado seja Deus por este
despertar. Se você tem perfil para o trabalho missionário
mundial através do esporte, escreva para o setor de
Recursos Humanos da JMM: [email protected]
– Pr. Marcos Grava
coordenador do PEM
ATUALIDADES Radical
Treinamento
Radical
O
s missionários do
Programa Radical, voltado
para missionários solteiros e com
idade entre 18 e 35 anos, têm uma
preparação específica no Centro
de Capacitação Missionária JMM.
O currículo dos Radicais inclui
disciplinas voltadas para jovens.
O Radical também tem a
fase de estágio feita em algumas
comunidades do Rio de Janeiro e
a capelania no Instituto Nacional
de Câncer.
Para as turmas que trabalharão
com povos muçulmanos, o
treinamento inclui períodos de
contato com comunidades islâmicas
no Rio. É uma tentativa de mostrarlhes um pouco da realidade que
encontrarão no campo.
Além das disciplinas comuns
aos missionários de longo termo,
os Radicais também têm aulas
de Panorama Bíblico, Princípios
Hermenêuticos, Saúde, Arte e
Expressão, Normas de Sobrevivência
e Medicina de Desastres, além de
aulas bem práticas como corte de
cabelo. Essas são atividades que lhes
permitirão uma maior aproximação
com as comunidades com as quais
atuarão na implantação do Reino
de Deus.
O Pr. Jarbas Ferreira, assessor
da Gerência de Missões e um
dos responsáveis pelo currículo
missionário, explica que a JMM, por
ser uma agência enviadora, divide
com as igrejas a responsabilidade de
formar e enviar o missionário.
“Antes da JMM, temos uma
igreja local, instituições teológicas
e, antes de tudo isso, a gente tem
Deus, que chama e vocaciona.
Nós não produzimos missionário.
O missionário começa a se formar
desde o chamado”, diz Jarbas.
O atual currículo é uma matriz
disciplinar nova, redigida em
conjunto por Analzira Nascimento,
Pr. Jarbas Ferreira e Pr. Girlan e
Denise Silva. Ela está dentro do
que normalmente é proposto por
qualquer instituição missionária.
Veja opiniões de jovens
da décima primeira turma
do projeto Radical África
que estão em treinamento:
Sou formada em Letras, com
habilitação em Língua Portuguesa.
Em 2013, eu conheci o Radical através
de um amigo. Li, comecei a chorar
lendo as informações sobre as turmas
e me inscrevi. Minha igreja me ajudou
bastante, meu pastor, os diáconos, a
liderança… Hoje estou aqui (Centro de
Capacitação Missionária) porque é
um sonho.
Joyane Ruana Almeida Silva,
Primeira Igreja Batista em Rondonópolis/MT
Desde 2008, quando recebi meu
chamado, eu me envolvia com o
trabalho missionário local, na minha
cidade. Mais tarde, entendi que Deus
queria que eu tivesse uma visão mais
ampla. A partir do momento que eu
fui compreendendo que Deus me
queria em lugares mais distantes, fui
dizendo ‘sim’. Em 2012, fiz o processo
de seleção para o Programa Radical,
mas também tinha outra missão:
concluir curso de graduação em
Administração de Empresas. Concluí e
agora estou aqui.
Eliakim Lira Lopes,
Igreja Batista da Glória, Teresina/PI
Meu chamado aconteceu na
adolescência, durante reuniões
das Mensageiras do Rei, onde eu
ouvi testemunhos missionários e
compreendi o que é missões. Aos 16
anos, conheci o Programa Radical
através de um momento missionário
na igreja. Eu ainda não tinha idade
para me inscrever, mas fiquei com
aquilo no coração. Em 2011, durante
um acampamento de promotores,
Deus voltou a falar sobre isso comigo.
Tomei a decisão de me inscrever no
programa e hoje, aos 22 anos, formada
em Biologia, estou no treinamento
do Radical.
Nelcyelle France,
Congregação Batista Manaim, Timon/MA
Recebi o chamado para missões em
2013. Logo depois, através de amigos
que já haviam participado do Radical,
conheci o programa. Busquei mais
informações sobre ele e a confirmação
de Deus. Mandei e-mail para a JMM e
fui convocado para ser um Radical.
Hudson Sampaio de Almeida,
Igreja Batista Morada Nova, Teresina/PI
O Centro de Capacitação
da JMM está pronto para
receber, preparar e
enviar esses missionários
que alcançarão nações
com o Evangelho de Cristo.
A igreja deve e pode
identificar vocacionados,
incentivando-os e
orientando-os a procurar
a JMM.
Se Deus chamou você para ser
um missionário Radical, escreva
para: [email protected]
37
ATUALIDADES PEPE
PEPE: levando
esperança ao
coração da criança
A
través do PEPE, programa socioeducativo,
Missões Mundiais chega em 2015 levando a voz
de Deus a crianças de 24 países. Através de atividades
de educação pré-escolar, programa de nutrição,
prevenção odontológica e orientação espiritual, também
estendida às famílias, vidas são transformadas em
comunidades empobrecidas.
Sou grata ao compromisso e fidelidade ao chamado
dos coordenadores, missionários-educadores, igrejas
e todos os nossos parceiros para a obra missionária
com as crianças, compartilhando o amor de Jesus.
Sobretudo agradecemos a Deus que com sua boa mão
tem dado crescimento e fortalecido este ministério.
24 países
na América e na África
11.279
335
unidades
680
missionários-educadores
7.913
famílias visitadas
crianças alcançadas
57
coordenadores
1.492
decisões por Cristo
Confira mais novidades
sobre o PEPE acessando::
www.facebook.com/PepeInternacional.
– Terezinha Candieiro
coordenadora do PEPE Internacional
38
ATUALIDADES Aconteceu
Vem ser voz
de Deus às nações
M
eu Chamado, Voz de Deus às Nações”. Uma
equipe de profissionais das mais diversas áreas
se empenhou durante todo o segundo semestre de
2014 para também ser voz de Deus através de materiais
voltados à mobilização de nossas igrejas espalhadas
pelo Brasil. Desde a escolha do tema até a montagem
dos kits enviados às igrejas, tudo foi feito sob a direção
do Pai. A oração sempre estava em primeiro lugar.
“Estamos com um material de ótima qualidade.
Eventos como os congressos Conexão Missionária e
os Acampamentos de Pastores e Promotores também
fazem parte de nossa Campanha de mobilização.
Queremos falar mais sobre vocação missionária”, conta
o Pr. João Marcos Barreto Soares, diretor executivo
da JMM.
Materiais como revistas, DVD, site e cartazes
foram produzidos pela nossa equipe de Comunicação
e Marketing, formada por jornalistas, designers e
publicitários. Eles contaram sempre com a consultoria
e apoio dos pastores da organização, e também com a
colaboração de missionários e pastores na produção de
artigos e concessão de entrevistas.
Veja depoimentos de alguns integrantes de nossa equipe de Comunicação:
“Queremos mostrar que o
chamado é para todos e todas as
profissões e habilidades podem
e devem ser utilizadas para
a expansão do Evangelho e o
crescimento do Reino de Deus.
Dentro dessa proposta, inovamos
na forma como as imagens
foram levantadas. Contamos
com a contribuição de Radicais,
missionários efetivos e voluntários
para conseguir o máximo de
material com diversidade de locais
e histórias em todas as regiões
que atuamos, com destaque para
Europa e África.
Nossa missão no desenvolvimento
e produção do DVD da Campanha
2015 foi mostrar com exatidão
e riqueza de detalhes os frutos
e o trabalho dos mais de 1.500
missionários que estão espalhados
por cerca de 80 países.
São horas e horas de gravações
externas e no estúdio. E meses
de produção e edição para
alcançarmos um resultado
satisfatório que possa transmitir
às igrejas do Brasil e do mundo a
essência do serviço prestado nos
campos da JMM e apontar como
milhares de pessoas estão sendo
salvas pelo poder da Palavra
de Deus.”
Raquel Lima, jornalista,
coordenadora da equipe de Audiovisual
“Desde quando o tema da
Campanha foi proposto, eu
me senti desafiado. Eu queria
apresentar algo que fosse pessoal,
que representasse o ‘meu chamado’.
Então pensei: ‘o que pode ser mais
pessoal do que minha assinatura?’.
Apresentei a ideia da assinatura
dentro de um checkpoint (local)
e foi aprovada. Depois da marca,
era a hora de criar a identidade
visual. Escolhi usar imagens onde
a marca sinalizasse locais ou
cenários onde a transformação,
através do chamado de cada um,
precisa acontecer.
Outro grande desafio foi o material
infantil. Acredito que as crianças
precisam ser incentivadas desde
pequenas a se envolver com
missões. Cada ilustração (e foram
muitas) foi criada na expectativa
de que as nossas crianças sejam
tocadas pelo amor de Deus
pelos perdidos. Minha expectativa é que os
cristãos sejam desafiados através
da Campanha a assumir seu
chamado, saindo do comodismo e
se envolvendo na missão de pregar
o Evangelho e apresentar o Reino
de Deus ao mundo.”
Anderson Oliveira,
equipe de Criação
“Fiquei responsável por fazer
o projeto gráfico e a diagramação
da Revista do Promotor e outras
peças para a Campanha 2015. O
que mais me tocou nos materiais
foram as histórias e testemunhos
que neles li, histórias que me
emocionaram, me fizeram refletir e
também me despertaram a orar ali
mesmo, enquanto trabalhava. Sou
grata a Deus por contribuir através
da minha profissão e minha oração
é que Ele use esta Campanha para
despertar vocacionados, de forma
exponencial, e que todos nós
façamos ressoar a voz de Deus, seja
onde Ele nos colocar.”
Ranieri Figueiredo,
equipe de Criação
“Trabalhar na produção
da Campanha é um privilégio.
Às vezes não temos noção do que
isso significa, mas sabemos que
cada testemunho relatado, cada
palavra escrita tem por trás uma
história de milagre, de superação,
uma história do poder de Deus.
Espero que, atuando diretamente
na produção dos textos para a
Campanha, eu possa ser voz de
Deus na vida de alguém.”
Willy Rangel, jornalista
da equipe de Redação
Eles e toda a equipe gerenciada
pelo Pr. Davidson Freitas
investiram tempo, dons e talentos
para que esta Campanha seja um
sucesso nas igrejas. Mas de nada
valerá todo o nosso empenho se
você e as igrejas não sentirem no
coração o desejo de, alguma forma,
ser voz de Deus aos muçulmanos,
hindus, budistas, animistas, ateus,
Hare Krishna e a tantos outros que
ainda caminham longe da verdade
que liberta. Vem com a gente ser
voz de Deus às nações.
– por marcia pinheiro
39
ATUALIDADES minha história
Voz de
Deus entre
refugiados
S
ou técnico mecânico e também fiz curso para ser
técnico de futebol, uma grande ferramenta de
trabalho e interação com a comunidade na qual tenho
anunciado o Evangelho. Também fiz cursos na área de
desenvolvimento comunitário, plantação de igrejas e
liderança. Tudo isso tem sido muito edificante no meu
ministério e no de minha esposa, Yasmin Mussa, aqui no
Oriente Médio.
Aqui se encontra a maioria do povo curdo. É uma
região quase que independente do resto do país, o qual
não posso citar o nome por questões de segurança.
Nesta nação temos um presidente, um primeiroministro, um Parlamento, uma bandeira, um hino
próprio e um Exército. Nos últimos cinco anos, vimos um
desenvolvimento acelerado com investimento vindo de
todos os lados.
Tenho trabalhado com pessoas vindas de mais de 20
países. Elas estão frequentando a PIB Internacional que
plantamos há três anos aqui na cidade onde estamos.
São médicos, babás, professores, domésticas… Com esse
trabalho, alcançamos quase todas as esferas da sociedade
local. Eu e Yasmin também trabalhamos com crianças
através da TOP Brazilian Sports Academy, ministério
esportivo no qual usamos o futebol para ensinar valores
da Palavra de Deus.
Nesse ministério, tenho inúmeras oportunidades de
parcerias, tanto com os ministérios do governo local,
como com igrejas e ONGs.
A fim de levar periodicamente socorro e esperança
aos necessitados, adotamos, como igreja, alguns
campos de refugiados. Tenho tentado levantar recursos
para suprir necessidades básicas das pessoas que
por lá tentam sobreviver. É uma forma que encontrei
para testemunhar o amor de Cristo, estreitando
relacionamentos e compartilhando também o Evangelho.
Tenho visto milagres acontecerem e algumas dessas
pessoas já estão sendo alcançadas por Jesus.
40
O objetivo é poder continuar estes relacionamentos
mesmo após esses cidadãos retornarem para suas
cidades. Assim poderemos pensar em plantarmos
novas igrejas pelo país. Neste tempo de crise, tenho
experimentando um avivamento e espero uma grande
colheita. Povos que eram completamente fechados e
de difícil alcance agora estão próximos e abertos para
receber todo tipo de ajuda.
Conto com o apoio de nossos irmãos em Cristo no
Brasil para avançar nesta missão. As dificuldades são
muitas. Sozinho é impossível continuar. Sou grato a todos
aqueles que já participam do meu ministério e faço um
apelo para que mais pessoas se juntem a nós com suas
orações e ofertas.
Já estávamos sofrendo com refugiados vindo da
Síria, com a invasão dos terroristas do Estado Islâmico
à cidade no segundo semestre de 2014. O influxo de
refugiados é enorme, e as necessidades são assustadoras.
Precisamos urgentemente de recursos financeiros e
humanos para podermos, de alguma forma, aliviar o
sofrimento de parte desses refugiados.
Consegui levantar recursos com a PIB Internacional
e, com isso, compramos alimentos, colchões, cobertores,
medicamentos… artigos de primeira necessidade para
distribuirmos nestes campos que adotamos. Boa parte das
doações que recebemos tem sido usada na locação de um
veículo para transportarmos estas doações até os refugiados.
Se tivéssemos uma van própria, a economia seria incrível
e mais pessoas poderiam receber ajuda. E mesmo quando
os refugiados tiverem retornado para suas casas, essa van
servirá em meu ministério esportivo e na PIB Internacional.
Ore para que alcancemos o valor necessário para a compra
desse veículo através de ofertas específicas.
Esta é a minha história aqui no Oriente Médio. Para
que ela continue, sua participação é fundamental.
– Pr. Násser Mussa
Missionário no Oriente Médio
mundo
Um
de
oportunidades para servir.
Em 2015, Missões Mundiais te convida a colocar
seus dons e talentos em favor dos muitos que ainda
não conhecem a Boa Nova que transforma.
Entre em www.missoesmundiais.com.br,
conheça os nossos projetos e ações.

Documentos relacionados

Baixar - Junta de Missões Mundiais

Baixar - Junta de Missões Mundiais Revista do Pastor – Campanha 2015 –

Leia mais

01 - Elito Pereira Filho, [email protected] missoesnacionais.org

01 - Elito Pereira Filho, elito.pereira@ missoesnacionais.org Sebastianópolis do Sul, SP 23 - Elaine Cristina Machado, [email protected] missoesnacionais.org.br, São Paulo, SP 24 - Manoel Gomes da Costa Jr., [email protected] missoesnacionais.org.br, Pontal do Para...

Leia mais